Você está na página 1de 72

Colecção

Formação Modular Automóvel

SISTEMAS DE
INFORMAÇÃO

COMUNIDADE EUROPEIA
Fundo Social Europeu
Referências

Colecção Formação Modular Automóvel

Título do Módulo Sistemas de Informação

Coordenação Técnico-Pedagógica CEPRA – Centro de Formação Profissional


da Reparação Automóvel
Departamento Técnico Pedagógico

Direcção Editorial CEPRA – Direcção

Autor CEPRA – Desenvolvimento Curricular

Maquetagem CEPRA – Núcleo de Apoio Gráfico

Propriedade Instituto de Emprego e Formação Profissional


Av. José Malhoa, 11 - 1000 Lisboa

1ª Edição Portugal, Lisboa, Fevereiro de 2000

Depósito Legal 148196/00

© Copyright, 2000
Todos os direitos reservados
IEFP

“Produção apoiada pelo Programa Operacional Formação Profissional e Emprego, cofinanciado pelo
Estado Português, e pela União Europeia, através do FSE”
“Ministério de Trabalho e da Solidariedade – Secretaria de Estado do Emprego e Formação”

Sistemas de Informação
Índice

ÍNDICE

DOCUMENTOS DE ENTRADA

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS DO MÓDULO E.1

PRÉ-REQUISITOS E.2

CORPO DO MÓDULO

INTRODUÇÃO 0.1

1 - CONCEITOS 1.1
1.1 - FUNDAMENTOS 1.1
1.1.1 - ANALÓGICOS 1.1
1.1.2 - DIGITAIS E COMPUTACIONAIS 1.11
1.1.3 - VERIFICAÇÃO E CONTROLO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1.18
1.1.4 - O FUTURO 1.19

2 - SINALIZAÇÃO 2.1
2.1 - CORES 2.1
2.2 - SÍMBOLOS DE INTERRUPTORES 2.2
2.3 - LÂMPADAS AVISADORAS E DE CONTROLO 2.5

3 - ERGONOMIA 3.1

BIBLIOGRAFIA C.1

DOCUMENTOS DE SAÍDA
PÓS-TESTE .................................................................................................................. S.1
CORRIGENDA E TABELA DE COTAÇÃO DO PÓS-TESTE .................................... S.19

Sistemas de Informação
COLECÇÃO FORMAÇÃO MODULAR AUTOMÓVEL

Circ. Integrados. Leitura e Interpretação Caracterlsticas e Cálculos e Curvas


Microcontroladores e de Esquemas Funciona~nto dos Sistelms de Admssao
Distribuição Características do
Microprocessadores Eléctricos Auto Motores edeEscape
Motor

Un1)adas, Faróis e Sisterms de Aviso


Sobrealiomntaçâo Focagem de Faróis Sisterms de
Farolins Acústicose
Lwnnosos ComJnicaçao

SistelmS de Sisterms de Conforto I Ent>raiagem e Caixas Sisterms de Sistelms de Travagem SistelmS de Travagem
Segurança Passiva 8 SegIKança de Velocidades Transnjsslo HidrâlAicos Antibloqueio

OUTROS MÓDULOS A ESTUDAR

LEGENDA

~
Objectivos Gerais e Específicos do Módulo

OBJECTIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

No final deste módulo, o formando deverá ser capaz de:

1. Identificar correctamente todos os equipamentos de informação que fazem parte de


um veículo automóvel.

2. Diagnosticar qual a sua função dentro do conjunto de equipamentos.

3. Diagnosticar avarias em sistemas de informação.

4. Reparar avarias.

5. Configurar o equipamento reparado, de modo que o mesmo informe de maneira


idêntica daquela que fazia antes de estar avariado.

1. Identificar o funcionamento correcto do equipamento.

2. Identificar possíveis avarias, tomando como referência, equipamentos, padrões ou


dados introduzidos para aferência em equipamentos computacionais.

3. Conhecer quais as ferramentas necessárias para reparar as avarias.

4. Saber manejar equipamentos/ferramentas de reparação.

5. Discernir correctamente entre a acção de reparar ou trocar o equipamento.

Sistemas de Informação E.1


A informação é actualmente muito importante para o condutor de um veículo.

Fig. 0.1 -"VW Carocha"

Por essa razão é cada vez maios a informação que o condutor pode dispor no veículo.

Fig. 02- Painel de instrumentos -Velocfmetro e conta-rotações

Além das informações sobre a actuação dos orgãos mecânicos do veiculo, hoje em dia são também
fornecidas outras informações, tais como, localização de obstáculos externos, temperatura ambiente,
etc.

Com o estudo deste módulo, pretende-se contribuir para a formação de técnicos com capacidade

para diagnosticar os diversos sistemas de comunicação. ..

Alguns dos sistemas utilizados hoje em dia nos veículos ligeiros. começaram por ser utilizados nos
veículos pesados. É por esta razão pertinente a abordagem de alguns sistemas de informação exis-
tente nos mesmos.
Fig. 03 -Painel de instrumentos de um veículo moderno

Um painel de instrumentos, quer seja de um veículo ligeiro. quer seja de um veículo pesado é cada
vez mais parecido com um painel de instrumentos de um cockpit de um avião.

Fig. 04 -Painel de instrumentos de um veiculo

Todos estes instrumentos devem fornecer informações nas mais perfeitas condições.

Actualmente existem no painel de instrumentos dos veículos, vários instrumentos que tornam mais
fácil a condução.

A figura 0.5 ilustra um painel de instrumentos de um veículo ligeiro topo de gama actualmente no
mercado.
1. Temperatura de óleo do motor; 2. Conta-rotações com relógio; 3. Luzes avisadoras; 4. Temperatura do líquido
de refrigeração; 5. Nível do combustível; 6. Velocímetro com mostrador do contaquilómetros, Contaquilómetros
parcial, Indicador do próximo serviço; 7. Voltímetro; 8. Botão do acerto do relógio, Botão do sistema auto-check,
Iluminação do contaquilómetros; 9. Mostrador, Luzes avisadoras, Temperatura exterior, Posições da alavanca
selectora, Sistema de informação para o condutor; 10. Botão de retomo a zero para o contaquilómetros parcial,
Indicador do próximo serviço

Fig. 05- Painel de instrumentos de um veículo topo de gama

No final deste módulo, o formando será conhecedor dos diferentes sistemas de informação existen-

tes num veículo, bem como estará apto para diagnosticar as suas avarias e por último repará-Ias.

A figura 0.6 ilustra um painel de instrumentos de um veículo pesado topo de gama.

Constatamos que o painel de instrumentos apresenta equipamentos játonhecidos, tais como o velo-

címetro, o conta-rotações ou o contaquilómetros. Além disso, verificamos que no centro do painel

aparece um outro equipamento. Trata-se de um equipamento computorizado, constituído por um pai-

nel com um visor digital. A informação dada por este equipamento é diversa, desde os prazos de

manutenção do veículo, temperatura do motor, ao estado em que se encontra o sistema da suspen-

são ou de travagem.
Conceitos

1 – CONCEITOS

1.1 - FUNDAMENTOS

Para melhor compreendermos o significado dos esquemas eléctricos que se encontram ao longo
deste manual, apresentam-se na figura 1.1 os principais símbolos empregues.

Fig. 1.1 – Simbologia eléctrica


Os instrumentos utilizados nos sistemas de informação podem ser do tipo:

Analógico

Digital

Computacional

1.1.1 - ANALÓGICOS

Os instrumentos analógicos foram e ainda hoje continuam a ser bastante utilizados nos automóveis.
Possuem um elemento comum que os caracteriza – o ponteiro.

Estes instrumentos podem ainda ser de origem:

Magnética

Bimetal

Sistemas de Informação 1.1


Conceitos

Fig. 1.2 – Exemplo de um instrumento do tipo analógico

Os velocímetros clássicos funcionam de acordo com os princípios do electromagnetismo. O princí-


pio de funcionamento deste tipo de velocímetros é simples.

Existe um cabo flexível ligado a uma das rodas da frente ou ao veio de saída da caixa de velocida-
des faz girar um íman existente no interior de um tambor metálico. À medida que o cabo de trans-
missão faz girar o íman uma força magnética tenta accionar o tambor. A esta força magnética
opõem-se uma certa resistência oferecida por uma mola de cabelo. Contudo, quanto maior for a
velocidade de rotação do veículo e por sua vez do íman, maior será a força magnética que, como
tal, vencerá mais facilmente a resistência oferecida pela mola de cabelo e provocará o avanço do
ponteiro indicador da velocidade.

Alguns velocímetros apresentam, em vez de um ponteiro, uma faixa colorida que se desloca ao lon-
go de uma escala horizontal.

Actualmente a maior parte dos velocímetros e dos conta rotações são do tipo electrónico. O prin-
cípio de funcionamento baseia-se num amperímetro, sensível a baixas correntes, montado num cir-
cuito em série com um transístor (ver fig. 1.3).

Na base do transístor aplicam-se impulsos de controle obtidos a partir do rotor do sistema de igni-
ção.

Nestas condições, a corrente do colector depende da frequência de impulsos de excitação e por


conseguinte do regime do motor. Dito de outra forma, o transístor conduz durante o tempo que os
contactos do rotor permanecem fechados, pois na sua base está a massa nestes instantes.

1.2 Sistemas de Informação


Conceitos

Fig. 1.3 - Esquema eléctrico de um conta-rotações

Quantos maior a frequência de comutação, maior é a corrente do emissor-colector que chega ao


amperímetro M e, como tal, obtemos um maior deslocamento da agulha deste.

Calibrando correctamente o sinal, a marcação da agulha do microamperímetro corresponderá ao


regime do motor, obtendo-se assim a velocidade de rotação.

Na medição da velocidade instantânea o esquema eléctrico apresentado na figura 1.3 não garante a
precisão que se pretende devido ao elevado número de impulsos no transistor, bem como à sua
duração e amplitude.

Fig. 1.4 – Esquema eléctrico de um conta-rotações de elevada precisão

Sistemas de Informação 1.3


Conceitos

O esquema eléctrico da figura 1.4 apresenta um conta-rotações de precisão superior ao ilustrado na


figura 1.3.

De referir que, no caso da fig. 1.4, a tensão de alimentação é estabilizada através do díodo zener Z.
Além disso, no circuito de base do transistor T é montado um sistema diferencial que homogeniza os
impulsos, provenientes do rotor, que alcançam a base do transístor.

Estes impulsos, uma vez amplificados no transistor, são rectificados através dos díodos D e através
de um condensador C, o que faz com que a indicação do amperímetro M dependa exclusivamente
do número de impulsos por unidade de tempo que chegam à base do transístor.

De referir que, habitualmente, o princípio de funcionamento do amperímetro é semelhante, contudo,


neste caso é a energia eléctrica que cria o campo magnético que atrai ou repele o íman ao qual o
ponteiro está ligado.

Fig. 1.5 – Amperímetro

Fig. 1.6 – Composição do sistema de carga

1.4 Sistemas de Informação


Conceitos

Os denominados bimetal são muito usados nos casos em que a corrente eléctrica aquece uma
lâmina bimetálica.

É por exemplo o caso do indicador de temperatura da água de arrefecimento do motor. A tempe-


ratura alcançada em qualquer momento, durante o funcionamento do motor, não deve exceder
determinados valores.

O circuito de refrigeração encarrega-se de eliminar (evacuar) o excesso de calor produzido, manten-


do a temperatura dentro dos valores achados convenientes.

Para que isto seja possível é empregue líquido refrigerante que, sendo arrefecido na sua passagem
pelo radiador, vai entrar novamente no motor, efectuando um novo ciclo.

A corrente eléctrica fornecida ao circuito apresenta tensão constante. Qualquer alteração na tempe-
ratura do líquido refrigerante faz alterar a intensidade da corrente que percorre este circuito e, con-
sequentemente, faz alterar a posição do ponteiro indicador da temperatura do motor.

Fig. 1.7 – Composição de um sistema de detecção da temperatura do motor

A figura 1.8 exemplifica o funcionamento do sistema quando a temperatura do motor ultrapassa os


valores máximos admissíveis.

Sistemas de Informação 1.5


Conceitos

Fig. 1.8 – Esquema eléctrico do sistema de aviso


de excesso de temperatura do motor

A lâmina bimetalica localizada na sonda de temperatura no ponto A junta os contactos quando a


temperatura transmitida por intermédio da cápsula B ultrapassa determinados valores limites (em
geral 115ºC). Deste modo o circuito é fechado e a lâmpada L acende-se, chamando atenção ao con-
dutor para a anomalia que está a ocorrer.

Nos veículos actuais, além da lâmpada avisadora, é montado também um termómetro idêntico ao da
figura 1.9 e que de acordo com o aumento da temperatura faz oscilar uma resistência térmica esta-
bilizando na temperatura ideal.

A luz avisadora só acenderá quando a temperatura do líquido refrigerante do motor ultrapassar os


valores limite.

Fig. 1.9 – Indicador da temperatura do líquido refrigerante

1.6 Sistemas de Informação


Conceitos

De uma forma idêntica à descrita para a temperatura do líquido refrigerante, passa-se um processo
análogo para a detecção de anomalias no que diz respeito ao aumento da temperatura do óleo do
motor.

Fig. 1.10 – Composição do sistema de detecção da temperatura do óleo do motor

Um outro exemplo de aparelho analógico é o indicador de combustível.

Fig. 1.11 – Composição do sistema de detecção do nível de combustível

Sistemas de Informação 1.7


Conceitos

Um flutuador existente no depósito de combustível e que oscila (sobe e desce) consoante o nível de
combustível faz mover uma alavanca que está ligada a uma resistência variável.

A posição do ponteiro indicada no mostrador corresponde a uma determinada quantidade de liquido


existente no depósito e é proporcional à intensidade da corrente que atravessa a resistência eléctri-
ca.

Fig. 1.12 – Esquema eléctrico de um indicador do nível de combustível

No esquema eléctrico representado na figura 1.12 a tensão existente no ponto A cai para as bobines
B e C. A bobine B está ligada à massa, pelo que a corrente que a atravessa apresenta valor cons-
tante, consequentemente, o campo magnético por ela criado pode considerar-se de intensidade
constante.

A bobine C é ligada em série com a resistência R, cujo valor varia em função da posição da agulha
E. A agulha E é movimentada pelo flutuador P, que ocupa uma posição tanto mais alta, quanto
maior for a quantidade de combustível. Deste modo, o campo magnético criado pela bobine C
depende do nível de combustível existente no depósito.

A acção conjunta dos campos magnéticos, criados pelas bobines B e C, sobre a agulha do indica-
dor, determina a posição que esta deverá tomar sobre a escala graduada.

Quando o depósito de combustível está cheio, o flutuador P ocupa uma posição mais alta e a agulha
E do cursor intercala uma grande resistência em série com a bobine C (a sua posição é próxima do
ponto H).

Nestas condições, a corrente que atravessa a bobine C é pequena e o campo magnético nela criado
é mais débil que o formado na bobine B, pelo que a agulha do indicador desloca-se sobre a escala
graduada na direcção que indica depósito cheio.

1.8 Sistemas de Informação


Conceitos

Quando o depósito tem pouco combustível, o flutuador P ocupa uma posição baixa e a agulha E do
cursor (próxima a D) intercala pouca resistência, pelo que a corrente na bobine C é importante e o
campo magnético criado nesta bobine é superior ao da B. Deste modo, a agulha do indicador deslo-
ca-se sobre a escala graduada na direcção que indica depósito vazio.

Quando o depósito de combustível se encontra a metade da sua capacidade, a resistência intercala-


da no reóstato é tal que os campos magnéticos criados nas bobines B e C são similares. Neste
caso, a agulha do indicador encontra a sua posição de equilíbrio no centro da escala graduada
(meio depósito).

As divisões da escala do mostrador indicam o combustível existente no depósito, sendo geralmente


gravadas outras divisões parcelares, tais como ¾ da capacidade, ½ depósito, ¼ e vazio.

O interruptor I representado no esquema da figura 1.12 é, na maior parte dos casos, o próprio inter-
ruptor da ignição.

Alguns indicadores da quantidade de combustível incluem uma luz de aviso que se acende quando
o depósito possui uma quantidade mínima de combustível (reserva).

A figura 1.13 ilustra um esquema eléctrico análogo ao da figura 1.12, contudo com mais um comple-
mento – luz de reserva. Neste caso, quando a quantidade de combustível contida no depósito for
cerca de 10%, ou menos, da sua capacidade total essa luz acender-se-á.

Fig. 1.13 – Esquema eléctrico de um indicador do nível de combustível, com luz de reserva

A tensão aplicada na lâmpada B será igual à do indicador de combustível quando o cursor do reós-
tato encostar à patilha C. Deste modo, quando o depósito está quase vazio o cursor do reóstato ocu-
pa a posição mais à esquerda, tocando em simultâneo na resistência do reóstato e na placa metáli-
ca C. Isto fará com que passe corrente passa pelo circuito do indicador e pela lâmpada B. A passa-
gem de corrente pela placa metálica C fará com que se acenda a lâmpada B, indicando ao condutor
que tem pouco combustível.

Sistemas de Informação 1.9


Conceitos

Noutros casos dispõe-se de um flutuador adicional, fechado num recipiente cilíndrico, que pode
fechar o contacto eléctrico quando o nível de combustível baixa de determinado valor. Com esta
acção consegue-se acender a lâmpada de aviso de reserva.

Além dos instrumentos referidos, existem outros sistemas que possuem também lâmpadas de aviso
e controlo de funcionamento.

De entre estes destacamos o accionamento do travão de mão, o desgaste das pastilhas dos
travões, o funcionamento do sistema de arranque a frio, etc.

Assim, por exemplo, quando se puxa a alavanca do travão de mão, é accionado um interruptor que
fecha o circuito eléctrico de uma lâmpada localizada no painel de instrumentos, a qual se acende
avisando o condutor que o travão de mão está accionado.

Igualmente, e enquanto estiver accionado o botão de arranque a frio, ficará também acesa uma
lâmpada no painel de instrumento a informar o condutor que o sistema está em funcionamento.

Todos estes sinais luminosos colocados no painel de instrumentos bem como a sua simbologia
serão abordados nos próximos capítulos.

Fig. 1.14 – Esquema eléctrico de um sistema de aviso acústico

Além disso, e como se pode deduzir do esquema eléctrico da figura 1.14, são também utilizados
sinais acústicos a acompanhar os sinais luminosos anteriormente referidos.

Assim, a base do transistor T é ligada à massa por intermédio do interruptor I, correspondente ao


mecanismo que se deseja controlar. Nestas condições produz-se um som audível através do avisa-
dor acústico Z.

Este mesmo avisador pode ser aproveitado nesta montagem para vários circuitos, uma vez que bas-
ta dispor em paralelo com o interruptor I os mecanismos que se desejam controlar.

1.10 Sistemas de Informação


Conceitos

1.1.2 – DIGITAIS E COMPUTACIONAIS

No caso dos equipamentos digitais a informação é, habitualmente, captada através de sensores e


enviada para uma unidade electrónica de comando que, em função dessa informação faz actuar
determinados sistemas. Além disso, e para que o condutor conheça aquilo que está a ocorrer essa
informação é enviada para o painel de instrumentos, ou sob a forma de luz de aviso, ou sob a forma
de dígitos, ou outras.

Fig. 1.15 – Velocímetro digital

Fig. 1.16 – Termómetro digital

Sistemas de Informação 1.11


Conceitos

Todo este conjunto de sinais (indicadores, luminosos e acústicos), são agrupados no painel de ins-
trumentos. Devido o seu elevado número e às funções que desempenham subentende-se existir
uma grande quantidade de ligações e cabos.

Actualmente, e para simplificar ao máximo estas ligações, utilizam-se circuitos impressos montados
na parte traseira do Quadro de Instrumentos e colados a este. Deste modo, suprime-se toda a
cablagem que teria de existir para ligar todos os sistemas de informação.

A placa do circuito impresso é fixa à carcaça do painel de instrumentos e a ela ligam-se todos os
elementos constituintes do painel.

Esta placa possui vários encaixes (terminais) aos quais se liga a cablagem proveniente dos siste-
mas a monitorizar.

Fig. 1.17 – Circuito impresso de um painel de instrumentos

No encaixe A existem oito terminais. Ao terminal 2 chega corrente de contacto que é conduzida até
às lâmpadas C, D, E, G e H e aos indicadores F e I.

A lâmpada C é o aviso do funcionamento do estrangulador e tem a sua saída pelo terminal 4 da


ficha A .

A lâmpada D é o aviso da pressão do óleo e a sua saída é o terminal 5 da ficha A.

A lâmpada E é o aviso da temperatura da água e a sua saída é o terminal 6 da ficha A .

A lâmpada G neste caso não é utilizada e a H corresponde ao aviso de travão de mão accionado . A
sua saída é através do terminar 6 da ficha B.

O indicador F é da temperatura da água e a sua saída realiza-se directamente pelo mesmo. Por I
passa o sistema do nível de combustível e a sua saída faz-se por 7 da ficha B.

Uma ligação comum para lâmpadas e indicadores é a massa. Neste caso realiza-se pelo terminal 3
da ficha B.

1.12 Sistemas de Informação


Conceitos

A massa é então comum às lâmpadas J, K, L, M, N, O e P, correspondendo J aos intermitentes e


tendo a sua alimentação pelo terminal 2 da ficha B. A lâmpada K é dos faróis, sendo a sua alimenta-
ção efectuada pelo terminal 4 da mesma ficha. A lâmpada L é das luzes de emergência e tem a sua
alimentação no terminal 1 da mesma ficha.

As lâmpadas M e N são da iluminação do painel e têm a sua alimentação pelo terminal 8 da ficha B.

O terminal 3 da ficha A é o encaixe do rotor do conta-rotações. A lâmpada R, aviso de carga, tem os


seus terminais independentes e ligados directamente à instalação.

Poder-se-á pois observar que o díodo Q está ligado entre as saídas de água e óleo. Desta forma,
quando há uma avaria no circuito de lubrificação, graças a este díodo a lâmpada E acende-se, pois
o circuito fecha por intermédio do terminal 5 da ficha A.

Com a utilização em maior quantidade de sistemas electrónicos e digitais começaram, já há alguns


anos, a ser utilizados computadores de bordo. Os computadores de bordo permitem ao condutor
saber diversas informações, entre elas:

Data e hora

Consumo instantâneo

Consumo médio

Custo do combustível por quilómetro

Duração da viagem

Autonomia de combustível

Combustível gasto

Temperatura exterior

Distância percorrida

Sistemas de Informação 1.13


Conceitos

Fig. 1.18 – Exemplo de um computador de bordo

Os actuais computadores de bordo apresentam ainda outras informações, tais como, temperatura
do ar interior, aviso de velocidade excessiva, sistemas de manutenção (auto-check).

Fig. 1.19 – Painel de instrumentos com computador de bordo

Em termos históricos, foram os veículos pesados que começaram por recorrer a sistemas auxiliares
de informação devido essencialmente ao facto de este tipo de veículos serem concebidos para tra-
balhar sendo mesmo o local de trabalho de muitas pessoas.

É pois importante, para a sua segurança, que lhes sejam fornecidas informações com a maior celeri-
dade possível.

1.14 Sistemas de Informação


Conceitos

Fig. 1.20 – Painel de instrumentos

Pressão de travagem

Pressão de óleo

Temperatura do líquido refrigerante

Fecho da cabine

Basculamento da cabine

Indicador do sistema de arranque por ignição

Alarme

Nível de óleo

Pastilhas/calços de travão

Tensão da bateria

O que o painel central da figura 1.20 fornece de forma legível e automaticamente é:

É possível ainda, por intervenção do condutor, obter outros parâmetros. Para isso é necessário utili-
zar um teclado. Estas informações podem ser:
Reserva de combustível

Hora e data

Velocidade média

Sistemas de Informação 1.15


Conceitos

Temperatura exterior (formação de gelo na estrada)

Horas de trabalho

Tempo de imobilização, tempo de condução

O sistema de auto-check efectua automaticamente um teste dos parâmetros referidos, cada vez que
se liga a ignição.

A figura 1.21 mostra como é constituído um computador de bordo.

Fig. 1.21 – Constituição de um computador de bordo

No caso do consumo de combustível o caudalímetro (F) (figura 1.22), montado no circuito de alimen-
tação de combustível calcula, como o seu próprio nome indica, a quantidade de combustível que é
introduzida na câmara de combustão. Deste modo, a passagem do combustível pelo seu interior faz
girar uma pequena turbina que por sua vez move um gerador de impulsos eléctricos, cujo sinal é
enviado ao módulo electrónico através da ligação A. É através deste sinal eléctrico que o computa-
dor de bordo consegue determinar o consumo do motor.

Nos veículos dotados de sistemas de injecção electrónica o caudalímetro não é necessário uma vez
que o sinal é enviado directamente pelo módulo de injecção.

1.16 Sistemas de Informação


Conceitos

Fig. 1.22 – Caudalímetro e componentes necessários para o


envio do sinal de consumo ao computador de bordo

O sinal de velocidade do veículo é geralmente proporcionado por um sensor taquimétrico instalado


no cabo flexível do velocímetro. Este sensor taquimétrico gera um sinal eléctrico proporcional à velo-
cidade do veículo, que é enviado ao módulo electrónico para processamento. Em função deste sinal,
isto é, da velocidade e do tempo, calcula-se a distância percorrida pelo veículo.

Fig. 1.23 – Sensor taquimétrico

Por último, a informação relativa à quan-


tidade de combustível no depósito é pro-
porcionada por um medidor de quantida-
de de combustível de alta precisão. Nes-
te caso, o reóstato foi substituído por
uma película de resistência de filamento
C, sobre a qual se move um cursor movi-
do por um flutuador D.

Fig. 1.24 – Medidor de nível de combustível

Sistemas de Informação 1.17


Conceitos

O conjunto é acoplado em A ao depósito. O combustível é enviado pelo tubo B. A ficha E liga-se ao


indicador de combustível e ao módulo electrónico do computador de bordo.

1.1.3 – VERIFICAÇÃO E CONTROLO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

O funcionamento dos diferentes componentes, sistemas de informação, que integram um painel de


instrumentos é comprovado individualmente pois cada um deles é um sistema diferente.

Só no caso de uma deficiência no funcionamento de vários indicadores de uma vez, poder-se-á


deduzir que a anomalia é comum. Neste caso, deverá verificar-se se chega corrente de alimentação
e se existe uma boa ligação à massa.

As restantes comprovações realizar-se-ão caso a caso, isto é, individualmente.

Quando são componentes com indicadores de agulha, a causa do mau funcionamento dos mesmos
pode ser devida ao próprio indicador ou à sua correspondente unidade de envio.

Para comprovar qual dos dois elementos é defeituoso, desliga-se o cabo de chegada à correspon-
dente unidade de envio e liga-se directamente à massa. Nestas condições a agulha do indicador
deve deslizar para o máximo, o que indicará o bom estado do marcador e da instalação. Deste
modo, a avaria será na unidade de envio. Caso isto não aconteça, a avaria estará no indicador ou o
cabo de união entre este e a unidade de envio está cortado. Para determinar qual dos dois defeitos
é o causador, far-se-á o mesmo teste directamente à saída do indicador.

Nos medidores do caudal de combustível deve comprovar-se a resistência intercalada no reóstato


quando a bóia ocupa posições extremas e intermédias. Para isto é indispensável dispor dos dados
de corrente necessários.

Normalmente o valor da resistência intercalada, quando a bóia está na sua posição mais alta, está
compreendido entre 0 e 7 ohms. A ¾ de depósito é de 40 a 50 ohms. Para ½ depósito é de 80 a 100
ohms. Com ¼ de depósito, 150 a 170 ohms e com o depósito vazio, 260 a 290 ohms.

Poder-se-á também verificar o funcionamento do indicador de combustível com o medidor de caudal


fora do depósito de combustível, contudo, mantendo este ligado ao circuito. Movendo com a mão a
bóia, deve-se observar o deslocamento da agulha do indicador, correspondendo esta às posições
que a bóia vai tomando.

Quanto ao indicador de temperatura da água de refrigeração, a verificação da resistência térmica


realiza-se submergindo-a num recipiente com água que se vai aquecendo lentamente. Deste modo,
à medida que a temperatura da água vai aumentando o ponteiro deverá aproximar-se da zona ver-
melha. Caso contrário a resistência térmica está estragada.

1.18 Sistemas de Informação


Conceitos

O indicador de pressão de óleo é comprovado de forma idêntica. Fornece-se à unidade de envio


uma determinada pressão de ar que se vai aumentando lentamente através de uma válvula regula-
dora de pressão.

Relativamente às lâmpadas avisadoras do funcionamento de qualquer circuito, as verificações são


feitas de forma similar. Solta-se o cabo da unidade de envio e coloca-se à massa. A lâmpada deve
acender-se. Caso contrário, a avaria está no painel de instrumentos, na própria lâmpada, ou na ins-
talação, a qual deverá ser comprovada com o multímetro, seguindo-se, para o efeito, o circuito no
sentido contrário à direcção da corrente.

No atinente ao painel de instrumentos, deve-se verificar o circuito impresso e cada uma das fichas
que unem electricamente a instalação, devendo estas encontrar-se em perfeito estado.

Nos sistemas com computador de bordo, um diagnóstico possível são as relativas diferenças de
sinal que chegam ao módulo de controle, as quais podem ser medidas, com o sistema em funciona-
mento, com um voltímetro de corrente alterna. A ausência de sinal indica avaria do componente a
verificar.

1.1.4 – O FUTURO

1. Sensores
2. Computador portátil
3. Computador de bordo com
GPS
4. Central

Fig. 1.25 - Sistemas de navegação e comunicação

Os potentes e modernos sistemas de comunicação móvel são cada vez mais importantes nos veícu-
los industriais e, por conseguinte, nos veículos automóveis.

Estes sistemas já são usados há muito tempo nos transportes marítimos, barcos de pesca no alto
mar, bem como nos transportes aéreos.

Para poder controlar eficazmente o parque móvel, ou para o controle individual na utilização logísti-
ca de cada veículo, o transportador deve poder comunicar em qualquer momento com os seus con-
dutores.

Sistemas de Informação 1.19


Conceitos

As tarefas principais da comunicação móvel são o controle de frotas e a localização dos seus veícu-
los. Os dados transmitem-se por diferentes redes, segundo o sector de utilização e diferenciam-se
entre:

MODACOM

Rede D2

Comunicação por Satélite

Com a ajuda dos sistemas de computadores de bordo resulta a possibilidade de manter um sistema
de informação e comunicação de alcance internacional, necessário ao controle e organização de
uma frota de veículos e à correspondente logística.

Estes sistemas possibilitam um fluxo permanente de informações entre um veículo e a correspon-


dente central do parque móvel. Estes sistemas contêm os seguintes componentes:

Central

Um computador pessoal para o registo e validação dos dados transmitidos pelo veículo.

Um modem para emissão e recepção dos dados


Computador de bordo com modem integrado e GPS para a localização do veículo.
Veículo

Computador portátil, com interface entre o computador de bordo e o condutor.

Display ou impressora para o veículo como dispositivo de saída de dados.

O computador de bordo controla o sistema do veículo industrial e transmite os parâmetros obtidos


mediante sensores, ao condutor e mediante modem á central do parque móvel.

O sistema de localização por satélite integrado (GPS), possibilita determinar a posição do veículo
com uma margem de exactidão de 50 metros.

O motorista do veículo pode comunicar com o computador de bordo através do computador portátil
e enviar dados próprios à central.

1.20 Sistemas de Informação


Conceitos

MODACOM

A rede de rádio MODACOM é adequada sobre toda a transmissão rápida e frequente de dados em
espaços limitados. Resulta económica e é utilizada sobretudo para as pequenas empresas de trans-
porte operando a nível regional.

Rede D2

Na rede D2, a comunicação está baseada na técnica digital de rádiotransmissão segundo o stan-
dard GSM paneuropeu. É o sistema preferido em utilização paneuropeia.

Comunicação por satélite

A comunicação efectua-se através da rede global telex DATEX-L e a transferência de dados através
da rede global de dados DATEX-P, possuindo ambas uma aplicação limitada de carácter mundial.

Sistemas de navegação

Os sistemas de navegação servem tanto como ajuda de escuta para orientação como a nível do sis-
tema de condução, para a optimização de rotas alternativas.

O responsável pelas comunicações na central de tráfego, segue o veículo no seu écran, retransmi-
tindo-lhe ordens de trabalho (serviços, cargas, etc.), os quais aparecem no display situado no veícu-
lo e guiando directamente o motorista até ao objectivo (é o caso já utilizado nos transportes de distri-
buição nas grandes capitais europeias).

Estes sistemas são adequados como já dissemos anteriormente para a grande distribuição ou em
serviços de multicargas (grupagem) em grandes zonas urbanas ou parques industriais.

Sistemas de Informação 1.21


Sinalização

2 – SINALIZAÇÃO

É por demais evidente que para haver informação, esta deverá ser fornecida através de sinais, que
podem ser:

Luminosos

Ruído

Digitais

Actualmente, os sinais luminosos e de ruído estão a ser substituídos pelas informações digitais
(descritas ou por imagens ou por palavras em display).

2.1 – CORES

No entanto, mesmo que surja uma predominância de informação em display é sempre necessária a
utilização da cor.
As cores que predominam num painel de instrumentos são,

Amarelo

Vermelho

Verde

Azul

E significam,

AMARELO
Aviso de perigo, actuação parcial, não será necessário imobilizar
imediatamente o veículo.

Fig. 2.1

VERMELHO
Emergência, Perigo eminente, o veículo deve ser logo imobilizado.

Fig. 2.2

Sistemas de Informação 2.1


Sinalização

VERDE
Equipamento em trabalho (a ser utilizado), zona ideal de utilização
(regime económico do conta rotações).
Fig. 2.3

AZUL
Cumprimento de uma operação.

Fig. 2.4

2.2 – SÍMBOLOS DE INTERRUPTORES

Faróis Principais

Fig. 2.5

Faróis de Nevoeiro

Fig. 2.6

Faróis de Nevoeiro Traseiros

Fig. 2.7

Faróis de Longo Alcance

Fig. 2.8

2.2 Sistemas de Informação


Sinalização

Farol de Trabalho

Fig. 2.9

Espelhos Retrovisores Laterais com Aquecimento Eléctrico

Fig. 2.10

Intermitentes de Emergência

Fig. 2.11

Interruptor de Ar Condicionado

Fig. 2.12

Interruptor intermitente do Limpa Pára Brisas

Fig. 2.13

Interruptor do Elevador do 3º Eixo

Fig. 2.14

Sistemas de Informação 2.3


Sinalização

Interruptor para Tomada de Força Traseira

Fig. 2.15

Interruptor para Tomada de Força Lateral

Fig. 2.16

Interruptor de bloqueio do Diferencial entre Rodas

Fig. 2.17

Interruptor de bloqueio do Diferencial entre Eixos

Fig. 2.18

2.4 Sistemas de Informação


Sinalização

2.3 – LÂMPADAS AVISADORAS E DE CONTROLO

1. Indicadores de mudança de direcção; 2. Faróis de nevoeiro; 3. Luzes de nevoeiro traseiro; 4. Indicador de colmatagem do
filtro de ar; 5. Travões de anti-bloqueio, atrelado (não está ligado); 6. Piscas de emergência; 7. Circuito de travões com ava-
ria*; 8. Pressão de óleo do motor baixa*; 9. Alternador não carrega baterias; 10. Fecho de segurança da cabine aberto*; 11.
Piscas indicadores de mudança de direcção; 12. Faróis em máximo; 13. Resistência de arranque (pré-aquecimento); 14. Blo-
queador do diferencial; 15. Nível da água de arrefecimento do motor baixo; 16. Travão de estacionamento accionado; 17.
Pressão baixa no travão de pé*; 18. Temperatura do óleo muito alta (caixa de velocidade automática)*; 19. Temperatura da
água de arrefecimento do motor muito alta*; 20. Engate de atrelado
* O ruído de aviso soa ao mesmo tempo

Fig. 2.19 – Exemplos de lâmpadas avisadoras utilizadas em painéis de instrumentos de camiões

Temperatura/nível do líquido de refrigeração

Pastilhas dos travões com desgaste

Combustível

Pressão do óleo do motor

Sistema de travagem

Tampa do porta bagagens

Regulação electrónica da potência do motor

Indicadores de direcção do reboque

Luzes de presença/médios
Fig. 2.20 - Luzes de advertência para veículos ligeiros

Sistemas de Informação 2.5


Sinalização

Regulação do nível

Regulação antipatinagem, Programa electrónico

Imobilizador electrónico

Máximos

Indicadores de direcção/luzes de advertência

Sistema de pré-incandescência diesel

Sistema de airbag

Sistema de anti-bloqueio (ABS)

Travão de mão

Alternador

Avisador dos cintos de segurança

Sistema de auto-check
Fig. 2.21 – Luzes de advertência para veículos ligeiros

Verificar luzes de travagem

Verificar luzes de travagem

Avaria nos faróis de médios ou de marcha-atrás

Água do lava pára-brisas

Fig. 2.22 – Luzes de advertência para veículos ligeiros

Se algum dos símbolos assinalados com este sinal se acender, deve parar o motor e
imobilizar imediatamente o veículo.

2.6 Sistemas de Informação


Ergonomia

3 – ERGONOMIA

Para que toda esta informação seja perceptível, é pois necessário que o posto de condução esteja
colocado nas mais perfeitas das posições ergonómicas.

Actualmente o posto de condução move-se em vários ângulos, se não vejamos.

O volante movimenta-se (para cima e para baixo) e aproxima-se ou afasta-se do condutor, não
podendo ser regulado em andamento.

Esta particularidade é considerada standard nos veículos ligeiros e nos veículos pesados (camiões).

No entanto nos veículos pesados (autocarros urbanos), é o próprio painel de instrumentos que se
movimenta em conjunto com o volante, permitindo ao condutor a melhor posição ergonómica.

Aqui, também a cadeira tem diversas posições, permitindo ao condutor o maior conforto possível.

Para que a utilização de todos estes sistemas de informação seja feita nas melhores condições pos-
síveis, até os pedais de condução passam de três para dois, reduzindo assim os múltiplos movi-
mentos dos nossos membros inferiores.

A segurança resulta significativa quando se utiliza:

Suficientes dispositivos de iluminação

Dispositivos acústicos de advertência

Visibilidade directa

Fig. 3.1 - Segurança activa graças a um perfeito campo de visão

Sistemas de Informação 3.1


Bibliografia

BIBLIOGRAFIA

Manual de Automoviles
Autor: Arias Paz
50ª edição (1990)
Editora: Editorial Dossat, s.a.

Manual Completo do Automóvel


Autor: M. Pugliesi
1997
Editora: Hemus Editora Lda.

Técnicas del Automovil


Autor: J. M. Alonso
5ª edição (1996)
Editora: Editorial Paraninfo

Enciclopedia del Camion


Direccion, Sistemas Eléctricos e Cabina
Autor: Miguel de Castro
Editora: Ediciones CEAC

O livro do Automóvel
1976
Editora: Selecções do Reader’s Digest SARL

Sistemas de Informação C.1


Pós-Teste

PÓS-TESTE

Em relação a cada um das questões seguintes, são apresentadas 4 (quatro) respostas das quais
apenas 1 (uma) está correcta. Para cada exercícios indique a resposta que considera correcta, colo-
cando uma cruz (x) no quadrado respectivo.

1. Este símbolo colocado num esquema eléctrico significa?

a) Transitores............................................................................................................................. ˆ
b) Bobina ................................................................................................................................... ˆ
c) Condensador ......................................................................................................................... ˆ
d) Massa .................................................................................................................................... ˆ
2. Os instrumentos que são montados no painel de instrumentos, podem segundo a sua con-
cepção ser?

a) Digital e Computacionais ....................................................................................................... ˆ


b) Mecânicos .............................................................................................................................. ˆ
c) Digitais, analógicos e computacionais ................................................................................... ˆ
d) Computacionais ..................................................................................................................... ˆ
3. O ponteiro do contaquilómetros, que se encontra no aparelho analógico, poderá ser de fun-
cionamento:

a) Digital ..................................................................................................................................... ˆ
b) Magnético............................................................................................................................... ˆ
c) Bimetálico .............................................................................................................................. ˆ
d) Magnético e Bimetálico.......................................................................................................... ˆ

Sistemas de Informação S.1


Pós-Teste

4. Qual a função da bicha flexível que se encontra ligada a uma roda ou à saída da caixa de
velocidades?

a) Faz girar um íman, que por sua vez fará rodar um ponteiro (velocímetro) ........................... ˆ
b) Travão………………………………………………………………………………………………. ˆ
c) Acende uma lâmpada ……………………………………………………………………...… ˆ
d) Faz tocar uma campainha ..................................................................................................... ˆ
5. Os actuais conta-rotações são baseados num funcionamento:

a) Bimetálico ………………………………………………………………………………………… ˆ
b) Digital ……………………………………………………………………………………………….. ˆ
c) Magnético ………………………………………………………………………………………… ˆ
d) Eléctrico …………………………………………………………………………………………….. ˆ

6. O símbolo indicador de transistor, num esquema eléctrico é:

a)
................................................................................................................... ˆ
b)
.................................................................................................................. ˆ
c) .................................................................................................................. ˆ
d) ................................................................................................................................ ˆ

S.2 Sistemas de Informação


Pós-Teste

7. Na imagem seguinte esclareça, qual o componente que é designado por bobine?

8. Este símbolo colocado num esquema eléctrico significa?

a) Bateria.................................................................................................................................... ˆ
b) Fusível.................................................................................................................................... ˆ
c) Lâmpada ................................................................................................................................ ˆ
d) Massa..................................................................................................................................... ˆ

9. No esquema eléctrico seguinte preencha as palavras iniciadas pelas seguintes letras.

Sistemas de Informação S.3


Pós-Teste

10. Este símbolo colocado num esquema eléctrico significa:

a) Contactos ............................................................................................................................... ˆ
b) Bateria.................................................................................................................................... ˆ
c) Lâmpada ................................................................................................................................ ˆ
d) Fusíveis.................................................................................................................................. ˆ
11. Este símbolo colocado num esquema eléctrico significa:

a) Transistor ............................................................................................................................... ˆ
b) Bateria.................................................................................................................................... ˆ
c) Fusível.................................................................................................................................... ˆ
d) Condensador.......................................................................................................................... ˆ

12. No esquema de montagem do amperímetro, descreva os restantes componentes que inte-


gram o esquema designados por um número.

1.
2.
3.
4.
Amperímetro 5.

S.4 Sistemas de Informação


Pós-Teste

13. Neste indicador de temperatura da água, a luz L acende quando?

a) Os contactos em A se encontram.......................................................................................... ˆ
b) Em qualquer das circunstâncias ............................................................................................ ˆ
c) Os contactos em A estão afastados ...................................................................................... ˆ
d) Os contactos em A estão a meio ........................................................................................... ˆ

14. A alavanca em A, na figura anterior é:

a) Um suporte............................................................................................................................. ˆ
b) Uma lâmpada......................................................................................................................... ˆ
c) Lâmina bimetal ....................................................................................................................... ˆ
d) Resistência pré-aquecimento ................................................................................................ ˆ

Sistemas de Informação S.5


Pós-Teste

15. No seguinte esquema referente à monitorização da temperatura de óleo do motor, indique


os componentes referenciados pela sua primeira letra?

Temperatura de óleo do

16. O símbolo é:

a) Uma lâmpada......................................................................................................................... ˆ
b) Comutadores.......................................................................................................................... ˆ
c) Junção de fios ........................................................................................................................ ˆ
d) Reóstato................................................................................................................................. ˆ

17. A imagem seguinte é de um automático de pisca.


Quais as palavras que correspondem a cada letra inicial?

S.6 Sistemas de Informação


Pós-Teste

18. O símbolo é:

a) Uma lâmpada......................................................................................................................... ˆ
b) Bobina .................................................................................................................................... ˆ
c) Um fusível .............................................................................................................................. ˆ
d) Massa..................................................................................................................................... ˆ

19. Enuncie os componentes assinalados pelas letras.

I-
R-
B-

20. O esquema anterior é de,

a) Um conta-rotações................................................................................................................. ˆ
b) Um amperímetro .................................................................................................................... ˆ
c) Uma bóia de gasóleo ............................................................................................................. ˆ
d) Um termómetro ...................................................................................................................... ˆ

Sistemas de Informação S.7


Pós-Teste

21. Repare no seguinte esquema eléctrico. De que se trata?

a) Um esquema luminoso .......................................................................................................... ˆ


b) Um esquema acústico ........................................................................................................... ˆ
c) Um esquema digital................................................................................................................ ˆ
d) Um esquema luminoso e acústico ......................................................................................... ˆ

22. Nos equipamentos digirais, são montados uns equipamentos (na proximidade ou junto do
órgão a controlar), que por sua vez vão transmitir sinais.

Qual o nome desses equipamentos?

a) Contadores de impulsos ........................................................................................................ ˆ


b) Batentes ................................................................................................................................. ˆ
c) Sensores ................................................................................................................................ ˆ
d) Microprocessores................................................................................................................... ˆ

S.8 Sistemas de Informação


Pós-Teste

23. Após a passagem através dos sensores, os impulsos são descodificados numa entidade
de controlo electrónico. Diga qual o nome dessa unidade de controlo.

a) Batentes ................................................................................................................................. ˆ
b) Microprocessador................................................................................................................... ˆ
c) Sensores ................................................................................................................................ ˆ
d) Display (écan) ........................................................................................................................ ˆ

24. O ponteiro ou a escala utilizada nos aparelhos analógicos é substituída nos aparelhos
digitais por:

a) Um sinal acústico ................................................................................................................... ˆ


b) Um sinal luminoso.................................................................................................................. ˆ
c) Um sinal acústico e luminoso................................................................................................. ˆ
d) Display (écran) ....................................................................................................................... ˆ

25. A grande quantidade de ligações e cabos eléctricos necessários ao funcionamento de


todos os equipamentos eléctricos e electrónicos num veículo, são actualmente substituí-
dos por:

a) Vários quadros eléctricos....................................................................................................... ˆ


b) Circuitos impressos................................................................................................................ ˆ
c) Multicabos .............................................................................................................................. ˆ
d) São sempre necessários um grande número de ligações .................................................... ˆ

Sistemas de Informação S.9


Pós-Teste

26. A placa de circuito impresso está habitualmente:

a) Colocada no equipamento ..................................................................................................... ˆ


b) Num local específico do painel de instrumentos ................................................................... ˆ
c) Longe do equipamento .......................................................................................................... ˆ
d) Entre os equipamentos e o painel de instrumentos............................................................... ˆ

27. A evolução permitiu que os circuitos impressos conduzissem a um outro equipamento, a


que se chamou:

a) Painel de controlo digital........................................................................................................ ˆ


b) Caixa de comandos ............................................................................................................... ˆ
c) Computador de bordo ............................................................................................................ ˆ
d) Display (écan) ........................................................................................................................ ˆ

28. A informação que este componente nos fornece, poderá ser:

a) Tudo relacionado com o consumo, a velocidade, a temperatura.......................................... ˆ


b) Todos os sinais mecânicos.................................................................................................... ˆ
c) Todos os sinais acústicos ...................................................................................................... ˆ
d) Todos os sinais luminosos..................................................................................................... ˆ

S.10 Sistemas de Informação


Pós-Teste

29. Actualmente todos os sistemas de um veículo, tais como “travões”, “suspensão”,


“direcção, “motor”, etc., têm uma unidade que gere toda a informação. Qual o seu nome?

a) Caixa de comandos ............................................................................................................... ˆ


b) Unidade de controlo (CPU).................................................................................................... ˆ
c) Placa de fusíveis .................................................................................................................... ˆ
d) Caixa de bornes ..................................................................................................................... ˆ

30. O controlo dos parâmetros é efectuado através de um sistema que os vai comprovar e
controlar sempre que o sistema de ignição é ligado. Que nome tem este sistema?

a) Painel de controle .................................................................................................................. ˆ


b) Auto-check ………………………………………………………………………………………... ˆ
c) Corte de corrente ................................................................................................................... ˆ
d) Chave de ignição ................................................................................................................... ˆ

31. O medidor de caudal utilizado para avaliar o consumo de combustível, tem o nome de?

a) Termómetro............................................................................................................................ ˆ
b) Potenciómetro ........................................................................................................................ ˆ
c) Caudalímetro.......................................................................................................................... ˆ
d) Amperímetro .......................................................................................................................... ˆ

Sistemas de Informação S.11


Pós-Teste

32. O sensor taquimétrico destina-se a medir:

a) A carga da bateria.................................................................................................................. ˆ
b) O consumo de combustível ................................................................................................... ˆ
c) As rotações do motor ............................................................................................................. ˆ
d) A velocidade........................................................................................................................... ˆ

33. Qual o valor da resistência (em ohms), quando o indicador de combustível indica 1/2
depósito?

a) 260 a 290 ohms ..................................................................................................................... ˆ


b) 80 a 100 ohms ....................................................................................................................... ˆ
c) 60 a 80 ohms.......................................................................................................................... ˆ
d) 40 a 60 ohms ......................................................................................................................... ˆ

34. Com que margem de exactidão é possível através do GPS, saber o local geográfico onde
o veículo se encontra?

a) 150 metros ............................................................................................................................. ˆ


b) 100 metros ............................................................................................................................. ˆ
c) 75 metros ............................................................................................................................... ˆ
d) 50 metros ............................................................................................................................... ˆ

S.12 Sistemas de Informação


Pós-Teste

35. Qual o nome do equipamento eu permite, saber a qualquer instante, a rota óptima, o tipo
de condução ou o local de chegada?

a) Sistema de navegação .......................................................................................................... ˆ


b) A bússula ............................................................................................................................... ˆ
c) O GPS .................................................................................................................................... ˆ
d) O módulo................................................................................................................................ ˆ

36. A emergência é dada através da cor:

a) Azul ........................................................................................................................................ ˆ
b) Vermelha................................................................................................................................ ˆ
c) Amarela .................................................................................................................................. ˆ
d) Verde...................................................................................................................................... ˆ

37. Quando há falta de óleo no motor, qual o tipo de aviso/avisos que poderão surgir?

a) Mecânico................................................................................................................................ ˆ
b) Luminoso................................................................................................................................ ˆ
c) Ruído...................................................................................................................................... ˆ
d) Digital ..................................................................................................................................... ˆ

Sistemas de Informação S.13


Pós-Teste

38. Num veículo que tem incorporado um equipamento de bordo que fere a sua manutenção
preventiva, que tipo de aviso surge quando é necessário mudar o óleo do motor?

a) Ruído...................................................................................................................................... ˆ
b) Digital e mecânico.................................................................................................................. ˆ
c) Luminoso e digital .................................................................................................................. ˆ
d) Paragem total......................................................................................................................... ˆ

39. Quando no painel de instrumentos surge um aviso luminoso com a cor amarela, o que
significa?

a) Emergência ............................................................................................................................ ˆ
b) Possibilidade de utilizar o equipamento ................................................................................ ˆ
c) Perigo, com necessidade de imobilizar o veículo .................................................................. ˆ
d) Perigo, sem necessidade de imobilizar o veículo.................................................................. ˆ

40. A cor azul significa:

a) Perigo, sem imobilização ....................................................................................................... ˆ


b) Perigo, com imobilização ....................................................................................................... ˆ
c) Operação a ser realizada....................................................................................................... ˆ
d) Equipamento a ser utilizado................................................................................................... ˆ

S.14 Sistemas de Informação


Pós-Teste

41. Quando as rotações do motor estão no regime económico, qual a cor que no conta rota-
ções aparece a indicar este tipo de regime?

a) Azul ........................................................................................................................................ ˆ
b) Vermelho................................................................................................................................ ˆ
c) Amarelo .................................................................................................................................. ˆ
d) Verde...................................................................................................................................... ˆ

42. Quando utilizamos os máximos, qual a cor que no painel de instrumentos indica que os
mesmos estão a ser usados?

a) Cor vermelha.......................................................................................................................... ˆ
b) Cor amarela ........................................................................................................................... ˆ
c) Cor verde................................................................................................................................ ˆ
d) Cor azul.................................................................................................................................. ˆ

43. Este sinal significa?

a) Métodos ligados ..................................................................................................................... ˆ


b) Faróis de nevoeiro traseiros .................................................................................................. ˆ
c) Luzes de presença ligadas .................................................................................................... ˆ
d) Faróis de nevoeiro acesos..................................................................................................... ˆ

Sistemas de Informação S.15


Pós-Teste

44. Trata-se de:

a) Sinal de pré-sinalização ligado .............................................................................................. ˆ


b) Intermitentes de emergência ligados ..................................................................................... ˆ
c) Faróis de nevoeiro acesos ..................................................................................................... ˆ
d) Sinal de mudança de direcção............................................................................................... ˆ

45. Este sinal significa:

a) Faróis de nevoeiro frontais ligados ........................................................................................ ˆ


b) Faróis de nevoeiro ................................................................................................................. ˆ
c) Faróis de nevoeiro traseiros................................................................................................... ˆ
d) Faróis ligados......................................................................................................................... ˆ

46. Nos veículos do tipo chassis cabina (comerciais pesados) o farol indicado é colo-
cado:

a) Na frente da cabina................................................................................................................ ˆ
b) Na retaguarda da cabina ....................................................................................................... ˆ
c) No lado esquerdo da cabina .................................................................................................. ˆ
d) No lado direito da cabina ....................................................................................................... ˆ

S.16 Sistemas de Informação


Pós-Teste

47. Este sinal significa:

a) Ar condicionado ..................................................................................................................... ˆ
b) Nevoeiro................................................................................................................................. ˆ
c) Mau tempo ............................................................................................................................. ˆ
d) Equipamento frigorífico .......................................................................................................... ˆ

48. Nos veículos pesados este sinal significa:

a) Accionamento de tomada de força ........................................................................................ ˆ


b) Accionamento de tomada de força lateral ............................................................................. ˆ
c) Accionamento de tomada de força dianteira ......................................................................... ˆ
d) Accionamento de tomada de força traseira ........................................................................... ˆ

49. Este sinal significa:

a) Limpa vidros intermitente....................................................................................................... ˆ


b) Ausência de limpa vidros ....................................................................................................... ˆ
c) Limpa vidros apenas na retaguarda....................................................................................... ˆ
d) Limpa vidros........................................................................................................................... ˆ

Sistemas de Informação S.17


Pós-Teste

50. Este sinal nos veículos com 3 eixos, significa:

a) Equipado com 3 eixos............................................................................................................ ˆ


b) 3º eixo activado...................................................................................................................... ˆ
c) 3º eixo elevatório.................................................................................................................... ˆ
d) 3º eixo desactivado ................................................................................................................ ˆ

51. Nos painéis de instrumentos modernos surgem outros sinais. Faça a correspondência.

I. A Sistema de Auto-check

II. B Sistema de Airbag

III. C Imobilizador electrónico

IV. D Temperatura/nível do líquido de refrigeração

V. E Avaria nos faróis de médios ou de marcha atrás

VI. F Sistema de antibloqueio (ABS)

VII. G Água do lava para brisas

VIII. H Regulação electrónica de potência do motor

IX. I Pastilhas dos travões com desgaste

X. J Regulação de antipatinagem (ESP)

S.18 Sistemas de Informação


Corrigenda e Tabela de Cotação do Pós-Teste

CORRIGENDA E TABELA DE COTAÇÃO


DO PÓS-TESTE

N.º DA QUESTÃO RESPOSTA CORRECTA COTAÇÃO

1 D 2
2 C 2
3 D 2
4 A 1
5 D 2
6 B 2
7 A 2
8 A 1
9 Transistor; Microamperímetro 2
10 A 2
11 D 2
1. Chave de ignição; 2. Caixa de fusíveis; 3. Alternador; 4.
12 2
Motor de arranque; 5 Bateria
13 A 2
14 C 2
15 Sensor; Vela; Chave; Bateria; Caixa de fusíveis 2
16 D 2
Resistência; Contactos; Mola de Contacto; Interruptor do pis-
17 2
ca; Fio para o painel de instrumentos; Lâmpada de piscas
18 C 2
19 Interruptor; Reóstato; Bobine 2
20 C 2
21 B 2
22 C 2
23 B 2
24 D 2
25 B 2
26 A 2
27 C 2
28 A 2
29 B 2

Sistemas de Informação S.19


Corrigenda e Tabela de Cotação do Pós-Teste

N.º DA QUESTÃO RESPOSTA CORRECTA COTAÇÃO

30 B 2
31 C 2
32 D 2
33 B 2
34 D 2
35 A 2
36 B 2
37 B 2
38 C 2
39 D 2
40 C 2
41 D 2
42 D 2
43 D 2
44 B 2
45 C 2
46 B 2
47 A 2
48 B 2
49 A 2
50 C 2
51 I-E; II-D; III-G; IV-C; V-I; VI-B; VII-A; VIII-F; IX-J; X-H 2
TOTAL 100

S.20 Sistemas de Informação