Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ – UNIVALI

CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR - CTTmar


DISCIPLINA: CINÉTICA DE REATORES QUÍMICOS
PROFESSORA: GIZELLE I. ALMERINDO

Determinação da constante de velocidade para hidrólise do ácido acetilsalicílico por


espectrofotometria

1. Introdução

Quando um feixe de radiação monocromática incide sobre um meio homogêneo, parte é


absorvida e parte é transmitida. É possível controlar outros fenômenos que ocorrem para que não
interfiram na medida analítica. Os princípios sobre os quais se baseiam as medidas analíticas
quantitativas são definidos pelas leis de Lambert e de Beer, que combinadas, são expressas na
equação:
A=ε.b.C

onde a grandeza A representa Absorbância, ε o coeficiente de absortividade molar, b o trajeto


óptico e C a concentração, em mol L-1.
A síntese do ácido acetilsalicílico é feita, industrialmente, pela acetilação do ácido salicílico
utilizando anidrido acético em meio ácido, como mostra a Figura 4.1.

Figura 1.1. Equação de síntese do AAS.

Em presença de umidade as moléculas de AAS são lentamente hidrolisadas, liberando


ácido salicílico e ácido acético (Figura 4.2.). Esta decomposição pode ser detectada pelo
aparecimento de uma coloração violeta quando o produto é tratado com cloreto férrico (FeCl3). O
estudo cinético de hidrólise do AAS a partir do monitoramento do ácido salicílico (AS), formado no
meio reacional, com FeCl3, resultando em um complexo violeta, [Fe(H2O)5AS], que pode ser
determinado por espectrofotometria UV-Vis (Figura 4.3.).
UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ – UNIVALI
CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR - CTTmar
DISCIPLINA: CINÉTICA DE REATORES QUÍMICOS
PROFESSORA: GIZELLE I. ALMERINDO

Figura 1.2. Reação de hidrólise do AAS.

Figura 1.3. Estrutura do complexo

Dessa forma, a evolução da reação pode ser acompanhada pelo aumento do valor de
absorbância máxima do complexo (540 nm). Assim, as concentrações do complexo [Fe(H2O)5AS]
e do AAS, podem ser relacionadas com a absorbância.
Sendo:
[Fe(H2O)5AS] = AAS]0 - [AAS]t Eq. 1

pode-se chegar ao resultado:

[AAS]t / [AAS]0 = (At-A∞)/(Ao-A∞) Eq. 2

sendo que [AAS]t é a concentração no tempo t; [AAS]0 é a concentração quando t = 0; At é


absorbância no tempo t, A0 é a absorbância quando t = 0 e A∞ é a absorbância depois da reação
ter se completado. Assim, a Eq. 2 elimina a necessidade de calcular o coeficiente de absorção
molar, pois a medida expressa é relativa aos valores de absorbância.

Questões norteadoras:
- hidrólise do ácido acetilsalicílico
- espectrofotometria

1.1 Objetivos
UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ – UNIVALI
CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DA TERRA E DO MAR - CTTmar
DISCIPLINA: CINÉTICA DE REATORES QUÍMICOS
PROFESSORA: GIZELLE I. ALMERINDO

Determinar a constante de velocidade para hidrólise do ácido acetilsalicílico.

1.2 Procedimento

Parte I – Preparar a solução padrão de AS

- Pesar cerca de 0,380 g de AS;


- Transferir o AS para um balão volumétrico de 100,0 mL, limpo e seco;
- Adicionar 25,00 mL de álcool etílico, 3 gotas da solução de cloreto férrico (FeCl3) 5% e
completar o menisco com água destilada, agitar bem a solução.
- Em seguida determinar a absorbância máxima do complexo [Fe(H2O)5AS].

Parte II – Preparar a solução de AAS

- Pesar cerca de 500 mg de AAS;


- Transferir o AAS para um balão volumétrico de 100,0 mL, limpo e seco;
- Adicionar 25,00 mL de álcool etílico, 3 gotas da solução de cloreto férrico (FeCl3) 5% e
completar o menisco com água destilada, agitar bem a solução.
- Acompanhar a reação medindo-se a variação da absorbância (At) com o tempo (t),
utilizando-se o comprimento de onda determinado na Parte I.
- Registrar a variação da absorbância (At) com o tempo até que atinja um valor máximo e
constante da absorbância (A∞).
- Utilizando o gráfico, determine a ordem de reação e a constante de velocidade.