Você está na página 1de 10

CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA

CARBOHIDRATOS-

ÍNDICE

I-RESUMO ...................................................................................................................................................................2
1.1-OBJECTIVOS .......................................................................................................................................................2
A) GERAIS .............................................................................................................................................................2
B) ESPECÍFICOS .....................................................................................................................................................2
II-INTRODUÇÃO TEÓRICA ...................................................................................................................................3
III. PARTE EXPERIMENTAL .................................................................................................................................4
1. MATERIAL, REAGENTES E APARELHOS .....................................................................................................4
2. PROCEDIMENTO ..................................................................................................................................................5
EXPERIÊNCIA 1-OXIDAÇÃO DA GLICOSE POR CR2O7 2- ..............................................................................5
EXPERIÊNCIA 2-CONFIRMAÇÃO DE PRESENÇA DE GRUPOS OH NA MOLÉCULA DE GLICOSE ...5
EXPERIÊNCIA 3-TESTE DE TROMMER. REDUÇÃO DE CU(OH)2 COM GLICOSE EM MEIO
ALCALINO ..................................................................................................................................................................5
EXPERIÊNCIA 4-TESTE DE TOLLENS OU TESTE DE ESPELHO DE PRATA ............................................6
EXPERIÊNCIA 5-REACÇÃO COM O REAGENTE DE FEHLING ...................................................................6
EXPERIÊNCIA 6-COMPARAÇÃO DA CAPACIDADE REDUTORA DE SACAROSE E LACTOSE...........7
EXPERIÊNCIA 7-TESTE DE SALIVANOV ...........................................................................................................7
EXPERIÊNCIA 8-REACÇÃO QUALITATIVA DO AMIDO ...............................................................................7
EXPERIÊNCIA 9-HIDRÓLISE FERMENTATIVA DO AMIDO SOB ACÇÃO DA AMÍLASE DA SALIVA8
EXPERIÊNCIA 10-HIDRÓLISE ÁCIDA DO AMIDO ..........................................................................................8
V-CONCLUSÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS................................................................................9
VI. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .............................................................................................................. 10

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 1
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

I-RESUMO

1.1-Objectivos
O presente relatório de trabalho laboratorial apresenta como objectivos:
a) Gerais
Análise qualitativa de carbohidratos
b) Específicos
Oxidação da glicose em meio ácido, confirmação da presença de grupos OH, teste de trommer,
teste de tollens, teste de fehling, comparação da capacidade redutora de sacarose e lactose, teste
de salivanov, hidrolise ácida e fermentativa do amido.
1.2 Resultados

Experiência Glicose Glicerina

Oxidação de glicose Formação de solução alaranjada


Confirmação da presença de Solução azul Solução azul
OH
Teste de Trommer Coloração vermelho-tijolo

Teste de tollens Formação de espelho de prata

Teste de fehling Coloração vermelho-tijolo

Sacarose Frutose
Capacidade reductora não ha reacção de redução Formação de cor
alaranjada
Teste de salivanov Formação de cor
avermelhada
Reacção qualitativa de amido Formou-se uma solução azul-violeta
Hidrólise ferment. de amido Formou-se uma solução azul-violeta

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 2
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

II-INTRODUÇÃO TEÓRICA

Os carbohidratos são substâncias orgânicas também chamadas de hidratos de carbono.


Esse nome foi dado por que nele estão presentes 2 átomos de hidrogénio, 1 de carbono e 1 átomo
de oxigénio. Sua fórmula empírica é (CH2O)n. Daí o nome carbo(carbono) hidrato (hidros=
água). ( http://pt.wikipedia.org/wiki/Carbohidrato)
Os nomes carbohidratos e hidratos de carbono explicam-se pelo fato de serem substâncias
constituídas, basicamente de carbono e água. Em alguns casos, podem também apresentar
nitrogénio (N) ou enxofre (S) na sua composição.
Os carbohidratos são a maior reserva de energia de todo o reino vegetal, sendo produto
do processo fotossintético. Por outro lado, no reino animal, os carbohidratos são encontrados em
pequenas quantidades no sangue, sob a forma de glicose, e no fígado e músculos, sob a forma de
glicogénio (R. Morrison & R. Boyd, 1993)
Os carboidratos são compostos orgânicos polihidroxilados que contém um grupo aldeído
ou um grupo cetona. Existem três categorias principais de carboidratos, distinguíveis pelo número
de unidades de açúcar: os monossacarídeos que não podem ser convertidos em outros açucares
por hidrólise ácida, os oligossacarídeos que consistem em cadeias curtas de unidades de açucares
e os polissacarídeos que consistem em cadeias longas (centenas ou milhares) de unidades de
açúcar.
Os monossacarídos ou açúcares simples constituem as moléculas dos carbohidratos, as
quais são relativamente pequenas, solúveis em água e não hidrolisáveis.Em geral, eles obedecem
à fórmula básica dos carbohidratos: (CnH2nOn).
Oligossacarídos ou açúcares pequenos são carbohidratos constituídos de duas a dez moléculas
de monossacarídeos. Interessa-nos, aqui, apenas aqueles formados por duas unidades de
monossacarídeos, também chamados dissacarídos.
Dissacarídos são açúcares constituídos, por ligação glicosídica, de dois monossacarídos
com desprendimento de uma molécula de água (síntese de desidratação).
A sacarose, o "açúcar de cana" ou de beterraba, é constituído por uma molécula de
glicose ligada a uma frutose. A maltose é um dissacarído, pois é formada por duas moléculas de
glicose. A lactose é encontrada somente no leite. Resulta da união de uma glicose com uma
galactose. (R. Morrison & R. Boyd, 1993)

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 3
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

Os polissacarídos ou açúcares múltiplos são carbohidratos formadas pela união de mais


de dez moléculas monossacarídas, constituindo, assim, um polímero de monossacarídeos,
geralmente de hexoses. Ao contrário dos monos e dos dissacarídos, os polissacarídos são
insolúveis em água; não alteram, pois, o equilíbrio osmótico das células e se prestam muito bem
à função de armazenamento ou reserva nutritiva.
Amido é principal produto de reserva nutritiva vegetal, o amido é geralmente encontrado
em órgão de reserva nutritiva, como raízes do tipo tuberosa (mandioca, batata doce), caules do
tipo tubérculo (batatinha), frutos e sementes, Constitui um polímero de glicose com ligação
glicosídica.
Glicogênio polissacarído de reserva nutritiva dos animais, o glicogênio é encontrado,
principalmente, nos músculos. Também é produto de reserva dos fungos. Constitui um polímero
de glicose (mais ou menos 30.000 resíduos de glicose) com ligação glicosídica e várias
ramificações. (R. Morrison & R. Boyd, 1993)
Polissacarídos estruturais entram na formação de algumas estruturas do corpo dos seres
vivos. Os mais importantes são a celulose e a quitina.
III. PARTE EXPERIMENTAL

1. MATERIAL, REAGENTES E APARELHOS


a) Material  Glicose, 5%
 Copo de 100 ml  NaOH a 2M
 Copo de 250 ml  CuSO4, 0,1M
 Vidro de relógio  NH4OH, 10%
 Termómetro  AgNO3, 5%
 Vareta de vidro  K2Cr2O7, 5% em H2SO4 2M
 Tubos de ensaio  Sacarose, 1%
 Proveta graduada  Reagente de Fehling, A e B
 Manta eléctrica  Glicerina
 Bico de bunsen  Reagente de Selivanov
 Esguicho com água  Lactose, 1%
b) Reagentes  Fructose, 5%

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 4
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

 Amido, 0,5%  I2, em KI


 H2SO4 2N
2. PROCEDIMENTO

Experiência 1-Oxidação da glicose por Cr2O7 2-


Adicionou-se 3 gotas da solução de bicromato de potássio(cor de laranja) a 5% em ácido
sulfúrico de 2M à solução de glicose (incolor) com concentração de 5%. Ao misturar as duas
soluções a solução resultante ficou com uma cor alaranjada. Submeteu-se a aquecimento no
banho maria a 40º-60º C durante 1 minuto e a solução ficou alaranjada clara.
C6H12O6 + 4Cr2O72- + 32H+→6CO2 + 22H2O + 8Cr3+
Experiência 2-Confirmação de presença de grupos OH na molécula de Glicose
Colocou-se num tubo de ensaio uma gota da solução de glicose a 5%, seis gotas de hidroxido de
sódio 2M (incolor) e duas gotas da solução de sulfato de cobre 0,2 M, tendo-se formado um
precipitado azul que se dissolveu dando uma solução azul.
Repetiu-se a experiência substituindo a glicose por glicerina e observou-se também a formação
de um precipitado azul que rapidamente se dissolveu e formou-se uma solução azul esverdeada.

CHO

O-
O
-O
+ CuSO 4
NaOH Cu 2+ CH2 OH CH2 O-
O-
NaOH CH
CH OH + CuSO4 O- Cu2+
O-
incolor
O- CH2 OH CH2 O-
azul azul

Este teste permitiu verificar a presença de grupos hidroxilo na glicose e na glicerina.

Experiência 3-Teste de Trommer. Redução de Cu(OH)2 com glicose em meio alcalino


Adicionou-se à solução azul obtida na experiência 2 algumas gotas de água até um nível
no tubo de ensaio de 18-20mm. Aqueçeu-se a solução obtida no bico de bunsen até quase o
ponto de ebulição. A cor da parte superior da solução mudou de azul para amarelo avermelhado.

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 5
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

CHO COO- Na+


O- OH
O
-O H2O HO
+ CuSO4
NaOH Cu2+ + Cu2O
O- aquecimento OH amarelo-avermelhado
O- OH
incolor
O- OH
azul

Experiência 4-Teste de Tollens ou teste de espelho de prata


Adicionou-se hidróxido de amónia a 10%(incolor) à cerca de 1ml de solução de nitrato de
prata(creme) em tubo livre de gordura até que o precipitado formado fosse dissolvido.
Adicionou-se 1 ml da solução de glicose e procedeu-se a aquecimento em banho-maria á 75º-
80ºC por 5 min e ocorreu a formação de um espelho de prata.
AgNO3 + 3NH4OH →Ag(NH3)2OH + NH4NO3

CHO
COO-
OH
OH
HO
HO +Ag + NH4+ + H2O
+ Ag(NH3)2OH
OH
OH
OH
OH
OH
OH

Experiência 5-Reacção com o reagente de Fehling


Colocou-se num tubo de ensaio 0,5ml de reagente de Fehling A(solução de sulfato
Cúprico-cor azul) e 0,5ml de reagente de Fehling B(solução de tartarato de sódio e potássio-
KNaC4H4O6.4H2O, incolor), a solução final ficou azul carregado. Adicionou-se a esse tubo 6
gotas da solução de glicose 5%, misturou-se e aqueçeu-se em banho maria, a solução obtida da
mistura ficou de cor azul marinho e durante o aquecimento a solução mudou rapidamente para
vermelho-tijolo.
Fehling A + Fehling B→CuO

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 6
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

CHO COO-

OH OH

HO HO
+ CuO + Cu 2 O
OH OH vermelho-tijolo
OH OH

OH OH

Experiência 6-comparação da capacidade redutora de sacarose e lactose


Tomou-se dois tubos de ensaio, colocou-se num dos tubos 1 gota de solução de sacarose
1% e no outro 1 gota de solução de lactose 1%. Adicionou-se aos tubos de ensaio 6 gotas de
NaOH 2N, algumas gotas de água até um nivel de 20mm e 1 gota de CuSO4 0,2M; submeteu-se
os dois tubos a aquecimento no bico de bunsen: a sacarose não mudou de cor e a lactose mudou
de cor de incolor para alaranjada, disto pode-se concluir que a lactose é um açúcar redutor.

Experiência 7-Teste de salivanov


Adicionou-se 5-6 gotas da solução de frutose à 5ml do reagente de selivanov (0,5g de
resorcina dissolvida em 100ml de HCl 1:1), ferveu-se em banho-maria por 30 seg. E a solução
ficou com coloração vermelha, o que indica a presença de uma cetose.
No teste de Seliwanoff ocorrem duas reações: a primeira é a de desidratação do
carboidrato pelo HCl concentrado aquecido. Para as hexoses o produto de desidratação é o
mesmo: hidroximetilfurfural. A segunda reação é a que se dá entre o hidroximetilfurfural recém
formado e o resorcinol, que dá origem a um produto de estrutura complexa e de coloração rósea
ou cereja, dependendo da concentração do mesmo.

Experiência 8-Reacção qualitativa do Amido


Deitou-se num tubo de ensaio 5 gotas duma solução de amido 0,5%(incolor) e uma gota
duma solução de iodo(castanho) muito diluída. E formou-se uma solução azul-violeta, aqueçeu-
se a mistura em banho maria e a solução manteve a sua cor.

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 7
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

Experiência 9-Hidrólise fermentativa do amido sob acção da amílase da saliva


Deitou-se num tubo de ensaio 5 gotas de amido 0,5%, igual volume de saliva e agitou-se
bem. A solução ficou incolor. Colocou-se 1 gota da solução no vidro de relógio e adiconou-se 1
gota de solução de iodo em iodeto de potássio muito diluída. Com a adição de iodo a solução
ficou azul-violeta, o que significa que o amido havia sido inicialmente degradado nos seus
produtos de hidrólise: glicose e maltose que dão coloração azul a solução de iodo.

Amido amilase
→ glicose e maltose
Experiência 10-Hidrólise ácida do amido
Tomou-se 6 tubos de ensaio, adicionou-se água até 1/3 do volume e adicionou-se 1 gota
de solução de iodo a cada tubo obteve-se solução castanha clara. Pegou-se mais 6 tubos de
ensaio e adicionou-se 10 gotas de NaOH 2M em cada tubo.
Num copo de 100 ml misturou-se 10ml de amido com 6ml de ácido sulfúrico 2N, aqueceu-se o
copo em banho maria e foi-se tirando 2 ml a cada 2 minutos e adicionou-se 1ml ao tubo contendo
iodo e 1ml no tubo contendo NaOH; depois adicionou-se 5 gotas de reagente de Fehling em cada
tubo com NaOH e aqueceu-se em banho maria.
Nos tubos contendo iodo a solução ficou azul claro e nos tubos contendo NaOH a solução ficou
incolor.

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 8
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

V-CONCLUSÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS

Os resultados experimentais permitem claramente verificar que: a glicose é um açúcar


redutor capaz de reduzir oxidantes fortes como o bicromato de potássio, o que foi verificado pela
mudança de cor da solução de incolor para alaranjado devido a presença de iões Cr3+.
Na experiência 2 a formação de soluções azuis (na glicose e glicerina) mostra a presença
de mais de dois grupos hidroxilo nas moléculas em estudo.
Na experiência 3 a oxidação de glicose em meio alcalino resulta numa solução de
coloração característica vermelho-tijolo devido a presença de Cu2O (Cu+). A degradação
posterior do ácido glucorónico (ácido glicérico, glicólico e fórmico) deve-se ao meio alcalino.
Na experiência 4 o teste de tollens na glicose resultou na formação de uma solução
amarelada que após aquecimento da o espelho de prata, devido a redução dos iões Ag+ e a
deposição de prata.
Na experiência 5 no teste de fehling o aparecimento da coloração vermelho tijolo é
resultado da redução de Cu2+ a Cu+. Esta reacção comprova que a glicose é açúcar redutor. Na
experiência 6 a lactose formou uma solução alaranjada e na sacarose não ocorreu mudança, isto
comprova que a lactose é um açúcar redutor e a sacarose não. A sacarose é um açúcar não
redutor porque não tem grupos aldeídicos ou cetônicos livres e nem potencialmente livres. Estes
grupos apesar de presentes nos seus monômeros (glicose e frutose) desaparecem com a formaçao
da ligação glicosídica α-1,2 da sacarose.
Na experiência 7 a adição de reagente de selivanov a frutose dá uma solução com
coloração avermelhada o que comprova a presença de uma cetose.
Na experiência 8 o aparecimento da coloração azul violeta comprova que a solução
usada era amido, esta coloração deve-se a formação de um complexo entre o amido.
Na experiência 9 a hidrolise fermentativa do amido sob acção da amilase da saliva dá
numa solução incolor e que com o iodo a solução fica uma cor azul-violeta devido a obtenção da
glicose e da maltose.
Os testes de tollens e fehling permitem distinguir açucares redutores de não redutores. O
teste de selivanov permite identificar cetoses. O teste de iodo permite identificar o amido e
distingui-lo de outros polissacarideos.

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 9
CARBOHIDRATOS-ANÁLISE QUALITATIVA
CARBOHIDRATOS-

VI. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 Morrison, Robert T.. Boyd, Robert N. Química Orgânica. Fundação Calouste


Gulbenkian. 10a edição. 1993.
 Guião de aulas laboratoriais de Bioquímica: Carbohidratos
 Carbohidratos, acessado em http://pt.wikipedia.org/wiki/Carbohidrato no dia
17.03.2009.

Fernando, E dson B ras; Conjo, E ugenio N arciso; N ham uave, Felisberto A lberto 10