Você está na página 1de 9

FACULDADE UNYLEYA

ENGENHARIA DE ESTRUTURAS METÁLICAS


JOSIMAR DOS REIS MACHADO

LIGAÇÕES EM ESTRUTURAS METÁLICAS

Itabira MG
2018
FACULDADE UNYLEYA
ENGENHARIA DE ESTRUTURAS METÁLICAS
JOSIMAR DOS REIS MACHADO

LIGAÇÕES EM ESTRUTURAS METÁLICAS

Projeto de pesquisa apresentado à


Faculdade UNYLEYA como parte integrante
do conjunto de tarefas avaliativas da disciplina
Metodologia da Pesquisa e da Produção Científica.
Josimar Dos Reis Machado

Itabira MG
2018

SUMÁRIO
INTRODUÇÃO

Tema:
Ligações em estruturas metálicas.

Problema de pesquisa:
Qual a importância do uso de parafusos de alta resistência em ligações de estruturas
metálicas?

Objetivo Geral:
O objetivo do trabalho é compreender a necessidade do uso dos parafusos de aços de
alta resistência para ligações de estruturas metálicas.

Objetivos Específicos:
Os objetivos específicos do trabalho é mostrar as diferenças entre os elementos de
ligação de estruturas metálicas, determinar quando se tem necessidade do uso dos
parafusos de alta resistência em ligações de estruturas metálicas, identificar as
possíveis falhas em estruturas metálicas quando não se faz o uso de parafusos de alta
resistência.

Justificativa:
Com o uso crescente das estruturas metálicas, em parte devido aos fatos de, terem
menor custo de montagem, permitirem montagens mais rápidas, facilidade de inspeção,
permitirem ser desmontadas para modificações e reparos, tem se a necessidade cada
vez maior do conhecimento de sua montagem, os elementos de ligação das estruturas
metálicas são de grande importância para sua construção, pois geralmente são onde
ocorrem a maioria das falhas. A utilização do aço na construção de edifícios e
estruturas traz maior flexibilidade as montagens, por este fato profissionais como
engenheiros e arquitetos tem preferencias pela utilização de estruturas metálicas. Em
qualquer projeto de estruturas metálicas é necessário que se faça os cálculos dos
esforços atuantes nas ligações e com isso a escolha correta dos tipos de elementos de
ligação. Os elementos de ligação podem ser aparafusadas, soldadas, ou mistas, sendo
que em grande maioria são usados ligações aparafusadas, a escolha dos tipos de
parafusos a serem utilizados devem ser um critério muito importante, pois os parafusos
podem ter vários tipos construtivos, sejam eles pela forma construtiva ou mesmo pelo
tipo de aço empregado em sua fabricação, os parafusos de alta resistência são
fabricados com aços de ligas, e cada vez mais utilizados na montagem de estruturas
metálicas pelo fato de que tem maior resistência as tensões exercidas nas ligações das
estruturas metálicas e com isso garantem maior segurança e menor custo nas
montagens.
REVISÃO DE LITERATURA

Segundo Garcia, R. (2013)

Denominamos Elementos de Fixação a qualquer “peça” cuja função/missão é


“fixar alguma coisa numa outra coisa”. Nessa categoria podemos citar os Anéis
Elásticos, as Abraçadeiras, os Pinos, as Porcas, os Prisioneiros, os Rebites,
entre outros. O mais popular é o Parafuso, cuja aplicação pode ir desde
implantes dentários até pontes, artefatos aeroespaciais, etc, mas esta “peça”
sempre é considerada insignificante, pois, na grande maioria das vezes não
possui valor agregado, é comercializada por “quilo” ou “cento”, ou seja, “por
baciada”. Também nos projetos, é quase sempre a última a ser dimensionada.

Esta insignificância cai por terra quando um Parafuso não cumpre sua função. É
uma realidade experimentada por todos nós: só damos valor para algo, quando
o perdemos. Estima-se que o Parafuso é responsável por mais de 80 % dos
recalls que ocorrem na indústria automobilística. E a causa vai desde a má
definição do Parafuso para a aplicação específica, passando por problemas
de qualidade, processos de aperto, etc.

Citando a sabedoria popular, podemos dizer que o limiar entre um indivíduo


normal, em relação às suas faculdades mentais é um Parafuso, pois se diz que
uma pessoa “tantã” tem um Parafuso a menos. Por que um Parafuso e não um
Pino ou uma Porca? Também no gestual, faz-se um movimento com o dedo
indicador apontando para as têmporas, girando (no sentido horário)
informando ao interlocutor que estamos falando de um “tantã”, ou seja, refere-
se não só ao Parafuso como que também a uma possível falta de aperto. Por
observação pessoal, notei que este gesto é mundial (para os destros). Os
canhotos fazem o mesmo gesto, porém girando no sentido anti-
horário (possivelmente está apertado demais).

Com relação aos Parafusos, a classificação da Resistência segue uma


terminologia particular. Os Parafusos utilizados pela indústria automobilística,
por exemplo, são identificados como: Classe 4.8, 5.8, 6.8, 8.8, 10.9 e 12.9. Os
Parafusos Classe 4.8, 5.8 e 6.8 não sofrem tratamento térmico. Já os Parafusos
Classe 8.8, 10.9 e 12.9 precisam de tratamento térmico (têmpera e
revenimento). Existe também a Classe 9.8, que não é mais utilizada em projetos
novos, por estar em fase de extinção em algumas montadoras. O significado
destes números pode ser descrito, para uma melhor compreensão, observando
a Figura 1, que se refere a um Parafuso com Classe de Resistência 8.8:

Figura 1 – Descrição de um Parafuso segundo sua de Resistência, no


caso, 8.8.

Os Parafusos com as Classes de Resistência 4.8, 5.8 e 6.8 normalmente são


confeccionados de Aço com Baixo ou Médio Carbono. Para os Parafusos com
as Classes de Resistência 8.8, 10.9 e 12.9 o Aço deve ser Médio Carbono ou
Aço Ligado.
METODOLOGIA

A metodologia que será utilizada para realização deste trabalho é uma abordagem
técnica qualitativa onde o autor realizará pesquisa através de referências como, meios
eletrônicos, livros técnicos e outras formas de documentação.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Garcia, R. (19 de 09 de 2013). A que se propõem os Elementos de Fixação? Revista do


parafuso(41). Acesso em 31 de 03 de 2018, disponível em
http://www.revistadoparafuso.com.br