Você está na página 1de 225

A FIAT, além de produzir

automóveis com alta tecnologia


e design único, também investe
em ações socioculturais e ambi-
PORTUGUÊS
MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO
entais, pois acredita na parceria
de todos os setores da socie-
dade para o desenvolvimento
sustentável do Brasil. Conheça
essas iniciativas pelo site:
www.fiat.com.br/cidadania

Freemont - Impresso 60355393 - IV/2012


COPYRIGHT BY FIAT AUTOMÓVEIS S.A. - PRINTED IN BRAZIL
Os dados contidos nesta publicação são fornecidos a título indicativo e poderão ficar desatualizados em Esta publicação foi
consequência das modificações feitas pelo fabricante, a qualquer momento, por razões de natureza produzida com papel
técnica, ou comercial, porém sem prejudicar as características básicas do produto. certificado FSC
COMPROMISSO FIAT COM A QUALIDADE
300 mA

80 mA
ORIENTAÇÕES:
Prefira sempre Acessórios Genuínos FIAT.
Tanto o veículo como os equipamentos nele instalados consomem 36 mA
Consumo máximo
energia da bateria quando desligados, é o denominado “consumo em Stand-by da bateria
4 mA
Stand-by”. Como a bateria possui um limite máximo de consumo para 11 mA 60 AH
garantir a partida do motor, deve-se dimensionar o consumo dos equi-
pamentos ao limite de consumo da bateria.
Rádio
Rádio Rádio
Veículo Genuíno
marca A marca B
Fiat
ADVERTÊNCIAS
Para assegurar a qualidade e o perfeito funcionamento do veículo, recomendamos instalar somente acessórios genuínos, à disposição
na Rede de Assistência Fiat.
A instalação de rádios, alarmes, rastreadores ou qualquer outro acessório eletrônico não genuíno poderá ocasionar consumo excessivo
de carga da bateria, podendo provocar o não funcionamento do veículo e a perda da garantia.

PRESSÃO DE CALIBRAGEM DOS PNEUS FRIOS lbf/pol2 (kgf/cm2)

Freemont Emotion Freemont Precision


Com carga média
- dianteiro: 36 (2,5) 36 (2,5)
- traseiro: 36 (2,5) 36 (2,5)
Com carga completa
- dianteiro: 36 (2,5) 36 (2,5)
- traseiro: 36 (2,5) 36 (2,5)
Roda sobressalente 36 (2,5) 36 (2,5)
Obs.: a primeira especificação é em lbf/pol2 e a segunda, entre parênteses, é em kgf/cm2.
A pressão indicada é válida somente para os “pneus frios”. Deve-se calibrá-los somente desta maneira sobretudo antes de longas viagens.
Caro Cliente,
Queremos agradecer-lhe por ter preferido a marca Fiat.
Preparamos este manual para que você possa conhecer cada detalhe de seu Fiat.
Antes de utilizar o veículo, recomendamos que leia o manual com atenção. Nele estão contidas informações, conselhos
e advertências importantes, que o ajudarão a aproveitar, por completo, as qualidades técnicas do seu veículo. Você vai en-
contrar, ainda, indicações para a sua segurança, para manter o bom estado do veículo e para a proteção do meio ambiente.
As instruções de manutenção e instalação de acessórios são de caráter ilustrativo, por isso recomendamos que a execução
seja feita por pessoal qualificado pela Fiat Automóveis S/A.

No kit de bordo do veículo, você encontrará outras publicações, as quais trazem informações específicas e não menos
importantes sobre outros assuntos; tais como:
sGARANTIADOVEÓCULO
sSERVI OSADICIONAISRESERVADOSAOS#LIENTES&IAT
s#ØDIGO.ACIONALDE4RÊNSITOEINSTRU ÜESDEPRIMEIROSSOCORROS
sFUNCIONAMENTODOSISTEMADESOM EOUTROSSISTEMASDEBORDOSEDISPONÓVEIS 

Boa leitura e boa viagem!


Este manual descreve os instrumentos, itens e acessórios que podem equipar o modelo Fiat Freemont disponível na rede
de Concessionárias Fiat até a presente data. Mas atenção! Considere somente as informações inerentes ao modelo/versão
e itens de série do veículo adquirido, bem como eventuais opcionais instalados na montadora conforme sua solicitação.
Verifique a discriminação disposta na nota fiscal de venda do seu veículo.

1
BEM-VINDO A BORDO

Os veículos Fiat são automóveis de design original, idealizados em prol do prazer de dirigir em completa segurança e
respeitando ao máximo o meio ambiente. A começar pela adoção de modernos motores, passando pelos dispositivos de
segurança e pela preocupação em oferecer todo o conforto possível aos ocupantes, tudo isso contribuirá para que a perso-
nalidade de seu veículo seja apreciada logo no primeiro momento.

Em seguida, você vai notar também que, além das exclusivas características de estilo, existem novos processos de cons-
trução que diminuem os custos de manutenção.

Segurança, economia, inovação e respeito ao meio ambiente fazem de seu Fiat um veículo a ser imitado.

2
OS SÍMBOLOS PARA UMA DIREÇÃO CORRETA

Os sinais indicados nesta página são muito importantes. Servem para evidenciar partes do manual onde é necessário
deter-se com mais atenção.

Como você pode ver, cada sinal é constituído por um símbolo gráfico diferente para que seja fácil e claro descobrir à
qual área pertencem os assuntos:

Segurança das pessoas Proteção do meio ambiente Integridade do veículo


Atenção! A falta total ou parcial de Indica o comportamento correto a Atenção! A falta total ou parcial de
respeito a essas prescrições pode pôr manter, para que o uso do veículo não respeito a essas prescrições pode acar-
em perigo a segurança física das pessoas. cause nenhum dano ao meio ambiente. retar sérios danos ao veículo e, em cer-
tos casos, a perda da garantia.

3
CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

Antes de arrancar, certifique-se de que o freio de estacionamento não esteja acionado e de que não existam obstáculos
que possam comprometer o movimento dos pedais, tais como tapetes ou qualquer outro objeto. Verifique também se as
luzes-espia não estão assinalando nenhuma irregularidade.
Ajuste o banco e os espelhos retrovisores antes de movimentar o veículo.
Faça do uso do cinto de segurança um hábito. Utilize-o sempre para sua proteção.
/BSERVEOTRÊNSITOANTESDEABRIRUMAPORTAOUSAIRCOMOSEUVEÓCULODOESTACIONAMENTO
Verifique o fechamento e o travamento correto das portas e da tampa do porta-malas antes de movimentar o veículo.
0ARASUASEGURAN A OBSERVEASCONDI ÜESDOTEMPO DOTRÊNSITOEDAESTRADAEDIRIJADEACORDOCOMELAS
Evite dirigir se não estiver em condições físicas normais.
Obstáculos, pedras ou buracos na pista podem causar danos ao veículo, comprometendo o seu funcionamento.
Evite deixar objetos soltos sobre os bancos, pois, em caso de desaceleração rápida do veículo, os mesmos poderão provocar
ferimentos aos ocupantes ou danos ao próprio veículo.
Em cruzamentos, seja prudente, fique atento e reduza a velocidade ao chegar neles.

Respeite as velocidades estabelecidas pela legislação.


Lembre-se: os motoristas prudentes respeitam as leis de trânsito. Faça da prudência um hábito.
A execução das revisões é essencial para a integridade do veículo e para a continuidade do direito à Garantia. Quan-
do for notada qualquer anomalia, esta deve ser imediatamente reparada, sem aguardar a próxima revisão periódica.

4
SIMBOLOGIA SÍMBOLOS DE PERIGO Correias e polias
Órgãos em movimento; não
Em alguns componentes do seu Fiat, Bateria aproximar partes do corpo
ou perto dos mesmos, estão aplicadas ou roupas.
Líquido corrosivo.
etiquetas coloridas específicas cujo
símbolo chama a atenção do usuário e
indica precauções importantes que este
Tubulação do climatiza-
deve tomar, em relação ao componente
dor de ar
em questão. Bateria
Não abrir.
A seguir, são citados resumidamen- Perigo de explosão.
te todos os símbolos indicados pelas Gás em alta pressão.
etiquetas empregadas no seu Fiat e, ao
lado, os componentes para os quais os
símbolos chamam a atenção. SÍMBOLOS DE PROIBIÇÃO
É também indicado o significado do Ventilador
símbolo de acordo com a subdivisão Pode ligar-se automatica- Bateria
de perigo, proibição, advertência ou mente, mesmo com o motor
obrigação, à qual o próprio símbolo parado. Não aproximar chamas.
pertence.

Reservatório de expansão Bateria


Não remover a tampa quan- Manter as crianças afasta-
do o líquido de arrefeci- das.
mento estiver quente.

Anteparos de calor - cor-


Bobina reias - polias - ventilador
Alta tensão. Não pôr as mãos.

5
AI
RBAG
Airbag do lado do passa- Limpador do para-brisa SÍMBOLOS DE OBRIGAÇÃO
geiro Usar somente o líquido do
Não instalar cadeirinhas tipo prescrito no capítulo Bateria
para bebês viradas para “Abastecimentos”. Proteger os olhos.
trás no banco dianteiro do
passageiro.

Motor Bateria
Usar somente o tipo de lu- Macaco
SÍMBOLOS DE ADVERTÊNCIA brificante prescrito no capí- Consultar o manual de Uso
tulo “Abastecimentos”. e Manutenção.
Catalisador
Não estacionar sobre super-
fícies inflamáveis. Consultar
o capítulo “Proteção dos Veículo com gasolina
dispositivos que reduzem ecológica
as emissões”.
Usar somente gasolina sem
chumbo.

Circuito dos freios


Não superar o nível máxi-
mo do líquido no reservató-
rio. Usar somente o líquido Reservatório de expansão
prescrito no capítulo “Abas- Usar somente o líquido
tecimentos”. prescrito no capítulo “Abas-
tecimentos”.

6
#/.(%#)-%.4/$/6%·#5,/ A

53/#/22%4/$/6%·#5,/ B

EM EMERGÊNCIA C

-!.54%.£²/$/6%·#5,/ D

#!2!#4%2·34)#!34³#.)#!3 E

·.$)#%!,&!"³4)#/ F
CONHECIMENTO DO VEÍCULO
Recomendamos ler este capítulo sentado confortavelmen- &5.£À%3$/6)$2/42!3%)2/ . . . . . . . . . . . . . . A-44
TEABORDODOSEUNOVO&IAT$ESTAMANEIRA VOCÐVAIPODER ,!6!$/2%3$%&!2¼)3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-44 A
reconhecer as partes descritas no manual e verificar “in loco” 3%$)30/.·6%, . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-44
o que está lendo. #/,5.!$%$)2%£²/#/-2%'5,!'%-$%
Em pouco tempo, você vai conhecer melhor o seu Fiat, com ).#,).!£²/4%,%3#¼0)#! . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-45
os comandos e os dispositivos com os quais está equipado. 0),/4/!54/-­4)#/#25)3%#/.42/, . . . . A-45
$EPOIS QUANDOLIGAROMOTOREENTRARNOTRÊNSITO FARÉMUITAS #/.3/,%$%4%4/ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-48
outras descobertas agradáveis. 4%4/3/,!2%,³42)#/SEDISPONÓVEL . . . . . . . . . . A-49
4/-!$!3$%#/22%.4%%,³42)#! . . . . . . . . . . . A-51
3)34%-!$%!#%33/2%-/4/3%-#(!6%2+% . . . A-1 0/24! #/0/3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-54
CHAVES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-3 2%#)0)%.4%3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-55
3%.429+%9® . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-4 #!2!#4%2·34)#!3$/%30!£/$%#!2'! . . . . . A-57
!,!2-%%,%42½.)#/SEDISPONÓVEL . . . . . . . . . . . A-6 #/-!.$/3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-60
),5-).!£²/$/!#%33/. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-7 0!).%,$%).3425-%.4/3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-62
42!6!3$%0/24! . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-8 15!$2/$%).3425-%.4/3 . . . . . . . . . . . . . . . A-63
6)$2/3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-11 ).3425-%.4/3$%"/2$/ . . . . . . . . . . . . . . . . . A-64
0/24! -!,!3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-13 ,5:%3 %30)!%3).!,):!£À%3 . . . . . . . . . . . . . . . . A-65
%30%,(/32%42/6)3/2%3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-14 #%.42!,%,%42½.)#!$%
"!.#/3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-17 ).&/2-!£À%3$/6%·#5,/%6)# . . . . . . . . . . . A-71
#).4/3$%3%'52!.£! . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-25 /0%2!£²/$%2­$)/%4%,%&/.%3#%,5,!2%3 . . . . A-77
42!.30/24%$%#2)!.£!3%-3%'52!.£! . . . A-29 #,)-!4):!£²/ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-78
02³ 4%.3)/.!$/2%3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-31 3)34%-!5#/..%#44/5#(© . . . . . . . . . . . . . . A-89
!)2"!' . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-32 !"!34%#)-%.4/$%#/-"534·6%,. . . . . . . . . . . A-97
!"2)2%&%#(!2/#!0½ . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-37 "!'!'%)2/$%4%4/se disponível . . . . . . . . . . . A-99
LUZES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-38 !"3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-100
!,!6!.#!-5,4)&5.#)/.!, . . . . . . . . . . . . . . . A-40 3)34%-!$%-/.)4/2!-%.4/$!02%33²/
,5:%3).4%2.!3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-41 $/30.%5340-3 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . A-107
,)-0!$/2%3%,!6!$/2%3$%0!2! "2)3! . . . . A-42 02/4%£²/$/-%)/!-")%.4% . . . . . . . . . . . . A-110
0ARAINFORMA ÜESMAISDETALHADASVER h·NDICEALFABÏTICOv
A
SISTEMA DE ACESSO Para destravar as portas e a tampa do DO2+%0ARAALTERARACONFIGURA ÎOATU-
al, consulte “Configurações do Ucon-
porta-malas
REMOTO SEM Pressione e solte o botão B-fig. 1 no
NECT4OUCH©vPARAMAIORESINFORMA-
CHAVE (RKE) TRANSMISSOR2+%UMAVEZPARADESTRA-
ções. A
var a porta do motorista ou duas vezes,
/ SISTEMA 2+% 2EMOTE +%9,%33 dentro do período de cinco segundos, Piscar as luzes indicadoras de direção
%.429g.g'/ PERMITETRAVAREDESTRA- para destravar todas as portas e a tampa ao trancar
var as portas e a tampa do porta-malas do porta-malas. As luzes indicadoras de Esta função fará com que as luzes in-
ADISTÊNCIASDEATÏAPROXIMADAMENTE direção piscarão para que você reco- dicadoras de direção pisquem quando
10 m utilizando a chave portátil A-fig. nheça o sinal de destravamento. O sis- as portas forem travadas ou destravadas
1COMTRANSMISSORDE2+%EMBUTIDO tema de iluminação do acesso também PELOTRANSMISSORDO2+%%STACARACTE-
Não é necessário apontar o transmis- será ligado. rística pode ser habilitada ou desabili-
SORDE2+%PARAOVEÓCULOPARAATIVAR Você também pode abrir a porta do tada. Para alterar a configuração atual,
o sistema. motorista por meio da maçaneta, desde consulte “Configurações do Uconnect
que o sistema reconheça a proximidade 4OUCH©vPARAMAIORESINFORMA ÜES
NOTA: dirigir a velocidades supe- DOTRANSMISSOR2+%2EMOTE+%9,%33
riores a 8 km/h desabilita o sistema %.429g.g'/  Acender os faróis com o destrava-
de resposta dos botões do transmis- mento por chave remota
sor RKE. NOTA: se a porta não for aber- Esta função acende os faróis por até
ta, em um tempo aproximado de 90 segundos quando as portas forem
1 minuto, ocorrerá o travamento DESTRAVADASPELOTRANSMISSORDO2+%
automático. O tempo desta função é programável
em veículos equipados com o Ucon-
&2"2

NECT4OUCH©0ARAALTERARACONFIGU-
1º - Toque de destravamento por ração atual, consulte “Configurações
B chave remota, porta do motorista/ DO5CONNECT4OUCH©vPARAMAIORES
todas as portas informações.
C
Esta função permite que você progra-
me o sistema para destravar a porta do
A motorista ou todas as portas no primeiro
toque do botão B-fig. 1 do transmissor
fig. 1
A-1
Para travar as portas e a tampa do Substituição da bateria do transmissor 3 - Remova a bateria girando a co-
porta-malas A bateria recomendada para substi- BERTURATRASEIRAESTANDOABATERIACOM
Pressione e solte o botão C-fig. 1 no tuição é uma bateria CR2032. AFRENTEPARABAIXO EBATA OLEVEMENTE
4RANSMISSORDO2+%PARATRAVARTODAS em uma superfície sólida, como uma
as portas e a tampa do porta-malas. As mesa ou algo semelhante; na sequên-
NOTA: não toque nos terminais da cia substitua a bateria. Ao substituir a
luzes indicadoras de direção irão piscar bateria que estão no compartimento bateria, coloque o sinal + da bateria no
para reconhecer o sinal. traseiro nem na placa de circuito sinal + dentro do grampo da bateria,
Se você estiver do lado de fora do impresso. localizado na cobertura traseira. Evite
veículo, uma vez fechadas as portas, é tocar a bateria nova com os dedos. A
possível realizar o travamento pressio- 1 - Remova a chave de emergência oleosidade da pele pode causar a de-
nando o botão B-fig. 5. A-fig. 2DESLIZANDOOTRINCOMECÊNICO terioração da bateria. Caso você toque
soltando a trava B-fig. 2 na parte de trás a bateria, limpe-a com álcool etílico
Função de abertura remota dos DALATERALDOTRANSMISSORDO2+%C-fig. hidratado.
vidros 2 com o polegar e puxe a chave com
4 - Para montar o invólucro do trans-
Esta função permite abaixar ambos os a outra mão. MISSORDO2+% ENCAIXEASDUASMETADES
VIDROSDASPORTASDIANTEIRASPARAALGU- 2 - Insira a ponta da chave de emer- entre si.
MASVERSÜES REMOTAMENTEAOMESMO gência, ou uma chave de fenda, cuida-
tempo. Para utilizar esta função, pres- dosamente como alavanca na fenda e #ASOOSEUTRANSMISSORDO2+%NÎO
sione e solte o botão B-fig. 1DO4RANS- separe as duas metades do transmissor FUNCIONEÌDISTÊNCIANORMAL VERIFIQUE
MISSORDO2+%EIMEDIATAMENTEAPØS DO2+%#ERTIFIQUE SEDENÎODANIFICAR duas condições:
pressione e segure o mesmo botão até o selo ao removê-lo. 1 - Uma eventual bateria fraca no
que os vidros abaixem até a altura dese- transmissor.

&2"2
jada ou até que estejam completamente 2 - Proximidade de um transmissor de
abaixados. rádio como uma torre de uma emissora
de rádio, o transmissor de um aeroporto
Programação de transmissores e alguns celulares e rádios PX.
adicionais
A programação de chaves ou trans-
MISSORESDO2+%PODESERFEITANARede A B C
Assistencial Fiat.
fig. 2
A-2
CHAVES Interruptor para ignição sem chave CHAVE - fig. 4
(KIN) - fig. 3
A chave A-fig. 4 também contém o
Seu veículo utiliza um sistema de Esta função permite que o motorista transmissor do sistema de acesso remoto
ignição sem o uso de chave. Este sis- acione o interruptor de ignição apertan- SEMCHAVE2+% EUMACHAVEDEEMER-
A
tema é composto de uma chave com do um botão, desde que o transmissor gência B-fig. 4, que fica armazenada na
um transmissor do sistema de acesso re- do sistema de acesso remoto sem chave parte de trás.
MOTOSEMCHAVE2+% EUMINTERRUPTOR 2+% ESTEJAPRESENTENOCOMPARTIMENTO
PARAIGNI ÎOSEMCHAVE+).  A chave de emergência permite o
de passageiros. acesso ao veículo caso a bateria do
O Interruptor para ignição sem chave veículo, ou a chave, se descarregue. A
FUNÇÃO KEYLESS ENTRY'N'GO +). TEMQUATROPOSI ÜESDEFUNCIONA- chave de emergência também serve pa-
Este veículo está equipado com a mento, três das quais estão identificadas ra trancar o porta-luvas. Você pode per-
função KEYLESS ENTRY'N'GO, que e estarão iluminadas quando posiciona- manecer com a chave de emergência
possibilita ter acesso ao interior e dar das. As três posições citadas são OFF, enquanto um manobrista, por exemplo,
partida no veículo sem o uso da chave. ACC, e ON/RUN. A quarta posição é estaciona o veículo.
Consulte “Partida do motor” em “Uso STARTPARTIDA SENDOQUEDURANTEA Para remover a chave de emergência,
correto do veículo” para maiores infor- partida RUN será iluminado. DESLIZEATRAVAMECÊNICAC-fig. 4 na la-
mações. 1 - OFF$ESLIGADO teral da chave com o polegar e puxe-a
2 - ACC!CESSØRIOS para fora com a outra mão.
3 - ON/RUN,IGADO&UNCIONANDO
&2"2

&2"2
2

S
1 3
START B A
STOP

C
fig. 3 fig. 4
A-3
Mensagens na posição de ignição ou ADVERTÊNCIA SENTRY KEY®
de acessórios
Ao abrir a porta do motorista, en- /SISTEMADEBLOQUEIO3ENTRY+EY®
Nunca deixe crianças evita o uso não autorizado do veículo
quanto a ignição estiver em ACC ou sozinhas em um veículo.
em ONCOMOMOTORDESLIGADO UM bloqueando o motor. Não é necessário
Deixar crianças sem acom- acionar ou ativar o sistema. O funcio-
sinal sonoro irá tocar para lembrá-lo panhamento em um veículo é peri-
de colocar a ignição na posição OFF. namento é automático, independente-
goso por diversos motivos. Não mente de o veículo estar trancado ou
Além do sinal sonoro, uma mensagem deixe a ignição na posição ACC ou
será exibida no painel. não.
RUN. Uma criança poderia operar
o vidro elétrico, outros controles ou O sistema utiliza uma chave com o
NOTA: com o sistema Uconnect movimentar o veículo. transmissor do sistema de acesso remo-
Touch™, os interruptores dos vidros TOSEMCHAVE2+% UMINTERRUPTORPARA
elétricos, rádio, teto solar elétrico IGNI ÎOSEMCHAVE+). EUMRECEPTOR
(se disponível), e as tomadas de cor- Sempre remova a chave do veí- RF para evitar o uso não-autorizado
rente permanecerão ativas por um culo, posicione a ignição em OFF do veículo. Portanto, somente chaves
tempo determinado após posicionar e trave todas as portas ao deixar o programadas para o veículo podem ser
a ignição em OFF. Abrir qualquer veículo. utilizadas para fazê-lo funcionar.
porta dianteira cancela esta função. Se a luz de segurança do veículo
O tempo para esta função é progra- ç VERMELHA ACENDERDURANTEOFUN-
mável. Consulte “Configurações do ADVERTÊNCIA: não CIONAMENTONORMALDOVEÓCULOCOM
Uconnect Touch™”. deixar a chave em qual- o veículo funcionando há mais de 10
quer lugar para evitar que SEGUNDOS SIGNIFICAQUEHÉUMPROBLE-
alguém, principalmente crianças ma eletrônico. Caso isto ocorra, leve o
possa manejá-la e apertar involunta- seu veículo para manutenção à Rede
riamente os botões. Preste a devida Assistencial Fiat.
atenção na conservação e disponi-
bilidade da chave. O manuseio da
chave por terceiros, pode ocasio-
nar o acionamento involuntário dos
botões.

A-4
ADVERTÊNCIA: todas as cha- No momento da compra, é forneci- ADVERTÊNCIA: impactos
ves fornecidas com o novo veículo do ao proprietário original um núme- violentos na chave podem
foram programadas em conjunto ro pessoal de identificação (PIN) de danificar os componentes
com a arquitetura eletrônica do quatro dígitos. Mantenha o PIN em do sistema. A
veículo. um local seguro. Este número é exi-
gido para a substituição das chaves
pelo Rede Assistencial Fiat. A dupli- ADVERTÊNCIA: cada
CHAVES PARA SUBSTITUIÇÃO cação das chaves pode ser feita no chave fornecida possui um
Rede Assistencial Fiat, procedimento código próprio, diferente
NOTA: somente chaves programa- este que consiste na programação de de todos os outros, que deve ser
das em conjunto com a eletrônica chaves em branco para a eletrônica memorizado pela central do siste-
do veículo podem ser utilizadas para do veículo. ma.
ligar o veículo e fazê-lo funcionar.
Uma vez que uma chave foi progra-
mada para um veículo, não pode ser NOTA: ao fazer manutenção no Este equipamento opera em cará-
programada para nenhum outro. sistema de bloqueio Sentry Key®, ter secundário, isto é, não tem direi-
leve consigo todas as chaves do veí- to a proteção contra interferência
culo à Rede Assistencial Fiat. prejudicial, mesmo de estações do
ADVERTÊNCIA mesmo tipo, e não pode causar
interferência a sistemas operando
Em caso de venda do veículo, é em caráter primário.
Nunca deixar crianças sozinhas indispensável que o novo proprietá-
dentro do veículo. rio receba todas as chaves e o PIN. O funcionamento está sujeito às se-
guintes condições:
- Esta função não pode causar inter-
Sempre remova a chave do veícu- Programação da chave do cliente ferência danosa.
lo e trave todas as portas ao deixar A programação das chaves ou dos
o mesmo. - Esta função deve receber inter-
TRANSMISSORES2+%PODESEREXECUTADA ferência de qualquer tipo, incluindo
na Rede Assistencial Fiat. interferências que possam causar um
funcionamento indesejado.

A-5
ALARME - Pressione no interruptor interno de
trava elétrica da porta com a porta do
Desativando o sistema
ELETRÔNICO motorista e/ou do passageiro aberta.
O alarme eletrônico do veículo po-
de ser desativado pela utilização de um
(SE DISPONÍVEL) - Pressione o botão B-fig. 5 na maça- dos métodos a seguir:
neta externa de acesso passivo da porta
O sistema de alarme eletrônico do - Pressione o botão no transmissor
com uma chave válida disponível na
veículo monitora o acesso não-auto- do sistema de acesso remoto sem chave
mesma área externa.
rizado pelas portas, pelo capô e pela 2+% 
tampa do porta-malas do veículo e a - Pressione o botão no transmissor
- Puxe a maçaneta A-fig. 5 de destra-
utilização não-autorizada do interruptor do sistema de acesso remoto sem chave
vamento do acesso passivo da porta.
de ignição. Se algum fator disparar o 2+% 
- Passe o sistema de ignição do veícu-
alarme, o sistema bloqueará a partida Se alguma porta estiver aberta, feche-a.
lo para uma posição que não seja OFF.
do veículo, acionará a buzina de for- O sistema estará ativo em, aproxima-
ma intermitente, piscará os faróis e as damente, 20 segundos.
lanternas e piscará a luz de segurança OBSERVAÇÃO: enquanto o alarme
do veículo no painel de instrumentos. eletrônico não for desativado, não
OBSERVAÇÃO: se o alarme for será possível dar a partida no motor.
acionado com a porta aberta, as
O sistema de alarme eletrônico portas serão travadas sem sinaliza-
não monitora a quebra de vidros e ção específica que sinalize o fecha-
a movimentação de uma eventual mento incorreto de uma das portas.
invasão no interior do veiculo.

Reativando o sistema

&2"2
Ativando o sistema
Se algum evento disparar o alarme e
Siga os passos a seguir para ativar o nenhuma ação for tomada para desati-
alarme eletrônico: vá-lo, o sistema desligará a buzina após B
Verifique se o sistema de ignição do aproximadamente 30 segundos, desli-
veículo está em “OFF”. gará todos os sinais visuais após um
Realize uma das seguintes ações para minuto e então o sistema se reativará.
A
travar o veículo:

fig. 5
A-6
NOTA: O alarme eletrônico do veículo foi
projetado para proteger seu veículo;
ILUMINAÇÃO DO
contudo, situações específicas podem ACESSO
O cilindro de chave da porta causar um alarme falso. Se uma das A
do motorista não pode ativar nem sequências de ativação descritas an- As luzes de cortesia do teto se acen-
desativar o alarme eletrônico do teriormente tiver ocorrido, o alarme derão ao utilizar o transmissor do Siste-
veículo. eletrônico do veículo se ativará, não MADEACESSOREMOTOSEMCHAVE2+%
importando se você estiver dentro ou para destravar as portas ou abrir qual-
fora do veículo. Se você permanecer quer porta ou a tampa do porta-malas.
O alarme eletrônico do veículo no veículo e abrir uma porta, o alarme Esta função também aciona a ilumi-
permanece ativado durante a aber- irá tocar. Caso isto ocorra, desative o nação de aproximação dos retrovisores
tura elétrica da tampa do porta- alarme eletrônico. EXTERNOSSEDISPONÓVEL EDEBAIXODAS
-malas. Pressionar o botão da tampa Caso o alarme eletrônico esteja ati- PORTASSEDISPONÓVEL 
do porta-malas não desativa o alar- vado e a bateria seja desconectada, o As luzes internas se apagarão lenta-
me eletrônico do veículo. Se alguém sistema permanecerá ativado quando a mente em até aproximadamente 30 se-
acessar o veículo pela tampa do bateria for reconectada; as luzes exter- gundos ou se apagarão imediatamente
porta-malas e abrir alguma porta o nas irão piscar e a buzina irá tocar. Caso se a ignição for passada da posição OFF
alarme irá tocar. isto ocorra, desative o alarme eletrônico para a posição ON/RUN.
do veículo.
Quando o alarme eletrônico do NOTA: o sistema de Iluminação
veículo estiver ativado, o interrup- do Acesso não irá funcionar se o
tor da trava elétrica interna da porta controle de intensidade estiver na
não poderá destravar as portas. posição “Luz de teto bloqueada”
(posição mais baixa). Ver "controle
de intensidade" neste capítulo.

A-7
TRAVAS DE PORTA NOTA: as travas de porta manuais a chave e fechar a porta permitirá que
as travas funcionem. Se a porta estiver
não travam nem destravam a tampa
do porta-malas. aberta e a ignição estiver na posição
TRAVAS DE PORTA MANUAIS ACC ou RUN, um sinal sonoro irá tocar
como lembrete para remover a chave.
Para travar cada porta, empurre pa- ADVERTÊNCIA
ra baixo o botão da trava A-fig. 6 de
ADVERTÊNCIA
porta em cada moldura do painel de
porta. Para destravar as portas diantei- Para segurança pessoal, trave as Se o transmissor RKE ( chave) for
ras, puxe a maçaneta interna da porta portas do veículo antes de entrar esquecido dentro do veículo e for
até o primeiro estágio. Para destravar as em movimento, assim como ao esta- pressionado o interruptor A-fig. 7
portas traseiras, puxe para cima o botão cionar e deixar o veículo. seguido do fechamento da porta, a
da trava de porta na moldura do painel porta será destravará. Nesse caso,
de porta. será emitido um aviso sonoro,
Se o botão da trava de porta estiver Ao deixar o veículo, sempre acompanhado de sinalizações lumi-
abaixado ao fechar a porta, a porta irá remova a chave do veículo e tran- nosas, e ocorrerá o levantamento
travar. Portanto, confira se a chave não que as portas. do botão interno de trava da porta.
está no interior do veículo antes de fe- Esta manobra pode ser repetida por
char a porta. TRAVAS ELÉTRICAS DE PORTA até duas tentativas, sendo que na
terceira tentativa não irão ocorrer
Interruptores de trava elétrica de por- os avisos e a porta se manterá tran-
ta A-fig. 7 estão localizados em cada cada com a chave no seu interior.
moldura do painel da porta dianteira.
Utilize este interruptores para travar ou
&2"2

&2"2
A destravar as portas e a tampa do porta-
-malas.

L
Caso você pressione o interruptor da

R
trava elétrica de porta com a chave no
veículo e qualquer porta dianteira esti-
ver aberta, a trava elétrica não funcio- A
nará. Isto evita que se tranque aciden-
talmente a chave no veículo. Remover
fig. 6 fig. 7
A-8
Se, no entanto a manobra for PROGRAMAÇÃO DAS TRAVAS DE SISTEMA DE TRAVAS DE PORTA
efetuada agindo pelo botão interno PORTA AUTOMÁTICAS PARA PROTEÇÃO DE CRIANÇAS -
de trava da porta, não ocorrerão as (se disponível) PORTAS TRASEIRAS - fig. 8
sinalizações de alerta e nem o des-
A função de travas de porta automá- As portas traseiras possuem um siste-
A
travamento da porta, sendo que o
transmissor RKE ficará trancado no ticas pode ser ativada ou desativada ma de travas de porta para proteção de
interior do veículo. conforme a seguir: crianças instalado.
0ARAVEÓCULOSCOM5CONNECT4OU-
CH©INSTALADO CONSULTEh#ONFIGURA ÜES Para ativar o sistema de travas de
TRAVAS DE PORTA AUTOMÁTICAS DO5CONNECT4OUCH©vPARAMAIORESIN- porta para proteção de crianças
As portas dos veículos com travas elé- formações. 1 - Abra a porta traseira.
tricas serão travadas automaticamente 2 - Insira a aba da chave de emer-
se ocorrerem todas as condições a se- DESTRAVAMENTO AUTOMÁTICO GÐNCIAOUSIMILAR NOCONTROLEDATRAVA
guir: DE PORTAS NA SAÍDA para crianças A-fig. 8 e gire até a posi-
1 - A função de travas de porta auto- As portas irão destravar automatica- ção indicada pelo símbolo ;.
máticas estiver ativada. mente em veículos com travas elétricas 3 - Repita os passos 1 e 2 para a porta
2 4ODASASPORTASESTIVEREMFECHA- de porta se: traseira do outro lado.
das. 1 - A função destravamento automá-
3 - O acelerador estiver pressionado. tico de portas na saída estiver ativada.
4 - A velocidade do veículo for supe- 2 /CÊMBIOESTIVEREMNEUTRAL
rior a 24 km/h. NEUTRO OUPARK ESTACIONAMENTO .
3 - A porta do motorista for aberta.

&2"2
5 - As portas não tiverem sido tra-
vadas anteriormente utilizando o in- 4 - As portas não tiverem sido destra-
terruptor de trava elétrica de porta ou vadas anteriormente. A
o transmissor do acesso remoto sem 5 - A velocidade do veículo for igual
CHAVE2+%  a 0 km/h.
Para alterar a configuração atual, Para alterar a configuração atual,
consulte “Configurações do Uconnect consulte “Configurações do Uconnect
4OUCH©vPARAMAIORESINFORMA ÜES 4OUCH©vPARAMAIORESINFORMA ÜES
fig. 8
A-9
NOTA: quando o sistema de tra- Para a saída em caso de emergên- Para desativar o sistema de travas de
vas de porta para proteção de crian- cia com o sistema ativado, mova o porta para proteção de crianças
ças estiver sendo utilizado, a porta pino da trava até a posição superior, 1 - Abra a porta traseira.
somente pode ser aberta com o abaixe o vidro e abra a porta pela
uso da maçaneta externa mesmo maçaneta externa. 2 - Insira a aba da chave de emer-
quando a trava interna estiver des- GÐNCIAOUSIMILAR NOCONTROLEDATRAVA
travada. para crianças e gire até a posição indi-
Ao descer do veículo, retire sem- cada pelo símbolo : fig. 9.
pre o transmissor do sistema de 3 - Repita os passos 1 e 2 para a porta
ADVERTÊNCIA acesso RKE para evitar que alguém traseira do outro lado.
ligue os comandos involuntariamen-
Lembre-se que as portas traseiras te. Lembre-se de acionar o pedal do Após desativar o sistema
somente podem ser abertas pelo freio de estacionamento até travar de travas de porta para pro-
lado de fora quando as travas de no dente necessário para imobilizar teção de crianças, sempre
proteção para crianças estiverem completamente o veículo e posi- teste a porta pelo lado de dentro
ativadas. cionar a transmissão na posição P para garantir que esteja na posição
(PARK). Nunca deixe crianças sozi- desejada.
nhas no veículo.
Após ativar o sistema de
travas de porta para pro-
teção de crianças, sempre
teste a porta pelo lado de dentro
(com o auxílio de outra pessoa)

&2"2
para garantir que esteja na posição
desejada.

fig. 9
A-10
VIDROS Função de descida automática Função de subida automática com
(se disponível) proteção antiesmagamento
Em alguns modelos o interruptor de (se disponível)
VIDROS ELÉTRICOS vidro elétrico do motorista A-fig. 10 Em alguns modelos, os interruptores A
Os controles na moldura do painel tem uma função de descida automáti- do vidro elétrico do motorista A-fig.
da porta do motorista fig. 10 controlam ca. Pressione, após o primeiro estágio 10 e do passageiro do banco dianteiro
todos os vidros das portas. o interruptor do vidro; solte e o vidro B-fig. 10 possuem uma função de su-
descerá automaticamente. bida automática. Puxe o interruptor do
Existem controles individuais dos vi-
Para abrir o vidro parcialmente, vidro elétrico até o segundo estágio,
dros na moldura do painel de porta de
pressione o interruptor do vidro até o solte e o vidro subirá automaticamente.
cada passageiro fig. 11, que operam os
vidros das portas dos passageiros. Os primeiro estágio e solte quando quiser Para que o vidro pare de subir du-
controles funcionam quando a ignição que o vidro pare. rante o curso de subida automática,
estiver na posição ON/RUN ou ACC. Para que o vidro pare de descer du- pressione o interruptor rapidamente
rante o curso de descida automática, para baixo.
NOTA: para veículos equipados puxe o interruptor rapidamente para Para fechar o vidro parcialmente,
com o Uconnect Touch™, os inter- cima. puxe o interruptor do vidro até o pri-
ruptores de vidros elétricos perma- meiro estágio e solte quando quiser que
necem ativos por até 10 minutos o vidro pare.
após girar o interruptor de ignição
para a posição OFF. Abrir qualquer NOTA:
uma das portas dianteiras desativa
esta função. O tempo é progra-
Se o vidro encontrar qualquer

&2"2
mável. Consulte “Configurações do
obstáculo durante o fechamento
Uconnect Touch™” para maiores A automático, irá inverter o sentido e
informações.
descerá de volta. Remova o obstá-
L

D
R

culo e utilize o interruptor do vidro


B novamente para fechar o vidro.
C

fig. 10
A-11
Qualquer impacto devido às más tor para baixo por dois segundos após Interruptor de bloqueio do vidro -
condições da via pode disparar a a abertura do vidro. fig. 12
função de reverso automático ines- O interruptor do bloqueio do vidro
peradamente durante o fechamen- Interruptores dos vidros elétricos das A-fig. 12 na moldura do painel da porta
to automático. Caso isto aconte- portas dos passageiros do motorista permite desativar o contro-
ça, puxe levemente até o primeiro Os vidros elétricos das portas dos le do vidro nas portas dos passageiros
estágio e segure até fechar o vidro passageiros podem ser comandados traseiros. Para desativar os controles dos
manualmente. pelos respectivos interruptores B, C e vidros, pressione e solte o botão da tra-
D-fig. 10. Nas portas dos passageiros VADOVIDROPOSICIONANDO OABAIXADO 
estão disponíveis também interruptores Para ativar os controles dos vidros, pres-
Não existe proteção individuais A-fig. 11. sione e solte novamente o botão da tra-
antiesmagamento quando o VADOVIDROPOSICIONANDO OLEVANTADO 
vidro está quase fechado.
Para evitar ferimentos pessoais, não
mantenha seus braços, mãos, dedos Antes de acionar o inter-

&2"2
e objetos na trajetória antes de ruptor dos mecanismos
fechar o vidro. levantadores dos vidros,
verifique se não há obstáculos físi-
A cos, especialmente se forem trans-
Reinicialização portadas crianças e animais.
Pode ser necessário reativar em al-
gum momento a função de subida/des-
cida automática. Para isso, execute os

&2"2
passos a seguir:
1 - Puxe o interruptor do vidro até A
fechar completamente o vidro e man-

L
tenha o interruptor levantado por dois

R
segundos após o fechamento do vidro.
2 - Empurre o interruptor do vidro
A
para baixo firmemente até o segundo
estágio para abrir completamente o vi-
dro e continue a pressionar o interrup- fig. 11 fig. 12
A-12
O uso impróprio dos Rajadas de vento PORTA-MALAS
levantadores elétricos dos Rajadas de vento podem ser descritas
vidros pode ser perigoso. como a percepção da pressão nos ou- A tampa do porta-malas pode ser tra-
Antes e durante o acionamento, vidos. Podem ocorrer rajadas de vento vada ou destravada pelo transmissor do A
verificar sempre se os passagei- em seu veículo com os vidros abertos, ACESSOREMOTOSEMCHAVE2+% OUPELA
ros não estão expostos ao risco OUOTETOSOLARSEDISPONÓVEL NASPOSI- ativação do interruptor da trava elétrica
de lesões provocadas tanto direta ções aberta e parcialmente aberta. Esta da porta localizado na moldura do pai-
ou indiretamente pelos vidros em é uma ocorrência prevista e pode ser nel de cada porta dianteira.
movimento, como por objetos pes- minimizada. Caso as rajadas ocorram
soais arrastados ou jogados pelos com os vidros traseiros abertos, abra os NOTA: a tampa do porta-malas
mesmos. vidros dianteiros em conjunto com os não pode ser travada nem destra-
vidros traseiros para minimizar as raja- vada pelo pino manual da trava de
das. Caso as rajadas ocorram com o teto porta na moldura do painel de porta
Instalações de acessórios, solar aberto, ajuste a abertura do teto ou pelo cilindro de trava da porta
quando feitas de maneira solar para reduzir as rajadas ou abra do motorista.
inadequada, podem afetar algum vidro.
a integridade do sistema elétrico do Para abrir a tampa do porta-malas
veículo ocasionando graves danos. destravada, puxe a maçaneta A-fig. 13
Recomenda-se verificar na Rede ou A-fig. 14 e puxe a tampa do porta-
Assistencial Fiat a disponibilidade -malas para você. Molas a gás irão le-
de acessórios projetados especifica- vantar e segurar a tampa do porta-malas
mente para uso no veículo. aberta.

&2"2

&2"2
Ao sair do veículo, retire
sempre a chave da ignição
(transmissor RKE) para evi-
tar que os levantadores elétricos dos B A
vidros, acionados inadvertidamen- A
te, constituam perigo para quem
permanece a bordo.
fig. 13 fig. 14
A-13
NOTA: como a pressão do gás cai Para fechar, é necessá- ESPELHOS
com a temperatura, pode ser neces- ria uma força inicial maior
sário empurrar levemente a tampa para vencer a resistência RETROVISORES
do porta-malas no frio para auxiliar dos amortecedores de sustentação.
as molas a gás.
ESPELHO RETROVISOR INTERNO
A tampa do porta-malas pode ser tam- DIA/NOITE
No uso do porta-malas,
bém destravada agindo na membrana nunca superar as cargas Qualquer regulagem
B-fig. 14 por meio da aproximação do máximas permitidas (ver deve ser efetuada somente
TRANSMISSOR2+%BASTAQUEESTEJAPRØ- capítulo “Características técnicas”). com o veículo parado.
XIMOÌTAMPA 5MAVEZPRESSIONADAA Certificar-se ainda que os obje-
MEMBRANASEDESTRAVARÎOTAMBÏMTODAS tos contidos no porta-malas este- O espelho retrovisor deve ser ajus-
ASPORTAS AGIRNAMA ANETAA-fig. 14. jam bem alocados em recipientes tado para o centro da área de visão do
seguros, para evitar que uma fre- vidro traseiro.
ADVERTÊNCIA ada brusca possa movimentá-los, A claridade dos faróis dos veículos
machucando os passageiros. atrás de você pode ser reduzida moven-
do o controle embaixo do retrovisor para
Dirigir com a tampa
APOSI ÎONOITEEMDIRE ÎOÌTRASEIRA
do porta-malas aberta ou Colocar acessórios na DOVEÓCULO /ESPELHORETROVISORDEVE
mesmo, entreaberta, pode abertura do porta-malas ou ser ajustado enquanto configurado para
permitir que gases tóxicos de esca- na tampa do porta-malas APOSI ÎODIAEMDIRE ÎOAOPARA BRISA 
pe entrem no veículo. Mantenha (alto-falantes, spoiler, etc., exceto
a tampa do porta-malas fechada quando previsto pelo fabricante)
quando estiver com o veículo em

&2"2
pode prejudicar o correto funciona-
funcionamento. mento dos amortecedores laterais a
gás da própria tampa.
Para evitar o fechamento O compartimento de bagagens é de
espontâneo da tampa do uso exclusivo destas.
porta-malas, quando o veí-
culo estiver em um plano inclinado,
deve-se forçá-la até o final de curso.
fig. 15
A-14
ESPELHO COM ESCURECIMENTO ESPELHOS RETROVISORES Modelos sem a função
AUTOMÁTICO (se disponível) EXTERNOS ExpressWindow
Este espelho fig. 16, se ajusta auto- Pressione os botões de seleção do
maticamente à claridade dos faróis dos ESPELHOMARCADOSCOMO,ESQUERDO A
As lentes dos espelhos
veículos atrás de você. Esta função é retrovisores são parabóli- B-fig. 17OU2DIREITO C-fig. 17 e en-
automaticamente ativada e é desativa- cas e aumentam o campo tão pressione um dos quatro botões de
da somente quando o veículo está em de visão. No entanto, diminuem setas A-fig. 17 para mover o espelho no
marcha à ré. o tamanho da imagem, dando a sentido desejado.
impressão de que o objeto refletido
está mais distante do que a reali- Modelos com a função
ADVERTÊNCIA: para evitar ExpressWindow
danos ao espelho durante a limpe- dade.
za, nunca pulverize nenhuma solu- Pressione e solte os botões de seleção
ção limpadora diretamente sobre DOESPELHOMARCADOSCOMO,ESQUER-
ESPELHO RETROVISOR ELÉTRICO DO B-fig. 17OU2DIREITO C-fig. 17 e
o espelho. Aplique a solução sobre
um pano limpo e esfregue o espelho O interruptor do espelho retrovisor então pressione um dos quatro botões
para limpar. elétrico está localizado na moldura do de setas A-fig. 17 para mover o espelho
painel da porta do motorista. no sentido da seta. A seleção permane-
ce após 30 segundos de inatividade pa-
ra proteger contra a alteração acidental
da posição do espelho após o ajuste.

NOTA: uma luz no botão selecio-


&2"2

&2"2
A nado (B ou C-fig. 17) acenderá, indi-
B cando o espelho que está ativado e
poderá ser ajustado.
L

D
R

fig. 16 fig. 17
A-15
Espelhos retrovisores com Espelhos retrovisores com Espelhos iluminados para maquiagem
dobramento elétrico (se disponível) dobramento manual (se disponível) (se disponível) - fig. 18
O interruptor dos espelhos retroviso- Alguns modelos possuem espelhos Existe um espelho iluminado para
res com dobramento elétrico D-fig. 17 retrovisores externos com dobradiças. maquiagem em cada para-sol. Para uti-
está localizado entre os interruptores do A dobradiça permite ao espelho dobrar lizar o espelho, gire o quebra-sol para
ESPELHORETROVISORELÏTRICO,ESQUERDO em torno do ponto de fixação para a baixo e mova a cobertura do espelho
E 2 DIREITO  0RESSIONE O INTERRUPTOR frente e para trás para resistir contra da- para cima. A luz se acenderá automati-
uma vez e os espelhos retrovisores irão nos. A dobradiça possui três posições: camente. Fechar a cobertura do espelho
se dobrar, pressione novamente e os es- para a frente, para trás e normal. irá desligar a luz.
pelhos irão retornar à posição normal
de condução do veículo. O dobramento do retrovisor deve Função para-sol “haste de
ser efetuado somente com o veículo deslizamento” (se disponível)
NOTA: ao pressionar o interrup- parado. Esta função permite uma flexibilidade
tor dos espelhos retrovisores com adicional no posicionamento do para-
dobramento elétrico por cinco -sol para bloquear o sol.
vezes consecutivas, ou se o veículo Espelhos aquecidos (se disponível)
1 - Abra o para-sol.
estiver em uma velocidade maior ( - Estes espelhos são aquecidos pa-
que 8 km/h, a função de dobramen- ra derreter geada e gelo. Esta função é 2 $ESPRENDAOPARA SOLDOGANCHO
to será desabilitada. ativada quando você acionar o desem- central.
baçador do vidro traseiro. 3 - Puxe o para-sol em direção ao es-
Caso os espelhos retrovisores estive- pelho retrovisor interno para estendê-lo.
rem dobrados e a velocidade do veículo
atingir ou ultrapassar 8 km/h, eles serão

&2"2
automaticamente abertos.

fig. 18
A-16
BANCOS AJUSTE DO RECLINADOR - A-fig. 20 Ajuste da altura do banco do
motorista (se disponível)
A alavanca de reclinação está loca-
Qualquer regulagem deve ser feita A alavanca de controle da altura do
lizada no lado externo do banco. Para
exclusivamente com o veículo parado.
reclinar o encosto, incline as costas, le- banco B-fig. 20 está localizada no lado A
vante a alavanca, coloque o encosto na externo do banco. Levante a alavanca
AJUSTES MANUAIS DO BANCO posição desejada e solte a alavanca. Pa- repetidamente para levantar o banco.
DIANTEIRO ra voltar o encosto para a posição verti- Abaixe repetidamente a alavanca para
cal normal, incline as costas, levante a abaixar o banco. O curso total do banco
Para modelos com bancos manuais
alavanca, incline o corpo para a frente é de aproximadamente 55 mm.
instalados, os bancos do motorista e do
passageiro podem ser ajustados para a e solte a alavanca assim que o encosto
frente ou para trás utilizando a alavanca estiver na posição vertical. BANCO DO MOTORISTA ELÉTRICO
A-fig. 19 localizada na frente do assen- (se disponível)
to, próximo ao assoalho. Para garantir a máxima O interruptor do banco elétrico A-fig.
Sentado no banco, levante a alavan- proteção aos ocupantes do 21 está localizado no lado externo do
ca e mova o banco para a frente ou para veículo em caso de aciden- banco, próximo ao assoalho. Utilize es-
trás. Solte a alavanca quando a posição te, recomenda-se manter o encosto te interruptor para mover o banco para
desejada for alcançada. Então, utilizan- na posição mais ereta possível e cima, para baixo, para a frente, para trás
do o peso do corpo, mova o banco para o cinto bem aderido ao tórax e à ou para inclinar o banco.
a frente e para trás para garantir que as bacia.
travas se ajustaram.

&2"2

&2"2
&2"2

A B
B A
A

fig. 19 fig. 20 fig. 21


A-17
Ajuste do banco para a frente ou para APOIO PARA LOMBAR ELÉTRICO BANCOS AQUECIDOS
trás (se disponível) (se disponível)
O banco pode ser ajustado para a O interruptor do apoio para lombar Em alguns modelos, os bancos dian-
frente e para trás. Empurre o interruptor elétrico está localizado no lado externo teiros do motorista e do passageiro
A-fig. 21 do banco para a frente ou para do banco do motorista e possui 4 tipos podem ter instalados aquecedores nos
trás; o banco irá se mover no sentido do de ajuste diferentes. Pressione a parte assentos e nos encostos. Os bancos
interruptor. Solte o interruptor quando a da frente do interruptor A-fig. 22 para aquecidos são operados pelo Sistema
posição desejada tiver sido alcançada. a frente para aumentar o apoio lombar. 5CONNECT©4OUCH
Pressione a parte de trás do interruptor
Ajuste do banco para cima ou para para diminuir o apoio lombar. Pressio- Para veículos com UconnectTouch™
baixo nar a parte de cima ou de baixo do in- 4.3 instalado:
A altura dos bancos pode ser ajusta- terruptor irá elevar ou baixar a posição C 4OQUEA tecla virtual CLIMATE
da para cima ou para baixo. Puxe para do apoio. LOCALIZADANOLADODIREITODOVISORDO
cima ou empurre para baixo o interrup- 5CONNECT4OUCH© PARAACESSARATELA
tor do banco A-fig. 21; o banco irá se de controle da temperatura.
C 4OQUEATECLAVIRTUALBANCODO
mover no sentido do interruptor. Solte o
interruptor quando a posição desejada
tiver sido alcançada. motorista “Driver” ou passageiro
“PassvLOCALIZADANOVISORDO5CON-
NECT4OUCH© UMAVEZPARASELECIONAR
Inclinando o banco para cima ou aquecimento forte “HIv4OQUEATECLA
para baixo virtual uma segunda vez para selecionar
/ÊNGULODOASSENTOPODESERAJUSTA- aquecimento fraco “LOv4OQUEATECLA

&2"2
do em quatro sentidos. Puxe para cima virtual uma terceira vez para desligar
ou empurre para baixo a frente ou a tra- “OFF” os elementos de aquecimento.
seira do interruptor do banco A-fig. 21; A
a frente ou a traseira do assento irá se
mover no sentido do interruptor. Solte o NOTA: uma vez que uma configu-
interruptor quando a posição desejada ração de aquecimento for selecio-
tiver sido alcançada. nada, o aquecimento será percebido
em alguns minutos.

fig. 22
A-18
Quando a configuração HI for se- que a baixas temperaturas, especi- da tampa traseira até o painel de ins-
lecionada, o aquecedor oferecerá um ficamente se utilizado por longos TRUMENTOS /ENCOSTOCOMPLETAMENTE
nível de aquecimento intensificado du- períodos de tempo. dobrado também possui uma superfície
rante os primeiros quatro minutos de rígida que você pode utilizar como uma A
operação. Então, a saída de calor irá superfície de trabalho quando o banco
diminuir para o nível HI. Se a configu- Não coloque nada sobre estiver completamente dobrado e o ve-
ração HI estiver selecionada, o sistema o banco que o isole termi- ículo não estiver em movimento.
irá alterar automaticamente para o ní- camente, como uma cober-
vel LO após um máximo 60 minutos de ta ou almofada. Isto pode ocasio- Tenha cuidado e mantenha-se
operação contínua. Quando isso acon- nar o superaquecimento do banco. atento à legislação de trânsito ao
tecer, o visor irá mudar de HI para LO, Sentar em um banco superaquecido transportar objetos sem proteção
indicando a alteração. A configuração pode causar queimaduras devido à ou fixação adequada no interior do
do nível LO irá mudar para OFF após temperatura elevada do banco. veículo. O deslocamento acidental
um máximo de 45 minutos. do objeto transportado pode causar
ferimentos.
O uso do sistema de O aquecimento repetitivo
aquecimento dos bancos, e rotineiro do banco não é
se disponível, deve ser cri- recomendado. Além da pos- Banco completamente dobrado
terioso e o seu uso constante não é sibilidade de danificar o elemento Puxe a alavanca de reclinação A-fig.
recomendado em casos específicos. aquecedor e/ou degradar o material 23 para cima para dobrar ou desdobrar
Particularmente, o uso do dispo- do banco, o uso contínuo pode o banco.
sitivo pode causar danos à saúde ainda acarretar danos à saúde.
de pessoas que não sintam dor na

&2"2
pele por motivo de idade avançada, Dobramento completo do banco do
doença crônica, diabetes, ferimen- passageiro dianteiro (se disponível)
to na medula espinhal, consumo
de medicação, exaustão ou que se Este dispositivo permite que você am-
encontrem em tratamento de ferti- plie o compartimento de carga. Quando A
lidade (homens) ou outra condição o banco estiver completamente dobra-
física. Deve-se tomar cuidado ao do, passa a ser uma extensão da super-
utilizar o aquecedor do banco, que FÓCIEDOASSOALHODECARGAPERMITINDO
pode causar queimaduras mesmo que um objeto de maior tamanho caiba
fig. 23
A-19
ADVERTÊNCIA: ao retornar o Para tanto, são concebidos na APOIA-CABEÇAS
encosto a posição original, verifi- ótica de “segurança ativa” e “segu-
que se o mesmo está corretamente rança passiva”. No caso específi- Os apoia-cabeças são projetados
travado na posição correta de uti- co dos bancos, estes, quando da para reduzir o risco de ferimentos pela
lização. ocorrência de impactos que pos- restrição dos movimentos de cabeça no
sam gerar desacelerações em níveis caso de um impacto traseiro.
“perigosos” aos usuários, são proje-
Não desmontar os bancos nem tados para se deformarem e, assim, ADVERTÊNCIA: lembre-se que os
efetuar serviços de manutenção e/ reduzir o nível de desaceleração apoia-cabeças devem ser regulados
ou reparação nos mesmos: opera- sobre os ocupantes, “preservando- de maneira que a nuca, e não o pes-
ções realizadas de modo incorre- -os passivamente”. coço, se apoie neles. Somente nessa
to podem prejudicar o funciona- posição podem protegê-lo em caso
mento dos dispositivos de segu- de batidas.
rança. Dirigir-se sempre à Rede Nesses casos, a deformação dos
Assistencial Fiat. bancos deve ser considerada uma Para elevar o apoio de cabeça, puxe
desejada consequência do sinistro, o para cima. Para abaixar o apoio de
uma vez que é na deformação que cabeça, aperte o botão A-fig. 24 loca-
ADVERTÊNCIA: o banco deve a energia do impacto é absorvida. lizado na base do apoio de cabeça e
estar bem travado para evitar o empurre-o para baixo.
movimento e possíveis acidentes.
Considera-se que, após consta-
tada essa deformação, o conjunto
ADVERTÊNCIA: o projeto de um deverá ser substituído

&2"2
veículo é concebido atualmente
para que, em casos de sinistros, os
ocupantes sofram o mínimo de con-
sequências possíveis.

fig. 24
A-20
SISTEMA DE APOIA-CABEÇAS NOTA: os apoia-cabeças ativos Apoia-cabeças - bancos da segunda
ATIVOS devem ser removidos somente por fileira
técnicos especializados, exclusiva- Os bancos traseiros possuem apoia-
Algumas versões, estão equipadas mente por motivos de manuten- A
com o dispositivo nos apoia-cabeças -cabeças ajustáveis instalados. Para
ção. Caso seja necessário remo- elevar o apoio de cabeça, puxe o para
dianteiros. O sistema atua no caso de ver os apoia-cabeças, visite a Rede
colisões traseiras, deslocando os apoia- cima. Para abaixar o apoio de cabeça,
Assistencial Fiat. aperte o botão A-fig. 26 localizado na
-cabeças dianteiros para a frente, redu-
ZINDOADISTÊNCIAENTREOAPOIA CABE A base do apoio de cabeça e empurre-o
e a nuca dos ocupantes. Esta ação tem o ADVERTÊNCIA para baixo.
propósito de proteger o pescoço contra
o efeito “chicote” provocado pela co-
lisão traseira. Não coloque objetos sobre
o apoio de cabeça ativo, como
Para maior conforto, os apoia-cabe-
capas, coberturas de banco ou DVD
ças ativos podem ser inclinados para a
players portáteis. Estes itens podem
frente e para trás fig. 25. Para inclinar
causar interferência na operação do
o apoio de cabeça para perto da parte
apoio de cabeça ativo.
de trás da sua cabeça, puxe a parte de
baixo do apoia-cabeças para a frente.
Empurre a parte de baixo do apoio de
Os apoia-cabeças ativos podem
cabeça para afastá-lo da sua cabeça.
ser acionados se forem atingidos
por um objeto como uma mão,
um pé ou uma carga solta. Para

&2"2
&2"2

evitar uma ativação acidental do


apoio de cabeça ativo verifique se
toda os objetos estão corretamente
fixados, já que cargas soltas podem
entrar em contato com o apoio de A
cabeça ativo durante frenagens de
emergência.

fig. 25 fig. 26
A-21
Terceira fileira de bancos de NOTA: antes de dobrar os bancos DOBRAR O BANCO
passageiros - modelos para sete de passageiros da segunda fileira,
passageiros verifique se o encosto do banco da 1 - Localize a alavanca de controle
frente não está reclinado. Isto irá A-fig. 27 na parte de baixo do lado ex-
Estes apoia-cabeças não são ajustá- terno do banco.
veis nem removíveis. Contudo, podem permitir que a segunda fileira de
ser dobrados para a frente quando não bancos se dobre mais facilmente. 2 - Coloque uma mão no encosto e
estiverem sendo usados pelos passagei- aplique uma pressão suave.
ROS#ONSULTEh$IVISÎODATERCEI- 3 - Levante a alavanca de controle
ra fileira de bancos de passageiros com Não permita que pessoas A-fig. 27 com a outra mão, permitindo
dispositivo de dobra completa - mode- permaneçam em nenhum que o encosto se mova ligeiramente e
los para sete passageiros” para maiores compartimento do veículo na sequência solte a alavanca.
informações. onde não existam bancos e cintos
de segurança.
Para evitar ferimentos
Não permita que um pessoais ou danos a objetos,
passageiro se sente em um Verifique se todos em seu veículo mantenha as duas mãos,
banco da terceira fileira estão em um banco utilizando um braços e objetos fora do curso do
sem que o apoio de cabeça esteja cinto de segurança adequadamente. encosto.
desdobrado e travado na posição
correta. 4 - Leve suavemente o encosto à po-
sição dobrada.
Em modelos para sete
DIVISÃO 60/40 DA SEGUNDA passageiros, não permita
FILEIRA DE BANCOS DE que um passageiro se sente

&2"2
PASSAGEIROS em um banco da terceira fileira com
o(s) encosto(s) da segunda fileira
Uma parte do banco de passageiros completamente dobrados.
da segunda fileira pode ser comple-
tamente dobrado. Isto permite que a
área de carga seja estendida e mante- A
B
nha algum espaço para passageiros, se
necessário.
fig. 27
A-22
DESDOBRAR O BANCO NOTA: antes de dobrar os bancos Para garantir a máxima
de passageiros da segunda fileira, proteção aos ocupantes do
Levante o encosto e trave no lugar. verifique se o encosto do banco da veículo em caso de aciden-
frente não está reclinado. Isto irá te, recomenda-se manter o encosto A
Verifique se o encosto permitir que a segunda fileira de na posição mais ereta possível e o
está seguramente travado bancos se dobre mais facilmente. cinto bem aderido ao tórax e à bacia.
na posição correta. Caso
contrário, o banco não irá oferecer
a estabilidade correta para os assen- AJUSTE DO RECLINADOR NOTA: ao retornar o banco à
tos infantis e/ou aos passageiros. (se disponível) posição original deverá haver aten-
A alavanca de reclinação está loca- ção especial no travamento correto
lizada no lado externo do banco. Para do encosto e do assento.
Ajuste para a frente ou para trás
reclinar o encosto, incline as costas,
A alavanca de controle B-fig. 27 está levante a alavanca A-fig. 28, coloque
localizada no lado externo do banco. Encosto/apoio de braço - bancos de
o encosto na posição desejada e solte passageiros da segunda fileira - fig. 29
Levante a alavanca para mover o banco a alavanca. Para voltar o encosto para
para a frente e para trás. Solte a alavan- a posição vertical normal, incline as A trava de liberação A-fig. 29 está
ca quando a posição desejada tiver sido costas, levante a alavanca, incline o localizada na parte superior do encosto/
alcançada. Então, utilizando o peso do corpo para a frente e solte a alavanca apoio de braço. Puxe a trava de libera-
corpo, mova o banco para a frente e assim que o encosto estiver na posição ção para a frente para liberar a trava e
para trás para garantir que as travas se vertical. então para baixo para abaixar o encos-
ajustaram. to/apoio de braço.

&2"2

&2"2
ADVERTÊNCIA: certifique-se de
que o encosto e o banco estejam A
travados na posição correta. Caso
contrário, o banco não irá oferecer A
a estabilidade adequada para assen-
tos infantis e/ou passageiros.

fig. 28 fig. 29
A-23
Encosto/apoio de braço PARA MOVER A SEGUNDA FILEI- Divisão 50/50 da terceira fileira de
Levante o encosto/apoio de braço e RA DE BANCOS DE PASSAGEIROS bancos de passageiros com dispo-
trave no local quando não estiver em PARA A FRENTE sitivo de dobra completa - modelos
uso ou quando o assento adicional for para sete passageiros
necessário. NOTA: levante o encosto/apoio Para proporcionar uma área adicio-
de braço antes de mover o banco nal para armazenamento, cada encosto
ADVERTÊNCIA: mantenha a trava para permitir que o banco percorra de banco de passageiros da terceira fi-
limpa e sem objetos e certifique-se o curso completo. leira pode ser completamente dobrado.
que o encosto/apoio de braço esteja Isto permite um espaço para carga es-
travado em uma posição segura. Mova para a frente a alavanca de con- tendido e ainda mantém alguns espaços
Caso contrário, o banco não ofere- trole A-fig. 30 na parte de cima do lado para passageiros, se necessário.
cerá a estabilidade adequada para externo do encosto. Na sequência, em um
assentos infantis e/ou passageiros. movimento suave, o assento se levanta e Tenha cuidado e mantenha-se
o banco se move para a frente no trilho. atento à legislação de trânsito ao
transportar objetos sem proteção
TIP ‘N SLIDE™ (BANCO DE FÁCIL ou fixação adequada no interior do
ENTRADA/SAÍDA) - VERSÕES PARA ADVERTÊNCIA: não coloque o
veículo em movimento com o banco veículo. O deslocamento acidental
SETE PASSAGEIROS do objeto transportado pode causar
nesta posição, que tem como única
Este dispositivo permite que passa- proposta a entrada e saída para os ferimentos.
geiros entrem ou saiam facilmente dos bancos da terceira fileira.
bancos de passageiros de uma terceira
fileira em qualquer lado do veículo.

&2"2

&2"2
A A

fig. 30 fig. 31
A-24
PARA DOBRAR O ENCOSTO ADVERTÊNCIA CINTOS DE
Puxe para cima a trava de liberação SEGURANÇA
A-fig. 31 que se localiza na parte de Certifique-se de que o encosto
cima do encosto do banco, empurre esteja travado na posição correta. A
ligeiramente o encosto para a frente Caso contrário, o banco não irá ofe- UTILIZAÇÃO DOS CINTOS DE
e solte a trava de liberação. Na se- recer a estabilidade adequada para SEGURANÇA
quência, continue a empurrar o encosto os passageiros. Um banco travado
inadequadamente pode causar feri- Para colocar os cintos, pegar a lin-
para a frente. Os apoia-cabeças irão se
mentos graves. gueta de fixação A-fig. 34 e introduzi-la
dobrar automaticamente quando o en-
na sede B-fig. 34 até perceber o “click”
costo se mover para a frente.
de travamento.
Não permita que um passageiro Se durante a colocação do cinto, o
PARA DESDOBRAR O ENCOSTO se sente em um banco da terceira mesmo se travar, deixá-lo enrolar por
Pela parte externa do veículo, com fileira sem que o apoio de cabe- um breve trecho e retirá-lo novamente,
a tampa do porta-malas aberta, segu- ça esteja desdobrado e travado na evitando puxões repentinos.
re a alça auxiliar do encosto e puxe-a posição.
em sua direção para levantar o encos-
to. Continue a levantar o encosto até
que trave na posição correta. Levante o Não permita que um passageiro
apoio de cabeça para travar na posição. se sente em um banco da terceira
fileira com o(s) encosto(s) da segun-
da fileira dobrados completamente.

&2"2

&2"2
&2"2

fig. 32 fig. 33 fig. 34


A-25
Após engatar a fivela na REGULAGEM EM ALTURA DOS Para fazer a regulagem para baixo,
sede do fecho, puxar leve- CINTOS DIANTEIROS apertar o botão B-fig. 35 no sentido da
mente o cinto para eliminar seta e abaixar a empunhadura A-fig.
a folga do cadarço na região abdo- 35. Para fazer a regulagem para cima,
A regulagem em altura simplesmente levantar a empunhadura
minal. dos cintos de segurança A-fig. 35 até que a mesma trave na po-
Para retirar o cinto, apertar o botão deve ser feita com o veícu- sição desejada.
da sede B-fig. 34. Acompanhar o cin- lo parado.
to durante seu enrolamento para evitar Regular sempre a altura dos cintos, Após a regulagem, veri-
que fique torcido. adaptando-os à estatura das pessoas ficar sempre se o cursor
que os usam. Esta precaução permite está travado em uma das
Não apertar o botão da melhorar sua eficácia reduzindo subs- posições predispostas. Para tanto,
sede B-fig. 34 com o veícu- tancialmente os riscos de lesões em sem pressionar o botão, fazer um
lo em movimento. caso de choque. movimento para baixo para permi-
A regulagem correta é obtida quando tir o travamento do dispositivo de
O cinto, por meio do retrator automá- fixação, caso o mesmo não tenha
o cinto passa cerca da metade entre a
tico, adapta-se ao corpo do passageiro sido travado em uma das posições
extremidade do ombro e do pescoço. A
permitindo liberdade de movimentos. estabelecidas.
sua eficiência depende diretamente da
Com o veículo estacionado em forte correta colocação por parte do usuário.
aclive ou declive, o retrator pode travar-
CINTOS DE SEGURANÇA
-se: isso é normal. O mecanismo de tra-
TRASEIROS
vamento do retrator intervém em caso
de qualquer puxão repentino do cinto O banco traseiro da 2ª fileira possui

&2"2
ou em caso de freadas bruscas, colisões B cintos de segurança inerciais de três
e curvas em alta velocidade. pontos de fixação com retrator para os
lugares laterais. Algumas versões pos-
A suem cintos de segurança inerciais de
três pontos também para o posto cen-
tral.

fig. 35
A-26
Os cintos de segurança para os luga- UTILIZAÇÃO DOS CINTOS DE ADVERTÊNCIAS GERAIS PARA A
res traseiros devem ser usados conforme SEGURANÇA DOS BANCOS DA UTILIZAÇÃO DOS CINTOS DE
o esquema ilustrado na fig. 36. 3ª FILEIRA SEGURANÇA
Para as versões equipadas com os /MOTORISTADEVERESPEITARETAMBÏM
A
Recordar-se de que, em bancos da 3ª fileira, colocar os cintos OSOUTROSOCUPANTESDOVEÓCULO TODAS
caso de colisão, os passa- conforme esquema ilustrado na fig. 37. as disposições legislativas locais com
geiros dos bancos traseiros relação à obrigação e modalidades de
que não estiverem usando os cintos, utilização dos cintos.
além de estarem infringindo as leis ADVERTÊNCIA: o cinto estará
de trânsito e de serem expostos a regulado corretamente quando ade- Colocar e ajustar sempre os cintos de
um grande risco, constituem um rir bem à bacia. A sua eficiência segurança antes de iniciar uma viagem.
perigo também para os passageiros depende diretamente da correta
dos lugares dianteiros. colocação por parte do usuário. Para garantir a máxima
proteção aos ocupantes do
veículo em caso de aciden-
te, recomenda-se manter o encosto
na posição mais ereta possível e
o cinto bem aderido ao tórax e à
bacia.

Colocar e ajustar sem-


pre os cintos de segurança,
&2"2

&2"2
tanto nos lugares dianteiros
como traseiros. A não utilização dos
cintos aumenta o risco de lesões
graves, ou de morte, em caso de
colisão.

fig. 36 fig. 37
A-27
A opção em reclinar o Se o cinto tiver sido sub- Cada cinto de segurança
banco limita as funções do metido a uma forte soli- deve ser utilizado somen-
cinto de segurança, poden- citação como, por exem- te por uma pessoa. Nunca
do ocasionar o escorregamento do plo, após um acidente, o mesmo transportar crianças no colo de
usuário por baixo do cinto, com deve ser substituído completamente um passageiro utilizando um cinto
riscos de estrangulamento. junto com as fixações, os parafusos de segurança para a proteção de
e o próprio sistema pré-tensionador, ambos fig. 39 e não colocar nenhum
O cinto não deve ser mesmo não apresentando danos objeto entre a pessoa e o cinto.
dobrado. A parte superior visíveis, pois estes equipamentos
podem ter perdido suas proprieda- O uso dos cintos é necessário tam-
deve passar nos ombros e bém para as mulheres grávidas: para
atravessar diagonalmente o tórax. des de resistência.
elas e para o bebê o risco de lesões em
A parte inferior deve aderir à bacia caso de colisão é certamente menor se
fig. 38 e não ao abdômen do pas- Para qualquer intervenção ou estiverem usando o cinto.
sageiro. Não utilizar dispositivos reparo, dirija-se sempre à Rede
(almofadas, espumas, clipes, etc.) Assistencial Fiat. Obviamente as mulheres grávidas
entre o corpo e o cinto, para qual- deverão colocar a faixa abdominal do
quer finalidade, ou qualquer outro cinto muito mais baixa de modo que a
tipo de dispositivo que trave, afrou- mesma passe sob o ventre fig. 40.
xe ou modifique o funcionamento
normal do cinto de segurança.
&#"2

&#"2

&#"2
fig. 38 fig. 39 fig. 40
A-28
COMO MANTER OS CINTOS DE TRANSPORTE DE O transporte de crianças no
SEGURANÇA SEMPRE EFICIENTES banco dianteiro só pode se verificar
CRIANÇAS EM em casos previstos conforme legis-
1) Utilizar sempre os cintos de
SEGURANÇA lação em vigor. Nestes casos, para A
segurança bem esticados, não tor- veículos dotados de airbag o banco
cidos; certificar-se de que os mes- 4ODOSOSMENORES CUJASCARACTERÓSTI- do passageiro deve ser regulado na
mos possam deslizar livremente sem CASFÓSICASIDADE ALTURAEPESO OSIM- posição mais afastada, a fim de evi-
impedimentos. peçam de utilizar os cintos de seguran- tar eventuais contatos da cadeirinha
ça com os quais o veículo é equipado para crianças com o painel.
2) Após um acidente, substituir o originalmente, deverão ser protegidos
cinto usado. Substituir o cinto em por dispositivos de retenção apropria- Para a melhor proteção em caso de
caso de ativação do pré-tensionador dos, seguindo rigorosamente as instru- colisão, todos os ocupantes devem via-
(se disponível). ções do fabricante do dispositivo. jar sentados e protegidos pelos sistemas
DERETEN ÎOADEQUADOSCINTOSDESEGU-
3) Para limpar os cintos, lavá- RAN A CADEIRINHAS ETC 
AI
GRAVE PERIGO:
RBAG

-los com água e sabão neutro, Esta recomendação é ainda mais


não colocar cadei-
enxaguando-os e deixando-os secar importante quando são transportadas
rinhas para crianças
à sombra. Não usar detergentes crianças no veículo.
voltadas contra o sentido de mar-
fortes, alvejantes ou tinturas, ou
cha no banco dianteiro. A ativação
qualquer outra substância química ADVERTÊNCIA: cada sistema de
do airbag em caso de colisão pode
que possa enfraquecer as fibras do retenção é rigorosamente para uma
produzir lesões mortais na criança
cinto. pessoa; não transportar nunca duas
transportada.
crianças na mesma cadeirinha ao
4) Evitar que os retratores auto- mesmo tempo.
máticos se molhem. O seu correto Somente o banco traseiro é reco-
funcionamento é garantido somen- mendado para o transporte de crian-
te se não sofrerem infiltrações de ças. Esta posição é a mais protegida ADVERTÊNCIA: verificar sempre
água. do veículo em caso de choque. se os cintos não estão apoiando no
pescoço da criança.
5) Substituir o cinto quando apre-
sentar marcas de deterioração ou
cortes.
A-29
ADVERTÊNCIA: durante a viagem 1) $ESLIZEOBANCODESEGUNDAFILEI- 6) Uma vez que o cinto de seguran-
não permitir que a criança desen- ra para a posição totalmente para trás ça esteja suficientemente longo para se
caixe os cintos. O MESMO DEVERÉ PERMANECER NESTA ajustar corretamente, insira-o na fivela
posição durante o uso do assento de até ouvir o “click” de travamento.
ELEVA ÎO  7) Remova a folga do cadarço do
ADVERTÊNCIA: em caso de aci- 2) Puxe o laço de liberação A-fig. cinto, se existente e certifique-se de que
dente, substituir a cadeirinha por 41 para a frente para soltar a trava e a o cinto está corretamente ajustado ao
uma nova. almofada do assento. corpo da criança.
3) Levante a almofada do assento
para cima e empurre-a até que se trave ADVERTÊNCIAS
ADVERTÊNCIA: aconselha-se
verificar na Rede Assistencial Fiat na posição de utilização.
a disponibilidade de dispositivos de 4) Coloque a criança na posição Certifique-se de que o assento foi
retenção para crianças da Linha Fiat vertical no assento com as costas fir- corretamente travado na posição
Acessórios, especificamente desen- memente apoiadas contra o encosto do de utilização antes de permitir o
volvidos para uso nos veículos Fiat. banco. posicionamento da criança. Caso
5) $ESLIZEOCINTODESEGURAN ASU- contrário, o assento de elevação
avemente sobre a criança. O cadarço pode não oferecer a estabilidade
ASSENTO DE ELEVAÇÃO adequada para proporcionar uma
do cinto deverá passar sob o ventre da
INTEGRADO PARA CRIANÇAS proteção efetiva para a criança e
criança e estar tão confortável quanto
(se disponível) para os outros passageiros.
possível.
O assento para crianças integrado es-
tá localizado em cada lateral dos ban- Durante o uso do assento de ele-

&2"2
cos da 2ª fileira. O assento foi conce- vação para crianças, observe tam-
bido, excepcionalmente, para crianças bém as recomendações gerais para
com peso entre 22 e 39 kg e entre os A o uso dos cintos de segurança, assim
1,19 m e 1,45 m de estatura. como as recomendações especificas
Para posicionar corretamente a crian- para o transporte de crianças em
ça no assento de elevação integrado si- segurança.
ga estes passos:

fig. 41
A-30
PRÉ-TENSIONADORES Os pré-tensionadores dos bancos
dianteiros se ativam somente se os res-
Intervenções que acarre-
tem colisões, vibrações ou
Para tornar ainda mais eficaz a ação pectivos cintos estiverem corretamente aquecimentos localizados
dos cintos de segurança dianteiros, as colocados nas fivelas. (superiores a 100°C por uma dura- A
versões equipadas com Airbag estão Ocorrendo a ativação dos pré-tensio- ção máxima de 6 horas) na zona
munidas também de pré-tensionadores nadores, pode-se verificar emissão de do pré-tensionador podem provocar
dos cintos de segurança. fumaça. Esta fumaça não é prejudicial danos ou a ativação do sistema. Não
Estes dispositivos detectam, através e não indica um princípio de incêndio. se enquadram nestas condições as
de um sensor, que está ocorrendo uma O pré-tensionador não necessita de vibrações induzidas pela irregulari-
COLISÎOVIOLENTAEPUXAMOCINTO$ES- nenhuma manutenção ou lubrificação. dade das estradas ou por ultrapassa-
te modo, garantem a perfeita aderên- Qualquer intervenção de modificação gens acidentais de obstáculos como
cia dos cintos ao corpo dos ocupantes, de suas características originais invalida guias, quebra-molas, etc. Para qual-
antes que se inicie a ação de retenção. sua eficiência. Se, por eventos naturais quer intervenção ou reparo, dirija-
EXCEPCIONAISENCHENTES MAREJADAS -se sempre à Rede Assistencial Fiat.
O travamento do cinto é reconhecí-
vel pelo travamento do retrator; o cin- ALAGAMENTOS ETC O DISPOSITIVO FOR
to não se enrola mais, nem mesmo se atingido por água ou barro, é obrigató-
ria a sua substituição. Em hipótese alguma deve-
acompanhado com as mãos. -se desmontar ou intervir
nos componentes do pré-
Para ter a máxima pro- O pré-tensionador é utilizável -tensionador. Qualquer reparação
teção da ação do pré- somente uma vez. Após a sua utili- deve ser feita por pessoal qualifica-
-tensionador, usar o cinto zação, dirija-se à Rede Assistencial do e autorizado. Procure sempre a
mantendo-o bem aderido ao tórax Fiat para a substituição completa Rede Assistencial Fiat.
e à bacia. dos dispositivos, incluindo os cintos
de segurança.

Para que ocorra o fun-


cionamento correto do pré-
-tensionador, o cinto de
segurança deverá estar sempre cor-
retamente afivelado.

A-31
AIRBAG Seu acionamento reduz o risco de
contato entre a cabeça/tórax do ocu-
A eficiência do sistema airbag é veri-
ficada, constantemente, por uma cen-
pante contra o volante/painel do veí- tral eletrônica.
DESCRIÇÃO E FUNCIONAMENTO culo, em decorrência da violência do No caso de qualquer anomalia, acen-
O airbag é um dispositivo constituído
choque. de-se a luz-espia û.
de uma bolsa com enchimento instan- A entrada em funcionamento do
TÊNEO CONTIDAEMUMVÎOAPROPRIADO Airbag produz calor e libera uma pe- Posicionado o comuta-
no centro do volante, em frente ao mo- quena quantidade de pó. Este produto dor de ignição em RUN, a
torista, e que, quando previsto, equipa não é nocivo e não indica princípio de luz-espia û acende-se, mas
também o painel em frente ao passagei- incêndio. deve apagar-se depois de alguns
ro dianteiro fig. 42 e 43. Pode estar dis- segundos. Se a situação persistir,
ponível, conforme o modelo, portanto, O airbag não se ativa nos desligar o motor e providenciar o
para o lado do motorista, passageiro, casos de impactos frontais reboque do veículo à concessioná-
NALATERALDOSBANCOSDIANTEIROSAIRBA- não violentos, choques late- ria Fiat mais próxima.
GSLATERAIS EAINDA AIRBAGSLATERAISDE rais não violentos, choques traseiros
PROTE ÎODACABE AWINDOWBAG  ou contra obstáculos amortecedo- Qualquer manutenção no sistema do
O Airbag não substitui o cinto de res que absorvam o impacto. Nesses airbag só deve ser feita por pessoal es-
SEGURAN A4RATA SEDEUMDISPOSITIVO casos os ocupantes são protegidos pecializado da Rede Autorizada Fiat.
suplementar ao mesmo, sendo aciona- somente pelos cintos de segurança
do exclusivamente em caso de impacto do veículo, que devem, por isso, ser Não colar adesivos ou
frontal violento. sempre usados. outros objetos no volante
ou no console do airbag do
&2"2

&2"2
lado do passageiro. Não viajar com
objetos no colo e muito menos com
cachimbo, lápis, ou qualquer objeto
È
entre os lábios; em caso de choque
È

com ativação do airbag, estes pode-


RES
ON/OFF
Ü
+
È

BACK

CANCEL SET
-

r A/C riam causar-lhe graves danos.


N (
REAR OFF

O
VOLUME

LIST/
ENTER

TUNE/SCROLL

fig. 42 fig. 43
A-32
O correto funcionamento do sistema AIRBAG DO LADO DO PASSAGEIRO O transporte de crianças no
airbag é garantido somente se todas as banco dianteiro só pode se verificar
limitações relativas à capacidade e à O airbag do lado do passageiro foi em casos previstos conforme legis-
estudado e calibrado para melhorar
disposição da carga no veículo forem
a proteção de uma pessoa que esteja
lação em vigor. Nestes casos, para A
respeitadas. veículos dotados de airbag o banco
usando o cinto de segurança. do passageiro deve ser regulado na
Dirija mantendo sempre O seu volume, no momento de máxi- posição mais afastada, a fim de evi-
as mãos na parte externa mo enchimento, preenche a maior parte tar eventuais contatos da cadeirinha
do volante de maneira que, do espaço entre o painel e o passageiro. para crianças com o painel.
em caso de ativação do airbag, Em caso de colisão, uma pessoa que
este possa encher-se sem encontrar não esteja usando o cinto de segurança
projeta-se para a frente em direção à AIRBAGS LATERAIS (SIDE BAG)
obstáculos que poderiam causar-
-lhe graves danos. Não dirija com o bolsa ainda na fase de abertura, com Os airbags laterais, presentes em al-
corpo inclinado para a frente, mas uma proteção certamente inferior à que gumas versões, possuem a função de
mantenha o encosto em posição poderia ser fornecida. aumentar a proteção dos ocupantes por
ereta, apoiando bem as costas. O airbag não é um substituto, mas um OCASIÎOEEMCIRCUNSTÊNCIASDETERMI-
complemento ao uso do cinto, por isso nadas de um choque lateral violento.
Para não alterar a sensi- recomenda-se usar sempre o cinto, seguin- São constituídos de bolsas de enchi-
bilidade do sistema Airbag, DORIGOROSAMENTEALEGISLA ÎODETRÊNSITO MENTOINSTANTÊNEO
evite a instalação, no veí- - Os side bags, estão alojados na late-
culo, de anteparos, proteções fron-
AI
GRAVE PERIGO:
RBAG

ral dos encostos dos bancos dianteiros,


tais e/ou laterais, acessórios não em veículo equipado sendo esta a solução que permite ter
genuínos ou não homologados ou com Airbag no lado sempre a bolsa na posição ideal em re-
mesmo componentes não preconi- do passageiro, não colocar a cadei- lação ao ocupante, independentemente
zados pela fábrica. rinha para bebê virada para trás, de da posição do banco.
costas para o painel.
Em caso de choque lateral violen-
Intervenções não recomendadas to, uma central eletrônica processa os
poderiam interferir no funciona- ADVERTÊNCIA: somente o banco sinais provenientes de um sensor de de-
mento do Airbag, alterando o com- traseiro é recomendado para o saceleração e ativa, quando necessário,
portamento originalmente previsto transporte de crianças. Esta posição o enchimento das bolsas.
para esse dispositivo. é a mais protegida do veículo em
caso de choque.
A-33
As bolsas inflam-se instantaneamen- Não apoiar os braços ou ATENÇÃO: a eficácia do sistema
te, colocando-se como proteção entre os cotovelos na porta, nas airbag é constantemente verifica-
o corpo dos passageiros e a lateral do janelas e na área do airbag da por uma central eletrônica. Na
veículo. Imediatamente após, as bolsas lateral para evitar possíveis lesões eventualidade de alguma anoma-
se esvaziam. durante a fase de enchimento. lia, a luz-espia ¬ se acende. Nestes
Em caso de choques laterais de baixa casos, procure imediatamente a Rede
GRAVIDADEPARAASQUAISÏSUFICIENTEA ATENÇÃO: é possível a ativação Assistencial Fiat.
A ÎOPROTETORADOSCINTOSDESEGURAN A dos airbags frontais e/ou laterais se
OSAIRBAGSNÎOSÎOATIVADOS4AMBÏM o veículo for submetido a fortes coli- ATENÇÃO: em caso de acidente
nestes casos é sempre necessária a uti- sões ou incêndios que envolverem a no qual tenha sido ativado qualquer
lização dos cintos de segurança, que zona da parte de baixo da carroceria dos dispositivos de segurança, pro-
em caso de choque lateral asseguram como, por exemplo, choques violen- cure a Rede Assistencial Fiat para
o correto posicionamento do ocupante tos contra grades, guias de passeio substituir aqueles ativados e para
e evitam a sua expulsão do veículo pro- ou saliências fixas do terreno, que- verificar a integridade da instalação.
vocadas por colisões muito violentas. das do veículo em grandes buracos
Portanto, os airbags laterais não subs- ou depressões da estrada. 4ODASASINTERVEN ÜESDECONTROLE
tituem, mas complementam o uso dos reparação e substituição relativas aos
cintos de segurança, que deverão ser ATENÇÃO: a entrada em funcio- airbags devem ser efetuadas exclusiva-
sempre usados por todos os ocupantes namento dos airbags libera uma mente pela Rede Assistencial Fiat.
dos veículo para garantir-lhes proteção. pequena quantidade de gases. Esses Em caso de sucateamento do veículo
ATENÇÃO: a melhor proteção por gases não são nocivos nem indicam é necessário dirigir-se primeiramente à
parte do sistema em caso de colisão um princípio de incêndio; a superfí- Rede Assistencial Fiat para desativar o
lateral é obtida mantendo uma corre- cie da bolsa desdobrada e o interior sistema airbag.
ta posição no banco, permitindo deste do veículo podem ser cobertos com
modo um correto desdobramento do um resíduo poeirento; esta poeira
airbag lateral. pode irritar a pele e os olhos. Em
caso de exposição, lavar-se com
sabão neutro e água.

A-34
AIRBAGS LATERAIS DE PROTEÇÃO ou ressaltos fixos do solo, quedas Se tiver de mandar o veículo para
DA CABEÇA (WINDOW BAG) do veículo em grandes buracos ou a sucata, é necessário dirigir-se à
poços nas estradas. Rede Assistencial Fiat para desativar
São constituídos de duas almofadas
tipo “cortina”, uma colocada no lado
o sistema. A
direito e uma no lado esquerdo do ve- AVISO: a ativação dos airbags
ículo, alojadas atrás dos revestimentos libera uma pequena quantidade de AVISO: a ativação de pré-tensio-
laterais do teto e cobertas por acaba- pó. Este pó não é nocivo e não nadores, airbags frontais ou airbags
mentos apropriados. indica um princípio de incêndio; laterais dianteiros, é decidida de
4ÐMAFUN ÎODEPROTEGERACABE A além disso, a superfície da almofada modo diferenciado, em base ao tipo
dos ocupantes dianteiros e traseiros desdobrada e o interno do veículo de colisão. A falta na ativação de
em caso de choque lateral violento, podem ser cobertos por um resíduo um ou mais destes não é sintoma de
graças à ampla superfície de desenvol- poeirento: este pó pode irritar a funcionamento irregular do sistema.
vimento das almofadas. pele e os olhos. No caso de expo-
sição, lavar-se com sabão neutro e
AVISO: a melhor proteção por água. Não apoiar a cabeça, os
parte do sistema em caso de colisão braços ou os cotovelos nas
lateral se obtém mantendo uma cor- portas, nas janelas e na área
reta posição no banco, permitindo ATENÇÃO: em caso de acidente de desdobramento da almofada do
neste modo um correto desdobra- no qual tenha sido ativado qualquer airbag lateral de proteção da cabeça
mento dos airbags laterais. dos dispositivos de segurança, pro- (Window Bag) para evitar possíveis
cure a Rede Assistencial Fiat para lesões durante a fase de enchimen-
substituí-los e para verificar a inte- to.
ADVERTÊNCIAS GERAIS gridade da instalação.

AVISO: a ativação dos airbags Todas as intervenções de con-


frontais e/ou laterais é também pos- trole, reparação e substituição que
sível sempre que o veículo for sub- concernem o airbag devem ser efe-
metido a fortes colisões que inte- tuadas na Rede Assistencial Fiat.
ressam a zona na parte inferior do
chassis, como por exemplo colisões
violentas contra degraus, passeios
A-35
Se, a luz-espia û não Dirija mantendo sempre Se, o veículo foi objeto
acende ao posicionar o as mãos na parte externa de roubo ou tentativa de
comutador de ignição na do volante de maneira que, roubo, se sofreu atos de
posição RUN ou permanece acesa em caso de ativação do airbag, vandalismos, inundações ou alaga-
durante a marcha é possível que este possa encher-se sem encontrar mentos, mandar verificar o sistema
haja uma anomalia nos sistemas obstáculos que poderiam causar- airbag na Rede Assistencial Fiat.
de retenção; neste caso os airba- -lhe graves danos. Não dirija com o
gs ou os pré-tensionadores podem corpo inclinado para a frente, mas
não ativar-se em caso de acidente mantenha o encosto em posição Não lavar os bancos com
ou, num mais limitado número de ereta, apoiando bem as costas. água ou vapor em pressão
casos, ativar-se de modo errado. (a mão ou nas estações de
Antes de prosseguir, dirigir-se à lavagem automáticas para bancos).
Rede Assistencial Fiat para o ime- Com o comutador de igni-
diato controle do sistema. ção na posição de funcio- A intervenção do airbag
namento, e com o motor frontal é prevista para coli-
desligado, os airbags podem ativar-se sões de gravidade superior
Não cobrir o encosto dos mesmo com o veículo estaciona- àquela dos pré-tensionadores. Para
bancos dianteiros e trasei- do, sempre que este seja impactado colisões compreendidas no interva-
ros com revestimentos ou por um outro veículo em marcha. lo entre os dois limites de ativação
forros que não sejam predispostos Portanto, com o veículo estacionado é normal que entrem em função só
para uso com Side bag. não devem absolutamente ser colo- os pré-tensionadores.
cadas crianças no banco dianteiro.
Além disso, lembre-se que com o
comutador de ignição na posição Não colocar objetos rígi-
Não viajar com objetos
OFF nenhum dispositivo de segu- dos nos ganchos de pendu-
nas pernas, na frente do
rança (airbag ou pré-tensionadores) rar roupas e nos manípulos
tórax ou segurando entre os
se ativa em consequência de uma de sustentação.
lábios, cachimbo, lápis, ou qualquer
objeto. Em caso de colisão com colisão; a falha na ativação destes
acionamento do airbag podem cau- dispositivos nestes casos, portanto,
sar graves danos. não pode ser considerada como sin-
toma de funcionamento irregular do
sistema.
A-36
O airbag não substitui os ABRIR E FECHAR O Trava de segurança sob o capô
cintos de segurança, mas
aumenta a eficácia dos CAPÔ Utilize a vareta de apoio do capô
A-fig. 46 para segurar o capô na po-
mesmos. Além disso, considerado
$EVEMSERSOLTASDUASTRAVASPARA sição aberta. Posicione a extremidade A
que os airbags frontais não inter- superior na abertura no lado de dentro
vêm em caso de colisões frontais a abrir o capô.
do capô.
baixa velocidade, colisões laterais, 1 - Puxe a alavanca da trava do capô
ou batidas em geral, nestes casos os A-fig. 44 localizada sob o lado esquer-
ocupantes são protegidos só pelos do do painel de instrumentos ao lado Se houver necessidade
cintos de segurança que devem ser do pedal do freio de estacionamento. de se fazer alguma verifi-
sempre usados. cação no motor, estando
Trava do capô este ainda quente, evite encostar-se
no eletroventilador, pois o mesmo
2 $OLADODEFORADOVEÓCULO LOCA- poderá funcionar mesmo com a
lize a alavanca da trava de segurança chave de ignição desligada. Espere
próxima ao centro da grade, entre a até que o motor esfrie.
grade e a abertura do capô. Empurre
a alavanca da trava de segurança pa-
ra a esquerda A-fig. 45 (detalhe) e na Antes de levantar o capô,
sequência levante o capô. certificar-se de que os
braços dos limpadores do
para-brisa não estejam levantados.
&2"2

&2"2

&2"2
A

A
S A

fig. 44 fig. 45 fig. 46


A-37
ADVERTÊNCIA LUZES Gire o interruptor dos faróis no sen-
tido horário até o primeiro estágio para
a operação da luz de estacionamento
Para evitar possíveis danos: INTERRUPTOR DOS FARÓIS POSI ÎO3 EDAILUMINA ÎODOPAI-
nel de instrumentos. Gire o interruptor
- Antes de fechar o capô, verifi- O interruptor dos faróis está locali- dos faróis até o segundo estágio para
que se a vareta de apoio do capô zado no lado esquerdo do painel de a operação dos faróis, luz de estacio-
está completamente assentada nas instrumentos. Este interruptor controla namento e da iluminação do painel de
suas sede de armazenamento. a operação dos faróis, luzes de estacio- instrumentos.
namento, iluminação do painel de ins-
trumentos, controle de intensidade do
Faróis automáticos (se disponível)
Para fechar o capô do motor painel de instrumentos, iluminação de
interior e luzes de neblina dianteiras e Este sistema liga ou desliga os faróis
TRASEIRASQUANDODISPONÓVEIS  automaticamente de acordo com os ní-
veis de iluminação do ambiente. Para
- Abaixar o capô a cerca de 20 cm ligar o sistema, gire o interruptor dos
do vão do motor; faróis no sentido anti-horário até a po-
sição AUTO. Quando o sistema estiver
ligado, a função de atraso do farol tam-
- Deixá-lo cair. O capô fecha-se
bém estará ligada. Isto significa que os
automaticamente.
faróis estarão ligados por até 90 segun-
dos após você colocar o interruptor de
ignição na posição OFF. Para desligar o
Verificar sempre se o capô foi
sistema automático, mova o interruptor

&2"2
bem fechado para evitar que se abra
dos faróis para fora da posição AUTO.
durante a marcha do veículo. 3 2

67
0 NOTA: o motor deve estar ligado
6
1
2 antes que os faróis entrem no modo
4 automático.

fig. 47
A-38
FARÓIS LIGADOS COM Para ativar esta função, coloque o LUZES DE PERCURSO À LUZ DO
LIMPADORES (DISPONÍVEIS interruptor de ignição na posição OFF DIA (se disponível)
SOMENTE COM FARÓIS enquanto os faróis ainda estiverem li-
As luzes de percurso à luz do dia
AUTOMÁTICOS) - (se disponível) gados. Então, desligue os faróis em 45
h$2,OU$AY2UNNIG,IGHTSv SERÎOLI-
A
segundos. O intervalo de atraso se ini-
Quando esta função estiver ativa, os cia quando o interruptor dos faróis for gadas “ON” na primeira vez que o veí-
faróis irão ligar aproximadamente 10 desligado. culo tiver a transmissão fora da posição
segundos após os limpadores serem PARK, e permanecerá ligado “ON” a
ligados e se o interruptor dos faróis es- não ser que o freio de estacionamento
tiver em . Adicionalmente, os faróis NOTA: as luzes devem ser desli- seja aplicado. Caso retorne à posição
irão desligar quando os limpadores gadas em 45 segundos após colocar PARK AS$2,SSEDESLIGARÎOh/&&v
forem desligados se eles tiverem sido a ignição em OFF para ativar esta !S$2,SSEDESLIGARÎOh/&&vQUANDOA
ligados por esta função. função. ignição for colocada em “OFF”.
Se você colocar os faróis, as luzes
NOTA: a função faróis ligados com de estacionamento ou a ignição em NOTA: as luzes de percurso à luz
limpadores pode ser ligada ou desli- ON novamente, o sistema cancelará o do dia podem ser ligadas e desliga-
gada utilizando o sistema Uconnect atraso. das utilizando o sistema Uconnect
Touch™, consulte “Configurações Caso você desligue os faróis antes Touch™, consulte “Configurações
do Uconnect Touch™” para maio- da ignição, eles desligarão da forma do Uconnect Touch™”.
res informações. normal.
ALERTA DE LUZES LIGADAS
TEMPO DE CORTESIA DOS FARÓIS NOTA: o tempo de atraso dos
Caso os faróis ou as luzes de estacio-
faróis é programável utilizando o
Esta função oferece uma iluminação namento estiverem ligados após colocar
sistema Uconnect Touch™, con-
segura pelos faróis por até 90 segundos a ignição na posição OFF, um sinal so-
sulte “Configurações do Uconnect
após deixar o seu veículo em uma área noro irá tocar para informar o motorista
Touch™” para maiores informa-
escura. quando a porta do motorista for aberta.
ções.

A-39
LUZES DE NEBLINA DIANTEIRAS E TRASEIRASIRÎODESLIGARASLUZESDENE-
BLINADIANTEIRASPERMANECEMLIGADAS 
ALAVANCA
TRASEIRAS (se disponível)
Pressione o interruptor uma quarta vez MULTIFUNCIONAL
O interruptor das luzes de neblina é e as luzes de neblina dianteiras irão
embutido no interruptor dos faróis. desligar. Para veículos sem as luzes de A alavanca multifuncional A-fig. 49
As luzes de neblina dianteiras e tra- neblina dianteiras, as luzes de neblina controla a operação das luzes indica-
seiras podem funcionar, caso deseje, traseiras irão ligar no primeiro toque. doras de direção, seleção do feixe de
quando a visibilidade for baixa devido luz dos faróis e os limpadores/lavado-
Uma luz indicadora no painel de ins-
à neblina. As luzes de neblina serão ati- res do para-brisa e do vidro traseiro. A
trumentos acenderá quando as luzes de
vadas na sequência a seguir: a partir da alavanca multifuncional está localizada
neblina estiverem ligadas.
posição 3 pressione o interruptor dos do lado esquerdo da coluna de direção.
faróis A-fig. 48 uma vez e as luzes de
neblina dianteiras irão ligar. Pressione o LUZES INDICADORAS DE DIREÇÃO
interruptor dos faróis uma segunda vez
Mova a alavanca multifuncional para
e as luzes de neblina traseiras irão ligar
cima ou para baixo e as setas de cada
ASLUZESDENEBLINADIANTEIRASPERMA-
lado do painel de instrumentos irão exi-
NECEMLIGADAS 0RESSIONEOINTERRUPTOR
bir respectivamente o funcionamento
uma terceira vez e as luzes de neblina
das luzes indicadoras de direção dian-
teiras e traseiras.
&2"2

&2"2
3 2 A
–––

6 70 '
A 1
MIST ˙ * ˜å –
–––
, '– å

6 2

fig. 48 fig. 49
A-40
NOTA: INTERRUPTOR DE FARÓIS ALTOS/ LUZES INTERNAS
BAIXOS
As luzes internas se acendem quando
Se a luz permanecer acesa e não Empurre a alavanca multifuncional
para a frente para passar os faróis para
uma porta é aberta. A
piscar ou piscar muito rápido, veri-
fique se há defeito na lâmpada a luz alta. Puxe a alavanca multifuncio- Para proteger a bateria, as luzes in-
externa. Se uma lâmpada indicado- nal para trás para passar os faróis para ternas irão se desligar automaticamente
ra não acender quando a alavanca a luz baixa. aproximadamente 10 minutos após o
for movida, é provável que a lâm- interruptor de ignição ser movido para
pada indicadora esteja com defeito. PISCAR PARA ULTRAPASSAGEM a posição OFF. Isto irá ocorrer se as lu-
zes internas forem ligadas manualmente
Você pode sinalizar para outro veícu- ou estiverem ligadas porque uma porta
Uma mensagem “Turn Signal On” lo com seus faróis puxando levemente está aberta. Isso inclui a iluminação do
irá aparecer no display (se disponí- a alavanca multifuncional para você, o porta-luvas mas não a luz do porta-
vel) e um sinal sonoro contínuo irá que fará com que os faróis acendam a -malas. Para retornar as luzes internas
tocar se o veículo percorrer mais de luz alta até que a alavanca seja solta. ao funcionamento normal, coloque o
1,6 km com qualquer luz indicadora interruptor de ignição na posição ON
de direção ligada. ou acione o interruptor das luzes.

CONTROLE DE INTENSIDADE
AUXÍLIO PARA TROCA DE FAIXA
O controle de intensidade A-fig. 50
4OQUEAALAVANCAUMAVEZPARACI- é parte do interruptor dos faróis e está
ma ou para baixo, sem mover além do localizado no lado esquerdo do painel

&2"2
primeiro estágio, e a luz indicadora de de instrumentos.
DIRE ÎODIREITAOUESQUERDA IRÉPISCAR Girando o controle de intensidade
3 2
A
três vezes e na sequência irá se desligar 6 70 esquerdo para cima, com as luzes de
automaticamente. 1
estacionamento ou os faróis ligados,
6 2

4 irá aumentar o brilho da iluminação


do painel de instrumentos.

fig. 50
A-41
LUZ DE TETO LIMPADORES E SISTEMA TEMPORIZADOR DE
LIMPADOR
Girar o controle de intensidade com- LAVADORES DE
pletamente para cima até o segundo es- Utilize o sistema temporizador de
tágio. As luzes internas irão se acender e PARA-BRISA limpador quando as condições climáti-
irão permanecer ligadas enquanto o con- cas fizerem com que um ciclo unitário
trole de intensidade estiver nesta posição. A alavanca de controle do limpador/ do limpador, com uma pausa variável
lavador de para-brisa está localizada entre os ciclos, seja desejável. Gire a
no lado esquerdo da coluna de direção extremidade da alavanca de controle
ADVERTÊNCIA: lembre-se que, ALAVANCAMULTIFUNCIONALfig. 51 
enquanto o controle de intensida- do limpador/lavador de para-brisas para
Os limpadores dianteiros são opera- um dos cinco estágios para selecionar o
de estiver nessa posição, as luzes
dos por um interruptor rotativo, locali- intervalo desejado.
internas se acenderão permanen-
zado na ponta da alavanca.
temente, o que pode ocasionar o
descarregamento da bateria caso CONTROLE DO LIMPADOR
isso ocorra, inadvertidamente, por DIANTEIRO
um longo período. Existem cinco configurações que
permitem que você regule o intervalo
BAIXA ILUMINAÇÃO INTERNA (OFF) entre os ciclos; de um mínimo de um
ciclo por segundo até um máximo de
Gire o controle de intensidade com- aproximadamente 36 segundos entre
pletamente para baixo. As luzes inter- os ciclos a velocidades abaixo de 16
nas irão permanecer desligadas com as km/h. Em velocidades maiores que 16
portas abertas. km/h, o intervalo varia até um máximo

&2"2
de aproximadamente 18 segundos entre
MODO PARADE (FUNÇÃO BRILHO cada ciclo.
DE LUZ DO DIA) –––
'
A
–––
MIST ˙ * ˜å , '–
– å

Gire o controle de intensidade para NOTA: os tempos de intervalo do


cima até o primeiro estágio. Esta função limpador dependem da velocidade
irá aumentar a luminosidade de todos os do veículo. Se o veículo estiver se
INSTRUMENTOS O%6)#SEDISPONÓVEL EO movendo a menos que 16 km/h, os
rádio quando as luzes de estacionamen- tempos de intervalo serão dobrados.
to ou os faróis estiverem ligados. fig. 51
A-42
OPERAÇÃO DO LIMPADOR DE LAVADORES DE PARA-BRISA ADVERTÊNCIA: a perda repenti-
PARA-BRISA na de visibilidade pode levar a uma
Para utilizar o lavador de para-brisa, colisão. Você pode não ver outros
Gire a extremidade da alavanca para empurre o botão do limpador A-fig. 51
cima até o primeiro estágio após as con- localizado na extremidade da alavanca
veículos ou obstáculos, Para evitar A
o embaçamento repentino do para-
figurações intermitentes para a opera- multifuncional para dentro até o segun- -brisa durante as estações de clima
ção do limpador em baixa velocidade. do estágio. frio, aqueça o para-brisa com o
Gire a extremidade da alavanca pa- Caso você ative o lavador enquanto desembaçador e durante a utiliza-
ra cima até o segundo estágio após as o controle do limpador A-fig. 51 estiver ção do lavador de para-brisa.
configurações intermitentes para a ope- no intervalo, os limpadores irão operar
ração do limpador em alta velocidade. em baixa velocidade em dois ou três
ciclos de limpeza após soltar a alavan- FUNÇÃO NÉVOA
NOTA: os limpadores irão auto- ca e na sequência voltará ao intervalo Empurre o botão do lavador A-fig.
maticamente retornar à posição de de operação intermitente selecionado 51, localizado na extremidade da ala-
repouso caso você posicione o inter- anteriormente. vanca multifuncional, para dentro até o
ruptor de ignição em OFF enquanto Caso você ative o lavador enquanto o primeiro estágio de forma a ativar um
eles estiverem em operação. Os controle do limpador estiver desligado, único ciclo de limpeza para remover a
limpadores irão retornar à operação os limpadores irão funcionar por dois névoa ou “spray” de água pulverizado
quando você retornar o interruptor ou três ciclos de limpeza e na sequência por outro veículo à frente do seu. Os
de ignição à posição ON. irão desligar. limpadores irão continuar a funcionar
até que você solte a alavanca.

ADVERTÊNCIA: coloque os lim-


padores de para-brisa na posição
desligado quando estiver passando
por um lava-rápido automático. Os
limpadores de para-brisa poderão
ser danificados caso o controle do
limpador esteja em outra posição
que não desligado.

A-43
FUNÇÕES DO VIDRO Gire o interruptor para cima após a
posição do primeiro estágio & fig. 52
LAVADORES DE
TRASEIRO para ativar o lavador traseiro. A bom- FARÓIS
ba do lavador continua a funcionar
(SE DISPONÍVEL)
enquanto segurar o interruptor. Após
LIMPADOR/LAVADOR DO VIDRO soltar, o limpador irá executar mais
TRASEIRO Os lavadores de faróis estão loca-
três ciclos antes de voltar à posição de lizados na parte de cima da frente do
O controle do limpador/lavador do configuração. veículo, na parte de baixo de cada farol.
vidro traseiro está localizado no lado A alavanca de controle do limpador/
ESQUERDODACOLUNADEDIRE ÎOALAVAN- Controle do limpador/lavador
lavador de para-brisa opera os lavado-
CAMULTIFUNCIONAL  traseiro
res dos faróis quando o interruptor de
Gire o interruptor para cima até a Caso o limpador traseiro seja coloca- ignição estiver na posição RUN e os
posição do primeiro estágio ' fig. 52 do em funcionamento quando a ignição faróis estiverem ligados.
para o funcionamento do limpador tra- estiver na posição OFF, o limpador irá
Para utilizar os lavadores dos faróis,
seiro. retornar automaticamente para a po-
puxe e, na sequência, solte a alavanca
sição de repouso. Quando o veículo
do limpador de para-brisa para dentro
for ligado novamente, o limpador irá
EMDIRE ÎOAOVOLANTE PARAATIVAROS
retomar o funcionamento em qualquer
lavadores de para-brisa. Após isso, os
posição que o interruptor estiver.
dois bicos lavadores em cada farol irão
esguichar um jato de alta pressão do
ADVERTÊNCIA: desligue o limpa- fluido lavador sobre cada lente do farol.
dor traseiro quando estiver passan- Adicionalmente, também os lavadores
do por um lava-rápido automático.
&2"2

de para-brisa irão borrifar o para-brisa


Os limpadores de para-brisa pode- e os limpadores irão executar um ciclo.
–––
rão ser danificados caso o inter-
––– '
ruptor do limpador traseiro seja
MIST ˙ * ˜å , '–
– å
NOTA: após posicionar o inter-
deixado na posição ligado.
ruptor de ignição e os faróis em
ON, os lavadores dos faróis irão
operar no primeiro jato do lavador
de para-brisa e no décimo primeiro
fig. 52 jato após este.
A-44
COLUNA DE Para destravar a coluna de direção,
empurre a alavanca para baixo. Para
PILOTO
DIREÇÃO COM inclinar a coluna de direção, mova o AUTOMÁTICO
REGULAGEM DE volante para cima ou para baixo. Para
(CRUISE CONTROL) A
alongar ou encurtar a coluna de dire-
INCLINAÇÃO/ ção, puxe o volante para fora ou o em- (SE DISPONÍVEL)
purre para dentro. Para travar a coluna
TELESCÓPICA de direção na posição, puxe a alavanca Quando ativado, o piloto automático
do controle para cima até que se encai- controla as funções do acelerador a ve-
Esta função permite que você incline locidades maiores que 40 km/h.
xe completamente.
a coluna de direção para cima ou para
baixo e permite também que a alongue Os botões do piloto automático estão
ou encurte. A alavanca de controle de Qualquer regulagem localizados no lado direito do volante.
inclinação/telescópico fig. 53 está lo- deve ser realizada somente
calizada abaixo do volante, no final da com o veículo parado. 1 - ON/OFF 2 - RES +
coluna de direção.
4 - CANCEL 3 3%4

&2"2
&2"2

1 ON/OFF
Ü RES
+ 2
4 CANCEL SET
- 3

fig. 53 fig. 54
A-45
NOTA: de forma a assegurar a O sistema deverá ser ativa- ver atingido a velocidade desejada,
operação correta, o sistema de pilo- do de preferência em estradas pressione o botão SET (-) DEFINIR e
to automático foi projetado para se retas, com asfalto em boas solte. Solte o acelerador e o veículo
desligar caso funções múltiplas de condições e havendo bom tempo. Não irá operar na velocidade selecionada.
controle de velocidade sejam ope- acionar o sistema na cidade ou em
radas ao mesmo tempo. Caso isto condições de tráfego intenso. NOTA: o veículo deve estar se
ocorra, o sistema de piloto automá- movimentando em uma velocidade
tico pode ser reativado pressionan- Em caso de funcionamento fixa em piso plano antes que seja
do o botão ON/OFF e reiniciando defeituoso do sistema de controle pressionado o botão SET.
a configuração da velocidade do de velocidade ou inoperância do
veículo desejada. mesmo, desligar o sistema por meio
do botão ON/OFF e dirigir-se à PARA DESATIVAR
Rede Assistencial Fiat. Um pequeno toque no pedal do freio,
PARA ATIVAR
pressionando o botão CANCEL CAN-
Pressione o botão ON/OFF. A luz Os valores programados no sis- CELAR ou uma pressão normal no freio
indicadora Ü do piloto automático tema deverão ser sempre coerentes enquanto reduz a velocidade do veícu-
no painel de instrumentos irá acender. com aqueles permitidos pela legis- lo irá desativar o Piloto Automático sem
Para desligar o sistema, pressione o bo- lação de trânsito e pelo local por apagar da memória a velocidade sele-
tão ON/OFF uma segunda vez. A luz onde se transita. cionada. Pressionar o botão ON/OFF
indicadora do piloto automático irá se ou colocar o interruptor de ignição em
apagar. O sistema deve ser desligado A velocidade do veículo pode OFF apaga da memória da velocidade
quando não estiver em uso. aumentar naturalmente em desci- selecionada.
das devido à inclinação do terreno,
Durante a marcha, estan- excedendo desta forma a veloci- PARA RECUPERAR A VELOCIDADE
do o piloto automático ati- dade inicialmente programada no
equipamento. Para recuperar uma velocidade se-
vado, não colocar a alavan-
lecionada anteriormente, pressione
ca de mudanças em N.
e solte o botão RES (+) REINICIAR . A
Aconselha-se acionar o sistema de PARA SELECIONAR UMA recuperação pode ser utilizada para
controle de velocidade somente quan- VELOCIDADE DESEJADA qualquer velocidade acima de 32
do as condições do tráfego e da estrada km/h.
Coloque o piloto automático em
permitam fazê-lo em plena segurança. ON LIGADO . Quando o veículo ti-
A-46
PARA VARIAR A VELOCIDADE ACELERAR PARA ULTRAPASSAGEM O interruptor do nivelamento dos fa-
SELECIONADA róis A-fig. 55 está localizado próximo
Pressione o acelerador como você fa- ao controle de intensidade, no lado es-
Enquanto o piloto automático estiver ria normalmente. Quando o pedal for
selecionado, você pode aumentar a solto, o veículo retornará à velocidade
querdo do painel de instrumentos. A
Para operar, gire o interruptor do
velocidade pressionando o botão RES selecionada.
nivelamento dos faróis até o número
(+). Caso o botão seja pressionado con-
adequado, que corresponde à carga
tinuamente, a velocidade selecionada UTILIZANDO O PILOTO listada conforme condições a seguir,
continuará a aumentar até que o botão AUTOMÁTICO EM VIAS iluminado no interruptor.
seja solto, então a nova velocidade se- INCLINADAS
lecionada será estabelecida. 0 - Somente motorista ou motorista e
/CÊMBIOPODERÉREDUZIRAMARCHA passageiro dianteiro.
Pressionar o botão RES (+) uma vez nas vias inclinadas para manter a velo-
irá resultar em um aumento de 2 km/h 1 4ODASASPOSI ÜESDEASSENTOS
cidade selecionada do veículo. ocupados.
na velocidade selecionada. Cada toque
subsequente no botão resultará em um 2 4ODAS AS POSI ÜES DE ASSENTOS
aumento de 2 km/h. NOTA: o sistema de piloto auto- ocupados, além de uma carga distribu-
Para diminuir a velocidade enquanto mático mantém a velocidade em ída igualmente no compartimento de
o Piloto Automático estiver acionado, subidas e descidas. Uma ligeira bagagem. O peso total dos passageiros
aperte o botão SET (-). Caso o botão variação na velocidade em inclina- e das cargas não ultrapassa a capacida-
seja mantido continuamente na posi- ções moderadas é normal. de máxima de carga do veículo.
ção SET (-), a velocidade selecionada Em inclinações íngremes, devido à Os cálculos foram feitos com base no
continuará a diminuir até que o botão perda ou ganho de velocidade que po- peso de 75 kg por passageiro.
seja solto. Solte o botão quando a ve- dem ocorrer dessa forma, pode ser pre-

&2"2
locidade desejada for alcançada, então ferível dirigir sem o piloto automático. A
a nova velocidade selecionada será es- 3 2

tabelecida.
SISTEMA DE NIVELAMENTO DOS 67
0

Pressionar o botão SET (-) uma vez FARÓIS (se disponível) 6


1
2

irá resultar em uma diminuição de 2 4

km/h na velocidade selecionada. Cada Este sistema permite que o motorista


toque subsequente no botão resultará mantenha a posição adequada dos fa-
em uma diminuição de 2 km/h. róis com relação à via, independente-
mente da carga do veículo. fig. 55
A-47
CONSOLE DE TETO lente uma segunda vez para desligar
a luz. Você pode ajustar a direção das
ESPELHO PARA OBSERVAÇÃO
INTERNA (se disponível) - fig. 58
O console de teto contém luzes de luzes B-fig. 56 luzes pressionando o
cortesia/leitura, armazenamento para anel externo, identificado por quatro O espelho convexo para observação
óculos de sol, espelho de observação setas direcionais. interna permite ao motorista e ao pas-
interna e um interruptor opcional de sageiro do banco dianteiro um campo
teto solar elétrico. LUZES DE CORTESIA TRASEIRAS amplo para visualizar os passageiros
sentados nos bancos traseiros, sobretu-
Conforme a configuração do veículo, do quando forem transportadas crian-
LUZES DE CORTESIA/LEITURA podem existir mais luzes de cortesia ou ças no veículo. Para utilizar o espelho
O console de teto possui duas luzes spots direcionáveis no interior do veícu- para observação interna, pressione as
de cortesia A-fig. 56 ou, conforme lo, com funcionamento similar ao des- barras elevadas da portinhola do com-
a versão, dois spots direcionáveis crito para as luzes do console de teto. PARTIMENTOESOLTEAPORTINHOLAIRÉDES-
B-fig. 56UMOUOUTRO . As luzes se LIZARPARABAIXO .ASEQUÐNCIA ELEVE
acendem quando uma ou mais portas ARMAZENAMENTO PARA ÓCULOS a portinhola até que ela esteja quase
ou o porta-malas forem abertos. Caso (se disponível) fechada e solte. A portinhola irá travar
o veículo possua o acesso remoto sem em posição para utilizar o espelho para
Para o acesso ao compartimento de observação interna.
CHAVE2+% INSTALADOASLUZESTAMBÏM
armazenamento, pressione as barras
irão se acender quando o botão no
elevadas da portinhola do comparti-
TRANSMISSOR2+%FORPRESSIONADO0RES-
mento fig. 57, no centro do console
sione cada lente para ligar a luz quando
e solte a portinhola para que a mesma
estiver dentro do veículo. Pressione a
possa deslizar para baixo.
&2"2

&2"2

&2"2
A
N
AUTO AUTO

V V
AUTO AUTO
O

fig. 56 fig. 57 fig. 58


A-48
TETO SOLAR ABERTURA DO TETO SOLAR - FECHAMENTO DO TETO SOLAR -
MODO MANUAL MODO MANUAL
ELÉTRICO
Para abrir o teto solar, pressione e se- Para fechar o teto solar, pressione e
(SE DISPONÍVEL)
gure o interruptor para trás para a aber- segure o interruptor para a frente. Soltar
A
O interruptor do teto solar elétrico tura completa. Soltar o interruptor irá o interruptor irá parar a movimentação
A-fig. 59 está localizado entre os para- parar a movimentação e o teto solar irá e o teto solar irá permanecer na con-
-sóis no console de teto. permanecer na condição parcialmente dição parcialmente fechada até que o
aberta até que o interruptor seja pressio- interruptor seja pressionado e segurado
ABERTURA EXPRESSA DO TETO nado e segurado para trás novamente. para a frente novamente.
SOLAR
FECHAMENTO EXPRESSO DO TETO FUNÇÃO DE PROTEÇÃO CONTRA
Pressione o interruptor para trás e SOLAR ESMAGAMENTO
solte dentro de meio segundo e o teto
solar irá abrir automaticamente a partir Pressione o interruptor para a frente Esta função irá detectar uma obstru-
de qualquer posição. O teto solar irá e solte dentro de meio segundo e o teto ção na abertura do teto solar durante
abrir completamente e parar automati- solar irá se fechar automaticamente a a operação de fechamento expresso.
camente. Isto é chamado de “abertura partir de qualquer posição. O teto solar Caso seja detectada alguma obstrução,
EXPRESSAv$URANTEAOPERA ÎODEABER- irá se fechar completamente e parar au- o teto solar irá retrair automaticamente.
tura expressa, qualquer movimento no tomaticamente. Isto é chamado de “fe- Caso isto ocorra, remova a obstrução.
interruptor do teto solar irá parar o teto CHAMENTOEXPRESSOv$URANTEAOPERA- Na sequência, pressione o interruptor
solar. ção de Fechamento Expresso, qualquer para a frente e solte para o fechamento
movimento no interruptor do teto solar expresso.
irá parar o teto solar.
&2"2

NOTA: caso o teto solar tente


AUTO

V
se fechar por três vezes consecuti-
vas e resulte na reversão da prote-
AUTO

ção contra esmagamento, a quarta


tentativa de fechamento será um
A movimento de fechamento manual
com a proteção contra esmagamen-
to desativada.
fig. 59
A-49
DESATIVAÇÃO DA PROTEÇÃO OPERAÇÃO DA PERSIANA Limpar também periodicamente,
CONTRA ESMAGAMENTO ou de acordo com a necessidade, a
O guarda-sol pode ser aberto manu- parte superior da guarnição principal
#ASOALGUMAOBSTRU ÎOSUJEIRA FRAG- almente. Contudo, o guarda-sol irá se com um pano úmido (água e sabão)
MENTOS ETC EVITEOFECHAMENTODOTE- abrir automaticamente se o teto solar para eliminar eventualmente o pó,
to solar, pressione o interruptor para a se abrir. terra, areia e folhas de árvores, etc.
frente e segure por dois segundos após
a ocorrência da reversão. Isto permiti- NOTA: o guarda-sol não pode
rá o teto solar se mover para a posição ser fechado se o teto solar estiver Após a limpeza é aconselhável a
fechado. aberto. lubrificação da guia da guarnição
com óleo de base siliconada.
NOTA: a proteção contra esma-
gamento fica desativada somente Não abrir o teto solar na
enquanto o interruptor estiver pres- presença de geada para não Para eventual necessidade de lim-
sionado. danificá-lo. peza da persiana, utilizar água com
sabão neutro, não utilizar produtos
ácidos, solventes, etc.
TETO SOLAR COMO VENTILAÇÃO Limpar periodicamente e/
EXPRESSA ou de acordo com a neces-
sidade, os mecanismos de Ao sair do veículo, remo-
Pressione e solte o botão “Vent” e ver sempre o chaveiro trans-
o teto solar irá abrir para a posição de movimentação do teto solar. Colocar
o vidro na posição de máxima aber- missor RKE a fim de evitar
ventilação. Isto é chamado de “venti- que o teto solar, acionado inadverti-
lação expressa”, e irá ocorrer indepen- tura e limpar com um pano seco
para eliminar os resíduos (poeira, damente, constitua um perigo para
dentemente da posição do teto solar. quem permanece dentro do veículo.
$URANTEAOPERA ÎODAVENTILA ÎOEX- folhas de árvore, etc.).
pressa, qualquer movimentação no in-
terruptor irá parar o teto solar. O uso impróprio do teto
Após a limpeza é aconselhável
lubrificar moderadamente os ele- solar pode ser perigoso.
mentos de escorrimento do meca- Antes e durante a sua movi-
nismo com graxa a base de silicone. mentação, certificar-se que os passa-
geiros não estejam expostos ao risco
de lesões provocadas pelo movimen-
A-50
to de abertura/fechamento do teto MANUTENÇÃO DO TETO SOLAR TOMADAS DE
solar ou pelo arrastamento de objetos
que possam colidir com os mesmos. Utilize somente um limpador não CORRENTE ELÉTRICA
abrasivo e um pano macio para limpar
o painel de vidro.
A
RAJADAS DE VENTO TOMADA DE CORRENTE 12V
OPERAÇÃO COM A IGNIÇÃO FRONTAL
Rajadas de vento podem ser descritas
DESLIGADA 5MASAÓDADEENERGIADE6!
como a percepção da pressão nos ou-
vidos. Podem ocorrer rajadas de vento Os interruptores do teto solar elétrico está localizada no console central abai-
em seu veículo com os vidros abertos, permanecem ativos por até dez minutos xo do rádio. A saída de energia fornece
OUOTETOSOLARSEDISPONÓVEL NASPOSI- após girar o interruptor de ignição para energia quando o interruptor de ignição
ções aberta e parcialmente aberta. Esta a posição OFF. Abrir qualquer uma das estiver na posição ON/RUN ou ACC.
é uma ocorrência prevista e pode ser portas dianteiras desativa esta função. Esta tomada de corrente irá funcio-
minimizada. Caso as rajadas ocorram nar também como um acendedor de
com os vidros traseiros abertos, abra os NOTA: o tempo é programável cigarros convencional. Para preservar
vidros dianteiros em conjunto com os com o uso do Sistema Uconnect o elemento aquecedor, não segure
vidros traseiros para minimizar as raja- Touch™. Consulte “Sistema o acendedor na posição de aqueci-
das. Caso as rajadas ocorram com o teto Uconnect Touch™” para maiores mento.
solar aberto, ajuste a abertura do teto informações.
solar para reduzir as rajadas ou abra
algum vidro.

&2"2
12V
DC

fig. 60
A-51
Uma segunda tomada de corrente ADVERTÊNCIA: verificar sempre TOMADAS DE CORRENTE 12V DO
DE6! ESTÉLOCALIZADADENTRO se o acendedor está desligado após BANCO TRASEIRO
da área de armazenamento do console o uso.
central. A energia está disponível quan- Uma quarta tomada de corrente com
do o interruptor de ignição estiver na fusível de 12V está localizada na mol-
posição ON/RUN, ACC ou OFF. O acendedor de cigar- dura esquerda do compartimento de
ros alcança temperaturas carga. Esta saída de energia fornece
ADVERTÊNCIA: elevadas. Manejá-lo com energia quando o interruptor de ignição
cautela e evitar que crianças o utili- estiver na posição ON ou ACC.
zem, pois há perigo de incêndio ou
Somente a tomada de queimaduras. ADVERTÊNCIA
corrente localizada no con-
sole frontal está apta a ser
usada com o acendedor de cigarros. TOMADAS DE CORRENTE 12V DO Não ultrapasse a potência máxi-
CONSOLE CENTRAL ma de 160W (13A) a 12V. Caso
a potência for ultrapassada 160W
Em caso de utilização da tomada Uma terceira tomada de corrente (13A) o fusível de proteção do sis-
de corrente como acendedor de com fusível de 12V está localizada na tema poderá necessitar ser substi-
cigarros, recomenda-se cautela no parte traseira do console central. Esta tuído.
manuseio deste último para pre- saída de energia fornece energia quan-
venir queimaduras causadas pelo do o interruptor de ignição estiver na
calor gerado pelo dispositivo. posição OFF, ON ou ACC.
&2"2

&2"2

&2"2
12V DC

12V
DC
w

12V DC

fig. 61 fig. 62 fig. 63


A-52
A tomada de corrente na parte ADVERTÊNCIA O plugue do acessório
de baixo do console central com- deve se ajustar perfeita-
partilha o fusível com a saída de - Devem ser inseridos somen- mente à medida da toma-
energia da parte traseira do console. te dispositivos projetados para ser da de corrente visando evitar mau A
A utilização combinada não pode inseridos em uma saída 12V. contato ou superaquecimento com
ultrapassar 160W (13A) a 12V. risco de incêndio.
- Não toque com as mãos molha-
das.
FUSÍVEIS DAS TOMADAS DE Recomenda-se verificar na Rede
CORRENTE - fig. 64 - Feche a tampa quando não esti- Assistencial Fiat a disponibilidade
1 - F103 - 20 A !MARELO TOMA- ver utilizando e quando estiver diri- de acessórios originais e homologa-
da de corrente do compartimento do gindo o veículo. dos para uso nos modelos Fiat.
console e tomada de corrente da parte - Se a saída for manuseada incor-
traseira do console. retamente, poderá causar choque ADVERTÊNCIA
2 - F102 - 20 A !MARELO TOMADA elétrico e defeitos.
de corrente do painel de instrumentos
e tomada de corrente da parte traseira ADVERTÊNCIA: Muitos acessórios podem ser
esquerda do compartimento de carga. conectados para tirar energia da
bateria do veículo, mesmo quan-
Se houver dúvidas com do não estiverem em uso (por
relação à conformidade do exemplo, telefones celulares, etc.).
plugue do acessório a ser Eventualmente, caso conectados
utilizado, recomenda-se verificar por muito tempo, a bateria do veí-
&2"2

com o fabricante se o mesmo aten- culo poderá descarregar o suficien-


de às especificações vigentes. te para reduzir a sua vida útil e/ou
impedir a partida do motor.

fig. 64
A-53
Acessórios podem consumir muita PORTA-COPOS ADVERTÊNCIA: caso
energia (por exemplo, geladeiras, recipientes com líquido
aspiradores de pó, luzes, etc.) e irão Existem dois porta-copos localizados quente sejam colocados no
descarregar a bateria ainda mais no console do assoalho central para os suporte de garrafas, eles podem der-
rapidamente. Utilize esses acessó- passageiros dianteiros fig. 65. ramar quando a porta for fechada,
rios somente de maneira eventual. Adicionalmente aos porta-copos, os queimando os ocupantes.
veículos também podem ser equipados
com suportes de garrafas. Os suportes
Após a utilização de acessórios de garrafas estão localizados nas mol-
que consumam muita energia ou duras do painel de porta fig. 66.
longos períodos sem dar a partida
no veículo (com os acessórios ainda Para os passageiros na segunda filei-
conectados), o veículo deve ser diri- ra existem dois porta-copos, localizados
gido por um período de tempo no apoio de braço entre os dois bancos.
suficiente para que o alternador Para os veículos com uma terceira
recarregue a bateria. fileira de bancos instalada, existem
porta-copos adicionais localizados nos
painéis da moldura.
As tomadas de corrente são pro-
jetadas somente para conectores de
acessórios. Não pendure nenhum
tipo de acessório ou de suporte de
acessório no conector.

&2"2
&2"2
˚

fig. 65 fig. 66
A-54
RECIPIENTES RECIPIENTE DO CONSOLE APOIO DE BRAÇO DESLIZANTE
CENTRAL
O apoio de braço do console central
Existe um compartimento localizado fig. 71 também pode deslizar para trás
PORTA-LUVAS
sob o apoio de braço do console cen- para facilitar o acesso à área do reci-
A
O compartimento do porta-luvas es- tral. piente.
tá localizado no lado do passageiro do Puxe para cima o manete de libera-
painel de instrumentos. Puxe o manete ção A-fig. 69, localizado na frente da ADVERTÊNCIA: não
de liberação fig. 67 para abrir o com- tampa, para abrir o compartimento de coloque o veículo em fun-
partimento do porta-luvas. armazenamento fig. 70. cionamento com a tampa
O porta-luvas pode ser trancado utili- do compartimento do console na
zando a chave de emergência armaze- posição aberta.
nada no transmissor de acesso remoto

&2"2

&2"2
VER#HAVES NESTECAPÓTULO  12V DC

RECIPIENTE DO CONSOLE DO
ASSOALHO
Um recipiente aberto, ou pequeno
compartimento, está localizado no
console de assoalho fig. 68.
fig. 68 fig. 70

&2"2

&2"2
&2"2

fig. 67 fig. 69 fig. 71


A-55
PORTA-OBJETOS FLIP ‘N STOW™ PORTA-OBJETOS TEMPORÁRIO antes de levantar o encosto/apoio de
DO BANCO DO PASSAGEIRO DOS BANCOS DE PASSAGEIROS DA BRA O6ER%NCOSTOAPOIODEBRA O
DIANTEIRO (se disponível) SEGUNDA FILEIRA bancos de passageiros da segunda fi-
LEIRA NESTECAPÓTULO
A trava de liberação do banco está Este é um recipiente temporário pro-
localizada no centro A-fig. 72, entre o jetado para a utilização quando o en- BOLSO PARA MAPAS E MESINHA
assento e o encosto. Puxe a trava para costo/apoio de braço estiver abaixado DA SEGUNDA FILEIRA
cima para liberar a trava e na sequência fig. 74, que pode também ser utilizado (se disponível) - fig. 75
para a frente para abrir o banco até a como porta-copos. Certifique-se de re-
posição endentada. mover todos os itens deste recipiente Um bolso para mapas e mesinha está
localizado na parte de trás do encosto
do banco do motorista.
NOTA: verifique se os objetos
dentro do compartimento fig. 73

&2"2
não interferem na trava antes de
fechar o banco. Empurre o assento
para baixo após fechar e verifique
se ele trava na base.

fig. 73
&2"2

&2"2

&2"2
A

fig. 72 fig. 74 fig. 75


A-56
PORTA-OBJETOS INTERNO AO Para acessar o compartimento, posi-
cione o tapete do assoalho para o lado
CARACTERÍSTICAS
ASSOALHO COM REVESTIMENTO
REMOVÍVEL - fig. 76 SEDISPONÓVEL 0UXEATRAVADELIBERA- DO ESPAÇO DE
ção da porta para cima para liberar a
CARGA A
trava e então para a frente para abrir o
NOTA: posicione o banco dian- recipiente da porta.
teiro ao menos na posição de meio- O revestimento pode ser removido SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE
-curso para oferecer acesso fácil para facilitar a limpeza levantando os CARGA
para o recipiente. ressaltos conforme exibido na fig. 77.
Um recipiente interno ao assoalho Características do sistema de cinco
está localizado atrás de cada banco passageiros
dianteiro. Cada recipiente de 5,9 l po- - Um assoalho de carga elevada que
de guardar até 12 latas de 0,35 l, mais repousa sobre um grande compartimen-
gelo ou outros itens. O recipiente do re- to embutido.
vestimento removível permite fácil pre-
- Uma tampa de três dobras embu-
enchimento, esvaziamento e limpeza.
tida no assoalho de carga que permite
fácil acesso aos itens no compartimento
embutido.
$IVISÎODASEGUNDAFILEIRADE
bancos de passageiros com função de
dobra completa, que permite estender
OCOMPARTIMENTODECARGA#ONSULTE
&2"2

&2"2
h"ANCOSv 
- Um banco do passageiro diantei-
ro opcional com dispositivo de dobra
completa, que permite estender ainda
MAISOCOMPARTIMENTODECARGA#ON-
SULTEh"ANCOSv 
- Prendedores de carga.
fig. 76 fig. 77
A-57
- Uma cobertura retrátil do compar- PRENDEDORES DE CARGA - Não utilize cargas que ultrapas-
TIMENTODECARGASEDISPONÓVEL  sem os limites de carga descritos no
Os prendedores de carga estão capítulo "Características Técnicas"
Características do sistema de sete localizados em ambos os painéis no presente manual.
passageiros de moldura traseiros fig. 78. Estes
- Um grande compartimento de car- prendedores devem ser utilizados - Sempre distribua a carga igual-
ga embutido com uma cobertura rígida para segurar cargas com seguran- mente sobre o assoalho de carga.
articulada localizada no assoalho atrás ça enquanto o veículo estiver em Coloque os objetos mais pesados o
da terceira fileira de bancos de passa- movimento. mais baixo e o mais para a frente
geiros. que for possível.
$IVISÎODASEGUNDAFILEIRADE ADVERTÊNCIA - Posicione tanta carga quanto
bancos de passageiros com função de conseguir à frente do eixo traseiro.
dobra completa, que permite estender Excesso de peso ou peso distribuído
o compartimento de carga. Consulte O peso e o posicionamento da inadequadamente sobre ou atrás do
h"ANCOSvEMh%NTENDAASFUN ÜESDO carga e dos passageiros pode alterar eixo traseiro pode causar balanço
seu veículo” para maiores informações. o centro de gravidade e a dirigi- do veículo.
$IVISÎODATERCEIRAFILEIRADE bilidade do veículo. Siga as reco-
bancos de passageiros com função de mendações a seguir ao carregar seu - Não empilhe bagagem nem car-
dobra completa, que permite estender veículo: gas acima da parte de cima do
o compartimento de carga. Consulte encosto do banco. Isto pode preju-
h"ANCOSvEMh%NTENDAASFUN ÜESDO dicar a visibilidade ou se tornar um
seu veículo” para maiores informações. perigoso projétil em caso de parada
brusca ou colisão.

&2"2
- Um banco do passageiro dianteiro
opcional com função de dobra com- - Os passageiros não devem se
pleta, que permite estender o compar- sentar no compartimento traseiro
TIMENTODECARGA#ONSULTEh"ANCOSv de carga. O compartimento traseiro
em “Entenda as funções do seu veículo” de carga tem o objetivo único de
para maiores informações. carregamento de cargas, não de
- Prendedores de carga. passageiros, que devem se sentar
nos bancos e utilizar os cintos de
fig. 78 segurança.
A-58
- No uso do porta-malas, nunca COBERTURA RETRÁTIL DO A cobertura, quando estendida, co-
superar as cargas máximas permi- COMPARTIMENTO DE CARGA bre o compartimento de carga para
tidas (ver capítulo “Características (CASO INSTALADA) - MODELOS DE manter os itens fora do campo de visão.
técnicas”). Certificar-se ainda que CINCO PASSAGEIROS Ranhuras nos painéis de moldura próxi- A
os objetos contidos no porta-malas mas à abertura da tampa do porta-malas
estejam bem colocados, para evitar seguram a cobertura estendida no lugar.
que uma freada brusca possa jogá- NOTA: o objetivo desta cobertura A cobertura se enrola suavemente pa-
-los para a frente, machucando os é de privacidade, não para sustentar ra dentro do encaixe quando não estiver
passageiros. cargas. Ela não evitará que a carga em uso. Você pode remover a cobertura
se movimente nem protegerá os para proporcionar mais espaço no seu
passageiros de cargas soltas. compartimento de carga.
- Tenha cuidado e mantenha-se Para instalar a cobertura, posicione-a
atento à legislação de trânsito ao A cobertura retrátil do compartimen-
to de carga removível é montada no no veículo de forma que o lado plano
transportar objetos sem proteção do encaixe esteja voltado para cima. Na
ou fixação adequada no interior do compartimento de carga atrás da parte
superior dos bancos traseiros. sequência, insira a coluna sustentada
veículo. O deslocamento acidental por molas do lado esquerdo ou do la-
do objeto transportado pode causar DODIREITOLOCALIZADANASEXTREMIDADES
ferimentos. DOENCAIXEDACOBERTURA NOPONTODE
encaixe esquerdo ou direito.

&2"2
&2"2
fig. 79 fig. 80
A-59
Insira a coluna sustentada por molas
na extremidade oposta do encaixe da
COMANDOS Para desligar, pressionar novamente
o botão A.
cobertura no ponto de encaixe no lado Os comandos estão localizados no
oposto do veículo. painel central e acionam, pela ordem: B - Interruptor do compressor do ar
Segure o manete da cobertura e puxe condicionado
em sua direção. Conforme a cobertura A - Luzes de emergência Ver o assunto “Climatização” no pre-
se aproxima da abertura da tampa do "OTÎOCOMINDICA ÎODEFUN ÎOPARA sente capítulo.
porta-malas, direcione a para as colu- ligar e desligar as luzes de emergência.
NASDEENCAIXEEMAMBASASEXTREMI- Acendem-se apertando levemente o bo- C - Interruptor de recirculação do ar
DADESDACOBERTURA NASRANHURASDOS tão A-fig. 81, independente da posição
painéis de moldura. Abaixe a cobertura Ver o assunto “Climatização” no pre-
da chave de ignição. Com o dispositivo sente capítulo.
até posicionar as colunas para dentro ligado, os indicadores y, no quadro
da parte de baixo das ranhuras e solte de instrumentos iluminam-se de modo
o manete. D - Desembaçador dianteiro
intermitente.
Ver o assunto “Climatização” no pre-
A luz de emergência só deve sente capítulo.
ADVERTÊNCIA: não armazene a
ser acionada pressionando o botão
cobertura de carga no assoalho de
A-fig. 81 com o veículo parado; E - Desembaçador do vidro traseiro
carga nem no compartimento de
nunca em movimento.
passageiros. Remova a cobertura O botão do desembaçador do vidro
do veículo quando for retirá-la de traseiro está localizado no painel de
sua montagem. Não a armazene no controle de temperatura fig. 81. Pres-
veículo. sione este botão para ligar o desemba-
çador do vidro traseiro e os espelhos

&2"2
RETROVISORES EXTERNOS AQUECIDOS SE
DISPONÓVEL 5MINDICADORNOBOTÎOIRÉ
acender quando o desembaçador do
vidro traseiro estiver ligado. O desem-
A B C D E F baçador do vidro traseiro desliga auto-
Z
Z maticamente após aproximadamente
10 minutos.

fig. 81
A-60
NOTA: para evitar o desgas- Tome cuidado ao lavar Não utilize raspadores, instru-
te excessivo da bateria, utilize o o interior do vidro trasei- mentos afiados nem limpa-vidros
desembaçador do vidro traseiro ro. Não utilize limpa-vidros abrasivos na superfície interna do
somente quando o motor estiver abrasivos na superfície interna do vidro. A
funcionando. vidro. Utilize um pano macio e uma
solução suave para lavagem, esfre-
gando paralelamente ao elementos Mantenha todos os objetos a uma
ADVERTÊNCIA de aquecimento. Etiquetas podem distância segura do vidro.
ser descascadas após embeber com
Deixar de seguir estes avisos de água quente.
F - Interruptor do sistema ESC
atenção podem causar danos aos
elementos de aquecimento: Ver o assunto “Controle eletrônico
DEESTABILIDADE%3# vNOCAPÓTULOh5SO
correto do veículo”.

A-61
PAINEL DE INSTRUMENTOS

&2"2
1 2 3 1 2 4 2 1 2 1

Audio OFF 14:57


SETINGS
RADIO
- (
O Front Rear

PLAYER A/C T MORE

Z
Z
Climate OFF SCREEN
OFF
CLIMATE

È
È

RES
ON/OFF
Ü
+
È

BACK

CANCEL SET
-

r A/C T -FRONT
(
REAR OFF

N p OFF
N LIST/
ENTER
AUTO

O O
VOLUME TUNE/SCROLL

14 13 12 11 10 9 8 7 6 5 fig. 82

1. Saídas de desembaçamento do vidros laterais e saídas frontais - 2. Saídas de ar - 3. Quadro de instrumentos -


4.$ISPLAYDO3ISTEMA5CONNECT4OUCH©SEDISPONÓVEL 5. Porta luvas - 6. Conjunto de interruptores dos comandos -
7.4OMADADECORRENTEOUACENDEDORDECIGARROS 8.%NTRADADE#$$6$SEDISPONÓVEL 9. Controles rígidos do sistema
5CONNECT4OUCH© 10. "OTÎOLIGADESLIGADO-OTOR 11. Alavanca de abertura do capô - 12. Controles de intensidade/
iluminação interna/nivelamento dos faróis - 13. Interruptor de iluminação externa - 14. Alavanca multifuncional.

A-62
QUADRO DE INSTRUMENTOS

&2"2
I I I
I I I
3 4 I 100 12080 140 I I
I
80 60 160100
2 5

I
40

I
60 180

I
I

I
120
1 6 40

I
200

I
I
20

I
20 220

I
0 7
140

I
RPM 00 240

I
I
X1000 MPH
km/h

uC H E F K

A B C D E

fig. 83

A - Indicador de temperatura do líquido de arrefecimento do motor


B - Conta-giros
C $ISPLAY%6)#%LECTRONIC6EHICLE)NFORMATION#ENTER
D - Velocímetro
E - Indicador do nível de combustível

A-63
INSTRUMENTOS DE MEDIDOR NA TEMPERATURA DE em funcionamento em um clima quen-
TE SUBINDOMONTANHAS EMUMTRÊNSITO
ARREFECIMENTO - fig. 87
BORDO intenso ou rebocando uma carretinha.
O medidor de temperatura indica a Se o ponteiro levantar até a marcação
temperatura do líquido de arrefecimen- “H”, encoste com segurança e pare o
CONTA-GIROS - fig. 84 to do motor. Qualquer leitura dentro da veículo. Se o sistema de ar condiciona-
Este medidor indica as rotações por faixa normal indica que o sistema de do A/C estiver ligado, desligue. Ainda,
MINUTODOMOTOR20-X !NTESDO arrefecimento está funcionando de ma- COLOQUEATRANSMISSÎOEM.%542!,E
ponteiro atingir a zona vermelha, alivie neira satisfatória. O ponteiro do medi- deixe o veículo em marcha lenta. Ca-
o acelerador para evitar danos ao motor. dor irá provavelmente indicar uma tem- so o ponteiro permaneça na marcação
peratura alta enquanto o veículo estiver h(v $%3,)'5%IMEDIATAMENTEOMOTOR
VELOCÍMETRO - fig. 85 e recorra à Rede Assistencial Fiat.

&2"2
Exibe a velocidade do veículo em
quilômetros por hora ou milhas por I I I I ADVERTÊNCIA: não deixe seu
I I 100 120 I I I
HORAUNIDADENÎOUTILIZADANO"RASIL  I
80 60 80 140 veículo desacompanhado com o
160
motor ligado, você não poderá rea-

I
40
60

I
100
180

I
I
MEDIDOR DE COMBUSTÍVEL - fig. 86 40 gir caso o indicador de temperatura

I
120

I
200 indique que o motor superaqueceu.

I
I
20

20

I
O medidor de combustível apresenta I 220

I
I 140
o nível do tanque de combustível quan- 00

I
240
I

I
MPH

do o interruptor de ignição estiver na km/h

posição ON/RUN. fig. 85


&2"2

&2"2

&2"2
3 4
2 5 E F K uC H
1 6

0 7
RPM
X1000

fig. 84 fig. 86 fig. 87


A-64
Se o motor funcionar sem o líqui- LUZES-ESPIA Nas páginas seguintes são
do de arrefecimento, seu veículo demonstrados alguns exemplos de
poderá ser seriamente danificado. E SINALIZAÇÕES situações em que pode ocorrer o
Os reparos, nesses casos, não serão acendimento de uma luz-espia no A
cobertos pela Garantia. quadro de instrumentos e/ou visu-
ADVERTÊNCIAS GERAIS
alização no display em algumas
As sinalizações de advertência/ versões.
Em caso de superaqueci-
avaria ocorrem através do acendimen-

¬
mento, desligar o motor e
to de uma luz-espia no quadro de ins-
providenciar o reboque do LUZ DE ALERTA DO
trumentos, podendo ser acompanhada
veículo à concessionária Fiat mais AIRBAG
por um sinal sonoro e, para algumas
próxima.
versões, mensagens no display EVIC
Esta luz irá acender por alguns segun-
#ENTRODE)NFORMA ÜES%LETRÙNICASDO
DOSCOMOLÊMPADADEVERIFICA ÎOQUAN-
Observação: 6EÓCULO 
do o interruptor de ignição for colocado
H - do inglês hot: quente Estas sinalizações são sintéticas e em ON/RUN pela primeira vez. Se a
cautelares com o objetivo de sugerir a luz não ligar durante a partida, perma-
C - do inglês cold: frio
imediata ação que deve ser adotada pe- necer acesa ou ligar durante o funcio-
lo motorista, em situações que podem namento do veículo leve o veículo para
levar o veículo a condições extremas inspeção no Rede Assistencial Fiat.
de uso. Esta sinalização não deve ser
considerada completa e/ou alternativa
ao especificado no presente manual de
uso e manutenção, o qual recomenda-
mos sempre uma atenta e aprofunda-
da leitura. Em caso de sinalização de
advertência/avaria, recorrer sempre ao
quanto descrito no presente capítulo.

A-65
U
AVARIA NO SISTEMA DE ADVERTÊNCIA CONTROLE ELETRÔNICO
CONTROLE DO MOTOR DE ESTABILIDADE (ESC)
(amarelo âmbar) LUZ INDICADORA DE
Dirigir por períodos prolongados ATIVAÇÃO/MAU FUN-
A luz-espia de mau funcionamento com a luz-espia acesa poderá cau- CIONAMENTO
é parte de um sistema de diagnóstico a sar danos no sistema de controle (se disponível)
BORDO CHAMADO/"$ QUEMONITORAO do motor, o que também poderá
funcionamento do motor e os sistemas afetar a economia de combustível A “luz indicadora de ativação/mau
de controle da transmissão automática. e a dirigibilidade. Caso a luz este- funcionamento do ESC” no painel de
A luz irá acender brevemente quando ja piscando, poderão ocorrer em instrumentos irá se acender quando o
o comutador de ignição estiver na po- breve danos graves no catalisador e interruptor de ignição for colocado na
sição ON/RUN, antes da partida do perda de potência. A manutenção é posição ON/RUN e deve se apagar
motor. necessária imediatamente. com o funcionamento do motor. Se a
Certas condições, como um vaza- “luz indicadora de ativação/mau fun-
mento ou a perda da tampa de combus- cionamento do ESC” permanecer liga-
tível, combustível de baixa qualidade Um catalisador com mau funcio- da com o motor funcionando, um mau
etc., podem provocar o acendimento da namento, conforme referido acima, funcionamento foi detectado no sistema
luz-espia após a partida do motor. O poderá atingir temperaturas mais ESC. Se a luz permanecer acesa, visite
veículo deve receber manutenção se a altas que as condições normais de a Rede Assistencial Fiat.
luz-espia permanecer acesa por perío- funcionamento. Isto poderá causar
dos diversos ou específicos do percurso. um incêndio se você dirigir lenta- NOTA:
Na maioria das situações, o veículo irá mente ou estacionar sobre subs-
funcionar normalmente e não irá neces- tâncias inflamáveis como plantas
sitar ser rebocado. secas, madeira, papelão, etc., o que A “luz indicadora do ESC desli-
poderá causar ferimentos graves ao gado” e a “Luz indicadora de ati-
motorista, ocupantes e a terceiros. vação/mau funcionamento do ESC”
se acendem momentaneamente cada
vez que o interruptor de ignição for
colocado na posição ON/RUN.

A-66
4
Cada vez que a ignição for colo- quando for acionado o interruptor das INDICADOR DA LUZ DE
cada em ON/RUN, o sistema ESC luzes de emergência. NEBLINA TRASEIRA
será ligado “ON”, mesmo se tiver (se disponível)
sido desligado anteriormente. NOTA:
Este indicador irá acender quando
A
as luzes de neblina traseiras estiverem
O sistema ESC irá fazer sons de Um sinal sonoro irá tocar se o ligadas.
zunido ou clique quando estiver veículo percorrer mais que 1,6 km
ativo. Os sons irão parar quando o com uma luz indicadora de direção INDICADOR DE

3
ESC ficar inativo seguindo a mano- ligada. FARÓIS/LUZES DE
bra que causou a ativação do ESC. ESTACIONAMENTO
LIGADO
Verifique uma lâmpada externa (se disponível)
INDICADOR DE DIREÇÃO sem funcionar caso um indicador
Este indicador irá acender caso as
R ESQUERDA (verde)
(intermitente)
pisque rapidamente.
luzes de estacionamento ou os faróis
estejam ligados.

1
A luz-espia no quadro acende quan- INDICADOR DE FAROL
do a alavanca de comando das luzes ALTO LUZ INDICADORA DE
DEDIRE ÎOSETAS ÏDESLOCADAPARABAI- MONITORAMENTO DA
xo ou, juntamente com a seta direita, Esta luz mostra quando os faróis altos PRESSÃO NOS PNEUS -
quando for acionado o interruptor das estão acesos. Puxe a alavanca multifun- SISTEMA TPMS
luzes de emergência. cional no lado esquerdo da coluna de (se disponível)
direção para você caso queira alternar
INDICADOR DE DIREÇÃO para o farol baixo. Cada pneu, incluindo o estepe, deve
ser verificado mensalmente quando frio
E DIREITA (verde)

5
(intermitente) INDICADOR DAS LUZES e calibrado com a pressão recomenda-
DE NEBLINA DIANTEIRAS da pelo fabricante.
A luz-espia no quadro acende quan- (se disponível)
do a alavanca de comando das luzes de
DIRE ÎOSETAS ÏDESLOCADAPARACIMA Este indicador irá se acender quando
ou, juntamente com a seta esquerda, as luzes de neblina dianteira estiverem
acesas.
A-67
Como função adicional para aumen- Seu veículo também possui um indi- ADVERTÊNCIA: o TPMS foi ade-
tar a segurança, seu veículo pode estar CADORDEMAUFUNCIONAMENTODO40-3 quado para o melhor desempenho
equipado com um sistema de monitora- instalado para indicar quando o sistema com os pneus e rodas originais. As
MENTODAPRESSÎONOSPNEUS40-3 QUE não estiver funcionando adequadamen- pressões e alertas do TPMS foram
acende um indicador de baixa pressão te. O indicador de mau funcionamento estabelecidos para as dimensões de
dos pneus quando um ou mais pneus DO40-3FUNCIONAEMCONJUNTOCOM pneus instalados em seu veículo.
estiverem significativamente descalibra- indicação de baixa pressão dos pneus. A utilização de peças de reposição
dos. Quando a luz indicadora de baixa Quando o sistema detectar um mau fun- que não sejam das mesmas dimen-
pressão dos pneus se acender, você de- cionamento, a luz indicadora irá piscar sões, modelo ou conformidade pode
verá parar e verificar os pneus assim que por aproximadamente um minuto e en- causar um funcionamento indeseja-
possível e calibrá-los adequadamente. tão permanecer acesa continuamente. do do sistema ou danos ao sensor.
$IRIGIRCOMPNEUSDESCALIBRADOSCAUSA Esta sequência continuará nas próximas Rodas não genuínas podem causar
o superaquecimento dos pneus e oca- partidas do veículo enquanto o mau danos ao sensor. Não utilize veda-
siona danos. Pneus murchos também funcionamento existir. Quando o in- dores para pneus não genuínos ou
reduzem a eficiência de combustível e dicador de mau funcionamento estiver pesos para balanceamento caso o
a vida-útil do pneu, afetando a dirigi- aceso, o sistema pode não ser capaz de seu veículo tenha o TPMS instala-
bilidade e a frenabilidade do veículo. detectar ou de sinalizar a baixa pressão do, que poderão resultar em danos
DOSPNEUSCONFORMEDESEJADO/40-3 aos sensores. (Consulte “Sistema
Para a manutenção correta do poderá ter um mau funcionamento por de Monitoramento da Pressão dos
pneu, é de responsabilidade do diversas razões, incluindo a instalação Pneus (TPMS)” para maiores infor-
motorista manter a pressão correta, do pneus substitutos ou alternativos mações).
mesmo que a baixa pressão não ou rodas no veículo que evitem que o
tenha atingido o nível que dispara 40-3FUNCIONECORRETAMENTE3EMPRE
a iluminação da luz indicadora de verifique a luz de indicação de mau
baixa pressão do TPMS. FUNCIONAMENTODO40-3APØSSUBSTI-
tuir um ou mais pneus ou rodas do seu
veículo para garantir que os pneus subs-
titutos ou alternativos e as rodas permi-
TEMQUEO40-3CONTINUEAFUNCIONAR
adequadamente.

A-68
<
Se a luz permanecer acesa enquanto NOTA: a luz poderá piscar
LUZ LEMBRETE DO CINTO o freio de estacionamento não estiver momentaneamente durante mano-
DE SEGURANÇA acionado e o nível do fluido estiver na bras de curvas fechadas, que irão
marcação de cheio do reservatório do
Quando o interruptor de ignição for cilindro mestre, isso significa um pos- alterar as condições de nível do A
colocado pela primeira vez em ON/ sível mau funcionamento do sistema fluido. O veículo deve sofrer manu-
RUN, esta luz irá acender por alguns hidráulico de frenagem ou que um tenção e o nível do fluido de freio
SEGUNDOSCOMOUMTESTEDELÊMPADA problema com o servofreio foi detec- deve ser verificado.
$URANTEOTESTEDALÊMPADA SEOCINTO tado pelo sistema de freio antibloqueio Caso um defeito seja detectado no
de segurança do motorista não estiver !"3 SISTEMADO0ROGRAMA%LETRÙNICO freio, é necessário o reparo imediato.
afivelado, um sinal sonoro irá tocar. DE%STABILIDADE%30 .ESTECASO ALUZ
!PØSOTESTEDELÊMPADAOUENQUANTO permanecerá acesa até que a condição
estiver dirigindo, se o cinto de segu- seja corrigida. Se o problema for rela- ADVERTÊNCIA
rança do motorista permanecer solto, CIONADOAOSERVOFREIO ABOMBADO!"3
a luz lembrete do cinto de segurança irá funcionar quando aplicar o freio e Dirigir um veículo com a luz
ira piscar ou permanecer acesa conti- você irá sentir uma pulsação no pedal vermelha de freio acesa é perigoso.
nuamente. do freio a cada parada. Faça uma verificação imediata do

x
O sistema duplo de freio proporciona veículo.
LUZ DE ALERTA DOS
FREIOS uma capacidade de frenagem reserva
para o caso de uma falha parcial no
Monitora as diversas fun- sistema hidráulico. Um vazamento em Veículos com o sistema de freio
+ ções de frenagem, inclusive qualquer lado do sistema de freio du- antibloqueio (ABS) instalado pos-

s
o nível do fluido de freio e a plo é indicada pela Luz de Alerta dos suem também a distribuição ele-
aplicação do freio de estacio- Freios, que irá se acender quando o ní- trônica da força de frenagem (EBD)
namento. Se a luz dos freios vel do fluido de freio no cilindro mestre instalada. No caso de um defeito
se acender poderá significar cair abaixo de um nível específico. no EBD, a luz de alerta dos freios
que o freio de estacionamento está apli- irá acender ao mesmo tempo que a
A luz irá permanecer acesa até que o Luz ABS. É necessária a reparação
cado, que o nível do fluido de freio está motivo seja corrigido.
baixo ou que há um problema com o imediata do sistema ABS.
reservatório do sistema de freios.

A-69
>
A operação da luz de alerta dos
LUZ DO FREIO INDICADOR DA TAMPA
freios pode ser verificada ao alterar
ANTIBLOQUEIO (ABS) DE COMBUSTÍVEL
o interruptor de ignição da posição
OFF para a posição ON/RUN. A luz Esta luz monitora o sistema de freio
irá acender por aproximadamente Este símbolo indica o lado do veícu-
ANTIBLOQUEIO!"3 !LUZSEACENDERÉ lo onde a tampa de abastecimento de
dois segundos. A luz deve então se quando o interruptor de ignição estiver
desligar desde que o freio de esta- combustível está localizada.
na posição ON/RUN e poderá perma-
cionamento não esteja acionado ou necer ligada por um máximo de quatro

ç
um defeito no freio seja encontrado. segundos.
Caso a luz não acenda, faça uma LUZ DE SEGURANÇA DO
inspeção da luz na Rede Assistencial #ASOALUZ!"3PERMANECERACESAOU VEÍCULO (se disponível)
Fiat. acender enquanto você estiver dirigin-
do, isso indica que a parte antibloqueio Esta luz irá piscar rapidamente por
do sistema de freio não está funcionan- aproximadamente 16 segundos quan-
A luz também irá acender quando do e que é necessária manutenção. do o sistema de segurança do veículo
o freio de estacionamento for apli- Contudo, o sistema de freio convencio- ALARME ESTIVERSENDOARMADOEENTÎO
cado com o interruptor de ignição nal irá continuar funcionando normal- piscar lentamente quando o sistema es-
na posição ON/RUN. mente caso a luz de alerta do sistema tiver armado. A luz também irá acender
de freios não estiver acesa. por em torno de três segundos quando o
3EALUZ!"3ESTIVERACESA OSISTE- interruptor de ignição for colocado pe-
NOTA: esta luz mostra somente ma de freio deve receber manutenção la primeira vez na posição ON/RUN.
que o freio de estacionamento está assim que possível para restaurar o be- #ONSULTEh!LARMEELETRÙNICOv 
aplicado. Não mostra o grau de nefício dos freios antibloqueio. Além
aplicação do freio. DISSO A LUZ !"3 DEVE SER VERIFICADA
frequentemente para garantir que es-
teja funcionando adequadamente. Se a
luz não acender, faça uma inspeção do
sistema Rede Assistencial Fiat.

A-70
CENTRAL O sistema permite que o motorista se- Botão SELECIONAR
˙ - Pressione e solte o botão para
lecione a informação pressionando os
ELETRÔNICA DE botões a seguir, montados no volante:
acessar os menus principais, sub-menus
INFORMAÇÕES DO ou para selecionar uma configuração A
BOTÕES DO EVIC NO VOLANTE pessoal no menu de configurações.
VEÍCULO (EVIC) Pressione e segure o botão por dois
Botão PARA CIMA segundos para ajustar as configurações
A central eletrônica de informações
N - Pressione e solte o botão para a zero.
DOVEÓCULO%6)# PELASUASIGLAEM
LÓNGUAINGLESA ATIVAUMDISPLAYQUE passar para cima pelos menus princi-
interage com o motorista, o qual está PAIS &UEL %CONOMY 6EHICLE 3PEED Botão BACK (voltar)
localizado no painel de instrumentos. 4RIP)NFO 4IRE"AR 6EHICLE)NFO -ES- B ACK 0RESSIONEOBOTÎO"!#+PARA

Este sistema permite ao motorista SAGES 4URN-ENU/FFESUB MENUSRES- passar de volta para o menu ou sub-
selecionar diversas informações úteis PECTIVOS  -menu anterior.
pressionando os interruptores mon-
tados no volante. O EVIC consiste no Botão PARA BAIXO Exibições da Central Eletrônica de
seguinte: O - Pressione e solte o botão para Informações do Veículo (EVIC)
)NFORMA ÜESDORÉDIOSEMSUBME- passar para baixo pelos menus princi- Quando existirem as condições ade-
NU pais e sub-menus. quadas, o EVIC exibe as mensagens
como a seguir:
- Economia de combustível
- Turn signal onLUZINDICADORADE
- Velocidade do veículo
DIRE ÎOACESA COMUMSINALSONORODE
- Informações do percurso alerta contínua se o veículo percorrer

&2"2
- Pressão dos pneus mais de 1,6 km com alguma luz indi-
- Informações do veículo CADORADEDIRE ÎOACESA 
- Mensagens de informações do ve- - Left front turn signal light outLUZIN-
ÓCULOMENSAGENSDEALERTAARMAZENA- dicadora de direção dianteira esquerda
DAS NÎOESTÉFUNCIONANDO COMUMSINAL
SONOROSIMPLES 
$ESLIGARMENU

fig. 88
A-71
- Left rear turn signal light outLUZIN- - Door(s) ajarPORTASABERTAS COM LUZES BRANCAS DE INFORMAÇÃO
dicadora de direção traseira esquerda um sinal sonoro simples se o veículo DO EVIC
NÎOESTÉFUNCIONANDO COMUMSINAL ESTIVEREMMOVIMENTO
SONOROSIMPLES Está área irá exibir as luzes brancas
- Liftgate ajar TAMPADOPORTA MALAS
de aviso reconfiguráveis. Estas luzes
- Right front turn signal light out LUZ ABERTA COMUMSINALSONOROSIMPLES
incluem:
indicadora de direção dianteira direita - Low washer fluidPOUCOFLUIDOLA-
NÎOESTÉFUNCIONANDO COMUMSINAL - Status da alavanca de marchas
VADOR COMUMSINALSONOROSIMPLES
SONOROSIMPLES O status da alavanca de marchas
- Ignition or accessory ON IGNI ÎO
- Right rear turn signal light outLUZ h0 2 . $vÏEXIBIDOINDICANDOAPO-
OUACESSØRIOLIGADO
indicadora de direção traseira direita sição da alavanca de marchas. As in-
NÎOESTÉFUNCIONANDO COMUMSINAL - Vehicle not in parkVEÓCULOFORADA formações em “4,3,2,1” indicam que a
SONOROSIMPLES POSI ÎO0!2+ FUN ÎO!UTOSTICK©FOIATIVADAEAMAR-
- Key left vehicleCHAVEDEIXADANO cha selecionada é exibida.
- R+% battery lowBATERIADO2+% fra-
CA COMUMSINALSONOROSIMPLES VEÓCULO - Piloto automático ligado “ON”
- Personal settings not available – - Key not detected CHAVENÎODETEC- - Esta luz irá se acender quando o
vehicle not in 0!2+ #ONFIGURA ÜES TADA Piloto Automático estiver em ON. Para
pessoais indisponíveis - veículo não - Low tire pressureBAIXAPRESSÎODOS maiores informações, consulte “Contro-
ESTÉEM0!2+ PNEUS le Eletrônico de Velocidade”.
- Left/right front door ajarPORTADIAN- - Service tire pressurePRESSÎODETRA- - Piloto automático selecionado
TEIRAESQUERDADIREITAABERTA UMAOU BALHODOSPNEUS “SET”
mais portas está aberta, com um sinal %#/INDICADORDOECONOMIZADOR Ü - Esta luz irá se acender quando o
sonoro simples se a velocidade ultra- DECOMBUSTÓVEL SEDISPONÓVEL 0ILOTO!UTOMÉTICOESTIVEREM3%40ARA
PASSAR KMH - Check gascap VERIFIQUEATAMPADE maiores informações, consulte “Con-
- Left/right rear door ajarPORTATRASEI- COMBUSTÓVEL trole Eletrônico de Velocidade” em
RAESQUERDADIREITAABERTA UMAOUMAIS “Entenda as Funções do seu Veículo.”
- Oil change requiredNECESSÉRIAA
portas está aberta, com um sinal sonoro TROCADEØLEO COMUMSINALSONORO
simples se a velocidade ultrapassar 1,6 SIMPLES
KMH

A-72
LUZES ÂMBAR DE INFORMAÇÃO Uma tampa do abastecimento de Não coloque o veículo em funciona-
DO EVIC combustível perdida, colocada inade- mento até que a causa seja solucionada.
quadamente ou danificada também po- Esta luz não mostra quanto óleo existe
%STAÉREAIRÉEXIBIRASLUZESÊMBAR derá acender a luz indicadora de mau
de aviso reconfiguráveis. Estas luzes funcionamento U.
no motor. O óleo de motor deve ser ve- A
rificado sob o capô.
incluem:
- Indicador de pouco fluido lavador - Luz de recarga do sistema
w - Esta luz mostra o estado do sis-
- Luz de pouco combustível do para-brisa (se disponível)
K - Quando o nível de combustível - Está luz irá acender para indicar tema de recarga elétrica. Caso a luz
atingir aproximadamente 11,0 l está luz que há pouco fluido lavador do para- permanecer acesa ou acender com o
irá acender e permanecer acesa até que -brisa. veículo em funcionamento, desligue
seja adicionado combustível. alguns dispositivos elétricos não essen-
- Indicador de perda da tampa de LUZES VERMELHAS DE ciais ou aumente a rotação do motor
combustível (se disponível) INFORMAÇÃO DO EVIC CASOESTEJAEMMARCHALENTA 3EALUZ
- Se o sistema de diagnóstico do de recarga do sistema permanecer liga-
Esta área irá exibir as luzes vermelhas da, isto significa que o veículo tem um
veículo indicar que a tampa do abas- de aviso reconfiguráveis. Estas luzes in-
tecimento de combustível foi perdida, cluem: problema no sistema de recarga. Visite
colocada inadequadamente ou danifi- a Rede Assistencial Fiat.
cada, um indicador de perda da tampa - Porta aberta
de combustível irá ser exibido na área - Está luz irá acender para indicar
do visor de indicadores. Aperte a tam- que uma ou mais portas podem estar
pa do abastecimento de combustível abertas.
adequadamente e pressione o botão - Luz de aviso da pressão de óleo
v - Esta luz indica baixa pressão
3%,%#4˙ PARAAPAGARAMENSAGEM
Caso o problema permaneça, a mensa-
do óleo de motor. Caso a luz se acenda
gem irá aparecer na próxima vez que o
enquanto você dirige, pare o veículo e
veículo for ligado.
desligue o motor assim que possível.
Um sinal sonoro irá tocar por, aproxi-
madamente, quatro minutos quando
esta luz se acender.

A-73
- Luz de controle eletrônico do - Luz de alerta da temperatura do - Luz de alerta da temperatura da
acelerador (ETC) motor transmissão
- Esta luz informa que há um pro- u - Esta luz alerta a condição de su- - Esta luz indica que a temperatura
blema no sistema Controle Eletrônico peraquecimento do motor. Conforme do fluido de transmissão está alta. Isto
DO!CELERADOR%4# !LUZIRÉACENDER a temperatura se eleva e o medidor pode ocorrer com a utilização intensa,
quando a ignição for colocada pela pri- se aproxima do H, este indicador irá como o reboque de uma carreta. Se es-
meira vez em ON e permanecer ligada acender e um sinal sonoro simples irá ta luz acender, encoste com seguran-
BREVEMENTECOMOTESTEDELÊMPADA tocar após atingir o limite selecionado. ça e pare o veículo. Então, coloque o
Caso a luz não acenda durante a par- Um superaquecimento além do limite CÊMBIOEMNEUTRAL N EFUNCIONE
tida, faça a verificação do sistema na irá fazer com que o medidor de tempe- o motor em marcha lenta ou com uma
Rede Assistencial Fiat. ratura passe o H, o indicador irá piscar rotação um pouco maior até que a luz
Se um problema for detectado, a luz continuamente e um sinal sonoro irá apague.
irá acender com o motor em funciona- tocar continuamente até que o motor
mento. se resfrie. Continuar dirigindo com
Se a luz permanecer acesa com o a luz de alerta da tempera-
motor funcionando, visite a Rede As- Se o motor funcionar sem o líqui- tura de transmissão acesa
sistencial Fiat. Se a luz estiver piscando do de arrefecimento, seu veículo poderá causar eventualmente danos
enquanto o motor estiver funcionando, poderá ser seriamente danificado. graves à transmissão.
é necessária a manutenção imediata. Os reparos, nestes casos, não serão
Você pode sentir o desempenho redu- cobertos pela Garantia.
zido, uma marcha lenta elevada ou o Se a luz de alerta da tem-
motor parar e seu veículo necessitar de peratura de transmissão
reboque. Se a luz acender enquanto dirige, en- acender e você continuar
coste com segurança e pare o veículo. com o veículo em funcionamento,
Se o sistema de A/C estiver ligado, desli- poderá ocorrer a evaporação do
gue. Além disso, coloque a transmissão fluido que entrará em contato com
em NEUTRALN EDEIXEOVEÓCULOEM o motor quente ou componentes do
marcha lenta. Se a leitura da tempera- escape e poderá causar um incên-
tura não retornar ao normal, desligue dio.
o motor imediatamente e solicite ma-
nutenção.

A-74
NECESSÁRIA A TROCA DE ÓLEO 2. Pressione completamente o pedal ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL
do acelerador, lentamente, três vezes
Seu veículo possui instalado um siste- em 10 segundos. Pressione e solte o botão N ou O
ma indicador da troca de óleo de motor. do volante até que “Fuel Economy” seja
A mensagem “Oil Change Required” 3. Sem pressionar o pedal do freio, exibido destacado no EVIC e pressione
A
NECESSÉRIAATROCADEØLEO IRÉPISCAR pressione o botão ENGINE START/ o botão ˙. As funções de economia de
no visor da EVIC por aproximadamen- STOP uma vez para retornar a ignição combustível a seguir serão exibidas no
te 10 segundos após um sinal sonoro para a posição OFF/LOCK. EVIC:
simples tocar para indicar o período - Average fuel economy/fuel sa-
programado para a próxima troca de NOTA: se a mensagem indicadora ver mode (AVG)ECONOMIAMÏDIADE
óleo. O sistema indicador da troca de acender quando você der a partida combustível/modo de economia de
óleo de motor é baseado na quantidade no veículo, o sistema indicador da COMBUSTÓVEL
de ciclos, o que significa que o intervalo troca de óleo não foi ajustado a
para a troca de óleo do motor poderá zero. Se necessário, repita este pro- - Distance to empty $4% DISTÊNCIA
variar de acordo com a sua forma de cedimento. ATÏESVAZIAR
dirigir. - L/100 kmLITROSCONSUMIDOSACADA
A não ser que você a ajuste a zero, KM
está mensagem irá continuar a ser exi- O aviso de troca de óleo é
bida a cada vez que você gire a ignição apenas indicativo e ocorre em ECONOMIA MÉDIA DE
para a posição ON/RUN. Para ajustar situações extremas e específicas. COMBUSTÍVEL/MODO ECO DE
a zero o sistema indicador da troca Dessa forma, não espere que ECONOMIA DE COMBUSTÍVEL
DEØLEOAPØSEXECUTARAMANUTEN ÎO ocorra o aviso para efetuar a (se disponível)
PROGRAMADA EXECUTEOPROCEDIMENTO substituição do óleo e do filtro. Exibe a economia média de com-
a seguir: Respeite prioritária e rigorosa- bustível desde o último ajuste a zero.
1. Sem pressionar o pedal do freio, mente o quanto estabelecido Quando a economia de combustível
aperte o botão ENGINE START/STOP no capitulo D (Manutenção do for ajustada a zero, o visor irá exibir
e gire a ignição para a posição ON/ Veículo), do presente manual, h2%3%4vOUTRA OSPORDOISSEGUNDOS
RUNNÎODÐAPARTIDANOMOTOR sobretudo para a utilização. Então, a informação histórica será apa-
gada e a leitura da média irá continuar
a partir da leitura da média antes do
ajuste a zero.

A-75
O indicador ECO irá acender no vi- BUSTÓVEL %STEVISORIRÉCONTINUARATÏ 4RIP"0ERCURSO"
sor EVIC. Este indicador ECO irá apa- que o veículo fique sem combustível. %LAPSED4IME4EMPOPERCORRIDO
recer quando você estiver dirigindo de Adicionar uma quantidade significativa
de combustível ao veículo irá apagar Pressione os botões N/O para cir-
uma maneira eficiente com relação ao CULARENTRETODASASFUN ÜESDO4RIP
consumo de combustível e pode ser a mensagem “LOW FUEL” e um novo
VALORDE$4%SERÉEXIBIDO #OMPUTER#OMPUTADORDEPERCURSO 
utilizado para modificar os hábitos de
direção de forma a aumentar a econo- O modo funções de percurso exibe
mia de combustível. VELOCIDADE DO VEÍCULO as informações a seguir:

Pressione e solte o botão N ou O Trip A


DISTÂNCIA ATÉ ESVAZIAR (DTE) ATÏQUEAh6EHICLE3PEEDv6ELOCIDADE %XIBEADISTÊNCIATOTALPERCORRIDANO
Exibe o deslocamento estimado que DO6EÓCULO EXIBADESTACADONO%6)#E 4RIP!0ERCURSO! DESTEAÞLTIMAVEZ
poderá ser feito com o combustível pressione o botão ˙. Pressione o botão que foi zerado.
remanescente no tanque. Este desloca- ˙ para exibir a velocidade atual em
mento estimado é determinado por uma mph ou km/h. Pressionando o botão Trip B
média ponderada entre a economia de ˙ por uma segunda vez irá alternar a %XIBEADISTÊNCIATOTALPERCORRIDANO
COMBUSTÓVELMÏDIAEINSTANTÊNEA DE unidade de medida entre mph e km/h. 4RIP"0ERCURSO" DESTEAÞLTIMAVEZ
acordo com o atual nível do tanque de que foi zerado.
COMBUSTÓVEL!$4%NÎOPODESERAJUS- NOTA: alterar a unidade de medi-
tada a zero por meio do botão SELECT. da no menu Vehicle Speed do veí- Elapsed Time
culo não irá alterar a unidade de Exibe o tempo total percorrido deste a
NOTA: alterações significativas medida no EVIC. última reinicialização quando a ignição
no estilo de direção ou na carga do estiver na posição ACC. O tempo per-
veículo irão alterar fortemente o corrido será contado quando a ignição
INFORMAÇÕES DO PERCURSO estiver na posição ON/RUN.
deslocamento real possível de ser
realizado pelo veículo, apesar do Pressione e solte o botão N ou O até
valor exibido da DTE. QUEAh4RIP)NFOvEXIBADESTACADONO Para ajustar o visor a zero
EVIC e pressione o botão ˙. Pressione O sistema irá zerar somente no caso
1UANDOOVALORDA$4%FORMENOR e solte os botões N/O até que uma das de estar exibindo uma função que pode
que 48 km estimados para o desloca- funções de percurso a seguir seja exibi- ser ajustada a zero. Pressione e solte o
MENTO OVISOR$4%IRÉALTERARPARAUMA da no EVIC: botão ˙ uma vez para zerar a função
MENSAGEMh,/7&5%,vPOUCOCOM- sendo exibida.
4RIP!0ERCURSO!
A-76
INFORMAÇÕES DO VEÍCULO “Sistema de monitoramento de pressão
DOSPNEUS40-3v
OPERAÇÃO DE
(FUNÇÕES DE INFORMAÇÃO AO
CLIENTE) RÁDIO E TELEFONES
Pressione e solte o botão N ou O
SAÍDA DO MENU CELULARES A
até que “Vehicle Info” seja exibido no Pressione e solte o botão N ou O até
EVIC e pressione o botão ˙. Pressione QUEh452.-%.5/&&vSEJAEXIBIDO Consulte o “Manual do sistema
os botões N/O para percorrer as infor- no EVIC e pressione o botão ˙. A exibi- 5 #/..%#44OUCH©vPARAINSTRU-
mações disponíveis exibidas. ção das informações será interrompida ções detalhadas de operação desses
- Temperatura do fluido de arrefe- e pode ser reativada pressionando o equipamentos.
cimento botão N ou O.
ADVERTÊNCIA: para efeito de
%XIBEATEMPERATURAINSTANTÊNEADO
fluido de arrefecimento. NOTA: em alguns casos, para utilização de telefonia celular
algumas versões, se constatada uma durante a marcha, mantenha-se
- Temperatura de óleo
temperatura de funcionamento rigorosamente informado do quan-
%XIBEATEMPERATURAINSTANTÊNEADE anormal do sistema em questão, to estabelecido pela legislação de
óleo do motor. a tela selecionada poderá mudar trânsito vigente, à época, mesmo no
- Temperatura da transmissão para a cor vermelha para sinalizar a caso da disponibilidade no veículo
%XIBEATEMPERATURAINSTANTÊNEADA ocorrência de um superaquecimen- de dispositivos originais ou adquiri-
transmissão. to. Esta sinalização, caso ocorra, dos no mercado.
é complementar à sinalização das
luzes-espia correspondente.
SISTEMA DE MONITORAMENTO
DA PRESSÃO DOS PNEUS - Horas do Motor
Pressione e solte o botão N ou O até Exibe o número de horas de funcio-
QUEh4)2%"!2PRESSÎODOSPNEUSEM namento do motor.
EXIBIDA"!2 OU4)2%03)PRESSÎODOS
PNEUSEMLIBRAS vSEJAEXIBIDONO%6)# ÁREA SUPERIOR DO DISPLAY
e pressione o botão ˙. Serão exibidos
os valores de pressão de cada pneu, Repete informações relativas a tem-
exceto roda sobressalente. Consulte peratura externa, sentido de direção da
bússola e quilometragem.

A-77
CLIMATIZAÇÃO Ventilador
Ao pressionar a tecla virtual 1-fig. 84
será exibido o controle do ventilador.
CLIMATIZADOR MANUAL Existem sete velocidades de ventilação.
Para ter acesso aos comandos do climatizador, pressione o botão físico CLIMA- Utilize o controle virtual 1-fig. 84 ou o
TE A-fig. 84 para que seja exibida a tela B-fig. 84. Ligue o climatizador por meio controle físico E-fig. 84 para ajustar a
da tecla vitual “Climate ONvLIGARCLIMATIZADOR ESERÉEXIBIDAATELAJ-fig. 84 a quantidade de ar forçado pelo sistema em
qual reune os comandos virtuais de climatização, descritos a seguir: qualquer modo que você selecione. A ve-
locidade do ventilador aumenta confor-
me você move o controle virtual ou físico
no sentindo horário a partir da primeira

&2"2
B posição. Para sair dessa tela, pressione a
tecla virtual DONEEXECUTADO 
96.5 FM 16:01
Climate is OFF
Controle de temperatura
ON
Ao pressionar a tecla virtual 5-fig. 84
PLAYER
ou os controles físicos C e D-fig. 84
serão exibidos os comandos para ajus-
tar a temperatura do ar dentro do com-
A J partimento de passageiros, divididos
EMDUASZONAS$ESLIZANDOASTECLAS
1 2 3 4 virtuais ou pressionando as teclas físi-
F G H I cas D-fig. 84 relativamente à área azul
serão selecionadas as temperaturas de
funcionamento mais baixas, indicadas
E
PARAAREFRIGERA ÎOEMDIASQUENTESPA-
C C ra tal, é necessário pressionar também
o tecla virtual 7-fig. 84 ou a tecla física
D D F-fig. 84 $ESLIZANDOASTECLASVIRTUAIS
Z
Z

5 6 9 7 8
ou pressionando as teclas físicas C-fig.
84 relativamente à área vermelha serão
fig. 84
A-78
selecionadas as temperaturas de funcio- - Modo painel - Modo assoalho
namento mais altas, indicadas para o
O ar é direcionado pelas saídas no O ar é direcionado através dos difu-
aquecimento em dias frios.
painel de instrumentos. Estas saídas sores do assoalho com uma pequena
Para proporcionar maior conforto podem ter a direção ajustada e podem parte através dos difusores de desem- A
térmico para os ocupantes do veículo, ser abertas ou fechadas para controlar baçamento dos vidros laterais.
considerando as diferentes percepções o fluxo agindo no comando próprio
pessoais de temperatura ambiente, as existente logo abaixo dos difusores de - Modo misto
temperaturas da região esquerda e di- ar reguláveis.
reita da cabine podem ser ajustadas O ar é direcionado através dos difu-
separadamente por meio dos controles sores do assoalho e de desembaçamen-
virtuais ou as teclas físicas C e D-fig. NOTA: para um fluxo de ar máxi- to dos vidros laterais. Esta configuração
84 respectivamente. Se, no entanto, mo para a região traseira, os difuso- funciona melhor em condições de frio
desejar que a temperatura seleciona- res centrais do painel de instrumen- que necessitem de calor adicional no
da seja uniforme, retorne para a tela tos podem ser direcionados para os para-brisa e é indicada para manter o
INICIALPRESSIONANDOATECLADONE E passageiros do banco traseiro. conforto, enquanto reduz a umidade no
pressione a tecla virtual SYNCSINCRO- para-brisa.
NIZAR 6-fig. 84. Uma vez selecionada a
temperatura desejada na tela correspon-
- Modo de dois níveis - - Modo desembaçamento
dente, pressione a tecla virtual DONE. O ar é direcionado através do painel O ar é direcionado através dos difuso-
e dos difusores do assoalho. res do para-brisa e de desembaçamento
Controle de distribuição do fluxo do dos vidros laterais. Utilize o modo de-
ar NOTA: para aumentar o conforto, sembaçamento com configurações de
O controle de distribuição - tecla existe uma diferença na tempera- ventilação e temperatura máximas para
virtual 2-fig. 84 - permite que você es- tura entre os difusores superiores melhor desembaçar o para-brisa e os
colha entre diversas seleções de distri- e inferiores. O ar mais quente sai vidros laterais.
buição de ar. Você pode selecionar um pelos difusores do assoalho. Esta O modo desembaçamento pode ser
modo primário, conforme identificado função oferece maior conforto para acionado diretamente por meio da te-
pelos símbolos, ou uma mistura entre os dias ensolarados, porém frios. cla física H-fig. 84 ou virtual 3-fig. 84
dois destes modos. ou ainda por meio da tecla virtual
FRONT DIANTEIRO quando o clima-
tizador estiver na posição desligado
/&& .
A-79
Se houver necessidade de desem- nos, fumaça, poeira e para refrigerar o Para evitar o embaçamento,
baçar o vidro traseiro pressionar a interior mais rapidamente quando ligar quando o botão RECIRCULAÇÃO
tecla física I-fig. 84 ou virtual 4-fig. a climatização em clima muito quente estiver pressionado e o PAINEL
84 ou ainda por meio da tecla virtual ou úmido. estiver selecionado no controle de
REAR quando o climatizador estiver modo, o A/C será acionado auto-
NAPOSI ÎODESLIGADOOFF . NOTA: maticamente.

Tão logo tenha ocorrido o desem- Se o botão for pressionado


baçamento do vidro traseiro desli- O A/C poderá ser desativado
quando o sistema estiver no modo manualmente sem afetar a seleção
gue o dispositivo por meio de uma MISTO, DESEMBAÇAMENTO ou
das teclas. do controle de modo.
ASSOALHO o LED indicador de
RECIRCULAÇÃO irá piscar 3 vezes
e então desligar para indicar que Modo de economia
NOTA: o compressor do ar condi- o modo RECIRCULAÇÃO não é
cionado funciona no modo MISTO e Caso seja desejado o modo de ECO-
permitido. NOMIA, pressione o botão F ou 7-fig.
DESEMBAÇAMENTO, ou uma mis-
tura destes modos mesmo que o 84. A luz indicadora irá se desligar,
botão A/C não estiver pressionado. juntamente com o compressor do A/C.
A utilização contínua do modo de Ajuste as teclas de temperatura para a
Isto desumidifica o ar para ajudar a RECIRCULAÇÃO pode fazer com
secar o para-brisa. Para aumentar posição desejada.
que o ar interno fique abafado e
a economia de combustível, utili- poderá embaçar os vidros. O uso Esta posição é recomendada apenas
ze estes modos somente quando prolongado deste modo não é reco- para aquecer ou ventilar a cabine em
necessário. mendado. dias mais frios. Como não ocorre o fun-
cionamento do compressor do ar con-
dicionado, não será possível refrigerar
Controle de recirculação o ar admitido no interior do veículo a
Em um clima frio ou úmido, o
Pressione a tecla física G-fig. 84 ou uso do modo de RECIRCULAÇÃO temperaturas inferiores às do ambiente
virtual 8-fig. 84 para selecionar entre a irá causar o embaçamento interno externo.
entrada de ar externo e a recirculação pelo aumento da umidade dentro do
do ar interno ao veículo. Utilize o modo veículo. Para o máximo do desem-
DE2%#)2#5,!£²/SOMENTEPARABLO- baçamento, selecione a posição de
quear temporariamente odores exter- ar externo.
A-80
Operação do ar-condicionado CLIMATIZADOR AUTOMÁTICO (se disponível)
Pressione o botão físico F-fig. 84 ou O sistema automático mantém automaticamente o nível de conforto interno
virtual 7-fig. 84 para acionar o ar con- desejado pelo motorista e todos os passageiros. O sistema ajusta automaticamente
DICIONADO!# 5MALUZIRÉACENDER a temperatura, a vazão e a quantidade de ar externo a recircular e o sentido do
A
quando o sistema de A/C estiver aciona- fluxo de ar. Isto mantém uma temperatura confortável permanentemente, mesmo
do. A seguir, selecione a temperatura e sob condições variáveis.
a distribuição do ar desejadas por meio
dos comandos correspondentes.

NOTA: o compressor de ar condi-


cionado não será acionado até que

&2"2
o motor esteja funcionando por um B
tempo aproximado de 10 segundos. 2 3 4 5

A/C máximo
Para refrigeração máxima utilize os PLAYER

6 9
BOTÜESDEMODO!#E2%#)2#5,!£²/
ao mesmo tempo. Uma vez atingida a Auto Rear Climate

temperatura desejada, desative a recir- A


culação para possibilitar a renovação 7 8
do ar no interior do veículo. 1 10 11
Os controles físicos permitem ajustes F G H I K
mais rápidos no sistema de climatiza-
ção e são especialmente úteis quando Rear Rear Climate Controls

a tela de controle se encontra desligada. E Off


Z «
C C Rear

Desligamento do climatizador
; ∆
5
D D
Z
Z

Quando desejar desligar o climatiza-


Z
Done
dor, pressionar o botão físico E-fig. 84 J

ou virtual 9-fig. 84. fig. 85
A-81
- O climatizador dianteiro de duas A seguir, ajuste a temperatura que vo- A temperatura pode ser exibida
e três zonas permite que o motoris- cê deseja que o sistema mantenha por em unidades inglesas ou métricas,
ta, o ocupante do banco dianteiro do meio das teclas virtuais 6. Uma vez que de acordo com a seleção na fun-
passageiro e os ocupantes dos bancos a temperatura desejada for exibida, o ção “Display Units of Measure in”
traseiros selecionem configurações in- sistema irá atingir e manter automatica- [Exibir Unidades de Medida em]
dependentes para o conforto individual. mente este nível de conforto. Se a tecla programável pelo usuário.
- O sistema pode ser controlado ma- virtual SYNC 7-fig. 85 for pressionada,
nualmente, se desejar. o sistema irá manter temperaturas uni- Para oferecer o máximo de conforto
formes para as duas regiões dianteiras no modo automático, durante inícios
- A função SYNC unifica os controles EPARAAREGIÎOTRASEIRASEDISPONÓVEL  muito frios de operação, o ventilador
das três zonas, permitindo uma única
Quando o sistema estiver configura- irá permanecer em baixa ventilação e
configuração para a cabine, se desejar.
do para o seu nível de conforto, não o símbolo DELAY irá aparecer no pai-
Para ter acesso aos comandos do é necessário alterar as configurações. nel principal do climatizador, até que
climatizador automático, pressione o Você irá experimentar grande eficiência o motor esteja aquecido. O ventilador
botão físico CLIMATE A-fig. 85 para simplesmente permitindo que o sistema irá entrar em operação automaticamen-
que seja exibida a tela B-fig. 85 ou o funcione automaticamente. TESEOMODO$ESEMBA AMENTOESTIVER
controle físico AUTO J-fig. 85. selecionado ou pressionando o botão
Os controles físicos permitem ajustes NOTA: duplo do ventilador no painel principal
mais rápidos no sistema de climatiza- do climatizador e configurando o venti-
ção e são especialmente úteis quando lador para qualquer velocidade fixada
a tela de controle se encontra desligada. Não é necessário mudar as confi- no ventilador.
gurações de temperatura para veí-
Operação automática culos frios ou quentes. O sistema Operação manual
Pressione o botão AUTO 1-fig. 85 ajusta automaticamente a tempe- Este sistema oferece um complemen-
na tela principal ou no botão físico e a ratura, o modo e a velocidade do to total das funções de sobreposição
palavra AUTO irá se acender no visor ventilador para oferecer conforto manual. O símbolo AUTO no painel
DIANTEIRODO#,)-!4):!$/2 ESTEN- tão rápido quanto for possível. principal do climatizador será desligado
DENDODUASOUTRÐSQUANDOPREVISTO quando o sistema estiver sendo utiliza-
temperaturas para o motorista, o passa- do no modo manual.
geiro dianteiro e os bancos traseiros. O
sistema irá regular automaticamente na
sequência a quantidade de fluxo de ar.
A-82
NOTA: cada uma das funções fun- baixas, indicadas para a refrigeração Controle de distribuição do fluxo do
ciona independentemente da outra. EMDIASQUENTES$ESLIZANDOASTECLAS ar
Se alguma função for controlada virtuais ou pressionando as teclas físicas
O controle de distribuição - tecla
manualmente, as outras irão conti- C-fig. 85 relativamente à área vermelha
virtual 3-fig. 85 - permite que você es- A
nuar a funcionar automaticamente. SERÎOSELECIONADASASTEMPERATURASEM
colha entre diversas seleções de distri-
GRAUS#ELSIUS DEFUNCIONAMENTOMAIS
buição de ar. Você pode selecionar um
altas, indicadas para o aquecimento em
Ventilador modo primário, conforme identificado
dias frios.
pelos símbolos, ou uma mistura entre
Ao pressionar a tecla virtual 2-fig. 85 Para proporcionar maior conforto dois destes modos.
será exibido o controle do ventilador. térmico para os ocupantes do veículo,
Existem sete velocidades de ventilação. considerando as diferentes percepções - Modo painel
Utilize o controle virtual 1-fig. 85 ou o pessoais de temperatura ambiente, as
controle físico E-fig. 85 para ajustar a temperaturas da região esquerda e di- O ar é direcionado pelas saídas no
quantidade de ar forçado pelo sistema reita da cabine podem ser ajustadas painel de instrumentos. Estas saídas
em qualquer modo que você selecio- separadamente por meio dos controles podem ter a direção ajustada e podem
ne. A velocidade do ventilador aumenta virtuais ou as teclas físicas C e D-fig. ser abertas ou fechadas para controlar
conforme você move o controle virtual 85 respectivamente. Se, no entanto, o fluxo agindo no comando próprio
ou físico no sentindo horário a partir da desejar que a temperatura selecionada existente logo abaixo dos difusores de
primeira posição. Para sair dessa tela, seja uniforme, retorne para a tela inicial ar reguláveis.
pressione a tecla virtual DONE. PRESSIONANDOATECLADONE EPRESSIO-
ne a tecla virtual SYNC 7-fig. 85. Uma NOTA: para um fluxo de ar máxi-
Controle de temperatura vez selecionada a temperatura desejada mo para a região traseira (quando
Ao pressionar a tecla virtual 6-fig. 85 na tela correspondente, pressione a te- não estiverem disponíveis a saídas
ou os controles físicos C e D-fig. 85 se- cla virtual DONE. no teto da 3ª zona de climatização)
rão exibidos os comandos para ajustar os difusores centrais do painel de
a temperatura do ar dentro do compar- instrumentos podem ser direciona-
timento de passageiros, divididos em dos para os passageiros do banco
DUASOUTRÐSZONAS$ESLIZANDOASTECLAS traseiro.
virtuais ou pressionando as teclas físicas
D-fig. 85 relativamente à área azul se-
RÎOSELECIONADASASTEMPERATURASEM
GRAUS#ELSIUS DEFUNCIONAMENTOMAIS
A-83
- Modo de dois níveis - - Modo desembaçamento a economia de combustível, utili-
O ar é direcionado através do painel O ar é direcionado através dos difuso- ze estes modos somente quando
e dos difusores do assoalho. res do para-brisa e de desembaçamento necessário.
dos vidros laterais. Utilize o modo de-
NOTA: para aumentar o conforto, sembaçamento com configurações de Controle de recirculação
existe uma diferença na tempera- ventilação e temperatura máximas para
melhor desembaçar o para-brisa e os Pressione a tecla física G-fig. 85 ou
tura entre os difusores superiores virtual 9-fig. 85 para selecionar entre a
e inferiores. O ar mais quente sai vidros laterais.
entrada de ar externo e a recirculação
pelos difusores do assoalho. Esta O modo desembaçamento pode ser do ar interno ao veículo. Utilize o modo
função oferece maior conforto para acionado diretamente por meio da tecla DE2%#)2#5,!£²/SOMENTEPARABLO-
os dias ensolarados, porém frios. física H-fig. 85 ou virtual 4-fig. 85 ou quear temporariamente odores exter-
ainda por meio da tecla virtual FRONT nos, fumaça, poeira e para refrigerar o
4-fig. 85 quando o climatizador estiver interior mais rapidamente quando ligar
- Modo assoalho NAPOSI ÎODESLIGADOCLIMATE OFF  a climatização em clima muito quente
O ar é direcionado através dos difu- Se houver necessidade de desemba- ou úmido.
sores do assoalho com uma pequena çar o vidro traseiro pressionar a tecla
parte através dos difusores de desem- física I-fig. 85 ou virtual 5-fig. 85 ou NOTA:
baçamento dos vidros laterais. ainda por meio da tecla virtual REAR
quando o climatizador estiver na posi-
- Modo misto  ÎODESLIGADOCLIMATE OFF  - Se o botão for pressionado
O ar é direcionado através dos difu- 4ÎOLOGOTENHAOCORRIDOODESEMBA- quando o sistema estiver no modo
sores do assoalho e de desembaçamen- çamento do vidro traseiro desligue o MISTO, DESEMBAÇAMENTO ou
to dos vidros laterais. Esta configuração dispositivo por meio de uma das teclas. ASSOALHO o LED indicador de
funciona melhor em condições de frio RECIRCULAÇÃO irá piscar 3 vezes
que necessitem de calor adicional no e então desligar para indicar que o
NOTA: o compressor do ar condi- modo RECIRCULAÇÃO não é per-
para-brisa e é indicada para manter o cionado funciona no modo MISTO e
conforto, enquanto reduz a umidade no mitido.
DESEMBAÇAMENTO, ou uma mis-
para-brisa. tura destes modos mesmo que o
botão A/C não estiver pressionado.
Isto desumidifica o ar para ajudar a
secar o para-brisa. Para aumentar
A-84
- A utilização contínua do modo Modo de economia REATIVAÇÃO DO MODO AUTO
de RECIRCULAÇÃO pode fazer Caso seja desejado o modo de ECO-
com que o ar interno fique abafado Quando desejar que o modo de ges-
NOMIA, pressione o botão F ou 8-fig. tão automática do climatizador reas-
e poderá embaçar os vidros. O uso 85. A luz indicadora irá se desligar, suma o controle total da climatização
A
prolongado deste modo não é reco- juntamente com o compressor do A/C.
mendado. pressione o botão 1-fig. 85 (AUTO).
Ajuste as teclas de temperatura para a
posição desejada. Desligamento do climatizador
- Em um clima frio ou úmido, o Esta posição é recomendada apenas Quando desejar desligar o climatiza-
uso do modo de RECIRCULAÇÃO para aquecer ou ventilar a cabine em dor, pressionar o botão físico E-fig. 85
irá causar o embaçamento interno dias mais frios. Como não ocorre o fun- ou virtual 10-fig. 85.
pelo aumento da umidade dentro do cionamento do compressor do ar con-
veículo. Para o máximo do desem- dicionado, não será possível refrigerar
o ar admitido no interior do veículo a CONTROLE AUTOMÁTICO DE
baçamento, selecione a posição de TEMPERATURA (CLIMATIZADOR)
ar externo. temperaturas inferiores às do ambiente
externo. TRASEIRO (se disponível)
O sistema de climatizador traseiro
- Para evitar o embaçamento, A/C máximo tem saídas de ar no assoalho na parte
quando o botão RECIRCULAÇÃO Para refrigeração máxima, sem inter- de trás do veículo, do lado direito, e
estiver pressionado e o PAINEL VEN ÎODAGESTÎOAUTOMÉTICAAUTO saídas de teto em cada posição lateral
estiver selecionado no controle de utilize os botões de modo A/C F-fig. do banco traseiro. O sistema fornece ar
modo, o A/C será acionado automa- 85 e RECIRCULAÇÃO G-fig. 85 ao aquecido pelas saídas de assoalho ou ar
ticamente. MESMOTEMPOOUPORMEIODOSBOTÜES frio e desumidificado através das saídas
virtuais 8 e 9NODISPLAY 5MAVEZATIN- DETETO4EM SEACESSOAOSCONTROLEDO
gida a temperatura desejada, desative a climatizador para a parte traseira do ve-
- O A/C poderá ser desativado recirculação para possibilitar a renova- ículo, principalmente, por meio da tecla
manualmente sem afetar a seleção ção do ar no interior do veículo. virtual REAR CLIMATE CLIMATIZADOR
do controle de modo. TRASEIRO 11-fig 85 e detalhe 1-fig. 85,
Os controles físicos permitem ajustes a partir da tela principal de controle do
mais rápidos no sistema de climatiza- climatizador.
ção e são especialmente úteis quando
a tela de controle se encontra desligada.

A-85
As funções de comando disponíveis
na tela REAR Climate Controls K-fig. 1. Pressione o botão virtual REAR Á NOTA:
85 são de funcionamento similar às des- do climatizador. Isto desliga o ícone Á
critas para a tela de controle das zonas no botão de temperatura da traseira. - Não é necessário mudar as con-
dianteiras B-fig. 85. 2'IREOSBOTÜESDO6ENTILADOR4RA- figurações de temperatura para veí-
Pressionar o botão REAR Á do cli- seiro A-fig. 86 4EMPERATURA4RASEIRA culos frios ou quentes. O sistema
matizador de três zonas para que se B-fig. 86 e Controle de distribuição do ajusta automaticamente a tempe-
acenda o símbolo LOCK no painel tra- o ar traseiro C-fig. 86 de acordo com as ratura, o modo e a velocidade do
seiro fig. 86. A temperatura traseira e suas necessidades de conforto. ventilador para oferecer conforto
o fornecimento de ar são controlados 3. O climatizador é selecionado pelo tão rápido quanto for possível.
pelo climatizador de três zonas. ajuste do botão do ventilador traseiro
Os ocupantes da segunda fileira tra- no sentido anti-horário para AUTO.
- A temperatura pode ser exibida
seira podem ajustar o controle do cli- Uma vez que a temperatura desejada
em unidades inglesas ou métricas,
matizador traseiro quando o botão Á seja exibida, o sistema climatizador irá
de acordo com a seleção na fun-
for desligado. atingir automaticamente e manter este
ção “Display Units of Measure in”
O painel de controle climatizador da nível de conforto. Quando o sistema for
[Exibir Unidades de Medida em]
zona traseira para os passageiros de trás configurado para seu nível de conforto,
programável pelo cliente. Consulte
está no console de teto, acima dos ban- não é necessário alterar as configura-
a “Configurações do U-CONNECT
cos de passageiros da segunda fileira. ções. Você irá sentir a maior eficiência
TOUCH”.
permitindo simplesmente que o sistema
funcione automaticamente.
Controle do ventilador traseiro
&2"2

O botão de controle do ventilador


traseiro A-fig. 86 pode ser configurado
manualmente para a posição desliga-
do ou qualquer outra velocidade fixa,
girando o botão de baixa até alta velo-
cidade. Isto permite que os ocupantes
do banco traseiro controlem o volume
A B C de ar circulando na traseira do veículo.

fig. 86
A-86
ADVERTÊNCIA: o ar interno entra Quando os controles traseiros estive- NOTA: em muitas posições de
no Sistema de Controle Automático rem travados pelo sistema dianteiro, o temperatura, o modo DOIS NÍVEIS
de Temperatura Traseira através da símbolo Á no botão de temperatura se foi projetado para fornecer ar mais
grade de entrada, localizada no acenderá e quaisquer ajustes de teto da frio pelas saídas do teto e ar mais A
painel da moldura do lado do pas- traseiro são ignorados. quente pelas saídas do assoalho.
sageiro atrás dos bancos da terceira
fileira. As saídas do aquecedor estão Controle da distribuição do ar
localizadas no painel da moldura traseiro - Modo assoalho
do lado do passageiro, exatamen- O ar vem das saídas do assoalho.
te atrás da porta. Não bloqueie Modo auto
ou coloque objetos diretamente na O sistema traseiro mantém automa- OPERAÇÃO DE VERÃO DO
frente da grade de entrada ou das ticamente o modo correto e o nível de CLIMATIZADOR
saídas do aquecedor. O sistema conforto desejado para os passageiros
elétrico pode ser sobrecarregado O sistema de arrefecimento do motor
do banco traseiro. em veículos com ar condicionado deve
causando danos ao motor do ven-
tilador. ser protegido com um fluido de arrefeci-
- Modo de teto mento de alta qualidade para oferecer a
O ar vem das saídas no teto. Cada proteção adequada contra a corrosão e
Controle da temperatura traseira uma destas saídas pode ser ajustada in- para proteger contra o superaquecimen-
Para alterar a temperatura na traseira dividualmente para direcionar o fluxo to. Consulte “Características dos Lubri-
do veículo, gire o botão de temperatura de ar. Mover os direcionadores de ar ficantes e Líquidos” para informações
B-fig. 86 no sentido anti-horário para das saídas para um lado irá fechar o relativas ao sistema de arrefecimento e
baixar a temperatura e no sentido ho- fluxo de ar. à escolha do fluido de arrefecimento.
rário para aumentar a temperatura. As
configurações de temperatura traseira - Modo de dois níveis OPERAÇÃO DE INVERNO
são exibidas na parte de cima do painel O ar é direcionado através das saídas A utilização do modo de Recircula-
frontal do climatizador. do teto e das saídas do assoalho. ção de ar durante os meses de inverno
não é recomendada porque pode cau-
sar o embaçamento dos vidros.

A-87
ARMAZENAMENTO DE FÉRIAS NOTA: a recirculação sem o A/C ENTRADA DE AR EXTERNO
não deve ser utilizada por longos
A qualquer momento você pode períodos. Pode ocorrer o embaça- Verifique a entrada de ar, localizada
manter o veículo fora de funcionamento mento. diretamente no para-brisa, não está obs-
EXFÏRIAS PORDUASSEMANASOUMAIS truída, por exemplo, por folhas. As fo-
faça funcionar o sistema de ar condi- lhas coletadas na entrada de ar podem
cionado por aproximadamente cinco DESEMBAÇADORES DOS VIDROS reduzir o fluxo de ar e caso entrem na
minutos nas configurações de ar fres- LATERAIS área interna do sistema, elas podem se
co e alta ventilação. Isto irá garantir a encaixar nas saídas de água. Nos meses
lubrificação adequada do sistema para Uma saída desembaçadora do vidro de inverno, verifique se a entrada de ar
minimizar a possibilidade de danos ao lateral está localizada em cada extremi- não tem gelo, lama e neve.
compressor quando o sistema for ligado dade do painel de instrumentos. Estas
novamente. saídas não ajustáveis direcionam o ar FILTRO DE AR DO AR CONDICIO-
em direção aos vidros laterais quando NADO - CASO INSTALADO
EMBAÇAMENTO DOS VIDROS o sistema estiver nos modos Assoalho,
-ISTO OU$ESEMBA AMENTO/ARÏDI- O filtro de ar do A/C irá reduzir mas
O embaçamento interno do para- recionado para a área dos vidros para não irá eliminar os odores provenientes
-brisa pode ser removido rapidamente que você veja os espelhos retrovisores do exterior. O filtro atua no ar admiti-
posicionando o seletor de modo para externos através dos mesmos. do da área externa do veículo e no ar
$ESEMBA AMENTO/MODO$ESEMBA- recirculado no compartimento de pas-
çamento/Assoalho pode ser utilizado sageiros. Consulte “Manutenção do Ve-
para manter o para-brisa aquecido e ículo” para informações de manutenção
oferecer o aquecimento suficiente. Caso do filtro de ar do climatizador.
o embaçamento do vidro lateral se tor-
ne um problema, aumente a velocidade
do ventilador. Os vidros do veículo ten-
dem a embaçar o interior em um clima
brando mas úmido ou chuvoso.

A-88
SISTEMA BOTÕES FÍSICOS (HARD-KEYS) TECLAS VIRTUAIS (SOFT-KEYS)
UCONNECT TOUCH™ Os botões físicos A-fig. 87 estão lo- !S TECLAS VIRTUAIS DE FUN ÎO EX
calizados do lado esquerdo e direito da B-fig. 87 PODEMSERACESSADASNODIS-
/SISTEMA5CONNECT4/5#(©USA TELA5CONNECT4/5#(©!LÏMDO PLAYDO5CONNECT4/5#(©
A
uma combinação de botões físicos mais, há também um botão de rolar /
HARD KEYS ETECLASVIRTUAISSOFT KEYS confirmar A-fig. 88, localizado do lado CONFIGURAÇÃO DO UCONNECT
localizados no centro do painel de ins- direito dos Controles de Climatização, TOUCH™ 4.3 - RECURSOS
trumentos, que lhe permitem acessar e no centro do painel de instrumentos. Gi- PROGRAMÁVEIS PELO USUÁRIO
alterar os recursos programáveis pelo re o botão para rolar pelos menus e para
usuário. ALTERARCONFIGURA ÜESPOREXEMPLO  /SISTEMA5CONNECT4/5#(©LHE
  APERTEOCENTRODODIALUMAOU permite acessar recursos programáveis
várias vezes para selecionar ou alterar a que podem estar disponíveis como,
CONFIGURA ÎOEX,)'! $%3,)'!  ENTREOUTROS $ISPLAY 2ELØGIO#LOCK
,UZES,IGHTS 0ORTAS4RAVAS$OORS
,OCKS !QUECIMENTODOS!SSENTOS

&2"2
(EATED3EATS /PERA ÜESCOM-O-
TOR$ESLIGADO%NGINE/FF/PERATION
#ONFIGURA ÜES DA "ÞSSOLA #OMPASS
3ETTINGS )NSTALA ÎODE­UDIOE4ELEFO-
Display NE"LUETOOTH0HONE"LUETOOTH COM
RADIO Brightness
SETINGS botões e teclas.
Please
select a Mode

&2"2
PLAYER setting: MORE
Language

Units SCREEN
CLIMATE OFF

A B A
Z
Z

A
fig. 87 fig. 88
A-89
NOTA: somente uma área da tela Mode (Modo) Units (Unidades de medida)
touch screen pode ser selecionada Aperte a tecla “Mode” para mudar Aperte a tecla “Units” para mudar pa-
a cada vez. para esta tela. Nesta tela, você pode ra esta tela. Nesta tela, você pode trocar
selecionar uma das configurações au- as unidades do EVIC e do hodômetro en-
Aperte o botão físico “Settings” para tomáticas do display. Para alterar o tre as unidades de medida americanas
acessar a tela de configuração, use as status do modo, aperte e solte a tecla ou métricas. Aperte “US” ou “Métric”,
teclas página para cima / para baixo pa- “Day$IA v hNight.OITE vOUhAu- e, em seguida, aperte a tecla DONE para
ra rolar pelas configurações seguintes. to”, em seguida, aperte a tecla DONE confirmar a seleção realizada ou seta pa-
Aperte a tecla da configuração deseja- para confirmar a seleção realizada ou ra voltar caso não deseje alterar a confi-
da para alterar a configuração usando seta para voltar caso não deseje alterar guração presente. Enquanto continua, as
a descrição das próximas páginas para a configuração presente. informações serão exibidas na unidade
cada configuração. de medida selecionada.
Language (Idioma)
NOTA: as configurações possí- Aperte a tecla “Idioma” para mudar Voice Response Length (Resposta de
veis estão vinculadas à versão e ao para esta tela. Nesta tela, você pode se- voz)
nível de equipamento presente no lecionar um dos três idiomas para todas Aperte a tecla “Voice Response” pa-
veículo em questão, de modo que as nomenclaturas do display e inclusive ra alterar as configurações da extensão
nem todas as telas seguintes estarão as funções de viagem. Aperte “English”, da resposta de voz. Para mudar a exten-
disponíveis em todos os casos. “Français” ou “Español” para selecionar são de resposta de voz, aperte e solte a
o idioma. Em seguida, aperte a tecla tecla “Brief” ou “Long”. Em seguida,
DISPLAY DONE para confirmar a seleção re- aperte a tecla DONE para confirmar
alizada ou seta para voltar caso não a seleção realizada ou seta para voltar
deseje alterar a configuração presente. caso não deseje alterar a configuração
Brightness (Brilho) Enquanto continua, as informações serão presente.
Aperte a tecla “Brightness” para al- exibidas no idioma selecionado.
terar este display. Nesta tela, você pode
selecionar o brilho do display com os
faróis acesos e com os faróis apagados.
Ajuste o brilho com as teclas de ajuste +
e - ou selecionando um ponto na escala
entre as teclas + e -. Em seguida, aperte
a seta para voltar.
A-90
Touch Screen Beep (Bipe do Touch SAFETY/ASSISTANCE A responsabilidade do
Screen) estacionamento e de outras
Aperte “Touch Screen Beep” para li- Park Assist (Assistência de manobras perigosas é sem-
gar ou desligar o som quando um botão estacionamento) pre do motorista. Quando são efe- A
NOTOUCHSCREENTECLA FORAPERTADO0ARA tuadas estas manobras, certificar-se
Aperte a tecla “Park Assist” para sempre de que no espaço de mano-
ALTERARACONFIGURA ÎODO"IPEDO4OUCH mudar para esta tela. O sistema de as- bra não existam nem pessoas nem
Screen, aperte e solte a tecla ON ou OFF sistência de estacionamento de reverso animais. O sistema de assistência
e, em seguida, aperte a tecla DONE escaneia objetos atrás do veículo quan- deve ser considerado um auxílio
para confirmar a seleção realizada ou do a alavanca de troca de transmissão para o motorista, que não deve
seta para voltar caso não deseje alterar estiver na posição “R” e a velocidade do nunca reduzir a atenção durante as
a configuração presente. veículo for inferior a 18 km/h. O siste- manobras potencialmente perigo-
ma pode ser ligado com “Sound Only sas, mesmo se executadas em baixa
CLOCK (RELÓGIO) 3OMENTE3OM v h3OUNDAND$ISPLAYv velocidade.
3OME%XIBI ÎO vOUh/FF$ESLIGADO v
Clock Set Time (Ajustar hora) Para alterar a configuração do Park As-
Aperte a tecla “Clock Set Time” para sist, aperte e solte as teclas “Sound On- Para o correto funciona-
mudar para esta tela. Nesta tela, você ly”, “Sound and Display”” ou “OFF”. mento do sistema de assis-
pode selecionar as configurações da Em seguida, aperte a tecla DONE para tência para estacionamen-
exibição das horas. Para fazer a sua es- confirmar a seleção realizada ou seta to é indispensável que os sensores
colha, aperte a tecla “Clock Set Time”, para voltar caso não deseje alterar a posicionados nos para-choques
ajuste as horas e os minutos, usando as configuração presente. estejam sempre limpos, livres de
teclas para cima e para baixo, selecione barro e sujeira.

&2"2
AM ou PM, selecione 12 horas ou 24
horas. Quando todas as seleções forem
completadas, aperte a seta para voltar. Durante a limpeza dos
sensores, prestar a máxima
atenção para não riscá-los
ou danificá-los. Evitar o uso de
panos secos, ásperos ou duros. Os
sensores devem ser lavados com
água limpa ou, eventualmente, com
fig. 89
A-91
shampoo para automóveis. Nos pos- Especial atenção deve ser dada quan- Illuminated Approach (Aproximação
tos de lavagem que utilizam máqui- do for acoplado ao veículo um semi- iluminada)
nas polidoras hidráulicas, com jato -reboque ou reboque, caracterizando
Aperte a tecla “Illuminated Approa-
de vapor ou a alta pressão, limpar uma situação distinta para os sensores
ch” para mudar para esta tela. Quando
rapidamente os sensores mantendo de estacionamento, que poderão de-
este recurso for selecionado, os faróis
o bico a mais de 10 cm de distância. tectar a unidade acoplada como sendo
serão ativados e permanecerão acesos
um obstáculo, sinalizando a situação
por mais 0, 30, 60 ou 90 segundos após
ao condutor. Certifique-se que o espa-
destrancar as portas com o transmissor
A instalação aleatória de ganchos ço seja seguro para manobras, já que
2+% 0ARA ALTERAR A CONFIGURA ÎO DA
de reboque pode prejudicar o fun- nesta situação, os sensores de estacio-
função “Illuminated Approach”, aperte
cionamento do sistema. namento não serão eficazes.
a tecla 0, 30, 60 ou 90. Em seguida,
aperte a tecla DONE para confirmar
LIGHTS (LUZES) a seleção realizada ou seta para voltar
ADVERTÊNCIAS GERAIS
caso não deseje alterar a configuração
$URANTEASMANOBRASDEESTACIONA- Headlight Off Delay (Desligamento presente.
mento, prestar a máxima atenção nos temporizado dos faróis)
obstáculos que possam encontrar-se Aperte a tecla “Headlight Off Delay” Headlights With Wipers (Faróis com
acima ou abaixo dos sensores. Os ob- para mudar para esta tela. Quando este limpadores)
JETOSCOLOCADOSADISTÊNCIAAPROXIMADA recurso for selecionado, você poderá es- Aperte a tecla “Headlights With Wi-
na traseira ou dianteira do veículo, em colher se os faróis permanecerão acesos pers” para mudar para esta tela. Quan-
ALGUMASCIRCUNSTÊNCIAS NÎOSÎODETEC- por mais 0, 30, 60 ou 90 segundos após do este recurso for selecionado, e o in-
tados pelo sistema e podem danificar o sair do veículo. Para alterar a configura- terruptor dos faróis estiver na posição
veículo ou serem danificados.  ÎODOh(EADLIGHT/FF$ELAYv APERTEA AUTO, os faróis se ligarão aproximada-
As sinalizações enviadas pelos sen- tecla 0, 30, 60 ou 90. Em seguida, aperte mente 10 segundos após que os limpa-
sores podem ser alteradas pela sujeira a tecla DONE para confirmar a seleção dores de para-brisas forem acionados.
ou barro depositados nos mesmos ou realizada ou seta para voltar caso não Os faróis também se desligarão quan-
PORSISTEMASDEULTRA SOMEXFREIOS deseje alterar a configuração presente. do os limpadores de para-brisas forem
pneumáticos de caminhões ou martelos
PNEUMÉTICOS PRESENTESNAVIZINHAN A

A-92
desligados, se estiverem ligados com DOORS & LOCKS (PORTAS E para voltar caso não deseje alterar a
este recurso. Para fazer a sua esco- TRAVAS) configuração presente.
lha, aperte a tecla “Headlights With
Wipers” e selecione ON ou OFF. Em
Auto Unlock On Exit (Destrava Remote Door Unlock Order (Ordem A
seguida, aperte a tecla DONE para con- remota de destravar portas)
firmar a seleção realizada ou seta para portas automaticamente ao sair)
Aperte a tecla “Doors & Locks” para Aperte a tecla “Remote Door Unlo-
voltar caso não deseje alterar a configu- ck Order” para mudar para esta tela. Se
ração presente. mudar para esta tela. Quando este re-
curso for selecionado, todas as portas se for selecionado “Unlock Driver Door
destravarão quando o veículo está para- Only On 1st Press$ESTRAVARSOMENTE
Flash lights With Lock (Sinal dos porta do motorista na primeira pres-
faróis com travamento) do e a transmissão está na posição “P”
ou “N”, e a porta do motorista for aber- SÎO v SOMENTEAPORTADOMOTORISTASE-
Aperte a tecla “Flash Headlights ta. Para fazer a sua escolha, aperte a te- rá destravada quando apertar uma vez
With Lock” para mudar para esta tela. cla “Auto Unlock On Exit” e selecione o botão : no transmissor remoto de
Quando este recurso for selecionado, os ON ou OFF. Em seguida, aperte a tecla ENTRADASEMCHAVE2+% 1UANDOhUn-
faróis se acenderão rapidamente quan- DONE para confirmar a seleção reali- lock Driver Door Only On 1st Press”
do as portas forem travadas ou destrava- zada ou seta para voltar caso não deseje estiver selecionado, terá que apertar o
DASCOMOTRANSMISSOR2+%%STERECURSO alterar a configuração presente. botão :NO2+%DUASVEZESPARADESTRA-
pode ser selecionado com ou sem som var as portas dos passageiros. Quando
de buzina, na seleção dos recursos de for selecionado “Unlock All Doors On
trava. Para fazer a sua escolha, aperte Flash Lights With Lock 1st Pressv$ESTRAVARTODASASPORTASNA
a tecla “Flash Headlights With Lock” (indicador pisca com travamento) PRIMEIRAPRESSÎO v TODASASPORTASSERÎO
e selecione ON ou OFF. Em seguida, Aperte a tecla “Flash Lights With destravadas quando o botão de : do
aperte a tecla DONE para confirmar a Lock” para mudar para esta tela. Quan- TRANSMISSOR2+%FORACIONADOUMAVEZ
seleção realizada ou seta para voltar do este recurso for selecionado, as luzes
caso não deseje alterar a configuração dos indicadores de direção dianteiros e NOTA: se o veículo for equipado
presente. traseiros acenderão rapidamente, quan-
do as portas forem travadas ou destrava- com o sistema “Enter-N-Go” com
DASCOMOTRANSMISSOR2+%0ARAFAZERA acesso sem chave (entrada passiva)
sua escolha, aperte a tecla “Flash Lights e o EVIC está programado para des-
With Lock” e selecione ON ou OFF. travar todas as portas na primeira
Em seguida, aperte a tecla DONE para pressão, todas as portas serão destra-
confirmar a seleção realizada ou seta vadas, não importa qual maçaneta,
equipada com a entrada passiva,
A-93
for puxada. Se for selecionado a AUTO-ON CONFORT para confirmar a seleção realizada ou
opção de destravar somente a porta seta para voltar caso não deseje alterar
do motorista no primeira pressão Auto Heated Seats (Assentos a configuração presente.
“Unlock Driver Door Only On 1st aquecidos automaticamente)
Press” somente a porta do motorista Engine Off Power Delay (Desligamento
será destravada, quando a maçaneta Aperte a tecla “Auto Heated Seats” tardio da tensão após desligar motor)
da porta do motorista for puxada. para mudar para esta tela. Quando este
recurso for selecionado, o aquecimento Aperte a tecla “Engine Off Power
Com a entrada passiva, se for pro- Delay” para mudar para esta tela.
gramado “Destravar somente a porta do assento do motorista será automati-
camente ligado quando a temperatura Quando este recurso for selecionado,
do motorista na primeira pressão”, os botões das janelas, o rádio, o sistema
tocar a maçaneta mais de uma vez for inferior a 4.4°C. Para fazer a sua
escolha, aperte a tecla “Auto Heated DETELEFONE5CONNECT©SEDISPONÓVEL
somente resultará na abertura da OBOTÎODOTETOSOLARSEDISPONÓVEL E
porta do motorista. Se “Destravar Seats” e selecione ON ou OFF. Em
seguida, aperte a tecla DONE para tomadas de corrente continuarão ativas
somente a porta do motorista na pri- por até no máximo 10 minutos depois
meira pressão” for selecionado, uma confirmar a seleção realizada ou seta
para voltar caso não deseje alterar a que a ignição é girada para OFF. Abrin-
vez que a porta do motorista estiver do qualquer porta dianteira, será cance-
aberta, o botão de travamento/des- configuração presente.
lado este recurso. Para alterar a confi-
travamento interno pode ser usado GURA ÎODOh%NGINE/FF0OWER$ELAYv
para destravar todas as portas (ou ENGINE OFF OPTIONS (OPÇÕES
COM MOTOR DESLIGADO) aperte a tecla 0 segundos, 45 segundos,
usando o transmissor RKE). 5 minutos ou 10 minutos. Em seguida,
aperte a tecla DONE para confirmar a
Passive Entry (KEYLESS ENTER-N- Headlight Off Delay (Desligamento seleção realizada ou seta para voltar
-GO) - Entrada passiva (ENTER-N-GO tardio dos faróis) caso não deseje alterar a configuração
sem chave) Aperte a tecla “Headlight Off De- presente.
Aperte a tecla “Passive Entry” para lay” para mudar para esta tela. Quando
mudar para esta tela. Este recurso lhe este recurso for selecionado, o moto- CONFIGURAÇÕES DA BÚSSOLA
PERMITETRAVAREDESTRAVARAS PORTAS DO rista pode escolher se os faróis perma-
veículo sem precisar apertar os botões necem acesos por mais 0, 30, 60 ou Variance (variância)
DETRAVADESTRAVADOTRANSMISSOR2+% 90 segundos após sair do veículo. Para
alterar a configuração do “Headlight Aperte a tecla “Variance” para mu-
/FF$ELAYv APERTEATECLA  OU DARPARAESTATELA!VARIÊNCIADABÞSSO-
90. Em seguida, aperte a tecla DONE la é a diferença entre o norte magnético
A-94
e o norte geográfico. Para compensar dor “CAL” exibido no EVIC se apague. A Balance/Fade (Balanço/Fade)
ESTA DIFEREN A A VARIÊNCIA DEVE SER bússola agora funcionará normalmente.
Aperte a tecla “Balance/Fade” para
configurada para a zona na qual o veí-
mudar para esta tela. Nesta tela, pode
culo for dirigido, pelo mapa de zonas. NOTA: uma boa calibração requer ajustar as configurações do balanço e A
Uma vez configurado corretamente, a uma superfície lisa e um ambiente DO&ADEAJUSTEENTREALTO FALANTESDIAN-
bússola compensará automaticamente livre de grandes objetos metálicos, TEIROSETRASEIROS 
as diferenças e fornecer a direção da como prédios, pontes, fios subterrâ-
bússola mais precisa. neos, trilhos de trem, etc. Speed Adjusted Volume (volume ajus-
tado à velocidade)
NOTA: mantenha equipamentos
ÁUDIO Aperte a tecla “Speed Adjusted Vo-
eletromagnéticos longe do topo do
lume” para mudar para esta tela. Este
painel de instrumento, tais como
Equalizer (Equalizador) recurso aumenta ou diminui o volume
iPod, telefones celulares, laptops etc.
Este é o lugar onde o módulo da bús- Aperte a tecla “Equalizer” para mu- de áudio de acordo com à velocidade
sola está localizado, e pode causar dar para esta tela. Nesta tela, pode ajus- do veículo. Para alterar o “Speed Ad-
interferências com o sensor da bús- TARASCONFIGURA ÜESDE"ASS'RAVES justed Volume”, aperte a tecla DES-
sola, podendo ocasionar falhas nas -ID-ÏDIOS E4REBLE!GUDO !JUSTE LIGA, 1, 2 ou 3. Em seguida, aperte a
informações. as configurações com as teclas de fun- tecla DONE para confirmar a seleção
ções + ou -, ou selecionando qualquer realizada ou seta para voltar caso não
ponto na escala entre as teclas + e -. deseje alterar a configuração presente.
Calibration (calibração) Em seguida, aperte a tecla DONE para
Aperte a tecla “Calibration” para mu- confirmar a seleção realizada ou seta Surround Sound (Som envolvente)
dar para esta tela. A bússola se auto-cali- para voltar caso não deseje alterar a Aperte a tecla “Surround Sound”
bra, o que elimina a necessidade de fa- configuração presente. para mudar para esta tela. Este recurso
zer o reset manual da mesma. Quando o oferece um modo de som surround si-
veículo é novo, a bússola possivelmente NOTE: as alternativas “Equalizer” mulado. Para fazer a sua escolha, aperte
parece errática, e o EVIC exibirá “CAL” lhe permitem subir ou descer com o a tecla “Sound Surround” e selecione
até que a bússola estiver calibrada. Você dedo para alterar as configurações, ON ou OFF. Em seguida, aperte a tecla
também pode calibrar a bússola, aper- e também apertando diretamente DONE para confirmar a seleção reali-
tando a tecla “ON” e completando um na configuração desejada. zada ou seta para voltar caso não deseje
ou mais giros de 360°, até que o indica- alterar a configuração presente.

A-95
TELEFONE/BLUETOOTH Aparelhos magnéticos e alimen- zona de variação em um degrau. Repita
tados por bateria, (como telefones conforme necessário até que a variação
celulares, iPod’s, PDA’s e laptops) desejada seja atingida.
Paired Devices (Dispositivos pareados)
devem ser mantidos distantes da
Este recurso exibe quais telefones estão parte superior do painel de instru- NOTA: a zona configurada como
CONECTADOSAOSISTEMA4ELEFONE"LUETOO- mentos. É onde o módulo de bússola padrão de fábrica é a zona 8. Durante
th. Para mais informações, consulte o su- está localizado e estes aparelhos a programação, o valor da zona irá
PLEMENTO5CONNECT4/5#(© podem interferir e causar leituras circular da zona 15 para a 1.
falsas de bússola.
VISOR BÚSSOLA/TEMPERATURA
CALIBRAÇÃO MANUAL DA BÚSSOLA
PARA CONFIGURAR A VARIAÇÃO
Variação da bússola Se a bússola parecer errática ou im-
!6ARIA ÎODA"ÞSSOLAÏADISTÊNCIA $ÐAPARTIDANOMOTOREDEIXEAALA- precisa e a variação tiver sido configu-
entre o Pólo Norte Magnético e o Pólo vanca de seleção de marchas na posi- rada adequadamente, você pode dese-
Norte Geográfico. Para garantir a pre- ção PARK!CESSEAOP ÎO#OMPASS jar recalibrar manualmente a bússola.
cisão da bússola, a variação da bússola SETTINGNOMENUDO5CONNECTEPOSTE- Para calibrar manualmente a bússola:
deve ser configurada adequadamente RIORMENTEAOP ÎO6ARIANCEATÏQUEO
1$ÐAPARTIDANOMOTOREDEIXEA
de acordo com o mapa de variação pa- número da zona atual de variação seja
transmissão na posição PARK.
ra a zona onde o veículo será utilizado. exibido. Para trocar de zona, pressione
e solte o botão virtual para aumentar a 2!CESSEAOP ÎO#ALIBRATIONNO
Quando configurado adequadamente,
SUBMENUDE#OMPASS3ETTING3ELECIO-
a bússola irá contar automaticamente
ne a opção ON.
esta diferença.

&2"2

&2"2
NOTA:
OFF 10:55

Uma boa calibração requer uma


RADIO SETINGS

superfície nivelada e um ambiente PLAYER MORE

sem grandes estruturas metálicas CLIMATE


SCREEN
OFF

como prédios, pontes, cabos subter-


râneos, trilhos de ferrovia, etc.
fig. 90 fig. 91
A-96
3. Para completar a calibração da ABASTECIMENTO DE O combustível que escor-
bússola, dirija o veículo em um ou mais re acidentalmente durante
círculos completos de 360º, abaixo de COMBUSTÍVEL o abastecimento, além de
8 km/h em uma área sem linhas de
A tampa do reservatório de combus-
ser poluente, pode danificar a pin- A
transmissão de energia e sem grandes tura do veículo na região do bocal
objetos metálicos, até que o indicador tível é hermética, sem respiro, a fim de de abastecimento, devendo ser evi-
CAL se desligue. A bússola agora irá evitar o lançamento de vapores de com- tado.
funcionar normalmente. bustível no meio ambiente, em atendi-
mento legislação vigente. Mantenha-a
sempre bem fechada e não a substitua ADVERTÊNCIA: alguns postos de
ADVERTÊNCIA: a finalidade da por outra de tipo diferente.
indicação da bússola é somente para combustíveis contam com bombas
mera referência. A sua presença não de desligamento automático que
deve induzir o motorista a se dirigir garantem, quando utilizadas con-
e transitar por regiões desconhecidas forme normas vigentes, que o reser-
confiando somente nas indicações vatório estará “cheio” no segundo
da bússola, independente de se ter desligamento. Não se deve continu-
ou não experiência na interpretação ar o abastecimento no modo manu-
de instrumentos de navegação. al da bomba, pois o espaço de dila-
tação no interior do tanque poderá
ser preenchido ocasionando, no
ADVERTÊNCIA: diante da presen- caso de aumento de temperatura,
ça de campos magnéticos de ampli- transbordamento e odor de com-
tude elevada (redes de distribuição bustível, inclusive no habitáculo.

&2"2
subterrânea, celulares, antenas de
RF, etc.), a bússula pode apresentar
variações em sua indicação normal.
Isso ocorre devido às características
construtivas desse instrumento, que
fazem com que se comporte exata-
mente como uma bússola imantada.

fig. 92
A-97
TRAVA DA TAMPA DE 3. Após remover a tampa da gasoli- A adição de outro tipo
ABASTECIMENTO DE na, posicione o cabo de trava da tampa de gasolina no tanque (ex.:
COMBUSTÍVEL da gasolina sobre um gancho na parte gasolina de aviação), não
interior da tampa de combustível. Isto homologada para uso automotivo,
A trava da tampa da gasolina está mantém a tampa da gasolina suspensa e pode provocar danos irreversíveis
atrás da porta de abastecimento de a protege da superfície do veículo. no conversor catalítico.
combustível, do lado esquerdo do veí-
culo. Se a tampa da gasolina for perdi- Algumas versões possuem abertura
da ou danificada, certifique-se de que da portinhola que dá acesso à tampa
de gasolina vinculada ao travamento/ Se o veículo estiver em trânsi-
a tampa de reposição é para utilização to por outros países, certifique-se
com este veículo. destravamento elétrico das portas. Pa-
ra abrir a portinhola, basta com que as de que o abastecimento seja feito
1$ESLIGUEOMOTOR portas estejam destravadas. somente com gasolina que não con-
2. Abra a portinhola que dá acesso à tenha chumbo em sua composição.
tampa do reservatório. Tampa de abastecimento de
3. Insira a chave de emergência do combustível
TRANSMISSOR2+%NATAMPADECOMBUSTÓ- Nunca introduzir, nem
4. Gire a chave de volta para removê- mesmo em casos de emer-
vel e gire-a em um quarto de volta para -la.
a direita, então gire a tampa de combus- gência, a mínima quanti-
tível para a esquerda para removê-la. 5. Para fechar a tampa, insira-a no dade de gasolina com chumbo no
bocal de abastecimento e aperte para a tanque.
direita até ouvir ao menos três cliques.

De acordo com regulamenta- O conversor catalítico


&2"2

ção vigente estabelecida pela ANP ineficiente provoca emis-


(Agência Nacional de Petróleo) a sões nocivas no escapamen-
gasolina normalmente disponível no to, com a consequente poluição do
mercado brasileiro não deve conter meio ambiente.
chumbo em proporções que possam
causar danos ao conversor catalíti-
co dos automóveis.

fig. 93
A-98
Por motivos de seguran- Mensagem de tampa de abasteci- BAGAGEIRO DE
ça, assim como para garan- mento perdida (se disponível)
tir o funcionamento correto Se o sistema de diagnóstico do veí-
TETO
do sistema, a chave de ignição deve- culo detectar que a tampa de abasteci-
(SE DISPONÍVEL) A
rá permanecer desligada enquanto mento de combustível foi perdida, ins-
o veículo estiver sendo abastecido. Os trilhos laterais do bagageiro de
talada inadequadamente ou danificada, teto no seu veículo não foram proje-
a palavra “gASCAP” irá aparecer no ho- tados para sustentar uma carga sem a
dômetro. Se isto ocorrer, aperte a tampa adição das barras transversais, quando
Não se aproximar do de abastecimento de combustível até
bocal do tanque de com- disponíveis.
ouvir o som de um “clique” e pressione
bustível com fósforos ou OBOTÎO42)0/$/-%4%2ATÏDESLIGARA Os bagageiros externos não aumen-
cigarros acesos, pois há perigo de mensagem. Se o problema permanecer, tam a capacidade total de carga do
incêndio. Evitar também aproximar a mensagem irá aparecer na próxima veículo. Certifique-se de que o peso
demais o rosto do bocal, para não vez que o veículo for ligado. dos ocupantes, da carga de bagagem
inalar vapores nocivos. interna ao veículo e a carga do bagagei-
ro não ultrapassam a capacidade total
máxima do veículo.
Não utilizar combustí- As barras transversais do bagageiro
veis diferentes dos especi- de teto e as barras laterais em conjunto
ficados. O sistema somente foram projetadas para carregar um peso
está preparado para funcionar com de carga. A carga não pode ultrapassar
gasolina automotiva. 68 kg e deve ser distribuída uniforme-
mente sobre as barras transversais. Adi-

&2"2
cionalmente, o bagageiro de teto não
Não adaptar o veículo aumenta a capacidade total de carga do
para funcionamento com veículo. Certifique-se de que a carga to-
GNV (Gás natural veicu- tal interna ao veículo mais a carga do
lar), pois a adaptação no motor bagageiro não ultrapassem a capacida-
pode causar danos, que não serão de total máxima de carga do veículo.
cobertos pela garantia Fiat.

fig. 94
A-99
ADVERTÊNCIA Dirija a velocidades reduzidas e ABS
contorne as curvas cuidadosamente
quando estiver carregando cargas
De forma a evitar qual- grandes ou pesadas no bagageiro CORRETOR DE FRENAGEM
quer dano ao bagageiro de de teto. As forças do vento, devido ELETRÔNICO EBD
teto e ao veículo, a capaci- a causas naturais, ou caminhões em
dade máxima de carga do bagageiro O veículo é dotado de um corretor
tráfego nas proximidades podem
de teto não pode ultrapassar 68 kg. de frenagem eletrônico denominado
levantar as cargas bruscamente. Esta
Sempre distribua a carga da forma %"$%LECTRONIC"RAKING$EVICE QUE
recomendação deve ser observada
mais equilibrada possível e prenda através da centralina e dos sensores do
especialmente quando se transporta
adequadamente. SISTEMA!"3 PERMITEINTENSIFICARAA ÎO
cargas planas grandes, que podem
do sistema de freios.
causar danos à carga ou ao veículo.
Nos veículos equipados com corretor
Cargas longas, que possam ultra- ELETRÙNICODEFRENAGEM%"$ OACEN-
passar o para-brisa, como painéis de A carga deve estar amarrada de DIMENTOSIMULTÊNEODASLUZES ESPIAx
madeira, pranchas de surf ou cargas maneira segura antes de dirigir o e >, com o motor ligado, indica uma
com uma grande área frontal devem veículo. Cargas presas inadequa- ANOMALIADOSISTEMA%"$NESTECASO
ser presas pela parte frontal e pela damente podem se desprender do nas freadas violentas pode ocorrer um
traseira do veículo. veículo, particularmente a altas travamento precoce das rodas trasei-
velocidades. ras, com possibilidade de derrapagem.
Conduzir o veículo, à Rede Assisten-
Coloque um lençol ou outra pro- cial Fiat.
teção entre a superfície do teto e a O acendimento apenas da luz-espia
carga. >, com o motor ligado, indica nor-
malmente uma anomalia somente do
SISTEMA!"3.ESTECASO OSISTEMADE
freios mantém a sua eficiência normal,
não existindo, no entanto, a função an-
titravamento. Em tais condições, tam-
BÏMAFUNCIONALIDADEDOSISTEMA%"$
PODESERREDUZIDA4AMBÏMNESTECASO
dirigir-se à Rede Assistencial Fiat mais
A-100
próxima, conduzindo de modo a evitar SISTEMA DE FREIO ANTIBLOQUEIO Fiat para uma verificação do sis-
freadas bruscas, para a verificação do (ABS) tema.
sistema.
A
ADVERTÊNCIA: nos veículos Fiat A eficiência do sistema,
A eficiência do sistema, em ter-
equipados com ABS devem ser mon- em termos de segurança
mos de segurança ativa, não deve
tados exclusivamente rodas, pneus, ativa, não deve induzir o
induzir o motorista a correr riscos
lonas e pastilhas de freio do tipo e motorista a correr riscos desneces-
inúteis e injustificáveis. A condu-
marca aprovados pelo fabricante. sários. A conduta ao volante deve
ta a manter ao volante deve ser
sempre a adequada para as condi- ser sempre a adequada para as con-
ções atmosféricas, a visibilidade da dições atmosféricas, a visibilidade
O ABS não dispensa o da estrada, o trânsito e as normas
estrada, o trânsito e as normas de motorista de uma condução
circulação. de circulação.
prudente, principalmente
em estradas com água, lama, areia,
SISTEMA ELETRÔNICO DE etc. Uma utilização excessi-
CONTROLE DE FRENAGEM va do freio motor (marchas
muito baixas com pouca
Seu veículo possui um Sistema Ele- Quando o ABS intervir aderência), poderia fazer derrapar
trônico de Controle de Frenagem avan- e forem observadas pulsa- as rodas motrizes. O sistema ABS
çado instalado usualmente conhecido ções no pedal de freio, não não tem qualquer efeito sobre este
como ESC. Este sistema contém o aliviar a pressão, manter o pedal tipo de situação.
3ISTEMADE&REIO!NTIBLOQUEIO!"3 bem pressionado sem temor. Desse
o Sistema de Assistência à Frenagem modo, o veículo irá parar no menor
"!3 O3ISTEMADE#ONTROLEDE4RA ÎO espaço possível, compativelmente Se o sistema ABS entrar
4#3 A-ITIGA ÎO%LETRÙNICADA2OLA- com as condições da estrada. em funcionamento, signi-
GEM%2- O#ONTROLE%LETRÙNICODE fica que a aderência entre
%STABILIDADE%3# EO#ONTROLEDO"A- o pneu e a estrada foi reduzida em
LAN ODOATRELADO43# %STESSISTEMAS Diante do acendimento relação ao normal; neste caso, redu-
trabalham em conjunto para ampliar a da luz-espia x, indicando zir imediatamente a velocidade, no
estabilidade e o controle do veículo em nível mínimo de líquido no sentido de adequá-la às condições
diversas condições de direção. sistema de freios, levar o veículo do trecho em que se trafega.
o quanto antes à Rede Assistencial
A-101
Nos veículos equipados Este sistema auxilia o motorista a ferrovias, fragmentos soltos ou frena-
com corretor eletrônico de manter o controle do veículo em con- gens de emergência.
frenagem (EBD), o acendi- dições adversas de frenagem. O sistema Você também pode perceber o se-
mento simultâneo das luzes-espia controla a pressão hidráulica do freio guinte quando o sistema de freio entra
> e x, com o motor ligado, indi- para evitar o bloqueio das rodas de no antitravamento:
ca uma anomalia do sistema EBD; forma a ajudar a evitar a derrapagem
em superfícies escorregadias durante a /FUNCIONAMENTODACENTRALDO!"3
neste caso, nas freadas violentas PODECONTINUARAFUNCIONARPORUMCUR-
pode ocorrer um travamento pre- frenagem.
TOPERÓODOAPØSAPARADA 
coce das rodas traseiras, com pos- /SISTEMADEFREIOANTIBLOQUEIO!"3
sibilidade de derrapagem. Conduzir proporciona um aumento na estabili- - O som de cliques das válvulas sole-
o veículo, com extrema cautela, à dade do veículo e no desempenho da nóide;
Rede Assistencial Fiat mais próxima frenagem em condições de frenagem - A pulsação do pedal do freio e uma
para a verificação do sistema. extrema. O sistema automaticamente ligeira queda ou descida do pedal do
“bombeia” os freios durante condições freio ao final da frenagem.
severas de frenagem para evitar o trava- 4ODASESTASSÎOCARACTERÓSTICASNOR-
O acendimento apenas da mento das rodas. MAISDO!"3
luz-espia >, com o motor Quando o veículo estiver sendo di-
ligado, indica normalmente rigido acima de 11 km/h, você pode ADVERTÊNCIA
uma anomalia somente do sistema ouvir também um ligeiro som de cli-
ABS. Neste caso, o sistema de freios que assim como alguns relacionados
mantém a sua eficiência normal, O ABS não pode evitar aciden-
a ruídos do motor. Estes ruídos são o tes, inclusive aqueles causados por
não existindo, no entanto, a função funcionamento do sistema nos ciclos
antitravamento. Em tais condições, excesso de velocidade nas curvas,
de auto-verificação para garantir que o seguir outro veículo com excessiva
também a funcionalidade do siste- !"3ESTEJAFUNCIONANDOADEQUADAMEN-
ma EBD pode ser reduzida. Também proximidade ou aquaplanagem.
te. Esta auto-verificação ocorre a cada
neste caso, é aconselhável dirigir-se vez que o veículo receber a partida e
imediatamente à Rede Assistencial ACELERARACIMADEKMH/!"3Ï As capacidades de um veículo
Fiat mais próxima, conduzindo de ativado durante a frenagem sob cer- com ABS instalado nunca devem ser
modo a evitar freadas bruscas, para tas condições de via ou de frenagem. exploradas de maneira negligente
a verificação do sistema. As condições que induzem o funcio- ou perigosa, que possam prejudicar
NAMENTODO!"3PODEMINCLUIRGELO a segurança do usuário ou a segu-
neve, cascalho, ondulações, trilhos de rança de terceiros.
A-102
4ODASASRODASEPNEUSDOSVEÓCULOS Se a Luz de Alerta do Sistema de Freioa tração proporcionada pelas condi-
devem ter as mesmas dimensões e o EALUZDO!"3PERMANECEREMACESASOS ções que prevalecem na via. O BAS
mesmo tipo. Os pneus devem ser ca- SISTEMAS!"3EDE$ISTRIBUI ÎO%LETRÙ- não pode evitar acidentes, inclusive
librados adequadamente para oferecer NICADA&OR ADE&RENAGEM%"$ NÎO aqueles causados por excesso de A
sinais precisos para o computador. estão funcionando. É necessário o repa- velocidade nas curvas, dirigir sobre
ROIMEDIATODOSISTEMA!"3 superfícies escorregadias ou aqua-
LUZ DO FREIO ANTITRAVAMENTO planagem. As capacidades de um
ABS SISTEMA DE ASSISTÊNCIA À veículo com BAS instalado nunca
FRENAGEM (BAS) devem ser exploradas de maneira
> - A luz do freio antitravamen-
negligente ou perigosa, que possa
TOMONITORAO!"3!LUZIRÉACENDER /"!3FOIPROJETADOPARAATINGIRA
prejudicar a segurança do usuário
quando o interruptor de ignição for co- máxima capacidade de frenagem do
ou a segurança de terceiros.
locado na posição ON e deve permane- veículo durante manobras emergenciais
cer acesa por quatro segundos. de frenagem. O sistema detecta uma si-
3EALUZDO!"3PERMANECERACESA tuação de frenagem emergencial e na SISTEMA DE CONTROLE DE
ou acender durante o funcionamento, sequência aplica a pressão ideal sobre TRAÇÃO (TCS)
indica que a função antitravamento do os freios. Isto pode ajudar a reduzir as
Este sistema monitora o destraciona-
sistema de freio não está funcionando e DISTÊNCIASDEFRENAGEM/"!3COMPLE-
MENTAO!"3!PLICAROSFREIOSMUITO mento de cada uma das rodas moto-
que é necessária a manutenção. Contu-
ras. Se uma das rodas destracionar, a
do, o sistema convencional de freio irá rapidamente causa o melhor auxílio do
"!30ARARECEBEROSBENEFÓCIOSDOSIS- pressão de frenagem é aplicada sobre
continuar a funcionar normalmente se
AS RODAS QUEESTIVERDESTRACIONANDO
a Luz de Alerta do Sistema de Freio não tema você deve aplicar a pressão con-
tínua de frenagem durante a sequência e a potência do motor é reduzida para
estiver acesa.
DEPARADA NÎOhBOMBEIEvOSFREIOS  proporcionar um aumento da acelera-
3EALUZDO!"3ESTIVERACESA OSISTE- Não diminua a pressão no pedal do ção e da estabilidade. Uma função do
ma de freio deve receber manutenção freio a não ser que não deseje mais pa- 4#3TRABALHASIMILARAODIFERENCIALAUTO-
assim que possível para voltar a receber rar. Uma vez que o pedal do freio for -blocante e controla o giro da roda em
os benefícios dos freios antibloqueio. Se SOLTO O"!3ÏDESATIVADO relação ao eixo motor. Se uma roda no
ALUZDO!"3NÎOACENDERQUANDOO eixo motor girar mais rápido que a ou-
interruptor de ignição for colocado na tra, o sistema irá aplicar o freio sobre a
posição ON, faça o reparo da luz assim ADVERTÊNCIA: o BAS não pode roda que destracionar. Isto irá permitir
que possível. evitar que as leis naturais da física que a maior parte do torque do motor
ajam no veículo nem pode aumentar seja aplicado na roda que não esteja
A-103
destracionando. Esta função perma- ADVERTÊNCIA: muitos fatores, O ESC utiliza sensores no veículo pa-
NECEATIVAMESMOQUEO4#3EO%3# como a carga do veículo, as con- ra determinar a trajetória para a qual o
ESTEJAMNOMODOh0ARCIALMENTE$ES- dições da via e as condições de motorista pretende direcionar o veículo
ligado”. Consulte “Controle Eletrônico direção podem influenciar a possi- e compara com a trajetória real do ve-
DE%STABILIDADE%3# vNESTASE ÎOPARA bilidade de que as rodas levantem ículo. Quando a trajetória real não for
maiores informações. ou o capotamento possa ocorrer. O equivalente à trajetória desejada, o ESC
ERM não pode evitar todos os levan- aplica o freio à roda correspondente pa-
MITIGAÇÃO ELETRÔNICA DA tamentos de rodas e capotagens, ra auxiliar a correção da condição de
ROLAGEM (ERM) (se disponível) especialmente aqueles que envol- sobresterçamento ou subesterçamento.
vam deixar a pista ou atingir objetos - Sobresterçamento - quando o veí-
Este sistema prevê o potencial de le-
ou outros veículos. A capacidade de culo estiver realizando uma curva mais
vantamento de uma roda ao monitorar
um veículo com ERM nunca deve fechada do que o apropriado para a po-
o esterçamento do volante do motorista
ser explorada de maneira negligente sição do volante.
e a velocidade do veículo. Quando o
ou perigosa, que possa prejudicar a - Substerçamento - quando o veícu-
ERM determinar que o índice de varia-
segurança do usuário ou a seguran- lo estiver realizando uma curva menos
 ÎODOÊNGULODOVOLANTEEAVELOCI-
ça de terceiros. fechada do que o apropriado para a
dade do veículo são suficientes para
potencialmente causar o levantamento posição do volante.
de uma roda, o sistema irá aplicar a fre- CONTROLE ELETRÔNICO DE
nagem adequada e pode também redu- ESTABILIDADE (ESC) A ação do sistema ESC
zir a potência do motor para diminuir incrementa notavelmente a
a possibilidade de que isso ocorra. O Este sistema aumenta o controle di-
segurança ativa do veículo
ERM irá intervir somente em manobras recional e a estabilidade do veículo
em muitas situações críticas e é
de direção muito severas ou evasivas. sob diversas condições de direção. O
sempre útil quando mudam as con-
O ERM pode diminuir a possibilidade ESC corrige o sobresterçamento e o su-
dições de aderência da estrada. O
de ocorrer o levantamento de rodas du- besterçamento do veículo e irá aplicar
usuário deverá estar atento ao fato
rante manobras de direção severas ou a frenagem adequada. A potência do
de que o sistema não pode evitar,
evasivas e não poderá evitar o levanta- motor também pode ser reduzida para
por si só, a ocorrência de aciden-
mento de rodas devido a outros fatores, ajudar o veículo a manter a trajetória
tes motivados pela imprudência do
como as condições da via, a saída da desejada.
motorista e pela incompatibilidade
pista, ou atingir objetos ou outros ve- da velocidade do veículo com o
ículos. local por onde se trafega.
A-104
Para o correto funciona- Parcialmente desligado botão “ESC OFF”. Uma vez que
mento do sistema ESC é O botão “ESC OFF” está localiza- a situação que demande o modo
indispensável que os pneus do no conjunto de interruptores acima “Parcialmente Desligado” seja
sejam da mesma marca e tipo em do climatizador. Para acessar o modo superada, ligue novamente o ESC A
todas as rodas, que estejam em per- h0ARCIALMENTE$ESLIGADOv PRESSIONE pressionando temporariamente o
feitas condições e, sobretudo, que temporariamente o botão “ESC OFF” e botão “ESC OFF”. Isto pode ser
sejam do tipo, marca e dimensões a “Luz-espia de Ativação do ESC/Mau feito com o veículo em movimento.
prescritas. funcionamento” irá acender. Para ligar
o ESC novamente, pressione tempora- LUZ-ESPIA DE ATIVAÇÃO DO ESC/
MODOS DE OPERAÇÃO DO ESC riamente o botão “ESC OFF” e a “Luz- MAU FUNCIONAMENTO E LUZ-
-espia de Ativação do ESC/Mau funcio- -ESPIA DO ESC OFF (desligado)
O sistema ESC possui dois modos de namento” irá apagar. Isto irá restaurar o
operação disponíveis. modo “ESC On” normal de operação. - A “luz-espia de ativação do ESC/
mau funcionamento” no display irá
Completamente ligado NOTA: para aumentar a tração do acender quando o interruptor de igni-
Este é o modo normal de operação do veículo enquanto dirige ou enquan- ção for colocado na posição ON, e po-
ESC. Quando o veículo é ligado o siste- to fizer um movimento inicial em derá se apagar com o motor funcionan-
ma está neste modo. Este modo deve ser lama, areia ou cascalho profundos do. Se a “luz-espia de ativação do ESC/
utilizado na maior parte das situações pode ser desejável alternar para mau funcionamento” acender continu-
de direção. O ESC deve ser colocado o modo “Parcialmente Desligado” amente com o motor funcionando, um
EMh0ARCIALMENTE$ESLIGADOvSOMENTE temporariamente pressionando o mau funcionamento foi detectado em
por motivos conforme informado a se- seu sistema ESC. Se esta luz permanecer
acesa após diversos ciclos de ignição e

&2"2
GUIR#ONSULTEh0ARCIALMENTE$ESLIGA-
do” para informações adicionais. o veículo tiver percorrido diversos qui-
lômetros a velocidades maiores do que
48 km/h, visite a Rede Assistencial Fiat
para que seu problema seja diagnosti-
cado e corrigido.
Z
Z

fig. 95
A-105
A “luz-espia de ativação do ESC/mau O sistema ESC irá emitir sons de ADVERTÊNCIA
FUNCIONAMENTOvLOCALIZADANODISPLAY zunidos ou cliques quando estiver
DOQUADRODEINTRUMENTOS COME AA ativo. Isto é normal; os sons irão
piscar assim que os pneus perderem parar quando o ESC for desativado O TSC não impede a total trepida-
tração e o sistema ESC for ativado. A após a manobra que causou a ativa- ção de todos os atrelados. Quando
“luz-espia de ativação do ESC/Mau ção do ESC. estiver rebocando um atrelado, siga
funcionamento” pisca também quando as recomendações de peso aplica-
O4#3FORATIVADO3EAhLUZ ESPIADE OFF- A “luz-espia do ESC OFF” indica do no pino de reboque. Consulte
ativação do ESC/mau funcionamento” que o Controle Eletrônico de Estabilida- ”Dispositivo para reboque” para
começar a piscar durante a aceleração, DE%3# ESTÉDESLIGADO maiores informações.
diminua a pressão no pedal e mante-
nha o mínimo possível de aceleração. CONTROLE DE BALANÇO DE
Ajuste a sua velocidade e a direção às ATRELADO (TSC) Se o TSC for ativado enquanto
condições que prevalecem na via. estiver rebocando um atrelado, pare
/43#UTILIZASENSORESNOVEÓCULO o veículo no local seguro mais pró-
NOTA: para reconhecer, de modo automático, xima e ajuste a carga do atrelado
um balanço excessivo de um atrelado para eliminar o balanço indesejado.
CARRETINHAOUSIMILAR CASOPRESENTE
A “luz-espia de ativação do ESC/ 1UANDOO43#ESTIVERFUNCIONANDO A
mau funcionamento” e a “Luz-espia “Luz-espia de Ativação do ESC/Mau Deixar de seguir estes alertas
do ESC OFF” acendem temporaria- funcionamento” irá piscar e a potência pode causar um acidente ou feri-
mente cada vez que o interruptor do motor será reduzida e você irá sentir mentos pessoais graves.
de ignição for colocado em ON. o freio sendo aplicado individualmente
nas rodas em uma tentativa, do sistema,
para que o atrelado pare de balançar.
Cada vez que a ignição for colo-
cada em ON, o sistema ESC estará NOTA: o TSC também estará
LIGADO mesmo que tenha sido desativado quando o sistema ESC
desligado anteriormente. estiver no modo “Parcialmente
Desligado”.

A-106
SISTEMA DE /40-3IRÉALERTARAOMOTORISTASOBRE
a baixa pressão dos pneus se a pressão
Por exemplo, seu veículo pode ter
uma pressão recomendada para pneu
MONITORAMENTO dos pneus cair abaixo do limite de aler- FRIOESTACIONADOPORMAISQUETRÐSHO-
DA PRESSÃO DOS ta de baixa pressão por qualquer moti- RAS DEPSI3EATEMPERATURAAMBIEN- A
vo, inclusive efeitos de temperatura e te for 20°C e a pressão medida no pneu
PNEUS (TPMS) a perda de pressão natural através do for 28 psi, uma queda de temperatura
pneu. para 7°C irá diminuir a pressão do pneu
O sistema de monitoramento da pres- /40-3IRÉCONTINUARAALERTARAO em aproximadamente 24 psi. Esta pres-
SÎODOSPNEUS40-3 IRÉALERTARAOMO- motorista sobre a baixa pressão dos são do pneu é suficientemente baixa pa-
torista a baixa pressão dos pneus com pneus enquanto esta condição existir e ra ligar a luz-espia de monitoramento
base na pressão a frio recomendada. não irá desligar até que a pressão do DAPRESSÎONOSPNEUS$IRIGIROVEÓCU-
A pressão dos pneus se altera apro- pneu esteja na ou acima da pressão re- lo pode causar o aumento da pressão
ximadamente 1 psi a cada 6,5°C . Isto comendada na plaqueta para pneu frio. para aproximadamente 28 psi, mas a
significa que quando a temperatura ex- Uma vez que o aviso de baixa pressão luz-espia de monitoramento da pressão
terna cair, a pressão dos pneus irá cair. DOPNEULUZ ESPIADEMONITORAMENTO nos pneus irá permanecer acesa. Nesta
A pressão dos pneus deve ser calibrada DAPRESSÎONOSPNEUS ACENDA VOCÐ situação, a luz-espia de monitoramento
sempre com base na pressão de calibra- deve aumentar a pressão do pneu até a da pressão nos pneus irá desligar so-
gem do pneu frio, que é definida como pressão recomendada na plaqueta para mente após os pneus serem calibrados
a pressão dos pneus após o veículo pneu frio de forma que a luz-espia de para o valor de pressão recomendada
estar parado por ao menos três horas monitoramento da pressão nos pneus na plaqueta para pneu frio do veículo.
ou sido movido por menos que 1,6 km apagar. O sistema irá se atualizar auto-
após o período de três horas. A pressão maticamente e a luz-espia de monitora- ATENÇÃO!
de calibragem de pneus frios não pode mento da pressão nos pneus irá desligar
ultrapassar a pressão de calibragem má- assim que o sistema receber a pressão
xima gravada na parede lateral do pneu. atualizada do pneu. Pode ser necessário O TPMS foi adequado para o
Consulte “Pressão dos pneus” para in- que o veículo se movimente por até 20 melhor desempenho com os pneus e
formações a respeito de como calibrar minutos acima de 25 km/h para que o rodas originais. As pressões e alertas
adequadamente os pneus do veículo. A 40-3RECEBAESTAINFORMA ÎO do TPMS foram estabelecidos para
pressão dos pneus também irá aumentar as dimensões de pneus instalados
quando o veículo for movimentado. Isto em seu veículo. A utilização de
é normal e não deve existir ajuste desta peças de reposição que não sejam
pressão aumentada. das mesmas dimensões, modelo

A-107
e/ou estilo pode causar um funcio- O TPMS não deve ser utilizado SISTEMA BÁSICO
namento indesejado do sistema ou como calibrador de pressão dos
danos ao sensor. Rodas não genuí- pneus enquanto ajusta a pressão do O Sistema de Monitoramento da
nas podem causar danos ao sensor. seu pneu. 0RESSÎODOS0NEUS40-3 UTILIZATECNO-
Não utilize vedadores de pneus do LOGIAWIRELESSCOMSENSORESELETRÙNICOS
mercado paralelo ou pesos para montados no aro da roda para monito-
balanceamento caso o seu veículo Dirigir com uma pressão signifi- rar os níveis de pressão dos pneus. Os
tenha o TPMS instalado, que pode- cativamente inferior no pneu causa sensores, montados em cada roda como
rão resultar em danos aos sensores. o superaquecimento do pneu e pode parte da válvula, transmite as leituras
causar defeitos no pneu. A pressão de pressão do pneu para o módulo re-
insuficiente também reduz a efici- ceptor.
Após inspecionar ou ajustar a ência com o combustível e a vida-
pressão dos pneus, sempre recolo- -útil da banda de rodagem e pode NOTA: é particularmente impor-
que a tampa da válvula. Isto irá evi- afetar a dirigibilidade e a capacida- tante que você verifique a pressão
tar que a umidade e a lama entrem de de parar do veículo. em todos os pneus do seu veículo
na válvula, o que poderia danifi- mensalmente e mantenha a pressão
car o Sensor de Monitoramento da O TPMS não substitui a manuten- adequada. O TPMS consiste nos
Pressão nos Pneus. ção adequada do pneu e é de res- componentes a seguir:
ponsabilidade do motorista manter - Módulo receptor
NOTA: a pressão correta do pneu com a
utilização de um calibrador preci- - Quatro sensores de monitora-
so de pressão do pneu, mesmo se -mento da pressão nos pneus
O TPMS não tem o objetivo de a pressão insuficiente ainda não
substituir a manutenção e os cuida- houver atingido o nível que dispara - Luz-espia de monitoramento da
dos normais com os pneus nem de a luz-espia de monitoramento da pressão nos pneus
alertar sobre defeitos ou a condição pressão nos pneus a acender.
dos pneus.
Variações de temperatura sazo-
nais irão afetar a pressão do pneu e
o TPMS irá monitorar a pressão real
do pneu.
A-108
ALERTAS DE BAIXA PRESSÃO DO que a falha do sistema ainda existe. A DESATIVAÇÃO E REATIVAÇÃO DO
MONITORAMENTO DA PRESSÃO luz-espia de monitoramento da pressão TPMS
NOS PNEUS nos pneus irá se desligar quando a con-
/40-3PODESERDESATIVADOSEFOREM
- A luz-espia de monitoramento da
dição de falha deixar de existir. Uma
substituídas todos os quatro conjuntos
A
falha de sistema pode ocorrer devido a
pressão nos pneus irá acender no instru- uma das causas a seguir: DERODASEPNEUSRODASCOMPLETAS POR
mento combinado e um sinal sonoro irá outros conjuntos de rodas e pneus que
1. Interferência devido a dispositivos
tocar quando a pressão estiver baixa em NÎOPOSSUAMOSSENSORESDO40-3 CO-
eletrônicos ou com o veículo próximo a
um ou mais pneus em atividade na via. mo ao instalar os conjuntos de rodas e
equipamentos que emitam a mesma fre-
Quando isto ocorrer, você deve parar pneus de inverno no seu veículo.
QUÐNCIADERÉDIOQUEOSSENSORES40-3
o veículo assim que possível, verificar 0ARADESATIVARO40-3 EMPRIMEIRO
a pressão de calibragem de cada pneu 2. Instalação de alguma forma de re-
lugar, substitua todos os quatro conjun-
e calibrar cada pneu com o valor da vestimento dos vidros do mercado de
TOSDERODASEPNEUSRODASCOMPLETAS
pressão recomendada. Uma vez que o reposição que afete a onda dos sinais
por aqueles que não possuem os sen-
sistema receba a atualização das pres- de rádio.
SORESDE40-INSTALADOS.ASEQUÐN-
sões dos pneus, o sistema automatica- 3. Grandes quantidades de barro ou cia, dirija o veículo por até 20 minutos
mente irá ser atualizado e a luz-espia de gelo em torno das rodas e das caixas ACIMADEKMH/40-3IRÉTOCAR
monitoramento da pressão nos pneus de rodas. UMSINALSONOROEA,UZ ESPIADE40-
irá desligar. Pode ser necessário que o 4. Utilização de correntes de pneus irá piscar por 75 segundos e então per-
veículo seja dirigido por até 20 minu- no veículo. manecerá acesa. No próximo ciclo do
tos acima dos 25 km/h de forma que o INTERRUPTORDEIGNI ÎO O40-3NÎOIRÉ
40-3RECEBAANOVAINFORMA ÎO 5. Utilização de rodas/pneus sem
SENSORES40-3INSTALADOS mais tocar ou acender a luz-espia de
monitoramento da pressão nos pneus.
AVISO DE VERIFICAÇÃO DO TPMS 0ARAREATIVARO40-3 EMPRIMEIROLU-
Quando uma falha do sistema é de- gar, substitua todos os quatro conjuntos
tectada, a luz-espia de monitoramento DERODASEPNEUSRODASCOMPLETAS POR
da pressão nos pneus irá piscar por 75 aqueles que possuam os sensores de
segundos e então permanecerá acesa. 40-INSTALADOS.ASEQUÐNCIA DIRIJAO
A falha do sistema também irá tocar veículo por até 20 minutos acima de 25
um sinal sonoro. Se o interruptor de ig- KMH/40-3IRÉTOCAREALUZ ESPIADE
nição for colocado em outra posição, 40-PISCARPORSEGUNDOS
esta sequência irá se repetir, mostrando
A-109
INFORMAÇÕES GERAIS frio e, se necessário, restabeleça os PROTEÇÃO DO
valores de enchimento (ver capítulo
- Este dispositivo não pode causar E - “PR ES SÃO DOS PN EU S ”). MEIO AMBIENTE
interferência danosa.
- Este dispositivo deve receber inter- A proteção do meio ambiente condu-
ferência de qualquer tipo, incluindo ADVERTÊNCIA: se o veí- ziu o projeto e a realização dos veículos
interferências que possam causar um culo estiver equipado com Fiat em todas as suas fases. O resulta-
funcionamento indesejado. o sistema T.P.M.S., quando do está na utilização de materiais e no
um pneu é desmontado, é adequa- aperfeiçoamento de dispositivos capa-
do substituir também a guarnição zes de reduzir ou limitar drasticamen-
ADVERTÊNCIA: o sistema te as influências nocivas sobre o meio
T.P.M.S. não indica vaza- de borracha da válvula. Dirija-se à
Rede Assistencial Fiat. ambiente.
mentos imprevistos da pres-
são dos pneus. Neste caso acautele- O Veículo Fiat está pronto para rodar
-se, dirigindo ao acostamento para com uma boa margem de vantagem so-
as providências necessárias. ADVERTÊNCIA: se o veí- bre as mais severas normas antipoluição
culo estiver equipado com internacionais.
sistema T.P.M.S., as opera-
ADVERTÊNCIA: o siste- ções de montagem e desmontagem Alterações feitas no veículo
ma T.P.M.S. exige o uso de dos pneus e/ou rodas necessitam de com o objetivo de aumentar o seu
equipamentos específicos. precauções específicas. Para evitar desempenho, tais como a retirada
Consulte a Rede Assistencial Fiat danos ou montagem incorreta dos do catalisador e/ou modificações no
para saber quais são os acessórios sensores, a reparação dos pneus e/ sistema de injeção eletrônica, além
compatíveis com o sistema. ou rodas deve ser efetuada somente de contribuírem para aumentar des-
por pessoal especializado. Dirija-se necessariamente a poluição atmos-
à Rede Assistencial Fiat. férica, podem resultar no cancela-
ADVERTÊNCIA: a pres- mento da garantia dos componentes
são dos pneus pode variar envolvidos.
em função da temperatura
externa. O sistema T.P.M.S. pode
indicar de modo temporário uma
pressão insuficiente. Neste caso
controle a pressão dos pneus a
A-110
USO DE MATERIAIS NÃO NOCIVOS A retirada do conver- Ruídos veiculares
AO MEIO AMBIENTE sor catalítico, além de não Este veículo está em conformidade
contribuir para aumentar o com a legislação vigente de controle
Nenhum componente do veículo
contém amianto ou cádmio. Os com-
desempenho do veículo, ocasiona da poluição sonora para veículos au- A
poluição desnecessária e constitui tomotores.
ponentes espumados e o sistema de ar- um claro desrespeito à legislação
CONDICIONADONÎOCONTÐM#&##LO- ambiental para veículos automo- Limite máximo de ruído para fiscali-
ROFLUORCARBONO GÉSRESPONSÉVELPELA tores. ZA ÎODEVEÓCULOEMCIRCULA ÎOVEÓCU-
redução da camada de ozônio. lo parado segundo Resolução n° 01/93
DO#/.!-! 
DISPOSITIVOS PARA REDUZIR AS Sonda Lambda (sensor de oxigênio)
EMISSÕES 4ODAS AS VERSÜES ESTÎO EQUIPADAS
com a sonda lambda, pois esta garante Versão Ruídos
Conversor catalítico trivalente o controle da relação exata da mistu-
Monóxido de carbono, óxidos de ra ar/combustível, fundamental para o Fiat Freemont  D"!
nitrogênio e hidrocarbonetos não quei- correto funcionamento do motor e do Emotion 2.4 16V
mados são os principais componentes catalisador.
nocivos dos gases de escapamento. Fiat Freemont  D"!
Sistema antievaporação Precision 2.4 16V
O conversor catalítico é um “labora-
tório” no qual uma porcentagem muito Sendo impossível, mesmo com o
alta destes componentes transforma-se motor desligado, impedir a formação
EMSUBSTÊNCIASINØCUAS dos vapores de gasolina, o sistema os
mantêm armazenados num recipiente
A transformação é auxiliada pela especial de carvão ativado, de onde
presença de minúsculas partículas de são aspirados e queimados durante o
metais nobres presentes no corpo de funcionamento do motor.
CERÊMICA FECHADOPELORECIPIENTEME-
tálico de aço inoxidável.

A-111
É importante o seguimento do “Ser- DESTINAÇÃO DE BATERIAS Riscos do contato com a solução
viço Periódico de Manutenção”, para ácida e com o chumbo
que o veículo permaneça dentro dos 4ODO CONSUMIDORUSUÉRIO FINAL Ï
obrigado a devolver sua bateria usada Quando a solução ácida e o chumbo
padrões antipoluentes.
AUMPONTODEVENDA2ESOLU ÎO#/- contidos na bateria são descartados na
NAMA 401.08 de 04/11/08. natureza de forma incorreta, poderão
Trafegar com o sistema contaminar o solo, o subsolo e as águas,
de escapamento modifi- bem como causar riscos à saúde do ser
Reciclagem obrigatória:
cado ou danificado, além humano.
de aumentar consideravelmente o No caso de contato acidental com
nível de ruído do veículo (poluição Não descarte a bateria no os olhos ou com a pele, lavar imedia-
sonora), constitui uma infração ao lixo. tamente com água corrente e procurar
Código Nacional de Trânsito. orientação médica.
$EVOLVAABATERIAUSADAAO
Não jogue pontas de revendedor no ato da troca.
cigarro para fora da janela. Composição básica: chumbo, ácido
Além de evitar incêndios e sulfúrico diluído e plástico.
queimadas, você estará evitando a
Os pontos de venda são obrigados a
contaminação do solo.
aceitar a devolução de sua bateria usa-
da, bem como armazená-la em local
adequado e devolvê-la ao fabricante
O lixo que é jogado na
para reciclagem.
rua coloca em risco as gera-
ções futuras devido ao altís-
simo tempo de decomposição de
determinados materiais.

A-112
USO CORRETO DO VEÍCULO
Para poder utilizar seu veículo Fiat aproveitando as suas PARTIDA DO MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-1
qualidades, neste capítulo sugerimos “o que fazer, o que não ENTRY-N-GO. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-1
fazer e o que evitar”.
CÂMBIO AUTOMÁTICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-3
FUNÇÃO AUTOSTICK® . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-6
ESTACIONAMENTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-7
B
DIRIGIR COM SEGURANÇA . . . . . . . . . . . . . . . . . B-8
DIRIGIR COM ECONOMIA E RESPEITANDO
O MEIO AMBIENTE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-11
LONGA INATIVIDADE DO VEÍCULO . . . . . . . . . B-16
CONTROLES FREQUENTES E ANTES DE
VIAGENS LONGAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . B-16
ACESSÓRIOS COMPRADOS PELO USUÁRIO . . B-17
DISPOSITIVO PARA REBOQUE . . . . . . . . . . . . . . B-17

B
PARTIDA DO tiver ficado muito tempo parado, pode
ocorrer aumento do nível dos ruídos do
ENTRY-N-GO
MOTOR motor. Este fenômeno, que não preju- A função permite ao motorista operar
dica o funcionamento e sua confiabi- o interruptor de ignição (apertando um
Antes de dar a partida em seu veícu- lidade, é característico das válvulas: o botão), desde que o transmissor RKE
lo, ajuste o banco, ajuste os espelhos sistema de distribuição escolhido para (Remote KEYLESS ENTRY’N’GO) esteja
retrovisores internos e externos, aperte algumas versões do seu Fiat que con- no compartimento de passageiros.
os cintos de segurança e, se presentes, tribui para reduzir os serviços de ma-
instrua os outros ocupantes a afivelar os nutenção.
cintos de segurança. PARTIDA NORMAL B
Não é necessário pisar no NOTA: no caso de o interruptor
ADVERTÊNCIA de ignição não mudar ao apertar
acelerador para dar partida
no motor. o botão, o transmissor RKE (chave)
Nunca deixe crianças sozinhas pode estar com a bateria fraca ou
em um veículo. Deixar crianças sem mesmo sem bateria. Nesta situação
acompanhamento em um veículo é Com o motor em movi- um método reserva pode ser utilizado
perigoso por diversos motivos. Não mento, não tocar nos cabos para operar o interruptor de ignição.
deixe a ignição na posição ACC ou de alta tensão (cabos das Coloque a extremidade (lado oposto
RUN. Uma criança pode operar os velas). à chave de emergência) da chave no
vidros elétricos, outros controles, botão ENGINE START/STOP (liga/
ou mover o veículo. desliga do motor) e aperte para ope-
rar o interruptor de ignição.

FR144BR
É perigoso deixar o motor Utilizando o botão liga/desliga do
funcionando em local motor
fechado. O motor conso- Para dar a partida no motor, a trans-
START
me oxigênio e libera gás carbôni- STOP missão deve estar em PARK (P). Pressio-
co, monóxido de carbono e outros ne e segure o pedal do freio enquanto
gases tóxicos. pressiona o botão (START/STOP) fig. 1
uma única vez. O sistema assume e ten-
Nos primeiros segundos de funcio- ta dar a partida no veículo. Se o veículo
namento, principalmente se o veículo fig. 1 não conseguir dar a partida, o motor de
B-1
partida irá parar automaticamente após NOTA: se o interruptor de igni- - Pressione o botão LIGA/DESLIGA
10 segundos. Se você desejar parar o ção for deixado na posição ACC ou DO MOTOR uma terceira vez para
motor de partida antes da partida do RUN (com o motor desligado) e o passar o interruptor de ignição para a
motor, pressione o botão novamente. câmbio estiver em PARK (P), o siste- posição OFF (o botão irá se iluminar
ma irá contar automaticamente 30 nessa posição).
PARA DESLIGAR O MOTOR minutos de inatividade e a ignição
UTILIZANDO O BOTÃO LIGA/ irá passar para a posição OFF. ADVERTÊNCIA: se o motor não
DESLIGA DO MOTOR ligar não tente empurrar ou rebocar
1. Posicione a alavanca de câmbio o veículo para dar a partida. Veículos
FUNÇÕES DO BOTÃO LIGA/
em PARK (P) e então pressione e solte com transmissão automática insta-
DESLIGA DO MOTOR - COM O PÉ
o botão LIGA/DESLIGA DO MOTOR. lada não podem dar a partida desta
DO MOTORISTA FORA DO PEDAL
forma. Se o veículo estiver com a
2. O interruptor de ignição irá retor- DO FREIO (na posição Park (P) ou
bateria descarregada, cabos de trans-
nar para a posição OFF. Neutral (N))
ferência podem ser utilizados para
3. Se a alavanca de câmbio não esti- O botão LIGA/DESLIGA DO MO- obter a partida por uma bateria de
ver em PARK (P), o botão LIGA/DES- TOR funciona como o interruptor de carregamento ou a bateria de outro
LIGA DO MOTOR deve ser segurado ignição. Ele tem quatro posições, OFF, veículo. Este tipo de partida pode ser
por dois segundos e a velocidade do ACC, RUN e START. Para mudar as po- perigoso se feito inadequadamente.
veículo deve estar acima de 8 km/h an- sições do interruptor de ignição sem dar
tes de o motor desligar. A posição do a partida no veículo e utilizar os acessó-
interruptor de ignição irá permanecer rios, observe os procedimentos a seguir. LIMPANDO UM MOTOR
na posição ACC até que a alavanca de AFOGADO (utilizando o botão liga/
Iniciando com o interruptor de igni- desliga do motor)
câmbio esteja em PARK (P) e o botão
ção na posição OFF:
seja pressionado duas vezes para a po- Se o motor não conseguir dar a par-
sição OFF. Se a alavanca de câmbio não - Pressione o botão LIGA/DESLIGA
DO MOTOR uma vez para passar o in- tida após seguir os procedimentos de
estiver em PARK (P) e o botão LIGA/ partida normal, ele pode estar afogado.
DESLIGA DO MOTOR for pressionado terruptor de ignição para a posição ACC
(o botão irá se iluminar nessa posição); Para limpar o excesso de combustível,
uma vez, o EVIC (se disponível) irá exibir pressione e segure o pedal do freio, pres-
a mensagem “Vehicle Not In PARK (P)” - Pressione o botão LIGA/DESLIGA DO sione o pedal do acelerador até o fundo
e o motor irá permanecer funcionando. MOTOR uma segunda vez para passar o e segure, então pressione e solte o botão
Nunca deixe o veículo fora da posição interruptor de ignição para a posição RUN LIGA/DESLIGA DO MOTOR uma vez.
PARK (P) ou ele poderá se movimentar. (o botão irá se iluminar nessa posição); O motor de partida irá ligar automatica-
B-2
mente, funcionar por 10 segundos e en-
tão desligar. Quando isso ocorrer, solte
CÂMBIO Antes de engatar alguma marcha,
mantenha firmemente pressionado
o pedal do acelerador e o pedal do freio, AUTOMÁTICO o pedal do freio.
espere 10 a 15 segundos e então repita o
procedimento de “Partida Normal”. A alavanca de câmbio deve estar na
posição NEUTRAL (N) ou PARK (P) NOTA: você precisa pressionar e
Após a partida para que você ligue o motor. Aplique segurar o pedal do freio enquanto
os freios antes de engrenar uma marcha desengatar a alavanca de mudanças
A marcha lenta é controlada automa- de movimento. da posição PARK (P).
ticamente e irá diminuir assim que o B
motor aquecer.
Podem ocorrer graves
danos ao câmbio automáti- ADVERTÊNCIA
Uma vez que a ignição for desli-
gada, se houver qualquer movimen- co se não forem tomadas as
tação no volante ocorrerá a trava da precauções a seguir: É perigoso mover a alavanca de
direção. A direção será destravada cambio para fora da posição PARK
somente quando o comutador de Coloque a alavanca de mudanças (P) ou NEUTRAL (N) se o motor
ignição for colocado na posição ACC em PARK (P) somente com o veículo estiver acima da rotação de mar-
ou RUN, mediante a presença do completamente parado. cha lenta. Se o seu pé não estiver
transmissor RKE (chave) na cabine. pressionando firmemente o pedal
do freio, o veículo pode acelerar
Coloque ou retire a alavanca de rapidamente para a frente ou para
COMO AQUECER O MOTOR mudanças na posição REVERSE (R) trás. Você pode perder o controle
DEPOIS DA PARTIDA somente com o veículo completa- do veículo e atingir algum obstácu-
- Colocar o carro em movimento len- mente parado e o motor em marcha lo. Somente engate alguma marcha
tamente, deixando o motor em regime lenta. se o motor estiver normalmente
médio, sem aceleradas bruscas. em marcha lenta e o seu pé direito
estiver pressionando firmemente o
- Evitar exigir, desde os primeiros qui- Não passe de REVERSE (R), PARK pedal do freio.
lômetros, o máximo de desempenho. (P), ou NEUTRAL (N) para alguma
marcha de movimento para a frente
Nota: nunca faça funcionar o quando o motor estiver acima da
motor sem o filtro de ar. marcha lenta.
B-3
Como em qualquer veículo, você to-calibráveis; assim sendo, os primei- Quando estacionar em uma superfí-
nunca deve sair do veículo com o ros engates de um veículo novo serão cie plana, coloque a alavanca de câm-
motor funcionando. Antes de sair menos suaves do que é o normal. Isto bio na posição PARK (P) antes e então
de um veículo, você deve sempre é uma condição esperada, sendo que, aplique o freio de estacionamento.
colocar a alavanca de mudanças na após o veículo rodar algumas centenas Quando estacionar em uma ladeira,
posição PARK (P) e aplicar o freio de quilômetros será notado um funcio- é importante acionar o freio de estacio-
de estacionamento. Além disso, namento mais suave do câmbio. namento antes de colocar a alavanca de
você nunca deve deixar crianças câmbio em PARK (P), caso contrário a
sem acompanhamento dentro de POSIÇÕES DAS MARCHAS carga sobre o mecanismo de trava da
um veículo. transmissão pode dificultar mover a
PARK (P) - Estacionamento alavanca para fora da posição PARK
(P). Como uma precaução adicional,
SISTEMA DE TRAVA DE CÂMBIO/ Esta posição trava o câmbio, não gire as rodas dianteiras, em direção ao
FREIO substituindo o freio de estacionamento. meio-fio em uma descida ou no sentido
O motor pode ser ligado nesta posição. contrário em uma subida.
Este veículo possui um Sistema de Nunca tente utilizar PARK (P) com o
Trava de Câmbio/Freio (BTSI) instalado veículo em movimento. Acione o freio
que segura a alavanca de câmbio na de estacionamento quando for deixar o ADVERTÊNCIA: nunca utilize a
posição PARK (P) quando o interruptor veículo nesta posição. posição PARK (P) para substituir o
de ignição estiver na posição ON ou freio de estacionamento. Sempre
RUN. Para mover a alavanca de câm- acione completamente o freio de
bio para fora da posição PARK (P), o in- estacionamento quando estacionar
terruptor de ignição deve ser colocado para previnir uma movimentação
na posição RUN, o motor deve estar em indesejada do veículo.

FR082BR
funcionamento e o pedal do freio deve
estar pressionado.
ATENÇÃO!
CONTROLE ELETRÔNICO DO +

CÂMBIO

NÃO acelere o motor ao mover


O câmbio com controle eletrônico a alavanca de câmbio das posições
oferece uma programação de engates PARK (P) ou NEUTRAL (N) para
precisa. Os câmbios eletrônicos são au- outra posição de marcha uma vez
fig. 2
B-4
que isto poderia danificar o conjun- “D” (Overdrive) cionar. Esta função de reajuste permite
to de transmissão. que o veículo seja dirigido até a Rede
Esta posição pode ser utilizada duran-
Assistencial Fiat para manutenção sem
te a maior parte do tempo para direção
riscos à transmissão.
REVERSE (R) - Marcha a ré em cidades e rodovias. Proporciona as
trocas de marcha para cima ou para bai- No caso de um problema temporá-
Esta posição move o veículo para xo mais suaves e a melhor economia de rio, o câmbio pode ser reajustado para
trás. Selecione a posição REVERSE (R) combustível. Contudo, utilize a função recuperar todas as marchas executando
somente após a parada completa do AutoStick® para selecionar uma marcha os passos a seguir:
veículo. mais baixa que a transmissão frequen- 1. Pare o veículo. B
temente engata enquanto utiliza a po- 2. Coloque o câmbio em PARK (P).
NEUTRAL (N) - Neutro sição “D” (Overdrive), assim como ao
Esta posição é utilizada quando o ve- operar o veículo em condições de carga 3. Coloque o interruptor de ignição
ículo permanecer em períodos prolon- pesada, (ex.: em terreno montanhoso, na posição OFF.
gados com o motor funcionando (ex.: contra ventos fortes ou rebocando atre- 4. Dê novamente a partida no motor.
congestionamentos). O motor pode dar lados pesadas). Nestas condições, sele- 5. Engate a posição de marcha dese-
a partida nesta posição. Acione o freio cionar uma marcha mais baixa irá me- jada e volte a dirigir.
de estacionamento e coloque a trans- lhorar o desempenho e estender a vida
missão em PARK (P) se você for deixar útil da transmissão devido à diminuição
das trocas de marchas excessivas e o NOTA: mesmo que o câmbio seja
o veículo.
aquecimento. reajustado, é recomendado que visi-
te a Rede Assistencial Fiat para que
ADVERTÊNCIA: não seja verificado, mediante equipa-
desça do veículo em REAJUSTE DE MODO
mento de diagnóstico, se o proble-
NEUTRAL (N) e nunca des- O câmbio é monitorado eletroni- ma pode ocorrer novamente.
ligue a ignição para descer uma camente para condições anormais. Se
ladeira. Estas são práticas inseguras for detectada uma condição que possa
que limitam sua resposta em condi- causar danos, o câmbio automatica-
ções variáveis de tráfego e de via. mente engata a segunda marcha. O
Você pode perder o controle do câmbio permanece na segunda mar-
veículo e sofrer uma colisão. cha mesmo que uma marcha maior seja
selecionada. PARK (P), REVERSE (R),
e NEUTRAL (N) irão continuar a fun-
B-5
FUNÇÃO instrumentos no indicador da posição
de transmissão.
- Evite utilizar o controle de veloci-
dade quando o AutoStick® estiver acio-
AUTOSTICK® nado.
(SE DISPONÍVEL) - O engate da transmissão é mais
NOTA: no modo AutoStick®, a
transmissão somente irá passar perceptível quando o AutoStick® estiver
O AutoStick é uma função com
®
ou reduzir uma marcha quando o acionado.
interação com o motorista que propor-
ciona o controle manual do câmbio, motorista mover a alavanca para a - Se uma redução de marcha cau-
fornecendo maior controle do veículo. direita (+) ou para a esquerda (-). sar um excesso de rotação do motor,
O AutoStick® permite que você atinja o O AutoStick® é desativado quando a troca de marchas em questão não irá
máximo freio motor, elimine passagens a alavanca for movida para fora da acontecer até que seja seguro para o
ou redução de marcha indesejadas e posição AutoStick® (+/-). motor.
melhore o desempenho geral do veícu- - Na maior parte das vezes a trans-
lo. Este sistema também pode oferecer Informações gerais missão estará em uma marcha selecio-
maior controle durante ultrapassagens, nada manualmente, contudo:
a direção na cidade, condições de via - Você pode movimentar o veículo
a partir da posição totalmente parado - Se o sistema detectar superaque-
escorregadias, direção em montanha, o cimento do conjunto motor, a trans-
reboque de um atrelado e muitas outras em qualquer marcha com exceção da
marcha mais alta. O sistema irá ignorar missão irá retornar ao modo de câmbio
situações. automático e permanecer neste modo
as tentativas de passar as marchas até
a marcha mais alta enquanto o veículo até que o conjunto motor tenha a sua
OPERAÇÃO temperatura diminuída.
estiver em uma velocidade muito baixa.
Quando a alavanca de câmbio esti- - Se uma relação, que não a primeira - Se o sistema detectar um proble-
ver na posição AutoStick® (abaixo da marcha, estiver selecionada e o veícu- ma, irá desativar o modo AutoStick®
posição DRIVE), a mesma pode ser mo- lo for imobilizado, o controle lógico da e a transmissão irá retornar ao modo
vida de um lado a outro. Isto permite transmissão irá automaticamente sele- automático até que o problema seja
que o motorista selecione manualmente cionar a primeira marcha. corrigido.
a marcha de transmissão sendo utiliza-
- Sair em segunda marcha pode ser
da. Mover a alavanca de câmbio para
útil em condições de gelo ou lama. Para
a esquerda (-) ativa uma redução de
selecionar a segunda marcha após parar
marcha e para a direita uma passagem
o veículo, toque a alavanca de câmbio
de marcha (+). A posição do câmbio
para a direita (+) uma vez.
será exibida no display do quadro de
B-6
ESTACIONAMENTO Quando o freio de estacionamento
for aplicado com o interruptor de ig-
carga no mecanismo de travamento da
transmissão pode dificultar mover a ala-
Antes de deixar o veículo, verifique nição em RUN, a “Luz de Alerta dos vanca de câmbio para fora da posição
se o freio de estacionamento está com- Freios” no painel de instrumentos irá PARK (P). O freio de estacionamento
pletamente aplicado. Verifique também acender. deve ser aplicado sempre que o moto-
se deixou a transmissão automática em rista não estiver no veículo.
PARK (P). NOTA:
ADVERTÊNCIA
FREIO DE ESTACIONAMENTO B
Quando o freio de estacionamen-
O freio de estacionamento acionado to for aplicado e a transmissão auto- Nunca utilize a posição PARK
por pedal está localizado abaixo do mática estiver engrenada, a “Luz de (P) de uma transmissão automática
canto esquerdo do painel de instrumen- alerta dos freios xs” irá piscar. Se para substituir o freio de estacio-
tos fig. 2. Para aplicar o freio de es- a velocidade do veículo for detecta- namento. Sempre aplique o freio
tacionamento, pressione firmemente o da, uma campainha irá tocar para de estacionamento completamente
pedal correspondente completamente. avisar o motorista. Solte comple- ao estacionar de forma a proteger
Para liberar o freio de estacionamento, tamente o freio de estacionamento contra a movimentação do veículo e
pressione o pedal de freio de estaciona- antes de mover o veículo. possíveis ferimentos ou danos.
mento por uma segunda vez e deixe o
seu pé subir quando sentir que o freio
destravou. Esta luz mostra somente que o Nunca deixar crianças sozinhas
freio de estacionamento está acio- dentro do veículo. Distanciando-se
nado. Não mostra o grau de aplica- do veículo, retire sempre a chave da
ção do mesmo. ignição e leve-a consigo.
FR050BR

Quando estacionar em uma incli-


nação, e importante virar as rodas da
frente em direção ao meio-fio em uma
inclinação de descida e no sentido con-
S

trário ao meio-fio em uma inclinação


de subida. Aplique o freio de estaciona-
mento antes de colocar a alavanca de
fig. 3 câmbio em PARK (P); caso contrário a
B-7
Verifique se o freio de estaciona- DIRIGIR COM Verifique que os tapetes
mento está completamente destra- estejam sempre estendi-
vado antes de movimentar o veí- SEGURANÇA dos e bem posicionados.
culo. Observe a localização correta em
Ao projetar o veículo, a Fiat trabalhou cada unidade e seu respectivo posi-
com empenho para obter um veículo cionamento. A disposição indevida,
Sempre aplique completamente o capaz de garantir a máxima segurança ou o uso de um tapete não homolo-
freio de estacionamento quando for aos passageiros. No entanto, o com- gado, pode se tornar um obstáculo
deixar o veículo, caso contrário ele portamento de quem dirige é sempre ao acionamento dos pedais. Utilize,
poderá se movimentar. Além disso, um fator decisivo para a segurança nas exclusivamente, tapetes originais e/
verifique se deixou a transmissão estradas. ou homologados pela FIAT, evitan-
automática em PARK (P). A seguir, você vai encontrar algumas do materiais não autorizados.
regras simples para viajar com seguran-
ça em diversas condições. Com certe- - Verifique se os eventuais sistemas
ATENÇÃO! za, muitas serão já conhecidas, mas, de de proteção das crianças (porta-bebês,
qualquer forma, será útil ler tudo com bercinhos, etc.) estão fixados correta-
atenção. mente no banco traseiro. Não use o
Se a “Luz de Alerta dos Freios”
banco dianteiro para o transporte de
permanecer acesa após soltar o
ANTES DE SAIR COM O VEÍCULO crianças.
freio de estacionamento, um mau-
-funcionamento no sistema de freios - Coloque com cuidado objetos no
- Verifique o correto funcionamento
é indicado. Faça a manutenção do porta-malas para evitar que uma freada
das luzes e dos faróis.
sistema de freio na Rede Assistencial brusca possa jogá-los para a frente.
- Regule bem a posição do banco,
Fiat imediatamente. - Evite ingerir alimentos pesados an-
do volante e dos espelhos retrovisores,
tes de viajar. Uma alimentação leve,
para obter a posição melhor para dirigir.
de fácil digestão, ajuda a manter os
- Regule com cuidado os apoia-ca- reflexos rápidos. Evite, principalmente,
beças de modo que a nuca, e não o bebidas alcoólicas.
pescoço, seja apoiada neles.
Periodicamente, lembre-se de fazer
- Certifique-se que nada (tapetes, os controles citados em “Controles
etc.) impeça o movimento e o curso frequentes e antes de viagens longas”,
dos pedais. neste capítulo.

B-8
ADVERTÊNCIA: nunca transporte Não dirija em estado de DIRIGIR À NOITE
no veículo reservatórios suplemen- embriaguez alcoólica ou
tares de combustível, uma vez que, sob efeito de medicamen- Aqui estão as principais indicações a
em caso de vazamento ou acidente, tos. seguir quando viajar à noite.
poderiam explodir ou incendiar-se. - Dirija com prudência especial, já
que, à noite, as condições de direção
Use sempre os cintos de são mais difíceis.
Nunca encha galões de combus- segurança e certifique-se de - Reduza a velocidade, principal-
tível no interior do veículo, pois a que os passageiros também mente em estradas sem iluminação.
eletricidade estática e os vapores façam o mesmo. Viajar sem o uso
B
- Aos primeiros sinais de sonolência,
de combustível dos galões podem dos cintos aumenta o risco de lesões pare o veículo em local seguro. Prosse-
provocar explosão e incêndio. graves, ou de morte, em caso de aci- guir seria um risco para si mesmo e para
dente, e ainda é uma infração. os outros. Continue a viagem só depois
EM VIAGEM - Viagens longas devem ser feitas em de ter descansado bastante.
boas condições físicas. - Mantenha uma distância de segu-
- A primeira regra para dirigir com rança em relação aos veículos da frente,
segurança é a prudência. - Não dirija por muitas horas conse-
cutivas; efetue paradas periódicas para maior do que a que manteria durante o
- Prudência também significa estar dia. É difícil avaliar a velocidade dos
em condições de prever um compor- fazer um pouco de movimento e revi-
gorar o físico. outros veículos quando só as luzes são
tamento incorreto ou imprudente dos visíveis.
outros motoristas. - Troque constantemente o ar no ve-
- Siga rigorosamente as regras do ículo.

FR103BR
Código Nacional de Trânsito e, princi- - Nunca percorra descidas com o
palmente, respeite os limites de veloci- motor desligado; não tendo o auxílio
dade. do freio motor e do servofreio, a ação
- Certifique-se sempre que, além de de frenagem requer um esforço muito
você, todos os outros passageiros do ve- maior no pedal.
ículo também estejam usando os cintos
de segurança e que as crianças sejam
transportadas com sistemas específicos.
fig. 4
B-9
- Verifique a correta orientação dos - Se estiver chovendo muito forte, a Evite a passagem do veículo em po-
faróis; se estiverem baixos demais, re- visibilidade também é reduzida. ças d’água. A transposição de trechos
duzem a visibilidade e cansam a vista. Nestes casos, mesmo se for dia, acen- alagados permite a aspiração de água
Se estiverem altos demais, podem atra- da os faróis baixos para tornar-se mais pela tomada de ar do motor, ocasio-
palhar os motoristas dos outros veículos. visíveis aos outros. nando deformação irreversível em
- Use os faróis altos somente fora das - Não atravesse poças em alta velo- órgãos internos do motor.
cidades e quando tiver certeza que não cidade e segure bem o volante. Uma
atrapalharão os outros motoristas. poça atravessada em alta velocidade DIRIGIR NA NEBLINA
- Cruzando com um outro veículo, pode provocar a perda de controle do - Se a neblina for densa, evitar, o
passe, com bastante antecedência, dos veículo (aquaplanagem). quanto possível, viajar.
faróis altos (se estiverem acesos) aos - Coloque os comandos de ventila-
baixos. Em caso de dirigir com névoa, nebli-
ção na função de desembaçamento (ver na uniforme ou possibilidade de banco
- Mantenha luzes e faróis limpos. capítulo “Conhecimento do veículo”), de neblina:
- Fora da cidade, atenção para com para não ter problemas de visibilidade.
- Mantenha uma velocidade moderada.
a travessia de animais. - Verifique, de vez em quando, as
condições das palhetas dos limpadores - Acenda, mesmo durante o dia, os
do para-brisa. faróis baixos e os eventuais faróis auxi-
DIRIGIR COM CHUVA
liares dianteiros. Não use os faróis altos.
A chuva e as estradas molhadas sig-
nificam perigo.
Em uma estrada molhada, todas as
manobras são mais difíceis, pois o atrito

FR101BR

FR102BR
das rodas no asfalto é reduzido consi-
deravelmente. Consequentemente, os
espaços para frear aumentam muito e
a aderência na estrada diminui.
Aqui estão alguns conselhos a seguir
em caso de chuva:
- Reduza a velocidade e mantenha
uma distância de segurança maior dos
veículos da frente. fig. 5 fig. 6
B-10
- Coloque os comandos de ventila-
ção na função de desembaçamento (ver
DIRIGIR COM PROTEÇÃO DOS DISPOSITIVOS
QUE REDUZEM AS EMISSÕES
capítulo “Conhecimento do veículo”), ECONOMIA E
para não ter problemas de visibilidade. O correto funcionamento dos dispo-
RESPEITANDO O sitivos antipoluentes não só garante o
DIRIGIR EM MONTANHA MEIO AMBIENTE respeito ao meio ambiente, mas influi
também no rendimento do veículo. As-
- Em estradas em descida, use o freio A proteção do meio ambiente é um sim, manter em boas condições estes
motor, engrenando marchas fortes, para dos princípios que conduziram a reali- dispositivos é a primeira regra para uma
não superaquecer os freios. zação dos veículos Fiat. Os dispositivos direção ao mesmo tempo ecológica e B
- Não percorra, em hipótese alguma, antipoluentes desenvolvidos dão resul- econômica.
descidas com o motor desligado ou em tados muito além das normas vigentes. A primeira precaução é seguir cui-
ponto morto. Entretanto, o meio ambiente não po- dadosamente o plano de Manutenção
- Lembre-se de que a ultrapassagem de ficar sem o maior cuidado da parte Programada.
em subida é mais lenta e, por isso, re- de cada um. No caso de utilização de gasolina,
quer mais estrada livre. Ao ser ultrapas- O motorista, seguindo regras simples, use somente gasolina sem chumbo.
sado em subida, facilite a ultrapassagem pode evitar danos ao meio ambiente e, Se a partida for difícil, não insis-
do outro veículo. ao mesmo tempo, diminuir o consumo ta com tentativas prolongadas. Evite,
de combustível. principalmente, empurrar, rebocar ou
A este respeito, são citadas, a seguir, usar descidas; são todas manobras que
muitas indicações úteis que unem-se podem danificar o conversor catalítico.
àquelas identificadas pelo símbolo #, Use somente uma bateria auxiliar (ver
presentes em várias partes do manual. “Partida com bateria auxiliar” no capí-
FR112BR

tulo “Em emergência”).


O conselho, tanto para as primeiras
como para as últimas, é de ler tudo com Se, durante a marcha, o motor não
atenção. funcionar bem, prossiga reduzindo ao
mínimo indispensável a exigência de
desempenho do motor e dirija-se, logo
que puder, à Rede Assistencial Fiat.

fig. 7
B-11
Quando acender a luz-espia de re- No seu funcionamento OUTROS CONSELHOS
serva de combustível, providencie o normal, o conversor cata-
abastecimento. Um baixo nível do lítico atinge elevadas tem- - Não aquecer o motor com o veículo
combustível poderia causar uma ali- peraturas. Assim, não estacione o parado; neste estado o motor se aque-
mentação irregular do motor, e como veículo sobre material inflamável ce muito mais devagar, aumentando
consequência, possíveis danos ao con- (grama, folhas secas, folhas de consumos e emissões. Assim, é melhor
versor catalítico. pinheiro, etc.) pois há perigo de partir lentamente, evitando regimes de
incêndio. rotação elevados.
Não ligar o motor, mesmo que só
para testar, com uma ou mais velas - Assim que as condições do trânsito
desligadas. Não instale outros anteparos de calor e a estrada o permitirem, utilizar uma
e nem remova os existentes colocados marcha mais alta.
Não aquecer o motor em marcha
sobre o conversor catalítico e o tubo de - Evitar acelerações quando estiver
lenta antes de partir, a não ser que a
escapamento. parado em semáforos ou antes de des-
temperatura externa esteja muito baixa
e, mesmo neste caso, não por mais de Não borrifar nenhum produto sobre ligar o motor.
30 segundos. o conversor catalítico, a sonda lambda - Manter uma velocidade uniforme
e o tubo de escapamento. o quanto possível, evitando freadas e
A retirada do conver- arranques supérfluos que gastam com-
sor catalítico, além de não A falta de respeito a estes bustível e aumentam claramente as
contribuir para aumentar o procedimentos pode causar emissões.
desempenho do veículo, ocasiona riscos de incêndio. - Desligar o motor em paradas pro-
poluição desnecessária e constitui longadas.
um claro desrespeito à legislação - Controlar periodicamente a pressão
ambiental para veículos automo- dos pneus. Se a pressão estiver muito
tores. baixa, o consumo de combustível au-
menta.

B-12
- Remover o bagageiro do teto quan- SISTEMA OBD LUZ-ESPIA DE AVARIA
do não for usado. Este acessório diminui DO SISTEMA DE
consideravelmente a penetração aero- O Sistema de Diagnóstico de Bordo
(OBD - On Board Diagnosis), presente
U DIAGNÓSTICO DE
dinâmica do veículo. BORDO/CONTROLE DO
em algumas versões, efetua um diagnósti- MOTOR (amarelo âmbar)
- Utilizar os dispositivos elétricos
co contínuo dos componentes relaciona-
somente pelo tempo necessário. A exi-
dos com as emissões gasosas produzidas Em condições normais, posicionando
gência de corrente aumenta o consumo
pelo veículo. Além disso, indica por meio o comutador de ignição em RUN, a luz-
de combustível.
do acendimento da luz-espia U no qua- -espia se acende, mas deve apagar-se
dro de instrumentos, acompanhada de quando o motor funcionar. B
Não jogue resíduos ou mensagem no display (algumas versões), Se a luz-espia permanece acesa, ou
recipientes vazios na rua. a condição de falha de componentes do se acender durante a marcha, é indi-
Esta prática ajuda a manter sistema de controle do motor. cação de funcionamento imperfeito do
as ruas mais limpas, evitando o O sistema OBD tem como objetivos: sistema de controle do motor. O acen-
entupimento dos esgotos e reduzin- dimento fixo da luz-espia indica mau
do, assim, o perigo das enchentes sMANTERSOBCONTROLEAEFICIÐNCIADO
sistema; funcionamento no sistema de alimen-
causadas pelas fortes chuvas de tação/ignição, que poderá provocar au-
verão. sSINALIZARUMAUMENTODEEMISSÜES mento de emissões do escape, possível
devido a um funcionamento irregular perda de desempenho, má dirigibilida-
do veículo; de e consumos elevados. Em algumas
Trafegar com o sistema sSINALIZARANECESSIDADEDESUBSTITUIR versões o display exibe mensagem es-
de escapamento modifi- os componentes deteriorados. pecífica.
cado ou danificado, além
O sistema dispõe também de um Nessas condições, é possível conti-
de aumentar consideravelmente o
conector que permite a leitura dos có- nuar a dirigir, sempre evitando esfor-
nível de ruído do veículo (poluição
digos de erros memorizados na central ços do motor e altas velocidades. O uso
sonora), constitui uma infração ao
eletrônica, em conjunto com uma série prolongado do veículo, com a luz-espia
Código Nacional de Trânsito.
de parâmetros específicos de diagnós- acesa, pode provocar danos ao mesmo.
tico e funcionamento do motor. Tal Nesse caso, procure a Rede Assistencial
verificação é possível para os agentes Fiat.
encarregados de fiscalização de trânsi- Se o mau funcionamento desaparece
to, mediante a interface do sistema com a luz-espia se apaga, mas o sistema me-
instrumentos adequados. moriza a sinalização.
B-13
Se a luz-espia se acende de modo CONSIDERAÇÕES GERAIS Equipamentos elétricos
intermitente é indicação de possível
Utilizar os dispositivos elétricos so-
dano no catalisador. No caso de acen-
Manutenção do veículo mente pelo tempo necessário. Os faróis
dimento intermitente, soltar o pedal do
As condições de manutenção do ve- auxiliares, o limpador de para-brisa e o
acelerador, reduzindo a velocidade, até
ículo representam um fator muito im- eletroventilador do sistema de aqueci-
que a luz espia se apague. Prossiga a
portante, que incide diretamente sobre mento e ventilação requerem, para o
marcha em velocidade reduzida e pro-
o consumo de combustível, a tranqui- seu funcionamento, uma quantidade de
cure a Rede Assistencial Fiat.
lidade de marcha e a própria vida útil energia adicional que pode aumentar o
do veículo. Por este motivo, é oportu- consumo de combustível do veículo em
Se, posicionando o comu- até 25%, em trechos urbanos.
no cuidar da manutenção fazendo com
tador de ignição na posição
que o veículo passe pelas revisões e
RUN, a luz-espia U não se Ar-condicionado
operações de manutenção previstas no
acender, ou se acender de modo
“Plano de Manutenção Programada”. Exerce forte influência no consumo
fixo/intermitente durante a marcha,
de combustível do veículo (aproxima-
contatar o quanto antes a Rede
Pneus damente 20% a mais). Quando a tem-
Assistencial Fiat. A funcionalidade
peratura externa o permitir, utilizar so-
da luz-espia U pode ser verificada Controlar periodicamente a pressão
de ar dos pneus em intervalos não supe- mente o sistema de ventilação forçada
pelos agentes de fiscalização do
riores a 4 semanas; se a pressão estiver do veículo.
trânsito ou em eventuais programas
oficiais de inspeção de veículos. muito baixa, o consumo de combustível
Respeite as normas vigentes. aumenta quanto maior for a resistência
ao rolamento. É importante ressaltar,
nestas condições, o desgaste natural dos

FR101BR
CONTENÇÃO DOS GASTOS DE pneus é acelerado, piorando também
UTILIZAÇÃO E DA POLUIÇÃO o comportamento do veículo e, conse-
AMBIENTAL quentemente, a segurança de marcha.
A seguir, são fornecidas algumas su-
gestões que permitem obter uma econo- Cargas inúteis
mia de utilização do veículo e um com- Não viajar com excesso de carga. O
portamento ecologicamente adequado. peso do veículo (sobretudo no trânsito
urbano), influencia fortemente o consu-
mo e a estabilidade. fig. 8
B-14
Acessórios aerodinâmicos Aceleração Situação do trânsito e condição das
Os acessórios aerodinâmicos não Acelerar o motor de forma violenta, vias e estradas
certificados durante o desenvolvimento induzindo-o a funcionar em rotações O consumo elevado de combustível
do veículo podem, na realidade, pena- elevadas, penaliza notavelmente o con- está ligado diretamente a situações de
lizar o consumo e o próprio coeficiente sumo de combustível, as emissões de trânsito intenso, sobretudo nas gran-
aerodinâmico original. poluentes e a própria durabilidade do des cidades, onde se trafega durante a
mesmo; convém acelerar gradualmente maior parte do tempo utilizando mar-
MODO DE DIRIGIR e não ultrapassar o regime de torque chas baixas e as paradas em semáforos
máximo do motor. são muito frequentes. B
Velocidade máxima Também os percursos sinuosos, co-
Condições de utilização mo estradas de montanha, ou trechos
O consumo de combustível aumenta em mau estado de conservação, influe-
proporcionalmente em relação à veloci- Trajetos muito curtos e partidas fre-
quentes com o motor frio não permitem ciam negativamente o consumo.
dade que o veículo desenvolve; como
exemplo, pode-se dizer que passando que o motor atinja a temperatura ideal
de 90 a 120 km/h, o incremento de de funcionamento, além de significar Paradas ou interrupções de trânsito
consumo de combustível é de aproxi- um incremento de consumo e de emis- Durante as paradas prolongadas,
madamente 30%. são de substâncias nocivas da ordem motivadas por trânsito interrompido, o
de 15 a 30%. melhor a fazer é desligar o motor.
Tentar manter uma velocidade uni-
forme, dentro do possível, evitando fre-
adas e retomadas desnecessárias, que
consomem combustível e aumentam,
simultaneamente, a emissão de poluen-

FR109BR
FR106BR
tes. Aconselha-se a adotar um modo de
dirigir prudente, tratando de antecipar
as manobras para evitar perigo iminente
e de respeitar a distância de segurança
em relação aos veículos que trafegam
logo a frente.

fig. 9 fig. 10
B-15
LONGA - abrir um pouco os vidros; CONTROLES
- cobrir o veículo com uma capa de
INATIVIDADE tecido. Não usar encerados de plástico FREQUENTES E
DO VEÍCULO compacto que não deixam evaporar a ANTES DE
umidade presente na superfície do veí-
Se o veículo tiver que ficar parado culo; VIAGENS LONGAS
por mais de duas semanas, tomar estas - calibrar os pneus com uma pressão
precauções: A cada 500 km, ou antes de viagens
de +0,5 bar em relação à normalmente longas controlar:
- colocar o veículo num lugar cober- indicada e controlá-la periodicamente;
to, seco e possivelmente arejado; - pressão e estado dos pneus;
- não esvaziar o sistema de refrigera-
- certificar-se que o freio de mão não ção do motor; - nível do óleo do motor;
esteja puxado; - nível do líquido de arrefecimento
- desligar os bornes dos pólos da ba- do motor e estado do sistema;
teria (retirar primeiro o borne negativo) - nível do líquido dos freios;
e controlar o estado de carga da mesma. - nível do líquido do lavador do pa-
Durante o tempo em que o veículo ficar ra--brisa/faróis/vidro traseiro;
parado, este controle terá que ser feito - estado do filtro de ar.
mensalmente. Recarregar se a tensão
estiver abaixo de 12,3 V. - nível do fluido da transmissão auto-
mática.
- limpar e proteger as partes metáli-
cas brilhantes com produtos especiais;
- polvilhar talco nas palhetas de bor-

FR110BR
racha do limpador do para-brisa e do
limpador do vidro traseiro e deixá-las
afastadas dos vidros;

fig. 11
B-16
ACESSÓRIOS DISPOSITIVO PARA O dispositivo para o gancho de re-
boque deve ser fixado à carroceria por
COMPRADOS REBOQUE pessoal especializado da Rede Assis-
tencial Fiat (ver observação na página
PELO USUÁRIO seguinte), conforme as indicações que
INSTALAÇÃO DO GANCHO DE serão fornecidas a seguir, as quais deve-
REBOQUE PARA ATRELADOS rão ser integralmente respeitadas.
TRANSMISSORES DE
RÁDIO E TELEFONES Para efetuar reboques de atrelados - Efetuar no veículo a furação com
CELULARES (carretinhas, trailers, etc.), o veículo Ø (diâmetro) 11 mm traspassando o as-
deve estar equipado com engate es-
B
soalho posterior (ver detalhe A-fig. 12)
A eficiência de transmissão destes férico para acoplamento mecânico e e a longarina nas marcas esquemáticas
aparelhos pode ficar prejudicada pelo conexão elétrica adequada, sendo que indicadas na fig. 13.
efeito isolante da carroceria do veículo. ambos dispositivos devem cumprir os De acordo com o tipo de gancho de
requisitos das normas vigentes da ABNT reboque, será necessário furar também
ADVERTÊNCIA: para efeito de (Associação Brasileira de Normas Téc- o painel traseiro de algumas versões
utilização de telefonia celular nicas). (ver figura).
durante a marcha, mantenha-se
rigorosamente informado do que - Alargar os furos, somente no assoa-
é estabelecido pela legislação de lho, para Ø (diâmetro) 16 mm.
trânsito vigente, à época, mesmo no - Aplicar proteção contra a corrosão
caso da disponibilidade no veículo Seção lateral traseira de um veículo sobre os furos.
de dispositivos originais ou adquiri- (exemplo genérico) - Montar o engate para reboque con-
dos no mercado. forme orientação do fabricante do Kit.

4EN1160BR
Para garantir a completa funcio-
nalidade e segurança da instalação,
A
e dependendo do modelo de engate
adequado para cada versão, pode ser
necessário efetuar modificações na
parte posterior do veículo (recorte do
para-choque, por exemplo) com a fina-
lidade de evitar interferências entre os
fig. 12 componentes envolvidos.
B-17
- Aplicar um torque de aperto de 40 Caso as ligações da A Fiat Automóveis somente se
N.m sobre os parafusos. tomada elétrica do atrela- responsabiliza por instalações efe-
do forem mal executadas, tuadas na Rede Assistencial Fiat,
OBSERVAÇÕES GERAIS SOBRE podem ocorrer sérios danos no sis- de acordo com as prescrições e os
REBOQUE tema eletroeletrônico do veículo. critérios técnicos das informações
anteriormente citadas.
Lembre-se que o ato de rebocar A garantia contra corrosão da
um atrelado reduz a capacidade região perfurada somente será man- Antes de trafegar com reboque
máxima do veículo para superar tida se os furos forem executados em outro país, verifique as dispo-
aclives (rampas). através da Rede Assistencial Fiat sições gerais do mesmo em relação
e desde que o campo “Acessórios ao reboque de atrelados. Respeite
Fiat”, contido no Manual de os limites de velocidade específicos
Nos percursos em des- Garantia, esteja devidamente pre- de cada país para os veículos com
cida, engatar uma marcha enchido com a assinatura e carimbo reboque.
forte (por meio da fun- da concessionária.
ção AUTOSTICK®) em vez de usar
somente o freio.
O respeito à presente
instrução de instalação é
O peso que o reboque exerce uma forma de conservar a
no engate para reboque do veículo integridade do veículo e prevenir a
reduz, a capacidade de carga do ocorrência de acidentes. Instalações
próprio veículo. Para ter certeza de efetuadas de modo diferente ao
não superar o peso máximo rebocá- quanto indicado neste manual são,
vel, é preciso levar em considera- conforme a legislação vigente, de
ção o peso do atrelado com carga responsabilidade do instalador e do
completa, incluídos acessórios e proprietário do veículo.
bagagens pessoais. Este veículo tem
capacidade de tracionar somente
um reboque sem freio próprio até o
limite de 454 kg.

B-18
Vista superior do assoalho traseiro SISTEMA TRAILER SWAY CONTROL ALERTA!
- TSC (Controle do Balanço do atre-

FR165BR
CENTRO DA

lado)
ESFERA DE ENGATE

O TSC não impede a total trepida-


FUROS DE MONTAGEM
O TSC utiliza sensores no veículo pa- ção de todos os atrelados. Quando
ra reconhecer um balanço excessivo de estiver rebocando um atrelado, siga
LINHA CENTRAL um atrelado eventualmente engatado as recomendações de peso aplica-
DO VEÍCULO
ao veículo. O TSC é ativado automa- do no pino de reboque. Consulte
ticamente quando for reconhecido um ”Dispositivo para reboque” para
LINHA CENTRAL DO EIXO
balanço excessivo da carreta. Quan- maiores informações. B
do o TSC estiver funcionando, a “Luz
Indicadora de Ativação do ESC/Mau-
-Funcionamento” irá piscar, a potência Se o TSC for ativado enquanto
do motor será reduzida e você irá sentir estiver rebocando um atrelado, pare
Pontos de ancoragem do gancho de o freio sendo aplicado individualmente o veículo no local seguro mais pró-
reboque e dimensões de saliência nas rodas em uma tentativa de que a xima e ajuste a carga do atrelado
carreta pare de balançar. para eliminar o balanço indesejado.
A N/A

B 366.71 mm NOTA: o TSC está desativado


quando o sistema ESC estiver no Deixar de seguir estes alertas
C 501.62 mm modo “Parcialmente Desligado”. pode causar um acidente ou feri-
mentos pessoais graves.
D 628.69 mm

E
(saliência 1051.93 mm
máxima)

F 472.00 mm

fig. 13
B-19
EM EMERGÊNCIA
As páginas seguintes foram elaboradas especialmente para LUZ DE EMERGÊNCIA (PISCA-ALERTA) . . . . . . . .C-1
auxilia-lo em situações de emergências com seu veículo.
SE O MOTOR SUPERAQUECER . . . . . . . . . . . . . .C-1
Como você verá, foram considerados alguns inconvenien-
tes e, para cada um deles, é sugerido o tipo de intervenção UTILIZAÇÃO DO MACACO E TROCA
que você pode efetuar pessoalmente. No caso de contra-
tempos mais sérios, porém, é necessário dirigir-se à Rede DE PNEUS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-2
Assistencial Fiat.
PARTIDA POR BATERIA AUXILIAR . . . . . . . . . . . .C-8
A este respeito lembramos-lhe de que, junto com o Manual
de Uso e Manutenção, também constam em seu kit de bordo, GANCHO DE REBOQUE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-9
o Manual Básico de Segurança no Trânsito e o Livrete Confiat,
nos quais estão descritos detalhadamente todos os serviços REBOQUE DE UM VEÍCULO QUEBRADO . . . . .C-11
que a Fiat coloca à sua disposição em caso de dificuldades. C
MOVIMENTAÇÃO DE EMERGÊNCIA DA
Aconselhamos, de qualquer maneira, a leitura destas pági-
nas. Assim, em caso de necessidade, você vai saber localizar ALAVANCA DE MUDANÇAS . . . . . . . . . . . . . . .C-12
imediatamente as informações úteis.
SE APAGAR UMA LUZ EXTERNA . . . . . . . . . . . .C-12

EXTINTOR DE INCÊNDIO . . . . . . . . . . . . . . . . . .C-18

C
LUZ DE EMERGÊNCIA SE O MOTOR NOTA: existem providências que
você pode tomar para reduzir uma
(PISCA-ALERTA) SUPERAQUECER condição de superaquecimento imi-
nente:
O interruptor da luz de emergência Em qualquer das situações a seguir,
está localizado no banco de interrup- você pode reduzir o potencial de su-
tores do painel de instrumentos, acima peraquecimento tomando a ação ade- - Se o seu ar condicionado (A/C)
dos controles do climatizador. quada. estiver ligado, desligue-o. O sistema
Pressione o interruptor A-fig. 1 pa- Nas rodovias - Diminua a veloci- de A/C adiciona calor ao sistema de
ra acender a luz de emergência (pisca dade. arrefecimento do motor e desligar
alerta). Quando o interruptor for ativa- No tráfego da cidade - Enquanto o A/C pode ajudar a remover este
do, todas as luzes indicadoras de dire- estiver parado, coloque o câmbio em calor.
ção direcionais irão piscar. Pressione o NEUTRAL, mas não aumente a rotação
interruptor uma segunda vez para des- do motor.
ligar a luz de emergência (pisca alerta). - Você também pode posicio- C
ATENÇÃO! nar o controle de temperatura para
NOTA: a utilização por longos
aquecimento máximo, o controle
períodos da luz de emergência (pisca
de distribuição do ar para o piso e
alerta) pode descarregar a bateria.
Dirigir com o sistema de arre- o controle de ventilação para alta.
A luz de emergência só deve ser acio- fecimento em situação de supe- Isto permite que o núcleo de aque-
nada pressionando o botão apenas com raquecimento pode causar graves cimento atue como um suplemento
o veículo parado; nunca em movimento. danos no veículo. Se o indicador para o radiador e auxilie a remover
de temperatura apresentar a leitura o calor do sistema de arrefecimento
FR166BR

“H”, encoste com segurança e pare do motor.


o veículo. Mantenha o veículo em
marcha lenta e com o ar-condicio-
nado desligado até que o ponteiro
desça até a faixa normal. Se o pon-
A teiro permanecer em “H” e você
Z
Z
ouvir um sinal sonoro contínuo,
DESLIGUE o motor imediatamente
e recorra à Rede Assistencial Fiat.
fig. 1
C-1
Em dias quentes a temperatura do
óleo do motor pode aumentar muito,
UTILIZAÇÃO DO A roda sobressalente
deve ser utilizada apenas
devido ao fato de dirigir em alta ve- MACACO E TROCA em caso de emergência.
locidade ou se estiver puxando uma
carretinha por longas subidas. Se isto
DE PNEUS A utilização deve ser reduzida ao
mínimo indispensável e a velocida-
acontecer, a mensagem “HOTOIL” se- de não deve ultrapassar os 80 km/h.
rá exibida no quadro de instrumentos e INDICAÇÕES GERAIS
a velocidade do veículo será reduzida
para o máximo de 77 km/h até que a Nunca se deve aplicar
temperatura do óleo do motor seja re- O veículo está equipado com uma calota na roda sobres-
duzida. roda sobressalente de dimensões salente.
menores e composição diversa que
as rodas normais de uso. Assinalar a presença do
NOTA: quando a velocidade
máxima do veículo for reduzida veículo parado de acor-
para 77 km/h, você pode reduzir a A operação de substituição da do com as disposições em
velocidade do veículo ainda mais se roda e o uso correto do macaco e vigor: luzes de emergência, triân-
necessário. Uma vez que a tempera- da roda sobressalente exigem que gulo de sinalização, etc. As pessoas
tura do óleo do motor for reduzida, sejam respeitadas algumas precau- a bordo devem sair do veículo,
você pode continuar a dirigir nor- ções descritas seguir. especialmente se o mesmo estiver
malmente. muito carregado, esperando que
seja efetuada a substituição aguar-
A roda sobressalente for- dando longe do perigo do trânsito.
necida é específica para o
Se o motor funcionar sem o veículo; não utilizá-la num
líquido de arrefecimento, seu veículo de modelo diferente nem Em caso de vias com
veículo poderá ser seriamente utilizar rodas sobressalentes de inclinação ou irregulares,
danificado. Os reparos, nesses outros modelos no veículo. posicionar sob as rodas
casos, não serão cobertos pela cunhas ou outros materiais adequa-
Garantia. dos para bloquear o veículo.

C-2
As características de dire- Não lubrificar as roscas Não introduzir ferramen-
ção do veículo, com a roda das porcas antes de montá- tas de qualquer espécie
sobressalente montada, são -las, pois as mesmas pode- entre a roda e o pneu.
alteradas devido ao fato de o pneu riam desapertar-se.
sobressalente possuir dimensões da
banda de rodagem diferente em O macaco serve unica- Controlar regularmente a
relação ao pneu em uso. mente para a substituição pressão dos pneus e da roda
das rodas no veículo em sobressalente, utilizando
que é fornecido ou para veículos do os valores indicados no capítulo
Evitar acelerações e frea- mesmo modelo. “Características técnicas”.
das violentas, giros bruscos
no volante e curvas a gran-
de velocidade. A duração da roda Nunca deve ser utiliza- LOCALIZAÇÃO DO MACACO
sobressalente é de cerca de 3000 do de outras formas, como O macaco e o acionador do macaco
km, após o que o pneu deve ser por exemplo, para levantar estão armazenados sob uma tampa no C
substituído por um do mesmo tipo. veículos de outros modelos. Não compartimento de armazenamento tra-
utilizar o macaco em nenhuma cir- seiro na área de carga fig. 2.
cunstância para reparações debaixo
Não instalar em nenhum do veículo.
caso um pneu tradicional
numa roda destinada à uti- O posicionamento incor-
lização como roda sobressalente. reto do macaco pode pro-
vocar a queda do veículo

FC086BR
levantado. Não utilizar o macaco
Não é permitido empre- para alturas superiores às indicadas
gar simultaneamente duas ou na etiqueta que se encontra colada
mais rodas sobressalentes. no mesmo.

Nunca alterar a válvula


de enchimento do pneu.
fig. 2
C-3
LOCALIZAÇÃO DO PNEU ESTEPE cando o pneu dianteiro direito, calce a 1. Remova os componentes 1, 2 e 3
roda traseira esquerda. de acionamento do macaco do arma-
O pneu estepe está armazenado sob zenamento monte-os. Os mesmos estão
a traseira do veículo e é sustentado nes- localizados debaixo da tampa A-fig. 2.
sa posição por meio de um mecanismo NOTA: os passageiros não devem
de içamento por cabo. permanecer no veículo enquanto
estiver sendo elevado pelo macaco. Abaixamento/Levantamento do Pneu
Estepe
PREPARAÇÕES PARA O USO DO
MACACO REMOÇÃO DO PNEU ESTEPE
NOTA: monte os componentes
1. Estacione o veículo em uma su- 2 e 3 assentando a pequena esfera
perfície firme e nivelada, o mais longe NOTA: em modelos para sete na extremidade do componente 2
possível do limite da via. Evite gelo ou passageiros, dobre completamente no pequeno furo na extremidade
superfícies escorregadias. a terceira fileira de bancos de passa- do componente 3. Isto irá travar
geiros. Isto irá oferecer maior espa- estes componentes juntos. Monte os
ADVERTÊNCIA: não tente trocar ço para acessar as ferramentas do componentes 1 e 2 de forma que o
um pneu do lado do veículo pró- macaco e para operar o mecanismo soquete da porca de roda na extre-
ximo ao tráfego em movimento. de içamento. midade do componente 1 fique com
Afaste o veiculo o suficiente da via a face para cima enquanto assenta-
para evitar o perigo de ser atingido do no componente 2, o que facili-
enquanto utilizar o macaco ou tro- tará a rotação do conjunto quando
car a roda. operar o mecanismo de içamento.

2. Ligue a Luz de Emergência (Pisca

FR090BR

FR087BR
alerta). 1
3. Acione o freio de estacionamento.
A
4. Coloque a alavanca de câmbio em 2
PARK.
5. Coloque a ignição em OFF.
6. Calce a roda da diagonal oposta ao 3
posicionamento do macaco na frente e
atrás. Por exemplo, se você estiver tro- fig. 3 fig. 4
C-4
2. Encaixe o acionador do macaco 3. Puxe o pneu estepe debaixo do - Sempre estacione o veículo em
montado sobre a porca acionadora do veículo e o levante para a posição nor- uma superfície firme e nivelada,
dispositivo de içamento localizado na mal de forma à banda de rodagem ficar o mais longe possível do limite da
área de armazenamento do macaco. sobre o chão. estrada.
Gire o acionador do macaco montado 4. Incline o suporte até a extremidade
no sentido anti-horário até que o pneu - Acenda a Luz de Emergência
do cabo de içamento e o remova do (Pisca alerta).
estepe esteja no chão o suficiente para centro da roda.
que o cabo afrouxe para permitir que - Trave a roda na diagonal oposta
você puxe o pneu estepe debaixo do 5. Encaixe o acionador do macaco
na porca acionadora do dispositivo de à roda que será elevada.
veículo.
içamento. Gire o acionador do macaco - Acione firmemente o freio de
montado no sentido horário para levan- estacionamento e coloque o câmbio
ATENÇÃO! tar o pneu estepe até a área de armaze- automático em PARK.
namento. Continue a girar o conjunto
acionador do macaco até ouvir três - Nunca ligue ou funcione o motor
O mecanismo de içamento foi com o veículo sobre um macaco. C
projetado para a utilização somen- cliques do mecanismo de içamento.
te com o acionador do macaco. Ele não pode ser apertado em excesso. - Não deixe ninguém sentar no
A utilização de uma parafusadeira Empurre novamente o pneu diversas veículo quando estiver sobre um
pneumática ou outra ferramenta vezes para ter certeza de que o pneu macaco.
elétrica não é recomendado e pode está preso de forma segura na posição.
danificar o dispositivo de içamento. - Não entre embaixo do veículo
INSTRUÇÕES PARA ELEVAÇÃO POR quando estiver sobre um macaco.
MACACO - Utilize o macaco somente nas
FR084BR

posições indicadas e para elevar


ADVERTÊNCIA este veículo durante uma troca de
pneu.

Siga cuidadosamente os alertas - Se trabalhar em ou próximo a


para troca de pneus para ajudar a uma rodovia, seja extremamente
evitar ferimentos pessoais ou danos cuidadoso com o tráfego automo-
ao seu veículo: tor.

fig. 5
C-5
- Para garantir que o pneu este- 1. Remova o pneu estepe, o macaco necessário para montar o pneu estepe.
pes, vazios ou inflados, esteja arma- e o acionador do macaco do armaze- O mínimo de elevação do pneu propor-
zenados de forma segura, mesmo namento. ciona o máximo de estabilidade.
devem ser armazenados com a vál- 2. Solte, mas não remova, os parafu-
vula voltada para o chão. sos de roda com o pneu vazio. Gire os ADVERTÊNCIA: elevar o veículo
parafusos de roda no sentido anti-ho- mais do que o necessário pode fazer
rário uma volta enquanto a roda ainda com que o mesmo fique menos está-
ATENÇÃO!
estiver no chão. vel, e pode escorregar do macaco
3. Posicione o macaco embaixo da e machucar alguém nas proximi-
Não tente levantar o veículo colo- área de elevação que estiver mais perto dades. Eleve o veículo somente o
cando o macaco em outras posições do pneu vazio. Gire o parafuso do ma- necessário para remover o pneu.
que não as indicadas nas Instruções caco no sentido horário até que se pren-
para elevação por macaco deste veí- 5. Remova os parafusos de roda. Para
da firmemente à ranhura do macaco
culo (parte dianteira fig. 7 e parte veículos que possuam, remova a calota
com a área de elevação da longarina.
traseira fig. 8). da roda com a mão. Não utilize uma
4. Levante o veículo girando o para- alavanca para remover a calota. Na se-
fuso do macaco no sentido horário com quência, puxe a roda para fora do cubo.
o acionador do macaco. Levante o ve-
Observe também as sinalizações
ículo somente até que o pneu se solte
de segurança existentes, em alguns
da superfície da via e tenha o espaço
casos, na etiqueta adesiva colocada
no próprio macaco fig. 6.

FR088BR

FR089BR
fig. 6 fig. 7 fig. 8
C-6
NOTA: para veículos que possu- de 135 N·m (13,5 kgf). Se estiver em acionadora do cabo. Gire o conjunto
am, a calota é presa sobre os para- dúvida a respeito do aperto correto, acionador do macaco no sentido horá-
fusos de roda. Ao reinstalar a roda leve ao seu revendedor autorizado ou rio até ouvir três cliques do mecanismo
original, alinhe adequadamente a a um centro automotivo para conferir de içamento. Ele não pode ser apertado
calota com a válvula, posicione a com um torquímetro. em excesso.
calota sobre a roda e na sequência 10. Abaixe o macaco quando estiver 12. Guarde o acionador do macaco
monte os parafusos de roda. na posição completamente fechada. e o macaco.
13. Verifique a pressão dos pneus as-
ADVERTÊNCIA: um pneu solto sim que possível. Ajuste a pressão dos
6. Monte o pneu estepe. pneus se necessário.
ou o macaco, arremessado para
7. Monte os parafusos de roda com a frente em uma colisão ou uma
a extremidade cônica da porca voltada parada brusca pode causar perigo ADVERTÊNCIA: providencie a
para a roda. Aperte suavemente os pa- aos ocupantes do veículo. Sempre reparação do pneu furado imedia-
rafusos de roda. armazene as peças do macaco e tamente. Evite rodar com a roda C
o pneu estepe nas posições forne- sobressalente.
cidas. Repare ou substitua o pneu
ADVERTÊNCIA: para evitar o vazio imediatamente.
risco de forçar o veículo a cair do
ADVERTÊNCIA: periodicamente,
macaco, não aperte completamente
controlar a pressão dos pneus e da
os parafusos de roda até que o veí- NOTA: não é possível acondicio- roda de reserva.
culo seja baixado. nar o pneu vazio na localização do
armazenamento do pneu estepe. O macaco serve somente para a troca
8. Baixe o veículo girando o parafuso
das rodas. Não deve, em hipótese al-
do macaco no sentido anti-horário com
guma, ser usado para efetuar consertos
o acionador do macaco. Providencie a reparação debaixo do veículo.
9. Termine apertando os parafusos do pneu furado com urgên- O macaco não requer nenhuma re-
de roda. Apertar empurrando a ferra- cia. Evite rodar com a roda gulagem. Em caso de defeito, deve ser
menta para baixo oferece uma vanta- sobressalente. substituído por um original.
gem no apertamento. Alterne entre os
parafusos de roda até que cada porca 11. Para armazenar o cabo de iça-
tenha sido apertada duas vezes. O mento e o suporte, encaixe o aciona- ADVERTÊNCIA: após a troca de
aperto correto para a porca de roda é dor do macaco montado sobre a porca pneus deve-se calibrá-los.
C-7
PORCAS DE RODA PARTIDA POR 4. Se estiver utilizando outro veícu-
lo para carregar a bateria, estacione o
Aperte todas os parafusos de roda BATERIA AUXILIAR veículo dentro do alcance dos cabos
para eliminar a possibilidade de espa- de conexão, acione o freio de estacio-
nar os prisioneiros de roda ou alongar Se a bateria estiver descarregada, namento e verifique se a ignição está
os furos dos parafusos nas rodas. Isto pode-se ligar o motor usando uma ou- em OFF.
é importante especialmente durante tra bateria que tenha capacidade igual
as primeiras centenas de quilômetros ou pouco superior à da bateria descar- 5. Ligue o motor do veículo com a
de utilização e após trocar um pneu. regada (ver capítulo “Características bateria auxiliar, deixe em marcha lenta
Isto permite que os parafusos de roda técnicas”). por alguns minutos e na sequência li-
assentem adequadamente. Todas os pa- gue o motor do veículo com a bateria
A bateria do seu veículo fica locali- descarregada.
rafusos de roda devem ser, em primeiro zada entre o conjunto do farol dianteiro
lugar, assentadas firmemente contra a esquerdo e o para-lama da roda diantei- Uma vez que o motor deu a partida,
roda. Os parafusos de roda devem, en- ra esquerda. Para permitir a partida por remova os cabos de conexão na se-
tão, ser apertadas com o torque reco- bateria auxiliar, existem pinos remotos -quência inversa:
mendado. Aperte os parafusos de roda para bateria localizados no lado esquer- 6. Desconecte o cabo de conexão
até o torque final em etapas. Avance em do do compartimento do motor. negativo (-) do borne negativo (-) re-
torno do círculo de parafusos, apertan- moto 2-fig. 9 do veículo com a bateria
do a porca oposta à que você apertou Esta operação deverá ser feita da se-
guinte maneira: descarregada.
anteriormente até atingir o torque final.
O torque recomendado é de 130 N·m 1. Acione o freio de estacionamen-
(95 pé·lbs). to, coloque o câmbio automático em
PARK e posicione a ignição em OFF.
2. Desligue o aquecedor, o rádio e

FR092BR
todos os acessórios elétricos desneces- 2
sários. 1
3. Remova a tampa protetora do pino
positivo (+) 1-fig. 9 da bateria. Para re-
mover a tampa, pressione a aba de trava
e puxe a tampa para cima.

fig. 9
C-8
7. Desconecte a extremidade nega- Evitar, rigorosamente, GANCHO DE
tiva (-) do cabo de conexão do borne o uso de um carregador
negativo (-) da bateria auxiliar. de baterias para a parti- REBOQUE
8. Desconecte a extremidade opos- da de emergência. Poderiam ser
danificados os sistemas eletrônicos O gancho de reboque é fornecido
ta do cabo de conexão positivo (+) do como equipamento do veículo, apenas
borne positivo (+) da bateria auxiliar. e, principalmente, as centrais que
comandam as funções de ignição e para algumas versões.
9. Desconecte a extremidade positiva de alimentação.
(+) do cabo de conexão do borne positi-
Ao rebocar o veículo,
vo (+) remoto do veículo descarregado.
é obrigatório respeitar as
10. Recoloque a tampa de proteção Deixar de seguir este específicas normas de trân-
sobre o borne positivo (+) remoto da procedimento pode causar sito, relativas tanto ao dispositivo de
bateria do veículo descarregado. danos ao sistema de carga reboque, quanto ao comportamento
Se, depois de algumas tentativas, o mo- do veículo carregador ou do veículo na estrada.
tor não funcionar, não insistir inutilmente, descarregado. C
mas dirigir-se à Rede Assistencial Fiat.
Durante o reboque, com
o motor desligado, o servo-
Não efetue esta opera-
freio e a direção hidráulica
ção se não tiver experiên-
não estão funcionando e, portanto,
cia; operações efetuadas de
é necessário exercer maior esforço
forma incorreta podem provocar
no pedal do freio e no volante. Não
descargas elétricas de intensidade
utilize cabos flexíveis para efetu-
considerável e até mesmo explosão

FR093BR
ar o reboque e evitar arrancadas
da bateria. Além disso, recomenda-
bruscas. Certificar-se também de
-se não chegar perto da bateria com
que a instalação da junta ao veículo
chamas ou cigarros acesos e não
não danifique os componentes em
provocar faíscas, pois há perigo de
contato.
explosão e de incêndio.

fig. 10
C-9
É aconselhável, sempre, utilizar ca- UTILIZAÇÃO DO GANCHO DE UTILIZAÇÃO DO GANCHO DE
minhão-guincho para rebocar o veícu- REBOQUE DIANTEIRO REBOQUE TRASEIRO
lo. Desta forma, o veículo poderá ser
seguramente sustentado pelas rodas O receptáculo do gancho de reboque O receptáculo do gancho de reboque
dianteiras ou traseiras ou, ainda, apoia- dianteiro está localizado na parte infe- traseiro está localizado atrás de uma
do em plataformas específicas sobre o rior do lado direito da frente do veículo portinhola, localizada na traseira es-
próprio caminhão-guincho. fig. 11. querda da face do para-choque fig. 12.
Para instalar o gancho de reboque, re- Para instalar o gancho de reboque,
Os ganchos de reboque mova o encaixe de borracha e rosqueie abra a portinhola utilizando a chave do
são para utilização somente o gancho de reboque no receptáculo. veículo ou uma chave de fenda peque-
em emergência, para resga- Insira a extremidade plana do acio- na (não fornecida) e rosqueie o gancho
tar um veículo atolado fora da via. nador do macaco através do gancho e de reboque no receptáculo.
Não utilize os ganchos de reboque aperte. O gancho de reboque deve ser Insira a extremidade plana do acio-
para içar o veículo para cima de um completamente assentado no suporte nador do macaco através do gancho e
caminhão de reboque ou por uma de fixação através da parte de baixo aperte. O gancho de reboque deve ser
rodovia. Você pode danificar o seu da frente do veículo conforme exibido. completamente assentado no suporte
veículo. Se o gancho de reboque não estiver de fixação através da parte de baixo
completamente assentado no suporte da frente do veículo conforme exibido.
de fixação, o veículo não deve ser re- Se o gancho de reboque não estiver
bocado. completamente assentado no suporte
de fixação, o veículo não deve ser re-
bocado.
FR094BR

FR095BR

fig. 11 fig. 12
C-10
REBOQUE DE UM - A alavanca de câmbio deve estar
em (N) NEUTRAL.
SEM A CHAVE DE IGNIÇÃO
VEÍCULO - A distância percorrida não deve ul-
Deve ser tomado um cuidado
QUEBRADO trapassar 24 km.
especial quando o veículo for rebo-
- A velocidade de rebocamento não cado com a ignição na posição
É aconselhável, sempre, utilizar ca- pode ultrapassar 40 km/h. OFF. O reboque por plataforma é
minhão-guincho para rebocar o veícu-
Se o câmbio não estiver funcionando o método preferencial de reboque.
lo. Desta forma, o veículo poderá ser
ou se for necessário rebocar o veículo Contudo, se um veículo para rebo-
seguramente sustentado pelas rodas
mais rápido do que 40 km/h ou mais que com plataforma não estiver dis-
dianteiras ou traseiras ou, ainda, apoia-
longe do que 24 km, o mesmo deve ser ponível, podem ser utilizados equi-
do em plataformas específicas sobre o
rebocado com as rodas dianteiras FO- pamentos de reboque que fazem o
próprio caminhão-guincho.
RA do chão (utilizando um caminhão levantamento das rodas. O reboque
Respeite a legislação de trânsito vi- plataforma, carrinho de reboque ou um traseiro (com as rodas dianteiras
gente sobre procedimentos de reboque. equipamento de elevação de rodas com no chão) não é permitido, podendo C
as rodas dianteiras elevadas). causar danos à transmissão. Caso o
CÂMBIO AUTOMÁTICO reboque traseiro seja a única alter-
ATENÇÃO! nativa, as rodas dianteiras devem
Recomenda-se rebocar seu veículo
ser posicionadas em um carrinho de
com todas as quatro rodas FORA do
reboque. O equipamento adequado
chão utilizando uma plataforma. Se o Rebocar acima de 40 para reboque é necessário para evi-
equipamento de plataforma não estiver km/h ou por mais do que tar danos ao veículo.
disponível e o câmbio estiver funcio- 24 km com as rodas dian-
nando, o veículo pode ser rebocado no teiras no chão pode causar danos
plano (com todas as quatro rodas no graves à transmissão. Estes danos ATENÇÃO!
chão) sob as condições a seguir: não são cobertos pela Garantia do
Veículo Novo.
Deixar de seguir estes métodos
de reboque pode causar danos à
transmissão. Estes danos não são
cobertos pela Garantia do Veículo.

C-11
MOVIMENTAÇÃO 6. Mover a alavanca de mudanças SE APAGAR UMA
para a posição N.
DE EMERGÊNCIA DA 7. O veículo pode então ser ligado
LUZ EXTERNA
ALAVANCA DE em ponto morto.
MUDANÇAS 8. Reinstalar a tampa no console Modificações ou conser-
central. tos do sistema elétrico, efe-
Se ocorrer uma avaria e a alavanca tuados de maneira incorre-
de câmbio não pode ser movimentada SE O MOTOR ESTIVER ta e sem levar em consideração as
para fora da posição PARK, você po- FUNCIONANDO características técnicas do sistema,
de usar o seguinte procedimento para podem causar um funcionamento
Pressione o botão START / STOP
mover a alavanca de câmbio tempora- anômalo com riscos de incêndio.
para desligá-lo. Solte o pedal de freio e
riamente:
pressione o botão START / STOP uma
1. Aplicar firmemente o freio de es- vez ou duas vezes para ir para a posição INDICAÇÕES GERAIS
tacionamento. ON / RUN posição. Não ligue o motor.
2. Abrir o console central ao lado dos Quando uma luz não funcionar, an-
Em seguida, siga as instruções des-
bancos dianteiros e remover a pequena tes de substituir a lâmpada, verificar se
critas anteriormente para executar o
tampa A-fig. 13 de acesso ao comparti- o fusível correspondente está em bom
procedimento de emergência.
mento de movimentação de emergên- estado.
cia da alavanca, localizada à direta da Quanto à localização dos fusíveis,
porta USB. consultar “Se queimar um fusível” nes-
3. Girar o interruptor de ignição para te capítulo.
o ON / RUN sem ligar o motor. Antes de substituir uma lâmpada apa-

FR172BR
4. Pressionar e manter pressionado o A gada, verificar se os contatos não estão
pedal do freio. AUX
oxidados.
5. Inserir uma chave de fenda ou
ferramenta pequena similar (não for-
necidas) no orifício do porta-objetos e
empurre a alavanca-mestra de soltura
para frente.
12V DC

fig. 13
C-12
As lâmpadas “queimadas” devem ser As lâmpadas halógenas As lâmpadas halógenas contêm
substituídas por outras com as mesmas devem ser manuseadas gás sob pressão que, em caso de
características. Observe as especifica- tocando somente a parte quebra da lâmpada, pode projetar
ções na lâmpada e consulte a tabela metálica. Se o bulbo transparente fragmentos de vidro.
na próxima página. As lâmpadas com entrar em contato com os dedos,
potência insuficiente iluminam pouco, diminui a intensidade da luz emitida
enquanto que as potentes demais con- e pode ser prejudicada a duração Em caso de dificulda-
somem muita energia, além de causar da lâmpada. Em caso de contato des na operação, reco-
danos à instalação elétrica do veículo. acidental, esfregar o bulbo com menda-se dirigir-se à Rede
Após ter substituído uma lâmpada um pano umedecido com álcool e Assistencial Fiat.
dos faróis, verificar sempre a regulagem deixar secar.
dos mesmos por motivos de segurança.

ADVERTÊNCIA: em dias frios e/ C


ou úmidos, os faróis podem apre-
sentar condensação de água nas
lentes. Esta condensação deve desa-
parecer momentos após o veículo
trafegar com os faróis acesos.

C-13
LÂMPADAS SUBSTITUIÇÃO DA LÂMPADA

Lâmpada Tipo Farol baixo/farol alto/indicador de


direção dianteiro e lâmpada de posi-
Lâmpada dianteira de farol baixo H11 ção dianteira
1. Abra o capô.
Lâmpada dianteira de farol alto 9005

Indicadores de direção PY27W/7W - 3757AK OBSERVAÇÃO: pode ser neces-


sário remover o compartimento do
Lâmpada de posição dianteira W5W filtro de ar e posicionar o módu-
lo elétrico ao lado para substituir
Lâmpada de neblina dianteira 9145/H10 certas lâmpadas no compartimento
esquerdo do farol.
Lâmpada de neblina traseira W21W/7440
2. Gire a unidade do conector e a
Lâmpada repetidora lateral W5W lâmpada em questão 1/4 de volta no
sentido antihorário e remova o conjunto
Lâmpada da luz de freio montada no do compartimento do farol.
LED
topo central
Traseira/Freio LED

FR056BR
Porta traseira LED
1
Indicadores de direção traseiros PY27W/7W - 3157

Lâmpada da ré W21W

Lâmpada da placa de licença 168 2


4 3
fig. 14
C-14
1 - Lâmpada de seta dianteira 3. Segure a lâmpada com firmeza, LÂMPADA TRASEIRA PARA NEBLINA
2 - Lâmpada do farol de luz baixa segurando nos dois engates e aperte-
-os juntos para destravar a lâmpada do 1. Estenda o braço atrás do para-
3 - Lâmpada de posição dianteira fundo do compartimento do farol de -choque, acima do reforço do mesmo, e
4 - Lâmpada do farol de luz alta neblina dianteiro. aperte e solte as abas no compartimento
do farol de neblina.
4. Puxe a lâmpada para fora da
abertura chaveada no compartimento. 2. Separe o compartimento do farol
3. Desconecte a lâmpada do chicote de neblina do painel do para-choque.
elétrico e então conecte a lâmpada de 5. Alinhe as abas divisoras da lâm-
reposição. pada do farol de neblina dianteiro com 3. Desconecte o conector do chico-
as ranhuras no anel da abertura da lâm- te elétrico.
4. Instale a lâmpada e a unidade do
conector no compartimento do farol e pada, na parte traseira do compartimen- 4. Segure a lâmpada com firmeza
gire 1/4 de volta no sentido horário para to do farol de neblina dianteiro. pelos dois engates e aperte-os juntos
fixá-la no lugar. 6. Insira a lâmpada no comparti- para destravar a lâmpada da parte de
trás do compartimento do farol.
mento até que as abas divisoras estejam C
LÂMPADA DE NEBLINA DIANTEIRA presas nas ranhuras do anel. 5. Puxe a lâmpada para fora da
7. Com firmeza e de forma unifor- abertura chaveada no compartimento

OBSERVAÇÃO: vire o volante me, empurre a lâmpada contra o com-


para a direita se for substituir a lâm- partimento do farol até que ambas abas
pada de neblina dianteira esquerda fixem com firmeza no seu devido lugar.
ou para a esquerda se for substi-
tuir a lâmpada de neblina dianteira
direita para facilitar o acesso à fren-

FR098BR

FR057BR
te da cavidade da roda.

1. Remova os prendedores que re-


têm o painel de acesso à cavidade da
roda inferior dianteira e remova o pai-
nel.
2. Remova o conector elétrico do
compartimento da lâmpada de neblina.
fig. 15 fig. 16
C-15
6. Remova a lâmpada do soquete LÂMPADA REPETIDORA LATERAL SETA TRASEIRA E LÂMPADA DA RÉ
conector e instale a lâmpada de repo-
sição. As lâmpadas repetidoras laterais es- As lâmpadas traseiras são um design
tão localizadas nos paineis de ambos de duas peças. As lâmpadas dos indi-
7. Alinhe as abas indicadoras da para-lamas dianteiros. cadores de direção traseiras/parada/
lâmpada/unidade soquete de reposição posterior estão localizadas nos paineis
do farol de neblina traseiro com as ra- 1. Empurre as lentes repetidoras la-
terais para o lado esquerdo para soltar da fuselagem nos cantos traseiros. As
nhuras do anel da abertura da lâmpada, lâmpadas da ré e da traseira estão lo-
na parte de trás do compartimento do a tensão da mola e então puxe-a para
fora. calizadas na porta elevadiça.
farol.
8. Insira a lâmpada no comparti- 2. Desconecte a lâmpada do chicote
elétrico e então conecte a lâmpada de Trocando a lâmpada da seta traseira
mento até que as abas divisoras estejam 1. Abra a porta elevadiça.
presas nas ranhuras do anel. reposição.
3. Engate o gancho direito da lâm- 2. Remova os dois prendedores do
9. Com firmeza e de forma unifor- lado interno do compartimento da lâm-
me, empurre a lâmpada contra o com- pada repetidora lateral na folha de me-
tal (observe orientação correta de letras pada traseira.
partimento do farol até que ambas abas
fixem com firmeza no seu devido lugar. nas lentes).
10. Reinstale o compartimento do 4. Gire a lâmpada repetidora lateral
farol de neblina. no lugar até que a lateral esquerda en-
gate (você ouvirá um leve clique).
FR054BR

FR055BR

FR053BR
fig. 17 fig. 18 fig. 19
C-16
3. Com cuidado, insira uma vareta traseira à porta elevadiça da parte de 6. Instale a lâmpada e o conjunto
de guarnição (ferramenta plástica de dentro da porta elevadiça. conector no compartimento e gire o co-
lâmina plana não fornecida) entre o 3. Com cuidado, insira uma vareta nector 1/4 de volta no sentido horário
painel e a parte de fora do invólucro de guarnição (ferramenta plástica com para fixá-lo no lugar.
da lâmpada traseira com uma mão e lâmina plana) entre o compartimento 7. Reinstale o compartimento da
segure a flange no lado de dentro do da lâmpada traseira e a porta elevadi- lâmpada traseira e os prendedores.
invólucro da lâmpada traseira com a ça. Use a vareta de guarnição e pressão
outra mão. Use a vareta de guarnição e manual juntas para desengatar o com- Lâmpada das placas de licença - fig. 22
pressão manual juntas para desengatar partimento da lâmpada traseira da porta
o invólucro da lâmpada traseira do ve- elevadiça. 1. Empurre a pequena aba de blo-
ículo. queio destacando para fora da extremi-
4. Gire o conector elétrico da lâm- dade das lentes em direção à lateral do
4. Gire o conector elétrico da lâm- pada em questão 1/4 de volta no senti- veículo e segure-a nessa posição.
pada em questão, 1/4 de volta no sen- do antihorário e remova-o do compar-
tido antihorário e remova-o do compar- timento. 2. Insira uma pequena ferramenta
timento da lâmpada traseira. de lâmina plana entre a extremidade C
5. Remova a lâmpada do soquete das lentes com a aba de bloqueio e o
5. Remova a lâmpada do soquete conector e instale a lâmpada de repo- compartimento em torno e então gire
conector e instale a lâmpada de repo- sição. a ferramenta para separar as lentes do
sição. compartimento.
6. Instale a lâmpada e a unidade co-
nector no compartimento da lâmpada
traseira e gire o conector 1/4 de volta
no sentido horário para fixá-la no lugar.

FR052BR

FR176BR
7. Reinstale o compartimento da
lâmpada traseira e os prendedores.

Trocando a lâmpada da ré
1. Abra a porta elevadiça.
2. Remova os dois prendedores que
retêm o compartimento da lâmpada
fig. 20 fig. 21
C-17
3. Segure as lentes com uma mão e EXTINTOR DE O extintor de incêndio é indicado
para apagar princípio de incêndio das
gire o conector elétrico da lâmpada 1/4
de volta no sentido antihorário com a INCÊNDIO classes:
outra mão e então separe a lâmpada e A - sólidos inflamáveis como borra-
o conjunto conector das lentes. O extintor de incêndio está localiza-
chas, plásticos e espumas;
do no pavimento, à frente do banco do
4. Remova a lâmpada do soquete passageiro dianteiro fig. 23. B - líquidos inflamáveis;
conector e instale a lâmpada de repo- C - materiais elétricos.
sição. A validade do extintor de incêndio
está vinculada ao teste hidrostático do O extintor de incêndio deverá ser
5. Instale a lâmpada e o conjunto mesmo (teste para verificação de vaza- imediatamente recarregado, quando
conector nas lentes e gire o conector mentos no cilindro), que é de 5 anos, ocorrer uma das situações seguintes:
1/4 de volta no sentido horário para a partir da sua data de fabricação. A
fixá-lo no lugar. - Vencimento do prazo de validade
indicação desta validade se encontra do teste hidrostático;
6. Insira a extremidade das lentes gravada no corpo do cilindro.
sem a aba de bloqueio no comparti- - Após a sua utilização em incêndios;
mento sobre a tampa traseira e então - Se o ponteiro do manômetro estiver
empurre a extremidade oposta das len- fora da sua faixa normal de operação
tes contra o compartimento. (faixa verde), indicando alguma anoma-
lia no cilindro, na válvula ou no próprio
manômetro.

Recomendamos, também, ler as


instruções impressas no equipamen-
FR175BR

FR179BR
to.

fig. 22 fig. 23
C-18
MANUTENÇÃO DO VEÍCULO
O Fiat Freemont é novo em tudo, até nos critérios de MANUTENÇÃO PROGRAMADA . . . . . . . . . . . . D-1
manutenção.
PLANO DE MANUTENÇÃO PROGRAMADA . . . D-2
A primeira revisão de Manutenção Programada está previs-
ta somente aos 12.500 km (ver advertência “Óleo do motor”). SUBSTITUIÇÕES FORA DO PLANO . . . . . . . . . . D-4
Entretanto, é útil recordar que o veículo necessita sempre de SERVIÇOS ADICIONAIS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-4
serviços rotineiros como, por exemplo, o controle sistemáti-
co do nível dos líquidos com eventual restabelecimento da VERIFICAÇÃO DOS NÍVEIS . . . . . . . . . . . . . . . . . D-7
pressão dos pneus. FILTRO DE AR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-11
De qualquer maneira, lembramos que uma correta ma-
nutenção do automóvel é certamente o melhor modo para BATERIA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-12
conservar inalterados no decorrer do tempo os rendimentos CENTRAIS ELETRÔNICAS . . . . . . . . . . . . . . . . . D-13
do veículo e as características de segurança, o respeito pelo
meio ambiente e os baixos custos de funcionamento. SUBSTITUIÇÃO DE FUSÍVEIS . . . . . . . . . . . . . . D-13
Lembre-se ainda que o respeito pelas normas de manuten- VELAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-18
ção indicadas pelo símbolo pode constituir a condição
RODAS E PNEUS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-18
necessária para a conservação da garantia.
TUBULAÇÕES DE BORRACHA . . . . . . . . . . . . . D-23
D
LIMPADORES DO PARA-BRISA E DO VIDRO
TRASEIRO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-23
AR-CONDICIONADO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-25
CARROCERIA. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-25
INTERIOR DO VEÍCULO . . . . . . . . . . . . . . . . . . D-28

D
MANUTENÇÃO A correta manutenção do Os produtos que o veí-
veículo, além de contribuir culo utiliza para o seu
PROGRAMADA para prolongar ao máximo funcionamento (óleo de
a sua vida útil, é essencial também motor, fluido de freio, líquido para
Uma correta manutenção é deter- para garantir o respeito ao meio radiador, etc.), quando substituídos,
minante para garantir ao veículo uma ambiente. deverão ser recolhidos cuidadosa-
longa duração em condições perfeitas. mente evitando, assim, que se con-
Por isso, a Fiat preparou uma série de Durante a realização de intervenções, tamine o meio ambiente.
controles e de intervenções de manu- além das operações previstas, pode ha-
tenção a cada 12,5 mil quilômetros. ver a necessidade de substituições ou
consertos não programados, os quais ADVERTÊNCIA: alguns compo-
ADVERTÊNCIA: as revisões de serão comunicados ao cliente. Os refe- nentes, tais como lubrificantes,
Manutenção Programada são pres- ridos consertos podem alterar o prazo podem requerer uma verificação/
critas pelo fabricante. A não reali- de entrega do veículo. troca com maior frequência, devido
zação das mesmas pode acarretar a à utilização do veículo, portanto, é
perda da garantia. A autorização de serviços por importante observar com cuidado
companhias de seguros podem sus- as recomendações constantes desta
O serviço de Manutenção Programa- pender e/ou dilatar os prazos dos seção do manual.
da é prestado por toda a Rede Assis- serviços e devolução ao cliente.
tencial Fiat, através de agendamento
prévio.
D
ADVERTÊNCIA: aconselha-se
dirigir-se imediatamente à Rede
Assistencial Fiat, quando verificar
anomalias de funcionamento, sem
esperar a realização da próxima
revisão.

D-1
PLANO DE MANUTENÇÃO PROGRAMADA
milhares de quilômetros 12,5 25 37,5 50 62,5 75 87,5 100 112,5 125
Controle do estado das pastilhas dos freios a disco dianteiro e
+ + + + + + + + + +
traseiro (*)
Verificação visual do estado: tubulações (escapamento -
alimentação de combustível - freios), elementos de borracha
+ + + + + + + + + +
(proteções - mangueiras - buchas - etc.), tubulações flexíveis do
sistema dos freios e alimentação, pneus e amortecedores
Restabelecimento dos níveis dos líquidos (arrefecimento do
motor e lavador de para-brisa) e dos fluidos (freios, direção + + + + + + + + + +
hidráulica, etc.)
Controle do sistema de ignição/injeção (com utilização de
+ + + + + + + + + +
equipamento de autodiagnóstico) e reset da revisão
Controle das emissões dos gases de escapamento /
+ + +
sistema antievaporativo
Inspecionar e substituir a válvula PCV se necessário +
Controle visual das condições da correia dos órgãos auxiliares
+ + + + + + + + + +
direção hidráulica, ar-condicionado e alternador (**)
Substituição da correia dos órgãos auxiliares (ou a cada 3 anos) + +
Controle visual das condições da corrente de distribuição e
+ +
guias da corrente
Controle do nível do óleo da caixa de mudanças automática/
+ + +
diferencial
(*) Verificar a pastilha de freio na revisão. Caso a espessura seja inferior a 5 mm, substituí-la.
(**) Em caso de utilização do veículo predominantemente em estradas poeirentas, arenosas ou lamacentas, efetuar a sua
substituição na metade do tempo previsto.

D-2
milhares de quilômetros 12,5 25 37,5 50 62,5 75 87,5 100 112,5 125
Substituição do fluido dos freios (ou a cada 24 meses) + +
Verificação/limpeza do sistema de ventilação do cárter do
+ + +
motor (blow-by)
Verificação e eventual substituição do filtro antipólen e carvão
+ + + + + + + + + +
ativado do sistema de climatização
Substituição do filtro de combustível (ver “Advertência” em
“Serviços Adicionais” neste capítulo) Não é necessária a substituição
Substituição do elemento do filtro de ar (ver “Advertência” em
+ + + + + + + + + +
“Serviços Adicionais” neste capítulo)
Substituição das velas, controle dos cabos + + +
Controle dos equipamentos de segurança - extintor/cintos de
segurança e funcionamento dos sistemas de iluminação/ + + + + + + + + + +
sinalização e comandos elétricos dos vidros/portas e limpadores
Substituição do óleo do motor
Vide advertência óleo do motor***
Substituição do filtro de óleo do motor
D
Substituição do óleo e filtro da caixa de mudanças Vide advertência óleo da caixa de
automática mudanças automática

(***) Substituir o óleo do motor a cada 6.250 km se o veículo for utilizado, predominantemente, numa das seguintes con-
dições particularmente severas:
- Reboques, estradas lamacentas, arenosas ou poeirentas, trajetos curtos inferiores a 8 km, motor que roda frequen-
temente em marcha lenta ou em distâncias longas com baixa velocidade (ex.: táxi, veículos de entrega de porta em
porta ou utilizado como veículo de patrulha).
Se nenhuma destas condições ocorrer, troque o óleo e o filtro a cada 12.500 km ou 12 meses, o que ocorrer primeiro,
sempre com o motor quente.
O referido Plano poderá sofrer alterações sem comunicação prévia.
D-3
SUBSTITUIÇÕES SERVIÇOS ADVERTÊNCIA - Óleo do Motor
FORA DO PLANO ADICIONAIS Substituir o óleo e o filtro de
óleo a cada 6.250 km, se o veícu-
A cada 500 km ou antes de viagens lo estiver sujeito a quaisquer das
A CADA 2 ANOS: longas, controlar e, se necessário, res- seguintes condições:
- Líquido dos freios. tabelecer: - efetuando reboques;
- Líquido do sistema de arrefecimen- - nível do óleo do motor. - estradas poeirentas, arenosas
to do motor 50% e 50% de água pura. - nível do líquido de arrefecimento ou lamacentas;
do motor. - motor que roda frequente-
CONTINUIDADE DA - nível do líquido dos freios. mente em marcha lenta, condu-
MANUTENÇÃO ção em distâncias longas com
- nível do líquido da direção hidráu- baixa velocidade ou baixa rota-
Após a realização da última revisão lica. ção frequente (por ex.: “anda e
indicada no Plano de Manutenção - nível do líquido do lavador do para- para” do tráfego urbano, táxis,
(125.000 km), considerar a mesma fre- -brisa. entregas de porta em porta ou
quência para substituição e verificação - pressão e estado dos pneus. em caso de longa inatividade);
de itens a partir da revisão (37.500 km). - trajetos curtos (até 8 km)
- verificar o correto funcionamento
com o motor não completamente
do eletroventilador, assim como o es-
aquecido.
tado das pás da hélice quanto à limpe-
Se nenhuma destas condições
za e conservação - ver CARROCERIA/
ocorrer, troque o óleo e o filtro
Eletroventilador do radiador, neste
de óleo a cada 12.500 km ou 12
capítulo.
meses, o que ocorrer primeiro,
- estado do filtro de ar. sempre com o motor quente.
As trocas de óleo deverão ser
feitas dentro do intervalo de
tempo ou quilometragem esta-
belecidos, para que o óleo não
perca sua propriedade de lubri-
ficação.

D-4
A troca de óleo do veí- 2) Caso seja necessário comple- ADVERTÊNCIA - FILTRO DO AR
culo deve, obrigatoria- mentar o nível de óleo, utilize,
mente, ser feita na rede sempre, óleo com a mesma especifi-
Assistencial Fiat que possui o filtro cação daquele disponível no motor. Utilizando o veículo em estradas
e o óleo recomendados, bem como poeirentas, arenosas ou lamacentas,
possui uma rotina correta de reco- substituir o elemento do filtro de ar
Em caso emergencial, utilize com uma frequência maior daquela
lhimento, armazenamento e enca- aquele que possuir especificação
minhamento do produto usado para indicada no Plano de Manutenção
técnica similar ao homologado. Programada.
reciclagem. Atenção: observe as instruções da
embalagem.
Lembre-se de que o óleo usado O mau estado do elemento do
não poderá ser descartado na rede Recomendamos que depois de filtro de ar pode ocasionar aumento
pública de esgoto, já que esta práti- efetuada a troca emergencial, seu no consumo de combustível.
ca pode poluir rios e lagos e trazer veículo seja encaminhado a uma
sérios prejuízos ao meio ambiente. concessionária autorizada FIAT, o
mais breve possível, para que seja O filtro de ar deverá ser inspe-
realizado o serviço de troca de óleo cionado a cada 500 km e, caso se
ATENÇÃO: utilizando os produtos aprovados encontre muito sujo, deverá ser
para o seu veículo. substituído antes do prazo espe- D
1) Não se deve acrescentar qual- cificado no Plano de Manutenção
quer tipo de aditivo ao óleo do Programada.
motor, pois o mesmo não necessita
de aditivos complementares.

Os danos causados pelo uso des-


ses aditivos não são cobertos pela
garantia do veículo.

D-5
ADVERTÊNCIA - ÓLEO DA CAIXA As trocas de óleo deverão ser fei- ADVERTÊNCIA - FILTRO DE
DE MUDANÇAS AUTOMÁTICA tas dentro do intervalo de tempo ou COMBUSTÍVEL
quilometragem estabelecidos, para
Substituir o óleo e o filtro de que o óleo não perca sua proprie-
óleo a cada 100.000 km ou 48 dade de lubrificação. Verificar o estado do filtro de
meses (o que ocorrer primeiro) combustível se for notada alguma
se o veículo estiver sujeito a falha (engasgamento) no funciona-
quaisquer das seguintes condi- Para qualquer dúvida referente mento do motor.
ções: às frequências de substituição do
óleo do motor, do óleo da caixa de ADVERTÊNCIA - EXTINTOR DE
- Utilização severa (táxi, veí- mudanças automática e do elemen-
culo policial ou reboque de atre- INCÊNDIO
to do filtro de ar em relação a como
lados); é utilizado o veículo, dirigir-se à
Rede Assistencial Fiat. Fazer, mensalmente, uma inspe-
- Circulação em estradas poei-
ção visual do estado do equipa-
rentas, arenosas ou lamacentas;
mento e, caso constate alguma ano-
A manutenção do veículo malia, levá-lo, de imediato, à Rede
- Condução em distâncias lon-
deve ser confiada à Rede Assistencial Fiat ou representante
gas com baixa velocidade ou
Assistencial Fiat. credenciado do fabricante do apa-
baixa rotação frequente (por ex.:
“anda e para” do tráfego urbano, relho para verificação e solução do
táxis, entregas de porta em porta inconveniente.
ou em caso de longa inatividade);

Se nenhuma destas condições


ocorrer, troque o óleo e o fil-
tro de óleo da caixa de mudan-
ças automática a cada 200.000
km ou 90 meses, o que ocorrer
primeiro, sempre com o motor
quente.

D-6
VERIFICAÇÃO DOS NÍVEIS ÓLEO DO MOTOR
A = vareta de verificação
B = bocal de enchimento

ADVERTÊNCIA: verifique o nível


1) Óleo do motor e efetue a troca do óleo do motor
2) Fluido dos freios/embreagem de acordo com a frequência indi-
3) Líquido do lavador do para-brisa / faróis cada no “Plano de Manutenção
vidro traseiro Programada”.
4) Líquido de arrefecimento do motor O nível do óleo deve estar entre as
5) Óleo para transmissão automática referências marcadas na vareta de con-
6) Fluido para direção hidráulica trole (inscrição “SAFE”). O espaço entre
elas corresponde a cerca de 1 litro de
óleo.
O controle do nível do óleo deve ser
efetuado com o veículo em terreno pla-
no e com o motor ainda quente (cerca
de 10 minutos após tê-lo desligado). D

FR105BR
2
6
5

FR125BR
4 B
1

A
3
4

fig. 1 fig. 2
D-7
Se o nível do óleo estiver perto ou até Não adicionar óleo com Evitar que o líquido dos
abaixo da referência “SAFE”, adicionar características diferentes freios, altamente corrosivo,
óleo através do bocal de enchimento das do óleo já existente no entre em contato com as
até atingir a referência a marca superior motor. Só o uso de óleo recomenda- partes pintadas. Se isso acontecer,
da referência “SAFE”. do (ver “Características dos lubrifi- lavar imediatamente com água.
O nível do óleo nunca deve ultrapas- cantes e dos líquidos” no capítulo
sar a referência “SAFE”. Características Técnicas) garante a ADVERTÊNCIA: o líquido dos
quilometragem prevista pelo plano freios é higroscópico (isto é, absor-
de manutenção. ve a umidade). Por isto, se o veí-
ADVERTÊNCIA: depois de ter
adicionado ou substituído o óleo, culo for usado predominantemente
funcionar o motor por alguns segun- em regiões com alta porcentagem
LÍQUIDO DOS FREIOS - A-fig. 3 de umidade atmosférica, o líquido
dos, desligá-lo e só então verificar
o nível. Periodicamente, controlar o funcio- deve ser substituído com mais fre-
namento da luz-espia situada no quadro quência do que indicado no Plano
Devido à concepção dos motores à de instrumentos. de Manutenção Programada.
combustão interna, para que haja uma Se precisar adicionar líquido, utilizar
boa lubrificação, parte do óleo lubrifi- somente o produto especificado. Importante: para evitar inconve-
cante é consumido durante o funciona- nientes de frenagem, substitua o
O nível do líquido no reservatório líquido dos freios a cada dois anos,
mento do motor.
não deve ultrapassar a referência MAX. independentemente da quilometra-
gem percorrida.
Com motor quente,
mexer com muito cuidado
dentro do vão do motor, O símbolo π, presente no reci-

FR126BR
A piente, identifica os líquidos de freios
pois há perigo de queimaduras.
Lembre-se de que, com o motor de tipo sintético, distinguindo-os dos
quente, o eletroventilador pode de tipo mineral. Usar líquidos de tipo
pôr-se em movimento, e ocasionar mineral danifica irremediavelmente
lesões. as juntas especiais de borracha do
sistema de frenagem.

fig. 3
D-8
LÍQUIDO DOS LAVADORES DO LÍQUIDO DO SISTEMA DE A tampa B-fig. 5 não deve ser utiliza-
PARA-BRISA, FARÓIS E DO VIDRO ARREFECIMENTO DO MOTOR - da em situações normais pois destina-se
TRASEIRO - A-fig. 4 A-fig. 5 e B-fig. 5 à adição de líquido em grandes quanti-
dades (ex.: enchimento total do sistema
Para adicionar líquido, tirar a tampa após limpeza), além de funcionar tam-
e encher até o nível. Quando o motor estiver bém como válvula do sistema.
muito quente, não remover
ADVERTÊNCIA: não viajar com o as tampas do reservatório;
reservatório do lavador do para-brisa pois há perigo de queimaduras.
vazio; a ação do lavador é fundamen- ATENÇÃO: nunca abasteça o
tal para melhorar a visibilidade. O nível do líquido deve ser contro- reservatório no sistema de arre-
lado com motor frio e não deve estar fecimento do motor do veículo
abaixo da referência MIN marcada no
com líquido de arrefecimento
reservatório.
não orgânico (verde). Utilize
Se o nível for insuficiente, despejar somente o fluido de arrefecimen-
lentamente, através do bocal do re- to prescrito, pois a mistura com
servatório, uma mistura com 50% de
outros aditivos pode alterar as
fluido de arrefecimento e 50% de água
pura. propriedades, comprometendo
sua eficiência.
D
FR128BR

FR127BR
A

A B

fig. 4 fig. 5
D-9
ÓLEO PARA TRANSMISSÃO AUTO- sam desprender impurezas) e reinsira-a Eventuais derramamen-
MÁTICA - A-fig. 6 até o fim de curso. Em seguida, retire a tos de óleo de transmissão
vareta e observe a leitura. deverão ser cuidadosamen-
O nível de óleo da caixa de mudan- te removidos para evitar que entrem
a. Se o líquido estiver quente, a lei-
ças automática deve ser verificado pre- em contato com as partes quentes
tura deve estar posicionada na área
ferencialmente com o motor quente. do motor e da caixa de mudanças.
marcada como HOT (compreendida
Adote o seguinte procedimento para
entre as dois furos na parte superior da
verificar o nível:
vareta).
1. Estacione o veículo em terreno pla- Usar um fluido de trans-
b. Se o líquido estiver frio (mínimo
no e faça com que o motor funcione missão diferente do reco-
de 27º C), o nível do óleo deve estar
em marcha - lenta por um mínimo de mendado pelo fabricante
compreendido entre os dois furos na
60 segundos. pode causar deterioração na quali-
área inferior da vareta, marcada como
Aplique o freio de estacionamento COLD. dade do câmbio de transmissão e/
completamente. ou tremor no conversor de torque.
6. Se o nível do fluido está baixo, adi- Usar um fluido de transmissão dife-
2. Posicione a alavanca de câmbio cione, cuidadosamente, óleo suficiente
momentaneamente em cada posição da rente do recomendado pelo fabri-
através do tubo de enchimento de tu- cante acarretará a necessidade de
marcha terminando com a alavanca na bo (sede da vareta) para trazê-lo para
posição PARK. trocas mais frequentes do filtro e do
o nível adequado. Não encha demais fluido. Consulte “Abastecimentos”
3. Limpe a área ao redor da vareta e controle o nível depois de efetuar a em “Características Técnicas” para
para eliminar a possibilidade de que reposição do óleo. maiores informações.
entrem impurezas na transmissão.
4. Remova a vareta e verifique se o

FR129BR
óleo está quente ou frio. A temperatura Sujeira e água na trans-
do óleo quente é de aproximadamente missão podem causar sérios
82° C, considerada normal para o caso A danos. Para evitar que entre
em que o veículo tenha sido conduzi- sujeira e água na transmissão após
do por, pelo menos, por 24 km (o óleo uma verificação ou reposição de
quente pode provocar queimaduras fluido, tenha certeza que a tampa
entre os dedos). da vareta de nível seja reassentada
5. Limpe novamente a vareta (não adequadamente.
utilize, na limpeza, materiais que pos- fig. 6
D-10
FILTRO DE AR O filtro de ar deverá ser inspe-
Este filtro, se estiver sujo, pode ser
responsável direto por uma eventual
cionado a cada 500 km e, caso se diminuição da eficiência do sistema de
encontre muito sujo, deverá ser ventilação ou do ar-condicionado, ra-
SUBSTITUIÇÃO - fig. 7 e 8
substituído antes do prazo espe- zão pela qual recomenda-se sua inspe-
Soltar as presilhas A-fig. 7 e retirar a cificado no Plano de Manutenção ção periódica e eventual substituição.
tampa B. Remover o elemento filtrante Programada.
C-fig. 8. Se o veículo for utilizado predomi-
nantemente em localidades com alta
O filtro de ar deverá ser inspeciona- FILTRO ANTIPÓLEN E CARVÃO concentração de poeira, poluição at-
do periodicamente e, caso se encontre ATIVADO mosférica ou regiões litorâneas, deve-
muito sujo, deverá ser substituído antes -se substituir com maior frequência o
do prazo especificado no Plano de Ma- Em algumas versões, o sistema de elemento filtrante.
nutenção Programada. ventilação ou de ar-condicionado pode
possuir um filtro específico destinado a Recomendamos que tanto o trabalho
eliminar os odores resultantes da poeira de inspeção quanto o de substituição
Um filtro de ar muito do elemento filtrante seja realizado na
e fungos, além de absorver as partículas
sujo contribui para aumen- Rede Assistencial Fiat.
de pólen que normalmente poderiam
tar o consumo de combustí-
entrar no habitáculo, junto com o fluxo
vel do veículo.
de ar coletado externamente.
D
FR130BR

FR131BR
C

A A

fig. 7 fig. 8
D-11
BATERIA As baterias contêm subs- ADVERTÊNCIA: a bateria
tâncias muito perigosas mantida por muito tempo
A bateria do veículo está localizada para o meio ambiente. Para com carga abaixo de 50% é
debaixo da caixa de fusíveis - fig. 9. a substituição da bateria, aconse- danificada por sulfatação, reduzin-
As baterias dos veículos Fiat são do lhamos dirigir-se à Rede Assistencial do-se a sua capacidade e o desem-
tipo “Sem Manutenção”, que, em con- Fiat, que está preparada para a penho na partida.
dições normais de uso, não exigem en- eliminação da mesma respeitando
chimentos com água destilada. a natureza e as disposições legais.
Em caso de parada prolongada, ver
Para a recarga da bateria, ver o capí- “Inatividade prolongada do veículo”,
tulo “EM EMERGÊNCIA”. Uma montagem incorre- no capítulo “Uso correto do veículo”.
ta de acessórios elétricos
O líquido contido na e eletrônicos pode causar Se, após a compra do veículo, você
bateria é venenoso e corro- graves danos ao veículo. desejar montar acessórios (alarme ele-
sivo. Evitar o contato com trônico, etc.), dirija-se à Rede Assisten-
a pele e com os olhos. Não aproxi- cial Fiat que irá sugerir-lhe os dispositi-
mar-se da bateria com chamas ou CONSELHOS ÚTEIS PARA vos mais adequados.
possíveis fontes de faíscas, pois há PROLONGAR A DURAÇÃO DA
perigo de explosão e de incêndio. BATERIA
Ao estacionar o veículo, certificar-se ADVERTÊNCIA: tendo
que as portas e o capô estejam bem fe- que instalar no veícu-
chados. As luzes internas devem estar lo sistemas adicionais
apagadas. (alarme, som, etc.), frisamos o
perigo que representam deriva-
FR147BR

Com motor desligado, não manter ções inadequadas em conexões


dispositivos ligados por muito tempo dos chicotes elétricos, principal-
(por ex. rádio, luzes de emergência, mente se ligados aos dispositivos
etc.). de segurança.

fig. 9
D-12
CENTRAIS - Não verifique polaridades elétricas
com faíscas.
SUBSTITUIÇÃO DE
ELETRÔNICAS - Desligue as centrais eletrônicas no FUSÍVEIS
caso de soldas elétricas na carroceria.
Usando normalmente o veículo, não Removê-las em caso de temperaturas
é preciso ter precauções especiais. acima de 80°C (trabalhos especiais na NOTA: em caso de queima de
Em caso de intervenções no sistema carroceria, etc.). fusíveis, procure a Rede Assistencial
elétrico, é necessário, porém, seguir Fiat para uma inspeção no sistema
cuidadosamente as instruções seguintes: ADVERTÊNCIA: a insta- elétrico do veículo.
lação de acessórios eletrô-
- Nunca desligue a bateria do sistema As caixas de fusíveis do Fiat Freemont
nicos (rádio, alarme, etc.)
elétrico com o motor em movimento. estão localizadas na central A-fig. 10,
com exceção dos genuínos, não
- Desligue a bateria do sistema elétri- deve em hipótese alguma, alterar os no vão do motor e na parte inferior do
co em caso de recarga. chicotes elétricos dos sistemas de painel, à frente do banco do passage-
- Em caso de emergência, nunca efe- injeção e ignição. rio. Para ter acesso aos fusíveis, retire
tue a partida com um carregador de ba- a tampas B-fig. 10 e C-fig. 11, fixada
Modificações ou con- com presilhas de pressão.
teria, mas utilizar uma bateria auxiliar
sertos no sistema elétrico,
(ver “Partida com bateria auxiliar” no
efetuados de maneira incor-
capítulo “Em emergência”).
reta e sem ter em consideração as
- Tome um cuidado especial com li- características técnicas do sistema, D
gação entre bateria e sistema elétrico, ve- podem causar anomalias de funcio-
rificando tanto a exata polaridade, como namento com risco de incêndio.
a eficiência da própria ligação. Quando

FR132BR

FR177BR
a bateria é religada, a central do sistema
de injeção/ignição deve readaptar os
próprios parâmetros internos; portanto, B
nos primeiros quilômetros de uso, o ve-
ículo pode apresentar um comportamen- A
to levemente diferente do anterior.
- Não ligue ou desligue os terminais C
das centrais eletrônicas quando o comu-
tador de ignição estiver na posição RUN. fig. 10 fig. 11
D-13
FUSÍVEIS INTERNOS
O painel de fusíveis internos está localizado no lado do passageiro, sob o painel de instrumentos fig. 11.
Cavidade Fusível Descrição
F100 Rosa de 30 A Inversor de 110V de CA - Se disponível
F101 Vermelho de 10 A Luzes internas
F102 Amarelo de 20 A Acendedor de cigarros no painel de instrumentos/Tomada elétrica traseira esquerda
F103 Amarelo de 20 A Tomada elétrica na caixa do console/Tomada elétrica na traseira do console
F105 Amarelo de 20 A Assentos aquecidos - Se disponível
F106 Amarelo de 20 A Sobressalente
F107 Vermelho de 10 A Câmera traseira - Se disponível
F108 Azul de 15 A Painel de instrumentos
F109 Vermelho de 10 A Controle climático/HVAC
F110 Vermelho de 10 A Controlador restrito ao ocupante
F112 Vermelho de 10 A Sobressalente
F114 Amarelo de 20 A Motor/ventilador do HVAC traseiro
F115 Amarelo de 20 A Motor do limpador traseiro
F116 Vermelho de 10 A Descongelador traseiro (EBL)
F117 Rosa de 30 A Espelhos aquecidos
F118 Vermelho de 10 A Controlador restrito ao ocupante
F119 Vermelho de 10 A Módulo de controle da coluna de direção
F120 Vermelho de 10 A Tração em todas as rodas - Se disponível
F121 Azul de 15 A Ponto da ignição sem fio
F122 Branco de 25 A Módulo da porta do motorista
F123 Branco de 25 A Módulo da porta do passageiro

D-14
Cavidade Fusível Descrição
F124 Vermelho de 10 A Espelhos
F125 Vermelho de 10 A Módulo de controle da coluna de direção
F126 Vermelho de 10 A Amplificador de áudio
F127 Amarelo de 20 A Reboque para trailer - Se disponível
F128 Azul de 15 A Rádio
F129 Azul de 15 A Vídeo/DVD - Se disponível
F130 Azul de 15 A Controle climático/painel de instrumentos
F131 Vermelho de 10 A
F132 Assistência ao passageiro/Sistema viva-voz - Se disponível
Vermelho de 10 A
Módulo de pressão dos pneus de estepe
F133 Vermelho de 10 A

FUSÍVEIS SOB O CAPÔ (CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA) - fig. 10


O centro de distribuição de energia está localizado no compartimento do motor.

Cavidade Fusível Descrição D


F101 Amarelo de 60 A Central da distribuição de energia interna
F102 Amarelo de 60 A Central da distribuição de energia interna
F103 Amarelo de 60 A Central da distribuição de energia interna
F105 Amarelo de 60 A Relé de exceção da ignição da central de distribuição de energia interna
F106 Amarelo de 60 A Relés de acessórios/ execução da central de distribuição de energia interna
F139 Verde de 40 A Ventilador do sistema de controle climático
F140 Rosa de 30 A Travas elétricas
F141 Verde de 40 A Sistema antibloqueio dos freios

D-15
Cavidade Fusível Descrição
F142 Verde de 40 A Velas - Se disponível
F143 Verde de 40 A Luzes externas 1
F144 Verde de 40 A Luzes externas 2
F145 Rosa de 30 A Lâmpada - Para o Body Computer
F146 Rosa de 30 A Sobressalente
F147 Rosa de 30 A Sobressalente
F148 Verde de 40 A Motor do ventilador do radiador
F149 Rosa de 30 A Solenóide do motor de partida
F150 Branco de 25 A Módulos de controle do grupo motopropulsor
F151 Rosa de 30 A Motor do lavador do farol - Se disponível
F152 Branco de 25 A Aquecedor a diesel - Se disponível
F153 Amarelo de 20 A Bomba de combustível
F156 Vermelho de 10 A Módulo de controle de estabilidade eletrônica/Freio
F157 Vermelho de 10 A Módulo da caixa de transferência - Se disponível
F158 Vermelho de 10 A Módulo ativo do capô - Se disponível
F159 Vermelho de 10 A Sobressalente
F160 Amarelo de 20 A Luzes internas
F161 Amarelo de 20 A Buzina
F162 Vermelho de 50 A Aquecedor da cabine nº. 1/bomba de vácuo - Se disponível
F163 Vermelho de 50 A Aquecedor da cabine nº. 2 - Se disponível
F164 Branco de 25 A Desligamento automático do grupo motopropulsor
F165 Amarelo de 20 A Desligamento do grupo motopropulsor
F166 Amarelo de 20 A Sobressalente
F167 Verde de 30 A Desligamento do grupo motopropulsor

D-16
Cavidade Fusível Descrição
F168 Vermelho de 10 A Embreagem do ar condicionado
F169 Verde de 40 A Emissões - Motor parcial de emissões zero do veículo
F170 Azul de 15 A Emissões - Atuadores parciais de emissões zero do veículo
F172 Amarelo de 20 A Sobressalente
F173 Branco de 25 A Válvulas antibloqueio dos freios
F174 Amarelo de 20 A Sirene - Se disponível
F175 Verde de 30 A Sobressalente
F176 Vermelho de 10 A Módulos de controle do grupo motopropulsor
F177 Amarelo de 20 A Módulo de tração em todas as rodas - Se disponível
F178 Branco de 25 A Teto solar - Se disponível
F179 Vermelho de 10 A Sensor da bateria
F181 Azul de 100 A Direção eletro-hidráulica (EHPS) - Se disponível
F182 Vermelho de 50 A Aquecedor da cabine nº. 3 - Se disponível
F184 Rosa de 30 A Motor do limpador

D-17
VELAS As velas devem ser subs- RODAS E PNEUS
tituídas dentro dos pra-
A limpeza e a integridade das velas zos previstos pelo Plano
fig. 12 são decisivas para a eficiência de Manutenção Programada. Use INFORMAÇÕES GERAIS - PNEUS
do motor e para a contenção das emis- somente velas do tipo recomen- NOVOS
sões poluentes. dado; se o grau térmico for inade-
Os pneus e as rodas especificados pe-
O aspecto da vela, se examinado por quado, ou se não for garantida a
la Fiat são rigorosamente ajustados ao
um especialista, é um válido indício pa- duração prevista, podem acontecer
respectivo modelo/versão do veículo,
ra localizar um defeito, mesmo se não inconvenientes.
contribuindo fundamentalmente para
for ligado ao sistema de ignição. As- a estabilidade do veículo e a segurança
sim, se o motor tiver algum problema, dos seus ocupantes.
é importante verificar as velas na Rede
Assistencial Fiat.
Recomendamos utili-
zar exclusivamente pneus
e rodas homologados pela
Fiat para o modelo/versão do seu
veículo, ou seja, pneus radiais do
mesmo tipo de construção, fabri-
cante, dimensões e com o mesmo
desenho, evitando, assim, riscos.

Utilizar calotas genuínas Fiat.


4EN0169BR

Os veículos Fiat usam pneus Tube-


less, sem câmara de ar. Nunca usar câ-
maras de ar com estes pneus.

fig. 12
D-18
Efetuar a revisão e manutenção dos mento das características relaciona- Leitura correta dos pneus - fig. 13
pneus e das rodas na Rede Assistencial das com aquaplanagem, aderência, Para uma escolha certa é importan-
Fiat, que dispõe de ferramentas espe- ruídos e desgaste. te saber identificar as características e
cíficas e das peças necessárias e provi-
dimensões do pneu corretamente. Os
dencias quanto a eliminação dos pneus
Atenção! pneus radiais, por exemplo, apresentam
velhos como resíduos.
a seguinte inscrição nos flancos:
Evitar a substituição individual dos Pneus novos apresentam melhor
pneus. Se possível, substituir pelo me- aderência após percorrerem pelo me- Exemplo: 215/45R17 91V
nos os pneus do mesmo eixo, ou se- nos 150 km. 215 - Largura nominal do pneu em mm
ja, os pneus dianteiros e traseiros, aos (S)
pares. Não circule com pneus 45 - Relação altura/largura em % (H/S)
Devido às características diferentes em mau estado (ex.: bolhas, R - Tipo de construção - código de
de construção e à estrutura do pneu, furos, desgaste acentuado). radial
podem ocorrer diferenças na profundi- Nestas condições, poderá provocar
dade do perfil de pneus novos, de acor- seu estouro, acidentes e lesões. 17 - Diâmetro da roda em polegadas
do com a versão e o fabricante ( )
O pneu envelhece mesmo se pouco 91 - Índice de capacidade de carga
usado. Rachaduras na borracha da ban- V - Índice de velocidade máxima
A posição de montagem dos pneus da de rodagem e nas laterais são sinais
para algumas versões, está indica-
da nas laterais, por exemplo pelas
de envelhecimento. Pneus montados há D
mais de 5 anos necessitam passar por
palavras “inside” (parte interna) e uma avaliação técnica. Atente-se para
“outside” (parte externa). Em alguns controlar também a roda sobressalente.

NU157
pneus a posição de montagem pode
ser identificada por uma seta. Caso Em caso de substituição, montar sem-
não haja indicação da posição de pre pneus novos, optando por pneus
montagem, a mesma pode ser reali- homologados FIAT.
zada sem vínculo de posição ou sen-
tido de rodagem. É importante que
seja sempre mantido o sentido de
rodagem indicado, assegurando-se
desse modo, um melhor aproveita-
fig. 13
D-19
Os pneus podem ter também infor- A pressão dos pneus indi- A - Pressão normal: banda de roda-
mações do sentido de marcha e refe- cada é valida somente para gem gasta de maneira uniforme.
rência de pneus com versão reforçada os “pneus frios”. Deve-se B - Pressão insuficiente: banda de
(Reinforced). A data de fabricação tam- calibrá-los somente dessa maneira, rodagem gasta principalmente nas bor-
bém está indicada no flanco do pneu sobretudo antes de longas viagens. das.
podendo estar na parte interna ou ex-
terna. Por exemplo: DOT... 4509 - sig- C - Pressão excessiva: banda de roda-
nifica que o pneu foi produzido na 45ª Usando o veículo por um longo gem gasta principalmente no centro.
semana do ano de 2009. período, é normal que a pressão
aumente. O ar nos pneus dilata-se Lembre-se que a aderên-
PRESSÃO DOS PNEUS quando aquece através do atrito inter- cia do veículo na estrada
no, fazendo com que a pressão seja depende também da corre-
Controlar quinzenalmente, e antes
mais alta nos pneus quentes do que ta pressão dos pneus.
de viagens longas, a pressão de cada
nos frios.
pneu, inclusive da roda sobressalente.
Respeite sempre os valores de pressão Em alta velocidade e em
dos pneus, descritos no capítulo E ou Um pneu com pressão piso úmido, o pneu com des-
na contracapa. abaixo do especificado se gaste acentuado pode perder
aquece excessivamente o contato com o solo fazendo com
É imprescindível que os quando em utilização continuada, que o veículo perca sua dirigibilidade
pneus estejam calibrados isso poderá provocar danos aos e controle.
conforme estabelecido no pneus ou até mesmo o seu estouro.
capítulo E. A inobservância pode Mantenha sempre os valores de

4EN0170BR
gerar avarias nos pneus e nas rodas. pressão indicados neste manual.
Verifique as pressões recomendadas
para os pneus do veículo, bem como
a periodicidade de calibragem. Uma pressão errada pro-
voca um desgaste anormal
dos pneus fig. 14.

A B C

fig. 14
D-20
Para calibrar o pneu PARA EVITAR DANOS: DURABILIDADE DOS PNEUS
- Consultar os valores da pressão dos - Evitar o contato do pneu com óleo, Para verificar o desgaste do pneu, ve-
pneus na contracapa ou no capítulo E. graxa ou combustível. rificar os indicadores de desgaste (quan-
- Retirar a tampa da válvula e conec- - Remover os corpos estranhos (pre- do presentes) localizados no fundo da
tar a mangueira de controle da pressão gos, parafusos, etc.) que tenham pene- banda de rodagem transversalmente
diretamente na válvula. trado no pneu. em relação ao sentido de rodagem. Os
- Ajustar a pressão dos pneus à res- indicadores estão dispostos em 6 ou 8
pectiva carga. (Ver tabela de pressão de locais (conforme a marca), à distâncias
ADVERTÊNCIAS: evitar freadas iguais e são sinalizados por marcas/sím-
pneus com carga média e carga com- repentinas, arrancadas violentas,
pleta no capítulo E e na contracapa des- bolos ou siglas (“TWI”) nos flancos dos
choques contra calçadas, buracos pneus fig. 15.
te manual). e obstáculos de qualquer espécie,
- Verificar também a pressão do pneu dimensão e profundidade. O uso É importante obedecer ao limite de
sobressalente. Calibrar com a pressão prolongado em estradas mal conser- segurança no desgaste natural do pneu
mais alta prevista, de modo que tenha vadas danifica os pneus. em sua banda de rodagem, que não
pressão suficiente para substituir qual- deve ter menos de 1,6 mm de profun-
quer roda no veículo. - Verificar, periodicamente, se os didade nos sulcos. Quando a altura for
pneus têm cortes laterais, fissuras e bo- de 1,6 mm, os pneus devem ser subs-
lhas, aumento de volume ou desgaste tituídos.
A não observação das
recomendações constantes irregular das bandas de rodagem. Em D
do presente manual reduz caso afirmativo, dirigir-se à Rede Assis-
substancialmente a durabilidade tencial Fiat.
dos pneus e influi negativamente no - Não viajar com sobrecarga, pois po-

NU169
comportamento do veículo. de causar sérios danos às rodas e aos
pneus (Ver carga máxima admitida no
A falta de tampas de válvulas ou capítulo E - Pesos).
a utilização de tampas inadequadas - Se furar um pneu, agir com respeito
pode dar origem a vazamentos de ar. à sinalização de trânsito e parar o veí-
Para evitá-los, mantenha sempre todas culo no acostamento para providenciar
as tampas devidamente apertadas. Se a troca. A substituição imediata evita
TW
substituir um pneu, recomendamos tro- danos no próprio pneu, na roda, na sus- I
car a válvula de enchimento também. pensão e no mecanismo da direção. fig. 15
D-21
A durabilidade do pneu tem relação Em nenhuma circunstân- veículo para o esquerdo e vice-
com estilo de direção de cada condu- cia as porcas devem ser -versa.
tor. Curvas feitas em alta velocidade, lubrificadas.
acelerações bruscas, freadas e arran- NOTA: para veículos equipados
cadas violentas aumentam o desgaste com sistema de monitoramento de
dos pneus. RODÍZIO DE RODAS - fig. 16 pressão (TPMS), após o rodízio das
A sobrecarga é também um dos fato- Para permitir um desgaste uniforme rodas, as válvulas deverão ser reca-
res que pode reduzir consideravelmen- entre os pneus dianteiros e os trasei- libradas na Rede Assistencial Fiat.
te a durabilidade dos pneus. O excesso ros, aconselha-se efetuar o rodízio dos
de peso compromete a durabilidade pneus a cada 10 mil quilômetros, man-
dos componentes e aumenta o risco tendo-os do mesmo lado do veículo BALANCEAMENTO DAS RODAS
de danos ou de alterações estruturais para não inverter o sentido de rotação. As rodas do veículo foram previa-
importantes no veículo. Deste modo, os pneus terão aproxi- mente balanceadas por ocasião da
madamente a mesma duração. montagem, no entanto, a rodagem po-
PORCAS DAS RODAS derá provocar o seu desbalanceamento.
Recomenda-se, após o rodízio, ve-
rificar o balanceamento das rodas e o Um dos sinais de que a roda está
Utilizar exclusivamente alinhamento da direção. desbalanceada é quando se percebe
as porcas que pertencem vibrações na direção. O desbalancea-
ao respectivo veículo. mento provoca desgaste da direção, da
Não efetuar rodízio cru- suspensão e dos pneus.
zado dos pneus, deslocan-
As porcas das rodas devem ser aper- Após a montagem de um pneu novo
do-os do lado direito do
tados com o torque indicado. Com um ou em caso de forte impacto no pneu é

NU158
torque insuficiente, as rodas poderão necessário balancear a respectiva roda.
soltar-se com o veículo em movimento
e um torque excessivo poderá provo- ALINHAMENTO DA DIREÇÃO
car danos nos parafusos. Os parafusos
das rodas devem estar limpos e girando O veículo deve estar com as espe-
facilmente. cificações geométricas da suspensão
O torque prescrito para os parafusos de em conformidade com o fabricante,
roda (liga leve) é de 135 Nm (13,5 kgf). pois assim não estará sujeito a sofrer
desequilíbrio das forças que atuam no
fig. 16 veículo quando em sentido de marcha,
D-22
e consequente desgaste prematuro dos
componentes da suspensão e pneus.
TUBULAÇÕES DE LIMPADORES DO
Em caso de desgaste anormal dos BORRACHA PARA-BRISA E DO
pneus, procure a Rede Assistencial Fiat
Em relação às tubulações flexíveis VIDRO TRASEIRO
para o alinhamento da direção.
de borracha do sistema de freios e de
alimentação, seguir rigorosamente o PALHETAS
O Alinhamento de dire- Plano de Manutenção Programada. Efe-
ção e o balanceamento dos tivamente, o ozônio, as altas tempera- Limpar, periodicamente, a parte de
pneus não são cobertos pela turas e a falta prolongada de líquido no borracha usando produtos adequados.
Garantia do veículo, assim como os sistema podem causar o endurecimento Substituir as palhetas se o limpador de
eventuais inconvenientes decorren- e a rachadura das tubulações, com pos- borracha estiver deformado ou gasto.
tes do fato de o veículo trafegar fora síveis vazamentos de líquidos. Assim, é Em todo caso, aconselha-se substituí-
das especificações fornecidas pela necessário um controle cuidadoso. -las uma vez por ano.
Fiat no que se refere a esses itens.
Viajar com as palhetas
MEIO AMBIENTE do limpador do para-brisa
desgastadas representa um
Uma pressão insuficiente dos pneus grave risco, pois reduz a visibilidade
aumentará o consumo de combustível, em caso de más condições atmos-
poluindo o meio ambiente. féricas.
D

A borracha não se - Não ligar os limpadores do para-bri-


decompõe com o passar do sa e do vidro traseiro sobre o vidro seco.
tempo, razão pela qual os Somente devem ser utilizados estando
pneus usados, quando forem subs- o vidro molhado e livre de impurezas,
tituídos, não devem ser descartados tais como: terra, barro, areia, etc, sob
em lixeiras comuns. É aconselhável pena de se danificarem a borracha e o
deixá-los no estabelecimento que próprio vidro.
fez a troca para que este, segundo
legislação específica, se encarregue
de reciclá-los.
D-23
Substituição das palhetas do limpador 4) Montar a palheta nova introdu- ESGUICHOS
do para-brisa - fig. 17 zindo-a na respectiva sede do braço e
certificando-se de que fique bem encai- Se o jato não sair, antes de tudo, ve-
1) Levantar o braço do limpador do rificar se há líquido no reservatório; ver
para-brisa de maneira que a palheta fi- xada em sua sede, o que será carac-
terizado pelo “clic” de travamento da “Verificação dos níveis” neste capítulo.
que afastada do vidro e permita a subs-
tituição; palheta. Depois, usando um alfinete, verificar
se os furos de saída não estão entupidos
2) Posicionar a palheta em um ân- A-fig. 18 e B-fig. 19.
gulo de 90º ou superior em relação ao Substituição da palheta do limpador
para-brisa. do vidro traseiro Os jatos do lavador são fixos.
3) Pressionar a trava A-fig. 17 como Para substituir o conjunto, dirigir-se
indicado e, simultaneamente, fazer uma à Rede Assistencial Fiat.
leve pressão para abaixo para desencai-
xar a palheta de sua sede e, assim poder
extraí-la empurrando-a em direção ao
para-brisa. FR171BR

FR174BR
B
A
A
A

fig. 17 fig. 18 fig. 19


D-24
AR-CONDICIONADO Durante o inverno, o sistema de ar-
-condicionado deve ser colocado em
CARROCERIA
A utilização constante do ar-condi- funcionamento pelo menos uma vez
cionado pode resultar, com o tempo, por mês e por cerca de 10 minutos. PROTEÇÃO CONTRA OS AGENTES
na formação de mau cheiro devido ao ATMOSFÉRICOS
acúmulo de poeira e umidade no sis- O sistema utiliza fluido As principais causas de fenômenos
tema de ar-condicionado, facilitando a refrigerante R134a que, em de corrosão são:
proliferação de fungos e bactérias. caso de vazamentos aciden-
- poluição atmosférica;
Para minimizar o problema de mau tais, não danifica o meio ambiente.
cheiro, é recomendado, semanalmen- Evitar completamente o uso de flui- - salinidade e umidade da atmosfera
te, desligar o ar-condicionado e ligar do R12 que, além de ser incompatí- (regiões litorâneas ou com clima quente
o aquecedor (selecionar temperaturas vel com os componentes do sistema, e úmido);
mais altas no sistema de climatização, contém clorofluorcarbonetos (CFC). - variações climáticas das estações.
sem o uso do compressor do ar-condi- Não se deve subestimar também a
cionado), no máximo, cerca de 5 a 10 ação abrasiva da poeira atmosférica e
minutos antes de estacionar o veículo, da areia levadas pelo vento, do barro e
para que a umidade do sistema seja do cascalho atirados pelos outros ve-
eliminada. ículos.
O filtro antipólen, existente no siste- A Fiat adotou em seus veículos as
ma, deve ser substituído com maior fre- melhores soluções tecnológicas para
D
quência se o veículo transitar constante- proteger, com eficácia, a carroceria
mente em estradas de muita poeira ou contra a corrosão.
ficar estacionado debaixo de árvores.
Aqui estão as principais:
- produtos e sistemas de pintura que
dão ao veículo uma maior resistência
contra corrosão e abrasão;
- uso de chapas zincadas (ou pré-
-tratadas), dotadas de alta resistência
contra a corrosão;

D-25
- aspersão de polímeros com função usando produtos biodegradáveis, que do motor quente; o brilho da pintura
protetora, nos pontos mais expostos: so- se decompõem no meio ambiente. pode ser alterado.
leira das portas, parte interna dos para- As partes de plástico externas devem ser
-lamas, bordas, etc; limpas com o mesmo procedimento se-
Ao lavar o veículo, utilize guido para a lavagem normal do veículo.
CONSELHOS PARA A BOA o mínimo de água possível.
CONSERVAÇÃO DA CARROCERIA Se for utilizar mangueira,
Ao lavar o veículo em
certifique-se de que a mesma não
equipamento de lavagem
Pintura apresente vazamentos que favore-
automática com escovas
çam o desperdício de água potável.
A pintura não tem só função estética, rotativas, recomenda-se retirar a
mas também de proteção das chapas. Para uma lavagem correta: haste da antena no teto para evitar
Em caso de abrasões ou riscos pro- que ela seja danificada. Para retirá-
1) molhar a carroceria com um jato -la, girá-la no sentido anti-horário
fundos, aconselha-se a fazer os devidos d’água com baixa pressão;
retoques imediatamente, para evitar for- até se soltar completamente. Após
2) passar na carroceria uma esponja lavar e secar o veículo, recolocar a
mações de ferrugem.
com shampoo neutro automotivo, enxa- haste da antena em sua sede.
Para os retoques na pintura, utilizar guando a mesma com frequência.
somente produtos originais (ver o capí- Evitar estacionar o veículo debaixo
3) enxaguar bem com água e enxu-
tulo “Características técnicas”). de árvores; a resina que muitas espécies
gar com jato de ar, uma camurça ou
A manutenção normal da pintura pano macio. deixam cair dão um aspecto opaco à
consiste na lavagem, cuja frequência pintura e aumentam a possibilidade de
Ao enxugar, prestar atenção nas corrosão.
depende das condições do ambiente de
partes menos visíveis, como o vão das
uso. Por exemplo, nas zonas com alta
portas, capô e contorno dos faróis, nos
poluição atmosférica, alta salinidade ou ADVERTÊNCIA: os excrementos
quais a água pode empoçar-se com
em estradas rurais, onde é comum ha- de pássaros devem ser lavados ime-
mais facilidade.
ver estrume de animal, orientamos lavar diatamente e com cuidado, pois sua
o veículo com mais frequência. Aconselha-se não guardar logo o ve-
acidez é bastante agressiva.
ículo em ambiente fechado, mas deixá-
-lo ao ar livre para favorecer a evapo- Para proteger melhor a pintura, acon-
Os detergentes poluem as ração da água.
águas. Por isso, a lavagem selhamos encerar periodicamente, a ce-
do veículo deve ser efetuada Não lavar o veículo depois de ter fi- ra deixa uma camada protetora sobre
cado parado sob o sol ou com o capô a mesma.
D-26
Vidros - não utilize substâncias cáusticas, Eletroventilador do radiador
Para a limpeza dos vidros, usar deter- produtos ácidos ou derivados de A utilização do veículo em vias la-
gentes específicos. Usar panos bem lim- petróleo; macentas pode ocasionar o acúmulo de
pos para não riscar os vidros ou alterar barro no eletroventilador, provocando
a transparência dos mesmos. - evite jatos d’água diretamente vibrações e ruídos anormais e, em si-
sobre os componentes eletroeletrô- tuações extremas, o travamento do sis-
nicos e seus chicotes; tema. A inspeção e limpeza do eletro-
ADVERTÊNCIA: para não prejudi-
car as resistências elétricas presen- ventilador do radiador é uma operação
tes na superfície interna do vidro - proteja com plásticos o alter- necessária em veículos que trafegam
traseiro, esfregar delicadamente nador, a central da ignição/injeção em tais condições.
seguindo o sentido das próprias eletrônica, a bateria, a bobina e, se
resistências. existente, a central do sistema ABS; A limpeza do eletroven-
tilador do radiador deve
Evite aplicar decalques ou outros - proteja também com plástico o ser feita respeitando as dis-
adesivos nos vidros, visto que os mes- reservatório do fluido de freio, para posições estabelecidas no tópico
mos podem desviar a atenção e reduzir evitar a sua contaminação. “Vão do motor”. Particularmente,
o campo de visão. o emprego inadequado de jatos
Após a lavagem, não pulverize d’água pode ocasionar danos nas
Vão do motor nenhum tipo de fluido (óleo die- colmeias do radiador e no motor
A lavagem do compartimento do sel, querosene, óleo de mamona, elétrico do eletroventilador. D
motor é um procedimento que deve ser etc.) sobre o motor e componentes,
evitado. Porém, quando isto se tornar sob pena de danificá-los, causando,
inclusive, a retenção de poeira. Pneus
necessário, observar as recomendações
a seguir: Após uma lavagem geral do veículo
ADVERTÊNCIA: a lavagem deve aconselha-se esfregar uma escova de
ADVERTÊNCIA: ao lavar o motor, ser efetuada com motor frio e chave cerdas macias com uma solução de
tome os seguintes cuidados: de ignição em STOP. Depois da água e shampoo neutro.
lavagem, verificar se as diversas
proteções (ex.: tampas de borra-
- não o lave quando estiver ainda cha e outras proteções) não foram
quente; removidas ou danificadas.

D-27
INTERIOR DO O assento deve ser varrido da parte
mais próxima do encosto para a frente
PARTES DE PLÁSTICO INTERNAS

VEÍCULO do banco. Após o uso da escova seca Usar produtos específicos, estudados
para não alterar o aspecto dos compo-
deve-se repetir a operação com a esco-
Periodicamente, verificar se não há va levemente umedecida. nentes.
água parada debaixo dos tapetes (devi-
Em seguida, deixar que seque com- TAPETES E PARTES DE BORRACHA
do a sapatos molhados, guarda-chuvas,
pletamente para sua utilização. (exceto vão do motor)
etc.) que poderiam proporcionar o sur-
gimento de focos de corrosão.
Limpeza dos bancos com revesti- Recomenda-se usar produtos de efi-
mento parcial em couro ciência comprovada. Misturas caseiras
LIMPEZA DOS BANCOS E DAS de álcool + glicerina produzem brilho
(algumas versões)
PARTES DE TECIDO exagerado, além de agredir a borracha
Retirar a sujeira seca com uma flanela
- Retirar o pó com uma escova macia úmida, sem exercer muita pressão. dos pneus.
ou com um aspirador de pó.
Retirar as manchas de líquidos e gra-
- Esfregar os bancos com uma espon- xa com um pano macio absorvente, ADVERTÊNCIA: não utilizar álco-
ja umedecida com uma mistura de água sem esparramar. Em seguida passar uma ol ou benzina para a limpeza do
e detergente neutro. flanela umedecida em uma solução de visor do quadro de instrumentos.
água e sabão neutro.
Limpeza dos bancos em veludo Se a mancha persistir, usar produtos
(algumas versões) Não deixar frascos de
específicos, prestando atenção nas ins- aerossol no veículo, pois
Para limpeza do veludo, use aspira- truções de uso. há perigo de explosão. Os
dor de pó, uma escova de cerdas ma- Nunca usar álcool ou produtos à base frascos de aerossol não devem ser
cias e água. Não use sabão ou detergen- de álcool. expostos a uma temperatura supe-
tes, pois os mesmos podem manchar o
rior a 50°C. Dentro do veículo
veludo.
exposto ao sol, a temperatura pode
Após aspirar deve-se proceder a lim- ultrapassar em muito este valor.
peza do encosto varrendo de cima para
baixo com escova seca.

D-28
CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
Os aficionados de motores e de mecânica provavelmente DADOS PARA A IDENTIFICAÇÃO . . . . . . . . . . . . E-1
vão começar a ler o manual a partir desta parte. Efetivamente, CÓDIGO DOS MOTORES
inicia uma seção cheia de dados, números, medidas e tabelas.
- VERSÕES DE CARROCERIA . . . . . . . . . . . . . . . . . E-1
Trata-se, de uma certa forma, da carteira de identidade de
seu veículo. Um documento de apresentação que mostra, em MOTOR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-2
linguagem técnica, todas as características que fazem dele um TRANSMISSÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-3
modelo criado para proporcionar-lhe a máxima satisfação.
FREIOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-3
SUSPENSÕES . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-3
DIREÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-4
RODAS E PNEUS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-4
PRESSÃO DOS PNEUS. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-5
ALINHAMENTO DAS RODAS . . . . . . . . . . . . . . . . E-6
SISTEMA ELÉTRICO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-7
DESEMPENHO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-8
DIMENSÕES. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-9
PESOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-10
ABASTECIMENTOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-11
CARACTERÍSTICAS DOS LUBRIFICANTES E DOS
E
LÍQUIDOS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . E-13

E
DADOS PARA A E - Gravação por etiqueta sobre a CÓDIGO DOS
coluna de fixação da porta dianteira.
IDENTIFICAÇÃO MOTORES -
Estão indicados nos seguintes pontos
TIPO E NÚMERO DO MOTOR VERSÕES DE
fig. 1. F - Gravação no bloco do motor. CARROCERIA
TIPO E NÚMERO DO CHASSI ANO DE FABRICAÇÃO
A - Gravação direta no assoalho, na G - Gravação por etiqueta sobre a Código do Versão de
soleira interna da porta sob a guarnição. coluna de fixação da porta dianteira. motor carroceria
B - Gravação por plaqueta através do
para-brisa no canto esquerdo. ETIQUETA ADESIVA DE Freemont
IDENTIFICAÇÃO DO FABRICANTE B JFDH49/23C
Emotion
SEÇÃO DE IDENTIFICAÇÃO DO - fig. 2
VEÍCULO (VIS) A etiqueta adesiva está localizada sob Freemont B JFDP49/23D
o capô do motor, na travessa frontal do Precision
C - Gravação por etiqueta sobre o
para-lama dianteiro direito. veículo.
D - Gravação no para-brisa, no vidro
traseiro e nos vidros das portas.
FR163BR

F0S96BR
C E A D
G D FABRICANTE: CHRYSLER do MEXICO E
Toluca Car Assembly Plant - Toluca, México
F IMPORTADOR: FIAT AUTOMÓVEIS S/A
Avenida do Contorno 3455, bairro Paulo Camilo
CEP 32.669.900 - Betim - MG - Brasil
B D CNPJ - 16.701.716/0001-56

D D

fig. 1 fig. 2
E-1
MOTOR ALIMENTAÇÃO/IGNIÇÃO

DADOS GERAIS
Modificações ou conser-
Código do tipo B tos no sistema de alimenta-
Ciclo Otto ção, efetuados de maneira
incorreta e sem ter em conta as
Combustível Gasolina
características técnicas do sistema,
Número de cilindros 4 podem causar anomalias de funcio-
Número de válvulas por cilindro 4 namento com riscos de incêndio.
Diâmetro x curso mm 88 x 97
Motor
Cilindrada total cm3 2360
Ignição:
Taxa de compressão 10.5:1
Eletrônica digital incorporada ao sis-
Potência máxima tema de injeção.
ABNT cv/kW 172,0/126,6
regime correspondente rpm 6000 Injeção:
Torque máximo ABNT kgm/Nm 22,4/220,0 Tipo: multiponto, sequencial.
regime correspondente rpm 4500 Filtro de ar: a seco, tipo caixa.
Bomba de combustível: elétrica.
Regime de marcha lenta rpm 600 ± 50

DISTRIBUIÇÃO
10,3º
LUBRIFICAÇÃO
Admissão: início antes do PMS
Forçada, através de bomba de en-
fim depois do PMI 49,3º
grenagens com válvula limitadora de
Escapamento: início antes do PMI 45º pressão incorporada.
fim depois do PMS 8,45º
Teor de CO em marcha lenta < 0,3 %
ARREFECIMENTO
Acionamento da distribuição por corrente Sistema de arrefecimento com radia-
dor, bomba centrífuga e reservatório de
expansão.
E-2
TRANSMISSÃO FREIOS SUSPENSÕES
Hidráulicos, com comando a pedal
CAIXA DE MUDANÇAS E e ABS. Dianteira
DIFERENCIAL De rodas independentes, tipo
Caixa de mudanças automática, com Dianteiros McPherson com braços oscilantes in-
4 velocidades a frente e 1 à ré. As rela- A disco ventilado com pinça flutu- feriores transversais com barra estabi-
ções de transmissão são: ante. lizadora e amortecedores telescópicos
de duplo efeito.
Freemont Traseiros
Traseiro
Em 1ª marcha 2,842 A disco sólido com pinça flutuante.
Multi-link independente com mo-
Em 2ª marcha 1,570 FREIO DE MÃO las helicoidais, barra estabilizadora e
amortecedores hidráulicos de duplo
Em 3ª marcha 1,000 Comandado por pedal e atuante nas efeito.
rodas traseiras com compensação de
Em 4ª marcha 0,690
desgaste.
Em marcha ré 2,210

Grupo cilíndrico de redução e grupo


diferencial incorporados à caixa de ve-
locidades. As relações são:

E
Freemont
Relação de
redução do 4,280
diferencial

E-3
DIREÇÃO RODAS E PNEUS
Hidráulica, com pinhão e cremalhei-
ra, articulada e com juntas universais. Freemont Emotion Freemont Precision
Rodas 16 x 6,5” em liga-leve 17 x 6,5” em liga-leve
Pneus 225/65R16 225/65R17

Roda sobressalente de emergência em chapa de aço estampado e dimensões


compactas.

E-4
PRESSÃO DOS PNEUS

PRESSÃO DE CALIBRAGEM DOS PNEUS FRIOS (kgf/cm2 - lbf/pol2)


A pressão indicada é válida somente para os “pneus frios”. Deve-se calibrá-los somente desta maneira sobretudo antes
de longas viagens.

Freemont Emotion Freemont Precision


Com carga média
- dianteiro: 36 (2,5) 36 (2,5)
- traseiro: 36 (2,5) 36 (2,5)

Com carga completa


- dianteiro: 36 (2,5) 36 (2,5)
- traseiro: 36 (2,5) 36 (2,5)

Roda sobressalente 36 (2,5) 36 (2,5)

Obs.: a primeira especificação é em lbf/pol2 e a segunda, entre parênteses, é em kgf/cm2.

E-5
ALINHAMENTO DAS RODAS

RODAS DIANTEIRAS

Freemont
Câmber (*) -8’ ± 33’
Cáster (*) 3º ± 1º
Convergência (*) 0,70 ± 2,5 mm

RODAS TRASEIRAS

Freemont
Câmber (*) -24’ ± 39’
Convergência (*) 0 ± 2,0 mm

(*) Valores de referência para veículo em ordem de marcha

E-6
SISTEMA ELÉTRICO
Tensão de alimentação: 12 volts.

BATERIA

Capacidades

Freemont
60 Ah / 450 A EN
ou
Moura 60 Ah / 450 A EN (MI 60 GE)

ALTERNADOR

Freemont
Corrente nominal máxima fornecida 160 A / 14 V

MOTOR DE PARTIDA

Freemont E
Potência fornecida 1,2 kW

Modificações ou consertos no sistema elétrico, efetuados de maneira incorreta e sem ter em conta as
características técnicas do sistema, podem causar anomalias de funcionamento com riscos de incêndio.

E-7
DESEMPENHO
Velocidades máximas admissíveis, com média carga e estrada plana (km/h).

Freemont
1ª marcha 63,0
2ª marcha 114,0
3ª marcha 179,0
4ª marcha (*) 190,0
Marcha a ré 80,0

(*) Valores indicativos.

Rampa máxima superável com plana carga (valores de referência calculados).

Freemont
%* 37,0

Obs.: os valores obtidos são de veículos base e os valores podem variar para menos 5%, dependendo dos opcio-
nais do veículo.

E-8
DIMENSÕES

FR107BR
(em mm - veículo vazio)

A B C F
D
H

G
fig. 3

E
A B C D E (*) F G H

989,0 2890,0 1009,0 4888,0 1750,0 1571,0 1582,0 2127,0

(*) Com bagageiro de teto.


E-9
PESOS

Pesos (kg) Freemont Emotion Freemont Precision


Peso do veículo em ordem de marcha (com
abastecimentos, roda de reserva, ferramentas 1755,0 1809,0
e acessórios):
Capacidade útil incluindo o motorista: 625,0 571,0

Cargas máximas admitidas (*):


- eixo dianteiro 1165,0 1078,0
- eixo traseiro 1215,0 1302,0

Cargas rebocáveis:
454,0 454,0
- reboque sem freio
Carga máxima sobre o bagageiro do teto 68 68

(*) Cargas que não devem ser superadas. É de responsabilidade do usuário, a colocação das bagagens no porta-malas e/
ou sobre a superfície de carga, respeitando as cargas máximas admitidas.

E-10
ABASTECIMENTOS
Freemont Produtos
litros kg homologados (*)
Tanque de combustível: Gasolina tipo C com teor de álcool etílico
77,6 -
Incluída uma reserva aproximada de: anidro conforme legislação vigente
Sistema de arrefecimento do motor: Fluido de arrefecimento norma
11,0 -
- com aquecedor e ar-condicionado CHRYSLER MS-9769

Cárter do motor e filtro: 4,25 3,74 SELÈNIA K POWER 5W-30 (**)

Caixa de mudanças automática/diferencial: 8,7* - TUTELA TRANSMISSION FORCE 4

Direção hidráulica: 1,2 - TUTELA TRANSMISSION FORCE 4

Juntas homocinéticas lado roda: - 0,125 TUTELA ALL STAR

Juntas homocinéticas lado diferencial: - 0,125 TUTELA STAR 700

Freios hidráulicos com ABS: 0,43 - TUTELA TOP 3/S E


Reservatório do líquido dos lavadores do
6,0 - TUTELA PROFESSIONAL SC 35
para-brisa, faróis e do vidro traseiro:

* Para substituição do óleo em revisões: 3,8 L.


** Atenção! Recomenda-se a utilização do óleo de motor o 5W-30, e excepcionalmente, é aceitável o 5W-20, utilizado no mercado dos Estados Unidos.

E-11
NOTAS SOBRE O USO DOS COMBUSTÍVEIS ADVERTÊNCIA: o uso de combus-
PRODUTOS tíveis diferentes dos especificados
Os motores, presentes em algumas poderá comprometer o desempe-
versões, foram projetados para utilizar nho do veículo, bem como causar
ÓLEO gasolina do tipo “C” com teor de álcool danos aos componentes do sistema
Não completar o nível com óleos de etílico anidro, conforme legislação vi- de alimentação, e do próprio motor,
características diferentes das do óleo já gente (PROGRAMA DE CONTROLE DE que não são cobertos pela garantia.
existente. POLUIÇÃO DO AR PARA VEÍCULOS
AUTOMOTORES e ANP).
ADVERTÊNCIA: o consumo do
óleo do motor depende do modo
de dirigir e das condições de uso
do veículo.

E-12
CARACTERÍSTICAS DOS LUBRIFICANTES E DOS LÍQUIDOS
PRODUTOS UTILIZADOS E SUAS CARACTERÍSTICAS

Características qualitativas dos lubrificantes e fluidos para


Tipo Aplicação
um correto funcionamento do veículo (*)
Lubrificantes para motores
Lubrificante sintético de viscosidade SAE 5W-30 Cárter do motor
a gasolina
STAR 700. Graxa específica para juntas homocinéticas com
Graxa para juntas homociné-
baixo coeficiente de atrito. Consistência NLGL 0-1.
Lubrificantes e graxas ticas lado diferencial
Qualificação FIAT 9.55580
para a transmissão do
movimento TUTELA ALL STAR. Graxa com bissulfeto de molibdênio
Graxa para juntas
para utilização em elevadas temperaturas. Consistência
homocinéticas lado roda
NLGL 1-2. Qualificação FIAT 9.55580
Lubrificantes para direção Lubrificante sintético TUTELA TRANSMISSION FORCE 4.
Direção hidráulica
hidráulica Qualificação FIAT 9.55550-AV4
Fluidos para freios
Fluido sintético, classe DOT 3 SAE J 1703 Freios hidráulicos
hidráulicos
Fluido de arrefecimento norma CHRYSLER MS-9769.
Protetor e anticongelante
Protetivo com ações anticongelante e refrigerante à base de
para sistema de Sistema de arrefecimento
monoetilenoglicol com formulação orgânica híbrida.
arrefecimento
Qualificação FIAT 9.55523
Fluido para transmissões Lubrificante sintético TUTELA TRANSMISSION FORCE 4. Caixa de mudanças E
automáticas Qualificação FIAT 9.55550-AV4 automática
TUTELA PROFESSIONAL SC 35. Aditivo especial para
Aditivo para limpeza de
limpeza de para-brisas. CUNA 956-11. Para-brisa
para-brisa
Qualificação FIAT 9.55522
(*) O uso de produtos que não atendam às especificações informadas poderá causar danos e/ou prejudicar o funcionamento
do veículo.
E-13
ÍNDICE ALFABÉTICO Alimentação/ignição.................... E-2 Bateria ...................................... D-12
Alinhamento das rodas ................ E-6 Bateria ......................................... E-7
Alternador ................................... E-7 Bem-vindo a bordo ........................ 2
Abastecimento de combustível .A-99 Ano de fabricação ....................... E-1 Bolso para mapas e mesinha para
Abastecimentos ......................... E-11 segunda fileira .........................A-56
Apoia-cabeças ...........................A-20
Abertura teto solar Botões do EVIC no volante ........A-71
Apoio de braço deslizante .........A-55
- Modo manual .......................A-49
Apoio lombar elétrico ...............A-18
Abrir e fechar o capô ................A-37
Ar-condicionado ...................... D-25
ABS .........................................A-102
Área superior do display ...........A-77
Caixa de mudanças e diferencial ..E-3
Acessórios comprados
Câmbio automático ..................... B-3
pelo cliente ............................. B-17 Armazenamento de férias ..........A-88
Airbag Armazenamento para óculos .....A-48 Capô .........................................A-37
- Descrição e funcionamento ..A-32 Características do espaço
Arrefecimento.............................. E-2
- Lado do passageiro ...............A-33 de carga ..................................A-57
Assento de elevação integrado
- Laterais de proteção da para crianças ...........................A-30 Características dos lubrificantes
cabeça ....................................A-35 e dos líquidos.......................... E-13
Auxílio para troca de faixas .......A-41
- Laterais .................................A-33 Características técnicas ...................E

Ajuste do reclinador ........ A-17, A-23 Carroceria ................................ D-25


Ajustes manuais do banco
Bagageiro de teto ...................A-101 Centrais eletrônicas .................. D-13
dianteiro..................................A-17 Baixa iluminação interna...........A-42 Central eletrônica de
Alarme eletrônico ........................A-6 Banco do motorista elétrico ......A-17 informações do veículo ...........A-71
Alavanca multifuncional ...........A-40 Bancos aquecidos .....................A-18 Chave ..........................................A-3
Alerta de luzes ligadas ..............A-39 Bancos ......................................A-17 Chaves para substituição .............A-5
F
F-1
Chaves ........................................A-3 Conhecimento do veículo .............. A Controles frequentes e antes de
viagens longas ......................... B-16
Cintos de segurança - 3ª fileira ..A-27 Conselhos para uma boa
conservação da carroceria ..... D-25 Corretor de frenagem
Cintos de segurança ..................A-25 eletrônico EBD ......................A-102
- Advertências gerais ...............A-27 Conselhos úteis para prolongar
a vida da bateria .................... D-12 Cruise control............................A-46
- Como manter sempre
eficientes .................................A-29 Considerações gerais ................. B-14

- Regulagem em altura ............A-26 Considerações importantes ............. 4 Dados para identificação ........... E-1
- Traseiros ...............................A-26 Console de teto .........................A-48 Desativação de proteção contra
- Luzes de cortesia e leitura.....A-48 esmagamento ..........................A-50
- Utilização .............................A-25
Desdobrar o banco....................A-23
Climatização .............................A-78 - Luzes de cortesia traseiras.....A-48
Desdobrar o encosto .................A-25
Climatizador manual .................A-78 Conta-giros ................................A-64
Desembaçadores dos vidros
Cllimatizador automático ..........A-81 Contenção dos gastos de utilização laterais ....................................A-88
e da poluição ambiental.......... B-14
- Reativação do modo auto .....A-85 Desempenho ............................... E-8
Controle automático de
Cobertura retrátil do Desligar o motor ......................... B-2
compartimento de carga .........A-59 temperatura .............................A-85
Controle de balanço do Destravamento automático de
Códigos dos motores e portas na saída ..........................A-9
identificação da carroceria ........ E-1 atrelado .................................A-108
Controle de intensidade das Diferencial .................................. E-3
Coluna de direção com regulagem
de inclinação/telescópica ........A-45 luzes internas ..........................A-41 Dimensões .................................. E-9
Comandos .................................A-60 Controle do limpador dianteiro .A-42 Direção ....................................... E-4
Combustíveis ............................. E-12 Controle eletrônico de Dirigir com economia e
estabilidade ...........................A-106 respeitando o meio ambiente .. B-11
Como aquecer um motor depois
da partida .................................. B-3 Controle eletrônico do câmbio .... B-4 Dirigir com segurança ................. B-8
F-2
- Antes de sair do veículo.......... B-8 Espelho com escurecimento Filtro de combustível .................. D-6
automático ..............................A-15
- Dirigir à noite ......................... B-9 Freio de estacionamento ............. B-7
Espelho para observação interna..A-48
- Dirigir com chuva ................. B-10 Freio de mão ............................... E-3
Espelho retrovisor elétrico .........A-15
- Dirigir em montanha............. B-11 Freios .......................................... E-3
- Dirigir na neblina.................. B-10 Espelho retrovisor interno Função autostick ......................... B-6
dia/noite ..................................A-14
- Em viagem .............................. B-9 Função de proteção contra
Espelhos retrovisores externos ...A-15 esmagamento ..........................A-49
Dispositivo para reboque .......... B-17
Espelhos retrovisores .................A-14 Função Keyless Entry’N’GO ........A-3
Distância até esvaziar................A-76
Estacionamento ........................... B-7 Função névoa............................A-44
Divisão 60/40 da segunda fileira de
bancos de passageiros .............A-22 Etiqueta adesiva de identificação Funções do botão liga-desliga do
do fabricante ............................. E-1 motor ........................................ B-2
Dobrar o banco .........................A-22
Extintor de incêndios .........C-18, D-6 Funções do vidro traseiro ..........A-44
Dobrar o encosto ......................A-25
Fusíveis da tomada de corrente .A-53
Durabilidade dos pneus ........... D-21
Faróis ligados com limpadores .A-39 Fusíveis internos ....................... D-14
Fusíveis sob o capô .................. D-15
Fechamento do teto solar
Economia de combustível ........A-75 - Modo manual .......................A-49
- Modo ECO............................A-75 Fechamento expresso do
Em emergência ............................... C teto solar .................................A-49 Gancho de reboque...................C-9
Embaçamento dos vidros...........A-88 Filtro antipolen e carvão ativado..D-11
Entrada do ar externo ................A-88 Filtro de ar - Advertências .......... D-5 Iluminação do acesso .................A-7
Entry-N-GO ................................. B-1 Filtro de ar do ar-condicionado .A-88 Informações do percurso ...........A-76
Esguichos ................................. D-24 Filtro de ar................................ D-11 Informações do veículo .............A-77
F
F-3
Informações sobre pneus novos . D-18 Limpando um motor afogado ...... B-2 Luzes indicadoras de direção ....A-40
Instalação do gancho de reboque Limpeza dos bancos e partes Luzes internas ...........................A-41
para atrelados.......................... B-17 de tecido ................................ D-28
- Controle de intensidade ........A-41
Instruções para elevação do Líquido do sistema de
macaco .....................................C-5 arrefecimento do motor............ D-9 Luzes vermelhas de informação
do EVIC ...................................A-73
Instrumentos de bordo...............A-64 Líquido dos freios ....................... D-8
Luzes .........................................A-38
Interior do veículo .................... D-28 Líquido dos lavadores de para-brisa,
faróis e do vidro traseiro .......... D-9 Luzes-espia e sinalizações .........A-65
Interruptor de faróis
altos/baixos .............................A-41 Localização do macaco...............C-3 - Advertências .........................A-65
Interruptor dos faróis .................A-38 - Avaria no sistema de
Localização do pneu estepe ........C-4
controle do motor ...................A-66
Longa inatividade do veículo .... B-16
- Controle eletrônico de
Lâmpada repetidora lateral.......C-16 Lubrificação ................................ E-2 estabilidade .............................A-66
Lâmpada traseira para neblina ..C-15 Luz âmbar de informação - Indicador da tampa de
do EVIC ...................................A-73 combustível.............................A-70
Lâmpadas ..................................C-14
Lavadores de faróis....................A-44 Luz de emergência ......................C-1 - Indicador de direção direita ..A-67
Lavadores de para-brisa.............A-43 Luz de freio antitravamento - Indicador de direção esquerda . A-67
ABS .......................................A-105
Limpador dianteiro - Indicador de farol alto ..........A-67
- Controle ................................A-42 Luz de teto ................................A-42
- Indicadores de luzes de
Limpador/lavador do vidro Luzes brancas de informação neblina ....................................A-67
traseiro ....................................A-44 do EVIC ...................................A-72
- Luz de alerta do airbag .........A-65
Limpadores de para-brisa e Luzes de neblina dianteiras
vidro traseiro .......................... D-23 e traseiras ................................A-40 - Luz de alerta dos freios .........A-69
Limpadores de para-brisa ..........A-42 Luzes de percurso à luz do dia..A-39 - Luz de segurança do veículo..A-70
F-4
- Luz do freio antibloqueio Motor de partida ......................... E-7 Operação de verão do
do ABS ....................................A-70 climatizador ............................A-87
Motor .......................................... E-2
- Luz lembrete do cinto de Operador do limpador de
Mover segunda fileira de banco
segurança ................................A-69 para-brisa ................................A-43
de passageiros para frente .......A-24
- Monitoramento de pressão Os símbolos para uma direção
Movimentação de emergência
de pneus .................................A-67 da alavanca de mudanças .......C-12 correta.......................................... 3
Luz-espia de ativação do ESC..A-107 Outros conselhos ...................... B-12
Luz-espia de avaria do sistema de
diagnose.................................. B-13 Necessária a troca de óleo ......A-75
Notas sobre o uso de produtos .. E-12 Painel de instrumentos ............A-62
Palhetas dos limpadores ........... D-23
Manutenção do teto solar .......A-51
Manutenção do veículo..................D Observações gerais sobre Para desdobrar o encosto ..........A-25
reboques ................................. B-18 Para desligar o motor .................. B-2
Manutenção programada ........... D-1
Óleo do motor ........................... D-7 Para dobrar o encosto ...............A-25
Medidor de combustível............A-64
Óleo para transmissão Para evitar danos - Pneus ......... D-21
Medidor na temperatura de automática ............................. D-10
arrefecimento ..........................A-64 Partes de plásticos internas ....... D-28
Óleo .......................................... E-12
Meio ambiente ......................... D-23 Partida do motor ......................... B-1
Operação com a ignição
Mitigagem eletrônica da desligada .................................A-51 Partida normal............................. B-1
rolagem .................................A-106
Operação da persiana ...............A-50 Partida por bateria auxiliar ..........C-8
Modo de dirigir ......................... B-15
Operação de inverno do Pesos ......................................... E-10
Modo Parade climatizador ............................A-87
- Função brilho de luz do dia..A-42 Piloto automático ......................A-46
Operação de rádio e telefones F
Modos de operação do ESC ....A-107 celulares..................................A-77 - Acelerar para ultrapassagem .A-47
F-5
- Em vias inclinadas ................A-47 Porta-malas ...............................A-13 Quadro de instrumentos ..........A-63
- Para ativar.............................A-46 Porta-objetos internos ao assoalho
com revestimento removível ...A-57
- Para desativar .......................A-46
- Para recuperar a velocidade .A-46
Porta-objetos temporário dos Rajadas de vento .....................A-51
bancos de passageiros da
- Para selecionar uma velocidade segunda fileira .........................A-56 Reajuste de modo de marcha ...... B-5
desejada ..................................A-46 Reboque de um veículo
Posições de marcha..................... B-4
- Para variar a velocidade quebrado.................................C-11
selecionada .............................A-47 Pré-tensionadores ......................A-31
- Câmbio automático ..............C-11
Piscar para ultrapassagens .........A-41 Prendedores de carga ................A-58
- Sem a chave de ignição ........C-11
Plano de manutenção Preparações para uso do
Recipiente do console central ...A-55
programada .............................. D-2 macaco .....................................C-4
Recipiente do console do
Pneus Pressão de calibragem dos
assoalho ..................................A-55
- Alinhamento da direção....... D-22 pneus frios................................. E-5
Recipientes ................................A-55
- Balanceamento das rodas .... D-22 Pressão dos pneus .................... D-20
Remoção do pneu estepe ............C-4
- Durabilidade ........................ D-21 Pressão dos pneus ....................... E-5
Rodas e pneus ................... D-18, E-4
- Para evitar danos ................. D-21 Produtos utilizados e suas
características.......................... E-13
- Porcas das rodas .................. D-22
Programação das travas de porta
- Rodízio das rodas ................ D-22 automáticas ...............................A-9
Se apagar uma luz interna .......C-12
Porcas de roda ............................C-8 Se o motor estiver funcionando .C-12
Proteção contra agentes
Porta - objetos flip N”stow do banco atmosféricos ........................... D-25 Se o motor superaquecer .............C-1
passageiro dianteiro ................A-56
Proteção do meio ambiente ....A-112 Seção de identificação do
Porta-copos ...............................A-54 veículo ...................................... E-1
Proteção dos dispositivos que
Porta-luvas ................................A-55 reduzem as emissões............... B-11 Sentry Key ...................................A-4
F-6
Serviços adicionais ..................... D-4 Sistema de monitoramento de - Doors e locks ........................A-94
pressão dos pneus informações
Seta traseira e lâmpada da ré ....C-16 gerais ....................................A-111 - Engine off options .................A-96
Simbologia ..................................... 5 Sistema de monitoramento de - Luzes ....................................A-93
- Símbolos de advertência ............ 6 pressão dos pneus .................A-109 - Para configurar a variação
Sistema de nivelamento da bússola ...............................A-98
- Símbolos de obrigação............... 6
dos faróis.................................A-47 - Telefone Bluetooth................A-98
- Símbolos de perigo .................... 5
Sistema de trava de freio/câmbio. B-4 - Visor bússola/temperatura .....A-98
- Símbolos de proibição ............... 5
Sistema de travas de porta para Substituição de fusíveis ............ D-13
Sistema de acesso remoto sem proteção de crianças
chave ........................................A-1 - Porta traseira ...........................A-9 Substituição de lâmpadas ..........C-14
Sistema de apoia-cabeças ativo .A-21 Sistema elétrico ........................... E-7 Substituição do filtro de ar ....... D-11
Sistema de assistência à Sistema eletrônico de controle Substituições fora do plano ........ D-4
frenagem ...............................A-105 de frenagem ..........................A-103
- A cada dois anos ................... D-4
Sistema de controle de tração .A-105 Sistema OBD ............................. B-13
- Continuidade da manutenção D-4
Sistema de gerenciamento Sistema temporizador do
de carga ..................................A-57 limpador .................................A-42 Superaquecimento do motor .......C-1

Sistema de monitoramento da Sistema trailer Sway Control ...... B-19 Suspensões .................................. E-3
pressão dos pneus ...................A-77
Sistema U-connect touch ..........A-89
- Alertas.................................A-111
- Aviso de verificação............A-111
- Audio ....................................A-97 Tapetes e partes de borracha ... D-28
- Calibração manual da bússolaA-98
Tempo de cortesia dos faróis .....A-39
- Sistema básico ....................A-110
- Clock - relógio ......................A-91
Temporizador do limpador........A-42
Sistema de monitoramento de
- Configurações da bússola .....A-96
pressão dos pneus desativação Teto solar com ventilação
e ativação do TPMS ..............A-111 - Display .................................A-90 expressa ..................................A-50
F
F-7
Teto solar elétrico......................A-49 Travas de porta............................A-8
- Abertura expressa .................A-49 Travas elétricas de porta ..............A-8
- Modo manual .......................A-49 Tubulações de borracha ........... D-23
Tipe “N-LIDE” (banco de fácil
entrada/saída)
- Sete passageiros ....................A-23 Uso correto do veículo ................. B
Tipo e número do chassi ............. E-1 Utilização do gancho de reboque
Tipo e número do motor ............. E-1 dianteiro..................................C-10
Utilização do gancho de reboque
Tomada de corrente 12 V
traseiro ....................................C-10
do banco traseiro ....................A-52
Utilização do macaco e troca de
Tomada de corrente 12 V..........A-51
pneus ........................................C-2
Tomada de corrente 12 V
no console ..............................A-52
Tomadas de corrente elétrica ....A-51 Velas ...................................... D-18
Transmissão................................. E-3 Velocidade do veículo ..............A-76
Transmissores de rádio e Velocímetro...............................A-64
telefones celulares ................... B-17
Verificação dos níveis ................ D-7
Transporte de crianças em
Vidros elétricos .........................A-11
segurança ................................A-29
Vidros........................................A-11
Trava da tampa de
combustível...........................A-100 Window bag .............................A-35
Travas de porta automáticas ........A-9
Travas de porta manuais .............A-8
F-8
NOTAS

F
F-9
NOTAS

F-10
NOTAS

F
F-11
Em caso de troca de propriedade do veículo é indispensável que o novo proprietário tenha conhecimento das
modalidades de utilização e das advertências descritas nesta publicação, e que lhe seja entregue o presente manual
de uso e manutenção.

Se você deseja entrar em contato conosco, de qualquer parte do Brasil, ligue ou mande um fax para:

CENTRAL L’UNICO
Fone: DDG (0800) 725 - 4632

FIAT Automóveis S.A.


Assistência Técnica
Avenida Contorno, 3455
Bairro Paulo Camilo - Betim - MG - CEP 32669-900
Internet: http://www.fiat.com.br

Produzido pela Ark Br

Este veículo está em conformidade com o PROCONVE - Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores.