Você está na página 1de 3

Laboratório de Física 2 – 2016.

1 – Roteiro para atividades


Engenharia Mecatrônica – IFSC Criciúma – Prof. Orlando Gonnelli Netto

Oscilações e Ondas 1

⃗⃗ a partir do pêndulo físico.


Parte 1 – Determinação de 𝒈

Materiais: Barra de metal furada em (1), suporte universal, trena e cronômetro.

Objetivos:
Estudar o pêndulo físico;
Determinar o módulo de 𝑔 local a partir do pêndulo físico e comparar o valor de 𝑔 obtido com
a literatura;
Roteiro:

a) Meça o comprimento da barra. Determine “grosseiramente” o centro de massa da barra


tentando equilibrá-la sob algum suporte fino. Meça a distância do CM ao ponto fixo (1).

b) Deduza a expressão para o momento de inércia da barra com espessura desprezível girando
em torno do ponto (1) (Utilize o teorema dos eixos paralelos e o momento de inércia de uma
placa retangular delgada). Meça as dimensões da barra e determine o Momento de inércia.

c) Deduza a expressão para o período de oscilações do pêndulo físico.

d) Utilizando a montagem da figura, determine o tempo para 10 oscilações e,


a partir disso, determine o período para 1 oscilação. Repita este procedimento
5 vezes e encontre a média dos períodos com seu respectivo erro associado.

e) Determine a aceleração da gravidade local utilizando os resultados dos


itens c) e d). Compare com a literatura e discuta os resultados.

Parte 2 – Determinação da velocidade de propagação de ondas transversais em cordas.

Materiais: Plano vertical com roldanas, corda, cronômetro, trena, massas, balança;

Objetivos:
Determinar a velocidade de propagação de ondas em uma corda tensionada utilizando a
equação de Taylor;
Comparar o resultado com a determinação da velocidade aferida diretamente a partir da
distância e do tempo.

Roteiro:

a) Realize a montagem da figura com a orientação do


professor. Prenda uma extremidade da corda na parede.
Passe a outra extremidade da corda pela roldana e prenda a
massa de bloquinhos nesta extremidade, deixando a corda
tensionada.
b) Com o dedo, produza um pulso de onda na corda e observe seu deslocamento e a sua reflexão
no ponto fixo. Nesta reflexão, há a inversão da fase? Por quê?

c) Para determinar a velocidade média do pulso, meça o comprimento da corda ∆𝑠 (entre ponto
fixo e roldana) e meça o tempo de percurso do pulso (ida + volta). Faça 10 medidas de tempo,
∆𝑠
determine a média e utilize metade do resultado (∆𝑡). Por fim, determine a velocidade: 𝑣 = .
∆𝑡

d) Utilize a equação de Taylor para determinar a velocidade de propagação das ondas na corda.
Para tanto, determine a massa da corda (apenas a região entre o ponto fixo e a roldana).
𝐹
Determine a massa dos blocos (com o gancho). Utilize a equação de Taylor: 𝑣 = √ , onde 𝐹 é o
𝜇
módulo da força de tensão na corda (neste caso, a força peso dos blocos) e 𝜇 é a densidade
𝑚𝑎𝑠𝑠𝑎
linear de massa da corda, dada por 𝜇 = 𝑐𝑜𝑚𝑝𝑟𝑖𝑚𝑒𝑛𝑡𝑜.

e) Compare e discuta os resultados dos itens c) e d).

Parte 3 – O oscilador massa-mola

Materiais: mola, trena, cronômetro, blocos de massas variáveis;

Objetivos:
Determinar a constante da mola;
Determinar o período de oscilação do massa-mola a parir da equação de movimento;
Comparar o resultado medindo o período a partir do cronômetro;

Roteiro:

a) Determine a constante elástica 𝑘 da mola. Pendure diferentes


massas na mola (respeitando o regime elástico) e anote sua
deformação (𝐿 − 𝐿0 ), onde 𝐿0 é o comprimento inicial da mola
na vertical sem pesos e 𝐿 é a elongação total com pesos (vide
figura). Faça 10 medidas com pesos diferentes e construa uma
tabela da força peso aplicada na mola em função da deformação.
A partir do coeficiente angular, determine a constante 𝑘.

b) Utilize uma massa qualquer para gerar o oscilador massa-mola. Meça 5 vezes o período para
10 oscilações e determine o período médio para 1 oscilação.

c) Deduza a expressão para o período de oscilações do massa-mola e, utilizando a mesma massa


do item b), determine seu período. Compare e discuta os resultados dos itens b) e c).
Parte 4 – Ondas estacionárias em cordas

Materiais: gerador de frequência, alto falante, corda, trena, plano vertical com roldanas e
massas variáveis

Objetivos:
Obter os harmônicos de uma corda esticada;
Observar os ventres, nós e a amplitude máxima de oscilação das ondas estacionárias em cordas;
Determinar a velocidade de propagação das ondas em cordas a partir dos harmônicos;

Roteiro:

a) Na montagem da figura, suspenda uma massa m pela extremidade livre da corda, fazendo-a
passar pela roldana. Utilize o gerador de frequência e varie lentamente a frequência f, partindo
desde valores baixos, até observar o aparecimento de ondas estacionárias. Ajuste
cuidadosamente a frequência até atingir a maior amplitude máxima de oscilação na corda.

b) Construa uma tabela registrando os valores do índice n do harmônico, o número de nós, 𝑛


e 𝑓𝑛 . Anote o comprimento da corda. Determine a velocidade das ondas para cada harmônico.

c) As velocidades são constantes? Do conjunto de dados, determine o valor de 𝑣 com sua


incerteza.

Referências

JEWETT, J. W.; SERWAY, R. A. Física para cientistas e engenheiros – Oscilações, ondas e


termodinâmica, Vol. 2. Editora Cengage, 8ª ed, São Paulo, 2011.

HALLIDAY, D.; RESNICK, R. MERRILL, J. Fundamentos de Física, vol. 2, 9ª ed., LTC (2012).

NUSSENZVEIGN, H. M. Curso de Física Básico – Fluidos, Oscilações e Ondas e Calor – Volume 2.


Editora Blucher, 4ª Edição, 2002, São Paulo.