Você está na página 1de 91
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO I PROFESSOR: AZEMAR DOS SANTOS SOARES JÚNIOR

ELIVELTON DE SOUZA E SILVA FRANCENILDA NOGUEIRA DA SILVA JOÃO MARIA FERNANDES DA SILVA MARIA ALICE NICACIO EVANGELISTA

RELATÓRIO ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

NATAL/RN

2017

ELIVELTON DE SOUZA E SILVA FRANCENILDA NOGUEIRA DA SILVA JOÃO MARIA FERNANDES DA SILVA MARIA ALICE NICACIO EVANGELISTA

RELATÓRIO ESTÁGIO SUPERVISIONADO I

Relatório de estágio apresentado ao Curso de Licenciatura em História como parte da exigência da disciplina Estágio Supervisionado I.

Orientador: Prof.º Azemar dos Santos Soares Júnior

NATAL/RN

2017

RESUMO

O Estágio Supervisionado I foi realizado na Escola Municipal Madalena Antunes Pereira, no Ensino Fundamental anos finais, em especial observando uma sala de aula do 9º ano, bem como analisando as características sociais, o desenvolvimento e atenção dos estudantes nas aulas de História, a forma de trabalho desenvolvida pelo professor Sérgio, além do seu bom relacionamento com os estudantes.

Em fase de observação identificamos problemas no avanço da aprendizagem mediante a falta de estrutura na escola, o que levou a suspensão das aulas e a realização de uma pequena reforma.

Foi observado também alguns problemas de atenção frente ao constante uso dos celulares em sala de aula, que nos levou ao desenvolvimento de uma oficina com o tema: As redes sociais e perspectivas para a leitura, que contou com uma importante participação e colaboração dos que fazem a escola.

Palavras-chave: estágio, História, oficina, estudantes.

AGRADECIMENTOS

Com a conclusão deste Estágio Supervisionado I, gostaríamos de agradecer a todos os envolvidos de maneira direta ou indiretamente que nos ajudaram nesta caminhada tão importante em nossa vida acadêmica. A partir das orientações do Professor Dr. Azemar dos Santos Soares Júnior, da Tutora Aliny Dayany Pereira de Medeiros Pranto, e ao nosso Tutor Pedro Pinheiro de Araújo Júnior que nos ajudaram a sanar todas as dúvidas.

Aqui prestamos também o nosso agradecimento a toda equipe da coordenação do curso de Licenciatura em História da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Polo de Apoio Presencial UAB (Universidade Aberta do Brasil) Dr. Ruy Pereira dos Santos de São Gonçalo do Amarante/RN, sempre nos instruindo em nossa jornada acadêmica.

A direção, funcionários e alunos da Escola Municipal Madalena Antunes Pereira de Ceará Mirim/RN por nos recebem tão gentilmente, sendo extremamente agradáveis conosco e dispostos a ajudar no que fosse preciso. Somos gratos também ao Professor Me. Antônio Sérgio Medeiros da Silveira da disciplina de História, que nos recebeu educadamente na escola e na sala de aula, sendo atencioso em todos os momentos tanto conosco quanto com os alunos.

Por fim, mas não menos importante, as nossas famílias, sem elas não chegaríamos a lugar nenhum, apoiando e criticando quando necessário, afim de que possamos ser pessoas melhores na vida, buscando nossos objetivos honestamente, com os próprios esforços.

Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção”. (Paulo Freire)

SUMÁRIO

1.INTRODUÇÃO

07

2.OBSERVAÇÃO

08

2.1 OBSERVAÇÃO ESTRUTURA FÍSICA DA ESCOLA

08

2.2 OBSERVAÇÃO O PROFESSOR NA SALA DE AULA

11

3.PROJETO DE INTERVENÇÃO

14

3.1 JUSTIFICATIA

14

3.2 OBJETIVO:

15

3.2.1 OBJETIVO GERAL

15

3.2.2 OBJETIVO ESPECÍFICO

15

3.3 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

15

3.4 CRONOGRAMA

15

3.5 METODOLOGIA

16

3.6 CONSIDERAÇÕES FINAIS

16

4.CONSIDERAÇÕES FINAIS

18

5.REFERENCIAS

19

6.ANEXO

20

6.1 ESTRUTURA FÍSICA

20

6.2 QUADRA ESPORTIVA

30

6.3 PROJETO DE INTERVENÇÃO - OFICINA

32

6.4 DOCUMENTAÇÃO ELIVELTON DE SOUZA E SILVA

36

6.5 DOCUMENTAÇÃO FRANCENILDA NOGUEIRA DA SILVA

50

6.6 DOCUMENTAÇÃO JOÃO MARIA FERNANDES DA SILVA

64

1. INTRODUÇÃO

O presente relatório tem por objetivo registrar a observação realizada na

Escola Municipal Madalena Antunes Pereira. A escola localiza-se na Rua Presidente Café Filho, 623 no Bairro de Santa Águeda em Ceará-Mirim/RN, próximo ao Ginásio Esportivo Municipal Aderson Eloy de Almeida, ao Clube Centro Esportivo e Cultural, a Estação Ferroviária do município, da Câmara Municipal. Conta com uma matrícula de

mais de 300 alunos, distribuídos entre os turnos matutino e vespertino.

O Estágio Supervisionado proporciona um dos primeiros momentos do

estudante do Curso de História com a escola, com o professor da disciplina e consequentemente uma observação do espaço escolar e dos estudantes. Experiência que proporciona um contato mais próximo com a prática pedagógica do professor frente à realidade do educando.

A Escola Municipal Madalena Antunes Pereira localiza-se na sede da cidade de Ceará-Mirim. Funciona em uma estrutura antiga, que embora não seja um patrimônio tombado, guarda uma parte da história de escravização da cidade.

A escola leva o nome de uma poetisa filha de barão. A casa, hoje escola

pública, funcionou também um educandário privado, sendo este responsável pelo letramento de várias crianças da região que tinham condições de pagar. Seu funcionamento quando passou a ser escola pública chegou a atender aos três turnos com uma quantidade de alunos que se deslocavam das regiões próximas em especial da Usina São Francisco, que até a década de 1990 recebia moradores para trabalhar no beneficiamento da cana-de-açúcar. Com a crise no setor industrial e o consequente fechamento da usina, moradores foram expulsos, outros buscaram empregos em outras localidades ocasionando uma evasão, chegando a fechar inicialmente um turno inteiro, que foi o noturno, e atualmente o turno vespertino conta com uma quantidade de alunos reduzida, já que os jovens que estudam hoje são os que moram mais próximos da escola. O bairro onde se localiza a escola é considerado um bairro de classe média, os estudantes de uma grande parcela dos moradores estudam em escola privada. O turno matutino funciona com mais de 90% de estudantes da zona rural, e é hoje o turno com uma quantidade maior de estudantes.

2. DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO

2.1 Observação - estrutura física da Escola Municipal Madalena Antunes Pereira

A estrutura da escola apresenta vários problemas que inclusive após o

período inicial do estágio as aulas foram suspensas para uma reforma após a suspensão das aulas, diante da falta de condições: alunos e professores sofrendo com asma provocada pela grande quantidade de ninhos de passarinhos, teto que apresentava sérios problemas no forro já antigo.

A escola apresenta uma visível área de desnivelamento, que embora tenha uma única rampa de acesso ao pátio e salas não atendem, segundo estudos do professor de matemática, às medidas corretas. É aparente a elevação da rampa que impossibilita a utilização adequada por um cadeirante. Os banheiros não são adaptados e nenhum está preparado dentro dos padrões da acessibilidade.

Há uma inexistência de uma biblioteca, com livros expostos em prateleiras, muito embora anualmente a escola receba uma quantidade considerável de livros literários e paradidáticos. Os profissionais procuram estimular a leitura, o que é difícil diante da falta de espaço.

O laboratório de informática que já funcionou com cerca de 27 computadores, atualmente encontra-se desativado, apenas com os computadores sem manutenção e sem funcionamento, sendo isso um prejuízo para melhorias no processo de aprendizagem.

O IDEB (Índice de Desenvolvimento de Educação Básica) da escola foi

analisado do ano de 2007 a 2015 e apresentou uma significativa evolução, mesmo ainda

estando em uma classificação de Atenção.

Ano

IDEB

META

2007

2,2

2,3

2009

2,3

2,5

2011

2,7

2,8

2013

3,2*

3,2*

2015

3,3

3,6

*Diante dos baixos índices de anos anteriores a escola recebeu uma verba do MEC, específica para melhorar o processo de aprendizagem, a ser empregada em materiais, aulas entre outros equipamentos que possibilitassem uma melhoria. Foi o momento em que, segundo os professores proporcionou a compra de equipamentos como um projetor, um notebook, materiais lúdicos e facilitou bastante suas atividades pedagógicas em sala. Muito embora não sendo uma meta alta mas foi atingida. A projeção para 2021 é de uma meta de 4,5.

Observando o quadro acima identificamos que há uma evolução nítida entre os anos de 2009 a 2013, e no ano de 2015 uma pequena queda.

A escola conta com uma pequena cozinha, 01 banheiros para atender aos

meninos, 01 para as meninas e um outro para os funcionários. Uma pequena área coberta para os estudantes ficarem no momento do intervalo, diante da ausência do refeitório, ou de cadeiras e mesas para sentarem. Como a estrutura da escola é em uma casa, os quartos funcionam como salas de aula, que são muito pequenas e não têm portas dificultando a aula do professor. Há uma ausência de qualquer sistema de ventilação nas salas. Conta também com uma secretaria onde são emitidos os

documentos e guarda um antigo arquivo escolar. Os professores têm uma sala de aula utilizada no horário de intervalo e nos momentos de conversas com os pais que veem até a escola em busca de informações de seus filhos.

A escola passa atualmente por uma mudança no quadro de funcionários que

anteriormente tinham uma carga-horária de seis horas diárias seguidas. Diante de um decreto emitido pelo novo prefeito a carga-horária ficou dividida em dois turnos, fazendo com que o servidor que anteriormente fazia a merenda e limpeza para um turno agora o serviço foi dobrado, tendo que trabalhar para nos dois turnos. Identificamos profissionais que moram em outros municípios e que ficam na escola por mais de dez horas, pois não têm como ir para casa no momento de intervalo, aumentando também o gasto com alimentação, já que a prefeitura também não garante.

A cozinha da escola é pequena e não há estrutura de ventilação, sendo nítido

o desgaste dos profissionais que trabalham no ambiente.

A sala da direção funciona também a sala de preparação de provas e trabalhos dos estudantes. Como também guarda os equipamentos da banda escolar, os

materiais didáticos, vestimentas de apresentações teatrais e de danças dos estudantes. Espaço pequeno para tanta coisa.

A quadra esportiva da escola, encontra-se na Rua Água Azul. O início da

obra ocorreu no ano de 2014 e foi finalizado no mês de dezembro do mesmo ano. A escola fica distante desse local, devido ao fato de que não havia espaço suficiente para a construção dentro da escola, com isso foi definido para ser em outra localidade que tivesse espaço suficiente. Atualmente a quadra esportiva passa por uma situação bastante crítica, pois a falta de manutenção nos aspectos de limpeza e também na segurança faz com que fique praticamente em uma situação de abandono total, sendo exposto em todos os horários, já que não tem vigilância, ainda mais quando nem o portão de entrada que dar acesso ao ginásio existe, sendo totalmente aberto. Portanto, pessoas entram e saem em qualquer horário do dia ou noite. Ao redor a vegetação está vasta, precisando de manutenção. Já o sistema de iluminação não é ruim, porém algumas luzes não funcionam, deixando a iluminação um pouco comprometida sem a eficiência total. A quadra em si está tomada pelo lixo e

areia, o que pode acarretar a eventuais lesões graves por parte dos alunos que forem praticar qualquer tipo de esporte, ou seja, não existe condições à prática de atividade física devido a esses tipos problemas.

A gestão da escola sofreu uma mudança no início da nova gestão municipal.

Foram extintos todos os cargos de vice gestor, o que também dobrou o trabalho da gestora, que pediu exoneração do cargo até terminarmos o estágio. Não há eleição direta para gestão, sendo ainda uma indicação do prefeito.

A escola conta com uma supervisão pedagógica nos dois turnos. Dois

profissionais recém-concursados que dividem sua carga-horária em duas escolas, algo também recente, já que anteriormente o profissional ficava em uma única escola e turno. O novo modelo faz com que alguns dias na semana a escola tenha a ausência deste profissional, que atende em outra escola.

Os estudantes da escola são majoritariamente oriundos da zona rural da cidade. Chegam cedo em transporte escolar e retornam para casa a partir das 11h30m. Segundo alguns, chegam em casa mais de meio dia e meia. Como consequência do baixo poder aquisitivo das famílias dos estudantes isso reflete no seu nível social e de aprendizagem. Muitas famílias dependem da bolsa escola e seus pais são agricultores,

moradores de fazendas da região e de assentamentos e acampamentos dos sem-terra. Ao chegarem à escola entram pela parte de trás, devido um acidente ocorrido em um ano anterior com uma estudante, por ter um trânsito muito movimentado na parte da frente da escola. Além disso, os constantes assaltos sofridos por estudantes também motivam a manutenção da entrada pela parte de trás. Durante o intervalo identificamos que a ausência de um espaço e materiais recreativos os estudantes brincam de empurrar os colegas, sendo brincadeiras um tanto agressivas.

O

encontrado.

PPP (Projeto Político Pedagógico) está inconcluso e nem mesmo esse foi

Conselho da Escola não se reúne regularmente, tendo se reunido em 2016

para discutir um problema específico de um profissional que estava com problemas de saúde.

O

Pouco antes de concluirmos nossa atividade do estágio, as aulas foram suspensas devido a necessidade urgente da reforma, foi possível presenciarmos uma outra estrutura escolar, com uma escola um pouco mais prazerosa para os estudantes.

2.2 Observação o professor na sala de aula

Neste momento, buscamos observar a prática pedagógica adotada pelo professor e o cotidiano da sala de aula da turma do 9º Amatutino, da Escola Municipal Madalena Antunes Pereira, a partir das seguintes questões: identificar o tipo de aula ministrada pelo professor, quais os recursos didáticos que utiliza, como ele utiliza o livro didático, qual o tipo de avaliação frequentemente aplicada por ele, como o professor se põe diante da turma e a participação dos alunos na aula de História, a relação entre professor-aluno entre outros.

A observação das aulas do professor Antônio Sérgio ocorrera nos dias 24/04

e 07/05, das 07h20min às 08h40min, que totaliza quatro aulas, sendo duas aulas por dia.

A sala que observamos do ensino fundamental anos finais, possuí 32 alunos, numa faixa etária de 14 a 15 anos aproximadamente, de ambos os sexos, sendo todos residentes da zona rural e loteamentos vizinho à cidade de Ceará Mirim/RN.

Na primeira aula observada dia 24/03 iniciou-se com a chamada, e alguns dos alunos ficavam conversando, escutando MP3 ou em celulares nas redes sociais. Logo após, o professor utilizou vinte minutos da aula para resumir (oralmente) a aula anterior e assim dar início a segunda aula, na qual passou uma atividade para fixação do conteúdo com questões discursivas sobre a Revolução Industrial. O livro didático é utilizado tanto para os conteúdos quanto para as atividades. O professor tem um bom relacionamento com os alunos e apresenta domínio do conteúdo, principalmente por relacionar o tema exposto a realidade dos mesmos, tendo como objetivo a compreensão dos alunos ao tema exposto. Durante a realização da aula expositiva e a realização da atividade, percebemos que mesmo que o professor tenha domínio da sala alguns dos alunos ainda assim ficam dispersos na sala de aula, devido ao uso de celulares em locais estratégicos nas carteiras para que o professor não possa ver e conversas paralelas, principalmente as meninas.

Na terceira aula dia 07/04, o professor utilizou o livro didático com o tema A Urbanização no Brasil no período colonial em uma aula expositiva. Percebemos que durante as aulas expositivas os alunos não fizeram se quer uma pergunta ao professor sobre o conteúdo que estava sendo exposto, mais somente questionavam quando não sabiam significado de um determinado termo, como o que foi questionado ao professor o que significava oposição, na qual a explicação do foi bem clara a aluna, pois citou como exemplo as eleições ocorridas no ano de 2016 para a prefeitura da cidade. Na quarta aula dando continuidade, o professor passou uma atividade com questões discursivas do livro didático sobre o tema que foi exposto, tal atividade consiste que por meio da ilustração os alunos respondam as questões do livro didático selecionadas pelo professor. Durante a atividade o professor fez a chamada. Percebemos que alguns dos alunos não executaram a atividade e os demais direcionavam-se até o professor para ser corrigida.

Como forma de avaliação, segundo o professor, além da prova em todas as suas aulas eram passadas atividades para os alunos, sendo uma aula para responder as questões e em outra aula para serem corrigidas, uma vez que as atividades só podiam ser corrigidas na aula marcada pelo professor, no qual não aceitava atividades depois desta aula. Ao final de cada bimestre ele pede aos alunos seus cadernos para que possam ser vistoriadas as atividades respondidas e corrigidas e atribui uma nota para compor o resultado final do bimestre.

O professor graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mestre, com mais de 20 anos de experiência na educação, lecionada na rede pública e também na Universidade Potiguar (UNP), nos informou que suas aulas ficam limitadas ao livro didático, pois na escola não há recursos e estrutura para que possa desenvolver outras habilidades dos alunos como: a interpretação de documentos históricos e imagens, visitas a monumentos históricos, pesquisa entre outros. Mesmo com esta deficiência de estrutura física a falta de professores de algumas disciplinas, a escola Madalena Pereira Antunes é a escola municipal que mais aprova alunos para o IFRN (Instituto Federal do Rio Grande do Norte), através também do programa Mais Educação, criado pela Portaria MEC nº 1.144/2016 e regido pela Resolução FNDE nº 5/2016, que tem como objetivo melhorar a aprendizagem da língua portuguesa e matemática no ensino fundamental, além de atividades na área da arte, cultura, esporte e lazer.

3. PROJETO DE INTERVENÇÃO

IDENTIFICAÇÃO:

SERIÉ: 9º ano do Ensino Fundamental II

TOTAL DE ALUNOS: 21

DOCENTES: Elivelton de Souza e Silva; Francenilda Nogueira da Silva; João Maria Fernandes da Silva; Maria Alice Nicacio Evangelista. TEMA: As Redes Sociais e a Perspectiva para Leitura

3.1 JUSTIFICATIVA

Este projeto versa em uma intervenção voltada para a relação do aluno entre as redes sociais e a leitura com o objetivo de incentivar a leitura, além de mostrar tanto aos alunos e educadores que as redes sociais podem favorecer o ensino e a aprendizagem.

Escolhemos o tema “As redes sociais e a perspectiva para a leitura” com base nas observações desenvolvidas durante o Estágio Supervisionado I e também nas dificuldades relatadas pela gestão e professores na Escola Municipal Madalena Antunes Pereira no município de Ceará Mirim/RN e ressaltamos que este projeto de intervenção visa a necessidade da continuação dos alunos com a orientação dos professores e direção, pois neste projeto pode-se desenvolver a respeito do trabalho coletivo, a importância de se trabalhar em equipe, de respeitar o outro, de respeitar outras opiniões e contribuir para crescimento escolar e pessoal.

Diante da necessidade concreta identificada na escola, do pouco ou quase inexistente hábito de leitura e da dificuldade dos professores em “concorrer” com o celular em sala de aula, mesmo tendo normas de proibição para seu uso em sala, pretendemos estimular os estudantes a construir, a partir de seus conhecimentos, o blog da escola, com temas que envolvam a turma em que foi feita a observação.

Os temas a serem distribuídos foram escolhidos a partir de uma perspectiva de maior interação e de um interesse identificado na turma e consequentemente na escola. Os estudantes do 9ºano deixarão para toda a escola uma importante ferramenta, que é o blog, que poderá ser “alimentada” seja pelos estudantes, seja pelo professor,

podendo incluir o conteúdo de história do município, divulgado e trabalhado na escola apenas a partir de livros e cópias que pouco interesse desperta nos estudantes.

3.2 OBJETIVOS

3.2.1 Objetivo Geral:

Proporcionar aos alunos do 9º ano da Escola Municipal Madalena Antunes Pereira, o interesse e desenvolvimento a prática da leitura no processo de aprendizagem, incentivando o educando a valorizar a leitura e consequentemente desenvolver a escrita.

3.2.2 Objetivos Específicos:

Promover o prazer pela leitura e incentivar o desejo de ler variados assuntos para construção das matérias no blog.

Ampliar o conhecimento do vocabulário e da escrita através da leitura.

Reconhecer as redes sociais como meio de incentivar a leitura.

Promover interação e conhecimento entre alunos, professores e comunidade através das redes sociais.

3.3 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. Apresentação do grupo de estágio;

2. Explicação sobre o blog;

3. Conhecendo outros blogs;

4. Construindo o blog.

5. Distribuição dos temas (esporte, bullying, Nossa escola e drogas).

6. Produção de texto sobre os temas: esporte, bullying, Nossa escola e drogas.

7. Temas extras: História de Ceará Mirim e indicações de leitura;

8. Finalização do blog.

3.4 CRONOGRAMA

HORÁRIO

AÇÕES

Das 13h00 às 13h15min

Deslocamento dos alunos da escola para câmara dos vereadores.

Das 13h15min às 13h30min

Apresentação dos estagiários, explicação da oficina, conceito de blog e conhecendo outros blogs.

Das 13h30min às 13h50

Construindo o blog, escolha do nome, divisão dos grupos e distribuição dos temas.

Das 13h50 às 14h30min

Produção do texto.

Das 14h30min às 15h00min

Finalizando o blog.

Das 15h00 min as 15h15 min

Deslocamento dos alunos da câmara dos vereadores para a escola.

3.5 METODOLOGIA

A proposta deste projeto de intervenção será executada em 3 horas no turno vespertino das 13h00min às 15h15min, no plenário da Câmara de Vereadores do município de Ceará Mirim/RN para os alunos do 9º ano do ensino fundamental anos finais da Escola Municipal Madalena Antunes Pereira. Como recursos didáticos utilizamos: retroprojetor, slides e computadores.

1ª Etapa: Apresentação do grupo de estagiários e explanação sobre as etapas acerca do processo para a construção do blog por meio de slides.

2ª Etapa: Dividimos os 21 alunos em 4 grupos, sendo 3 grupos de 5 alunos

e 1 grupo de 6 alunos para a realização da construção do blog. A cada grupo foi

direcionado um tema e um site como fonte para a elaboração da matéria que foi postada.

A divisão dos temas foi através do sorteio, para cada grupo teve um componente do

grupo de estágio como apoio para auxilia-los. Os temas foram compostos da seguinte forma: Esporte (estagiário Elivelton), Bulling (estagiária João Maria), Nossa Escola (estagiário Francenilda Nogueira) e Drogas (estagiária Maria Alice).

3ª Etapa: Após a elaboração das matérias, demos início a construção do blog desenvolvendo seu formato e escolha do nome. Além das matérias construídas pelos alunos, no blog serão abertos tópicos para matérias a respeito da História da cidade de Ceará Mirim e indicações de leitura.

3.6 CONSIDERAÇÕES FINAIS

A realização do projeto teve uma parcela significativa quanto à participação dos alunos, mostraram-se interessados em desenvolver o blog como meio

de informação e interação acerca da reforma que está sendo realizada na escola. Durante

o projeto a relação em grupo no qual foi estabelecida fluiu de forma interativa entre os alunos em que todos se envolveram na elaboração dos textos e construção do blog. Apesar do atraso na realização do projeto, que não dependeu da atuação do grupo, já que foi devido a reforma determinada pela prefeitura, que se alongou além das datas previstas, conseguimos atender as expectativas propostas no projeto.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Importante experiência o contato e convivência com o ambiente escolar, a partir do processo de Estágio Supervisionado I do curso de História, que veio a nos dá subsídio para que no futuro como educadores, saibamos intervir como agentes sociais que contribuam com a mudança e avanços do processo de ensino-aprendizagem.

A partir do conhecimento teórico das disciplinas específicas do curso de História bem como das de metodologias podemos ter um olhar diferenciado com os estudantes nas aulas de História, as dificuldades enfrentadas pelos profissionais da educação pública e as limitações para o desenvolvimento e melhoria na aprendizagem dos educandos.

Conseguimos conviver com realidades diversas em uma mesma escola, diferenciando o turno matutino e vespertino, sendo o primeiro oriundo da zona rural e o segundo em minoria da zona urbana. Optamos por conhecer a realidade dividindo nossa observação em maior tempo no turno matutino, mas fazendo também a comparação da observação no vespertino.

Sendo o livro didático uma importante ferramenta para o trabalho do professor Antônio Sérgio, identificamos seu constante uso e trabalho, além do esforço para que os educandos valorizem, explorando o livro de muitas formas, sempre contextualizando os conteúdos com a realidade atual seja local e/ou geral.

Diante dessa experiência inicial com a sala de aula, aguardamos os próximos estágios com a convicção de que como futuros historiadores poderemos dá uma parcela de contribuição para a educação.

5. REFERÊNCIAS

AZEVEDO, Crislane Barbosa. Planejamento docente na aula de história: princípios e procedimentos teórico-metodológicos. In: Revista Metáfora Educacional (ISSN 1809-2705) versão on-line, n. 14 (jan. jun. 2013), Feira de Santana BA (Brasil), jun./2013. p. 3-28. Disponível em: <http://www.valdeci.bio.br/revista.html>. Acesso em: 06 de mar. 2017.

GARCIA, Daniela.; CID, Mariana. Hábito de leitura cai 5% entre os jovens em 5 anos. Universidade Metodista de São Paulo. Disponível em: <

leitura-cai-5-entre-os-jovens >. Acesso em: 11 de abr. 2017.

Hábito de ler cresce no Brasil, indica pesquisa. Veja.com. Disponível em: < http://veja.abril.com.br/entretenimento/habito-de-ler-cresce-no-brasil-indica-pesquisa/ >. Acesso em: 11 de abr. 2017.

EDUCAÇÃO, Ministério da (Org.). Programa Mais Educação. 2016. Disponível em:

<http://portal.mec.gov.br/programa-mais-educacao>. Acesso em: 12 abr. 2017.

Ministério da Justiça (Org.). Curso de prevenção do uso de drogas para educadores de escolas públicas. Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. In: Ministério da Educação (Org.). Conceitos e abordagens sobre drogas e prevenção: O que são drogas?. 6. ed. Brasília: Ministério da Educação, 2014. Cap. 2. p. 87-105.

SILVA, Antonio Denilson Leandro da; SILVA, Edilene Alves da; WATANABE, Luciano Almeida; VALE, Thiago Araújo Teles do. Drogas. 2012. Disponível em:

<http://www.ebah.com.br/content/ABAAAepl0AE/drogas-como-combater>. Acesso em: 26 maio 2017.

ARAÚJO,

<http://www.infoescola.com/informatica/o-que-sao-blogs/>. Acesso em: 26 maio 2017.

Conceição. O

que

são

Blogs.

Disponível

em:

6. ANEXO

6.1 Estrutura Física

6. ANEXO 6.1 Estrutura Física Foto 1: Fachada Foto 2: Área de lazer 20

Foto 1: Fachada

6. ANEXO 6.1 Estrutura Física Foto 1: Fachada Foto 2: Área de lazer 20

Foto 2: Área de lazer

Foto 3: Secretaria Foto 4: Direção 21

Foto 3: Secretaria

Foto 3: Secretaria Foto 4: Direção 21

Foto 4: Direção

Foto 4.1: Direção Foto 5: Sala dos professores 22

Foto 4.1: Direção

Foto 4.1: Direção Foto 5: Sala dos professores 22

Foto 5: Sala dos professores

Foto 6: Espaço para leitura. Foto 7: Sala de aula. 23

Foto 6: Espaço para leitura.

Foto 6: Espaço para leitura. Foto 7: Sala de aula. 23

Foto 7: Sala de aula.

Foto 8: Cozinha. Foto 9: Dispensa. 24

Foto 8: Cozinha.

Foto 8: Cozinha. Foto 9: Dispensa. 24

Foto 9: Dispensa.

Foto 10: Entrada aos banheiros Feminino e Masculino. Foto 11: Banheiro Feminino. 25

Foto 10: Entrada aos banheiros Feminino e Masculino.

Foto 10: Entrada aos banheiros Feminino e Masculino. Foto 11: Banheiro Feminino. 25

Foto 11: Banheiro Feminino.

Foto 12: Banheiro Masculino. Foto 13: Entrada ao banheiro dos professores. 26

Foto 12: Banheiro Masculino.

Foto 12: Banheiro Masculino. Foto 13: Entrada ao banheiro dos professores. 26

Foto 13: Entrada ao banheiro dos professores.

Foto 14: Banheiro dos professores. Foto 15: Pátio. 27

Foto 14: Banheiro dos professores.

Foto 14: Banheiro dos professores. Foto 15: Pátio. 27

Foto 15: Pátio.

Foto 15.1: Pátio. Foto 16: Sala de informática. 28

Foto 15.1: Pátio.

Foto 15.1: Pátio. Foto 16: Sala de informática. 28

Foto 16: Sala de informática.

Foto 16.1: Sala de informática. Foto 17: Área externa da escola. 29

Foto 16.1: Sala de informática.

Foto 16.1: Sala de informática. Foto 17: Área externa da escola. 29

Foto 17: Área externa da escola.

6.2 Quadra Esportiva

6.2 Quadra Esportiva Foto 1: Entrada. Foto 2: Área externa da quadra. 30

Foto 1: Entrada.

6.2 Quadra Esportiva Foto 1: Entrada. Foto 2: Área externa da quadra. 30

Foto 2: Área externa da quadra.

Foto 3: Área interna da quadra. Foto 3.1: Área interna da quadra. 31

Foto 3: Área interna da quadra.

Foto 3: Área interna da quadra. Foto 3.1: Área interna da quadra. 31

Foto 3.1: Área interna da quadra.

6.3 Projeto de intervenção Oficina

6.3 Projeto de intervenção – Oficina Foto 1: Apresentação da oficina. Foto 1.1: Apresentação da oficina.

Foto 1: Apresentação da oficina.

6.3 Projeto de intervenção – Oficina Foto 1: Apresentação da oficina. Foto 1.1: Apresentação da oficina.

Foto 1.1: Apresentação da oficina.

Foto 2: Construindo o blog. Foto 2.1: Construindo o blog. 33

Foto 2: Construindo o blog.

Foto 2: Construindo o blog. Foto 2.1: Construindo o blog. 33

Foto 2.1: Construindo o blog.

Foto 2.2: Construindo o blog. Foto 2.2: Construindo o blog. 34

Foto 2.2: Construindo o blog.

Foto 2.2: Construindo o blog. Foto 2.2: Construindo o blog. 34

Foto 2.2: Construindo o blog.

Foto 3: Após a realização da oficina. 35

Foto 3: Após a realização da oficina.

6.4 Documentação Elivelton de Souza e Silva

6.4 Documentação – Elivelton de Souza e Silva 36
37
38
39
40
41
42
43
44
45
46
47
48
49

6.5 Documentação Francenilda Nogueira da Silva

6.5 Documentação – Francenilda Nogueira da Silva 50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62
63

6.6 Documentação João Maria Fernandes da Silva

6.6 Documentação – João Maria Fernandes da Silva 64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
75
76
77

6.7 Documentação Maria Alice Nicacio Evangelista

6.7 Documentação – Maria Alice Nicacio Evangelista 78
79
80
81
82
83
84
85
86
87
88
89
90
91