Você está na página 1de 2

====== Planta Medcinal: ABACAXI ======

===== Nome científico: Ananas comosus (L.) Merr. =====

==== Família: Bromeliaceae ====

Sinônimo botânico: Ananas ananas (L.) Voss, Ananas parguazensis L.A. Camargo & L.B.
Sm., Ananas sativa Lindl., Ananassa sativa Lindl., Bromelia ananas L., Bromelia
comosa L., Ananas sativus Schult. & Schult. F., Ananas lucidus Mill., Ananassa
lucida Lindl., Ananassa bracamorensis Hort., Ananas erectifolius L.B. Sm., Ananas
glaber Mill., Ananas mordilona Linden ex E. Morren, Ananas proliferus Hort. ex
Baker, Ananas semiserratus (Willd.) Schult. F., Ananassa mordilona Linden, Ananassa
semiserrata (Willd.) D. Dietr., Bromelia glabra Boerh. Ex Schult. F., Bromelia
inermis Pers. Ex Steud., Bromelia lucida Willd., Bromelia semiserrata Willd.,
Bromelia subspinosa H.L. Wendl. Ex Schult. F.

Outros nomes populares: abacaxizeiro, aberas, ananá, ananás-selvagem, ananás,


ananaseiro, nanás, nanaseiro; pineapple (inglês); ananás e piña (espanhol); ananas
(francês); abacascì e ananasso Del Brasile (italiano); ananas (alemão).

Descrição Originado do continente americano (Brasil e Paraguai), o abacaxi é uma


planta terrestre, aparentemente sem caule, de pequeno porte, medindo em torno de
1,2 m de altura. Suas raízes são pouco desenvolvidas e as folhas dispostas
espiralmente e agrupadas na base em roseta. São longas, duras, lineares e em forma
de calha tendo suas bases aculeadas. Flores pequenas, de coloração róseo a roxo-
purpúreas surgem aglomeradas em uma haste em espiga que se desenvolverá formando a
fruta do abacaxi, fruto sincárpico ovoide, de 10-30 cm.

O conjunto dos pequenos frutos estrutura o aspecto ovoide do abacaxi que, em sua
parte superior, forma uma coroa de pequenas folhas duras, de coloração verde
intensa denominadas brácteas Essa coroa poderá dar origem a uma nova planta.

A haste interna do abacaxi é envolta pela suculenta polpa que é comestível.


Multiplica-se por ramificações que saem por baixo do fruto e desenvolve-se em
terrenos úmidos e arenosos, com temperaturas que variem entre 24° a 27°C.
Parte Usada Frutos.

Formas Farmacêuticas Infuso, decocto, sumo, essência, suspensão ou sumo.

Emprego Usado em casos de bronquites, tosse catarral, dor de garganta, acne,


espinhas, cravos, psoríase vermelha, psoríase escamativa, esclerodermias, feridas,
úlceras, chagas, em máscaras rejuvenescedoras, como digestivo (enzimas
proteolíticas), diurético, antiagregante plaquetário. O fruto maduro é ingerido ao
natural.

A essência é extraída com álcool de cereais. Infuso ou decocto: 2 xícaras de chá do


fruto picado para 1 litro de água, deixar em repouso por 6 horas. Tomar 4 a 5
xícaras de chá ao dia. Sumo: 2 xícaras de polpa do fruto para 1 litro de água,
adoçar com mel. Tomar 3 a 4 xícaras de chá ao dia.

Constituintes químicos: bromelina, cinarina, triterpenos, saponinas, flavonóides,


glicosídeos, sacarídeos, taninos e mucilagens. Cada 100 gramas de polpa do fruto
contém 52 calorias, 0,4 gramas de proteínas, 0,4 gramas de fibras, 18 mg de cálcio,
8 mg de fósforo, 0,5 mg de ferro, 0,08 mg de vitamina B1, 0,02 mg de vitamina B2,
0,20 mg de niacina e 33,46 de vitamina C.

Propriedades medicinais: adstringente, anti-séptica, despigmentadora, digestiva,


diurético, expectorante, lipolítica, regeneradora celular, rejuvenescedora.
Indicações: acidez estomacal, afecções das vias respiratórias, afecções da pele,
azia, bronquite, estômago, gases, litíase, catarro mucoso das vias respiratórias,
inflamação, neurastenia, tosse catarral; como esfoliante enzimático para ativar a
circulação do corpo e promover a drenagem linfática; máscaras de tratamento para
alisar cabelos crespos; peles oleosas e acnéicas; eliminação de manchas e sardas;
celulite e gordura localizada.

Parte utilizada: folhas, frutos (bagos) maduros, casca.

Contra-indicações/cuidados: evitar o contato com os olhos, pois pode causar ardor e


irritação. Não usar se estiver grávida nem em caso de úlcera gástrica.

Modo de usar: purê ou suco: peles oleosas e acnéicas; loções e compressas: auxiliar
no tratamento de inflamações do rosto; máscara facial: ajudar na regeneração dos
tecidos, eliminação de manchas e sardas; ingerido: afecções das vias respiratórias
e da pele, bronquite e acidez estomacal, diurético brando, vermífugo, calmante da
tosse e expectorante;
- é usado em cremes, géis e óleos de massagem para combater a celulite e gordura
localizada;
- como esfoliante enzimático para ativar a circulação do corpo e promover a
drenagem linfática;
- máscaras de tratamento para alisar cabelos crespos;
- as bromelinas, enzimas contidas nos frutos, na fabricação de pílulas para
inflamação de tecidos;
- sucos da casca: doenças respiratórias.
- extrato: quantidade que contenha 80 mg de bromelina, três vezes ao dia.

Interações Medicamentosas e Associações Inibidores da monoaminooxidase.

A absorção do ferro contido numa dieta pode ser multiplicada pela presença de
vitamina C. Pode ser associado a antibióticos, aumentando sua eficácia, assim como
a da quimioterapia no tratamento de câncer. Substâncias do abacaxi combinadas com a
ciclosporina inibiram a inflamação e a artrite.

Contraindicação Para pessoas alérgicas às bromelinas e que também estejam fazendo


uso de anticoagulantes.
Toxicidade Pessoas alérgicas podem ter aftas nas amídalas, simulando uma dor de
garganta, e o abacaxi também pode provocar distúrbios gastrintestinais.

Fonte: http://www.cura-pela-natureza.cf/abacaxi