Você está na página 1de 5

ERIC SCHWAN RESENDE

SEMENTES HIBRIDAS DE MILHO SUBMETIDAS A DIFERENTES


NIVEIS DE ESTRESSE SALINO DURANTE A GERMINAÇÃO

Monografia apresentada ao Departamento de


Agricultura da Universidade Federal de
Lavras como parte das exigências do curso
de Agronomia, para a obtenção do título de
Bacharel em Agronomia.

Orientadora
Profa. Heloísa Oliveira dos Santos

LAVRAS
MINAS GERAIS - BRASIL
2014
ERIC SCHWAN RESENDE

SEMENTES HIBRIDAS DE MILHO SUBMETIDAS A DIFERENTES


NIVEIS DE ESTRESSE SALINO DURANTE A GERMINAÇÃO

Monografia apresentada ao Departamento


de Agricultura da Universidade Federal
de Lavras como parte das exigências do
curso de Agronomia, para a obtenção do
título de Bacharel em Agronomia.

APROVADA em 11 de julho de 2014

MsC. Gabriel Castanheira Guimarães UFLA


MsC. Viviane Maria de Abreu UFLA

Profa. Dra. Heloísa Oliveira dos Santos


UFLA
(Orientadora)

Profa. Dra. Édila Vilela de Resende Von Pinho


UFLA
(Coorientadora)

LAVRAS
MINAS GERAIS - BRASIL
2014
AGRADECIMENTOS

A Deus, pelo dom da vida e pela sabedoria para tomar as decisões


corretas.
A minha família, em especial meus pais, Rosane, Disney e Mario Lucio
pelo amor incondicional, incentivo, apoio e carinho.
Ao meu irmão Felipe pelo carinho e amizade.
A minha avó Joana e a minha mãe Rosane, pelos conselhos sábios, amor
e orações.
Aos meus tios e tias pelo apoio, incentivo e torcida.
A minha namorada Karen Rezende pelo amor, dedicação, incentivo, e
apoio nos momentos difíceis.
A Universidade Federal de Lavras (UFLA) e ao Departamento de
Agricultura, em especial ao Setor de Sementes, funcionários e colegas.
A minha orientadora e amiga, Profa. Heloisa Oliveira dos Santos, pelos
conhecimentos transmitidos, dedicação, incentivo, paciência e amizade.
Aos membros da banca examinadora Profa. Dra. Heloisa Oliveira dos
Santos, MsC. Gabriel Castanheira Guimarães e MsC. Viviane Maria de Abreu.
A empresa Dow AgroScience Ltda., pela valiosa contribuição com as
sementes hibridas de milho que foram utilizados no experimento.
A Pedro Augusto, Leandro Mariotto, Luís Fernando e Heloisa Oliveira
pela ajuda em todas as etapas da condução e avaliação deste experimento, e
companheirismo.
Aos meus amigos, Karen, Arthur, Ricardo, Luís Fernando, Guilherme,
Sillas, Heloisa, Mariane, Nara e Gustavo pela paciência, amizade,
companheirismo, honestidade, incentivos e bons momentos.
E a todos que de alguma forma ajudaram na realização desse trabalho.
MUITO OBRIGADO!
RESUMO

Durante o período de germinação de sementes a concentração salina é um fator


determinante e que influencia no estabelecimento e desenvolvimento uniforme
do estande em campo. Nesse sentido cultivares tolerantes a altas concentrações
salinas nestas fases são fundamentais nos programas de melhoramento. Diante
disto objetivou-se com a presente pesquisa verificar a qualidade fisiológica e
padrão da enzima alfa-amilase em sementes de milho submetidas a diferentes
níveis de estresse salino. As soluções salinas foram preparadas utilizando-se
como soluto o NaCl, nas concentrações: 0,0 (controle); 25; 50; 75 e 100 mol.m-
3
diluídas em água destilada e deionizada. Foram utilizados três híbridos de
milho (H1, H2, H3) provenientes dos programas de melhoramento de milho da
empresa Dow AgroScience Ltda. Posteriormente as sementes foram distribuídas
em papel tipo germitest umedecido com as soluções salinas, na proporção de 2,5
vezes seu peso e postas para germinar a temperatura constante de 25 °C. Nestas
sementes realizou-se a primeira contagem de germinação aos quatro dias e
contagem final do teste de germinação no oitavo dia após a semeadura, onde
foram contabilizadas as plântulas normais. Foi avaliada também a expressão da
enzima alfa-amilase. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente
casualizado, com os tratamentos distribuídos em esquema fatorial 3x5 (híbridos
e níveis de salinidade), em quatro repetições de 50 sementes. As sementes dos
três híbridos testados apresentam menor porcentagem de germinação quando
colocadas em condições de maior concentração de salinidade. O híbrido H3 é o
que apresenta maior tolerância a salinidade e híbrido H1 é o mais susceptível
durante o processo germinativo. A expressão da enzima alfa-amilase varia com o
aumento da concentração salina, para cada material genético testado.

*Comitê Orientador: Profa. Dra. Heloísa Oliveira dos Santos – UFLA


(Orientadora). Profa. Dra. Édila Vilela de Resende Von Pinho – UFLA
SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO 6
2. REFERENCIAL TEÓRICO 8
2.1 Importância econômica da cultura do milho 8
2.2 Qualidade fisiológica e vigor em sementes 9
2.3 Salinidade 11
3. MATERIAIS E MÉTODOS 13
3.1 Local e materiais 13
3.2 Teor de água 13
3.3 Teste de germinação sob condições de estresse salino 13
3.4 Primeira contagem da germinação 14
3.5 Atividade da enzima alfa-amilase 14
3.6 Procedimentos estatísticos 15
4. RESULTADOS E DISCUSSÃO 16
4.1 Primeira contagem de germinação 16
4.2 Germinação sob condições de estresse salino 19
4.3 Padrão da enzima alfa-amilase 22
5. CONCLUSÕES 25
6. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS 26