Você está na página 1de 20

www.cliqueapostilas.com.

br

APOSTILA
PSICOLOGIA
ORGANIZACIONAL

- REPRODUÇÃO PROIBIDA –
www.cliqueapostilas.com.br

Organizadores/Elaboradores: Amanda Guedes de Oliveira e Rafael Santos Vaz de


Lima.

Elaboradores de outros materiais Educa Psico utilizados: Amanda Bergamo de


Oliveir, Ana Carolina Carneiro, Fabiana Rego Freitas, Luciana Esgalha Carnier,
Mariana Girotto C. da Silva, Tauane Paula Gehm.

Revisão e formatação: Flávia Aparecida Ferretti.

Apresentação:
Você adquiriu a apostila temática “Psicologia Organizacional”.
As apostilas temáticas da Educa Psico abordam conteúdos cobrados
frequentemente nos concursos da área de Psicologia.
Estes conteúdos foram didaticamente separados por temas, facilitando a leitura
e a apropriação pelo candidato.
A seleção dos conteúdos foi feita a partir da análise de diversos editais e
provas, sendo assim, constitui-se material de base para o estudo, não sendo
aconselhável utilizá-lo como única fonte de estudo.
Indicamos esta modalidade de material para estudos planejados, ou seja, que
se antecipam à publicação do edital, potencializando o desempenho do candidato nas
provas, de acordo, também, com sua dedicação aos estudos.
As apostilas temáticas são constantemente atualizadas a partir de novas
provas e editais, observando-se a recorrência dos conteúdos e das referências
bibliográficas.
Enfim, a proposta deste material é auxiliá-lo na organização dos seus estudos,
possibilitando que você se dedique aos principais conteúdos e referências
bibliográficas de Psicologia que vêm sendo sugeridos nos editais de concursos na
área.
Reiteramos a importância de se buscar outras fontes de estudo para que possa
potencializar seu desempenho na prova, além de realizar exercícios.
Bons estudos!

Equipe Educa Psico.

ÍNDICE
www.cliqueapostilas.com.br

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL

1. Unidade I: Introdução à Psicologia Organizacional: Aspectos teóricos


sobre a Teoria Sistêmica e a Gestão de Pessoas ......................................... 07
1.1 Primeiras Palavras ........................................................................................ 07
1.2 Texto Base..................................................................................................... 07
1.2.1 O que é Psicologia Organizacional? .......................................................... 07
1.2.2 Taylorismo e Fordismo: Início do Século XX ............................................. 10
1.2.3 Cibernética e Teoria Geral dos Sistemas .................................................. 11
1.2.4 Gestão de Pessoas .................................................................................... 14
1.3 Atividades ...................................................................................................... 17

2. Unidade II: Os Cinco Subsistemas da Administração de Recursos


Humanos............................................................................................................. 18
2.1 Primeiras Palavras ........................................................................................ 18
2.2 Texto Base..................................................................................................... 18
2.3 Os Cinco Subsistemas da Administração de Recursos Humanos (RH)...... 18
2.3.1 Subsistema de Provisão............................................................................. 18
2.3.1.1 Recrutamento .......................................................................................... 20
2.3.1.2 Seleção de Pessoas................................................................................ 21
2.3.1.3 Seleção por Competências ..................................................................... 22
2.3.1.4 Recrutamento e Seleção na Administração Pública...............................23
2.3.2 Subsistema de Aplicação...........................................................................27
2.3.2.1 Descrição e Análise de Cargo.................................................................27
2.3.2.1.1 Descrição de Cargos............................................................................27
2.3.2.1.2 Análise de Cargos ................................................................................ .27
2.3.2.2 Avaliação de Desempenho ..................................................................... .28
2.3.3 Subsistema de Manutenção....................................................................... .31
2.3.4 Subsistema de Desenvolvimento ............................................................... .33
2.3.4.1 Treinamento e Desenvolvimento de Pessoal ......................................... .34
2.3.4.2 Educação Corporativa.............................................................................36
2.3.4.3 Desenvolvimento Organizacional ........................................................... .37
2.3.5 Subsistema de Monitoração de Recursos Humanos ................................ .38
2.3.5.1 Procedimentos de desligamento.............................................................39
2.3.5.1.1 Entrevista de desligamento..................................................................40
2.3.5.2 Auditoria de Recursos Humanos ............................................................ .41
www.cliqueapostilas.com.br

2.4 Atividades ...................................................................................................... .42

3. Unidade III: Conceitos Importantes em Psicologia Organizacional ........ 43


3.1 Primeiras Palavras ........................................................................................ 43
3.2 Cultura Organizacional .................................................................................. 43
3.3. Clima Organizacional ................................................................................... 45
3.4 Liderança nas Organizações ........................................................................ 48
3.5 Poder nas Organizações ............................................................................... 50
3.5.1 Empowerment ............................................................................................ 53
3.6 Motivação ...................................................................................................... 54
3.6.1 Teoria da Hierarquia das Necessidades .................................................... 54
3.6.2 Teoria dos Dois Fatores de Herzberg ........................................................ 55
3.6.3 Teorias X e Y .............................................................................................. 56
3.6.4 Modelo Contingencial de Motivação .......................................................... 56
3.6.5 Teoria de Campo ........................................................................................ 57
3.6.6 A abordagem Fenomenológica da Logoterapia ........................................ 58
3.6.7 Técnicas Motivacionais .............................................................................. 59
3.7 Coaching........................................................................................................ 60
3.8 Comunicação nas Organizações .................................................................. 61
3.9 Equipes.........................................................................................................62
3.9.1 Tipos de Equipes.......................................................................................62
3.10 Grupos ......................................................................................................... 64
3.10.1 Formação de grupos ................................................................................ 64
3.10.2 Técnicas para Atuação com Grupos........................................................ 65
3.11 Mediação de Conflitos ................................................................................. 71
3.12 Avaliação Psicológica.................................................................................75
3.12.1 Entrevista Psicológica..............................................................................76
3.12.2 Testes Psicológicos.................................................................................77
3.12.3 Testes Psicométricos...............................................................................78

4. Unidade IV: Tipos de Gestão ....................................................................... 80


4.1 Primeiras Palavras ........................................................................................ 80
4.2 Estrutura Organizacional..............................................................................80
4.3 Administração de cargos e salários..............................................................81
4.4 Planejamento e Gestão Estratégica: missão, visão de futuro, valores,
objetivos, metas indicadores, Balanced Scorecard (BSC) ................................. 82
4.4.1 Balanced Scorecard (BSC) ........................................................................ 83
www.cliqueapostilas.com.br

4.4.2 Definindo o Negócio a partir do Planejamento Estratégico ....................... 86


4.5 Gestão de Desempenho: conceitos, objetivos e métodos de avaliação...... 88
4.6 Gestão do Conhecimento.............................................................................. 88
4.7 Modelo de Competências.............................................................................. 89
4.7.1 Gestão por Competências: conceito, modelos, desenho de carreiras,
trajetórias e desenvolvimento.............................................................................. 90
4.7.2 Definir e Desenvolver Competência .......................................................... 92
4.7.3 Indicadores de Competência ..................................................................... 93
4.7.4 Remuneração por Competência ................................................................ 94
4.7.5 Aprendizagem Contínua............................................................................. 94
4.7.6 Avaliação por Competência ....................................................................... 96
4.8 Gestão Participativa ...................................................................................... 96
4.8.1 Categorias .................................................................................................. 97
4.8.2 Vantagens................................................................................................... 99
4.8.3 Como Implantar.........................................................................................99

5. Unidade V: Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho...............................101


5.1 Primeiras Palavras......................................................................................101
5.2 Abordagens Sobre o Processo de Saúde e Doença no Trabalho...............101
5.2.1 Teorias Sobre Estresse............................................................................102
5.2.2 Psicodinâmica do Trabalho.......................................................................102
5.2.3 Abordagens com Base no Modelo Epidemiológico e/ou Diagnóstico.......103
5.2.4 Estudos e Pesquisas em Subjetividade e Trabalho..................................104
5.3 Ergonomia ..................................................................................................... 105
5.4 Doenças Ocupacionais.................................................................................106
5.4.1 Karoshi.......................................................................................................107
5.4.2 LER/DORT.................................................................................................. 107
5.4.3 Burnout ....................................................................................................... 108
5.5. Assédio Moral no Trabalho..........................................................................110
5.6 Orientação, Acompanhamento e Readaptação de Profissionais.................113
5.7 Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) ......................................................... 116
5.8 Aposentadoria: aspectos legais e psicológicos; programas de preparação
para
aposentadoria.....................................................................................................117
5.8.1 Programa de Preparação para Aposentadoria (PPA)...............................119
5.8.2 Aspectos Legais da Aposentadoria...........................................................120
www.cliqueapostilas.com.br

6. Unidade VI: Ética e Psicologia ..................................................................... 122


6.1 Primeiras Palavras ........................................................................................ 122
6.2 Aspectos Éticos do Trabalho do Psicólogo Organizacional ......................... 122
6.2.1 Código de Ética Profissional do Psicólogo ................................................ 122

7. Unidade VII: Exercícios e Gabaritos ........................................................... 133


7.1 Testes Retirados de Provas de Concursos .................................................. 133
7.2 Gabarito dos Testes ...................................................................................... 137
7.3 Gabarito das Questões Dissertativas ........................................................... 138

Referências ........................................................................................................ 143


www.cliqueapostilas.com.br

PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
Autor: Rafael Santos Vaz de Lima 1

1. UNIDADE I: Introdução à Psicologia Organizacional ─ Aspectos Teóricos


sobre a Teoria Sistêmica e a Gestão de Pessoas

1.1 Primeiras Palavras

Nesta unidade, estudaremos diversas definições da Psicologia Organizacional:


os momentos históricos e a interface com a função do psicólogo nas empresas, pontos
teóricos, esses, que permeiam o pensamento sistêmico e aspectos sobre a gestão de
pessoas.

1.2 Texto Base

1.2.1 O que é Psicologia Organizacional?

Pode-se considerar como objeto de trabalho da Psicologia Organizacional “as


relações entre as condições de ajustamento da organização em seu ambiente, das
relações de interdependência de seus subsistemas e os fatores que determinam tais
relações — isto tudo no que concerne especificamente aos recursos humanos...”
(ZANELLI, 1986, p. 31).

Entretanto, a psicologia organizacional sofreu diversas modificações até chegar ao


que, hoje, conhecemos como prática do psicólogo do trabalho. Segundo Sampaio
(1998) e Freitas (2002 apud COELHO-LIMA; COSTA; YAMAMOTO, 2011) o
desenvolvimento da psicologia organizacional se dá em três períodos distintos, sendo
o primeiro período o que se chama de psicologia industrial, iniciado na década de 30,
no qual o papel do psicólogo se resumia à inserção e colocação de pessoas nas
organizações, limitada ao setor industrial e atrelada ao seu interesse, compartilhando,
em sua prática, pressupostos tayloristas, tais como o conceito de “limite de fadiga”,
que procurava determinar o limite da exaustão do corpo para realizar atividades
relacionadas ao trabalho.

1
Psicólogo formado pela Unesp e Pós-Graduado em Gestão Empresarial pela Fundação
Getulio Vargas (FGV). Texto elaborado por Rafael Santos Vaz de Lima e Amanda Guedes de
Oliveira.
www.cliqueapostilas.com.br

O legado deixado por Taylor no fazer psicológico nas organizações era marcado
pelo fracionamento do trabalho e amplo monitoramento dos movimentos dos
funcionários. (HELOANI, 2008).
A segunda fase, Psicologia Organizacional, amplia pequena parte do campo de
atuação do psicólogo ao inserir trabalhos com grupos, mas com o mesmo objetivo da
fase anterior: assegurar a produtividade dos funcionários e, assim, o lucro para a
organização. A terceira fase é denominada psicologia do trabalho, onde, só então, a
preocupação com a relação homem-trabalho surge, na tentativa de compreensão e
investigação dessa relação, seus desdobramentos e interligações, considerando seus
aspectos históricos e sociais.
Assim, é possível notar que a psicologia, no início de seu desenvolvimento nas
organizações, tinha um foco individualista e centrava-se na produtividade e
lucratividade das organizações. Isso foi devido, dentre outros fatores, ao momento
histórico-político da época, qual seja, a consolidação do capitalismo tradicional,
estabelecimento do setor industrial e a produção em massa. Logo, as lutas sindicais,
movimentos sociais e mudanças sócio-políticas também contribuíram para mudança
da atuação dos psicólogos nas organizações. Desta forma, a atuação passou a ser de
forma mais crítica e interlocutiva, a segunda fase da Psicologia, até evoluir para a
Psicologia do Trabalho como a conhecemos hoje, com seu aspecto sistêmico e
expansão do objeto de análise, incluindo desde a análise e avaliação da própria
organização, políticas empresariais, ao olhar para saúde do trabalhador às relações de
poder, liderança, aspectos técnicos e de desenvolvimento comportamental, dentre
outras.

Segundo Pereira (2009), a atuação do Psicólogo Organizacional é bastante


diversificada, envolvendo atividades como “seleção, treinamento, desenvolvimento de
pessoal, avaliação de desempenho, estudo da formação e funcionamento de
grupos, estilos de liderança, comprometimento com os objetivos organizacionais,
padrões de comunicação”, além de incluir aconselhamento psicológico,
desenvolvimento organizacional por meio do diagnóstico e planejamento de
CONTINUA...
REFERÊNCIAS

UNIDADE I
www.cliqueapostilas.com.br

BEZERRA, Ana Lúcia Queiroz. Os desafios em gestão de pessoas. Revista


Eletrônica de Enfermagem, Goiânia, v. 6, n. 2, 2006. Disponível em:
<http://www.fen.ufg.br/Revista/revista6_2/editorial.html>. Acesso em: 05 ago. 2008.

BORGES-ANDRADE, Jairo Eduardo. Desenvolvimento de medidas em avaliação de


treinamento. Estudos de Psicologia Medidas em avaliação de treinamento. Nº 7
(Número Especial), p. 31-43, 2002.

CALIL, Vera Lúcia Lamanno. Terapia familiar e de casal. 3ª Ed. São Paulo: Summus,
1987.

CAPRA, Fritjof. O ponto de mutação: a ciência, a sociedade e a cultura emergente.


28. ed. São Paulo: Cultrix, 2005.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração: uma visão


abrangente da moderna administração das organizações / Idalberto Chiavenato - 7.
ed. rev. e atual. - Rio de Janeiro: Elsevier, 2003 – 6ª reimpressão.

____________. Recursos Humanos: o capital humano nas organizações. 8ª ed. 4ª


reimpressão. São Paulo: Atlas, 2008.

COELHO-LIMA, F.; COSTA, A.L.F. & YAMAMOTO, O.H. O exercício profissional do


psicólogo do trabalho e das organizações: uma revisão da produção científica. Revista
Psicologia: Organizações e Trabalho,11, 2, p. 21-35, jul-dez 2011.

FILOMENO, Karina. Da cibernética à teoria familiar sistêmica: um resgate dos


pressupostos. Florianópolis, 2002. Disponível em:
<http://www.sistemica.com.br/docs/Karina%20Filomeno.doc>. Acesso em: 30 jul. 2008.

FLEURY, M.T.L.; FISCHER, R.M. Gestão de pessoas: os desafios de aproximar a


teoria da prática. In.: Revista de Administração, São Paulo, v. 33, p. 90-94,
abril/junho, 1998. Disponível em < www.rausp.usp.br/download.asp?file=3302
090.pdf>. Acesso em 03 jun 2011.

GALERA, S. A. F.; LUIS, M. A. V. Principais conceitos da abordagem sistêmica em


cuidados de enfermagem ao indivíduo e sua família. Revista da Escola de
Enfermagem da USP, São Paulo, v. 36, n. 2, p. 141-147, 2002.
www.cliqueapostilas.com.br

GIL, Antônio Carlos. Gestão de Pessoas: enfoque nos papéis profissionais. 7ª reimpr.
São Paulo: Atlas, 2007.

GOULART JR., Edward; CANÊO, Luiz Carlos; LUNARDELLI, Maria Cristina F. (Org.).
Aproximação à prática: construindo a identidade profissional do psicólogo.
1. ed. Edição Bauru: Joarte, 2006.

HELOANI, ROBERTO. Práticas organizacionais e sofrimento psíquico: O que a


Psicologia do Trabalho tem a ver com isso? 2008. Disponível em
<http://www.fundacentro.gov.br/dominios/CTN/anexos/Mesa%202%20-
%20Roberto%20Heloani.pdf>.

MION, C.R. O papel do psicólogo na área de RH. [s.l.] 2007. Disponível em


<http://www.redepsi.com.br/portal/modules/smartsection/item.php?itemid=413>.
Acesso em 05 jul 2011.

SACOMANO NETO, Mário; TRUZZI, Oswaldo Mário Serra. Perspectivas


contemporâneas em análise organizacional. Gest. Prod., São Carlos, v. 9, n. 1, abr.
2002 . Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-
530X2002000100004&lng=pt&nrm=iso>. acessos em 06 jul. 2011.

PEREIRA, A.S. Práxis da psicologia Organizacional: atuação do Psicólogo


organizacional na cidade de Teresina – PI. In.: Anais do XV Enabrapso. 2009.
Disponível em<http://www.abrapso.org.br/siteprincipal/images/Anais_XVENABRAPSO/
225.%20pr %C1xis %20da%20psicologia%20organizacional.pdf> Acesso em 05 jun
2011.

RABAGLIO, Maria Odete. Seleção por competências. 2. ed. São Paulo: Educator,
2001.

RAPIZO, Rosana. Terapia sistêmica da família: da instrução à construção. 2. ed. Rio


de Janeiro: Instituto NOOS, 2002.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento organizacional. 15. ed. São Paulo: Pearson


Prentice Hall, 2005.
www.cliqueapostilas.com.br

ROCHA-PINTO, Sandra Regina da; PEREIRA, Cláudio de Souza; COUTINHO, Maria


Teresa Correia; JOHANN, Sílvio Luiz. Dimensões funcionais da gestão de pessoas.
9ª Ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

SIQUEIRA NETO, Armando Correa de. A abrangência do psicólogo em Recursos


Humanos. [s.l] [s.d.]. Disponível em: < http://www.via6.com/topico.php?tid=2389>.
Acesso em: 15 ago. 2008.

ZANELLI, José Carlos. Formação e atuação em Psicologia Organizacional. Psicol.


cienc. prof., Brasília, v. 6, n. 1, 1986. Disponível em <http://pepsic.bvsalud.org/
scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931986000100010&lng=pt&nrm=iso>.
acessos em 14 jun. 2011.

UNIDADE II

BISPO, Carlos Alberto Ferreira. Um novo modelo de pesquisa de clima organizacional.


Prod., São Paulo, v. 16, n. 2, ago. 2006 . Disponível em <http://www.scielo.br/
scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65132006000200007&lng=pt&nrm=iso>.
Acesso em 14 jun. 2011.

CHIAVENATO, I. Recursos Humanos: o capital humano nas organizações. 8ª ed. 4ª


reimpressão. São Paulo: Atlas, 2008.

RABAGLIO, Maria Odete. Seleção por competências. 2. ed. São Paulo: Educator,
2001.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento organizacional. 15. ed. São Paulo: Pearson


Prentice Hall, 2005.
UNIDADE III

AGUIAR, Maria Aparecida Ferreira de. Psicologia aplicada à administração: uma


introdução à psicologia organizacional. 1. ed.. São Paulo: Editora Atlas, 1986.

BISPO, Carlos Alberto Ferreira. Um novo modelo de pesquisa de clima


organizacional. Produção, v. 16, n. 2, p. 258-273, maio/ago. 2006.

BOCK, Vivien Rose; SARRIERA, Jorge Castellá. O grupo operativo intervindo na


Síndrome de Burnout. Psicol. Esc. Educ. (Impr.), Campinas, v. 10, n. 1, June 2006
www.cliqueapostilas.com.br

Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-


85572006000100004&lng=en&nrm=iso>. access on 10 Jan. 2012.

BORENSTEIN, C.R. A Dinâmica do Sistema de Poder nas Organizações do Setor


Elétrico Brasileiro: o Caso da Eletrosul. Tese de Doutorado. UFSC: Florianópolis,
1996. Disponível em < http://www.eps.ufsc.br/teses96/borenstein/
index/index.htm#sumario> Acesso em 06 jul 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Assistência à Saúde. Programa Nacional


de Doenças Sexualmente Transmissíveis/AIDS. Manual do Multiplicador -
Prevenção às DST/AIDS. Brasília: Ministério da Saúde, 1996.

BUENO, Marcos. As teorias de motivação humana e sua contribuição para a


empresa humanizada. Revista do Centro de Ensino Superior de Catalão – CESUC.
[s.l.], ano 4, n. 6, 1. sem. Disponível em: <http://www.cesuc.br/revista/ed-
1/ASTEORIASDEMOTIVACAOHUMANA.pdf >. Acessado em: 25 nov. de 2008.

CHIAVENATO, I. Recursos Humanos: o capital humano nas organizações. 8ª ed. 4ª


reimpressão. São Paulo: Atlas, 2008.

DEJOURS, Christophe. Subjetividade, trabalho e ação. Revista Produção, v. 14, n. 3,


p. 27-34, set./dez. 2004.

FEBRAP. O que é Psicodrama. Disponível em <


http://www.febrap.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=7&Itemid=13
&lang=pt>.
FERREIRA, J. C. B; Vilamaior, A. G.; Gomes, B. M. A. O poder nas organizações –
conceitos, características e resultados. Revista Eletrônica do IPTAN. n. 1 Dez 2005.
Disponível em: <http://www.iptan.edu.br/revista/artigos/texto6.pdf>. Acesso em: 27 jan.
2009.

GLANZMAN, P. F. Reflexões Teóricas Sobre Grupos e Conflitos Organizacionais.


2009. Disponível em < http://uepb-pucpr-grupos.blogspot.com/2009/06/ reflexoes-
teoricas-sobre-grupos-e.html> Acesso em 20 jun 2011.

GROHMANN, Márcia Zampieri. Novas abordagens de motivação no trabalho:


identificação do nível de conhecimento e utilização. In.: Anais do Encontro Nacional de
Engenharia de Produção (ENEGEP) Rio de Janeiro1999. Disponível em:
www.cliqueapostilas.com.br

<http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP1999_A0182.pdf>. Acesso em: 30 jul.


2008.

KAPLAN, R.; NORTON, D. A estratégia em ação: balanced scorecard. 6. ed. Rio de


Janeiro: Campus. 1997.

LINS, B.. Ferramentas básicas da qualidade. Ciência da Informação, Brasília, DF,


Brasil, 22, ago. 1993. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/
ciinf/article/view/1190/833>. Acesso em: 23 Jun. 2011.

MACÊDO, I.I.; RODRIGUES, D.F.; JOHANN, M.E.P.; CUNHA, N.M.M. Aspectos


Comportamentais da Gestão de Pessoas. 9ª ed. rev. e atual. Rio de Janeiro: FGV,
2007.

MEDEIROS, V. (s.d.). A Entrevista. Disponível em:


<http://www.valdirmedeiros.com.br/medeiros/content/narti/07.php>. Acesso em: abr.
2010.

MINTO, E.C.; PEDRO, C.P.; CUNHA NETTO, J.R.; BUGLIANI, M.A.P. Ensino de habilidades
de vida na escola: uma experiência com adolescentes.In.: Psicologia em Estudo. Maringá, v.
11, n. 3, p. 561-568, set/dez, 2006. Disponível em
<http://www.scielo.br/pdf/%0D/pe/v11n3/v11n3a11.pdf>. Acesso em 15 jun 2011.
O QUE É PSICODRAMA. Vida Simples. Disponível em <
http://vidasimples.abril.com.br/100respostas/conteudo_258599.shtml>. Acesso em 10
jun 2011.

OLIVEIRA, Áurea de Fátima; GOMIDE JR, Sinésio. Inventário de Cultura


Organizacional: Adaptação e Validação de um Instrumento de Diagnóstico para o
Contexto brasileiro. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 9, 2, p. 8-21, jul-
dez 2009.

OLIVEIRA, J.M. Gestão de Conflitos Organizacionais. 2006. Disponível em


<http://someeducacional.com.br/apz/gestao_conflitos/gestao-de-conflitos-
organizacionais.pdf>. Acesso em 15 jun 2011.
www.cliqueapostilas.com.br

PETROBRÁS. Programa Resgate e Redefinição do Potencial Laborativo.


Diponível em < http://www.slidefinder.net/d/dns06anexo3_20programa_20resgate
20para _20apresenta/27924097>. Acesso em 20 jun 2011.

QUEIROZ, S.H. Motivação dos Quadros Operacionais Sob o Enfoque da


Liderança Situacional. Dissertação de Mestrado. UFSC: Florianópolis, 1996.
Disponível em < http://www.eps.ufsc.br/disserta96/queiroz/index/index.htm#Agradec>
Acesso em: 25 jun 2011.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento organizacional. 15. ed. São Paulo: Pearson


Prentice Hall, 2005.

ROCHA-PINTO, Sandra Regina da; PEREIRA, Cláudio de Souza; COUTINHO, Maria


Teresa Correia; JOHANN, Sílvio Luiz. Dimensões funcionais da gestão de pessoas.
9ª Ed. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

ROCHA, J.F.; SHEINKMAN, J.; SOUZA, R.L.C.; AZEVEDO, S.S. Planejamento para
a gestão do centro cirúrgico do Hospital Geral de Bonsucesso. Ministério da
Saúde/RJ. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização). Fundação Oswaldo
Cruz. Rio de Janeiro, 2000. Disponível em: <
http://www.hgb.rj.saude.gov.br/ciencia/centrocirurgico/index.htm>. Acesso em 15 jun
2011.

SILVA, Narla Ismail Akel e PUENTE-PALACIOS, Katia. Desenvolvimento e validação


da Escala de Conflitos Intragrupos - ECIG. Psico-USF. 2010, vol.15, n.2, pp. 205-213.
Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/pusf/v15n2/v15n2a08.pdf>. Acesso em 23 jun
2011.

SILVA, R.C.A.; DORNELAS, M.A.; SANTOS, W.S. Fatores que definem o clima
organizacional entre os servidores técnico-administrativos do CEFET Bambuí. In:
JORNADA CIENTÍFICA, 1., e FIPA DO CEFET BAMBUÍ, 6., 2008, Bambuí, Minas
Gerais.

STELNMANN, G.; CALDEIRA, A. Tipos de liderança na relação dos gestores com


seus assessores. In: Cadernos de Pós-Graduação em Administração de
Empresas. São Paulo, v. 3, n. 1, p. 59-72, 2003.

WAAL, Paula de; TELLES, Marcos. A Teoria da Expectativa (Vroom). [s.l.], jun.
2004. Disponível em: <http://www.dynamiclab.com/moodle/
mod/forum/discuss.php?d=432>. Acesso em: 30 jul. 2008.
www.cliqueapostilas.com.br

WIKIPEDIA. Debate. Disponível em: < http://pt.wikipedia.org/wiki/Debate>. Acesso em


23 jun 2011.

ZANELLI, José Carlos; BORGES-ANDRADE, Jairo Eduardo; BASTOS, Antonio Virgilio


Bittencourt et al. Psicologia, Organizações e Trabalho no Brasil, Porto Alegre:
Artmed, 2007.

UNIDADE IV

BALCEIRO, Raquel B.; FIGUEIREDO, Pedro P. 3º. Workshop Brasileiro de


Inteligência Competitiva e Gestão do Conhecimento. São Paulo: 2002. Disponível em:
<www.crie.coppe.ufrj.br/ home/artigos/artigo>. Acesso em: 27 jun. 2005.

BRANDÃO, Hugo Pena; GUIMARÃES, Tomás de Aquino. Gestão de competências e


gestão de desempenho. Revista RAE, São Paulo, FGV, v.41, n.1, jan.-mar. 2001.

CALVOSA, M.V.D.; CORREIA, F.L.; MOURA, J.M.; SOUZA NETO, S.P. Remuneração
por Competência: uma alternativa de remuneração variável para o empregado. In.:
Anais do II SEGeT. 2005. Disponível em< http://www.aedb.br/
seget/artigos05/341_Remuneracao.pdf>. Acesso em 01 jul 2011.

CARDOSO, V.C; MACIEIRA, A.R.; JESUS, L.S.; LENGLER, G.M. Indicadores para a
gestão de competências: uma abordagem baseada em processos. In.: Anais do XXII
ENEGEP. Curitiba, 2002. Disponível em: < http://www.abepro.org.br/
biblioteca/ENEGEP2002_TR70_0823.pdf>. Acesso em 17 jun 2011.

CAVALCANTI, Marcos; GOMES, Elisabeth. Inteligência empresarial: um novo modelo


de gestão para a nova economia. Prod., São Paulo, v. 10, n. 2, dez. 2000 .
Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci _arttext&pid=S0103-
65132000000200005&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em 01 jul. 2011.

CHIAVENATO, I. Recursos Humanos: o capital humano nas organizações. 8ª ed. 4ª


reimpressão. São Paulo: Atlas, 2008.

______________. Gestão de pessoas: o novo papel dos Recursos Humanos nas


organizações. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 273-309, 2008.
www.cliqueapostilas.com.br

DEJOURS, C. Loucura do Trabalho: estudo de psicopatologia do trabalho. Trad.:


Ana Isabel Paraguay e Lúcia Leal Ferreira. 5ª ed ampl. São Paulo: Corteza, Oboré,
1992.

DELUIZ, N. O Modelo das Competências Profissionais no Mundo do Trabalho e


na Educação: Implicações para o Currículo. Disponível em < http://www.senac.br/
informativo/BTS/273/boltec273b.htm> Acesso em 23 jun 2011.

FLEURY, Afonso; FLEURY, Maria Tereza. Estratégias empresariais e formação de


competências. 3ª Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

JACQUES, M.G.C. Abordagens teórico-metodológicas em saúde/doença mental &


trabalho. Psicologia & Sociedade; 15 (1): 97-116; jan./jun.2003. Disponível em: <
http://www.scielo.br/pdf/%0D/psoc/v15n1/v15n1a06.pdf>. Acesso em 09 jan. 2012.

KAPLAN, R.; NORTON, D. A estratégia em ação: balanced scorecard. 6. ed. Rio de


Janeiro: Campus, 1997.

LUITZ, M.P.; BELATO, M.G. Avaliação do Desempenho Organizacional. XXIII


ENEGEP. Ouro Preto, 2003. Disponível em: < http://www.abepro.org.br/
biblioteca/ENEGEP2003_TR0115_0751.pdf>. Acesso em 15 jun 2011.

MILANESE, C. NEVES, L.B.; LEAL, M.; MAZA, R.; AQUINO, T. A gestão de


competências nas organizações. In.: Anais da 3ª Jornada Científica da ASSESC.
Disponível em < http://www.assesc.edu.br/download/3_jornada_cientifica/
gestao_competencias_organizacoes.pdf>. Acesso em 20 jun 2011.

MONTEIRO, F.T. Identificação das lacunas de competências requeridas para


avaliadores do Inmetro/Cgcre nos processos de acreditação. Anais do V Congresso
Nacional em Excelência em Gestão. Niterói, 2009. Disponível em
<http://www.excelenciaemgestao.org/Portals/2/documents/cneg5/anais/T8_0191_0907
.pdf>. Acesso em 20 jun 2011.

MOREIRA, F.F.; SEDRANI, L.G.; LIMA, R.C. Gestão Estratégica: utilizando o


Balanced Scorecard como modelo de gestão. 3 Gen, 2005a. Disponível em: <
http://www.3gen.com.br/kod/BSC_e_Gestao_Estrategica.pdf>. Acesso em 13 jun
2011.

MOREIRA F. F.; SEDRANI L. G. M.; LIMA R. C. O que é o Balanced Scorecard.


www.cliqueapostilas.com.br

São Paulo: Editora, 2005b. Disponível em < http://www.3gen.com.br/


balanced_scorecard.pdf>. Acesso em 06 jul 2011.

NEVES, R. A importância da Gestão de Competências para Inteligência


Competitiva. 2007. Disponível em: < http://www.administradores.com.br/ informe-
se/artigos/a-importancia-da-gestao-de-competencias-para-inteligencia-
competitiva/13870/>. Acesso em 20 jun 2011.

OLIVEIRA NETO, O.J.; DREES, C.; SOUZA, L.M.S; FIGUEIREDO, R.S.; MACHADO,
A.G. Balanced Scorecard: indicadores e medidas de desempenho aliados a
gestão estratégica na bovinocultura de corte. XLV CONGRESSO DA SOBER
"Conhecimentos para Agricultura do Futuro". Londrina, 2007. Disponível em <
http://www.sober.org.br/palestra/6/54.pdf>. Acesso em 15 jun 2011.

PENTERICH, E. Gestão Participativa como parte das políticas estratégicas de


recursos humanos: um estudo de caso de uma multinacional norte-americanda.
eGesta, v. 2, n. 1, jan.-mar./2006, p. 105-124. Disponível em <
http://www.unisantos.br/mestrado/gestao/egesta/artigos/57.pdf> Acesso em 05 jul
2011.

PEREIRA, M.F.; GARCIA, J.R.; BORGERT, A.; CALDAS, A.M. O líder organizacional
e suas competências. XIII SIMPEP. Bauru, 2006. Disponível em < http://www.simpep.
feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/1156.pdf>. Acesso em 23 jun 2011.

PEREIRA, S.D. Conceitos e Definições da Saúde e Epidemiologia Usados na


Vigilância Sanitária. Centro de Vigilância Sanitária. São Paulo, 2004. Disponível em <
http://www.cvs.saude.sp.gov.br/pdf/epid_visa.pdf>.

PIO, D. Avaliação do desempenho por competências. 2008. Disponível em <


http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/avaliacao-do-desempenho-por-
competencias/23428/> Acesso em 01 jul 2011.

PRAHALAD, C. K., HANEL, G. A competência essencial das organizações. Harvard


Business Review, 1990. PRAHALAD, C. K e HAMEL, G. "The core competence of the
corporation". Harvard Business Review, v. 90, n. 3, p.79-91, May/June, 1990.

SANTOS, A.C.; LOPES, L.F.; GRAÇA, R.M.; ALBERTO, S.G.; NUNES, T.C.;
RUTKOWSKI, J. Gestão Participativa: uma alternativa viável para o século XXI. Anais
www.cliqueapostilas.com.br

do XXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Curitiba, 2002. Disponível


em: <http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2002_TR15_0343.pdf>. Acesso em
05 jul 2011.

SILVA, C.N.; WEIGEL, J.P.; MILANEZE, C. Gestão por Competências. Anais da 3ª


Jornada Científica da ASSESC. Florianópolis, 2006. Disponível em <
http://www.assesc.edu.br/download/3_jornada_cientifica/gestao_competencias.pdf>
Acesso em 20 jun 2011.

SILVA, E.F.; OLIVEIRA, K.K.M.; ZAMBRONI-DE-SOUZA, P.C. Saúde mental do


trabalhador: o assédio moral praticado contra trabalhadores com LER/DORT. Rev.
bras. Saúde ocup., São Paulo, 36 (123): 56-70, 2011

SILVA, E.R. Gestão Participativa e o Envolvimento no Processo Decisório.


Disponível em <http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/gestao-
participativa-e-o-envolvimento-no-processo-decisorio/25808/>. Acesso em 20 jun
2011.

TERRA, J. C. ; BAX, M. P. Portais corporativos: instrumento de gestão de informação


e de conhecimento. In: Isis Paim. (Org.). A Gestão da Informação e do
Conhecimento. 1 ed. Belo Horizonte, 2003, v. , p. 33-53.

UNIDADE V

BAPTISTA, Makilim Nunes; MORAIS, Paulo Rogério; INOCENTE, Nancy Julieta.


Depressão e burnout: principais relações, similaridades e diferenças. In:

BARRETO, M. M. S. Seminário Compreendendo o Assédio Moral no Ambiente


de Trabalho. São Paulo, 2010.

BRANDÃO, M. Zilah da S.; CONTE, Fátima C. de Souza; BRANDÃO, Fernanda Silva;

BRASIL. Ministério do Trabalho. Portaria/MS n.º 1.339/1999. Disponível em


<http://www.medtrab.ufpr.br/arquivos%20para%20dowload%202011/Disciplina%20Do
encas%20do%20Trabalho/Manual%20DO%20Min%20Saude.pdf>. Acesso em julho
de 2013.
www.cliqueapostilas.com.br

BRASIL. Ministério do Trabalho. Norma Regulamentadora 17 – ergonomia. 1978.


Disponível em <http://portal.mte.gov.br/data/files/FF8080812BE914E6012B
EFBAD7064803/nr_17.pdf>. Acesso em 05 jul 2011.

CASTRO, Fernando Gastal; ZANELLI José Carlos. Síndrome de burnout e projeto de


ser. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, vol. 10, n. 2, p. 17-33, 2007.

INGEBERMAN, Yara Kuperstein; SILVA, Vera Lúcia Menezes da; OLIANI, Simone
Martin. (Org.). Sobre comportamento e cognição. 1. ed. Santo André /SP: ESETec
editores Associados, 2004, v. 14, p. 77-82.

FILUS, R. Efeito do tempo de rodízios entre postos de trabalho nos indicadores


de fadiga muscular – o ácido lático. Dissertação de Mestrado. Curitiba, UFPR,
2006. Disponível em < http://pt.scribd.com/doc/50901507/12/A-CIENCIA-
ERGONOMICA> Acesso em 05 jul 2011.

FRANÇA, LIMONGI A. C. Qualidade de vida no trabalho: conceitos e práticas nas


empresas da sociedade pós-industrial. 1ª Ed. São Paulo: Atlas, 2003.

INOCENTE, Nancy Julieta; BAPTISTA, Makilim Nunes; MORAIS, Paulo Rogério .


Burnout: conceito e prevenção. BRANDÃO, M. Zilah da S.; CONTE, Fátima C. de
Souza; BRANDÃO,Fernanda Silva; INGEBERMAN, Yara Kuperstein; SILVA, Vera
Lúcia Menezes da; OLIANI, Simone Martin. (Org.). Sobre comportamento e
cognição. 1. ed. Santo André SP: ESETec Editores Associados, 2004, v. 14, p. 87-90.

KANIKADAN, Andréa Yumi Sugishita. Ergonomia em serviços. [s.l., 2004] Disponível


em: <http://www.ead.fea.usp.br/wpapers/2004/04-005.pdf>. Acesso em: 25 nov. 2008.

MERLO, Álvaro Roberto Crespo; JACQUES, Maria da Graça Corrêa; HOEFEL, Maria
da Graça Luderitz. Trabalho de grupo com portadores de Ler/Dort: relato de
experiência. Psicologia: Reflexão e Crítica. Porto Alegre, v. 14, n. 1, 2001.
Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?lng=en>. Acesso em: 18 ago. 2008.

MION, C.R. O papel do psicólogo na área de RH. [s.l.] 2007. Disponível em


<http://www.redepsi.com.br/portal/modules/smartsection/item.php?itemid=413>.
Acesso em 05 jul 2011.
www.cliqueapostilas.com.br

REIS, M. Áreas de atuação. s/d. Disponível em < http://www.sobresites.com/


psicologia/areas.htm>. Acesso em 05 jul 2011.

SOBRECARGA de trabalho. UFRRJ. 200?. Disponível em


<http://www.ufrrj.br/institutos/it/de/acidentes/ergo7.htm>. Acesso em 05 jul 2011.

UNIDADE VI

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética do Psicólogo. Disponível


em <www.pol.org.br>.

HELOANI, R. 50 Anos da Psicologia no Brasil, Cadernos Psi, nº. 174 abr./maio 2013.

EXERCÍCIOS

CAVALCANTE, A.M.S. Treinamento como ferramenta estratégica para o


crescimento organizacional. s/d. Disponível em < http://www.novomilenio.br/
foco/1/artigo/4_Artigo_TreinamentoANDRE.pdf>. Acesso em 05 jul 2011.

CHIAVENATO, I. Recursos Humanos: o capital humano nas organizações. 8ª ed. 4ª


reimpressão. São Paulo: Atlas, 2008.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Código de Ética do Psicólogo. Disponível


em <www.pol.org.br>.

ROBBINS, Stephen P. Comportamento organizacional. 15. ed. São Paulo: Pearson


Prentice Hall, 2005.