Você está na página 1de 40

Semanário Regional de Informação Director: João Campos www.jornalnordeste.

com
n.º 724. 21 de Setembro de 2010. 0,75 euros

DESTAQUE

Dia da Língua
Mirandesa

MUNDO

Brigantinos
escaparam à tragédia
em Marrocos

MIRANDELA Alta Velocidade


a 4 km da Puebla
Governo espanhol já escolheu
o local para a estação do AVE.
Pais de Gonçalo Fica em Otero, num terreno onde
aplaudem condenação actualmente existe uma exploração
de obstetra de ovelhas.
entrevista

TOP Model: beleza & saber


R: Ou uma grande 3.º Que a ganância fosse um
DADOS PESSOAIS alegria ou uma grande sen­timento apagado dos corações
decepção. dos homens, que ninguém soubesse
Nomeada: Andreia Teles sequer que sentimento era esse.
Ocupação: Estudante 8 @ Que música
e terapeuta ayurvédica; manequim é que fazes questão
Nascimento: 18-01-1982 que te acompanhe,
Origem: V.N. de Gaia seja em casa ou no Preferências
Signo: Capricórnio carro? E à noite,
Nacionalidade: Portuguesa Livro: Um dos muitos preferidos
para sair? «Um curso em milagres»
Estado Civil: Solteira R: Em casa e no
Idiomas: Inglês e francês Filme: A Vida é Bela;
carro, desde clássica, Era uma Vez na América…
Desportos: Yoga a reggae, rock, fado,
Hobbies: Ler, yoga, caminhadas Actor: Kevin spacey;
bossa nova e por Robert de Niro
em serras aí fora… Na noite,
Cor de Olhos: verdes Actriz: Kate Winslet
gosto de música Música: Adoro todos os géneros.
Cor do Cabelo: loiro electrónica.
Altura: 1,78 Gosto muito da “clair de lune”
Peso: 56kg porque é intemporal
9 @ O que é Estilista: Nuno Baltazar;
que consideras ser Jonh Galliano, entre outros.
inaceitável num Modelo masculino:
ser humano? Rodrigo Santoro
BRUNO MATEUS FILENA
R: Ingratidão, Modelo feminino:
cobardia e injustiça. Gisele bundchen
1 @ Para além de modelo e
Egocentrismo, na Pintor: Miguel Ângelo
de teres sido apresentadora do
verdade. Cor: Arco-íris
programa na TVI “Sempre a so­
mar”, integras ou participas em Marca veículo: Alfa-Romeo;
10 @ Se Jaguar
mais algum projecto?
pudesses realizar Maior defeito: Teimosa
R: O programa foi uma excelente
uma viagem de Maior virtude: Amiga
experiência, aprendi muito com ele,
sonho, que destino Comida predilecta: Caril (toda
mas é passado! Neste momento estou
desconhecido a comida indiana)
envolvida num projecto pessoal, que
escolherias? Uma citação: “Para alguém ga-
está a dar os primeiros passos. Trata-
R: Birmânia, nhar, ninguém tem que perder”
se de trazer os castings de anúncios
Go­rongoza (Mo­çam­ Rádio preferida: Os meus CDs
de TV para o Norte do país, já que,
bi­que(, interior da
actualmente, só existem em Lisboa!
Ín­dia e Tibete. Pelo
E, também, dou aulas de passerelle
z Andreia Teles desfila sensualidade seu lado ainda muito
para algumas escolas de manequins!
ligado a mãe Terra e
truir uma personagem cómica. Ago­ por serem culturas tão diferentes, tão Medidas:
2 @ É essa a tua maior prio­
ra, se tivesse de escolher, seria a distintas da nossa.
ridade? A curto prazo… Confecção: M
R: Sim! A empresa de casting no re­­presentação. Na moda, já evoluí e
saboreei de tudo… 11 @ Num documentário Camisa: M
Norte, colocando, dessa forma, mais Busto: 85
pessoas a fazer anúncios. sobre a vida selvagem, que
5 @ Em Portugal ou no animal interpretarias? Anca: 90
estrangeiro, qual o desfile R: Os elefantes, porque vivem Cintura: 65
3 @ Já entraste em muitos Sapatos: 40
lares de famílias portuguesas mais importante em que já em família e para a família, e porque
através da pequena caixa mágica participaste? Em que países ou é admirável ser-se tão forte e nunca
que é a televisão. O que é achas cidades e para que marcas? recorrer à violência, a não ser quando
da representação? R: Em Portugal, Moda Lisboa e atacados. É lamentável sermos os
Portugal Fashion! Honestamente, responsáveis pelo que se passa com
R: Tive recentemente uma parti­
não sou capaz de precisar para que os animais que estão a desaparecer
GOSTO de:
cipação especial na série da TVI «Ele
marcas já trabalhei, foram tantas… da face da terra e somos tão poucos a Trabalhar, conversar, rir, estar
é Ela» e foi engraçado. A área da re­
Mas, sempre que fui para fora, ou ter essa consciência. comDos amigos, de rir com os ami-
pre­sentação atrai-me bastante. E há
foi com clientes portugueses ou com gos, da praia, do sol, de namorar,
alguns anos atrás fiz uma figuração
clientes estrangeiros que vieram 12 @ Se o Planeta Terra se da família, das gargalhadas das
especial para o filme português «Alta-
es­colher manequins portuguesas. extinguisse em 24 horas, o que é crianças, das marchas populares,
fidelidade».
Madrid, Marrocos e Ibiza foram al­ que farias em tão pouco tempo? dos manjericos, ver a minha cade-
Tenho muito respeito por quem
guns desses locais. R: Faria o que faço todos os dias. la a correr feita doida na praia, do
sabe, de facto, representar e, so­
Eu sei que o meu tempo é precioso, calor do fogo, do barulho da ma-
bretudo, por quem mantém vivo
deira a estalar na lareira, de sushi,
o teatro. A interpretação em TV é 6 @ Quem gostarias sempre.
do magusto, de cozinhar, de beber
diferente. Não que seja melhor ou genuinamente de conhecer, o
um bom vinho (de preferência bem
pior, mas a alma que se emprega não ponto de ser um privilégio para 13 @ Pede três desejos ao
acompanhada), de ler um livro, de
é a mesma. ti? génio da lâmpada, que ele
ver um bom filme, de um abraço
R: Dalai Lama! Palavras para concede…
sentido, de massagens e viajar!
4 @ Gostarias de realizar quê? Aprenderia muito com ele, sem R: 1.º Que um equilíbrio natural
em televisão um projecto mais dúvida. E, se ainda fosse viva, Pina se desse no planeta terra, fosse na
aliciante ou interpretar um Baucsh. Gostaria de alguns conselhos fome, na mentalidade humana, nos NÃO GOSTO de:
pa­pel mais complexo? E se dela enquanto mulher emancipada e rios que secaram, nos icebergs que De injustiças e violência… E
tivesses de escolher entre a lutadora. desapareceram, um ecossistema per´­ to­das as formas de falta de amor,
re­presentação e a moda, qual feito. sejam contra humanos, animais ou
seria a tua opção? 7 @ O que é que te tira o sono 2.º Abundância material e espi­ o Planeta.
R: Adoraria interpretar e cons­ à noite? ritual para todos.

 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


Vizinhos em alta velocidade
te de Orense, já está tudo adjudica-
do. “Em 2014, contamos já ter tudo
pronto, inclusive a estação do AVE na
Puebla”, anunciou José Blanco.
BRUNO MATEUS FILENA Na opinião do Alcalde, falta uma
auto-estrada que ligue Léon a Bra-
gança para que com o AVE, e o aeró-
AVE à porta de casa é um dromo de Bragança, para que “se faça
dado adquirido na Puebla um núcleo de inter-comunicações
importante”. “Se formos capazes de
de Sanabria. Será em 2014 concretizar estas comunicações, da-
e obras já estão adjudicadas remos um grande passo em frente,
mesmo com a Europa. Aquilo a que
Os sanabreses têm, de facto, mo- nós chamamos uma rede transeuro-
tivos para sorrir. Depois de alguns peia”, afiançou.
cortes milionários no plano de inves-
timentos do “Ministério de Fomento Falta uma auto-estrada
en Castilla y León”, o seu delegado
do Governo, Miguel Alejo, garantiu
que ligue León a Bragança
não existirem dúvidas quanto ao se- para aproximar o AVE
guimento da futura estação da rede do Nordeste Transmontano
de Alta Velocidade Espanhola (AVE)
projectada para Puebla de Sanabria. “Para além do desenvolvimento
Trata-se de uma infra-estrutura que z Estação do AVe vai ficar a 4 quilómetros de Puebla de Sanábria local, vai-nos conectar com todo o
faz parte da linha do AVE Galiza- Norte de Portugal, com o aeródromo
‑Ma­drid e que já tem local escolhido. num terreno onde está instalada, ac- Contudo, e apesar de adjudi- de Bragança e só nos falta, mesmo,
Será em Otero, um pequeno povoado tualmente, uma quinta de criação de cada, as obras atrasaram-se e o a estrada que está mal e temos que
situado a 4 quilómetros da Puebla, ovelhas. AVE não chegará à Sanabria an- continuar a lutar para que nos façam
tes de 2014. No entanto, em ape- uma nova”, lamenta o alcalde, refe-
nas dois anos, o comboio conecta- rindo-se à estrada até à fronteira com
rá a cidade de Zamora a Madrid. Portugal, no Portelo (Bragança).
Espanha reforça “O projecto da Estação do AVE na
Puebla está a correr muito bem. Não
Logo que o AVE esteja a funcio-
nar, necessitamos de uma nova es-

caminho-de-ferro
formou parte das restrições impostas trada, pois de Bragança ao AVE e a
pela crise e trabalhámos muito na Madrid seria hora e meia. E Barcelo-
sombra com o Governo de Espanha e na 6 horas. Isso supõe um avanço nas
Enquanto em Portugal, a REFER encerra linhas de comboio por falta graças à sua receptividade, mantêm- comunicações importante”, defende
de segurança, casos do Tua e Tâmega, em Espanha a aposta é na moderni- ‑se as obras do AVE”, afirmou ao Jor- José Blanco.
zação da rede ferroviária. Apesar da certeza do AVE, a empresa espanhola nal Nordeste o alcalde da Puebla de De primordial importância, seria a
Renfe decidiu modernizar os comboios que ligam a Puebla de Sanabria a Sanabria, José Blanco ligação Puebla-Bragança. “A ver se co-
Valladolid. O modelo anterior atingia uma velocidade de 120 quilómetros/ Questionado sobre o andamento brimos, primeiro, o troço entre a Pue-
hora, enquanto que, actualmente, os comboios alcançam os 160 Km/h. das obras no troço Galiza-Zamora, o bla e Bragança, que é o que mais im-
Este incremento na velocidade reflecte-se numa redução de 12 ou 14 minu- responsável declara que, até ao limi- pulso necessita”, sublinha o autarca.
tos, consoante o sentido da viagem. A substituição dos chamados “Regio-
nais” não se traduz, apenas, no tempo, mas, também, ao nível do conforto,
fiabilidade e num aumento dos lugares, passando de 56 a 123 disponíveis.
Houve, ainda, a preocupação por parte da Renfe em adaptar o transporte
para pessoas com mobilidade reduzida.

Electroencefalogramas - EEG
Neurologia | Psicologia Clínica e Educacional
Medicina Geral | Ginecologia e Obstetrícia
(ecografia, biópsias, papanicolau) | Dermatologia
Ortopedia | Nutrição e Terapia da Fala MORADIA INDIVIDUAL MORADIA r/c e 1º andar T3 como novo
   Fisioterapia Avançada Móveis, Aquecimento, No centro da cidade Av. das Forças Armadas
Lareira e Garagem (Estação) Aquecimento e Móveis
NOVA
DE: 150.000,00 € 80.000,00 € 90.000,00 €
ESPECIALIDA
Urologia T3 novos T2 novo T2 usado
Aquecimento, Móveis Cozinha, Aquecimento, Móveis Cozinha, No centro
Av. S. Apolónia, Lote H, r/c Esq.
ta
e WC, Garagem e Roupeiros Garagem da cidade
Tel./Fax: 273 381 546 100.000,00 € 82.500,00 € 50.000,00 €
Tel./Fax: 273 381 548
BRAGANÇA

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 


NORDESTE REGIONAL

Xx
TERESA BATISTA

Ema
Abho.

zX

 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE REGIONAL

Jovem morre na apanha da maçã Na passada sexta-feira, as auto-


ridades ouviram as pessoas que esta-
vam presentes na altura do acidente,
e segundo uma fonte da GNR, estará
Glória Lopes
a ser investigada a possibilidade de
homicídio por negligência. Na aldeia,
Tragédia bate à porta os populares e a família escusaram-se
de família da aldeia a prestar declarações, mas um primo,
emigrante em Franca, garantiu que
de Candoso (Vila Flor) Renato Escobar “não trabalhava na
apanha da maçã, apenas tinha ido ao
A GNR está a investigar a possibi- campo dar um recado à mãe”.
lidade de homicídio por negligência O funeral realizou-se este fim-de-
no caso que envolve a morte de um semana. A população estava conster-
jovem de 16 anos, falecido na passa- nada e chocada com o sucedido.
da quinta-feira, ao final da tarde, em
Candoso, concelho de Vila Flor.
A vítima caiu de uma carrinha, aca-
bando por ser atropelado pelo mesmo CASOS DE POLÍCIA
veículo, quando se encontrava num
pomar, onde vários trabalhadores da
aldeia colhiam maçãs para um pro-
Vila Flor
prietário agrícola. Na mesma carrinha
de caixa aberta viajava a vítima mortal,
z Familiares e amigos de Renato Escobar concentraram-se em frente à casa do jovem
Assalto
outro rapaz de 16 anos e mais três adul-
tos, nomeadamente a mãe do morto.
balhadores. Não se conhecem os mo-
tivos da queda, embora se suspeite
ram informaram que o jovem estava
muito magoado, não se mexia e o seu sob suspeita
Renato Escobar, estudante da Es- de um desequilíbrio. O comandante estado de saúde era grave”, referiu.
cola Profissional de Ansiães, estava a dos Bombeiros de Vila Flor, António Para o local foram accionados ou- A Policia Judiciária (PJ) está a
ser transportado na carroçaria de uma Martins, referiu que, quando o so- tros meios, nomeadamente o helicóp- investigar a hipótese de o assalto
carrinha de caixa aberta, quando caiu corro chegou ao local do acidente, o tero do INEM estacionado em Mace- que ocorreu num posto de abaste-
e foi colhido pelas rodas traseiras do rapaz apresentava ferimentos muito do de Cavaleiros, mas o rapaz acabou cimento de combustíveis no centro
veículo que transportava outros tra- graves. “Os bombeiros que o assisti- por morrer no local da tragédia. de Vila Flor, na noite da passada
sexta-feira, tenha sido realiza-
do com a conivência do próprio
funcionário do estabelecimento.

…Em flagrante
Uma fonte adiantou ao Jornal
Nordeste que o indivíduo já terá
confessado, mas a PJ escusou-se
a prestar declarações.
São postes como Durante o assalto, que ocorreu
cerca das 21h55, o funcionário, de
este que dificultam 30 anos, que na altura se encon-
trava sozinho no local, foi manie-
a passagem tado, enquanto um segundo in-
de qualquer peão, divíduo munido de uma arma de
fogo assaltava a caixa registadora,
principalmente tendo fugido após ter retirar o di-
nheiro. “O alerta só foi dado por
dos que se deslocam um cliente que chegou e verificou
em cadeira de rodas que o funcionário estava amarra-
do e com a boca tapada com fita
ou transportam adesiva dentro das instalações do
posto de abastecimento”, referiu
carrinhos de bebé. o tenente Ferreira, comandante
do posto da GNR em Vila Flor.
Fica junto à Central A quantia furtada deve ron-
Rodoviária dar os 500 euros, segundo os cál-
culos feitos no local na altura em
de Bragança. que as autoridades registaram a
ocorrência.
Envie-nos as suas sugestões para geral@jornalnordeste.com G.L.

TÊXTEIS LAR

Junte 10 senhas e terá direito a uma lavagem grátis

Zona Industrial, Lote 214-B4 r/c


Tel. 273328152 • Tlm. 962359345

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 


NORDESTE REGIONAL

Estudantes agarrados à “lhéngua”


FRANCISCO PINTO Apesar da pro- situação que os valoriza”, conclui o
cura, o Ministério da docente.
Educação ainda não No entanto, Domingos Raposo
Metade da população reconhece a Língua deixa um alerta: “o mirandês como
escolar do Agrupamento Mirandesa como língua minoritária está ameaçada de
de Escolas de Miranda disciplinar curricu- extinção”.
lar.
do Douro escolheu Língua “É importante
Apesar da procura, a Língua
Mirandesa como disciplina a criação de uma
entidade exterior à Mirandesa ainda não é
de opção Escola que prepare reconhecida como disciplinar
programas e manu- curricular
Metade dos alunos do Agrupa- ais e mesmo tempo
mento de Escolas do Concelho de z Aos poucos, o Mirandês toma conta das salas de aula avalie os professores
Miranda do Douro (AECMD) – num para depois se avan- Para já os manuais de apoios dis-
total de 850 – escolheu a Língua Mi- Portugal”, salientou António Santos, çar para o reconhecimento oficial do poníveis paras os estudantes de mi-
randesa como disciplina de opção. presidente do AECMD. mirandês como disciplina curricu- randês são a Convenção Ortográfica
O número de alunos matricula- “O interesse demonstrado pelos lar”, frisou António Santos. da Língua Mirandesa e um dicionário
dos tem vindo a crescer nos últimos alunos em aprender mirandês ajuda Na opinião do professor de Lín- de mirandês/português. “Era impor-
quatro anos, situação que é encarada à preservação da língua materna”, gua Mirandesa, Domingos Raposo, tante a elaboração de um prontuário
como “ bastante positiva”. observou o docente. “o facto dos alunos se inscreverem na ortográfico de mirandês ”, salientou
“O mirandês é uma disciplina de Os responsáveis pelo ensino no disciplina só revela que se interessam Domingos Raposo.
opção o que vai aumentar a carga ho- concelho de Miranda do Douro acre- pela sua cultura e pelas suas raízes”. Recorde-se que mirandês é leccio-
rária dos alunos. Por esse motivo está ditam que “quem souber falar miran- “Os alunos que melhores resultados nado nas escolas do concelho de Mi-
demonstrado o interesse da popula- dês poderá ter outras hipóteses de escolares conseguem na disciplina randa do Douro, desde o ano lectivo de
ção escolar em aprender a escrever futuro na região em matéria de em- de Língua Portuguesa, estão matri- 1986/ 87. Actualmente é ensinado des-
e falar a segunda língua oficial em prego e formação pessoal ”. culados em Língua Mirandesa, uma de ensino pré-escolar até ao 12.º ano.

Fundação para defender Língua Mirandesa


F.P. as do mirandês”, tais Por isso, a criação do instituto ou
como o estudo da lín­ de uma fundação “será um passo ne-
gua, poesia, teatro vrálgico para a futuro do mirandês”,
Organismo terá autonomia po­pular mirandês e acrescenta Meirinhos.
e capacidade para servir a música mirandesa.
“A criação de uma lei
de interlocutor na defesa que reconhecesse o
Unir as pessoas ligadas
da ‘lhéngua’ mirandês como lín- a “diversas áreas do mirandês”
gua oficial era con-
A Fundação da Língua Mirandesa siderada uma inicia- Por outro lado, vários linguistas
já tem Comissão Instaladora e deverá tiva condenada ao defendem que a criação do Instituto
estar a funcionar até ao final do ano. fracasso. Mas quem ou Fundação da Língua Mirandesa
De acordo com o presidente da pensava assim estava radica na existência de um organismo
Câmara Municipal de Miranda do z Autarquia instituiu o Dia Lígua Mirandesa a 17 de Setembro enganado”, afirmou com personalidade jurídica, autono-
Douro, Artur Nunes, a criação desta Júlio Meirinhos, ex- mia e com capacidade de servir como
comissão é o primeiro passo para a A comissão engloba um grupo deputado socialista e mentor do pro- interlocutor na defesa dos direitos
afirmação da Língua Mirandesa. de personalidades ligadas ao estudo, jecto-lei que reconheceu o Mirandês da língua mirandesa. A novidade foi
“Houve muita gente ao longo dos ensino e promoção da língua miran- como segunda língua oficial. Segun- lançada no Dia da Língua Mirandesa,
últimos anos a trabalhar de forma vo- desa, como Amadeu Ferreira, Júlio do o responsável, há membros do Go- que se comemora a 17 de Setembro.
luntária em prol da língua mirande- Meirinhos, Carlos Ferreira, Domin- verno que têm a informação precisa A iniciativa ficou marcada por uma
sa, por vezes desagradados. Com esta gos Raposo, Mário Correia, Paulo e capacidade política para tomarem série de iniciativas onde se destacou
atitude pretendeu -se profissionalizar Meirinhos, Alfredo Cameirão, Duarte decisões em relação ao futuro da lín- uma homenagem a pessoas que de-
o mirandês através da institucionali- Martins e Artur Nunes. gua mirandesa, e há empresas, como ram “impulso à língua”, onde se des-
zação da segunda língua oficial em O objectivo deste organismo é a EDP ou a REN, empenhadas em tacam Manuela Barros Ferreira, Do-
Portugal”, sintetizou o autarca. unir pessoas ligadas a “diversas áre- apoiar todo o processo. mingos Raposo e Júlio Meirinhos.

FICHA TÉCNICA Fundador: Fernando Subtil | Director: João Campos (C.P. Nº 4110) | Secretária de Redacção e Administração: Cidália M. Costa
Marketing e Publicidade: Bruno Lopes | ASSINATURAS: Sandra Sousa Silva | PAGINAÇÃO: João Paulo Afonso
REDACÇÃO: Bruno Mateus Filena (C.P. N.º 9088), Orlando Bragança, Glória Lopes (C.P. N.º 4146), Teresa Batista (C.P. N.º 7576) e Toni Rodrigues
Correspondentes: Planalto Mirandês: Francisco Pinto | Mirandela: Fernando Cordeiro e José Ramos | Torre de Moncorvo: Vítor Aleixo
FOTOGRAFIA: Studio 101 e RC Digital
email:geral@jornalnordeste.com
Propriedade / Editor: Pressnordeste, Lda. – Contribuinte N.º 507 505 727
Redacção e Administração: Rua Alexandre Herculano, N.º 178, 1.º, Apartado 215, 5300-075 Bragança – Telefone: 273 329 600 • Fax: 273 329 601
Registo ICS N.º 110343 | Depósito Legal n.º 67385/93 | Tiragem semanal: 6000 exemplares
Impressão: Diário do Minho – Telefone: 253 609 460 • Fax: 253 609 465 – BRAGA
Assinatura Anual: Portugal – 25,00 € | Europa – 50,00 € | Resto do Mundo – 75,00 €

 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


LUGARES

Uma aldeia que fala Mirandês VOZES


FRANCISCO PINTO Aurora Sebastião
Agricultora
Paradela preserva “No passado, quando
eu era catraia, o mi-
a tradição da ‘Lhéngua’, randês era a língua da
que tem vindo a ganhar família. Em nossa casa
falávamos mirandês à
novos adeptos mesa, ao serão. Era a
língua utilizada em conversas de
Na aldeia de Paradela, concelho de família. Acho que se deveria au-
Miranda do Douro, a língua mirande- mentar o número de professores
sa ainda é usada no dia-a-dia para co- de mirandês e incentivar mais os
municar. Apesar de a “lhéngua” estar alunos a apreenderem o mirandês”.
a perder falantes, fruto da desertifi-
cação das aldeias nordestinas, aqui as
pessoas entendem-se através da lín- Augusto Preto
gua herdada dos seus antepassados. Ex-guarda fiscal
Nesta pequena localidade, si- z Em Paradela, a língua mirandesa ainda é usada no dia a dia “Antigamente, como
tuada em pleno Parque Natural do
não havia rádio, nem
Douro Internacional, com pouco zinhos oriundos da localidade do e, em tempo de férias, a vitalida-
televisão, o mirandês
mais de 80 fogos e pouco mais de Castro, que se deslocam com fre- de da língua ainda ganha mais ex-
era mais falado. Ago-
200 habitantes, a vida corre deva- quência a Paradela para o tradicio- pressão. As pessoas ainda falam o
ra já poucos falam o
gar, ao ritmo das tarefas agrícolas. nal convívio entre as gentes da raia. mirandês, mas nada que se pare-
mirandês, a não ser os
Mas, a população, na sua maio- O presidente da Junta de fre- ça com os tempos de antigamen-
mais velhos. O mirandês começa a
ria idosa, encarrega-se de manter guesia de Paralela (JFP), Artur Go- te”, salienta o presidente da Junta.
fundir-se com o português, o que,
viva a língua e cultura mirandesa. mes, é um homem que conhece o Para Artur Gomes, a sua aldeia
por vezes, tira a pureza à língua
Ali, onde o rio Douro entra em termo da sua freguesia como a “pal- não é isolada, até porque tem boas li-
materna. É preciso fazer mais para
território nacional, as tradições do ma das mãos” e tem orgulho em vi- gações à sede de concelho, capital de
preservar o mirandês”.
passado estão presentes. Porém, a ver numa terra com características distrito e Espanha.
emigração e a procura de melho- únicas do ponto de vista geográfico.
res condições de vida levaram mui- “ Paradela é a aldeia mais oriental
Investigadores estimam cerca Albina Martins
tos dos seus habitantes para ou- do território nacional. A parte mais Comerciante
tros ponto do País de do mundo. larga do território português mede-se de 12 mil pessoas a falar
No entanto, quem percorrer as daqui de Paralela até à foz do rio Nei- mirandês espalhadas pelo País “Aqui no meu café
as pessoas mais ve-
ruas da aldeia raiana depressa se va, no Minho, e não nos podemos es- e pelo mundo lhas ainda falam o
apercebe que está numa localidade quecer que é nesta freguesia onde na
onde convivem três idiomas: o mi- região Norte termina a chamada raia mirandês. Já os mais
O registo da perda de falantes jovens são poucos
randês, que é a língua materna, o seca para dar lugar à ria molhada, ou do mirandês não acontece só em Pa-
português, trazido pelos “fidalgos” seja, a separação de Portugal e Espa- os que falam. Quem
radela. Desde o início da década de mais fala o mirandês são as pes-
de Miranda, e o castelhano, trazi- nha pelo rio Douro”, realça o autarca. 1960, que o mirandês tem perdido
do pela rádio e televisão e pelos vi- Apesar da beleza natural da re- soas na casa dos 60 a 70 anos de
um pouco das suas raízes. Em cerca idade. Não percebo porque é que
gião, da sua gas- de 50 anos, a “lhéngua” perdeu 50 os jovens que aprendem o miran-
tronomia e tradi- por cento dos seus utilizadores. dês não o falam nas suas aldeias”.
ções, a demanda Segundo os investigadores, há
das suas gentes ente sete a oito mil falantes, repartidos
para outros locais por aldeias dos concelhos de Miranda Maria Rosa Rodrigues
faz esquecer um do Douro e Vimioso. Se a este número Doméstica
pouco o passado se juntarem os mirandeses na diáspo-
de uma aldeia pa- “Na minha juventude
ra, o número aumenta para os 12 mil.
cata, entalada en- falava-se mais o mi-
Recorde-se que o mirandês é fala-
tre a fronteira e a randês, porque poucas
do numa área geográfica de cerca de
vezes saíamos da al-
região do Planalto 500 quilómetros quadrados, junto à
deia. Agora, penso que
Mirandês. raia nordestina.
volta a haver vontade
“Aqui fala- No entanto, e segundo estudos
em falar mirandês, já que há mui-
se com frequên- divulgados, o mirandês é uma língua
tas crianças a aprender”.
z É neste local que o Douro entra em Portugal cia o mirandês minoritária “ameaçada de extinção”.

Verão

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 


NORDESTE REGIONAL

Famílias abandonam idosos no hospital


Glória Lopes pelas, admitiu que há casos de aban-
dono de idosos nos serviços de saúde
Unidades de saúde do distrito. “Esta unidade não foge à
regra. As pessoas levam os familiares
deparam-se com idosos ao hospital e depois, com a desculpa
que não têm quem os acolha que vão a um casamento ou a uma
festa, não vão buscá-los quando têm
após as altas médicas alta”, lamentou o responsável.
Trata-se de um problema social
Há cada vez mais idosos que são que está a crescer. “Primeiro as pes-
abandonados pelas famílias no hos- soas saíam do hospital para ir morrer
pital e que, após a alta médica, não a casa, agora saem de casa para vir
têm quem os acolha. A situação foi morrer ao hospital”, explicou o res-
denunciada pelo governador civil ponsável.
de Bragança, Jorge Gomes, durante
a cerimónia de atribuição do certi-
ficado de acreditação internacional
Problema pode estar relaciona-
ao Centro Hospitalar do Nordeste do com a falta de estruturas
(CHNE) na passada quinta-feira (ver de apoio aos idosos no distrito
texto em baixo).
Jorge Gomes está preocupado com Nestas situações, o hospital trata
estes casos e lamenta que existam fa- de encaminhar os idosos abandonados
miliares de seniores que “os entregam para instituições, nomeadamente para
nos cuidados hospitalares por uma z PX a rede de cuidados continuados. Jorge
questão de urgência médica, para te- Gomes pensa que os abandonos podem
rem acesso aos cuidados, mas depois estar relacionados com a falta de estru-
nunca mais os vão buscar”, revelou. turas de apoio aos idosos no distrito.
O governador adiantou que esta “Muitas vezes esses casos acontecem
é uma forma que as famílias arranja- quando os filhos pretendem institucio-
ram “para passar o problema para o nalizar os pais, mas como existem lis-
hospital”, e sublinha que é necessário tas de espera, atiram com o problema
intervir nas situações. “Não é um pro- para o CHNE, que vai ter que arran-
blema de muita gente, mas é preciso jar uma instituição, porque não pode
evitá-los ao máximo, acima de tudo deixar as pessoas na rua”, explicou.
responsabilizar quem faz isso e cha- Para minorar o problema, o go-
má-los a assumir as suas responsa- vernador civil defende o reforço dos
bilidades. A família é a primeira res- equipamentos de apoio ao domicílio
ponsável pelos seus idosos”, afirmou. e ajudas à melhoria das condições de
O presidente do conselho de Ad- habitabilidade, para que os idosos fi-
ministração do CHNE, Henrique Ca- z Idosos desesperam com a rejeição dos familiares quem na sua habitação.

Hospitais de Macedo e Mirandela certificados


G.L. profissionais dos elevou os seus padrões de qualidade,
hospitais de Mace- tendo como referência o Manual In-
do de Cavaleiros e ternacional de Acreditação dos Hos-
CHNE recebeu acreditação Mirandela, que per- pitais. “Passou pela melhoria no ser-
internacional pela mitiu conferir que viço, mudanças de que muitas vezes
dispõem de um ní- os utentes não se apercebem, 80% ou
qualidade do serviço vel de qualidade de 90% dos actos dos processos são im-
funcionamento que perceptíveis aos doentes, mas essas
As unidades de Macedo de Ca- é o exigível. linhas estão lá”, referiu o presidente
valeiros e Mirandela, integradas O processo de do CHNE.
no Centro Hospitalar do Nordeste acreditação foi de- O processo de acreditação defi-
(CHNE) foram acreditadas pelo He- senvolvido no âm- ne linhas e estratégias de actuação,
althcare Accreditation and Quality bito da Estratégia da bem como as regras e procedimen-
Unit (CHKS). Qualidade, e traduz- tos a utilizar pelos profissionais para
O projecto, em curso desde 2007 se numa melhoria chegar à boa prática clínica. “É uma
naquelas unidades hospitalares, cul- efectiva dos serviços creditação muito técnica, sem que o
mina com a Acreditação pela Entida- hospitalares, parti- conceito se esgote nesses manuais e
de Internacional, só ficará completo cularmente ao nível procedimentos. O mais importante
com a inclusão da unidade hospitalar das acessibilidades, é o aspecto da humanidade aliado à
de Bragança, onde ainda estão em sinalização, saídas e qualidade”, acrescentou Henrique
curso obras de requalificação, mas z Henrique Capelas recebeu certificados em nome do CHNE planos de emergên- Capelas.
que deverá iniciar-se ainda este ano. cia, higiene, esteri- A empresa que tratou do proces-
O certificado de acreditação foi que Capelas, na passada quinta-feira. lização, bem como de outros proce- so de acreditação já o fez em mais de
entregue ao presidente do conselho O destacou que se tratou de “um dimentos que garantam a segurança 400 hospitais de 17 países, 22 dos
de administração do CHNE, Henri- trabalho enormíssimo” de todos os de profissionais e utentes. O CHNE quais em Portugal.

 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE REGIONAL

“Médicos não querem um hospitalinho”


G.L. Ainda assim continuam a existir
listas de espera em outras especiali-
dades, nomeadamente na Otorrino-
CHNE investe 500 mil euros laringologia, “que estamos a tentar
para reduzir listas resolver”, asseverou o presidente do
de espera em Ortopedia CHNE.
Quanto à falta de médicos, Hen-
O Centro Hospitalar do Nordeste rique Capelas, diz que, lentamente,
(CHNE) aumentou em 24,5 % o nú- o problema está a ser resolvido. “Es-
mero de cirurgias na especialidade tamos constantemente a trabalhar
de Ortopedia. Esta melhoria permi- nisso. Com o tempo vai resolver-se,
tiu reduzir as listas de espera, mas o sustenta o responsável.
presidente do conselho de adminis-
tração do CHNE não está satisfeito, CHNE vai assinar protocolos
e quer baixar ainda mais. Para o efei- com a Universidade do Porto
to serão investidos mais de 500 mil
euros para realizar um programa de
para receber médicos
produção “adicional e excepcional”, em regime de internato
na área da Ortopedia para reduzir
“significativamente” as listas de espe- Nesta matéria, a criação do
ra naquela especialidade médica. z Programa de cirurgias em Ortopedia promete dar resposta à procura CHNE foi decisiva, pois deu dimen-
A procura de cirurgias na área são e massa critica. “Não pensem que
de Ortopedia é muito grande, admi- buem para a saúde na região “seja deve ficar resolver com o programa o hospital de Bragança, de Mirandela
tiu Henrique Capelas, uma situação cara, o que causa enormes constran- adicional, pois a procura é muita”, ou de Macedo de Cavaleiros, só por
que está relacionada com o envelhe- gimentos e problemas, porque tem sublinhou. si, podiam sobreviver. Não exerciam
cimento da população. “Somos uma características muitas diferentes, Paradigmático é o caso de Oftal- o mínimo de atractividade nos jovens
região com um índice de envelheci- onde as patologias na área óssea se mologia, cujas listas de espera redu- médicos, que não querem vir para
mento muito grande e muito superior manifestam mais, dado o elevado en- ziram, uma vez que o CHNE registou um ‘hospitalinho’ com esta dimensão
ao do país. Temos 150 mil pessoas velhecimento da população”. um dos maiores crescimentos no país ”, atestou.
dispersas, com graves problemas de Actualmente, a unidade dispõe de ao nível da cirurgia de ambulatório. Em breve o CHNE vai assinar
acessibilidades”, lamentou. 11 cirurgiões de Ortopedia. Mesmo “Eliminámos completamente as lis- protocolos com a Universidade do
Aliás, para o responsável pelo assim, continua a ser uma das áreas tas de espera de cataratas, apenas Porto com vista a receber médicos
CHNE todos estes factores contri- com maiores listas de espera, “que com recursos nossos”, frisou. em regime de internato.

123,76 107,61

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 


NORDESTE REGIONAL

Macedo inaugura Centro Escolar


Glória Lopes tembro, no arranque do ano escolar,
como uma de muita alegria. “A Câma-
ra Municipal empenhou-se a todos os
Estabelecimento concentra níveis na concretização deste projec-
230 alunos das escolas to, pelo que a abertura do novo Cen-
da cidade que encerraram tro Escolar é motivo de uma enorme
satisfação, é um marco importante
este ano para todo o concelho, porque não é
todos os dias, nem todas as décadas,
A maioria dos alunos que fre- que são inauguradas umas instala-
quenta o 1.º Ciclo do Ensino Básico ções do género”, explicou o autarca.
do concelho de Macedo de Cavaleiros
já estuda no novo Centro Escolar da
Centro representa
cidade. O equipamento, construído
de raiz, é frequentado por 230 crian- um investimento total
ças, mas com a integração das crian- de 3,1 milhões de euros
ças do ensino pré-escolar, o número
total de alunos atingirá um número O edil está convicto de que as con-
próximo dos 400. dições físicas criadas “facilitarão o tra-
O Centro Escolar substitui quatro balho dos professores e educadores,
escolas que funcionavam na sede de estes que todos os dias lidam com as
concelho, todas encerradas este ano crianças, levando a uma melhor educa-
lectivo. A rede de escolas do 1.º Ciclo z Beraldino Pinto visitou alunos no dia da inauguração Centro Escolar ção e formação, que todos desejamos”.
vai funcionar com dois centros esco-
lares na cidade e duas escolas na área O espaço é constituído por 16 sa-
rural, em Chacim e Morais, ambas las de aula, biblioteca, refeitório, sala
com mais de 20 alunos. de informática, sala multiusos, de di-
O novo edifício, com estrutura ur-
bana de grandes dimensões e espaço
arquitectónico de relevo, foi constru-
recção e professores, reprografia, en-
fermaria, dois parques infantis e um
polidesportivo. O centro escolar vai
UTAD preencheu
ído num terreno de 8167 m2 com uma
área bruta de construção de 3567 m2
e garantiu a instalação de diferentes
acolher os alunos que frequentam as
antigas escolas primárias que não dis-
põem de condições para oferecer ser-
95% das vagas
níveis de ensino com as condições viço de refeições. Além disso, o novo
ideais para o bom funcionamento de pólo escolar vai permitir cumprir o Centenas de novos alunos encontram, também, balcões
de informação sobre bolsas de estudo
cada um deles. objectivo da escola a tempo inteiro e estudantes ‘invadem’ e alojamento em residências univer-
O centro teve um custo total de 3,1 disponibilizar aos alunos infra-estru-
milhões de euros, comparticipado em turas e equipamentos de qualidade. o campus universitário sitárias, um outro de esclarecimentos
e encaminhamento da Associação
cerca de 2,3 milhões de euros por fun- O autarca local, Beraldino Pinto,
A Universidade de Trás-os-Mon- Académica e ainda um balcão de uma
dos comunitários, ao passo que o resto referiu-se ao dia da inauguração, que
tes e Alto Douro (UTAD) ocupou 95% instituição bancária.
da verba foi suportada pelo município. teve lugar no passado dia 13 de Se-
das vagas logo na primeira fase do Refira-se que o número total das
concurso nacional de acesso ao ensi- novas admissões à UTAD só será co-
no superior. Assim, dos 1337 lugares nhecido após a conclusão de todas as
que apresentou ao concurso, 1269 já fases de matrícula, e incluirá, não só
foram preenchidos. os estudantes que virão ainda a ser
Bragança Esta divulgação de resultados fez colocados nas 2.ª e 3.ª fases deste
acorrer centenas de jovens ao Cam- concurso, como também os admi-

CESPU cria nova oportuni- pus da UTAD para efectuarem as suas


matrículas nos respectivos cursos.
A Universidade disponibilizou, para
tidos através, designadamente, dos
concursos, com vagas próprias, desti-
nados a Maiores de 23, e outros para

dade para Maiores de 23 o efeito, um amplo espaço no átrio


da Biblioteca Central, onde os novos
licenciados e para os titulares de cur-
sos de especialização tecnológica.

Osça.A escola da CESPU (Coope- formação superior mas já integrados


rativa de Ensino Superior Politécnico na vida activa de trabalho, o curso em
e Universitário) em Bragança abriu causa vai funcionar em horário Pós-
a segunda fase de candidaturas no Laboral, facilitando a conciliação en-
âmbito do Programa Maiores de 23, tre o trabalho e as aulas.
dirigida apenas para o curso de Psi- Recorde-se que está igualmente
cologia. aberta a segunda fase de candidatu-
Trata-se de uma licenciatura em ras ao Ingresso no Ensino Superior,
Psicologia Geral que abre as portas dispondo a Escola da CESPU de Bra-
para as mais atractivas e variadas es- gança, neste momento, de vagas ape-
pecializações e saídas profissionais: nas para o curso de Psicologia.
Psicologia Clínica e da Saúde; Psi- Com mais de 25 anos de experi-
cologia Forense e da Transgressão; ência no Ensino Superior, a CESPU
Psicogerontologia; Psicologia da Dor aposta na formação de qualidade,
e muito mais. contando com pessoal docente alta-
Os interessados podem efectuar a mente qualificado, capaz de dar ao
respectiva inscrição até 30 de Setem- ensino a exigência necessária para
bro. formar profissionais devidamente
Precisamente a pensar nos poten- preparados para integrarem o mer-
ciais interessados em dar inicio a uma cado de trabalho. z Centenas de estudantes acorreram ao campus para fazerem as matrículas

10 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE REGIONAL

“Pareciam formigas a entrar no autocarro”


BRUNO MATEUS FILENA telemóveis... Levaram tudo!”, asse- tras viaturas e houve, até, um auto-
gura o jovem empresário. carro que não fazia parte do grupo
“Uma senhora disse-me que pare- e que chegou a tentar empurrar o
Empresário de Bragança ciam formigas a entrar no autocarro. autocarro dos portugueses para fora
relata o que se passou Pensaram que os marroquinos esta- da estrada”, afiança Marco Gonçal-
após o acidente que vitimou riam ali para os ajudar, mas o que eles ves, que vai mais longe nos relatos:
fizeram foi agarrar em tudo aquilo “um autocarro que se despista numa
9 portugueses em Marrocos que puderam e fugir”, recorda Marco. auto-estrada com centenas de metros
Segundo o empresário, há algo de descampado e encontra óleo, pre-
Talvez não saiba, mas dois cida- mais que pode explicar as causas do cisamente, naquele local, onde existe
dãos de Bragança viajavam no pa- acidente, para além da velocidade, uma ravina, é, no mínimo, estranho”,
quete Funchal, juntamente com os nevoeiro e óleo na estrada. “Durante defende, ao mesmo tempo que fala de
passageiros da excursão de autocarro o percurso, o motorista teve várias “rivalidades” entre empresas concor-
a Marrocos que resultou na morte de discussões com condutores de ou- rentes de transporte de passageiros.
nove portugueses.
Marco Gonçalves e outro empre-
sário de Bragança embarcaram em
Lisboa num cruzeiro rumo a Gibral-
tar, Málaga e Ceuta, mas o destino z Marco Gonçalves relata o pior
deixou-os à margem da tragédia.
“Nós adormecemos e fomos até Ceuta
tomar o pequeno-almoço, mas a pé.
“Dinheiro, documentos,
Daí não termos ido a esse passeio”, máquinas de filmar, fotográficas,
afirma o empresário. telemóveis... Levaram tudo!”
Mesmo assim, conta cenas de hor-
ror nos momentos após o acidente, Revoltado com toda a situação,
com base nos relatos que lhe chega- desabafa: “No regresso, estavam pes-
ram pelos companheiros de viagem. soas a precisar de assistência e eles
“Dois minutos após o autocar- só queriam ver a documentação para
ro cair, apareceram, logo, vinte e tal os deixar passar. Havia muitos a san-
marroquinos que assaltaram os mor- grar, a gritar, e eles só queriam ver a
tos e os feridos. Dinheiro, documen- documentação. Foram desumanos!”,
tos, máquinas de filmar, fotográficas, z Pilhagens marcaram os momentos que se seguiram à tragédia considera o empresário.

zX

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 11


NORDESTE REGIONAL

Xx
GLÓRIA LOPES

Ala
O ldo.

12 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE REGIONAL

Mogadouro quer fazer contas


com o Estado
Francisco Pinto Já a dívida a longo prazo “está
controlada” e ronda os 7,3 milhões
euros, o que representa um endivida-
Se o Estado pagasse mento que ronda os 30 por cento.
o que deve, o município
Edilidade adiantou largo
ainda ficava com 1 milhão
milhares de euros na comparti-
de euros em tesouraria, cipação de obras já executadas
garante autarca
“O pagamento da dívida a longo
Numa altura em que grande parte prazo obriga-nos a um compromisso
dos municípios portugueses se debate de 271 mil euros, para o ano corrente,
com problemas financeiros, o presi- sendo que o montante vai diminuindo
dente da Câmara Municipal de Moga- à medida que os anos passam”, conta-
douro, Moraes Machado, garante que biliza Morais Machado.
a autarquia respira “saúde financeira”. Agora, o município de Mogadou-
Em declarações ao Jornal Nor- ro só espera que o Estado também
deste, o edil assegura que o município seja cumpridor e pague o que está em
a que preside “não tem tido dificulda- atraso. Ao todo, a edilidade adiantou
des em satisfazer os compromissos z Câmara de Mogadouro não tem dificuldades em pagar aos fornecedores num prazo de 15 dias largo milhares de euros na comparti-
assumidos, mesmo com as imposi- cipação de obras já executadas, como
ções das metas e objectivos traçados Ao autarca adianta, mesmo, “para receberem”. é caso da Biblioteca Municipal”, mas o
pelo Governo central”. “que a Câmara não tem dificuldades Segundo o autarca, o município Estado vai pagando “às pinguinhas”,
Aliás, assevera o autarca, “se o Es- em pagar os seus fornecedores num está em condições de pagar as suas ironiza o autarca.
tado nos pagasse o que deve ao muni- prazo de 15 dias”. Por isso, Moraes dívidas de curto prazo até ao próximo Se a forma de pagamento não for
cípio de Mogadouro, pagaríamos to- Machado não hesita em convidar os dia 22 de Outubro. “Feito o balanço acelerada, “o Estado manterá dividas
das as dívidas de curto prazo e ainda fornecedores de serviços que tenham até ao final do mês de Setembro, ve- como a Câmara de Mogadouro que
ficávamos com um milhão de euros facturas por liquidar a dirigirem-se rificamos que estamos de boa saúde vão até aos três anos”, afiança Morais
em tesouraria”. aos serviços financeiros do município financeira”, sintetiza Machado. Machado.

PS-Mogadouro quer vitória


Francisco Pinto Na hora dos discursos, o presiden­ Apesar dos rumores come-
te da Comissão Política Concelhia de çarem a surgir no panorama
Mogadouro do PS, Miguel Rito, avan- político mogadourense, Mi-
Concelhia rosa promete çou que o partido “vai definir um can- guel Rito avançou que “não
apresentar um candidato didato com vista a alcançar as vitória há nenhum nome em cima da
no concelho nas eleições autárquicas mesa”. No entanto, rematou
forte na corrida à Câmara de 2013”. “a estratégia esta definida”.
Sem avançar nomes, o líder con- O convívio serviu para tro-
Cerca de duas centenas de militan- celhio defendeu que “o candidato car experiências entre os mili-
tes PS dos concelhos de Mogadouro e tem de ser uma pessoa conhecedora tantes e simpatizantes socia-
Alfândega da Fé reuniram-se, no pas- das ambições do concelho e que, ao listas, tendo tido como palco
sado dia 12, no santuário do Santo An- mesmo tempo, consiga criar elos de um local de grande significado
tão da Barca, num convívio que assina- união entre as Juntas de Freguesia e para os dois concelhos ribeiri-
lou a ‘rentrée’ daquela força política. a Câmara”. nhos do rio Sabor. z Miguel Rito aposta tudo nas Autárquicas 2013

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 13


NORDESTE REGIONAL

Alfândega da Fé
Autarquias en-
Central de Resíduos em marcha
gordam quadros Glória Lopes do custo total do projecto.
Além das importantes vantagens
construção, prevendo-se a sua con-
clusão no primeiro semestre de 2011.
As autarquias que ficaram Tribunal de Contas visou para o Ambiente, “o projecto também
isentas do cumprimento de limites trará mais-valias em termos econó-
o contrato da Unidade micos e sociais para a região trans-
Unidade criará 40 postos de
de contratação aumentaram o nú-
mero de trabalhadores em cerca de de Tratamento Mecânico montana, pois permitirá criar cerca trabalho na fase de construção
10 mil, revela o balanço social dos de 40 postos de e 30 na fase de exploração
municípios de 2009.
e Biológico do Nordeste trabalho na fase de construção, e
O secretário de Estado da Ad- Transmontano. 30 novos postos de trabalho directos O contrato relativo à obra para a
ministração Local, José Junquei- na fase de exploração da Unidade”, construção da “Unidade de Tratamen-
ro, justificou que a situação resulta A região de Trás-os-Montes vai adiantou fonte da RN. to Mecânico e Biológico por Digestão
da transferência de colaboradores iniciar um novo ciclo no processo de Com este projecto a empresa in- Anaeróbia do Nordeste Transmonta-
do Ministério da Educação para as gestão de resíduos, com a construção termunicipal poderá integrar o mer- no”, foi adjudicada ao Consórcio Pai-
autarquias. da Unidade de Tratamento Mecânico cado inovador da comercialização nhas, S.A., DST – Domingos da Silva
O governante considerou que e Biológico por Digestão Anaeróbia de compostos orgânicos produzidos Teixeira, S.A., e OWS -Organic Waste
a transferência de funcionários da do Nordeste
área da Educação para os muni- Transmonta-
cípios “não é alarmante”, por ter no.
uma justificação, e sublinhou que, O Tribu-
dentro das estruturas públicas, nal de Contas
“não há um aumento de funcio- já deu o visto
nários, mas sim uma mudança de ao projecto, o
local de trabalho”. que permitirá
Quanto ao alegado aumento a valorização
dos prejuízos das empresas muni- dos Resíduos
cipais nos últimos anos, uma notí- Urbanos Bio­
cia que surgiu esta semana na co- degradáveis
municação social, o secretário de (RUB) dos tre­
Estado avançou que “vai ser criado ze municípios
o Livro Branco sobre o sector em- do Sistema In-
presarial local”. termunicipal
No final da reunião realiza- do Nordeste
da na passada quarta-feira, em Transmonta­
Alfândega da Fé, na presença de no.
17 autarcas e dirigentes da Asso- O novo sis­
ciação Nacional de Autarquias do tema evita a
Partido Socialista (ANAPS), foram deposição do
também dadas a conhecer algu- lixo em ater-
mas ambições do poder local em ro, ajudando
relação ao futuro das autarquias. a cumprir as
“O orçamento aprovado para as metas esta-
autarquias é bom, mas não poderá belecidas até z Obra deverá estar concluída no 1.º semestre de 2011
haver mais cortes como aconteceu 2013 pelo
recentemente”, salientou o presi- Plano Estratégico para os Resíduos pela Unidade de Tratamento Mecâ- Systems, em Fevereiro de 2010.
dente da ANAPS, Rui Solheiro. Sólidos Urbanos (PERSU II). nico e Biológico e alargar a produção Envio do contrato para fiscali-
Outro dos pontos marcantes da O preço global do contrato é de energia eléctrica através da valo- zação prévia do Tribunal de Contas
reunião foi o anúncio de José Jun- de €25.334.194,85, sendo o finan- rização do biogás gerado no sistema. ocorreu em Março de 2010, e a sua
queiro quanto a uma nova fonte ciamento assegurado em 70% pelo Este mecanismo constitui um forte Aprovação da reprogramação do con-
de receita para os pequenos mu- Fundo Europeu de Desenvolvimento instrumento para o cumprimento trato de financiamento foi em Agosto
nicípios. “Os impostos pagos pelas Regional (FEDER), na sequência de das metas nacionais e europeias de deste ano. O processo foi longo, teve
empresas podem der repartidos candidatura apresentada ao Progra- reciclagem e produção de energias início em 25 de Outubro de 2006,
entre o domicílio fiscal e a região ma Operacional Temático Valoriza- renováveis. com a Abertura das Propostas do
onde são efectuados os negócios”, ção do Território (POVT). A cargo da A obra encontra-se em fase de Concurso Público Internacional.
revelou o secretário de Estado da empresa intermunicipal Resíduos do
Administração Local. Nordeste (RN) fica a parte restante
XI CONVÍVIO DOS REFORMADOS DA PSP DO DISTRITO
DIA 16 DE OUTUBRO (Sábado)

AGRADECIMENTO Amigos(as) e Companheiros(as)


A exemplo dos anos anteriores, mais uma vez vamos reunir e conviver.
O dia 16 de Outubro (sábado), foi o dia escolhido e o restaurante que merece a
nossa preferência, depois de alguns contactos, foi «O Geadas». Localiza-se junto ao
Raul Jorge Campos Tomé aeródromo de Bragança. São convidados a marcar presença todos os aposentados re-
sidentes no Distrito. Pedimos para que toda a família da nossa polícia compareça nes-
te dia de confraternização. A presença neste evento é extensiva a familiares e amigos.
  A família de Raul Jorge Campos Tomé, na im- Inscrições até 25 de Setembro de 2010: Mirandela – José Sobral, tlm. 919 863 202
possibilidade de agradecer a todos quantos, nesta Macedo de Cavaleiros – Albano A. Carvalho, tlm. 917 851 557
Bragança – Edmundo Lopes tel. 273 939 196 / tlm. 963 618 578
hora de profundo sofrimento, demonstraram a sua solidariedade Bragança – Manuel Delgado tel. 273 312 597 / tlm. 914 150 607
e apoio, vem por este meio manifestar o seu enorme reconheci- Bragança – Adérito Pinela tlm. 936 384 627

mento. Preço por pessoa: Adultos: 29 €    3/12 anos: 14,50 €    A partir dos 13: 29 €

Bem hajam e que Deus vos proteja. PROGRAMA: 11:30 h. – Missa celebrada no local do evento
PROGRAMA: 12:30 h. – Almoço e Convívio pela tarde fora

14 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE RURAL

Festa das Vindimas VOZES


Armando Vila Real
ignora distrito de Bragança Carregador de baldes
“É um trabalho duro e
pesado e antigamente
ainda era mais difícil,
Glória Lopes porque não havia trac-
tores e era preciso car-
Apresentação do cartaz regar tudo às costas.
começou em Carrazeda
de Ansiães, o único conce- Graça Vila Real
lho do distrito de Bragança Vindimadora
que integra o evento “Isto não custa nada,
é cortar as uvas. Acho
O coração do Douro bate mais que é mais difícil para
forte nesta altura do ano, por oca- os homens porque têm
sião das vindimas. A Rota do Vinho de andar com os bal-
do Porto quer aproveitar este pulsar des às costas cheios de
para promover a região e trazer mais uvas.
turistas interessados em sentir todo o
ciclo de produção do vinho.
Para tal, está em curso a Festa das Maria da Conceição
Vindimas 2010, sob o lema “Vamos Vindimadora
ao Douro às Vindimas?”. Trata-se de “Vindimar é um tra-
um grande evento realizado em vários balho duro, sobretudo
concelhos, apresentado na passada aqui em baixo ao pé do
quarta-feira, na Quinta da Senhora rio pois aquece mais.
da Ribeira, em Carrazeda de Ansiães, Todos os anos venho.
um dia depois da abertura oficial da z A Festas das Vindimas teve início na Quinta da Senhora da Ribeira, em Carrazeda de Ansiães Trabalho todo o ano
campanha vitivinícola deste ano. na agricultura”.
O certame vai decorrer até final distrito de Bragança pertencente à zem um ano de intenso trabalho nos
de Outubro em Lamego, Peso da Ré- Região Demarcada do Douro vai con- socalcos do Douro vinhateiro, mas
gua, Tarouca, Sabrosa, Vila Nova de tar com eventos deste cartaz. É o caso aquele responsável considera que “os tos os que nos visitam nesta altura,
Foz Côa e Alijó. Apesar da iniciati- de Torre de Moncorvo, Freixo de Es- resultados são animadores”. para participar, cortar e pisar uvas”,
va ter sido lançada em Carrazeda de pada à Cinta e Vila Flor. As vindimas Esta actividade agrícola já é um referiu Ricardo Magalhães, presiden-
Ansiães, mais nenhum concelho do finalizam um ciclo agrícola e tradu- cartaz turístico no Douro. “São mui- te da Estrutura de Missão do Douro.
Todavia, apesar dos esforços a
região ainda não consegue dar vazão
a tantos visitantes, e subsiste a falta
Balões formam cachos de uvas de alojamento. “Estamos a mandar
turistas para Viseu e Chaves”, lamen-
tou Ricardo Magalhães, que consi-
A cerimónia de abertura da Festas das Vindimas, ty», que terá lugar no dia 18 de Setembro, no Solar do
dera que o grande desafio nos próxi-
onde não faltou o lançamento de centenas de balões Vinho do Porto, em Peso da Régua, onde é obrigatório
mos anos “é aumentar a capacidade
azuis e verdes, simbolizando as uvas brancas e verme- usar uma peça de roupa ou um adereço cor de rosa, numa
de oferta ao nível do alojamento”. O
lhas, foi revestida de alguma “espectacularidade”, refe- analogia simbólica ao vinho rosé. “O vinho rosé está na
responsável da Missão destaca que
riu António José Teixeira. moda, por isso decidimos promover uma festa temáti-
a abertura de quintas na altura das
Na madrugada de quarta-feira foi lançado o site «Va- ca aliada ao tema rosé”, explicou António José Teixeira.
vindimas aos turistas é importante.
mos ao Douro às Vindimas?», e na Senhora da Ribeira O presidente da Câmara de Carrazeda, José Luís Cor-
“Há três anos não era possível, é uma
foi apresentado o ‘spot’ publicitário para passar na RTP. reia, referiu que a apresentação da festa na Senhora da
nova oportunidade que, felizmente,
O ponto alto da Festa das Vindimas é a «Pink Rose Par- Ribeira “foi importante porque se divulga o concelho”.
começa a existir”, acrescentou.

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 15


NORDESTE RURAL

Bombos dão música


BRUNO MATEUS FILENA decorrer da iniciativa. “É sempre um
dia diferente, que projecta o nome de
Ala noutros lados. Felizmente, nós
Desfile e actuações temos na freguesia três associações,
de doze Grupos Culturais e todas elas funcionam”, realça o au-
em Ala proporcionaram cor, tarca
Quanto ao futuro, o presidente
música, movimento da Junta não tem dúvidas: “cabe-nos
e banho de multidão a nós participar, ajudá-los naquilo
que podemos, não sendo muito, mas
No passado dia 12 de Setembro, eles sabem que, do lado da Junta têm
a aldeia de Ala foi palco do Encontro sempre o apoio necessário, logístico
de Grupos Culturais de Macedo de e algum dinheiro quando podemos;
Cavaleiros. e temos criado sinergias engraçadas
Organizado pela Associação Cul- que, no fim, dão nisto”, declarou o
tural, Recreativa e Desportiva de autarca.
Ala (ACRDA), pelo terceiro ano con-
secutivo, com o apoio da Junta de
Freguesia e da Câmara Municipal,
este encontro conseguiu reunir 12
grupos culturais. Destes, seis são do z Grupos de Bombos invadiram Ala
concelho, a saber: Grupo de Bombos
de Ala, Banda de Latos de Bagueixe, ta o dirigente, “é para os grupos do
Fanfarra de Vale da Porca, Rancho da concelho e retribuir, claro, o convite
Casa do Povo de Macedo de Cavalei- dos grupos de fora”.
ros, Grupo Toca a Bombar e a AJAM. A Associação anfitriã engloba,
Aos grupos concelhios juntaram-se desde há 5 anos, o Grupo de Bombos,
seis grupos convidados: Grupos de que fez as honras da casa. Também o
Bombos Família Peixoto (Vizela), presidente da Junta de Freguesia de
San­ta Maria de Gémeos (Guimarães), Ala, Luís Romieiro Rodrigues, mos-
São Salvador de Meixomil, S. Mame- trou-se bastante satisfeito por todo o
de de Seroa, «Botabaixo» (Vilarinho
dos Freires – Régua) e o Grupo Zés
Pereiras (Gandra – Paredes).
Com o objectivo de promover
um intercâmbio de experiências, tra-
dições e culturas, este convívio ini-
ciou-se às 14h com um desfile pela O apoio da Câmara Municipal
localidade, seguido das actuações de Macedo de Cavaleiros também
dos doze grupos presentes no centro se reflectiu na logística e em algum
da aldeia. financiamento. “O nosso apoio é lo-
“Isto, no princípio, foi para co- gístico, em termos de recursos huma-
memorar o aniversário do Grupo. nos e através da disponibilização de
Depois, começou-se a pensar reunir transporte, e financeiro. Em troca, os
aqui os grupos do concelho, e como Grupos vão-nos concedendo algumas
nós, este ano, fomos convidados a ir actuações pelo concelho”, referiu a
a outros encontros, então, nessa al- vereadora da Cultura, Sílvia Garcia.
tura, esses mesmos grupos quiseram E assim se consegue fazer um
vir conhecer Ala, explicou João Luís encontro que se tem revelado uma
Salsas, presidente da ACRDA, eleito aposta ganha a cada ano que passa e
há um ano. que, de acordo com os seus principais
“A ideia fundamental”, acrescen- zGrupos homenageados em dia grande para a cultura popular intervenientes, será para continuar.

16 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


CUltura

M.J.P. – Quinta de Vila Maior


NORDESTE RURAL

Casa da Palmeira
Os Vinhos entre os Melhores do Mundo

Os Vinhos Quinta de Vila Maior e Casa da Palmeira têm sido premiados nos mais prestigiados concursos a nível mundial:
QUINTA DE VILA MAIOR 2007 – Medalha de Ouro – Wine Internacional Challenge 2010 Londres
CASA DA PALMEIRA 2007 RESERVA – Medalha de Prata – Wine International Challenge 2010 Londres
CASA DA PALMEIRA 2007 – Medalha de Ouro – Concurso Mundial de Bruxelas 2010

Quinta de Vila Maior – Foz do Sabor – 5160-035 Torre de Moncorvo • Tel.: 279 979 153 / Fax: 279 979 488 • quintavilamaior@gmail.com

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 17


NORDESTE RURAL

breves
Murça
Inaugurado Lar do Lombo
Centro de Gestão BRUNO MATEUS FILENA
tem novo presidente
Acordos com a Segurança
José Moutinho
é o novo presiden- Social poderão, eventual-
te do Centro de mente, acontecer, mas
Gestão e Empresa
Agrícola Vale da
somente em 2011
Porca, em Murça,
Foi inaugurado, no passado dia
após eleições reali-
12 de Setembro, o Lar da Terceira
zadas no passado dia 5 de Setembro.
Idade na aldeia do Lombo, concelho
O presidente cessante, João
de Macedo de Cavaleiros, uma unida-
Carlos Bessa, ocupou o cargo du-
de que com capacidade para servir 95
rante mais de seis anos, conse-
pessoas nas valências de lar de idosos
guindo trazer uma nova dinâmica
e serviço de apoio domiciliário.
à instituição. Reforçou e valorizou
O edifício dispõe de 31 quartos,
o seu quadro técnico, recuperou e
sendo 23 duplos, 7 individuais e um
solidificou a área financeira e con-
de casal, 5 salas de estar, uma sala
seguiu a aquisição de um edifício,
de actividades lúdicas e recreativas, z Bispo de Bragança-Miranda presidiu à inauguração
com excelentes condições, para o
consultório médico, barbearia/ca-
Centro de Gestão. Todo este tra-
beleireiro e duas unidades de banho para que possam aqui ser acolhidos deu: “Estamos disponíveis, mas não
balho resultou numa imagem que
acompanhado. aqueles que mais precisam”, afiançou podemos é garantir que venham a
transmite solidez, actividade e
A nova infra-estrutura vem refor- o presidente da Câmara Municipal acontecer naquele que, provavel-
confiança para o exterior.
çar os equipamentos sociais de apoio de Macedo de Cavaleiros, Beraldino mente, seria o tempo expectável para
José Moutinho, licenciado em
à Terceira Idade num concelho com Pinto. “É o objectivo da Misericórdia a instituição. Este é um equipamento
Sociologia e mestre em Desenvol-
elevado número de idosos, muitos e uma grande necessidade do muni- construído com verbas próprias, da
vimento Local e Regional de for-
sem qualquer retaguarda familiar. cípio. Essa é, agora, a nossa ambição Fundação, não é uma resposta prio-
mação, é técnico superior da Câ-
No entanto, o lar, já em funcio- e o nosso desejo é que esses acordos ritária em termos de celebração de
mara Municipal de Murça.
namento, não tem, ainda, acordos de se concretizem rapidamente”, acres- novos acordos. Vamos ter que saber
Desde sempre que está ligado
cooperação com a Segurança Social. centou o autarca. esperar”, salientou a responsável.
à produção agrícola, seguindo as
“É muito importante que haja esses Quanto à disponibilidade da Se- Em relação a estimativas, a directora
pisadas da família, sendo, tendo
acordos a curto prazo para permi- gurança Social providenciar esses distrital garantiu: “seguramente, que
desempenhado funções nos órgãos
tir que as famílias de menos recur- acordos a “curto prazo”, a directora não acontecerá este ano. A celebração
sociais da Cooperativa dos Olivicul-
sos possam ter aqui os seus idosos, distrital, Teresa Barreira, respon- de novos acordos é programada com
tores de Murça, na Adega Coopera-
muito tempo de antecedência, sem-
tiva de Murça, Associação Florestal
pre no ano anterior. Portanto, para
do Vale Douro Norte, entre outras.
este ano, será impossível”, acrescen-
O Centro de Gestão e Empresa
Agrícola Vale da Porca foi criado a Luxemburgo apoiou equipamento tou Teresa Barreira.
22 de Setembro de 1995 com cerca
de 20 sócios fundadores, contan- Adjudicada no final de 2008, a obra teve um custo na ordem dos 2,3 Equipamento acolhe 55 utentes,
do actualmente com cerca de 400 milhões de euros, tendo sido financiada em 2 milhões pela Fundação Félix mas ainda são precisas mais
associados. Desde a sua fundação, Chomé, no Luxemburgo.
tem apoiado os empresários agrí-
vagas e lares no concelho
Presente na inauguração, esteve o embaixador daquele país em Por-
colas associados, servindo como tugal, Alain de Muyser. Segundo o responsável, o Lombo foi a aldeia es- A responsável não promete, no
mediador nas relações entre estes e colhida porque muita da emigração vem desta parte de Trás-os-Montes. entanto, que esses acordos sejam
instituições como o IFADAP, IVV; “Existem tantas ligações entre os dois países. São tantos os portugueses sequer concretizados. Promete, sim,
Casa do Douro, IVDP e Cooperati- daqui no Luxemburgo que nos sentimos na obrigação de ajudar”, afirmou avaliar as possibilidades de poderem
vas, entre outros). o diplomata. acontecer. “Pelo menos, para alguns
Ao longo dos 15 anos de exis- Já Beraldino Pinto sublinhou a importância da Fundação Félix Cho- utentes”, referiu.
tência as suas actividades têm- mé na concretização do equipamento. “A Fundação foi essencial, já que, O provedor da Santa Casa da Mi-
se prendido essencialmente pela de uma forma extraordinária, apoiou financeiramente a construção desta sericórdia de Macedo de Cavaleiros,
elaboração de projectos agrícolas, obra. Este investimento é, assim, entendido como um pouco de retorno do Alfredo Castanheira Pinto, avançou
contabilidade e apoio técnico, não contributo que os portugueses deram para o desenvolvimento do Luxem- que esta nova infra-estrutura traz
esquecendo a formação profissio- burgo”, declarou o edil macedense. consigo a capacidade de resolver o
nal dos seus associados, sempre Por esse motivo é que os ex-emigrantes do Luxemburgo e os seus fami- problema a 55 idosos. “Mesmo assim,
com o intuito da protecção e, so- liares directos têm prioridade garantida de admissão no Lar. são precisas mais vagas e mais lares”,
bretudo, da produção integrada.
salvaguardou.

18 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE RURAL

Uma montra de produtos regionais


Glória Lopes
VOZES
Peredo acolheu II Feira
do Azeite e da Caça Vítor Fontes
Empresário
O secretário de Estado das Flo- “Eu sou de Chacim e
restas e do Desenvolvimento Rural, decidi vir à feira para
Pedro Sousa Barreiro, alertou os mostrar os produtos
agricultores de Macedo de Cavaleiros da minha panificado-
para a necessidade de proteger a flo- ra, nomeadamente o
resta, através do cuidado e fertiliza- folar, pão, bolos, a par
ção das terras. dos enchidos que também vendo.
O titular da pasta falou durante É a primeira vez que participo,
a abertura da II Feira do Azeite e da mas parece-me uma boa forma de
Caça que se realizou entre sexta e do- divulgação”.
mingo em Peredo, concelho de Mace-
do de Cavaleiros, e lembrou aos pro- z Produtos da terra mostram o melhor de cada zona, defende secretário de Estado das Florestas
dutores que “a fertilidade dos solos é Isidro Carvalho
essencial, pois a floresta contribuiu público local os conheça”, justificou. dicionais, artesanato, vinhos. Além Cooperativa Agrícola Macedo
para a preservação do ambiente e no Sobre Macedo de Cavaleiros, o da mostra das iguarias regionais, o
de Cavaleiros
ciclo hidrológico, por exemplo para membro do Governo destacou a pai- programa do certame incluiu tam-
“Vale sempre a pena
evitar enxurradas”. sagem “lindíssima”, uma gastronomia bém sessões de provas de azeite e
vir porque é uma ma-
Pedro Sousa Barreiro considera e uma cultura “que devem ser preser- vinho, animação musical, um roteiro
neira de divulgar os
que as feiras sectoriais, como a II Fei- vadas”, e produtos da terra “essen- museológico e dois seminários onde
produtos, principal-
ra do Azeite e da Caça, são muito im- ciais para o desenvolvimento econó- os participantes puderam expor os
mente a quem vem de
portantes para o desenvolvimento da mico local e a fixação de populações”. problemas e didácticas ligadas à pro-
fora. A cooperativa recebe quatro
região. “Acabam por mostrar o me- O azeite e a caça são dois produ- dução olivícola e gestão cinegética.
a cinco milhões de quilos de azei-
lhor de cada zona, são uma montra. O tos de excelência do concelho de Ma- O presidente da Câmara Muni-
tona por ano, em média. Estamos
país tem hoje um leque de produtos cedo de Cavaleiros, mas na mostra cipal de Macedo de Cavaleiros, Be-
com boas perspectivas que vai ser
de qualidade mundial e é importan- estiveram presentes muitas outras raldino Pinto, referiu que o certame
uma boa campanha”.
te que apareçam nestas feiras e que o produções, como o pão e o folar tra- “é muito importante porque promo-

ve produtos de grande qualidade do


concelho e da região”.
Ginginha à transmontana
“O País tem hoje um leque de
Uma família de Macedo são todos transmontanos, mas
produtos de qualidade mundial”
de Cavaleiros decidiu lançar o engarrafamento ainda não é
a ‘Ginginha Transmontana”, feito pela empresa detentora A autarquia tem feito um esfor-
uma bebida que sempre se da marca. “Nós mandamos ço para que muitos destes produtos,
consumiu na região, apesar fazer o engarrafamento e a ro- a que chamou formas da identidade
de nem sempre estar associa- tulagem. Tem muita saída, es- transmontana, sejam consumidos à
da a Trás-os-Montes. pecialmente ao copo, quando mesa dos restaurantes ou vendidos
A ‘Ginginha Transmonta- vamos a feiras. nos estabelecimentos comerciais do
na’ foi apresentada na última Cada copinho custa 1 eu- concelho. Mesmo assim, o edil defen-
Feira do Azeite e da Caça, e si- ros, e também temos a verten- de um reforço na sua promoção “para
multaneamente num certame te do copo de chocolate que estimular os circuitos comerciais
na Moita do Ribatejo. A mar- muito agrada aos clientes”, para a sua venda”. Na óptica do au-
ca é muito recente e tem cerca referiu Lurdes Máximo. tarca, “estes eventos ajudam a captar
de dois meses de existência. z Ginginha Transmontana é marca há 2 meses Para já, a empresa não dis- visitantes depois do Verão”.
Lurdes Máximo, a empre- põe de dados sobre as vendas, O presidente da Junta de Peredo es-
sária que apostou nesta bebida, explicou ao Jornal Nor- nem previsões sobre o potencial da bebida em termos tava satisfeito com a escolha da fregue-
deste que já registou a marca. “É uma novidade. Não comerciais, mas a proprietária encara o futuro com es- sia para a realização o certame. “Assim
conheço outra na região, nem é habitual”, garantiu. perança. “Ainda estamos a começar e a dar os primei- vem mais gente e visitantes até cá. É o
Os produtos utilizados na composição da ginginha ros passos, vamos seguir em frente”, garante. que interessa para o desenvolvimen-
to da aldeia”, explicou José Libório.

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 19


NORDESTE RURAL

Javalis arrasam
vinha na Gestosa
G.L. responsabilidade deles e que tinha de
ir queixar-me à Unidade de Gestão
Florestal”, conta Manuel dos Santos
Proprietário não consegue Vaz. O proprietário assim fez, mas
ser ressarcido dos prejuízos sem sucesso, mais uma vez. “Na Uni-
dade disseram-se que tinha de apre-
Um agricultor da aldeia de Ges- sentar o caso à Associativa de Caça da
tosa, concelho de Vinhais, queixa-se Zona da Gestosa. Já o fiz, mas tam-
que os javalis lhe destruíram, total- bém não tive bons resultados, porque
mente, a produção de uma vinha, me disseram que não pagavam nada,
com 600 cepas. “Está tudo estragado. e que apenas me podiam passar uma
A vinha não tem uma uva sequer. Não credencial que me autorizava a fazer
se aproveita nada de nada. Foi uma uma espera ao javali durante a noi-
razia completa”, explicou Manuel dos te”, lamenta.
Santos Vaz ao Jornal Nordeste.
O agricultor e a esposa depara- Parque passa bola à Unidade
ram-se com os estragos há cerca de
uma semana, quando se deslocaram
de Gestão Florestal, que remete
à vinha para ver se a as uvas já esta- caso para a Zona de Caça
vam em condições de serem vindi- Associativa
madas. Mas, qual não foi o espanto
do casal quando verificaram que No entanto, como não é caçador,
não havia nada para vindimar. “Vi- nem dispõem da respectiva licen-
mos que o javali fez um buraco por ça venatória para caçar, o agricultor
baixo da rede para entrar, porque também não poderá fazer a espera ao
o campo está todo vedado. Entrou javali. “Não posso caçar o javali, mas
na vinha, comeu umas uvas e outras mesmo que pudesse já não resolvia
só estragou. Não ficou um bagui- nada porque a vinha já está destruí-
nho, não se pode aproveitar nada”, da”, referiu.
acrescentou. Naquela vinha, o agricultor pro-
Este ano, a produção vitivinícola duzia, em média, mais de 500 a 700
de Manuel dos Santos Vaz terá uns kg por ano. “O prejuízo ainda é consi-
litros de vinho a menos, pelo que o derável”, assegurou.
agricultor já se mentalizou que só vai Até então nunca tinha tido pro-
poder contar com as uvas de outras blemas com os javalis, uma vez que
vinhas. a vinha está vedada. “Mas os vizi-
Uma vez que a localidade está nhos já tinham tido problemas des-
inserida no Parque Natural de Mon- tes. Agora nem sei o que fazer. Para
tesinho, o agricultor deslocou-se à dar seguimento ao processo tenho de
sede da área protegida, em Bragan- gastar mais dinheiro, terei de ficar
ça, para dar conta da situação e ten- com o prejuízo. Mas pelo menos ain-
tar ser ressarcido dos prejuízos. “Lá da vou escrever para a Direcção Ge-
[no Parque] disseram-me que ali não ral de Caça e Pesca para dar conta do
podiam fazer nada, que não era da problema”, garantiu.

z “Foi uma razia completa”, lamenta o proprietário da vinha

20 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE RURAL

Carvalhais quer treinar Cão de Gado


GLÓRIA LOPES que a ideia pode ser executada até ao
final de 2012. Um dos objectivos é va-
lorizar o cão de gado transmontano,
Escola Agrícola projecta que, segundo Manuel Taveira, preci-
centro de treino para cães sa de ser alvo de um estudo para afe-
rir as suas capacidades para guardar
de gado transmontano e de gado. “Temos de ver se o cão serve só
caça, a par de hotel canino para afugentar lobos, ou se, de facto,
tem capacidades para tomar conta de
um rebanho, para o guiar e encami-
O nte.A Escola Profissional de
nhar, pois não é um cão obediente,
Agricultura e Desenvolvimento Rural
apesar de defender os rebanhos”, ex-
de Carvalhais, em Mirandela, quer
plicou o director da Escola Agrícola.
implementar um centro de treino
para cães de gado transmontano e
para cães de caça. Estudo para aferir
O projecto prevê, também, a cria-
viabilidade do projecto
ção de um hotel canino, cuja principal
missão será guardar cães de caça fora
da época cinegética. “O transporte Para o responsável, o cão de gado
dos animais é complicado e, muitas “precisa de ser treinado para a exe-
vezes, no final da época muitos são z Projecto para treinar Cão de Gado conta com apoio de liceu francês com experiência na área cução de tarefas, mas como é um cão
abandonados pelos donos”, explicou corpulento não se sabe se tem resis-
Manuel Taveira, director daquela os franceses lançaram o repto à Es- te treino e reprodução. tência física para encaminhar os re-
instituição de ensino. cola Profissional de Carvalhais para Em marcha já está a realização banhos durante um dia inteiro”.
O projecto está a ser desenvolvido entrar no projecto que vai ser can- de um estudo para passar à acção. Em França existe a tradição do trei-
em parceria com um liceu francês de didatado a fundos comunitários, no Em Janeiro do próximo ano a escola no de cães para guarda de rebanhos.
Auvergne (França), que já trabalha âmbito do Programa Comenis, que vai receber uma comitiva de técnicos É essa actividade que Manuel Ta-
nesta área, nomeadamente na ver- facilita o intercâmbio entre países. franceses que vão apoiar a instalação veira gostava de desenvolver em Car-
tente de treino de animais, principal- Manuel Taveira adiantou que vão do hotel canino e do centro de treino. valhais, alegando que pode ser mais
mente de cães. incluir mais dois ou três países para “Num primeiro momento será para um filão a explorar pelos alunos da es-
A ideia surgiu ,durante um inter- criarem uma rede de partilha de ex- definir o tipo projecto a dinamizar”, cola, no âmbito do empreendedoris-
câmbio de escolas da Europa, onde periências sobre cães, nomeadamen- frisou o responsável, que acrescentou mo e da criação do próprio emprego.

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 21


NORDESTE RURAL

Agricultores esperam subsídios há três anos


Glória Lopes este ano em seja possível recuperar o
tempo que já passou relativamente aos
financiamentos e apoios”, vaticinou.
Agricultores da zona
de montanha desesperam Todas as situações estão
pelas ajudas à produção globalmente atrasadas
por causa do atraso do PRODER
Ainda não foram desbloqueados os
apoios à agricultura de montanha, um Também o presidente da Associa-
sector que “está profundamente debi- ção de Olivicultores de Trás-os-Mon-
litado”, assegurou o vice-presidente tes (AOTAD), António Branco, defen-
da CAP, Mário Abreu Lima, à margem de que é preciso um diferenciamento
de um seminário realizado em Miran- na atribuição de subsídios a estas re-
dela, no passado dia 7 de Setembro. giões. Daí a sua insistência para que
Os atrasos no pagamento dos fun- a agricultura seja considerada como
dos já têm três anos. “Há problemas um bem público. “É uma região onde
gravíssimos que se passam na agri- convivem vários tipos de culturas, di-
cultura de montanha, como é o caso ferentes dimensões nas explorações,
do Douro, uma zona que é tida como e estamos preocupados”, admitiu.
muito rica, mas que está a atravessar No dia 7 de Setembro foi ainda
um momento extraordinariamente z Agricultores debatem-se com falta de apoio e atenção, denuncia a CAP assinado um protocolo de concentra-
difícil de ordem financeira por falta ção de várias associações da região,
de apoio e de atenção”, denunciou o a ser analisado pelo ministro da Agri- res da zona de montanha, nomeada- como a AOTAD e a APITAD, com o
dirigente associativo. cultura e pelas organizações de asso- mente os que trabalham na área do objectivo de “rentabilizar o investi-
Segundo o responsável, “é urgen- ciações de agricultores. Na sequência pastoreio. “Todas as situações estão mento que tem sido feito e melhorar
te fazer-se a revisão do CIPAC, que já deste estudo prevê-se que a partir do globalmente atrasadas por causa do o serviço aos associados”, explicou
está em curso, mas não está termi- próximo ano a situação seja alterada atraso do PRODER. Há três anos que António Branco.
nada, como é o caso dos seguros aos e a pouca utilização dos seguros por aguardamos o início dos investimen- O dirigente defende que a agri-
agricultores”. No entanto, foi consti- parte dos agricultores possa mudar tos”, referiu Abreu Lima. cultura tem de começar a ser vista
tuído um grupo de trabalho para al- devido à maior facilidade de acesso. O programa está a dar os primei- com uma perspectiva diferente. As
terar o actual sistema de seguros. A Actualmente está em desenvolvi- ros passos, um sinal de esperança para associações “têm de dar o exemplo”,
primeira fase está concluída, a equi- mento um programa específico com o responsável da CAP. “Estamos a re- esta é a opinião generalizada dos res-
pa já apresentou o relatório que está apoios financeiros para os agriculto- cuperar tempo perdido, pode ser que ponsáveis das associações.

OPINIÃO

A Protecção dos Animais – uma


Duarte Lopes
Médico
Veterinário
questão recorrente em Bragança!
vetsantiago@gmail.com
do-lhe os cuidados veterinários ne- cães que se encontrem soltos na via
cessários. pública, por questões de segurança e
A protecção dos animais é um Há poucos meses um outro mu- saúde pública e também de protecção
indicador de qualidade de vida e de nícipe atropelou em plena Avenida e bem-estar animal.
modernidade civilizacional. Sá Carneiro um cão de pequeno porte Os municípios devem dispor de
Infelizmente são muitos os epi- cuja docilidade e boa socialização in- serviços veterinários próprios que
sódios que indiciam que a protecção diciavam que tinha dono. Não sendo prestem apoio nesta área da pro-
dos animais anda esquecida por ter- da sua responsabilidade, mas com o tecção e bem-estar animal, devendo
ras nordestinas. dever moral de parar e prestar assis- oferecer formas eficazes de contac-
Há poucos dias, uma munícipe tência, o automobilista recolheu-o e to para os munícipes que requeiram
de Bragança telefonou para a Câmara assegurou os cuidados médicos ne- este tipo de apoio.
Municipal informando que se encon- cessários. Infelizmente, mais uma vez Considero que será maioritária
trava em frente da sua casa um cão não houve qualquer colaboração do a opinião que aponta para que estes
atropelado, que não tinha sido iden- mu­nicípio, não tendo sido possível serviços de cariz público não devem
tificado como pertencente a qualquer localizar o dono, restando a boa von- por inércia dos municípios ser dele-
vizinho e que precisaria de ser reco- tade de alguns cidadãos que se mobi- gados em entidades privadas.
lhido pelos serviços municipais. Não lizaram para encontrar uma solução
existindo qualquer desenvolvimento, alternativa e um novo lar para este Numa altura que se aguarda pela
um segundo telefonema voltou a ser animal. ci­neração/cremação. Os cadáveres abertura do canil Intermunicipal
efectuado, com novo registo da cha- Uma outra história recorrente é de animais não são resíduos sólidos da Terra Fria, em Vimioso, e que se
mada e uma pergunta do interlocutor a presença de cadáveres de animais urbanos, não podendo ser tratados criam algumas expectativas de mu-
camarário, questionando se o cão em de companhia na via pública, a maior como “lixo doméstico”. Os municí- dança nesta área, a primeira mudan-
causa seria agressivo. Não havendo parte em resultado de atropelamen- pios neste capítulo estão obrigados ça que se exige deve vir de dentro, de
nenhuma resposta por parte do mu- to. De acordo com os regulamentos a possuir um plano de recolha e en- quem tem o poder político e passa
nicípio, foi a munícipe que recolheu o e legislação vigente cabe aos serviços caminhamento de cadáveres de ani- essencialmente por uma mudança de
animal da via pública e o colocou no municipais efectuarem essa recolha mais de companhia, tal como é da atitude relativamente às questões da
seu quintal, alimentando-o e prestan- e encaminharem o cadáver para in­ sua competência legal a recolha de protecção e do bem-estar animal.

22 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


CULTURA

Festa do livro e da leitura


Francisco Pinto da cultura portuguesa, como Camilo
Castelo Branco ou Rafael Altamira”,
destacou Marta Madureira, bibliote-
Biblioteca Municipal cária.
Trindade Coelho assinala Como prenda de aniversário, a
primeiro aniversário responsável pede que o espaço de
cultura seja mais utilizado por parte
com iniciativas culturais dos alunos e população do concelho,
e didácticas já que “tem óptimos recursos” e dis-
põe de um conjunto de obras e acesso
A Biblioteca Municipal Trindade a produtos multimédia.
Coelho (BMTC) está a assinalar um Por seu lado o vereador da Câma-
ano de existência com várias iniciati- ra Municipal de Mogadouro, António
vas didácticas, ao mesmo tempo que Pimentel, relembra, que a biblioteca
dá a conhecer o espólio do seu patro- “está dotada de sistema de conser-
no, o escritor Trindade de Coelho. vação e de controlo à prova de fogo”,
Recorde-se que a BMTC tem ao que faz do equipamento “um dos me-
cargo, em regime de comodato, o lhores da região transmontana”.
espólio do escritor Trindade Coelho, O investimento na BMTC rondou
propriedade do Museu Abade de Ba- 1,3 milhões de euros, um valor que
çal, em Bragança. António Pimentel considera bem em-
Do espólio de Trindade Coelho pregue. “Recebemos cerca de 1300
faz parte um conjunto de objectos z Aniversário assinalado com actividades para os mais pequenos utentes/mês”, frisou António Pi-
pessoais que vão desde manuscritos, mentel, acrescentando que o equipa-
jornais da época que relatam a morte de “Os Meus Amores”. tinteiros, boquilhas para tabaco, ca- mento “está numa área da vila que se
do escritor, passando a objectos pes- “Temos um conjunto diversifi- netas de aparo, correspondência da encontrava degradada, que agora se
soais e mobiliário utilizado pelo autor cado de objectos pessoais, tais como época trocada com grandes vultos transformou num lugar aprazível”.

Macedo de Cavaleiros

Portugal Europeu no Centro Cultural


Percorrer o «Portugal Europeu: Portuguesa e do Portugal Europeu. a 2007 (da Adesão às Comunidades primórdios da construção europeia
Meio Século de História» através de A mostra divide-se em quatro Europeias ao Tratado de Lisboa). até à actual qualidade de membro de
fotografias é a proposta do Centro blocos temporais: de 1945 a 1960 A História de Portugal e a sua re- pleno direito da União Europeia.
Cultural de Macedo de Cavaleiros, (do fim da Segunda Guerra Mundial lação com a União Europeia é mos- A exposição itinerante sobre os 50
onde está patente uma mostra sobre à Grande Crise do Regime), de 1961 trada nesta exposição de modo apela- anos que unem Portugal à construção
esta temática até ao dia 27. a 1974 (da Guerra em África à Que- tivo e ilustrado, com recurso a alguns europeia é da direcção e organização
Trata-se de uma acção comemo- da do Estado Novo), de 1975 a 1985 documentos curiosos e importantes do Gabinete do Parlamento Europeu
rativa que proporciona uma viagem (da Revolução de Abril à Adesão às imagens elucidativas. Patenteia-se o em Portugal e da Representação da
pelas últimas seis décadas da História Comunidades Europeias) e de 1986 caminho percorrido por Portugal, dos Comissão Europeia em Portugal.

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão dente à cave direita ampla que se destina a garagem, com 132m2, sita na
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010
Alameda Nossa Senhora de Fátima, freguesia e concelho de Macedo de Ca-
valeiros, em regime de propriedade horizontal, descrita na Conservatória do
CPN 4009 Registo Predial de Macedo de Cavaleiros sob o n.º 1279/19940408.
PENHORADO EM: 27.01.2006
Alexandra Gomes INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM:
Solicitadora de Execução EXECUTADOS: Jorge Manuel Gonçalves Ribeiro e Maria Celina Fer-
nandes Costa Ribeiro, casados no regime da comunhão de adquiridos, re-
ANÚNCIO DE VENDA (1.ª Publicação) sidentes na Rua Ester Leal, n.º 4, 5340 Macedo de Cavaleiros, NIF’s
154678791 e 134371135, respectivamente.
Processo 883/04.5YYPRT    Execução Ref. Interna: MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante propostas em carta fe-
Macedo de Cavaleiros – Tri-    Comum PE-192/2006 chada, a serem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pe-
bunal Judicial – Secção Única Data: 17-09-2010 los interessados na compra, ficando como data para abertura das propostas o
Exequente: BPN – Banco Português de Negócios, S.A. dia 11 de Outubro de 2010, pelas 09:30 Horas.
Executados: Jorge Manuel Gonçalves Ribeiro e VALOR BASE DA VENDA: 26.000,00 euros.
Maria Celina Fernandes Costa Ribeiro Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 18.200,00 eu-
ros, correspondente a 70% do valor base.
Agente de Execução, Alexandra Gomes, CP N.º 4009, com endereço Nos termos do n.º 1 do art.º 897.º C. P. Civil “os proponentes devem jun-
profissional em Av. João da Cruz, n.º 70, Edifício S. José, 2.º Esq. Fren- tar à sua proposta, como caução, um cheque visado, à ordem do Agente de
te, 5300-178 Bragança. Execução ou, na sua falta, da secretaria, no montante correspondente a 20%
Nos termos do disposto no artigo 890.º do Código de Processo Civil, do valor base do bem, ou garantia bancária no mesmo valor”.
anuncia-se a venda do bem adiante designado: A sentença que se executa está pendente de recurso ordinário Não
BEM EM VENDA Está pendente oposição à execução Não
Tipo de Bem: Imóvel Está pendente oposição à penhora Sim
ARTIGO MATRICIAL: art.º 2896 Urbano – Finanças de Macedo de
Cavaleiros. A Agente de Execução,
DESCRIÇÃO: Fracção Autónoma designada pela letra F, correspon- Alexandra Gomes

À terça-feira nas bancas

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 23


cultura

Guerra Junqueiro em cinco línguas


FRANCISCO PINTO do projecto, Henrique Pereira.
A publicação do texto de Jun-
queiro é uma iniciativa da CMFEC,
O poema «A Lágrima», em parceria com a Escola das Artes
de Guerra Junqueiro, da UCP, com o apoio da Comissão
foi apresentado aos Nacional para as Comemorações do
Centenário da República.
conterrâneos do poeta
A obra “A Lágrima”, de Guerra
Exposição itinerante sobre
Junqueiro, ilustrada por Urbano Re- o poeta de Freixo de Espada
sende, foi apresentada em duas ree- à Cinta percorre o País
dições traduzidas para cinco línguas.
A coordenação do trabalho é da res- A obra foi apresentada em duas
ponsabilidade de Henrique Pereira, edições distintas, uma de luxo, outra
da Universidade Católica do Porto em formato de livro de bolso. “Não é
(UCP). uma mera obra de Junqueiro. A esta
A edição tem a chancela da “Lello juntam-se as traduções para castelha-
Editores”, que há três gerações man- no (António Rey Soto), italiano (Gui-
tém uma relação editorial com a obra do Battelli) e francês (Jules Supervil-
de Junqueiro. le)”, salientou o investigador.
A publicação apresenta-se com A exposição itinerante subordi-
uma edição especial com uma tiragem nada ao tema “Guerra Junqueiro: de
de 150 exemplares, numerados para z Autarquia de Freixo apadrinha mais uma iniciativa relacionada com Guerra Junqueiro Freixo para o mundo”, que acompa-
assinalar os 160 anos do nascimento nha o projecto, está a ser “ bastante
de Guerra Junqueiro, no âmbito das jo que assistimos em Freixo de Espa- 120 pessoas”. solicitada” pelas escolas da região
comemorações do Centenário da Re- da à Cinta ao lançamento de um poe- “Guerra Junqueiro estava em Via- Norte do País.
pública Portuguesa. ma tão emblemático da vasta obra de na do Castelo à data do trágico acon- “A mostra está patente nos jar-
Segundo o vice-presidente da Câ- Guerra Junqueiro”, realçou o autarca. tecimento que marcou a história da dins da UCP, onde permanecerá até
mara Municipal de Freixo de Espada O poema foi escrito em 1888, “por Invicta. Depois de escrito, o poema foi quinta-feira, para depois seguir para
à Cinta (CMFEC), Pedro Mora, a edi- reacção ao grande incêndio do teatro oferecido para que os dividendos da Santa Maria da Feira, Vila Nova de
ção foi um trabalho delicado, mas deu Baquet (Porto)”, onde se estima que venda revertessem a favor das vítimas Gaia e Viana do Castelo”, adiantou
os seus frutos. “Foi com muito regozi- ”morreram calcinadas pelo menos do incêndio”, resumiu o coordenador Pedro Mora.

24 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


CULTURA

Tierra, Giente i Lhéngua

L Mirandés an fiesta die de la


Lhéngua Mirandesa a 17 de Setembre
An buona hora la Cámara de mirandés i que ls mirandese yá muitá Antrega de lhibros La tarde de l Die de la Lhéngua
Miranda de l Douro, ourganizou que merecien este die, apuis de muito nas scuolas de l Mirandesa fui dedicado als alunos de
ne l die 17 de Setembre l die de la trabalho ne l ansino, na lhiteratura, cunceilho, cun tarde las scuolas de l cunceilho, Miranda
Lhéngua Mirandesa, quando pássan na música, ne l triatro i na cultura an dedicada als alunos
12 anhos subre l’apersentaçon de giral, muito agradecendo la perséncia (Continua na página seguinte)
la perpuosta de lei na Assemblé de dua tan grande delegaçon de l Grémio
la República que bieno a recoincer Lhiterário de Bila Rial i de l grande
ls dreitos de ls falantes de lhéngua scritor dr. Pires Cabral. Apuis tamien
mirandesa, apuis publicada cumo falórun Amadeu Ferreira, chamando
lei n.º 7/99, de 29 de Janeiro. Cun la la atençon pa l’amportança que ten
ourganizaçon deste die, la Cámara l mirandês ganhar cada beç mais
quijo dezir que ye perciso dá-le ua amigos na todo l paiç i ne l strangeiro,
nuoba buolta a todo l camino que i l scritor A. M. Pires Cabral, dezindo
ten benido a ser seguido cula nuossa que «nós olhamos para Miranda como
lhéngua, bien assente na sue stória, uma arca que guarda uma cultura
que nun puode ser squecida. riquíssima e oxalá não falte aos
Nunca Miranda de l Douro mirandeses a coragem para ensinar
i la sue lhéngua i cultura habien e defender a língua mirandesa».
stado persentes ne ls uorganos de Seguiu-se ua besita a la Sé i ua
quemunicaçon de todo l paiç de cúrtia splicaçon de cidade stórica,
modo tan bibo i tan fuorte i nunca mas l star a cubiznar nun ajudou. La
habie habido tanta giente ambuolta manhana acabou c’ua palhestra dada
ne l mesmo sprito de perténcia a la por Amadeu Ferreira, an mi­randés,
lhéngua mirandesa i, na giral, a la subre l tema «Mais de mil anhos de
sue cultura. lhéngua mirandesa», ne l ouditório

Receçon de buonas munecipal, stando cun el na mesa l


benidas na Cámara i Persidente de la Cámara, dr. Artur
palhestra subre la Nunes i l dr. A. M. Pires Cabral.
Lhéngua Mirandesa Amadeu Ferreira falou ende arrimado
a ua hora subre la stória de la lhéngua
Arrimado a las 11.30 horas de la mirandesa, ampeçando pula era an
manhana l Persidentede la Cámara que Pertual se tornou andependiente,
dr. Artur Nunes, acumpanhado por arreculando apuis até al tiempo
Amadeu Ferreira, l mestre José de romanos i zoelas, passando
Ruy i l scritor A. M. Pires Cabral, por suebos, besigodos i árabes, i
que xefiaba un grupo de l Grémio caminando puls seclos alantre até als
Lhiterairo de Bila Real, dou las nuossos dies, amostrando cumo la
buonas benidas a todos ls persentes lhéngua se formou i cumo rejistiu a
que anchien l Salon Nobre de la puntos de ser hoije, sien dúbeda, un
Cámara, dezindo que apuis doze grande património de ls mirandeses,
anhos este yera un die grande pa l de Pertual i de la Houmanidade.

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 25


LA FUOLHA MIRANDESA

(Continuação da página anterior) tanta era la giente. Amadeu Ferreira grande arranque cun la publicaçon lei de reoincimiento de la lhéngua
abriu la sesson cun la declamaçon de Ls Lusíadas?” Apuis falou l mirandesa. Apuis falou cada un
de l Douro i Sendin, puis ye ne ls de l poema de Fracisco Niebro tradutor, Fracisco Niebro (Amadeu de ls galardonados, agradecendo i
mais nuobos que stá l feturo de la Ua Lhéngua Cunfessa-se, talbeç Ferreira), que a todos agradeciu, an lhembrando l que fui feito i dezindo ls
lhéngua mirandesa. Arrimado a las Pormessa, quaije Jura, que deixou la special al persidente de la Cámara, nomes de muita de la giente que cun
3.30 horas de la tarde dou-se ampeço, assemblé agarrada a las cadeiras cula falando subre l camino que seguiu eilhes trabalhou i que bénen subretodo
na Scuola Secundaira de Miranda, a sue fuorça, de tal modo que nien l pa la traduçon de la obra i de l sou na Cumbençon Ourtográfica, cumo
la sesson de antrega, a cada aluno, resfuolgo s’oubie. Grande antrada para senificado pa la lhéngua mirandesa. Ivo de Castro, Rita Marquilhas, Cris­ti­
de l lhibro «Mirandés – Stória dua ua nuite bien rica an acontecimientos. Cerrou esta parte l Persidente de la na Martins, António Maria Mourinho,
Lhéngua i Dun Pobo», de José Ruy i Toda la sesson fui apersentada Cámara que a todos agradeciu, an Moisés Pires, António Bárbolo Alves,
Amadeu Ferreira, pul Persidente de de modo mui animado por Carlos special als amigos de l mirandés que Marcolino Fernandes, José Augusto i
la Cámara dr. Artur Nunes. Falórun Ferreira, an mirandés, i por Sónia benírun de Lisboa i doutros lhugares Valdemar Fernandes.
tamien António Santos, persidente Alves, an pertués, las dues lhénguas çtantes d’aperpósito para dezir
de l cunseilho diretibo de la scuola, de ls mirandeses. La nuite cuntinou persente neste die tan amportante pa
i Amadeu Ferreira pa ls muitos mui bien cun ua grande atuaçon de l la lhéngua mirandesa. La Fundaçon de Lhéngua
i Cultura Mirandesas

Houmenaige als Apuis de Emílio Martins, l dr.


fundadores de l Caçcárria, a todos haber anchido de
mirandês moderno risadas culas sues lhonas, falou outra
beç l Persidente de la Cámara subre
La nuite cuntinou cun Duarte l feturo de la Lhéngua Mirandesa,
Martins a apersentar la cuonta dezindo que se bolbie ua nuoba
“Miranda”, screbida pul Padre Zé fuolha na stória de la lhéngua i que
Fernandes, de Cicuiro, traduzida por la Cámara habie decidido cuntratar l
Alcides Meirinhos i pulicada ne l dr. Alfredo Cameirão, cumo técnico
lhibro ‘’La Mona L Maio’’, salido na de la Cámara, para assegurar que
Âncora Editora, na 2010, cun zeinhos la lhéngua stubira persente an todo
de Ana Afonso. l sou trabalho. Por fin, anunciou la
Apuis fui la beç de l Persidente Comisson Anstaladora pa la criaçon
de la Cámara dr. Artur Nunes fazer de la Fundaçon de la Lhéngua i
l sou çcurso, an mirandês, l que le la Cultura Mirandesas que será
alunos persentes na sala dezindo Grupo Coral de ninos de las scuolas eisigiu un grande sfuorço puis nun custituída puls seguintes nomes:
que l mirandés tenie l sou feturo na de Miranda, derigido por Paulo ye falante de la lhéngua. Falou de Artur Nunes, Alfredo Cameirão,
mano deilhes. A seguir, l mestre de Meirinhos, que cantórun bárias modas l senificado deste die i de ls muitos Amadeu Ferreira, Carlos Ferreira,
la banda zenhada José Ruy splicou mirandesas, stando todos eilhes de oubreiros que premitírun que todo Domingos Raposo, Duarte Martins,
ls çfrentes passos para chegar al parabienes i tamien ls pais de ls ninos. se tubira dado para chegarmos a este Júlio Meirinhos, Mário Correia i
trabalho que staba ne l lhibro, la Seguiu-se l salimiento de Ls die, fazendo ua síntese de la stória de Paulo Meirinhos. La Cámara dará las
ambestigaçon que fizo a la par de Lusíadas, traduzidos para mirandés
Amadeu Ferreira i l modo cumo se por Fracisco Niebro. Nesse salimiento
zambolbien ls zenhicos. Segui-se falórun l eiditor dr. António Batista
apuis un de ls momientos altos desta Lopes, de la Editora Âncora, l
cerimonha ou seia la antrega de ls porsor doutor Ernesto Rodrigues,
lhibros pul Persidente de la Cámara de la Faculdade de Lhetras de la
i pul bereador dr. Ilídio Rodrigues, Ounibersidade de Lisboua, natural
seguindo-se la dedicatória de ls de Torre de D. Chama, que fizo
outores José Ruy i Amadeu Ferreira. ua análze de la traduçon i falou de
Lhougo apuis, dou-se la mesma ls sous tiempos de Bergáncia cun
cerimonha na Scuola de Sendin. muitos mirandeses que eilhi stában
persentes, antre eilhes Amadeu
Ferreira, Júlio Meirinhos, Alcides
La apersentaçon Meirinhos, António Neto i l saudoso
oufecial de Ls Lusíadas Domingos Neto. Lhembrou a José
an mirandés Leite Vasconcelos i al Padre António
Mourinho cumo grandes oubreiros la lhéngua i de la muita giente que anstalaçones pa la sede i assegurará
Arrimado a las 9.30h de la nuite, de de la lhéngua mirandesa, aca­ por eilha fizo cousas amportantes, an todo l sou funcionamento i quier que
tubo lhugar la sesson solene de l die de bando a dezir que l Pertués tubo l termos de ambestigaçon, an termos deiqui a un anho steia l l trabalho
la lhéngua mirandesa, ne l ouditoiro sou arranque an 1572, preguntando de ansino i an termos políticos i so­ cuncluído i que neilha béngan a
munecipal, adonde nun se coubo, “será que l Mirandés bai a tener l sou ciales. Por todo l sou trabalho i cumo partecipar ls menistérios de la Culrura
repersentantes de muita outra giente, i de la Eiducaçon, yá que l Stado ten
atrebuiu la Medalha de Honra de la que assumir las sues repunsablidades
Cidade de Miranda de l Douro, a três an relaçon a la lhéngua mirandesa,
pessonas que stubírun na ourige i son assi cumo grandes ampresas
ls repersentantes mássimos de todo que trabálhan ne l cunceilho de
aquel trabalho: la doutora Manuela Miranda cumo la EDP i la REN.
Barros Ferreira, ambestigadora ouni­ La nuite yá iba alta, mas naide
bersitária i cordenadora científica arredaba pie, yá que inda staba
de la Cumbençon Ourtográfica de la para benir ua de las atraçones de la
Lhéngua Miarndesa, l dr. Do­mingos nuite, ls Galandun Galundaina que,
Raposo, purmeiro por­sor de mirandês cun la grande música mirandesa,
i cordenador de la Cumbençon Our­ cerrórun modo brilhante ua nuite tan
tográfica de la Lhéngua Mirandesa, i memorable que nunca le salirá de la
l dr Jú­lio Meirinhos, pul sou trabalho mimória als que tubírun l perbileijo
re­bolucionário anquanto Persidente de neilha partecipar.
de la Cámara i al apersentar na As­
semblé de la República l porjeto de Francisco Domingues

26 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

Nacional de Iniciados 5 LIMIANOS


G. D. BRAGANÇA 0 Nacional de Iniciados 4 SPORTING DE BRAGA
S. C. MIRANDELA 0
Campo do Cruzeiro Ponte de Lima Campo da Ponte (Braga)

O golo mais rápido Árbitro: Pedro Barbosa (Porto)


E Q U I PA S
Klemente evi- Árbitro: Humberto Teixeira (Porto)
E Q U I PA S

O que se pretende desta


Pedro Soares
André
Mário Capelas
Vinhas
tou derrocada Danilo
Rui
Klemente
Francisco
equipa é aprender, ganhar (Diogo 36) Jorge (Gomes 36”) Pepe
poder físico e jogar no campo Alpoim Esteves Victor Patata
todo, ao passo que as classifi- (Lima 36”) João Henrique Ricardo Costa (Mário Andrade
Bernardo (Miguel Brás 40”) Luís 36”)
cações deixam de ser impor-
(Leandro 60”) Kika M Soares Nuno
tantes nesta fase.
Pimenta Edu (Coelho 36”) Fernando
Não se trata de defender Tiago Alves (Rui 42”) Almendra Ricardo
ninguém, mas é esta a rea- (Cunha 36”) Nuno (Chico 36”) Roberto
lidade, visto que o leque de Rodrigo Hugo Alves Castro (Morgado 59”)
escolhas está lá e não se pode Lourenço Fábio (Pinto 50”) Cris
pedir mais a quem se levanta Neiva (Freixo 36”) Bonjardim (Dani 36”)
(Araújo 65”) Vilela Peixe
às 5 da manhã para ir jogar ao
Marco Bruno (Vasques 59”)
Minho. Esta é a primeira vez
que muitos miúdos o fazem TREINADORES TREINADORES

z Hugo, uma das promessas do GDB e precisam de se habituar, Ricardo Gomes Betinho Antas Sérgio Cristiano Ricardo Gomes
aprendendo a jogar e a cor-
Golos: Tiago Alves 20 seg”, (gp), Pimenta Golos: Castro 23”,25”,Vilela 49”,Coelho 58”
O GD Bragança voltou a rer num campo com mais de 16”, Marco 40”, 46”, Cunha 56”.
perder por 5-0, desta vez em 100 metros. Pena é que esta
Ponte de Lima, sofrendo um história, a não ser a exibição
equipa desça aos distritais e
golo de grande penalidade lo­ do jovem guardião visitante,
quando voltar a subir já mui- jogo, o resultado foi justo e o
go aos 20 segundos de jogo. com os adeptos a delirarem
tos deles serão juvenis. Neste futebol está de parabéns.
com defesas de outro mundo.
A prova mostra a diferença
entre uma grande cidade e
z Ricardo Gomes em dia não outra que, apesar da boa for-
Nacional de Juvenis: Diogo Cão, 2 – Bragança, 1 Uma grande prestação de
mação, não tem um leque de
escolha. O resultado traduz o

Há que ter vergonha!


Klemente na baliza da turma que se passou no campo da
da Terra Quente evitou que Ponte e, acima de tudo, ga-
os bracarenses construíssem rante que, este ano, a transi-
um resultado mais volumo- ção será um factor importan-
O Bragança perdeu com a so. A partida não teve grande te para o Mirandela.
Escola Diogo Cão para o Na-
cional de Juvenis por 2-1.
O resultado, neste caso,
foi o menos importante. O
que não se podia, nem devia dirigentes foram obrigados a os jogadores de uma Escola
ter passado, foram as vergo- entrar em campo para serenar ou mesmo os espectadores
nhosas agressões a uma se- os ânimos, perante três agen- chegar a este ponto?
nhora adepta do Bragança e tes da autoridade. Depois de Os golos ficam registados:
ameaças a outros elementos tudo mais calmo, veio outra João 1-0 de (gp) 6”, Zé Pedro
da comitiva que foram ver os parte, ainda, mais caricata. 25” (gp) e o tal golo de livre
seus filhos jogar. O juiz interrompeu o jogo du­ que despoletou toda esta si-
Tudo aconteceu ao minu- rante 10” e, incrivelmente, tuação lamentável.
to 70, num livre a favorecer a z Teixeira Alves enfrentou dificuldades deu 3 de compensação. Ora, De salientar, a grave lesão
turma de Vila Real, barreira então, como ficamos? Qual de um jogador da casa que
formada pelos jogadores do Deitado no chão, foi, de novo, e ficou estupefacto. O mesmo o significado desta atitude? caiu sozinho e uma triste ar-
Bragança e uma agressão ao agredido, saiu do campo para aconteceu ao jo­gador da equi- Medo? Insegurança? Ou falta bitragem de P. Pinheiro (AF
jogador canarinho Luís Trigo. ser assistido, viu o vermelho pa da Escola. No entanto, os de poder? Mais: como podem Braga), para mal do futebol.

17 27 29 38 50 1 3

23 27 30 36 41 49 22

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 27


NORDESTE DESPORTIVO

Taça de Portugal 2 S. C. MIRANDELA


MOURA A. CLUBE 1 Taça de Portugal 1 BRAGANÇA
Vendas Novas 2
Estádio de S. Sebastião (Mirandela) Estádio Municipal Bragança

Futebol de alta Ceifeira do Alentejo


Árbitro: Ricardo Ferreira (AF Braga) Árbitro: Albano Correia (AF Braga)
E Q U I PA S E Q U I PA S

competição Armando (cap) Rui Ximena Bonifácio


Jonas Mário Pedrinha Portela
FERNANDO CORDEIRO Carlão Mário Vilaça Ronaldo
Vaz Tê J. António (Ivo 67’) Xavier Ricardo
Ambas as equipas en- Tijane Kata Jaime Siribé
traram muito bem no jogo, Maktar Bruno Gomes (cap.) (Daniel 28”) Marco Fadista
(Rui Borges 58’) Filipe Toni Miguel Pimenta
proporcionando um período
Vicente, Renato Tó Miguel Fabien Capello José Ribeiro
inicial de parada resposta (Paulo Roberto 58) Rodas (Marco móbil 80”) (Cissé 68”)
naquela fase dita de estudo Carlos Borges Amaral (Jorge Tiago André Bruno
mútuo. Uma precipitação de Rondinele Monteiro 57´) (Valadares 60”) João Fadista
maior virilidade do jovem de- Dally Ricardo Filipe Mesquita (Fábio 46”)
fensor local dá o castigo má- (Rui Lopes 82’) Chiquinho Badará Traoré
ximo que Rodas converte no Bacari (Jair 80”)
TREINADORES
0-1 aos 6’ de jogo. Iniciando- Luís Guerreiro Fernando Piçarra
TREINADORES
se aqui a primeira suprema- Carlitos Carlos Vitorino
cia do jogo, com o Mirandela Disciplina: Carlão 5’, J. António 36´,
Vicente 52’, Mário 58’, Rui 73’, Ricardo Disciplina: Marco Fadista 45”, Traoré 48”,
a ter mais posse de bola e vo-
lume atacante, construindo
82’, Kata 83’, Vaz Tê 84’ z GDB arredado da Taça de Portugal Toni 56”, Ricardo 59”, Capello 61”, Bruno
Golos: 1-1 ao intervalo – 0-1 Rodas 6’, 1-1 61”e 62”( seguido de vermelho),Portela 79”
algumas situações privilegia-
Rondinele 41’, 2-1 Paulo Roberto78’. Golos: Traoré 47”, Bacari 66”, Fábio 76”.
das para empatar. O que viria O Bragança não tinha for- tudo porque não conseguiu
ma de pegar no jogo, em parte sair da teia montada pela tur-
devido à forma como os joga- ma alentejana. mas e viu o vermelho. Mesmo
dores da equipa do distrito de Na 2.ª parte, Traoré cei- com 10 jogadores, o treinador
Évora jogaram. Tacticamente fou toda a defesa da casa com do Estrela arriscou e ganhou,
perfeitos, fruto de uma gran- um remate de cabeça, que pois Fábio apanhou a bola na
de entreajuda de todos os mais parecia uma pedrada. meia esquerda, sentou toda
sectores, muita ligação entre Depois de uma jogada indi- a defesa do Bragança e casti-
a defesa, meio campo e dois vidual de Bruno pela esquer- gou Ximena com um golo de
poderosos avançados que, na da, um golo justíssimo e mais antologia. Reposta a justiça,
primeira parte, justificavam que isso já se justificava há o Bragança ainda lutou, mas
já a vantagem. Uma equipa muito. Mesmo assim, o Bra- faltou energia, criatividade e,
da terceira divisão Série F gança reagiu com muita garra acima de tudo, velocidade.
que, provavelmente, será can- e, de bola parada, empatou o Ganhou o justo vencedor,
didata a subir, e que muito jogo por Bacari. Antes, Bruno num jogo magnífico do Es-
justamente seguiu para a ter- fez uma asneira das grandes, tela de Vendas Novas. O juiz
ceira eliminatória da festa do na altura da sua substituição, participou na partida até ao
z Futebol espectáculo no S. Sebastião futebol. viu o amarelo por demora na minuto 90”, depois, abusou
Na primeira parte, o Bra- saída de campo. O juiz bem na compensação de 6”. Um
a acontecer aos 41’ por Ron- mens de Moura acreditaram, gança não criou, sequer, uma que tentou apressá-lo, mas o exagero que, felizmente, não
dinele de cabeça, a excelente até porque não tinham nada a única oportunidade de golo, jogador alentejano bateu pal- interferiu no resultado.
solicitação de Jonas. Um ver- perder, e fizeram um forcing
dadeiro meio golo com passe final muito bom, obrigando
milimétrico. Armando a mostrar serviço,
No regresso do descanso, embora deixando linhas de
os alvi-negros entraram com
atitude para desfazer o empa-
te, conseguindo 10’ muito in-
penetração para o perigosís-
simo contra ataque alvi-ne-
gro.
Taça de Portugal 0 AMARES
Macedo 1
Estádio José Carlos Macedo
tensos e rasgando excelentes Proporcionaram, assim,
Macedo de Cavaleiros
Árbitro: Rui Fernandes (Viana Castelo)
diagonais com aproximações na recta final, grande emoti- E Q U I PA S
de ruptura. Mas Rui brilha- vidade baseada na incerteza

vinga Chaves
Simão Cleiton
va na baliza. Entrou-se num sobre se os transmontanos
Zé Pedro Adriano
período mais equilibrado até matariam o jogo ou não. Gel Corunha
aos 70’, altura em que ambas Nelson Cláudio
as equipas, apesar de não bai- O Macedo entrou mui-
xarem o ritmo nem amolece- Luís Guerreiro to concentrado e acabou por
(Igra 35”)
Tiago Silva
(Luciano 64”)
Eurico
rem tacticamente, jogavam Técnico do Mirandela marcar cedo, pelo central Martinho Toninho
mais pela certa, enquanto se Didácio. O jogo tinha muito Pedro Reis (Wivisson 34”)
Tivemos várias (Diego 69) (B. Mendes 85”)
estudavam com muita aten- para dar, mas foi sempre a
ocasiões de Bispo Luís Carlos
ção. Tratou-se da gestão do equipa visitante a comandar
golo para ma- Francês Didácio
resultado dos forasteiros, e as operações. Já as reacções (Pintas 46”) Ricardo Costa
tar o jogo mas
o retemperar local para novo minhotas ficaram entregues Hélder Rambé
não matámos,
assalto à eliminatória. ao grande guarda-redes Clei- Ginho Nuno Meia
e depois as coi-
Aos 70’, os pupilos de ton e a toda uma defesa forte TREINADORES
sas complicam-se. Na parte
Luís Guerreiro iniciaram um que jogou muito na antecipa- Rogério Amorim Rui Vilarinho
final era o ultimo fôlego do
excelente período que os le- ção. Daí, a vitória pecar por
Moura, não tinha nada a Disciplina: Didácio 35”, Tiago Silva 45”,
varia ao golo da vantagem, números escassos. Houve
perder e apostou tudo. Não Pintas 58”, Martinho 60”, Cláudio 62”, Euri-
marcado pelo melhor golea- períodos de domínio do Ama-
defrontámos uma equipa co 64”, Nuno Meia (vermelho 90”)
dor da equipa, Paulo Rober- res, mas estes não correspon- pa transmontana foi, apenas,
qualquer. Tem jogadores Golo: Didácio 15”
to, com uma média de 1,25 deram com oportunidades de uma sombra daquilo que o
aguerridos e muito fortes
golos por jogo. Houve, ainda, golo. O Macedo foi mais céle- treinador pretende.
no contacto físico, apesar
outras situações, até aos 73’, re na posse de bola e viu um Depois de vencerem o ram pela frente outra equipa
da baixa estatura, e sabem
que serviriam para matar o golo mal anulado a Rambé na Chaves na primeira elimi- transmontana, que soube vin-
aquilo que querem…
jogo . Não o fizeram e os ho- fase final da partida. A equi- natória, os minhotos tive- gar os flavienses.

28 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

Futebol Distrital

Lamas quer 6. lugar O


A equipa do Lamas vai aparecer titivo”. Houve quatro aquisições e o com um orçamento a rondar os 10 mil Guarda-redes – Bruno (ex-Mogadou-
um pouco remodelada esta época, treinador Maçaira pode contar com euros não é possível fazer mais. Com ro) e Sérgio; Defesas – Areias e André
que está quase a começar. Para já, muita juventude. Kaka retirou-se, a saída de quatro equipas, duas delas (ex-Macedo), Edu, Ventura e Edra;
a estreia oficial fica para Vinhais na mas o plantel oferece garantias. a disponibilizar muitos jogadores, Médios – Sarmento, Marco, Radar,
Taça da AF Bragança. Para o presi- O campo tem excelentes condi- casos do Vila Flor e Mogadourense, Dani, Luzinhas, Tino (ex-Milhão);
dente do clube, Leonel Pires, é pre- ções e o clube quer dar passos certos. pode haver ainda alguma surpresa. Avançados – Manteigas, Nene, César
ciso “fazer melhor e ser mais compe- Poderia haver mais aquisições, mas Para já, o plantel está assim: Miguel, Tiago (ex-Macedo) e Daniel.

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 29


publicidade

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão o artigo 5084, sendo de 1,89 euros o seu valor patrimonial, a que atribuem
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 o valor de vinte euros.
Com o arquivo do antigo 2 – METADE do prédio rústico, sito em Guerras, freguesia de Espinho-
CARTÓRIO NOTARIAL sela, concelho de Bragança, composto por pastagem com quinze castanhei-
DE BRAGANÇA ros, com a área de quatro mil oitocentos e setenta metros quadrados, a con-
frontar do norte com Jeremias Edra do Vale, do nascente com José Graciano
EXTRACTO / JUSTIFICAÇÃO Morais, do sul com Luís Carlos Lousada e do poente com Amadeu de Jesus
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura Afonso, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas
lavrada no dia quinze de Setembro de dois mil e dez no Cartório Notarial inscrito na matriz respectiva, sob o artigo 1822, sendo de 10,68 euros o seu
a cargo do notário Lic. João Américo Gonçalves Andrade, sito na Avenida valor patrimonial, a que atribuem o valor de vinte euros.
Dr. Francisco Sá Carneiro, 16 em Bragança, exarada de vinte a folhas vin- Que entraram na posse e composse dos referidos prédios, em mil nove-
te e dois do livro de notas para escrituras diversas número “TREZE-G”, centos e oitenta e seis, por partilha verbal da herança aberta por óbito de Lu-
“AVELINO DO NASCIMENTO AFONSO, e mulher MARIA DE LUR- zia de Jesus Afonso, residente que foi na referida freguesia de Espinhosela,
DES DIAS SALVADOR AFONSO, casados sob o regime da comunhão de no lugar de Cova de Lua, sem que no entanto ficassem a dispor de título for-
adquiridos, ele natural da freguesia de Espinhosela, concelho de Bragança e mal que lhes permita, o respectivo registo na Conservatória do Registo Pre-
ela da freguesia de Mesquitela, concelho de Mangualde, e residentes na Av. dial; mas, desde logo, entraram na posse, composse e fruição dos identifica-
Abade Baçal Porta 2, 1º direito, edifício São Pedro, em Bragança, NIFS 177 dos prédios, em nome próprio, posse e composse que assim detêm há mui-
458 895 e 177 458 909, fizeram as declarações constantes desta certidão, to mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja.
que com esta se compõe de três laudas e vai conforme o original. Que essa posse e composse foi adquirida e mantida sem violência e sem
Bragança, Cartório Notarial, quinze de Setembro de dois mil e dez. oposição, ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente em nome pró-
A Colaboradora, prio e com aproveitamento de todas as utilidades dos prédios, nomeadamente,
Bernardete Isabel C. Simões Afonso amanhando-os, adubando-os, cultivando-os e colhendo os seus frutos, agindo
sempre por forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, quer
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem dos se- usufruindo como tal os imóveis, quer beneficiando dos seus rendimentos,
guintes bens: quer suportando os respectivos encargos, quer ainda pagando as respectivas
1 – METADE do prédio rústico, sito em Pontões, freguesia de Espinosela, contribuições e impostos, mantendo-os sempre na sua inteira disponibilidade.
concelho de Bragança, composto por pastagem, com a área de três mil me- Que esta posse e composse em nome próprio, pacífica, contínua e públi-
tros quadrados, a confrontar do norte com Sebastião da Ressurreição Afon- ca, conduziu à aquisição dos imóveis, por usucapião, que invocam, justifi-
so, do nascente com José Manuel Rodrigues Júnior, do sul com estrada e cando o seu direito de propriedade, para o efeito de registo, dado que esta
do poente com Alípio Augusto Afonso e outros, não descrito na Conserva- forma de aquisição não pode ser comprovada por qualquer outro título for-
tória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva, sob mal extrajudicial.

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão tros quadrados, a confrontar do norte com caminho, do nascente com Luís


n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 António Geraldes, do sul com caminho e do poente com António Bernardi-
Com o arquivo do antigo no Jarra, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas
CARTÓRIO NOTARIAL inscrito na matriz respectiva, sob o artigo 1227, sendo de 19,23 euros o seu
DE BRAGANÇA valor patrimonial, a que atribuem o valor de vinte euros.
Que entraram na posse do referido prédio, em mil novecentos e oitenta
EXTRACTO / JUSTIFICAÇÃO e quatro por partilha verbal da herança aberta por óbito de António Manuel
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura la- Ortega, residente que foi na referida freguesia de Parada, sem que no entan-
vrada no dia dezassete de Setembro de dois mil e dez no Cartório Notarial a to ficassem a dispor de título formal que lhes permita, o respectivo registo na
cargo do notário Lic. João Américo Gonçalves Andrade, sito na Avenida Dr. Conservatória do Registo Predial; mas, desde logo, entraram na posse e frui-
Francisco Sá Carneiro, 16 em Bragança, exarada de sessenta folhas sessen- ção do identificado prédio, em nome próprio, posse que assim detêm há mui-
ta e um verso, do livro de notas para escrituras diversas número “Treze-G” to mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja.
“DAVID MARCELINO TOMÉ e mulher MARIA DOS ANJOS ORTEGA, Que essa posse foi adquirida e mantida sem violência e sem oposição, os-
casados sob o regime de comunhão adquiridos, ambos naturais da freguesia tensivamente, com o conhecimento de toda a gente em nome próprio e com
de Parada, concelho de Bragança, onde residem, NIFS 184 909 988 e 189 aproveitamento de todas as utilidades do prédio, nomeadamente, amanhan-
143 517”, fizeram as declarações constantes desta certidão, que com esta se do-o, adubando-os, cultivando-o e colhendo os seus frutos, agindo sempre
compõe de duas laudas e vai conforme o original. por forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, quer usu-
Bragança, Cartório Notarial, dezassete de Setembro de dois mil e dez. fruindo como tal o imóvel, quer beneficiando dos seus rendimentos, quer su-
A Colaboradora Autorizada, portando os respectivos encargos, quer ainda pagando as respectivas contri-
Bernardete Isabel C. Simões Afonso buições e impostos, mantendo-os sempre na sua inteira disponibilidade.
Que esta posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública, conduziu
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem do pré- à aquisição do imóvel, por usucapião, que invocam, justificando o seu direi-
dio rústico, sito em Campo Redondo, freguesia de Parada, concelho de Bra- to de propriedade, para o efeito de registo, dado que esta forma de aquisição
gança, composto por cultura e oito castanheiros, com a área de doze mil me- não pode ser comprovada por qualquer outro título formal extrajudicial.

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão ga”, com a área de cinco mil e novecentos metros quadrados, a confrontar


n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 de norte com extremo da Freguesia de Milhão, sul com Maria Georgina Vaz
NOTÁRIO Ferreira, nascente com Estrada Nacional 218-77 e poente com caminho, ins-
MANUEL JOÃO crito na respectiva matriz sob o artigo 3765, com o valor patrimonial tributá-
SIMÃO BRAZ vel de €5,53 e o atribuído de vinte euros;
não descritos na Conservatória do Registo Predial de Bragança, conforme
EXTRACTO certidão que da mesma apresenta. J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão tar do norte e poente com Limite de Picote, do nascente com Lázaro Pires e
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura de Que os identificados prédios foram-lhes vendidos no ano de mil novecen- n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 do sul com caminho, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 5906, com o
hoje, exarada de folhas oito a dez do respectivo livro número cento e setenta e tos e oitenta, ainda no estado de solteiro, pela forma seguinte: CARTÓRIO NOTARIAL valor patrimonial tributário e atribuído de €6,36.
sete, FLÁVIO HENRIQUE VARA, NIF 101 691 289, casado com Elsa Maria a) o primeiro, por Maria Alice Miranda e Luísa Augusto Vara Miranda, Que os mencionados prédios estão omissos na Conservatória do Regis-
DE MIRANDA DO DOURO
Carvalho de Almeida Vara, NIF 120 186 063, sob o regime da separação, natu- ambas solteiras, ao tempo residente na aludida freguesia de Rio Frio; to Predial de Miranda do Douro e inscritos na respectiva matriz em nome
ral da freguesia de Rio Frio, concelho de Bragança, residente na Rua Leopol- b) o segundo, por Olema Lurdes Pires, viúva, residente na mesma fre- Certifico narrativamente, para efeitos de publicação, que no dia de hoje, do justificante marido. Que os mencionados prédios foram adquiridos, no
do Almeida, n.º 13, 7º A, freguesia do Lumiar, concelho de Lisboa, declarou: guesia de Rio Frio; neste Cartório Notarial, foi lavrada uma escritura de Justificação, exarada de ano de mil novecentos e oitenta, por doação verbal feita pela mãe do justi-
Que, com exclusão de outrem, é dono e legítimo possuidor dos imóveis c) o terceiro e quinto, por Flávio Luís Vara Miranda, casado, residente na folhas 82 a 83 v.° do respectivo livro n.º 104-C, em que foram justificantes: ficante marido, Catarina dos Anjos Guedes, viúva, já falecida e foi residen-
a seguir identificados, todos localizados na freguesia de Rio Frio, conce- cidade de Mafra, em morada que não pode precisar; e Abílio Augusto Guedes, N.I.F. 141 930 071 e mulher Delfina Rosa Marcos, te na mencionada freguesia de Vila Chã de Braciosa, mas não dispõem de
lho de Bragança: d) o quarto, por Ester de Jesus Lopes, viúva, já falecida, residente que foi N.l.F. 141 930 080, casados sob o regime da comunhão geral, os dois natu- qualquer titulo formal para os registar na conservatória. Que, desde essa da-
número um – prédio urbano composto de casa de um piso com logradou- na dita freguesia de Rio Frio. rais da freguesia de Vila Chã de Braciosa, concelho de Miranda do Douro, ta, sempre têm usado e fruído, os referidos prédios, nomeadamente no ur-
ro, com a superfície coberta de setenta e dois metros quadrados e descober- Que, assim, não é detentor de qualquer título formal que legitime o domí- residentes na Rua dos Bicheiros, n.º 412, freguesia de Valadares, concelho bano, habitando-o, guardando seus haveres, efectuando regularmente obras
ta, correspondente a logradouro, de cem metros quadrados, sito em “Rua da nio dos mencionados prédios. de Vila Nova de Gaia e disseram: Que são donos e legítimos possuidores, de conservação e reparação, substituição de elementos danificados e reali-
Caroçeira”, a confrontar de norte com caminho, sul com Tiago de Barros, Que, não obstante isso, logo desde meados desses anos de mil novecentos com exclusão de outrem, dos seguintes bens imóveis, situados na freguesia zando benfeitorias, nos rústicos, cultivando-os e colhendo os seus frutos,
nascente com Cândido Augusto Pires e poente com Guilhermina Lopes e fi- e oitenta, passou a utilizar o referido prédio urbano, gozando de todas as uti- de Vila Chã de Braciosa, concelho de Miranda do Douro: Um: Prédio urba- pagando todas as contribuições por eles devidas, fazendo essa exploração,
lhos, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 479, com o valor patrimonial lidades por ele proporcionadas, guardando nele seus haveres, efectuando re- no, sito no Toural, composto de casa destinada a habitação com uma facha- sem interrupção e de forma ostensiva, com a convicção de serem os úni-
tributário de €2344,75 e idêntico atribuído. gularmente obras de conservação e reparação, como substituição de elemen- da sobre a rua, com a superfície coberta de vinte e oito vírgula cinquenta me- cos donos, exercendo um direito próprio, à vista de todo e qualquer inte-
número dois – prédio rústico, composto de lameiro com freixos, sito em tos danificados e de benfeitorização, bem como a usufruir os referidos terre- tros quadrados e um curral com a área de cento e dezanove vírgula cinquenta ressado e por isso ignorando lesar qualquer direito de outrem, sem violên-
“Veiga”, com a área de dois mil e trinta metros quadrados, a confrontar de nos, gozando de todas as suas utilidades, começando por ocupá-los, limpan- metros quadrados, a confrontar do norte com Alfredo Sardinha, do sul e do cia e oposição de quem quer que seja há mais de vinte anos, de forma cor-
norte com Junta de Freguesia, sul com Ramiro Santos Miranda, nascente do-os, cultivando-os, colhendo os seus frutos e produtos, e efectuando diver- poente com José Ortega e do nascente com rua, inscrito na respectiva matriz respondente ao exercício do direito de propriedade, o que confere à referi-
com Maria Rosa Costa e poente com António Augusto Ferreira, inscrito na sas benfeitorias, designadamente o melhoramento das suas vedações, agin- sob o artigo 135, com o valor patrimonial tributário e atribuído de €70,86. da posse a natureza de pública, pacífica, contínua e de boa fé, razão pela
respectiva matriz sob o artigo 3756, com o valor patrimonial tributável de do assim, sempre com ânimo de quem exerce direito próprio, na convicção Dois: Prédio rústico, sito na Torre de Menagem, composto de lameiro, com qual adquiriram o direito de propriedade sob os indicados prédios por usu-
€18,10 e o atribuído de vinte euros; de tais prédios lhe pertencerem e de ser o seu verdadeiro dono, como tal sen- a área de nove mil e trezentos metros quadrados, a confrontar do norte com capião, que expressamente invocam para justificar o seu direito de proprie-
número três – prédio rústico, composto de lameiro com freixos e terra de do reconhecido por toda a gente, fazendo-o de boa fé por ignorar lesar direi- João Bernardo Moreno, do sul com José Francisco Afonso, do nascente com dade para fins de registo.
cultura, sito em “Veiga”, com a área de sete mil trezentos e setenta metros to alheio, pacificamente, porque sem violência, contínua e publicamente, à caminho e do poente com Francisco Fernandes Igreja, inscrito na respecti- Esta conforme o original o que certifico.
quadrados, a confrontar de norte com Junta de Freguesia, sul com Manuel vista e com o conhecimento de todos e sem oposição de ninguém. va matriz sob o artigo 808, com o valor patrimonial tributário e atribuído de Miranda do Douro, 17 de Setembro de 2010.
Anjos Afonso, nascente com caminho e poente com Olema de Lurdes Pires Que dadas as enunciadas características de tal posse, que, da forma in- €105,91. Três: Prédio rústico, sito no Vale de Resina, composto de terra de A Segunda Ajudante,
e outro, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 3757, com o valor patri- dicada vem exercendo há mais de vinte anos, adquiriu o domínio dos ditos centeio, com a área de cinco mil e setecentos metros quadrados, a confron- Maria Helena Andrade
monial tributável de €57,57 e o atribuído de vinte euros; prédios por usucapião, título esse que, por sua natureza, não é susceptível de
número quatro – prédio rústico, composto de lameiro com freixos, sito ser comprovado por meios normais.
em “Veiga”, com a área de quatro mil trezentos e cinquenta metros quadra- Que para suprir tal título fazem esta declaração de justificação para fins J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão Fernandes, nascente com caminho e poente com João Miguel Dinis, inscri-
dos, a confrontar de norte com Maria Rosa Costa, sul com Francisco Ma- de primeira inscrição no registo predial. n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 to na respectiva matriz sob o artigo 4944, com o valor patrimonial tributável
nuel Miranda, nascente com caminho e poente com Francisco António Fer- Está conforme.
NOTÁRIO de €2,89 e o atribuído de vinte euros; não descritos na Conservatória do Re-
nandes, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 3762, com o valor patri- Bragança, 15 de Setembro de 2010.
MANUEL JOÃO gisto Predial deste concelho, conforme certidão que da mesma apresentam.
monial tributável de €38,84 e o atribuído de vinte euros; e A Colaboradora Autorizada,
SIMÃO BRAZ Que os identificados prédios foram-lhes vendidos no ano de mil novecen-
número cinco – prédio rústico, composto de terra de cultura, sito em “Vei- Elisabete Maria C. Melgo
tos e oitenta e nove, já no estado de casados, por António Manuel, casado,
EX T R AC TO residente que no aludido Lugar de Maçãs, freguesia de Parâmio, por contra-
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura to de compra e venda meramente verbal, nunca tendo chegado a realizar a
J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão tenta e nove, por Filipe Luís Fernandes e mulher Ana Maria Reis Fernandes, de hoje, exarada de folhas trinta e nove a quarenta e uma do respectivo li- necessária escritura pública.
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 residentes na cidade do Porto, em morada que não conseguem precisar, nun- vro número cento e setenta e sete, ANA MARIA AFONSO DO NASCI- Que, assim, não são detentores de qualquer título formal que legitime o
NOTÁRIO ca tendo chegado a realizar a necessária escritura pública. MENTO, NIF 108 678 415, e marido TELMO DO NASCIMENTO, NIF domínio dos mencionados prédios.
MANUEL JOÃO Que, assim, não são detentores de qualquer título formal que legitime o 143 725 971, casados sob o regime da comunhão geral, naturais, ela da fre- Que, não obstante isso, desde meados desse ano de mil novecentos e oi-
domínio do mencionado prédio. guesia de Parâmio, onde residem no Lugar de Maçãs, concelho de Bragan- tenta e nove, passaram a utilizar a referida casa, guardando nela alguns ha-
SIMÃO BRAZ
Que, não obstante isso, logo desde meados desse ano de mil novecentos ça, ele da freguesia de Vilarinho de Agrochão, concelho de Macedo de Ca- veres, efectuando pequenas intervenções de conservação, como substituição
EXTRACTO e oitenta e nove, passaram a usufruir o referido prédio, gozando de todas as valeiros, declararam: de elementos danificados, bem como a usufruir os terrenos, gozando de to-
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura de utilidades por ela proporcionadas, guardando nele seus haveres, efectuan- Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores dos das as utilidades por eles proporcionadas, começando por ocupá-los, lim-
hoje, exarada de folhas catorze a dezasseis do respectivo livro número cento do regularmente obras de conservação e reparação, como substituição de imóveis a seguir identificados, todos localizados na freguesia de Paramio, pando-os, cultivando-os, colhendo os seus frutos e produtos e efectuando
e setenta e sete, DOMINGOS DOS REIS FERNANDES, NIF 145 346 161, elementos danificados e de benfeitorização, colhendo ainda os seus frutos concelho de Bragança: diversas benfeitorias, agindo assim, sempre com ânimo de quem exerce di-
e mulher ERMELINDA DOS SANTOS MORAIS, NIF 181 036 037, casa- e produtos, agindo assim, sempre com ânimo de quem exerce direito pró- número um – prédio urbano, composto de edifício de dois pisos e logra- reito próprio, na convicção de tais prédios lhes pertencerem e de serem os
dos sob o regime da comunhão de adquiridos, naturais, ele da freguesia de prio, na convicção de tal prédio lhes pertencerem e de serem os seus verda- douro, com a superfície coberta de trinta metros quadrados e descoberta de seus verdadeiros donos, como tal sendo reconhecidos por toda a gente, fa-
Ervedosa, onde residem no Lugar de Falgueiras, concelho de Vinhais, ela da deiros donos, como tal sendo reconhecidos por toda a gente, fazendo-o de dez metros quadrados, sito EM “Eira Velha-Maçãs”, a confrontar de norte zendo-o de boa fé por ignorarem lesar direito alheio, pacificamente, porque
freguesia de Murçós, concelho de Macedo de Cavaleiros, declararam: boa fé por ignorarem lesar direito alheio, pacificamente, porque sem violên- e nascente com Amélia Anjos Afonso, sul com Manuel António Alvaredo e sem violência, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de
Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores do pré- cia, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de todos e sem poente com caminho público, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 362, todos e sem oposição de ninguém.
dio urbano, composto de edifício de um piso com logradouro, com a superfí- oposição de ninguém. pendente de avaliação fiscal ao qual atribuem o valor de mil euros; Que dadas as enunciadas características de tal posse que, da forma indi-
cie coberta de cinquenta e três vírgula vinte metros quadrados e descoberta, Que dadas as enunciadas características de tal posse que, da forma indica- número dois – prédio rústico, composto de pastagem com castanheiros, cada vêm exercendo há mais de vinte anos, adquiriram o domínio dos ditos
correspondente a logradouro, de dois mil duzentos e oitenta e cinco metros da vêm exercendo há mais de vinte anos, adquiriram o domínio do dito pré- com a área de setecentos e cinquenta metros quadrados, sito em “Regedou- prédios por usucapião, título esse que, por sua natureza, não é susceptível de
quadrados, sito em “Cachão”, Lugar de Falgueiras, freguesia de Ervedosa, dio por usucapião, título esse que, por sua natureza, não é susceptível de ser ro”, a confrontar de norte com José David Condado, sul e poente com João ser comprovado por meios normais.
concelho de Vinhais, a confrontar de norte e nascente com Estrada Nacional comprovado por meios normais. Que para suprir tal título fazem esta decla- Filipe Gomes e nascente com Domingos Barreira, inscrito na respectiva ma- Que para suprir tal título fazem esta declaração de justificação para fins
206, sul com herdeiros de Manuel dos Santos Fernandes e poente com Julie- ração de justificação para fins de primeira inscrição no registo predial. triz sob o artigo 4920, com o valor patrimonial tributável de €10,39 e atri- de primeira inscrição no registo predial.
ta Afonso, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Vinhais, con- Está conforme. buído de dez euros; e Está conforme.
forme certidão que apresentam, mas inscrito na respectiva matriz sob o arti- Bragança, 15 de Setembro de 2010. número três – prédio rústico, composto de pastagem com castanheiros, Bragança, 16 de Setembro de 2010.
go 509, com o valor patrimonial tributário de €3710, 00 e idêntico atribuído. A Colaboradora Autorizada, com a área de setecentos metros quadrados, sito em “Regedouro”, a con- A Colaboradora Autorizada,
Que o identificado prédio foi-lhes vendido no ano de mil novecentos e oi- Elisabete Maria C. Melgo frontar de norte com José Guilherme Martins, sul com Jaime Nascimento Elisabete Maria C. Melgo

30 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


NORDESTE DESPORTIVO

Escola de Futsal Arnaldo Pereira

Depois da sede, chega o pavilhão


Sábado, 19 de Setembro, foi um Fernando Saldanha estava ra-
dia muito importante para a direcção diante. “O polidesportivo de Santa
da Escola Arnaldo Pereira, que viu Maria vai ser coberto e dotado de
inaugurada a sua sede social. bancadas. Devagar se vai ao longe”,
Situada numa pequena garagem defende o dirigente.
do Loteamento do Plantório, a sede Depois de uma pequena visita
colectividade é mais um feito nestes guiada à nova sede, houve a bênção
dois anos de actividade. E há outros das instalações pelo padre Bento, na-
motivos para festejar, pois Arnaldo quele que foi um dos momentos mais
Pereira regressou no passado fim-de- marcantes da Escola Arnaldo Pereira.
semana à competição, após dois me- Na hora dos discursos, Fernando
ses de lesão. Saldanha não se esqueceu de focar o
“Houve muita luta e trabalho. contributo do presidente da Junta de
Depois da sede, posso garantir que Freguesia da Sé, Paulo Xavier, que
vamos ter o nosso espaço desportivo esteve representado por duas jovens
na freguesia de Santa Maria”, revelou do executivo.
o presidente da direcção, Fernando No final, um pequeno lanche a
Saldanha. dar cor a muitos olhos com água. Fei-
O pavilhão é uma garantia do ve- to o brinde, as emoções ficaram es-
reador da Câmara Municipal de Bra- z Um dia histórico na vida da Escolinha Arnaldo Pereira tampadas na boa vontade dos muitos
gança, Hernâni Dias, em colaboração que ajudaram a instituição com três
com a Junta de Freguesia de Santa reira e estaremos sempre atentos, não é só da autarquia. Esta direcção fez viaturas para futuras deslocações. E
Maria. “É um dado adquirido. O pa- só a esta colectividade, como a outras tudo, sem pedir quase nada e isso tem assim nasceu uma grande escola para
vilhão vai servir a Escola Arnaldo Pe- instituições. Mas este trabalho não muito valor”, salientou o vereador. os pequenos craques do futuro.

Veteranos Futsal
Marquito de peso agarra resultado Futsal sufocante
O Clube de Bragança con­ futebol para algumas idades. Num jogo que só teve o
seguiu recuperar de uma des- Já na mesa, as coisas aque- sentido da baliza dos trans-
vantagem de 2-0. Toni, da ceram e o convívio esteve em montanos, começou, logo,
equipa da casa, fez dois golos primeiro plano, com golos por com os leões a fazerem o 1-0.
de rajada, aos 23” e 25”, co- demais. O Clube de Bragança Mas a turma de Artur Pereira
locando justiça no marcador, pensa, agora, em preparar o respondeu e, aos 10”, marcou
o que deu mesmo para irritar seu centésimo aniversário, o golo do empate. Rapida-
o treinador Scolari, que não com um torneio de categoria. mente, os campeões nacio-
anda contente com a forma nais se aperceberam que não
de jogar da sua defesa. Feitas GDB triplex z Luís Parente, treinador do GDB poderiam entregar o jogo e
algumas alterações tácticas, vai daí, vieram mais 6 golos,
Marquito seria o homem do O Grupo Desportivo de bre, 1 - Benavente, 2, depois praticamente uns atrás dos z Artur Parreira
jogo, por parte do Bragan- Bragança venceu o Torneio Bragança, 0 - Bembibre, 0 e outros e o marcador chegou
ça. O pesado avançado fez o Ibérico de Bembibre, uma já na final os bragançanos go- aos 7-1. Foi o resultado mais mais por parte da equipa leo­
mesmo que o seu adversário e competição que inaugurou o learam o Benavente por 4-1. fácil do Sporting em Moga- nina que chegou mesmo a
conseguiu dois golos, aos 58” sintético daquela região de Veio o troféu da amizade da douro, desde que esta equipa praticar um futsal sufocante
e 81”. Mais tarde, já no decli- Léon-Espanha. Foram 3 jo- equipa mais internacional de do Planalto está na divisão para os transmontanos.
nar do jogo, muita emoção gos, de 45”, com o Bragança veteranos da região e partida maior. Para a turma da casa, Resta esperar pela autori-
com o 3-2 para o Rates, por a ser muito mais forte à custa para Fão, onde houve tempo as soluções são, de momento, zação dos atletas que estão já
Quim, e, na compensação, de Assis, um ponta de lança à para jogar e empatar a um go­ muito fracas. A prova fica na em fase de inscrição, para ver
Luís Audi acelerou e acabou moderna, que marcou 3 golos lo, em mais uma partida que pouca ou nenhuma reacção o seu valor e tirar ilações do
por empatar o jogo. A partida e todos eles decisivos. acabou numa mesa recheada ao avolumar do marcador. que se poderá fazer durante a
foi disputada, com muito bom No primeiro jogo, Bembi­ de amigos. Aliás, os golos poderiam ser época.

Churrascaria.–.Restaurant

Ô.’.ARGOSELO
Grillades au feu de bois   Spécialités de la Maison:
Poulpe grillé • Morue   Leitão • Churrasco • Posta • Bacalhau

Tél/Fax: 01 43 80 70 09 • www.o-argoselo.net • 2, Rue Gustave Doré


75017 PARIS (Fait le coin avec le 157 Av. Wagram)

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 31


rodas & motores

Rali BTT
Coutinho com título na mira Bragança a pedalar
correndo qualquer Foram 80 os cicloturistas que an-
risco, a estratégia teontem aderiram à iniciativa “Bra-
seria a de segurar o gança a Pedalar”, enquadrado na Se-
2.º posto do Rali, o mana da Mobilidade.
que daria preciosos O percurso, que durou cerca de 45
pontos rumo ao tí- minutos, começou no Eixo Atlântico
tulo. e terminou na Pousada da Juventu-
“Tentamos fazer de, após percorrer várias artérias da
uma prova inteli- cidade.
gente e sem cair na A Associação Mãe Alto, sedeada
tentação de lutar na Mãe D`Água, deixou uma bela com o ano passado estiveram presen-
pela vitória. Este imagem de organização. Muitos dos tes 150 bicicletas. Mesmo assim, não
resultado represen- participantes nem sequer se inscreve- há que desanimar, até porque esta
tou mais um gran- ram, pois a ideia não residia nos nú- não é propriamente a nossa área”,
de passo rumo ao meros, mas sim na atitude. Depois de salientou.
título final, e seria terminado o passeio, muitos foram, João Gonçalves diz, ainda, que
imprudente atacar a ainda, os cicloturistas que decidiram esta Associação não tem sede, mas
liderança. Penso que fazer outros tantos quilómetros. sim um grupo de 5 ou 6 amigos que
z Coutinho e Babo foram segundo em Gondomarf trabalha muito pela cidade. A prová-
fizemos a prova que No entanto, o presidente da co-
Manuel Coutinho e Manuel Babo necessitávamos, não podendo deixa lectividade, João Gonçalves deixou lo estiveram algumas iniciativas ra-
cumpriram na íntegra os objectivos a de congratular os vencedores, que um recado: “É certo que tudo correu dicais, os jogos de tabuleiro e outras
que se propuseram no início do Rali se apresentaram em Gondomar com muito bem, mas se compararmos relacionadas com música.
de Gondomar. A conquista do 2.º lu­ um ritmo muito forte”, explicou o pi-
gar da geral permite à MCoutinho loto do Marco de Canavezes.
Rallye Team estar cada vez mais pró- Também Manuel Babo se mos-
xima do título do Open 2010. trava muito satisfeito com as actuais
Encarando a prova do Gondomar
Automóvel Sport com grande tran-
contas do Campeonato: “com este re-
sultado conseguimos uma vantagem
Alerta da GNR
quilidade, Coutinho e Babo desde ce­
do assumiram que, apenas com um
deslize dos seus principais adversá-
significativa na liderança do Open
2010, o que nos permite encarar as
provas em falta com um grande op-
Transportar crianças
rios, poderiam aspirar à vitória. Não timismo”.
em segurança
A GNR realizou uma série de Douro e Mirandela.
acções junto das escolas para sensi- Nas referidas acções foram distri-
bilizar alunos e pais para questões buídos folhetos com diversos conse-
relacionadas com a segurança no lhos dirigidos à comunidade escolar,
transporte rodoviário. dando particular atenção ao transpor-
A operação decorreu a nível te de crianças menores de 12 anos em
nacional, designada «Regresso às veículo automóvel. “Uma das maiores
Aulas em Segurança», à qual o Co- preocupações está relacionada com o
mando Territorial de Bragança se transporte correcto das crianças nos
associou. automóveis, nomeadamente a neces-
De 13 a 17 de Setembro, os agen- sidade de usar cadeirinhas e sistemas
tes daquela força militar realizaram de retenção”, explicou Rui Pousa,
diversas acções de sensibilização jun- major da GNR em Bragança.
to dos estabelecimentos de ensino do O objectivo da acção passou, as-
distrito situados na sua área de res- sim, por potenciar um sentimento de
ponsabilidade. No arranque do ano segurança na comunidade escolar e
lectivo foram visitadas as escolas de criar um clima de confiança e de em-
Macedo de Cavaleiros, Miranda do patia com a mesma.

Rastreio
ao índice de massa corporal
gratuito
na Natur House.

Natur House.
Cuidamos do seu peso, cuidamos de si.

32 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


PUBLICIDADE

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão respectiva sob o artigo 1479, sendo de 11,69 euros o seu valor patrimonial a artigo 1945, sendo de 37,34 euros o seu valor patrimonial a que atribui o va- bui o valor de cinco euros.
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010
que atribui o valor de vinte euros. lor de quarenta euros. 22 – Prédio rústico, sito em Vilar, freguesia de Serapicos, concelho de Bra-
Com o arquivo do antigo 6 – Prédio rústico, sito em Camanas de Baixo, freguesia de Serapicos, con- 14 – Prédio rústico, sito em Cibairo, freguesia de Serapicos, concelho de gança, composto por pastagem, com a área de oitocentos metros quadrados, a
CARTÓRIO NOTARIAL celho de Bragança, composto por pastagem com dez castanheiros, com a área Bragança, composto por pastagem, com a área de mil e quatrocentos metros confrontar do norte com Camilo Augusto de Sá, do nascente com Gilberto Jo-
DE BRAGANÇA de cinco mil metros quadrados, a confrontar do norte com caminho, do nas- quadrados, a confrontar do norte e do poente com Camilo Augusto Sá, do nas- aquim Lopes, do sul com caminho e do poente com António da Ressurreição
cente com Manuel Joaquim Vila, do sul com Jeremias das Graças Gonçalves e cente com Patrocínio Gonçalves e do sul com caminho, não descrito na Con- Pereira, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas
EXTRACTO / JUSTIFICAÇÃO do poente com Olinda Augusta Martins, não descrito na Conservatória do Re- servatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva inscrito na matriz respectiva sob o artigo 1379, sendo de 0,38 euros o seu va-
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura la- gisto Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva sob o artigo 1515, sob o artigo 2060, sendo de 0,63 euros o seu valor patrimonial a que atribui lor patrimonial a que atribui o valor de cinco euros.
vrada no dia dezassete de Setembro de dois mil e dez no Cartório Notarial a sendo de 6,79 euros o seu valor patrimonial a que atribui o valor de dez euros. o valor de cinco euros. 23 – Prédio rústico, sito em Ribeira Abaixo, freguesia de Serapicos, conce-
cargo do notário Lic. João Américo Gonçalves Andrade, sito na Avenida Dr. 7 – Prédio rústico, sito em Camanas de Baixo, freguesia de Serapicos, con- 15 – Prédio rústico, sito em Ribeira Abaixo, freguesia de Serapicos, conce- lho de Bragança, composto por lameiro com três freixos, com a área de noven-
Francisco Sá Carneiro, 16 em Bragança, exarada de quarenta e cinco a fo- celho de Bragança, composto por cultura com dezassete castanheiros e pasta- lho de Bragança, composto por lameiro com dois freixos, com a área de no- ta metros quadrados, a confrontar do norte e do sul com António da Ressur-
lhas cinquenta, do livro de notas para escrituras diversas número TREZE-G gem, com a área de quatro mil e seiscentos metros quadrados, a confrontar do venta metros quadrados, a confrontar do norte e do nascente com João Mon- reição Pereira, do nascente com João Monteiro Lisboa e do poente com cami-
“JUSTINO AUGUSTO PEREIRA e mulher MARIA DE LURDES MAR- norte e do sul com caminho, do nascente e do poente com António José Capi- teiro Lisboa, do sul com José Augusto Paradinha e do poente com caminho, nho, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas ins-
QUES, casados sob o regime da comunhão geral de bens, ambos naturais e tão, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas ins- não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na crito na matriz respectiva sob o artigo 2348, sendo de 0,88 euros o seu valor
residentes na freguesia de Serapicos, concelho de Bragança, NIFS 144 215 crito na matriz respectiva sob o artigo 1540, sendo de 19,23 euros o seu valor matriz respectiva sob o artigo 2347, sendo de 1,39 euros o seu valor patrimo- patrimonial a que atribui o valor de cinco euros.
969 e 144 215 977, fizeram as declarações constantes desta certidão, que patrimonial a que atribui o valor de vinte euros. nial a que atribui o valor de cinco euros. 24 – Prédio rústico, sito em Ribeira Abaixo, freguesia de Serapicos, con-
com esta se compõe de oito laudas e vai conforme o original. 8 – Prédio rústico, sito em Sapão, freguesia de Serapicos, concelho de Bra- 16 – Prédio rústico, sito em Ribeira Abaixo, freguesia de Serapicos, con- celho de Bragança, composto por cultura, com a área de trezentos e cinquen-
Bragança, Cartório Notarial, dezassete de Setembro de dois mil e dez. gança, composto por cultura e pastagem, com a área de dezanove mil oito- celho de Bragança, composto por lameiro com seis freixos e cultura, com a ta metros quadrados, a confrontar do norte e do sul com António da Ressur-
A Colaboradora Autorizada, centos e noventa metros quadrados, a confrontar do norte com Olinda Au- área de mil e cem metros quadrados, a confrontar do norte e do sul com José reição Pereira, do nascente com João Monteiro Lisboa e do poente com cami-
Bernardete Isabel C. Simões Afonso gusta Martins, do nascente com Fortunato Augusto Bartolo, do sul com Je- Augusto Paradinha, do nascente com João Monteiro Lisboa e do poente com nho, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas ins-
remias das Graças Gonçalves e do poente com Estrada, não descrito na Con- caminho, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas crito na matriz respectiva sob o artigo 2350, sendo de 0,88 euros o seu valor
Que é dona e legítima possuidora, com exclusão de outrem, dos seguin- servatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva inscrito na matriz respectiva sob o artigo 2349, sendo de 5,53 euros o seu va- patrimonial a que atribui o valor de cinco euros.
tes bens: sob o artigo 1603, sendo de 24,64 euros o seu valor patrimonial a que atribui lor patrimonial a que atribui o valor de dez euros. 25 – Prédio rústico, sito em Batocos freguesia de Serapicos, concelho de
1 – Prédio rústico, sito em Abelheira, freguesia de Serapicos, concelho de o valor de trinta euros. 17 – Prédio rústico, sito em Ribeira Abaixo, freguesia de Serapicos, conce- Bragança, composto por cultura, com a área de dois mil novecentos e noventa
Bragança, composto por cultura, com a área de dois mil e cem metros qua- 9 – Prédio rústico, sito em Boavista, freguesia de Serapicos, concelho de lho de Bragança, composto por cultura, com a área de quatro mil e quatrocen- metros quadrados, a confrontar do norte com Luísa Rita Bordalo, do nascente
drados, a confrontar do norte com caminho, do nascente com Francisco An- Bragança, composto por mata de carvalhos, com a área de novecentos e no- tos metros quadrados, a confrontar do norte com José Augusto Paradinha, do e do sul com caminho e do poente com Maria da Graça Gonçalves, não des-
tónio Pires, do sul e do poente com Maria do Céu Lazaro, não descrito na venta metros quadrados, a confrontar do norte com Silvestre dos Santos Mar- nascente e do sul com João Monteiro Lisboa e do poente com caminho, não crito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz
Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz res- reiro, do nascente e do Sul com José Inácio Fernandes e do poente com Ma- descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na ma- respectiva sob o artigo 117, sendo de 6,91 euros o seu valor patrimonial a que
pectiva sob o artigo 1032, sendo de 4,90 euros o seu valor patrimonial a que nuel Bernardo Xavier, não descrito na Conservatória do Registo Predial de triz respectiva sob o artigo 2351, sendo de 10,31 euros o seu valor patrimonial atribui o valor de cinco euros.
atribui o valor de cinco euros. Bragança, mas inscrito na matriz respectiva sob o artigo 1674, sendo de 1,51 a que atribui o valor de quinze euros. 26 – Prédio rústico, sito em Rego do Amieiro, freguesia de Serapicos, con-
2 – Prédio rústico, sito em Abelheira, freguesia de Serapicos, concelho de euros o seu valor patrimonial a que atribui o valor de cinco euros. 18 – Prédio rústico, sito em Bouçadão, freguesia de Serapicos, concelho de celho de Bragança, composto por horta, com a área de trezentos e vinte me-
Bragança, composto por cultura com quatro carvalhos, com a área de cinco 10 – Prédio rústico, sito em Boavista, freguesia de Serapicos, concelho de Bragança, composto por pastagem com seis castanheiros, com a área de qua- tros quadrados, a confrontar do norte com Quintino Morais, do nascente com
mil quatrocentos e setenta metros quadrados, a confrontar do norte com An- Bragança, composto por vinha com quatro oliveiras e pastagem, com a área de tro mil metros quadrados, a confrontar do norte com José da Cruz, do nascen- Carlos Miguel Dias, do sul com António Pedro Bartolo e do poente com José
tónio do Nascimento de Sousa, do nascente com Jeremias das Graças Gon- mil e duzentos metros quadrados, a confrontar do norte com António do Nasci- te com António Gralhós, do sul com José Vicente e do poente com Junta de Augusto Paradinha, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bra-
çalves, do sul com Maria do Céu Lazaro e do poente com Silvestre dos San- mento de Sousa, do nascente com Maria Antónia Pereira, do sul com José Maria Freguesia, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas gança, mas inscrito na matriz respectiva sob o artigo 203, sendo de 4,90 euros
tos Marreiro, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, de Sá Morais e do poente com Caminho, não descrito na Conservatória do Re- inscrito na matriz respectiva sob o artigo 2570, sendo de 4,78 euros o seu va- o seu valor patrimonial a que atribui o valor de cinco euros.
mas inscrito na matriz respectiva sob o artigo 1036, sendo de 13,33 euros o gisto Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva sob o artigo 1688, lor patrimonial a que atribui o valor de cinco euros. Que entraram na posse dos referidos prédios, em mil novecentos e oitenta e
seu valor patrimonial a que atribui o valor de vinte euros. sendo de 3,65 euros o seu valor patrimonial a que atribui o valor de cinco euros. 19 – Prédio rústico, sito em Bouçadão, freguesia de Serapicos, concelho de quatro, os identificados nas verbas vinte e um, vinte e dois, vinte e três e vinte
3 – Prédio rústico, sito em Vale de Grula, freguesia de Serapicos, conce- 11 – Prédio rústico, sito em Boavista, freguesia de Serapicos, concelho de Bragança, composto por pastagem com um castanheiro, com a área de duzen- e quatro, por compra verbal que deles fizeram a José Augusto Paradinha, resi-
lho de Bragança, composto por pastagem e cultura, com a área de cinquenta Bragança, composto por pastagem, com a área de mil e seiscentos metros qua- tos e noventa metros quadrados, a confrontar do norte com José da Cruz Al- dente que foi na referida freguesia de Serapicos e os restantes por partilha ver-
e oito mil metros quadrados, a confrontar do norte com António Maria Sen- drados, a confrontar do norte com José Maria de Sá Morais, do nascente com ves, do nascente com Cândida da Conceição, do sul e do poente com José Vi- bal da herança aberta por óbito de António da Ressurreição Pereira, que foram
das, do nascente com Estrada, do sul com José António Miranda e do poen- Carlos Miguel Dias, do sul com Silvestre dos Santos Marreiro e do poente cente, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas ins- residente na referida freguesia de Serapicos, sem que no entanto ficassem a
te com Daniel Vaz, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bra- com Sebastião Venceslau, não descrito na Conservatória do Registo Predial de crito na matriz respectiva sob o artigo 2597, sendo de 0,63 euros o seu valor dispor de título formal que lhes permita, o respectivo registo na Conservatória
gança, mas inscrito na matriz respectiva sob o artigo 1219, sendo de 26,90 Bragança, mas inscrito na matriz respectiva sob o artigo 1690, sendo de 0,63 patrimonial a que atribui o valor de cinco euros. do Registo Predial; mas, desde logo, entraram na posse e fruição dos identifi-
euros o seu valor patrimonial a que atribui o valor de trinta euros. euros o seu valor patrimonial a que atribui o valor de cinco euros. 20 – Prédio rústico, sito em Jainça, freguesia de Calvelhe, concelho de Bra- cados prédios, em nome próprio, posse que assim detêm há muito mais de vin-
4 – Prédio rústico, sito em Vilar, freguesia de Serapicos, concelho de Bra- 12 – Prédio rústico, sito em Veiga, freguesia de Serapicos, concelho de Bra- gança, composto por vinha, olival com doze oliveiras, três nogueiras e uma te anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja.
gança, composto por cultura, com a área de sete mil metros quadrados, a gança, composto por cultura, com a área de cento e setenta metros quadrados, macieira, com a área de quatro mil e quatrocentos metros quadrados, a con- Que essa posse foi adquirida e mantida sem violência e sem oposição, os-
confrontar do norte e do sul com Camilo Augusto de Sá Morais, do nascen- a confrontar do norte com António Gralhós, do nascente com David Augus- frontar do norte com Adelaide da Conceição Bartolo, do nascente com Maria tensivamente, com o conhecimento de toda a gente em nome próprio e com
te com José Augusto Paradinha e do poente com Caminho, não descrito na to Moura, do sul com Maria do Céu Lazaro e do poente com Adérito do Nas- Fabia Barroso, do sul com António Gralhós e do poente com José da Cruz Al- aproveitamento de todas as utilidades dos prédios, nomeadamente, amanhan-
Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz res- cimento Rodrigues, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bra- ves, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas ins- do-os, adubando-os, cultivando-os e colhendo os seus frutos, agindo sempre
pectiva sob o artigo 1380, sendo de 16,47 euros o seu valor patrimonial a gança, mas inscrito na matriz respectiva sob o artigo 1779, sendo de 1,01 eu- crito na matriz respectiva sob o artigo 2233, sendo de 4,90 euros o seu valor por forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, quer usu-
que atribui o valor de vinte euros. ros o seu valor patrimonial a que atribui o valor de cinco euros. patrimonial a que atribui o valor de cinco euros. fruindo como tal os imóveis, quer beneficiando dos seus rendimentos, quer
5 – Prédio rústico, sito em Camanas, freguesia de Serapicos, concelho 13 – Prédio rústico, sito em Lagar, freguesia de Serapicos, concelho de 21 – Prédio rústico, sito em Rego do Amieiro, freguesia de Serapicos, con- suportando os respectivos encargos, quer ainda pagando as respectivas contri-
de Bragança, composto por cultura com catorze castanheiros, com a área Bragança, composto por vinha e cultura, com a área de seis mil e quatrocen- celho de Bragança, composto por horta, com a área de vinte metros quadra- buições e impostos, mantendo-os sempre na sua inteira disponibilidade.
de cinco mil e seiscentos metros quadrados, a confrontar do norte com Ma- tos e oitenta metros quadrados, a confrontar do norte com Gilberto Joaquim dos, a confrontar do norte com Quintino Morais, do nascente e do poente com Que esta posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública, conduziu à
ximino do Sacramento, do nascente com Beatriz Oliveira, do sul com For- Lopes, do nascente com Fortunato Augusto Bartolo, do sul com José Ma- António da Ressurreição Garrido e do sul com Elvira Bártolo, não descrito na aquisição dos imóveis, por usucapião, que invocam, justificando o seu direito
tunato Augusto Bartolo e do poente com Patrocínio Gonçalves, não descri- nuel Miranda e do poente com Manuel Pereira, não descrito na Conservató- Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respec- de propriedade, para o efeito de registo, dado que esta forma de aquisição não
to na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz ria do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva sob o tiva sob o artigo 204, sendo de 0,38 euros o seu valor patrimonial a que atri- pode ser comprovada por qualquer outro título formal extrajudicial.

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão tos e setenta e dois metros quadrados, a confrontar do norte com Artur Au- J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão trimonial tributário e atribuído € 12.510,00. Que o mencionado prédio foi por
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 gusto Morais, do nascente com caminho, do sul com Afonso José M.S Bo- n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 eles adquirido, em data que não sabe precisar mas do ano de mil novecentos
Com o arquivo do antigo telho e do poente com Afonso José M.S Botelho, não descrito na Conser- CARTÓRIO NOTARIAL e oitenta e quatro, por doação meramente verbal dos pais e sogros dos justi-
CARTÓRIO NOTARIAL vatória do Registo Predial de Mirandela, mas inscrito na matriz respectiva, DE MIRANDA DO DOURO ficantes, Lázaro Augusto João e mulher, Adelina Augusta Torrado, já faleci-
DE BRAGANÇA sob o artigo 2141, sendo de 1,65 euros o seu valor patrimonial, a que atri- dos e residentes que foram em Vale de Águia já referida, mas não dispõem
buem o valor de cinco euros. Certifico narrativamente, para efeitos de publicação, que no dia de hoje, de qualquer título formal para o registar na conservatória. Que, no entanto,
EXTRACTO / JUSTIFICAÇÃO Que entraram na posse do referido prédio, em mil novecentos e oitenta e neste Cartório Notarial, foi lavrada uma escritura de Justificação, exarada de desde essa altura entraram na posse e fruição do mesmo, nomeadamente, ha-
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura quatro por doação verbal que dele lhes fez José de Jesus, residente que foi no folhas 80 a 81 v do respectivo livro n.º 104-C, intervindo como justificantes: bitando-o, nele guardando seus haveres, efectuando regularmente obras de
lavrada no dia quinze de Setembro de dois mil e dez no Cartório Notarial lugar de Mosteiró, da referida freguesia de torre de D. Chama, sem que no en- Nazaré dos Santos João Richerioux, N.I.F. 223 685 496 e marido Jean Clau- conservação e reparação, realizando benfeitorias e pagando os respectivos
a cargo do notário Lic. João Américo Gonçalves Andrade, sito na Avenida tanto ficassem a dispor de título formal que lhes permita, o respectivo registo de Lionel Didier Rieherioux, N.I.F. 250 089 343, casados sob o regime da impostos, com ânimo de quem exercita direito próprio, de boa fé, por igno-
Dr. Francisco Sá Carneiro, 16 em Bragança, exarada de trinta e nove a fo- na Conservatória do Registo Predial; mas, desde logo, entraram na posse e comunhão de adquiridos, ela natural da freguesia e concelho de Miranda do rar lesar direito alheio. Que, esta posse tem sido exercida sem interrupção, de
lhas quarenta verso, do livro de notas para escrituras diversas número TRE- fruição do identificado prédio, em nome próprio, posse assim detêm há mui- douro e ele de França, de nacionalidade francesa, residentes em Les Cote- forma ostensiva, à vista de toda a gente e sem violência ou oposição de quem
ZE- G “MARIA DA LUZ MEDEIROS e marido MANUEL ANTÓNIO DA to mais de vinte anos, sem interrupção ou ocultação de quem quer que seja. aux, Artannes-sur-indre (37), França. E declararam: Que, são donos e legíti- quer que seja, de forma correspondente ao exercício do direito de proprie-
COSTA, casados sob o regime de comunhão geral de bens, ambos naturais Que essa posse foi adquirida e mantida sem violência e sem oposição, os- mos possuidores, com exclusão de outrem, do prédio urbano, sito em Carras- dade. Que, assim, a posse pública, pacífica, contínua e em nome próprio do
da freguesia de Torre de D. Chama, concelho de Mirandela e residentes em tensivamente, com o conhecimento de toda a gente em nome próprio e com cal, freguesia e concelho de Miranda do Douro, composto de edifício de rés- citado imóvel, desde o ano de mil novecentos e oitenta e quatro, conduziu à
Bragança, na rua Eng. Adolfo Ramires, nº 19, NIFS 104 461 667 e 157 706 aproveitamento de todas as utilidades do prédio, nomeadamente, amanhan- do-chão com a superfície coberta de cem metros quadrados e um logradouro aquisição do mencionado prédio por usucapião, que expressamente invocam
222, fizeram as declarações constantes desta certidão, que com esta se com- do-o, adubando-os, cultivando-o e colhendo os seus frutos, agindo sempre com a área de trezentos e setenta e cinco metros quadrados, a confrontar do para justificar o seu direito de propriedade para fins de registo.
põe de duas laudas e vai conforme o original. por forma correspondente ao exercício do direito de propriedade, quer usu- norte com caminho, do sul com Isabel Maria João, do nascente com Manuel Está conforme o original o que certifico.
Bragança, Cartório Notarial, quinze de Setembro de dois mil e dez. fruindo como tal o imóvel, quer beneficiando dos seus rendimentos, quer su- Joaquim Valentim c do poente com Lázaro Augusto João, não descrito na Miranda do Douro, 16 de Setembro de 2010
A Colaboradora Autorizada, portando os respectivos encargos, quer ainda pagando as respectivas contri- Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro e inscrito na respec- A Conservadora, em exercício de funções notariais,
Bernardete Isabel C. Simões Afonso buições e impostos, mantendo-os sempre na sua inteira disponibilidade.Que tiva matriz em nome da justificante mulher sob o artigo 522, com o valor pa- Carla Maria Ferreira da Silva
esta posse em nome próprio, pacífica, contínua e pública, conduziu à aqui-
Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem do pré- sição do imóvel, por usucapião, que invocam, justificando o seu direito de
dio rústico, sito em Cruzinha, freguesia de Torre de D. Chama, concelho propriedade, para o efeito de registo, dado que esta forma de aquisição não
de Mirandela, composto por terra para centeio, com a área de mil oitocen- pode ser comprovada por qualquer outro título formal extrajudicial. J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão quem exercita direito próprio, de boa fé, por ignorar lesar direito alheio. Que,
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 esta posse tem sido exercida, por eles, sem interrupção, de forma ostensiva, à
CARTÓRIO NOTARIAL vista de toda a gente e sem violência ou oposição de quem quer que seja, de
J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão não sabe precisar mas do ano de mil novecentos e oitenta e quatro, por do- DE MIRANDA DO DOURO forma correspondente ao exercício do direito de propriedade. Que, assim, a
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 ação meramente verbal de seus pais, Aquilino da Conceição Afonso e mu- posse pública, pacífica, contínua e em nome próprio dos citados imóveis, de-
CARTÓRIO NOTARIAL lher, Ana dos Ramos Pires, residentes na indicada freguesia de Genísio, Es- Certifico narrativamente, para efeitos de publicação, que no dia de hoje, signadamente da referida fracção indivisa de um quarto, desde o ano de mil
peciosa, mas não dispõe de qualquer título formal para o registar na conser- neste Cartório Notarial, foi lavrada uma escritura de Justificação e Compra e novecentos e setenta e oito, conduziu à aquisição dos mencionados prédios,
DE MIRANDA DO DOURO
vatória. Que, no entanto, desde essa altura entrou na posse e fruição do mes- Venda, exarada de folhas 84 a 86v do respectivo livro n.º 104-C, em que ou- por usucapião, que em nome dos seus representados, expressamente invoca
Certifico narrativamente, para efeitos de publicação, que no dia de ho- mo, nomeadamente, limpando-o, desbastando-o, cultivando-o, colhendo os torgou: António Córdova, viúvo, natura, da freguesia de Silva, concelho de para justificar o seu direito de propriedade para fins de registo.
je, neste Cartório Notarial, foi lavrada uma escritura de Justificação, exara- seus frutos e pagando os respectivos impostos, com ânimo de quem exerci- Miranda do Douro, residente na Rua Vale de Angueiras, n.º 5, freguesia de Está conforme o original o que certifico.
da de folhas 71 a 71v do respectivo livro n.º 104-C, intervindo como justi- ta direito próprio, de boa fé, por ignorar lesar direito alheio. Que, esta pos- Malhadas, concelho de Miranda do Douro, na qualidade de procurador e em Miranda do Douro, 20 de Setembro de 2010
ficante Sofia da Conceição Pires Afonso, solteira, maior, natural da fregue- se tem sido exercida sem interrupção, de forma ostensiva, à vista de toda a representação dos justificantes; Manuel José Córdova. N.I.F, 167 707 841 e A Conservadora, em exercício de funções notariais,
sia de Genísio, concelho de Miranda do Douro, onde reside na Rua do Ga- gente e sem violência ou oposição de quem quer que seja, de forma corres- mulher Isabel Maria Esteves Córdova, N.I.F. 200 685 325, casados sob o re- Carla Maria Ferreira da Silva
to, Especiosa. E declarou: Que, é dona e legítima possuidora, com exclu- pondente ao exercício do direito de propriedade. Que, assim, a posse públi- gime da comunhão de adquiridos, os dois naturais da dita freguesia de Sil-
são de outrem, do prédio rústico, sito em Campanário, freguesia de Genísio, ca, pacífica, contínua e em nome próprio do citado imóvel, desde o ano de va, residentes na Rua Primeiro de Maio, n.º 35, Miranda do Douro. E de-
clarou: Que os seus representados, são donos e legítimos possuidores, com
concelho de Miranda do Douro, composto de terra de centeio, com a área
de trezentos e quarenta e oito metros quadrados, a confrontar do norte com
mil novecentos e oitenta e quatro, conduziu à aquisição do mencionado pré-
dio por usucapião, que expressamente invoca para justificar o seu direito de exclusão de outrem, dos seguintes bens imóveis, todos situados na fregue- Empresa em expansão especiali-
rua pública, do sul com Alcino Martins, do nascente com Júlio Fernandes e propriedade para fins de registo. sia de Silva, concelho de Miranda do Douro: Verba um; um quarto indiviso zada no ramo de projecto, comerciali-
do poente com Isabel Irene Fernandes, não descrito na Conservatória do Re- Está conforme o original o que certifico. do prédio rústico, sito em Vale de Carvalho, composto de lameiro, pastagem
gisto Predial de Miranda do Douro e inscrito na respectiva matriz em nome Miranda do Douro, 6 de Setembro de 2010 e mata de freixos, com a área de vinte e seis mil metros quadrados, a con- zação e montagem de sistemas e equi-
da justificante sob o artigo 4916, com o valor patrimonial tributário e atri- A Conservadora, em exercício de funções notariais, frontar do norte e poente com caminho, do sul com Domingues Silva e do
nascente com Manuel Santos Anes, inscrito na respectiva matriz sob o arti-
pamentos de Energias Renováveis e
buído €90,41. Que o mencionado prédio foi por ela adquirido, em data que Carla Maria Ferreira da Silva
go 115, com o valor patrimonial tributário correspondente de €34,83; Verba Climatização em todo o país, preten-
dois: Prédio rústico, sito em Vale, composto de terra de trigo e centeio, com
J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão tributário e atribuído €90,40. Que o mencionado prédio foi por eles adquiri- a área de quatro mil, setecentos e sessenta metros quadrados, a confrontar do de recrutar delegado comercial para a
n .º 722 d e 7 d e S e t e m b ro d e 2010 dos, já no estado de casados, em data que não sabem precisar mas do ano de norte com António Augusto Fernandes, do sul com Francisco Manuel Preto, zona de Bragança e Trás-os-Montes.
mil novecentos e oitenta e seis, por compra meramente verbal feita a Pedro do nascente com caminho e do poente com Abílio Martins Marcos, inscri-
CARTÓRIO NOTARIAL
DE MIRANDA DO DOURO Maria Preto e mulher Arminda do Nascimento Paulo, ele já falecido, ela re- to na respectiva matriz sob o artigo 308, com o valor patrimonial tributário Requisitos: Disponibilidade ime-
€11,64; Que os identificados prédios estão omissos na Conservatória do Re-
Certifico narrativamente, para efeitos de publicação, que no dia de ho-
sidente na indicada freguesia de Vila Chã de Braciosa, em Fonte de Aldeia,
mas não dispõem de qualquer título formal para o registar na conservatória. gisto Predial de Miranda do Douro e inscritos na respectiva matriz em no- diata, ambição e atitude vencedora,
je, neste Cartório Notarial, foi lavrada uma escritura de Justificação, exara- Que, no entanto, desde essa altura entraram na posse e fruição do mesmo, me do justificante marido. dinâmico, boa apresentação, boa flu-
da de folhas 62 a 63 v.º do respectivo livro n.º I04-C, em que foram justifi- nomeadamente, limpando-o, desbastando-o, cultivando-o, colhendo os seus Que os mencionados prédios foram pelos seus representados adquiridos,
cantes: Elisa dos Santos Carvalhino Ramos N.I.F. 199 531 129 e marido Jo- frutos e pagando os respectivos impostos, com ânimo de quem exercita di- já no estado de casados, em data que não sabem precisar do ano de mil nove- ência verbal, apetência comercial com
centos e setenta e oito, por doação verbal de seus pais e sogros, Tomé Pereira
sé Francisco dos Ramos Souto, N.I.F, 179 804 103, casados sob o regime da
comunhão geral, naturais, ele da freguesia de Águas Frias, concelho de Cha-
reito próprio, de boa fé, por ignorar lesar direito alheio. Que, esta posse tem
Córdova e mulher Maria da Ressurreição Matos, já falecidos, e ao tempo re-
ou s/ experiência na área.
sido exercida sem interrupção, de forma ostensiva, à vista de toda a gente e
ves, ela da freguesia de Vila Chã de Braciosa, concelho de Miranda do Dou- sem violência ou oposição de quem quer que seja, de forma correspondente sidentes na mencionada freguesia de Silva, mas não dispõem de qualquer tí-
tulo formal para os registar na conservatória. Que, no entanto, os seus repre-
Oferecemos: Gabinete de traba-
ro, onde residem na Rua das Eiras, n.º 9, Fonte de Aldeia e disseram: Que, ao exercício do direito de propriedade. Que, assim, a posse pública, pacífi-
são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem, do prédio rús- ca, contínua e em nome próprio do citado imóvel, desde o ano de mil nove- sentados desde essa altura, quanto à fracção indivisa de um quarto, sempre lho com showroom, formação, exce-
tico, sito em Carro Quebrado, freguesia de Vila Chã de Braciosa, concelho estiveram na composse com os restantes compossuidores e com aqueles sem-
de Miranda do Douro, composto de terra de vinha, com a área de quatro mil
centos e oitenta e seis, conduziu à aquisição do mencionado prédio por usu-
capião, que expressamente invocam para justificar o seu direito de proprie- pre praticaram actos concretos de posse em relação ao direito possuído, par- lente renumeração e integração num
oitocentos e quarenta metros quadrados, a confrontar do norte com José Au- dade para fins de registo. ticipando nas vantagens e encargos na proporção das suas quotas, gozando a projecto inovador.
gusto Monteiro, do sul com Manuel Maria Patalão, do nascente José Anjos Esta conforme o original o que certifico. partir desse momento em conjunto com todos eles, de todos os poderes que
Meirinhos e do poente com Manuel de São Pedro, não descrito na Conserva- Miranda do Douro, 26 de Agosto de 2010 lhe pertenceram e quanto ao restante prédio entraram na posse e fruição do Resposta para:
tória do Registo Predial de Miranda do Douro e inscrito na respectiva matriz A Conservadora, mesmo, nomeadamente, limpando-o, desbastando-o, cultivando-o, colhen-
do os seus frutos e de todos pagando os respectivos impostos, com ânimo de
recrut102@gmail.com
em nome da justificante mulher, sob o artigo 2261, com o valor patrimonial Carla Maria Ferreira da Silva

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 33


PUBLICIDADE

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l de I n f o r m aç ão n .º 724 de 21 de S e t e m b ro de 2010

MUNICÍPIO DE ALFÂNDEGA DA FÉ
S. R.
C Â M A R A   M U N I C I PA L
ANÚNCIO DE PRORROGAÇÃO DE PRAZO
Concurso Público para Alienação de Capital Social, com
Cláusula Resolutiva ou Cessão de Exploração da ALFANDEGATUR, E.M.

1 – Identificação e contactos da entidade adjudicante:


Designação da entidade adjudicante:
Município de Alfândega da Fé; Alfandegatur – Empresa Municipal de Desenvolvimento
Turístico de Alfândega da Fé, E.M.
Serviço/órgão/pessoa de contacto: Gabinete de Apoio Pessoal
Endereço: Rua Camilo de Mendonça, 5350-045, Alfândega da Fé
Telefone: 279468120 – Fax: 279463132
Endereço electrónico: gabinetepresidencia.cmaf@gmail.com
2 – Objecto do contrato: Designação do contrato:
Opção I: contrato de alienação total ou parcial do capital social detido pelo município
de Alfândega da Fé na empresa ALFANDEGATUR – EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO
TURÍSTICO DE ALFÂNDEGA DA FÉ, E.M.; Opção II: contrato de cessão de exploração de
um estabelecimento turístico propriedade da entidade adjudicante ALFANDEGATUR – EM-
PRESA DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DE ALFÂNDEGA DA FÉ, E.M.
Descrição sucinta do objecto do contrato: J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão cairo”, com a área de cento e dez metros quadrados, a confrontar de norte
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 com herdeiros de Aníbal Augusto Ramos, sul com Estrada Nacional, nas-
Opção I: A definição dos termos em que se procede à celebração de um contrato de alie- NOTÁRIO cente com angelina Diegues e poente com Marcolino Rodrigues, inscrito na
nação total ou parcial do capital social detido pelo município de Alfândega da Fé na empresa MANUEL JOÃO respectiva matriz sob o artigo 1934, com o valor patrimonial tributável de
ALFANDEGATUR – EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DE ALFÂNDEGA SIMÃO BRAZ €0,63 e o atribuído de dez euros;
não descritos na Conservatória do Registo Predial deste concelho, confor-
DA FÉ, E.M., sujeitando essa alienação à cláusula resolutiva de cumprimento, por parte da EX T R AC TO me certidão que da mesma apresenta.
entidade adjudicatária, de obrigações constantes do caderno de encargos e do contrato a Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura de Que os identificados prédios foram-lhe vendidos no ano de mil novecen-
celebrar; hoje, exarada de folhas noventa e oito a cem do respectivo livro número cen- tos e oitenta e dois, ainda no estado de solteiro, maior, tendo posteriormen-
to e setenta e cinco, LUÍS JORGE RODRIGUES FIGUEIREDO, NIF 150 te casado com Maria da Costa Prada sob o regime da comunhão de adquiri-
Opção II: A definição dos termos em que se procede à celebração de um contrato de 330 561, divorciado, natural da freguesia de França, onde reside quando em dos, actualmente dela divorciado, pela forma seguinte:
cessão de exploração de um estabelecimento turístico propriedade da entidade adjudicante Portugal, concelho de Bragança, residente habitualmente na Calle Embaja- a) o primeiro por Manuel dos Santos Costa, residente na aludida fregue-
ALFANDEGATUR – EMPRESA DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DE ALFÂNDEGA dores, n.º 146, Portal 4, 3º B, Madrid, declarou: sia de França; e
Que, com exclusão de outrem, é dono e legítimo possuidor dos prédios a seguir b) o segundo por Avelino António Delgado, já falecido, residente na alu-
DA FÉ, E.M.. identificados, todos localizados na freguesia de França, concelho de Bragança: dida freguesia de França;
Tipo de contrato: número um – prédio rústico, composto de vinha, sito em “Escairo”, com a c) o terceiro e o sexto, por Fernanda Augusta Diegues, residente que foi
Opção I: contrato de alienação de capital social; área de cento e quarenta metros quadrados, a confrontar de norte com Teresa na mesma freguesia de França;
Augusta Garcia, sul com Marcolino Rodrigues Júnior, nascente comAna Maria d) o quarto por José Joaquim Rodrigues, residente na citada freguesia
Opção II: contrato de locação de estabelecimento. Prada e poente com António Alves, inscrito na respectiva matriz sob o artigo de França; e
Classificação CPV: Não aplicável. 1915, com o valor patrimonial tributável de €1,01 e o atribuído de dez euros; e) o quinto por António Augusto Ramos, também residente na dita fre-
número dois – prédio rústico, composto de vinha, sito em “Escairo”, com guesia de França;
3 – Indicações adicionais: a área de quarenta metros quadrados, a confrontar de norte com Ana Maria todos por contratos de compra e venda meramente verbais, nunca tendo
O concurso destina-se à celebração de um acordo quadro? Não Prada, sul com Angelina Diegues, nascente com António Condado e poente chegado a realizar as necessárias escrituras públicas.
com Adriano Augusto Pires, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 1918, Que, assim, não é detentor de qualquer título formal que legitime o domí-
O concurso destina-se à instituição de um sistema de aquisição dinâmico? Não com o valor patrimonial tributável de €0,38 e o atribuído de dez euros; nio dos mencionados prédios.
É utilizado um leilão electrónico? Não número três – prédio rústico, composto de vinha, sito em “Escairo”, com Que, não obstante isso, logo desde meados desse ano de mil novecentos
É adoptada uma fase de negociação? Sim a área de duzentos e vinte metros quadrados, a confrontar de norte com Ana e oitenta e dois, passou a usufruir os referidos terrenos, gozando de todas
Maria Prada, sul com José Joaquim, nascente com Avelino António Delga- as utilidades por eles proporcionadas, começando por ocupá-los, limpando-
4 – Admissibilidade da apresentação de propostas variantes? Sim. do e poente com Manuel dos Santos Costa, inscrito na respectiva matriz sob os, cultivando-os, colhendo os seus frutos e produtos, e efectuando diversas
o artigo 1919, com o valor patrimonial tributável de € 1,64 e o atribuído de benfeitorias, designadamente o melhoramento das suas vedações, agindo
5 – Local da execução do contrato: Alfândega da Fé. dez euros; assim, sempre com ânimo de quem exerce direito próprio, na convicção de
número quatro – prédio rústico, composto de terra de cultura, sito em tais prédios lhe pertencerem e de ser o seu verdadeiro dono, como tal sendo
6 – Prazo de execução do contrato: A definir de acordo com o constante no caderno “Escairo”, com a área de cento e vinte metros quadrados, a confrontar de reconhecido por toda a gente, fazendo-o de boa fé por ignorar lesar direito
de encargos, na proposta, e o que resultar da fase de negociação. norte com Adriano Augusto Pires, sul com Angelina Diegues, nascente com alheio, pacificamente, porque sem violência, contínua e publicamente, à vis-
Marcolino Rodrigues e poente com herdeiros de Aníbal Augusto Ramos, ta e com o conhecimento de todos e sem oposição de ninguém.
7 – Documentos de habilitação: inscrito na respectiva matriz sob o artigo 1929, com o valor patrimonial tri- Que dadas as enunciadas características de tal posse que, da forma indica-
a) Declaração emitida conforme modelo constante do anexo II ao Código dos Contratos butável de €0,63 e o atribuído de dez euros; da vem exercendo há mais de vinte anos, adquiriu o domínio dos ditos pré-
Públicos; número cinco – prédio rústico, composto de terra de cultura, sito em “Es- dios por usucapião, título esse que, por sua natureza, não é susceptível de ser
cairo”, com a área de cento e vinte metros quadrados, a confrontar de nor- comprovado por meios normais. Que para suprir tal título fazem esta decla-
b) Documentos comprovativos de que não se encontra nas situações previstas nas te com Adriano Augusto Pires, sul com Angelina Diegues, nascente com Jo- ração de justificação para fins de primeira inscrição no registo predial.
alíneas b), d), e) e i) do artigo 55. do Código dos Contratos Públicos; sé Joaquim e poente com Marcolino Rodrigues Júnior, inscrito na respecti- Está conforme.
va matriz sob o artigo 1930, com o valor patrimonial tributável de €0,63 e Bragança, 9 de Setembro de 2010.
8 – Acesso às peças do concurso e apresentação das propostas: o atribuído de dez euros; A Colaboradora Autorizada,
8.1 – Consulta das peças do concurso: número seis – prédio rústico, composto de terra de cultura, sito em “Es- Elisabete Maria C. Melgo
Designação do serviço da entidade adjudicante onde se encontram disponíveis as pe-
ças do concurso para consulta dos interessados: GAP/Serviço de Aprovisionamento do Mu-
nicípio de Alfândega da Fé. J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010
opor à execução.
O duplicado do requerimento executivo e a cópia dos documentos encon-
Endereço desse serviço: Rua Camilo de Mendonça tram-se à disposição do citando na Secretaria do Tribunal de Peso da Régua.
Código postal: 5350-045, Alfândega da Fé Maria do Céu Mourão MEIOS DE OPOSIÇÃO
Telefone: 279468120 Solicitadora de Execução Nos termos do disposto no artigo 60.º do C.P.C. e tendo em consideração
o valor do processo, para se opor à execução (que terá de ser apresentada no
Fax: 279463132 Cédula N.º 3452 Tribunal supra identificado), é obrigatória a constituição de Advogado.
Endereço electrónico: gabinetepresidencia.cmaf@gmail.com COMINAÇÃO EM CASO DE REVELIA
ANÚNCIO – Citação de Ausente em Parte Incerta Caso não se oponha à execução no prazo supra indicado e não pagar
8.2 – Meio electrónico de fornecimento das peças do concurso e de apresentação das (artigos 244.º e 248.º do CPC) – (2.ª e Última Publicação) ou caucione a quantia exequenda, seguem-se os termos do artigo 832.º do
propostas: A CITAR: MANUEL JOSÉ DOS SANTOS, UNIPESSOAL, LDA. C.P.C., sendo promovida a penhora dos bens necessários para garantir o pa-
Plataforma electrónica utilizada pela entidade adjudicante: N/A gamento da quantia exequenda, acrescido de 10%, nos termos do disposto no
Tribunal Judicial de Peso da Régua    Execução Comum n.º 3 do artigo 821.º do C.P.C.
Preço a pagar pelo fornecimento das peças do concurso: A aquisição pelos interessados    n.º 845/05.5 TBPRG PAGAMENTO, DESPESAS E HONORÁRIOS
de cópia (autenticada) das peças do processo depende do prévio pagamento de 5,00 € (cinco Valor: 30.182,65 € 2.º Juízo Poderá efectuar o pagamento da quantia exequenda no escritório da sig-
euros) pela 1.ª folha (certidão) e de 1,00 € (um euro) por “lauda”, a favor do Município de Alfân- Exequente: Amândio Machado & C.ª., Lda. natária (dias e horas constantes do rodapé) em dinheiro ou cheque visado.
Executado: Manuel José dos Santos, Unipessoal, Lda. Pode igualmente solicitar, a qualquer momento, na secretaria do Tribu-
dega da Fé, a efectuar em numerário, depósito, ou transferência bancária, ou cheque visado. nal, ainda que verbalmente, guias para depósito da parte líquida ou já liqui-
9 – Prazo para apresentação das propostas ou das versões iniciais das propostas sem- OBJECTO E FUNDAMENTO DA CITAÇÃO dada do crédito do exequente que não estejam solvidos pelo produto da ven-
Nos termos e para os efeitos do disposto no art.º 248.º e ss. do Código da ou adjudicação de bens.
pre que se trate de um sistema de aquisição dinâmico: Até às 17h00 do 15º dia a seguir à do Processo Civil (C.P.C.), correm éditos de 30 (trinta) dias, contados da À quantia exequenda acrescem, para além dos juros calculados nos ter-
publicação do anúncio no Diário da República. data de afixação deste edital, citando o ausente Manuel José dos Santos, mos do pedido, a taxa de justiça no montante de €44,50 e os honorários e
na qualidade de legal representante da Executada MANUEL JOSÉ DOS despesas do solicitador de execução, que nesta data ascendem a €350,00.
10 – Prazo durante o qual os concorrentes são obrigados a manter as respectivas pro- SANTOS, UNIPESSOAL, LDA., com última residência conhecida na Rua Os prazos começam a contar-se a contar da publicação do último anún-
postas: 180 dias a contar do termo do prazo para a apresentação das propostas. Dr. Francisco Sá Carneiro, n.º 31, Carrazeda de Ansiães, que nos termos cio.
do disposto no artigo 812.º, n.º 6 do C.P.C., (artigos 812.º-A, à contrário A Solicitadora de Execução,
11 – Critério de adjudicação: Proposta economicamente mais vantajosa e 813.º do mesmo diploma), tem o prazo de 20 dias para pagar ou para se Maria do Céu Mourão
a) Experiência na área de hotelaria, eventos e áreas conexas.
b) Assunção do passivo existente na Banca, Fundo de Turismo e outras dívidas.
c) Percentagem do capital social que pretende adquirir. J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010
to Predial de Vimioso.
O referido prédio veio à posse e domínio dos justificantes por compra
d) N.º de trabalhadores assumidos pelos proponentes. CARTÓRIO NOTARIAL verbal a Augusto Granjo Vaz e mulher residentes em Macedo de Cavalei-
e) Investimento previsto na área do hotel SPA com o objectivo de tornar o equipamento da Notária Lic. Ana Maria Gomes dos Santos Reis ros, aquisição esta que ocorreu por volta do ano de mil novecentos e oi-
mais rentável. Alameda N.ª Sr.ª de Fátima, N.º 8 em Macedo de Cavaleiros
tenta e oito, não tendo sido formalizada por documento autêntico a refe-
rida aquisição.
f) Preço mensal proposto, no caso de cessão de exploração. Certifico para efeitos de publicação que, por escritura de Justificação No- Que desde então, portanto há mais de vinte anos. têm possuído o referido
Os critérios supra referidos serão apreciados na sua globalidade, devendo os concor- tarial lavrada neste Cartório Notarial no dia dez de Setembro de dois mil prédio, em nome próprio, retirando as utilidades pelos mesmos proporcio-
rentes apresentar toda a informação pertinente que permita valorizar a sua proposta. e dez, com início a folhas quarenta e nove do livro de notas CENTO E nadas, cultivando-o, vindimando, com o ânimo de quem exerce direito pró-
OITENTA E QUATRO TRAÇO A. FERNANDO LOPES BRAZ e mulher prio, sendo reconhecidos como seus donos por toda a gente, fazendo-o de
12 – Dispensa de prestação de caução: Não ADRIANA DA CONCEIÇÃO ATAÍDE FERNANDES, casados, sob o re- boa-fé, por ignorarem lesar direito alheio, pacificamente porque sem violên-
gime da comunhão de adquiridos, naturais da freguesia de Argozelo, do con- cia, contínua e publicamente, à vista e com o conhecimento de toda a gente
13 – Outras informações celho de Vimioso, residentes em Argozelo, que se declaram com exclusão e sem oposição de ninguém.
de outrem, donos e legítimos possuidores do seguinte: Que dadas as características de tal posse, os justificantes adquiriram o
Paços do Concelho de Alfândega da Fé, 15 de Setembro de 2010, A Presidente da Câ- Prédio rústico composto de pastagem e vinha, sito no lugar de “Vale de prédio referido por usucapião, título esse que pela sua natureza, não é sus-
mara Municipal de Alfândega da Fé, Dr.ª Berta Ferreira Milheiro Nunes Argoselo” na freguesia de Argozelo, do concelho de Vimioso, inscrito na ceptível de ser comprovado pelos meios extrajudiciais normais.
matriz sob o artigo 47, com o valor patrimonial de 276,79 €, com a área de Está conforme o original, Macedo de Cavaleiros, dez de Setembro de
oito mil e oitocentos metros quadrados, a confrontar de norte com a estra- dois mil e dez.
A Presidente da Câmara, da, do sul com Augusto Oliveira Nanho, do nascente com Teófilo Viriato Te- O Colaborador da Notária por expressa delegação,
Dr.ª Berta Ferreira Milheiro Nunes les e do poente com Manuel Alves Pais, omisso na Conservatória do Regis- André Miguel Alves Loureiro

34 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


publicidade

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão serem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Urbano 317, concelho de Miranda do Douro, fre-
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010
na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada guesia de Vila Chã de Braciosa, localizado no Bairro da Igreja – Freixiosa. Con-
de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 106,00 € na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. frontações a norte e poente Lazaro Martins, sul Manuel António Afonso, nascen-
CPN 4009 Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 74,20 €, correspon- MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- te Rua. Tipo de prédio: prédio em Prop. Total sem Andares nem Div. Susc. De Uti-
dente a 70% do valor base. rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados liz. Independente, descrição: Casa de habitação com 1 fachada sobre a rua, afec-
Alexandra Gomes Lote VI – TIPO DE BEM: Imóvel na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro tação: prédios não licenciados, em condições muito deficientes de habitabilida-
Solicitadora de Execução ARTIGO MATRICIAL: art.º 4467 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 120,00 € de, n.º de pisos: 1, tipologia/Divisões: 1, áreas: área total do terreno: 100 m2. Des-
DESCRIÇÃO:. Artigo Matricial Rústico 4467, concelho de Miranda do Douro, Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 84 €, corresponden- crito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 790.
ANÚNCIO DE VENDA (2.ª e Última Publicação) freguesia de Vila Chã da Braciosa, localizado em Carvalho, confrontações a nor- te a 70% do valor base. PENHORADO EM : 06.05.2009.
te Caminho, sul e poente Adelina da Conceição Raposo, nascente Paulo Mendes. Lote XII – TIPO DE BEM: Imóvel INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM:
Processo 100/05.0TBMDR    Execução Ref. Interna: Área total: 3600 m2. Composição – Pastagem. Descrito na Conservatória do Regis- ARTIGO MATRICIAL: art.º 5007 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior,
Tribunal Judicial de Miranda    Comum PE-36/2005 to Predial de Miranda do Douro sob o n.º 778. PENHORADO EM : 06.05.2009. DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 5007, concelho de Miranda do Douro, com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues,
do Douro – Secção Única Data: 23-08-2010 INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: freguesia de Vila Chã da Braciosa, localizado em Malhada. Confrontações a nor- NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Ro-
Exequente: José Maria Pêra EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, te António Alberto Fernandes, sul Albino S. Pedro, nascente Luciano dos Anjos drigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa – Mi-
Executado(s): Jaime Rodrigues Martins e outros. com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, Martins, poente Miquelina Rosa Porto. Área total: 120 m2. Composição Vinha. randa do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, casada com
NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Descrito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 784. Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada na Rua José
Agente de Execução, Solicitadora de Execução, Alexandra Gomes, CP Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa PENHORADO EM : 06.05.2009. Inácio Pinto – Miranda do Douro.
N.º 4009, com endereço profissional em Av. João da Cruz, n.º 70, Edifício S. – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a serem
José, 2.º Esq. Frente, 5300-178 Bragança. sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados na com-
Nos termos do disposto no artigo 890.º do Código de Processo Civil, na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, pra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro de 2010, pe-
anuncia-se a venda dos bens adiante designados: MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime las 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 7000,00 €
rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 4900,00 €, correspon-
BENS EM VENDA na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- dente a 70% do valor base.
Lote I – TIPO DE BEM: Imóvel de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 75,00 € sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada Lote XVIII – TIPO DE BEM: Imóvel
ARTIGO MATRICIAL: art.º 3102 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 52,50 €, correspon- na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. ARTIGO MATRICIAL: art.º 854 Urbano – Finanças de Miranda do Douro.
DESCRIÇÃO: Artigo Matricial n.º 3102, concelho de Miranda do Douro, fre- dente a 70% do valor base. MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Urbano 854, concelho de Miranda do Douro, fre-
guesia de Vilã Chã da Braciosa, localizado em Canhas. Confronta a norte Jun- Lote VII – TIPO DE BEM: Imóvel rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados guesia de Vila Chã da Braciosa, localizado na Rua da Igreja – Freixiosa. Confron-
ta de Freguesia de Vila Chã da Braciosa, Sul Abílio Rodrigues, Nascente Jo- ARTIGO MATRICIAL: art.º 4474 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro tações a norte Manuel António Afonso, sul Curral, nascente António Alberto Fer-
sé Maria Mendes e poente Abílio de São Pedro. Área total: 5780 m2. Compo- DESCRIÇÃO: Artigo Matricial rústico 4474, concelho de Miranda do Dou- de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 80,00 € nandes, poente Adérito Martins. Afectação: prédios não licenciados, em condições
sição: Pastagem. Descrito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do ro, freguesia de Vila Chã da Braciosa, localizado em Carvalho. Confrontações a Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 56 €, corresponden- muito deficientes de habitabilidade, tipologia/Divisões: 2. Áreas: área total do ter-
Douro sob o n.º 773. PENHORADO EM: 06.05.2009. norte de Canada Publica, sul Caminho, nascente Canada Publica, poente Antó- te a 70% do valor base. reno: 36 m2. Descrito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Dou-
INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: nio Joaquim Rodrigues. Área total: 720 m2. Composição: Pastagem. Descrito na Lote XIII – TIPO DE BEM: Imóvel ro sob o n.º 791.
EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 779. ARTIGO MATRICIAL: art.º 5153 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. PENHORADO EM : 06.05.2009.
Maior, com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel PENHORADO EM : 06.05.2009. DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 5153, concelho de Miranda do Douro, INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM:
Rodrigues, NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: freguesia de Vila Chã de Braciosa, localizado em S. Miguel. Confrontações a norte EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior,
Douro; Jaime Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com mo- EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, Caminho, Sul Servidão Particular, nascente e poente Lázaro Martins. área total: com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues,
rada em Freixiosa – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, 160 m2. Composição: Terra de Batata e Trigo. Descrito na Conservatória do Regis- NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Ro-
NIF:145060330, casada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de ad- NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime to Predial de Miranda do Douro sob o n.º 785. PENHORADO EM : 06.05.2009. drigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa – Mi-
quiridos, com morada na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: randa do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, casada com
MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada na Rua José
serem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessa- sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, Inácio Pinto – Miranda do Douro.
dos na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Ou- na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a serem
tubro de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 150,00 € MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados na com-
Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 105,00 €, corres- rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- pra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro de 2010, pe-
pondente a 70% do valor base. na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada las 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 2500,00 €
Lote II – TIPO DE BEM: Imóvel de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 30,00 € na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 1750,00 €, correspon-
ARTIGO MATRICIAL: art.º 3334 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 21,00 €, correspon- MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- dente a 70% do valor base.
DESCRIÇÃO: Artigo Matricial rústico 3334, concelho de Miranda do Dou- dente a 70% do valor base. rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados Lote XIX – TIPO DE BEM: Imóvel
ro, freguesia da Vila Chã de Braciosa, localizado em Cabeço do Prado, con- Lote VIII – TIPO DE BEM: Imóvel na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro ARTIGO MATRICIAL: art.º 855 Urbano – Finanças de Miranda do Douro.
frontações do prédio a norte Francisco Afonso, sul Abílio Rodrigues, Nascen- ARTIGO MATRICIAL: art.º 4550 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 25,00 € DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Urbano 855, concelho de Miranda do Douro, fre-
te Jaime Verde, Poente Estrada. Área total: 2250 m2. Composição: Terra de DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 4550, concelho de Miranda do Douro, Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 17,50 €, correspon- guesia de Vila Chã da Braciosa, localizado na Rua da Igreja – Freixiosa. Confron-
Centeio e Vinha. Descrito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do freguesia de Vila Chã de Braciosa, localizado em Portelo. Confrontações do pré- dente a 70% do valor base. tações a norte e nascente Isabel Martins, sul Adérito Martins, poente Curral Tipo de
Douro sob o n.º 775. PENHORADO EM: 06.05.2009 dio a norte Junta de Freguesia, sul e poente Ângelo Arribas, Nascente Abílio Ro- Lote XIV – TIPO DE BEM: Imóvel prédio: prédio em Prop. Total sem Andares nem Div. Susc. De Utiliz. Independente,
INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: drigues. Área total: 2900 m2. Composição: Pastagem. Descrito na Conservatória ARTIGO MATRICIAL: art.º 5192 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. afectação: prédios não licenciados, em condições muito deficientes de habitabilida-
EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 780. DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 5192, concelho de Miranda do Douro, de, n.º de pisos: 2, tipologia/Divisões: 2. Áreas: área total do terreno: 45 m2. Descrito
Maior, com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel PENHORADO EM : 06.05.2009. freguesia de Vila Chã da Braciosa, localizado em S. Miguel. Confrontações a na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 792.
Rodrigues, NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: norte Caminho, sul Fábia Martins, Nascente Margarida A. Martins, Poente: Pau- PENHORADO EM : 06.05.2009.
Douro; Jaime Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com mo- EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, lo Mendes. Área total: 460 m2. Composição Terra de Trigo e Batata. Descrito na INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM:
rada em Freixiosa – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, Conservatória do Registo Predial de Miranda do douro sob o n.º 787. EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior,
NIF:145060330, casada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de ad- NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime PENHORADO EM : 06.05.2009. com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues,
quiridos, com morada na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Ro-
MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, drigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa – Mi-
serem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessa- sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, randa do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, casada com
dos na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Ou- na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada na Rua José
tubro de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 1020,00 € MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa Inácio Pinto – Miranda do Douro.
Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 714,00 €, corres- rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a serem
pondente a 70% do valor base. na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados na com-
Lote III – TIPO DE BEM: Imóvel de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 30,00 € na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. pra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro de 2010, pe-
ARTIGO MATRICIAL: art.º 3506 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 21,00 €, correspon- MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- las 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 2300,00 €
DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 3506, concelho de Miranda do Douro, dente a 70% do valor base. rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 1610,00 €, correspon-
freguesia de Vila Chã de Braciosa, localizado em Fonte do Fresno, confronta- Lote IX – TIPO DE BEM: Imóvel na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro dente a 70% do valor base.
ções do prédio a norte Luciano Martins, sul Abílio Rodrigues, Nascente Ribeiro, ARTIGO MATRICIAL: art.º 4593 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 110,00 € Lote XX – TIPO DE BEM: Imóvel
Poente Francisco Afonso. Área total: 3900 m2. Composição: Pastagem. Des- DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 4593, concelho de Miranda do Dou- Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 77,00 €, correspon- ARTIGO MATRICIAL: art.º 856 Urbano – Finanças de Miranda do Douro.
crito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 776. ro, freguesia de Vila Chã de Braciosa, localizado em Pedreiras. Confrontações a dente a 70% do valor base. DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Urbano 856, concelho de Miranda do Douro, fre-
PENHORADO EM: 06.05.2009. Norte Francisco Afonso, Sul Junta de Freguesia, Nascente Manuel Miguel, Po- Lote XV – TIPO DE BEM: Imóvel guesia de Vila Chã de Braciosa, localizado na Rua da Igreja – Freixiosa. Confronta-
INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: ente Luciano Martins. Área total: 5000 m2. Composição: Pastagem. Descrito na ARTIGO MATRICIAL: art.º 297 Urbano – Finanças de Miranda do Douro. ções a norte Curral, sul Jaime Verde, nascente Adão Afonso, poente Margarida Mar-
EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 781. DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Urbano 297, concelho de Miranda do Dou- tins. Tipo de prédio: prédio em Prop. Total sem Andares nem Div. Susc. De Utiliz.
Maior, com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel PENHORADO EM : 06.05.2009. ro, freguesia de Vila Chã de Braciosa, localizado na Rua Principal – Freixio- Independente, afectação: prédios não licenciados, em condições muito deficientes
Rodrigues, NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: sa. Confrontações a norte José Maria Mendes, sul Domingos Martins, nascen- de habitabilidade, n.º de pisos: 1, tipologia/Divisões: 1. Área total: 87,75 m2. Descri-
Douro; Jaime Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com mo- EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, te Luciano Martins, poente Rua. Descrição do prédio – tipo de prédio: prédio to na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 794.
rada em Freixiosa – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, em Prop. Total sem Andares nem Div. Susc. De Utiliz. Independente, afectação: PENHORADO EM : 06.05.2009.
NIF:145060330, casada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de ad- NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime prédios não licenciados, em condições muito deficientes de habitabilidade, n.º INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM:
quiridos, com morada na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa de pisos: 1, tipologia/Divisões: 1, áreas: área total do terreno: 35 m2. Descrito na EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior,
MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 788. PENHO- com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues,
serem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessa- sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada RADO EM : 06.05.2009. NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Ro-
dos na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Ou- na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: drigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa – Mi-
tubro de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 65 € MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, randa do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, casada com
Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 45,50 €, correspon- rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada na Rua José
dente a 70% do valor base. na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Inácio Pinto – Miranda do Douro.
Lote IV – TIPO DE BEM: Imóvel de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 80,00 € Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a serem
ARTIGO MATRICIAL: art.º 3586 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 56,00 €, correspon- – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados na com-
DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 3586, concelho de Miranda do Dou- dente a 70% do valor base. sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada pra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro de 2010, pe-
ro, freguesia de Vila Chã de Braciosa, localizado em Lagonicas, confronta- Lote X – TIPO DE BEM: Imóvel na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. las 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 7500,00 €
ções norte: Jaime Verde, sul e nascente António Brás, poente Estrada. Área to- ARTIGO MATRICIAL: art.º 4925 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 5250,00 €, correspon-
tal: 525 m2. Composição: Terra de Centeio. Descrito Na Conservatória do Re- DESCRIÇÃO: Artigo Matricial rústico 4925, concelho de Miranda do Dou- rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados dente a 70% do valor base.
gisto Predial sob o n.º 777. PENHORADO EM : 06.05.2009. ro, freguesia de Vila Chã da Braciosa, localizado em Malhado. Confrontações a na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro Lote XXI – TIPO DE BEM: Imóvel
INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: norte Adelina Conceição Raposo, sul Manuel Arribas, nascente Abilio Marcos, de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 6500,00 € ARTIGO MATRICIAL: art.º 5154 Rústico – Finanças de Miranda do Douro.
EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Poente Jaime Rodrigues. Área total: 140 m2. Composição Vinha. Descrito na Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 4550,00 €, correspon- DESCRIÇÃO: Artigo Matricial rústico 5154, concelho de Miranda do Douro, fre-
Maior, com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 782. dente a 70% do valor base. guesia de Vila Chã de Braciosa, localizado em S. Miguel. Confrontações a norte Eli-
Rodrigues, NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do PENHORADO EM : 06.05.2009. Lote XVI – TIPO DE BEM: Imóvel sabete Fernandes, sul Servidão Particular, Nascente Abel Martins, Poente Manuel
Douro; Jaime Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com mo- INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: ARTIGO MATRICIAL: art.º 304 Urbano – Finanças de Miranda do Douro. António Afonso. Área total: 132 m2. Composição: Terra de Trigo e Batata. Descrito
rada em Freixiosa – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, DESCRIÇÃO: Penhora do Artigo Matricial Urbano 304, concelho de Miranda na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 786.
NIF:145060330, casada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de ad- com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, do Douro, freguesia da Vila Chã de Braciosa, localizado no Bairro da Igreja – PENHORADO EM : 06.05.2009.
quiridos, com morada na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Vila Chã da Braciosa. Confrontações a norte Adérito Martins, sul e poente An- INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM:
MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa tónio Brás, nascente Albina Pedro. Tipo de prédio: prédio em Prop. Total sem EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior,
serem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessa- – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- Andares nem Div. Susc. De Utiliz. Independente, Descrição: Casa destinada a com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues,
dos na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Ou- sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada palheiro com fachada sobre o norte, afectação: prédios não licenciados, em con- NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Ro-
tubro de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 55,00 € na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. dições muito deficientes de habitabilidade, n.º de pisos: 1, tipologia/Divisões:1. drigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa – Mi-
Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 38,50 €, correspon- MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- Áreas: área total do terreno: 33 m2. Descrito na Conservatória do Registo pre- randa do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, casada com
dente a 70% do valor base. rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados dial de Miranda do Douro sob o n.º 789. Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada na Rua José
Lote V – TIPO DE BEM: Imóvel na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro PENHORADO EM : 06.05.2009. Inácio Pinto – Miranda do Douro.
ARTIGO MATRICIAL: art.º 4276 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 55,00 € INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a serem
DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 4276, concelho de Miranda do Dou- Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 38,50 €, correspon- EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados na com-
ro, freguesia de Vila Chã da Braciosa, localizado em Macieira, confrontações a dente a 70% do valor base. com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, pra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro de 2010, pe-
norte com Angélica Valentim, Sul Eurico Antão, Nascente Rosália Arribas, Po- Lote XI – TIPO DE BEM: Imóvel NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime las 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 20,00 €
ente: Adérito Martins. Área total: 2200 m2. Composição Terra de Centeio. Des- ARTIGO MATRICIAL: art.º 4926 Rústico – Finanças de Miranda do Douro. Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 14,00 €, corresponden-
crito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 774. DESCRIÇÃO: Artigo Matricial Rústico 4926, concelho de Miranda do Douro, – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins NIF:145060330, ca- te a 70% do valor base.
PENHORADO EM : 06.05.2009. freguesia de Vila Chã da Braciosa, localizado em Malhada. Confrontações a norte sada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de adquiridos, com morada Nos termos do n.º 1 do art.º 897.º C.P. Civil “os proponentes devem juntar à
INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: Adelina da Conceição Raposo, sul Manuel Arribas, nascente Hermínio Augusto na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. sua proposta, como caução, um cheque visado, à ordem do Agente de Execu-
EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Rodrigues, poente Domingos Martins. Área total: 180 m2. Composição: Vinha. MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a se- ção ou, na sua falta, da secretaria, no montante correspondente a 20% do va-
Maior, com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Descrito na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro sob o n.º 783 rem entregues na Secretaria do supra mencionado Tribunal, pelos interessados lor base do bem, ou garantia bancária no mesmo valor”.
Rodrigues, NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do PENHORADO EM : 06.05.2009. na compra, ficando como data para abertura das propostas o dia 14 de Outubro A sentença que se executa está pendente de recurso ordinário Não
Douro; Jaime Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com mo- INTERVENIENTES ASSOCIADOS AO BEM: de 2010, pelas 09:00 Horas. VALOR BASE DA VENDA: 6000,00 €
Está pendente oposição à execução Não
rada em Freixiosa – Miranda do Douro; Otília de Fátima Rodrigues Martins EXECUTADOS: Adérito Rodrigues Martins, NIF:180834410, Solteiro, Maior, Será aceite a proposta de melhor preço, acima do valor de 4200,00 €, correspon-
NIF:145060330, casada com Virgílio Esteves no regime da comunhão de ad- com morada em Vila Chã da Braciosa – Miranda do Douro; Isabel Rodrigues, dente a 70% do valor base. Está pendente oposição à penhora Não
quiridos, com morada na Rua José Inácio Pinto – Miranda do Douro. NIF:162999925, Viúva, com morada em Freixiosa – Miranda do Douro; Jaime Lote XVII – TIPO DE BEM: Imóvel Solicitadora de Execução,
MODALIDADE DA VENDA: Venda mediante proposta em carta fechada, a Rodrigues Martins, NIF:155774093, Solteiro, Maior, com morada em Freixiosa ARTIGO MATRICIAL: art.º 317 Urbano – Finanças de Miranda do Douro. Alexandra Gomes

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 35


PUBLICIDADE

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão de três mil duzentos e cinquenta metros quadrados, a confrontar de norte J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l de I n f o r m aç ão n .º 724 de 21 de S e t e m b ro de 2010
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 com José da Cruz Alves, sul com António Félix, nascente com Estrada e po-
NOTÁRIO
MANUEL JOÃO
ente com António do Nascimento Sousa, inscrito na respectiva matriz sob o
artigo 1553, com o correspondente valor patrimonial tributável de €3,65 e MUNICÍPIO DE BRAGANÇA
ASSEMBLEIA MUNICIPAL
SIMÃO BRAZ o atribuído de vinte euros;
número catorze – prédio rústico, composto de terra de cultura, sito em
EXTRACTO “Boavista”, com a área de oitocentos e vinte metros quadrados, a confrontar
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura de de norte com António Pereira, sul com caminho, nascente com Justino Au-
hoje, exarada de folhas oitenta e nove a noventa e três do respectivo livro nú- gusto Pereira e poente com José Alberto Martins, inscrito na respectiva ma- E D I T A L N.º 1 1 / 2 0 1 0
mero cento e setenta e cinco, MARIA ANTÓNIA PEREIRA, NIF 126 285 triz sob o artigo 1632, com o correspondente valor patrimonial tributável de
837, e marido AFONSO DANIEL PEREIRA, NIF 126 285 829, casados €2,02 e o atribuído de vinte euros; LUÍS MANUEL MADUREIRA AFONSO, PRESIDENTE DA MESA DA ASSEMBLEIA MUNI-
sob o regime da comunhão geral, naturais da freguesia da Serapicos, conce- número quinze – metade indivisa do prédio rústico, composto de terra de CIPAL DE BRAGANÇA:
lho de Bragança, residentes na Praceta Teixeira Gomes, n.º 8, 1.º Dto., Ca- cultura e pastagem, sito em “Fonte Caldeira de Baixo”, com a área de nove-
sal de São Brás, Amadora, declararam: centos metros quadrados, a confrontar de norte com Adelaide da Conceição Torna público que, em cumprimento do disposto no número três do artigo 84.º da Lei número
Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores e com- Bartolo, sul com Luzia Augusta Pereira, nascente com rio e poente com es- 5-A/2002, de 11 de Janeiro, terá lugar no dia 24 de Setembro (Sexta-feira), a quinta sessão
possuidores dos bens a seguir identificados, todos localizados na freguesia trada, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 1730, com o corresponden-
de Serapicos, concelho de Bragança: te valor patrimonial tributável de €1,26 e o atribuído de vinte euros,, sen- ordinária da Assembleia Municipal de Bragança, com início às 09h30, no Auditório «Paulo
número um – prédio rústico, composto de terra de cultura, sito em “Vinha do compossuidora da restante parte indivisa Adelaide da Conceição bárto- Quintela» de Bragança, sito na Rua Abílio Beça n.º 75/77, com a seguinte
dos Chãos”, com a área de mil cento e setenta metros quadrados, a confrontar de lo Touças, casada, residentes na aludida freguesia de Serapicos, pessoa com
norte com Assedio Monteiro Lisboa, sul com Estrada, nascente e poente com que têm vindo a exercer a composse sobre o referido prédio; ordem de trabalhos
Amadeu Caetano, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 152, com o cor- número dezasseis – metade indivisa do prédio rústico, composto de vi-
respondente valor patrimonial tributável de €2,77 e o atribuído de dez euros; nha e terra de cultura, sito em “Lagar”, com a área de mil trezentos e se- 1 – ACTAS: Leitura, discussão e votação da acta da Terceira Sessão Ordinária da Assembleia
número dois – prédio rústico, composto de lameiro com castanheiros, tenta metros quadrados, a confrontar de norte e sul com caminho, nascente Municipal de Bragança / Quadriénio 2009/2013, realizada em 30 de Abril de 2010.
mata de carvalho e pastagem, sito em “Confurcos”, com a área de dezoito com Guilhermina Bártolo e poente com Silvestre dos Santos Marreiro, ins-
mil trezentos e oitenta metros quadrados, a confrontar de norte com Lavinia crito na respectiva matriz sob o artigo 1991, com o correspondente valor pa- 2 – PÚBLICO – Período de Intervenção
Candida Vaz, sul com Domicilia da Assunção, nascente com Gilberto Joa- trimonial tributável de €2,71 e o atribuído de vinte euros, sendo compossui- 3 – PERÍODO DE ANTES DA ORDEM DO DIA
quim Lopes e poente com Manuel Joaquim Vila, inscrito na respectiva ma- dora da restante parte indivisa Adelaide da Conceição bártolo Touças, casa- 4 – PERÍODO DA ORDEM DO DIA:
triz sob o artigo 346, com o correspondente valor patrimonial tributável de da, residentes na aludida freguesia de Serapicos, pessoa com que têm vindo
€32,56 e o atribuído de cinquenta euros; a exercer a composse sobre o referido prédio; 4.1 – Apreciação da informação escrita do Senhor Presidente da Câmara sobre o Estado e
número três – prédio rústico, composto de terra de cultura com castanhei- número dezassete – prédio rústico, composto de terra de pastagem com Vida do Município
ros, sito em “Confurcos”, com a área de dois mil e setenta metros quadra- castanheiros, sito em “Vale da Bouça de Baixo”, com a área de oito mil me- 4.2 – Discussão e deliberação sobre as seguintes propostas da Câmara Municipal de Bragança:
dos, a confrontar de norte com António Maria, sul com Camilo Augusto Sá tros quadrados, a confrontar de norte com Abílio Martins Benites, sul com 4.2.1 – Tribunal Central Administrativo Norte: Recurso Jurisdicional – n.º 13/05.6BEMDL
Morais, nascente com José da Cruz Alves e poente com António Gralhós, Luis Maria Benites, nascente com João de Deus Gonçalves e poente com
inscrito na respectiva matriz sob o artigo 399, com o correspondente valor António Maria Sendas, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 2266, com Recorrente: Câmara Municipal de Bragança
patrimonial tributável de €7,67 e o atribuído de dez euros; o valor patrimonial tributável de €7,92 e o atribuído de vinte euros; Recorridos: David dos Santos Pimentel e esposa.
número quatro – prédio rústico, composto de mata de carvalhos e terra de número dezoito - prédio rústico, composto de terra de pastagem com frei- – Declaração de Utilidade Pública da expropriação de uma parcela de terreno para construção
pastagem, sito em “Vale de Porco”, com a área de seiscentos metros quadra- xos, sito em “Ribeira Abaixo”, com a área de três mil e quinhentos metros
dos, a confrontar de norte com António Manuel Venâncio, sul com Ernestino quadrados, a confrontar de norte e nascente com Maria do Céu Lazaro, sul urbana, sita na estrada de Vale de Álvaro;
Augusto Gonçalves, nascente com Patrocínio Gonçalves e poente com Fran- com António Maria Sendas e poente com caminho, inscrito na respectiva 4.2.2 – Concurso Público Internacional – Aquisição de Serviços para Tratamento de
cisco Américo Dias, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 696, com o cor- matriz sob o artigo 2431, com o valor patrimonial tributável de €1,64 e o Águas (ASTAII) – Relatório Final;
respondente valor patrimonial tributável de €0,50 e o atribuído de dez euros; atribuído de vinte euros;
número cinco – metade indivisa do prédio rústico, composto de terra de número dezanove – metade indivisa do prédio rústico, composto de terra de 4.2.3 – Proposta de Alteração dos Estatutos da Comunidade Intermunicipal de Trás-os-Montes;
cultura, sito em “Coutada”, com a área de nove mil metros quadrados, a con- cultura com macieiras e terra de pastagem, sito em “Fonte Caldeira de Baixo”, 4.2.4 – Adesão à Associação “Agência de Energia de Trás-os-Montes”.
frontar de norte e nascente com Jeremias das Graças Gonçalves, sul com Es- com a área de dois mil e oitocentos metros quadrados, a confrontar de norte 4.2.5 – Fixação das Taxas do Imposto Municipal de Imóveis para o Ano de 2011;
trada e poente com António Maria, inscrito na respectiva matriz sob o artigo com Desiderio Gralhos, sul com Denérida de Sousa, nascente com rio e poente
790, com o correspondente valor patrimonial tributável de €10,62 e o atribuí- com António de Nascimento de Sousa, inscrito na respectiva matriz sob o arti-
4.2.6 – Majoração e Minoração da Taxa do Imposto Municipal de Imóveis Aplicável a Prédios
do de vinte euros, sendo compossuidora da restante parte indivisa Adelaide da go 1729, com o correspondente valor patrimonial tributável de €8,67 e o atri- Urbanos degradados;
Conceição bártolo Touças, casada, residente na aludida freguesia de Serapi- buído de vinte euros, sendo compossuidores da restante parte indivisa os her- 4.2.7– Décima Modificação – Segunda Proposta de Revisão ao Orçamento de Receita, Segun-
cos, pessoa com que têm vindo a exercer a composse sobre o referido prédio; deiros de David Augusto Moura, residentes na aludida freguesia de Serapicos, da Proposta de Revisão ao Orçamento de Despesa e Segunda Proposta de Revisão ao Plano
número seis – prédio rústico, composto de terra de cultura, sito em “Co- pessoas com que têm vindo a exercer a composse sobre o referido prédio; e
rujo de Baixo”, com a área de mil e oitocentos metros quadrados, a confron- número vinte – metade indivisa do prédio rústico, composto de terra de Plurianual de Investimento;
tar de norte com Estrada, sul com Fortunato Bártolo, nascente com José An- cultura, sito em “Vale de Grula”, com a área de dois mil setecentos e setenta 4.3 – Discussão e tomada de conhecimento sobre a proposta da Câmara Municipal de Bra-
tónio Gonçalves e poente com Humberto Augusto Silva, inscrito na respec- metros quadrados, a confrontar de norte com Junta, sul e poente com Antó- gança -Auditoria Externa às Contas do Município de Bragança - Relatório de Análise Económico-
tiva matriz sob o artigo 892, com o correspondente valor patrimonial tribu- nio Maria Sendas e nascente com estrada, inscrito na respectiva matriz sob o
tável de €4,27 e o atribuído de dez euros; artigo 1218, com o correspondente valor patrimonial tributável de €6,66 e o Financeira, reportados a 30 de Junho de 2010.
número sete – prédio rústico, composto de terra de cultura com castanhei- atribuído de vinte euros, sendo compossuidores da restante parte indivisa os
ros, sito em “Pradinhos”, com a área de dois mil metros quadrados, a con- herdeiros de David Augusto Moura, residentes na aludida freguesia de Serapi- Mais torna público que a mesma Agenda de Trabalhos com a respectiva documentação poderá
frontar de norte com Fortunato Augusto Bártolo, sul com Alberto Augusto cos, pessoas com que têm vindo a exercer a composse sobre o referido prédio; ser consultada, nos termos e para os efeitos definidos na Lei, em qualquer dia útil, das 9h00 às
Pires, nascente com Belmiro de Oliveira e poente com Corina Venâncio, ins- não descritos na Conservatória do Registo Predial de Bragança, conforme 12h30 e das 14h00 às 17h30 na Secção de Apoio Administrativo da Assembleia Municipal, sita na
crito na respectiva matriz sob o artigo 1066, com o correspondente valor pa- três certidões que da mesma apresentam.
trimonial tributável de €13,58 e o atribuído de vinte euros; Que os identificados bens vieram à sua posse no ano de mil novecentos e Rua Abílio Beça n.º 75/77 – Bragança.
número oito – prédio rústico, composto de terra de cultura, sito em “Pe- oitenta e nove, pela forma seguinte:
nedo”, com a área de onze mil quinhentos e cinquenta metros quadrados, a a), os identificados sob os números um, dois, seis, onze e doze, por parti- Para conhecimento geral se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser
confrontar de norte com Abílio Maria Benites, sul com Corina Venâncio, lha efectuada com os demais interessados por óbito dos avós da justificante afixados nos lugares públicos de estilo.
nascente com Beatriz Oliveira e poente com caminho, inscrito na respectiva mulher, António da Ressurreição Pereira e Maria Constância Paradinha, re-
matriz sob o artigo 1311, com o correspondente valor patrimonial tributável sidentes que foram na aludida freguesia de Serapicos; Assembleia Municipal de Bragança, 14 de Setembro de 2010
de €27,28 e o atribuído de cinquenta euros; b) os identificados sob os números quatro, cinco, oito, nove, catorze,
número nove – metade indivisa do prédio rústico, composto de lameiro quinze, dezasseis, dezassete e dezoito, por doação do pai da justificante mu-
com freixos e pastagem, sito em “Vilar”, com a área de seis mil oitocentos lher, já falecido, residente que foi na aludida freguesia de Serapicos; e
e quarenta metros quadrados, a confrontar de norte com caminho, sul com c) os identificados sob os números três, sete, dez, treze, dezanove, e vinte, J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão o atribuído de dez euros;
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 não descritos na Conservatória do Registo Predial de Miranda do Douro,
António Perro Gralhós, nascente com José Manuel Miranda e poente com por partilha efectuada com os demais interessados por óbito dos pais do jus-
Luís dos ramos Benites, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 1402, com tificante marido, Sebastião dos Santos Pereira e Maria da Assunção Pereira, NOTÁRIO conforme certidão que da mesma apresentam.
o correspondente valor patrimonial tributável de €25,84 e o atribuído de trin- residentes que foram na aludida freguesia de Serapicos; MANUEL JOÃO Que os identificados prédios foram-lhes doados no ano de mil novecen-
ta euros, sendo compossuidora da restante parte indivisa Adelaide da Con- por contratos de partilha e doação meramente verbais, nunca tendo che- SIMÃO BRAZ tos e oitenta e cinco, já no estado de casados, o primeiro, pelos pais da jus-
ceição Bártolo Touças, casada, residente na aludida freguesia de Serapicos, gado a realizar as necessárias escrituras públicas. tificante mulher, Francisco Manuel Branco de Castro e Maria da Felicidade
pessoa com que têm vindo a exercer a composse sobre o referido prédio; Que, assim, não são detentores de qualquer título formal que legitime o EX T R AC TO Marcos, ela já falecida, ele a residir na aludida freguesia de Duas Igrejas, e
número dez – prédio rústico, composto de terra de cultura com castanhei- domínio dos mencionados bens. Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura de o segundo e terceiro, pela mãe do justificante marido, Isabel Martins Lhano,
ros, sito em “Camanas” ou “Çamarras”, com a área de três mil duzentos e cin- Que, não obstante isso, logo desde meados desse ano de mil novecentos hoje, exarada de folhas dez a onze do respectivo livro número cento e seten- já falecida, residente que foi na mesma freguesia de Duas Igrejas, por con-
quenta metros quadrados, a confrontar de norte com António do Nascimento e oitenta e nove, passaram a usufruir os referidos terrenos, alguns deles em ta e cinco, JOSÉ SILVESTRE RODRIGUES, NIF 177 703 121, e mulher tratos de doação meramente verbais, nunca tendo chegado a realizar as ne-
de Sousa, sul com Cândida da Conceição, nascente e poente com Francis- situação de composse, gozando de todas as utilidades por eles proporcio- ROSA DO NASCIMENTO BRANCO DE CASTRO RODRIGUES, NIF cessárias escrituras públicas.
co Marcelo, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 1503, com o corres- nadas, começando por ocupá-los, limpando-os, cultivando-os, colhendo os 177 703 113, casados sob o regime da comunhão geral, naturais da fregue- Que, assim, não são detentores de qualquer título formal que legitime o
pondente valor patrimonial tributável de €13,83 e o atribuído de vinte euros; seus frutos e produtos, e efectuando diversas benfeitorias, designadamente sia de Duas Igrejas, onde residem na Estrada Nacional 211, n.º 79, concelho domínio dos mencionados prédios.
número onze – prédio rústico, composto de terra de pastagem com casta- o melhoramento das suas vedações, agindo assim, sempre na aludida pro- de Miranda do Dou, declararam: Que, não obstante isso, logo desde meados desse ano de mil novecentos e
nheiros, sito em “Camanas de Baixo” ou “Çamarras de Baixo”, com a área porção com ânimo de quem exerce direito próprio, na convicção de tais bens Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores dos pré- oitenta e cinco, passaram a usufruir os referidos terrenos, gozando de todas
de seiscentos e oitenta metros quadrados, a confrontar de norte com David lhes pertencerem e de serem os seus verdadeiros donos, como tal sendo re- dios a seguir identificados, todos localizados na freguesia de Duas Igrejas, as utilidades por eles proporcionadas, começando por ocupá-los, limpando-
Augusto Moura, sul com Engrácia Maria Venâncio, nascente com António conhecidos por toda a gente, fazendo-o de boa fé por ignorarem lesar direito concelho de Miranda do Douro: os, cultivando-os, colhendo os seus frutos e produtos, e efectuando diversas
do Nascimento de Sousa e poente com Denérida de Sousa, inscrito na res- alheio, pacificamente, porque sem violência, contínua e publicamente, à vis- número um – prédio rústico, composto de terra de centeio, sito em “Olgas”, benfeitorias, designadamente o melhoramento das suas vedações, agindo as-
pectiva matriz sob o artigo 1526, com o correspondente valor patrimonial ta e com o conhecimento de todos e sem oposição de ninguém. com a área de dois mil e oitocentos metros quadrados, a confrontar de norte sim, sempre com ânimo de quem exerce direito próprio, na convicção de tais
tributável de €2,26 e o atribuído de vinte euros; Que dadas as enunciadas características de tal posse e composse que, da com José Gonçalo, sul com Estrada, nascente com Maria da Cruz Ramos e prédios lhes pertencerem e de serem os seus verdadeiros donos, como tal
número doze – prédio rústico, composto de terra de cultura com casta- forma indicada vêm exercendo há mais de vinte anos, adquiriram o domínio poente com Manuel Paulo S. Pedro, inscrito na respectiva matriz sob o artigo sendo reconhecidos por toda a gente, fazendo-o de boa fé por ignorarem le-
nheiro, sito em “Camanas de Baixo” ou “Çamarras de Baixo”, com a área dos ditos bens por usucapião, título esse que, por sua natureza, não é suscep- 1804, com o valor patrimonial tributável de €6,90 e o atribuído de vinte euros; sar direito alheio, pacificamente, porque sem violência, contínua e publica-
de oito mil e cinquenta metros quadrados, a confrontar de norte com cami- tível de ser comprovado por meios normais. número dois – prédio rústico, composto de lameiro, sito em “Lagoa dos mente, à vista e com o conhecimento de todos e sem oposição de ninguém.
nho, sul com Manuel Joaquim Vila, nascente com João Manuel Caetano e Que para suprir tal título fazem esta declaração de justificação para fins Bichos”, com a área de treze mil quinhentos e oitenta e dois metros quadra- Que dadas as enunciadas características de tal posse que, da forma indi-
poente com Maria Sofia de Sá Morais, inscrito na respectiva matriz sob o de primeira inscrição no registo predial. dos, a confrontar de norte, nascente e poente com caminho e sul com Albino cada vêm exercendo há mais de vinte anos, adquiriram o domínio dos ditos
artigo 1531, com o correspondente valor patrimonial tributável de €19,86 e Está conforme. Augusto Marcos, inscrito na respectiva matriz sob o artigo 1696, com o valor prédios por usucapião, título esse que, por sua natureza, não é susceptível de
o atribuído de vinte euros; Bragança, 9 de Setembro de 2010. patrimonial tributável de €228,95 e o atribuído de duzentos e trinta euros; e ser comprovado por meios normais. Que para suprir tal título fazem esta de-
número treze – prédio rústico, composto de terra de pastagem com casta- A Colaboradora Autorizada, número três - prédio rústico, composto de terra de pastagem, sito em “Ca- claração de justificação para fins de primeira inscrição no registo predial.
nheiros, sito em “Camanas de Baixo” ou “Çamarras de Baixo”, com a área Elisabete Maria C. Melgo beço do Perro”, com a área de quatro mil e oitocentos metros quadrados, a Está conforme.
confrontar de norte e poente com António Augusto Trindade, sul com Es- Bragança, 10 de Setembro de 2010.
trada e nascente com Eduardo do Nascimento Galego, inscrito na respecti- A Colaboradora Autorizada,
va matriz sob o artigo 1528, com o valor patrimonial tributável de €4,63 e Elisabete Maria C. Melgo
J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão realizar a necessária escritura pública.
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 Que, assim, não são detentores de qualquer título formal que legitime o
NOTÁRIO domínio do mencionado prédio.
MANUEL JOÃO Que, não obstante isso, logo desde meados de mil novecentos e oitenta J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão tenta e nove, já no estado de casados, por José Manuel Delgado e mulher
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010 Isilda da Conceição Mogadouro Alves Delgado, residentes que na aludida
SIMÃO BRAZ e quatro, começaram a usufruir o terreno, gozando de todas as suas utilida-
des, começando por ocupá-lo, cultivando-o, nele efectuando benfeitorias, NOTÁRIO freguesia de Miranda do Douro, à Rua Manuel Inácio Pinto, por contrato de
EXTRACTO colhendo os frutos ali produzidos e, posteriormente, ali depositando os mais MANUEL JOÃO compra e venda meramente verbal, nunca tendo chegado a realizar a neces-
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura de diversos materiais de construção, como cimento, areia, ferro e tijolos, agin- SIMÃO BRAZ sária escritura pública.
hoje, exarada de folhas doze a treze do respectivo livro número cento e se- do assim, sempre com ânimo de quem exerce direito próprio, na convicção Que, assim, não são detentores de qualquer título formal que legitime o
tenta e cinco, ANTÓNIO NUNO PIRES, NIF 188 075 992, e mulher LÚ- de tal prédio lhes pertencer e de serem os seus verdadeiros donos, como tal EX T R AC TO domínio do mencionado prédio.
CIA BENIGNA BORGES PIRES, NIF 189 526 947, casados sob o regime sendo reconhecidos por toda a gente, fazendo-o de boa fé por ignorarem le- Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritura Que, não obstante isso, logo desde meados desse ano de mil novecentos e
da comunhão de adquiridos, ambos naturais da freguesia de Grijó de Parada, sar direito alheio, pacificamente, porque sem violência, contínua e publica- de hoje, exarada de folhas sessenta a sessenta e uma do respectivo livro nú- oitenta e nove, passaram a utilizar a referida casa, gozando de todas as utili-
onde residem na Rua D’Oirol, n.º 39, concelho de Bragança, declararam: mente, à vista e com o conhecimento de todos e sem oposição de ninguém. mero cento e setenta e cinco, CARLOS MANUEL DE PINHO RIBEIRO, dades por ela proporcionada, guardando nelas seus haveres, efectuando re-
Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores do pré- Após a construção da casa, que concluíram em meados do ano de mil no- NIF 115 532 250, e mulher MARIA ALICE DAS NEVES FERREIRA RI- gularmente obras de conservação e reparação, como substituição de elemen-
dio urbano, composto de casa para habitação de dois pisos e logradouro, vecentos e oitenta e oito, passaram a habitá-la e a efectuar nela obras de con- BEIRO, NIF 124 972 560, casados sob o regime da comunhão de adquiri- tos danificados e de benfeitorização, agindo assim, sempre com ânimo de
sito na Rua D´Oirol, freguesia de Grijó de Parada, concelho de Bragan- servação e reparação, como pinturas, substituição de elementos danificados dos, naturais, ele da freguesia de Alcabideche, concelho de Cascais, ela da quem exerce direito próprio, na convicção de tal prédio lhes pertencer e de
ça, com a superfície coberta de cento e dez metros quadrados e descoberta, e de benfeitorização, e isto também com ânimo de quem exerce direito pró- freguesia de Esgueira, concelho de Aveiro, residente na Rua Direita, n.º 36, serem os seus verdadeiros donos, como tal sendo reconhecidos por toda a
correspondente a logradouro, de mil trezentos e vinte e seis vírgula noven- prio, na convicção de serem seus verdadeiros donos, como tal sendo consi- Salgueiral, freguesia de S. João de Loure, concelho de Albergaria- A-Ve- gente, fazendo-o de boa fé por ignorarem lesar direito alheio, pacificamen-
ta metros quadrados, a confrontar de norte e poente com caminho particu- derados por toda a gente, fazendo-o de boa fé, pacificamente, contínua e pu- lha, declararam: te, porque sem violência, contínua e publicamente, à vista e com o conheci-
lar e Pedro Afonso, sul com Egídio Xavier Afonso Pires e nascente com es- blicamente, à vista de todos e sem oposição de ninguém. Que, com exclusão de outrem, são donos e legítimos possuidores do pré- mento de todos e sem oposição de ninguém.
trada, não descrito na Conservatória do Registo Predial deste concelho, con- Que dadas as enunciadas características de tal posse, que, da forma indi- dio urbano, composto de casa de um piso, sito na “Rua do Vale de Cima”, Que dadas as enunciadas características de tal posse que, da forma indica-
forme certidão que da mesma apresentam, mas inscrito na respectiva ma- cada vêm exercendo há mais de vinte anos, adquiriram o domínio do dito com a superfície coberta de vinte e oito metros quadrados, freguesia de Du- da vêm exercendo há mais de vinte anos, adquiriram o domínio do dito pré-
triz sob o artigo 215, com o valor patrimonial tributário de €28.320,00 e prédio por usucapião, título esse que, por sua natureza, não é susceptível de as Igrejas, concelho de Miranda do Douro, a confrontar de norte com rua, dio por usucapião, título esse que, por sua natureza, não é susceptível de ser
idêntico atribuído. ser comprovado por meios normais. Que para suprir tal título fazem esta de- sul com Paulo Afonso, nascente com Fortunato Afonso e poente com José comprovado por meios normais. Que para suprir tal título fazem esta decla-
Que essa casa foi por eles construída, a expensas suas, em terreno que claração de justificação para fins de primeira inscrição no registo predial. Manuel Afonso, não descrito na Conservatória do Registo Predial de Miran- ração de justificação para fins de primeira inscrição no registo predial.
lhes foi doado no ano de mil novecentos e oitenta e quatro, já no estado de Está conforme. da do Douro, conforme certidão que da mesma apresentam, mas inscrito na Está conforme.
casados, pelos pais do justificante marido, António Afonso Pires e mulher Bragança, 10 de Setembro de 2010. respectiva matriz sob o artigo 452, com o valor patrimonial tributário de € Bragança, 14 de Setembro de 2010.
Leopoldina de Jesus Afonso, residentes que na aludida freguesia de Grijó de A Colaboradora Autorizada, 45,83 e idêntico atribuído. A Colaboradora Autorizada,
Parada, por contrato de doação meramente verbal, nunca tendo chegado a Elisabete Maria C. Melgo Que o identificado prédio foi-lhes vendido no ano de mil novecentos e oi- Elisabete Maria C. Melgo

36 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


PUBLICIDADE

J o r na l N o r d e s t e – S e m a ná r i o R e g i o na l d e I n f o r m aç ão
n .º 724 d e 21 d e S e t e m b ro d e 2010

Com o arquivo do antigo


CARTÓRIO NOTARIAL
DE BRAGANÇA
EXTRACTO / JUSTIFICAÇÃO
Certifico, narrativamente, para efeitos de publicação, que por escritu-
ra lavrada no dia quinze de Setembro de dois mil e dez no Cartório No-
tarial a cargo do notário Lic. João Américo Gonçalves Andrade, sito na
Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro, 16 em Bragança, exarada de vin-
te a folhas vinte e dois do livro de notas para escrituras diversas núme-
ro “TREZE-G” MARIA CAROLINA AFONSO, e marido MANUEL
DOS SANTOS BORGES, casados sob o regime da comunhão de adqui-
ridos, ela natural da freguesia de Espinhosela e ele da freguesia de Car-
ragosa, ambas do concelho de Bragança, e residentes na referida fregue-
sia de Espinhosela, no lugar de Cova de Lua, NIFS 102 604 444 e 102
604 436, fizeram, as declarações constantes desta certidão, que com es-
ta se compõe de três laudas e vai conforme o original.
Bragança, Cartório Notarial, dez de Setembro de dois mil e dez.
A Colaboradora,
Bernardete Isabel C. Simões Afonso

Que são donos e legítimos possuidores, com exclusão de outrem dos


seguintes bens:
1 – METADE do prédio rústico, sito em Facho, freguesia de Espinho-
sela, concelho de Bragança, composto por pastagem, com a área de oito
mil e setecentos metros quadrados, a confrontar do norte com Augusto
Nascimento Gil, do nascente com João dos Reis Fernandes, do sul com
Albino Gomes e do poente com Joaquim dos Santos Esteves, não des-
crito na Conservatória do Registo Predial de Bragança, mas inscrito na
matriz respectiva, sob o artigo 1270, sendo de 5,53 euros o seu valor pa-
trimonial, a que atribuem o valor de vinte euros.
2 – METADE do prédio rústico, sito em Barreiro, freguesia de Espi-
nhosela, concelho de Bragança, composto por pastagem com três cas-
tanheiros, com a área de duzentos e oitenta metros quadrados, a con-
frontar do norte com Domingos António Afonso, do nascente com jun-
ta de Freguesia, do sul com Junta de Freguesia e do poente com Augus-
to do Nascimento Gil e outros, não descrito na Conservatória do Regis-
to Predial de Bragança, mas inscrito na matriz respectiva, sob o artigo
208, sendo de 25,52 euros o seu valor patrimonial, a que atribuem o va-
lor de trinta euros.
3 – METADE do prédio rústico, sito em Vale Vilarinho, freguesia de
Espinhosela, concelho de Bragança, composto por cultura, com a área
de mil quatrocentos e quarenta metros quadrados, a confrontar do norte
com António Afonso, do nascente e do sul com caminho e do poente com
José Maria e outros, não descrito na Conservatória do Registo Predial de
Bragança, mas inscrito na matriz respectiva, sob o artigo 439, sendo de
3,90 euros o seu valor patrimonial, a que atribuem o valor de trinta euros.
Que entraram na posse e composse dos referidos prédios, em mil no-
vecentos e oitenta e seis, por partilha verbal da herança aberta por óbito
de Luzia de Jesus Afonso, residente que foi na referida freguesia de Es-
pinhosela, no lugar de Cova de Lua, sem que no entanto ficassem a dis-
por de título formal que lhes permita, o respectivo registo na Conserva-
tória do Registo Predial; mas, desde logo, entraram na posse, composse
e fruição dos identificados prédios, em nome próprio, posse e composse
que assim detêm há muito mais de vinte anos, sem interrupção ou ocul-
tação de quem quer que seja.
Que essa posse e composse foi adquirida e mantida sem violência e
sem oposição, ostensivamente, com o conhecimento de toda a gente em
nome próprio e com aproveitamento de todas as utilidades dos prédios,
nomeadamente, amanhando-os, adubando-os, cultivando-os e colhendo
os seus frutos, agindo sempre por forma correspondente ao exercício do
direito de propriedade, quer usufruindo como tal os imóveis, quer bene-
ficiando dos seus rendimentos, quer suportando os respectivos encargos,
quer ainda pagando as respectivas contribuições e impostos, mantendo-
o sempre na sua inteira disponibilidade.
Que esta posse e composse em nome próprio, pacífica, contínua e pú-
blica, conduziu à aquisição dos imóveis, por usucapião, que invocam,
justificando o seu direito de propriedade, para o efeito de registo, dado
que esta forma de aquisição não pode ser comprovada por qualquer ou-
tro título formal extrajudicial.

PRECISA-SE
ESTETICISTA
C/ FORMAÇÃO
E
EXPERIÊNCIA
Contactar:

961 939 563

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 37


lazer

HORÓSCOPO de 22 a 28 de S e t e mbro Por Maysa

CARNEIRO GÉMEOS LEÃO BALANÇA SAGITÁRIO AQUÁRIO


Mago Amantes Imperador Força Lua Temperança
AMOR – “A paz que procuramos AMOR – “Há quem passe pelo bos- AMOR – “Não existem factos eternos, AMOR – “Se não poder destacar- AMOR – “Ambição é o ultimo recur- AMOR – “A única coisa a fazer
está no silêncio que não fazemos”. que, e só veja lenha para a fogueira”. assim como não há verdades absolu- ‑se pelo talento, vença pelo esforço”. so do fracassado”. O seu desejo de com os bons conselhos, é passá-los
Neste momento tem vontade de se Neste momento está preparado para tas”. Os seus sentimentos neste momen- Nesta longa batalha que é a vida, é intimidade poderá crescer mais inten- a outros; pois nunca têm utilidade
divertir, de não ter tanta responsabi- deixar entrar o amor como se fosse to estão em transformação. Tem vontade importante que lute pelos seus ideias, samente, como resultado da transfor- para nós próprios”. Tudo aquilo
lidade, mais precisamente sentir-se uma magia. O cúpido já fez das suas. de definir situações, e como tem ideias no entanto, procure fazê-lo de forma mação dos seus sentimentos. Embora que parece fácil aos nossos olhos
livre. Convém parar pois não é, pelo Esta mais confiante quanto ás suas in- mais claras, sobre o que pretende da sua consciente, e sobretudo saiba controlar não tenha a certeza se é correspondido, poderá, ser bem dificil, quando
facto de fugir ás situações, que tudo tenções e pronto para declarar os seus relação, logo não deixará nada ao acaso. a impulsividade de modo a não fazer uma coisa sabe, é que se libertou das somos confrontados com situações
se resolverá. Antes pelo contrá- sentimentos. Finalmente verificou que Mas cuidado, não pense só em si, quem estragos á sua volta. barreiras, das inibições e agora o seu imprevistas. Por vezes essa calma e
rio!!! Só aumentará as dificuldades andar sempre na roda viva em que tem tem ao seu lado também tem ideias for­ coração anseia por uma experiência de harmonia, em que procuramos vi-
e desse modo nunca mais consegui- vivido não o levaria a nada, antes pelo madas, sobre o que quer e pretende. Plano Material e Profis- amor incondicional. ver, poderá tornar-se numa tormen-
rá encontrar a paz que tanto anseia. contrário, só lhe trazia solidão. sional – Não baixe os braços perante ta. É aqui que reside a sabedoria,
Plano Material e Profissio- situações, mais adversas. Plano Material e Profis- fazendo uso dos conselhos que tan-
Plano Material e Profis- Plano Material e Profis- nal – A comunicação a nível laboral, sional – Falsas promessas poderão to apregoamos. E chegou a sua vez!
sional – Gastos excessivos po- sional – Sentir-se-á recompensado poderá ser algo confusa, mais parecen- SAÚDE – Controle o melhor que poder provocar-lhe dúvidas a nível laboral.
derão fazer abanar o seu orçamento. pelo trabalho que tem vindo a fazer. do um teste á sua paciência. e souber o seu estado emocional. Plano Material e Profis-
SAÚDE – Um certo cansaço fisico po- sional – Alguma tranquilidade
SAÚDE – Saia divirta-se, aproveite SAÚDE – Poderá sentir-se emocio- SAÚDE – Cuidado com o stress em derá tornar-se incomodativo. nas suas finanças.
estes dias para se aproximar dos seus nalmente instável, e essa situação ter que anda, a continuar poderão surgir SAÚDE – Procure ingerir bastantes
amigos, de quem andava afastado. repercussões na sua saúde. problemas. liquidos. (De preferência água).

TOURO CARANGUEJO VIRGEM ESCORPIÃO CAPRICÓRNIO PEIXES


Morte Roda Fortuna justiça Julgamento Papisa Louco
AMOR – “É no meio das difi- AMOR – “A felicidade não é um ideal AMOR – “É melhor estar triste com AMOR – “A experiência é coisa que AMOR – “Na busca desesperada do AMOR – “Ter problemas na vida
culdades que se encontram as da razão, mas sim da imaginação”. amor, do que alegre sem ele”. Neste ninguém consegue de graça”. E você ter, o homem esquece de ser”. Tudo na é inevitável, ser derrotado por eles
oportunidades”. É bem possível Tudo á sua volta ultimamente tem an- momento para si era preferível estar melhor que ninguém sabe como isso é vida tem que ter um meio termo. Em- é opcional”. Embora passe por
que tenha de curar uma ferida do dado numa roda viva. Talvez sinta um triste mas ter alguém a seu lado. Mes- verdade. Mas também tem a noção se bora se sinta sozinho, tem consciência momentos dificeis, e esteja a ser
passado se quiser progredir na sua sentimento de inconformismo, porque, mo tendo a noção de que não era o seu neste momento, iniciar uma relação, é que nada pode fazer, apenas examinar testado acima daquilo que pensa
vida. Um ressentimento antigo po- “tem o não quer, e quer o que não tem”. ideal, mas.. era uma companhia. Talvez como agarrar a cauda de um cometa. e meditar sobre as situações que sur- poder suportar, mas... não será bem
derá mesmo interpor-se entre aqui- Esta roda representa o tempo o destino tenha que começar a pensar de modo Vontade não lhe falta de passar por uma giram, tirando ilações, procurando assim!!. Nada é por acaso. A vida
lo que provavelmente será uma boa o karma. Tudo isto parece uma desor- diferente, já foi, é passado, á que dar atracção magnética e poderosa, seria de compreende-las, e ao mesmo tempo, apenas lhe quer oferecer novas
relação sentimental para si. Feche dem, mas não é, apenas lhe dá indica- volta á situação, e... sorrir, sair, fazer facto magnifico, mas..se analisar a situ- adquirir conhecimentos para as poder oportunidades. Aceite, faça surf
o ciclo, saiba superar dificuldades, ções para que avance em direcção ao algo por si. ação, será mais gratificante para si quan- ultrapassar. com as situações, e deixe que as
e aproveite as oportunidades que o centro do ciclone e relaxe, sabendo que do estiver um pouco mais equilibrado. coisas aconteçam.
universo lhe ofereçe. esse estado passará, e com ele virá, a Plano Material e Profis- Plano Material e Profis-
Plano Material e Profis- orientação para o caminho a seguir. sional – Cuidado com os mal enten- Plano Material e Profis- sional – Novas propostas poderão Plano Material e Profis-
sional – Sente-se mais confiante Plano Material e Profis- didos, esclareça logo as situações. sional – Certos projectos que tinha surgir a nível laboral, convém ler com sional – Talvez se encontre num
para iniciar um novo projecto, que sional – Os investimentos poderão em mente poderão necessitar de mais atenção. momento de desorientação a nível
será benéfico para si. dar dividendos. SAÚDE – Procure ter algum equilibrio tempo do que imaginava. material, mas tudo se irá compor.
SAÚDE – Esteja atento á tendência SAÚDE – Escolha uma actividade des- na sua saúde, pois se cometer excessos SAÚDE – O descanso é essencial neste
para os excessos, evite acidentes. portiva que aumente a sua resistência poderá pagar a factura. SAÚDE – Altere o sua postura em rela- momento. SAÚDE – A saúde poderá ser lesa-
fisica. ção a dietas ou rotinas diárias. da senão tiver alguma calma.

Cursos
e
saltos
de
pára-quedismo
Venha sentir
uma experiência única!

Aeródromo de Bragança
Fim-de-semana de 25 e 26 de Set embro
Informações e inscrições pelo telefone 933 516 402

38 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE


inzonices

I NCLI NÓM ETRO


POSIT
IVO
Pelourinho
Compras – Sábado, 18 de Setembro, de manhã, Mota Andrade enchia o
carrinho de compras num hipermercado da cidade. “Bem, já que o Manuel Ale-
TIVO
NEGA gre não veio a Freixo de Espada à Cinta, como estava previsto, aproveito para
fazer umas comprinhas”, terá pensado o
deputado socialista. O mesmo sentimento
terá movido o director do Centro de For-
mação de Bragança, Fernando Calado,
que também andava por ali às compras.

Professora Bruna – A mediática


José Fernandez Blanco
professora de Mirandela partiu para Lis-
Alcalde de Puebla
boa, para bem perto do namorado. É ali
de Sanábria que vai exercer a docência, para sorte dos
Rota do Vinho do Porto alunos da capital, que certamente não fa-
A paragem do comboio rão gazeta às aulas da Prof. Bruna...
Quem olhar para o cartaz de Alta Velocidade em Puebla
da Festa das Vindimas fica de Sanábria é uma questão Agricultura – O ministro da Agricul-
a pensar que o Douro acaba de tempo. Só falta que o Go- tura encontrou-se com os olivicultores da
no Pinhão. Moncorvo, Frei- verno português saiba tirar Terra Quente Transmontana. “Ainda bem
xo de Espada à Cinta e Vila partido desta oportunidade e que assim foi, porque há muito que eu não
Flor fazem parte da Região construa, de uma vez por to- via por cá o Director Regional da Agricultura, António Ramalho”, comentava o
Demarcada do Douro, mas das, uma ligação rápida entre meu primo Tonho, que tem uns olivais lá para os lados de Vale Salgueiro.
não têm direito a actividades. Bragança e aquela vila espa-
E, em Carrazeda de Ansiães, nhola, tal como ambicionam
as populações e os autarcas Agora é

foto
só mesmo a apresentação do
que vai ser dar
evento... de ambos os países.
à ‘lhéngua’!

Novela
Isto do
Mirandês e Sendinês
faz-me cá uma dor
de cabeça!...

Se for preciso
um Presidente para
a Fundação, já sabem
Raio da capa
que pica que se que estou aqui
para as curvas!
farta!!!

21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE 39


Última Hora
Mirandela
Obstetra com
pena suspensa
O Tribunal de Mirandela con-
denou a três anos de prisão, com
pena suspensa por igual período,
a obstetra que realizou o parto de
Gonçalo, o menino que, em Feve-
reiro de 2003, ficou com paralisia
cerebral e uma incapacidade de
95 por cento.
O acórdão foi conhecido on-
tem à tarde. O colectivo de juízes
condenou a médica por um crime
de recusa de assistência médica
agravada com dolo eventual, cuja
moldura penal contempla uma
pena de prisão com um intervalo
entre os 40 dias e os cinco anos.
O juiz presidente do colecti-
vo justificou a medida aplicada,
dizendo que a pena de “três anos
não é tão longa, nem tão leve que
possa pôr em causa a finalidade
deste tribunal”. Recorde-se que o
Ministério Público havia pedido
uma pena de cinco anos, com exe-
cução suspensa por 80 meses.
O advogado de defesa, António
Pimentel, referiu que a sua cons-
tituinte “está de consciência tran-
quila”, pelo que vai interpor re-
curso da decisão. “É ainda preciso
fazer uma análise mais aprofunda-
da, uma vez que não nos podemos
conformar com esta decisão na
sua globalidade e, muito menos,
com a condenação”, justificou.
O causídico não concorda
“que tenham sido referidos al-
guns procedimentos a nível mé-
dico completamente erróneos”,
e deu o exemplo de um feto ficar
encravado num canal e não con-
seguir respirar. “Como todos sa-
bemos o feto só respira a partir do
momento que é cortado o cordão
umbilical”, afirmou.
A família estava satisfeita com
a medida da pena aplicada. Isabel
Bragada, a mãe de Gonçalo, con-
sidera que se fez justiça. “Depois
de sete anos estou satisfeita. Per-
der perdemos sempre porque o
Gonçalo está a sofrer, perdeu a
capacidade, isso não podemos al-
terar. Mas a arguida foi condena-
da e isso significa toda a verdade,
porque nós sempre dissemos a
verdade”, explicou. DOMUSCAR AUTOMÓVEIS, S.A. – Tel. 273 312 403 • Fax: 273 312 891
Glória Lopes Av. das Cantarias, s/n • Zona Industrial • 5300-107 – BRAGANÇA

40 21 de Setembro de 2010 JORNAL NORDESTE