Você está na página 1de 5

eLetter Dr.

Rondó – 30/06-2008 –

Suplementos nutricionais cumprem o


que prometem
Bombardeados por mal informados ou mal intencionados, eles
resistem aos ataques porque ajudam a viver mais e melhor.

Recentemente, uma das principais revistas semanais do país


publicou matéria com a informação de que suplementos podem
aumentar o risco de morte prematura. Tomou como referência
dados de um estudo feito por pesquisadores do The Cochrane
Collaboration (www.cochrane.org). Curioso, li o texto de referência,
uma revisão de outros 67 estudos, e descobri que a avaliação foi
sobre o uso de vitaminas sintéticas, não de suplementos naturais.
A advertência está lá, na última página: Como examinamos apenas
a influência de antioxidantes sintéticos, os resultados não devem
ser estendidos ao potencial benéfico de antioxidantes naturais. Mas
a matéria nacional não fez referência a ela. Outro dado relevante é
que os pesquisadores deixaram de fora 405 estudos que
apresentaram zero de mortalidade, o que também não constava da
matéria. Se o objetivo era apontar riscos à vida, por que esses
estudos não foram incluídos?

A pesquisa não foi abrangente e suspeito que algumas informações


da matéria possam refletir apenas o interesse ou o entendimento da
repórter. Suplementos não estão matando ninguém, ao contrário de
drogas químicas, prescritas por médicos, que levam à morte cerca
de 100 mil pessoas a cada ano. Continuo indicando suplementos
naturais – não sintéticos -, que previnem e controlam doenças,
como problemas cardiovasculares e câncer, e proporcionam uma
vida mais longa e saudável.

Wilson Rondó Jr. é especialista em medicina preventiva, nutrólogo


e cirurgião vascular. Mantenha-se informado sobre seu trabalho e
sobre os serviços oferecidos pela W.Rondó Medical Center pelo site
www.drrondo.com

Nunca use medicamentos por conta própria. Consulte sempre o seu médico.

Fonte:
eLetter – Dr. Rondó – 30/06/2008

---------------------------------------

Saúde

Bomba vitamínica
Um grande estudo afirma que não é bom negócio
você se entupir de suplementos nutricionais
Anna Paula Buchalla

Quando surgiram, há mais de quatro décadas, os suplementos à


base de vitaminas e minerais eram indicados para as pessoas que,
por algum motivo, não conseguiam obter esses nutrientes em
quantidade suficiente por intermédio da alimentação. Foi no fim dos
anos 70, quando o químico americano Linus Pauling passou a
defender a tese de que megadoses de vitamina C retardariam o
envelhecimento e até ajudariam a prevenir o câncer, que os
suplementos ganharam o papel de panacéia para uma série de
males e de retardadores do envelhecimento. Hoje, cerca de 20%
dos adultos do mundo ocidental fazem uso desses compostos.
Valer-se dessas drágeas com o intuito de viver mais, no entanto,
pode ter o efeito inverso: ver roubados anos de vida. É o que
mostra o maior estudo de revisão sobre a suplementação de
vitaminas e minerais já feito. Nele, foram analisadas 67 pesquisas,
envolvendo 233 000 pessoas, entre doen-tes e saudáveis,
realizadas ao longo dos últimos quarenta anos. O estudo,
conduzido por pesquisadores do The Cochrane Collaboration, uma
instituição internacional independente que se dedica à análise
crítica de pesquisas, revela que não há evidências que atestem os
benefícios das doses extras de vitaminas e minerais. Pior: segundo
o estudo, a suplementação de vitaminas A, E e betacaroteno
aumenta o risco de morte prematura (veja o quadro). Quanto à
vitamina C e ao selênio, revelaram-se inócuos.

Se alimentos ricos em antioxidantes comprovadamente fazem bem


ao coração, à pele, à memória e ao vigor físico, por que o mesmo
não vale para os suplementos? A resposta é que frutas e vegetais
são ricos em fibras e em uma série de outros micronutrientes que
interagem entre si. É essa interação que determina a forma como o
organismo absorve as vitaminas e os minerais. Isolá-los numa
drágea não parece ser, portanto, a maneira mais adequada de
extrair bons resultados deles. "Uma dieta equilibrada fornece todos
os nutrientes necessários à boa saúde", diz a nutricionista Ana
Maria Lottenberg, da Universidade de São Paulo.

A aritmética mostra que isso não é "papo de médico". A


necessidade diária de vitamina C é de 90 miligramas para homens
e 75 miligramas para mulheres. Uma única goiaba tem 370
miligramas da vitamina e uma mísera laranja-pêra, 95 miligramas.
Uma castanha-do-pará, pequenininha como ela só, atinge a
recomendação diária de selênio: 55 microgramas. "A
suplementação é indicada apenas para quem tem deficiência
nutricional e para atletas", diz a nutricionista Danielli Botture Lopes,
da consultoria RG Nutri. Como você não vive na África Subsaariana
e não vai correr a maratona na Olimpíada...
Fonte:
REVISTA VEJA – Edição 2057 – 23 de abril de 2008
http://veja.abril.com.br/230408/p_117.shtml

---------------------------------------

Visite o site “W. Rondó medical center”

Fonte: http://www.drrondo.com/index.htm
Artigos – Jornal da Saúde – eLetter – Guia de suplementos –
Doenças de A a Z – Problemas Vasculares

Livros recomendados:- wrj

“Fazendo as Pazes com Seu Peso”, Obesidade e


Emagrecimento: entendendo um dos grandes problemas deste
século, Dr. Wilson Rondó Jr., Editora Gaia, São Paulo, 3ª Edição,
2003.

“Prevenção: A Medicina do Século XXI”, A Guerra ao


Envelhecimento e às Doenças, A terapia molecular irá diminuir a
incidência de câncer, doenças cardiovasculares, envelhecimento e
muito mais; Dr. Wilson Rondó Junior, 240 páginas, Editora Gaia,
São Paulo, 2000.

“O Atleta no Século XXI”, Dr Wilson Rondó Junior – O leitor


conhecerá a importância da atividade esportiva na vida de qualquer
ser humano do ponto de vista médico. Editora Gaia, São Paulo,
2000.

“Emagreça & Apareça!”, Descubra seu Tipo Metabólico. Vila


melhor e com mais saúde! Dr Wilson Rondó Juni8or, Editora Gaia,
São Paulo, 2007.

-------------------