Você está na página 1de 34

Livro da Sabedoria

“A Sabedoria é um espírito amigo do ser humano”
(Sb 1,6)

35

Equipe Missionária, SDN

Livro da Sabedoria:
Para que n’Ele nossos
povos tenham vida

“A Sabedoria é um espírito amigo
do ser humano”
(Sb 1,6)

Mês da Bíblia 2018

1

Ficha Técnica:
Texto: Denilson Mariano
Diagramação: Denilson Mariano
Imagens: reprodução
Revisão: João Resende e Mariano
Capa: Imagem reprodução
Impressão: Editora O Lutador - MG

Você Sabia?!
Apesar de toda sua riqueza, o livro da Sabedoria não faz
parte da lista dos livros da Bíblia Hebraica. O motivo disto
é que ele não foi escrito em hebraico, mas em grego, e foi
escrito na Alexandria, ou seja, fora da Terra Santa. Numa
situação de migrantes desafiados a conservar a fé em uma
terra estrangeira em meio a outros costumes e religiões dife-
rentes. Por esse motivo ele não foi inserido na lista da Bíblia
Hebraica. Eis também o motivo pelo qual ele não aparece nas
Bíblias evangélicas que desde a primeira tradução segue a lista
Hebraica. No entanto, o livro da Sabedoria influencia diversos
livros do Novo (Segundo) Testamento, como o Evangelho de
João e a Carta de Tiago.

Pedidos: Casa do Mobon
Rua Santa Maria, 346 - Serapião II
Dom Cavati - MG
Fone: (33) 3357-1348
Visite nossso site: www.mobon.org.br

2

usa comparações esclarecedo- ras. que nos possibilita enxergar com perfeição pessoas e objetos distantes. mesmo com lutas. que ajudam todos. E a verdadeira face do “justo”. pessoas cultas e mais simples. O autor. ela vem de Deus e é o próprio Deus. É como um binóculo. é como uma seta à beira da estrada. sofrimentos. 3 . Didaticamente. a compreenderem o conteúdo deste livro. São sete temas de aprofundamento. que nos ajuda descobrir a direção para onde deseja- mos caminhar. O livro da Sabedoria. que vai dedicar-se ao estudo do Livro da Sabedoria. SDN. perseguições e até morte. Apresentação Temos a alegria de apresentar este curso sobre o Mês da Bíblia em 2018. que nos faz também enxergar novos sen- tidos da Palavra de Deus. nosso querido Irmão Denílson Mariano. colocou nestas lições os principais ensinamentos desse último livro do Primeiro Testamento. O sofrimento do justo é como o ouro derretido pelo fogo e que assim fica purificado. com muita “sabedoria”. Por exemplo: a Justiça é imortal. diz ele. aquele que realiza o projeto de Deus. A ação infeliz do “injusto”. O livro da Sabedoria é como um retrovisor.

através deles e delas. Para vocês. e do † Filho. Caratinga. Com sua sabedoria e simplicidade. sempre antiga e sempre nova. e do † Espírito Santo. todo o nosso bom Povo de Deus. 01 de maio de 2018 + Dom Emanuel Messias de Oliveira Bispo Diocesano de Caratinga 4 . o nosso querido Papa nos passa a Palavra de Deus. em todas as nossas Paróquias e em todas as nossas Comunidades. com a ajuda deste livro. minha bênção episcopal: Em nome do † Pai. nos entusiasmando para vivermos nossa Fé. em Família e em Comunidade. Após o desenvolvimento de cada um dos sete temas. nos é apresentada a Palavra do Papa Francisco. Desejo que os “cursos” do Mês da Bíblia 2018. possam atingir todas e todos os nossos líderes leigos e leigas e. caros filhos e filhas. na sua última encíclica: “Alegrai-vos e Exultai”. Amém.

nem um filó- sofo. vamos refletir sobre a 1ª parte do livro da Sabedoria (Sb 1-6). cf. com profunda visão da Lei de Deus. Eis o motivo pelo qual esse livro ficou conhecido como: “Sabedoria de Salomão”. aproximadamente. Eles vão passar pelo julgamento de Deus (6. Ele não foi um teólogo. Em algumas partes. dos conhecimentos da época e da situação do povo. 900 anos depois da morte de Salomão. O autor fala como se fosse o rei Salomão (cap. 5 . medita sobre os acontecimentos e denuncia os abusos dos governantes injustos sobre o povo. nós e toda a Igreja do Brasil. Introdução: O mês da Bíblia é uma oportunidade para aprofun- darmos o conhecimento e a prática da Palavra de Deus.1-20). Ele escreve como se fosse uma pessoa mais importante. o livro da Sabedoria surge. os filósofos. mas o texto revela que ele era um membro ativo da comunidade judaica da Alexandria. Ele foi escrito entre os anos 100 e 50 antes de Cristo. mas uma pessoa de fé. usada pelos grandes pensadores. colocando seus ensinamentos nos lábios dele. no Egito. língua mais difundida na época. Ele também anuncia a vitória definitiva da Justiça e da Vida (5. É o último livro do Antigo (Primeiro) Testamento a ser es- crito. para dar maior valor e autoridade ao seu escrito. No entanto.1-11). 1Rs 3. Ele busca a Sabedoria. O livro da Sabedoria foi todo escrito em grego. Um fiel que lê os acontecimentos com os “olhos de Deus” e assume a sua missão profética. 6 a 9. Seguindo a proposta da CNBB.3-12). o autor faz uso de um recurso muito comum na antiguidade. Não se sabe o nome do seu autor.

pelo jeito dos judeus viverem a sua fé. Seu autor conhece muito bem os escritos do Antigo Testamento. pessoas vindas de outras religiões. e começavam a se deixar seduzir por elas. a opressão e a perseguição (2. O livro nasceu para ajudar a vencer a alienação im- posta como idolatria oficial. mas que demonstravam interesse pelo Deus de Israel. além de um aprofundamento sobre o livro da Sabedoria tem sempre uma referência a Jesus Cristo que é a luz que ilumina toda a Escritura. Ele nos convida a trilhar o caminho da santidade. 6 . Mas aqui. o Egito não diz respeito ao tempo do Êxodo.). Nosso estudo está organizado em sete encontros que nascem a partir da Palavra de Deus. Será uma forma de nos aproximar da Sabedoria de Deus nas Escrituras e na palavra da Igreja. a grande capital do Egito. Era tão atrativa a cultura dos opressores que ameaçava esmagar os costumes. ele faz uso deles em todo o texto. Este livro nasceu para ajudar o povo a superar o so- frimento. os bons princípios e os ensinamentos que o povo recebera de Deus. No desenvolvimento. 10 a 19) para iluminar a situação vivida pelo povo. refere-se antes às perseguições sob os reinados de Ptolomeu VII e VIII (nos anos 140 a 80 a.C. Cada encontro termina com uma palavra do Papa Francisco. vinda de sua última Exortação: “Alegrai-vos e Exultai!” (GE).12). Mas também queria atingir os pagãos. Os membros do povo mais estudados começaram a pensar que a sabedoria dos gregos era superior à sabedoria do Deus de Israel. Sabedoria é um texto dirigido primeiramente aos judeus que tinham entrado em contato com as novas correntes de pensamento da Alexandria. Ele cita os acontecimentos do Egito (cap.

Era dominada por Roma que vivia o período de sua maior expansão. era um dos mais importantes centros culturais da época. então capital do Egito. O que podemos fazer para crescermos na prática da justiça? A Alexandria.1º Encontro: A Justiça é imortal Chave de leitura: Sabedoria 1. O que o texto nos revela como imortal? 4. 1. Qual o primeiro apelo de Deus? 2. Porque a Sabedoria não entra numa alma maligna? 3. 7 . Ela chegou a ter cerca de 600 mil habitantes dos quais.1-15.

O autor do livro da Sabedoria procura ajudar o povo de Deus a abrir os olhos para redescobrir a beleza de sua fé e a riqueza da Sabedoria que ela contém. para poderem participar ativamente da vida política. ajuda a pessoa a descobrir a direção a ser seguida. Aponta que o bom governo não vem apenas da boa von- tade de cada um ou da própria sabedoria.200 mil eram judeus. O projeto de Deus é vida para todos. social e cultural. Uma parte do povo acabava se deixando seduzir pelos costumes gregos. O livro da Sabedoria é como uma seta na estrada.1). como uma luz para iluminar os acontecimentos da vida. Tinham que abandonar o Deus de Israel para abraçar a filosofia. Mas somente voltando-se para Deus com o coração sincero. vivendo nesta terra estrangeira. a história e revela que somente a justiça que vem de Deus é capaz de libertar verdadeiramente o povo. Os membros do povo de Deus. os costumes e os cultos gregos. mas a decisão é de quem caminha. tinham de abrir mão de sua fé e de sua identidade judaica. a cultura grega representava uma ameaça à fé do povo de Deus. Em outras palavras. O livro é aberto com um apelo feito aos governantes: “Amem a justiça vocês que governam a terra” (1. Por isso a Sabedoria é apresentada como um espírito amigo dos homens 8 . Ele ajuda o povo a reler as Escrituras de frente para a realidade. abandonavam sua fé em Deus e deixavam de lado sua identidade para abraçar os cos- tumes daquela sociedade idólatra e injusta. é que se alcança a Sabedoria que vem de Deus e é por meio dela que vem a justiça e a moralidade de um povo. A Sabedoria que vem de Deus ilumina a vida.

15). aprende a compadecer-se. Ao mesmo tempo em que se eleva a Sabedoria que conduz à justiça. caminha na justiça. O SENHOR é justo e ama a justiça. A imortalidade da justiça é o núcleo de todo o livro da Sabedoria. que dá consistên- cia às coisas e tudo conhece (1.19).9). aprende a respeitar o outro em suas necessidades. assim. Isto indica que Deus não fica imparcial diante da injustiça ou da desigualdade. O espírito da Sabedoria se identifica com o espírito criador. O desejo de Deus é a justiça e ela é imortal (1. um espírito que ama o ser humano. Dt 30. A Sabedoria apresenta-se como uma característica de quem é justo (12. Assim. Por outro lado a injustiça leva à morte e todos temos de tomar uma decisão. Deus cria o homem para a vida e não se alegra com morte dos seres humanos. também pré anuncia a condenação dos que praticam a injustiça: “quem fala coisas injustas.(1. A justiça é que conduz à vida eterna. como no Gênesis que enche o universo.8b). O Livro da Sabedoria trata com seriedade a questão das injustiças.7). vida ou morte (cf.6).2). Nela está o projeto de vida que Deus tem para a humanidade. quem se aproxi- ma do Senhor. o espíri- to que pairava sobre as águas (Gn 1. Os injustos serão investigados e seus crimes serão desmascarados (1. não escapará e a justiça vin- gadora não o poupará” (1. Quem é justo se faz também amigo do ser hu- mano.7). o escuta e caminha na Sua justiça.19). Ele é o Justo que se levanta contra os injustos (1. fazer uma escolha decisiva: justiça ou injustiça. pode ver a face daquele que é Justo por excelência (Sl 10. tem o espírito que 9 .8). quem decide por Deus.

impo- tentes. uma justiça muitas vezes manchada por interesses mesquinhos. Isto não tem nada a ver com a fome e sede de justiça que Jesus louva. fazei justiça aos órfãos. defendei as viúvas’ (Is 1. não é como a que o mundo procura. manipulada para um lado ou para outro.favorece o discernimento. E quantas pessoas sofrem por causa das injustiças.. Jesus vem ao mundo para nos revelar a Sabedoria de Deus a favor do seu povo. Buscar a justiça com fome e sede: isto é santidade.” (GE 78 e 79) Para aprofundamento: O que fazer. 17). como outros se revezam para repartir o bolo da vida. concreta- mente. Ele se fecha na injustiça e trilha o caminho da morte: uma vida vazia. fazer parte dessa política diária do ‘dou para que me deem’. Alguns desistem de lutar pela verdadeira justiça. 10 . socorrei os oprimidos. Logo ao ser batizado Ele declara que veio para cumprir toda a justiça (Mt 3. sem sentido. A realidade mostra-nos como é fácil entrar nas súcias (grupos) da corrupção. quantos ficam assistindo. que Jesus propõe.. [. O injusto é aquele que não escuta e não confia em Deus.15). para não sermos levados pela onda de corrup- ção presente na sociedade hoje? Dê exemplos. e optam por subir para o carro do vencedor. onde tudo é negócio.] ‘procurai o que é justo. Em sua última Encíclica: “Alegrai-vos e Exultai!” o Papa Francisco nos recorda: “Mas a justiça.

Como o injusto trata os justos? 4. hoje? O livro da Sabedoria contempla apenas duas catego- rias de pessoas: os justos que caminham com Deus e os injustos que não conhecem a Deus ou que não são fiéis a Ele. O que Jesus nos diz diante desta realidade. o que é aproveitar a vida? 3. a vida é breve. Logo no início. Eles não conhecem o Deus da vida e o seu projeto libertador.2º Encontro: O mundo dos injustos Chave de leitura: Sabedoria 2. Para o injusto. Como o injusto enxerga a vida? 2. como uma nuvem ou fumaça (2. sem sentido. 1. o autor deixa claro que os injustos vivem de aparências e por isso se enganam. triste. Para os injustos. É como um binóculo que o autor entrega ao leitor para que ele possa enxergar mais longe e melhor. O traço mais importante é a fidelidade a Deus que se dá através da prática da justiça.1-24. Por isso a ânsia de aproveitar 11 .1-5).

os pobres e os pequenos. nascem as desigualdades e o esquema de exploração sobre os mais pobres e neces- sitados. os maus.o máximo possível tudo o que puder: alegria. não entra a Sabedoria. busca o Seu projeto de Vida que é a prática da justiça e que garante a imortalidade. Neste esquema dominador. 12 . julgado e condenado à morte. os excluídos não têm a quem recorrer neste mundo. Por isso Ele foi per- seguido. Daí o ódio contra os justos que os incomodam e atrapalham os esquemas que sustentam essa vida. Seu projeto de ‘vida para todos’ fez com que Ele se tornasse um incômodo para as autoridades religiosas e políticas. não tanto por “aproveitar a vida” (cf. injustiça. Assim. aparece claramente o controle que os dominantes têm sobre o exercício da justiça e do direito. uma vida afogada em futilidades. mas algo planejado para alimentar o sistema que domi- na: “Vamos oprimir o justo pobre e não vamos poupar as viúvas. bebida. prazeres. nem respeitar os cabelos brancos do ancião. injustamente.10-11). não entra a Justiça. Ecl 9. Isto faz com que o justo seja solidário. maus tratos e exploração usados contra os pobres para sustentar sua boa vida. renuncie a violência e lute contra as injustiças. Este foi o caminho seguido mais tarde por Jesus. comida.) porque o fraco é claramente coisa inútil” (2. se excluem das promessas da vida.7-9). não entra Deus. Os ímpios. (. a exploração dos pobres não é algo acidental. E o justo ainda incomoda os injustos porque ele orienta sua vida pelo conhecimento de Deus. Ou seja. mas pela violência. Além da exploração aos mais fracos.. denunciando a falsidade dos ímpios. Para sustentar esse tipo de vida. por si mesmos..

17-20). escolhe Deus sem cessar. os injustos avançam ainda mais contra eles. Ima- gem e semelhança de um Deus imortal. Neste sentido nos recorda o Papa Francisco: “Deixa que a graça do teu Batismo frutifique num caminho de santidade. [. esta é o fruto do Espírito Santo na tua vida.18. irá crescendo com pequenos gestos. para isso. Quem é fiel a Deus possui a vida que não tem fim. sou um miserável! Mas Vós podeis realizar o milagre de me tornar um pouco melhor’. no fundo. Após a morte. Incomodados com a atuação dos justos.] Esta santidade. levanta os olhos para o Crucificado e diz-Lhe: ‘Senhor.” (GE nº 15-16) Para aprofundamento: A desigualdade social hoje é algo acidental e casual ou algo provocado? Dê exemplos? 13 . Os torturam para ver até quando aguentam ou se Deus vem em seu auxílio. nem a recompensa que ele reserva aos justos (2. Deus criou o ser humano para a imortalidade. Aos infiéis restará a morte sem fim. o justo caminha para a imortalidade (1.. O mais importan- te e decisivo é praticar a vontade de Deus. a vida continua para os justos junto de Deus. opta por Ele.10). Não desanimes.13. agir em Sua Justiça e viver em Seu amor. ama a humanidade e todos os seres vivos e quer que todos vivam (12. Jo 10. Esta é a grande boa nova anunciada pela Sabedoria. porque tens a força do Espírito Santo para tornar possível a santidade e. Deixa que tudo esteja aberto a Deus e. E vão até à sua condenação e morte (2. Deus é soberanamente bom. a que o Senhor te chama.26-27).22).. Gn 1. Quando sentires a tentação de te enredares na tua fragilidade. Eles estão cegos. a maldade em seus corações não lhes permite enxergar o projeto de Deus.

É Ele que os acolhe. Em que este texto nos ilumina e encoraja. Eles não perdem a paz.1-12). em algumas igrejas – apresentava o suces- so e a riqueza como o sinal da bênção de Deus. Como então. defende e os sustenta diante dos tormentos e da morte. Para isso é preciso lembrar que a doutrina da retribuição – muito em alta hoje. com clareza. Qual será a sorte dos injustos? 4. 1.3º Encontro: Vale a pena ser justo Chave de leitura: Sabedoria 3. para além da interpretação comum entre o povo de Israel. 14 . Ele mostra.1-12. Como será o julgamento do justo? 3. Por que o tormento não atinge o justo? 2. que a vida dos justos está nas mãos de Deus. entender o sofrimento do justo? Como olhar para a morte dos inocentes? O sofrimento é visto de um jeito novo (3. hoje? O autor relê as Escrituras de um jeito novo.

Deus.] compreenderão a verdade [.” (Rm 8. já na história. É através dos justos que Deus vai realizando esse julgamento e instaurando. Deus aceita a morte do justo como sacrifício perfeito.. não devemos entender que esse julgamento venha a acontecer apenas na vida eterna. Eles são aliados de Deus. Os justos se tornarão juízes dos ímpios (cf. aos poucos o Seu Reino de Justiça e Paz. Is 57. É o ouro purificado no fogo. O sofrimento e a morte dos justos são vistos como “provação”. que deverá revelar-se em nós. pois a graça e a misericórdia estão reservadas para os seus escolhidos” (3. Mt 10.porque estão em Deus (3. Por isso o cuidado que devemos ter para não desprezarmos a Sabedoria e a disciplina (3. Paulo sacramenta: “Os sofrimentos do tempo presente não têm comparação com a glória futura.11). Os justos.8-9). Vale a pena ser justo e até sofrer.18). reserva aos justos o viver com Ele e participar do julgamento: “Eles governarão as nações [. na verdade encontram-se nas mãos de Deus e por Ele são amparados. no entanto.28- 30)..22). mas. sem 15 .. pois não há apenas vida após a morte. não renega a sua fé e persevera até o fim (cf. obedientes à Lei e praticantes da justiça. sem esquecer que se trata de uma injustiça da parte dos ímpios. Os justos são vítimas inocentes de um esquema de injustiça e exploração que favorece aos que tiram proveito desta situação. Assim.15). É em Deus que se apoia a esperança dos justos e é uma esperança cheia de imortalidade (3. Mas.1-2)..] viverão junto dele no amor. Mt 19. Mas. que aparentemente tinham caído nas mãos dos ímpios.3. mas uma justa retribuição para quem vive na justiça. Mais tarde.4) porque se apoia na Justiça imortal (1.

Mt 20. Ele assumiu a condição de Servo Sofredor (cf. cada um é que res- ponde por seus próprios atos: “A pessoa que peca é que morre! O filho não sofre o castigo da iniquidade do pai... Mas. Jo 4.). Por esta razão. fica tão satisfeito de si mesmo que não tem espaço para a Palavra de Deus. Certo de que Deus não o abandona no sofrimento e que sua perseverança vai desmascarar a injustiça do sistema de morte que condena os inocentes. no conjunto das Escrituras. Por isso.15- 21.46).] Ser pobre no coração: isto é santidade. que têm o coração pobre. a culpa não é generalizada. Is 42. Mt 12. Jesus enfrentou e não temeu as dificuldades e os sofrimentos. Jesus é o justo por excelência. e se o ímpio se converter de seus pecados.. Jesus fez da vontade do Pai o seu alimento (cf. Esta é a condenação para os ímpios e para seus familiares que desprezam a Deus e seus mandamentos.nem para gozar das coisas mais importantes da vida. certamente viverá!” (Ez 18. onde pode entrar o Senhor com a sua incessante novidade. 16 . [.34).28). para amar os irmãos. O Papa Francisco nos recorda que “As riquezas não te dão segurança alguma. Entregou o seu espírito nas mãos do Pai (cf. Lc 24.. Jesus chama felizes os pobres em espírito. Esta confiança ina- balável em Deus vem de sua íntima e filial relação com o Pai: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.. Deste modo priva-se dos bens maiores.1-4).” (GE nº 68 e 70) Para aprofundamento: Nosso seguimento a Jesus tem seguido a baliza da prática da justiça? Dê exemplos.30.. Mais ainda: quando o coração se sente rico. Ele colocou toda a sua vida e todo seu ministério nas mãos de Deus.20-21). ou seja. Jesus mantém até o fim a sua fidelidade a Deus (cf.ela é vazia a nossa esperança.

a Sabedoria é uma proposta de vida. A sabedoria é o próprio Deus atuando na História de Israel (cap. 16-19). Ela prefigura o amor e a sabedoria de Deus que culmina em Jesus: Cristo é a “Sabedoria de Deus” (cf.13. Como devemos reler este texto à luz de Jesus? Algo fundamental nesta obra é a personificação da Sabedoria divina.1Cor 1.4º Encontro: Fecundidade é agir na justiça Chave de leitura: Sabedoria 3. 1.24. Como os filhos dos ímpios aparecerão no julgamento? 4.6. 13-15).30). para o autor. incen- tiva e argumenta. A Sabedoria é que torna a religião judaica muito superior às religiões idólatras (cap. a sabedoria era um meio para chegar ao conhecimento. Por que é chamado de feliz quem não pode ter filhos? 2.17). A sabedoria é o reflexo da vontade e dos desígnios de Deus (9. Qual a sorte da descendência dos injustos? 3. 11-12.13–4. para os gregos. 17 . A sabedoria é um alguém que está presente em toda a vida: que fala. Enquanto.

6). por isso. Para bem entendermos esta passagem é preciso lembrar que na bíblia a fecundidade é uma das maiores bênçãos de Deus. Os filhos são bênçãos de Deus (Cf. Ele olha pelo retrovisor da Palavra de Deus e dá uma leitura nova aos acontecimentos à sua frente. A justiça deixa rastros que não se apagam e que permanecem para sempre na história.16-19). Por sua vez o eunuco – o homem estéril – que pela Lei era excluído de participar do culto e do serviço ao altar (Lv 21. Fica evidente que mais importante que deixar uma geração de filhos corrompidos.2) é visto como digno da recompensa de Deus por sua fidelidade (cf.6). que não pode produzir bons frutos.7-19) de um jeito novo. é importante deixar um testemunho de vida justa e honesta. ela permaneceu fiel à Aliança com Deus. Is 56.3- 5).10 e Dt 23.13-4. E 18 .13-19). Elas não terão forças para se desenvolverem. os filhos eram a garantia para perpetuar o nome do pai e para conservar a propriedade da família. Se as sementes não são boas. é melhor que não vinguem. Não ter filhos equivalia a não ter a bênção de Deus. o autor chega a elogiar a mulher que não tem filhos. Isto se dá porque ela não se uniu aos estrangeiros. De uma forma totalmente nova. Na sequência o autor apresenta uma condenação aos filhos dos injustos (3. Nesta parte do texto o autor apresenta dois contras- tes: a) é melhor a esterilidade sem o pecado (3. No pano de fundo está a ima- gem de que uma árvore má. O autor trabalha a falta dos filhos (3. Sl 128). Mais ainda. a morte prematura (4. mesmo sem gerar filhos.1-6). b) é melhor a falta de filhos com a virtude da honradez (4. a mulher é elogiada e sua recompensa virá no encontro definitivo com Deus. “A memória do justo é para sempre!” (Sl 112.

36-40). [. [. então esse coração é puro e pode ver a Deus. o coração significa as nossas verdadeiras intenções.. de fidelidade a Deus... o que realmente buscamos e desejamos.4). os falsos testemunhos (cf. 23).6). Manter o coração limpo de tudo o que mancha o amor: isto é santidade. [.. Assim nos recorda o Papa Francisco: “Na Bíblia. mas o Senhor olha o coração’ (1 Sm 16. agimos corretamente ou nos deixamos corromper? Dê exemplos. os filhos dos injustos serão testemunhas da maldade praticada por seus pais (4. Nada de man- chado pela falsidade tem valor real para o Senhor.. 19 . As uniões ilegítimas dizem respeito ao casamento en- tre judeus e estrangeiros (no caso. [. Mt 22. O verdadeiro santo é o que anda na justiça e estimula outros a praticá-la. 15.12). Vale lembrar que Jesus também elogia quem sacrifica desejos naturais em função da construção do Reino: “Há homens que se castra- ram por causa do Reino” (Mt 19..logo serão arrancadas (4. que aqui é sinônimo de justiça. que é ‘o que provém do coração (…) que torna o homem impuro’ (15. os gregos) que podia levar a um esquecimento da Aliança com Deus. no julgamento. quando isto é a sua verdadeira intenção e não palavras vazias.. 19). Para aprofundamento: Nas atitudes cotidianas.] Jesus promete que as pessoas de coração puro ‘verão a Deus’.] Também vemos. porque de lá procedem os homicídios. 7). Assim.] Quando o coração ama a Deus e ao próximo (cf. os roubos.” (GE 83-86).] ‘Vela com todo o cuidado sobre o teu coração’ (Pv 4. para além do que aparentamos: ‘O homem vê as aparências. 18). no Evangelho de Mateus.. Importante é preservar a vir- tude.

7-20 1. Mas.5º Encontro: A morte do justo condena o injusto Chave de leitura: Sabedoria 4. O livro da Sabedoria vai responder a esta ques- tão mostrando que a morte do justo por sua fidelidade é 20 . Porque a morte do justo condena o injusto? 3. como entender a morte prematura dos justos já que para o povo de Israel a vida longa era um sinal da bênção de Deus e a vida curta um castigo pelos pecados. Em que a morte de Jesus iluminou os acontecimen tos da época? Até agora vimos que Deus está com os justos e caminha a seu lado. Como será a prestação de contas dos injustos? 4. Porque o justo terá repouso? 2.

O sentido da vida e da existência humana é agradar a Deus. penetrar nos mistérios de Deus a respeito do sábio. de 21 . Situações em que um povo inteiro é escravizado ou cruci- ficado nas novas cruzes da história: como o desemprego. Mas essa morte não é em vão. a falta de condições mínimas de saúde. bem sabemos que os injustos criam leis. tortura. Neste sentido. o livro da Sabedoria aponta que a verdadeira idade não se mede pelo número de anos.17-19). mas a sua resistência às forças do mal os arrastam para a morte. mas pela qualidade da justiça praticada na vida. humildemente. Não basta ver as aparências.prova de amor a Deus. pois. crescer e aprender a ser obediente à Sua vontade. Ele toma a vida de Henoc (Gn 5. Mesmo que indiretamente. daquele que é justo (4.13-16). artimanhas.16). Sua morte acontece por causa da opressão. Esta é a verdadeira astúcia e perspicácia que transparece no discernimento. isto é. é preciso discernimento para olhar com maior profundidade e. ela será um teste- munho contra os injustos (4. Também contrariando a visão bíblica de vida longa como bênção de Deus. causada pela injustiça e vio- lência dos ímpios. Deus não deseja a morte dos justos.24) como exemplo e faz um paralelo entre a vida do justo que morre ainda jovem com a velhice do injusto que nada de bom produziu em sua vida (4. a exclusão. o uso do bom senso revela a prudência do ser humano ao fazer a escolha certa: fazer bem e evitar o mal. Mas o que fica claro no livro da Sabedoria é que a morte prematura do justo. perseguição e opressão da parte dos injustos (2.10-20). situações que levam os pobres e pequenos ao sofrimento e à morte. servirá de condenação para os injustos que a provocaram.

Os anúncios da paixão mostram essa consciência de Jesus frente à maldade humana su- perada pela bondade divina (cf. mas de conservar os princípios da justiça que dão sentido à vida. e é a condição para se tornar membro de Sua família (cf.” (Mt 10. Cada morte de um inocente. dominações.. onde os pobres. Mt 16. Mt 12.. quando forem prestar conta de seus pecados. mas são incapazes de matar a alma! Pelo contrário. Enfim. cada morte de uma pessoa anônima vitimada pela injustiça social.21-23. Também por meio de guerras.22-23).20). Jesus advertiu sobre o que devemos temer de fato: “Não tenhais medo daqueles que matam o corpo. Mt 25. um teste- munho contra o sistema inteiro que produz a morte do povo a fim de garantir os privilégios de alguns poderosos. Mt 8. Não se trata de um desprezo do corpo. chegarão cheios de terror. 17. Fazer a vontade do Pai é o que possibilita entrar no Reino dos Céus (cf.assistência social. não podemos esperar que tudo à nossa volta seja 22 . 31-46). migrações forçadas..28). de educação.21). O Papa Francisco nos recorda que “Para viver Evan- gelho. é uma denúncia. e seus crimes os acusarão cara a cara” (4..50).. (Cf. Por isso: “Os injustos. Os opressores caem na cova que eles mesmos abriram. indefesos e injustiçados serão os juízes das nações. o que fizermos ou deixamos de fazer a fa- vor dos últimos da sociedade é que testemunhará a favor ou contra nós neste julgamento final.. O Evangelho de Mateus vai retomar esse tema no julgamento dos últimos dias. temei Aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno. A postura assumida por Jesus diante da possibilidade da sua condenação à morte não foi irrefletida.

” (GE 91-94). [. Para aprofundamento: Que tipo de perseguição en- frentamos no nosso dia a dia? Como reagimos a ela? 23 . podendo até a sua vivência ser mal vista.. A cruz. cultural e mesmo religiosa. torna-se difícil viver as bem-aventuranças. ridicularizada.. econômica. é fonte de amadurecimento e santificação. especialmente as fadigas e os sofrimentos que suportamos para viver o mandamento do amor e o caminho da justiça.favorável. mediática. que estorva o autêntico desenvolvimento humano e social. [. enredada numa trama política. porque muitas vezes as ambições de poder e os interesses mundanos jogam contra nós..] Abraçar diariamente o caminho do Evangelho mesmo que nos acarrete problemas: isto é santidade..] Numa tal sociedade alienada. suspeita.

O livro da Sabedoria deixa claro que o desfecho do julgamento dos injustos se dá a partir do confronto com justo. Que imagens são usadas para falar da brevidade da vida? 3. Quer nas areias da praia depois que a maré abaixa. Como será o julgamento dos injustos? 2. Embora o destaque seja o julgamento no pós- 24 . hoje? O mar devolve o que não é dele. O tempo sempre faz vir à tona as injustiças cometidas. A que é comparada a esperança do injusto? 4. ou nas excursões submarinas. Talvez possamos dizer algo semelhante no tocante ao tempo. o mar sempre devolve ou faz vir à tona o que não é dele. em relação às injustiças.1-14 1. Que esperança esse texto traz para nós. quer na barriga de peixes.6º Encontro: O julgamento dos injustos Chave de leitura: Sabedoria 5.

15-16). aqueles que praticaram injustiças (5. vem o arrependimen- to.-morte. o reconhecimento da falsidade que permite identificar as raízes da injustiça: o orgulho do poder e a arrogância da riqueza. Eles recebem do Senhor sua recompensa. daquele que os protegeu com sua mão direita (5. Há uma inversão da situação em favor do justo.2). mas como espelho da realidade que faz 25 . a injus- tiça leva ao vazio. felizes. sem temor.6-8). A verdade sempre vem à tona. É o momento em que o tempo faz cair as más- caras e os injustos se dão conta de que sua vida é vazia e sem sentido. nenhuma vantagem tiram de sua riqueza e arrogância (5. Eles estão junto de Deus e participam do julgamento. A herança dos justos é a imortalidade. foi declarado inocente. Deus o declara inocente e aponta os verdadeiros culpados. É preciso ter presente que “ficar de pé” é posição do acusado que.1). à morte: “Mal nascemos e já desapa- recemos. a coroa real. Afundaram-se na injustiça e na perdição. Ainda que tarde. não di- tando sentenças. “O justo ficará de pé. Desviaram-se do caminho do Senhor. o confronto entre justo e injusto se dá de forma contínua também na história. sem mostrar nenhum sinal de virtude (= justiça) porque nos consumamos em nossa maldade!” (5. no tribunal. a mentira é sempre desmascarada. Já os justos aparecem transfigurados.13). Na sabedoria popular: “Mentira tem perna curta!” O julgamento de Deus expressa a manifestação da verdade. Se a justiça tem como prêmio a imortalidade. Vem à tona a perversidade do poder que oprime. diante dos que o oprimiram e desprezaram seus sofrimentos” (5. porque a justiça é imortal. cegos por seu orgulho e ganância. explora e mata os pobres e inocentes.

(GE 98-99) Para aprofundamento: Ao apoiar ações violentas. um problema que os políticos devem resolver e talvez até um monte de lixo que suja o espaço público. posso sentir que este vulto seja um imprevisto [. a fim de que não pudesse haver mais exclusão’”. Afinal.. é o espelho que nos faz enxergar melhor a realidade. Se ao contemplarmos os cacos de vidro na calçada concluímos que quebraram a vidraça. O justo. é no confronto entre oprimido e opressor que vem à tona as situações de injustiças. uma criatura infinitamente amada pelo Pai.]. não se trata apenas de fazer algumas ações boas..” De forma semelhante. ao con- templarmos os “cacos de gente”. empobrecido e desprezado. Assim nos recorda o Papa Francisco: “Quando encontro uma pessoa a dormir ao relento. temos de nos dar conta que a Aliança com Deus foi quebrada. mas de procurar uma mudança social: ‘para que fossem liber- tadas também as gerações futuras. É através deste confronto que se pode identificar as ver- dadeiras raízes das injustiças que marginalizam e oprimem a grande maioria da população. desigualdades sociais e violência de uns sobre os outros. uma imagem de Deus. numa noite fria.]... [.10). “O justo é instrumento de Deus para o julgamento. Jesus veio para que todos tenham vida em abundância (Jo 10. a pessoa se coloca do lado dos justos ou dos injustos? Do lado de Deus ou contra Ele? Por quê?  26 .vir à tona a verdade e desnuda toda injustiça e falsidade... o objetivo proposto era claramente o restabelecimento de sistemas sociais e econômicos justos. Ou então posso reagir a partir da fé e da caridade e reconhecer nele um ser humano com a mesma dignidade que eu.

O que acontece quando os reis não governam retamente? 2.3). O que Deus pede dos governantes? 3.1-21 1. e suas palavras se dirigem aos governantes: “O poder de vocês vem do Senhor.7º Encontro: A sabedoria e o exercício do poder Chave de leitura: Sabedoria 6. e o domínio vem do Altíssi- mo” (6. julgar com retidão. Em que este texto ilumina nossa ação social. A função da autoridade é promover a justiça. hoje? Nesta parte o autor se apresenta como Salomão. devem exercer sua função em nome de Deus e de acordo com o projeto d´Ele. 27 . E se estes exercem cargos de governo. Por que é importante buscar a Sabedoria? 4. O autor mostra que o verdadeiro poder está em Deus e não na mão dos governantes ou das autoridades. o rei sábio. ou posições que os colocam sobre outros.

E. seguindo o mau exemplo de seus governantes e supe- riores: “a moralidade do povo espelha a moralidade de seus governantes”. o julgamento sobre os poderosos. Neste tribunal. o peso é maior sobre as autoridades porque têm conhecimento da Lei. os esquecidos.6-23). o povo tende também a praticar injustiças. Para perseverar na prática da justiça é preciso amar a Sabe- doria: “O princípio da sabedoria é o desejo autêntico de instrução e a preocupação com a instrução é o amor. a liberdade.6). principalmente para garantir o direito à vida dos mais fracos. Todos serão julgados mediante a prática da justiça ou mediante o descumprimento dela. Dt 5. sobre os governantes é rigoroso (6. Ex 20. o futuro e a esperança de muitas pessoas. No entanto. sabem o que deve ser feito. Eis o juízo às autoridades: a) não julgastes com reti- dão. b) não observastes a lei. 28 .” (6.1- 17. governadores e dominadores são criticados por não caminharem segundo a vontade de Deus. A Sabedoria dada e recebida tem jeito prático e confere habilidade para governar com justiça e retidão. da justiça e da verdade.observar a lei e defender os empobrecidos. Os reis.5-8). desviaram-se do bem. o caminho apontado nos Dez Mandamentos (cf.17). pobres e pequenos (6. Critérios justos e válidos para regular as ações na sociedade. quando as autoridades são injustas. c) não procedestes conforme a vontade de Deus. os últimos. Vale uma máxima: “guarda a lei e a lei te guardará”. De suas decisões depende a vida. não podem apresentar desculpas.

percorre um caminho reto e não se desvia da justiça. porque eu. a busca da Sabedoria equivale à busca de aprender a amar a justiça. os mais fracos e desprezados. É neste contexto.48). Jesus não apenas concretizou Lv 19. conduz à imortalidade.Quem a ela corresponde.43-47. Assim. Ela permite o discernimento que é olhar a realidade.33). e se deixa instruir por ela. os acontecimentos. A Sabedoria permite enxergar mais longe.36).. É preciso que se levantem as vozes proféticas e façam ecoar o clamor pela ética e pela justiça. Que derrube a corrupção e levante a moralidade. Ou. Essa é a proposta de Jesus apresentada por Mateus: “Buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça e tudo o mais vos será acrescentado” (Mt 6. para além das aparências. A corrupção alastrou-se em todas as esferas de poder. Vivemos um momento de crise aguda na história e na política de nosso país.2: “Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5. É buscar aquilo que favorece ao reinado da justiça no mundo. de amor aos inimigos que se concretiza a releitura e rein- terpretação de Lv 19. que por sua vez. “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” (Lc 6. A grande vítima são os pobres. uma grande maioria deixou-se levar por privilégios e ganhos ilegítimos. o Senhor vosso Deus. com os “olhos” de Deus. 29 . Eis um clamor pela santidade. de forma mais profunda. mas ensi- nou o caminho aos discípulos apontando para o amor os inimigos (cf. revela responsabilidade e está pronto para administrar. sou santo”..2 “Sede santos. Lc 6.32-35). Mt 5. Quem busca a Sabedoria.

quando levamos lá os propósitos de viver com generosidade e quando deixamos que o dom lá recebido se manifeste na dedicação aos irmãos.Pela mesma razão.. temos de dizer que a misericórdia é a plenitude da justiça e a manifestação mais luminosa da verdade de Deus’.(GE 104-105). A misericórdia é a chave do Céu”. mas esquecemos que o critério de avaliação da nossa vida é.] ‘antes de tudo. antes de mais nada. A oração é preciosa. O nosso culto agra- da a Deus. [. ou apenas observando algumas normas éticas (é verdade que o primado pertence à relação com Deus). o melhor modo para discernir se o nosso caminho de oração é autêntico será ver em que medida a nossa vida se vai transformando à luz da misericórdia. o que fizemos pelos outros. Assim nos aponta o Papa Francisco: “Poder-se-ia pen- sar que damos glória a Deus só com o culto e a oração. se alimenta uma doação diária de amor. Para aprofundamento: Nossos cultos e celebração estão nos fazendo agir com maior misericórdia e justiça? O que precisa ser melhorado? 30 ..

/ proclamai a Sua glória com alegria. Cânticos para animar o Estudo 01. aleluia. em teus amigos. vem nos mostrar tudo aquilo que é bom. que a paz possa reinar em teu povo. ó Senhor. 03. ao Senhor Deus. / Que do céu derrama água. / a justiça florirá. ó Terra inteira! / Cantai e bendizei seu Santo Nome. em nossa vida. não demores / vem salvar a nossa vida. um canto novo. nossos dons e nossa lida. 31 . aleluia! (bis) Toda Palavra de Deus. ao Se- nhor Deus. / celebrai os seus prodígios entre os povos. / visitar a nossa vinha. / dai-lhe a glória que é devida e verdadeira! 2. Qual rebento de uma flor. um canto novo! / Cantai. ao Senhor Deus.Aclamação (João Lourenço) Aleluia. Cantai. que fecunde o nosso trigo. aleluia! / Aleluia. aleluia. / Como a terra faz brotar a semente que germina. Todo dia anunciai a Salvação. (bis) 1. Ó Senhor. 02. que cai no coração //: É luz.Oferendas (Crisógono) 1. é também missão. / sobre Ele pousará o Espírito do Senhor. / publicai as Suas grandes maravilhas. Senhor . é vida. Recebe. Senhor. Cantai ao Senhor Deus . (bis). (bis) 2. como a chuva no verão. surgirá o Salvador.Recebe.Toda Palavra . / Adorai-O no esplendor da santidade. :// vem depressa.Abertura (Crisógono) Cantai.

para sempre. 3. / Anunciai-o entre os povos e em Deus se alegrarão. Iluminai a Vossa face sobre nós / e convertei-nos. ó Senhor. o coração. / pelo que os povos. Missionário do Senhor . / Despertai vosso poder. / e nunca mais vos deixaremos. Cantai louvores ao Senhor. ó Deus bendito. / É Jesus o Pão de Deus. (Sl 44. em nosso auxílio. 3. / E exaltado seja Deus. vai missionário do Senhor. Pousai a mão por sobre o vosso protegido. / e vinde. Voltai seu rosto para nós. / que escolhestes para vós. (bis) 2. 1. que vem do altar. / Visitai a vossa vinha e protegei-a! / Vós que sobre os querubins vos assentais. 2. o Deus da nossa Salvação. Viva o Senhor. vai. / saciar-nos deste Pão. / anunciar. / Acolhei o indigente e o infeliz / e a vida dos humildes salvará. a boa nova. nos trazer a salvação. que Jesus ressuscitou. Libertai o indigente que suplica / e o pobre.04. Deus do Universo! / Dos altos céus olhai por nós e observai. logo. Senhor Deus! / Dai-nos a vida e louvaremos vosso nome! 05. Fazei chover o pão . novo maná.Envio (Crisógono) Vai.18) 32 . os teus feitos lou- varão. o qual ninguém quer ajudar. Filho do homem. que habita em Sião. 4. / Vinde logo.Comunhão (Crisógono) 1. bendito seja. Senhor Deus. Farei lembrado o teu nome de geração em geração. nosso rochedo e proteção. Fazei chover o Pão do céu.

(. as nossas obras serão agradáveis a ti. e nos ensine o que é agradável a Ti. Assim. Dá-nos sempre a Tua Sabedoria. Ela nos guiará prudentemente em nossas ações e nos protegerá com a glória dela. enviando do alto o teu Espírito Santo? Somente assim foram endireitados todos os caminhos de quem vive sobre a terra. Somente assim os homens aprenderam aquilo que te agrada. para que ela nos acompanhe e participe dos nossos trabalhos. se tu não lhe deres sabedoria. Porque ela tudo sabe e tudo compreende.adaptada) 34 .Oração para pedir a Sabedoria de Deus “Senhor. manda a Sabedoria desde o céu santo e a envia desde o teu trono glorioso. Eles foram salvos por meio da sabedoria”.17-18 .. 10-11.) Quem poderá conhecer o teu projeto. Senhor! Amém! (Sb 9..