Você está na página 1de 14

Universidade Federal do Pará – UFPA

Campus Universitário de Tucuruí – CAMTUC


Faculdade de Engenharia Elétrica – FEE

Alex Pereira Gomes - 201533940015


Jose Antônio Borges Ribeiro Junior - 201533940010
Marcio Pereira da Silva - 201533940035
Robson Silva Lobato Aguiar - 201533940032

RELATÓRIO 11 – Determinação da Resistencia do Rotor do MIT.

Tucuruí – PA
2018
Alex Pereira Gomes - 201533940015
Jose Antônio Borges Ribeiro Junior - 201533940010
Marcio Pereira da Silva - 201533940035
Robson Silva Lobato Aguiar - 201533940032

RELATÓRIO 11 – Determinação da Resistencia do Rotor do MIT.

Relatório técnico apresentado como requisito parcial


para obtenção de aprovação na disciplina Laboratório de
conversão de energia, no Curso de Engenharia Elétrica,
na Universidade Federal do Pará.

Prof. MSc. Bernard Carvalho Bernardes.

Tucuruí – PA
2018
RESUMO

Este trabalho apresenta um método para a determinação dos parâmetros da resistência do


rotor do motor de indução trifásica (MIT), a partir dos dados de catalogo do fabricante. Os
parâmetros da resistência são obtidos em função do numero de polos, corrente nominal,
rotação nominal, tensão nominal e potencia nominal do MIT .

Palavra-Chave: Motor de indução trifásica e Parâmetros da resistência.


SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO .............................................................................................................. 5

2 DESENVOLVIMENTO ................................................................................................. 6
2.1 OBJETIVO GERAL ....................................................................................................... 6
2.1.1 OBJETIVO EXPECIFICO ............................................................................................. 6
2.2 METODOLOGIA ........................................................................................................... 6
2.3 PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS ...................................................................... 7
2.3.1 MATERIAIS UTILIZADOS NO EXPERIMENTO ...................................................... 7

3 CONCLUSÃO .............................................................................................................. 13

4 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS ......................................................................... 14


5

1 INTRODUÇÃO

O motor de indução trifásico corresponde a, aproximadamente, 25 % da carga elétrica do


Brasil, ou seja, 50 % da carga industrial que, por sua vez, corresponde a 50 % da carga total.
A grande vantagem do motor de indução trifásico é a sua capacidade de operar sem
necessidade de contato com os enrolamentos do rotor. Isso reduz significativamente os custos
e a manutenção. A alimentação do motor de indução trifásico (MIT) é em corrente alternada.
Normalmente a alimentação é feita pelo estator. Os enrolamentos do rotor podem ser de dois
tipos: “bobinado” ou “gaiola de esquilo”. O rotor bobinado, menos usado, tem bobinas
trifásicas no rotor e anéis coletores no eixo de forma a permitir o acesso às correntes
induzidas nos enrolamentos do rotor. O rotor tipo gaiola de esquilo é composto de
barramentos condutores alojados em ranhuras do rotor e curto circuitados. Este tipo de
enrolamento permite a construção de equipamentos bastante robustos. É a forma mais comum
dos MIT. A velocidade de operação do MIT é aproximadamente constante e sempre menor
que a velocidade síncrona, por esta razão este motor é também chamado motor assíncrono.
6

2 DESENVOLVIMENTO
Iniciamos o experimento com os equipamentos montados sobre a bancada do Laboratório
de conversão de energia da UFPA e por onde tivemos a orientação e supervisão do professor
MSc. Bernard Carvalho Bernardes.

Todos os procedimentos foram executados seguindo o roteiro proposto. As atividades do


mesmo foram divididas na forma de que todos os integrantes da equipe participassem dos
procedimentos, que com o supervisiona mento do professor fomos avançando e conforme nos
progredíamos em cada analise, respondíamos perguntas relacionadas a ele.

Ademais, com as atividades selecionadas através do roteiro dividimos para cada membro
uma função sendo que todos da equipe participassem dos procedimentos para o
desenvolvimento da disciplina.

2.1 OBJETIVO GERAL


O presente trabalho tem como objetivo proporcionar aos acadêmicos de engenharia
elétrica o sentimento real para a determinação da resistência do rotor do motor de indução
trifásico e fazer as possíveis comparações sobre os resultados encontrados e validados.

2.1.1 OBJETIVO EXPECIFICO


O trabalho vem proporcionar aos alunos de engenharia diversas analise, dentre elas o
conhecimento em avaliar a determinação da resistência do rotor do motor e indução trifásico
(MIT), a partir de dados de placa, determina os parâmetros do MIT, realizando cálculos
matemáticos conforme o roteiro seguido.

2.2 METODOLOGIA
Iniciamos o experimento com os equipamentos montados sobre a bancada do Laboratório
de conversão de energia da UFPA e por onde tivemos a orientação e supervisão do professor
MSc. Bernard Carvalho Bernardes.

Todos os procedimentos foram executados seguindo o roteiro proposto. As atividades do


mesmo foram divididas na forma de que todos os integrantes da equipe participassem dos
procedimentos, que com o supervisiona mento do professor fomos avançando e conforme nos
progredíamos em cada analise, respondíamos perguntas relacionadas a ele.
7

Ademais, com as atividades selecionadas através do roteiro dividimos para cada membro
uma função sendo que todos da equipe participassem dos procedimentos para o
desenvolvimento da disciplina.

2.3 PROCEDIMENTOS EXPERIMENTAIS


Durante a realização do experimento foram analisados e utilizados alguns elementos e
equipamentos para realização dos procedimentos experimentais listados a seguir:

2.3.1 MATERIAIS UTILIZADOS NO EXPERIMENTO


 Varivolt trifásico;
 Voltímetro;
 Wattímetro;
 Tacômetro;
 Motor de indução trifásico;
 Cabos.

O princípio de funcionamento do MIT é o mesmo de todos os motores elétricos, ou seja,


baseia-se na iteração do fluxo magnético com uma corrente em um condutor, resultando numa
força no condutor. Esta força é proporcional às intensidades de fluxo e de corrente.
Existem dois tipos de MIT: Rotor em gaiola; Rotor bobinado (em anéis). O motor
compõe-se de duas partes: Estator, onde é produzido o fluxo magnético; Rotor, onde é
produzida a corrente que interage com o fluxo. No estator (parte fixa) estão montados três
enrolamentos. Estes enrolamentos estão ligados à rede de alimentação, podendo estar
conectados em estrela ou triângulo. Abaixo uma ilustração da representação do MIT.

Figura 1 – Representação do Motor de indução.


8

Ademais, com os devidos conhecimentos técnicos sobre o motor de indução trifásica,


foram analisados alguns ensaios do roteiro para determinar a resistência do rotor. Para tal são
utilizadas as equações (1, 2, 3, 4), para um escorregamento qualquer, tendo-se a medição da
potencia (Pe) e uma determinada tensão.

𝑅𝑟 𝑠
𝑃𝑒 = 𝑉 2 (𝑅 2 ) ∴ 𝑃𝑒 𝑅𝑟 2 − 𝑉 2 𝑅𝑟 𝑠 + 𝑃𝑒 𝑋𝑠 (1)
𝑟 +𝑋𝑠

𝑋 = 𝑋𝑠 + 𝑋𝑟 (2)
𝑛𝑠 −𝑛
𝑆= (3)
𝑛𝑠
120𝑓
𝑛𝑠 = (4)
𝑃

Onde:
𝑃=número de pólos;
𝑓=frequência;
𝑛=velocidade do motor em rpm

Nesse sentido, iniciou-se o ensaio anotando os dados contidos na placa do motor de


indução apresentados na tabela 1 e ilustrada com a imagem retirada da própria placa do
motor.

Dados Valores
Números de polos 4 Polos
Corrente nominal 3.8 A
Rotação nominal 1800 rpm
Tensão nominal 220 V
Potência nominal 1 CV=735.5W
Tabela-1

Figura 2 – Dados da placa do Motor de indução trifásico.


9

Feita a verificação das informações de frequência (𝑓) e número de pólos (𝑃) nos dados de
placa da máquina, foi determinada a rotação síncrona do campo girante do rotor.

120𝑓 120 × 60
𝑛𝑠 = = = 1800 𝑟𝑝𝑚
𝑃 4

Após a determinação da rotação síncrona, foi feita a montagem do circuito da figura (3), e
figura (4) como demonstra a imagem abaixo.

Figura 3 – Ilustração para a montagem do circuito.

Figura 4 – Ilustração pratica montagem do circuito.

Feita a montagem do circuito, foi aplicada no motor os valores de tensão indicado na


tabela (2), os valores observados nos instrumentos de medição conectados no circuito, e motor
usado no ensaio estão apresentados na tabla 2 abaixo.

Procedimentos [V] (V) [𝑊1 ] (𝑊) [𝑊2 ] (𝑊) [𝑃𝑒 = 𝑊1 + 𝑊2 ]( 𝑊) Rpm


1 50 220 0 220 0
2 120 170 0 170 654
Tabela-2
10

Figura 5 – Ilustração pratica montagem do circuito no MIT.

A determinação da resistência do rotor, foi feita utilizando as equações (1 e 3) da pagina


7, a resistência do rotor é a média das raízes da equação (1).

37.6725 + 1.5905
𝑅𝑟 = 𝑎 + 𝑏 =
2
𝑅𝑟 = 19.6315 Ω

Prosseguimos ao calcular a indutância própria do estator e do rotor, utilizando as


equações seguintes respectivamente, usando as informações obtidas nos ensaios anteriores no
motor de indução trifásico.

𝐿𝑠 = 𝐿𝑙𝑠 + 𝐿𝑚 = 0.0777 + 0.046 = 0.123 𝐻


𝐿𝑟 = 𝐿𝑙𝑟 + 𝐿𝑚 = 0.0777 + 0.046 = 0.123 𝐻

Nesse sentido, após todas as analises registradas, deixaremos explícitos todas as


apresentações da memória de cálculo, com suas resoluções abaixo. Em seguida, finalizamos
com os parâmetros do MIT encontrados através desses ensaios com o preenchimento da tabela
3.

|𝑉𝑟𝑏 | 65
𝑍𝑟𝑏 = = = 110.376 Ω
|𝐼𝑟𝑏 | 1.02
( )
√3

𝑃𝑟𝑏3𝜙 60
𝑅𝑟𝑏 = 2 = = 57.6701 Ω
3𝐼𝑟𝑏 1.02 2
3×( )
√3
11

2 2
𝑋𝑟𝑏 = √𝑍𝑟𝑏 − 𝑅𝑟𝑏 = √110.376 2 − 57.6701 2 = 94.112 Ω

Para o rotor bobinado, a tabela do IEE estabelece que as reatâncias do estator (𝑋𝑠 ) e do
rotor (𝑋𝑟 ) são determinadas pelas seguintes relações:

𝑋𝑠
= 0.5 ⟶ 𝑋𝑠 = 0.5 × 𝑋𝑟𝑏 = 0.5 × 94.112 ⟶ 𝑋𝑠 = 47.05587 Ω
𝑋𝑟𝑏

𝑋𝑟
= 0.5 ⟶ 𝑋𝑟 = 0.5 × 𝑋𝑟𝑏 = 0.5 × 94.112 ⟶ 𝑋𝑟 = 47.05587 Ω
𝑋𝑟𝑏

𝑉𝑜 220
|𝑍𝐴 | = = = 92.0413 Ω
𝐼𝑜 (4.14)
√3

𝑋𝑚 = √|𝑍𝐴 |2 − 𝑅𝑠2 − 𝑋𝑠 = √92.04132 − 13.362 − 47.05587

𝑋𝑚 = 44.01065 Ω

𝑋𝑠 47.05587
𝐿𝑙𝑠 = = = 0.1248 𝐻
2𝜋𝑓 2𝜋 × 60

𝑋𝑟 47.05587
𝐿𝑙𝑟 = = = 0.1248 𝐻
2𝜋𝑓 2𝜋 × 60

𝑋𝑚 44.01065
𝐿𝑚 = = = 0.1167 𝐻
2𝜋𝑓 2𝜋 × 60

120𝑓 120 × 60
𝑛𝑠 = = = 1800 𝑟𝑝𝑚
𝑃 4

𝑛𝑠 − 𝑛 1800 − 654
𝑆= = = 0.63666
𝑛𝑠 1800

𝑋 = 𝑋𝑠 + 𝑋𝑟 = 47.05587 + 47.05587 = 94.11174 Ω

𝑃𝑒 𝑅𝑟 2 − 𝑉 2 𝑅𝑟 𝑠 + 𝑃𝑒 𝑋𝑠
233.5𝑅𝑟 2 − 1202 𝑅𝑟 × 0.63666 + 233.5 × 94.11174 × 0.63666
233.5𝑅𝑟 2 − 9167.904𝑅𝑟 + 13990.66
𝑎 = 37.6725 Ω
𝑏 = 1.5905 Ω
12

Preencher a tabela (3) com os parâmetros do motor de indução trifásico encontrados


através dos ensaios.

𝑅𝑟 𝑅𝑠 𝐿𝑟 𝐿𝑠 𝐿𝑚
17.699 13.36 0.123 0.123 0.046
Tabela-3
13

3 CONCLUSÃO

A resistência do rotor desempenha um papel extremamente importante no funcionamento


de um motor de indução. Entre outras coisas, a resistência do rotor determina a forma da
curva de conjugado versus velocidade, determina a velocidade na qual o conjugado máximo
ocorre. A alimentação do MIT é em corrente alternada e está alimentação é normalmente feita
pelo estator. O rotor bobinado, menos usado, tem bobinas trifásicas no rotor e anéis coletores
no eixo de forma a permitir o acesso ás correntes induzidas nos enrolamentos do rotor. A
forma mais comum dos MIT, são os constituídos por rotores gaiola de esquilo que é composto
de barramentos condutores alojados em ranhuras do rotor e curto circuitados. Este tipo de
enrolamento permite a construção de equipamentos bastante robustos.
A velocidade de operação do motor de indução trifásico é aproximadamente constante e
sempre menor que a velocidade síncrona, por esta razão este motor é também chamado de
motor assíncrono.
14

4 REFERENCIAS BIBLIOGRAFICAS

A.E. Fitizgerald, Charles Kingsley Jr., Stephen D. Umans / Máquinas elétricas. 6° edição.
Editora Bookman.