Você está na página 1de 6

Sumário

CIMENTO

2

COMPOSIÇÃO DO CIMENTO

2

TIPOS DE CIMENTO

2

OUTROS TIPOS DE CIMENTO

4

APLICAÇÕES

5

CIMENTO

Existem 5 tipos de cimentos básicos e 3 tipos de uso especial. O uso indicado para cada tipo/classe, permite aproveitar melhor suas características de aplicação. O cimento é obtido pela queima de uma mistura definida de rocha calcaria e argila, finamente moídos, até sua fusão incipiente, resultando numa substancia denominada clínquer.

incipiente, resultando numa substancia denominada clínquer. COMPOSIÇÃO DO CIMENTO Mistura de clinquer (material

COMPOSIÇÃO DO CIMENTO

Mistura de clinquer (material principal) , calcário, argila e componentes químicos, sendo diferenciado conforme a adição de outros materiais

a. GESSO aumento o tempo de pega

b. ESCÓRIA aumenta a durabilidade na presença de sulfato, mas quando em grandes quantidades pode diminuir a resistência.

c. ARGILA POZOLANICA confere maior impermeabilidade ao concreto

d. CALCARIO muitas vezes utilizado em maior quantidade para reduzir o custo do cimento

Essas diferenças na composição do material podem impactar as características de resistência, trabalhabilidade, durabilidade e impermeabilidade.

TIPOS DE CIMENTO

1- Cimento CP-1(NBR 5.732) ou Cimento Portland Comum

Não possui aditivos, matéria prima fundamental denominada Clinquer Portland e a adição de gipsita (principal fonte para a obtenção do gesso), indispensável para regular o tempo de pega .

Cimento portland comum com adição de até 5% de pó calcário tem a designação de CP I-S. Para uso de construção de concretos em geral, quando não são exigidas propriedades especiais de cimento.

2- Cimento CP-II (NBR 11.578) ou Cimento Portland Composto Adição de outros materiais na sua

2- Cimento CP-II (NBR 11.578) ou Cimento Portland Composto

Adição de outros materiais na sua mistura

Representado por três opções:

a. CP-II E cimento Portland com adição de escória de alto forno

a.1- 6 a 34% de escória de alto forno e 0 a 10% de pó calcário

b. CP-II Z cimento Portland com adição de material pozolânico

b.1- 6 a 14% de pozolana e 0 a 10% de pó calcário

c. CP-II F cimento Portland com adição de material carbonático- fíler

c.1- Filler ou filler calcário é o material obtido através da moagem fina de calcário, basalto, materiais carbonáticos, etc. O filler possui uma granulometria muito fina, o que faz desse material uma ótima associação para aumentar a trabalhabilidade, diminuir a capilaridade e a permeabilidade de argamassas e concretos.

c.2- 6 a 10% de pó calcário Resistência: 25,32 e 40 MPa É aplicado em todas as obras. Atende na maioria das aplicações usuais

em todas as obras. Atende na maioria das aplicações usuais 3- Cimento CP-III (NBR 5.735) ou

3- Cimento CP-III (NBR 5.735) ou Cimento Portland de Alto-Forno

Possui propriedades de cimento hidráulico por conta da material escória de alto-forno granulada

moída e ativada. O cimento é composto de 35% a 70% deste material. Apresenta maior impermeabilidade e durabilidade, além de baixo calor de hidratação, assim como alta resistência à expansão devido à reação álcali-agregado, além de ser resistente a sulfatos. É menos poroso e mais durável. Vantajoso em obras de concreto-massa, tais como construção de barragens.

4- Cimento CP-IV (NBR 5.736) ou Cimento Portland Pozolanico As pozolanas são materiais de elevadas

4- Cimento CP-IV (NBR 5.736) ou Cimento Portland Pozolanico

As pozolanas são materiais de elevadas finuras e desordem cristalina. Cimentos que contêm clínquer Portland, gipsita, 15 a 50% de pozolana e 0 a 5% de pó calcario .

Por isso, proporciona estabilidade no uso com agregados reativos e em ambientes de ataque ácido, em especial de ataque por sulfatos. Recomendado para obras expostas à ação de agua corrente e para ambientes agressivos por suas propriedades de baixa impermeabilidade, alta durabilidade, alta resistência à compressão a idades avançadas, tempo máximo de início de pega, pouco poroso, resistente à ação da água do mar e de esgotos, possui baixo calor de hidratação o que torna bastante recomendável na concretagem de grandes volumes e sob temperatura elevadas.

concretagem de grandes volumes e sob temperatura elevadas. 5- Cimento CP-V ARI ( NBR 5.733) ou

5- Cimento CP-V ARI ( NBR 5.733) ou Cimento Portland de Alta Resistencia Inicial

Cimento Portland Comum preparado para apresentar resistências mais altas a baixas idades, deve apresentar resistência à compressão, a um dia de idade, igual ou superior a 11,0 MPa.

Assim como o CP I-S, ele pode conter até 5% de pó calcário. Utilizado em obras industriais que exigem um tempo de desforma menor e para fabricação de concreto (blocos lajes, tubos, etc.)

OUTROS TIPOS DE CIMENTO

1- Cimento RS (NBR 5.737) Resistente a Sulfatos

Deve apresentar resistência à compressão, a um dia de idade, igual ou superior a 11,0 MPa. A atividade do material pozolânico utilizado como adição, deve ser, nomínimo, de 75% à idade de 28 dias. Oferecem resistências aos meios agressivos sulfatados Qualquer um dos cinco tipos básicos de cimento, CP I, CP II, CP III, CP IV e CPV-ARI, pode ser considerados resistentes a sulfatos, onde eles são designados pelas siglas originais acrescida de RSEX.: CP III 32 RS ; CP V ARI RS.

2- Cimento Portland De Baixo Calor De Hidratação (BC) / (NBR 13.116)

Durante o processo de hidratação, o calor de hidratação no terceiro dia é até 260 J/g de cimento

e no sétimo dia até 300 J/g, Desde que atenda a NBR. Os tipos que atendem são o CP I, CP II, CP III, CP IV e CP V-ARI, onde eles são designados pelas siglas originais acrescidas de BC . São recomendados para grandes concretagens onde é indispensável o controle de fissuras de origem térmica, como em obras hidráulicas.

3-

Cimento Branco (NBR 12.989) ou Cimento Portland Branco (CPB)

É diferenciado pela cor característica branca, devido a sua menor porcentagem de óxido de ferro. Possui pega lenta e a mesma composição dos cimentos comuns, além das condições mais

severas de resfriamento. Apresentado em duas versões

3.a- ESTRUTURAL:atende os efeitos estéticos , refletindo os raios solares, transmite menos calor para o interior da obra. Apresentam resistência 25,32 e 40. 3.b- NÃO ESTRUTURAL: é recomentado para uso em argamassas e rejuntamentos.

APLICAÇÕES

Os cimentos passam a exercer melhor suas funções quando são aplicados conforme indicam suas características. Cimentos CP I e CP II, são de uso gerais Cimentos Portland CP III e CP IV estão ligadas à maior estabilidade, durabilidade e impermeabilidade que conferem ao concreto; ao menor calor de hidratação; à maior resistência ao ataque por sulfatos; à maior resistência à compressão em idades mais avançadas; e à maior resistência à tração e à flexão. Portanto, são recomendáveis em obras de concreto-massa, como barragens e peças de grandes dimensões, fundações de máquinas e pilares; obras em contato com ambientes agressivos por sulfatos e terrenos salinos; tubos e canaletas para condução de líquidos agressivos, esgotos ou efluentes industriais; concretos com agregados reativos, pois esses cimentos concorrem para minimizar os efeitos expansivos da reação álcali-agregado; pilares de pontes ou obras submersas em contato com águas correntes puras; obras em zonas costeiras ou em água do mar; pavimentação de estradas e pistas de aeroportos etc.

Já o ARI (CP V) é o mais adequado para aplicações nas quais o requisito de elevada resistência às primeiras idades é fundamental, como na indústria de pré-moldados, em que se necessita de uma desforma rápida. Esse tipo de cimento alcança uma boa resistência em uma semana, enquanto os demais levam um mês. “Como endurece rápido, se não for bem curado, pode apresentar fissuração ou trincas se a concretagem for feita sob insolação, em dias muitos secos ou com ventos, devido ao fenômeno da retração por secagem. Evite usá-lo em aplicações corriqueiras, como em revestimento de argamassa ou em concreto-massa, pois, nesses casos, pode também ocasionar fissuração”, orienta Battagin, gerente do laboratório da ABCP.

Aplicação

Tipos de cimento Portland

Argamassa de revestimento e assentamento de tijolos e blocos

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III) e Pozolânico (CP IV)

Argamassa de assentamento de azulejos e ladrilhos

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F) e Pozolânico (CP IV)

Argamassa de rejuntamento de azulejos e ladrilhos

Branco (CPB)

Concreto simples (sem armadura)

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III) e Pozolânico (CP IV)

Concreto magro (para passeios e enchimentos)

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III) e Pozolânico (CP IV)

Concreto armado com função estrutural

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV), de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI) e Branco Estrutural (CPB Estrutural)

Concreto protendido com protensão das barras antes do lançamento do concreto

Composto (CP II-Z, CP II-F), de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI) e Branco Estrutural (CPB Estrutural)

Concreto protendido com protensão das barras após o endurecimento do concreto

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV), de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI) e Branco Estrutural (CPB Estrutural)

Concreto armado para desforma rápida, curado por aspersão de água ou produto químico

de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI), Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV) e Branco Estrutural (CPB Estrutural)

Concreto armado para desforma rápida, curado a vapor ou com outro tipo de cura térmica

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV), de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI) e Branco Estrutural (CPB Estrutural)

Elementos pré-moldados de concreto e artefatos de cimento curados por aspersão de água

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV), de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI) e Branco Estrutural (CPB Estrutural) (VER NOTA) (*)

Elementos pré-moldados de concreto e artefatos de cimento para desforma rápida, curados por aspersão de água

de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI), Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F) e Branco Estrutural (CPB Estrutural)

Elementos pré-moldados de concreto e artefatos de cimento para desforma rápida, curados a vapor ou com outro tipo de cura térmica

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV) e Branco Estrutural (CPB Estrutural)

Pavimento de concreto simples ou armado

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III) e Pozolânico (CP IV)

Pisos industriais de concreto

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV) e de Alta Resistência Inicial (CP V-ARI)

Concreto arquitetônico

Branco Estrutural (CPB Estrutural)

Solo-cimento

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III) e Pozolânico (CP IV)

Argamassas e concretos para meios agressivos (água do mar e de esgotos)

de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV) e Resistente a Sulfatos

Concreto-massa

de Alto-Forno (CP III), Pozolânico (CP IV) e de Baixo Calor de Hidratação

Concreto com agregados reativos

Composto (CP II-E, CP II-Z, CP II-F), de Alto-Forno (CP III) e Pozolânico (CP IV)