Você está na página 1de 3

PIAZZI, Pierluigi.

APRENDENDO INTELIGÊNCIA: Manual de instruções do


cérebro para alunos em geral. 2 ed. São Paulo: Aleph. 2008

Dhow Mark de Melo1

1. Citações Respectivas

Se você criar esse hábito (estudar pouco, mas TODO DIA), irá verificar, em pouco
tempo, que o que você estudou não fica retido apenas o tempo suficiente, mal e
porcamente, descarrega num papel na hora da prova. (pag. 46-47)

Seja o autor do roteiro da sua própria vida, sem medo de ser chamado de "nerd" ou
estranho.
Num mundo repleto de pessoas medíocre, ser estranho não é um defeito: é uma
grande virtude. Seja estranho, pois talvez assim você possa acabar ajudando um
monte de pessoas "normais". (pag. 132)

1
Acadêmico do 2º período do curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade AGES. Trabalho entregue como
pré-requisito para obtenção da nota parcial da disciplina Conceitos Gerais de Física sob orientação do professor
Msc. Samuel Brito.
O livro aprendendo inteligência, escrito pelo professor Pierluigi Piazzi, tem como
objetivo ajudar os alunos a melhorar suas técnicas de estudo, a entender onde estão estudando
errado, porque eles estão estudando errado e como eles vão fazer para melhorar isso, a ideia
do professor com esse livro é auxiliar os alunos a melhorar o seu aprendizado, mostra como
podemos para de perder tempo, estudando coisas que depois iremos esquecer, e começara a
utilizar esse tempo estuando coisas realmente vamos aprender.

O livro está dividido em duas partes, a primeira visa encarar o que está errado na
maneira como a gente enchera a escola e o que podemos fazer para corrigir esses erros, te
propondo a responder 4 perguntas: “Por quê”, “Como”, “Quando”, “Quanto” estudar? A
primeira pergunta tem uma resposta simples, você estuda para se tornar mais inteligente, a
inteligência é o bem mais escassos no mundo atualmente, temos várias profissões, sendo aos
poucos substituídas por máquinas, o mercado de hoje precisa cada vez menos de vagas para
pessoas que vão fazer serviços automatizados, isso pode facilmente ser substituído por uma
máquina, o que o mercado precisa é de pessoas capacitadas, de pessoas inteligente, para fazer
aquilo que uma máquina ainda não consegue fazer e esse sim é um bem escasso hoje.

Segundo o autor quando a gente vai falar de aprendizagem nós devemos dividir o
nosso cérebro em duas partes, o sistema límbico, que funciona como a memória RAM de um
computador, que é pequena e temporária, e o Cótex, que seria como um HD, grande
capacidade de armazenamento e de longo prazo, como a memória “RAM” ou seja o sistema
límbico é pequena, e temporária o cérebro precisa de vez em quando, “resetar” todas as
informações,

E é isso que ele faz a noite, enquanto dormimos, o problema é que nem tudo que foi
passado para nossa memória de longo prazo, o “HD”, ele o cérebro irá escolher quais
informações irá armazenar, e quais ele irar apagar, essas decisões são tomadas de acordo com
o nosso emocional, daí a necessidade de estudar antes de dormir, para mostrar para o nosso
cérebro que essas informações são realmente importantes.

A segunda pergunta é “Quanto estudar? ” Simples, você tem que estudar pouco! Mas
estudar todos os dias, as células do cérebro que são responsáveis pela troca de informações,
são os neurônios, no nosso cérebro temos substâncias químicas que são fundamentais para
essa troca de informações, e se usamos muito, se ficarmos muito tempo concentrado em
alguma coisa, elas acabam, e o nosso cérebro precisa de tempo para repor essas substâncias,
é como se fosse uma bateria de celular, que quando usamos intensamente, ela acaba
facilmente, logo não devemos ficar estudando loucamente, por longos períodos, o ideal é
estudar de 30 a 40 minutos e fazer intervalos de 10 minutos entre esse tempo, para que o
nosso corpo possa repor essas substâncias, o ideal é que durante esse intervalo você faça
alguma atividade física, e jamais utilize algum tipo de equipamento de eletrônico para se
distrair.

Como estudar? O que o autor fala é que o estudo não é uma questão de quantidade, e
sim de qualidade, não precisa estudar mais, só precisa estudar melhor, devemos estudar um
pouco hoje da matéria que foi entendida, para poder praticar e aprender, ou seja, guardar no
HD. Sempre, porque todos os dias estudando você está estimulando na gravação dos dados,
fazendo com que o cérebro guarde as informações e não as “jogue no lixo”.

Na segunda parte do livro, ele disserta sobre como se tornar mais inteligente, começando
com sua própria definição de inteligência

Cita também os problemas causados pela falta de leitura, como por exemplo, a pouca
extensão do vocabulário que faz com que os alunos cometam erros de ortografia absurdos, a
interpretação de textos também é um grande problema, juntamente com a dificuldade que os
alunos têm de fazer uma redação, um outro problema é a lentidão, a falta de leitura é dos
fatores principais para que isso ocorra