Você está na página 1de 24

Tudo o que você precisa saber

sobre Portaria Remota


03 Introdução

05 O que é portaria remota

10 A diferença entre portaria remota, normal e virtual

16 Qual perfil de condomínio deve usá-la

19 Como contratar

21 Conclusão

24 Sobre o Condlink
Introdução
INTRODUÇÃO

Sabemos que a administração de um condomínio deve ter


como uma de suas prioridades a segurança dos moradores
e de suas propriedades. E essa segurança começa na
portaria — ponto estratégico para se aplicar os diferentes
recursos à disposição para deixar a segurança otimizada.

Nesse sentido, um conceito inovador que vem sendo


usado com sucesso em diferentes condomínios é a
portaria remota.

Trata-se de um recurso tecnológico de primeira linha, que


vale a pena ser estudado e utilizado pelos síndicos que não
apenas se preocupam com a segurança dos moradores,
mas também desejam que o seu condomínio sirva de
modelo para outros condomínios.

Então, para conhecer mais sobre o assunto e entender


como funciona a portaria remota hoje, continue lendo
este e-book!

4
O que é
portaria remota
O QUE É PORTARIA REMOTA

Basicamente, a portaria remota é um sistema de segurança


para gerenciamento eletrônico da entrada e saída de
moradores de condomínios ou funcionários de uma
empresa, sendo usado até em residências unifamiliares.

Portanto, devido ao controle automático, a portaria


remota oferece um gerenciamento mais eficiente de
acesso, minimizando todos os riscos comuns de uma
portaria tradicional.

COMO ELA FUNCIONA?

O monitoramento da portaria remota é realizado por um


profissional qualificado por meio de uma central de call
center. Isso significa que esse monitoramento é feito à
distância durante as 24 horas do dia, e o acesso de pessoas
e veículos ao condomínio é permitido somente depois
que o morador dá sua autorização.

6
O QUE É PORTARIA REMOTA

É simples: caso chegue um visitante ao condomínio, o circuito de câmeras envia logo um sinal para a call
central (central de monitoramento), que é recebido pelo atendente.

Este, então, entra em contato com o morador, informando sobre o visitante. Se o morador autorizar a entrada
do visitante, o acesso é liberado; caso contrário, o acesso não é liberado, e o visitante não poderá entrar.

Além disso, por meio do aplicativo, todos os condôminos têm acesso à função de cadastrar as pessoas
que irão ao seu apartamento, com a definição de dias e horários de acesso para cada uma. Com essa pré-
autorização, a pessoa já poderá entrar sem a necessidade de uma comunicação de última hora.

Inclusive, as crianças também devem ser cadastradas, sendo necessário seu credenciamento a partir dos 12
anos — se mais novas do que isso, só poderão sair com autorização dos pais ou responsáveis.

Já o acesso dos moradores se dá de forma automática, sem a necessidade de liberação da central.


Quanto a isso, um dos mais recursos mais usados é a biometria — seja digital, facial, da íris ou retina,
ou da palma ou veias da mão —, mas também podem ser usados cartões de acesso ou tags.

7
O QUE É PORTARIA REMOTA

Se, por acaso, os dispositivos não funcionarem


e o morador ficar impedido de entrar ou sair,
ele poderá contatar a central por meio de
interfone. Nesse caso, serão solicitados dados
do condômino, como o RG, por exemplo.
Confirmada a sua identidade, o acesso será
liberado — inclusive, a atualização da foto
pode ser realizada por meio do aplicativo
baixado pelo morador.

Para as encomendas dos moradores, o


zelador é acionado para recebê-las em
horário comercial. A encomenda pode ficar
cadastrada no sistema de portaria remota,
que enviará uma mensagem no aplicativo
do zelador ou síndico para notificá-lo sobre
a chegada da encomenda.

8
O QUE É PORTARIA REMOTA

No caso de um delivery de comida, por exemplo, o entregador entra em contato com a central de atendimento
por meio do interfone; então, a central comunica o morador, que receberá a encomenda na portaria enquanto
todo o processo é monitorado.

Como acontece com o acesso de pessoas, os veículos também são monitorados e registrados automaticamente
para geração posterior de relatórios detalhados. E os condôminos podem dispor de sistema de anticlonagem
da garagem, favorecendo com que entradas e saídas sejam bem mais rápidas, e sempre supervisionadas
pela central de atendimento.

Quanto ao acesso dos funcionários de todos os dias, eles podem receber um dispositivo de acesso — sendo
este confirmado em tempo real pelo sistema de portaria remota.

Além de tudo isso, se faltar energia elétrica ou a internet cair, o sistema continua funcionando por meio
de geradores e 2 fornecedores de internet previamente instalados. Caso seja necessário, inclusive, a central
pode enviar um funcionário para atuar na portaria até que o sistema seja regularizado.

9
A diferença entre
portaria remota,
normal e virtual
A DIFERENÇA ENTRE PORTARIA REMOTA, NORMAL E VIRTUAL

De fato, existem muitas diferenças entre a portaria tradicional e a portaria remota — que também pode
ser chamada de portaria eletrônica, ePortaria ou portaria virtual — e esta apresenta diversas vantagens
em relação àquela.

Grosso modo, a portaria tradicional é aquela em que o porteiro ou vigilante fica dentro de uma
guarita, monitorando o acesso das pessoas e veículos ao condomínio, acionando a abertura dos
portões, telefonando para o morador a fim de confirmar uma visita ou para que venha receber uma
encomenda, notificando à polícia ou ao síndico quaisquer anomalias que aconteçam em seu turno
— e assim por diante.

É claro que esse profissional deve estar bem preparado para realizar suas funções, o que significa que ele
deverá fazer treinamentos periódicos para se atualizar e ratificar seus conhecimentos e habilidades.

Hoje em dia, aliás, a própria portaria tradicional já pode contar com a ajuda de muitos recursos tecnológicos,
como câmeras de vigilância 24 horas, sistema de monitoramento fechado — que integra a portaria ao
interior do condomínio e aos moradores —, dispositivos para otimizar a comunicação com a administração
e até com a polícia, e assim por diante.

11
A DIFERENÇA ENTRE PORTARIA REMOTA, NORMAL E VIRTUAL

Existe até mesmo a guarita blindada, que


fornece maior segurança ao porteiro. De
qualquer modo, a portaria remota apresenta
consideráveis vantagens em relação ao modelo
clássico de portaria.

Uma das principais delas é que, não existindo


um porteiro presencial, eventuais assaltantes
ficam impossibilitados de rendê-lo para ter
acesso ao condomínio.

Até então, essa era uma das principais limitações


de qualquer portaria, mas que deixa de fazer
sentido com o advento da solução de portaria
remota, visto que o porteiro se encontra longe
dali, monitorando tudo de uma central de
atendimento integrada.

12
A DIFERENÇA ENTRE PORTARIA REMOTA, NORMAL E VIRTUAL

Outra vantagem se refere aos custos: a portaria remota


pode ter um custo mensal de R$ 6 mil a R$ 9 mil, enquanto
uma portaria clássica 24 horas pode representar um custo
mensal duas vezes maior que isso.

Isso porque, para manter porteiros presenciais durante


todo o dia os 7 dias da semana, serão necessários de 3
a 4 funcionários, em média. Já com a portaria remota,
não há mais necessidade de porteiro presencial, nem de
encargos sociais com esse funcionário — afinal, sua folha
de pagamento deixa efetivamente de existir.

Com esse dinheiro economizado, a administração


do condomínio poderá investir na aquisição de mais
equipamentos de segurança, como mais câmeras,
sensores, alarmes, cercas elétricas e outras coisas. Poderá,
inclusive, investir esse dinheiro em outras áreas do
condomínio, em lazer, abastecimento de água, educação,
arborização, dentre outros.

13
A DIFERENÇA ENTRE PORTARIA REMOTA, NORMAL E VIRTUAL

E vale lembrar que, como são muitos porteiros presenciais, cada um deles levará algum tempo para conhecer
e identificar cada condômino. Com a portaria remota, esse é mais um inconveniente suprimido, já que os
moradores são cadastrados e a liberação de acesso ocorre de forma automática.

Quanto ao custo de implantação da portaria remota, depende da estrutura do condomínio — em


alguns casos, podem até ser usados equipamentos do próprio condomínio. E o sistema de portaria
remota também se destaca por poder atender muitos condomínios ao mesmo tempo.

Ainda, com menores custos mensais de segurança, será possível reduzir ainda as taxas dos condôminos,
fato que certamente agradará a todos — trata-se de estar bem mais protegido, e a um custo bem menor.

Além disso, como já dissemos, os moradores poderão impedir ou liberar a entrada de uma pessoa por meio do
sistema de portaria remota. E poderão ainda avisar sobre qualquer movimento suspeito sem a necessidade
de sair do apartamento, usando apenas um aplicativo de aparelho móvel — rápido, discreto e eficiente.

14
A DIFERENÇA ENTRE PORTARIA REMOTA, NORMAL E VIRTUAL

Quanto a isso, as imagens e vídeos


são todos armazenados na central de
atendimento, podendo ser liberados
caso seja necessário. Sem dúvidas, essa
integração do condômino representa uma
autonomia bem maior.

E, para o síndico, o uso de portaria


remota resulta também em menores
preocupações com a segurança, menos
estresse e menos riscos. Afinal, o sistema
automatizado divide de forma equilibrada
essa responsabilidade entre o síndico e os
condôminos, já que eles também poderão
participar ativamente de todo o processo.

15
Qual perfil de
condomínio deve usá-la
QUAL PERFIL DE CONDOMÍNIO DEVE USÁ-LA

No entanto, nesse momento os síndicos poderão


ficar com uma dúvida: a portaria remota pode
ser usada em qualquer condomínio?

Em regra, se existe um fluxo muito elevado de pessoas


na portaria, talvez o sistema não seja o mais indicado.
Assim, estima-se uma quantidade máxima de unidades
dentro de um condomínio para que o sistema seja
eficiente: até 60 unidades. Acima disso, convém que o
fornecedor do serviço realize uma análise prévia.

Por outro lado, caso haja 80 unidades, por exemplo, mas


o fluxo de saída e entrada seja baixo — tendo número
elevado de pessoas idosas ou de pessoas que passam
a maior parte do tempo no trabalho e não recebem
muitas visitas, por exemplo — o sistema ainda pode
se mostrar eficiente.

17
QUAL PERFIL DE CONDOMÍNIO DEVE USÁ-LA

Dependendo do caso, é possível que o sistema


funcione até em condomínios com mais de 80 ou
100 apartamentos. Por isso, o ideal é fazer a avaliação
qualificada para decidir pela viabilidade, ou não, da
portaria remota. Seja como for, a empresa prestadora
de serviços deve dispor de operadores suficientes para
atender a demanda em todos os horários.

Outra opção é unir o sistema de portaria remota ao


sistema de portaria tradicional. Assim, o síndico poderá
deixar um porteiro durante os períodos da manhã e
da tarde, e utilizar a portaria remota durante a noite,
por exemplo.

Qualquer que seja o caso, é fundamental avaliar a


economia que o sistema trará para se decidir por sua
implantação, ou não. A redução de custos, bem como a
otimização na segurança, devem ser os critérios mais
importantes a considerar na hora da escolha.

18
Como contratar
COMO CONTRATAR

Antes de tudo, para contratar um serviço de portaria remota, é preciso se certificar de que a empresa é
responsável e idônea. Lembre-se: você estará terceirizando a segurança do seu condomínio, de todos os
moradores e funcionários, e a sua própria.

De fato, a portaria virtual está se tornando uma tendência no mercado e, como tudo que se torna comum,
existe o que é efetivamente bom e aquilo que é duvidoso. Então, considere o tempo em que a empresa está
atuando no ramo, se ela foi uma das pioneiras, e fique ciente de todas as condições estabelecidas.

Inclusive, o tempo de atendimento de portaria remota deve estar especificado em contrato, bem como as
condições de pagamento e as cláusulas referentes ao funcionamento do sistema e às ações que deverão
ser tomadas em cada caso.

Então, procure na internet, acesse o site de algumas empresas e confira os planos oferecidos; se tiver
dúvidas, entre em contato. Compare os comentários dos clientes e as referências de cada empresa
para avaliar o seu nível de qualidade.

Com certeza, uma empresa de segurança que leva a sério suas atividades receberá elogios, e será recomendada
por outras pessoas.

20
Conclusão
CONCLUSÃO

Como vimos, o sistema de portaria remota


é uma inovação que revela a que ponto
chegou o avanço tecnológico. Ela otimiza a
integração entre os moradores, visitantes,
síndico e funcionários, ao mesmo tempo
em que reduz as possibilidades de ação
dos criminosos.

Até porque, uma forma eficaz de otimizar


a segurança é desestimulando a atividade
criminosa. Nesse sentido, os especialistas
alertam que, infelizmente, não existe
segurança 100% perfeita, e é preciso
sempre ficar atento às possibilidades
de invasão e aos novos recursos que os
bandidos desenvolvem para driblar um
sistema de segurança.

22
CONCLUSÃO

Assim, a portaria remota representa o que há de mais


moderno em segurança condominial e empresarial,
combatendo a violência e a criminalidade por meio de
estratégias de prevenção realmente mais eficientes.

Afinal, é uma atitude muito mais inteligente evitar


que o assaltante entre em seu apartamento do que
chamar a polícia ou aplicar técnicas de defesa pessoal
depois que ele já estiver lá dentro, certo?

Então, não deixe de considerar a possibilidade de


adotar a portaria remota como sistema de segurança.
Certamente, essa será uma medida que agradará todos
os moradores, reduzirá despesas e os riscos de violência
e assaltos dentro do condomínio!

23
O Condlink é um software desenvolvido para condomínios que auxilia a
gestão dos espaços comuns, permitindo a interação entre os moradores.
Com quatro opções de planos, os condôminos podem organizar suas
tarefas diárias e eventos com mais facilidade, evitando conflitos e
problemas que costumam surgir pela falta de comunicação.

Por meio de uma rede online, qualquer morador do condomínio tem


acesso às ferramentas do software. Entre os recursos de destaque estão
a reserva de espaços e controle de portaria, com a vantagem de que tudo
pode ser acessado a qualquer momento do dia. O Condlink é um aplicativo
para dispositivos móveis, facilitando ainda mais a comunicação entre
condôminos, a boa convivência e a segurança no condomínio.