Você está na página 1de 49

Agregados Macroeconômicos

Introdução à Economia - Prof. Ana Cláudia Annegues

Curso de Relações Internacionais-UEPB

Abril, 2018

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 1 / 49


Referências

Rosseti, Cap. 11
Mankiw, Cap. 23
Lopes, L.M.;Vasconcellos,M. Manual de Macroeconomia: equipe de
professores da USP, 2009.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 2 / 49


Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 3 / 49


Introdução

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 4 / 49


Introdução

Conceitos e Objetivos

Macroeconomia
Estudo da economia no agregado.

Agregados Macroeconômicos
Resultados da mensuração da atividade econômica considerada como um
todo.

Contabilidade Social
Metodologia sistematizada de levantamentos e de contabilização do
todo.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 5 / 49


Histórico

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 6 / 49


Histórico

Histórico

Inı́cio da grande depressão e o término da Segunda Grande Guerra


(décadas de 30-40): desenvolvimento da metodologia de mensuração
da atividade econômica como um todo, a sua padronização e a sua
difusão internacional.

Motivos
O planejamento de polı́ticas antidepressão, capazes de dar
sustentação a elevados e permanentes nı́veis de emprego e de
produção.
Conhecimento da estrutura e do potencial dos sistemas econômicos
nacionais.
O suprimento de dados agregados, internacionalmente comparáveis,
para uso de entidades multilaterais que se originaram no pós-guerra,
como a Organização das Nações Unidas, o Fundo Monetário Inter-
nacional e o Banco Mundial.
Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 7 / 49
O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 8 / 49


O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

Produto Nacional
Soma de todos os bens e serviços finais produzidos na economia durante
determinado perı́odo de tempo.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 9 / 49


O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

A complexidade das transações econômicas requer esforços de classificação


e sistematização de alguns conceitos:
Classificação dos agentes econômicos - unidades familiares, empre-
sas e governo; interdependência de produção, renda e dispêndio

Conceito de Valor Adicionado


Em uma economia industrial avançada e mesmo na maior parte das
economias emergentes, produz-se um imenso conjunto de bens e
serviços, originários de atividades primárias, secundárias e terciárias
de produção.
Duas dificuldades surgem: i) como mensurar essa produção
ii) como evitar que os bens e serviços que entram na produção de
outros bens e serviços sejam computados duas ou mais vezes, supe-
restimando o valor bruto da produção.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 10 / 49


O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

Conceito de Valor Adicionado


Solução: a expressão do conjunto será em unidades monetárias.
Solução para a dupla contagem: distinção entre produção e valor
adicionado.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 11 / 49


O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 12 / 49


O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

Valor Adicionado e Produto Nacional


Valor adicionado é a diferença entre o valor das saı́das e o dos
suprimentos. Ele corresponde aos custos internos de processamento
em que as empresas incorrem, remunerando os recursos de produção
por ela mobilizados.

Valor adicionado e produto, sob óptica macroeconômica, são ex-


pressões equivalentes.

O Produto Nacional resulta da soma dos valores adicionados (ou


dos produtos) de todas as empresas que compõem o aparelho de
produção da economia nacional.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 13 / 49


O Conceito de Renda Nacional

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 14 / 49


O Conceito de Renda Nacional

O Conceito de Renda Nacional

A geração do Produto Nacional ocorre simultaneamente com os pa-


gamentos que totalizam a Renda Nacional.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 15 / 49


O Conceito de Renda Nacional

O Conceito de Renda Nacional

Valor adicionado e remunerações pagas aos recursos de produção são


expressões equivalentes.

As remunerações pagas aos recursos de produção são fluxos de renda


que saem das empresas e se destinam a unidades familiares.

Renda Nacional é a soma das remunerações pagas aos recursos de


produção. É uma grande totalização dos custos dos recursos.

Valor adicionado = produto = custos = renda. Assim, Produto


Nacional = Renda Nacional.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 16 / 49


O Conceito de Dispêndio Nacional

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 17 / 49


O Conceito de Dispêndio Nacional

O Conceito de Dispêndio (Despesa) Nacional

Os bens e serviços produzidos destinam-se a duas grandes categorias


de dispêndio: o consumo e a acumulação.

Consumo associa-se à ideia de ”destruição”da riqueza.

Acumulação está ligada ao processo de formação de capital produtivo


(investimento)

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 18 / 49


O Conceito de Dispêndio Nacional

O Conceito de Dispêndio (Despesa) Nacional

A soma do consumo e da acumulação é igual ao Dispêndio Nacio-


nal.

A Renda, o Produto e o Dispêndio Nacional são expressões conta-


bilmente equivalentes. São três abordagens diferentes, ou caminhos
diferentes de avaliação, que conduzem a mensurações iguais.

Para que esta trı́plice igualdade se realize, o total dos investimen-


tos em acumulação deve igualar-se ao total da renda poupada, não
consumida.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 19 / 49


O Conceito de Dispêndio Nacional

Do produto ao dispêndio nacional

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 20 / 49


Fluxos Macroeconômicos

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 21 / 49


Fluxos Macroeconômicos Economia Fechada e Sem Governo

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 22 / 49


Fluxos Macroeconômicos Economia Fechada e Sem Governo

Economia Fechada e Sem Governo

Os Fluxos do Produto
Economia com três setores: primário, secundário e terciário.

Esse valor NÃO é o Produto Nacional


Esta forma de mensuração é uma superestimação, pois estão aı́ incluı́das
as transações intra e interatividades.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 23 / 49


Fluxos Macroeconômicos Economia Fechada e Sem Governo

Economia Fechada e Sem Governo

Os Fluxos do Produto
O Produto Nacional, depurado das transações intra e interatividades, é
expresso pela diferença entre o valor total das saı́das dos bens e serviços
produzidos e o valor dos fornecimentos intermediários

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 24 / 49


Fluxos Macroeconômicos Economia Fechada e Sem Governo

Economia Fechada e Sem Governo

Fluxo da Renda
Estes pagamentos totalizam os custos dos recursos, diferenciando-se dos
pagamentos por transações intermediárias que se referem aos custos de
suprimentos.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 25 / 49


Fluxos Macroeconômicos Economia Fechada e Sem Governo

Acumulação = Poupança + Depreciação


A poupança financia parte do investimento. A outra parte corresponde à
depreciação.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 26 / 49


Fluxos Macroeconômicos Economia Fechada e Sem Governo

Economia Fechada e Sem Governo

Fluxo da Renda
As depreciações têm o significado de reduções de riqueza acumulada.

Elas indicam o valor estimado do desgaste, da obsolescência e dos


danos acidentais a que estão sujeitos os bens de capital mobilizados
no processamento da produção.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 27 / 49


Fluxos Macroeconômicos Economia Fechada e Sem Governo

Economia Fechada e Sem Governo

Fluxos do Dispêndio

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 28 / 49


Fluxos Macroeconômicos Economia Fechada e Sem Governo

Economia Fechada e Sem Governo


Resumo dos fluxos macroeconômicos

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 29 / 49


Fluxos Macroeconômicos A Introdução do Governo

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 30 / 49


Fluxos Macroeconômicos A Introdução do Governo

A Introdução do Governo

Os Fluxos de Receita do Governo


De um lado, o governo interage com as unidades familiares e as em-
presas, arrecadando tributos; de outro lado, despendendo as receitas
tributárias.

De sua ação econômica, resultam impactos de várias ordens: uns re-


primem a capacidade aquisitiva das unidades familiares e o potencial
de acumulação das empresas; outros expandem a renda agregada;
outros ainda tanto podem comprimir quanto expandir os nı́veis cor-
rentes do dispêndio agregado.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 31 / 49


Fluxos Macroeconômicos A Introdução do Governo

Os Fluxos de Receita do Governo


As receitas do governo agrupam-se em três categorias:
Tributos diretos: Englobam a arrecadação tributária que incide so-
bre ativos e rendas das unidades familiares e das empresas. Ex.:
Impostos sobre heranças e sobre propriedades urbanas e rurais, im-
posto de renda.

Tributos indiretos: Esses tributos oneram as transações inter-


mediárias e finais. Eles são incorporados aos preços dos bens e
serviços transacionados. Ex: ICMS

Outras receitas correntes: Um amplo conjunto de receitas não


tributárias do governo, como taxas, dividendos, laudêmios e vários
fluxos de recebimentos originários de ativos públicos mobiliários e
imobiliários.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 32 / 49


Fluxos Macroeconômicos A Introdução do Governo

A Introdução do Governo
Dispêndio do Governo
As quatro categorias são:
Consumo: Manutenção da estrutura organizacional do setor público.
Ex: pagamentos de pessoal, gastos com a aquisição de bens e
serviços destinados às atividades exercidas nas repartições públicas.

Investimentos: São caracterizados por adições ao estoque de capital


da economia. Ex: Obras públicas como açudes, barragens e sistemas
de irrigação; equipamentos de infraestrutura urbana.

Transferências: São pagamentos unilaterais feitos pelo governo,


sem a contrapartida corrente dos agentes beneficiados. Ex: bolsa
famı́lia, auxı́lio gás.

Subsı́dios: Pagamentos que fluem do governo para as empresas,


para permitir à sociedade acesso a determinados bens e serviços.
Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 33 / 49
Fluxos Macroeconômicos A Introdução do Governo

Impactos da Introdução do Governo

O governo estabelece impostos indiretos, incidentes sobre as transações


lı́quidas de suprimentos e saı́das de produtos, e estes se somam aos valores
adicionados, passando a fazer parte dos preços de mercado dos produtos
finais.
Dois novos conceitos de Produto:
Produto ao custo dos recursos: totaliza os pagamentos das empre-
sas pelos recursos de produção fornecidos pelas unidades familiares.

Produto a preços de mercado: adiciona ao custo dos recursos as


depreciações e os tributos indiretos lı́quidos.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 34 / 49


Fluxos Macroeconômicos A Introdução do Governo

Impactos da Introdução do Governo

Impacto sobre a renda agregada


Renda disponı́vel = Renda - Tributos + Transferências
Enquanto os tributos diretos reduzem a renda agregada disponı́vel
das famı́lias, as transferências a ampliam.

Impacto sobre o dispêndio


Os bens e serviços finais produzidos passam a ser consumidos e acumu-
lados pelas unidades familiares, empresas e governo.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 35 / 49


Fluxos Macroeconômicos A Introdução do Governo

Impactos da presença do governo nos conceitos e nos fluxos de produto,


renda e dispêndio:

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 36 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Sumário

1 Introdução

2 Histórico

3 O Conceito de Valor Adicionado: o Produto Nacional

4 O Conceito de Renda Nacional

5 O Conceito de Dispêndio Nacional

6 Fluxos Macroeconômicos
Economia Fechada e Sem Governo
A Introdução do Governo
Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 37 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Um Modelo Completo de Economia Aberta

Economia aberta designa sistemas nacionais que mantêm transações


econômicas com outras nações.

Para os propósitos da Contabilidade Social, as transações reais com o


exterior são agrupadas em quatro grandes categorias de fluxos:
Exportações de mercadorias e serviços.

Importações de mercadorias e serviços.

Resultado lı́quido dos pagamentos-e-recebimentos pelo emprego de


recursos de produção.

Saldo das transações correntes.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 38 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Um Modelo Completo de Economia Aberta

Exportações incluem as vendas de mercadorias para o exterior e as re-


ceitas cambiais com serviços prestados a estrangeiros
Importações incluem as compras de mercadorias, as despesas cambiais
com serviços adquiridos de estrangeiros
Pagamentos-e-recebimentos pelo emprego de recursos de produção
incluem remunerações como salários, juros, arrendamentos e aluguéis, pa-
tentes, direitos autorais e lucros, remetidos ou recebidos do exterior.
O resı́duo final desses fluxos é o saldo do balanço internacional de
pagamentos em transações correntes.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 39 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Um Modelo Completo de Economia Aberta

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 40 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Um Modelo Completo de Economia Aberta

A Renda Interna Disponı́vel totaliza os pagamentos pelos recursos interna-


mente mobilizados, independentemente de pertencerem ou não à nação. Já
a Renda Pessoal Disponı́vel exclui as remessas para o exterior e soma os
recebimentos.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 41 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Um Modelo Completo de Economia Aberta


Fluxo de recursos em uma economia completa

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 42 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Conceitos Agregados Convencionais

A Diferença entre ”Interno” e ”Nacional”


Trata-se de adjetivos que identificam o que pertence ou não à nação e os
fluxos de que ela efetivamente se apropria ou que transfere para outras
nações.

Interno associa-se ao de território econômico. Este é constituı́do


pelo território terrestre, o espaço aéreo e as águas territoriais do
paı́s, os enclaves extraterritoriais mantidos no exterior por força de
acordos internacionais.

Nacional associa-se à nacionalidade.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 43 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Conceitos Agregados Convencionais

Produto Interno vs Produto Nacional


Produto Interno (ou Renda Interna): O produto e a renda gerados
dentro do território econômico de um paı́s.

Produto Nacional (ou Renda Nacional): Produtos gerados pelos


recursos de propriedade de uma nação, os fluxos de renda por ela
apropriados e os dispêndios que ela realiza, independentemente das
bases territoriais onde ocorram.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 44 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Conceitos Agregados Convencionais


PIB, PNB, PNL, RN e RPD

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 45 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Conceitos Agregados Convencionais

PIB, PNB, PNL, RN e RPD

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 46 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

Questões de Revisão

1. O que são e a que se referem os agregados macroeconômicos?


2. As avaliações agregativas têm, para uma economia como um todo, pa-
pel semelhante ao dos registros estatı́sticos e contábeis das empresas. Os
agregados indicam os resultados do esforço de produção, os ı́ndices de cres-
cimento da economia, os valores totalizados e a evolução dos gastos em
consumo e investimento, por agentes privados e pelo governo. Em tais
condições, indique quem poderia interessar-se por informações deste tipo e
qual, realmente, sua importância.
3.Recorrendo a um quadro esquemático de entradas-processamento-e-saı́das:
(a) conceitue valor adicionado; (b) correlacione esse conceito ao de custos
de processamento; e (c) indique quais os custos que o integram, em uma
economia fechada sem governo.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 47 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

4. Em janeiro, a associação das montadoras de veı́culos distribuiu à im-


prensa um press–release anunciando o valor de suas vendas totalizadas no
ano anterior. Como já havia sido divulgada a estimativa do Produto In-
terno Bruto, a montadora comparou suas vendas, de US$75 bilhões, ao PIB
de US$950 bilhões. Concluindo, afirmou que as empresas do setor realiza-
ram um produto equivalente a 7,9% do PIB (75 em relação a 950). Você
concorda com essa avaliação? Ou ela tem um viés conceitual? Justifique.
5. Explique a equivalência dos conceitos de produto, de renda e de dispêndio.
E explique por que, não ocorrendo ?vazamentos?, os três se igualam ao longo
do tempo.
6. A participação do governo no processo econômico se estabelece, entre
outras categorias de receitas e de dispêndios, através da cobrança de tribu-
tos indiretos e diretos e do pagamento de subsı́dios e transferências. Que
diferenças existem entre estas quatro categorias, do ponto de vista de seus
impactos positivos e negativos nos fluxos agregados?

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 48 / 49


Fluxos Macroeconômicos Um Modelo Completo de Economia Aberta

7. Diferencie os seguintes conceitos de produto: (a) ao custo de recursos e


a preços de mercado; (b) bruto e lı́quido; (c) interno e nacional.
8. O Produto Nacional Bruto é superior ao Produto Interno Bruto dos
Estados Unidos. No Reino Unido também é assim. Já no Brasil o PIB é
superior ao PNB. Explique as razões. E justifique por que, para a economia
mundial como um todo, os dois conceitos são iguais, indicando-se pela
denominação única de Produto Mundial Bruto.

Ana Cláudia (Relações Internacionais-UEPB) Agregados Macroeconômicos 04/2018 49 / 49