Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

Instituto de História
Professor: Marcelo Bittencourt
Disciplina: História da Descolonização e do Neocolonialismo
Código: GHT 04209
Período: 2018/1
Horário: 3ª e 5ª - 18:00 / 20:00

Título: História da Descolonização e do Neocolonialismo na África


Ementa:
O mundo da Guerra-Fria e a articulação terceiro-mundista. Contexto histórico e político da
descolonização/libertação e suas etapas. As propostas nacionalistas na África subsaariana:
moderados, radicais e o socialismo africano. As vocações econômicas em função das metrópoles. As
independências. Instabilidade regional e Guerra Civil. Planos de ajuste estrutural e o avanço da crise
africana. Processos de modernidade: substituição de importações, urbanização/favelização,
socialismo e capitalismo. Estado e acumulação privada: corrupção e exclusão. Globalização e
marginalização econômica. Etnicidade, poder, novos atores e desagregação do Estado. Estudos de
Caso.

Objetivos:
Estudar a resistência e as lutas anticoloniais em suas diferentes etapas.
Identificar os processos de independência: negociação política e luta armada.
Conhecer a diversidade e a complexidade dos processos históricos pós-independência

Programa:
Unidade I - Colonialismos e Historiografia
- Da expansão da civilização à exploração colonial
- A contestação pós-Segunda Guerra
- A quebra da lente imperial/metropolitana e as análises africanas
- Diversificação dos estudos

Unidade II – A contestação política


- As lutas anticoloniais
- O étnico e o nacional
- Luta urbana e contestação rural
- Guerras de libertação

Unidade III – As independências


- Negociação e conflito com as antigas metrópoles
- A construção da nação e a reconfiguração ou não do Estado
- As instituições e as alianças
- Os vínculos de solidariedade e o poder público: cidadãos e súditos

Unidade IV – O pós e suas crises


- A econômica
- A política
- A social
- Estudos de caso
Avaliação:
Duas provas (cada uma delas escrita, presencial, individual e sem consulta).

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:
AIX, José María Ortuño. Acciones y dividendos en una sociedade fragmentada: Nacionalismo,
etnicidad y secesionismo en la Nigeria postcolonial. In: TOMÀS, Jordi (Org.). Secesionismo en
África. Barcelona: Edcions Bellaterra, 2010, pp. 167-197.
AMSELLE, Jean-Loup e M’BOKOLO, Elikia (Orgs.). Pelos meandros da etnia. Etnias, tribalismo e
estado na África. Lisboa: Pedago/Mulemba, 2014.
ARRIGHI, Giovanni. La crisis africana. Aspectos derivados del sistema-mundo y aspectos
regionales. In: http://www.uruguaypiensa.org.uy/imgnoticias/897.pdf
BAYART, Jean François. El estado en África. La política del vientre. Barcelona: Edcions Bellaterra,
1999, pp. 109-149.
BENOT, Yves. As ideologias políticas africanas. Lisboa: Sá da Costa, 1980.
CABRAL, João de Pina. Cisma e continuidade em Moçambique. In: CARVALHO, Clara e
CABRAL, João de Pina (orgs.). A persistência da História. Lisboa: ICS, 2004. pp. 375-393
CASTELLS, Manuel. A Era da Informação. Economia, Sociedade e Cultura. Volume III. 3 ed. São
Paulo: Paz e Terra, 2002.
FANON, Frantz. A Argélia se desvela. In: CORRÊA, Mariza (org.). Ensaios sobre a África do Norte.
Campinas: Unicamp, 2002, pp. 25-49.
M’BOKOLO, Elikia. África Negra. História e civilizações. Do século XIX aos nossos dias. Tomo II.
Lisboa: Colibri, 2007, pp. 499-545.
MANDANI, Mahmood. Ciudadano y súbdito. África contemporânea y el legado del colonialismo
tardio. México: Siglo Ventiuno, 1998.
OLOLAJULO, Babajide. O passado de quem? Museus da Unidade, produção da memória e a busca
pela identidade nacional na Nigéria. In: SANSONE, Livio (org.). Memórias da África: patrimônios,
museus e políticas de identidade. Salvador: EDUFBA, 2012, pp. 125-148.
TITLEY, Brian. Legitimidade e estabilidade na África Central do Imperador Bokassa, 1966-1979. In:
ROLLEMBERG, Denise e QUADRAT, Samantha Viz (orgs.). A construção social dos regimes
autoritários. Legitimidade, consenso e consentimento no século XX, África e Ásia, pp. 207-233.
VIDAL, Nuno. Multipartidarismo em Angola. In: VIDAL, Nuno e ANDRADE, Justino Pinto de
(org.). O processo de transição para o multipartidarismo em Angola. Lisboa: Edições Firmamento,
2006, pp. 11-57