Você está na página 1de 4

(17)

Tema: Em seus passos o que FEZ Jesus


Texto: Fl 2,5-11
Tipo: Acamp/sermão

Local/data: Acamp. 3ª IPI – 16/02/15 – 8ª IPI – 28/01/18

Introdução
Se formas responder, puro e simples, a pergunta: Em seus passos o que faria Jesus? Penso que a
resposta seria bem simples: Jesus faria a coisa certa. Cristo sempre fez a coisa certa, ele nunca
errou, nunca pecou, foi tentado, mas não vencido pelas tentações.
Mas penso também, que essa resposta trabalha com aquilo que é óbvio. Qualquer pessoa que faça
uma boa leitura bíblica conseguiria chegar a essa conclusão.
Acredito que quando fazemos essa pergunta, que por sinal foi feita em 1896, por Charles M.
Sheldon, no livro que leva justamente esse nome, estamos querendo saber “como” Jesus faria.
Então quero compartilhar, não como Jesus faria, mas como Ele fez.

1ª parte: Não apegar-se a quem se é


 Quem é Cristo? É Deus, é o Todo Poderoso, Criador;
 O texto nos informa que Ele não se apegou ao fato de ser Deus;
 Não fez algo do tipo: “Nooosa, Eu sou Deus! Vamos ver que tipos de benefícios isso me
oferece.”;
 Então a primeira lição de Cristo aqui é: não apegar-se você é ou julga ser;
 Cristo não julga ser Deus ele é;
 Nós é que por vemos julgamos ser algo ou alguém que passamos longe de ser;
 Por isso, não devemos nos apegar ao que realmente somos, nem ao que julgamos ser;
 Por que isso? Porque nosso apego deve ser fazer a vontade de Deus e não a nossa própria
vontade;
 Vejo pessoa que se recusam a fazer algo, que julgam ser pequeno ou sem importância, por
acreditarem que são maiores do que a pequena tarefa;
 Vejo pessoas que ao fazer algo, só leva em consideração a si ou no máximo algo ou alguém
que seja “seu”;
 Quem somos? Quem julgamos ser? Será que nos apegamos a isso?;
 Beleza, inteligência, talento, força, dinheiro, posição, popularidade, orgulho. Será que essas
coisas tem sido mais barreira do que caminho em nossa convivência com o outro e com
Deus?;
 Quando nos apegamos a quem somos ou a quem julgamos ser, ficamos cheios de orgulho
de nós mesmos. Orgulho esse que pode atrapalhar muito nossa vida;
 Interessante! Paulo nos ensina que Cristo, sendo Deus, não ficou orgulhoso por isso;
 Então a primeira lição de Cristo aqui é: não apegar-se você é ou julga ser.

2ª parte: esvaziar-se

 Cristo é Deus, mas tornou-se semelhante a nós;


 A segunda lição de Cristo é que devemos nos esvaziar radicalmente do nosso “eu”, até o
ponto de olharmos à nossa volta e vermos apenas semelhantes, não melhores ou piores,
somente semelhantes;
 A Bíblia nos ensina que algo que torna a todos nós semelhantes é o fato de sermos todos
pecadores (semelhantes) e que todos precisamos da graça de Deus (semelhantes);
 Ou seja, somos tão pecadores como o ladrão da cruz e somos salvos pela mesma graça que
salvou o arrependido ladrão da cruz;
 O que cada um de nós precisa para esvaziar-se?;
 Talvez, seja o antônimo do orgulho que nos impede desse esvaziamento, a humildade;
 Orgulho e humildade não andam do mesmo lado da calçada;
 Ou se colhe o fruto de doce de um ou o amargo do outro;
 Aqui não se colhe um fruto agridoce;
 Cristo esvaziou-se, isso não é um passo que deveríamos seguir?
 Sei que o mundo cria escalas de valores entre nós, e que muitas vezes nos baseamos por
essas escalas. É a escala do encher-se;
 A escala apresentada por Cristo é outra, é a escala do esvaziar-se de si para conseguirmos
ser apenas semelhantes;
 Então a primeira lição de Cristo aqui é: não apegar-se você é ou julga ser.
 A segunda lição de Cristo é que devemos nos esvaziar radicalmente do nosso “eu”, até o
ponto de olharmos à nossa volta e vermos apenas semelhantes, não melhores ou piores,
somente semelhantes;

3ª parte: Obedecer ao plano


 Cristo obedeceu.
 Mas, Cristo obedeceu a quem a ao quê?
 Obedeceu ao Pai e ao plano da salvação;
 Cristo abriu mão de sua glória para obedecer ao plano do Pai;
 A terceira lição de Cristo é: Obedecer é melhor (1Sm 15,22);
 Também nós devemos abrir mão de nossa glória, seja ela qual for, para obedecermos ao
plano de Deus para nossas vidas;
 Paulo afirma que Ele foi obediente até a mais baixa humilhação, que foi a morte de cruz;
 Para salvar nossas vidas Cristo humilhou-se, justamente para andar os passos que eram
nossos, os passos da morte;
 Veja que antes de ser humilhado pelos homens, Paulo afirma que Ele humilhou-se;
 Cristo disse: Por obediência a ti Pai, aceito ser menos do que sou;
 Será que por amor e obediência a Deus aceitaríamos dizer: Por obediência a ti Pai, aceito
ser menos do que sou;
 Obedecer ao plano do Pai, ainda que seja muito diferente do nosso;
 Então a primeira lição de Cristo aqui é: não apegar-se você é ou julga ser.
 A segunda lição de Cristo é que devemos nos esvaziar radicalmente do nosso “eu”, até o
ponto de olharmos à nossa volta e vermos apenas semelhantes, não melhores ou piores,
somente semelhantes;
 A terceira lição de Cristo é: Obedecer é melhor (1Sm 15,22);

Conclusão

 João Batista, um homem muito respeitado e temido, tinha seguidores fiéis, fazia o batismo
de arrependimento, considerado por alguns como sendo o próprio Messias, falou isso
sobre Jesus: É necessário que ele cresça e que eu diminua (Jo 3,30);
 João Batista esvaziou-se dele mesmo para obedecer ao plano de Deus;
 João, discípulo amado, ao ver uma pessoa que não andava com eles, fazendo coisas que
eles faziam, disse a Cristo: 49..."Mestre, vimos um homem expulsando demônios em teu
nome e procuramos impedi-lo, porque ele não era um dos nossos. "
50 "Não o impeçam", disse Jesus, "pois quem não é contra vocês, é a favor de vocês". (Lc
9,49-50);
 João teve que esvaziar-se dele mesmo para obedecer a Cristo;
 Paulo, um dos mais importantes missionários de todos os tempos, ressuscitou um menino,
curou enfermidades, organizou Igrejas, ordenou lideres, foi levado ao terceiro céu. Quando
pediu a Deus que lhe tirasse um espinho na carne, ouviu: 9... a minha graça te basta,... (2Co
12,9);
 Paulo teve que esvaziar-se de si e aceitar o limite que Deus lhe impôs;
 Quantas vezes as coisas vão mal, simplesmente pelo fato de não “baixarmos a cabeça”?
Mantemos um orgulho tolo, que não traz nada de benefício à nossas vidas?
 Não apegar-se ao que é; entender que somos semelhantes, se humilhar e obedecer, não
significa ser pisado pelas pessoas, ter a vida fora do controle, ter baixa auto-estima;
 Significa andar sua vida tendo Deus no controle, andar conforme a Palavra, agradar a Deus,
andar nos passos que Cristo trilhou para cada um de nós;
 Obedecer, como Cristo obedeceu, é aceitar ter menos, para no final ter mais;
 É abrir mão de ter o que consigo, para ter o que Deus tem reservado para mim;
 É abrir mão de obedecer à escala mundana para obedecer ao Senhor;
 O Cristo fez em nossos passos:
 Obedeceu.