Você está na página 1de 2

Ficha Formativa 2014/2015

Geografia

DINÂMICA
DINÂMICA DO LITORAL

O litoral e a ação erosiva do mar

1. Lê com atenção o documento A.


DOCUMENTO A
O relevo do litoral,
litoral e em particular da linha de costa,
costa, está em constante evolução. Essas alterações dependem principalmente das
características das rochas da costa e da abrasão marinha.
marinha Nas áreas de costa alta (sobretudo nas arribas),
arribas), a ação erosiva do mar acontece
sobretudo na base das vertentes/encostas, que vão sendo como que “cavadas” pelo mar; consequentemente, a parte superior da vertente
ve
deixa de ter apoio e acaba por se desmoronar; por sua vez, os fragmentos rochosos resultantes
resultantes do desmoronamento acumulam-se
acumulam na base
da arriba, formando-se assim uma plataforma de abrasão.
abrasão
As correntes marítimas e os cursos de água exercem essencialmente uma ação de transporte e de acumulação dos materiais rochosos
rochos
(cascalho, areia), muitos dos quais se depositam na costa. Quando a acumulação dos materiais ocorre junto da costa, em lugares abrigados
originam-se habitualmente praias.
praias. Noutros casos, a deposição de materiais faz-se
faz se junto da costa, em estreitas faixas arenosas que
penetram pelo mar dentro, formando cordões litorais.
litorais. No caso dos cordões litorais avançarem diante de uma baía,
baía forma-se um haff e
quando estes se apoiam sobre uma ilha ou um cabo de rochas duras formam uma restinga (ou cabedelo). Sempre que um cordão litoral
liga uma ilha à costa, origina um tômbolo.
tômbolo
Outras formas de relevo do litoral (resultantes da acumulação de sedimentos) podem surgir da ação conjunta dos rios e dos oceanos,
oce como
é o caso dos deltas e dos estuários.
estuários. Os deltas surgem quando a maioria dos materiais transportados
transportados pelos rios se acumulam junto à foz e o
obrigam a dividir-se
se em vários “ramos” (canais), devido ao facto das marés serem pouco vigorosas; um estuário surge quando as marés são
suficientemente fortes para invadir a caleira fluvial/aluvial
fluvial e assim atirar
ar uma parte dos sedimentos para as margens e arrastar outros
para o mar - daí que num estuário a foz do rio apresente um único canal (“braço”) de comunicação com o mar.
As alterações na linha de costa podem também resultar de movimentos da crusta terrestre
terrestre e de subidas ou descidas do nível do mar
(regressão
regressão e transgressão marinhas),
marinhas), em consequência das alterações climáticas. A ação do Homem, através das suas atividades
(construção urbanística e viária, de portos, etc.) é cada vez mais importante na transformação
transformação do relevo do litoral.

1.2. Distingue litoral de linha de costa.


1.3. Indica e define os dois grandes tipos de costa.
1.4. Define abrasão marinha.
1.5. Indica as principais formas de relevo do litoral.
1.6. Refere os fatores que influenciam a evolução do relevo do litoral.

2. Observa a figura 1 e relê o primeiro parágrafo do documento A.


FIGURA 1

2.1. Explica o processo


de evolução e recuo de uma
arriba e a formação de uma
plataforma de abrasão.

3. Considera a figura 2 e o segundo e terceiro parágrafos do documento A.

FIGURA 2
3.1. Associa as formas de relevo (do litoral)
presentes no quadro 1 às letras assinaladas na
figura 2.
QUADRO 1

Delta Praia
Laguna Cabo
Restinga Baía
Tômbolo Arriba
Estuário

Página 1 de 2
P. Mª Anjos Esteves
Ficha Formativa 2014/2015
Geografia

O relevo do litoral português


4. Lê atentamente o documento B.
DOCUMENTO B
Portugal continental possui uma costa extensa (mais de 848 km), mas de configuração retilínea.
As principais reentrâncias correspondem aos estuários dos rios Tejo e Sado, às baías de Peniche, S.
Martinho do Porto e Sines, e a formas de tipo lagunar, como a “ria” de Aveiro e a “ria” Formosa (Faro).
As saliências mais importantes, que pouco penetram no
n oceano, são em pequeno número,
destacando-se
se os cabos Mondego, Carvoeiro, da Roca, Espichel, de Sines e de S. Vicente. Em algumas
áreas, a costa é alta e rochosa (arribas). Tal sucede quando o mar contacta com as rochas duras
(granitos e xistos) de formação
ção antiga ou quando junto à costa se situam elevações calcárias de
formação recente. Estas arribas podem ter mais de 50 m de altura, mas coexistem com arribas de
dimensão média. Nas áreas onde o mar contacta com rochas brandas (argilas, areias e arenitos) ou
onde existem reentrâncias favoráveis à deposição, a costa é baixa e arenosa.
Nos arquipélagos dos Açores e da Madeira, situados em pleno Atlântico, o litoral é formado quase na
totalidade por arribas escarpadas, de rochas vulcânicas, raramente intercaladas
intercal por praias de pedras
grandes e arredondadas.
Em determinados locais, a costa portuguesa apresenta algumas particularidades, conforme se pode
ver na imagem ao lado.

4.1. Caracteriza sumariamente o relevo do litoral português.


4.2. Indica as principais formas de relevo do litoral português.

5. Considera as figuras 3, 4, 5, 6 e 7 que representam os principais “acidentes” de relevo do litoral português.

FIGURA 3 FIGURA 4 FIGURA 5 FIGURA 6 FIGURA 7

Cabo

Lido ou laguna de Faro Haff – delta de Aveiro Restinga do Douro Tômbolo de Peniche Concha de S. M: do Porto

5.1. Associa as frases A, B, C, D e E aos “acidentes” de relevo do litoral português representados nas figuras 3, 4, 5, 6 e 7.

A. Resulta do apoio dos cordões litorais de areias (grande parte delas de origem fluvial) sobre um cabo de rochas duras.
B. Resulta de um processo de acumulação de sedimentos de origem marinha, depositados pelas correntes marítimas, e de origem fluvial
fluv
(transportados pelo rio Vouga). Foi-se,
se, assim, formando um cordão litoral
litoral de areias paralelo à linha de costa (de sentido norte-sul
norte e
sul-norte)
norte) que quase impede o contacto entre o rio e o mar.
C. Resulta da acumulação de sedimentos marinhos, numa área marítima pouco profunda, entre o litoral e a antiga ilha de Peniche. Essa
acumulação resultou na ligação da antiga ilha à parte continental.
D. Era um antigo e largo golfo, cuja área foi diminuindo devido à acumulação de sedimentos marinhos, originando numa pequena baía
baí
ou enseada em forma de concha.
E. Resulta dos sedimentos arrastados
os por uma corrente marítima (oeste-este)
(oeste este) e de alguns materiais trazidos pelas pequenas linhas de
água (doce) cuja acumulação originou a formação de cordões litorais alongados e uma série de pequenas ilhas, mas que permitem o
caminho para o mar.

6. Sabias que…
Principais problemas da costa portuguesa Algumas medidas de proteção
Superpovoamento e as necessárias infraestruturas habitacionais e viárias.
Superpovoamento Elaborar Planos de Ordenamento da Orla Costeira.
Elaborar
Ocupação excessiva da faixa litoral com estruturas de lazer e de recreio.
Ocupação Elaborar Cartas de Risco do Litoral.
Elaborar
Implementação de pesadas estruturas
turas de engenharia junto da costa. Acionar planos de recuperação das dunas.
Acionar
Diminuição da quantidade de sedimentos que chegam ao litoral devido à
Diminuição Acionar planos estabilização das arribas.
Acionar
construção de barragens nos grandes rios. Construir barreiras de proteção: esporões (groins),
Construir
Destruição das defesas naturais do litoral, como as dunas (causas: pisoteio,
Destruição paredões (sea wall) e quebra-mares
quebra (breakwater).
arranque da cobertura vegetal e extração de inertes).

As regiões costeiras mais ameaçadas localizam-


localizam-se no Norte e no Algarve.

Página 2 de 2
P. Mª Anjos Esteves