Você está na página 1de 4

Centro Universitário Luterano de Palmas

Turma: 7092
Professor: John Max
Discentes: Alesson, Letycia Leal e Samara França
Introdução à Economia

O Setor de Eletrodomésticos de Linha Branca


Palmas, 2018.

“Os primeiros eletrodomésticos nasceram no final do século XIX. Primeiro na Europa e


nos Estados Unidos, depois no Brasil, no início do século XX. Com o tempo, os
eletrodomésticos foram mudando as suas funções de forma a deixar mais fácil o modo de
usar, além de ficarem mais modernos”. Como conta Silvia Fraiha.
“É um mercado internacional, onde as ofertas são denominadas por grandes empresas.
Em 1999, 15 grupos controlavam 80% do mercado da Europa, Estados Unidos e Japão.
Atualmente, o mercado global apresenta o grande crescimento e avanço. As principais
empresas de atuação mundial presentes também no Brasil, são Electrolux, GE, Matsushito,
Brastemp” (SANTOS, 2014).
“No cenário de grande crescimento no setor de eletrodomésticos da linha branca
acabam criando novos produtos e os que são antigos perdem o seu valor, tendo a indústria
que diminuir cada vez mais os valores” (MASCARENHAS, 2015).
“Ocorre que a essenciabilidade dos produtos faz com que a falta de um eletrodoméstico
que muitas vezes é utilizado pela mídia em geral, como um “termômetro” geral da economia,
pois cada vez mais modernos o seu móvel, menor o nível de pobreza das pessoas”
(MASCARENHAS, 2015).
Esse aumento de serviços e vendas de eletrodomésticos da linha branca trouxe mais
trabalhos em geral, tirando muitas pessoas do desemprego, além de melhorar o cenário
econômico no país. São refrigeradores, freezers, lavadoras, forno microondas, fogões e ar
condicionados, sendo na totalidade um dos mais vendidos os fogões, refrigeradores e
lavadoras, conforme pesquisas pela fonte Abinee e Eletros.
“Surgiu nesse mercado a tecnologia “inverter” que permite até 40% menor consumo de
energia elétrica em eletrodomésticos, sendo diferencial o produto, o tornando mais caro,
porém mais econômico”, segundo Mart, 2016.
“As indústrias de linha branca contribuíram com 1,15% do total do Pib industrial, tanto
venda como varejos. Nota-se que a indústria de linha branca é fundamental para o
crescimento da economia. Além de ter empregado uma população próxima de 30.000
pessoas, tendo 0,75 do Pib” (MASCARENHAS, 2015).
Para que a utilização dos refrigeradores não causem danos ao meios ambiente foi
criado um programa de conservação de energia elétrica, que com a mobilização de algumas
pessoas trocaram os refrigeradores mais econômicos e menos prejudiciais a natureza,
fazendo com que o modo de descarte dos antigos fosse de forma a não deixar os gases que
ficam nos refrigeradores danificarem o meio ambiente, ocorreu na Bahia e Pernambuco,
assinado pelo Ministro do Meio Ambiente. (Informações encontradas no site
meioambiente.gov.br)

História e curiosidades dos eletrodomésticos


Em Salem Village, apareceu em 1827 a primeira loja de eletrodomésticos. Essa loja, começou
vendendo utensílios domésticos, como por exemplo: grelhas ou tamboretes, como era chamada na
época, máquinas de Waffles, potes de chá e café, além de ferramentas.
Crescimento da Indústria
Começou a se expandir a partir da década de 1860, e mantendo o crescimento pelas próximas
décadas. Porém, havia um problema significativo na época. Naquela situação a eletricidade havia
chegado primeiramente nas empresas e fábricas, em decorrência disso, o comércio varejista ficou
muito concentrado nas cidades, ignorando as pessoas que moravam na zona rural.
Departamentos de Eletrodomésticos
Com o passar dos anos, a demanda só aumentou, isso fez com que as lojas de diversos segmentos
acrescentassem um novo departamento, o de “utensílios para casa”. Em decorrência disso, o setor
industrial, teve grande crescimento entre as décadas de 1940 e 1950.
Geladeira
Os eletrodomésticos, se comparando desde sua evolução, até os dias atuais, mudaram bastante. Por
exemplo o a geladeira, quando ela havia acabado de ser inventada, servia apenas como um mero
guardador de gelo. Hoje as geladeiras são literalmente multifuncionais, pois além de preservar o
alimento, algumas vem acompanhadas de um freezer dedicado, possuem bebedouro, gerador de
gelo, sem contar as diversas tecnologias que foram implantadas.
Ferro de Passar
Outro item que pode ser citado, é o ferro de passar roupa, que esquentava a roupa através de pedras
de carvão em brasa em um compartimento pesado de ferro, que acabava por esquentar não só a
roupa, mas também as mãos de quem o manuseava. Hoje, os ferros de passar estão bem mais
modernos e possuem uma variedade para cada tipo de necessidade, seja à seco, a vapor e até
mesmo portátil. Sem contar que são práticos, leves, onde se pode controlar a temperatura para cada
tipo de tecido, entre outros.
Máquina de Lavar
A máquina de lavar surgiu desde os primórdios da civilização humana, onde naquela época os
homens buscavam a forma mais eficiente de lavar suas vestimentas, iniciando pelos rios, onde as
lavadeiras faziam o trabalho, geralmente esfregando a roupa em uma grande pedra ou em um pedaço
de madeira e com o tempo foram para as lavandarias públicas, onde os romanos utilizavam da própria
urina fermentada para branquear a roupa, devido ao seu teor de amoníaco, onde a mesma era
inserida em uma bacia e a pisoaria se tratava de pisar as vestimentas e lençóis para desengordurar.
O desejo pela criação perfeita da máquina de lavar, vem da necessidade de lavar roupas de vestir e
para a cama com uma grande frequência, visto que sujam facilmente e usamos no nosso cotidiano.
Com isso, no decorrer do tempo, viu-se a necessidade de automatizar as máquina ocorrido em 1930,
e posteriormente a criação de máquinas com dois cilindros girando em sentidos opostos, o que fez
com que o tempo de lavagem caísse drasticamente. Hoje, possuímos a disposição no mercado,
máquinas de lavar com até Wi-fi que servem para detectar os horários em que a energia elétrica está
com um preço mais baixo, a fim de gerar economia, sem contar que algumas máquinas já nem
precisam mais do uso de detergente para lavar.
Liquidificador
Surgiram em 1904, nos Estados Unidos, porém, o modelo desenvolvido na época, era como se fosse
uma mistura do liquidificador com a batedeira. O aparelho possuía um grande motor acoplado que era
movido por uma correia de transmissão, e tinha como objetivo principal, a mistura de componentes
químicos e fabricação de milk-shakes. Só a partir de 1910 então, que vieram a surgir os primeiros
liquidificadores para uso doméstico. Um grande passo para a modernização veio somente em 1931,
quando os liquidificadores passaram a ter um motor próprio embutido e bem menores que os dos
modelos anteriores.
Fogão
O primeiro Em 1826, James Sharp criou o fogão à gás para seu próprio uso, logo depois veio a
patentear sua criação e fabricar em 1836. Entretanto, quem veio a popularizar o fogão á gás foi Alexis
Benoist Soyer, um chefe de cozinha francês. Ele afirmava ser mais econômico e limpo, pois o fogão
era ligado apenas para a preparação de alimentos, sendo desligado após o uso, sem contar que o
mesmo não emitia fumaça como os primeiros fogões à lenha criados. Naquela época o uso do gás
causava bastante receio nas pessoas, mas Soyer tratou de provar que além de eficiente, o fogão era
também bastante seguro. Um diferencial era que o fogão doméstico desenvolvido era capaz de trazer
conforto e praticidade para as pessoas, pois antes da criação, as delícias que as pessoas adoravam
comer, só se conseguia através do preparo por confeitarias ou restaurantes. Hoje em dia, os fogões
estão muito mais modernizados, seja com acendedor elétrico, superfície de inox, e também
esmaltado, para facilitar a limpeza, além de diversas inovações.

Por Hugh Houchin, Science Reference Services: História da tecnologia doméstica


[em inglês] / Reference for Business: Lojas de utensílios domésticos [em inglês] /
SpeedQueen / Cathia Abreu, subeditora da CHC impressa / História de Tudo. /
Renato Marandino em “As arquitetas Online”.