Você está na página 1de 1

CONTRIBUIÇOES DE BAKHTIN AS TEORIAS DO DISCURSO

De um modo geral, Michael Bakhtin transformou as linhas de pensamento acerca do


texto e do discurso desde os últimos 30 anos. O princípio dialógico direcionou suas
ideias em relação às outras, consideravelmente diferenciadas e fundamentadas em
diversos quadros teóricos distintos.

Nessa primeira parte, Bakhtin traz a concepção de texto como objeto das ciências
humanas, onde o homem é estudado como um sujeito produtor de textos e, portanto, se
distinguindo nos textos ou por meio deles. Tanto o objeto (texto) quanto o método são
dialógicos, e, o texto possui significação, é produto de uma criação ideológica ou
enunciação e é dialógico e único, não-reiterável. Acerca do método, Bakhtin explica que
deve haver compreensão entres os sujeitos, o da cognição e o sujeito a ser conhecido.
Aquele, busca um conhecer mais profundo que corresponde a interpretar ou
compreender este.

O Dialogismo defendido por Bakhtin define, de forma geral, o ser humano como
estritamente dependente das relações que o ligam ao outro, portanto, seria impossível
viver sozinho. Isso mostra a importância do princípio dialógico na humanidade, pois,
segundo o autor, “a vida é dialógica por natureza”. Existem duas perspectivas de
dialogismo: o diálogo entre interlocutores e o diálogo entre discursos.

O diálogo entre interlocutores apresentam alguns aspectos relevantes: a interação entre


interlocutores fundamenta a linguagem, dá sentido ao texto e a significação das palavras
e, também, permite a criação de novos sujeitos produtores de textos; Bakhtin aponta a
existência de dois tipos de sociabilidade, entre os interlocutores que interagem e entre
os sujeitos e a sociedade.

Entre os discursos, o diálogo se manifesta nas relações entre discursos-enunciados,


caracteriza-se, também, a presença de vários outros textos ou discursos que se cruzam
e se completam (polifonia), ganhando, por fim, um caráter ideológico.