Livro da Sabedoria

“A Sabedoria é um espírito amigo do ser humano”
(Sb 1,6)

35

Equipe Missionária, SDN

Livro da Sabedoria:
Para que n’Ele nossos
povos tenham vida

“A Sabedoria é um espírito amigo
do ser humano”
(Sb 1,6)

Mês da Bíblia 2018

1

Ficha Técnica:
Texto: Denilson Mariano
Diagramação: Denilson Mariano
Imagens: reprodução
Revisão: João Resende e Mariano
Capa: Imagem reprodução
Impressão: Editora O Lutador - MG

Você Sabia?!
Apesar de toda sua riqueza, o livro da Sabedoria não faz
parte da lista dos livros da Bíblia Hebraica. O motivo disto
é que ele não foi escrito em hebraico, mas em grego, e foi
escrito na Alexandria, ou seja, fora da Terra Santa. Numa
situação de migrantes desafiados a conservar a fé em uma
terra estrangeira em meio a outros costumes e religiões dife-
rentes. Por esse motivo ele não foi inserido na lista da Bíblia
Hebraica. Eis também o motivo pelo qual ele não aparece nas
Bíblias evangélicas que desde a primeira tradução segue a lista
Hebraica. No entanto, o livro da Sabedoria influencia diversos
livros do Novo (Segundo) Testamento, como o Evangelho de
João e a Carta de Tiago.

Pedidos: Casa do Mobon
Rua Santa Maria, 346 - Serapião II
Dom Cavati - MG
Fone: (33) 3357-1348
Visite nossso site: www.mobon.org.br

2

que nos faz também enxergar novos sen- tidos da Palavra de Deus. perseguições e até morte. colocou nestas lições os principais ensinamentos desse último livro do Primeiro Testamento. Apresentação Temos a alegria de apresentar este curso sobre o Mês da Bíblia em 2018. aquele que realiza o projeto de Deus. É como um binóculo. Didaticamente. E a verdadeira face do “justo”. diz ele. A ação infeliz do “injusto”. sofrimentos. que nos ajuda descobrir a direção para onde deseja- mos caminhar. O livro da Sabedoria é como um retrovisor. 3 . O livro da Sabedoria. é como uma seta à beira da estrada. pessoas cultas e mais simples. ela vem de Deus e é o próprio Deus. que nos possibilita enxergar com perfeição pessoas e objetos distantes. O sofrimento do justo é como o ouro derretido pelo fogo e que assim fica purificado. a compreenderem o conteúdo deste livro. São sete temas de aprofundamento. Por exemplo: a Justiça é imortal. com muita “sabedoria”. mesmo com lutas. nosso querido Irmão Denílson Mariano. que vai dedicar-se ao estudo do Livro da Sabedoria. usa comparações esclarecedo- ras. O autor. que ajudam todos. SDN.

nos entusiasmando para vivermos nossa Fé. minha bênção episcopal: Em nome do † Pai. e do † Filho. através deles e delas. Após o desenvolvimento de cada um dos sete temas. Caratinga. sempre antiga e sempre nova. Para vocês. e do † Espírito Santo. Com sua sabedoria e simplicidade. em Família e em Comunidade. nos é apresentada a Palavra do Papa Francisco. Desejo que os “cursos” do Mês da Bíblia 2018. com a ajuda deste livro. possam atingir todas e todos os nossos líderes leigos e leigas e. na sua última encíclica: “Alegrai-vos e Exultai”. Amém. 01 de maio de 2018 + Dom Emanuel Messias de Oliveira Bispo Diocesano de Caratinga 4 . em todas as nossas Paróquias e em todas as nossas Comunidades. caros filhos e filhas. todo o nosso bom Povo de Deus. o nosso querido Papa nos passa a Palavra de Deus.

Seguindo a proposta da CNBB. 900 anos depois da morte de Salomão. usada pelos grandes pensadores. O autor fala como se fosse o rei Salomão (cap. colocando seus ensinamentos nos lábios dele. o autor faz uso de um recurso muito comum na antiguidade. para dar maior valor e autoridade ao seu escrito. O livro da Sabedoria foi todo escrito em grego.1-20). nem um filó- sofo. mas o texto revela que ele era um membro ativo da comunidade judaica da Alexandria. É o último livro do Antigo (Primeiro) Testamento a ser es- crito. No entanto.3-12). dos conhecimentos da época e da situação do povo. Introdução: O mês da Bíblia é uma oportunidade para aprofun- darmos o conhecimento e a prática da Palavra de Deus. 5 . vamos refletir sobre a 1ª parte do livro da Sabedoria (Sb 1-6). mas uma pessoa de fé. Ele também anuncia a vitória definitiva da Justiça e da Vida (5. Eis o motivo pelo qual esse livro ficou conhecido como: “Sabedoria de Salomão”. Eles vão passar pelo julgamento de Deus (6. no Egito. Não se sabe o nome do seu autor. Ele busca a Sabedoria. língua mais difundida na época. nós e toda a Igreja do Brasil. Ele não foi um teólogo. o livro da Sabedoria surge. 6 a 9. Em algumas partes. Um fiel que lê os acontecimentos com os “olhos de Deus” e assume a sua missão profética. os filósofos. Ele foi escrito entre os anos 100 e 50 antes de Cristo.1-11). medita sobre os acontecimentos e denuncia os abusos dos governantes injustos sobre o povo. com profunda visão da Lei de Deus. cf. 1Rs 3. Ele escreve como se fosse uma pessoa mais importante. aproximadamente.

6 . vinda de sua última Exortação: “Alegrai-vos e Exultai!” (GE). os bons princípios e os ensinamentos que o povo recebera de Deus. Seu autor conhece muito bem os escritos do Antigo Testamento. refere-se antes às perseguições sob os reinados de Ptolomeu VII e VIII (nos anos 140 a 80 a. No desenvolvimento. Cada encontro termina com uma palavra do Papa Francisco. ele faz uso deles em todo o texto. Nosso estudo está organizado em sete encontros que nascem a partir da Palavra de Deus. além de um aprofundamento sobre o livro da Sabedoria tem sempre uma referência a Jesus Cristo que é a luz que ilumina toda a Escritura. pelo jeito dos judeus viverem a sua fé. O livro nasceu para ajudar a vencer a alienação im- posta como idolatria oficial. Ele nos convida a trilhar o caminho da santidade. pessoas vindas de outras religiões. mas que demonstravam interesse pelo Deus de Israel. o Egito não diz respeito ao tempo do Êxodo. Será uma forma de nos aproximar da Sabedoria de Deus nas Escrituras e na palavra da Igreja. Sabedoria é um texto dirigido primeiramente aos judeus que tinham entrado em contato com as novas correntes de pensamento da Alexandria. Era tão atrativa a cultura dos opressores que ameaçava esmagar os costumes. Mas aqui. Este livro nasceu para ajudar o povo a superar o so- frimento.C. Mas também queria atingir os pagãos. a grande capital do Egito. e começavam a se deixar seduzir por elas. a opressão e a perseguição (2.). Ele cita os acontecimentos do Egito (cap.12). Os membros do povo mais estudados começaram a pensar que a sabedoria dos gregos era superior à sabedoria do Deus de Israel. 10 a 19) para iluminar a situação vivida pelo povo.

então capital do Egito. Era dominada por Roma que vivia o período de sua maior expansão. O que o texto nos revela como imortal? 4. 7 . era um dos mais importantes centros culturais da época. O que podemos fazer para crescermos na prática da justiça? A Alexandria. Porque a Sabedoria não entra numa alma maligna? 3. Qual o primeiro apelo de Deus? 2. 1. Ela chegou a ter cerca de 600 mil habitantes dos quais.1-15.1º Encontro: A Justiça é imortal Chave de leitura: Sabedoria 1.

Mas somente voltando-se para Deus com o coração sincero. abandonavam sua fé em Deus e deixavam de lado sua identidade para abraçar os cos- tumes daquela sociedade idólatra e injusta. social e cultural. é que se alcança a Sabedoria que vem de Deus e é por meio dela que vem a justiça e a moralidade de um povo. Tinham que abandonar o Deus de Israel para abraçar a filosofia. O projeto de Deus é vida para todos. Aponta que o bom governo não vem apenas da boa von- tade de cada um ou da própria sabedoria. Uma parte do povo acabava se deixando seduzir pelos costumes gregos. Por isso a Sabedoria é apresentada como um espírito amigo dos homens 8 . vivendo nesta terra estrangeira. para poderem participar ativamente da vida política. O livro é aberto com um apelo feito aos governantes: “Amem a justiça vocês que governam a terra” (1.1). Em outras palavras. a cultura grega representava uma ameaça à fé do povo de Deus. Ele ajuda o povo a reler as Escrituras de frente para a realidade. Os membros do povo de Deus. ajuda a pessoa a descobrir a direção a ser seguida. A Sabedoria que vem de Deus ilumina a vida. O autor do livro da Sabedoria procura ajudar o povo de Deus a abrir os olhos para redescobrir a beleza de sua fé e a riqueza da Sabedoria que ela contém. os costumes e os cultos gregos. O livro da Sabedoria é como uma seta na estrada. a história e revela que somente a justiça que vem de Deus é capaz de libertar verdadeiramente o povo. mas a decisão é de quem caminha. como uma luz para iluminar os acontecimentos da vida.200 mil eram judeus. tinham de abrir mão de sua fé e de sua identidade judaica.

como no Gênesis que enche o universo. A Sabedoria apresenta-se como uma característica de quem é justo (12. caminha na justiça. O SENHOR é justo e ama a justiça.(1.19). assim. que dá consistên- cia às coisas e tudo conhece (1. A imortalidade da justiça é o núcleo de todo o livro da Sabedoria.8b). aprende a compadecer-se. Assim. Nela está o projeto de vida que Deus tem para a humanidade.9). Os injustos serão investigados e seus crimes serão desmascarados (1. Quem é justo se faz também amigo do ser hu- mano. quem decide por Deus. vida ou morte (cf. Por outro lado a injustiça leva à morte e todos temos de tomar uma decisão.6). O desejo de Deus é a justiça e ela é imortal (1.7). O Livro da Sabedoria trata com seriedade a questão das injustiças. Dt 30. tem o espírito que 9 . Isto indica que Deus não fica imparcial diante da injustiça ou da desigualdade. Ele é o Justo que se levanta contra os injustos (1.7). não escapará e a justiça vin- gadora não o poupará” (1. o espíri- to que pairava sobre as águas (Gn 1.19).8). também pré anuncia a condenação dos que praticam a injustiça: “quem fala coisas injustas.15). O espírito da Sabedoria se identifica com o espírito criador. fazer uma escolha decisiva: justiça ou injustiça.2). Deus cria o homem para a vida e não se alegra com morte dos seres humanos. aprende a respeitar o outro em suas necessidades. Ao mesmo tempo em que se eleva a Sabedoria que conduz à justiça. o escuta e caminha na Sua justiça. um espírito que ama o ser humano. A justiça é que conduz à vida eterna. pode ver a face daquele que é Justo por excelência (Sl 10. quem se aproxi- ma do Senhor.

quantos ficam assistindo. fazei justiça aos órfãos. 10 . concreta- mente. fazer parte dessa política diária do ‘dou para que me deem’.] ‘procurai o que é justo. O injusto é aquele que não escuta e não confia em Deus.. Logo ao ser batizado Ele declara que veio para cumprir toda a justiça (Mt 3. que Jesus propõe.15). não é como a que o mundo procura. Isto não tem nada a ver com a fome e sede de justiça que Jesus louva. para não sermos levados pela onda de corrup- ção presente na sociedade hoje? Dê exemplos. como outros se revezam para repartir o bolo da vida. uma justiça muitas vezes manchada por interesses mesquinhos. onde tudo é negócio. A realidade mostra-nos como é fácil entrar nas súcias (grupos) da corrupção. [. Em sua última Encíclica: “Alegrai-vos e Exultai!” o Papa Francisco nos recorda: “Mas a justiça. sem sentido. socorrei os oprimidos. defendei as viúvas’ (Is 1. manipulada para um lado ou para outro. Ele se fecha na injustiça e trilha o caminho da morte: uma vida vazia. 17).favorece o discernimento.. Alguns desistem de lutar pela verdadeira justiça.” (GE 78 e 79) Para aprofundamento: O que fazer. Buscar a justiça com fome e sede: isto é santidade. E quantas pessoas sofrem por causa das injustiças. e optam por subir para o carro do vencedor. impo- tentes. Jesus vem ao mundo para nos revelar a Sabedoria de Deus a favor do seu povo.

Eles não conhecem o Deus da vida e o seu projeto libertador.1-5). hoje? O livro da Sabedoria contempla apenas duas catego- rias de pessoas: os justos que caminham com Deus e os injustos que não conhecem a Deus ou que não são fiéis a Ele. a vida é breve. triste. Por isso a ânsia de aproveitar 11 . 1. O traço mais importante é a fidelidade a Deus que se dá através da prática da justiça. o que é aproveitar a vida? 3. Logo no início.2º Encontro: O mundo dos injustos Chave de leitura: Sabedoria 2. Como o injusto enxerga a vida? 2. sem sentido. Para os injustos. É como um binóculo que o autor entrega ao leitor para que ele possa enxergar mais longe e melhor. O que Jesus nos diz diante desta realidade.1-24. Para o injusto. como uma nuvem ou fumaça (2. Como o injusto trata os justos? 4. o autor deixa claro que os injustos vivem de aparências e por isso se enganam.

aparece claramente o controle que os dominantes têm sobre o exercício da justiça e do direito. por si mesmos. nem respeitar os cabelos brancos do ancião. os pobres e os pequenos. Seu projeto de ‘vida para todos’ fez com que Ele se tornasse um incômodo para as autoridades religiosas e políticas.. (. Isto faz com que o justo seja solidário. injustiça.) porque o fraco é claramente coisa inútil” (2. Além da exploração aos mais fracos. Neste esquema dominador. Por isso Ele foi per- seguido. não entra a Sabedoria. mas pela violência. não entra a Justiça. Assim. comida. a exploração dos pobres não é algo acidental. se excluem das promessas da vida. busca o Seu projeto de Vida que é a prática da justiça e que garante a imortalidade. prazeres. não entra Deus. não tanto por “aproveitar a vida” (cf. bebida. os maus.7-9). mas algo planejado para alimentar o sistema que domi- na: “Vamos oprimir o justo pobre e não vamos poupar as viúvas. E o justo ainda incomoda os injustos porque ele orienta sua vida pelo conhecimento de Deus. renuncie a violência e lute contra as injustiças. maus tratos e exploração usados contra os pobres para sustentar sua boa vida. uma vida afogada em futilidades. Este foi o caminho seguido mais tarde por Jesus.o máximo possível tudo o que puder: alegria. Daí o ódio contra os justos que os incomodam e atrapalham os esquemas que sustentam essa vida. os excluídos não têm a quem recorrer neste mundo. Ou seja. 12 . julgado e condenado à morte. Os ímpios. Para sustentar esse tipo de vida.. denunciando a falsidade dos ímpios. nascem as desigualdades e o esquema de exploração sobre os mais pobres e neces- sitados. injustamente. Ecl 9.10-11).

nem a recompensa que ele reserva aos justos (2.. Ima- gem e semelhança de um Deus imortal. Incomodados com a atuação dos justos. Jo 10..] Esta santidade.10). agir em Sua Justiça e viver em Seu amor. no fundo. porque tens a força do Espírito Santo para tornar possível a santidade e. a que o Senhor te chama. E vão até à sua condenação e morte (2. esta é o fruto do Espírito Santo na tua vida. para isso. sou um miserável! Mas Vós podeis realizar o milagre de me tornar um pouco melhor’. Deixa que tudo esteja aberto a Deus e. [. Esta é a grande boa nova anunciada pela Sabedoria. Quem é fiel a Deus possui a vida que não tem fim. O mais importan- te e decisivo é praticar a vontade de Deus. Aos infiéis restará a morte sem fim. irá crescendo com pequenos gestos. a vida continua para os justos junto de Deus. a maldade em seus corações não lhes permite enxergar o projeto de Deus. o justo caminha para a imortalidade (1. levanta os olhos para o Crucificado e diz-Lhe: ‘Senhor. Não desanimes. Após a morte.” (GE nº 15-16) Para aprofundamento: A desigualdade social hoje é algo acidental e casual ou algo provocado? Dê exemplos? 13 . ama a humanidade e todos os seres vivos e quer que todos vivam (12. Eles estão cegos.13.17-20). Neste sentido nos recorda o Papa Francisco: “Deixa que a graça do teu Batismo frutifique num caminho de santidade. Quando sentires a tentação de te enredares na tua fragilidade.26-27).22). Os torturam para ver até quando aguentam ou se Deus vem em seu auxílio. Deus é soberanamente bom. opta por Ele. Deus criou o ser humano para a imortalidade. Gn 1. os injustos avançam ainda mais contra eles.18. escolhe Deus sem cessar.

1. Por que o tormento não atinge o justo? 2. para além da interpretação comum entre o povo de Israel. Em que este texto nos ilumina e encoraja. É Ele que os acolhe. Como será o julgamento do justo? 3. Eles não perdem a paz. Qual será a sorte dos injustos? 4.3º Encontro: Vale a pena ser justo Chave de leitura: Sabedoria 3. com clareza. hoje? O autor relê as Escrituras de um jeito novo. 14 .1-12. em algumas igrejas – apresentava o suces- so e a riqueza como o sinal da bênção de Deus. defende e os sustenta diante dos tormentos e da morte.1-12). entender o sofrimento do justo? Como olhar para a morte dos inocentes? O sofrimento é visto de um jeito novo (3. Ele mostra. Como então. que a vida dos justos está nas mãos de Deus. Para isso é preciso lembrar que a doutrina da retribuição – muito em alta hoje.

28- 30). É em Deus que se apoia a esperança dos justos e é uma esperança cheia de imortalidade (3. no entanto. É o ouro purificado no fogo. Paulo sacramenta: “Os sofrimentos do tempo presente não têm comparação com a glória futura.18). Os justos se tornarão juízes dos ímpios (cf.3. sem 15 . mas uma justa retribuição para quem vive na justiça. aos poucos o Seu Reino de Justiça e Paz.22). obedientes à Lei e praticantes da justiça.11).8-9). Eles são aliados de Deus. pois não há apenas vida após a morte. Deus aceita a morte do justo como sacrifício perfeito. Deus. O sofrimento e a morte dos justos são vistos como “provação”. Mt 19. já na história. Por isso o cuidado que devemos ter para não desprezarmos a Sabedoria e a disciplina (3.] compreenderão a verdade [.4) porque se apoia na Justiça imortal (1. Assim. Is 57. que aparentemente tinham caído nas mãos dos ímpios. Vale a pena ser justo e até sofrer.1-2). Mas..” (Rm 8. Mais tarde.. mas. não devemos entender que esse julgamento venha a acontecer apenas na vida eterna. Os justos são vítimas inocentes de um esquema de injustiça e exploração que favorece aos que tiram proveito desta situação.. Mt 10. na verdade encontram-se nas mãos de Deus e por Ele são amparados. Mas.porque estão em Deus (3.15). pois a graça e a misericórdia estão reservadas para os seus escolhidos” (3. que deverá revelar-se em nós. reserva aos justos o viver com Ele e participar do julgamento: “Eles governarão as nações [. É através dos justos que Deus vai realizando esse julgamento e instaurando.. não renega a sua fé e persevera até o fim (cf.] viverão junto dele no amor. sem esquecer que se trata de uma injustiça da parte dos ímpios. Os justos.

Esta confiança ina- balável em Deus vem de sua íntima e filial relação com o Pai: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.). Mt 12. Jesus chama felizes os pobres em espírito.34).” (GE nº 68 e 70) Para aprofundamento: Nosso seguimento a Jesus tem seguido a baliza da prática da justiça? Dê exemplos.15- 21. onde pode entrar o Senhor com a sua incessante novidade. fica tão satisfeito de si mesmo que não tem espaço para a Palavra de Deus.28). O Papa Francisco nos recorda que “As riquezas não te dão segurança alguma.1-4).] Ser pobre no coração: isto é santidade. cada um é que res- ponde por seus próprios atos: “A pessoa que peca é que morre! O filho não sofre o castigo da iniquidade do pai. [. Jesus é o justo por excelência. que têm o coração pobre.. Ele colocou toda a sua vida e todo seu ministério nas mãos de Deus. ou seja. Jesus fez da vontade do Pai o seu alimento (cf..20-21). Certo de que Deus não o abandona no sofrimento e que sua perseverança vai desmascarar a injustiça do sistema de morte que condena os inocentes. Por esta razão.46). Jesus mantém até o fim a sua fidelidade a Deus (cf.30. Jesus enfrentou e não temeu as dificuldades e os sofrimentos. Mas. Lc 24.. Mt 20.nem para gozar das coisas mais importantes da vida. Ele assumiu a condição de Servo Sofredor (cf. a culpa não é generalizada. Por isso. 16 .ela é vazia a nossa esperança.. e se o ímpio se converter de seus pecados.. Entregou o seu espírito nas mãos do Pai (cf. para amar os irmãos. Jo 4. no conjunto das Escrituras. Esta é a condenação para os ímpios e para seus familiares que desprezam a Deus e seus mandamentos.. Deste modo priva-se dos bens maiores. Is 42. Mais ainda: quando o coração se sente rico. certamente viverá!” (Ez 18.

11-12.1Cor 1. 16-19). Como os filhos dos ímpios aparecerão no julgamento? 4.13–4. para os gregos. Como devemos reler este texto à luz de Jesus? Algo fundamental nesta obra é a personificação da Sabedoria divina. A sabedoria é o reflexo da vontade e dos desígnios de Deus (9. Ela prefigura o amor e a sabedoria de Deus que culmina em Jesus: Cristo é a “Sabedoria de Deus” (cf.24. a sabedoria era um meio para chegar ao conhecimento. A Sabedoria é que torna a religião judaica muito superior às religiões idólatras (cap. Por que é chamado de feliz quem não pode ter filhos? 2. 1.13. Enquanto. incen- tiva e argumenta. a Sabedoria é uma proposta de vida.17). A sabedoria é o próprio Deus atuando na História de Israel (cap.6.30). 17 . A sabedoria é um alguém que está presente em toda a vida: que fala. Qual a sorte da descendência dos injustos? 3. 13-15). para o autor.4º Encontro: Fecundidade é agir na justiça Chave de leitura: Sabedoria 3.

6). “A memória do justo é para sempre!” (Sl 112. Os filhos são bênçãos de Deus (Cf. ela permaneceu fiel à Aliança com Deus. Is 56. Não ter filhos equivalia a não ter a bênção de Deus.7-19) de um jeito novo. é importante deixar um testemunho de vida justa e honesta. Nesta parte do texto o autor apresenta dois contras- tes: a) é melhor a esterilidade sem o pecado (3. Na sequência o autor apresenta uma condenação aos filhos dos injustos (3. Elas não terão forças para se desenvolverem.13-19). Sl 128). A justiça deixa rastros que não se apagam e que permanecem para sempre na história. a mulher é elogiada e sua recompensa virá no encontro definitivo com Deus. Ele olha pelo retrovisor da Palavra de Deus e dá uma leitura nova aos acontecimentos à sua frente. que não pode produzir bons frutos. por isso. E 18 . é melhor que não vinguem. b) é melhor a falta de filhos com a virtude da honradez (4. Isto se dá porque ela não se uniu aos estrangeiros.2) é visto como digno da recompensa de Deus por sua fidelidade (cf. Por sua vez o eunuco – o homem estéril – que pela Lei era excluído de participar do culto e do serviço ao altar (Lv 21.10 e Dt 23. O autor trabalha a falta dos filhos (3.3- 5). Mais ainda. Fica evidente que mais importante que deixar uma geração de filhos corrompidos. De uma forma totalmente nova. Para bem entendermos esta passagem é preciso lembrar que na bíblia a fecundidade é uma das maiores bênçãos de Deus.16-19).13-4.1-6). Se as sementes não são boas.6). os filhos eram a garantia para perpetuar o nome do pai e para conservar a propriedade da família. mesmo sem gerar filhos. No pano de fundo está a ima- gem de que uma árvore má. a morte prematura (4. o autor chega a elogiar a mulher que não tem filhos.

os gregos) que podia levar a um esquecimento da Aliança com Deus. 19).4)..6). quando isto é a sua verdadeira intenção e não palavras vazias. então esse coração é puro e pode ver a Deus.] ‘Vela com todo o cuidado sobre o teu coração’ (Pv 4. os filhos dos injustos serão testemunhas da maldade praticada por seus pais (4. [. [... Manter o coração limpo de tudo o que mancha o amor: isto é santidade. 23). no Evangelho de Mateus.] Quando o coração ama a Deus e ao próximo (cf.12). o coração significa as nossas verdadeiras intenções. os roubos.” (GE 83-86). 7). porque de lá procedem os homicídios... o que realmente buscamos e desejamos. Mt 22.] Jesus promete que as pessoas de coração puro ‘verão a Deus’. agimos corretamente ou nos deixamos corromper? Dê exemplos. Importante é preservar a vir- tude. de fidelidade a Deus. Para aprofundamento: Nas atitudes cotidianas. que aqui é sinônimo de justiça.. Assim. mas o Senhor olha o coração’ (1 Sm 16. O verdadeiro santo é o que anda na justiça e estimula outros a praticá-la. Assim nos recorda o Papa Francisco: “Na Bíblia. os falsos testemunhos (cf. 15. Vale lembrar que Jesus também elogia quem sacrifica desejos naturais em função da construção do Reino: “Há homens que se castra- ram por causa do Reino” (Mt 19. Nada de man- chado pela falsidade tem valor real para o Senhor. 19 .] Também vemos. [. 36-40). para além do que aparentamos: ‘O homem vê as aparências. As uniões ilegítimas dizem respeito ao casamento en- tre judeus e estrangeiros (no caso. que é ‘o que provém do coração (…) que torna o homem impuro’ (15...logo serão arrancadas (4. 18). no julgamento. [.

Como será a prestação de contas dos injustos? 4. Porque a morte do justo condena o injusto? 3. Mas.5º Encontro: A morte do justo condena o injusto Chave de leitura: Sabedoria 4.7-20 1. como entender a morte prematura dos justos já que para o povo de Israel a vida longa era um sinal da bênção de Deus e a vida curta um castigo pelos pecados. O livro da Sabedoria vai responder a esta ques- tão mostrando que a morte do justo por sua fidelidade é 20 . Em que a morte de Jesus iluminou os acontecimen tos da época? Até agora vimos que Deus está com os justos e caminha a seu lado. Porque o justo terá repouso? 2.

Também contrariando a visão bíblica de vida longa como bênção de Deus. situações que levam os pobres e pequenos ao sofrimento e à morte. o uso do bom senso revela a prudência do ser humano ao fazer a escolha certa: fazer bem e evitar o mal. servirá de condenação para os injustos que a provocaram. humildemente. artimanhas. Mesmo que indiretamente.prova de amor a Deus. perseguição e opressão da parte dos injustos (2. mas pela qualidade da justiça praticada na vida. isto é.17-19). penetrar nos mistérios de Deus a respeito do sábio.24) como exemplo e faz um paralelo entre a vida do justo que morre ainda jovem com a velhice do injusto que nada de bom produziu em sua vida (4.10-20). O sentido da vida e da existência humana é agradar a Deus. Deus não deseja a morte dos justos. o livro da Sabedoria aponta que a verdadeira idade não se mede pelo número de anos. ela será um teste- munho contra os injustos (4. mas a sua resistência às forças do mal os arrastam para a morte. a falta de condições mínimas de saúde. pois.13-16). é preciso discernimento para olhar com maior profundidade e. a exclusão. tortura. causada pela injustiça e vio- lência dos ímpios. crescer e aprender a ser obediente à Sua vontade. daquele que é justo (4. Mas essa morte não é em vão.16). bem sabemos que os injustos criam leis. Sua morte acontece por causa da opressão. Esta é a verdadeira astúcia e perspicácia que transparece no discernimento. Não basta ver as aparências. Ele toma a vida de Henoc (Gn 5. de 21 . Situações em que um povo inteiro é escravizado ou cruci- ficado nas novas cruzes da história: como o desemprego. Mas o que fica claro no livro da Sabedoria é que a morte prematura do justo. Neste sentido.

Enfim. Mt 25.. cada morte de uma pessoa anônima vitimada pela injustiça social.21-23. dominações. Também por meio de guerras. Mt 8.. é uma denúncia. Os anúncios da paixão mostram essa consciência de Jesus frente à maldade humana su- perada pela bondade divina (cf. A postura assumida por Jesus diante da possibilidade da sua condenação à morte não foi irrefletida. mas de conservar os princípios da justiça que dão sentido à vida..21).22-23). O Evangelho de Mateus vai retomar esse tema no julgamento dos últimos dias.assistência social. migrações forçadas. e é a condição para se tornar membro de Sua família (cf. onde os pobres.” (Mt 10. 17.. mas são incapazes de matar a alma! Pelo contrário. O Papa Francisco nos recorda que “Para viver Evan- gelho.50).20). e seus crimes os acusarão cara a cara” (4. Cada morte de um inocente. Não se trata de um desprezo do corpo. quando forem prestar conta de seus pecados. 31-46). Por isso: “Os injustos.. temei Aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno. Mt 12. chegarão cheios de terror. (Cf. Os opressores caem na cova que eles mesmos abriram. Jesus advertiu sobre o que devemos temer de fato: “Não tenhais medo daqueles que matam o corpo. não podemos esperar que tudo à nossa volta seja 22 . indefesos e injustiçados serão os juízes das nações. um teste- munho contra o sistema inteiro que produz a morte do povo a fim de garantir os privilégios de alguns poderosos. o que fizermos ou deixamos de fazer a fa- vor dos últimos da sociedade é que testemunhará a favor ou contra nós neste julgamento final. de educação.. Fazer a vontade do Pai é o que possibilita entrar no Reino dos Céus (cf. Mt 16.28).

A cruz.favorável. [. que estorva o autêntico desenvolvimento humano e social. Para aprofundamento: Que tipo de perseguição en- frentamos no nosso dia a dia? Como reagimos a ela? 23 .. ridicularizada. mediática.. podendo até a sua vivência ser mal vista.. suspeita. enredada numa trama política. porque muitas vezes as ambições de poder e os interesses mundanos jogam contra nós. [.] Numa tal sociedade alienada.” (GE 91-94). é fonte de amadurecimento e santificação.. especialmente as fadigas e os sofrimentos que suportamos para viver o mandamento do amor e o caminho da justiça. econômica.] Abraçar diariamente o caminho do Evangelho mesmo que nos acarrete problemas: isto é santidade. torna-se difícil viver as bem-aventuranças. cultural e mesmo religiosa.

Quer nas areias da praia depois que a maré abaixa.6º Encontro: O julgamento dos injustos Chave de leitura: Sabedoria 5. Que esperança esse texto traz para nós.1-14 1. O tempo sempre faz vir à tona as injustiças cometidas. o mar sempre devolve ou faz vir à tona o que não é dele. em relação às injustiças. Que imagens são usadas para falar da brevidade da vida? 3. quer na barriga de peixes. Como será o julgamento dos injustos? 2. Embora o destaque seja o julgamento no pós- 24 . hoje? O mar devolve o que não é dele. O livro da Sabedoria deixa claro que o desfecho do julgamento dos injustos se dá a partir do confronto com justo. ou nas excursões submarinas. A que é comparada a esperança do injusto? 4. Talvez possamos dizer algo semelhante no tocante ao tempo.

Afundaram-se na injustiça e na perdição. Deus o declara inocente e aponta os verdadeiros culpados. cegos por seu orgulho e ganância. A verdade sempre vem à tona.13).15-16). Eles estão junto de Deus e participam do julgamento.2). a coroa real. Já os justos aparecem transfigurados. sem temor. nenhuma vantagem tiram de sua riqueza e arrogância (5. Eles recebem do Senhor sua recompensa. Na sabedoria popular: “Mentira tem perna curta!” O julgamento de Deus expressa a manifestação da verdade. a injus- tiça leva ao vazio. sem mostrar nenhum sinal de virtude (= justiça) porque nos consumamos em nossa maldade!” (5. explora e mata os pobres e inocentes. diante dos que o oprimiram e desprezaram seus sofrimentos” (5. É o momento em que o tempo faz cair as más- caras e os injustos se dão conta de que sua vida é vazia e sem sentido. porque a justiça é imortal. Desviaram-se do caminho do Senhor. É preciso ter presente que “ficar de pé” é posição do acusado que.6-8). no tribunal. mas como espelho da realidade que faz 25 . Ainda que tarde. “O justo ficará de pé. A herança dos justos é a imortalidade. à morte: “Mal nascemos e já desapa- recemos. foi declarado inocente. o confronto entre justo e injusto se dá de forma contínua também na história.-morte. felizes. o reconhecimento da falsidade que permite identificar as raízes da injustiça: o orgulho do poder e a arrogância da riqueza. daquele que os protegeu com sua mão direita (5. Se a justiça tem como prêmio a imortalidade. Há uma inversão da situação em favor do justo. vem o arrependimen- to. Vem à tona a perversidade do poder que oprime. aqueles que praticaram injustiças (5. a mentira é sempre desmascarada. não di- tando sentenças.1).

. a pessoa se coloca do lado dos justos ou dos injustos? Do lado de Deus ou contra Ele? Por quê?  26 . ao con- templarmos os “cacos de gente”. uma criatura infinitamente amada pelo Pai.].. Se ao contemplarmos os cacos de vidro na calçada concluímos que quebraram a vidraça. Jesus veio para que todos tenham vida em abundância (Jo 10. É através deste confronto que se pode identificar as ver- dadeiras raízes das injustiças que marginalizam e oprimem a grande maioria da população.. numa noite fria.]. uma imagem de Deus. não se trata apenas de fazer algumas ações boas. posso sentir que este vulto seja um imprevisto [. o objetivo proposto era claramente o restabelecimento de sistemas sociais e econômicos justos. “O justo é instrumento de Deus para o julgamento. um problema que os políticos devem resolver e talvez até um monte de lixo que suja o espaço público. é no confronto entre oprimido e opressor que vem à tona as situações de injustiças. Afinal. temos de nos dar conta que a Aliança com Deus foi quebrada. (GE 98-99) Para aprofundamento: Ao apoiar ações violentas.10). mas de procurar uma mudança social: ‘para que fossem liber- tadas também as gerações futuras. [.. Assim nos recorda o Papa Francisco: “Quando encontro uma pessoa a dormir ao relento.” De forma semelhante. desigualdades sociais e violência de uns sobre os outros.. Ou então posso reagir a partir da fé e da caridade e reconhecer nele um ser humano com a mesma dignidade que eu. empobrecido e desprezado. O justo.. a fim de que não pudesse haver mais exclusão’”. é o espelho que nos faz enxergar melhor a realidade.vir à tona a verdade e desnuda toda injustiça e falsidade.

e o domínio vem do Altíssi- mo” (6. e suas palavras se dirigem aos governantes: “O poder de vocês vem do Senhor. o rei sábio. O que acontece quando os reis não governam retamente? 2. devem exercer sua função em nome de Deus e de acordo com o projeto d´Ele. E se estes exercem cargos de governo. O autor mostra que o verdadeiro poder está em Deus e não na mão dos governantes ou das autoridades. Por que é importante buscar a Sabedoria? 4. hoje? Nesta parte o autor se apresenta como Salomão. ou posições que os colocam sobre outros. 27 . O que Deus pede dos governantes? 3. A função da autoridade é promover a justiça.7º Encontro: A sabedoria e o exercício do poder Chave de leitura: Sabedoria 6.1-21 1. julgar com retidão. Em que este texto ilumina nossa ação social.3).

c) não procedestes conforme a vontade de Deus. os últimos. o caminho apontado nos Dez Mandamentos (cf.1- 17. sabem o que deve ser feito. não podem apresentar desculpas.17). os esquecidos.” (6. o futuro e a esperança de muitas pessoas. b) não observastes a lei. sobre os governantes é rigoroso (6. Dt 5. da justiça e da verdade. Neste tribunal. o peso é maior sobre as autoridades porque têm conhecimento da Lei. Todos serão julgados mediante a prática da justiça ou mediante o descumprimento dela. De suas decisões depende a vida. principalmente para garantir o direito à vida dos mais fracos. desviaram-se do bem. governadores e dominadores são criticados por não caminharem segundo a vontade de Deus. o julgamento sobre os poderosos. seguindo o mau exemplo de seus governantes e supe- riores: “a moralidade do povo espelha a moralidade de seus governantes”. Critérios justos e válidos para regular as ações na sociedade. A Sabedoria dada e recebida tem jeito prático e confere habilidade para governar com justiça e retidão.6-23). Ex 20. o povo tende também a praticar injustiças. 28 .observar a lei e defender os empobrecidos. Eis o juízo às autoridades: a) não julgastes com reti- dão. pobres e pequenos (6. Para perseverar na prática da justiça é preciso amar a Sabe- doria: “O princípio da sabedoria é o desejo autêntico de instrução e a preocupação com a instrução é o amor. Os reis. E. a liberdade. Vale uma máxima: “guarda a lei e a lei te guardará”.6).5-8). No entanto. quando as autoridades são injustas.

Lc 6.32-35).. que por sua vez. Vivemos um momento de crise aguda na história e na política de nosso país.2 “Sede santos.36). Eis um clamor pela santidade. de forma mais profunda.33).. Mt 5. sou santo”. A grande vítima são os pobres. os mais fracos e desprezados. Ou. a busca da Sabedoria equivale à busca de aprender a amar a justiça. Ela permite o discernimento que é olhar a realidade. “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso” (Lc 6.Quem a ela corresponde. Jesus não apenas concretizou Lv 19. para além das aparências. Quem busca a Sabedoria. uma grande maioria deixou-se levar por privilégios e ganhos ilegítimos. de amor aos inimigos que se concretiza a releitura e rein- terpretação de Lv 19. Assim. percorre um caminho reto e não se desvia da justiça. Essa é a proposta de Jesus apresentada por Mateus: “Buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça e tudo o mais vos será acrescentado” (Mt 6. porque eu. É neste contexto. revela responsabilidade e está pronto para administrar. os acontecimentos. A corrupção alastrou-se em todas as esferas de poder. A Sabedoria permite enxergar mais longe. Que derrube a corrupção e levante a moralidade. e se deixa instruir por ela.43-47. conduz à imortalidade.48). 29 . o Senhor vosso Deus. É buscar aquilo que favorece ao reinado da justiça no mundo. com os “olhos” de Deus.2: “Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5. mas ensi- nou o caminho aos discípulos apontando para o amor os inimigos (cf. É preciso que se levantem as vozes proféticas e façam ecoar o clamor pela ética e pela justiça.

Assim nos aponta o Papa Francisco: “Poder-se-ia pen- sar que damos glória a Deus só com o culto e a oração.. quando levamos lá os propósitos de viver com generosidade e quando deixamos que o dom lá recebido se manifeste na dedicação aos irmãos. mas esquecemos que o critério de avaliação da nossa vida é. ou apenas observando algumas normas éticas (é verdade que o primado pertence à relação com Deus). O nosso culto agra- da a Deus. A misericórdia é a chave do Céu”. A oração é preciosa.(GE 104-105).] ‘antes de tudo. antes de mais nada.. o que fizemos pelos outros. temos de dizer que a misericórdia é a plenitude da justiça e a manifestação mais luminosa da verdade de Deus’.Pela mesma razão. Para aprofundamento: Nossos cultos e celebração estão nos fazendo agir com maior misericórdia e justiça? O que precisa ser melhorado? 30 . se alimenta uma doação diária de amor. [. o melhor modo para discernir se o nosso caminho de oração é autêntico será ver em que medida a nossa vida se vai transformando à luz da misericórdia.

aleluia! (bis) Toda Palavra de Deus.Toda Palavra . Recebe. Todo dia anunciai a Salvação.Oferendas (Crisógono) 1. um canto novo! / Cantai. ao Se- nhor Deus.Recebe. / Adorai-O no esplendor da santidade. / dai-lhe a glória que é devida e verdadeira! 2. nossos dons e nossa lida. ó Senhor. é também missão. / celebrai os seus prodígios entre os povos. que cai no coração //: É luz. ao Senhor Deus. ao Senhor Deus. 02. ó Terra inteira! / Cantai e bendizei seu Santo Nome. / a justiça florirá. como a chuva no verão. que a paz possa reinar em teu povo. aleluia! / Aleluia. Ó Senhor. vem nos mostrar tudo aquilo que é bom. (bis) 1. (bis). que fecunde o nosso trigo.Aclamação (João Lourenço) Aleluia. é vida. não demores / vem salvar a nossa vida. / publicai as Suas grandes maravilhas. em nossa vida. (bis) 2. / proclamai a Sua glória com alegria. Cantai ao Senhor Deus .Abertura (Crisógono) Cantai. 31 . Senhor. em teus amigos. surgirá o Salvador. / visitar a nossa vinha. / sobre Ele pousará o Espírito do Senhor. 03. aleluia. / Como a terra faz brotar a semente que germina. Cânticos para animar o Estudo 01. um canto novo. Cantai. / Que do céu derrama água. aleluia. Senhor . Qual rebento de uma flor. :// vem depressa.

os teus feitos lou- varão. / Despertai vosso poder. o coração. Filho do homem. / Anunciai-o entre os povos e em Deus se alegrarão. Deus do Universo! / Dos altos céus olhai por nós e observai. / que escolhestes para vós. / Acolhei o indigente e o infeliz / e a vida dos humildes salvará. Viva o Senhor. Fazei chover o pão . nos trazer a salvação. / É Jesus o Pão de Deus. (Sl 44. / e vinde. / Vinde logo. (bis) 2. vai missionário do Senhor. que Jesus ressuscitou. / Visitai a vossa vinha e protegei-a! / Vós que sobre os querubins vos assentais. Iluminai a Vossa face sobre nós / e convertei-nos.04. Senhor Deus! / Dai-nos a vida e louvaremos vosso nome! 05. novo maná. ó Senhor.Comunhão (Crisógono) 1. nosso rochedo e proteção. a boa nova. / anunciar. / saciar-nos deste Pão. 1.18) 32 . / E exaltado seja Deus. Libertai o indigente que suplica / e o pobre. Fazei chover o Pão do céu. em nosso auxílio. vai. que habita em Sião. 3. Pousai a mão por sobre o vosso protegido.Envio (Crisógono) Vai. logo. Missionário do Senhor . o qual ninguém quer ajudar. 3. Cantai louvores ao Senhor. que vem do altar. Voltai seu rosto para nós. o Deus da nossa Salvação. / pelo que os povos. 4. Senhor Deus. ó Deus bendito. bendito seja. 2. para sempre. Farei lembrado o teu nome de geração em geração. / e nunca mais vos deixaremos.

.adaptada) 34 . 10-11. Assim. e nos ensine o que é agradável a Ti. enviando do alto o teu Espírito Santo? Somente assim foram endireitados todos os caminhos de quem vive sobre a terra. se tu não lhe deres sabedoria.Oração para pedir a Sabedoria de Deus “Senhor. Somente assim os homens aprenderam aquilo que te agrada. Senhor! Amém! (Sb 9. manda a Sabedoria desde o céu santo e a envia desde o teu trono glorioso. as nossas obras serão agradáveis a ti. (.. Eles foram salvos por meio da sabedoria”.) Quem poderá conhecer o teu projeto. Ela nos guiará prudentemente em nossas ações e nos protegerá com a glória dela. Porque ela tudo sabe e tudo compreende. Dá-nos sempre a Tua Sabedoria. para que ela nos acompanhe e participe dos nossos trabalhos.17-18 .