Você está na página 1de 1

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

PODER JUDICIÁRIO
TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ATO REGIMENTAL N.º 03/2006

ALTERA DISPOSITIVOS DO ATO


REGIMENTAL Nº 01/02, DE 16 DE
JANEIRO DE 2002 QUE DISPÕE SOBRE
A RESERVA DE VAGAS PARA PESSOAS
PORTADORAS DE DEFICIÊNCIAS.

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO


RIO GRANDE DO SUL, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES LEGAIS, DANDO
CUMPRIMENTO À DECISÃO DO EGRÉGIO ÓRGÃO ESPECIAL, EM SESSÃO
DE 10/04/2006, CONTIDA NO PROCESSO Nº 13113-03.00/05-1, EDITA O
PRESENTE ATO REGIMENTAL:

ART. 1º - O “CAPUT” E O § 1º DO ARTIGO 5º DO ATO


REGIMENTAL 01/02, DE 16 DE JANEIRO DE 2002, PASSAM A TER AS
SEGUINTES REDAÇÕES:

“ART. 5º - UMA VEZ PUBLICADOS OS RESULTADOS


DAS PROVAS, OS PRIMEIROS CANDIDATOS HABILITADOS
PORTADORES DE DEFICIÊNCIA, EM NÚMERO
CORRESPONDENTE A CINCO VEZES O NÚMERO DE VAGAS
A ELES RESERVADAS NO EDITAL, SERÃO CHAMADOS PARA
VERIFICAÇÃO DA DEFICIÊNCIA DECLARADA POR OCASIÃO
DA INSCRIÇÃO NO CONCURSO PÚBLICO E DE SUA
COMPATIBILIDADE PARA O EXERCÍCIO DAS ATRIBUIÇÕES
DO CARGO.

§ 1º - CASO A PERÍCIA MÉDICA CONCLUA PELA


INEXISTÊNCIA DE DEFICIÊNCIA FÍSICA, MENTAL OU
SENSORIAL, O CANDIDATO PERMANECERÁ NO CONCURSO,
CONCORRENDO EM IGUALDADE DE CONDIÇÕES COM OS
DEMAIS. SE CONCLUIR PELA INCOMPATIBILIDADE DA
DEFICIÊNCIA COM AS ATRIBUIÇÕES DO CARGO, O
CANDIDATO SERÁ ELIMINADO.”

ART. 2º - ESTE ATO REGIMENTAL ENTRA EM VIGOR NA


DATA DE SUA PUBLICAÇÃO.

PORTO ALEGRE, 22 DE MAIO DE 2006.

DES. MARCO ANTÔNIO BARBOSA LEAL,


PRESIDENTE.

PJ-084