Você está na página 1de 4

Universidade Federal de São Carlos

Graduação em Engenharia de Produção

Avaliação Complementar
Projeto de Instalações Produtivas 2017/2

af

Responda às seguintes questões, usando o relatório final do projeto como referência. As


respostas são individuais e não devem ser respondidas em grupo.

1) Considerando o SLP, avalie o trabalho do seu grupo apontando a etapa do SLP que melhor
foi feita por ele e a menos contemplada pelo mesmo. Justifique o porquê. Mínimo de 20 linhas
para cada item da resposta.

O tópico 2 "tecnologia, produtos e processo", ou pelo SLP o "P" Product (Material), foi o item
melhor desenvolvido no nosso trabalho. O levantamento dos certificados, procedimentos de
tratamento de água e resíduos foi imprescindível para determinarmos diretrizes do projeto e o
que seria nas decisões da Emicol prioridades. É usual que a visão e missão de empresas não
sejam tão condizentes, principalmente do ponto de vista ambiental, com o que a empresa
projeta para o publico. Mas os projetos já desenvolvidos pela Emicol em múltiplas áreas de
interesse nos induziram a achar que certar mudanças, como a implementação de uma área
comum externa, seriam aplicadas com entusiasmo pela empresa e auxiliariam inclusive em sua
estratégia competitiva, já que as ditas empresas "verdes" recebem mais incentivos fiscais e
melhor recepção dos consumidores (diretos e indiretos) aos seus produtos. O detalhamento
sobre os produtos já produzidos pela Emicol e seus projetos em desenvolvimentos nos
direcionou quanto ao que a empresa pretende vir a produzir no futuro (ou seja, quais requisitos
de equipamentos supriria as espectativas da planta). O levantamento de cada e.v.a produzido e
seus respectivos componentes, assim como a informação de quais eram comprados de terceiros
e quais eram produzidos na Emicol. As informações sobre sobre os equipamentos usados nos
processos e sua maleabilidade para produzir o mix de produtos, principalmente os da injeção
plástica, que foram o foco do projeto desenvolvido nesta materia. O levantamento de dados em
geral foi muito minuncioso e detalhista. A analise do mercado consumidor, oportunidades e
desafios, analise dos ganhos da linha branca e seu impacto financeiro para emicol foram bem
descutidos tanto em sala como também foram abordados no relatórios.

Já o pior foi dimensionamento, não pudemos ir a visita da empresa, e mesmo com as


informações dos colegas que foram tivemos dúvidas de última hora quanto a real necessidade
de espaço e distâncias para uma boa ergonomia dos operadores e se manter dentro das
normas técnicas. Houve também uma dificuldade, particulamente minha, de operar o cad já
que não usava o software já a alguns anos e portanto acabava demorando bem mais em
executar procedimentos simples. O acúmulo de incertezas sobre o que era prioridade a ser
alterado na planta e como deixar o sistema mais funcinal. No fim acabamos ficado presos em
outros aspectos limitantes. A falta de consenso da sala como um todo sobre quais os aspectos
mais problemáticos da planta e o que seria viável financeiramente e que tipo de alterações
seriam muito dispendiosas e ofereceriam pouco retorno. A estrutura já construida que nao
poderia ser alterada em função do alto custo que acarretaria, foi tanto um ponto positivo
quanto negativo. O ponto negativo foi que alguns layout tornaram se impraticaveis pera
restrição espacial, ao mesmo tempo, serviu como um direcionamento para o layout.

2) Apresente 3 formas de usar o espaço vertical da planta (quais equipamentos usar, onde
posicionar, funcionamento), vantagens e desvantagens.

Ponte rolante (viga elevada, que desloca-se sobre trilhos elevados ), na ferramentaria,
posicionado acima da estrutura de outros equipamentos para fazer a movimentação de peças
grandes entre eles.

Aplicados na transferência de materiais pesados, volumosos e desajeitados em curtas


distâncias dentro de fábricas, entre navios e o cais, em canteiros de obras e carregamento de
transportadores em indústrias ou armazéns. Não ocupa espaço significativo no piso, seja com
suas estruturas, seja na operação de transferência, liberando o piso para outros usos.

Vantagens

• Grande capacidade;

• Versáteis quanto ao tipo de material por sua grande variabilidade de acessórios (ganchos,
caçambas, “grabs”, pólipos, etc);

• Grande fluxo, desde que a carga unitária seja de grande volume e peso.

Desvantagens

• Alto custo

• Área de atuação limitada;

• Equipamentos de maior capacidade requerem estruturas ou pisos reforçados;

• Baixo fluxo de movimentação (unidades/hora) p/ uso em fluxo contínuo;

• Capacidade de carga limitada ao momento de transporte (carga x distância).

Porta palletes (estrutura modular para armazenamento de materiais ), na estamparia, próximo


a saida e final do processo, já que esta lida com peças de até 200 ton, as peças não organizadas
no interior de de seus "nichos" para proteção, organização da planta e armazena-la
anteriormente ao seu envio.

Vantagens

• Permitem localização e movimentação de paletes sem mover os demais;

• Facilitam o controle de estoques;

• Adaptam-se a grande número e tipos de produtos;

• Adaptam-se a cargas de rotação relativamente alta;


• Podem ser facilmente montadas e desmontadas; • Protegem as mercadorias de danos
mecânicos;

• Aproveitamento do espaço, com limite dado pelo alcance do equipamento;

• Quando autoportantes, menor custo e tempo de construção.

Desvantagens

• Densidade de carga obtida é, às vezes, muito menor que outros sistemas;

• Exigem layout bem definido e pouco sujeito à mudanças;

Flowrack , na injeção plástica preferencialmente próximo aos finais de processo, estrutura para
armazenar em contenedores objetos menores, como os e.v.a.s da emicol em prateleiras
inclinadas onde o primeiro a ser disposto é o primeiro a ser retirado.

Vantagens

• montagem é feita por pistas com rodízios plásticos inclinados, onde são colocadas as caixas
em sequência, sendo expedidas por um lado e recebidas pelo outro, trabalhando no sistema
FIFO, ou First In, First Out (primeiro que entra, primeiro que sai), saindo para caixas de
embalagens nas linhas dos transportadores.

• organização dos produtos armazenados, tornando mais fácil sua localização e utilização.
Através do flow rack, o giro dos produtos se torna automatizado, num conceito simples e
efetivo.

• inventário fácil e rápido.

• evita-se esforços desnecessários, gerando maior produtividade.

• possui um custo de instalação mais barato.

Desvantagens

• feita para produtos de dimensões semelhantes

• idealizada para pequenos volumes

• não permite escolha de um produto especifico da série, é necessário remover primeiro os


anteriores.