Você está na página 1de 315

FORD CARGO Manual do Proprietário

Rodas e Pneus – Pressão com carga máxima em PSI


Dianteiros Traseiros
Modelos Rodas Pneus
Bar (PSI) Bar (PSI)

10,00R20 - radial com


20x7,5 7,4 (105) 8,0 (115)
câmara
1419/1519
275/80R22,5 - radial
22,5x7,5 7,4 (105) 7,7 (110)
sem câmara

10,00R20 - radial com


1719 22,5x7,5 8,0 (115) 8,0 (115)
câmara

275/80R22,5 - radial
1723 20x7,5 8,0 (115) 8,0 (115)

Manual do Proprietário Ford Cargo


sem câmara

2423/1729/ 275/80R22,5 - radial


22,5x7,5 8,0 (115) 7,4 (105)
2429 sem câmara

22,5x7,5 275/80R22,5 - radial


2623/2629 8,0 (115) 8,0 (115)
sem câmara

275/80R22,5 - radial
22,5x7,5 8,0 (115) 8,3 (120)
sem câmara
1933
275/80R22,5 - radial
22,5x8,25 7,4 (105) 7,4 (105)
sem câmara

275/80R22,5 - radial
3129/3133 22,5x8,25 7,7 (110) 7,7 (110)
sem câmara
Adendo da informação constante neste manual
- Na página 111, leia:
Engate da marcha ré
Nos modelos 1933 e 1723 Kolector tem-se a opção de duas relações de ré.
R1 com relação mais curta e R2 com relação mais longa. Para alternar entre elas
utilize o botão (+) e (-) da alavanca seletora de marchas. Utilize R1 quando o
caminhão estiver com carga e R2 somente quando vazio. A marcha seletora
FORD SERVICE - UM SERVIÇO EXCLUSIVO
aparecerá no display. DA FORD CAMINHÕES PARA SEUS CLIENTES
A Ford Caminhões quer que seus clientes tenham ainda mais tranquilidade,
comodidade e qualidade na hora de realizar a manutenção de seus veículos.
Para isso, lançou um serviço exclusivo chamado Ford Service, que traz diversas
vantagens para você. No Ford Service, tudo foi pensado e desenvolvido para que você
possa seguir em frente, focando apenas no dia a dia dos seus negócios.
São 3 planos de serviços que você pode contratar:

1 Mão de obra das revisões


CLASS Óleos e filtros
Manutenção Preventiva

2
PLUS CLASS
Manutenção Preventiva +
Peças de Desgaste Natural
Peças de desgaste natural
(embreagem, lonas / pastilhas
de freio, reparo do motor de
partida, tambores / discos de
freio, bateria, lâmpadas e fusíveis)

Errata da informação constante neste manual


- Onde se lê na página 239 3
Marchas EA-11109-LB F-11E316D-LSE PRIME PLUS
Ré 14,12:1 14,91:1 Manutenção Preventiva +
Ré-Reduzida 4,00:1 17,64:1 Manutenção Corretiva
Manutenção corretiva total
- Leia Inclui também:

para todos os componentes


Marchas EA-11109-LB F-11E316D-LSE
R1 14,12:1 17,64:1
R2 4,00:1 14,91:1
Para mais informações,
Na página 284, desconsiderar o texto referente ao Cargo 1933
ligue 0800 703 3673 ou acesse
www.fordcaminhoes.com.br
Importante: As informações aqui contidas referem-se a um veículo Ford equipado com todos os
opcionais e equipamentos disponíveis.

Seu Ford pode não ter todos os equipamentos mostrados neste manual. Os dados contidos no
manual são meramente informativos do modo de usar cada equipamento, não constituindo qualquer
garantia quanto à existência, às características técnicas ou à forma deles em seu veículo. As ilustrações,
informações técnicas e especificações desta publicação eram as vigentes até o momento de sua
impressão.

A Ford Motor Company Brasil Ltda. reserva-se ao direito de, a qualquer tempo, revisar, modificar,
descontinuar ou alterar qualquer modelo de seus produtos, sem prévio aviso. Nenhuma dessas ações
gerará por si qualquer obrigação ou responsabilidade para a Ford ou para o vendedor face ao Cliente.
Fica proibida a reprodução total ou parcial desta publicação, assim como de suas ilustrações ou ainda
traduções, gravações e fotocópias da mesma, por meios mecânicos ou eletrônicos, sem a permissão
prévia da Ford Motor Company Brasil Ltda.

Todos os direitos reservados.

Dirija sempre com prudência, obedecendo os limites de velocidade e utilize o cinto de segurança
para todos os ocupantes.

Antes de modificar o seu Ford em relação às especificações de produção, consulte o Manual do


implementador.

© Ford Motor Company 2014

Número de peça: GC45-19A321-BA 08/2015


Índice

Tudo sobre o seu veículo Substituição da bateria da chave


com controle remoto integrado .... 28
Identificação do veículo .......................7
Selo de licença de utilização do
Ambiente controle remoto .................................. 29
Proteção ambiental .............................8
Substituição de uma chave ............ 30
Controle da poluição ............................8
Travas
Controle da poluição sonora .............11
Travamento e destravamento. ........31
Introdução
Segurança
Sobre este manual ...............................13
Imobilizador do motor .......................33
Glossário de símbolos .........................13
Chaves codificadas ............................33
Recomendações de peças de
reposição..................................................15 Ativação do imobilizador do
motor .......................................................33
Equipamento de comunicação
Desativação do imobilizador do
móvel .........................................................15
motor ........................................................33
Registro de dados ................................ 16
Selo de licença de utilização do
Entre em contato com a Ford ......... 16 sistema FORD ANTIFURTO
Nossos Distribuidores ......................... 17 (PATS) ..................................................... 34
Disk Ford Caminhões........................... 17 Bloqueio autônomo ........................... 34
Guia prático Coluna de direção e
Vista da cabine .................................... 18 direção hidráulica
Vista superior 4x2 ................................ 19 Regulagem da coluna de direção .. 37
Vista superior Tractor ........................ 20 Direção hidráulica ............................... 37

Vista superior 6x2 .................................21 Lavadores e limpadores dos


vidros
Vista superior 6x4 ................................22
Limpador do para-brisa ................... 39
Visão geral da cabine .........................23
Lavador do para-brisa....................... 39
Visão geral do painel ..........................24
Luzes
Cintos de segurança
Controle de iluminação .................... 40
Afivelamentos dos cintos de
Indicadores de direção...................... 40
segurança .............................................. 26
Luzes internas ....................................... 41
Cinto de segurança em
mulheres grávidas ............................... 27 Vidros e espelhos
Chaves e controles remotos retrovisores
Vidro elétrico ..........................................42
Diferentes chaves operam seu
veículo ..................................................... 28 Espelho retrovisor externo................43
1
Índice

Painel de instrumentos Banco do motorista


com suspensão a ar ............................67
Painel de instrumentos..................... 45
Banco do motorista com
Velocímetro ........................................... 46
suspensão a ar - extraconforto ..... 69
Visor de informações......................... 46
Banco central (se equipado) .......... 72
Tacômetro ............................................. 46
Manômetro da pressão do ar
Tomadas auxiliares
do freio ................................................... 46 Acendedor de cigarros .......................73
Indicador de temperatura Tomada de força 12 V .........................73
do líquido de arrefecimento Tomada de ar ........................................73
do motor..................................................47
Compartimentos de
Indicador do nível armazenagem
de combustível .....................................47
Porta-objetos ........................................74
Luzes indicadoras, de
advertência e avisos sonoros .........47 Ativação e desativação do
motor
Visor de informações
Informações gerais ..............................76
Funções mostradas no visor do
painel com transmissão manual ...53 Interruptor de ignição .........................76

Diagnóstico de bordo ........................ 54 Partida do motor ..................................76

Funções mostradas no visor Turbocompressor ................................ 77


do painel com transmissão Regulagem da marcha lenta ........... 77
automatizada ....................................... 55 Desativação do motor........................78
Diagnóstico de bordo ........................ 58
Acionamento do freio-
Tacógrafo motor
Informações gerais ............................. 61 Informações gerais .............................79

Controle de climatização Controle automático de


Princípios de funcionamento ......... 62
tração
Informações gerais ...........................80
Comandos do sistema de
climatização.......................................... 64 Controle automático de
Desembaçamento rápido do velocidade e Tomada de
para-brisa .............................................. 65 força
Sugestões sobre o controle da Controle automático de
climatização do veículo ................... 65 velocidade .............................................. 81
Programação da velocidade .......... 81
Bancos
Tomada de força (PTO) ................... 82
Sentando-se na posição
correta ......................................................67 Programação da rotação ................. 82

2
Índice

Eixo e suspensão Engate de marcha a ré .....................105


Bloqueio do diferencial Caixa de mudanças FTS16112L ..... 107
entre-eixos............................................. 84 Mudanças ............................................. 107
Suspensor do 3° eixo ........................ 84 Engate de marcha a ré .................... 108
Suspensão traseira Caixa de mudanças
pneumática (1933 Tractor) ............. 85 automatizadas EA11109LA/
Cabine EA11109LB/F-11E316D-LSE ..............110
Capuz....................................................... 86 Posição da alavanca........................... 111
Basculamento da cabine .................87 Indicação de oreação ......................... 111
Retorno da cabine à Avisos de irregularidades ................. 113
posição de condução ....................... 89
Freios
Combustível e Informações gerais ............................. 115
reabastecimento Válvula moduladora do freio de
Precauções de segurança................90 estacionamento e
Qualidade do emergência.............................................117
combustível ..........................................90 Freio do reboque e do semirreboque
Reabastecimento ...............................92 (manetim - se equipado) .................117
Consumo de combustível................ 93 Freio para partida em rampas -
somente para o modelo
Controle de emissões 1723 Kolector .........................................118
Informações gerais ............................ 94 Filtro secador de ar.............................119
Redução do torque do motor ........ 96 Ligações adicionais no sistema
Fluido do sistema ............................... 96 de ar comprimido................................119
Baixas temperaturas ..........................97 Situação de emergência .................120
Reabastecimento ............................... 98 Desaplicação mecânica do freio
Filtro separador de óleo do ar ....... 99 de estacionamento ...........................120
Assistência de partida
Transmissão em rampas (HLA) ............................... 121
Informações gerais ........................... 100
Inibidor de redução de marcha.... 100 Capacidade de carga
Caixa de mudanças FS5406A / Informações gerais ........................... 122
FS6306A / FS6306-B ......................101 Recomendações na instalação
Mudanças .............................................102 de implementos ................................ 123
Caixa de mudanças ES11209 ........103 Distribuição da carga ........................ 123
Mudanças .............................................103 Reboque e semirreboque
Caixa de mudanças FTS 16108LL ...104 Bocais de engate ................................ 124
Mudanças ............................................ 104 Engate do reboque ........................... 124
3
Índice

Acoplamento do reboque .............. 125 Caixa de fusíveis na caixa


Quinta roda ..........................................126 da bateria ..............................................150
Remoção dos para-lamas ..............126 Tabela de especificações ................ 151
Acoplamento do semirreboque ...126 Substituição de fusíveis ..................159
Desacoplamento do Manutenção
semirreboque .....................................128
Informações gerais ........................... 160
Tomada de força ...............................130
Itens de manutenção
Tomada para sistema ABS ............ 133 periódica ...............................................162
Instalação de iluminação Vista capuz aberto ...........................163
adicional ................................................134
Vista 1419 / 1519 / 1719 / 1723 .........164
Sugestões de condução Vista 1719 bebida /
Informações gerais ........................... 135 1723 Kolector .......................................165
Rodagem .............................................. 135 Vista 2423 / 2429 ............................. 166
Acelerador eletrônico ....................... 135 Vista 2623 / 2629 / 3129................. 167
Operação em baixas Vista 2629 mixer ............................... 168
temperaturas .......................................136 Vista 3133 ..............................................169
Condução econômica ......................136 Vista 1729 tractor ............................... 170
Tacômetro ............................................138 Vista 1729 rígido .................................. 171
Vista 1933 tractor ...............................172
Emergência na estrada
Vista 1933 rígido ................................ 173
Luzes intermitentes de
advertência (Pisca-alerta) ............ 140 Óleo do motor .................................... 174
Extintor de incêndio ......................... 140 Substituição do óleo e filtro
de óleo do motor ............................... 175
Triângulo de segurança .................. 140
Correia de acionamento ................. 176
Partida do veículo com bateria
auxiliar .....................................................141 Substituição do elemento do filtro
separador de água .............................177
Reboque ............................................... 142
Sistema de alimentação de
S.O.S Ford Caminhões combustível ......................................... 178
Como solicitar os serviços Substituição do filtro
do S.O.S Ford Caminhões ...............144 de combustível .................................. 178
Serviços disponíveis ..........................145 Sangria do sistema de
Definições dos termos utilizados.149 combustível ......................................... 179
Líquido de arrefecimento
Fusíveis e relés do motor ............................................. 180
Central elétrica dos fusíveis
Substituição do líquido de
e relés .....................................................150
arrefecimento do motor ..................181

4
Índice

Válvula termostática .......................182 Caixa de mudanças ..........................194


Sistema de resfriamento do ar - Substituição do óleo da caixa de
aftercooler ............................................182 mudanças .............................................194
Funcionamento do Respiro da caixa de mudanças.....195
indicador de restrição do filtro Engraxamento
de ar do motor ...................................182 (EA 11109 / F-11E316D-LSE) ...........195
Substituição do filtro Árvore longitudinal (Cardan) ........196
de ar do motor ....................................182
Quinta roda ..........................................196
Substituição do filtro separador
Substituição do filtro de ar do
de óleo do ar ......................................184
sistema de ventilação da
Fluido da direção hidráulica .........184 cabine .....................................................196
Substituição do elemento Basculamento da cabine ................ 197
filtrante...................................................185
Abastecimento de óleo da
Substituição do fluido da bomba de basculamento
direção hidráulica ............................185 da cabine............................................... 197
Fluido da embreagem .................... 186 Ajuste da suspensão da
Substituição do fluido da cabine .................................................... 198
embreagem e sangria do sistema .. 187 Fluido do lavador do para-brisa .. 198
Substituição das guarnições Limpeza das palhetas dos
de freio .................................................. 188 limpadores e do para-brisa........... 198
Drenagem dos Substituição das palhetas dos
reservatórios de ar .......................... 188 limpadores............................................199
Substituição do filtro secador Baterias ................................................ 200
de ar da APU ....................................... 188
Substituição de lâmpadas ............202
Regulagem dos ajustadores
Limpeza das luzes externas ..........205
automáticos dos freios - freio a
tambor tipo “s-came” .................... 189 Alinhamento do farol .....................205
Eixo dianteiro ...................................... 190 Tabela de especificação de
lâmpadas - 24 V ............................... 206
Suspensão dianteira ........................ 190
Tabela de volume de
Eixo traseiro ...........................................191
abastecimento .................................. 207
Substituição do óleo
do diferencial .......................................191 Cuidado com o veículo
Respiro do eixo ....................................192 Manutenção .......................................... 211
Suspensão traseira............................192 Limpeza exterior ................................. 212
Suspensão traseira Limpeza interior .................................. 213
pneumática ..........................................193 Reparar pequenos danos
Regulagem do suspensor na pintura .............................................. 214
do 3° eixo ............................................193
5
Índice

Limpeza do motor ............................. 214 Termos e condições de


Armazenamento do veículo........... 214 garantia
Rodas e pneus Responsabilidades do
proprietário ..........................................283
Informações gerais .............................217
Cuidado com os pneus .....................217 Registro das revisões
Pressão dos pneus ............................218 5.000 km ..............................................291
Rodízio dos pneus..............................219 Outras até 50ª revisão.................... 292
Substituição das rodas ................... 221 Substituição do velocímetro ........302
Macaco .................................................. 221
Roda sobressalente ......................... 223
Procedimento para
substituição da roda ........................ 224
Especificações técnicas ................. 225

Capacidades e
especificações
Especificações do motor ................227
Índice de opacidade......................... 235
Caixa de mudanças .........................238
Sistema elétrico ................................. 241
Sistema de arrefecimento .............. 241
Embreagem......................................... 242
Eixo traseiro ......................................... 243
Suspensão dianteira ........................244
Suspensão traseira...........................244
Freios ..................................................... 245
Pesos .....................................................246
Identificação do veículo ................. 255
Número do motor .............................256
Dimensões ...........................................257

Realização de serviço no
seu veículo
Tabela de manutenção ..................269
Utilização da tabela de
manutenção ....................................... 270
6
Tudo sobre o seu veículo

Identificação do Veículo
Data da aquisição

Número de série

T.M.A. Modelo do veículo

Identificação do Proprietário
Nome

Endereço

Número Complemento

Cidade UF

DDD Telefone CEP

E-mail

Identificação do Distribuidor
Código

Nome

Cidade UF

DDD Telefone

E-mail

7
Ambiente

PROTEÇÃO AMBIENTAL A substituição da referida tampa por


outra de diferente modelo poderá
Somos uma família global e
comprometer a eficácia do controle
diversificada, com um legado
de emissões, visto que a tampa é
histórico do qual nos orgulhamos
dotada de válvulas especiais.
e estamos verdadeiramente
comprometidos em oferecer Os demais componentes do
produtos e serviços excepcionais, que sistema dispensam manutenção.
melhorem a vida das pessoas. Na hipótese de ser necessária a
realização de reparos no sistema,
Nós, da Ford, temos nos tais trabalhos deverão ser efetuados
empenhado em desenvolver por um Distribuidor Ford.
políticas que priorizam o meio
Nota: A utilização de aditivos
ambiente e a educação nas
suplementares no combustível não é
comunidades nas quais atuamos,
necessária e pode ser até, em alguns
por reconhecermos que o respeito casos, prejudicial ao motor e ao meio
ao ser humano e à natureza são ambiente.
premissas fundamentais para
o desenvolvimento econômico Os índices de fumaça em aceleração
sustentável e para uma sociedade livre estão em m-1 (coeficiente
mais justa. de absorção de luz), conforme
ensaios realizados com combustível
Todas as nossas unidades fabris têm
de referência especificada nas
a certificação ISO 14000 - norma resoluções vigentes do CONAMA.
que qualifica a empresa como
ambientalmente responsável. Além Um adesivo na cor amarela,
do cumprimento às exigências legais, mostrando o valor do índice de
nós realizamos a coleta seletiva fumaça em aceleração livre, está
colocado na coluna “B” da porta, do
do lixo, tratamos e reutilizamos a
lado direito do veículo.
água proveniente do processo de
pintura, incentivamos a reciclagem
de materiais e o uso consciente da Limites máximos de emissão
água e da energia. Logo, nós da Ford, de fuligem, conforme resolução
acreditamos que ações como essas CONAMA 08/93.
podem, de fato, tornar o mundo em Ensaios conforme NBR 7027.
que vivemos melhor. Ensaios conforme NBR 5478.

CONTROLE DA POLUIÇÃO
Em atendimento ao estabelecido
pela legislação vigente, seu veículo
está equipado com um sistema
que reduz a emissão de poluentes.
Mantenha a tampa do bocal de
abastecimento sempre bem fechada.

8
Ambiente

Valores máximos de emissão de fuligem

Índice de fumaça
Veloci- Velocidade
Velocidade em aceleração livre
dade angular 3/4
Marca / Modelo / angular de
angular rotação de Alt. Alt.
Versão máxima
de marcha potência menor maior
livre
lenta máxima ou igual que 350
a 350 m m
700 ± 100
Ford/Cargo 1319 2650 rpm 1725 rpm 0,70 0,70
rpm

700 ± 100
Ford/Cargo 1419 S 2650 rpm 1725 rpm 0,60 0,60
rpm

700 ± 100
Ford/Cargo 1519 B 2650 rpm 1725 rpm 0,70 0,70
rpm

700 ± 100
Ford/Cargo 1519 S 2650 rpm 1725 rpm 0,60 0,60
rpm

700 ± 100
Ford/Cargo 1719 2650 rpm 1725 rpm 0,70 0,70
rpm

700 ± 100
Ford/Cargo 1719 S 2650 rpm 1725 rpm 0,60 0,60
rpm

700 ± 100
Ford/Cargo 1719 B 2650 rpm 1725 rpm 0,60 0,60
rpm

Ford/Cargo 1723 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 1,52 1,52
Ford/Cargo 1723 L rpm

700 ± 100
Ford/Cargo 1723 K 2650 rpm 1725 rpm 0,68 0,68
rpm

Ford/Cargo 1723 B 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 0,70 0,70
Ford/Cargo 1723 BL rpm

Ford/Cargo 1729 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 0,88 0,88
Ford/Cargo 1729 L rpm

Ford/Cargo 1729 B 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 0,88 0,88
Ford/Cargo 1729 BL rpm

Ford/Cargo 1729 T 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 0,88 0,88
Ford/Cargo 1729 TL rpm

Ford/Cargo 1729 BT 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 0,88 0,88
Ford/Cargo 1729 BTL rpm

Ford/Cargo 2423 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 1,52 1,52
Ford/Cargo 2423 L rpm

Ford/Cargo 2423 B 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 0,70 0,70
Ford/Cargo 2423 BL rpm

9
Ambiente

Índice de fumaça
Veloci- Velocidade
Velocidade em aceleração livre
dade angular 3/4
Marca / Modelo / angular de
angular rotação de Alt. Alt.
Versão máxima
de marcha potência menor maior
livre
lenta máxima ou igual que 350
a 350 m m
700 ± 100
Ford/Cargo 2623 6X4 2650 rpm 1725 rpm 1,52 1,52
rpm

Ford/Cargo 2429 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 1,13 1,13
Ford/Cargo 2429 L rpm

Ford/Cargo 2429 S 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 0,88 0,88
Ford/Cargo 2429 SL rpm

Ford/Cargo 2429 B 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 0,88 0,88
Ford/Cargo 2429 BL rpm

Ford/Cargo 2629 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 1,13 1,13
6X4 rpm

Ford/Cargo 2629 700 ± 100


2650 rpm 1725 rpm 1,24 1,24
6X4 M rpm

750 ± 100
Ford/Cargo 3133 6X4 2400 rpm 1575 rpm 0,54 0,54
rpm

750 ± 100
Ford/Cargo 1933 T 2400 rpm 1575 rpm 0,54 0,54
rpm

750 ± 100
Ford/Cargo 1933 TL 2400 rpm 1575 rpm 0,54 0,54
rpm

750 ± 100
Ford/Cargo 1933 BTL 2400 rpm 1575 rpm 0,50 0,50
rpm

Ford/Cargo 1933 750 ± 100


2400 rpm 1575 rpm 0,54 0,54
Ford/Cargo 1933 L rpm

700 ± 100
Ford/Cargo 3129 6X4 2650 rpm 1725 rpm 0,88 0,88
rpm

10
Ambiente

CONTROLE DA POLUIÇÃO SONORA


Este veículo está em conformidade com a legislação vigente de controle
da poluição sonora para veículos automotores.

Motor Marca/Modelo/ Limite máximo de ruído para fiscalização de


Cummins Versão veículo em circulação

ISB4.5 186 P7-0 Ford/Cargo 1319 86,4 dB(A) a 1725 rpm

ISB4.5 186 P7-1 Ford/Cargo 1419 S 88 dB(A) a 1725 rpm

ISB4.5 186 P7-0 Ford/Cargo 1519 B 86,4 dB(A) a 1725 rpm

ISB4.5 186 P7-1 Ford/Cargo 1519 S 88 dB(A) a 1725 rpm

ISB4.5 186 P7-0 Ford/Cargo 1719 86,4 dB(A) a 1725 rpm

ISB4.5 186 P7-1 Ford/Cargo 1719 S 88 dB(A) a 1725 rpm

ISB4.5 186 P7-0 Ford/Cargo 1719 B 92 dB(A) a 1725 rpm

Ford/Cargo 1723
ISB6.7 226 P7-1 88,5 dB(A) a 1725 rpm
Ford/Cargo 1723 L

ISB6.7 226 P7-1 Ford/Cargo 1723 K 84 dB(A) a 1725 rpm

89 dB(A) a 1725 rpm (escape horizontal / manual)


Ford/Cargo 1723 B 90 dB(A) a 1725 rpm (escape horizontal / automatizado)
ISB6.7 226 P7-1
Ford/Cargo 1723 BL 84 dB(A) a 1725 rpm (escape vertical / manual)
83 dB(A) a 1725 rpm (escape vertical / automatizado)

Ford/Cargo 1729
ISB6.7 286 P7-1 92 dB(A) a 1725 rpm
Ford/Cargo 1729 L

Ford/Cargo 1729 B 92 dB(A) a 1725 rpm (manual)


ISB6.7 286 P7-1
Ford/Cargo 1729 BL 91 dB(A) a 1725 rpm (automatizado)

Ford/Cargo 1729 T
ISB6.7 286 P7-1 92 dB(A) a 1725 rpm
Ford/Cargo 1729 TL

Ford/Cargo 1729 BT
92 dB(A) a 1725 rpm (manual)
ISB6.7 286 P7-1 Ford/Cargo 1729
91 dB(A) a 1725 rpm (automatizado)
BTL

11
Ambiente

Motor Marca/Modelo/ Limite máximo de ruído para fiscalização de


Cummins Versão veículo em circulação

Ford/Cargo 2423
ISB6.7 226 P7-1 88,5 dB(A) a 1725 rpm
Ford/Cargo 2423 L

Ford/Cargo 2423 B
89 dB(A) a 1725 rpm (manual)
ISB6.7 226 P7-1 Ford/Cargo 2423
90 dB(A) a 1725 rpm (automatizado)
BL

Ford/Cargo 2623
ISB6.7 226 P7 90,8 dB(A) a 1725 rpm
6X4

Ford/Cargo 2429
ISB6.7 286 P7-1 89,9 dB(A) a 1725 rpm
Ford/Cargo 2429 L

Ford/Cargo 2429 S
ISB6.7 286 P7-1 Ford/Cargo 2429 89 dB(A) a 1725 rpm
SL

Ford/Cargo 2429 B 90 dB(A) a 1725 rpm (manual 6M)


ISB6.7 286 P7-1 Ford/Cargo 2429 89 dB(A) a 1725 rpm (manual 9M)
BL 91 dB(A) a 1725 rpm (automatizado)

Ford/Cargo 2629
ISB6.7 286 P7-1 91,3 dB(A) a 1725 rpm
6X4

Ford/Cargo 2629
ISB6.7 286 P7-1 86 dB(A) a 1725 rpm
6X4 M

Ford/Cargo 3133
ISL8.9 330 P7-2 93,7 dB(A) a 1575 rpm
6X4

ISL8.9 330 P7-2 Ford/Cargo 1933 T 95,1 dB(A) a 1575 rpm

ISL8.9 330 P7-2 Ford/Cargo 1933 TL 95,1 dB(A) a 1575 rpm

Ford/Cargo 1933 95 dB(A) a 1575 rpm (manual)


ISL8.9 330 P7-2
BTL 96 dB(A) a 1575 rpm (automatizado)

Ford/Cargo 1933
ISL8.9 330 P7-2 95,1 dB(A) a 1575 rpm
Ford/Cargo 1933 L

Ford/Cargo 3129
ISB6.7 286 P7-1 92 dB(A) a 1725 rpm
6X4

12
Introdução

SOBRE ESTE MANUAL A


Obrigado por escolher a Ford. Nós
recomendamos que você dedique
algum tempo a conhecer seu veículo
lendo este manual. Quanto mais
você souber sobre ele, maiores serão
sua segurança e seu prazer de dirigir.

B
CUIDADO A Lado direito
Sempre dirija com o devido B Lado esquerdo
cuidado e atenção ao usar e
operar os controles e recursos
do seu veículo.
GLOSSÁRIO DE SÍMBOLOS
Nota: Este manual descreve as Estes são alguns dos símbolos que
características e opções do produto você pode ver em seu veículo.
disponíveis na linha inteira, as
vezes antes mesmo delas serem
disponibilizadas de forma geral.
Ele pode descrever opções não Alerta de segurança
disponibilizadas para o seu veículo.
Nota: Algumas ilustrações deste
manual podem ser usadas para Consulte o Manual do
vários modelos, assim elas podem Proprietário
parecer diferentes de seu veículo,
porém, as informações essenciais das
ilustrações sempre estarão corretas. Sistema do ar-
-condicionado
Nota: Sempre use e opere seu veículo
em conformidade com todas as leis e
regulamentos aplicáveis. Fluido do sistema do ar-
-condicionado
Nota: Entregue este manual junto
com seu veículo ao vendê-lo. Ele é
parte integrante do veículo. Não abra quando
quente
Este manual poderá qualificar a
localização de um componente como
do lado esquerdo ou do lado direito. Líquido de arrefecimento
do motor

Fluido da embreagem -
não derivado de petróleo

13
Introdução

Temperatura do líquido
Evite fumar, emitir
de arrefecimento do
chamas ou faíscas
motor

Óleo do motor Produto reciclável

Não descarte no lixo


Compartimento dos
porque esse material
fusíveis
contém chumbo

Freio de estacionamento D Não adicionar Diesel

Lavador e limpador do
Não adicionar água
para-brisas

Trava da cabine
basculante

Liberar

Travar

Bateria

Gás explosivo

Deixe fora do alcance de


crianças

Ácido da bateria

Use óculos de segurança

14
Introdução

RECOMENDAÇõES DE EQUIPAMENTO DE
PEÇAS DE REPOSIÇÃO COMUNICAÇÃO MÓVEL
Seu veículo foi construído conforme O uso de equipamentos de
os mais altos padrões e com peças comunicação móvel está ficando
de qualidade. Nós recomendamos cada vez mais importante para tratar
que você exija o uso de peça genuína de negócios e assuntos pessoais,
Ford sempre que seu veículo precisar porém, você não deve comprometer
de manutenção programada ou sua própria segurança ou a dos
reparos. Você pode identificar outros ao usar estes equipamentos.
claramente a peça genuína Ford Comunicações móveis podem
procurando a marca Ford na peça ou aumentar a segurança pessoal
em sua embalagem. quando usadas da forma correta,
Manutenção Programada e particularmente em situações de
Reparos Mecânicos emergência. A segurança deve ser
Um dos melhores modos de garantir primordial ao usar equipamentos de
longos anos de serviço para seu comunicações móveis, para evitar
veículo é fazer sua manutenção a contradição destes benefícios.
em conformidade com nossas Os equipamentos de comunicação
recomendações, usando peças móvel incluem, mas não se limitam
que atendam às especificações a telefones celulares, pagers,
detalhadas neste Manual do dispositivos de e-mail portáteis,
Proprietário. As peças genuínas dispositivos de mensagens de texto
Ford atendem ou ultrapassam estas e rádios portáteis de duas vias.
especificações.
Garantia de Peças de Reposição
CUIDADO
As peças de reposição genuínas da Uma distração ao dirigir
Ford são as únicas que oferecem o pode resultar em perda de
benefício de uma Garantia da Ford. controle do veículo, acidentes
Os danos causados ao seu veículo e ferimentos. Não utilize qualquer
resultantes de falhas de peças de dispositivo que possa tirar sua
outros fornecedores podem não atenção da estrada. Sua principal
ser cobertos pela Garantia da Ford. responsabilidade é a operação
Para obter informações adicionais, segura de seu veículo. Procure
consulte os termos e condições da informar-se sobre as leis locais
Garantia da Ford. aplicáveis relacionadas ao uso de
dispositivos eletrônicos ao conduzir.

15
Introdução

REGISTRO DE DADOS Se necessário, você receberá


informações adicionais.
Um grande número de componentes
eletrônicos do seu veículo contém Após um erro ser corrigido, esses
módulos de armazenamento de dados serão excluídos do módulo
dados que armazenam dados de armazenamento de erro ou
técnicos sobre a condição do veículo, serão constantemente sobrescritos.
eventos e erros de forma permanente Ao usar o veículo, podem ocorrer
ou temporária. situações nas quais esses dados
técnicos relacionados a outras
Em geral, essas informações técnicas
informações (relatório de acidente,
documentam a condição das peças,
danos ao veículo, declaração da
dos módulos, dos sistemas ou do
testemunha, etc.) podem ser
ambiente:
associados a uma pessoa específica,
• Condições de operação dos possivelmente, com a ajuda de um
componentes do sistema (por especialista.
exemplo, níveis de abasteci-
mento); ENTRE EM CONTATO COM
• Mau funcionamento e defeitos A FORD
em componentes importantes do Sites Ford
sistema (por exemplo, sistema de
Para estreitar ainda mais o
freios e de iluminação);
relacionamento com os nossos
• Reações do veículo em situações Clientes, nós, da Ford, possuímos
de condução particulares; diversos web sites que atendem
• Condições ambientais (por a diferentes necessidades,
exemplo, temperatura). de configurador de veículos a
Esses dados são exclusivamente preços de acessórios e lista de
técnicos e ajudam na identificação e Distribuidores.
na correção de erros, bem como na www.fordcaminhoes.com.br Portal
otimização das funções do veículo. de acesso a todos os sites da marca,
com informações institucionais de
Perfis de movimento que indicam
produtos, serviços e rede de distribui-
rotas percorridas não podem ser
dores, entre outras. Possui configu-
criados com esses dados.
rador de veículos e de acessórios e in-
Se serviços forem utilizados (por formações detalhadas de toda linha
exemplo, trabalhos de reparo, Ford, com imagens para que você
processos de serviço, casos de possa escolher o produto que mais
garantia, garantia de qualidade), se adapta às suas necessidades.
os funcionários da rede de serviços
(incluindo fabricantes) estarão
prontos para realizar a leitura
das informações técnicas dos
módulos de armazenamento de
dados de erro e de evento usando
dispositivos especiais de diagnóstico.
16
Introdução

NOSSOS DISTRIBUIDORES DISK FORD CAMINHõES


Existem inúmeros Distribuidores O Disk Ford Caminhões é o seu canal
Ford ao redor do mundo. Todos direto para obter informações sobre
têm em comum a constante busca nossos produtos, esclarecer dúvidas
pela excelência no atendimento ao sobre procedimentos, revisões,
Cliente, para sua total satisfação. garantias, peças e serviços.
Cada Distribuidor é uma peça Dispõe de uma ampla estrutura,
vital na estrutura Ford, tendo dividida em células de atendimento,
como responsabilidade projetar a composta por profissionais
qualidade da nossa marca e torná-Ia
altamente treinados e aptos a
cada vez mais valiosa.
oferecer um serviço rápido e de
Para alcançar esta excelência, nossos qualidade.
Distribuidores contam com o Centro
de Treinamento Ford Caminhões, O Disk Ford Caminhões oferece
além de ferramentas e equipamentos suporte 24 horas por dia, 365 dias
de última geração desenvolvidos por ano, incluindo feriados.
exclusivamente para cada modelo de Para entrar em contato com o Disk
nossos veículos. Ford Caminhões, ligue 0800 703
3673 ou digite 0800 703 FORD.
Nossos Distribuidores dispõem,
também, de serviços adicionais, para Dispomos também de outro canal
melhor atendê-lo. A relação de todos de comunicação, via internet.
os Distribuidores Ford Caminhões, Para acessá-Io, basta clicar no menu
com telefones e endereços, Fale Conosco, através do site
encontra-se no manual “Lista de
Distribuidores”. www.fordcaminhoes.com.br

17
Guia Prático

VISTA DA CABINE
A B C

G F E D

A - Espelhos retrovisores. Consulte Vidros e espelhos retrovisores (página 43).


B - Limpadores do para-brisa. Consulte Limpeza das palhetas dos limpadores e do
parabrisa (página 197).
C - Teto ventilante. Consulte Controle de climatização (página 62).
D - Rodas e pneus. Consulte Rodas e pneus (página 216).
E - Grupo óptico dianteiro. Consulte Substituição das lâmpadas (página 201).
F - Reboque. Consulte Emergência da estrada (página 141).
G - Capuz. Consulte Cabine (página 86).
18
Guia Prático

VISTA SUPERIOR 4x2

H I
G
B
D

C
F

A - Transmissão. Consulte Transmissão (páginas 100).


B - Reservatório de ARLA 32. Consulte Controle de emissões (página 94).
C - Reservatório de combustível. Consulte Combustível e reabastecimento (página
90).
D - Rodas e pneus. Consulte Rodas e pneus (página 216).
E - Grupo óptico traseiro. Consulte Substituição das lâmpadas (página 201).
F - Eixo traseiro. Consulte Eixo traseiro (página 190).
G - Bateria. Consulte Emergência na estrada (página 140) e Bateria (página 199).
H - Reservatórios de ar. Consulte Drenagem dos reservatórios (página 187).
I - Sistema hidráulico de basculamento da cabine. Consulte Cabine (página 86) ou
Abastecimento de óleo da bomba de basculamento da cabine (página196).
19
Guia Prático

VISTA SUPERIOR TRACTOR

H
J
G C

E
F
C
I
D D

A - Transmissão. Consulte Transmissão (páginas 100).


B - Reservatório de combustível. Consulte Combustível e reabastecimento (página
90).
C - Rodas e pneus. Consulte Rodas e pneus (página 216)
Para-lama. Consulte Reboque e semirreboque (página 126).
D - Grupo óptico traseiro. Consulte Substituição das lâmpadas (página 201).
E - Quinta roda. Consulte Reboque e semirreboque (página 126).
F - Eixo traseiro. Consulte Eixo traseiro (página 190).
G - Bateria. Consulte Emergência na estrada (página 140) ou Baterias (página 199).
Reservatórios de ar. Consulte Drenagem dos reservatórios (página 187).
H - Reservatórios de ARLA 32. Consulte Controle de emissões (página 94).
I - Botão Suspensão a ar. Consulte Reboque e semirreboque (página 126).
J - Sistema hidráulico de basculamento da cabine. Consulte Cabine (página 86) ou
Abastecimento de óleo da bomba de basculamento da cabine (página 196).

20
Guia Prático

VISTA SUPERIOR 6x2

C
C I
H
G
B

F
C
E

A - Transmissão. Consulte Transmissão (páginas 100).


B - Reservatório de combustível. Consulte Combustível e reabastecimento (página
90).
C - Rodas e pneus. Consulte Rodas e pneus (página 216).
D - Grupo óptico traseiro. Consulte Substituição das lâmpadas (página 201).
E - Suspensor do 3° eixo. Consulte Eixo e suspensão (página 82) ou Regulagem do
suspensor do 3° eixo (página 192).
F - Eixo traseiro. Consulte Eixo traseiro (página 190).
G - Bateria. Consulte Emergência na estrada (página 140) ou Baterias (página 199).
Reservatórios de ar. Consulte Drenagem dos reservatórios (página 187).
H - Reservatório de ARLA 32. Consulte Controle de emissões (página 94).
I - Sistema hidráulico de basculamento da cabine. Consulte Cabine (página 86) ou
Abastecimento de óleo da bomba de basculamento da cabine (página 196).

21
Guia Prático

VISTA SUPERIOR 6x4

J
K
I
B
D
C

F
D
G

H
E
A - Transmissão. Consulte Transmissão (página 100).
B - Reservatório de ARLA 32. Consulte Controle de emissões (página 94).
C - Reservatório de combustível. Consulte Combustível e reabastecimento (página
90).
D - Rodas e pneus. Consulte Rodas e pneus (página 216).
E - Grupo óptico traseiro. Consulte Substituição das lâmpadas (página 201).
F - Eixo traseiro. Consulte Eixo traseiro (página 190).
G - Bloqueio do diferencial entre-eixos. Consulte Eixo e suspensão (página 84).
H - Reboque. Consulte Reboque e semirreboque (página 124).
I - Bateria. Consulte Emergência na estrada (página 140) ou Baterias (página 199).
Reservatórios de ar. Consulte Drenagem dos reservatórios (página 187).
J - Sistema hidráulico de basculamento da cabine. Consulte Cabine (página 86) ou
Abastecimento de óleo da bomba de basculamento da cabine (página 196).
K - Filtro de ar. Consulte Substituição do filtro de ar (página 181).
22
Guia Prático

VISÃO GERAL DA CABINE

A B H G C D

0 12
40
60
80
km/h
15
20 100 0_____1 10
x 100 rpm

Ford 3

B J I F E B

A - Cintos. Consulte Cintos de segurança (página 26).


B - Porta-objetos. Consulte Compartimentos de armazenagem (página 74).
C - Central elétrica. Consulte Fusíveis e relés (página 149).
D - Cortina. Consulte Cabine (página 86).
E - Assento do banco do passageiro. Consulte Emergências na estrada (página 139).
Consulte Rodas e pneus (página 216).
F - Extintor de incêndio. Consulte Emergências na estrada (página 139).
G - Tomada de ar. Consulte Tomadas auxiliares (páginas 73).
H - Transmissão. Consulte Transmissão (página 100).
I - Volante. Consulte Coluna de direção e direção hidráulica (página 37).
J - Banco. Consulte Bancos (página 67).

23
Guia Prático

VISÃO GERAL DO PAINEL


B C D E F G H I J K

A
OK
L
BRC

Q
MENU

Z M

N
P
O
W X V U S T R

A - Controle de iluminação. Consulte Luzes (página 40).


B - Controle do espelho retrovisor. Consulte Vidros e espelhos retrovisores (página
43).
C - Painel de instrumentos. Consulte Painel de instrumentos (página 45) ou Visor de
informações (páginas 53/55).
D - Interruptor da regulagem da marcha lenta. Consulte Ativação e desativação do
motor (página 77).
E - Interruptor do freio-motor. Consulte Acionamento do freio-motor (página 79).
F - Interruptor do pisca-alerta. Consulte Emergências na estrada (página 139).
G - Interruptor do ASR. Consulte Controle automático de tração (página 80).
H - Interruptor do vidro elétrico. Consulte Vidros e espelhos retrovisores (página 42).
I - Interruptor do suspensor do 3° eixo. Consulte Eixo e suspensão (página 84).
J - Interruptor do bloqueio do diferencial entre-eixos. Consulte Eixo e suspensão
(página 84).
K - Rádio. Consulte Manual do rádio.
L - Difusor de ar. Consulte Controle de climatização (página 62).

24
Guia Prático

M - Interruptor do ar-condicionado. Consulte Controle de climatização (página 62).


N - Interruptor do recirculador de ar. Consulte Controle de climatização (página 62).
O - Comandos do sistema de climatização. Consulte Controle de climatização
(página 64).
P - Acendedor de cigarro e tomada 12 V. Consulte Tomadas auxiliares (páginas 73).
Q - Porta-objetos. Consulte Compartimentos de armazenagem (página 74).
R - Tacógrafo. Consulte Tacógrafo (página 61).
S - Interruptor do controle de velocidade. Consulte Controle automático de
velocidade e Tomada de força (PTO) (página 81).
T - Manopla do freio de estacionamento. Consulte Freios (página 117).
U - Manopla do freio de reboque / semirreboque. Consulte Freios (página 117) ou
Reboque e semirreboque (página 124).
V - Interruptor de ignição. Consulte Ativação e desativação do motor (página 76) ou
Segurança (página 33).
X - Alavanca. Consulte Lavadores e limpadores dos vidros (página 39) ou Luzes
(página 40).
W - Conector de diagnóstico.
Z - Buzina.

25
Cintos de segurança

AFIVELAMENTO DOS Nota: É proibido o transporte de


passageiros no compartimento de
CINTOS DE SEGURANÇA carga, aberto ou fechado. Em uma
Nota: A utilização dos cintos de colisão, as pessoas que viajam nesta
segurança é obrigatória por lei. área estão mais sujeitas a ferimentos
graves.
Cintos de segurança de três
pontos - inercial Se o veículo foi envolvido em
acidente, os cintos submetidos a
esforço devem ser substituídos e os
pontos de fixação inspecionados
em um Distribuidor Ford Caminhões.
Nunca tente fazer reparos nos cintos,
modificá-los de qualquer modo ou
lubrificar os mecanismos retratores
inerciais e os fechos.

Cintos de segurança
subabdominal - estático central
(se equipado)
Posicione corretamente o cinto de
segurança, colocando uma alça O cinto subabdominal não se regula
sobre o ombro e a outra ao redor automaticamente.
dos quadris. Para o funcionamento
correto dos cintos, a parte A
subabdominal deve estar sem folga,
rente ao corpo.
Para fechar o cinto, introduza a
lingueta no fecho do seu banco,
pressionando-a até obter seu B
travamento através do ruído
característico.
Para liberar o cinto, pressione o botão
vermelho do fecho. Posicione o cinto ao redor dos
quadris e ajuste seu comprimento
de maneira que não comprima
excessivamente o abdômen; puxe o
cadarço no sentido B para encurtá-lo
ou no sentido A para alongá-lo.

Nota: Ajuste-o firmemente e o mais


baixo possível ao redor dos quadris e
nunca sobre a cintura..

26
Cintos de segurança

Para fechar o cinto, introduza a


lingueta no fecho, pressionando-a
até obter seu travamento através do
ruído característico.
O cinto de segurança lateral não
é intercambiável com o cinto de
segurança, por isso, insira a lingueta
na fivela correta. Para liberar o cinto,
pressione o botão vermelho do fecho.

CINTO DE SEGURANÇA EM
MULHERES GRÁVIDAS

Os cintos de segurança devem ser


usados sempre durante a gravidez,
posicionado de forma a não criar
pressão desnecessária sobre o
abdômen, deixando-o o mais baixo
possível.

27
Chaves e controles remotos

DIFERENTES CHAVES
OPERAM SEU VEÍCULO

4. Reservatório de ARLA 32 -
principal e reserva.

1. Ignição, capuz, portas, vidros


(controle remoto) - principal. SUBSTITUIÇÃO DA
BATERIA DA CHAVE COM
Nota: Caso seu veículo não esteja
equipado com travas elétricas das
CONTROLE REMOTO
portas, as chaves fornecidas serão do INTEGRADO
modelo simples. Se o alcance do transmissor
do controle remoto diminuir
gradualmente, a bateria deve ser
substituída (tipo 3V CR 2032).

Desmontagem

2. Ignição, capuz e portas (simples) -


reserva.

3. Reservatório de combustível -
principal e reserva.

28
Chaves e controles remotos

Coloque uma chave de fenda de Cuidadosamente, com o auxílio da


ponta estreita cuidadosamente chave de fenda, pressione a trava e
no rebaixo, nas costas da chave, e remova a bateria.
remova o controle remoto do corpo Tenha cuidado para não tocar nos
da chave. contatos da bateria nem na placa de
circuito impresso.
Coloque a bateria nova. O contato
positivo da bateria (+) deve ficar
voltado para cima.

Montagem
Junte as duas partes até ouvir um
“clique” que confirma que está bem
encaixada.
Posicione de volta o transmissor no
corpo da chave e pressione-o até
travar.

SELO DE LICENÇA
DE UTILIzAÇÃO DO
Introduzindo a chave de fenda nas
presilhas, solte as duas partes e abra CONTROLE REMOTO
a carcaça do transmissor.

Procedimento de substituição da
bateria

O controle remoto, acionado


por radiofrequência, está em
conformidade com todos os critérios
de homologação e utilização, e foi
autorizado pela Agência Nacional de
Telecomunicações (ANATEL) para
operação no seu veículo.
29
Chaves e controles remotos

Este equipamento opera em caráter


secundário, isto é, não tem direito
à proteção contra interferência
prejudicial, mesmo de estações
do mesmo tipo, e não pode
causar interferência a sistemas
operando em caráter primário. O
número de homologação deste
comando remoto, junto à ANATEL,
é identificado pela sequência
numérica, localizada acima do
código de barras. O código de barras
/ algarismos, localizado na parte
inferior da imagem, contém dados do
fornecedor do controle remoto.

SUBSTITUIÇÃO DE UMA
CHAVE
Em caso de extravio, estão
disponíveis chaves de reposição no
seu Distribuidor Ford Caminhões, as
quais podem ser solicitadas através
do número da chave (na etiqueta
fornecida com as chaves originais).

30
Travas

TRAVAMENTO E Travamento automático


DESTRAVAMENTO As portas serão retravadas
automaticamente se você não abrir
Controle remoto
uma porta até 45 segundos após
O controle remoto pode ser usado ter destravado as portas com o
sempre que o veículo não estiver em controle remoto. A trava das portas
funcionamento. e o alarme retornam ao seu estado
anterior.
Destravando as portas
Com a chave
Nota: Você pode destrancar a porta
do motorista com a chave. Nota: Verifique se o seu veículo está
travado antes de deixá-lo.
Nota: Quando você deixar o veículo
trancado durante várias semanas,
o controle remoto será desligado.
O veículo deve ser destrancado e
o motor ligado usando a chave.
Depois de destrancar e dar partida no
veículo uma vez, o controle remoto é
reativado.

Pressione o botão para


destravar todas as portas.
Travamento
Os indicadores de direção piscarão. Insira a chave na fechadura, gire no
sentido horário e anti-horário para a
porta do motorista e do passageiro
Travando as portas respectivamente, até ouvir um som
de bloqueio.
Pressione o botão para
travar todas as portas. Os
indicadores de direção Destravamento
piscarão uma vez. Pressione o Insira a chave na fechadura, gire no
botão novamente, dentro de três sentido anti-horário e horário para a
segundos, para confirmar que todas porta do motorista e do passageiro,
as portas estão travadas. respectivamente, até que um som
de abertura seja ouvido. Em seguida,
puxe a alavanca para abrir a porta.

31
Travas

Lado interno

Travando e destravando
As portas podem ser travadas e
destravadas no interior do veículo,
apertando e puxando o cabo da
maçaneta. Puxar a maçaneta interna
do motorista destrava todas as
portas.

32
Segurança

IMOBILIzADOR DO MOTOR DESATIVAÇÃO DO


O imobilizador do motor é um IMOBILIzADOR DO MOTOR
sistema de proteção que impede O imobilizador do motor é
que uma pessoa dê partida no desativado automaticamente ao
motor com uma chave codificada ligar a ignição com uma chave
incorretamente. codificada corretamente.
O indicador, no grupo de
CHAVES CODIFICADAS instrumentos, acende por cerca
Se você perder uma chave, você de três segundos, apagando em
pode obter uma reposição em seguida.
um Distribuidor Ford. Se possível, Se o indicador permanecer aceso
informe o número da chave marcado ou ficar piscando por um minuto
na etiqueta fornecida junto com e, em seguida, repetidamente a
as chaves originais. Você também intervalos irregulares, sua chave não
pode obter chaves adicionais em um foi reconhecida. Tire a chave e tente
Distribuidor Ford. novamente.
Se tentar dar partida no motor
Nota: Apague e recodifique todas as com uma chave incorreta,
suas chaves adicionais se você perder será necessário aguardar
uma chave. Recodifique as chaves aproximadamente 20 segundos
de reposição junto com suas chaves antes de tentar novamente com
existentes. Consulte um Distribuidor uma chave correta.
Ford para obter mais informações. Se você não conseguir dar partida
com uma chave corretamente
Nota: Não bloqueie suas chaves com codificada, é sinal de que existe uma
objetos de metal. Isto pode impedir anomalia, procure um Distribuidor
o receptor de reconhecer uma chave Ford Caminhões o mais breve
codificada. possível.

ATIVAÇÃO DO
IMOBILIzADOR DO MOTOR

O imobilizador do motor é
ativado automaticamente
logo após desligar a
ignição. O indicador no grupo de
instrumentos pisca para confirmar
que o sistema está ativado.

33
Segurança

SELO DE LICENÇA DE BLOQUEIO AUTôNOMO


UTILIzAÇÃO DO SISTEMA
O bloqueio e
FORD ANTIFURTO (PATS) desbloqueio autônomo
é comandado pelo
motorista do veículo
através de um código de segurança
inserido pela chave de ignição.

A posição desligado corresponde


à posição 0 da chave de ignição,
e a posição ligado corresponde à
posição II.

Este sistema está em conformidade


com todos os critérios de
homologação e utilização e foi
autorizado pela Agência Nacional de
Telecomunicações (ANATEL) para
operar no seu veículo. Bloqueio do veículo

Este equipamento opera em caráter 1. Certifique-se de que o veículo


secundário, isto é, não tem direito esteja desbloqueado.
à proteção contra interferência 2. Insira a chave no cilindro de
prejudicial, mesmo de estações ignição e gire a chave da posição
do mesmo tipo, e não pode causar 0 para II o número de vezes
interferência a sistemas operando correspondente ao primeiro
em caráter primário. dígito da senha. Ao final dos
O número de homologação deste movimentos, a chave deverá estar
comando remoto, junto à ANATEL, na posição II.
é identificado pela sequência 3. Aguarde até 10 (dez) segundos.
numérica, localizada acima do A luz acenderá uma vez,
código de barras. O código de confirmando que o primeiro
barras/algarismos, localizado na dígito do código de segurança foi
parte inferior da imagem, contém aceito. Gire, então, a chave para a
dados do fornecedor do comando posição 0.
remoto.

34
Segurança

4. Gire a chave da posição 0 para II o 5. Aguarde até 10 (dez) segundos.


número de vezes correspondente • Se a luz acender uma vez, a
ao segundo dígito da senha. Ao senha foi aceita e o veículo foi
final dos movimentos, a chave desbloqueado. Gire, então, a
deverá estar na posição II. chave para a posição 0. O veículo
5. Aguarde até 10 (dez) segundos. está pronto para partir.
• Se a luz acender 1 (uma) vez, e, • Se a luz acender duas vezes,
logo a seguir, acender repetidas houve um erro ou a senha não
vezes, a senha foi aceita. Gire a foi aceita. O veículo não foi
chave para a posição 0 e aguarde desbloqueado. Neste caso, gire a
30 (trinta) segundos para que o chave para a posição 0 por pelo
veículo seja bloqueado. menos 20 (vinte) segundos e,
então, reinicie o procedimento.
• Se a luz acender 2 (duas) vezes,
houve um erro ou a senha não
foi aceita. O veículo não foi Substituição do código de
bloqueado. Neste caso, gire a segurança do veículo
chave para a posição 0 e aguarde 1. Insira a chave no cilindro de
por pelo menos 20 (vinte) ignição e gire-a da posição 0 para
segundos e, então, reinicie o II por 7 (sete) vezes. Ao final dos
procedimento. movimentos, a chave deverá estar
na posição II.
Desbloqueio do veículo 2. Aguarde até 10 (dez) segundos. A
luz acenderá uma vez, confirmando
1. Certifique-se de que o veículo que o primeiro dígito do código de
esteja bloqueado. troca de senha foi aceito. Gire a
2. Insira a chave no cilindro de chave para posição 0.
ignição e gire a chave da posição 3. Gire novamente a chave da
0 para II o número de vezes posição 0 para II por mais
correspondente ao primeiro 7 (sete) vezes. Ao final dos
dígito da senha. Ao final dos movimentos, a chave deverá estar
movimentos, a chave deverá estar na posição II.
na posição II. 4. Aguarde aproximadamente 10
3. Aguarde até 10 (dez) segundos. (dez) segundos.
A luz acenderá uma vez, • Se a luz acender 3 (três) vezes,
confirmando que o primeiro dígito o código de troca de senha foi
da senha foi aceito. Gire, então, a aceito. Gire, então, a chave para a
chave para a posição 0. posição 0.
4. Gire a chave da posição 0 para II o • Se a luz acender por 2 (duas)
número de vezes correspondente vezes, houve um erro e o código
ao segundo dígito da senha. Ao não foi aceito. Gire a chave para
final dos movimentos, a chave a posição 0 por pelo menos 20
deverá estar na posição II. (vinte) segundos e, então, reinicie
o procedimento.
35
Segurança

5. Gire a chave da posição 0 para II o 11. Gire a chave da posição 0


número de vezes correspondente para II o número de vezes
ao primeiro dígito da senha antiga. correspondente ao segundo
Ao final dos movimentos, a chave dígito da nova senha. Ao final
deverá estar na posição II. dos movimentos, a chave deverá
6. Aguarde até 10 (dez) segundos. A estar na posição II.
luz acenderá uma vez, indicando 12. Aguarde até 10 (dez) segundos.
que o primeiro dígito da senha • Se a luz acender 4 (quatro)
antiga foi aceito. Gire a chave para a vezes, o número foi aceito e a
posição 0. senha foi trocada.
7. Gire a chave da posição 0 para II o • Se a luz acender 2 (duas) vezes,
número de vezes correspondente houve um erro e a senha não
ao segundo dígito da senha antiga. foi trocada. Gire a chave para a
Ao final dos movimentos, a chave posição 0 por pelo menos 20
deverá estar na posição II. (vinte) segundos e, então, reinicie
8. Aguarde até 10 (dez) segundos. o procedimento.
• Se a luz acender uma vez, o
segundo dígito da senha antiga foi Nota: O código de segurança de
aceito. Gire a chave para a posição fábrica é 42. Substitua-o assim que
0. possível.
• Se a luz acender por 2 (duas) vezes,
houve um erro e o número não foi
aceito. Gire a chave para a posição
0 e aguarde 20 (vinte) segundos
para reiniciar o procedimento.
9. Gire a chave da posição 0 para II o
número de vezes correspondente
ao primeiro dígito da nova senha.
Ao final dos movimentos, a chave
deverá estar na posição II.
10. Aguarde até 10 (dez) segundos. A
luz acenderá uma vez, confirmando
que o primeiro dígito da nova senha
foi aceito. Gire a chave para a
posição 0.

36
Coluna de direção e direção hidráulica

REGULAGEM DA COLUNA 1. Pressione o lado direito do botão


para liberação do sistema de
DE DIREÇÃO ajuste.
2. Pressione o lado esquerdo
CUIDADOS do botão para travamento
Não regule a coluna de direção instantâneo na posição desejada.
enquanto seu veículo estiver Não é necessário manter o botão
em movimento. pressionado durante o ajuste da
posição.
Certifique-se de que o banco
Nota: Para segurança, com o
esteja na posição correta.
sistema liberado durante um período
Consulte Sentando-se na
aproximado de 7 segundos, iniciará o
posição correta (página 67).
travamento automático se operado
na faixa de pressão de 7,8 a 9,2 bars.

DIREÇÃO HIDRÁULICA

Quando usada em posição


adequada, a coluna de direção
fornecerá conforto ao motorista.
A movimentação da coluna de
Nota: A direção hidráulica do veículo
direção só é liberada quando
só funciona com o motor ligado.
a pressão de ar for de 7 bars,
possibilitando o ajuste da posição
em altura e inclinação.

37
Coluna de direção e direção hidráulica

O sistema de direção hidráulica


possui uma bomba acoplada ao
compressor de ar, que se encarrega
de pressurizar o fluido no instante
em que se gira o volante.
A pressão ajuda mover as rodas,
reduzindo o esforço físico do
motorista.
Caso o motor pare de funcionar, a
assistência da direção hidráulica
também não irá funcionar. Isto
significa maior esforço para
manobras. A caixa de direção possui
válvulas limitadoras de curso com
ajuste automático.
O reservatório do fluido está
localizado no compartimento do
motor. Verifique o nível do fluido,
a troca do elemento filtrante
e a substitução do fluido nas
quilometragens indicadas na tabela
de manutenção. Consulte Fluido da
direção hidráulica (página 183).

Nota: Evite manter a direção


hidráulica do seu veículo esterçada
até o fim de curso por mais de 3
segundos. Isto pode provocar um
sério desgaste na bomba, que irá
comprometer permanentemente o
funcionamento da direção hidráulica.

Caso ocorra qualquer falha no


sistema de direção hidráulica
(perda de assistência ou vazamento
de fluido), o veículo deve ser
imobilizado imediatamente. Procure
os serviços de um Distribuidor Ford
Caminhões.

38
Lavadores e limpadores dos vidros

LIMPADOR DO PARA-BRISA LAVADOR DO PARA-BRISA


Nota: Verifique a condição das
palhetas com frequência. Nota: Não opere os lavadores
quando o reservatório do lavador
Nota: Evite utilizar os limpadores do
estiver vazio. Isto pode superaquecer
para-brisa com os mesmos secos ou
a bomba do lavador.
sem que os esguichos dos lavadores
sejam acionados.

A alavanca de acionamento do
limpador do para-brisa possui Pressione a extremidade da
quatro posições, gire para selecionar alavanca para operar os lavadores.
a posição mais indicada: Eles deverão ser operados durante
0 Desligado. 10 segundos, no máximo. Quando
você solta a alavanca, os limpadores
Temporizador: acionamento funcionarão durante um breve
a cada cinco segundos período.
aproximadamente.

1ª velocidade: acionamento
contínuo.

2ª velocidade: acionamento
contínuo e mais rápido.
Substitua as palhetas quando
começarem a deixar rastros de
água e manchas, ou não eliminarem
toda a água do para-brisa. Consulte
Substituição das palhetas dos
limpadores dos vidros (página 198)

39
Luzes

CONTROLE DE INDICADORES DE DIREÇÃO


ILUMINAÇÃO
Posição de controle das luzes
1 2 3

Empurre a alavanca para cima ou


para baixo, para usar os indicadores
1. Desligado.
de direção.
2. Luzes de posição (lanternas), luzes
O comando da alavanca é
do painel de instrumentos e luz da
desativado automaticamente com o
placa de licença.
retorno do volante à posição central.
3. Faróis.
Luzes indicadoras de mudança de
faixa
Facho alto e baixo do farol
Toque levemente a alavanca para
baixo (ou para cima) para que os
indicadores de direção do lado
esquerdo (ou direito) pisquem
algumas vezes, para indicar a
intenção de mudança de faixa.
A alavanca não fica retida como
no caso de uma conversão; após
aproximadamente sete piscadas, as
luzes se apagam automaticamente.

Para acionar o facho alto, com o Nota: Um aumento no grau de


botão do controle das luzes na intermitência indica defeito em uma
posição 3, puxe completamente a das lâmpada externas indicadoras de
alavanca em direção ao volante. Puxe direção.
novamente para retornar ao facho
baixo.
Lampejador do farol alto
Puxe a alavanca parcialmente na
direção do volante e solte-a para
piscar o farol alto.
40
Luzes

LUzES INTERNAS

Luz de cortesia

Coloque o interruptor numa das


posições abaixo:
A- Porta: quando uma porta é aberta
a luz acende;
B- Desligado: permanece apagada;
C- Ligado: permanece acesa.

Luzes de leitura e da cabine

Pressione o interruptor A para


acender a luz da cabine ou o
interruptor B para acender a luz
de leitura. A luz de leitura pode
ser direcionada conforme a
necessidade.

41
Vidros e espelhos retrovisores

VIDRO ELÉTRICO Usando a chave com controle


remoto
CUIDADO
Ao fechar os vidros elétricos,
você deve confirmar que eles
estejam livres de obstruções.

Para a abertura completa dos vidros,


segure o botão de destravamento
até a finalização. Para o fechamento
OK
completo dos vidros, segure o botão
de travamento até a finalização.
BRC

Função antiesmagamento
Por medida de segurança, esta
Os vidros elétricos podem ser função faz com que o vidro pare
acionados através de interruptores e volte automaticamente quando
localizados no painel. encontra uma resistência ao fecha-
mento.
Abertura
Acione o interruptor com um toque
rápido para baixo, para a abertura CUIDADOS
total do vidro. Fechar os vidros de forma
Acione o interruptor para baixo, descuidada pode anular a
mantendo-o pressionado, para função de proteção e causar
a abertura do vidro até a posição ferimentos. Em caso de emergência
desejada. pressione imediatamente o
interruptor para interromper o
Fechamento fechamento automático do vidro.
Acione o interruptor com um toque
A abertura do vidro com
rápido para cima, para o fechamento
um toque automático será
total do vidro.
desativada quando a chave
Acione o interruptor para cima, geral (se disponível) for desligada
mantendo-o pressionado, para o ou os terminais da bateria forem
fechamento do vidro até a posição removidos.
desejada.
Abra e feche os vidros
Nota: Se o vidro elétrico não completamente, para que a função
funcionar após algumas tentativas de abertura do vidro com um toque
com a ignição na posição II ou com automático volte a funcionar
o caminhão ligado, procure um novamente.
Distribuidor Ford Caminhões.
42
Vidros e espelhos retrovisores

Programação da função ESPELHO RETROVISOR


antiesmagamento
ExTERNO
CUIDADO Para cumprir a regulamentação
legal quanto ao campo de visão,
A função antiesmagamento
seu veículo está equipado com
continua desativada até
espelho de vidro convexo, que
reiniciar a memória.
aumenta sensivelmente o campo
de visão, reduzindo, entretanto, a
Se você tiver desconectado a bateria imagem refletida. Dessa forma, os
do veículo através da chave geral (se objetos vistos nos espelhos estão
equipado) ou retirando-se os cabos mais próximos do que aparentam.
da bateria, é necessário reprogramar Tal fato deve ser considerado ao
a memória individualmente para fazer o uso do espelho quando
cada vidro: em movimento ou ao manobrar o
1. Levante e segure o interruptor até veículo.
fechar o vidro completamente;
Nota: Para maior segurança, ajuste
2. Libere o interruptor; os espelhos retrovisores antes de
3. Pressione o interruptor e movimentar o veículo.
mantenha-o pressionado até abrir
o vidro completamente;
1
4. Tente fechá-lo automaticamente 2
(com um só toque);
5. Repita o procedimento se o vidro 3
não se fechar automaticamente.

Localização e função dos espelhos


retrovisores:
(1) Espelho de manobra na porta
direita;
(2) Espelho convexo que amplia o
campo de visão, eliminando os
pontos-cegos no momento de
condução e manobra;
(3) Espelho retrovisor.

43
Vidros e espelhos retrovisores

Espelho de manobra na porta


direita

O espelho inferior é regulado por


comando elétrico (se equipado).
O espelho para manobras facilita o O interruptor de ajuste do espelho
motorista na localização lateral, e retrovisor inferior (lado esquerdo
sua regulagem vertical é feita pela e lado direito) está localizado
movimentação da carcaça. no painel, ao lado do botão do
comando de luzes.
O interruptor pode ser girado para a
Espelho retrovisor esquerda ou direita para ajustar os
retrovisores, respectivamente, e na
posição central fica desligado.
É possível movê-lo na vertical ou na
horizontal para o melhor ajuste.
A carcaça do espelho pode girar
horizontalmente no suporte.

No retrovisor, o espelho superior é


utilizado para manobras (espelho
grande angular) e o inferior para a
condução do caminhão.
Para evitar danos e vibração
Quando necessário, dobre o braço
excessiva no espelho retrovisor,
do espelho, ele é retrátil. O ajuste do
mantenha o terceiro braço sempre
espelho é obtido movendo a carcaça
conectado à estrutura do braço
horizontalmente.
principal.

44
Painel de instrumentos

PAINEL DE INSTRUMENTOS

Transmissão Manual

A B C E

1 60 15 20
0 12
40 80 C H
km/h
10 x100rpm 25
20 100 0 1
ABS P ABS 5 30
CARGO
2
120 35
0 12 0 1

ASR
TRIP

D G F

Transmissão Automatizada

A B C E

1 60 D4 15 20
0 12
40 80 C H
km/h 1/2 10 x100rpm 25
20 100
ABS P ABS
96:45 h 5 30
2 120 % 35 1/2
0 12 0 50 100
0 1
ODO 0008537 km
ASR
TRIP

D G F
A- Velocímetro.
B- Visor de informações.
C- Tacômetro.
D- Manômetros da pressão de ar do freio.
E- Indicador de temperatura do líquido de arrefecimento.
F- Indicador do nível de combustível.
G-Botão do painel de instrumentos.
45
Painel de instrumentos

VELOCÍMETRO MANôMETROS DA
Indica a velocidade do veículo em PRESSÃO DO AR DO FREIO
quilômetros por hora. Os manômetros indicam
constantemente a pressão do
ar existente nos reservatórios. O
VISOR DE INFORMAÇõES manômetro superior (1) indica a
pressão de ar no circuito traseiro e
Está na parte central do painel de
o manômetro inferior (2) no circuito
instrumentos e possui todas as
dianteiro.
funções: hodômetro total e parcial,
horas, indicador do nível do sistema Ao ligar a ignição e a pressão de ar
SCR e algumas luzes de advertência. for insuficiente (inferior a 4,9 bars),
Consulte Visor de informações a luz de advertência de falha do
(página 53 / 55). sistema de freio do painel acenderá
e o alarme sonoro soará. Nesta
condição, não há pressão de ar
suficiente para desacionar o freio
de estacionamento, provocando
TACôMETRO um travamento parcial das rodas
O tacômetro indica a velocidade traseiras. Não movimente o
de giro do motor em rotações veículo até que a luz do freio de
por minuto, conforme este é estacionamento esteja apagada.
solicitado, possibilitando melhor Com o veículo em movimento, o
aproveitamento do torque e da instrumento deve registrar uma
potência. pressão de ar entre 8,2 e 10,3 bars,
Mantenha a rotação do motor se isso não ocorrer, deve existir
na faixa verde, na marcha mais alguma anomalia no sistema.
alta que as condições de carga e Procure um Distribuidor Ford
tráfego permitirem, a fim de obter Caminhões.
melhor rendimento e economia
de combustível. Para leitura,
multiplique por 100 o valor indicado.

Nota: Não funcione o motor


continuamente na faixa vermelha
de advertência, pois o uso da faixa
vermelha contínua pode acarretar
em danos ao motor. O freio-motor
trabalha em potência máxima dentro
da faixa.

46
Painel de instrumentos

INDICADOR DE O indicador de combustível pode


variar ligeiramente com o veículo em
TEMPERATURA DO LÍQUIDO movimento ou em uma rampa.
DE ARREFECIMENTO DO
MOTOR LUzES INDICADORAS, DE
Este medidor indica a temperatura
ADVERTÊNCIA E AVISOS
do líquido de arrefecimento do
motor e não o nível do líquido. Se o SONOROS
líquido de arrefecimento não estiver Algumas luzes irão acender ao ligar
no nível correto, a indicação do a ignição do veículo para certificar
medidor não será precisa. que estão funcionando e os
Em condições normais de sistemas estão operacionais.
funcionamento do motor, o ponteiro As luzes de advertência e
do indicador deve se posicionar na indicadoras, em conjunto com
parte central. os avisos sonoros, informam ou
Se durante a utilização do veículo, o alertam o motorista sobre as
ponteiro atingir a faixa vermelha, o condições do veículo durante a
aviso sonoro soará e a luz indicadora condução do mesmo.
do painel acenderá, indicando Se alguma luz permanecer acesa
superaquecimento do motor. Pare após a partida no veículo, consulte
imediatamente o veículo em local a respectiva luz de advertência do
seguro e desligue o motor. Verifique sistema para mais informações.
a causa do superaquecimento
assim que o motor esfriar. Consulte
Luz do indicador de direção (verde)
Líquido de Arrefecimento do Motor
(página 179). Quando a temperatura Acende-se quando
ambiente for elevada, o ponteiro o indicador de
pode se aproximar da faixa vermelha direção ou de
sem que isso seja causa para mudança de faixa
preocupações. está acionado, ou quando as luzes
de advertência (pisca-alerta) forem
ligadas. Consulte Luzes (página 40)
Nota: Não ligue o motor até que a e Emergência na estrada (página
causa do superaquecimento tenha 139).
sido detectada e resolvida.
Luz indicadora de facho alto do
INDICADOR DO NÍVEL DE farol (azul)
COMBUSTÍVEL Acende-se para indicar
Funciona com a chave de que o facho alto do farol
ignição na posição II, indicando, está selecionado. Consulte
aproximadamente a quantidade Luzes (página 40).
de combustível remanescente no
reservatório.
47
Painel de instrumentos

Luz de advertência do travamento Luz de advertência de água


da cabine basculante (vermelha) no combustível ou filtro de
Acende-se para indicar combustível com a restrição
que a cabine não está elevada (amarela)
devidamente travada. O • Acende-se brevemente
aviso sonoro soará em conjunto. ao girar a chave de ignição
Consulte Cabine (página 86). para a posição ligada, para
informar que está operante.
Luz de advertência do sistema de • Acende-se quando há uma
carga da bateria (vermelha) quantidade de água no filtro
separador que deve ser removida.
Acende-se ao girar a chave
de ignição para a posição • Fica piscante quando há excesso
ligada, para informar de restrição no filtro para
que está operante e permanece advertir sobre a necessidade da
acesa enquanto o motor estiver substituição dos filtros separador
desligado. Caso acenda com o motor e principal. Consulte Combustível
ligado, indica mau funcionamento e reabastecimento (página 90).
do sistema de carga das baterias.
Procure um Distribuidor Ford
Caminhões. LIM - Luz de advertência de mau
funcionamento do sistema de
Luz indicadora de espera para controle de emissões (amarela)
partida (amarela) • Acende-se brevemente
Indica que se deve ao girar a chave de ignição
aguardar o aquecimento para a posição ligada, para
do sistema de alimentação informar que está operante.
para acionar a partida. • Acende-se para informar o
baixo nível de fluido ARLA 32 no
reservatório, reservatório vazio
Luz de advertência de baixo nível e utilização de fluido ARLA 32
do combustível (amarela) inadequado ou adulterado.
Acende-se brevemente • Acende-se para informar alguma
ao girar a chave de ignição falha no sistema de controle de
para a posição ligada, para emissões. Procure um Distribuidor
informar que está operante. Acende Ford Caminhões.
quando o nível do combustível
atinge a reserva. Abasteça o mais
breve possível.

48
Painel de instrumentos

Luz de advertência de alta Luzes de advertência do indicador


temperatura do líquido de da pressão do ar do freio, ou falha
arrefecimento do motor da função EBD (ABS traseiro)
(vermelha) (vermelha)
Acende-se brevemente • Acende-se brevemente
ao girar a chave de ignição ao girar a chave de ignição
para a posição ligada, para para a posição ligada, para
informar que está operante. Acende- informar que está operante.
se para advertir sobre a temperatura • Acende-se para advertir que há
excessiva no motor. O aviso sonoro falha na função EBD em conjunto
soará em conjunto. Consulte Líquido com o sistema ABS.
de arrefecimento do motor (página
179). • Acende-se para advertir que não
há pressão suficiente ou falha no
sistema de freios.
Luz de advertência de nível baixo O aviso sonoro soará em conjunto
do líquido de arrefecimento do apenas em caso de baixa pressão do
motor (amarela) sistema de freio.
Acende-se brevemente Procure um Distribuidor Ford Cami-
ao ligar a chave de ignição nhões. Consulte Freios (página 115).
para indicar que está
operante. Acende-se para advertir
sobre a necessidade de completar
o nível. O aviso sonoro soará em Luz de advertência do sistema
conjunto. Consulte Líquido de de freios ABS (pertencente ao
arrefecimento do motor (página veículo) (amarela)
179).
Acende-se brevemente
ABS ao girar a chave de ignição
Luz indicadora do freio de para a posição ligada, para
estacionamento acionado informar que está operante. Acende-
(vermelha) se para informar que há uma falha
presente no sistema de freios ABS
Acende-se quando o freio
pertencente ao veículo. Nesse
de estacionamento estiver
caso, o sistema de freios continua
aplicado. Consulte Freios
funcionando, porém sem o auxílio
(página 115).
do sistema antitravamento. Procure
um Distribuidor Ford Caminhões.
Consulte Freios (página 115).

49
Painel de instrumentos

Luz de advertência do sistema ABS Caso ocorra uma falha na trans-


do reboque (amarela) missão, essa luz acende.
• Sem reboque acoplado As transmissões FTS ajustam-se a
ou com reboque acoplado, um padrão de caixa-alta caso ocorra
ABS

sendo este sem ABS: Luz uma falha pneumática ou elétrica.


de advertência não acende.
• Com reboque acoplado, sendo Luz de advertência de restrição na
este com ABS: Acende-se admissão de ar do filtro (amarela)
brevemente ao girar a chave de • Acende-se brevemente
ignição para a posição ligada, ao girar a chave de ignição
para informar que está operante. para a posição ligada, para
A luz de advertência acende informar que está operante.
para informar que há uma falha • Acende-se quando a restrição na
presente no sistema ABS do admissão de ar atingir seu valor
reboque. Procure um revendedor máximo, para advertir sobre a
autorizado do fabricante. necessidade da substituição do
elemento do filtro de ar.
Nota: A luz acende para informar • Apaga-se quando o motor
uma falha somente se o reboque for é desligado, porém quando
equipado com o sistema de freios novamente em funcionamento
ABS. Consulte Freios (página 115). e a restrição na admissão de ar
atingir seu valor máximo, ela
Luz indicadora de assistência para acende e permanece acesa.
partida em rampas (amarela) Consulte Funcionamento do
Auxílio de partida em aclive (HLA) indicador de restrição do filtro
de ar do motor (página 181).
Acende-se brevemente
ao ligar a chave de ignição
para indicar que está
operante. Luz de advertência de baixa
pressão do óleo do motor
Acende-se para advertir sobre a (vermelha)
existência de uma falha no sistema
de freio ABS. Procure um Distribuidor • Acende-se brevemente
Ford Caminhões. ao girar a chave de ignição
para a posição ligada,
para informar que está
operante.
Luz de advertência da transmissão
manual (vermelha) • Acende-se para advertir sobre
uma irregularidade na lubrificação
Acende-se brevemente do motor. O aviso sonoro soará
ao ligar a chave de ignição em conjunto.
para indicar que está
operante.

50
Painel de instrumentos

• Se acender com o veículo em Luz indicadora do freio- -motor


movimento, reduza a velocidade e (amarela)
pare tão logo que as condições de Acende-se brevemente
tráfego forem seguras. Consulte ao ligar a chave de ignição
Óleo do motor (página 173). para indicar que está
operante. Acende-se para indicar
Nota: Se a luz permanecer acesa que o freio-motor está acionado.
mesmo após ter sido completado o
nível, procure um Distribuidor Ford
Caminhões. Luz indicadora do sistema de
controle automático de velocidade
Luz de advertência do motor (verde)
(amarela) Acende-se brevemente
Acende-se brevemente ao ligar a chave de ignição
ao girar a chave de ignição para indicar que está
para a posição ligada, operante. Acende-se para informar
para informar que está operante, e que o controle automático de
permanece acesa enquanto o motor velocidade está atuando. Consulte
estiver desligado. Acende-se para Controle automático de velocidade
advertir sobre a existência de mau ou Tomada de força (PTO) (página
funcionamento do motor. Procure 82).
um Distribuidor Ford Caminhões.

Luz de advertência de parada Luz indicadora do sistema de


obrigatória do motor (vermelha) tomada de força (PTO) (amarela)
Acende-se brevemente - Somente para veículos equipados
ao girar a chave de ignição com transmissão automatizada
para a posição ligada, para e PTO Eaton instalado na
informar que está operante. Acende- transmissão
se quando houver ocorrência de uma Acende-se brevemente
falha grave, passando a piscar em ao ligar a chave de ignição
seguida. Nesta condição, pode-se para indicar que está
iniciar a redução de potência do operante. Acende-se para informar
motor, visando sua autoproteção. que a tomada de força (PTO) está em
O aviso sonoro soa em conjunto. funcionamento. Consulte Tomada de
Se acender com o veículo em força (PTO) (página 82).
movimento, reduza a velocidade e
pare tão logo que as condições de
tráfego forem seguras. Procure um
Distribuidor Ford Caminhões.

51
Painel de instrumentos

Luz indicadora do sistema de Luz indicadora do sistema de


controle de tração (amarela) localização e bloqueio (amarela)
• Acende-se brevemente Acende-se brevemente ao
ASR ao girar a chave de ignição girar a chave de ignição
para a posição ligada, para para a posição ligada,
informar que está operante. para informar que está operante.
• Acende-se para indicar que a Em caso de falha do sistema de
redução do torque do motor no localização e bloqueio, a luz piscará.
controle automático de tração O aviso sonoro soará em conjunto.
foi desativado, logo após ter
pressionado o interruptor ASR. A
luz se apaga tão logo o interruptor Luz indicadora do bloqueio do
seja acionado novamente, diferencial traseiro (6x4)
significando que o sistema Acende-se quando o
retornou ao modo de controle diferencial entre os
automático de tração. eixos traseiros estiver na
• Acende-se e fica piscando posição travada.
durante a condução do veículo,
para informar que o sistema,
naquele momento, está atuando
para controlar e regularizar a Luz indicadora do suspensor do 3°
tração nas rodas motrizes. eixo (6x2)
• Acende-se e permanece acesa Acende-se quando o 3°
em caso de falha. Procure um eixo estiver na posição
Distribuidor Ford Caminhões. suspensa.
Consulte Controle automático de
tração (página 80).
Luz de advertência de falha no
Luz indicadora do sistema Ford tacógrafo (amarela)
Antifurto - PATS (vermelha) Acende-se brevemente
Acende-se brevemente ao girar a chave de ignição
ao girar a chave de ignição para a posição ligada,
para a posição ligada, para informar que está operante.
para informar que está operante. Acende-se para informar que há
Pisca com o veículo desligado uma falha presente no sistema do
para informar que está operando. tacógrafo. Procure um Distribuidor
Em caso de falha, a luz piscará Ford Caminhões.
rapidamente. Em caso de falha,
após ligar a chave de ignição, a luz
começará a piscar ou permanecerá
acesa e o veículo não entrará
em funcionamento. Procure um
Distribuidor Ford Caminhões.
52
Visor de informações

FUNÇõES MOSTRADAS 3. Display


NO VISOR DO PAINEL COM Nota: O display permanecerá ligado
TRANSMISSÃO MANUAL durante cerca de 1 minuto após a
ignição ser desligada.
1 1

22 0 1

CARGO

33

O display informa o hodômetro


1. Exibe as luzes de advertência total, o hodômetro parcial, o relógio
e indicadoras: travamento da e o horímetro. A linha superior é
cabine, bloqueio do diferencial e composta por 6 dígitos, ponto de-
suspensor do 3° eixo. cimal, vírgula e símbolos auxiliares
2. Indicador do nível de fluido do (“relógio”, “trip”, “km” e “ampulheta”).
sistema SCR (ARLA 32). Hodômetro total: indica a distância
Ao se ligar a chave de ignição total percorrida pelo veículo.
(posição II), todos os LED’s Indicação máxima: 9.999.999
acendem-se brevemente, perma- km. Indica a mesma informação
necendo ligados os LED’s verdes, mostrada no tacógrafo.
correspondentes à quantidade
de ARLA 32 disponível no
reservatório. 35 0 1
Quando o volume disponível
alcançar o nível de reserva, o LED TRIP

vermelho acenderá de forma


contínua, e caso o veículo não
seja abastecido e o volume do
reservatório seja consumido, o LED
vermelho passará a piscar, a LIM Pressione o botão para percorrer
acenderá e o veículo não atenderá e redefinir as funções do display
mais os níveis de emissão de informadas na linha superior.
poluentes exigidos por lei. Nessas
Hodômetro parcial: indica a
condições, ocorrerá perda de
distância percorrida após ter sido
torque do motor nos termos da
‘‘zerado’’. Indicação máxima: 9.999,9
lei. Essa perda de torque ocorrerá
km. Para ser zerado a qualquer
assim que o veículo parar, mesmo
momento, mantenha pressionado o
com o motor ligado.
botão por alguns segundos.
53
Visor de informações

Relógio: indica o horário no formato Nota: É recomendável que o


24 horas. O ajuste do horário é procedimento de diagnóstico de
efetuado no tacógrafo. Consulte o bordo seja feito diariamente para
manual do mesmo. identificar a existência de códigos
de falha/manutenção. Caso apareça
Horímetro: indica a quantidade de
algum código de falha, procure um
horas de trabalho do motor. Essa
Distribuidor Ford Caminhões.
informação é fornecida pelo ECM do
motor. Indicação máxima: 69.999,9
horas. Para a visualização da Acesso aos códigos de falha do
quantidade de horas de trabalho do ECM do motor
motor, o veículo deve estar parado.

15 20
DIAGNÓSTICO DE BORDO
C H
10 x100rpm 25
5 30

35 0 1

TRIP

1. Com a chave de ignição na


posição 0 (desligada), pressione o
No display aparecem os botão e mantenha-o pressionado;
códigos numéricos de falha, que
2. Com a outra mão, gire a chave de
proporcionam um diagnóstico
ignição para a posição II (ligada),
de bordo preliminar, caso tenha
mantendo o botão pressionado,
ocorrido alguma falha. Este recurso
e aguarde cerca de 10 segundos
é também comandado pelo Módulo
até que na linha superior do
de Controle Eletrônico do Motor,
display apareça a palavra CODE
e é especialmente útil caso seja
(CÓDIGO) e na linha inferior a
necessário informar a falha por
palavra ENGINE (MOTOR);
telefone, ao se solicitar socorro. Em
qualquer tipo de falha, porém, o 3. Solte o botão. Havendo códigos
veículo deverá ser encaminhado a de falha, eles aparecerão na linha
um Distribuidor Ford Caminhões. inferior do display, começando
pelo 1º código;
As falhas armazenadas somente
detectam e monitoram eventuais 4. Com um leve giro do botão no
códigos de falha de funcionamento sentido horário aparecerá o 2º
e do sistema de injeção de código. Mais um giro no mesmo
combustível do motor. Este sistema sentido aparecerá o 3º e assim
não avisa sobre eventuais falhas por diante, até chegar o último
mecânicas. código de falha armazenado;

54
Visor de informações

5. Após mais um leve giro no botão


no mesmo sentido, será mostrado
novamente o 1º código;
6. Com um leve giro no botão no
sentido anti-horário mostrará o
código de falha anterior.

Visualização dos códigos de falha 5 h


01-1234, 02-5555, etc.
• Os primeiros dois dígitos mostram ODO 0000009
a sequência em que os códigos
km

estão armazenados.
• Os quatro últimos dígitos indicam Sumário: Aparece assim que a porta
o código de falha propriamente é aberta, a ignição é desligada ou o
dito. botão é pressionado. A tela resume
as informações do veículo: horímetro
Sair do diagnóstico de bordo total e hodômetros total e parcial.
Pressione o botão e mantenha-o
pressionado até que o display
volte a mostrar a quilometragem
acumulada. Outra maneira é desligar
a chave de ignição ou dar partida no
motor.
N 7:32
Comp. de Bordo
1/2

FUNÇõES MOSTRADAS
Trip 4.0 km

NO VISOR DO PAINEL 7:48 h

COM TRANSMISSÃO
AUTOMATIzADA
0 1/2 1

ODO 0000009 km

As informações para o usuário são


organizadas de forma clara em um 1. Indicação da transmissão e o
conjunto de telas: relógio
Sumário / Computador de bordo • Avisos de irregularidade e indicação
1 e 2 / Informações do veículo da marcha selecionada: Consulte
/ Manutenção / Consumo / Transmissão (página 110).
Advertências / Falhas. • Relógio: indica o horário no
formato 24 horas. O ajuste do
horário é efetuado no tacógrafo.
Consulte o manual do mesmo.

55
Visor de informações

2. Telas de informações B. Computador de bordo 2/2:


Para alternar as telas, gire ou aperte • Velocidade média “AVG”: indica
o botão. a velocidade média do veículo
(km/h).
• Máxima distância para
abastecimento: estima a máxima
N 7:32 distância que o veículo é capaz
Comp. de Bordo
1/2 de trafegar com o combustível
Trip 4.0 restante, com base no consumo
médio. A tela será ativada
km

7:48 h imediatamente, quando a


distância para abastecimento
0 1/2 1
chegar a 80 km, 40 km, 20 km ou
ODO 0000009 km 0 km, sendo possível a mudança
da tela normalmente. Esta função
não está habilitada de fábrica,
A. Computador de bordo 1/2: porém pode ser habilitada em
um Distribuidor Ford Caminhões
• Hodômetro parcial “Trip”: indica somente se o reservatório de
a distância percorrida após ter combustível original do veículo
sido “zerado’’. Indicação máxima: for mantido e sem a utilização de
9.999,9 km. Para ser zerado a reservatório suplementar.
qualquer momento, mantenha
pressionado o botão por alguns
segundos.
• Horímetro parcial: indica o tempo
em horas de funcionamento do
N 7:31
motor após ter sido “zerado’’. Para Info. Veículo
ser zerado a qualquer momento,
mantenha pressionado o botão 25.0 v
por alguns segundos. Ext. – – – – °c

0 1/2 1

ODO 0000009 km

N 7:31
Comp. de Bordo
2/2
C. Informações do veículo:
09.0
• Indica a tensão da bateria;
AVG km/h

D 25 km • Indica a temperatura externa em


graus Celsius, e sua graduação é
0 1/2 1
de -30° a +50°.
ODO 0000009 km

56
Visor de informações

E. Consumo:
• Consumo instantâneo: indica o
N 7:32 consumo do veículo no momento
Manutenção da utilização e é atualizada a cada
2 segundos com informação em
5h l/h quando parado e em km/l em
206 km movimento;
• Consumo médio de combustível
“AVG”: indica o consumo médio
0 1/2 1
durante a distância percorrida
0000009
(TRIP) em km/l, esta informação é
ODO km

fornecida pelo ECM e é atualizada


D. Manutenção: a cada 2 segundos.

• Horas de trabalho do motor:


indica o tempo acumulado de
funcionamento do motor em
horas. Esta informação é fornecida
pelo ECM.
N 7:31
Advertências
• Distância para troca de óleo:
Indica a distância que o caminhão
ainda pode percorrer antes da
próxima troca de óleo do motor.
Esta função não está habilitada
de fábrica, porém pode ser 0 1/2 1

habilitada em um Distribuidor Ford ODO 0000009 km

Caminhões. Peça a orientação


no Distribuidor Ford Caminhões
para definir o correto intervalo de
troca de óleo do motor conforme a
F. Advertências:
aplicação do veículo.
Exibe as luzes de advertências,
como: bloqueio do diferencial ou
suspensor do 3° eixo. A tela funciona
por 1 segundo quando não existe
N 7:32
uma função ativa. Caso a tela não
Consumo esteja selecionada, quando a função
é ativada e desativada, ela é exibida
Inst. 0.0 l/h
por alguns segundos antes de voltar
AVG 2.0 km/l à tela anterior.

0 1/2 1

ODO 0000009 km

57
Visor de informações

Caso o veículo não seja abastecido


e o volume total do reservatório
N 7:33 seja consumido, a LIM acenderá e o
veículo não atenderá mais aos níveis
Falhas
de emissão de poluentes exigidos
N.: 01/01
ECU: 17 por lei. Nessas condições, ocorrerá
SPN: 05CB perda de torque do motor nos termos
FMI: 19
OC: 01 da lei. Essa perda de torque ocorrerá
assim que o veículo parar, mesmo
0 1/2 1 com o motor ligado.
ODO 0000009 km

Nota: Se após o reabastecimento


total do reservatório o indicador de
G. Falhas: nível ainda apresentar quadrado
A tela serve para a verificação do vazio, procure um Distribuidor Ford
diagnóstico de bordo, e cada tela Caminhões.
exibe um código, com as seguintes
informações: número, ECU, SPN, FMI
e OC. 4. Hodômetro total
A tela de falhas só é visualizada
com o veículo parado, e as telas
de informações funcionam
normalmente.
ODO

3. Indicador do nível de fluido do


sistema SCR (ARLA 32)
Indica a distância total percorrida
pelo veículo. Indicação máxima:
9.999.999 km. Indica a mesma
informação mostrada no tacógrafo.

Ao ligar a chave de ignição (posição


II), a barra de nível acende. O nível
é determinado pelos quadrados
completamente preenchidos.
Conforme ocorre o consumo de
ARLA 32, os quadrados vão sendo
marcados por um quadrado vazado.

58
Visor de informações

DIAGNÓSTICO DE BORDO 1. Com a chave de ignição na


posição 0 (ignição desligada),
Este sistema avisa somente falhas pressione o botão e mantenha-o
diretamente relacionadas ao sistema pressionado;
elétrico/eletrônico do veículo.
Não avisa sobre eventuais falhas 2. Com a outra mão, gire a chave de
mecânicas. ignição para a posição II (ignição
ligada), mantendo o botão
As falhas dos sistemas são pressionado e aguarde cerca de 10
armazenadas na memória dos segundos até que apareça a tela
Módulos Eletrônicos e informadas de falhas no visor;
ao usuário do veículo por meio de
código numérico indicado no visor, 3. Solte o botão. Havendo códigos
sendo especialmente útil caso seja de falha, eles aparecerão na tela
necessário informar a falha por “Falhas”, se não houver códigos
telefone, ao se solicitar socorro, aparecerá na tela “Sistema OK”;
proporcionando um diagnóstico 4. Com um leve giro do botão no
preliminar da falha ocorrida no sentido horário aparecerá o 2°
sistema de injeção de combustível código. Mais um giro no mesmo
do motor, transmissão e freios. Em sentido aparecerá o 3° e assim
qualquer tipo de falha, o veículo sucessivamente, sendo que será
deverá ser encaminhado a um possível visualizar até 30 códigos
Distribuidor Ford Caminhões. de falha;
5. Após mais um leve giro no botão,
Nota: É recomendável que o será mostrado novamente o 1°
procedimento de diagnóstico seja código;
feito diariamente para identificar 6. Quando um código de falha
a existência de códigos de falha estiver sendo mostrado, um leve
/ manutenção. Caso apareça giro no botão no sentido anti-
algum código de falha, procure um horário mostrará o código de falha
Distribuidor Ford Caminhões. anterior.

Visualização dos códigos


Acesso ao diagnóstico de bordo

20
N 7:33
15
10 25
C H Falhas
x100rpm

N.: 01/01
5 30 ECU: 17
35
SPN: 05CB
0 1 FMI: 19
OC: 01
TRIP

0 1/2 1

ODO 0000009 km

59
Visor de informações

Se na parte superior, onde está a 3. Se o botão não for pressionado


informação da transmissão “N”, o tempo suficiente, na tela
estiver “F”, significa que existe falha aparecerá novamente o 1° código,
na transmissão. se o tempo for suficiente, os
Os símbolos do monitoramento do códigos serão apagados e na tela
código de falha na tela são: aparecerá “Sistema OK”.
• N: Número de falhas, indica o
número da falha do total de
falhas. Ex: 99/99.
• ECU: Fonte endereço do módulo N 7:34
com defeito, indica o código da Falhas
falha com 2 dígitos.
• SPN: Número de Parâmetro Limpar falhas
Suspeito (SPN), indica o código
da falha com 4 dígitos.
• FMI: Identificador de Modo de 0 1/2 1

Falha (FMI), indica o código da ODO 0012746 km


falha com 2 dígitos.
• OC: Número de ocorrências da
falha. Sair do diagnóstico de bordo
Pressione o botão e mantenha-o
pressionado até que o visor saia
da tela. Outra maneira é desligar a
chave de ignição ou dar partida no
N 7:34
motor.
Falhas
O visor volta a apresentar as telas
normalmente com a quilometragem,
Limpar falhas horas, etc.

0 1/2 1

ODO 0012746 km

Apagar os códigos

1. Quando for apagar os códigos


existentes, pressione o botão;
2. Mantenha-o pressionado até
aparecer na tela “Limpar falhas”;

60
Tacógrafo

INFORMAÇõES GERAIS
O tacógrafo está localizado no painel
de comandos. É uma unidade que
grava as informações relacionadas
às atividades do veículo e de seu
motorista.
Este tacógrafo está em conformidade
com a portaria 201 de 2004 do
Inmetro e a resolução 92 de 1999
do CONTRAN, e a Portaria 145/12 do
DENATRAN.
Somente um posto autorizado está
capacitado para realizar instalações
ou reparos.
O tacógrafo deve ser inspecionado
pelo Inmetro a cada 24 meses ou
quando:
• Adquirido em um veículo zero-qui-
lômetro;
• Substituído devido a um reparo ou
troca do equipamento;
• Violado o lacre do Inmetro;
• Alteradas as características físicas
do veículo, como: eixo, roda, pneu,
etc.
Para informação sobre como utilizar
o tacógrafo, consultar o Manual de
Instruções do mesmo.

61
Controle de climatização

PRINCÍPIOS DE Recirculador de ar
FUNCIONAMENTO
Aquecedor
O desempenho do aquecedor
depende da temperatura do líquido
de arrefecimento do motor, portanto,
não será possível aquecer o ar
interno caso o motor esteja desligado
e a temperatura ambiente.

Ar-condicionado (se equipado)


Quando acionado, impede a entrada
do ar externo, recirculando o ar
interno. Nesta condição obtém-se
refrigeração máxima nos veículos
equipados com ar-condicionado.
Ao trafegar por estradas com muita
poeira, feche os vidros e utilize o
recirculador de ar a fim de minimizar
a entrada de poeira e odores
desagradáveis na cabine.
Ao utilizar ar recirculado por períodos
prolongados, desligue-o por alguns
segundos, permitindo que o ar seja
renovado no interior do veículo.
Quando acionado, o ar é direcionado
através do evaporador, onde é
resfriado. A umidade é retirada do
ar e a condensação resultante é
direcionada para fora do veículo,
portanto é normal que haja gotas
de água no chão, sob o dreno do
ar-condicionado, enquanto o sistema
estiver funcionando.
O interruptor do A/C liga e desliga o
sistema que opera em conjunto com
os demais comandos do sistema de
climatização.

62
Controle de climatização

Difusor de ar

Permite direcionar ou interromper


o fluxo de ar. Para ajustar a direção,
gire-o até encontrar a posição
desejada.

Teto ventilante

O ajuste do teto ventilante, não


removível, se faz em diferentes
posições. Para tanto, segurando as
barras laterais, incline-o para frente
ou para trás, à direita ou à esquerda;
para abri-lo totalmente, empurre-o
para cima.

63
Controle de climatização

COMANDOS DO SISTEMA DE CLIMATIzAÇÃO

A B C

A. Controle de velocidade do C. Controle de distribuição de ar:


ventilador: Ajuste para selecionar a distribuição
Regula o volume de ar circulado desejada de ar.
dentro do veículo. Ajuste para Ventilação para o para-brisa.
selecionar a velocidade desejada do
ventilador. Ventilação para os difusores de
ar centrais e laterais.
B. Controle de temperatura:
Ventilação para os difusores de
Controla a temperatura do ar que ar centrais, laterais e assoalho.
circula em seu veículo. Ajuste para
selecionar a temperatura desejada. Ventilação para o para-brisa e
O sistema de aquecimento do assoalho.
ar só funciona com o motor em Posicionando o botão em posições
funcionamento. A intensidade do intermediárias, permite direcionar
aquecimento do ar é determinada o ar simultaneamente para outras
pelo deslocamento do botão da área posições.
azul - ar frio, para a vermelha - ar
quente.

64
Controle de climatização

DESEMBAÇAMENTO • Quando colocar objetos sobre o


painel, tome cuidado para não
RÁPIDO DO PARA-BRISA colocá-los sobre as saídas do
• Feche todos os difusores de ar desembaçador. Esses objetos
para o máximo fluxo de ar no podem obstruir o fluxo de ar e
para-brisa. reduzir a visibilidade pelo para-
• Ajuste o botão de distribuição de -brisa. Além disso, esses objetos
ar. podem cair através das saídas do
desembaçador e obstruir o fluxo
• Ajuste o botão de controle de
de ar, possivelmente danificando
temperatura totalmente para a
o sistema de ventilação e ar-
direita (vermelho).
-condicionado.
• Ajuste o comutador de controle da
• Habitue-se a desligar a
intensidade para o estágio 3.
refrigeração e deixar apenas
a ventilação ligada alguns
minutos antes de desligar o
SUGESTõES SOBRE
motor do veículo. Isto evitará
O CONTROLE DA o acúmulo de umidade no
CLIMATIzAÇÃO DO sistema de ar-condicionado
e, consequentemente, odores
VEÍCULO desagradáveis.
Sugestões de utilização • É recomendável o acionamento
• Em clima úmido, selecione a do sistema de ar-condicionado,
posição antes de dirigir. ao menos uma vez por semana,
Isto evitará o embaçamento do por um período aproximado de um
para-brisa. Após alguns minutos minuto. No inverno ligue-o por 5
de condução do veículo, selecione minutos a cada 15 dias.
qualquer posição desejada. • Verifique se o condensador não
• Se o veículo foi estacionado com está obstruído por depósitos de
todos os vidros fechados em clima terra, barro ou insetos, que possam
quente, o ar-condicionado será prejudicar o fluxo de ar pelas ale-
mais eficiente e rápido se o veículo tas e, consequentemente, reduzir
for conduzido por dois ou três a eficiência do sistema; limpe-o
minutos com os vidros abertos. periodicamente com água e uma
Isto forçará a saída da maior escova macia.
parte do ar quente e viciado. Em
seguida, feche os vidros e funcione
o ar-condicionado na posição de
costume.

65
Controle de climatização

Aquecendo o interior com rapidez


1. Ajuste a velocidade do ventilador
para a posição mais alta.
2. Ajuste o controle de temperatura
para a posição de aquecimento
máximo.
3. Ajuste o controle de distribuição
de ar para a posição de ventilação
da área do assoalho e do para-
-brisas.
Configurações de aquecimento
recomendadas
1. Ajuste a velocidade do ventilador
para a segunda posição.
2. Ajuste o controle de temperatura
para a posição desejada.
3. Ajuste o controle de distribuição
de ar para a posição de ventilação
do assoalho e do para-brisa.
Resfriando o interior com rapidez
1. Ajuste a velocidade do ventilador
para a posição mais alta.
2. Ajuste o controle de temperatura
para a posição mais fria.
3. Ajuste o controle de distribuição
de ar para a posição de ventilação
do painel de instrumentos.
Configurações de refrigeração
recomendadas
1. Ajuste a velocidade do ventilador
para a segunda posição.
2. Ajuste o controle de temperatura
para a posição desejada.
3. Ajuste o controle de distribuição
de ar para a posição de ventilação
do painel de instrumentos.
4. Pressione o botão A/C.

66
Bancos

SENTANDO-SE NA POSIÇÃO Posição correta de dirigir


CORRETA • Sente-se na posição mais vertical
possível e com o encosto do
CUIDADOS banco inclinado não mais que 30°.

Sempre sente com o dorso • Ajuste os encostos de cabeça.


ereto, apoiado no encosto • Não coloque o banco dianteiro
do banco, com os pés no demasiadamente perto do painel
assoalho. de instrumentos.
Não recline o encosto do • O motorista deve segurar o volante
banco porque isto pode fazer com os braços ligeiramente
com que o ocupante deslize dobrados, bem como as pernas,
por baixo do cinto de segurança, de forma que os pedais possam
resultando em ferimentos graves ser pressionados até o final.
em caso de colisão. • Posicione corretamente o cinto
de segurança sobre o ombro e o
Não coloque objetos acima do
abdômen.
encosto do banco, para reduzir
o risco de ferimentos graves
Certifique-se de que sua posição de
em caso de colisão ou durante
condução esteja confortável, e que
frenagens fortes.
você possa manter o controle total
sobre seu veículo.
Máx 30°

BANCO DO MOTORISTA
COM SUSPENSÃO A AR

A utilização correta destes


componentes garante maior
proteção aos ocupantes em caso de
acidente.
A rigidez do banco é controlada pelo
CUIDADO volume de ar que é inflado no balão
do banco. Para aumentar a rigidez
Nunca ajuste os bancos com o coloque mais ar no balão. Para
veículo em movimento. tornar o banco mais macio, tire ar do
balão.
67
Bancos

Ajuste longitudinal Regulagem de altura

Para elevar o banco, pressione o


A regulagem de avanço e recuo pode
lado superior do botão. Para baixar
ser feita puxando a alavanca de trava
o banco, pressione o lado inferior do
e, simultaneamente, deslizando o
botão.
assento para frente e para trás.
O assento estará travado na posição
quando um clique for ouvido na
liberação da alavanca. Regulagem de encosto

Regulagem da inclinação do
assento

Puxe e segure a alavanca para cima,


destravando o encosto, exerça uma
força a favor ou contra o mesmo
e, assim que encontrar a posição
Para regular o ângulo de inclinação desejada, libere a alavanca para
do assento, acione a alavanca para travar o encosto.
cima. Exercendo uma pressão contra
ou a favor do assento, este pode ser
movido até o ângulo desejado.

68
Bancos

Apoio de cabeça Ajuste longitudinal

Mova para cima ou para baixo para A regulagem de avanço e recuo


regular a altura do apoio de cabeça. pode ser feita puxando a alavanca
de trava e, simultaneamente,
deslizando o assento para frente e
BANCO DO MOTORISTA para trás.
COM SUSPENSÃO A AR - O assento estará travado na posição
quando um clique for ouvido na
ExTRACONFORTO liberação da alavanca.

Regulagem da inclinação do
assento

Para regular o ângulo de inclinação


do assento, acione a alavanca para
cima. Exercendo uma pressão contra
ou a favor do assento, este pode ser
A rigidez do banco é controlada pelo movido até o ângulo desejado.
volume de ar que é inflado no balão
do banco. Para aumentar a rigidez
coloque mais ar no balão. Para tornar
o banco mais macio, tire ar do balão.
69
Bancos

Regulagem do amortecedor Se uma carga é aplicada no assento,


o ajuste de altura feito anteriormente
é automaticamente recuperado.
Acione a alavanca para cima ou para
baixo para mover o assento na altura
desejada.

Nota: Sempre libere a alavanca


quando o assento alcançar o fim de
curso, tanto para cima como para
baixo.

O comportamento da vibração
vertical do assento pode ser ajustado Isolador horizontal
em quatro estágios, do mais rígido
(todo para baixo) ao mais suave
(todo para cima), usando a alavanca.
1. Regulagem rígida do amortecedor.
2. Regulagem média-rígida do
amortecedor.
3. Regulagem média-suave do
amortecedor.
4. Regulagem suave do amortecedor.

Sob certas condições de direção,


Regulagem de altura é extremamente útil a ativação do
controle do isolador horizontal. Isto
significa que os impactos causados
por esta condição de direção podem
ser melhores absorvidos pelo
assento.
1. Ligado.
0. Desligado.

70
Bancos

Abaixamento rápido Regulagem de encosto

Puxando a alavanca para cima e


travando-a (posição 1), o assento Puxe e segure a alavanca para cima,
pode ser ajustado (antes de sair do destravando o encosto, exerça uma
veículo) para a sua posição mais força a favor ou contra o mesmo
baixa. Pressionando a alavanca para e assim que encontrar a posição
baixo (posição 0), o assento será desejada, libere a alavanca para
elevado, retornando para a posição travar o encosto.
de condução (acione após ter
entrado no veículo). Apoio de cabeça
Apoio lombar

Com o botão dianteiro (1) ou traseiro Mova para cima ou para baixo para
(2) a curvatura na região superior regular a altura do apoio de cabeça.
e inferior do encosto pode ser
ajustada individualmente. Acionando
os respectivos botões para “+”,
os compartimentos de ar inflam,
acionando para “–”, eles serão
esvaziados.
Quando a curvatura do encosto não
mais responder ao comando “+”, é que
a máxima curvatura foi atingida, sendo
assim, o botão deve ser liberado.
71
Bancos

BANCO CENTRAL (SE


EQUIPADO)

O banco central do veículo possui


uma mesa na parte posterior do
encosto.

• Destrave o encosto empurrando


para trás o botão de trava.
• Sem soltar o botão, com a outra
mão, puxe o encosto para a
posição deitado e pressione até
ouvir um clique.
• Para voltar à posição do banco,
pressione a mesa para baixo e
sem soltar, empurre o botão para
trás para destravar o encosto e o
levante até ouvir um clique.

72
Tomadas auxiliares

ACENDEDOR DE CIGARRO CUIDADO


Nunca segure o acendedor
pressionado, pois isto causará
CUIDADOS
danos.
Este bocal é de uso exclusivo
para acendedor de cigarros
24 V. TOMADA DE FORÇA 12 V
A conexão de outro
componente que não seja o
acendedor de cigarros 24 V,
causará danos ao sistema elétrico
do veículo e perda da garantia.

Um conversor fornece alimentação


em 12 V para o rádio e a tomada de
força.
Puxe a tampa para abrir o conector.
Não use equipamentos com
potência maior que 180 watts.
Para acioná-lo, pressione-o de
encontro ao painel. Ele voltará Nota: Se você usar a tomada quando
à posição original quando sua o motor não estiver funcionando, a
resistência estiver incandescente, bateria pode descarregar.
pronto para uso.
Ao reinstalá-lo, posicione-o em seu TOMADA DE AR
alojamento sem pressionar o botão.

Nota: Não mantenha o elemento


acendedor de cigarros pressionado.

CUIDADO
O acendedor, quando pronto
para ser utilizado, apresenta
temperaturas elevadas,
podendo causar queimaduras se
utilizado de forma incorreta. Permite a utilização de acessórios ou
a limpeza da cabine.
73
Compartimentos de armazenagem

No interior da cabine existem Na coluna de direção


diversos porta-objetos:
No painel

Nas portas

ASR
off

Na parte superior da cabine leito


No console central

74
Compartimentos de armazenagem

Sob a cama leito

Porta-luvas

Mantenha as portas dos porta-


-objetos sempre bem fechadas.

75
Ativação e desativação do motor

INFORMAÇõES GERAIS INTERRUPTOR DE IGNIÇÃO


CUIDADOS
Manter o motor em marcha
lenta durante períodos
prolongados e em regimes
de giro elevados pode produzir
temperaturas muito altas no motor
e no sistema de escapamento, com
risco de incêndio ou outros danos.
Não estacione ou dirija o
veículo sobre grama seca ou 0. Desligado: a chave pode ser
outro tipo de folhagem seca. retirada.
O calor gerado pelo motor e pelo I. Acessórios: permite ligar os
sistema de escapamento, pode acessórios.
causar incêndio.
II. Ligado: sistemas ligados. As luzes
Não dê a partida no motor de controle e de advertência se
dentro de garagens ou outros acendem.
recintos fechados. A fumaça III. Partida: motor de partida ativado.
do escapamento pode ser tóxica.
Quando o motor funcionar, solte a
chave para que ela volte à posição
Se você desconectar a bateria ligado.
ou desligar a chave geral (se
equipado), o veículo pode exibir Nota: Nunca gire a chave para a
algumas características incomuns de posição desligado ou acessórios com
condução durante aproximadamente o veículo em movimento.
8 Km depois dela ser reconectada.
Isto acontece porque o sistema de
gerenciamento do motor precisa se
PARTIDA DO MOTOR
realinhar com o motor. Com o freio de estacionamento
Você pode desconsiderar qualquer acionado:
característica incomum de condução 1. Coloque a alavanca de mudanças
durante este período. em neutro;
2. Pressione o pedal da embreagem
(se equipado);
3. Pise no pedal de freio no caso da
transmissão automatizada.
4. Gire a chave de ignição para
partida;
5. Aos primeiros sinais de
funcionamento, solte a chave.
76
Ativação e desativação do motor

Não acione o motor de partida por REGULAGEM DA MARCHA


mais de sete segundos consecutivos,
pois sendo ele um grande
LENTA
consumidor de corrente, poderá des-
carregar a bateria. Se o motor não
pegar, espere dez segundos antes de
tentar novamente.

Nota: Não use altas rotações do


ASR
OFF
motor nem exija dele sua potência
máxima enquanto frio.

TURBOCOMPRESSOR
O turbocompressor tem a função O seu veículo sai de fábrica com a
de comprimir o ar que é admitido marcha lenta regulada a 700 rpm
pelo motor, melhorando assim o seu (ISB) ou 750 rpm (ISL). De acordo
desempenho. Em alguns modelos, com a necessidade, a marcha lenta
faz-se necessário também a poderá ser alterada, acionando-se
utilização da válvula wastegate. o interruptor “+ / –” no painel de
instrumentos.
Lado “+”: aumenta a rotação da
CUIDADOS marcha lenta até, no máximo, 800
Para proteger os mancais rpm.
do turbocompressor, Lado “–”: diminui a rotação da
após a partida do motor, marcha lenta até, no mínimo, 600
mantenha-o em marcha lenta por rpm.
aproximadamente 15 segundos,
Cada toque nos interruptores
antes de acelerar ou movimentar o
corresponde a um aumento ou
veículo.
diminuição da marcha lenta de 25
rpm.

Nota: Ao se desligar e ligar o motor, a


marcha lenta será automaticamente
ajustada para 700 rpm (ISB) ou 750
rpm (ISL). Faça o ajuste manual
sempre que necessário.

77
Ativação e desativação do motor

DESATIVAÇÃO DO MOTOR

CUIDADO
Não desligue o motor quando
ele está funcionando em alta
rotação. Se você fizer isso,
o turbocompressor continuará
funcionando após a pressão de
óleo do motor cair para zero. Isto
levará a um desgaste prematuro dos
rolamentos do turbocompressor.

Deixe o motor funcionando em


marcha lenta por aproximadamente
30 segundos antes de desligá-lo.

78
Acionamento do freio-motor

INFORMAÇõES GERAIS
A correta utilização do freio-motor
aumenta o poder de frenagem
do veículo e reduz o desgaste das
guarnições do freio.

Nota: Recomenda-se manter o


freio-motor sempre ligado quando o
veículo estiver em movimento.

Não utilize o freio-motor na faixa


vermelha contínua do tacômetro. Ao pisar no pedal do acelerador
ou da embreagem o sistema é
desativado. Libere momenta-
Acionamento do sistema neamente os pedais para reativá-lo.

Desacionamento do sistema
Para desativar o sistema, desligue o
interruptor no painel de comandos.
ASR
OFF

O freio-motor atuará sempre que o


interruptor estiver acionado, o motor
estiver em uma rotação superior a
1000 rpm e os pedais do acelerador
e da embreagem estiverem
liberados. Exceto quando a PTO
estiver em funcionamento.
A luz indicadora acenderá no painel
somente quando o freio-motor
estiver atuando.

79
Controle automático de tração

INFORMAÇõES GERAIS
O controle automático de tração
(ASR) proporciona uma facilidade
maior na condução do veículo,
especialmente em partidas e
arrancadas em condições de baixo ASR

atrito da roda.
OFF

O sistema (ASR) de controle


automático de tração atua de forma
independente tanto na frenagem
das rodas traseiras como também
na diminuição do torque transmitido Para desativar o controle
aos eixos trativos, e é especialmente automático de tração, acione o
útil em condições de baixa aderência interruptor. A luz indicadora no
das rodas ao piso, causada por baixo painel ASR acende, indicando que o
atrito ou por haver condições de sistema foi desativado.
atrito diferentes entre as rodas de
tração. Logo que o veículo seja posto em
marcha e as condições de tração
Outro fator que também afeta as estejam equalizadas entre as rodas
condições de tração, aliado à baixa motrizes, a operação deve ser
aderência do piso, é o maior ou retornada à condição normal de
menor peso de carga transportada. funcionamento, o que pode ser feito
Em algumas condições especiais de duas maneiras:
de condução, como pisos muito
enlameados ou molhados, pode ser 1 - Acionando-se novamente o
necessário manter o torque do motor interruptor no painel (a luz
elevado. indicadora no painel se apagará);
Nestas condições, poderá ser útil 2 - Desligando a ignição e ligando-a
desativar o controle automático de novamente (a luz indicadora no
tração, para que o veículo possa ser painel ficará apagada).
posto em marcha com alto torque
disponível, e, em seguida, tenha as Nota: Com o caminhão sem
condições de tração regularizadas. implemento, a luz indicadora do ASR
poderá piscar quando o motorista
realizar curvas fechadas ou quando
o caminhão apresentar breve perda
de aderência das rodas traseiras. Esta
indicação não deverá ser interpretada
como falha no sistema.

80
Controle automático de velocidade e
Tomada de força

CONTROLE AUTOMÁTICO Ao pressioná-lo, a velocidade será


mantida automaticamente. O veículo
DE VELOCIDADE deve estar numa velocidade acima
Proporciona uma facilidade maior ao de 38 km/h.
motorista no controle da velocidade
do veículo, sendo ativado para Aumentar a velocidade
velocidades superiores a 38 km/h. Para aumentar a velocidade
programada, pressione o interruptor
com o símbolo “+”. A velocidade
aumentará, aproximadamente, 1,6
km/h a cada toque. Outro modo
é pressionar o acelerador até o
ASR
OFF veículo atingir a velocidade desejada.
Pressione novamente o interruptor
com o sinal “+” para gravar a nova
velocidade.
Diminuir a velocidade
Para ativar a função de controle Para diminuir a velocidade
automático de velocidade, acione o programada, pressione o interruptor
interruptor, no painel do seu veículo, com o símbolo “–”. A velocidade
para a posição LIGADO. diminuirá, aproximadamente, 1,6
A luz indicadora no painel acenderá km/h a cada toque. Outro modo
quando o sistema de controle é pressionar o pedal do freio até o
automático de velocidade estiver veículo atingir a velocidade desejada.
controlando a velocidade do veículo. Pressione o interruptor com o
símbolo “+” para gravar a nova
velocidade.
PROGRAMAÇÃO DA
Última velocidade programada
VELOCIDADE
Se o controle automático de
velocidade foi cancelado pelo
acionamento dos pedais do freio ou
da embreagem ou do freio de esta-
cionamento, pressione o interruptor
ASR
com o símbolo “–” para retornar à
OFF última velocidade programada.
Desativação do sistema
Para desabilitar a função, desligue o
interruptor.

Para programar uma determinada Nota: Veja as instruções na etiqueta


velocidade, acelere o veículo até a colada ao para-sol do lado do
velocidade desejada e pressione o motorista. Leia as instruções com o
lado com o sinal “+” do interruptor. veículo PARADO!
81
Controle automático de velocidade e
Tomada de força

TOMADA DE FORÇA (PTO) PROGRAMAÇÃO DA


ROTAÇÃO

ASR
OFF

Em algumas aplicações, é necessária


a instalação de tomada de força
para ser utilizada em conjunto com
o implemento. Neste caso, pode Para programar uma determinada
ser necessário funcionar o motor e rotação, pressione constantemente o
alterar a sua rotação com o veículo interruptor, com o sinal “+”.
parado. Este controle pode ser feito
Aumentar a rotação
utilizando-se o interruptor do controle
automático de velocidade. Para aumentar a rotação
programada, pressione
O veículo já tem, em seu chicote, o
constantemente o interruptor com
conector para a instalação do controle
o símbolo “+”. A rotação aumentará
da tomada de força que está na
aproximadamente 250 rpm.
parte interna da longarina, atrás do
reservatório de combustível. Diminuir a rotação
Para diminuir a rotação programada,
pressione constantemente o
interruptor com o símbolo “–”. A
rotação diminuirá aproximadamente
250 rpm.

ASR
OFF Nota: O pedal do acelerador é
desabilitado após a programação
da rotação. O pedal tem sua função
habilitada quando a Tomada de força
é cancelada ou desligada.

Para ativar a função Tomada de força,


o veículo deve estar parado, o freio de
estacionamento acionado e o pedal
do acelerador livre. Acione o interruptor
no painel do seu veículo para a posição
LIGADO.
82
Controle automático de velocidade e
Tomada de força

Última rotação programada


Se a Tomada de força foi cancelada
pelo acionamento da embreagem ou
pelo simples toque no botão “+” ou
“-“, programe novamente a rotação
desejada.
Desativação do sistema
Para desabilitar a função, desligue o
interruptor.

83
Eixo e suspensão

BLOQUEIO DO DIFERENCIAL Para ativar:


ENTRE-EIxOS 1. Pare ou não exceda a velocidade
de 10 km/h;
2. Pressione o interruptor do
bloqueio;
3. Conduza o veículo muito
lentamente por um momento para
ativar o sistema;
OK

8888:88km
8888888 km BRC
4. Alivie momentaneamente o pé
do acelerador e o bloqueio será
O eixo traseiro (6x4) tem o bloqueio ativado;
do diferencial entre-eixos e deve 5. A luz indicadora do bloqueio do
ser usado somente em terreno de diferencial traseiro aparecerá no
pouca aderência ou fora do asfalto. O display central.
bloqueio é realizado somente com o
veículo parado ou em velocidade de, Para desativar:
no máximo, 10 km/h.
1. Pare ou não exceda a velocidade de
Nota: Preste atenção na luz 10 km/h;
indicadora porque o sistema 2. Pressione o interruptor;
pode afetar o comportamento de
3. Dirija o veículo muito lentamente
condução.
(máx. 10 km/h) para desativar o
bloqueio do diferencial entre-eixos.
CUIDADOS
4. Alivie momentaneamente o pé
A velocidade do veículo não do acelerador e o bloqueio será
deve ultrapassar os 10 km/h desativado;
quando ativar ou desativar o
5. A luz indicadora do bloqueio do
sistema.
diferencial traseiro apagará quando
O motorista deve ativar o o interruptor for desligado.
bloqueio do diferencial sempre
que o terreno não apresentar
boas condições de aderência.
SUSPENSOR DO 3° EIxO
Após a ativação do bloqueio
do diferencial entre-eixos, o
motorista pode fazer curvas
normalmente, pois o diferencial dos
eixos não foi bloqueado.
Quando o terreno apresentar OK

condições normais de 8888:88km


8888888 km
condução, desbloqueie o
BRC

diferencial entre-eixos.

84
Eixo e suspensão

O suspensor pneumático (6x2) Para desativar:


permite o levantamento do terceiro 1. Pressione o interruptor no painel de
eixo quando o veículo trafegar comandos;
sem carga, evitando o desgaste
desnecessário dos pneus. Também 2. Aguarde até que a bolsa de ar fique
pode ser utilizado como transferidor vazia, fazendo com que o 3° eixo
de carga para o eixo de tração, desça;
principalmente nas situações de 3. A luz indicadora do suspensor do 3°
entrada em rampas ou passagem eixo apagará.
em depressões acentuadas,
aumentando a aderência de tração e Nota: Verifique a pressão do sistema
evitando o patinamento. de ar pelos manômetros do painel
de instrumentos. Não acione o
Nota: O sistema deve ser ativado interruptor do suspensor do 3° eixo
somente quando o veículo estiver se a pressão estiver abaixo de 6,7
parado. Aguarde até que o 3° eixo bars ligue o veículo para encher os
esteja abaixado, para movimentar o reservatórios de ar.
veículo.

Para ativar:
1. Pressione o interruptor no painel de SUSPENSÃO TRASEIRA
comandos; PNEUMÁTICA (1933
2. Aguarde até que a bolsa de ar fique TRACTOR - SE EQUIPADO)
completamente cheia, fazendo com
que o 3° eixo suba;
3. A luz indicadora do suspensor do
3° eixo aparecerá no display central
enquanto o eixo estiver suspenso.

A suspensão pneumática garante


o nivelamento do chassi durante
a operação do veículo e facilita o
procedimento de acoplamento e
desacoplamento do semirreboque.
Consulte Reboque e semirreboque
(página 124).

85
Cabine

A cabine proporciona maior conforto


ao motorista, devido ao conjunto de 4
pontos da suspensão, tem isolamento
antirruído e maior visibilidade ao
motorista. Pelo basculamento da
cabine, encontrará o fácil acesso
às diferentes partes do motor e da
transmissão.

Cama leito (se equipado)


Use a barra de apoio traseira para ter
acesso ao passadiço.

CAPUz

Na parte traseira da cabine, atrás dos


bancos, está localizada a cama leito.

Cortina (somente para cabine leito)


Localizada em todo o contorno da Para abrir
área envidraçada da cabine. Destrave as duas fechaduras com a
chave de ignição/portas e, segurando
o capuz pelo centro, levante-o
Alças de apoio até que fique suportado por dois
amortecedores a gás.
Para fechar
Segurando o capuz pelo centro, abaixe
e pressione as extremidades até o
travamento das fechaduras.

Nota: Não levante ou abaixe o capuz


pelas laterais.
As alças servem como apoio para
entrar ou sair da cabine, use-as para
ter maior segurança.
86
Cabine

BASCULAMENTO DA CUIDADO
CABINE Para evitar lesões ou avarias
ao veículo, certifique-se de
que todas as portas estejam
devidamente fechadas, caso
contrário, ao bascular a cabine, a
porta poderá abrir acidentalmente
e causar ferimentos ou danos
materiais.

1. Estacione o veículo em superfície


plana;
2. Acione o freio de estacionamento;
3. Posicione a alavanca de
mudanças na posição neutro;
1
4. Desligue o motor;
5. Prenda ou remova do interior da 8. Com o capuz aberto, retire a
cabine todos os objetos soltos barra para basculamento (1);
para evitar danos e acidentes;
9. O sistema hidráulico de
6. Feche as portas e todos os basculamento da cabine está
compartimentos porta-objetos; localizado atrás do para-lama
7. Abra o capuz. dianteiro, do lado direito do
veículo;

CUIDADOS
Assegure-se que o espaço
em frente e acima da cabine
esteja livre e seja suficiente
para permitir a inclinação da cabine.
O capuz deve ser aberto
antes do basculamento da
cabine, para evitar possíveis
interferências com partes do para-
-choque.

87
Cabine

10. Posicione o seletor na posição CUIDADOS


para basculamento da cabine;
Nunca deixe a cabine numa
posição intermediária. Abra-a
ou feche-a totalmente.
Mantenha limpa a região
da trava da cabine.
Não é recomendada a
utilização de graxa, vaselina ou
produtos similares que possam
acumular sujeira, causando mau
funcionamento do mecanismo.

Ao acionar o motor, não


11. Coloque a barra no bocal da movimente o caminhão com a
bomba (com o lado do tubo cabine basculada, para reduzir
voltado para a bomba) e faça o risco de ferimentos.
o movimento para cima e para Somente acione o motor com a
baixo; cabine basculada se:
12. A cabine destrava-se • A alavanca de mudanças estiver
automaticamente nos primeiros em neutro;
movimentos após a bomba
ser acionada, e inicia-se o • O freio de estacionamento estiver
basculamento; devidamente aplicado.
13. Acione a bomba de Se o o serviço a ser executado
basculamento até que a cabine sob a cabine exigir que o motor
incline-se totalmente para a esteja em funcionamento,
frente; não deixe ferramentas ou pedaços
de pano próximo ao motor ou
14. No final do basculamento, é
ventilador do radiador, sob o risco de
normal a cabine tombar para
se engancharem nas partes móveis,
frente, ficando totalmente
provocando danos ao caminhão ou
basculada.
ferimentos.

Nunca trabalhe sob uma cabine que


não esteja completamente basculada.
88
Cabine

RETORNO DA CABINE à Nota: Se a cabine não ficar


corretamente travada na posição de
POSIÇÃO DE CONDUÇÃO condução ou se ocorrer uma falha
CUIDADO no sistema, a luz de advertência do
travamento da cabine aparecerá no
Afaste as mãos e o corpo da display central.
região de assentamento da
cabine, para evitar ferimentos.
Nota: Para a condução do veículo
após a utilização do sistema de
basculamento, o seletor da bomba
deve ficar na posição de retorno da
cabine.

CUIDADO
Não coloque o veículo
em movimento antes de
se certificar do correto
travamento da cabine. Uma cabine
1. Posicione o seletor na posição destravada pode inclinar-se para
para retorno da cabine; frente se o veículo for freado
bruscamente, podendo resultar em
2. Coloque a barra novamente no
um acidente e causar ferimentos ao
bocal da bomba (com o lado do
condutor ou em outras pessoas.
tubo voltado para a bomba) e
faça o movimento para cima e
para baixo;
3. Acione a bomba de basculamento
até que a cabine retorne
totalmente para a posição de
condução;

Nota: No final de curso de


abaixamento, a cabine pode retornar
mais rapidamente e as travas são
acionadas automaticamente, com
os pinos dos dois lados, travando a
cabine.

4. Guarde a barra de basculamento


na parte dianteira do veículo e
feche o capuz.

89
Combustível e reabastecimento

PRECAUÇõES DE QUALIDADE DO
SEGURANÇA COMBUSTÍVEL
CUIDADOS Nota: Não adicione querosene,
O derramamento de parafina, gasolina ou outras
combustível pode ser substâncias ao Diesel. A mistura
perigoso para outros pode causar uma reação química e
usuários da estrada. O sistema danificar o sistema de combustível.
de combustível é pressurizado,
portanto há risco de ferimentos se Nota: Para o correto funcionamento,
o sistema de combustível estiver este veículo deve ser abastecido
com vazamento. apenas com Diesel S10.
Não use qualquer tipo
de chama ou calor nas A utilização de Diesel de baixa
proximidades do sistema de qualidade, adulterado ou
combustível. contaminado acarretará em danos
Ao lavar seu veículo com jatos ao sistema de alimentação, motor
d’água em alta pressão, evite e sistema de controle de emissões,
direcionar o jato diretamente que não serão cobertos em garantia.
na tampa do reservatório de
combustível. Pulverize a tampa Nota: Não recomendamos o uso
rapidamente a uma distância de aditivos destinados a evitar
mínima de 20 cm entre o início do enceramento do combustível.
jato e a tampa.
Os componentes do sistema Este veículo está apto ao uso de
de combustível devem Biodiesel B20 (mistura de até 20%
ser protegidos, ou mesmo de biodiesel com Diesel), conforme
removidos temporariamente, ao especificado pelas normas brasileiras
executar procedimentos de reparo vigentes.
que envolvam equipamentos
Antes de chegar ao motor, o
tais como, maçaricos de corte,
combustível passa pelo filtro
equipamentos de solda e esmeril.
separador de água e pelo filtro de
combustível.

90
Combustível e reabastecimento

Filtro separador de água Localizado próximo aos bicos


injetores, retém impurezas que
tenham passado pelo filtro separador
de água, em elementos de papel
especial. Consulte Substituição do
filtro de combustível (página 177).
Como durante a noite a temperatura
ambiente diminui, a umidade do
ar se condensa nas paredes do
reservatório e na superfície do Diesel,
facilitando a contaminação do
Está localizado no lado direito do combustível por água e bactérias,
caminhão, na longarina, ao lado do portanto, recomenda-se manter o
tanque de combustível. reservatório cheio durante a noite,
reduzindo a quantidade de ar em
Conforme o combustível passa pelo
contato com o combustível.
filtro, a umidade existente deposita-
-se na parte inferior do mesmo. Armazenamento de longo prazo
Recomenda-se não armazenar
o combustível por um período
Quando o volume de
superior a 30 dias. Caso seja
água retida atingir seu
necessário armazená-lo por um
limite máximo, a luz de
período superior, drene o reservatório
advertência de água no combustível
e troque completamente o
acende, indicando que o sistema
combustível antes de dar partida
deve ser drenado. Consulte Sistema
no motor, para evitar danos ao
de alimentação de combustível
sistema de combustível. Em caso de
(página 177).
dúvida, consulte um Distribuidor Ford
Caminhões.

Filtro de combustível

91
Combustível e reabastecimento

REABASTECIMENTO Para fechar:


1. Inverta a sequência de abertura.
CUIDADOS Feche a tampa com a chave
Ao abastecer não estacione o instalada.
veículo sobre folhas secas ou
grama seca. Após desligar o Mantenha a tampa do bocal de
motor, o escapamento continuará abastecimento sempre bem fechada.
a irradiar uma quantidade A substituição por outra de diferente
considerável de calor. Isso modelo poderá comprometer a
representa um potencial perigo de eficácia do sistema de combustível.
incêndio.
Ao abastecer, tome cuidado
para evitar o derramamento
de combustível residual do
bico do tubo de abastecimento. É
recomendável aguardar no mínimo
10 segundos antes de remover o bico
do tubo de abastecimento, para que
o combustível possa escoar para
dentro do reservatório.

Em modelos equipados com dois


Nota: O abastecimento do
reservatórios de combustível, abra
reservatório de combustível até
ou feche o registro para permitir
o primeiro desarme automático
ou não a comunicação entre os
da bomba já garante o pleno
reservatórios, de acordo com a
abastecimento.
autonomia desejada.
Caso algum componente não
Tampa do bocal de abastecimento esteja funcionando corretamente,
de combustível ele deverá ser substituído e nunca
Para abrir: reparado.
1. Remova a tampa de proteção; Quando algum componente
do sistema de combustível for
2. Introduza a chave e gire-a no desmontado devido a algum reparo
sentido anti-horário; e/ou manutenção no veículo,
3. Gire a tampa até destravá-la. qualquer anel de vedação deverá ser
substituído.
Nota: Ao retirar a tampa do
reservatório de combustível é normal
ouvir-se um ruído característico.

92
Combustível e reabastecimento

CONSUMO DE conheça todos os comandos,


equipamentos e as características
COMBUSTÍVEL do veículo, pode contribuir para uma
Nota: A quantidade de combustível redução significativa do consumo de
utilizável na reserva varia e não combustível.
deve ser levada em conta para Além disso, a topografia da região
aumentar o percurso de condução. por onde o veículo trafega aliada
Ao reabastecer o seu veículo após às condições de carregamento,
o indicador de combustível indicar também influenciam no consumo de
que está vazio, você pode não ser combustível. É importante obedecer
capaz de reabastecer a quantidade às capacidades máximas de carga
completa da capacidade anunciada e de tração homologadas para cada
do reservatório de combustível, veículo e obedecer a distribuição de
porque a reserva ainda está presente peso em cada eixo.
no tanque. A manutenção periódica é de
fundamental importância para
Os níveis de consumo de
a correta operação do veículo e
combustível e emissões de CO2 são
permite manter o funcionamento do
derivados de testes de laboratório de
motor e o consumo de combustível
acordo com a diretiva EEC 80/1268/
muito próximos do ideal.
EEC e emendas subsequentes e são
realizados por todos os fabricantes
de veículos. Esses níveis servem
como uma comparação entre as
marcas e modelos de veículos e
não têm o objetivo de representar
o consumo de combustível em um
ambiente real que você possa obter
do seu veículo.
O consumo de combustível no
ambiente real é regido por inúmeros
fatores, incluindo: estilo de condução,
condução em alta velocidade,
paradas / partidas frequentes,
utilização do ar-condicionado,
acessórios instalados, reboque e etc.
O seu Distribuidor Ford Caminhões
pode aconselhá-lo sobre como
melhorar o consumo de combustível.
A maneira de condução do
motorista é uma das variáveis
que mais influencia no consumo
de combustível do veículo. Um
motorista bem treinado, que
93
Controle de emissões

INFORMAÇõES GERAIS O fluido do sistema atende à norma


ABNT NBR ISO 22241-1 que definiu o
De acordo com o Programa de
nome como sendo ARLA 32 - Agente
Controle da Poluição do Ar por
Redutor Líquido Automotivo. O
Veículos Automotores (PROCONVE),
Proconve P7 estabelece reduções
fase P7, do Conselho Nacional do
significativas nos limites de emissão
Meio Ambiente (CONAMA), o veículo
de poluentes para veículos a Diesel,
está equipado com um sistema de
determinando que o nível máximo
Redução Catalítica Seletiva (SCR-
de emissão de NOx deve ser de
Selective Catalyst Reduction) que
2,0 g/kWh, e o não cumprimento
controla a emissão de poluentes
dos níveis de emissões resultará
e atende aos índices exigidos. É
em redução do torque do motor.
também equipado com o Sistema
Para ser atendida, exige veículos
de Autodiagnóstico de Bordo (OBD),
com tecnologias e Diesel com teor
que detecta qualquer deterioração e
reduzido de enxofre, reduzindo 60%
falha nos equipamentos de controle
de óxido de nitrogênio (NOx) e 80%
de emissões. O OBD está de acordo
das emissões de material particulado
com a legislação brasileira do
(MP) em relação à fase anterior P5.
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente
e dos Recursos Naturais Renováveis
(IBAMA). Instrução normativa n° 4,
As informações são
de 12 de maio de 2010.
fornecidas ao motorista
através da LIM – Luz
de advertência de mau
funcionamento do sistema de
controle de emissões e de um
indicador de nível.

94
Controle de emissões

Nota: O IBAMA alerta os proprietários Nota: É ilegal alterar ou remover


de veículos movidos a óleo Diesel qualquer componente do sistema.
fabricados a partir de 2012, que
atendem a fase Pronconve-P7, Para que a injeção de fluido se inicie,
de controle de emissões com a o motor deve estar funcionando em
tecnologia SCR, que modificações uma condição onde a temperatura
como a instalação de botões, chaves, do catalisador deve ser superior a
sensores, software ou qualquer 200°C.
outro dispositivo que vise a enganar Devido ao sistema de emissões,
o sistema de controle de emissões seu veículo apresenta algumas
para a não utilização do ARLA 32 características de dirigibilidade
certamente causarão problemas diferentes dos caminhões
técnicos ao veículos, que, por sua convencionais. Por exemplo, o
vez, trarão prejuízos financeiros sistema utiliza ar comprimido para
futuros, além de configurarem ilícito injeção do fluido no sistema de
ambiental, tanto para quem vende/ escape. Esse ar é proveniente do
executa a instalação quanto para sistema de ar do veículo e com isso o
o proprietário do veículo, passível tempo do ciclo do compressor pode
de multa que pode chegar a R$ 50 aumentar.
milhões.
Sob certas condições, como por
Na Redução Catalítica Seletiva que exemplo, em climas frios ou muito
no âmbito mundial atende pela sigla secos, a condensação da água, na
SCR (Selective Catalyst Reduction), forma de vapor, pode ser vista saindo
utiliza o fluido ARLA 32, que ao entrar do ponto de descarga do escape. Isso
em contato com os gases de escape é considerado uma característica
e adentrar ao catalisador, através de normal e não é motivo para
reações químicas, converte os óxidos preocupação. Esse vapor de água
de nitrogênio (NOx), produzidos pelo é eliminado após alguns minutos
motor (escape), em nitrogênio (N2) de operação normal do veículo. Até
e água (H2O). Quanto ao material 30 segundos depois de desligado
particulado (MP), é reduzido no o motor, pode ser ouvido o som de
próprio motor durante a combustão. escape de ar seguido de um “clique”
O fluido ARLA 32 é injetado antes do ou “estalo”. Isso é perfeitamente
catalisador no sistema de escape normal. É apenas o sistema do SCR
pela unidade dosadora. A quantidade realizando sua autopurga.
de fluido que será injetada pela
unidade dosadora é controlada pelo
Módulo de Controle Eletrônico do
Motor, denominado ECM (Engine
Control Module) que analisa e
determina a melhor condição de
injeção (quantidade de fluido que
será injetado) a partir de diversos
sensores que monitoram o sistema.

95
Controle de emissões

REDUÇÃO DO TORQUE DO Nota: Caso o motor entre no modo


de redução de torque, o que só ocorre
MOTOR com o veículo em velocidade igual
a zero, por motivos de segurança,
procure imediatamente os serviços
5 20 de um Distribuidor Ford Caminhões.
10 100rpm 25
Quando o limitador de torque for
5 30
ativado, o torque do motor será
0 35 reduzido em 25% do torque máximo
em veículos com PBT de até 16 t
(inclusive) e em 40% em veículos
com PBT acima de 16 t.

Para níveis de emissões de NOx FLUIDO DO SISTEMA


acima de 3,5 g/kWh, o Sistema de
Autodiagnóstico de Bordo – OBD Independentemente do nome
irá acender a LIM. Após 36 horas comercial empregado pelos diversos
consecutivas de funcionamento do fabricantes no mercado, o fluido
motor, se a falha que ocasionou o do sistema SCR deve atender às
aumento de NOx não for resolvida, o especificações da norma ABNT NBR
veículo entrará em modo de redução ISO 22241-1.
do torque do motor.
Nota: É ilegal utilizar um fluido
Níveis de emissões de NOx acima de que não atenda às especificações
7,0 g/kWh ou se o fluido ARLA 32 do fornecidas ou operar o veículo sem o
sistema acabar, irá acender a LIM e fluido no sistema.
o veículo entrará imediatamente em
modo de redução do torque do motor, Nota: Em hipótese alguma o
assim que a velocidade do caminhão reservatório de ARLA 32 deverá ser
for igual a zero. Em ambos os casos abastecido com combustível. Esta
acima, o ECM irá registrar a falha e prática danificará permanentemente
a mesma não poderá ser apagada, o sistema, acarretando altos custos,
mesmo após ser solucionada e a LIM não cobertos na garantia.
ser apagada.
Esta falha inativa estará disponível à Nota: Não tente ligar o motor caso
fiscalização dos órgãos públicos pelo tenha abastecido o reservatório com
período de 400 dias ou 9600 horas fluido inadequado.
de funcionamento do motor e ficará
sujeita às penalidades da legislação A utilização de um fluido que não
vigente. atenda às especificações resultará
em danos ao sistema que não serão
cobertos em garantia.

96
Controle de emissões

Tanto o fluido que não atenda às CUIDADOS


especficações quanto a ausência do
ARLA 32 farão com que o veículo não O fluido ARLA 32 contém
atenda aos níveis de emissões de ureia. Não permita que
poluentes exigidos por lei. Neste caso, essa substância entre em
ocorrerá perda de torque do motor contato com os olhos. Em caso
nos termos da lei. de contato com os olhos, lave-
os imediatamente com água
Essa perda de torque ocorrerá assim abundante durante pelo menos 15
que parar, mesmo com o motor minutos.
ligado.
Nunca ingerir essa substância.
Nota: Jamais tente criar um fluido No caso de ingestão, não
misturando ureia para uso agrícola provoque vômito, lave a boca e
com água. A ureia para uso agrícola beba água em abundância e procure
não atende às especificações um médico imediatamente.
necessárias e o sistema será
danificado, além de não atender os Em caso de contato com
limites de emissões de poluentes. a pele, lave com água em
abundância e sabão neutro.
O fluido ARLA 32 tem um prazo Evite contato prolongado.
de validade limitado, tanto no
reservatório do veículo quanto nos
contêineres de armazenamento / BAIxAS TEMPERATURAS
reservatório / transporte. Deve-se
Baixas temperaturas podem causar
respeitar rigorosamente o prazo
mau funcionamento do sistema
de validade que se encontra nas
e possíveis danos permanentes à
embalagens, desde que estocadas
unidade dosadora de fluido ARLA
de forma adequada, de acordo com a
32. Desta forma, para utilização do
recomendação do fabricante.
veículo em ambientes com baixas
temperaturas, isto é, abaixo de
-5°C (5 graus Celsius negativo)
deve-se utilizar um sistema de
aquecimento do fluido vendido
separadamente. Esse sistema de
aquecimento, composto por novas
tubulações e válvulas, fará com
que o fluido ARLA 32 não congele e
funcione perfeitamente. Para mais
informações sobre esse sistema de
aquecimento procure um Distribuidor
Ford Caminhões. Não adicione
produto químico/aditivo no fluido
ARLA 32 com o intuito de evitar o
congelamento do mesmo. Se for

97
Controle de emissões

adicionado produto químicos/aditivo


no fluido ARLA 32, o sistema poderá
ser danificado, acarretando altos
custos não cobertos na garantia.

REABASTECIMENTO
Reservatório de Fluido do Sistema

Para que o sistema funcione


adequadamente, o reservatório
do fluido nunca deverá estar vazio
com o veículo em funcionamento.
Essa prática acarretará em perda
de torque do motor, nos termos
da lei. Portanto, sempre verifique
o indicador de nível de fluido
localizado no visor de informações.
O reabastecimento deve ser feito em
locais ventilados, pois os vapores de
amônia podem ser irritantes para a
pele, olhos e membranas mucosas.

CUIDADO
A inalação de vapores
de amônia pode causar
queimadura aos olhos,
garganta e nariz, causando tosse
Seu veículo está equipado com e olhos lacrimejantes.
um reservatório de fluido do
sistema e possui capacidade de
Ao reabastecer, tome cuidado para
abastecimento conforme a Tabela
evitar derramamento de fluido ARLA
de volumes de abastecimento.
32. Em casos de derramamento,
limpe as superfícies com água e
um pano úmido para evitar danos
à pintura. O fluido derramado, ao
secar naturalmente ou limpo apenas
com pano seco, deixará um resíduo
esbranquiçado e quebradiço na

98
Controle de emissões

superfície onde entrou em contato. FILTRO SEPARADOR DE


Nunca adicione água ou qualquer
outro tipo de líquido no reservatório ÓLEO DO AR
de fluido do sistema além do
produto especificado ARLA 32.
Caso isso ocorra, para evitar que o
sistema seja danificado, entre em
contato com um Distribuidor Ford
Caminhões.

Se após o reabastecimento total


do reservatório o indicador de nível
ainda apresentar o LED vermelho
aceso, ou mesmo algum LED
apagado, contate e encaminhe
seu veículo a um Distribuidor Ford Antes de chegar ao sistema, o ar
Caminhões. passa pelo filtro separador de óleo.
O filtro separador de óleo elimina as
Tampa do Reservatório do fluido impurezas de óleo do ar que tenham
ARLA 32 passado pelo sistema pneumático
do veículo. O filtro separador de
CUIDADO óleo requer substituição. Consulte
Limpe a tampa por fora com Substituição do filtro separador de
um pano úmido, retirando óleo do ar (página 183).
toda e qualquer sujeira que
possa adentrar ao reservatório.

1. Abra a tampa de proteção;


2. Retire a tampa com cuidado,
destrancando-a com sua
respectiva chave e girando-a no
sentido anti-horário;
3. Reabasteça o reservatório com o
fluido correto;
4. Com um pano limpo, retire
possíveis sujeiras da vedação da
tampa (essa vedação encontra-
-se na parte inferior da tampa e
trata-se de um anel em borracha
na cor preta);
5. Recoloque a tampa no
reservatório e tranque-a com sua
respectiva chave.

99
Transmissão

informações gerais cuidados


nota: Veja as instruções na etiqueta Não acione o botão
colada no para-sol do lado do seletor enquanto estiver
motorista. movimentando o veículo em
marcha a ré.

usando a embreagem Nunca acione o seletor com


a alavanca de mudanças
nota: Deixar de pressionar o pedal em neutro quando o veículo
da embreagem completamente, até estiver em movimento.
o fim de seu curso, pode resultar
em esforço maior para a troca de Se o motor estiver
marchas, desgaste prematuro dos sustentando a marcha, evite
componentes ou pode danificar a reduzi-la.
transmissão.
Em declives acentuados,
nota: Não dirija com o pé apoiado engrene a marcha e selecione
no pedal da embreagem. Esta ação o eixo antes de iniciar a
reduzirá a vida útil da embreagem. descida.
Em descidas, use o motor
cuidados como freio.
Sempre inicie o movimento
do veículo utilizando a marcha
reduzida como forma de inibidor de redução de
prolongar a vida útil da embreagem;
marcha
Sempre pré-selecione o
seletor antes de movimentar
a alavanca de mudanças de
marchas.
Certifique-se de que a marcha
esteja totalmente engrenada
antes de liberar o pedal da
embreagem.

Não use altas rotações do


motor durante a partida do
veículo (recomendado até As transmissões da série FTS são
1000 rpm). projetadas com um sistema de
proteção desenvolvido para evitar
uma redução de marcha quando a
velocidade do veículo excede limites
predeterminados.

100
Transmissão

As válvulas de mudanças incluem nota: Nos veículos 1723 modelo


um solenoide de passagem Kolector, o eixo é de relação simples,
direta, que é usado para permitir não tendo o botão seletor na
a passagem do sinal piloto manopla.
pneumático para acionar a seção da
válvula de mudanças tradicional ou Em condições favoráveis - carga
evitar a transmissão de sinal para inferior à máxima permitida e/
manter a condição atual da válvula. ou estradas com aclives pouco
O controle de ativação do solenoide acentuados - consegue-se melhor
é proporcionado por um módulo de desempenho e economia de
controle. combustível usando-se somente da
O módulo de controle é único para a caixa de mudanças.
FTS e inclui a capacidade de acionar
dois solenoides inibidores de redução 3 5
de marchas de forma independente.
1
R
6
4
nota: Após uma parada com uma
2

possível falha na transmissão, só


será possível partir com o veículo
D

engrenado em caixa-alta.
R

caixa de mudanças
fs 5406-a / fs 6306-a /
fs 6306-b Posicione o botão seletor na manopla
da alavanca de mudanças, como
As caixas de mudanças têm 6 segue:
marchas à frente sincronizadas e a ré. D – Direta (alta - H).
Para se obter um melhor R – Reduzida (baixa - L).
escalonamento das marchas, em
combinação com o eixo de duas
velocidades, troque as marchas
conforme indicado na imagem.

R 1L 1H 3L 3H 5L 5H

Neutro

2L 2H 4L 4H 6H

101
Transmissão

mudanças descendentes:
somente transmissão: não deixe
que a rotação do motor caia abaixo
da faixa verde do tacômetro para
5 20
10 25 que, após o engate da marcha
inferior, o motor obtenha melhor
100rpm

5 30 desempenho.
0 35 somente eixo: com o pedal do
acelerador pressionado, posicione o
botão seletor em R - reduzida (baixa
- L).
ascendentes: Tire momentaneamente o
pé do acelerador, voltando a
somente transmissão: Eleve a pressioná-lo a seguir, ou pressione
rotação do motor, de modo que, após e libere rapidamente o pedal da
o engrenamento da marcha superior, embreagem, mantendo o pedal do
o ponteiro do tacômetro permaneça acelerador pressionado.
na faixa verde.
Transmissão e eixo: Com o
somente eixo: Com o pedal do pedal do acelerador pressionado,
acelerador pressionado, posicione posicione o botão seletor em D –
o botão seletor em D – direta (alta direta (alta - H). Engrene, a seguir, a
- H), solte-o e pressione o pedal da marcha inferior.
embreagem.
Após uma pausa para que a
mudança se complete, libere o pedal Na eventualidade de, por falha
da embreagem e volte a pressionar o de operação, não se completar o
acelerador. engrenamento do eixo traseiro,
com o consequente barulho de
Transmissão e eixo: Com o pedal do “arranhar”, proceda da seguinte
acelerador pressionado, posicione o maneira:
botão seletor em R- reduzida (baixa
- L). Engrene, a seguir, a marcha estradas planas e declives: com
superior. o pedal da embreagem liberado,
pressione o pedal do acelerador
até que o engrenamento ocorra. Se
necessário, selecione uma marcha
mais alta.
aclives: Diminua a velocidade do
veículo até que o engrenamento
ocorra. Se necessário, selecione uma
marcha mais baixa.

102
Transmissão

caixa de mudanças mudanças


es 11209
A caixa de mudanças tem 8 marchas
à frente sincronizadas com mais 1 5 20
10
reduzida e a ré. Para se obter um 100rpm 25
melhor escalonamento das marchas, 5 30
troque as marchas conforme indicado
0 35
na imagem.

5 7
R ascendentes:
1 3
• Inicie o movimento com o botão
Neutro do seletor na posição para baixo,
reduzida;
LO 6 8 • Engate LO – 1ª – 2ª – 3ª – 4ª
marchas;
2 4 • Posicione o botão para cima
e engate a 5ª – 6ª – 7ª – 8ª
nota: Só é possível dar a partida marchas.
no motor estando a alavanca de Eleve a rotação do motor, de tal
mudanças na posição “neutro”. forma que o ponteiro do tacômetro
fique dentro da faixa verde após a
mudança de marcha.
5

6
4
3

2
1
R

descendentes:
• Com o botão do seletor na posição
para cima, engate 8ª – 7ª – 6ª –
5ª marchas.
• Posicione o botão para baixo e
engate a 4ª – 3ª – 2ª – 1ª e LO
marchas.

Mude para uma marcha inferior


Posicione o botão seletor, na manopla somente quando perceber que o
da alavanca de mudanças, como motor não está mais sustentando a
segue: marcha engrenada. Não deixe que a
• Para baixo engate: rotação do motor caia abaixo da faixa
LO – 1ª – 2ª – 3ª – 4ª - Ré; verde do tacômetro para que, após
o engate da marcha inferior, o motor
• Para cima engate: obtenha melhor desempenho.
5ª – 6ª – 7ª – 8ª.

103
Transmissão

caixa de mudanças
fTs-16108LL 5 20
A caixa de mudanças tem 8 marchas
10 100rpm 25
à frente sincronizadas com mais 1 5 30
reduzida, 1 super-reduzida e 3 rés. Para
0 35
se obter um melhor escalonamento
das marchas, troque as marchas
conforme indicado na imagem.

Eleve a rotação do motor, de tal


R 5 7 forma que o ponteiro do tacômetro
RR 1 3 fique dentro da faixa verde após a
mudança.
Neutro
descendentes:
LO 6 8 • Com o botão seletor frontal na
LO-LO 2 4 posição para cima - direta -, engate
8ª, 7ª, 6ª e 5ª marchas;
• Posicione o botão seletor frontal
mudanças para baixo - reduzida -, e engate a
4ª, 3ª, 2ª, 1ª e LO marchas;
• Posicione o botão seletor lateral
para frente - super-reduzida -, e
engate LO-LO.

Mude para uma marcha inferior


somente quando perceber que o
motor não está mais sustentando a
marcha engrenada. Não deixe que a
rotação do motor caia abaixo da faixa
ascendentes: verde do tacômetro para que, após
o engate da marcha inferior, o motor
• Inicie o movimento com o botão
obtenha melhor desempenho.
seletor frontal, posicionado para
baixo - reduzida -, e com o botão
nota: Nunca utilize a marcha LO
seletor lateral para frente - super-
(reduzida) em caixa-alta. Isto
reduzida -, e engate LO-LO;
causará desgaste prematuro dos
• Posicione o botão seletor lateral componentes internos da caixa de
para trás -reduzida-, e engate LO - mudanças.
1ª, 2ª, 3ª e 4ª marchas;
• Posicione o botão seletor frontal nota: Nunca utilizar o botão seletor
para cima - direta-, e engate a 5ª, lateral posicionado à frente, para
6ª, 7ª e 8ª marchas. engrenar 1ª, 2ª, 3ª e 4ª marchas.
104
Transmissão

engaTe da marcha a ré

direta
super-reduzida Posicione o seletor frontal para
cima - direta -, acione o pedal da
Posicione o seletor frontal para baixo embreagem e espere, no mínimo, 5
- reduzida -, e o seletor lateral para segundos antes de engatar a marcha
frente - super-reduzida -, acione o a ré.
pedal da embreagem e espere, no
mínimo, 5 segundos antes de engatar
nota: Embora seja possível o
a marcha a ré.
engrenamento da marcha a ré direta,
o seu uso deve ser evitado devido à
relação muito longa.

reduzida
Posicione o seletor frontal para baixo
- reduzida -, e o seletor lateral para
trás - reduzida -, acione o pedal da
embreagem e espere, no mínimo, 5
segundos antes de engatar a marcha
a ré.

105
Transmissão

relação de marcha fTs-16108LL

sequência marcha seletor frontal seletor lateral

1 Lo-Lo Baixo Frente

2 Lo Baixo Trás

3 1 Baixo Trás

4 2 Baixo Trás

5 3 Baixo Trás

6 4 Baixo Trás

7 5 Cima Trás

8 6 Cima Trás

9 7 Cima Trás

10 8 Cima Trás

11 Ré Cima Trás

12 Ré-Lo Baixo Trás

13 Ré-Lo-Lo Baixo Frente

106
Transmissão

caixa de mudanças
fTs-16112L 5 20
A caixa de mudanças tem 12 marchas 10 100rpm 25
à frente sincronizadas com mais 1
5 30
reduzida e 2 rés. Para se obter um
melhor escalonamento das marchas, 0 35
troque as marchas conforme indica-
do na imagem.

9 11 Eleve a rotação do motor, de tal


R
5 7 forma que o ponteiro do tacômetro
R fique dentro da faixa verde após a
1 3
mudança.
Neutro

2 4
L 6 8 descendentes:
10 12 Engrene a partir da 12ª, 11ª, 10ª e 9ª
marchas;
Em 9ª marcha, mude o seletor frontal
mudanças para baixo e engrene 8ª, 7ª, 6ª e 5ª
marchas;
Em 5ª marcha, mude o seletor lateral
para frente e engrene a 4ª, 3ª, 2ª, 1ª
e LO.
Mude para uma marcha inferior
somente quando perceber que o
motor não está mais sustentando a
marcha engrenada. Não deixe que a
rotação do motor caia abaixo da faixa
verde do tacômetro para que, após
ascendentes: o engate da marcha inferior, o motor
obtenha melhor desempenho.
Com o botão seletor lateral
posicionado para frente e com o botão nota: Nunca utilize a marcha LO
seletor frontal para baixo - reduzida - (reduzida) em caixa-alta. Isto
engate, LO, 1ª, 2ª, 3ª e 4ª marchas. Em causará desgaste prematuro dos
4ª marcha, posicione o botão seletor componentes internos da caixa de
lateral para trás - continue a sequência mudanças.
5ª, 6ª, 7ª e 8ª marchas;
Em 8ª marcha, mova o seletor frontal nota: Aguarde 5 segundos em
para cima e engrene 9ª, 10ª, 11ª e 12ª neutro, com o pedal da engrenagem
marchas. acionado, antes de engrenar LO.
107
Transmissão

engaTe da marcha a ré

baixa:
alta: Posicione o seletor lateral para frente
Posicione o seletor frontal para cima e o seletor frontal para baixo, acione
e o seletor lateral para trás, acione o pedal da embreagem e espere, no
o pedal da embreagem e espere, no mínimo, 5 segundos antes de engatar
mínimo, 5 segundos antes de engatar a marcha a ré baixa.
a marcha a ré alta.
Embora seja possível o engrenar da nota: Quando parar o veículo, mude
marcha a ré alta, o seu uso deve ser a alavanca para neutro e, após
evitado devido à relação de redução acionar a embreagem espere, no
muito longa. mínimo, 5 segundos antes de engatar
qualquer marcha.

média:
Posicione o seletor frontal para baixo
e o seletor lateral para trás, acione
o pedal da embreagem e espere, no
mínimo, 5 segundos antes de engatar
a marcha a ré média.

108
Transmissão

relação de marcha fTs-16112L

sequência marcha seletor frontal seletor lateral

1 Lo Baixo Frente

2 1 Baixo Frente

3 2 Baixo Frente

4 3 Baixo Frente

5 4 Baixo Frente

6 5 Baixo Trás

7 6 Baixo Trás

8 7 Baixo Trás

9 8 Baixo Trás

10 9 Cima Trás

11 10 Cima Trás

12 11 Cima Trás

13 12 Cima Trás

14 Ré Baixo Trás

15 Ré-Lo Baixo Frente

109
Transmissão

caixa de mudanças cuidados


auTomaTiZadas Nunca deixe a alavanca
ea 11109 La seletora em outros modos se
não em “N”, quando o veículo
ea 11109 Lb estiver desligado.

f-11e316d-Lse Nunca retenha o veículo


em rampa usando “D”
A caixa de mudanças EA 11109 LA ou “R”. Acione o freio de
tem 10 marchas à frente com mais estacionamento.
1 ré.
A caixa de mudanças EA 11109 LB Proporciona maior conforto ao
tem 10 marchas à frente com mais motorista e economia operacional,
2 rés. principalmente quando existe a
necessidade de várias trocas de
A caixa de mudanças F-113316D-LSE marchas em um pequeno espaço de
tem 16 marchas à frente com mais tempo, fazendo com que as trocas
2 rés. de marchas aconteçam em rotações
mais baixas.
cuidados O módulo eletrônico da transmissão
Sempre que deixar o troca informações com a unidade de
veículo, acione o freio de controle do motor (ECM) e define
estacionamento, coloque a o melhor momento para mudar
alavanca seletora da transmissão de marcha, seu funcionamento é
para a posição “N”, desligue a mostrado no display do painel de
ignição e remova a chave. instrumentos.
As principais vantagens da
Não pise no pedal do freio transmissão automatizada na função
e no pedal do acelerador “D” são:
simultaneamente. Pisar em
ambos os pedais simultaneamente • O motorista não precisa se
por mais de três segundos limita preocupar em trocar as marchas;
as rotações do motor, o que pode • Toda atenção focada na
resultar em dificuldades para manter condução;
a velocidade no trânsito.
Ao trafegar em
engarrafamentos ou
permanecer parado nos
semáforos, pise no pedal do freio,
mude a alavanca seletora de
marchas para a posição “N” e acione
o freio de estacionamento.

110
Transmissão

posições da aLavanca para iniciar o movimento do


seLeTora de marchas veículo
1. Pressione totalmente o pedal de
freio e mantenha pressionado.
2. Pressione e mantenha
pressionado o botão na frente da
alavanca do câmbio.
3. Mova a alavanca seletora de
marchas para a posição desejada.
4. Solte o botão e sua transmissão
permanecerá na marcha
selecionada no painel de
instrumentos.
r - Ré 5. Libere o pedal de freio.
n - Neutro
d - Função automático 6. Acelere o veículo, o mesmo
m- Função manual começará a andar.
L - Low - Desacelerar
+ - Troca manual para cima nota: Veja instruções na etiqueta
- - Troca manual para baixo colada no para-sol do lado do
motorista.
indicação de operação
r (ré)
O display no centro do painel de
instrumentos informa ao condutor Sempre pare completamente antes
as várias situações da transmissão, de engrenar e desengrenar a “R” (Ré).
como as indicações de operações e os
nota: Somente mova a alavanca
avisos de irregularidades.
seletora de marchas para ‘‘R” quando
N - Transmissão em Neutro. o veículo estiver parado e o motor em
D - Função automática marcha lenta.
(ao lado, número da marcha
engatada). n (neutro)
M - Função manual (ao lado, número Com a alavanca do câmbio em N
da marcha engatada). (Neutro) você pode dar a partida
L - Freio-motor no veículo, que está livre para rodar.
R - Ré (ao lado, número da marcha Mantenha pressionado o pedal do
engatada). freio ou o freio de estacionamento
acionado enquanto estiver nesta
F - Informação de falhas na posição.
transmissão (códigos).
Mantenha nesta posição sempre que
for estacionar o veículo ou permanecer
parado com o motor ligado.

111
Transmissão

d (dirigir) m (manual)
Selecione D para troca automática de
marchas. A transmissão selecionará
as marchas apropriadas para o
melhor desempenho com base na
condição de carga e velocidade do
veículo.

Os veículos com transmissão


automatizada possuem um pedal
de acelerador com dois estágios,
fazendo com que a transmissão
trabalhe em dois modos:
• Modo “Economia de combustível”: Através do botão de marchas na
Pressionando o pedal do lateral da alavanca você pode
acelerador entre o repouso e o realizar trocas independentes da
primeiro batente. estratégia da transmissão.
Neste modo a transmissão irá • Pressione + para mudar para a
realizar as trocas de marcha dentro próxima marcha acima.
da faixa de rotação do motor de • Pressione — para mudar para a
maior eficiência para a economia de próxima marcha abaixo.
combustível.
As marchas podem ser puladas
• Modo “Performance”: pressionando os botões + ou —
Pressionando o pedal do repetidamente em intervalos curtos.
acelerador além do primeiro
Se a marcha selecionada na função
batente, será notado um click
manual fizer com que o motor
e pode ocorrer uma redução
apresente uma rotação acima ou
de marcha. Neste modo, a
abaixo do normal, a transmissão
transmissão irá realizar as
não fará a troca naquele instante e
trocas de marcha numa faixa de
emitirá um sinal sonoro. A função
rotação mais alta, visando uma
manual ajuda o motorista quando
maior performance. O modo
está trafegando fora de estrada ou
“performance” é recomendado
em aclives íngremes.
para efetuar ultrapassagens e nas
retomadas de velocidade. Alivie
a pressão do pedal do acelerador L (Low)
quando não precisar mais deste
recurso. Coloque a alavanca em “L” quando
precisar otimizar a ação do freio-
motor. As marchas serão reduzidas
até a melhor condição para a
velocidade do veículo.

112
Transmissão

A posição L trabalha em conjunto Se aparecer um traço durante a


com o freio-motor, buscando máximo energização e a alavanca estiver em
rendimento e por consequência Neutro, tente o seguinte:
uma maior durabilidade do freio 1. Selecione Neutro, “N”. Gire a chave
de serviço. A função “L” deve ser para a posição “DESLIGADA” e
utilizada para desacelerar o veículo, deixe a transmissão sem energia
sendo altamente recomendada para por pelo menos 2 minutos;
descidas de serra e longos declives. 2. Pressione o pedal do freio;
nota: Não é recomendado utilizar essa 3. Libere o freio de estacionamento.
função para acelerar o veículo pois não 4. Selecione Neutro.
haverá mudanças para as superiores. A
transmissão mudará automaticamente 5. Gire a chave para a posição
para a próxima marcha acima caso o “LIGADA”;
regime de giros do motor esteja muito 6. A transmissão tentará mudar para
alto ou para a próxima marcha abaixo Neutro quando você girar a chave
se o regime de giros estiver muito baixo. para “LIGADA”, mas você poderá
ter que liberar ligeiramente o
avisos de irreguLaridades pedal do freio para ajudar a deixar
-- - Transmissão pode estar o torque desligado da linha de
transmissão;
travada.
CA - Embreagem sobrecarregada 7. Quando engatar o Neutro, um
“N” firme aparecerá no display e
(com aviso sonoro).
o veículo dará a partida. Se após
PS - Transmissão modo de serviço esse procedimento ainda aparecer
de pré-teste. um traço no display, procure um
PD - Transmissão em função de Distribuidor Ford Caminhões.
diagnóstico.
GI - Engraxar o mancal da ca - embreagem sobrecarregada
embreagem, a bucha e o eixo Se a embreagem automatizada
do garfo (com aviso sonoro). começar a aquecer em excesso,
--” Transmissão Travada em uma devido a excessivas partidas em
marcha rampa consecutivas, no display
aparecerá “CA” juntamente com um
Se o caminhão for desligado ou aviso sonoro.
“morrer” com a marcha engatada, a
transmissão pode ficar travada na Se isto ocorrer, evite continuar
realizando partidas por um período,
marcha. A transmissão tentará ir para
até que a embreagem resfrie e o
Neutro quando tentar ligar novamente
aviso desapareça.
o veículo se a alavanca seletora estiver
em “N”. Caso este procedimento não seja
seguido e o aviso “CA” no display
Se o Neutro for engatado, aparecerá continue, o sistema poderá liberar
um “N” firme no display. a embreagem e desabilitar o
Se o Neutro não puder ser engatado, acelerador por um curto período de
aparecerá um “TRAÇO” (--) no tempo com o intuito de preservar a
display e o motor não dará a partida. integridade da embreagem.
113
Transmissão

cuidados ps - Transmissão em modo de


serviço de pré-teste
Evite dano à embreagem:
Acione o pedal do freio de Esse modo indica que está em
serviço quando parar em progresso um teste iniciado
aclive ou declive. Não segure o no compartimento de serviço.
veículo em rampa utilizando o pedal Esses tipos de teste são iniciados
do acelerador. manualmente através do software
de diagnóstico. O motor não dará a
partida enquanto o teste estiver em
pd - Transmissão em função de processo.
diagnóstico
No caso da transmissão ser colocada
em modo de diagnóstico do produto,
um “PD” será exibido no visor e o
caminhão não dará a partida.
Use o seguinte procedimento para
sair do Modo de Diagnóstico do
Produto:
1. Selecione Neutro “N” e desligue a
chave;
2. Aguarde por pelo menos 2
minutos;
3. Ligue a chave e energize o sistema;
4. Verifique se há um “N” no visor da
marcha;
5. Dê a partida no motor.

gi - engraxar o mancal da
embreagem e o eixo do garfo
No display pode aparecer
brevemente “GI” juntamente com
um aviso sonoro, após ser dada a
partida do motor. Isso indica que
o mancal da embreagem terá de
ser lubrificado em breve. Consulte
engraxamento (ea11109/f-
11e316d-Lse) (página 194).

114
freios

informações gerais garantindo a pressão pneumática no


sistema de freio dianteiro. A mesma
situação acontece no caso inverso.
Neste caso, pare imediatamente o
caminhão em local seguro e verifique
a causa da queda de pressão.

nota: O ponteiro do manômetro


indicará pressão baixa (faixa
vermelha).

O sistema de freios do veículo é de


circuito duplo independente, e os
freios dianteiros e traseiros são a OK

tambor, atuados a ar e comandados P


BRC

por uma válvula pedal. A fixação dos MENU

tambores aos cubos se faz pelos


próprios parafusos de roda que, por
ser de fácil remoção, dispensam a
desmontagem dos cubos e a troca
dos retentores a cada inspeção /
manutenção. Se a pressão da linha de freio cair
Ao longo dos primeiros 1.000 km de devido a alguma falha, o freio de
utilização do veículo, o mesmo deve estacionamento poderá ser utilizado
ser conduzido com prudência durante gradualmente em situação de
as frenagens, em função de ainda emergência, através da alavanca no
não ter ocorrido o assentamento painel.
completo das guarnições com os Uma vez acionada a válvula de
tambores de freios. estacionamento, o sistema de freio
só libera o veículo após a correção da
falha e atingindo a pressão mínima
60 de 6,7 bars nas câmaras de mola
acumuladora.
1
0 12
40 80
km/h

100
Se houver insuficiência
ABS P ABS
20

2
120 de ar no sistema, abaixo
de 4,9 bars, a luz de
0 12

advertência de falha do
ASR

freio correspondente ao circuito


1 ou 2 acende-se no painel e o
No caso de uma eventual alarme sonoro soará. Neste caso,
insuficiência de pressão pneumática pare o caminhão em local seguro
no sistema de freio traseiro, um e verifique a causa da queda de
sistema de emergência passa a atuar, pressão.
115
freios

sistema de freios A função EBD atua eletronicamente


ABS
antitravamento (abs) e sem qualquer necessidade de
O sistema de freios regulagem, ajustando-se de forma
antitravamento (ABS), ajuda a autônoma. Como se trata de uma
manter o controle total da direção função incorporada ao sistema ABS
e a estabilidade direcional do e que atua diretamente no freio
veículo ao frear bruscamente em traseiro, sua falha poderá ocasionar
situações de emergência, evitando o travamento precoce das rodas
o travamento das rodas. O ABS traseiras, com possibilidade de
não funciona durante frenagens derrapagem.
normais, ele monitora a velocidade
de cada roda e começa a atuar
somente quando detecta diferenças
significativas nas velocidades das
rodas, variando a pressão para cada ABS ASR
freio, otimizando a aderência entre
os pneus e o piso.

O sistema de frenagem Se houver falha na função EBD, a luz


antitravamento/antibloqueio (ABS) de advertência de falha do sistema
não eliminará os riscos quando: de freio acende, em conjunto com
• conduzir muito próximo ao veículo as luzes de advertência do sistema
da frente; de freios com ABS e a indicadora
do sistema de controle de tração.
• o veículo aquaplanar; Procure um Distribuidor Ford
• fizer curvas muito rapidamente; Caminhões para verificar o sistema.
• com os pneus em mau estado e/
ou descalibrados.

nota: O ABS não isenta o motorista


da responsabilidade de dirigir com o
devido cuidado e atenção.

O sistema ABS ainda dispõe de uma


função automática de equilíbrio das
forças de frenagem, chamada de
EBD (Electronic Brake Distribution)
que atua de forma semelhante ao
conceito de válvula sensível à carga.
Essa função regula as forças de
frenagem para diferentes condições
de carga homologada do veículo.

116
freios

vÁLvuLa moduLadora cuidado


do freio de Jamais desaplique o freio
esTacionamenTo e de estacionamento quando
a pressão de ar do sistema
emergÊncia
estiver abaixo de 6,7 bars. Nesta
O freio de estacionamento age sobre condição, se o motor for ligado, a
as rodas traseiras do veículo, aplicado pressão de ar aumentará, liberando
através de uma mola. o freio de estacionamento (freio à
A pressão do ar é usada para recuar mola) e o veículo se movimentará,
as sapatas travadas pela ação das podendo provocar acidentes.
molas acumuladoras, e liberar o freio.
freio do reboque
e do semirreboque
(maneTim - se equipado)
OK

P
BRC

O freio de serviço do reboque


MENU

/ semirreboque atua
independentemente dos freios de
serviço e estacionamento do veículo.
O freio de estacionamento possui
a característica de poder ser
aplicado ou liberado gradualmente,
proporcionando, ao condutor,
OK

conforto e segurança toda vez que for BRC

partir com o veículo em subidas.


MENU

para aplicar o freio:


Empurre a alavanca
para baixo até travar.
A luz indicadora do freio de
estacionamento acionado acende- A sua utilização em descidas,
se. principalmente em pisos de pouca
para liberar o freio: aderência auxilia no alinhamento
do veículo reboque / semirreboque,
puxe a alavanca e libere-a para cima. evitando o efeito “L” do reboque /
Não tente colocar o caminhão em semirreboque.
movimento antes que a pressão Se necessário, acione o freio do
atinja 6,7 bar, pois, abaixo desta reboque / semirreboque antes de
pressão, as rodas traseiras estarão aplicar o freio de serviço (freio de
travadas pela ação da mola do freio. pedal), a fim de evitar o efeito “L”
do reboque / semirreboque sobre o
veículo.

117
freios

Em caso de perda de pressão no freio nota: Ao estacionar o conjunto


de serviço, a válvula de proteção na veículo reboque / semirreboque,
APU entra em ação, garantindo a acione o freio de estacionamento,
mínima pressão na linha de serviço engate a primeira marcha e calce as
e o respectivo sinal para o reboque / rodas do reboque / semirreboque.
semirreboque.
Esta proteção permite ao condutor
levar o veículo ao local seguro para
inspeção ou reparos.
freio para parTida em
nota: Informe-se sobre o circuito e o rampas - somenTe para
funcionamento do freio do reboque /
semirreboque e sua compatibilidade o modeLo 1723 KoLecTor
com o veículo.

Caso seja atrelado um OK

reboque / semirreboque
ABS

P
BRC

não equipado com ABS, o


MENU

motorista deve redobrar a


atenção para o possível travamento
em frenagens bruscas das rodas
do reboque / semirreboque.
Os reboques / semirreboques
encontrados no mercado são O freio para partida em rampas
habitualmente equipados com um auxilia o motorista na condução do
reservatório de ar suplementar e modelo Kolector. Quando este está
uma válvula de proteção de forma em uma rampa, ele deve ser atuado
que, no caso de perda de pressão no intervalo onde se libera o pedal do
em um ou nos dois circuitos do freio e aciona o acelerador.
veículo, o reboque / semirreboque
passa a usar ar de seu reservatório,
poupando o ar remanescente nos
circuitos do veículo. Embora os LIBERADO

freios continuem a funcionar com


um nível de desempenho reduzido,
o veículo não deve ser operado
até que o sistema seja reparado e
ambos os circuitos de freio estejam
funcionando perfeitamente. FREANDO

118
freios

Sua válvula não tem trava, portanto Quando a pressão do


não deve ser usada como freio de sistema pneumático atinge a
estacionamento. A alavanca deve pressão nominal de trabalho,
ser liberada assim que o motor tiver aproximadamente 10 bars, o
desenvolvido potência suficiente para governador de ar emite um sinal para
impedir que o veículo desça a rampa. que a válvula de alívio do secador
Os freios serão liberados conforme de ar abra, descarregando para
sua atuação no manetim. a atmosfera todo o volume de ar
contido no reservatório regenerativo.
A Unidade Processadora de Ar
cuidados (APU) contém um silenciador para
Esta válvula não deve ser minimizar o ruído de descarga de ar.
utilizada na substituição do A função do reservatório regenerativo
pedal de freio em situações é eliminar as impurezas contidas no
dinâmicas. Utilizar somente em interior do secador de ar, através da
partida em rampas. descarga. O filtro secador de ar da
Nunca utilize a válvula de APU requer substituição. Consulte
partida em rampas como freio substituição do filtro secador de ar
de estacionamento. Sempre da apu (página 187).
acione o freio de estacionamento ao
sair do veículo.
Ligações adicionais
fiLTro secador de ar no sisTema de ar
comprimido

O secador da unidade processadora


de ar (APU) elimina a umidade
que alimenta o circuito de freio,
evitando o acúmulo de água nos
reservatórios de ar e a contaminação nota: Não utilize o sistema de freios
das válvulas. Para que o secador de para ligações adicionais.
ar trabalhe com máxima eficiência,
o ar proveniente do compressor é
primeiramente resfriado através de
um “trocador de calor” (serpentina).
119
freios

Se for necessária a instalação de desapLicação


ligações adicionais no sistema de ar
comprimido, a ligação deverá ser feita
mecÂnica do freio de
no pórtico 24 da válvula 6 vias da esTacionamenTo
unidade processadora de ar (APU).
A unidade processadora de ar (APU),
dependendo do modelo, pode estar
localizada ao lado direito da caixa
de baterias ou na parte interna da
longarina esquerda.
Caso não seja possível a ligação
direta no pórtico 24 da válvula 6
vias da unidade processadora de ar
(APU), consulte um Distribuidor Ford
Caminhões.

No caso de insuficiência de pressão


siTuação de pneumática no sistema, o freio
de estacionamento pode ser
emergÊncia desaplicado mecanicamente para
que o veículo seja rebocado.
1. Calce as rodas para evitar que o
OK
veículo se movimente;
2. Retire a tampa de proteção da
câmara pneumática;
BRC

P
MENU

3. Com o auxílio de uma chave tipo


estrela, gire o parafuso da haste da
câmara atuadora no sentido anti-
horário, até que as sapatas do freio
Em condições de emergência em que liberem o tambor.
o veículo não tenha ar suficiente no
sistema de freios, para acionar o freio nota: Em nenhuma hipótese abra a
de serviço, o freio de estacionamento câmara pneumática; a alta carga da
pode ser usado como freio de mola acumuladora pode ocasionar
emergência. graves acidentes no caso da remoção
Para isso, o operador deve acionar a das cintas.
manopla do freio de estacionamento
gradativamente, para que o ar saia
das câmaras de freio e as molas
acumuladoras acionem as lonas
contra os tambores de freios parando
o caminhão. Procure um Distribuidor
Ford Caminhões.
120
freios

assisTÊncia de parTida Isso é uma vantagem ao sair com o


veículo em uma rampa, por exemplo,
em rampas (hLa) de rampa de estacionamento,
semáforo ou em manobras de
cuidados estacionamento.
O sistema não substitui o freio A assistência de partida em rampas é
de estacionamento. Ao deixar ativada automaticamente quando o
o veículo, sempre acione o veículo está parado numa rampa com
freio de estacionamento e mova a uma inclinação superior a 3%.
alavanca seletora da transmissão A assistência de partida em rampas
para a posição “N”. funciona com o veículo voltado para
Você deve permanecer no o declive se a marcha a ré estiver
veículo quando o sistema for sido selecionada , sob as mesmas
ativado. condições acima.
Durante todos os momentos, Quando uma carreta estiver atrelada,
você é responsável o sistema também estará disponível.
por controlar o veículo,
utilizando o assistente de saída em
supervisionando o sistema e
aclive
intervindo, se necessário.
1. Pressione o pedal de freio para
Se o motor for colocado em parar completamente o veículo.
rotação excessivamente alta Mantenha o pedal do freio
ou se uma falha for detectada, pressionado.
o sistema será desativado, com 2. Se os sensores detectarem
luz de advertência no painel de que o veículo está em um
instrumentos. aclive, o sistema será ativado
automaticamente.
O sistema de assistência de partida 3. Ao remover a atuação do
em rampas (HLA) facilita a saída pedal de freio, o veículo
quando o veículo se encontra em uma permanecerá parado no aclive
rampa e é necessário usar o freio de por aproximadamente dois ou
estacionamento. Quando a assistência três segundos. Este período de
de partida em rampas está ativa, tempo será automaticamente
o veículo permanecerá parado na prorrogado se você estiver saindo a
rampa por dois a três segundos após a partir de uma posição totalmente
liberação do pedal do freio. imobilizada.
Nesse intervalo, há tempo para tirar o 4. Saia de maneira normal,
pé do pedal do freio e pisar no pedal do que os freios serão soltos
acelerador e partir com o veículo. Os automaticamente.
freios são liberados automaticamente
assim que o motor tiver desenvolvido
potência suficiente para impedir que o
veículo desça a rampa.
121
capacidade de carga

informações gerais peso do veículo em ordem de


marcha:
cuidados Peso do veículo incluindo os
Certifique-se de fixar equipamentos padrão, fluidos,
corretamente toda a carga. lubrificantes, etc. Não inclui
passageiros nem equipamentos
Coloque a carga no nível instalados após a venda.
mais baixo e o mais para
frente possível, dentro do carga Útil:
compartimento de bagagem ou Combinação do peso máximo
carga. permissível para carga, passageiros
e equipamento opcional. A carga
Não ultrapasse o limite útil é igual ao peso bruto total do
máximo de carga sobre os veículo menos o peso do veículo em
eixos dianteiro e traseiro do ordem de marcha.
veículo. Consulte capacidades e
peso bruto do veículo:
especificações (página 226).
Peso básico do veículo em ordem
de marcha mais a carga útil. O peso
A utilização de cargas acima do bruto do veículo não é um limite
especificado poderá acarretar nem uma especificação.
desgaste prematuro e/ou falhas pbT (peso bruto Total do veículo):
estruturais nos componentes do
Peso total máximo do veículo
conjunto do motor, embreagem,
básico, passageiros, equipamento
transmissão e eixo traseiro. Os danos opcional e carga. O PBT é
decorrentes de sobrecarga, uma vez especificado para cada veículo.
comprovados, não serão cobertos
pela garantia. pbme (peso bruto máximo por
eixo):
A prática de sobrecarga pode
também comprometer o Capacidade de carga de cada
sistema de eixo. O PBME é
funcionamento e a durabilidade
específico para cada veículo.
de componentes dos sistemas de
freios e de direção, podendo colocar pbTc (peso bruto Total
em risco a segurança do motorista, combinado):
passageiros e terceiros. Peso máximo combinado do veículo
com reboque (incluindo passageiros
nota: A sobrecarga e a má e carga) e o reboque. O PBTC indica
distribuição de carga comprometem o peso máximo de carga que o
a operação segura do veículo. veículo pode rebocar.

Antes de carregar o veículo, Não utilize pneus de reposição com


familiarize-se com os seguintes capacidade de peso menor que os
termos: originais, pois eles podem reduzir os
limites de carga do veículo.

122
capacidade de carga

recomendações A observação dos limites de peso


recomendados para o veículo,
na insTaLação de bem como a correta distribuição
impLemenTos da carga, além de relacionados
ao desempenho e segurança,
As modificações e a instalação de
contribuem decisivamente para
implementos e/ou acessórios, devem
a vida longa do chassi e demais
sempre estar conforme as orientações
componentes como eixos, molas,
do Manual do Implementador.
amortecedores, longarinas,
Danos ao produto ocasionados pela
rolamentos e pneus.
instalação de implementos e/ou
acessórios são de responsabilidade A condição de sobrecarga não é
do implementador. Os impactos estabelecida somente ao serem
provenientes destas instalações, excedidos os limites indicados;
incluindo horas adicionais para reparo/ a distribuição incorreta da carga
manutenção, não serão cobertos pela na carroçaria também provoca a
garantia do produto. sobrecarga.
O percentual de carga que cada eixo
suporta é determinado pela posição
disTribuição da carga que a mesma ocupa na carroçaria do
veículo.
Assim, uma carga colocada
exatamente no centro (entre-eixos)
determina que seu peso se distribua
equitativamente entre eles; entre-
tanto, se esta mesma carga estiver
posicionada a 3/4 do eixo dianteiro,
somente 25% do peso incidirá sobre
o mesmo, ficando os restantes 75%
sobre o eixo traseiro.
O carregamento correto dos eixos
é estabelecido quando o centro de
gravidade da carga situa-se à frente
do eixo traseiro.
Cargas longas - toras de madeira,
canos, vigas, etc., que se projetam
além da carroçaria, podem
sobrecarregar o eixo traseiro e
prejudicar o chassi.
A distribuição indicada não deve
ser aplicada ao basculante e
outras carroçarias especiais,
que demandam procedimentos
específicos de montagem.
123
reboque e semirreboque

bocais de engaTe (“mão Semirreboque


de amigo”)
Os bocais de engate possuem 2
válvulas de retenção embutidas,
que dão passagem ao ar somente 1
quando acopladas com o bocal
de engate do reboque ou do
semirreboque.
• Bocal de engate (1) (serviço)
(Mangueira azul ).
• Bocal de engate (2) (emergência) engaTe do reboque
(Mangueira vermelha).
(Traseiro)
Quando acoplar um reboque ou
semirreboque, tenha certeza de
que os bocais de engate estão
1 2
encaixados corretamente.

nota: Os bocais de engate possuem


ressaltos diferentes para emergência
e serviço, que impedem o engate
errado dos respectivos tubos.

Antes de fazer o engate, procure


Reboque familiarizar-se com o tipo de
equipamento de engate instalado no
veículo.
O engate para reboque é fornecido
como acessório e pode ser adquirido
no Distribuidor Ford Caminhões.
• Puxe o manípulo (1) para cima e
gire-o no sentido horário.
• Levante a alavanca (2).
• Nessa condição, o pino de engate
está preparado para receber a
barra de engate do reboque.
2 1 • Abaixe a alavanca.
• Gire no sentido anti-horário e
abaixe o manípulo.
• Para desengatar, proceda de
forma inversa.
124
reboque e semirreboque

acopLamenTo do
reboque
OK

cuidados
BRC

MENU

Antes de fazer o acoplamento,


calce firmemente o reboque
para evitar movimento
acidental.
Faça as ligações das
mangueiras pneumáticas, • Acione o freio manual do reboque
da tomada de iluminação e (manetim).
da tomada do ABS, de tal maneira
• Uma segunda pessoa deverá
que não ocorra tensão ou atrito
alinhar a barra de acoplamento
quando em curvas ou movimento da
do reboque com o engate do
suspensão.
caminhão.
• Com o manetim acionado,
movimente cuidadosamente o
caminhão em marcha a ré, até
ocorrer o acoplamento.
• Antes de colocar o conjunto em
movimento, verifique se o reboque
está devidamente acoplado e
confira o funcionamento dos
freios e das luzes do reboque.
2 3 4 1
1. Mangueira pneumática (serviço).
2. Mangueira pneumática
(emergência).
3. Tomada de iluminação.
4. Tomada do ABS.

instalação
• Aproxime o caminhão do reboque
e conecte a tomada de iluminação
e do ABS e as mangueiras
pneumáticas.
• Caso necessário, deixe o motor em
funcionamento para carregar o
reservatório de ar do reboque.
125
reboque e semirreboque

quinTa roda Para removê-los, retire as 4


borboletas de fixação, localizadas
deslocamento
nas extremidades, girando-as no
sentido anti-horário.

acopLamenTo do
semirreboque

cuidados
Para prevenir acidentes,
o acoplamento do cavalo
mecânico ao semirreboque deve
Opcionalmente, a quinta roda ser feito em terreno firme e plano.
poderá ser deslocada, utilizando
as furações disponíveis no suporte O semirreboque deve estar
da mesa. Lembre-se de não com as rodas firmemente
ultrapassar o comprimento máximo calçadas para evitar que
da composição e carregamento se movimente no momento do
por eixo, conforme legislação acoplamento.
vigente. Após a movimentação da O pino-rei do semirreboque
quinta roda para uma das posições deve estar cuidadosamente
disponíveis, reaperte todos os alinhado com a quinta roda.
parafusos com o torque de 400 Nm.
Antes do acoplamento
remoção dos do semirreboque, o pneu
sobressalente deve ser
para-Lamas removido do passadiço. Caso
contrário, poderão ocorrer danos
graves, como amassamento do
passadiço e/ou do semirreboque,
ocasionando a possível perda da
roda/pneu sobressalente.

Antes de esvaziar as bolsas de


ar (suspensão pneumática) e/
ou acoplar o semirreboque, as
partes centrais dos paralamas das
rodas traseiras devem ser retiradas
A parte superior dos para-lamas a fim de evitar danos aos paralamas
traseiros é removível, a fim de evitar e pneus.
danos quando trafegar em pisos
irregulares, estradas ou acessos não
pavimentados.
126
reboque e semirreboque

4. Desloque a trava para cima.

1. Aproxime o cavalo mecânico do


semirreboque e alinhe o pino-rei.
1

2
5. Desloque a alavanca para a direita
(1) e puxe-a para fora (2).
6. Movimente o veículo para trás
2. Quando equipado com suspensão até que o acoplamento esteja
a ar, puxe a válvula “push-pull” completo.
para que a suspensão traseira
abaixe, facilitando o acoplamento
da quinta roda com o pino-rei.

1 3 4 2
3. Posicione a quinta roda plana. 7. Acople os bocais de engate
Deixe uma diferença de altura de pneumáticos (1) (2) (“mão de
20 mm, aproximadamente. amigo”), a tomada de iluminação
(3) e do ABS (4). Verifique
se os bocais de engate estão
firmemente travados.
8. Quando equipado com suspensão
a ar, aperte a válvula “push-pull”
para a suspensão voltar à altura
de trabalho.

Trava
127
reboque e semirreboque

1. Estacione em terreno plano e


calce as rodas do semirreboque,
mantendo o freio de
estacionamento aplicado.

9. Inspecione o correto travamento


do pino-rei e da quinta roda.
Levante o pé de apoio e remova os
calços das rodas. 2. Abaixe o pé de apoio do
semirreboque.
desacopLamenTo do
semirreboque

cuidado
Para prevenir acidentes ao
desacoplar o cavalo mecânico
do semirreboque, o conjunto
deve estar estacionado em terreno
plano e firme com as rodas do
semirreboque firmemente calçadas.

Para trafegar com o cavalo mecânico 3. Desacople os bocais de engate


desacoplado do semirreboque, pneumáticos(mão de amigo), a
mantenha os bocais de engate no tomada de iluminação e do ABS.
suporte mão de amigo.

128
reboque e semirreboque

4. Desloque a trava (1) para cima. 8. Quando equipado com suspensão


a ar, pare o veículo e aperte
a válvula “push-pull” para a
suspensão voltar à altura de
trabalho.

1
Tomada de força
(iLuminação)

2 semirreboque

5. Desloque a alavanca para a direita


(1) e puxe-a para fora (2).

reboque
6. Quando equipado com suspensão
a ar, puxe a válvula “push-pull”
para que a suspensão traseira
abaixe, para desacoplar o
semirreboque.

7. Trave a alavanca, libere o freio


de estacionamento e saia com o
cavalo mecânico.
129
reboque e semirreboque

Está localizada no passadiço nota: A capacidade dos fusíveis e


e na travessa a tomada para das lâmpadas não deve ser alterada,
iluminação do semirreboque e do exceto quando especificada. A fiação
reboque (24 V) com 15 e 7 pinos, elétrica das novas instalações deve
respectivamente. estar conforme especificado. Sempre
que possível, utilize as mesmas cores
identificação dos terminais da fiação elétrica dos terminais do
conector de distribuição.
7 pinos 15 pinos
Cada terminal do conector de
distribuição tem a sua utilização
9 10
específica.
8 15 11 1
7 14
12 2
6 13 3
5 4

identificação dos terminais (7 pinos)

posição circuito cor capacidade 24 v descrição

1 GD152 Preto / Azul - Negativo terra

Lanterna de
2 CAT17A Branco 75 W posição, lado
esquerdo
Indicador de
3 CAT06 Amarelo 63 W direção, lado
esquerdo
Amarelo /
4 CAT18C 168 W Freios
Laranja
Indicador de
5 CAT09 Verde 63 W direção, lado
direito
Lanterna de
6 CAT17B Branco 75 W posição, lado
direito

Cinza / Lanterna marcha


7 CAT16C 84 W
Marrom a ré

130
reboque e semirreboque

identificação dos terminais (15 pinos)

posição circuito cor capacidade 24 v descrição


Indicador de
1 CAT06 Amarelo 126 W direção, lado
esquerdo
Indicador de
2 CAT09 Verde 126 W direção, lado
direito

3 Livre - - -

4 A_CD152 Preto / Azul - Negativo terra

Lanterna de
5 CAT17A Branco 75 W posição, lado
esquerdo
Lanterna de
6 CAT17B Branco 75 W posição, lado
direito
Amarelo /
7 CAT18A 168 W Lanterna / Freios
Laranja
Cinza / Lanterna / Marcha
8 CAT16C 84 W
Marrom a ré
Amarelo / Positivo constante
9 SBP82 -
Vermelho (expansão)
Preto / Negativo terra
10 B_GD184C -
Cinza (expansão)
Azul /
11 CBP71D - Ignição
Laranja

12 Livre - - -

13 Livre - - -

Marrom / Linha de
14 VDB25B -
Verde comunicação alta
Linha de
Marrom /
15 VDB26B - comunicação
Azul
baixa

131
reboque e semirreboque

Tomada para sisTema


abs

1 2
7 3
6 4
5

A tomada para alimentação do


Módulo Eletrônico do Sistema ABS
do semirreboque e do reboque, está
localizada no passadiço e na travessa
respectivamente.
Veja as posições dos terminais, suas
funções, bitolas dos cabos e cores
dos isolantes respectivos.

bitola do
posição circuito cor
cabo
Positivo ignição
1 Alimentação módulo 4 mm2 Marrom / Vermelho
ABS reboque
Positivo ignição
2 Alimentação módulo 1,5 mm2 Trocar só a bitola do cabo
ABS reboque
Terra
3 1,5 mm2 Preto / Verde
Módulo ABS reboque
Terra
4 4 mm2 Preto / Azul
Módulo ABS reboque
Sinal de retorno do módulo
ABS reboque para luz de
5 1,5 mm2 Violeta / Laranja
advertência no painel de
instrumentos

6 Livre

7 Livre

132
reboque e semirreboque

insTaLação de
iLuminação adicionaL

Localizados junto ao suporte de


interligação do chicote do motor
e da lanterna traseira, presos ao
ramal principal do chicote do motor,
encontram-se os cabos isolados para
a instalação de iluminação adicional.
Por exemplo, baú, semirreboque, etc.

posição circuito cor capacidade 24 v descrição

1 A_GD 152 Preto / Azul - Negativo terra

Lanterna de
2 CAT17A Branco 75W
posição
Indicador de
3 CAT06 Amarelo 63W direção, lado
esquerdo
Amarelo /
4 CAT18A 168W Freios
Laranja
Indicador de
5 CAT09 Verde 63W direção, lado
direito
Cinza / Lanterna / Marcha
6 CAT16C 84W
Marrom a ré

133
sugestões de condução

informações gerais Use somente rodas e pneus de


medidas aprovadas. O uso de outras
Este veículo está de acordo com a
medidas pode danificar o veículo.
Lei n° 9.503, de 23 de setembro de
1997 (Código de Trânsito Brasileiro),
tem a classificação “caminhão”, na freios e embreagem
espécie veículo de carga, estando
sujeito a todas as restrições legais cuidado
de circulação e estacionamento Se possível, evite o uso intenso
impostas a tais veículos, inclusive dos freios e da embreagem
em relação à obrigatoriedade durante os primeiros 150 km
de pesagem em balanças e à na cidade e nos primeiros 1500 km
exigência de que o seu condutor em rodovias.
possua a Carteira Nacional de
Habilitação(CNH) da categoria
motor
específica.
Não é necessário amaciamento
prévio, podendo-se operar o veículo
cuidado normalmente a partir dos primeiros
Veículos utilitários possuem quilômetros.
centro de gravidade mais
elevado do que a maioria cuidados
dos automóveis. Devido a essa Evite velocidades altas por
característica, esses veículos períodos prolongados e
apresentam comportamento acelerações fortes.
diferenciado dos automóveis.
Assim, especialmente nas Evite altas rotações do motor
curvas ou mudanças de faixa de e acelerações desnecessárias,
rolamento, o risco de capotagem poupando-o, economizando
é maior, devendo o condutor ter combustível, baixando o nível de
maior atenção e prudência nessas ruídos e ajudando a proteger o meio
situações. ambiente.

rodagem aceLerador
pneus eLeTrônico
No caso do pedal do acelerador
cuidado ficar preso ou enroscado, aplique
Os pneus novos precisam pressão constante e firme no pedal
ser amaciados por do freio para retardar o veículo
aproximadamente 500 km. e reduzir a potência do motor.
Durante esse tempo, você poderá A luz de advertência do motor
perceber características diferentes acenderá no painel de instrumentos,
de condução. ativando a função BOA (Brake Over
Accelerator).
134
sugestões de condução

Se você estiver nesta condição, 2. Distância da jornada e


pare o veículo em um local seguro. temperatura ambiente:
Desligue o motor, coloque a Partidas a frio frequentemente
transmissão em neutro e aplique o e pequenos percursos, durante
freio de estacionamento e, então, os quais o motor não chega a
inspecione o pedal do acelerador. Se alcançar a temperatura normal
nenhuma anomalia for encontrada de serviço, resultam em elevado
e a condição persistir, procure um consumo de combustível.
Distribuidor Ford Caminhões o mais
breve possível. 3. Condições de trânsito de estrada:

Não é recomendado descansar o pé Trânsito lento, dirigir em aclive,


sobre o pedal do freio. Ao manter o muitas curvas e estradas em más
pé levemente sobre o pedal do freio condições aumentam o consumo
(descansar o pé) sem frear o veículo de combustível.
efetivamente, a luz de advertência do 4. Hábitos de dirigir:
motor pode se acender, sem que isto Seu veículo foi projetado para
represente um mau funcionamento proporcionar transporte seguro,
do motor. confortável e econômico
por milhares de quilômetros.
operação em baixas Entretanto, nada substitui o
cuidado e uso de boas práticas
TemperaTuras de direção. Dirija com prudência,
Quando o veículo trafegar por antecipando eventuais situações
períodos prolongados a baixas de perigo, e mantenha distância
temperaturas, (temperatura de segurança suficiente em
ambiente inferior a 5°C) deve-se relação ao veículo à sua frente.
usar um filtro separador de água Se for necessária uma espera
especial (de Inverno) e um sistema longa em passagem de nível
de aquecimento de ARLA 32. ou semáforos, aconselha-se
desligar o motor. Três minutos de
espera com o motor funcionando
condução econômica em neutro equivalem a um
existe uma série de fatores percurso de aproximadamente 1
que afetam diretamente e quilômetro.
indiretamente o consumo de 5. Manutenção:
combustível de um veículo movido • Mantenha a pressão correta
a diesel. dos pneus e utilize somente as
1. Velocidade do veículo e seleção medidas recomendadas;
de marcha: O consumo de • A operação de veículo com as
combustível diminui quando rodas desalinhadas aumenta
se conduzir o veículo com a o consumo de combustível e
rotação do motor dentro da faixa desgaste dos pneus.
econômica (verde).

135
sugestões de condução

6. Condições: Fatores mais relevantes:


• Veículo sobrecarregado terá • Identifique as necessidades da
a economia de combustível operação com as capacidades
prejudicada em qualquer máximas de carga e de tração;
velocidade; • Verifique o peso e requisitos de
• Transporte de peso desnecessário distribuição de carga para cada
reduz a economia de combustível; eixo;
• O consumo de combustível • A qualidade do combustível
aumenta em baixas temperaturas utilizado é um dos fatores
durante os primeiros 15 km de mais importantes para o bom
condução; funcionamento do veículo e para o
• Terrenos planos melhoram meio ambiente.
a economia de combustível
em comparação com os condução
montanhosos;
A maneira de condução do motorista
• Conduza o maior tempo possível é também uma das variáveis que
com velocidade constante e mais influencia no consumo de
pressão estável sobre o pedal do combustível do seu veículo.
acelerador;
A melhor condição de operação
• Feche os vidros durante a acontece com a rotação do motor
condução em velocidades dentro da faixa econômica, onde
elevadas. o torque do motor é máximo e o
consumo de combustível é menor.
segue algumas recomendações Além disso, a utilização adequada do
para que o seu veículo atinja a faixa controle automático da velocidade
ideal de consumo de combustível. afeta diretamente o consumo de
Tipo de veículo combustível, devendo ser utilizado
principalmente em condições de
A preocupação com o consumo de estrada plana, para que a velocidade
combustível deve existir desde a permaneça constante sem a
hora da compra do seu veículo. A necessidade de manter pressionado
utilização do modelo mais adequado o pedal do acelerador.
para cada aplicação é fundamental
para que o consumo de combustível Outra recomendação muito
esteja o mais próximo possível do importante é não trafegar
ideal. com o veículo desengrenado
(popularmente conhecido como
‘‘banguela’’), pois esta condição
aumenta o consumo de combustível,
tornando-o igual àquele quando o
veículo opera em marcha lenta.

136
sugestões de condução

Quando se opera o veículo TacômeTro


engrenado, sem pressionar o pedal
do acelerador, o consumo de
combustível tende a zero, devido à
programação eletrônica do motor. 5 20
10 100rpm 25
5 30
para participar do Treinamento
de operação oferecido pela ford, 0 35
entre em contato com o seu
distribuidor ford caminhões.

qualidade do combustível
O tacômetro é dividido em faixas
A utilização de combustível operacionais, que identificam
adulterado, contaminado e / o regime em que o motor está
ou de má qualidade, danifica os operando, indicando as rotações por
componentes internos do motor, minuto (rpm) do motor.
tendo como consequência:
Visando atingir a faixa ideal de
• Ruído anormal do motor; consumo de combustível, deve-se
• Falha do motor em aceleração; operar o veículo na rotação do motor
• Perda de torque do motor; dentro da faixa econômica (verde),
adequando a marcha utilizada à
• Consumo elevado de
velocidade, carga transportada e às
combustível;
condições da estrada.
• Consumo excessivo de óleo
lubrificante do motor; faixa 1 - verde contínua
• Carbonização dos pistões; Faixa de trabalho onde o motor está
operando dentro das condições
• Travamento dos anéis;
normais de regime de torque e
• Emissão excessiva de fumaça potência. O consumo ideal de com-
pelo escapamento, aumentando bustível será obtido mantendo-se
a poluição atmosférica. a rotação do motor o maior tempo
possível dentro da faixa verde
contínua, onde o motor opera nos
valores de torque máximos.
faixa 2 - Tolerância
É uma faixa de operação e
funcionamento normal do motor,
que oferece maior desempenho
ao caminhão, porém, é uma faixa
de rotação que não oferece um
consumo ideal como na faixa 1 -
verde contínua.
137
sugestões de condução

faixa 3 - advertência
Indica que o motor está entrando
em rotação excessiva durante
acelerações. Quando a rotação
do motor se aproximar da faixa
vermelha, entrará em ação o sistema
de proteção do motor, cortando a
alimentação do motor com queda
da rotação. Em algumas situações
de redução de velocidade, o ponteiro
pode entrar na faixa de advertência,
não causando danos ao motor.

faixa 4 - vermelha
Indica rotação excessiva e não é
recomendada em nenhuma situa-
ção. Em desacelerações e ao trafegar
em declives, engrene uma marcha
compatível e use o freio-motor e/
ou freio de serviço para controlar a
velocidade e rotação do motor.

138
emergência na estrada

LuZes inTermiTenTes Deve-se fazer inspeção visual


mensalmente, verificando se o
de adverTÊncia (pisca- indicador e a carcaça não estão
aLerTa) danificados, se o gatilho está em
condições de operação e se não
há qualquer obstrução na saída do
extintor.
As instruções para seu uso são
encontradas no próprio extintor. Sua
manutenção é de responsabilidade
do proprietário, portanto, deverá
ser feita seguindo as instruções
do fabricante impressas no
equipamento.
O interruptor está localizado no Deve-se respeitar o prazo de
painel de comandos. validade que se encontra no extintor,
observando as recomendações
Pressione o interruptor para ligar/
de verificação no mesmo. Se o
desligar as luzes intermitentes de
plástico transparente que envolve
advertência.
o extintor para o transporte ainda
estiver colocado, remova-o para que
nota: Utilizado somente em não cause obstrução em caso de
caso de emergência, para avisar o eventual utilização do extintor.
tráfego quanto a veículo avariado,
Ao substituí-lo, certifique-se que
aproximação de perigo, etc. O
seja por um extintor de incêndio com
interruptor pode ser acionado com a
carga de pó ABC.
ignição desligada.

exTinTor de incÊndio TriÂnguLo de


segurança

Está localizado na frente do banco O triângulo está localizado sob o


do passageiro. Sua remoção se assento do banco do passageiro.
dá puxando a alça da presilha de Para acessá-lo, retire o assento do
fixação. banco e solte a cinta de fixação.
139
emergência na estrada

nota: Alguns países do Mercosul conectando os cabos da bateria


exigem a presença e utilização
de dois triângulos de segurança. B
Consulte a legislação vigente no 3 2
seu destino para se certificar das
exigências locais. D
4

parTida do veícuLo com 1

baTeria auxiLiar
C
A
cuidados E
Utilize exclusivamente A. Veículo com as baterias
baterias com a mesma tensão descarregadas.
nominal. B. Baterias auxiliares.
Utilize cabos auxiliares de C. Motor de partida.
partida com garras metálicas
de polos isolados e cabo de D. Carcaça da embreagem.
bitola apropriada. E. Cabo auxiliar.
Certifique-se de que os cabos
1. Conecte o cabo auxiliar no
estejam afastados de peças
terminal positivo (+) da bateria
móveis do motor.
descarregada.
No caso da bateria auxiliar 2. Conecte o cabo auxiliar no
estar montada em outro terminal positivo (+) da bateria
veículo, eles não deverão auxiliar.
manter contato entre si.
3. Conecte o cabo auxiliar no
terminal negativo (–) da bateria
nota: Não desligue a bateria do auxiliar.
sistema elétrico do veículo. 4. Conecte o cabo auxiliar no
terminal do cabo negativo da
bateria, na extremidade que
está parafusada na carcaça da
embreagem.
5. Dê partida no motor do veículo
com as baterias descarregadas,
mantendo sua rotação em regime
de marcha lenta por dois minutos,
aproximadamente, antes de ligar
consumidores de energia como
ventilação forçada, faróis, etc.
140
emergência na estrada

6. Desconecte, então, os cabos • Desconecte a árvore longitudinal,


auxiliares dos terminais de ambas evitando, assim, danos à
as baterias, começando pelo cabo transmissão.
negativo da bateria auxiliar, e • Certifique-se que haja pressão de
depois pelo do veículo. ar suficiente para a desaplicação do
freio de estacionamento (6,7 bars).
cuidados • Calce as rodas do veículo
Quando da utilização de rebocador, assegurando-se
bateria auxiliar para partida de que o mesmo não se movi-
do motor, cuidado com faíscas mente enquanto o freio de
que possam provocar a ignição dos estacionamento do rebocado for
gases desprendidos pela bateria. desaplicado.
Evite o contato do ácido • Ponha o motor em
sulfúrico da bateria com a funcionamento, ou ligue o sistema
pele, olhos, roupas ou com de pressão de ar do veículo ao do
o veículo. No caso de eventual reboque. Se isso não for possível, o
respingo, lave imediatamente a freio de estacionamento deve ser
área atingida com água corrente. Se liberado mecanicamente, através
necessário, procure por cuidados do mecanismo desaplicador da
médicos. mola da câmara. consulte freios
(página 115).

reboque
Se em uma emergência necessitar nota: Certifique-se de que a
rebocar o veículo e o serviço de transmissão esteja em neutro.
guincho não estiver disponível, utilize
o pino de reboque e o grampo.
para-choque alto
Para acessá-los, retire o assento do
banco do passageiro e retire-os do
suporte. Instale o pino e o grampo
na parte central do para-choque
dianteiro, atrás da placa de licença,
que deve ser basculada.

nota: Jamais utilize corrente, cabos


flexíveis ou cordas; o reboque deve
ser feito apenas com um cambão.

Sempre que for necessário rebocar


o veículo por uma distância superior
a 10 km, descarregue-o antes da
operação. Se o veículo estiver
atolado, deve necessariamente ser
descarregado antes de ser rebocado.
141
emergência na estrada

para-choque fora de estrada

• Abra o capuz.
• Por trás do para-choque, empurre
a portinhola para fora, até que se
solte do alojamento.
• Instale o cambão, o pino de
reboque e trave-o com o grampo.

Sempre que possível, mantenha o


motor em funcionamento durante
o rebocamento, para que a direção
hidráulica possa operar.
Identifique a traseira do veículo
rebocado com os dizeres “em
reboque” e, caso o comprimento
total de ambos os veículos -
incluindo a barra rígida - exceda doze
metros, coloque também a indicação
“veículo longo”.

142
s.o.s. ford caminhões

É um serviço de assistência gratuita como soLiciTar os


que pode ser acionado 24 (vinte e
quatro) horas por dia, todos os dias
serviços do s.o.s. ford
da semana, sempre que o veículo caminhões
estiver fora do domicílio (endereço No Brasil, ligue gratuitamente para
do proprietário ou da sede da 0800 703 3673.
empresa). Utilizado em situações
Nos demais países integrantes do
emergenciais, quando o veículo
Mercosul, ligue a cobrar para 55 11
apresentar pane (defeito de origem
4331 5072, solicitando auxílio da
mecânica ou elétrica, que impeça o
companhia telefônica local.
veículo assistido de rodar por meios
próprios), seja no Brasil ou em outros Durante a ligação tenha em mãos os
países da América do Sul: Argentina, seguintes dados:
Uruguai, Paraguai e Chile. a) o número do chassi (identificado
Se necessário, o S.O.S. Ford no documento de licenciamento);
Caminhões poderá solicitar ao b) placa do veículo;
usuário um comprovante de c) nome do proprietário ou condutor;
domicílio. Entre as facilidades, estão:
reparo por telefone ou local, remoção d) telefone para contato;
do veículo assistido, retorno ao e) o motivo da chamada;
domicílio ou continuação da viagem, f) endereço onde se encontra o
hospedagem, chaveiro, entre outros. veículo.
Veja a seguir todos os detalhes que
compõem o serviço S.O.S. Ford Todas as ligações serão gravadas,
Caminhões. com todas as garantias de proteção
e sigilo exigidas por lei. O Usuário
período de validade será informado no início da ligação.
O serviço de assistência 24 (vinte
e quatro) horas é válido durante o nota: Os pagamentos ou reembolsos
período da garantia do veículo. de despesas serão complementares
Alguns modelos possuem garantia aos que forem pagos ao Usuário por
estendida para determinados serviços similares ao do S.O.S. Ford
componentes, caso algum destes Caminhões, por terceiros respon-
componentes apresente alguma sáveis ou por seguradoras, vedada a
pane durante o período da garantia, duplicidade dos benefícios previstos
o veículo estará coberto pelo serviço neste folheto.
de assistência gratuita. Para isso,
não deixe de cumprir o plano de
manutenção do veículo, observando
os devidos prazos e quilometragens
de revisão. Este período é contado a
partir da data da compra do veículo,
pelo primeiro proprietário.

143
s.o.s. ford caminhões

serviços disponíveis Caminhões de sua preferência.


Em caso de acidente de trânsito,
sem franquia de quilometragem
o veículo somente poderá ser
1. reparo por telefone removido após a liberação
Caso o veículo apresente alguma pelas autoridades de trânsito
pane que impeça sua locomoção competentes.
por meios próprios, o S.O.S. Ford O limite máximo de custo por evento
Caminhões buscará, sempre que é de R$ 1.800,00 (mil e oitocentos
possível, esgotar as alternativas reais).
existentes para solucionar a pane
4. guarda do veículo
através do telefone, orientando o
Usuário sobre como proceder. As Em função do horário da assistência,
orientações transmitidas levarão o veículo assistido poderá
em consideração a segurança do ser removido pelo S.O.S. Ford
Usuário, do veículo e a integridade Caminhões para guardá-lo em um
da garantia de fábrica. local seguro para posterior ingresso
no Distribuidor Ford Caminhões, no
2. reparo no local
primeiro dia útil após a assistência.
Caso seja tecnicamente viável, será
O custo deste serviço está incluso
enviado um técnico para realizar
no limite máximo previsto no item
o reparo no local. Esta alternativa
Remoção do veículo.
será utilizada na impossibilidade
de solucionar a pane através do 5. Transmissão de mensagens
telefone. Esse serviço será realizado urgentes
pelo Distribuidor Ford Caminhões Caso haja a utilização efetiva de
disponível mais próximo. Cabe única qualquer um dos serviços descritos
e exclusivamente ao S.O.S. Ford anteriormente, você poderá solicitar
Caminhões determinar, de acordo a transmissão de uma mensagem,
com cada situação, quais são os através do telefone, de caráter
reparos tecnicamente viáveis de se pessoal ou profissional.
realizar no local, levando sempre
6. informações sobre telefones
em consideração a segurança do
úteis
Usuário, do veículo e a integridade
da garantia de fábrica. O S.O.S. Ford Caminhões informará
3. remoção do veículo ao Usuário os endereços e telefones
da Rede de Distribuidores Ford
O veículo será removido até o
Caminhões, hotéis, hospitais e
Distribuidor Ford Caminhões mais
delegacias de polícia.
próximo quando não for possível
a realização do reparo no local. Sendo necessária a substituição de
Existindo mais de um Distribuidor uma ou mais peças, o Distribuidor
Ford Caminhões dentro de um raio Ford Caminhões fará uma análise no
de 50 km (cinquenta quilômetros) momento do atendimento e, se as
do local da pane, o Usuário poderá falhas encontradas não estiverem
escolher o Distribuidor Ford relacionadas à qualidade e/ou

144
s.o.s. ford caminhões

defeito de fabricação, o reparo deverá no limite máximo previsto no item


ser pago pelo Usuário diretamente Remoção do veículo.
ao Distribuidor Ford Caminhões no Caso não seja possível disponibilizar
momento do atendimento. o transporte dos beneficiários
Veículos com carga devem ser (Usuário mais dois ocupantes do
descarregados antes que seja veículo assistido) no mesmo dia em
efetuada a remoção do veículo. que ocorrer a pane, o S.O.S. Ford
O S.O.S. Ford Caminhões não se Caminhões poderá disponibilizar um
responsabiliza pela retirada, guarda pernoite em hotel padrão 3 estrelas
ou danos à carga transportada pelo da região para os mesmos.
Usuário e/ou por objetos deixados no
interior do veículo.
2. hospedagem
Veículos atrelados a reboque
ou semirreboque devem ser Constatada a impossibilidade
desatrelados antes que seja feita a de reparar o veículo assistido no
remoção do veículo. O S.O.S. Ford prazo de 1 (um) dia útil, desde que
Caminhões não se responsabiliza previamente atendido pelo S.O.S.
pela retirada, guarda ou danos à Ford Caminhões, e o Usuário opte
carga transportada pelo Usuário e / por não utilizar o serviço de retorno
ou por objetos deixados no interior do ao domicílio ou continuação da
veículo. viagem, poderão ser disponibilizadas
até 2 (duas) diárias em hotel
serviços disponíveis em caso de padrão 3 estrelas da região para
pane a partir de 50 km do domicílio os beneficiários (Usuário mais dois
1. retorno ao domicílio ou ocupantes do veículo assistido).
continuação da viagem Os itens retorno ao domicílio
Constatada a impossibilidade ou continuação da viagem dos
de reparar o veículo assistido no beneficiários e hospedagem não são
prazo de 1 (um) dia útil, desde que cumulativos. Não estão cobertas
previamente atendido pelo S.O.S. despesas extras de hospedagem,
Ford Caminhões, será disponibilizado tais como: refeições, bebidas e todas
aos beneficiários (Usuário mais dois aquelas que não estejam inclusas no
ocupantes do veículo assistido) o custo da diária do hotel.
meio de transporte mais adequado
para o retorno ao domicílio. Se o
Usuário optar pela continuação da
viagem, o S.O.S. Ford Caminhões
providenciará o transporte dos
beneficiários (Usuário mais dois
ocupantes do veículo assistido)
até o local de destino, desde que a
distância seja equivalente ou inferior
à de retorno ao domicílio.
O custo deste serviço está incluso
145
s.o.s. ford caminhões

3. Transporte do usuário para a 2. Transporte do usuário falecido e


recuperação do veículo envio de familiar
Caso o veículo do Cliente esteja No caso de falecimento do usuário
guardado fora do município onde ele em decorrência de acidente de
se encontra, o S.O.S. Ford Caminões trânsito com o veículo assistido, o
cobrirá os custos de transporte S.O.S. Ford Caminhões tratará das
do condutor (ou 1 pessoa por ele formalidades para o repatriamento
indicada) para a recuperação do do corpo, garantindo o pagamento
mesmo. O meio de transporte fica das despesas: transporte até o local
a critério do S.O.S. Ford Caminhões, de inumação no Brasil e gastos para
limitado ao custo de uma passagem o fornecimento da urna funerária
aérea de classe econômica. necessária para este transporte. O
4. envio de chaveiro limite máximo de custo deste serviço
é de R$ 1.800,00 (mil e oitocentos
Em caso de quebra ou abandono da reais). O S.O.S. Ford Caminhões
chave no interior do veículo, o S.O.S. cobrirá também as despesas de
Ford Caminhões poderá providenciar transporte de 1 (um) familiar para o
o envio de um chaveiro até o local local onde se encontra o corpo.
da assistência. A confecção da
chave e/ou das fechaduras são de Esse serviço está limitado a 1 (uma)
responsabilidade do Usuário. passagem aérea de ida e volta, em
linha regular, classe econômica,
abrangendo a distância entre o local
serviços disponíveis em caso de do acidente de trânsito e o domicílio.
acidente de trânsito a partir de 50 disposições gerais
km do domicílio
• Para cada assistência prestada
1. Transporte inter-hospitalar ou pelo S.O.S. Ford Caminhões,
remoção médica o custo total dos serviços
Em decorrência de acidente de acima descrito, inclusive custos
trânsito com o veículo assistido e referentes a pedágios, balsas e
depois de prestados os primeiros outras taxas, estão cobertos até o
socorros, quando o centro limite financeiro.
hospitalar da localidade não • O S.O.S. Ford Caminhões se
dispuser de recursos adequados responsabilizará por eventuais
para o tratamento do quadro danos que venham a ocorrer no
clínico apresentado, o S.O.S. Ford veículo assistido durante sua
Caminhões fará o transporte do remoção até o Distribuidor Ford
Usuário em ambulância ou no Caminhões, desde que esse
meio recomendado pelo médico serviço tenha sido organizado
responsável, até o centro hospitalar pelo S.O.S. Ford Caminhões e
capacitado mais próximo. que o Usuário comunique o dano
O limite máximo de custo por provocado em um prazo máximo
evento é de R$ 2.500,00 (dois mil e de 24 (vinte e quatro) horas da
quinhentos reais). realização do serviço.

146
s.o.s. ford caminhões

Em qualquer situação, estão consequência de doença crônica;


excluídas as indenizações por • Serviços especiais para resgate do
lucros cessantes. veículo, em casos de acidentes de
• O S.O.S. Ford Caminhões prestará trânsito em locais de difícil acesso;
os serviços sempre de acordo com • Reparos, após a entrada do
as disponibilidades locais. veículo assistido no Distribuidor
• Os eventuais reembolsos de Ford Caminhões.
despesas previamente analisados perda de assistência em casos de:
e autorizados deverão obedecer
aos procedimentos informados • Participação do veículo em
pelo S.O.S. Ford Caminhões. competições de qualquer espécie
ou natureza;
• Ficarão sob responsabilidade do
Usuário as taxas de liberação do • Toda e qualquer falha que
veículo a serem pagas aos órgãos caracterize falta de manutenção
oficiais, como polícia, DETRAN, do veículo;
prefeitura, entre outros. • Morte por suicídio ou lesões e
consequências decorrentes de
exclusões tentativas do mesmo;
Não serão reembolsadas despesas • Tráfego por estradas ou caminhos
provenientes de: de difícil acesso aos veículos
• Serviços providenciados comuns ou não abertos ao
diretamente pelo Usuário, sem tráfego;
prévia aprovação do S.O.S. • Acidente causado pelo Usuário,
Ford Caminhões e cobrança devido ao consumo de álcool,
de qualquer indenização ou drogas, produtos tóxicos, entre
reparação; outros;
• Aquisição de próteses e óculos, • Atos intencionais, atividades
bem como despesas de criminosas ou dolosas do Usuário.
assistência por gravidez ou parto;
caso fortuito ou de força maior,
• Assistências médicas, entre eles:
farmacêuticas, hospitalares e
odontológicas despendidas pelo • atos de terrorismo e vandalismo,
Usuário no Brasil ou no exterior; greves, guerras e quaisquer
perturbações de ordem pública;
• Tratamento de doenças nervosas,
neuroses, psicoses, inclusive • atos ou atividades das Forças
traumática ou puerperal, bem Armadas ou de Forças de
como as causadas por epilepsia Segurança em tempos de paz;
traumática ou essencial, que • eventos causados por efeito
exijam internação, psiquiatria, nuclear ou radioativo;
psicanálise, psicoterapia ou • eventos decorrentes de
sonoterapia; fenômenos da natureza, tais como:
• Tratamento de doenças ou inundações, terremotos, etc.
lesões que se produzam como
147
s.o.s. ford caminhões

poderá ocorrer o cancelamento do pane


serviço de assistência quando: Todo defeito de origem mecânica ou
• o Usuário omitir informações elétrica, reconhecido pela Ford Motor
ou fornecer falsas informações Company Brasil Ltda. que impeça o
intencionalmente; veículo assistido de rodar por meios
• o Usuário causar ou provocar próprios.
intencionalmente um fato que usuário
dê origem à necessidade de Proprietário ou condutor do veículo
prestação dos serviços aqui no momento da Assistência, desde
descritos. que tenha residência no Brasil.
O S.O.S. Ford Caminhões é um veículo assistido
serviço de atendimento para casos
de emergência, portanto não Veículo que consta na base de dados
atenderá veículos que estejam aptos do S.O.S. Ford Caminhões.
a rodar por meios próprios e que
tenham condições de se dirigir até
um Distribuidor Ford Caminhões.
definições dos Termos
uTiLiZados
acidente de trânsito
Colisão ou capotagem envolvendo
direta ou indiretamente o veículo
assistido e que o impeça de rodar
por meios próprios.
assistência
Todos os serviços prestados aos
beneficiários e ao veículo assistido,
gerados por pane ou acidente de
trânsito.
beneficiários
Usuário mais 2 (dois) ocupantes do
veículo assistido, desde que afetado
por problemas mecânicos e/ou
elétricos ou acidente de trânsito.
domicílio
Endereço do proprietário (no
caso de pessoa física) ou da sede
da empresa (no caso de pessoa
jurídica) constante na base de dados
do S.O.S. Ford Caminhões.

148
fusíveis e relés

cenTraL eLéTrica dos caixa de fusíveis na


fusíveis e reLés caixa da baTeria
(somente para veículos equipados
com transmissão automatizada)

Posicionada acima do porta-luvas,


a central elétrica contém fusíveis
e relés identificados por símbolos
alfanuméricos na etiqueta colada na
tampa. A capacidade de corrente de
cada fusível é identificada pela cor. Posicionada dentro da caixa de
baterias.

Para remover a tampa da central


elétrica, puxe pela parte superior. Para abrir a tampa, pressione as
abas e levante para o lado direito.

Encaixe a parte inferior para instalar


e aperte a parte superior até travar.
149
fusíveis e relés

TabeLa de especificações
Veículos com sistema elétrico de 24 V.
Etiqueta de identificação de fusíveis e relés localizada sob a tampa da central
elétrica, acima do porta-luvas.

FUSE AND RELAYS TABLE - TABELA DE FUSÍVEIS - TABLA DE FUSIBLES Y RELAYS

J1 J6 R7 R9 R12 R15
R1 R3 R5
J2 J7
R8 R10 R13 R16
J3 J8
R2 R4 R6
J4 J9 R11 R14 R17
J5 J10 J11 J12 J13 J14 J15 J16

R18 R19 R22

R20 R23

R21 R24

BC45-14A090-AB

150
fusíveis e relés

Fusíveis
* Equipados com transmissão manual
** Equipados com transmissão automatizada

posição capacidade descrição

J1 40 A F19 / 21 / 23 / 25 / 37 / 39 / 41 / 43 / 67 / 69 / 71 / 81

J2 40 A F64 / 68 / 70 / 73 / 77

Interruptor principal das luzes => F28 / 30 / 32 / 34 /


J3 20 A
36 / F75

J4 40 A F56 / 58 / 60 / 62 - F82

30A ECM - Módulo de controle eletrônico do motor*


J5
- Livre**

J6 40 A F46 / 48 / 50 / 72 / 74

J7 40 A F55 / 57 / 59 / 61

J8 60 A J13 / J14

J9 30 A Módulo de conforto

J10 40 A F80 / 22 / 24 / 26

J11 20 A Tomada de força

J12 Livre

J13 20 A Módulo ABS

J14 30 A Módulo ABS do reboque

J15 Livre

J16 Livre

F01 Livre

F02 Livre

F03 Livre

F04 Livre

F05 Livre

151
fusíveis e relés

posição capacidade descrição

F06 Livre

F07 Livre

F08 Livre

F09 Livre

F10 Livre

F11 Livre

F12 Livre

F13 Livre

F14 Livre

F15 Livre

F16 Livre

F17 Livre

F18 Livre

Interruptor de recirculação do condicionador de ar /


F19 3A
ventilador / relé do condicionador de ar

F20 Livre

Interruptor do freio-motor / piloto automático / PT0


Interruptor de 2 velocidades do eixo traseiro*
F21 3A
Interruptor do freio-motor /PT0
Interruptor de 2 velocidades do eixo traseiro**

F22 20 A Sensor de NOx

Espelho elétrico / módulo do conversor de voltagem


Módulo de conforto*
F23 3A
Módulo de conversor de tensão / módulo de
conforto**

F24 7,5 A Bomba injetora do sistema de ureia

152
fusíveis e relés

posição capacidade descrição

- Livre*
F25
Espelho elétrico / levantamento do eixo traseiro (6x2
3A
e 1723 entre-eixos 4800)**

F27 Livre

F28 3A Iluminação dos interruptores / tacógrafo

F29 3A Rádio e relé do acendedor de cigarros

Iluminação dos interruptores / grupo de instrumentos


F30 3A / relé de iluminação do rádio / relé das luzes de
estacionamento / iluminação do acendedor de cigarros

F31 15 A Módulo de conforto

F32 7,5 A Luzes de estacionamento, LD

F33 10 A Conector de diagnóstico

F34 7,5 A Luzes de estacionamento, LD

F35 10 A Rádio

F36 5A Luzes delimitadoras do teto

F37 5A ECM - Módulo de Controle Eletrônico do Motor

F38 5A Farol Baixo, LD

Bobina do relé do freio de estacionamento*


F39 3A
Relé do freio de estacionamento / relé do PTO**

F40 5A Farol baixo, LE

F41 15 A Coluna de direção / sistema do lavador do para-brisa

F42 Livre

Motor do limpador do para-brisa / relé do limpador e


F43 20 A
do lavador do para-brisa

F44 Livre

F45 Livre

F46 20 A Interruptor de advertência / grupo de instrumentos

153
fusíveis e relés

posição capacidade descrição

F47 Livre

F48 5A Luzes de cortesia

F49 Livre

F50 15 A Climatizador

F51 Livre

F52 Livre

F53 Livre

F54 Livre

F55 15 A Relé da luz de marcha a ré

F56 15 A Relé auxiliar da luz de estacionamento

Relé de luz de freio do reboque e semirreboque*

F57 15 A Relé de luz de freio do reboque e semirreboque /


Auxiliar freio serviço 1 (veículos com 2 manetins de
freio)**
Interruptor do pedal do freio / interruptor da luz de
F58 7,5 A freio do reboque e semirreboque / Bobina do relé de
freio auxiliar
Relé auxiliar do sinalizador de direção do reboque e
F59 10 A
semirreboque, LE

F60 7,5 A Buzina

Relé auxiliar do sinalizador de direção do reboque e


F61 10A
semirreboque, LD

F62 5A Módulo do sistema de localização e bloqueio

F63 Livre

F64 20 A Conversor de voltagem

154
fusíveis e relés

posição capacidade descrição

7,5 A Módulo de transmissão sincronizada*


F65
- Livre**

7,5 A Módulo de transmissão sincronizada*


F66
- Livre**

3A Módulo ABS*
F67
10 A Módulo ABS (ING) / módulo da transmissão (IGN)**

F68 3A Grupo de instrumentos / tacógrafo

Suspensor do eixo traseiro (6x2) / trava do diferencial


do eixo traseiro (6x4) / bobina do relé da luz de
marcha a ré / bobina do relé de freio de serviço 1 e 2
F69 3A
(veículos com 2 manetins de freio)*

Bobina do relé da luz de marcha a ré**

F70 20 A Interruptor de ignição

Coluna de direção / módulo do sistema de localização


F71 3A
e bloqueio / tacógrafo / grupo de instrumentos

F72 10 A Farol alto LE, LD - lampejador

F73 7,5 A Motor de partida / grupo de instrumentos

F74 7,5 A Acendedor de cigarros

F75 10 A Bobina do relé do farol alto / farol baixo

F76 3A Rádio

F77 15 A Sistema do ventilador / relé do A/C

F78 Livre

F79 Livre

F80 15 A Bomba injetora do sistema de pós-tratamento

F81 5A Módulo do ABS do reboque

F82 15 A Sistema de localização e bloqueio de semirreboque

155
fusíveis e relés

Fusíveis da caixa de bateria (somente para veículos equipados com


transmissão automatizada)

posição capacidade descrição

F1 30 A Módulo do motor

F7 30 A Módulo da transmissão

F8 50 A Atuador da embreagem

Relés

posição capacidade descrição

R1 Livre

R2 40 A Relé do limpador e do lavador do para-brisa

R3 40 A Relé das luzes de marcha a ré

R4 40 A Relé pós-ignição

- Livre*
R5 Auxiliar do freio de serviço 1 (veículos com 2 manetins
40 A
de freio)**

R6 40 A Relé do sistema de aquecimento de ureia (opcional)

Relé do freio de estacionamento (velocidade de


R7 20 A
cruzeiro)
Relé do freio de reboque e semirreboque (velocidade
R8 20 A
de cruzeiro)
Auxiliar do freio de serviço 1 (exceto veículo com 2
R9 20 A
manetins de freio)
Auxiliar do freio de serviço 1 (veículos com 2 manetins
20A
R10 de freio)*
- Livre**

156
fusíveis e relés

Relés

posição capacidade descrição

R11 40 A Relé de ignição

Auxiliar do freio de serviço 1 (veículos com 2 manetins


R12 20 A
de freio)
Auxiliar do freio de serviço 2 (exceto veículo com 2
R13 20 A
manetins de freio)

R14 20 A Relé do compressor do ar-condicionado

Relé da válvula solenoide da transmissão (apenas


R15 20 A para transmissão com 9 velocidades)*
Relé da PTO**
Relé do bloqueio de partida (ECM)*
R16 20 A
Relé do bloqueio de partida (TCM)**
Relé das luzes de estacionamento do reboque e
R17 20 A
semirreboque

R18 40 A Relé da luz de freio do reboque

R19 20 A Relé de iluminação do rádio (opção)

Relé auxiliar das luzes de pisca do reboque e


R20 20 A
semirreboque, LE
Relé auxiliar das luzes de pisca do reboque e
R21 20 A
semirreboque, LD
- Livre*
R22
20 A Relé do bloqueio de partida (ECM)**

R23 20 A Relé do farol alto

Auxiliar do freio de serviço 2 (veículo com 2 manetins


R24 20 A
de freio)

157
fusíveis e relés

subsTiTuição de cuidados
fusíveis Qualquer alteração não
autorizada na parte elétrica
do veículo pode ocasionar
efeitos adversos no desempenho ou
provocar incêndio, não cobertos pela
garantia. Qualquer desses reparos
deve ser realizado por um Distribui-
dor Ford Caminhões.
Desligue a ignição e todos os
equipamentos elétricos antes
de trocar ou tentar substituir
um fusível ou relé.
Sempre substitua um fusível
Um fusível queimado é identificado queimado por outro de mesma
visualmente pelo elemento interno capacidade de corrente
rompido. Na substituição do fusível, (amperagem).
utilize sempre outro da mesma
capacidade de corrente (mesma
nota: Jamais utilize um fusível de
cor). Se um fusível se rompe com
capacidade de corrente maior do que
frequência, procure localizar a falha
a especificada para tentar sanar um
antes da substituição.
problema.

identificação dos fusíveis

Tipo aTo Tipo Jcase

capacidade capacidade
cor
(a) (a)

Violeta 3 -

Castanho-
5 -
-claro
Para a remoção do fusível utilize o
sacador que está fixado dentro da Marrom 7,5 -
caixa de fusíveis. Vermelho 10 50

Azul 15 20

Amarelo 20 60

Incolor 25 -

Verde 30 40

Branco - 25

Rosa - 30

158
manutenção

informações gerais verificações ao conduzir o veículo


Faça a manutenção regular do com o veículo parado:
veículo para ajudar a mantê-lo • Verificar o alinhamento dos faróis;
em boas condições de rodagem e • Luzes de advertência e indicadores
preservar seu valor de revenda. Há no painel de instrumentos;
uma rede de Distribuidores Ford
Caminhões que está lá para ajudar • Funcionamento da buzina;
você com seus conhecimentos • Funcionamento do ar-
especializados em reparos condicionado (eficiência, odores);
profissionais. • Funcionamento dos freios de
Os Distribuidores Ford Caminhões estacionamento (eficiência, ruído,
são os melhores para dar esforço para acionamento);
manutenção em seu veículo da • Vazamentos sob o veículo (exceto
maneira correta e precisa, com água limpa proveniente do sistema
uma ampla gama de ferramentas de ar-condicionado);
altamente especializadas. Além
da manutenção regular, nós • Verificar rodas e pneus (desgaste,
recomendamos que você faça as pressão, aperto das porcas de
seguintes verificações adicionais. fixação).
com o veículo em movimento:
cuidados • Funcionamento do motor
Desligue a ignição antes de (eficiência, ruído);
realizar qualquer verificação • Funcionamento da transmissão
ou ajuste no compartimento e embreagem (eficiência, ruído,
do motor. esforço para acionamento);
Certifique-se de instalar as • Funcionamento dos freios de
tampas dos reservatórios serviço (eficiência, ruído, vibração,
de abastecimento com esforço para acionamento);
firmeza depois das verificações de • Funcionamento do sistema de
manutenção. direção (eficiência, ruído, vibração,
esforço para acionamento);
Quaisquer condições adversas
detectadas deverão ser levadas ao • Ruídos e odores anormais.
conhecimento do seu Distribuidor verificações semanais
Ford Caminhões o mais rapidamente
motor
possível, para que sejam efetuadas
as devidas correções. • Verificar nível de óleo lubrificante
do motor;
As verificações de responsabilidade
do Cliente não são normalmente • Verificar nível do líquido de
cobertas pela garantia, ficando por arrefecimento;
conta do proprietário os custos • Drenar a água do filtro separador
relativos a mão de obra, peças, filtros de combustível.
e lubrificantes utilizados.
159
manutenção

direção • Inspecionar visualmente a folga


• Verificar o nível do fluido de dos grampos de elevação do
direção hidráulica. terceiro eixo.

freio cabine
• Drenar todos os reservatórios de ar • Verificar o nível do fluido do
comprimido. sistema de basculamento;
• Verificar o funcionamento do
cabine sistema de basculamento da
• Verificar o nível do fluido lavador cabine;
do para-brisa; • Inspecionar visualmente a parte
• Inspecionar visualmente o externa da cabine (pintura,
funcionamento das luzes. ferrugem, guarnições e vidros
trincados);
verificações mensais
• Inspecionar visualmente a parte
motor
interna da cabine (limpeza,
• Inspecionar visualmente o sistema tapetes, cintos de segurança, trava
de controle de emissões (coletor e encosto dos bancos).
de escape, tubo de escapamento,
outros
EGP, injetor de ARLA 32,
mangueiras e reservatório); • Verificar o funcionamento da
fechadura das portas, capuz,
• Inspecionar visualmente o sistema
reservatório de combustível e
de admissão de ar (tubulação,
ARLA32.
filtro e abraçadeiras);
• Inspecionar visualmente o sistema revisões periódicas de
de arrefecimento (radiador, manutenção
mangueiras e ventilador).
O veículo deverá ser submetido às
Transmissão revisões periódicas de manutenção,
• Lubrificar as juntas universais nos Distribuidores Ford Caminhões,
e os estriados da árvore de nos intervalos, conforme a tabela de
transmissão. manutenção, de acordo com o tipo
de utilização do veículo, bem como
nota: Nos modelos 1419/1519/1719 observar as especificações de óleo e
lubrificar somente os entalhos da fluidos.
árvore de transmissão.
Os filtros de óleo, combustível
suspensão e separador de água devem ser
• Lubrificar as articulações do feixe substituídos dentro dos intervalos
de molas; recomendados, e somente por peças
originais Ford.
• Inspecionar visualmente as
fixações dos grampos “U” dos
feixes de mola dianteiros e
traseiros;

160
manutenção

iTens de manuTenção periÓdica


os itens relacionados que requerem manutenção periódica estão
localizados nos pontos do caminhão.
1. Bateria.
2. Fusíveis e relés.
3. Luzes.
4. Combustível – filtro separador de água.
5. Bomba hidráulica de basculamento da cabine.
6. Embreagem – reservatório.
7. Para-brisa – reservatório do lavador.
8. Ventilação da cabine - filtro do sistema de ventilação.
9. Sistema de arrefecimento – reservatório.
10. Motor – filtro de ar.
11. Motor – vareta medidora de óleo.
12. Motor – filtro de óleo.
13. Motor – filtro de combustível principal.
14. Sistema SCR – filtro separador de óleo do ar.
15. Direção hidráulica – reservatório.
16. Sistema de freios – APU – filtro secador de ar.
17. Sistema de freios – reservatório de ar comprimido.
18. Roda/pneu/freio dianteiro – dimensão/pressão/desgaste.
19. Eixo/suspensão dianteiro – lubrificação.
20. Roda/pneu/freio traseiro – dimensão/pressão/desgaste.
21. Eixo/suspensão traseira – lubrificação.
22. Transmissão.
23. Árvore longitudinal – junta universal e entalhado.
24. Suspensor do 3° eixo.
25. Reboque e semirreboque – quinta roda.

161
manutenção

capuz aberto
Para a manutenção de alguns itens é necessário a abertura do capuz.
consulte cabine.

9 10 8

7 11 6 3

162
manutenção

modelos: 1419 / 1519 / 1719 / 1723

3 6 11 7 8 9 10

12

15 13

22 18 19
17 5

1 4

16 14
1719 / 1723
14
1419 / 1519

23

20 21

163
manutenção

modelos: 1719 bebida / 1723 Kolector

6 11 7 8 9 10

3
2

12
13
15

18 19
22
5
17

4
23
16
14

20 21

164
manutenção

modelos: 2423 / 2429

6 11 7 8 9 10

3 2
12
15 13

18 19

22 5
1

16
4

14

17
23

20 21

24

17

3
165
manutenção

modelos: 2623 / 2629 / 3129

11 7 8 9

6
3 2

12 13
15
18 19

17 5
1 10
4 14

16 22

23

20 21

17

166
manutenção

modelo: 2629 mixer

6 11 7 8 9 10

3
2

12 13
15
18 19

5
17
1
4 22

16 14
23

20 21

17

167
manutenção

modelo: 3133

3 6 7 8 11 9

12
13
15
18 19

22 5
17 10

1
4
16
14

23

20 21

17

168
manutenção

modelo: 1729 Tractor

6 11 7 8 9 10

3
2

12
13
15

18 19
5
4
14
1

22

16 23

25

20 21

3 17

169
manutenção

modelo: 1729 rígido

6 11 7 8 9 10

3
2

12 13
15
18 19
22
5

17
4
1 14

16

23

20 21

170
manutenção

modelo: 1933 Tractor

7 8 11 9 10
6

3
2

12 13

18 19
15

5
22
1
4

14
16
23
25

20 21

3 17

171
manutenção

modelo: 1933 rígido

6 7 8 11 9 10

3 2

12 13
15
18 19

5
22
1 4

14
16

17
23

20 21

172
manutenção

ÓLeo do moTor nota: O óleo se expande quando


quente. Se verificar o nível ainda com
verifique o nível o motor quente, o mesmo poderá
estar acima da marca MÁX.
1. Estacione o veículo em local plano;
2. Verifique o nível com o motor frio e .
complete o nível
desligado;
3. Se o motor estiver funcionando,
cuidados
desligue o motor e aguarde 5 Só complete o nível quando o
minutos para que o óleo escoe motor estiver frio. Se o motor
para o cárter; estiver quente, espere o motor
esfriar.
4. Remova cuidadosamente a vareta
medidora do nível de óleo do Não remova a tampa de
motor; abastecimento quando o
motor estiver funcionando.
5. Limpe o indicador com um pano
limpo e sem fiapos, e recoloque
a vareta em seu alojamento,
encaixando-a completamente;
6. Retire novamente a vareta e
observe o nível do óleo.

1. Limpe a área ao redor da tampa;


2. Remova a tampa de
MÍN. MÁX.
abastecimento;
MÍN. MÁX. 3. Utilize um funil no bocal para
completar o nível;
4. Limpe imediatamente qualquer
7. O nível do óleo deve estar entre as
óleo derramado com um pano
marcas MÍN. e MÁX.;
absorvente;
8. Se necessário, complete com óleo
5. Reinstale a tampa de
recomendado. Consulte Tabela
abastecimento. Gire-a até sentir
de volume de abastecimento
uma resistência.
(página 206);
9. Se o nível de óleo estiver acima da nota: É normal a adição de
marca MÁX., escoe o excesso; óleo entre as trocas, variando
a quantidade a ser adicionada
10. Após a verificação, recoloque
de acordo com as condições de
a vareta medidora no seu
severidade em que o veículo opera.
alojamento.
173
manutenção

subsTiTuição do ÓLeo 4. Coloque um recipiente embaixo


do motor com capacidade
e fiLTro de ÓLeo do suficiente para recolher o óleo
moTor usado;
Todo óleo usado deve ser 5. Remova o bujão de escoamento;
recolhido e armazenado 6. Deixe o óleo escoar
adequadamente para completamente;
posterior reciclagem. Não descarte 7. Remova o filtro utilizando a cinta
o óleo no solo, sistema de esgoto ou para remoção e limpe a superfície
qualquer local que possa de alguma de vedação, no cabeçote do filtro,
forma prejudicar o meio ambiente. com um pano limpo e sem fiapos;
Todo filtro substituído deve ser
enviado para a reciclagem ou
descartado, obedecendo a legislação
vigente.

cuidado
O óleo quente pode causar
queimaduras na pele. Proteja-
se convenientemente.

O óleo e o filtro devem ser


substituídos conforme a tabela de
manutenção. 8. Abasteça o novo filtro com óleo
recomendado;
1. Estacione o veículo em local
9. Lubrifique sua junta, com o
plano;
próprio óleo lubrificante do motor;
2. O motor deve estar em
10. Instale o novo filtro até que
temperatura normal de
encoste no bloco;
funcionamento;
11. Aperte mais 3/4 de volta;
3. Retire a tampa de abastecimento,
girando no sentido anti-horário; 12. Instale o bujão de escoamento
do óleo do cárter, apertando-o
firmemente;
13. Abasteça o cárter através
da tampa de abastecimento
com o óleo recomendado.
Consulte Tabela de volume de
abastecimento (página 206);
14. Certifique-se que o nível esteja
entre as marcas MÍN. e MÁX. da
vareta medidora;

174
manutenção

verifique a tensão
Examine cuidadosamente a correia
quanto a qualquer sinal de trincas,
perfurações, rasgos e presença de
perfurantes; caso sejam detectados,
a correia deverá ser substituída.
Para remover a correia é necessário
soltar a porca do tensionador
da correia para aliviar a pressão
da mola, com auxílio de uma
ferramenta especial.
15. Aperte a tampa de enchimento de
óleo, girando-a no sentido horário. instale a correia
Para motores ISB6 e ISL gire até Motor sem ar-condicionado
ouvir um som característico de
“click” (travamento); 3
16. Ponha o motor em
funcionamento, deixando-o em 2 4
rotação de marcha lenta até que
as luzes de advertência no painel
se apaguem;
17. Pare o motor e aguarde alguns
minutos para que o óleo escoe
para o cárter. Verifique novamente
1
o nível de óleo.

correia de
Motor com ar-condicionado
acionamenTo

5
2 4
3

175
manutenção

Posicione primeiramente a correia O filtro separador de água possui os


sobre a polia da árvore de manivelas seguintes componentes:
(1) e depois a deslize sobre a polia do • Parafuso de sangria (1);
alternador (2). Em seguida, instale a
• Bomba para escorva (2);
correia na polia da bomba d’água (3),
do compressor do ar-condicionado • Cabeçote (3);
(5) (se disponível) e da polia • Elemento filtrante (4);
intermediária (4), apertando a porca • Reservatório de água (5);
do tensionador da correia com auxílio • Sensor de água (6);
de uma ferramenta especial. • Bujão (7);
• Sensor de restrição (8).
subsTiTuição do
eLemenTo do fiLTro 1. Limpe a área ao redor do cabeçote
(3);
separador de Água 2. Desconecte o chicote do sensor
de água (6);
Todo filtro substituído deve 3. Descarte o óleo Diesel do
ser enviado para a reciclagem reservatório através do bujão de
ou descartado, obedecendo a dreno(7);
legislação vigente. 4. Desrosqueie o reservatório de
água (5);
O elemento do filtro separador de
água requer substituição, juntamente 5. Remova o elemento filtrante (4);
com o filtro principal, conforme a 6. Lubrifique o anel de borracha do
tabela de manutenção ou toda vez filtro novo com óleo Diesel limpo;
que a luz de advertência se tornar 7. Rosqueie o filtro novo (4) com as
piscante. mãos, até que o anel de borracha
encoste no batente do cabeçote;
3 8
8. Aperte mais 1/2 a 3/4 de volta;
1 9. Lave o reservatório (5) com óleo
Diesel limpo e instale o filtro;
2 10. Conecte o chicote do sensor de
água (6).

nota: O aperto do filtro com o uso de


4 ferramentas pode causar danos na
rosca, ou esmagamento do anel de
borracha.
5 nota: Não abasteça o filtro novo com
diesel para evitar contaminação de
7 6 combustível.
nota: Após o término do
procedimento, execute a sangria do
sistema de combustível.
176
manutenção

sisTema de Limpeza do reservatório


aLimenTação de 1. Efetue a drenagem completa;
combusTíveL 2. Desconecte o sensor de água;
Todo óleo usado deve ser 3. Desrosqueie o reservatório de
recolhido e armazenado água do filtro;
adequadamente para posterior 4. Lave o reservatório com óleo
reciclagem. Não descarte o óleo no Diesel limpo e instale-o.
solo, sistema de esgoto ou qualquer
local que possa de alguma forma
nota: Após o término do
prejudicar o meio ambiente.
procedimento execute a sangria do
sistema de combustível.
Quando o filtro separador de água
estiver com seu reservatório saturado
de água, a luz de advertência de subsTiTuição do fiLTro
água no combustível acenderá, e ele
deverá ser drenado.
de combusTíveL
Todo filtro substituído deve
drene o filtro separador de água ser enviado para a reciclagem
ou descartado, obedecendo a
1. Coloque um recipiente embaixo legislação vigente.
do filtro separador de água com
capacidade suficiente para O filtro principal requer substituição,
recolher a água drenada; juntamente com o filtro separador
2. Solte o bujão; de água, conforme a tabela de
manutenção.
3. Deixe a água e todas as impurezas
escoarem completamente;
4. Aperte o bujão.

nota: Deixar a água no sistema pode


resultar em sérios danos ou falha no
sistema de injeção de combustível.

Recomenda-se drenar o filtro de


combustível separador de água com
o motor desligado.

177
manutenção

1. Limpe a área ao redor do cabeçote 1. Verifique se há combustível no


do filtro; tanque;
2. Remova o filtro do cabeçote; 2. Solte o parafuso de sangria (1)
3. Lubrifique o anel de borracha do que fica na parte superior do filtro;
filtro novo com óleo Diesel limpo; 3. Coloque um recipiente sob o filtro
4. Rosqueie o filtro novo com as para coletar o combustível do
mãos, até que o anel de borracha processo de sangria;
faça contato; 4. Gire o manípulo da bomba de
5. Aperte mais 1/2 a 3/4 de volta. escorva no sentido anti-horário
para destravá-lo;
nota: O aperto do filtro com o uso de 5. Bombeie, pressionando e soltando
ferramentas pode causar danos na o êmbolo da bomba de escorva
rosca, ou o esmagamento do anel de (2) até que o combustível saia sem
borracha. bolhas pelo parafuso de sangria;
nota: Não abasteça o filtro novo com 6. Feche o parafuso de sangria e
Diesel para evitar contaminação de bombeie novamente o êmbolo
combustível. até que o mesmo apresente
resistência;
nota: Após o término do 7. Dê partida no motor segurando
procedimento execute a sangria do a partida por, no máximo, 7
sistema de combustível. segundos, sem acionar o pedal do
acelerador;
8. Bombeie novamente o êmbolo
sangria do sisTema de até que o mesmo apresente
combusTíveL alguma resistência;
procedimento de partida após a 9. Dê a partida novamente
substituição do filtro separador de segurando a ignição por, no
água ou de pane seca máximo, 7 segundos, em
Após substituir o elemento ou caso o intervalos de 10 segundos até o
motor interrompa o funcionamento motor entrar em funcionamento;
por falta de combustível, efetue a 10. Aguarde a marcha lenta
sangria no sistema. estabilizar sem acionar o pedal do
acelerador;
11. Aperte e gire o manípulo da
bomba de escorva no sentido
1 horário para travá-lo;
12. O veículo estará disponível
para utilização normal, após a
estabilização da marcha lenta;
2 13. Deixe-o funcionando por 1 minuto
para eliminar todo ar do sistema.

178
manutenção

Líquido de complete o nível


arrefecimenTo do 1. Limpe a área ao redor da tampa;
moTor 2. Remova a tampa do reservatório;
3. Acrescente uma mistura de 60%
cuidados de água e 40% de etilenoglicol;
Não permita que o fluido entre 4. Reinstale a tampa de
em contato com a pele ou abastecimento. Gire-a até sentir
os olhos. Se isto acontecer, uma resistência forte.
enxágue as áreas afetadas
imediatamente com bastante água e cuidados
procure um médico. O líquido de arrefecimento
não diluído é inflamável e
Não remova a tampa do pode se incendiar se vazar
reservatório de expansão sobre qualquer peça quente do
ou acrescente líquido de motor.
arrefecimento quando o motor
estiver funcionando ou quente. Não utilize aditivos
Espere o motor esfriar. suplementares para líquido
de arrefecimento. Esses
aditivos podem danificar o sistema
verifique o nível de arrefecimento do motor. O uso
de um líquido de arrefecimento
inadequado pode cancelar a
validade da garantia que cobre o
sistema de arrefecimento do motor
do veículo.

A alta temperatura do líquido de


arrefecimento é indicada por um
alarme sonoro, intermitente, e uma
luz de advertência que acende
no conjunto de luzes do painel de
instrumentos, indicando que a
1. Estacione o veículo em local plano; temperatura do motor está acima
2. Verifique o nível com o motor frio e da especificada. Pare o veículo
desligado; imediatamente e desligue a ignição.
Verifique se há vazamentos de
3. O nível deve estar entre as marcas água. Aguarde até o motor esfriar e,
MÍN. e MÁX.; se necessário, complete o nível do
4. Se necessário, complete líquido de arrefecimento. Se o motor
com fluido recomendado. voltar a superaquecer, procure um
Consulte Tabela de volume de Distribuidor Ford Caminhões.
abastecimento (página 206);
179
manutenção

Em uma emergência, você pode 1. Estacione o veículo em local


acrescentar só água ao sistema de plano;
arrefecimento para chegar até um 2. Remova a tampa do reservatório
Distribuidor Ford Caminhões. O uso de expansão;
prolongado de uma diluição incorreta
do líquido de arrefecimento pode 3. Coloque um recipiente embaixo
causar danos ao motor por corrosão, do radiador com capacidade
superaquecimento ou congelamento. suficiente para recolher o líquido
de arrefecimento;
Tampa do reservatório
4. Desconecte a mangueira inferior
A tampa do reservatório de expansão do radiador;
do sistema de arrefecimento deve
5. Examine o estado das mangueiras
ser inspecionada e limpa conforme
e as abraçadeiras quanto a danos.
tabela de manutenção. Caso haja
Substitua-as, se necessário;
evidências de deterioração do anel
de vedação, a tampa deverá ser 6. Examine o radiador quanto a
substituída. vazamentos, danos e acúmulos de
sujeira. Limpe e repare o que for
subsTiTuição necessário;
do Líquido de 7. Examine também o aftercooler,
arrefecimenTo do quanto ao acúmulo de sujeira;
moTor 8. Conecte a mangueira do radiador
Todo fluido usado deve ser e instale a abraçadeira com o
recolhido e armazenado torque de 6 Nm;
adequadamente para posterior 9. Abasteça o sistema pelo
reciclagem. Não descarte o óleo no reservatório de expansão
solo, sistema de esgoto ou qualquer com o fluido recomendado.
local que possa de alguma forma Consulte Tabela de volume de
prejudicar o meio ambiente. abastecimento (página 206);
O líquido de arrefecimento deve ser 10. Dê partida no motor e
substituído conforme a tabela de mantenha-o funcionando por
manutenção. aproximadamente 5 minutos;
11. Desligue o motor e aguarde
esfriar;
12. Verifique o nível no reservatório de
expansão.

180
manutenção

vÁLvuLa TermosTÁTica funcionamenTo do


Controla a temperatura do fluido no indicador de resTrição
sistema de arrefecimento. Assim,
do fiLTro de ar do
com o motor frio, ela se mantém
fechada, impedindo a passagem moTor
de água do bloco para o radiador; É conveniente conferir periodica-
somente quando a temperatura mente o funcionamento do indicador
especificada para o regime de de restrição, pois toda vez que a luz
trabalho for atingida é que a válvula de advertência de restrição na ad-
se abre, permitindo que o fluido de missão de ar do filtro acender, o filtro
arrefecimento circule por todo o de ar deverá ser substituído.
sistema. Não a retire ou inutilize.
1. Crie vácuo no filtro de ar,
sisTema de obstruindo o tubo da tomada de
ar com um pano limpo;
resfriamenTo do ar -
2. Coloque o motor em marcha lenta
afTercooLer por alguns segundos;
O ar admitido pelo motor,
3. Nessa condição, a luz indicadora
através do turbocompressor, é
de restrição do filtro de ar deve
resfriado, reduzindo o consumo de
acender;
combustível e a emissão de gases e
proporcionando maior potência. 4. Após a remoção do pano, estando
o motor em funcionamento,
O sistema é composto pelo resfriador
a luz indicadora de restrição
de ar, montado na frente do radiador
permanecerá acesa, até que o
de água, por dutos de saída do ar
motor seja desligado.
do turbocompressor e de entrada
do ar no coletor de admissão e
por mangueiras especiais para subsTiTuição do fiLTro
conectar os dutos ao sistema. Essas de ar do moTor
mangueiras são conectadas aos
dutos através de abraçadeiras, as Todo filtro substituído deve
quais devem estar sempre apertadas ser enviado para a reciclagem
com os torques especificados, a fim ou descartado, obedecendo a
de garantir a perfeita vedação do legislação vigente.
sistema.
Substitua o elemento principal
A falta de observação a estas conforme a tabela de manutenção
recomendações implica em prejuízo ou sempre que a luz indicadora de
no desempenho do motor, podendo restrição acender.
danificar o turbocompressor. Ao fazer
a manutenção do sistema, utilize
sempre novas abraçadeiras, peças
originais e efetue o torque de aperto
recomendado para as abraçadeiras,
que deverá ser de 8,0 Nm.
181
manutenção

1. Remova o protetor metálico (se


houver);
2. Limpe a área do conjunto do filtro;
3. Solte as presilhas/parafusos que
fixam a tampa do filtro;
4. Remova a tampa;
5. Retire o elemento;
6. Inspecione visualmente o
elemento contra a luz, para
localizar eventuais furos no papel;
7. Elementos que apresentarem
papel ou juntas danificadas
devem ser substituídos;
8. Limpe o interior da carcaça e da
tampa com um pano seco;
9. Limpe a válvula retentora de
poeira.

nota: Nunca lave, bata ou limpe o


elemento filtrante com o auxílio de ar
comprimido.
veículos 6x4
Troque o elemento de segurança cuidados
a cada duas trocas do elemento Na instalação dos elementos,
principal. aplique uma fina camada
de vaselina nas regiões de
vedação.
Instale a tampa observando
a posição correta. O não
travamento da tampa pode
ocasionar a entrada de sujeiras e
líquidos.

182
manutenção

subsTiTuição do fiLTro fLuido da direção


separador de ÓLeo do hidrÁuLica
ar cuidados
Todo filtro substituído deve Não permita que o fluido
ser enviado para a reciclagem entre em contato com a
ou descartado, obedecendo a pele ou os olhos. Se isso
legislação vigente. acontecer, enxágue as áreas afetadas
O filtro requer substituição conforme imediatamente com bastante água e
a tabela de manutenção. procure um médico.

verifique o nível

1. Estacione o veículo em local plano;


2. Mantenha o motor em
funcionamento;
1. Limpe a área ao redor do cabeçote 3. Limpe a área ao redor da tampa;
do filtro; 4. Remova a tampa e verifique o
2. Remova o filtro do cabeçote; nível;
3. Rosqueie o filtro novo com as 5. O nível deve estar entre as marcas
mãos, até que o anel de borracha MÍN. e MÁX.;
faça contato; 6. Se necessário, complete
4. Aperte mais ½ a ¾ de volta. com fluido recomendado.
Consulte Tabela de volume de
abastecimento (página 206).
nota: O aperto do filtro com o uso de
ferramentas pode causar danos na
nota: O nível deve ser medido com
rosca, ou o esmagamento do anel de
a temperatura do fluido abaixo de
borracha.
50°C.

183
manutenção

complete o nível 1. Limpe a área ao redor da tampa;


1. Abasteça o reservatório de fluido 2. Retire a tampa do reservatório;
até a marca MÁX. da vareta 3. Pressione a borboleta do filtro
medidora. para baixo e gire-a no sentido
2. Dê partida no motor e, após alguns anti-horário;
instantes, esterce o volante para 4. Substitua o elemento filtrante
cada um dos lados, até o final do por um novo e trave, girando-o no
curso, por duas vezes. Durante sentido horário;
esse procedimento, adicionar
fluido a fim de manter o nível 5. Instale a tampa.
correto.
subsTiTuição do fLuido
nota: A caixa de direção hidráulica
possui sangrador automático, da direção hidrÁuLica
portanto, não é necessária a sangria Todo fluido usado deve ser
do sistema. recolhido e armazenado
adequadamente para posterior
subsTiTuição do reciclagem. Não descarte o óleo no
solo, sistema de esgoto ou qualquer
eLemenTo fiLTranTe local que possa de alguma forma
Todo filtro substituído deve prejudicar o meio ambiente.
ser enviado para a reciclagem
ou descartado, obedecendo a
O fluido da direção hidráulica deve
legislação vigente.
ser substituído conforme a tabela de
O elemento filtrante requer manutenção.
substituição conforme a tabela de
manutenção.

184
manutenção

1. Levante as rodas dianteiras e cuidado


apoie firmemente em cavaletes;
O fluido da embreagem
2. Coloque um recipiente embaixo danifica a pintura do veículo.
do reservatório com capacidade Caso ocorra derramamento,
suficiente para recolher o fluido limpe imediatamente a superfície
usado; afetada com uma esponja molhada.
3. Solte a mangueira de retorno
do reservatório e coloque no O sistema de embreagem é do tipo
recipiente; monodisco, revestido com material
4. Gire o volante para a esquerda, até orgânico, a seco. O comando
o final de curso; de acionamento é hidráulico
ou hidráulico servo-assistido
5. Funcione o motor por
dependendo do modelo, que
aproximadamente dez segundos,
dispensa regulagens.
até que o fluido escoe totalmente
para o recipiente;
verifique o nível
6. Desligue o motor;
7. Gire o volante de batente a
batente, para completar a
drenagem;
8. Substitua o elemento filtrante;
9. Conecte novamente a mangueira
de retorno;
10. Retire dos cavaletes;
11. Abasteça o reservatório.
Consulte Tabela de volume de
abastecimento (página 206);
12. Verifique o nível. 1. Estacione o veículo em local
plano;
2. Limpe o reservatório;
fLuido da embreagem
3. O nível do fluido no reservatório
(somente para veículos equipados não deve ultrapassar a indicação
com transmissão manual) MÁX.;
4. Se necessário, complete
cuidado
com fluido recomendado.
Não permita que o fluido Consulte Tabela de volume de
entre em contato com a abastecimento (página 206).
pele ou os olhos. Se isto
acontecer, enxágue as áreas afetadas nota: Ao fechá-lo, aperte
imediatamente com bastante água e firmemente a tampa, para evitar
procure um médico. eventuais derramamentos quando a
cabine for basculada.
185
manutenção

nota: Caso ocorra a contaminação 1. Estacione o veículo em local


do fluido por água, será necessário plano;
substituir todo o fluido. 2. Limpe o sangrador do cilindro da
nota: Embalagens de fluido abertas embreagem;
não devem ser armazenadas para uso 3. Remova a tampa do reservatório
posterior. O produto é extremamente do fluido;
higroscópico (absorve umidade 4. Remova o protetor de pó
do ar) e rapidamente perde suas do sangrador do cilindro da
características. embreagem, instalando em
seu lugar uma mangueira
subsTiTuição do transparente que deverá ter a
outra extremidade colocada em
fLuido da embreagem e um recipiente limpo;
sangria do sisTema 5. Acione o pedal da embreagem por
aproximadamente cinco vezes, e,
Todo óleo usado deve ser mantendo-o acionado;
recolhido e armazenado
adequadamente para posterior 6. Afrouxe o sangrador para que
reciclagem. Não descarte o óleo no o fluido a ser substituído escoe
solo, sistema de esgoto ou qualquer totalmente;
local que possa de alguma forma 7. Observe a eventual presença de
prejudicar o meio ambiente. bolhas de ar no fluido que escoa;
8. Aperte a porca do sangrador e
O fluido da embreagem deve ser libere o pedal;
substituído conforme a tabela de
manutenção. 9. Abasteça o reservatório com o
novo fluido;
A sangria do sistema deve ser feita 10. Refaça o procedimento até que
sempre que notar a presença de não tenha mais bolhas de ar no
bolhas de ar no circuito hidráulico da fluido e continue abastecendo o
embreagem. reservatório;
11. Ao verificar que não existe bolhas
de ar, feche o sangrador;
12. Abasteça o reservatório até a
marca MÁX.;
13. Instale a tampa do reservatório
do fluido;
14. Instale o protetor de pó e verifique
o nível do fluido no reservatório.

186
manutenção

subsTiTuição das drenagem dos


guarnições de freio reservaTÓrios de ar

Mola Mola
Retenção Retorno

Em todas as substituições das Acionar o sistema de dreno


guarnições de freios, por motivo de manualmente para verificar a
desgaste, deverá ser feita a troca existência de água acumulada pelo
das molas de retenção e retorno sistema de ar. Caso apresente água
dos freios e os tambores deverão na drenagem dos reservatórios,
ser submetidos à retífica para verifique o filtro secador de ar (APU)
uniformizar o desgaste da pista de e o sistema de ar.
frenagem.
nota: Quando drenar os
As guarnições de freio devem reservatórios de ar, a luz de
ser substituídas quando as advertência e o aviso sonoro de baixa
mesmas atingirem o indicador de pressão devem funcionar quando
desgaste. Os tambores de freio ligar a ignição. Não conduza o veículo
devem ser substituídos quando até que a pressão atinja a pressão de
os mesmos atingirem o diâmetro 6,7 bars, exibida nos indicadores de
máximo descrito na plaqueta de pressão de ar.
identificação.
Quando houver necessidade subsTiTuição do fiLTro
de substituição das guarnições
secador de ar da apu
de freio, deverá ser instalado,
obrigatoriamente, o material de
Todo filtro substituído deve
atrito especificado, para garantia
ser enviado para a reciclagem
da durabilidade e eficiência de
ou descartado, obedecendo a
frenagem. Consulte capacidades e
legislação vigente.
especificações (página 206).
Substitua o filtro secador de ar
conforme tabela de manutenção
ou assim que apresentar alguma
saturação.

187
manutenção

cuidado reguLagem dos


Antes de realizar qualquer aJusTadores
manutenção no filtro separador auTomÁTicos dos
de ar da APU, elimine o ar
comprimido do sistema de freios. freios - freio a Tambor
Tipo “s-came”
O ajuste automático dos freios ocorre
durante sua aplicação, tanto à frente
quanto a ré, porém, uma regulagem
inicial deve ser feita sempre que as
lonas de freio forem substituídas
ou reparos forem feitos no sistema
de freios. Inspecione o sistema
conforme a tabela de manutenção.

1. Limpe a área da APU; regulagem inicial


2. Remova o filtro com uma
ferramenta adequada;
3. Limpe as superfícies de vedação e 1
a rosca de fixação do secador de
ar. Tenha especial atenção quanto
a danos nos componentes;
4. Aplique uma leve camada de
graxa nas superfícies de vedação e
na rosca de fixação;
5. Rosqueie o filtro novo com as
mãos, até que o anel de borracha • Com uma chave adequada, gire a
faça contato; porca (1) de ajuste manual até o
6. Aperte mais 1/2 volta; final de seu curso.
7. Pressurize o sistema e verifique
se não há vazamentos no filtro
secador de ar.

nota: O aperto do filtro com o uso de


ferramentas pode causar danos na
rosca, ou o esmagamento do anel de
borracha.
Se houver necessidade, desmonte
e monte novamente, não se 2
esquecendo de eliminar antes o ar
comprimido.
188
Manutenção

• Com o auxílio de uma chave de eixo dianteiro


fenda, afaste a lingueta do atuador Lubrifique o pino-mestre
(2) para liberar a movimentação
da mesma porca (1) no sentido
anti-horário. Gire-a em 1/2 volta.

Para melhor penetração da graxa,


lubrifique através da engraxadeira
com o eixo dianteiro apoiado
• Meça a distância (A) do fundo da em cavaletes com as rodas
câmara até o centro do pino maior. suspensas. Limpe as engraxadeiras
O freio deve estar desaplicado. externamente. Aplique a graxa nova
sob pressão, de maneira que a graxa
velha existente na articulação seja
eliminada na região do assento da
viga do eixo com a ponta de eixo.

B
SUSPenSÃo dianteira
2

• Com o auxílio da chave de fenda


(2), empurre o ajustador para
baixo, até o final de seu curso.
Meça novamente a distância (B),
do fundo da câmara até o centro
do pino maior.
• A diferença das medidas
encontradas deve estar entre 16
e 19 mm. Caso contrário, repita a Limpe externamente as
operação. engraxadeiras dos pinos do olhal e
do jumelo e lubrifique conforme a
tabela de manutenção.

189
Manutenção

nota: Os grampos “U” das molas O óleo deve ser substituído conforme
devem ser reapertados conforme a tabela de manutenção.
a tabela de manutenção, ou com
mais frequência em operações mais
severas.

eixo traSeiro
CUidado
O óleo quente pode causar
queimaduras na pele. Proteja-
se convenientemente.
1
Verifique o nível 2

1. Estacione o veículo em local


plano;
2. Limpe a área ao redor do bujão;
3. Coloque um recipiente embaixo
do eixo com capacidade suficiente
1. Estacione o veículo em local plano; para recolher o óleo usado;
2. Limpe a área ao redor do bujão; 4. Remova o bujão de inspeção e
3. Remova o bujão de inspeção e enchimento (1) e o de drenagem
enchimento; (2);

4. O nível estará correto quando 5. Deixe o óleo escoar


atingir a borda inferior do bujão; completamente;

5. Se necessário, complete com óleo 6. Limpe o bujão de drenagem e


recomendado. Consulte tabela recoloque-o no lugar;
de volume de abastecimento 7. Abasteça o eixo com o óleo
(página 206). recomendado até a borda inferior
da sede do bujão de inspeção
e enchimento. Consulte tabela
SUBStitUiÇÃo do ÓLeo de volume de abastecimento
do diFerenCiaL (página 206);
8. Verifique o nível, instale o bujão de
Todo óleo usado deve ser inspeção e enchimento (1).
recolhido e armazenado
adequadamente para posterior
reciclagem. Não descarte o óleo no
solo, sistema de esgoto ou qualquer
local que possa de alguma forma
prejudicar o meio ambiente.
190
Manutenção

Limpeza do bujão de drenagem O respiro do eixo é do tipo remoto,


ou seja, montado à distância. A
finalidade principal desse tipo de
montagem é prevenir a entrada
de água no eixo em eventuais
atolamentos do veículo (que
provoca a contaminação do
óleo e a obstrução do respiro).
Frequentemente, o respiro deve
ser verificado e desobstruído, se
necessário, principalmente quando
o veículo funcionar em terrenos
alagados ou enlameados.
1
O bujão de drenagem (1) é do tipo SUSPenSÃo traSeira
magnético e tem a finalidade de reter nota: Os grampos “U” das molas
as pequenas partículas (limalhas) devem ser reapertados conforme
que se soltam devido ao desgaste de a tabela de manutenção, ou com
assentamento que ocorre durante o mais frequência em operações mais
período inicial de funcionamento. severas.
Para garantir uma retenção
satisfatória, limpe o bujão de
drenagem na substituição do óleo Lubrificação 4x2
conforme a tabela de manutenção
ou sempre que notar qualquer
irregularidade no eixo traseiro.
Para evitar escoamento excessivo
de óleo durante a limpeza do bujão,
tampe o furo de drenagem com o
bujão de enchimento e complete o
nível.

reSPiro do eixo

Antes de lubrificar, limpe as


engraxadeiras, evitando a
contaminação da graxa. Lubrifique
pela engraxadeira, o pino da lâmina
tensora conforme a tabela de
manutenção.

191
Manutenção

Lubrificação 6x2 regULageM do


SUSPenSor do 3° eixo
3

1
2
Antes de lubrificar, limpe as
engraxadeiras, evitando a
contaminação da graxa. Lubrifique
o pino do balancim e verifique
o desgaste das placas de atrito
dos suportes de feixes de molas nota: O conjunto suspensor do 3°
e balancim conforme a tabela de eixo vem ajustado de fábrica para o
manutenção. veículo sem implemento.

SUSPenSÃo traSeira Após o encarroçamento, o conjunto


deverá ser regulado conforme a
PneUMÁtiCa seguir:
Limpeza das bolsas de ar 1. Estacione o veículo sem carga em
terreno plano, esvazie o suspensor;
2. Solte a porca inferior (2) de ambas
as hastes do grampo do suspensor,
mantendo o mesmo diferencial
entre as porcas da haste dianteira
em relação à haste traseira do
grampo. Estas porcas possuem
trava química de médio torque;

Lavar com água e sabão neutro,


retirando todas as impurezas e
detritos que possam causar a A
deterioração das peças.

192
Manutenção

3. Rosqueie as porcas superiores (1) 1. Estacione o veículo em local


em ambos os lados para manter plano;
uma folga (A) entre o grampo e o 2. Limpe a área ao redor do bujão;
eixo de, no mínimo, 10 mm e, no
máximo, 15 mm; 3. Remova o bujão;

4. Rosqueie as porcas inferiores (2) 4. O nível estará correto quando


até encostar no suporte (3) e obter atingir a borda inferior do bujão;
o travamento; 5. Se necessário, complete com óleo
5. Após encostar as porcas (2), recomendado. Consulte tabela
aperte as porcas superiores (1) de volume de abastecimento
com o torque de 274 a 313 Nm (28 (página 206).
a 32 kgfm);
6. Acione o suspensor pneumático;
SUBStitUiÇÃo do ÓLeo
7. Repita as etapas anteriores caso
o suspensor apresente uma
da Caixa de MUdanÇaS
inclinação significativa.
Todo óleo usado deve ser
nota: A falta desta regulagem ou o recolhido e armazenado
desalinhamento do conjunto, poderá adequadamente para poste-
implicar em vazamento da bolsa rior reciclagem. Não descarte o
pneumática ou curso insuficiente do óleo no solo, sistema de esgoto ou
levantamento do 3° eixo. qualquer local que possa de alguma
forma prejudicar o meio ambiente.

Caixa de MUdanÇaS O óleo deve ser substituído conforme


a tabela de manutenção.

CUidado
O óleo quente pode causar
queimaduras na pele. Proteja-
se convenientemente.

Verifique o nível

193
Manutenção

1. Estacione o veículo em local plano; vazamento pelos retentores, por


2. Limpe a área ao redor do bujão; excesso de pressão interna.
3. Coloque um recipiente embaixo
da caixa de mudanças com engraxaMento
capacidade suficiente para
recolher o óleo usado; (ea 11109 / F-11e316d-LSe)
4. Remova o bujão de inspeção Para ea 11109 engraxe somente o
e enchimento e os bujões de eixo do garfo e para F-11e316d-LSe
drenagem; engraxe o mancal da embreagem e
o eixo do garfo.
5. Deixe o óleo escoar
completamente; Para garantir uma vida longa em
serviço é necessário engraxar
6. Limpe o tampão magnético dos
adequadamente o mancal de
bujões de escoamento, substitua
embreagem, a bucha e o eixo
os anéis de vedação e aperte-os
do garfo. A necessidade do
com o torque de 60 Nm;
engraxamento será indicada
7. Abasteça a caixa de mudanças no display através do aviso de
com o óleo recomendado até a irregularidade “GI”, de acordo com
borda inferior da sede do bujão o uso da embreagem. Utilizar graxa
de inspeção e enchimento. à base de Lítio Grau NLGI 2 ou 3.
Consulte tabela de volume de Utilizar 4 gramas de graxa para a
abastecimento (página 204); bucha e eixo do garfo, 16 gramas
8. Verifique o nível, instale o bujão de para o mancal de embreagem.
inspeção e enchimento e aperte-o
com o torque de 60 Nm.

reSPiro da Caixa de
MUdanÇaS

Verifique periodicamente o respiro da F-11E316D-LSE


caixa e desobstrua-o, se necessário.
O respiro obstruído pode causar
194
Manutenção

qUinta roda

EA-11109
Lubrifique semanalmente ou a
Limpe as engraxadeiras, evitando a cada 5.000 km a quinta roda, o
contaminação da graxa. mecanismo de travamento e o pino-
Engraxe 1 bucha do garfo mestre. Remova a graxa da quinta
Engraxe 2 mancal da embreagem, roda e substitua por graxa nova.
somente para F-11E316D-LSE
A cada 3 trocas de posição da quinta
ÁrVore LongitUdinaL roda, substitua todas as porcas de
fixação da mesa ao suporte.
(Cardan)
nota: Consulte o Manual do
fabricante da Quinta Roda.

SUBStitUiÇÃo do FiLtro
de ar do SiSteMa de
VentiLaÇÃo da CaBine

Todo filtro substituído deve ser


enviado para a reciclagem ou
As juntas universais e a luva devem descartado, obedecendo a legislação
ser lubrificadas com a graxa vigente.
conforme tabela de manutenção.
O filtro do sistema de ventilação da
Aplique o lubrificante nas juntas
cabine requer substituição conforme
universais, com uma engraxadeira,
a tabela de manutenção ou assim
até que a graxa nova vaze através
que apresentar alguma saturação.
dos quatro vedadores. Na luva, o
lubrificante deve sair pela arruela
de vedação, quando o respiro está
fechado com um dedo; continue
aplicando o lubrificante até que o
mesmo vaze pelo vedador, na parte
traseira da luva da junta universal.
195
Manutenção

O abastecimento do sistema de
basculamento deve ser feito com
a cabine na posição de condução,
caso contrário, o reservatório da
bomba poderá ser danificado.
No caso do abastecimento ter sido
feito com a cabine basculada, é
necessário retirar o bujão para que
o óleo em excesso seja expelido, e
1. Solte as duas presilhas;
recoloque-o somente após retornar
2. Abra a tampa; a cabine novamente para a posição
3. Remova o filtro saturado; de condução.
4. Instale um filtro novo.
A posição de montagem do elemento 1
filtrante deve ser respeitada (seta
para cima).

BaSCULaMento da
CaBine
1. Verifique se o basculamento da
cabine funciona normalmente;
2. Verifique se existem vazamentos
e o estado das mangueiras e
tubulações do sistema hidráulico
de basculamento; 1. Limpe a área ao redor do bujão
3. Em caso de problemas no (1);
basculamento ou de vazamentos, 2. Remova o bujão;
encaminhe o veículo a um
Distribuidor Ford Caminhões. 3. Adicione o óleo recomendado.
Consulte tabela de volume de
abastecimento (página 206);
aBaSteCiMento de
4. O nível de óleo deve ficar na
ÓLeo da BoMBa de borda inferior do orifício de
BaSCULaMento da abastecimento da bomba, abaixo
CaBine do início da rosca do bujão;
5. Recoloque o bujão e aperte-o
CUidado firmemente com a mão.
Não permita que o fluido entre
em contato com a pele ou
os olhos. Se isso acontecer, nota: O aperto do bujão com o uso
enxágue as áreas afetadas de ferramentas pode causar danos
imediatamente com bastante água na rosca, ou o esmagamento do anel
e procure um médico. de borracha.

196
Manutenção

aJUSte da SUSPenSÃo FLUido do LaVador do


da CaBine Para-BriSa

Se o nível estiver baixo, adicione


Os quatro conjuntos de molas e água e um pouco de detergente
amortecedores que suportam a neutro suficiente para encher o
cabine (dois à frente e dois atrás) reservatório. Em climas muito frios,
podem ter a pré-carga ajustada não encha o reservatório totalmente.
para compensar variações do
conjunto. Isso pode ser causado pela
LiMPeza daS PaLHetaS
variação do peso da cabine, adição
de acessórios como climatizador, doS LiMPadoreS e do
detetores de ar, etc. Para-BriSa
Para garantir o conforto e evitar
choques nos batentes de final de
curso, ajuste os conjuntos num
Distribuidor Ford Caminhões.

Se as palhetas dos limpadores não


limparem adequadamente, limpe
a extremidade de borracha das
palhetas com detergente neutro.

197
Manutenção

Se o limpador ainda não limpar SUBStitUiÇÃo daS


adequadamente, isto pode ser
causado por substâncias no para-
PaLHetaS doS
brisa, tais como seiva de árvores e LiMPadoreS
alguns tratamentos de cera quentes
utilizados pelos lava-rápidos Por motivo de segurança,
comerciais. recomenda-se que as palhetas sejam
trocadas pelo menos uma vez por
ano ou sempre que sua eficiência
diminua, prejudicando a visibilidade
sob a chuva.

remoção

Limpe a parte externa do para-brisa


com um limpador não abrasivo, pois
os mesmos podem causar riscos.
Enxágue completamente com água
1
limpa.
O para-brisa e as palhetas dos • Eleve o conjunto da haste com a
limpadores devem ser limpos palheta do para-brisa (1).
regularmente e as palhetas
• Gire a palheta no sentido indicado
substituídas quando apresentarem
(2).
sinais de desgaste.

Com o auxílio de uma agulha


faça a regulagem dos esguichos
lavadores do para-brisa, sempre que • Pressione a presilha plástica (3).
necessário.

198
Manutenção

CUidado
Evite o contato de ambos
os terminais da bateria com
5
ferramentas metálicas, ou o
contato inadvertido entre o terminal
positivo (+) e o chassi do veículo, sob
o risco de provocar curto-circuito.

4
Evite avarias no alternador,
impedindo que o motor do veículo
funcione com os cabos da bateria ou
• Empurre a palheta no sentido
conexões do alternador desligados.
da haste (4) enquanto a desloca
Evite que ocorram inversões
levemente para fora da presilha nos cabos do alternador, motor
(5). de partida e bateria. A falta de
aterramento nos terminais pode
causar sérios danos.
Não reboque o veículo com a bateria
6 removida ou desligada, deixando o
motor girar o alternador, e não faça
o motor funcionar com o alternador
desligado do circuito (conexões
removidas).

• Remova a palheta da haste (6).

instalação
• Proceda na ordem inversa da
remoção.
BateriaS
Você deve substituir as baterias
por outras exatamente da mesma O seu veículo está equipado com
2 baterias 12 V, ligadas em série,
especificação. A bateria do seu
permitindo uma tensão nominal de
veículo foi dimensionada de acordo
24 V.
com os itens/acessórios originais
Ford. Não é recomendada a adição A bateria é livre de manutenção (não
de equipamentos elétricos que requer adição de água).
sobrecarreguem o sistema elétrico do
veículo.
199
Manutenção

Para a operação adequada da Para remover e instalar a bateria


bateria, mantenha a parte superior
limpa e seca e assegure-se de
que os cabos estejam firmemente
conectados aos terminais da bateria.

CUidado
O contato com componentes
químicos internos da bateria
pode causar danos severos à
saúde.

Se houver algum sinal de corrosão


sobre a bateria ou os terminais, Para acessar as baterias de dentro
remova os cabos dos terminais e da caixa de proteção, puxe a haste
limpe-os com uma escova de aço. do fecho para fora, desencaixe a
O ácido pode ser neutralizado com lingueta e levante a tampa da caixa
uma solução de bicarbonato de sódio de proteção.
e água.
Instale-os novamente e aplique uma
pequena quantidade de graxa na
parte superior de cada terminal da
bateria para evitar novo processo de
corrosão.

Antes de executar serviços de solda


no veículo, siga os seguintes passos:
• Desligar o cabo positivo (+) da
bateria;
• Desligar o cabo positivo (+) do 1. Desligue a ignição;
alternador; 2. Desconecte o cabo negativo (-);
• Conectar o cabo terra do 3. Desconecte o cabo positivo (+) da
equipamento próximo do ponto de bateria;
execução da solda.
4. Remova a bateria pelas alças
laterais;
5. Instale na ordem inversa.

nota: Levante a bateria com um


transportador de bateria ou com as
mãos nos cantos opostos, utilizando
luvas apropriadas.

200
Manutenção

Quando a bateria é substituída ou SUBStitUiÇÃo de


simplesmente religada, o veículo
poderá apresentar algumas
LÂMPadaS
características de condução Desligue as luzes e a ignição.
diferentes do normal, depois de Antes de substituir uma lâmpada,
religar a bateria, enquanto o sistema certifique-se de que o fusível
de controle do motor está se correspondente não está queimado.
realinhando com o motor. Não toque no vidro da lâmpada
A abertura do vidro com um incandescente, pois poderá haver
toque automático é desativada diminuição da intensidade de luz. Se
quando a chave geral é desligada houver contato, limpe com álcool.
ou os terminais da bateria são
removidos. Abra e feche os vidros
CUidado
completamente para que a função
de abertura do vidro com um toque Deixe a lâmpada incandescente
automático volte a funcionar. esfriar antes de removê-la.

nota: No caso de desuso prolongado,


desligue o cabo terra da bateria. nota: Só instale lâmpadas
incandescentes da especificação
correta.
reciclagem obrigatória da bateria
Devolva a bateria usada nota: As instruções a seguir
ao Distribuidor Ford descrevem como remover as
Caminhões no ato lâmpadas incandescentes. Instale as
da troca (resolução peças de reposição na ordem inversa
CONAMA 257/99 de salvo especificação em contrário.
30/06/99).

• Todo consumidor / usuário final é


obrigado a devolver a sua bateria Substituição das lâmpadas do
usada num ponto de venda. Não a farol, de posição e de direção
descarte no lixo doméstico. dianteiras para-choque rodoviário
• Os pontos de venda são obrigados
a aceitar a devolução da bateria Acesse as lâmpadas do farol por
usada e a devolvê-la ao fabricante baixo, pelo interior do para-choque.
para reciclagem.

201
Manutenção

Lâmpada do farol Lâmpada do indicador de direção


dianteiro
Alto

Baixo
1. Gire o soquete no sentido anti-
1. Gire o soquete no sentido anti- horário e remova-o da lanterna;
horário e puxe-o do alojamento do 2. Substitua a lâmpada.
farol;
2. Substitua a lâmpada (facho alto Substituição das lâmpadas do
ou baixo). farol, de posição e de direção
dianteiras para-choque fora de
Lâmpada da luz de posição estrada

Acesse as lâmpadas do farol por


baixo, pelo interior do para-choque.

Lâmpada do farol

1. Gire o soquete no sentido anti-


horário e remova-o do alojamento;
2. Substitua a lâmpada
pressionando e girando-a no
sentido anti-horário.
Baixo Alto

202
Manutenção

1. Gire o soquete no sentido anti- Lâmpada do indicador de direção -


horário e puxe-o do alojamento do posição lateral
farol;
2. Substitua a lâmpada (facho alto
ou baixo).

Lâmpada da luz de posição

1. Pressione a aba na base e gire


a lente no sentido horário para
removê-la;
2. Substitua a lâmpada pressionando
1. Gire o soquete no sentido anti- e girando-a no sentido anti-
horário e remova-o do alojamento; horário.
2. Substitua a lâmpada
pressionando e girando-a no
sentido anti-horário. Lâmpada delimitadora da altura do
veículo
Lâmpada do indicador de direção
dianteiro

1. Solte os dois parafusos de fixação


e remova o corpo da lanterna;
2. Substitua a lâmpada pressionando
1. Remova a moldura dos faróis e girando-a no sentido anti-
soltando os quatro parafusos Tor x horário.
(T-25);
2. Solte o conector apertando a
trava e girando-o no sentido anti-
horário;
3. Substitua a lâmpada.
203
Manutenção

Lâmpada da lanterna traseira 1. Puxe cuidadosamente a lanterna


para fora;
2. Substitua a lâmpada pressionando
e girando-a no sentido anti-
horário.

LÂMPada da LUz de
CorteSia / da CaBine

1 1
1. Remova os quatro parafusos de
fixação da lente e remova-a; B A
2. Substitua a lâmpada (1, 2, 3, 4 ou 2 2
5) pressionando e girando-a no
sentido anti-horário.

1. Puxe a lente pela borda externa;


LiMPeza daS LUzeS
2. Substitua a lâmpada pressionando
externaS e girando-a no sentido anti-
Lave com o mesmo detergente horário.
neutro utilizado para as partes
externas do veículo.
Para evitar riscos às lentes, não utilize aLinHaMento do FaroL
toalha de papel seca, solventes
químicos ou limpadores abrasivos. Procure os serviços de um
Distribuidor Ford Caminhões para
Lâmpada da luz de cortesia executar o procedimento.

204
Manutenção

taBeLa de eSPeCiFiCaÇÕeS de LÂMPadaS - 24 V

Posição tipo

Farol - facho baixo H7-24W / 70W

Farol - facho alto H7-24W / 70W

Luz indicadora de posição dianteira W5W-24W / 5W


Luz indicadora de direção / posição
P21 / 5W
lateral
Luz delimitadora da altura do
T4W-24V / 4W
veículo
Luz de ré P21W-24V / 21W

Luz indicadora de direção traseira P21W-24V / 21W

Luz de freio P21W-24V / 21W

Luz indicadora de direção dianteira P21W-24V / 21W

Luz do teto - cortesia 10W

Luz de posição traseira R10W-24V / 10W

luz da placa de licença R10W-24V / 10W

205
Manutenção

taBeLa de VoLUMe de aBaSteCiMento

Sistema informações 1419 1519 1719 2429*

Motorcraft
Especificação
Motor SAE 15W-40 API CI-4 / WSS-M2C171-D

Volume (I) 13 19,5


Caixa de Especificação SAE 40
mudanças
manual Volume (I) 9

Caixa de Especificação
mudanças Não equipado
automatizada Volume (I)

Especificação 85W-140 GL5


Eixo Traseiro
Volume (I) 20 18

Etilenoglicol / WSS-M97B54-A (40%) + Água filtrada


Especificação
Arrefecimento (60%)

Volume (I) 24 28

Especificação DOT 4 OU Super DOT 4 / WSS-M6C65-A2


Embreagem
Volume (I) 0,33

Especificação Mercon® LV / WSS-M2C938-A


Direção
Volume (l) 3,5 3,6

Especificação Diesel S10


Combustível
Volume (I) 275 275 ou 550

Controle de Especificação ARLA 32 / ISO 22241-1 / WSS-M99C130-A


emissões Volume (I) 25 50 ou 90

Basculamento Especificação Multivehicle ATF / WSA-M2C195-A


hidráulico Volume (I) 0,5

Gás refrigerante Especificação R-134a


ar-condicionado Massa (g) 675±25

Lavador do Especificação Água


para-brisa Volume (I) 8

206
Manutenção

taBeLa de VoLUMe de aBaSteCiMento

Sistema informações 1723 2423 1729 2429** 1933

Motorcraft
Especificação
Motor SAE 15W-40 API CI-4 / WSS-M2C171-D

Volume (I) 19,5 25,6

Caixa de Especificação SAE 40 SAE 50


mudanças
manual Volume (I) 9 8,2 17

Caixa de Especificação SAE 50 - Sintético


mudanças
automatizada Volume (I) 9,5 13,2

Especificação 85W-140 GL5

18 (com 2
Eixo Traseiro velocidades)
Volume (I) 21
21 (com 1
velocidade)

Etilenoglicol / WSS-M97B54-A (40%) + Água filtrada


Especificação
Arrefecimento (60%)

Volume (I) 28 29

Especificação DOT 4 OU Super DOT 4 / WSS-M6C65-A2


Embreagem
Volume (I) 0,33

Especificação Mercon® LV / WSS-M2C938-A


Direção
Volume (I) 3,6

Especificação Diesel S10


Combustível
Volume (I) 275 275 ou 550 550

Controle de Especificação ARLA 32 / ISO 22241-1 / WSS-M99C130-A


emissões Volume (I) 50 50 ou 90 90

Basculamento Especificação Multivehicle ATF / WSA-M2C195-A


hidráulico Volume (I) 0,5

Gás refrigerante Especificação R-134a


ar-condicionado Massa (g) 675±25

Lavador do Especificação Água


para-brisa Volume (I) 8

207
Manutenção

taBeLa de VoLUMe de aBaSteCiMento

Sistema informações 2623 2629 3129 3133

Motorcraft
Especificação
Motor SAE 15W-40 API CI-4 / WSS-M2C171-D

Volume (I) 19,5 25,6

Caixa de Especificação SAE 50


mudanças
manual Volume (I) 15

Caixa de Especificação
mudanças Não equipado
automatizada Volume (I)

Especificação 85W-140 GL5


Eixo Traseiro
Volume (I) 11 + 11 20 + 20

Etilenoglicol/WSS-M97B54-A (40%) + água


Especificação
Arrefecimento filtrada (60%)

Volume (I) 28 29

Especificação DOT 4 OU SUper DOT 4 / WSS-M6M65-A2


Embreagem
Volume (I) 0,33

Especificação MERCON® LV / WSS-M2C938-A


Direção
Volume (I) 3,6

Especificação Diesel S10


Combustível
Volume (I) 275

Controle de Especificação ARLA 32 / ISO 22241-1 / WSS-M99C130-A


emissões Volume (I) 50

Basculamento Especificação Multivehicle ATF / WSA-M2C195-A


hidráulico Volume (I) 0,5

Gás refrigerante Especificação R-134a


ar-condicionado Massa (g) 675+25

Lavador do Especificação Água


para-brisa Volume (I) 8

208
Manutenção

* 2429 equipada com caixa de mudanças 6 velocidades.


** 2429 equipada com caixa de mudanças 9 velocidades.
Não recomendamos pulverizar a parte inferior do veículo com querosene ou
óleos minerais, pois, esses produtos prejudicam as peças de borracha e as
lonas dos freios.
Seu veículo está apto ao uso de Biodiesel até B20 (mistura de até 20%
de Biodiesel com Diesel), conforme especificado pelas normas brasileiras
vigentes.

209
Cuidados com o veículo

ManUtenÇÃo A utilização correta do veículo e a


destinação adequada de produtos
A manutenção periódica dos itens de limpeza e lubrificantes usados
listados na ‘‘tabela de manutenção’’ contribuem para atenuar de forma
é de fundamental importância para ativa a poluição do meio ambiente.
a correta operação do veículo e
permite manter o funcionamento do resíduos líquidos
motor e o consumo de combustível Quando descartados sem prévio
muito próximo do ideal. tratamento, os resíduos líquidos
A troca de filtros de combustível podem causar um grande impacto
ambiental, pois se espalham
e óleos lubrificantes, a regulagem
facilmente, contaminando terrenos,
dos freios, o correto alinhamento
rios, lagos e os lençóis freáticos.
e balanceamento das rodas e Óleos lubrificantes, combustíveis,
a utilização da pressão correta solventes, líquido de arrefecimento
nos pneus também são fatores e fluidos de embreagem são
que influenciam diretamente na altamente contaminantes.
economia de combustível.
Em resumo, todos os resíduos
abastecendo o veículo líquidos citados neste capítulo
jamais devem ser descartados no
Abastecer o veículo com óleo Diesel
esgoto comum ou no solo. Eles
contaminado aumenta o consumo apresentam características que
e acelera o desgaste que se dá nos podem danificar a pintura dos
componentes da bomba e dos bicos veículos, além de representar sério
injetores, sendo comum ocorrer o risco de contaminação do solo e do
travamento e, consequentemente, a lençol freático.
quebra dessas peças.
Baterias
Zelar pela qualidade do Diesel
é responsabilidade de todos os As baterias possuem basicamente
envolvidos no processo: refinadores, três componentes: chumbo,
polipropileno e ácido.
companhias distribuidoras,
transportadores, postos de Desses três componentes, o ácido é
abastecimento e consumidores. o que apresenta maior dificuldade de
reciclagem; por isso, jamais deve ser
gestão ambiental removido da bateria.
Meio ambiente pode ser definido A utilização de ácidos é única e
como o conjunto de condições, exclusiva em baterias e os mesmos
leis, influências e interações de não devem ser removidos ou
ordem física, química e biológica substituídos. Em caso de vazamento,
que permite, abriga e rege a vida podem causar sérios danos ao meio
em todas as suas formas (conceito ambiente e, em contato com a pele,
extraído da Lei 6938/81, da Política oferecem riscos de queimaduras.
Nacional do Meio Ambiente).

210
Cuidados com o veículo

LiMPeza exterior Use um pano limpo e sem fiapos ou


uma flanela umedecida em água e
CUidadoS sabão neutro.

Se usar um lava-rápido com Limpando as guarnições de


ciclo de cera, certifique-se de borracha e palhetas do limpador
remover a cera do para-brisa. do para-brisa
Antes de usar um lava-rápido,
verifique se ele é adequado CUidado
para o seu veículo. Não use abrasivos, solventes
Algumas instalações de lava- à base de álcool ou produtos
rápido usam água em alta químicos para a limpeza, pois
pressão. Isto pode danificar são prejudiciais à borracha.
certas partes do veículo.
Use um pano limpo e sem fiapos ou
Remova a antena antes uma flanela umedecida em água
de usar um lava-rápido para limpeza.
automático. Desligue a
ventoinha do aquecedor para evitar a Limpando os espelhos retrovisores
contaminação do filtro de ar.
Recomendamos que você lave CUidadoS
o veículo com água e sabão Não utilize esponjas de fios de
neutro. aço ou produtos abrasivos para
a limpeza.
Limpando os faróis Sempre rebata os espelhos
retrovisores antes de entrar
CUidadoS num lava rápido.
Não raspe as lentes do farol
nem use abrasivos, solventes Use um pano limpo e sem fiapos ou
à base de álcool ou produtos uma flanela umedecida em água e
químicos para a limpeza. sabão neutro.

Não esfregue os faróis quando


Limpando peças plásticas
eles estiverem secos.

Limpando os vidros
CUidado
Não use diluentes de tinta,
CUidado solventes ou limpadores à base
de petróleo para a limpeza.
Não raspe o vidro e nem use
abrasivos, solventes à base de
Use um pano limpo e sem fiapos
álcool ou produtos químicos umedecido em limpador de vinil
para a limpeza. para a limpeza rotineira. Use
removedor, se necessário.
211
Cuidados com o veículo

Limpando as rodas Recomendamos encerar a superfície


somente quando estiver totalmente
seca e de três a quatro vezes por
CUidado ano, dependendo das condições de
Não utilize esponjas de fios de utilização do veículo.
aço ou produtos abrasivos para Utilize um fluido para limpeza num
a limpeza. pano limpo para remover insetos ou
sujeiras antes de encerar o veículo.
Lave frequentemente com água e Utilize um removedor para limpar
sabão neutro. pontos de piche.

Suspensão dianteira e traseira LiMPeza interior


Antes da lubrificação limpe
as engraxadeiras, evitando a nota: Não permita que
contaminação da graxa. Lubrifique aromatizadores de ambiente ou
o pino da lâmina tensora com a sanitizadores de mãos derramem nas
engraxadeira. superfícies do interior. Se ocorrer um
derrame, limpe-o imediatamente. Os
danos podem não ser cobertos pela
nota: Os grampos das molas
garantia.
dianteiras e traseiras devem ser
reapertados com mais frequência em
operações severas. Cintos de segurança

Conservação da pintura da CUidadoS


carroceria
Não use abrasivos, solventes
CUidadoS à base de álcool ou solventes
químicos para sua limpeza.
Não faça polimento do veículo
sob sol forte. Não deixe umidade penetrar no
mecanismo retrator dos cintos
Não deixe que a cera de de segurança.
polimento entre em contato
com superfícies de plástico. Ela
pode ser difícil de remover. Limpe-os com limpador de interiores
ou água aplicada com uma esponja
Não aplique cera de polir no macia. Deixe-os secar naturalmente,
para-brisa. Isto pode causar longe do calor artificial.
ruídos nos limpadores,
evitando que eles limpem o vidro
corretamente.

212
Cuidados com o veículo

telas do painel de instrumentos, nem borrife água fria, pois o choque


telas de LCd e telas de rádio térmico com superfícies aquecidas
poderá provocar danos ao motor.
CUidado Nunca lave ou enxágue o motor
enquanto estiver quente ou
Não use abrasivos ou solventes funcionando: a água no motor em
químicos para sua limpeza. funcionamento pode causar danos
internos.
Use um pano limpo e sem fiapos ou Devido à diversidade de materiais
uma flanela umedecida em água e existentes no compartimento do
sabão neutro. motor, deve-se evitar a utilização
de produtos químicos de limpeza,
Bancos que podem ser agressivos a
determinados componentes. Deve-
Mantenha sua boa aparência, se evitar também limpeza por meio
escovando periodicamente com de vapor de água. O condensador
uma escova de pelos macios. Em do ar-condicionado e o radiador
caso de manchas, limpe com uma possuem aletas de alumínio que
esponja umedecida em água e podem se deformar quando lavadas
sabão neutro. com jatos d’água de alta pressão.
Para evitar danos, somente lavar
com jatos d’água de baixa pressão.
reParar PeqUenoS
danoS na PintUra nota: Ao lavar o motor, nunca
Você deve reparar o quanto antes os direcione jatos d’água em
danos à pintura causados por pedras componentes elétricos e eletrônicos.
da estrada ou pequenos arranhões. Alguns postos de lavagem utilizam
Antes de reparar os danos, remova água em alta pressão. Isso pode
partículas como fezes de pássaros, danificar certos componentes do seu
resina de árvore, depósitos de veículo.
insetos, sal das estradas e respingos
de partículas industriais.
Sempre leia e siga as instruções arMazenaMento do
do fabricante antes de usar os VeÍCULo
produtos. Nem mesmo a sofisticada
tecnologia empregada no
desenvolvimento de seu veículo
LiMPeza do Motor poderá garanti-lo contra a ação
A eficiência do motor será maior do tempo, quando em desuso por
se ele funcionar limpo, pois o longos períodos.
acúmulo de graxa e poeira causam Um veículo imobilizado por um
elevação da temperatura normal período aproximado de 6 meses
de funcionamento. Porém, quando poderá não mais apresentar o
lavar o motor, tenha cuidado em mesmo comportamento inicial.
não utilizar jatos fortes de água, e

213
Cuidados com o veículo

Sua vida útil será sensivelmente sempre que necessário quando o


comprometida em virtude do veículo for lavado.
ressecamento das borrachas, da • Mantenha os braços do limpador
oxidação do combustível, da perda
do para-brisa dobrados, afastados
das características dos lubrificantes,
do vidro.
etc.
Dentro de um período de 30 dias de • Lubrifique todas as dobradiças e
imobilização, será ainda possível travas da porta e do capuz com
reverter as consequências negativas um óleo de baixa viscosidade.
decorrentes deste fato. • Cubra o acabamento interior para
Daí por diante, quanto mais tempo evitar descoloração.
o veículo permanecer inativo, mais • Mantenha todas as peças de
difícil será garantir seu desempenho borracha livres de óleo e solventes.
posterior.
Se for necessário mantê-lo CHaSSi
inativo por tempo prolongado é
conveniente que, preventivamente, Freios, rodas e pneus e
sejam tomados alguns cuidados escapamento
específicos para cada parte do • Os pneus devem permanecer
veículo. suspensos (sem contato com
o solo) para evitar que se
nota: O ideal é colocar o motor deformem permanentemente
em funcionamento a cada quinze (fiquem “quadrados”).
dias, por pelo menos quinze • A oxidação dos discos ou
minutos, desligando em seguida tambores do freio é altamente
o cabo terra da bateria. O gás do prejudicial. Para minimizar seus
escapamento é extremamente tóxico. efeitos negativos, o veículo deve
Jamais permaneça em ambiente ser guardado em lugar seco e
fechado enquanto o motor estiver arejado; o veículo deve estar
funcionando. isento de umidade.
• Rolamento das rodas: o poder
geral lubrificante não resiste a um
• Armazene o veículo em um local longo tempo de inatividade. O
seco e ventilado. único recurso é trocar a graxa
• Proteja-o da luz do sol, se imediatamente antes e após o
possível. desuso.
• Se o veículo for armazenado em • O silencioso está sujeito à
local externo, exigirá manutenção corrosão precoce. Protegê-lo
regular para protegê-lo contra internamente é impossível; a
ferrugem e danos. única providência possível a
tomar é evitar guardar o veículo
• Cubra as peças de cromo e de molhado e em lugar úmido e não
aço inoxidável com uma camada arejado.
espessa de cera de polir para
evitar a descoloração. Passe a cera

214
Cuidados com o veículo

Carroceria • Verifique se foram coletados


Sofre oxidação nas articulações, materiais estranhos no escape
deterioração das peças de borracha durante o armazenamento;
e dos lubrificantes das fechaduras • Verifique a pressão e o
das portas e tampas. enchimento dos pneus de acordo
Dois dias antes da imobilização, lave com a etiqueta do pneu;
o veículo com um produto neutro • Conecte os cabos da bateria;
de limpeza e muita água (não use
• Substitua todos os fluidos e filtro
querosene ou outros derivados de
do veículo (arrefecimento, motor,
petróleo ou ácido que acelerem a
transmissão, eixo, combustível e
oxidação), longe do local aonde ele
emissões);
será guardado. Seque-o muito bem
e deixe-o, com as portas e capuz • Entre em contato com o
abertos, exposto ao sol. Distribuidor Ford Caminhões se
tiver problemas.
Encere-o com uma cera protetora
e guarde-o em lugar seco e bem
ventilado com os vidros abertos. nota: Para evitar aborrecimento e
Coloque no habitáculo saquinhos problemas com a garantia do veículo,
de sílica-gel ou produto similar, tenha em mente que, apesar de
que absorva a umidade do ar. Não todas as precauções tomadas, um
coloque capas que impeçam a veículo não pode permanecer inativo
ventilação do veículo. por um período prolongado. Portanto,
você estará melhor protegido se
elétrica colocar o motor em funcionamento
• Desligue o cabo terra da bateria. a cada quinze dias, e rodar alguns
quilômetros, pelo menos a cada
antes de colocar o veículo em trinta dias.
movimento
Quando seu veículo estiver pronto
para sair do armazenamento, faça o
seguinte:
• Lave o veículo para remover a
película de sujeira;
• Verifique a existência de
deteriorações nos limpadores do
para-brisa;
• Verifique embaixo do veículo
se existem materiais estranhos
que possam ter sido coletados
durante o armazenamento
(ninhos de animais);

215
rodas e pneus

inForMaÇÕeS geraiS • Na troca de pneus radiais por


pneus diagonais, por questões
Verifique periodicamente a pressão
de segurança, é mandatória a
dos pneus, mantendo-a dentro das
reconfiguração do ECM, uma
especificações, de acordo com o tipo
vez que o veículo sai de fábrica
de pneu e modelo do veículo.
configurado para a velocidade
nota: Verifique a pressão dos máxima do pneu radial, que é
pneus regularmente para otimizar a superior à velocidade do pneu
economia de combustível. diagonal;

• Na troca de pneus radiais por


radiais de outro fabricante é
mandatória a reconfiguração
do ECM, pelos mesmos motivos
citados anteriormente.
A configuração do módulo deve
OK

ser feita em um Distribuidor Ford


BRC

Caminhões, com agendamento


prévio através do Disk Ford
Caminhões: 0800-703-3673.
nota: Na substituição de pneus
de fabricantes diferentes ou CUidado CoM oS PneUS
tipos diferentes é mandatória a É essencial para a segurança do
reconfiguração do tacógrafo. veículo que sejam sempre mantidas
as pressões recomendadas,
especialmente em situações com
o veículo totalmente carregado ou
altas velocidades.

No caso da substituição dos pneus


originais do veículo por outros de Sempre que abastecer, verifique a
configuração diferente, observe: pressão dos pneus a frio (lembre-
• Na troca de pneus diagonais se de incluir o pneu sobressalente)
por radiais, é recomendável a mantendo dentro das especifica-
reconfiguração do Módulo de ções, de acordo com o tipo de pneu
Controle Eletrônico do Motor e modelo do veículo.
(ECM) para adequar a velocidade As suas válvulas não devem
do veículo à velocidade máxima apresentar fugas de ar; substitua
suportada; caso apresentem problemas.
216
rodas e pneus

Verifique periodicamente se todas as PreSSÃo doS PneUS


válvulas possuem tampas.
Remova da banda de rodagem,
pedras ou qualquer outro
material que possa causar
desbalanceamento do conjunto ou
danos nos pneus.
Os pneus não devem apresentar
cortes, abrasão ou qualquer tipo
de dano. No caso de suspeita de
problema interno, desmonte-os da
roda para uma melhor inspeção e a
devida reparação. Se durante uma viagem for notado
um aumento na pressão dos pneus
Pneus danificados ou gastos são (que tenham sido previamente
perigosos. Não dirija o veículo se calibrados com a pressão correta),
houver pneus excessivamente nunca esvazie logo após ter parado,
gastos, danificados ou com pressão pois a pressão estará muito acima
incorreta. do normal.
O aumento de pressão é causado
CUidado pelo calor gerado pelo atrito dos
Para evitar lesões sérias pneus com o solo. Essa condição
ou fatais devido à perda já foi levada em consideração pelo
de controle do veículo, fabricante do pneu.
somente substitua os pneus pelos Bicos de enchimento (válvulas)
especificados. Mantenha as tampas dos bicos
sempre firmemente rosqueadas,
pois elas impedem a penetração
nota: Os pneus novos precisam ser de sujeira nas válvulas. Ao calibrar
amaciados por aproximadamente os pneus, verifique se não há
500 km. Durante esse tempo, você vazamentos pelo bico (há um
poderá perceber características “assobio” característico).
diferentes de condução. Verificação da pressão dos pneus
• Use um manômetro de precisão
nota: Use somente rodas e pneus de para medir a pressão dos pneus.
medidas aprovadas. O uso de outras
• Verifique a pressão com os pneus
medidas pode danificar o veículo.
frios, depois que o veículo tiver
permanecido parado pelo menos
Boas práticas de direção contribuem por uma hora ou tiver rodado
para menor desgaste dos pneus. menos de 5 km.
Dessa forma, deve-se evitar freadas • Ajuste a pressão do pneu.
bruscas, fortes acelerações partindo
da imobilidade, choques contra
calçadas, buracos e uso prolongado
em ruas ou estradas acidentadas.
217
rodas e pneus

Pneus com pressão excessiva rodÍzio doS PneUS


Devido aos diferentes esforços
exigidos dos pneus do veículo, estes
podem se desgastar de maneira
diferente. Para garantir que os pneus
se desgastem por igual e prolongar
sua vida útil, realize o rodízio dos
mesmos periodicamente. Se houver
desgaste desigual em algum pneu,
verifique o alinhamento da direção.
Sempre que efetuar o rodízio dos
O excesso de pressão diminui a área pneus, desmonte-os das rodas e
de contato da banda de rodagem remonte-os ao contrário, a fim de
com a superfície, concentrando manter o sentido de rotação dos
todo o peso do veículo no centro mesmos.
da banda de rodagem, causando Durante a regulagem da
desgaste prematuro dos pneus. convergência, é necessário que
a caixa de direção permaneça
no centro, a fim de evitar que as
Pneus com pressão baixa válvulas de fim de curso sejam
desreguladas durante o processo de
alinhamento.

Pneus com a pressão abaixo


daquela especificada tornam
difícil a dirigibilidade do caminhão,
aceleram o desgaste, aumentam a
resistência de rodagem dos pneus
e, consequentemente, aumentam o
consumo de combustível e podem
provocar acidentes.

218
rodas e pneus

Veículos 4x2

Pneus dianteiros Pneus dianteiros


diferentes dos iguais aos
pneus traseiros pneus traseiros

Veículos 6x4 6x2

Pneus dianteiros
igual aos
pneus traseiros

219
rodas e pneus

SUBStitUiÇÃo daS Use o macaco exclusivamente para


a troca da roda. Nunca trabalhe
rodaS embaixo do veículo apoiado apenas
Se, durante a condução do veículo, pelo macaco.
houver algum pneu furado, não
aplique o freio abruptamente, Fluido de
diminua a velocidade gradualmente.
Transmissão
Segure o volante de direção
firmemente e, vagarosamente, leve o Hidráulica
veículo para o acostamento. Fluido
Ao estacionar o veículo, não máx.
raspe a face lateral dos pneus.
Inspecione regularmente as
paredes laterais dos pneus quanto
a indícios de deformação ou danos,
O macaco terá pleno funcionamento
especialmente bolhas e cortes.
se o nível do fluído estiver na
Examine a superfície da banda de
borda inferior da sede do bujão de
rodagem periodicamente, a fim
inspeção e abastecimento.
de verificar a existência de cortes,
objetos estranhos ou desgaste não
uniforme. Um perfil irregular indica Procedimento para utilização do
necessidade de alinhamento das macaco
rodas.

MaCaCo
O macaco e a chave de rodas estão
localizados sob o assento do banco
do passageiro. Para acessá-los, retire
o assento do banco e solte a cinta de
fixação.
Pegue a barra de basculamento, que
está fixada na parte dianteira. Para
acessá-la, abra o capuz e solte as
presilhas de fixação.
1. Instale o macaco no ponto
específico e regule sua altura
girando o fuso extensor no
sentido anti-horário. O uso em
outro ponto pode causar danos.
Trave a válvula de retorno com a
barra de basculamento, girando
no sentido horário.

220
rodas e pneus

2. Posicione o macaco de acordo


com as seguintes orientações:
Eixo dianteiro no olhal do conjunto
do feixe de molas;

3. Insira a barra na articulação da


bomba.
Eixo dianteiro 4. Levante e abaixe a barra para
levantar totalmente a roda do chão.

Eixo traseiro trativo, na parte plana nota: Os macacos hidráulicos


do eixo, o mais próximo possível da são equipados com uma válvula
roda a ser levantada; de pressão, para evitar cargas
de levantamento superiores à
capacidade do macaco.

5. Abaixe a roda, girando a válvula


de retorno vagarosamente em
sentido anti-horário. Abrindo a
válvula de retorno vagarosamente,
haverá uma descida mais
controlada.

Eixo traseiro
Eixo traseiro com suspensão a ar,
na fixação inferior da bolsa de ar
traseira.

6. Para remover o macaco, feche o


fuso extensor girando no sentido
horário, destrave a válvula de
retorno, girando no sentido anti-
-horário, pise para fechar a haste
hidráulica do macaco e guarde-o.
7. Aloje o macaco, a chave de roda
e a barra de basculamento e
certifique-se de que estejam
firmemente presos.
221
rodas e pneus

roda SoBreSSaLente A roda sobressalente sai de fábrica


instalada sobre o passadiço.
na longarina
Em hipótese alguma acople o
semirreboque no veículo sem antes
remover a roda sobressalente.

remoção
1. Solte a porca-trava e retire o
suporte.
2. Retire a haste de fixação pelo
centro da roda. O ponto de
ancoragem da haste de fixação
Antes de removê-la, certitique-se localiza-se na parte inferior da
de que o cabo de sustentação está travessa, logo abaixo do furo-guia
tensionado. Com o auxílio da chave do passadiço.
de rodas, solte as porcas de fixação
da travessa da roda do suporte de 3. Remova a roda do passadiço.
sustentação. Introduza a barra da
chave de rodas na chapa da catraca instalação
e, com movimentos da esquerda
para a direita, solte o cabo de Para instalar a roda sobressalente,
sustentação até que a roda encoste inverta a ordem de remoção.
no chão. Remova, então, a travessa.

nota: Antes de reposicionar a roda


em seu suporte após a substituição,
inspecione o cabo de sustentação
quanto a eventuais danos; se
detectados, providencie a sua
substituição.
Cavalo mecânico
nota: A haste deve ser posicionada
de forma a manter a roda
sobressalente devidamente fixada.

222
rodas e pneus

ProCediMento Para CUidado


SUBStitUiÇÃo da roda Se o veículo deslizar do macaco,
poderá haver sérios acidentes.
1. Estacione o veículo sobre uma
superfície nivelada, acione o
pisca-alerta e aplique o freio de 7. Levante o veículo, apoiando o
estacionamento; macaco nos pontos indicados
nos eixos traseiro e dianteiro;
2. Calce as demais rodas. Se
equipado com protetores 8. Remova as porcas da roda com a
individuais de porca, remova-os chave de roda;
manualmente; 9. Substitua a roda com o pneu
vazio pela sobressalente,
certificando-se de que a válvula
de enchimento esteja voltada
para fora.
10. Instale novamente as porcas até
que a roda encoste contra o cubo.
Não aperte totalmente as porcas
antes de ter abaixado a roda;

3. Remova o macaco, a chave de


roda, a barra de basculamento e 1
a roda sobressalente de seu local 10 3
de armazenamento; 5
8
4. Remova os protetores individuais 7
de porca ou a calota (se houver); 6
9
5. Solte as porcas da roda meia- 4 2
volta em sentido anti-horário,
porém sem removê-las, até que a
roda seja levantada do chão; nota: Para que as rodas não fiquem
empenadas ou desalinhadas,
aperte as porcas progressiva e
alternadamente conforme sequência
acima.
11. Aperte com o torque
recomendado;
12. Instale os protetores individuais
de porca ou a calota (se houver);
13. Guarde a roda sobressalente;
6. Verifique se o solo está firme e 14. Aloje o macaco, a chave de roda
plano para instalar o macaco. Não e a barra de basculamento em
o instale em solo arenoso; seu local;
15. Remova os calços das rodas.
223
rodas e pneus

eSPeCiFiCaÇÕeS téCniCaS
Torque da porca da roda
Para modelos 14 toneladas e acima com 10 porcas: 610+- 95 Nm.

direção - alinhamento

Ângulo de câmber
1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 2423 / 2623 / 1729 / 2429 /
0°15’ a 1°15’
2629 / 3129 / 1933 / 3133
Ajuste de convergência (peso em ordem de marcha) 0° a 0° 7’

Ângulo de inclinação do pino-mestre (referência)


1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 2423 / 2623 / 1729 / 2429 /
5°45’
2629 / 3129 / 1933 / 3133
Ângulo de cáster - sem carga

1419 / 1519 0°42’ a 3°18’

1719 / 1723 / 1729 / 1933 1°30’ a 3°30’

2423 / 2429 2°32’ a 5°08’

2623 / 2629 / 3129 / 3133 2°57’ a 5°33’

nota: Para cáster e câmber, a máxima diferença entre as rodas direita e


esquerda não deve ser superior a 1°.

224
rodas e pneus

Pressão com carga máxima em bar (psi)

dianteiros traseiros
Modelos rodas Pneus
Bar (PSi) Bar (PSi)
10,00R20 - radial com
20x7,5 7,4 (105) 8,0 (115)
câmara
1419 / 1519
275/80R22,5 - radial
22,5x7,5 7,4 (105) 7,7 (110)
sem câmara
10,00R20 - radial com
1719 22,5x7,5 8,0 (115) 8,0 (115)
câmara
275/80R22,5 - radial
1723 20x7,5 8,0 (115) 8,0 (115)
sem câmara
2423 / 1729 / 275/80R22,5 - radial
22,5x7,5 8,0 (115) 7,4 (105)
2429 sem câmara
275/80Rx22,5 - radial
2623 / 2629 22,5x7,5 8,0 (115) 8,0 (115)
sem câmara
275/80Rx22,5 - radial
22,5x7,5 8,0 (115) 8,3 (120)
sem câmara
1933
295/80Rx22,5 - radial
22,5x8,25 7,4 (105) 7,4 (105)
sem câmara
295/80Rx22,5 - radial
3129 / 3133 22,5x8,25 7,7 (110) 7,7 (110)
sem câmara

ø Ligado nos eixos traseiros tracionados.


• As pressões recomendadas são as mínimas necessárias para a condição
de carga especificada.
• O pneu sobressalente deve ser do mesmo tipo (direcional) e construção
dos pneus dianteiros.
• A pressão recomendada para o pneu sobressalente deve ser a máxima
especificada na tabela, para o veículo.

225
Capacidades e especificações

eSPeCiFiCaÇÕeS do Motor

Motor Cummins - diesel 4,5 L iSB4 186 P7-1 - 1419 / 1519 / 1719

Número e disposição dos cilindros 4 em linha


Localização / disposição dianteiro / longitudinal
Ciclo / tempo Diesel / 4
Comando de válvulas lateral no bloco
Válvulas 4 por cilindro
tucho mecânico, vareta e
Acionamento
balancim
Diâmetro dos cilindros 107 mm
Curso dos êmbolos 124 mm
Cilindrada total 4,462 cm3
Taxa de compressão 17,3:1
Tipo de combustível óleo Diesel
injeção direta comandada
Alimentação
eletronicamente
Potência máxima líquida 139 kW (189 cv) a 23 00 rpm
Torque máximo líquido 600 Nm (61,2 kgf.m)
(ABNT-NBR-5484) a 1500 rpm
com carga 2330 rpm
Máxima rpm
sem carga 2650 rpm
Ordem de injeção 1-3-4-2
comandada
Início da injeção estático
eletronicamente
Pressão de injeção no circuito de alta pressão 1.800 bars máx.
Rotação de marcha lenta 700 + 100 rpm
Folga das válvulas (motor frio)
• Admissão 0,152 ~0,381
• Escapamento 0,381 ~0,762

226
Capacidades e especificações

eSPeCiFiCaÇÕeS do Motor

Motor Cummins - diesel 4,5 L iSB4 186 P7-1 - 1419 / 1519 / 1719

Sistema de lubrificação
• Tipo circulação forçada
• Bomba de óleo engrenagem
350 kPa (3,5 bars) a 2.300
• Pressão máxima da bomba
rpm
• Filtro de óleo fluxo total

227
Capacidades e especificações

eSPeCiFiCaÇÕeS do Motor

Motor Cummins - diesel iSB 6,7L 226 P7-1 - 1723 / 2423 / 2623

Número e disposição dos cilindros 6 em linha


Localização / disposição dianteiro / longitudinal
Ciclo / tempo Diesel / 4
Comando de válvulas lateral no bloco
Válvulas 4 por cilindro
tucho mecânico, vareta e
Acionamento
balancim
Diâmetro dos cilindros 107 mm
Curso dos êmbolos 124 mm
Cilindrada total 6,693 cm3
Taxa de compressão 17,3:1
Tipo de combustível óleo Diesel
injeção direta comandada
Alimentação
eletronicamente
Potência máxima líquida 169 kW (230 cv) a 2300 rpm
Torque máximo líquido 821 Nm (85,0 kgf.m)
(ABNT-NBR-5484) a 1500 rpm
com carga 2520 rpm
Máxima rpm
sem carga 2650 rpm
Ordem de injeção 1-5-3-6-2-4
comandada
Início da injeção estático
eletronicamente
Pressão de injeção no circuito de alta pressão 1.800 bars máx.
Rotação de marcha lenta 700 + 100 rpm
Folga das válvulas (motor frio)
• Admissão 0,152 ~ 0,381
• Escapamento 0,381 ~0,762

228
Capacidades e especificações

eSPeCiFiCaÇÕeS do Motor

Motor Cummins - diesel iSB 6,7L 226 P7-1 - 1723 / 2423 / 2623

Sistema de lubrificação
• Tipo circulação forçada
• Bomba de óleo engrenagem
• Pressão máxima da bomba 350 kPa a 2.300 rpm
• Filtro de óleo fluxo total

229
Capacidades e especificações

eSPeCiFiCaÇÕeS do Motor

Motor Cummins - diesel iSB 6,7L 286 P7-1 - 1729 / 2429 / 2629 / 3129

Número e disposição dos cilindros 6 em linha


Localização / disposição dianteiro / longitudinal
Ciclo / tempo Diesel / 4
Comando de válvulas lateral no bloco
Válvulas 4 por cilindro
tucho mecânico, vareta e
Acionamento
balancim
Diâmetro dos cilindros 107 mm
Curso dos êmbolos 124 mm
Cilindrada total 6.693 cm3
Taxa de compressão 17,3:1
Tipo de combustível óleo Diesel
injeção direta comandada
Alimentação
eletronicamente
Potência máxima líquida 213 kW (290 cv) a 2300 rpm
Torque máximo líquido 951 Nm (96,9 kgf.m)
(ABNT-NBR-5484) a 1500 rpm
com carga 2520 rpm
Máxima rpm
sem carga 2650 rpm
Ordem de injeção 1-5-3-6-2-4
comandada
Início da injeção estático
eletronicamente
Pressão de injeção no circuito de alta pressão 1.800 bars máx.
Rotação de marcha lenta 700 + 100 rpm
Folga das válvulas (motor frio)
• Admissão 0,152 ~0,381
• Escapamento 0,381 ~0,762

230
Capacidades e especificações

eSPeCiFiCaÇÕeS do Motor

Motor Cummins - diesel iSB 6,7L 286 P7-1 - 1729 / 2429 / 2629 / 3129

Sistema de lubrificação
• Tipo circulação forçada
• Bomba de óleo engrenagem
• Pressão máxima da bomba 350 kPa a 2.300 rpm
• Filtro de óleo fluxo total

231
Capacidades e especificações

eSPeCiFiCaÇÕeS do Motor

Motor Cummins - diesel iSL 8,9L 330 P7-2 1933 / 3133

Número e disposição dos cilindros 6 em linha


Localização / disposição dianteiro / longitudinal
Ciclo / tempo Diesel / 4
Comando de válvulas lateral no bloco
Válvulas 4 por cilindro
tucho mecânico, vareta e
Acionamento
balancim
Diâmetro dos cilindros 114 mm
Curso dos êmbolos 145 mm
Cilindrada total 8,849 cm3
Taxa de compressão 16,6:1
Tipo de combustível óleo Diesel
injeção direta comandada
Alimentação
eletronicamente
Potência máxima líquida 246 kW (334 cv) a 2100 rpm
Torque máximo líquido 1300 Nm (134,6 kgf.m)
(ABNT-NBR-5484) a 1300 rpm
com carga 2120 rpm
Máxima rpm
sem carga 2400 rpm
Ordem de injeção 1-5-3-6-2-4
comandada
Início da injeção estático
eletronicamente
Pressão de injeção no circuito de alta pressão 1.600 bars máx
Rotação de marcha lenta 750 + 100 rpm
Folga das válvulas (motor frio)
• Admissão 0,08 ~0,16
• Escapamento 0,19 ~0,29

232
Capacidades e especificações

eSPeCiFiCaÇÕeS do Motor

Motor Cummins - diesel iSL 8,9L 330 P7-2 1933 / 3133

Sistema de lubrificação
• Tipo circulação forçada
• Bomba de óleo engrenagem
• Pressão máxima da bomba 350 kPa a 2.300 rpm
• Filtro de óleo fluxo total

233
Capacidades e especificações

ÍndiCe de oPaCidade
Os veículos estão em conformidade com as Resoluções CONAMA
(Conselho Nacional do Meio Ambiente) vigentes na data de sua produção.
Os valores apresentados nas tabelas só serão válidos para motores /
veículos mantidos conforme programa de manutenção do fabricante, e
podem ser influenciados pelos seguintes fatores:
Valores máximos de emissão de fuligem;
Limites máximos de emissão de fuligem, conforme resolução CONAMA
08/93;
Ensaios conforme NBR 7027;
Ensaios conforme NBR 5478.

Motor Cummins - diesel iSB 4.5 L (1419, 1519 e 1719)

Para altitudes menores Para altitudes maiores


ou igual a 350 m a 350 m
rpm
Unid. Bosh Coef. abs. luz Unid. Bosch Coef. abs. luz
(UB) (m-1) (UB) (m-1)
2300 3,60 1,33 4,10 1,73
2200 3,64 1,36 4,14 1,76
2100 3,68 1,39 4,18 1,80
2000 3,73 1,42 4,23 1,85
1900 3,78 1,46 4,28 1,90
1800 3,83 1,50 4,33 1,95
1700 3,88 1,54 4,38 2,00
1600 3,94 1,59 4,44 2,06
1500 3,99 1,63 4,49 2,12
1400 4,05 1,69 4,55 2,19
1300 4,13 1,75 4,63 2,27
1200 4,19 1,81 4,69 2,36
1100 4,26 1,88 4,76 2,45
1000 4,35 1,97 4,85 2,56

234
Capacidades e especificações

ÍndiCe de oPaCidade
Os veículos estão em conformidade com as Resoluções CONAMA
(Conselho Nacional do Meio Ambiente) vigentes na data de sua produção.
Os valores apresentados nas tabelas só serão válidos para motores /
veículos mantidos conforme programa de manutenção do fabricante, e
podem ser influenciados pelos seguintes fatores:
Valores máximos de emissão de fuligem;
Limites máximos de emissão de fuligem, conforme resolução CONAMA
08/93;
Ensaios conforme NBR 7027;
Ensaios conforme NBR 5478.

Motor Cummins - diesel iSB 6.7 L


(1723, 1729, 2423, 2429, 2623, 2629, 3129)

Para altitudes menores Para altitudes maiores


ou igual a 350 m a 350 m
rpm
Unid. Bosh Coef. abs. luz Unid. Bosch Coef. abs. luz
(UB) (m-1) (UB) (m-1)
2100 3,42 1,21 3,92 1,57
2000 3,46 1,24 3,96 1,61
1900 3,51 1,27 4,01 1,65
1800 3,58 1,31 4,08 1,70
1700 3,62 1,34 4,12 1,74
1600 3,67 1,38 4,17 1,79
1500 3,73 1,42 4,23 1,85
1400 3,80 1,48 4,30 1,92
1300 3,87 1,53 4,37 1,99
1200 3,94 1,59 4,44 2,06
1100 4,01 1,65 4,51 2,15
1000 4,11 1,73 4,61 2,25

235
Capacidades e especificações

ÍndiCe de oPaCidade
Os veículos estão em conformidade com as Resoluções CONAMA
(Conselho Nacional do Meio Ambiente) vigentes na data de sua produção.
Os valores apresentados nas tabelas só serão válidos para motores /
veículos mantidos conforme programa de manutenção do fabricante, e
podem ser influenciados pelos seguintes fatores:
Valores máximos de emissão de fuligem;
Limites máximos de emissão de fuligem, conforme resolução CONAMA
08/93;
Ensaios conforme NBR 7027;
Ensaios conforme NBR 5478.

Motor Cummins - diesel iSL 8.9 ℓ (1933 e 3133)

Para altitudes menores Para altitudes maiores


ou igual a 350 m a 350 m
rpm
Unid. Bosh Coef. abs. luz Unid. Bosch Coef. abs. luz
(UB) (m-1) (UB) (m-1)
2100 3,42 1,21 3,92 1,57
2000 3,46 1,24 3,96 1,61
1900 3,51 1,27 4,01 1,65
1800 3,58 1,31 4,08 1,70
1700 3,62 1,34 4,12 1,74
1600 3,67 1,38 4,17 1,79
1500 3,73 1,42 4,23 1,85
1400 3,80 1,48 4,30 1,92
1300 3,87 1,53 4,37 1,99
1200 3,94 1,59 4,44 2,06
1100 4,01 1,65 4,51 2,15
1000 4,11 1,73 4,61 2,25

236
Capacidades e especificações

Caixa de mudanças - relação das engrenagens

eaTon eaTon eaTon eaTon


Fs 4506-a Fs 6306-a Fs 6306-B es 11209
marchas
1419/1519/ 1723/ 1729/
2429
1719 2423 2429

Reduzida - - - 12,57:1

1ª marcha 9,01:1 9,01:1 8,03:1 8,76:1

2ª marcha 5,27:1 5,27:1 5,06:1 6,52:1

3ª marcha 3,22:1 3,22:1 3,09:1 4,74:1

4ª marcha 2,04:1 2,04:1 1,96:1 3,53:1

5ª marcha 1,36:1 1,36:1 1,31:1 2,48:1

6ª marcha 1,00:1 1,00:1 1,00:1 1,85:1

7ª marcha - - - 1,34:1

8ª marcha - - - 1,00:1

Ré 8,63:1 8,63:1 7,70:1 13,14:1

237
Capacidades e especificações

Caixa de mudanças - relação das engrenagens

FTs 16108ll FTs 16112l


marchas
2623/2629/3129/3133 1933

Super-
20,47:1 -
reduzida

Reduzida 13,24:1 17,45:1

1ª marcha 8,67:1 12,05:1

2ª marcha 6,23:1 9,52:1

3ª marcha 4,56:1 7,60:1

4ª marcha 3,41:1 6,07:1

5ª marcha 2,55:1 4,84:1

6ª marcha 1,83:1 3,83:1

7ª marcha 1,34:1 3,05:1

8ª marcha 1,00:1 2,44:1

9ª marcha - 1,99:1

10ª marcha - 1,57:1

11ª marcha - 1,25:1

12ª marcha - 1,00:1

Ré - Lo - Lo 20,47:1 23,61:1

Ré - Lo 13,24:1 9,49:1

Ré 3,89:1 3,89:1

238
Capacidades e especificações

Caixa de mudanças - relação das engrenagens

ea-11109 -la ea-11109 -lB


F-11e316d-lse
marchas 1723/2423/ 1723
1729/ 2429 KoleCTor 1933

Reduzida 17,04:1 15,28:1 -

1ª marcha 11,87:1 11,87:1 17,64:1

2ª marcha 9,19:1 9,19:1 14,91:1

3ª marcha 6,85:1 6,85:1 11,81:1

4ª marcha 4,91:1 4,91:1 9,99:1

5ª marcha 3,53:1 3,53:1 7,93:1

6ª marcha 2,60:1 2,60:1 6,71:1

7ª marcha 1,94:1 1,94:1 5,30:1

8ª marcha 1,39:1 1,39:1 4,48:1

9ª marcha 1,00:1 1,00:1 3,75:1

10ª marcha - - 3,17:1

11ª marcha - - 2,64:1

12ª marcha - - 2,23:1

13ª marcha - - 1,77:1

14ª marcha - - 1,50:1

15ª marcha - - 1,18:1

16ª marcha - - 1,00:1

Ré 16,13:1 14,12:1 14,91:1

Ré-Reduzida - 4,00:1 17,64:1

239
Capacidades e especificações

sistema elétrico

Alternador

1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 2423 / 2623 /


28V - 80A
1729 / 2429 / 2629 / 1933 / 3133 / 3129

Bateria

1419 / 1519 / 1719 / 1723* / 2423* /


24V-2x (12V-100Ah-550 CCA)
2623 / 1729* / 2429* / 2629 / 3129
1723**/2423**/1729**/2429** / 1933
24V-2x (12V-100Ah-750 CCA)
/ 3133

* Equipados com transmissão manual.


** Equipados com transmissão automatizada.

sistema de arrefecimento

Tipo Circulação forçada

Bomba d’água Centrífuga

Pressão do sistema 100 kPa (1,0 bar)

Controle de temperatura Termostato

Início de abertura da válvula termostática:


1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 2423 / 2623 / 1729 / 2429 /
2629 / 3129 83°C
1933 / 3133 82°C

Término de abertura da válvula termostática:


1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 2423 / 2623 / 1729 / 2429 /
2629 / 3129 95°C
1933 / 3133 93°C

240
Capacidades e especificações

embreagem - Transmissões manuais

Disco simples orgânico a


Tipo seco, com platô acionado por
mola diafragma

Acionamento

1419 / 1519 / 1719 Hidráulico

1723 / 2423 / 2623 / 1729 / 2429 / 2629 / 3129 / 1933


Hidráulico servo-assistido
/ 3133

Diâmetro / Marca

1419 / 1519 / 1719 Ø 365 mm Eaton

1723 / 2423 Ø 365 mm Eaton

1723 (Kolector) /2623 / 1729 / 2429 / 2629 / 3129 Ø 395 mm Eaton

1933 / 3133 Ø 430 mm Eaton

embreagem - Transmissão ea11109 la/lB

Disco simples cerâmico seco, com platô acionado


Tipo
por mola diafragma

Acionamento Elétrico

Diâmetro/Marca Ø 395 mm Eaton

embreagem - Transmissão F-11e316d-lse

Disco duplo cerâmico seco, com platô acionado por


Tipo
mola helicoidal

Acionamento Elétrico

Diâmetro/Marca Ø 393,7 mm (15,5') Eaton

241
Capacidades e especificações

eixo traseiro meritor

1419 MS 23-235 4,56 / 6,36:1 ou 5,38 / 7,50:1

1519 MS 23-245 4,56 / 6,21:1 ou 5,38 / 7,33:1

1719 / 1719 (Bebida) MS 23-245 4,10 / 5,59:1 ou 4,88 / 6,65:1

1723* / 2423* / 2429 (6m) MS 23-245 4,10 / 5,59:1 ou 4,56 / 6,21:1

1723 (Kolector) MS 25-168 5,38:1

1729* / 2429 (9m)* MS 23-165 4,10:1 ou 4,56:1

4,10:1 ou 3,91:1 ou 4,30:1 ou


1723** / 2423** MS 23-165
4,56:1
4,10:1 ou 3,91:1 ou 4,30:1 ou
1729** / 2429 (9m)** MS 23-165
4,56:1

2623 / 2629 MT 46-145 4,33:1 ou 4,63:1

1933 MS 23-165 3,58:1

3129 MT 50-168 4,89:1 ou 5,38:1

3133 MT 50-168 3,58:1 ou 4,30:1

* Equipados com transmissão manual.


** Equipados com transmissão automatizada.

242
Capacidades e especificações

suspensão dianteira

Eixo rígido em aço forjado, com barra


Tipo
estabilizadora

Amortecedores Telescópicos, hidráulicos de dupla ação

Molas

1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 2423 /


Feixe de molas parabólicas
1729 / 2429 / 1933

2623 / 2629 / 3129 / 3133 Feixe de molas semielípticas progressiva

suspensão traseira

Eixo rígido em aço estampado, com barra


1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 1729 / 1933
estabilizadora
2423 / 2429 / 2623 / 2629 / 3129
Eixo rígido em aço estampado
/ 3133

Amortecedores Telescópicos, hidráulicos de dupla ação

Molas

Feixe de molas principal, semielípticas de ação


1419 / 1519 (140”) progressiva, com apoio deslizante e lâmina
tensora
Feixe de molas parabólicas com jumelo
1519 (189”)
articulado
Feixe de molas principal semielípticas de ação
1719 / 1723 (140”) progressiva e auxiliar parabólica, com apoios
deslizantes e lâmina tensora
Feixe de molas principal párabólicas, auxiliar
1723 / 1729 / 1933 parabólica, com apoios deslizantes e lâmina
tensora
Feixe de molas principal, semielípticas de ação
2423 / 2429
progressiva, com apoio deslizante

2623 / 2629 / 3129 / 3133 Feixe de molas semielípticas progressiva

1933 Suspensão a ar

243
Capacidades e especificações

Freios

A ar - com molas acumuladoras e atuação nas


De estacionamento
rodas traseiras

De serviço A ar - com circuito duplo e ABS e EBD

Dianteiro - tambor

1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 2423 /


2623 / 1729 / 2429 / 2629 / 1933 / 15” x 7” AF - 677
3133 / 3129

Traseiro - tambor

1419 / 1519 / 1719 / 1723* / 2423* /


2623 / 1729* / 2429* / 2629 / 1933* 15” x 7” AF - 677
/ 3133 / 3129
1723** / 2423** / 1729** / 2429** /
15” x 7” AF-787T
1933**

1723 (Kolector)* 15” x 8-5/8” AF - 557

1723 (Kolector)** 15” x 8-5/8” AF-787T

3° Eixo traseiro - tambor

2423 / 2429 / 2623 / 2629 / 3133


15” X 7” AF - 677
/ 3129

* Equipados com transmissão manual.


** Equipados com transmissão automatizada.

244
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.

Veículo 1419 1519 1719

Distância entre-eixos 3560 4800 3560 4800 3560 4340 4800

Peso do Dianteiro 3275 3350 3377 3428 3402 3427 3411


Veículo em
Traseiro 1725 1815 1778 1846 1913 1928 2004
Ordem de
Marchas Total 5000 5165 5155 5274 5315 5355 5415

Legal 9500 9335 9845 9726 10685 10645 10585


Lotação
Técnico 9500 9335 10245 10126 11485 11445 11385

Peso Bruto Dianteiro 5000 5000 5000 5000 6000 6000 6000
por Eixo Traseiro 9500 9500 10400 10400 10800 10800 10800

Peso Bruto Legal 14500 14500 15000 15000 16000 16000 16000
Total Técnico 14500 14500 15400 15400 16800 16800 16800

PBTC 27000 27000 27000 27000 27000 27000 27000

CMT 27000 27000 27000 27000 27000 27000 27000

245
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.
* Equipados com transmissão manual.
** Equipados com transmissão automatizada.

Veículo 1723* 1723 cabine leito*

Distância entre-eixos 3560 4340 4800 3560 4340 4800

Dianteiro 3459 3604 3617 3533 3677 3684


Peso do Veículo em
Traseiro 1931 2016 2023 1977 2063 2066
Ordem de Marchas
Total 5390 5620 5640 5510 5740 5750

Legal 10610 10380 10360 10490 10260 10250


Lotação
Técnico 11410 11180 11160 11290 11060 11050

Dianteiro 6000 6000 6000 6000 6000 6000


Peso Bruto por Eixo
Traseiro 10800 10800 10800 10800 10800 10800

Legal 16000 16000 16000 16000 16000 16000


Peso Bruto Total
Técnico 16800 16800 16800 16800 16800 16800

PBTC 32000 32000 32000 32000 32000 32000

CMT 32000 32000 32000 32000 32000 32000

Veículo 1723** 1723 cabine leito**

Distância entre-eixos 3560 4340 4800 3560 4340 4800

Dianteiro 3560 3672 3707 3650 3762 3797


Peso do Veículo em
Traseiro 1987 2055 2074 2042 2110 2129
Ordem de Marchas
Total 5547 5727 5781 5692 5872 5926

Legal 10453 10273 10219 10308 10128 10074


Lotação
Técnico 11253 11073 11019 11108 10928 10874

Dianteiro 6000 6000 6000 6000 6000 6000


Peso Bruto por Eixo
Traseiro 10800 10800 10800 10800 10800 10800

Legal 16000 16000 16000 16000 16000 16000


Peso Bruto Total
Técnico 16800 16800 16800 16800 16800 16800

PBTC 32000 32000 32000 32000 32000 32000

CMT 32000 32000 32000 32000 32000 32000

246
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.
* Equipados com transmissão manual.
** Equipados com transmissão automatizada.

1719 1723* 1723**


Veículo
(Bebida) (Kolector) (Kolector)

Distância entre-eixos 3560 4340 4800 4340 4800

Dianteiro 3473 3848 3769 3919 3859


Peso do Veículo
em Ordem de Traseiro 1869 1988 2107 2024 2158
Marcha
Total 5342 5836 5876 5943 6017

Legal 10658 10164 10124 10057 9983


Lotação
Técnico 11458 10964 10924 10857 10783

Dianteiro 6000 6000 6000 6000 6000


Peso Bruto por Eixo
Traseiro 10800 10800 10800 10800 10800

Peso Bruto Legal 16000 16000 16000 16000 16000


Total Técnico 16800 16800 16800 16800 16800

PBTC 27000 32000 32000 32000 32000

CMT 27000 32000 32000 32000 32000

247
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.
* Equipados com transmissão manual.
** Equipados com transmissão automatizada.

1729* 1729 rígido* 1729* 1729 Tractor*


Veículo
rígido cabine leito Tractor cabine leito

Distância entre-eixos 4340 4800 4340 4800 3760 3760

Peso do Dianteiro 3613 3626 3686 3693 3787 3927


Veículo em
Traseiro 2035 2042 2082 2082 2290 2287
Ordem de
Marcha Total 5648 5668 5766 5778 6077 6214

Legal 10352 10332 10232 10222 9923 9786


Lotação
Técnico 11152 11132 11032 11022 10723 10586

Peso Bruto Dianteiro 6000 6000 6000 6000 6000 6000


por Eixo Traseiro 10800 10800 10800 10800 10800 10800

Peso Bruto Legal 16000 16000 16000 16000 16000 16000


Total Técnico 16800 16800 16800 16800 16800 16800

PBTC 38000 38000 38000 38000 38000 38000

CMT 38000 38000 38000 38000 38000 38000

1729** 1729 rígido** 1729** 1729 Tractor**


Veículo
rígido cabine leito Tractor cabine leito

Distância entre-eixos 4340 4800 4340 4800 3760 3760

Peso do Dianteiro 3681 3716 3770 3805 4042 4131


Veículo em
Traseiro 2074 2093 2130 2149 2177 2225
Ordem de
Marcha Total 5755 5809 5900 5954 6219 6356

Legal 10245 10191 10100 10046 9781 9644


Lotação
Técnico 11045 10991 10900 10846 10581 10444

Peso Bruto Dianteiro 6000 6000 6000 6000 6000 6000


por Eixo Traseiro 10800 10800 10800 10800 10800 10800

Peso Bruto Legal 16000 16000 16000 16000 16000 16000


Total Técnico 16800 16800 16800 16800 16800 16800

PBTC 38000 38000 38000 38000 38000 38000

CMT 38000 38000 38000 38000 38000 38000

248
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.
* Equipados com transmissão manual.
** Equipados com transmissão automatizada.

1933 1933* 1933**


1933 rígido Tractor Cabine leito
Veículo
rígido cabine cabine suspensão
leito leito pneumática

Distância entre-eixos 4800 4800 3760 3660

Dianteiro 4084 4180 4269 4369


Peso do Veículo em
Traseiro 2386 2395 2446 2580
Ordem de Marcha
Total 6470 6575 6715 6949

Legal 9530 9425 9285 9051


Lotação
Técnico 10330 10225 10085 9851

Dianteiro 6000 6000 6000 6000


Peso Bruto por Eixo
Traseiro 10800 10800 10800 10800

Legal 16000 16000 16000 16000


Peso Bruto Total
Técnico 16800 16800 16800 16800

PBTC 45150 45150 45150 45150

CMT 45150 45150 45150 45150

249
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.
* Equipados com transmissão manual.
** Equipados com transmissão automatizada.

2423*
Veículo 2423*
cabine leito

Distância entre-eixos 4800 5307 4800 5307

Dianteiro 3139 3174 3732 3745


Peso do Veículo em
Traseiro 3926 3971 3513 3525
Ordem de Marcha
Total 7065 7145 7245 7270

Legal 15935 15855 15755 15730


Lotação
Técnico 17085 17005 16905 16880

Dianteiro 6000 6000 6000 6000

Peso Bruto por Eixo 10050 + 10050 + 10050 + 10050 +


Traseiro 8100 = 8100 = 8100 = 8100 =
18150 18150 18150 18150

Legal 23000 23000 23000 23000


Peso Bruto Total
Técnico 24150 24150 24150 24150

PBTC 32000 32000 32000 32000

CMT 32000 32000 32000 32000

2423**
Veículo 2423**
cabine leito

Distância entre-eixos 4800 5307 4800 5307

Dianteiro 3240 3269 3868 3901


Peso do Veículo em
Traseiro 4052 4088 3640 3672
Ordem de Marcha
Total 7292 7357 7508 7573

Legal 15708 15643 15492 15427


Lotação
Técnico 16858 16793 16642 16577

Dianteiro 6000 6000 6000 6000

Peso Bruto por Eixo 10050 + 10050 + 10050 + 10050 +


Traseiro 8100 = 8100 = 8100 = 8100 =
18150 18150 18150 18150

Legal 23000 23000 23000 23000


Peso Bruto Total
Técnico 24150 24150 24150 24150

PBTC 32000 32000 32000 32000

CMT 32000 32000 32000 32000

250
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.

2429 (6 marchas)
Veículo 2429 (6 marchas)
cabine leito

Distância entre-eixos 4800 5307 4800 5307

Dianteiro 3139 3174 3732 3745


Peso do Veículo em
Traseiro 3926 3971 3513 3525
Ordem de Marcha
Total 7065 7145 7245 7270

Legal 15935 15855 15755 15730


Lotação
Técnico 17085 17005 16905 16880

Dianteiro 6000 6000 6000 6000

Peso Bruto por Eixo 10050 + 10050 + 10050 + 10050 +


Traseiro 8100 = 8100 = 8100 = 8100 =
18150 18150 18150 18150

Legal 23000 23000 23000 23000


Peso Bruto Total
Técnico 24150 24150 24150 24150

PBTC 35000 35000 35000 35000

CMT 35000 35000 35000 35000

251
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.
* Equipados com transmissão manual.
** Equipados com transmissão automatizada.

2429 * 2429 (9 marchas)*


Veículo
(9 marchas) cabine leito

Distância entre-eixos 4800 5307 4800 5307

Dianteiro 3148 3183 3741 3754


Peso do Veículo em
Traseiro 3945 3990 3532 3544
Ordem de Marcha
Total 7093 7173 7273 7298

Legal 15907 15827 15727 15702


Lotação
Técnico 17057 16977 16877 16852

Dianteiro 6000 6000 6000 6000

Peso Bruto por Eixo 10050 + 10050 + 10050 + 10050 +


Traseiro 8100 = 8100 = 8100 = 8100 =
18150 18150 18150 18150

Legal 23000 23000 23000 23000


Peso Bruto Total
Técnico 24150 24150 24150 24150

PBTC 38000 38000 38000 38000

CMT 38000 38000 38000 38000

2429** 2429 (9 marchas)**


Veículo
(9 marchas) cabine leito

Distância entre-eixos 4800 5307 4800 5307

Dianteiro 3248 3265 3454 3896


Peso do Veículo em
Traseiro 4044 4092 4054 3677
Ordem de Marcha
Total 7292 7357 7508 7573

Legal 15708 15643 15492 15427


Lotação
Técnico 16858 16793 16642 16577

Dianteiro 6000 6000 6000 6000

Peso Bruto por Eixo 10050 + 10050 + 10050 + 10050 +


Traseiro 8100 = 8100 = 8100 = 8100 =
18150 18150 18150 18150

Legal 23000 23000 23000 23000


Peso Bruto Total
Técnico 24150 24150 24150 24150

PBTC 38000 38000 38000 38000

CMT 38000 38000 38000 38000

252
Capacidades e especificações

Pesos
Obs.: Peso do veículo sem opcionais. Sujeito a variação de +/- 2%.

2629
Veículo 2623 2629
(mixer)

Distância entre-eixos 3440 4580 3440 4580 3440 4580

Dianteiro 3927 4095 3927 4095 3927 4095


Peso do Veículo em
Traseiro 4113 4290 4113 4290 4164 4341
Ordem de Marcha
Total 8040 8385 8040 8385 8091 8436

Legal 14960 14615 14960 14615 14909 14564


Lotação
Técnico 18160 17815 18160 17815 18109 17764

Dianteiro 6000 6000 6000 6000 6000 6000

Peso Bruto por Eixo 10100 + 10100 + 10100 + 10100 + 10100 + 10100 +
Traseiro 10100 = 10100 = 10100 = 10100 = 10100 = 10100 =
20200 20200 20200 20200 20200 20200

Legal 23000 23000 23000 23000 23000 23000


Peso Bruto Total
Técnico 26200 26200 26200 26200 26200 26200

PBTC 37000 37000 42000 42000 42000 42000

CMT 37000 37000 42000 42000 42000 42000

3129
Veículo 3129 3133
escape vertical

Distância entre-eixos 3440 4580 3440 4580 3440 4580

Dianteiro 3880 4069 3880 4072 4153 4192


Peso do Veículo em
Traseiro 4310 4521 4220 4428 4367 4728
Ordem de Marcha
Total 8190 8590 8100 8500 8520 8920

Legal 14810 14410 14900 14500 14480 14080


Lotação
Técnico 22230 21910 22400 22000 21980 21580

Dianteiro 6500 6500 6500 6500 6500 6500

Peso Bruto por Eixo 12000 + 12000 + 12000 + 12000 + 12000 + 12000 +
Traseiro 12000 = 12000 = 12000 = 12000 = 12000 = 12000 =
24000 24000 24000 24000 24000 24000

Legal 23000 23000 23000 23000 23000 23000


Peso Bruto Total
Técnico 30500 30500 30500 30500 30500 30500

PBTC 42000 42000 42000 42000 57000 57000

CMT 42000 42000 42000 42000 63000 63000

253
Capacidades e Especificações

IDEnTIFICAção Do 3. Gravação vIn nos vidros:


vEíCulo
1. Gravação principal do vIn
(número de identificação do
veículo):

Para-brisa e vidros das portas.

4. Etiqueta autodestrutível:

Face inferior externa da longarina


direita do chassi, atrás ou na frente
do suporte traseiro do feixe de molas
dianteiro.

2. Placa de alumínio:

Ford Motor Company Brasil Ltda


AV. DO TABOÃO, 899 - S. B. DO CAMPO - SP - BRASIL

Compartimento do motor, na
CNPJ/MF 03.470.727/0001-20 - INDÚSTRIA BRASILEIRA

LEGAL TÉCNICO

parte inferior do assoalho do lado


COR H TARA B1 B2
LOTAÇÃO C1 C2
PBT D1 D2
kg

esquerdo (é necessário bascular a


MOTOR I PBT 3°EIXO E1 E2
TRANS. J PBT COMB. F1 F2
EIXO L CMT G1 G2

cabine);
M N O P
ENTRE-EIXOS MODELO CARROCERIA DATA

nota: Durante a lavagem do


Porta do lado esquerdo - compartimento do motor, não
identificação geral do veículo. remova a etiqueta transparente que
protege o código VIN.

254
Capacidades e Especificações

A plaqueta de identificação do motor


(ISB6) está localizada na tampa de
válvulas e (ISl) no lado superior da
carcaça das engrenagens.
Se a plaqueta de dados do motor
não estiver legível, o número de série
do motor poderá ser localizado no
bloco do motor, sobre a carcaça do
arrefecedor de óleo lubrificante.

Coluna “A”, lado direito, próximo à


dobradiça da porta;

Assoalho, lado esquerdo da cabine,


abaixo do banco do motorista.

númEro Do moTor

255
Capacidades e Especificações

DImEnSÕES 4x2 (mm)

E F
C A D
B

I I

K
K
G

256
Capacidades e Especificações

DImEnSÕES 6x2 (mm)

E F
C A D

I I

K
K
G

257
Capacidades e Especificações

DImEnSÕES 6x4 (mm)

E F

C A D

I I

K
K
G

258
Capacidades e Especificações

Dimensões mm
4x2

veículo 1419 1519 1719

Distância entre-
A 3560 4800 3560 4800 3560 4340 4800
eixos

B Comprimento total 6245 8631 6245 8631 6062 8019 8631

C Balanço dianteiro 1508 1508 1508 1508 1508 1508 1508

D Balanço traseiro 1177 2323 1177 2323 994 2171 2323

E Ângulo de entrada* 15° 15° 15° 15° 15° 15° 15°

F Ângulo de saída* 40° 20° 40° 20° 17° 17° 17°

Largura (para-
G 2590 2590 2590 2590 2590 2590 2590
lamas)

H Largura (espelho) 2960 2960 2960 2960 2960 2960 2960

Altura livre do solo


I 230 230 230 230 230 230 230
dianteiro

Altura livre do solo


I 225 225 225 225 225 225 225
traseiro

J Altura (sem carga) 2889 2889 2889 2889 2882 2882 2882

K Bitola dianteira 2090 2090 2090 2090 2090 2090 2090

K Bitola traseira 1830 1830 1830 1830 1830 1830 1830

259
Capacidades e Especificações

Dimensões mm
4x2

1723
veículo 1723
cabine leito

Distância entre-
A 3560 4340 4800 3560 4340 4800
eixos

Comprimento
B 6062 8019 8631 6062 8019 8631
total

C Balanço dianteiro 1508 1508 1508 1508 1508 1508

D Balanço traseiro 994 2171 2323 994 2171 2323

Ângulo de
E 15° 15° 15° 15° 15° 15°
entrada*

F Ângulo de saída* 17° 17° 17° 17° 17° 17°

Largura (para-
G 2590 2590 2590 2590 2590 2590
lamas)

H Largura (espelho) 2960 2960 2960 2960 2960 2960

Altura livre do
I 230 230 230 230 230 230
solo dianteiro

Altura livre do
I 225 225 225 225 225 225
solo traseiro

Altura (sem
J 2889 2889 2889 3099 3099 3099
carga)

K Bitola dianteira 2090 2090 2090 2090 2090 2090

K Bitola traseira 1830 1830 1830 1830 1830 1830

260
Capacidades e Especificações

Dimensões mm

4x2 6x2

1719 1723 2629 (mixer)


veículo
(Bebiba) (Kolector) 6x4

Distância entre-
A 3560 4340 4800 3440 4580
eixos

B Comprimento total 6062 6842 7296 7490 9848

C Balanço dianteiro 1508 1508 1508 1503 1503

D Balanço traseiro 994 994 988 1187 2405

E Ângulo de entrada* 27° 22° 22° 27° 27°

F Ângulo de saída* 45° 45° 45° 45° 18°

Largura (para-
G 2590 2590 2590 2590 2590
lamas)

H Largura (espelho) 2960 2960 2960 2960 2960

Altura livre do solo


I 260 245 245 330 330
dianteiro

Altura livre do solo


I 270 270 270 290 290
traseiro

J Altura (sem carga) 2882 2889 2889 2938 2938

K Bitola dianteira 2090 2090 2090 2590 2590

K Bitola traseira 1830 1830 1830 1830 1830

261
Capacidades e Especificações

Dimensões mm
4x2

1729
1729 1729 rígido 1729 Tractor
veículo
rígido Cabine leito Tractor cabine
leito

Distância entre-
A 4340 4800 4340 4800 3760 3760
eixos

Comprimento
B 8019 8631 8019 8631 6297 6297
total

C Balanço dianteiro 1508 1508 1508 1508 1508 1508

D Balanço traseiro 2171 2323 2171 2323 1029 1029

Ângulo de
E 22° 22° 22° 22° 17° 17°
entrada*

F Ângulo de saída* 21° 19° 21° 19° 23° 23°

Largura (para-
G 2590 2590 2590 2590 2590 2590
lamas)

Largura
H 2960 2960 2960 2960 2960 2960
(espelho)

Altura livre do
I 245 245 245 245 225 225
solo dianteiro

Altura livre do
I 270 270 270 270 240 240
solo traseiro

Altura (sem
J 2889 2889 3099 3099 2889 3099
carga)

K Bitola dianteira 2090 2090 2090 2090 2090 2090

K Bitola traseira 1850 1850 1850 1850 1830 1830

262
Capacidades e Especificações

Dimensões mm
4x2

1933 1933
1933
1933 rígido 1933 Tractor
veículo susp
rígido cabine Tractor cabine
a ar
leito leito

Distância entre-
A 4800 4800 3760 3760 3660
eixos

B Comprimento total 8631 8631 6297 6297 6197

C Balanço dianteiro 1508 1508 1508 1508 1508

D Balanço traseiro 2323 2323 1029 1029 1029

E Ângulo de entrada* 16° 11° 16° 16° 16°

F Ângulo de saída* 16° 11° 26° 26° 26°

Largura (para-
G 2590 2590 2590 2590 2590
lamas)

H Largura (espelho) 2960 2960 2960 2960 2960

Altura livre do solo


I 230 230 230 230 230
dianteiro

Altura livre do solo


I 225 225 225 225 225
traseiro

J Altura (sem carga) 2869 3079 2869 3079 3079

K Bitola dianteira 2090 2090 2090 2090 2090

K Bitola traseira 1830 1830 1830 1830 1830

263
Capacidades e Especificações

Dimensões mm
6x2

2423
veículo 2423
cabine leito

Distância entre-
A 4800 5307 4800 5307
eixos

B Comprimento total 9696 10203 9696 10203

C Balanço dianteiro 1508 1508 1508 1508

D Balanço traseiro 2164 2164 2164 2164

E Ângulo de entrada* 17° 17° 17° 17°

F Ângulo de saída* 15° 15° 15° 15°

Largura (para-
G 2590 2590 2590 2590
lamas)

H Largura (espelho) 2960 2960 2960 2960

Altura livre do solo


I 230 230 230 230
dianteiro

Altura livre do solo


I 225 225 225 225
traseiro

J Altura (sem carga) 2838 2838 3048 3048

K Bitola dianteira 2590 2590 2590 2590

K Bitola traseira 1830 1830 1830 1830

264
Capacidades e Especificações

Dimensões mm
6x2

2429
2429
veículo cabine leito
(6 marchas)
(6 marchas)

A Distância entre-eixos 4800 5307 4800 5307

B Comprimento total 9696 10203 9696 10203

C Balanço dianteiro 1508 1508 1508 1508

D Balanço traseiro 2164 2164 2164 2164

E Ângulo de entrada* 17° 17° 17° 17°

F Ângulo de saída* 15° 15° 15° 15°

G Largura (para-lamas) 2590 2590 2590 2590

H Largura (espelho) 2960 2960 2960 2960

Altura livre do solo


I 230 230 230 230
dianteiro

Altura livre do solo


I 225 225 225 225
traseiro

J Altura (sem carga) 2838 2838 3048 3048

K Bitola dianteira 2590 2590 2590 2590

K Bitola traseira 1830 1830 1830 1830

265
Capacidades e Especificações

Dimensões mm
6x2

2429
2429
veículo (9 marchas)
(9 marchas)
cabine leito

A Distância entre-eixos 4800 5307 4800 5307

B Comprimento total 9696 10203 9696 10203

C Balanço dianteiro 1508 1508 1508 1508

D Balanço traseiro 2164 2164 2164 2164

E Ângulo de entrada* 17° 17° 17° 17°

F Ângulo de saída* 15° 15° 15° 15°

G Largura (para-lamas) 2590 2590 2590 2590

H Largura (espelho) 2960 2960 2960 2960

Altura livre do solo


I 230 230 230 230
dianteiro

I Altura livre do solo traseiro 225 225 225 225

J Altura (sem carga) 2838 2838 3048 3048

K Bitola dianteira 2590 2590 2590 2590

K Bitola traseira 1830 1830 1830 1830

266
Capacidades e Especificações

Dimensões mm
6x4

veículo 2623 2629 3129 3133

Distância entre-
A 3440 4580 3440 4580 3440 4580 3440 4580
eixos

Comprimento
B 7490 9848 7490 9848 7490 9848 7490 9848
total

Balanço
C 1503 1503 1503 1503 1503 1503 1503 1503
dianteiro

Balanço
D 1187 2405 1187 2405 1187 2405 1187 2405
traseiro

Ângulo de
E 28° 27° 28° 27° 28° 27° 28° 27°
entrada*

Ângulo de
F 38° 15° 38° 15° 38° 15° 38° 15°
saída*

Largura (para-
G 2590 2590 2590 2590 2590 2590 2590 2590
lamas)

Largura
H 2960 2960 2960 2960 2960 2960 2960 2960
(espelho)

Altura livre do
I 300 300 300 300 300 300 300 300
solo dianteiro

Altura livre do
I 250 250 250 250 250 250 250 250
solo traseiro

Altura (sem
J 2933 2933 2938 2938 2938 2938 2938 2938
carga)

K Bitola dianteira 2090 2090 2090 2090 2090 2090 2090 2090

K Bitola traseira 1830 1830 1830 1830 1830 1830 1830 1830

267
realização de serviços no seu veículo

TABElA DE mAnuTEnção Serviço severo


nota: A tabela de manutenção é São veículos que acumulam
um item essencial para a operação quilometragem anual de até 60.000
adequada e segura do seu km. Operam em condições extremas,
veículo, garantindo o seu melhor utilizados nos limites máximos
desempenho e durabilidade. Os itens de esforço ou de carga; tráfego
descritos em cada revisão preveem constante em estradas de terra;
operações específicas, bem como tráfego de curta distância com alta
a troca de determinadas peças porcentagem de funcionamento do
em função da quilometragem ou motor em marcha lenta; tráfego com
tempo de utilização, prevalecendo o percurso predominante em regiões
que primeiro ocorrer. As operações de serras com subidas pronunciadas.
deverão ser realizadas conforme Exemplos: Betoneira, compactador
os itens descritos em cada revisão. de lixo, canavieiro, extração de
Caso haja necessidade de uma minério e madeiras, etc.
substituição ou reparo de peças que
não conste nesta tabela, o Consultor
Técnico o comunicará. nota: O uso contínuo de Biodiesel
B20 determina a aplicação do
APlICAçÕES DE SErvIçoS caminhão como sendo SEVERO.
A Ford Motor Company Brasil Ltda.,
a fim de atender aos diferentes tipos Serviço urbano
de trabalho em que são utilizados São veículos de uso misto, urbano
seus caminhões, desenvolveu e rodoviário, com quilometragem
a tabela de manutenção para anual variando entre 30.000
assegurar que todas as revisões a 100.000 km. Trafegam
sejam feitas de forma segura predominantemente em grandes
e confiável de acordo com sua cidades e vias de tráfego intenso;
aplicação. tráfego com frequentes “para e
Serviço rodoviário anda”; serviço regular de entrega.
São veículos que acumulam Exemplos: Caminhões de
quilometragem anual acima transportadoras que operam na
de 100.000 km. Trafegam coleta e distribuição urbana de
predominantemente em estradas botijões de gás, bebidas, materiais
ou rodovias pavimentadas em de construção, etc.
bom estado, com velocidade
média elevada e poucas paradas
intermediárias.
Exemplos: Transportadoras que
operam em longas distâncias,
transporte de produtos perecíveis,
cegonheiros, etc.

268
realização de serviços no seu veículo

uTIlIzAção DA TABElA DE mAnuTEnção


Todos os modelos devem passar por uma revisão aos 5.000 km.

motor Transmissão automatizada


Óleo do motor - verificar nível Óleo lubrificante - verificar nível
Líquido de arrefecimento - verificar nível Direção
Admissão de ar do motor - verificar Geometria / alinhamento - verificar
Alternador e motor de partida - verificar Fluido da direção hidráulica - verificar nível
Tampa do reservatório de expansão - Suspensão
verificar
Porcas das rodas - verificar torque
Transmissão manual
Travessas da longarina / braços /
Óleo lubrificante - substituir barra estabilizadora / mola / grampos
“U” / porcas das algemas das molas
Fluido de embregaem - verificar nível
/ suporte / jumelo / articulações -
Árvore de transmissão amortecedores - verificar torque

Juntas universais, entalhado e fixações Batentes de mola e placas de desgaste


- lubrificar - verificar

Eixo traseiro Elétrica

Óleo lubrificante - substituir Códigos de falha - verificar


Cabine
Coxins e amortecedores da cabine -
verificar

Após esta revisão, as demais revisões devem ser efetuadas de acordo com
a aplicação, intervalo de quilometragem e tempo (o que primeiro ocorrer).
Após efetuar todas as revisões da tabela de manutenção, deve-se reiniciar o
ciclo a partir da primeira revisão.
Para alguns tipos de aplicação com intervalo de manutenção em horas,
utilizar a tabela de conversão:
18.000 km ou 500 horas ou 6 meses.
25.000 km ou 500 horas ou 6 meses.
40.000 km ou 800 horas ou 6 meses.
nota: Ao término de cada revisão, anotar no quadro de revisões deste mesmo
capítulo, a quilometragem e data previstas para a próxima revisão.
nota: A correta manutenção do veículo, de acordo com as recomendações
do fabricante, é fator indispensável à redução da poluição do ar ambiente,
resolução CONAMA nº 18/86 e 15/95.
269
realização de serviços no seu veículo

modelos: 1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 1729 / 2423 / 2429 / 2623 / 2629 /
Intervalo
3133 / 1933 / 3129
18.000 km
Aplicação: Severo e urbano

motor

Óleo e filtro de óleo - substituir

Filtros de combustível (separador e principal) - substituir 18.000

Filtro de ar - substituir

Admissão de ar do motor - verificar

Tensionador da correia - verificar

Líquido de arrefecimento - verificar nível

Embreagem viscosa - verificar 18.000

Alternador e motor de partida - verificar

Coxins do motor - verificar torque

Tampa do reservatório de expansão - verificar

Filtro do sistema SCR - substituir 36.000

Folga das válvulas - regular

Correias do motor e de acessórios - substituir 54.000

Líquido de arrefecimento - substituir

Transmissão e embreagem

Óleo lubrificante e respiro - verificar nível e limpar


18.000
Fluido de embreagem - verificar nível

Óleo lubrificante - substituir


54.000
Fluido de embreagem - substituir

Óleo lubrificante da transmissão automatizada - Substituir 300.000

Árvore de transmissão

Juntas universais, entalhado e fixações - lubrificar. Nota: página 160 18.000

Eixo traseiro

Óleo lubrificante e respiro - verificar nível e limpar 18.000

Óleo lubrificante - substituir


54.000
Cubo de roda - verificar folga e ajustar se necessário

270
realização de serviços no seu veículo

Após realizar a última revisão deste plano de manutenção, reiniciar o ciclo a partir da
primeira revisão.

A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

180.000

198.000
144.000

162.000

216.000
108.000

126.000
18.000

90.000
36.000

54.000

72.000
5.000
Consulte a Tabela de Revisão dos 5.000 km

271
realização de serviços no seu veículo

modelos: 1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 1729 / 2423 / 2429 / 2623 / 2629 /
Intervalo
3133 / 1933 / 3129
18.000 km
Aplicação: Severo e urbano

Eixo dianteiro

Cubo das rodas e rolamentos - verificar, ajustar e engraxar 18.000

Direção

Fluido de direção hidráulica - verificar nível

Direção hidráulica - verificar 18.000

Geometria / alinhamento - verificar

Fluido e filtro de direção hidráulica - substituir 36.000

Suspensão

Porcas das rodas - verificar torque

Travessas da longarina / braços / barra estabilizadora / mola / grampos / suporte


/ jumelo / articulações / amortecedores / quinta roda - verificar torque 18.000
Suspensor do terceiro eixo - regular

Batentes de mola e placas de desgaste - verificar

Freios

Reservatórios de ar comprimido - drenar

Espessura e folga das lonas - verificar e ajustar


18.000
Ajustadores de freio - verificar e engraxar

Freio-motor - verificar

Filtro secador de ar da APU - substituir 54.000

Elétrica

Fusíveis e relés - verificar

Códigos de falha - verificar 18.000

Baterias e terminais - verificar

Cabine

Filtro do ar-condicionado - substituir


18.000
Coxins e amortecedores da cabine - verificar

272
realização de serviços no seu veículo

Após realizar a última revisão deste plano de manutenção, reiniciar o ciclo a partir da
primeira revisão.

A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

180.000

198.000
144.000

162.000

216.000
108.000

126.000
54.000

72.000

90.000
36.000
18.000
5.000
Consulte a Tabela de Revisão dos 5.000 km

273
realização de serviços no seu veículo

modelos: 2623 / 2629 / 3133 / 3129 Intervalo


Aplicação: rodoviário 25.000 km

motor

Óleo e filtro de óleo - substituir

Filtro de combustível (separador e principal) - substituir 25.000

Filtro de ar - substituir

Admissão de ar do motor - verificar

Tensionador da correia - verificar

Líquido de arrefecimento - verificar nível

Embreagem viscosa - verificar 25.000

Alternador e motor de partida - verificar

Coxins do motor - verificar torque

Tampa do reservatório de expansão - verificar

Filtro do sistema SCR - substituir 50.000

Folga das válvulas - regular

Correias do motor e de acessórios - substituir 75.000

Líquido de arrefecimento - substituir

Transmissão e embreagem

Óleo lubrificante e respiro - verificar nível e limpar


25.000
Fluido de embreagem - verificar nível

Óleo lubrificante - substituir


75.000
Fluido de embreagem - substituir

Árvore de transmissão

Juntas universais, entalhado e fixações - lubrificar 25.000

Eixo traseiro

Óleo lubrificante e respiro - verificar nível e limpar 25.000

Cubo de roda - verificar folga e ajustar se necessário 50.000

Óleo lubrificante - substituir 75.000

274
realização de serviços no seu veículo

Após realizar a última revisão deste plano de manutenção, reiniciar o ciclo a partir da
primeira revisão.

A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

300.000
200.000

250.000
225.000

275.000
100.000

175.000
150.000
125.000
50.000
25.000

75.000
5.000
Consulte a Tabela de Revisão dos 5.000 km

275
realização de serviços no seu veículo

modelos: 2623 / 2629 / 3133 / 3129 Intervalo


Aplicação: rodoviário 25.000 km

Eixo dianteiro

Cubos de roda e rolamentos - verificar, ajustar e engraxar 25.000

Direção

Fluido de direção hidráulica - verificar nível

Direção hidráulica - verificar 25.000

Geometria/alinhamento - verificar

Fluido e filtro de direção hidráulica - substituir 50.000

Suspensão

Porcas das rodas - verificar torque

Travessas da longarina / braços / barra estabilizadora / mola / grampos /


25.000
suporte / jumelo / articulações / amortecedores / quinta roda - verificar torque

Batentes de mola e placas de desgaste - verificar

Freios

Reservatórios de ar comprimido - drenar

Espessura e folga das lonas - verificar e ajustar


25.000
Ajustadores de freio - verificar e engraxar

Freio-motor - verificar

Filtro secador de ar da APU - substituir 75.000

Elétrica

Fusíveis e relés - verificar

Baterias e terminais - verificar 25.000

Códigos de falha - verificar

Cabine

Filtro de ar-condicionado - substituir


25.000
Coxins e amortecedores da cabine - verificar

276
realização de serviços no seu veículo

Após realizar a última revisão deste plano de manutenção, reiniciar o ciclo a partir da
primeira revisão.

A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

300.000
225.000
100.000

200.000
150.000

250.000

275.000
175.000
125.000
25.000

75.000
50.000
5.000
Consulte a Tabela de Revisão dos 5.000 km

277
realização de serviços no seu veículo

modelos: 1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 1729 / 2423 / 2429 / 1933 Intervalo
Aplicação: rodoviário 40.000 km

motor

Óleo e filtro de óleo - substituir

Filtro de combustível (separador e principal) - substituir 40.000

Filtro de ar - substituir

Admissão de ar do motor - verificar

Tensionador da correia - verificar

Líquido de arrefecimento - verificar nível

Embreagem viscosa - verificar


40.000
Alternador e motor de partida - verificar

Coxins do motor - verificar torque

Tampa do reservatório de expansão - verificar

Filtro do sistema SCR - substituir

Folga das válvulas - regular

Correias do motor e de acessórios - substituir 80.000

Líquido de arrefecimento - substituir

Transmissão e embreagem

Óleo lubrificante e respiro - verificar nível e limpar


40.000
Fluido de embreagem - verificar nível

Óleo lubrificante - substituir


80.000
Fluido da embreagem - substituir

Óleo lubrificante da transmissão automatizada - Substituir 500.000

Árvore de transmissão

Juntas universais, entalhado e fixações - lubrificar. Nota: página 160 40.000

Eixo traseiro

Óleo lubrificante e respiro - verificar nível e limpar


40.000
Cubo de roda - verificar folga e ajustar se necessário

Óleo lubrificante - substituir 80.000

278
realização de serviços no seu veículo

Após realizar a última revisão deste plano de manutenção, reiniciar o ciclo a partir da
primeira revisão.
A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

200.000

440.000
240.000

360.000
280.000

320.000

400.000
160.000

480.000
120.000
80.000
40.000
5.000
Consulte a Tabela de Revisão dos 5.000 km

279
realização de serviços no seu veículo

modelos: 1419 / 1519 / 1719 / 1723 / 1729 / 2423 / 2429 / 1933 Intervalo
Aplicação: rodoviário 40.000 km

Eixo dianteiro

Cubo das rodas e rolamentos - verificar, ajustar e engraxar 40.000

Direção

Direção hidráulica - verificar

Geometria/alinhamento - verificar 40.000

Fluido e filtro de direção hidráulica - substituir

Suspensão

Porcas das rodas - verificar torque

Travessas da longarina / braços / barra estabilizadora / mola / grampos / suporte


/ jumelo / articulações / amortecedores / quinta roda - verificar torque 40.000

Suspensor do terceiro eixo - regular

Batentes de mola e placas de desgaste - verificar

Freios

Reservatórios de ar comprimido - drenar

Espessura e folga das lonas - verificar e ajustar


40.000
Ajustadora de freio - verificar e engraxar

Freio-motor - verificar

Filtro secador de ar da APU - substituir 120.000

Elétrica

Fusíveis e relés - verificar

Códigos de falha - verificar 40.000

Baterias e terminais - verificar

Cabine

Filtro de ar-condicionado - substituir


40.000
Coxins e amortecedores da cabine - verificar

280
realização de serviços no seu veículo

Após realizar a última revisão deste plano de manutenção, reiniciar o ciclo a partir da
primeira revisão.

A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

400.000
200.000

360.000
320.000
160.000

480.000
440.000
240.000
120.000

280.000
80.000
40.000
5.000
Consulte a Tabela de Revisão dos 5.000 km

281
Termos e condições de garantia

Ao proprietário Os componentes cobertos pela


As informações aqui contidas garantia de 24 meses são:
incorporam as condições essenciais • motor: Bloco, cabeçote, coletores
de manutenção e garantia para a de admissão e escape, árvore
operação adequada e segura de seu de manivelas, bielas, bronzinas,
veículo. êmbolos, anéis, árvore de
É de fundamental importância comando de válvulas, volante do
submetê-lo às revisões periódicas, motor, bomba d’água, bomba de
nos intervalos de quilometragem óleo, válvulas, varetas, tuchos,
indicados, de acordo com os cárter, carcaça do volante do
itens estabelecidos na Tabela de motor e carcaça da engrenagem
manutenção. de distribuição.
Lembre-se que o não cumprimento • Caixa de mudanças: Carcaça
do programa regular de revisão, e todas as peças internas, não
lubrificação e manutenção implica incluindo peças externas como
na perda da validade da garantia
sensores, interruptores, módulos
para os itens de verificação na
eletrônicos e periféricos em
respectiva revisão.
geral. Obs.: Para caminhões com
Ford motor Company Brasil ltda. transmissão automatizada e
A Ford Motor Company Brasil aplicação de coleta de lixo, não
Ltda., através de sua rede de inclui freio de inércia e sistema de
Distribuidores, garante o seu engate “XY”.
veículo contra defeitos de material, • Diferencial: Conjunto coroa
de fabricação e de montagem e pinhão, caixa de satélites,
de acordo com as condições rolamentos, carcaça do eixo e
estabelecidas neste termo de semiárvore.
garantia pelo período de 12 meses*,
sem limite de quilometragem, a • Pós-tratamento: Catalisador,
partir do mês em que o produto for sensor de NOx, sensores de
faturado ao primeiro proprietário. temperatura, bomba injetora de
ARLA 32, conectores, tampa do
Para os componentes do “Trem de filtro, bico injetor de ARLA 32 e
Força” (motor, caixa de mudanças tubo de entrada do silencioso.
e diferencial) e sistema pós-
tratamento, a garantia estende-
se até 24 meses*, sem limite de
quilometragem, a partir do mês
em que o produto for faturado ao
primeiro proprietário.
*Neste prazo estão inclusos os 3
meses de garantia legal, contados a
partir do mês da venda ao primeiro
proprietário.

282
Termos e condições de garantia

Esta garantia cobre todas as peças que a Ford Motor Company Brasil
do seu veículo que, em serviço e Ltda. poderá alterar as condições
uso normal, apresentarem defeito de garantia, conforme descrito no
de fabricação ou de material, item “Esclarecimentos adicionais”.
devidamente comprovado pelo Exceto as responsabilidades ora
Distribuidor Ford Caminhões. As assumidas, nenhuma outra é
exceções estão descritas no item “o admitida nos termos desta garantia.
que não é coberto pela garantia”. Início da garantia
Fica convencionado que a presente
A garantia inicia-se a partir do mês
garantia não abrange pneus,
de aquisição do veículo 0 km ao
câmaras de ar, carrocerias especiais,
que são equipamentos garantidos primeiro proprietário.
diretamente por seus fabricantes. o que é coberto
Não cobre também equipamentos A Ford Motor Company Brasil Ltda.,
instalados por terceiros ou através de sua rede de Distribuidores,
instalados pós-venda. garante as peças de seu veículo
A obrigação do Distribuidor Ford que, em serviço e uso normal,
Caminhões, nos termos desta apresentarem defeitos de fabricação
garantia, consiste na substituição ou de material, devidamente
gratuita, em seu estabelecimento, comprovado pelo Distribuidor Ford
de peças que sejam por ele, Caminhões.
Distribuidor Ford Caminhões,
As exceções, exclusões ou limitações
reconhecidas como defeituosas.
estão descritas no item “o que não
Esta garantia estará é coberto pela garantia”. Algumas
automaticamente cancelada se o peças e componentes são cobertos
veículo apresentar algum dos danos exclusiva e diretamente pela garantia
ou irregularidades descritos no item de seu(s) fabricante(s). Consulte o
“Cancelamento da garantia”.
item “Garantia direta de terceiros”.
Fica o Cliente, desde já ciente, que
o que não é coberto pela garantia
a Ford Motor Company Brasil Ltda.
e o Distribuidor Ford Caminhões Operações e itens considerados
não se responsabilizam, em como manutenção normal.
hipótese alguma, por despesas As operações e itens a seguir
relativas a óleo lubrificante, são considerados como parte de
graxa, combustível, similares manutenção normal do veículo e
e outras despesas referentes a
devem, portanto, ser executados por
deslocamento de pessoal, reboque,
conta do Cliente.
socorro, imobilização do veículo,
danos materiais ou pessoais do • Regulagens do motor - quando
Cliente ou terceiros em geral e ocorrer fora do período
despesas de manutenção normal do determinado pela revisão com
veículo como reapertos, limpezas, mão de obra gratuita.
lavagens, lubrificações, verificações,
• Limpeza do sistema de
regulagens, etc.
combustível.
O Cliente fica igualmente ciente de
• Alinhamento de direção.
283
Termos e condições de garantia

• Balanceamento das rodas. Cargo 1933 - Os itens a seguir não


• Ajustes dos freios. são cobertos pela Garantia a partir
do 13º mês, contados a partir do
• Substituição do filtro de óleo do mês de aquisição do veículo 0 km ao
motor. primeiro proprietário, por se tratar
• Substituição ou complemento de peças que podem apresentar
do óleo lubrificante do motor e falhas por desgaste natural,
da caixa de mudanças e do eixo utilização incorreta do veículo, plano
traseiro. de manutenção em desacordo
com a tabela de manutenção e
• Substituição ou complemento do lubrificação.
fluido da direção hidráulica.
• Motor - sistema de injeção e
• Substituição ou complemento alimentação (bombas e bico),
do fluido do sistema de turbocompressor, correias,
basculamento da cabine. mangueiras, radiador, juntas e
• Reapertos, ajustes, verificações compressor a ar.
em geral, lavagem, graxa, • Caixa de mudanças - rolamentos,
combustível e similares. retentores, juntas, platô, disco e
• Substituição do líquido do sistema rolamento da embreagem.
de arrefecimento. • Eixo traseiro - retentores,
• Recarga do gás refrigerante do rolamentos e juntas.
sistema do ar-condicionado. A presente garantia não cobre
• Componentes do motor custos relacionados com lucros
danificados pela utilização cessantes.
de combustível adulterado outros reparos decorrentes
contaminado ou de má qualidade.
• Sobrecarga, uso abusivo,
• Danos devido a sujeiras negligência na manutenção
aparentemente inofensivas como (preventiva ou corretiva),
detritos de origem animal ou acidentes, operação inadequada
vegetal, insetos, marcas de piche e reparo em decorrência
e resíduos de poluição industrial, da alteração do plano de
dentre outros. manutenção definido no ato da
• Despesas com óleo lubrificante venda do veículo.
do motor, óleo lubrificante da • Danos e horas adicionais para
caixa de mudanças, fluido da reparo/manutenção oriundas
direção hidráulica, graxas, líquido da instalação de acessórios ou
do sistema de arrefecimento do implementos.
motor e carga de gás refrigerante
do sistema de ar-condicionado,
são cobertas somente quando
consequentes de reparos
executados em garantia.

284
Termos e condições de garantia

Peças de desgaste natural • Se o veículo for submetido a


As peças a seguir são consideradas abusos, sobrecargas ou acidentes;
como de desgaste natural e • Para os itens de verificação na
devem, portanto, ser pagas pelo execução da revisão com mão
Cliente. As substituições dessas de obra gratuita se o programa
peças, necessárias em razão do regular de revisão, manutenção e
fim de sua vida útil, são de única lubrificação for negligenciado;
responsabilidade do proprietário. O • Se for empregado em
desgaste é visível nas peças assim competições de qualquer espécie
caracterizadas, cuja duração está ou natureza;
diretamente ligada às condições de
rodagem, quilometragem percorrida, • Se for reparado fora das oficinas
tipo de utilização e modo de dirigir: do Distribuidor Ford Caminhões;
filtros de ar, combustível e óleo, • Se os seus componentes originais,
tambores e lonas de freio, sistema acessórios e equipamentos
de embreagem (platô, disco e forem substituídos por outros
rolamento), batentes de molas do não fornecidos pela Ford Motor
feixe auxiliar e placas de desgaste da Company Brasil Ltda.;
suspensão traseira, amortecedores, • Se forem utilizados combustíveis,
palhetas do limpador do para-brisa, óleos ou fluidos que não os
fusíveis e lâmpadas, correias e pneus. recomendados neste manual;
Se a substituição de alguma das • Se a estrutura técnica ou
peças de desgaste natural ocorrer mecânica do veículo for
em razão de comprovado defeito modificada com a substituição
de material ou fabricação, esta é de componentes, peças,
normalmente coberta em garantia. acessórios ou equipamentos
originais por outros não instalados
vidros originalmente de fábrica no
veículo, ou de especificações
Havendo vestígio de quebra dos diferentes, mesmo que essa
vidros em função de influência modificação tenha sido realizada
mecânica externa, a garantia fica por um Distribuidor Ford
automaticamente extinguida. Caminhões, tais como alarme,
Garantia direta de terceiros rastreador, rádio e cd players,
Pneus, câmaras de ar e carrocerias caso em que se subentende que a
especiais, são equipamentos modificação foi realizada a pedido
garantidos diretamente pelo próprio do Cliente, por sua conta e risco;
fabricante. • Se o veículo for submetido a
qualquer modificação que a
juízo exclusivo da Ford Motor
Cancelamento da garantia Company Brasil Ltda., afetem
A garantia do veículo estará seu funcionamento, estabilidade,
automaticamente cancelada: segurança e confiabilidade;

285
Termos e condições de garantia

• Se for desrespeitada a proporção Certifique-se que o Distribuidor Ford


máxima de 20% de Biodiesel na Caminhões que executou a revisão,
mistura B20 (Biodiesel + Diesel). preencheu, carimbou e vistou o
onde obter serviços em garantia quadro respectivo do registro das
revisões referente à revisão efetuada,
Todo atendimento previsto evitando, assim, problemas quando
nos termos desta garantia será necessitar de um serviço em
executado preferencialmente no garantia.
Distribuidor Ford Caminhões que
efetuou a venda. A garantia estará automaticamente
cancelada para os itens de
Não obstante o disposto acima, fica verificação na execução das revisões,
esclarecido que qualquer Distribuidor se o programa regular de revisão for
Ford Caminhões, titular de negligenciado.
concessão para a comercialização
de veículos Ford e/ou prestação reparos gratuitos
de assistência técnica a veículos Os Distribuidores Ford Caminhões
Ford, deverá prestar assistência têm por obrigação, nos termos desta
técnica, independentemente de ter garantia, substituir gratuitamente,
comercializado o produto ao qual se em seu estabelecimento, as peças
destina. que sejam por ele, Distribuidor Ford
revisões com mão de obra Caminhões, reconhecidas como
gratuita defeituosas.
Todo veículo novo tem direito aos Serviço Ford
serviços de revisão com mão de Os Distribuidores Ford Caminhões
obra gratuita dos itens constantes dispõem de instalações, experiência
na tabela de manutenção nas duas e compromisso com a satisfação do
primeiras revisões, independente Cliente, o que torna a escolha mais
da aplicação. inteligente para a manutenção e
Nos serviços prestados na revisão reparo dos veículos Ford, por toda a
com mão de obra gratuita, excluem- sua vida útil.
se as despesas descritas no item Pessoas certas para o serviço
“operações e itens considerados Os técnicos dos Distribuidores Ford
como manutenção normal”, que Caminhões são treinados na própria
deverão ser pagas pelo proprietário fábrica, recebendo informações
do veículo. mais atualizadas sobre a tecnologia
Excluem-se também, nos serviços dos veículos e procedimentos de
com mão de obra gratuita, os serviço. Os Consultores Técnicos
solicitados pelo Cliente e os que são treinados para proporcionar aos
não façam parte das operações Clientes o mais alto grau de cortesia
indicadas na tabela de manutenção. e atenção.

286
Termos e condições de garantia

uso de peças originais Ford as condições padronizadas desta


Os Distribuidores Ford contam garantia, sem que tal fato origine
com peças originais Ford, as direito à reclamação. As obrigações
mais adequadas para o reparo e assumidas pela Ford, em conse-
manutenção dos veículos Ford. quência desta garantia, limitam-se
Durante a fase de projeto dos às expressamente incluídas no
veículos Ford, são efetuados “Certificado de garantia”.
testes exaustivos em todos os Falta de manutenção regular
componentes, para assegurar que os Se o programa regular de revisão,
mesmos atendam aos padrões de manutenção e lubrificação for
durabilidade e níveis de desempenho negligenciado, a validade da garantia
exigidos. estará cancelada para os itens de
As peças de reposição originais verificação na execução da revisão.
Ford atendem aos mesmos padrões Despesas diversas
de qualidade das utilizadas na
produção dos veículos Ford, Despesas relativas a deslocamento
proporcionando confiabilidade e de pessoal, reboque, socorro,
tranquilidade para o Cliente. Por imobilização do veículo, danos
este motivo é que todas as peças materiais ou pessoais do Cliente
adquiridas e/ou instaladas num ou terceiros, lucros cessantes ou
Distribuidor Ford Caminhões têm danos alegadamente decorrentes de
garantia de fábrica. Além de contar avarias em geral não são cobertos
com toda a qualidade das peças pela garantia.
originais, você ainda vai encontrar Garantia de peças de reposição
preços excelentes de peças para a O prazo de garantia das peças
manutenção do seu veículo. vendidas e instaladas nos
Ao efetuar reparos em Garantia, Distribuidores Ford Caminhões
exige-se que o Distribuidor Ford é de 12 meses sem limite de
Caminhões use apenas Peças quilometragem, contados a partir da
Originais Ford. Por exemplo, quando data da venda na Nota Fiscal.
se substituem as lonas de freio em O prazo de garantia das peças
operações de reparo ou serviço, o adquiridas no balcão dos
Cliente deve exigir que as peças Distribuidores Ford Caminhões
de reposição atendam aos mais é de 6 meses sem limite de
rígidos padrões de desempenho e quilometragem, contados a partir da
segurança. Para que isso aconteça, data da venda na Nota Fiscal.
tais peças devem ser originais Ford.
Garantia contra corrosão da
Esclarecimentos adicionais carroceria
A Ford Motor Company Brasil Ltda. O seu veículo foi fabricado com
poderá a qualquer tempo, sem materiais de última geração,
prévio aviso, revisar, modificar, que incluem o uso de chapas
descontinuar ou alterar qualquer um galvanizadas na carroceria com
de seus produtos, bem como alterar eletrodeposição de material catódico

287
Termos e condições de garantia

sobre essas chapas e materiais de • Qualquer dano identificado na


formulação à base de água de alta carroceria, pintura ou proteção
resistência para proteção contra anticorrosão decorrente de
riscos e lascamentos. acidente, mau uso, negligência
ou causas fortuitas, devem ser
Além de protegerem mais a imediatamente reparados por
carroceria de seu veículo, esses conta do Cliente no Distribuidor
materiais à base de água são Ford Caminhões de sua
menos agressivos ao meio ambiente. preferência;
Desta forma, seu veículo é garantido • Quando da constatação de
contra corrosão por um período de 12 indícios de corrosão, o veículo
meses contados a partir da data de deve ser encaminhado imediata-
aquisição do veículo 0 km. mente ao Distribuidor Ford
Por essa garantia, seu veículo Caminhões;
terá direito a reparo gratuito no • Eventuais acidentes danosos à
Distribuidor Ford Caminhões, para carroceria ou pintura do veículo
todos os componentes da carroceria deverão ser reparados sempre por
que, em condições de uso normal, um Distribuidor Ford Caminhões.
apresentarem defeito decorrente de • Equipamentos e/ou acessórios
corrosão, devidamente comprovado originais devem ser instalados na
pelo Distribuidor Ford Caminhões. carroceria exclusivamente por um
Entende-se por defeito de corrosão Distribuidor Ford Caminhões;
todo indício visível de ferrugem que • Deverão ser observadas as
potencialmente possa vir a causar instruções quanto à conservação
perfuração da chapa da carroceria do veículo, constantes no item
do veículo. “Cuidados com o veículo”
Não estão inclusos demais (página 210).
componentes que não fazem parte • Durante a inspeção da carroceria,
da carroceria, tais como sistema de as despesas referentes à lavagem,
escapamento e suspensão, bem polimento ou cristalização
como equipamentos e acessórios da carroceria para proteção
não originais. Para a validade da da pintura, são de única
cobertura Ford contra corrosão, responsabilidade do proprietário
devem ser observadas as seguintes do veículo.
condições:
Cancelamento da garantia
• O veículo deve ser submetido
A cobertura de seu veículo contra
ao plano de revisão periódica
corrosão estará automaticamente
no Distribuidor Ford Caminhões,
cancelada se não forem respeitadas
dentro dos prazos e quilometra-
as seguintes condições de uso
gem constantes no plano de
normal:
manutenção preventiva;
• O programa de revisões
periódicas, na qual está inclusa a

288
Termos e condições de garantia

verificação da carroceria, não for


cumprido;
• Os componentes da carroceria
do veículo forem reparados fora
das oficinas do Distribuidor Ford
Caminhões;
• Os componentes originais
da carroceria, acessórios e
equipamentos forem substituídos
por outros não fornecidos pela
Ford Motor Company Brasil Ltda.;
• O veículo for empregado em
competições de qualquer espécie
ou natureza;
• O veículo trafegar frequentemente
em locais alagados, maresia, areia
e água do mar;
• A pintura sofrer danos decorrentes
de produtos ou agentes químicos
externos;
• Forem instalados equipamentos
ou acessórios não originais na
carroceria.

289
registro das revisões

Aplicação do caminhão
Rodoviário
São veículos que acumulam quilometragem anual acima de 100.000 km. Trafegam
predominantemente em estradas ou rodovias pavimentadas em bom estado, com
velocidade média elevada e poucas paradas intermediárias.
Exemplos: Transportadoras que operam em longas distâncias, transporte de
produtos perecíveis, cegonheiros, etc.

Severo
São veículos que acumulam quilometragem anual de até 60.000 km. Operam em
condições extremas, utilizados nos limites máximos de esforço ou de carga; tráfego
constante em estradas de terra; tráfego de curta distância com alta porcentagem de
funcionamento do motor em marcha lenta; tráfego com percurso predominante em
regiões de serras com subidas pronunciadas.
Exemplos: Betoneira, compactador de lixo, canavieiro, extração de minério e
madeiras, etc.

Urbano
São veículos de uso misto, urbano e rodoviário, com quilometragem anual variando
entre 30.000 e 100.000 km. Trafegam predominantemente em grandes cidades e
vias de tráfego intenso; tráfego com frequentes “para e anda”; serviço regular de
entrega.
Exemplos: Caminhões de transportadoras que operam na coleta e distribuição
urbana de botijões de gás, bebidas, materiais de construção, etc.
Para intervalos diferenciados como horas de funcionamento e litros de
combustível, consulte um Distribuidor Ford Caminhões.

MÃO DE OBRA GRATUITA Revisão A - 5.000 km

_________ km Data ____/____/____ O.S.______________

Próxima Revisão

_________ km Data ____/____/____ Carimbo do Distribuidor

290
Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

1a Revisão 2 a Revisão 3a Revisão 4a Revisão 5 a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

291
O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

MÃO DE OBRA GRATUITA

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

6a Revisão 7 a Revisão 8a Revisão 9a Revisão 10a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

292
Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

11a Revisão 12 a Revisão 13 a Revisão 14 a Revisão 15a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

293
O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

16a Revisão 17 a Revisão 18 a Revisão 19 a Revisão 20a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

294
Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

21a Revisão 22 a Revisão 23 a Revisão 24 a Revisão 25a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

295
O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

26a Revisão 27 a Revisão 28 a Revisão 29 a Revisão 30a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

296
Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

31a Revisão 32 a Revisão 33 a Revisão 34 a Revisão 35a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

297
O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

36a Revisão 37 a Revisão 38 a Revisão 39 a Revisão 40a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

298
Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

41a Revisão 42 a Revisão 43 a Revisão 44 a Revisão 45a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

299
O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


Consultar os itens verificados em cada Revisão Periódica
na Tabela de Manutenção
As revisões deverão ser efetuadas a cada 06 meses ou nos intervalos de quilometragem indicados,
o que ocorrer primeiro. O Distribuidor que executou os serviços deverá carimbar,
preencher e vistar o quadro correspondente a cada revisão efetuada.

46a Revisão 47 a Revisão 48 a Revisão 49 a Revisão 50a Revisão


_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________ O.S. ______________

300
Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor Carimbo do Distribuidor

Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão Próxima Revisão
registro das revisões

_________ km _________ km _________ km _________ km _________ km

Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____ Data ____/____/____

* Tolerância máxima de 1 mês ou 1.000 km para mais ou para menos


SUBSTITUIÇÃO
Carimbo do DO VELOCÍMETRO aos _____________ km
Distribuidor

data ____/____/____

301
SUBSTITUIÇÃO
Carimbo do DO VELOCÍMETRO aos _____________ km
registro das revisões

Distribuidor

data ____/____/____
índice

A C
Abastecimento de óleo da Caixa de fusíveis na caixa
bomba de basculamento da bateria ..............................................149
da cabine...............................................196 Caixa de mudanças ..........................193
Acelerador eletrônico .......................134 Caixa de mudanças ..........................237
Acendedor de cigarros .......................73 Caixa de mudanças EA11109LA /
Acoplamento do semirreboque ...126 EA11109LB / F-11E316D-LSE ............110
Acoplamento do reboque .............. 125 Caixa de mudanças ES11209 ........103
Afivelamentos dos cintos de Caixa de mudanças FS5406A /
segurança .............................................. 26 FS6306A / FS6306B ........................101
Ajuste da suspensão Caixa de mudanças FTS16112L ..... 107
da cabine............................................... 197 Caixa de mudanças
Alinhamento do farol .....................204 FTS16108LL ........................................ 104
Armazenamento do veículo........... 213 Cinto de segurança em
mulheres grávidas ............................... 27
Árvore longitudinal (Cardã) ...........195
Chaves codificadas ............................33
Avisos de irregularidades ................. 113
Capuz....................................................... 86
Assistência de partida
em rampas (HLA) ............................... 121 Central elétrica dos fusíveis
e relés .....................................................149
Ativação do imobilizador
do motor .................................................33 Comandos do sistema de
climatização.......................................... 64

B Como solicitar os serviços


do S.O.S Ford Caminhões ............... 143
Banco central (se equipado) .......... 72
Condução econômica ...................... 135
Baixas temperaturas ..........................97
Consumo de combustível................ 93
Banco do motorista
com suspensão a ar ............................67 Controle automático de
velocidade .............................................. 81
Banco do motorista com
suspensão a ar - extraconforto ..... 69 Controle da poluição ............................8
Basculamento da cabine .................87 Controle da poluição sonora .............11
Basculamento da cabine ................196 Controle de iluminação .................... 40
Baterias ..................................................199 Correia de acionamento ................. 175
Bloqueio autônomo ........................... 34 Cuidado com os pneus ....................216

D
Bloqueio do diferencial
entre-eixos............................................. 84
Bocais de engate................................ 124 Definições dos termos
utilizados ..............................................148
302
índice

D E
Desacoplamento do Especificações técnicas -
semirreboque .....................................128 Rodas e pneus .................................... 224
Desativação do imobilizador do Espelho retrovisor externo................43
motor ........................................................33 Extintor de incêndio ..........................139
Desativação do motor........................78
Desaplicação mecânica do freio F
de estacionamento ...........................120 Filtro secador de ar.............................119
Desembaçamento rápido do Filtro separador de óleo do ar ....... 99
para-brisa .............................................. 65
Fluido da embreagem .....................185
Diagnóstico de bordo ........................ 54
Fluido do lavador do para-brisa ... 197
Diagnóstico de bordo ........................ 58
Fluido da direção hidráulica .........183
Diferentes chaves operam
Fluido do sistema SCR...................... 96
seu veículo ............................................. 28
Freios .....................................................244
Dimensões ..........................................256
Freio do reboque e do semirreboque
Direção hidráulica ............................... 37 (manetim - se equipado) .................117
Distribuição da carga ........................ 123 Freio para partida em rampas -
Drenagem dos somente para o modelo
reservatórios de ar ........................... 187 1723 Kolector .........................................118
Disk Fod Caminhões ............................ 17 Funcionamento do
indicador de restrição do filtro
E de ar do motor ....................................181
Eixo dianteiro ...................................... 189 Funções mostradas no visor
do painel com transmissão
Eixo traseiro ......................................... 190 automatizada ....................................... 55
Eixo traseiro ......................................... 242 Funções mostradas no visor do
Embreagem.......................................... 241 painel com transmissão manual ...53
Engate de marcha a ré .....................105
Engate de marcha a ré .................... 108 G
Engate do reboque ........................... 124 Glossário de símbolos .........................13
Engraxamento
(EA 11109 / F-11E316D-LSE) ...........194 I
Entre em contato com a Ford ......... 16 Imobilizador do motor .......................33

Equipamento de comunicação Identificação do veículo .............7/254


móvel .........................................................15 Indicadores de direção ..................... 40
Especificações do motor ............... 226
303
índice

I l
Indicador de temperatura Ligações adicionais no sistema
do líquido de arrefecimento de ar comprimido................................119
do motor..................................................47 Limpador do para-brisa ................... 39
Indicador do nível de Limpeza das luzes externas ..........204
combustível ...........................................47
Limpeza das palhetas dos
Indicação de operação ..................... 111 limpadores e do para-brisa............ 197
Índice de opacidade ........................ 234 Limpeza do motor ............................. 213
Informações gerais - Tacógrafo...... 61 Limpeza exterior .................................. 211
Informações gerais - Ativação Limpaza interior .................................. 212
e desativação do motor ....................76
Líquido de arrefecimento
Informações gerais - do motor ............................................... 179
Acionamento do freio-motor ..........79
Luzes indicadoras e de
Informações gerais - Controle advertência e avisos sonoros .........47
automático de tração........................80
Luzes intermitentes de
Informações gerais - Controle advertência (Pisca-alerta) .............139
de emissões .......................................... 94
Luzes internas ....................................... 41
Informações gerais -
Transmissão........................................ 100
Informações gerais - Freios ............. 115
m
Manômetro da pressão do ar
Informações gerais - do freio ................................................... 46
Capacidade de carga ....................... 122
Manutenção .........................................210
Informações gerais -
Sugestões de condução ..................134 Macaco .................................................220
Informações gerais -
Manutenção .........................................159 n
Informações gerais - Nossos Distribuidores ......................... 17
Rodas e pneus .....................................216 Número do motor ............................. 255
Inibidor de redução de marcha ... 100
Instalação de iluminação o
adicional ................................................ 133
Óleo do motor .................................... 173
Interruptor de ignição .........................76
Operação em baixas
Itens de manutenção temperaturas ....................................... 135
periódica ................................................161
P
l Painel de instrumentos..................... 45
Lavador do para-brisa....................... 39
304
índice

Partida do motor ..................................76


Partida do veículo com bateria
r
auxiliar ................................................... 140 Regulagem dos ajustadores
automáticos dos freios - freio a
Posições da alavanca seletora tambor tipo “s-came” .................... 188
de marchas............................................. 111
Regulagem do suspensor
Pressão dos pneus .............................217 do 3° eixo ............................................192
Procedimento para Remoção dos para-lamas ..............126
substituição da roda ........................ 223
Pesos ..................................................... 245 Rodagem ..............................................134
Princípios de funcionamento ......... 62 Roda sobressalente ......................... 222
Proteção ambiental .............................8 Rodízio dos pneus..............................218

Portas objetos .......................................74 Reparar pequenos danos


na pintura .............................................. 213
Precauções de segurança -
Respiro da caixa de mudanças.....194
Combustível e reabastecimento...90
Respiro do eixo .....................................191

Q Responsabilidades do
proprietário .......................................... 282
Qualidade do Retorno da cabine à
combustível ..........................................90 posição de condução ....................... 89
Quinta roda ..........................................126
Quinta roda ..........................................195 S
r
Sangria do sistema de
combustível ......................................... 178
Reabastecimento ...............................92 Selo de licença de utilização do
Reabastecimento ............................... 98 controle remoto .................................. 29
Reboque ................................................141 Selo de licença de utilização do
sistema FORD ANTIFURTO
Recomendações de peças de (PATS) ..................................................... 34
reposição..................................................15
Sentando-se na posição
Recomendações na instalação correta ......................................................67
de implementos ................................. 123
Sobre este manual ...............................13
Redução do torque do motor ........ 96
Sistema de alimentação de
Registro de dados ................................ 16 combustível ..........................................177
Regulagem da coluna de Sistema de arrefecimento .............240
direção ..................................................... 37
Sistema de resfriamento do ar -
Regulagem da marcha lenta ........... 77 aftercooler .............................................181
Sistemas elétricos ............................240

305
índice

S S
Sugestões sobre o controle da Substituição do filtro separador
climatização do veículo ................... 65 de óleo do ar ......................................183
Suspensor do 3° eixo ........................ 84 Substituição do fluido da
Suspensão traseira direção hidráulica ............................184
pneumática (1933 Tractor) ............. 85 Substituição do fluido da
Suspensão dianteira ........................ 189 embreagem e sangria do
sistema ................................................ 186
Suspensão traseira.............................191
Substituição do líquido de
Suspensão traseira
arrefecimento do motor ................ 180
pneumática ..........................................192
Substituição do óleo da caixa de
Suspensão dianteira ........................ 243
mudanças .............................................193
Suspensão traseira........................... 243
Substituição do óleo e filtro
Substituição da bateria da chave de óleo do motor ............................... 174
com controle remoto integrado .... 28 Substituição do óleo
Substituição das guarnições do diferencial ..................................... 190
de freio ................................................... 187
Substituição das rodas ..................220 T
Situação de emergência - Tabela de especificação de
Freios ......................................................120 lâmpadas - 24 V ................................205
Substituição do filtro de ar Tabela de especificações -
do sistema de ventilação Fusíveis e relés ....................................150
da cabine...............................................195
Tabela de manutenção ..................268
Substituição das palhetas
Tabela de volume de
dos limpadores .................................. 198
abastecimento ................................. 206
Substituição de lâmpadas .............201
Tacômetro .....................................46/137
Substituição de fusíveis ..................158
Tomada de ar ........................................73
Substituição de uma chave ............ 30
Tomada de força 12 V .........................73
Substituição do elemento
Tomada de força (PTO) ................... 82
filtrante...................................................184
Tomada de força ...............................129
Substituição do elemento do filtro
separador de água ............................ 176 Tomada para sistema ABS ............ 132
Substituição do filtro Travamento e destravamento. ........31
de ar do motor .....................................181 Triângulo de segurança ...................139
Substituição do filtro Turbocompressor ................................ 77
de combustível ...................................177
Substituição do filtro secador
de ar da APU ........................................ 187
306
índice

u
Utilização da tabela de
manutenção .......................................269

v
Válvula termostática ........................181
Válvula moduladora do freio de
estacionamento e
emergência.............................................117
Velocímetro ........................................... 46
Vidro elétrico ..........................................42
Visão geral da cabine .........................23
Visão geral do painel ..........................24
Visor de informações......................... 46
Vista capuz aberto ...........................162
Vista da cabine .................................... 18
Vista superior 4x2 ................................ 19
Vista superior Tractor ........................ 20
Vista superior 6x2 .................................21
Vista superior 6x4 ................................22
Vista 1419 / 1519 / 1719 / 1723 .........163
Vista 1719 bebida /
1723 Kolector .......................................164
Vista 2423 / 2429 ..............................165
Vista 2623 / 2629 / 3129................ 166
Vista 2629 mixer ................................ 167
Vista 3133 ............................................. 168
Vista 1729 tractor ...............................169
Vista 1729 rígido ................................. 170
Vista 1933 tractor ............................... 171
Vista 1933 rígido .................................172

307
ADENDO DA INFORMAÇÃO CONSTANTE NESTE MANUAL
A Ford Caminhões busca o contínuo aperfeiçoamento no desenvolvimento e na manutenção de seus veículos, trazendo grandes vantagens para os seus clientes.
Com isso, informamos que nos modelos Cargo 1723/1729/2423/2429, na aplicação Rodoviário, a revisão passa a ser realizada a cada 50.000 km ou 800 horas ou 6 meses.
Os demais modelos contemplados no seu Manual do Proprietário nas páginas 276 e 278 – Cargo 1419/1519/1719/1933 – não sofreram alterações, ou seja, na aplicação Rodoviário,
a revisão deverá ser realizada a cada 40.000 km ou 800 horas ou 6 meses.
Em caso de dúvida, consulte o Distribuidor Ford Caminhões ou entre em contato com o Centro de Atendimento Ford.

A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Modelos: 1723 / 1729 / 2423 / 2429 Intervalo

600.000
300.000

400.000

500.000
200.000

450.000
250.000

550.000
350.000
150.000
100.000
50.000
Aplicação: Rodoviário 50.000 km

5.000
Motor

Óleo e filtro de óleo - substituir

Filtro de combustível (separador e principal) - substituir

Filtro de ar - substituir

Consulte a Tabela de Revisão de Amaciamento dos 5.000 km


Admissão de ar do motor - verificar estado

Líquido de arrefecimento - verificar nível

Embreagem viscosa - verificar 50.000

Coxins do motor - verificar estado e torque

Tampa do reservatório de expansão - verificar

Filtro do sistema SCR - substituir

Folga das válvulas - regular

Tensionador da correia - verificar estado

Correias do motor e de acessórios - substituir


100.000
Líquido de arrefecimento - substituir

Transmissão e embreagem

Óleo lubrificante e respiro - verificar nível e limpar


50.000
Fluido de embreagem - verificar nível (substituir a cada 2 anos)

Óleo lubrificante da transmissão manual - substituir 100.000

Óleo lubrificante da transmissão automatizada - substituir 500.000

Árvore de transmissão

Juntas universais, entalhado e fixações - lubrificar 50.000

Eixo traseiro

Óleo lubrificante e respiro - verificar nível e limpar


50.000
Cubo de roda - verificar folga e ajustar se necessário

Óleo lubrificante - substituir 100.000

H534_global_27-05-2016_Adendo.indd 1 30/05/2016 14:58:40


A 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12
Modelos: 1723 / 1729 / 2423 / 2429 Intervalo

300.000

400.000

500.000
200.000

450.000
250.000

550.000
100.000

350.000

600.000
150.000
50.000
Aplicação: Rodoviário 50.000 km

5.000
Eixo dianteiro

Cubo das rodas e rolamentos - verificar, ajustar e engraxar 50.000

Direção

Fluido de direção hidráulica - verificar nível

Direção hidráulica - verificar ruído / folgas / vazamento

Consulte a Tabela de Revisão de Amaciamento dos 5.000 km


50.000
Geometria/alinhamento - verificar desgaste dos pneus

Filtro de direção hidráulica - verificar estado

Suspensão

Suspensão - lubrificar

Porcas das rodas - verificar torque

Travessas da longarina / braços / barra estabilizadora / mola / grampos / suporte


50.000
/ jumelo / articulações / amortecedores / quinta roda - verificar torque

Suspensor do terceiro eixo - regular

Batentes de mola e placas de desgaste - verificar desgaste

Freios

Reservatórios de ar comprimido - drenar

Espessura e folga das lonas - verificar


50.000
Ajustadores de freio - verificar e engraxar

Freio-motor - verificar funcionamento

Filtro secador de ar da APU - substituir (trocar a cada 2 anos) 200.000

Elétrica

Fusíveis e relés - verificar funcionamento

Códigos de falha - verificar 50.000

Baterias e terminais - verificar estado / fixação

Cabine

Ar-condicionado - verificar funcionamento

Limpador do para-brisa - verificar funcionamento / desgaste


50.000
Filtro de pólen - substituir

Coxins e amortecedores da cabine - verificar desgaste

H534_global_27-05-2016_Adendo.indd 2 30/05/2016 14:58:40


Adendo da informação constante neste manual
- Na página 111, leia:
Engate da marcha ré
Nos modelos 1933 e 1723 Kolector tem-se a opção de duas relações de ré.
R1 com relação mais curta e R2 com relação mais longa. Para alternar entre elas
utilize o botão (+) e (-) da alavanca seletora de marchas. Utilize R1 quando o
caminhão estiver com carga e R2 somente quando vazio. A marcha seletora
FORD SERVICE - UM SERVIÇO EXCLUSIVO
aparecerá no display. DA FORD CAMINHÕES PARA SEUS CLIENTES
A Ford Caminhões quer que seus clientes tenham ainda mais tranquilidade,
comodidade e qualidade na hora de realizar a manutenção de seus veículos.
Para isso, lançou um serviço exclusivo chamado Ford Service, que traz diversas
vantagens para você. No Ford Service, tudo foi pensado e desenvolvido para que você
possa seguir em frente, focando apenas no dia a dia dos seus negócios.
São 3 planos de serviços que você pode contratar:

1 Mão de obra das revisões


CLASS Óleos e filtros
Manutenção Preventiva

2
PLUS CLASS
Manutenção Preventiva +
Peças de Desgaste Natural
Peças de desgaste natural
(embreagem, lonas / pastilhas
de freio, reparo do motor de
partida, tambores / discos de
freio, bateria, lâmpadas e fusíveis)

Errata da informação constante neste manual


- Onde se lê na página 239 3
Marchas EA-11109-LB F-11E316D-LSE PRIME PLUS
Ré 14,12:1 14,91:1 Manutenção Preventiva +
Ré-Reduzida 4,00:1 17,64:1 Manutenção Corretiva
Manutenção corretiva total
- Leia Inclui também:

para todos os componentes


Marchas EA-11109-LB F-11E316D-LSE
R1 14,12:1 17,64:1
R2 4,00:1 14,91:1
Para mais informações,
Na página 284, desconsiderar o texto referente ao Cargo 1933
ligue 0800 703 3673 ou acesse
www.fordcaminhoes.com.br
FORD CARGO Manual do Proprietário
Rodas e Pneus – Pressão com carga máxima em PSI
Dianteiros Traseiros
Modelos Rodas Pneus
Bar (PSI) Bar (PSI)

10,00R20 - radial com


20x7,5 7,4 (105) 8,0 (115)
câmara
1419/1519
275/80R22,5 - radial
22,5x7,5 7,4 (105) 7,7 (110)
sem câmara

10,00R20 - radial com


1719 22,5x7,5 8,0 (115) 8,0 (115)
câmara

275/80R22,5 - radial
1723 20x7,5 8,0 (115) 8,0 (115)

Manual do Proprietário Ford Cargo


sem câmara

2423/1729/ 275/80R22,5 - radial


22,5x7,5 8,0 (115) 7,4 (105)
2429 sem câmara

22,5x7,5 275/80R22,5 - radial


2623/2629 8,0 (115) 8,0 (115)
sem câmara

275/80R22,5 - radial
22,5x7,5 8,0 (115) 8,3 (120)
sem câmara
1933
275/80R22,5 - radial
22,5x8,25 7,4 (105) 7,4 (105)
sem câmara

275/80R22,5 - radial
3129/3133 22,5x8,25 7,7 (110) 7,7 (110)
sem câmara

Interesses relacionados