Você está na página 1de 1

Fígado gordo não alcoólico

1.)

O fígado é o segundo maior órgão do nosso corpo.

Funções:
Digestão e utilização dos nutrientes;

Remoção de substâncias prejudiciais; 

Regulação da coagulação sanguínea.

2.) 

A designação de fígado gordo corresponde a

uma acumulação de gordura nas células deste

órgão, quando através da alimentação o

organismo recebe mais do que consegue

processar, podendo corresponder a 5-10% da

massa do fígado.

Esta condição é também conhecida por esteatose

hepática.

3.)

Em Portugal afeta cerca de 15% dos adultos.

Em termos globais, 20-30 % da população

padece desta condição,

independentemente da idade, género ou

etnia. Pode afetar cerca de 3% das crianças

(idade próxima dos 4 anos) e 20-50% das

4.)  crianças obesas.

Causas/fatores de risco mais


comuns:

Consumo de álcool;

Excesso de peso/obesidade;

Diabetes;

Níveis elevados de colesterol e

triglicéridos;

Predisposição genética.

O uso de alguns medicamentos e

algumas doenças metabólicas

genéticas também podem

desencadear a doença.
5.) 

Sintomas mais comuns e diagnóstico:


Maioria dos pacientes não apresenta sintomas;

Por vezes cansaço ou desconforto abdominal;

Perda de apetite, náuseas e vómitos.

O diagnóstico é feito através de uma ecografia

abdominal, análises ao sangue.

A confirmação e avaliação do grau de

inflamação do fígado é feita com recurso a uma


6.) 
biópsia. 

Tratamento e prevenção:
Dieta e exercício físico;

Evitar consumo de álcool;

Controlo de doenças associadas.

Apesar de não haver um tratamento

específico, sem medicação eficaz, numa

fase inicial a doença é reversível.

Uma das complicações é a possibilidade de

evolução para uma cirrose.