Você está na página 1de 3

- Aula introdutória

Conceituar música:
 Origem do termo música -
 Primeiras manifestações musicais -
 Transformação ao longo do tempo -

Som:
 Para existir som é preciso que exista um meio para que as ondas se propaguem. O
som é resultado de um sistema que quando é excitado passa a vibrar, se
propagando através do ar e chegando aos nossos ouvidos.
 Sistema vibratório – Idiofones são instrumentos cujo som é produzido pela
vibração do próprio corpo. Ex. triangulo, prato, carrilhão de orquestra (tubular
bells), agogô, bigorna, sinos.
Membranofone são instrumentos cujo som é produzido pela vibração de uma
membrana, é o caso dos tambores, tímpanos, cuíca.
Aerofones são instrumentos que produzem som através da vibração de uma
coluna de ar. Ex. flauta, trompete, trombone, tuba, saxofone, clarinete.
Cordofones são instrumentos que produzem som através da vibração de uma
corda como, violão, violino, cello, viola, guitarra, alaúde, harpa, lira, cravo, piano.
Propriedades do som – De forma geral o som como conhecemos possuem
diversas propriedades, como altura, intensidade, duração e timbre.
Altura: Altura é a propriedade do som que o classifica como grave (baixo) ou
agudo (alto). A altura está diretamente ligada a frequência de vibração da onda.
Quanto mais alta for a frequência mais agudo será o som e quanto mais baixa for
a frequência mais grave será o som. (mostrar exemplo no max).
Intensidade: É o volume do som e está ligada à energia (força) com que faz o
sistema vibrar, em física chamamos de amplitude. Quanto mais for a energia que
coloca o sistema em modo de vibração, maior será o volume/amplitude do som.
(mostrar exemplo no max).
Timbre: O timbre é a cor do som, é o que nos faz diferenciar um som de flauta
do som do trombone. O timbre está diretamente relacionado com os harmônicos
contidos no som. (Mostrar exemplo no max) (mostrar espectrograma de dois
sons diferentes).
Duração: A duração é o parâmetro que relaciona o som no tempo. É a duração de
um som. Em acústica dividimos tal fenômeno em 3 momentos: ataque, sustain e
decaimento. Ataque é o momento em que o sistema é posto em vibração (baqueta
percutindo um tambor), sustain é o momento logo após o ataque em que o som
fica reverberando e decaimento é quando o som vai perdendo sua energia e
abaixando seu volume.
Experimento pitagórico: Pitágoras no século VI a.c. começou a estudar as
relações entre o comprimento de uma corda e o som que é produzido. ( explicar
o que é o monocórdio, mostrar no violão e no max)
1 – 8º, 2 – 5º, 3 – 4º ...
Formação da escala: A partir desse experimento, Pitágoras organizou os sons e
construiu a escala como conhecemos.
Origem do nome das notas: O nome das notas musicais vem de um um hino a
São João Batista. (mostrar vídeo hino). A primeira silaba de cada verso deu nome
as notas musicais.

UT queant laxis


REsonáre fibris


MIra gestórum


FÁmuli tuórum,


SOLve pollúti


LÁbii reátum,


Notação musical: Nos primórdios, a música era passada adiante através da


tradição oral, não havia nenhum tipo de escrita. Conforme necessidade foram
surgindo diversos meios de notar a música, até chegar na notação que utilizamos
hoje. (Mostrar vídeo sobre história da notação). Comentar notação mão
guidoniana e método manossolfa (aplicar manossolfa).
Mostrar notação atual. Explicar como funciona a localização das notas no
pentagrama. (Aplicar solfejo escala maior – Oswaldo Lacerda).
Mostrar figuras rítmicas. Explicar os valores das figuras relacionado com suas
subdivisões e pausas. Mostrar as partes das notas (hastes, bandeirolas e cabeça).