Você está na página 1de 6

1.

Introdução
Quase todos os sais pouco solúveis encontram-se essencial e totalmente dissociados em soluções
aquosas saturadas (Skoog, West, Holler, Crouch 2006).

Quando dizemos que um sal pouco solúvel está completamente dissociado, não significa que
todo o sal se dissolve. Ao contrário, a pequena quantidade que realmente se solubiliza dissocia-se
totalmente (Skoog, 2006).

Para uma solução de MA dissolvida em água: MA(s) <=> M+(aq) + A–(aq), O produto iónico é
definido como: [M+][A–], se a solução estiver saturada, isto é, se ela estiver no equilíbrio, Então
o produto iónico será igual à constante Kps, chamado produto de solubilidade. (Isto é,
naturalmente, apenas o enunciado da condição de equilíbrio) (Russel, 1994).

Efeito do ião comum é a diminuição da ionização de um ácido ou base fraca, por influência de
um sal do próprio ácido ou base. Embora esse enunciado corresponda ao caso mais frequente do
efeito do ião comum, podemos generalizar e dizer (sempre de acordo com o princípio de Le
Chatelier): Efeito do ião comum é o deslocamento da posição de equilíbrio de um electrólito,
causado pela adição de um segundo electrólito (em geral mais forte), possuidor de um ião em
comum com o primeiro (Feltre, 2004).

O hidróxido de cálcio é conhecido por cal hidratada, cal extinta ou cal apagada. Esses nomes
provêm de seu método de preparação, que é por hidratação do óxido de cálcio [Ca(OH)2],
chamado de cal viva ou cal virgem. O Ca(OH)2 é um sólido branco pouco solúvel em água
(Feltre, 2004).

Solubilidade do Ca(OH)2 = 6,5.10-6 M (Skoog, 2006).


2. Objectivos

2.1. Geral
 Determinar a constante de solubilidade (Kps), de Ca(OH)2 e a solubilidade molar de
Ca(OH)2 na solução saturada e na solução saturada com Ca2+ adicionado.

2.2. Especificos
 Determinar a solubilidade molar e a constante de solubilidade de Ca(OH)2;
 Determinar a solubilidade molar de Ca(OH)2 na presença de Ca2+;

3. Metodologia

3.1. Materiais e reagentes

Mateiais Reagentes Instrumentos

Pipeta Hidroxido de cálcio (CaCO3) Garra

Bureta Cloreto de calcio (CaCl2)

Erlenmeyer HCl ~ 0,05209 M

Termometro Fenolftaleína

3.2. Procedimento expermental

1. pipetar 25mL da solução saturada de Ca(OH)2 e transferir para um erlenmeyer e


adicionar 2 gotas do indicador fenolftaleína. Medir a temperatura da solução.
2. Titular a solução saturada de Ca(OH)2 com solução padrão de HCl 0,05209 M.
3. Determinar a solubilidade molar de Ca(OH)2 na presença de Ca2+.
4. Repetir o procedimento 1 e 2 com solução de Ca(OH)2 e CaCl2.
4. Referências bibliográficas

 Feltre, Ricardo (2004), Química Geral, Volume 1, 6ª edição, Editora Moderna, São Paulo.

 Skoog, A. D., West, D. M., Holler, Crouch, R. S. (2006), Fundamentos de Química


Analítica, Tradução da 8ª edição norte-americana, Thomson Editora.

 Russel, J. B. (1994) Química Geral, 2 edição, Volume 2, PearsonMakronBooks, São Paulo

 Feltre, Ricardo (2004), Quimica Geral, Volume 1, 6ª edição, Editora Moderna,São Paulo.
Índice
1. Introdução ................................................................................................................................ 1
2. Objectivos ................................................................................................................................ 2
2.1. Geral ..................................................................................................................................... 2
2.2. Especificos ........................................................................................................................... 2
3. Metodologia ............................................................................................................................. 2
3.1. Materiais e reagentes ............................................................................................................ 2
3.2. Procedimento expermental ................................................................................................... 2