Você está na página 1de 3

Disciplina: Estruturas em Concreto Protendido.

Tarefa 4
1) A utilização de peças de concreto protendido apresenta muitas vantagens em relação
às peças de concreto armado em vários aspectos, tais como os de engenharia,
econômico-financeiros, sociais e ambientais. Ainda assim, o uso de peças em concreto
armado é muito superior ao uso de peças em concreto protendido. Cite as principais
razões para a ocorrência deste fato. (Máximo 6 linhas)

Razões para a pouca utilização dos sistemas protendidos no Brasil:


1 – Falta de suporte tecnológico tendo em vista que a técnica de protensão exige
equipamentos complexos e dispositivos de ancoragem patenteados.
2 – Perfeito controle de qualidade na produção, colocação e compactação do concreto, com
a supervisão de engenheiro em todas as fases do projeto.
3 – Deficiência na oferta comercial de programas computacionais para efetuar o cálculo
estrutural em concreto protendido, considerando-se que o mesmo é trabalhoso e meticuloso
para ser efetuado manualmente.

Referências:
TATIANA, C. M. B. Estrutura em concreto protendido - Apostila, Des - Unyleya.

2) Elaborar um roteiro que explique detalhadamente o passo a passo para o cálculo de


lajes planas protendidas, incluindo as formulações utilizadas. (Máximo 15 linhas)
Roteiro para dimensionamento de laje plana protendida - Método das Cargas
Equilibrantes.

Roteiro para o dimensionamento de lajes planas em concreto protendido.


1 – Escolha da opção de aderência dos cabos (com ou sem aderência)
2 – Definir o esquema estrutural: distribuição dos pilares.
3 – Demarcar as vinculações das bordas da laje.
4 – Relacionar as ações atuantes.
5 – Pré-dimensionar a espessura da laje.
6 – Calcular os momentos fletores solicitantes e as reações de apoio.
7 – Fixação das excentricidades máximas dos cabos em função do cobrimento adotado.
8 - Determinação da carga a ser equilibrada ou da Força de Protensão e respectivos
balanceamento, arranjo e quantidade de cordoalhas.
Pt(x) = Pi - ΔP0(x) - ΔPt(x)
9 – Cálculo dos momentos secundários devido à protensão.
10 - Verificar o Estado Limite de Serviço: Estado limite de Abertura de Fissuras, de
Formação de Fissuras e de Descompressão.
σcmáx = 0,7 fckj, (2.5.1)
σtmáx = 1,2 fctm, onde fctm = 0,3.fckj2/3
Para o ELS, σcmáx e σtmáx são obtidos de forma diferente:
σcmáx = 0,6 fck (2.5.3)
σtmáx = σfiss , onde σfiss = α fctk,inf
𝑃 𝑃𝑒 𝑀
σ= 𝐴 + 𝑊 + 𝑊

11 - Prever as perdas de protensão que ocorrem tanto no ato da protensão (perdas imediatas),
como ao longo do tempo (perdas progressivas).
- Perdas por atrito: Px = Pi.[1 -e-(μ.α+kx)]
- Perdas por Acomodação de Ancoragem, são determinadas experimentalmente ou próprios
fabricantes. (NBR6118:2014)
- Perdas por Encurtamento Elástico do Concreto:
𝑛−1
𝜎𝑃 = 𝛼𝑃 (𝜎𝑐𝑝 + 𝜎𝑐𝑔 ). 2.𝑛

Perdas por Fluência do Concreto:


CR = Kcr.αe.fcpa
- Perdas por Retração do Concreto:
𝑉
𝑆𝐻 = 8,2. 10−6 . 𝐾𝑠ℎ. 𝐸𝑝. (1 − 0,06. 𝑆 ). (100 − 𝑅𝐻)

- Perdas por Relaxação do Aço:


𝑅𝐸 = [𝐾𝑟𝑒 − 𝐽. (𝑆𝐻 + 𝐶𝑅 + 𝐸𝑆)]. 𝐶
12 - Cálculo da Tensão na Armadura Ativa: a NBR6118:2014 estabelece as seguintes
equações para o cálculo;
- Para l/h ≤ 35 (em MPa, não podendo ultrapassar 420 MPa):
𝑓𝑐𝑘
∆𝜎𝑝 = 70 + 100.𝜌
𝑝

- Para elementos com relação vão/altura útil (em MPa, não podendo ultrapassar 210 MPa):
𝑓𝑐𝑘
∆𝜎𝑝 = 70 + 300.𝜌
𝑝

13 - Determinação da Taxa de Armadura Passiva:


- Força resultante de compressão no concreto
Rcc = 0,8.x.b.0,85.fcd
- Força resultante de tração no aço de protensão
Rpd = σpd.Ap
14 - Área necessária de armadura passiva para equilibrar a seção e armadura mínima
Rsd = Rcc – Rpd
𝑅𝑠𝑑
𝐴𝑠 = 𝑓𝑦𝑑

Referências:
1 - Schmid, Manfred Theodor. Lajes planas protendidas. Publicação técnica 1. Rudloff
Industrial Ltda. 3° Edição – 2009. Disponível em : <http://www.rudloff.com.br/
downloads/publicacao1_lajes_planas_protendidas.pdf>. Acesso em 18/03/2018.
2 - Emerick , Alexandre Anozé. Projeto e execução de lajes protendidas, Brasília: 2002.
Disponível em: <http://www.deecc.ufc.br/Download/TB812_Estruturas%20de%20
Concreto%20Protendido/LP.pdf>. Acesso em 18/03/2018.

3) Explique o fenômeno de puncionamento e qual a importância da armadura de


punção em lajes protendidas. (Máximo 6 linhas)

A punção é uma ruptura brusca por cisalhamento que ocorre em uma laje de concreto, devido
à reação de um pilar com essa laje. A punção se caracteriza por uma fissura que se estende
das extremidades do pilar até a face superior da laje, porém com a forma de um tronco de
cone. Essa ruptura pode se propagar e levar a estrutura à ruina por colapso progressivo. A
armadura de punção proporciona o aumento da zona comprimida e, por conseguinte, da área
de concreto não fissurado disponível para resistir ao cisalhamento.

Referência:
Ferreira, Maurício de Pina. Proposta de plano de atividades para bolsistas de iniciação
científica. Análise não-linear de ligações laje-pilar sem e com armaduras de cisalhamento.
UFPA. Disponível em <http://www.pibic.ufpa.br/relFinais/7251.docx>. Acessado em
19/03/2017.