Você está na página 1de 14

GRAU DE

ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
1 - Planejamento 1.1. Não atendimento aos Moderado 1.1.1. O encarregado/líder de equipe deverá verificar se todos os envolvidos nas atividades
da atividade requisitos de segurança possuem crachá, caso seja identificado algum colaborador sem o crachá, o mesmo deverá ser
direcionado ao setor de RH da CMB. Em caso de colaborador subcontratado o mesmo também
deverá possuir crachá de identificação/serviço. Se não possuir, deverá ser encaminhado ao setor de
subcontrato do CMB;
1.1.2. É responsabilidade do encarregado divulgar para os colaboradores os riscos existentes na
atividade;
1.1.3. Cumprir as Regras de Ouro:
1.1.4. 1ª Regra: Somente iniciar atividade após implantação das medidas de prevenção previstas
na Análise Preliminar de Risco – APR;
1.1.5. 2ª Regra: Não Acessar áreas isoladas e sinalizadas sem autorização do responsável pelo
isolamento;
1.1.6. 3ª Regra: Nas atividades de trabalho em altura, utilizar cinto de segurança devidamente
fixado em linha de vida ou sistema de ancoragem, quando não estiver sistema de guarda corpo;
1.1.7. 4ª Regra: Somente realizar atividades se estiver devidamente apto, qualificado, habilitado
e/ou autorizado;
1.1.8. 5ª Regra: Não permitir ou realizar atividades em equipamentos, acessórios de içamento,
máquinas e ferramentas rotativas, inclusive de terceiro, sem que os mesmos sejam inspecionados e
liberados;
1.1.9. 6ª Regra: Iniciar as atividades especiais somente após a emissão da permissão/autorização
para trabalho;
1.1.10. 7ª Regra: Somente realizar intervenção em qualquer instalação energizada (elétrica,
pneumática, hidráulica ou térmica), quando a mesma estiver devidamente bloqueada;
1.1.11. 8ª Regra: No Trânsito, quando dirigir a serviço e no trajeto casa-trabalho-casa, respeitar os
limites de velocidade, utilizar cinto de segurança e não utilizar o celular enquanto dirige;
1.1.12. 9ª Regra: Comunicar todos os acidentes de trabalho e incidentes imediatamente após o
ocorrido;
1.1.13. Todos os profissionais devem ser treinados e qualificados a executar suas tarefas com
segurança;
1.1.14. Todos os profissionais que exercerem atividades que necessitem de treinamento específico
(ex.: trabalho em altura, espaço confinado, operação de máquinas e equipamentos, etc.) conforme a
legislação/norma deve ser treinado ou apresentar o certificado de capacitação antes do início da
atividade;
Página: 2 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

GRAU DE
ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
1.1.15. Certificar-se de que todos os profissionais envolvidos nas tarefas estejam perfeitamente bem
de saúde física e psicológica;
1.1.16. Certificar-se de que os profissionais estejam cumprindo com as normas de segurança e que
estejam atualizadas sobre qualquer modificação na execução da tarefa ou escopo do projeto;
1.1.17. Realizar o DDS e assinar a lista de presença;
1.1.18. Quando do uso de ferramenta manual, o profissional deve realizar a verificação diária da
mesma, para garantir a segurança durante a atividade;
1.1.19. Quando do uso de ferramentas elétricas, o profissional deve realizar a verificação diária da
mesma e observar a presença do selo de inspeção de liberação do emitido pelo setor de segurança
do trabalho, atendendo a cor referente do mês;
1.1.20. Fica proibido o uso de ferramentas improvisadas ou inadequadas para a atividade;
1.1.21. Analisar o local de trabalho, verificando possíveis interferências com outras frentes de
serviço;
1.1.22. Disponibilizar previamente todos os recursos necessários para a realização das atividades
planejadas;
1.1.23. Antes de iniciar os trabalhos, o líder de equipe deverá reunir os seus profissionais no local,
para inspecionar as frentes de serviço, avaliar e controlar os riscos existentes e acompanhar a tarefa
que irão ser executada;
1.1.24. Quando do uso de máquinas, veículos e/ou equipamentos, as mesmas devem ser vistoriadas
e seu check-list preenchido;
1.1.25. É terminantemente PROIBIDO O USO DE ALCOOL OU DROGAS ALUCINÓGENAS nas
instalações e frentes de serviços do CMB;
1.1.26. Em caso de uso de remédios controlados, o colaborador deverá informar a equipe de Saúde
Ocupacional do CMB para, quando necessário, ter acompanhamento específico;
1.1.27. Qualquer situação detectada e não prevista nesta APR, deve-se revisar tal documento e
encaminhar ao setor de ST do CMB.
Página: 3 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

GRAU DE
ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
2 - Movimentação 2.1 Queda em mesmo nível Moderado 2.1.1. Não correr;
de pessoas nas 2.1.2. Utilizar acessos seguros dentro do canteiro como: passarelas, escadas coletivas e caminho
frentes de seguro;
trabalhos do 2.1.3. Em vias públicas utilizar as calçadas seguras;
canteiro junto a 2.1.4. Os acessos devem estar organizados, limpos e desobstruídos.
vias públicas 2.2 Atropelamento Moderado 2.2.1. Em vias públicas utilizar as calçadas seguras;
2.2.2. Ao atravessar as vias de trânsito públicas, fazer o uso de passarelas;
2.2.3. Quando não houver passarelas para travessia de vias públicas, manter constante visualização
de ambos os lados/sentidos;
2.2.4. Proibido transitar entre os veículos em movimentação, assim como em áreas escorregadias
sem a preparação do terreno, e nos locais não autorizados a acesso de pessoas;
2.2.5. Todos devem fazer o uso de colete refletivo.
3 - Colocação das 3.1 Atropelamento Moderado 3.1.1. Sinalizar o perímetro operacional, visando deixar ciente do trabalho que está sendo realizado a
sinalizações de todos os transeuntes e carros que circulam na mesma;
segurança 3.1.2. Utilizar cones e placas de sinalização no perímetro operacional;
3.1.3. Utilizar redes de proteção para transeuntes e veículos.
Página: 4 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

GRAU DE
ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
4 – Abastecimento 4.1 Incêndio Substancial 4.1.1. O abastecimento deverá ser realizado utilizando recipiente devidamente identificado e a prova
da roçadeira de explosão, certificado pelo INMETRO;
4.1.2. No abastecimento, o local deve ser devidamente sinalizado, evitando assim que pessoas não
autorizadas permaneçam no local;
4.1.3. No abastecimento, são necessárias as seguintes medidas de proteção pessoal: Utilização de
Óculos de proteção lateral, Luvas de proteção de PVC, Calçado de segurança e Vestimenta protetora
impermeável;
4.1.4. Não realizar o abastecimento em locais próximos a atividades a quente ou com geração de
fagulha/fogo;
4.1.5. No abastecimento é obrigatório manter uma unidade extintora de PQS próxima a atividade;
4.1.6. É proibido abastecimento com o equipamento ligado;
4.1.7. Após o abastecimento apertar a tampa do tanque o máximo possível.
4.2 Inalação Moderado 4.2.1. No abastecimento, é necessário a utilização da máscara peça semi – facial contra vapores orgânicos.
4.3 Contato com a Pele Moderado 4.3.1. No abastecimento da é obrigatório a utilização de luvas de proteção de PVC e vestimenta
protetora impermeável;
4.3.2. A FISPQ deve estar disponível na frente de serviço.
4.4 Queimaduras Moderado 4.4.1. Não encostar nas peças quentes das máquinas e nem na engrenagem.
4.5 Tombamento Substancial 4.5.1. O abastecimento da roçadeira deve ocorrer em locais onde não há desnível.
5.1 Batida contra Moderado 5.1.1. Na execução do trabalho com roçadeira deve se atentar aos riscos de batida contra.
Página: 5 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

GRAU DE
ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
5 - Execução do 5.2 Cortes e perfurações Moderado 5.2.1. Na execução do trabalho com roçadeira deve se atentar aos riscos de cortes e perfurações,
trabalho nas utilizar os Epi’s adequados;
frentes de serviço 5.2.2. Na execução do trabalho com roçadeira é obrigatório a utilização de máscara facial contra
impacto, luva de raspa, calçado de segurança, capacete com jugular, óculos de proteção contra
impacto, protetor auricular tipo concha, avental de raspa e perneira de raspa;
5.2.3. Não utilizar roupas que possam enroscar em partes móveis da máquina;
5.2.4. Todas as partes móveis devem estar com suas devidas proteções;
5.2.5. É proibido o uso de máquinas /equipamentos que estejam sem proteção em suas partes
móveis;
5.2.6. É proibido o uso de máquinas/equipamentos que não estejam inspecionados e liberados, com
etiqueta de identificação (cor do mês).
5.3 Projeção de partículas Moderado 5.3.1. É obrigatório a utilização da tela mosquiteiro para proteção de transeuntes, estruturas e
equipamentos contra projeção de partículas.
5.4 Incêndio Moderado 5.4.1. É obrigatório manter uma unidade extintora PQS próxima a atividade.
Página: 6 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

GRAU DE
ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
5.5 Uso de equipamento Moderado 5.5.1. É obrigatório que apenas o profissional treinado, autorizado e capacitado pode operar o
equipamento;
5.5.2. É necessário que todos os dispositivos de acionamento do equipamento estejam em perfeito
estado de conservação;
5.5.3. É obrigatório realizar inspeções diárias no equipamento e registrar em formulário de checklist
ou lista de verificação qualquer situação anormal do equipamento, bem como se o mesmo estiver em
bom funcionamento;
5.5.4. O equipamento deverá ser inspecionado e liberado pela equipe de SST do CMB;
5.5.5. O Equipamento deverá estar identificado com a cor do mês;
5.5.6. É obrigatório a utilização da tela mosquiteiro para proteção de transeuntes, estruturas e
equipamentos;
5.5.7. É expressamente proibido realizar brincadeiras nas frentes de serviço;
5.5.8. É expressamente proibido direcionar o equipamento em outras pessoas;
5.5.9. Não permitir e/ou não permanecer na área de projeção de partículas do equipamento;
5.5.10. Não é permitido direcionar a lamina de corte em estruturas rígidas como pedras, postes, meio
fio da calçada e etc ;
5.5.11. Em áreas de vegetação densa fazer uso de perneira para proteção contra picada de cobra;
5.5.12.É extremamente necessário que a FISPQ do produto químico esteja exposta na frente de
serviço, facilitando assim o acesso ao documento em caso de sinistro ocorrido com o produto
utilizado;
5.5.12. Inspecionar ferramentas manuais antes de iniciar atividade;
5.5.13. Manter a área isolada.
Página: 7 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

GRAU DE
ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
5.6 Atropelamento Moderado 5.6.1. A atividade deverá ter acompanhamento do monitor de trânsito da Via Rio, podendo ser
também um sinaleiro do CMB, desde que o monitor da Via Rio seja comunicado e tenha
conhecimento da atividade;
5.6.2. Deverá ser colocado sinaleiro com bandeirola a 100 metros na via antes do primeiro cone de
sinalização;
5.6.3.Devem ser colocados cones de sinalização conforme área executada de dois e dois metros
acrescido de 30 metros após e depois da atividade, mesmo que atividade seja realizada dentro da
obra (Próximos dos tapumes) que não possuam defensas metálicas ou New Jersey;
5.6.4. Deslocamentos a pé deverão ser realizados pelo acostamento das vias e em fila indiana;
5.6.5. Sempre deslocar-se pelo lado esquerdo da via;
5.6.6. Utilizar colete refletivo.
6 – Transporte 6.3. Queda em mesmo nível Moderado 6.1.1. Não correr;
manual das 6.1.2. Utilizar acessos seguros dentro do canteiro como: passarelas, escadas coletivas e caminho
ferramentas perfuro seguro;
e cortantes até a 6.1.3. Em vias públicas utilizar as calçadas seguras;
frente de serviço 6.1.4. Os acessos devem estar organizados, limpos e desobstruídos.
6.2. Atropelamento Moderado 6.2.1. Em vias públicas utilizar as calçadas seguras;
6.2.2. Ao atravessar as vias de trânsito públicas, fazer o uso de passarelas;
6.2.3. Quando não houver passarelas para travessia de vias públicas, manter constante visualização
de ambos os lados/sentidos;
6.2.4. Proibido transitar entre os veículos em movimentação, assim como em áreas escorregadias
sem a preparação do terreno, e nos locais não autorizados a acesso de pessoas;
6.2.5. Todos devem fazer o uso de colete refletivo.
Página: 8 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

GRAU DE
ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
6.3. Ferimento através das Moderado 6.3.1. As ferramentas devem ser inspecionadas antes de sua utilização;
ferramentas perfuro e cortantes 6.3.2. Ferramentas danificadas devem ser substituídas imediatamente;
6.3.3. Fica proibido utilizar ferramentas danificadas;
6.3.4. A lamina das ferramentas devem ser protegidas de forma que não ofereçam risco de corte ou
perfuração para os profissionais;
7 - Execução do 7.1. Queda em mesmo nível Moderado 7.1.1. Não correr;
trabalho nas 7.1.2. Utilizar acessos seguros dentro do canteiro como: passarelas, escadas coletivas e caminho
frentes de serviço seguro;
com ferramentas 7.1.3. Em vias públicas utilizar as calçadas seguras;
manuais cortantes 7.1.4. Os acessos devem estar organizados, limpos e desobstruídos.
7.2. Atropelamento Moderado 7.2.1. Em vias públicas utilizar as calçadas seguras;
7.2.2. Ao atravessar as vias de trânsito públicas, fazer o uso de passarelas;
7.2.3. Quando não houver passarelas para travessia de vias públicas, manter constante visualização
de ambos os lados/sentidos;
7.2.4. Proibido transitar entre os veículos em movimentação, assim como em áreas escorregadias
sem a preparação do terreno, e nos locais não autorizados a acesso de pessoas;
7.2.5. Todos devem fazer o uso de colete refletivo.
7.3. Ferimento através das Moderado 7.3.1. As ferramentas devem ser inspecionadas antes de sua utilização;
ferramentas perfuro e cortantes 7.3.2. Ferramentas danificadas devem ser substituídas imediatamente;
7.3.3. Fica proibido utilizar ferramentas danificadas;
7.3.4. A lamina das ferramentas devem ser protegidas de forma que não ofereçam risco de corte ou
perfuração para os profissionais, quando fora de uso;
7.3.5. Inspecionar à área de trabalho antes de iniciar suas atividades;
7.3.6. Verificar presença de profissionais dentro do raio de ação das ferramentas;
73.7. Fazer uso de luva de vaqueta ou raspa de couro.
7.4. Atingido por Moderado 7.4.1. Fazer uso de perneira de couro ou bidim;
74.2. Não posicionar membros inferiores no raio de ação das ferramentas.
Página: 9 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

GRAU DE
ETAPA DA
PERIGOS RISCO / PLANO DAS AÇÕES DE CONTROLE DOS RISCOS
ATIVIDADE
SIGNIFICÂNCIA
7.5. Projeção de partículas nos Moderado 7.5.1. Fazer uso de óculos de segurança.
olhos
7.6. Ferimento das mãos 7.6.1. Fazer uso de luva de vaqueta ou raspa de couro;
7.6.2. Não posicionar as mãos em ponto de prensagem ou ponto de corte e perfuração.
8 - Recolhimento 8.1 Uso de equipamentos Moderado 8.1.1. Fazer uso dos EPIs: Capacete, luva de vaqueta, calçado de segurança com biqueira, uniforme
de resíduos com mangas compridas, óculos de segurança;
8.1.2. Não deixar ferramentas soltas no solo com as partes cortantes/perfurantes voltadas para cima;
8.1.3. Manter a área isolada.

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL – Epi’s


Epi’s de uso geral  Capacete de segurança com jugular;
Página: 10 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

 Luva de raspa;
 Óculos de proteção contra impacto;
 Protetor Auricular tipo concha;
 Bota de Segurança.
 Mascara peça contra vapores orgânicos;
 Vestimenta impermeável;
 Luva látex;
Epi’s uso específico
 Avental de raspa;
 Perneira de raspa;
 Protetor Facial.

COMITÊ ELABORADOR DA APR


NOME FUNÇÃO EMPRESA ASSINATURA
Engenheiro de Segurança do Trabalho
Técnico em Segurança do Trabalho
Bióloga
Encarregado
Técnico em Enfermagem do Trabalho
Representante da CIPA

OBSERVAÇÕES
Página: 11 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

Fazer a leitura da APR com toda força de trabalho antes do início das atividades:
 Realizar DDS antes do início dos trabalhos;
 Nas atividades contempladas nesta APR, deverão seguir os procedimentos de PAE;
 Manter supervisor e/ou encarregado na frente de trabalho;
 Atender em todas as etapas desta APR:
- NR-26 – Sinalização de segurança
- NR-24 – Condições sanitárias e de conforto nos locais de trabalho;
- NR-23 – Proteção contra incêndio;
- NR-18 – Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção;
- NR-11 – Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais;
- NR-17 – Ergonomia;
- NR-06 – Equipamento de Proteção Individual;
- Manual do DNIT.
 Os serviços serão realizados conforme os procedimentos executivos específicos da atividade;
 Não realizar operações de carga e descargas de equipamentos embaixo de linhas de energia elétrica;
 Motoristas e operadores deverão aguardar a presença de pessoal técnico qualificado para desligar cabos (Elétricos e comunicação) quando necessário;
 Os veículos pesados e equipamentos que operem em marcha ré devem estar equipados com alarme sonoro acoplados no sistema de câmbio;
 Manter na equipe brigadista e socorrista treinado;
 Realizar descarte dos resíduos gerados durante as atividades nos locais adequados. (Baias de resíduos, tambores e caçambas);
 A coleta dos efluentes sanitários provenientes dos banheiros químicos deverá ser realizada por empresa especializada;
 Não suprimir vegetação arbórea (Árvores de grande porte);
 Manter um Técnico em Segurança do Trabalho em tempo integral supervisionando as frentes de trabalho;
 Desligar máquinas e equipamentos para abastecimento;
Página: 12 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

 Realizar check-list de SST nos equipamentos;


 Realizar manutenção periódica nos equipamentos;
 Manter extintor de incêndio na área;
 Todos os recursos de resposta previsto no PAE e/ou Procedimento de Incidente e Acidente do Trabalho;
 É proibido fumar em locais aonde exista risco de explosão;
 Manter nos locais de trabalho recipientes apropriados com água potável para toda a equipe enquanto durar a jornada de trabalho, provido com copos descartáveis e em quantidade suficiente para o
período;
 Dispor de transporte coletivo para os profissionais da fase, vistoriado e aprovado;
 Em todas as etapas dos serviços previstos nesta APR, os envolvidos deverão prover de meios de comunicação;
 Somente iniciar as atividades após obtenção das Licenças e Autorização dos Órgãos competentes;
 As escavações com altura superior 1,25m, e menor a 5m, devem ter certificados de estabilidades de vala garantida, preenchida e assinada por profissional devidamente habilitado (CREA);
 Estas observações aplicam-se em todos os eventos desta APR.

Orientações para o Técnico de segurança do Trabalho


 Verificar e garantir que sejam considerados na elaboração da APR as exigências legais, exigências da LVRC e da APR 01.
 Verificar e garantir que as orientações constantes na FISPQ sejam divulgadas
 Participar da divulgação dos itens e garantir que os itens fundamentais ficaram claros para toda a equipe de execução.
Página: 13 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .

Lista de Divulgação Inicio: Término Duração:

Nome do encarregado: Canteiro:

Reconheço ter recebido treinamento e ter pleno conhecimento para aplicação do conteúdo desta APR
DATA REF. Nome Assinatura
Página: 14 - 11
ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO – APR 2 – ANEXO 01 DO PRO CMB-SST-PM-005
Revisão: 01
APR – ATIVIDADES COM ROÇADEIRA Data: 02/11/2016
NOÇÕES IMPORTANTES PARA O PLANEJAMENTO PREVENTIVO Identificação: CMB-SST-APR-205
Identificação Grau de Risco.
(Gravidade do dano: Baixa X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável) / (Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Baixa = Grau de Risco Aceitável)
(Gravidade do dano: Média X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Moderado) / (Gravidade do dano: Alto X Probabilidade da ocorrência: Média = Grau de Risco Substancial)
(Gravidade do dano: Alta X Probabilidade da ocorrência: Alta = Grau de Risco Inaceitável) .