Você está na página 1de 5

SISTEMAS ESTRUTURAIS – METAL E MADEIRA

Peças comprimidas
Este estudo tratará das peças sujeitas a compressão centrada ou compressão axial.

Tais peças são encontradas em sistemas estruturais como: componentes de treliças, sistema de
travejamento, pilares de edifícios, entre outras.

Ao contrário do esforço de tração, que tende a retificar as peças com curvaturas inicialmente existentes, o
esforço de compressão tende a acentuar este efeito.

Sob a carga de compressão aparecem deslocamentos laterais a que chamamos de FLAMBAGEM POR
FLEXÃO, que em geral reduz a capacidade de carga da peça.

As chapas componentes de um perfil comprimido podem estar sujeitas também à FLAMBAGEM LOCAL,
caracterizada pelo aparecimento de deslocamentos na forma de ondulações.

FLAMBAGEM POR FLEXÃO:

Os primeiros estudos foram feitos por Leonard Euler (1707-1783), com as seguintes condições para uma
coluna ideal:

- coluna isenta de imperfeições geométricas e tensões residuais;

- material de comportamento elástico linear;

- carga perfeitamente centrada.

A coluna permanece reta (δ=0) até atingir a carga crítica de flambagem ou carga de Euler:
As colunas fabricadas em aço, além das imperfeições geométricas, estão sujeitas à ação do carregamento e
tensões residuais. Essas tensões se somam às tensões devidas ao carregamento.

A tensão última nominal fc também depende da esbeltez l/i da coluna em torno do eixo em que se dá a
flambagem. Quanto mais esbelta a coluna, mais desfavorável será seu comportamento e menor será sua
tensão última.

Através de resultados experimentais, que levam em conta as condições mencionadas dos perfis
(imperfeições geométricas e tensões residuais), define-se o índice de esbeltez reduzido λ0:

Para os aços de uso corrente obtem-se, com a expressão de λ0:

Onde K é coeficiente que define o comprimento efetivo de flambagem (lfl) cujos valores são:
Para qualquer barra, a carga crítica é dada por:

Fórmula de dimensionamento:

O esforço resistente de projeto, para hastes metálicas, sem efeito de flambagem local, sob compressão
axial, é dado por:

Após experimentos e estudos, a NBR 8800 adotou a curva única de flambagem , descrita com uma relação
entre o parâmetro adimensional X e λ0:

Curva única de flambagem


Valores limites do Coeficiente de Esbeltez (Klfl):

-Edifícios: 200

-Pontes: 120

FLAMBAGEM LOCAL

É a flambagem das placas componentes de um perfil comprimido.

Para o perfil I, adotam-se os seguintes critérios:

Para a alma Elemento enrigecido MR 250 b/t < 42,1

Para a mesa Elemento não enrigecido MR 250 b/2t < 15,8


CARACTERÍSTICAS MECÂNICAS DE PERFIS "I" LAMINADOS (tabela reduzida)
Espessura Eixo X-X Eixo Y-Y
Bitola d bf h Área
tw tf Ix Wx rx Iy Wy ry
W150X13,0 148,00 100,00 4,3 4,9 138,00 16,60 635 85,80 6,18 82 16,40 2,22
W200X15,0 200,00 100,00 4,6 5,2 190,00 19,40 1.305 130,50 8,20 87 17,40 2,12
W200X31,3 210,00 134,00 6,4 10,2 190,00 40,30 3.168 301,70 8,86 410 61,20 3,19
W250X25,3 257,00 102,00 6,1 8,4 240,00 32,60 3.473 270,20 10,31 149 29,30 2,14
W250X44,8 266,00 148,00 7,6 13,0 240,00 57,60 7.158 538,20 11,15 704 95,10 3,50
W310X21,0 303,00 101,00 5,1 5,7 292,00 27,20 3.776 249,20 11,77 98 19,50 1,90
W310X32,7 313,00 102,00 6,6 10,8 291,00 42,10 6.570 419,80 12,49 192 37,60 2,13
W310X52,0 317,00 167,00 7,6 13,2 291,00 67,00 11.909 751,40 13,33 1.026 122,90 3,91
W360X32,9 349,00 127,00 5,8 8,5 332,00 42,10 8.358 479,00 14,09 291 45,90 2,63
W360x51,0 355,00 171,00 7,2 11,6 332,00 64,80 14.222 801,20 14,81 968 113,30 3,87
W360X79,0 354,00 205,00 9,4 16,8 320,00 101,20 22.713 1.283,20 14,98 2.416 235,70 4,89
W410X38,8 399,00 140,00 6,4 8,8 381,00 50,30 12.777 640,50 15,94 404 57,70 2,83
W410X53,0 403,00 177,00 7,5 10,9 381,00 68,40 18.734 929,70 16,55 1.009 114,00 3,84
W410X75,0 413,00 180,00 9,7 16,0 381,00 95,80 27.716 1.337,30 16,98 1.559 173,20 4,03
W460X52,0 450,00 152,00 7,6 10,8 428,00 66,60 21.370 949,80 17,91 634 83,50 3,09
W460X74,0 457,00 190,00 9,0 14,5 428,00 94,90 33.415 1.462,40 18,77 1.661 174,80 4,18
W460X106,0 469,00 194,00 12,6 20,6 428,00 135,10 48.978 2.088,60 19,04 2.515 259,30 4,32
W530X66,0 525,00 165,00 8,9 11,1 502,00 83,60 34.971 1.332,20 20,46 857 103,90 3,20
W530X74,0 529,00 166,00 9,7 13,6 502,00 95,10 40.969 1.548,90 20,76 1.041 125,50 3,31
W530X101 537,00 210,00 10,9 17,4 502,00 130,00 62.198 2.316,50 21,87 2.693 256,50 4,55
W610X101,0 603,00 228,00 10,5 14,9 573,00 130,30 77.003 2.554,00 24,31 2.951 258,80 4,76
W610X125,0 612,00 229,00 11,9 19,6 573,00 160,10 99.184 3.241,30 24,89 3.933 343,50 4,96
W610X174,0 616,00 325,00 14,0 21,6 573,00 222,80 147.754 4.797,20 25,75 12.374 761,50 7,45
HP200X53,0 204,00 207,00 11,3 11,3 181,00 68,10 4.977 488,00 8,55 1.673 161,70 4,96
HP250X62,0 246,00 256,00 10,5 10,7 225,00 79,60 8.728 709,60 10,47 2.995 234,00 6,13
HP250X85,0 254,00 260,00 14,4 14,4 225,00 108,50 12.280 966,90 10,64 4.225 325,00 6,24
W360X91,0 353,00 254,00 9,5 16,4 320,00 115,90 26.755 1.515,90 15,19 4.483 353,00 6,22

Bibliografia

PFEIL W., PFEIL M. Estruturas de aço: dimensionamento prático. 8 ed. Rio de Janeiro, LTC, 2009.