Você está na página 1de 2

TEC II

Atividade 1
18 março 2018

Ivone Cristina Pereira Gomes


Aluno 1700934

Questionário
Responda por escrito a 5 questões sobre os conteúdos que estudou ao
longo do Tema 1 – Conceitos e modelos comunicacionais.
Cada uma das perguntas requer uma resposta cuja extensão média
deverá variar entre 10 e 20 linhas de uma página A4.
Tenha em atenção que a qualidade da sua expressão escrita (desde a
ortografia, a acentuação, a pontuação e a seleção lexical, à sintaxe e à
organização adequada das ideias no texto) é um ponto importante que
também será objeto de avaliação nas provas que realizar.
Redija, por isso, as suas respostas num estilo formal e cuidado, e reflita sobre a
estrutura das respostas antes de começar a escrevê-las (selecionando
previamente os conteúdos que irá expor e a ordem pela qual irá expô-
los).

1. Distinga comunicação verbal de comunicação não-verbal. Ilustre com exemplos.


(Serão valorizados exemplos que não constem da bibliografia estudada)
A comunicação consiste na partilha de conteúdos entre duas entidades, podendo ser
verbal e não verbal (envolvendo signos e códigos) e existem duas escolas principais do
estudo da mesma.
A comunicação verbal, podendo ser escrita ou oral, é a comunicação que utiliza como
recurso as línguas naturais, tais como o português, o inglês, o espanhol, entre outras,
sendo a forma de comunicação mais importante nas sociedades humanas.
Tomemos como exemplo o envio de um email para o fornecedor solicitando informações
sobre um determinado item.
A comunicação não verbal, através de sinais não verbais, utiliza sinalética específica (sinais
de segurança nos locais de trabalho, por exemplo) e a linguagem corporal (proximidade,
postura, mencionando apenas alguns) que, em conjunto, dão enfase a determinados
significados.
Em suma, a comunicação é essencial para a vida e desenvolvimento da nossa cultura.

2. Defina os conceitos de símbolo e de signo. Ilustre com exemplos.


(Serão valorizados exemplos de símbolos e de signos que não constem da bibliografia
estudada)
Os sinais são um substituto representativo de algo e podem ser naturais ou artificiais; quer
os símbolos quer os signos são sinais artificiais.
O símbolo é um signo cuja ligação com o seu objeto é uma analogia entre os conceitos e
os valores que associamos ao seu referente. Como exemplo, podemos citar o símbolo de
Vénus que evoca o sexo feminino e é assumido a nível mundial.
O signo é algo físico, não mantém a relação de semelhança com aquilo que se refere, ou
seja, quem utiliza compreende e reconhece que um banco tem pernas e uma base para se
sentar. A maioria das palavras são signos, uma vez que não existe semelhança ou analogia
entre elas e aquilo a que se referem.
3. Segundo o modelo da comunicação de Jakobson, explicite em que consistem as funções
apelativa e fática da linguagem. Exemplifique com enunciados em que predomine cada
uma destas funções da linguagem.
(Serão valorizados enunciados que não constem da bibliografia estudada)
Sendo perspetiva de Jakobson a de um linguista, existem seis fatores que têm que estar
presentes para haver a comunicação.
O emissor envia mensagem para recetor é o indivíduo a quem se dirige a mensagem
(conjunto de sinais fisicamente produzidos, que obedecem a regras - código); a mensagem
refere-se necessariamente a um contexto circula por um contato.
Ao enviar um texto por email, com um pedido de cotação para uma empresa estrangeira,
cujo texto está em inglês, temos o emissor (empresa que envia), recetor (empresa que
recebe o email), a mensagem (letras), o código (texto na língua inglesa), o contexto
(pedido de cotação) e o contacto (email).
Neste caso a função apelativa (incide principalmente no elemento recetor) é o texto em
inglês, para facilitar a leitura da mensagem enviada e para que possam responder mais
rapidamente ao pedido; caso se contacte posteriormente, através de contacto telefónico,
para confirmar a receção do email enviado, seria a função fática (incide principalmente no
contacto) da linguagem, uma vez que é a linguagem utilizada para estabelecer e manter
abertas as vias de comunicação entre os interlocutores.

4. Imagine que está rodeada(o) de pessoas na sala de espera de um consultório médico ou


aguardando ser atendida(o) num banco. Com base na teorização de Watzlawick e no
que estudou sobre comunicação não-verbal, e recorrendo a exemplos concretos
demonstre que, mesmo sem que falem entre si, as pessoas presentes comunicam.
De acordo com Watzlawick é impossível não comunicar, uma vez que comunicamos em
qualquer situação, mesmo sem falar ou estejamos quietos.
Assim sendo, quer estejamos num consultório rodeado de pessoas ou aguardando a nossa
vez num banco, um tom de voz mais elevado ou a proximidade física podem ser
considerados como uma atitude agressiva, no entanto, a comunicação não tem que ser
verbal, pode ser pela postura, por um gesto ou mesmo por um suspiro de frustração.

5. Atente no seguinte texto:


A – Logo vou ao cinema, à sessão da meia-noite. Queres vir?
B – Amanhã de manhã tenho de acordar cedo.
A – Fica para outra vez.
Recorrendo ao conceito de inferência e à teorização de Sperber e Wilson, explique como
é que o sujeito falante A compreendeu que a resposta do sujeito falante B consistia numa
recusa ao seu convite.
De acordo com Sperber e Wilson o raciocínio inferencial faz a ligação entre o que é dito e
o que é intencionalmente comunicado pelo locutor (e interpretado pelo interlocutor),
permitindo que a comunicação seja eficaz.
No diálogo, B não respondeu diretamente à pergunta de A, mas A fez a ligação e deduziu
que a recusa de B seria devido à incompatibilidade entre levantar-se cedo no dia seguinte
e o deitar-se tarde por ir ao cinema, à sessão da meia-noite.
Compreender o que é comunicado envolve frequentemente construir e confirmar uma ou
mais hipóteses acerca da intenção comunicativa do locutor.