Você está na página 1de 15

2015.07.

27

Medidas por relações hipotéticas

1. Por teoria – mais forte se formular e comprovar hipóteses


2. Por hipótese – de relações
3. Por lei – empiricamente testada
Toda teoria tem hipótese, mas pode não ter lei.
Derivada – leis de relação perfeita = função

Psicometria – uma das formas de medida por teoria – método experimental - Faz correlação
de comportamentos (variáveis)

Psicologia fatorialista – busca as unidades funcionais da psique para descrever os


comportamentos, as diferenças das pessoas e prognosticar comportamentos futuros.

Abarca todos os postulados revisados

Objeto de estudo - Traços psicológicos latentes

1. Sistema: que pode ser universal (objeto imediato de interesse da psicometria). Ex.:
psique / inteligência
Sistema universal e subsistema local. Ex.: Inteligência (sistema universal), inteligência
abstrata, motora, interpessoal (subsistema local)
2. Propriedades

Ex.: Na inteligência – raciocínio verbal, espacial. Na psique – processos motores,


cognitivos

3. Magnitude

Ex.: Raciocínio verbal tem graus diferentes por pessoa.

Memória não se mede com método empírico (CN – ciências naturais), para isso deve
ser feita uma representação

4. Representação comportamental

Não se vê pensamento, se vê comportamento

Traço latente (TL) é representado pelo comportamento (C) que é representado por
número. Dois problemas isomórficos = TL ≠ C ≠ Nº

Definições operacionais – série de parâmetros


 Poder discriminativo
 Vieses de resposta
 Saturação (peso dos TLs)
Analise Fatorial - quantos Traços Latentes influenciam o comportamento, e selecionar
um TL específico, comportamentos mais representativos dos TLs.

2015.07.30 –

Campo do Objeto de Atitude Característica


Método Verdade Critério
saber estudo metodológica da verdade
Empiria
Ciências Fenômenos Observação Fato ou
(passa pelos Relativa Testagem empírica
naturais naturais e controle lei
sentidos)

Força da
argumentação –
Transcende
Matemática Números Dedutivo Teorema Absoluta CQD (como
sentidos
queremos
demonstrar)

A linguagem matemática facilita o desenvolvimento das ciências naturais (CN), que passaram
a representar seus estudos por números, substituindo parte da observação pela operação
numérica.

Principais problemas da CN quando substitui a observação pela operação numérica:

1. Isomorfismo – legitimidade da representação – se na operação com números não se


perder as propriedades do fenômeno – ausência de isomorfismo é o problema.
a. Propriedades estruturais dos números:
i. Identidade – axioma da igualdade – os números somente são iguais a eles mesmos
ii. Ordem – axioma da desigualdade – os números sendo diferentes podem ser
organizados em ordem numérica
iii. Aditividade – os números podem ser somados, diminuídos, multiplicados e divididos

Ex. A:
Copo de 300m de coca cola = 1
Copo de 300ml de suco de laranja = 2
Copo de 300ml de suco de uva = 3
Nesse caso não há isomorfismo, não se soma os copos sem perder propriedades.
Ex. B:
Interesse pela psicometria
(1) – Nenhum
(2) – Pouco
(3) – Regular
(4) – Muito

Níveis de
Axiomas salvos Variável Procedimentos estatísticos apropriados
medida
F. - Frequência acumulada
Fr. - Frequência relativa
Nominal Da identidade Qualitativa
MO - Moda
Parte das técnicas não paramétricas
Mdm - Mediana
Quantitativa Q - Amplitude interquartílica
Ordinal Da ordem
(discreta) P - Correlação Ordinal de Sperman
Parte das técnicas não paramétricas
Média aritmética
Desvio padrão
Parte da Quantitativa G ao quadrado
Intervalar
aditividade (contínua) Rxy
Técnicas paramétricas
T de Student
Quaisquer dos procedimentos sem perder as
Razão Todos características do fenômeno
Média harmônica, média geométrica

2. Unicidade – a melhor forma de representar – inequívoca para qualquer pessoa – Ex.: um


metro
3. Erro – a matemática não tem erro – observação substitui por números e volta para a
observação – não existe medida isenta de erros. Erros do objeto, do observador, do
contexto, do meio, etc....

Formas de medida

1. Fundamental – medida direta – somente passível quando diante de atributo extensivo – o


instrumento composto de unidades da mesma que queiramos medir. Ex.: Metro para medir
distância.
2. Derivada – não tem atributo extensivo, mas guarda relação com ao menos dois atributos
extensivos. Ex.: velocidade é função da distância percorrida pelo tempo gasto
(comprimento x tempo)
3. Por teoria – atributos não extensivos e sem relação com outros atributos extensivos.

2015.08.03 –

Classificação dos testes – (Mariano Yelca)

1. Quanto ao método
a. Psicométrico – padronizado, mede cada parte, maior parte quantitativa, avalia as partes;
b. Projetivo – analisa o todo, maior parte qualitativa, avalia o todo e o contexto;
2. Quanto ao fim
a. Medir (psicométrico):
i. Capacidade – do mais fácil para o mais difícil, aplicado em tempo livre
ii. Velocidade – elementos fáceis com dificuldade dada por um tempo ínfimo para
respostas
iii. Eficiência – alia capacidade com tempo limite mais adequado
b. Diagnosticar (projetivo) – levanta a dinâmica interna do indivíduo
3. Quanto ao examinando
a. Individual
b. Coletivo – (desde que se possa controlar)
c. Auto administrado
4. Quanto ao examinador (verifica-se a influência do examinador no resultado do teste)
a. Impessoal (padronizado, de forma coletiva, a influência é tão pequena que se pode
desprezá-la)
b. Pessoal (fazer rapport, reduzir defesas, facilitar relaxamento, preparar o indivíduo)
5. Quanto ao material
a. Impresso (papel e lápis)
i. Verbal – (símbolos objetivos, matemáticos)
ii. Não verbal – (símbolos subjetivos)
b. Manipulativo (de pegar, montar, manipular, ex.: dados, quebra cabeças...)
c. Escala completa (parte impressa e parte manipulativo)
6. Quanto ao traço que mede ou aprecia
a. Aproveitamento
i. Escolar
ii. Profissional (ex.: num treinamento)
b. Aptidões (habilidade nata ou inata – potencial para aprender)
i. Verdadeiramente psicológicas
 Aptidão geral (avalia inteligência geral)
 Fatores cognitivos (fala, escrita, capacidade de aprender)
 Aptidões especiais (aquelas pouco utilizadas)
ii. Práticas (aliam as verdadeiramente psicológicas e as aprendidas)
 Escolar
 Profissional
Ex.: SAT – teste americano para acesso às universidades, de múltipla
escolha com cinco alternativas com uma única verdadeira, duas partes:
o Verbal de 90’ – subdividido em:
 Analogia verbal 20’:

Ex.: escritor – livro

a) Touro – toureiro
b) Cirurgião – bisturi
c) Compositor – sinfonia
d) Químico – ouro
e) Psicologia - psiquê
 Opostos 15’:

Ex.: À deriva

a) Vento em polpa
b) Rumo definido
c) Corda frouxa
d) A toda vela
e) A esquerda
 Complementação 10’
Ex.: Os músicos trataram de (_____________) seus
instrumentos, antes de iniciar-se o concerto.
a) Posicionar
b) Limpar
c) Consertar
d) Afinar
e) Tocar
 Interpretação 45’
Dado um texto, deve-se responder perguntas relativas ao
texto
o Matemática de 90’ – não se usa calculadora
Questões familiares e não familiares ao examinando, forma de
resposta direta ou indireta
Ex.: O resto da divisão 201040 / 11 é:
a) 200/10
b) 100/2
c) 1/15
d) 40/3
e) 12/3
Um cubo de 2 cm de lado é pintado de preto e em seguida é
cortado em cubos de 1 cm de lado.
Quantos cubos de um lado terão três faces pretas?
a) 2
b) 4
c) 6
d) 8
e) 10
c. “Personalidade”
i. Quanto ao fim
 Analíticos
o Unifásico – um traço latente
o Multifásico – vários traços
 Sintéticos – visão global de vários traços - projetivo
ii. Quanto ao meio ou técnica
 Objetivo – técnicas estruturadas
o Quanto ao sistema de referência – fundamentam-se em:
 Clássico – teoria clássica – Freudiana, Yunguiana
 Fatorial – teorias fatorialista da personalidade
 Nosológico – sintomas de quadro clínico – CID 10 ou DSM V
 Subjetivo – como o sujeito analisa, avalia – subjetividade do sujeito
 Projetivo – técnicas projetivas – totalmente não estruturada – baseia-se no
mecanismo de projeção – Em Freud: mecanismo neurótico de defesa do eu –
atribuir a outro sujeito seus pensamentos, desejos ou características – pois se
assumir como seus, pode desestruturar o Eu – a projeção é um alívio de tesão
inconsciente. Outro significado é de mecanismo inconsciente onde se formata o
mundo externo de acordo com as concepções internas – frente a estímulo ambíguo
utiliza-se as técnicas projetivas para estrutura-lo de acordo com suas percepções.
o Associativo – frente a estímulo ambíguo, pergunta-se o que lhe parece –
Ex.: Brochard
o Complementativo – estímulo ambíguo apresentado como início de uma
história, e pede-se complemento
o Construtivo – apresenta o estímulo ambíguo e solicita criação de uma
história com início, meio e fim.
o Ordenativo – ordenar os estímulos ambíguos, numa ordem para o
examinando – Ex.: Brochard realizados – pergunta-se qual gosta mais
 Expressivo – pede-se uma tarefa clara a ser executada
o Gráfico motor – baseado na teoria motriz da consciência – extra e
intratensão
o Verbo-corporal - Psicodrama de técnica diagnóstica passou a ser
terapêutica
 Situacional – coloca-se o indivíduo numa situação em que tenha que resolver
problemas. Dinâmica de grupo situacional

TESTE P-F DE ROSENZWEIG (Edição Revisada para adultos) - Teste de personalidade de


resistência à frustração

Classificação:

Quanto ao método é psicométrico

Quanto ao fim é de medida de capacidade

Quanto ao examinando é coletivo ou individual

Quanto ao examinador é pessoal (todo teste de personalidade é pessoal)

Quanto ao material é impresso sendo verbal e não verbal

Quanto ao traço que mede ou aprecia é de personalidade:

Quanto ao fim é analítico e unifásico (mede só frustração);

Quanto à técnica é projetivo e complementativo

TESTE DE APERCEPÇÃO INFANTIL – apercepção são percepções internas sobre algo


externo – mecanismo de projeção
Quanto ao método é projetivo

Quanto ao fim é diagnóstico

Quanto ao examinando é individual

Quanto ao examinador é pessoal

Quanto ao material é manipulativo

Quanto ao traço que mede ou aprecia é de personalidade:

Quanto ao fim é sintético

Quanto ao meio é projetivo e construtivo

TESTE G-36 – 36 problemas

Quanto ao método é psicométrico

Quanto ao fim é medição de capacidade

Quanto ao examinando é individual ou coletivo

Quanto ao examinador é pessoal ou impessoal

Quanto ao material é impresso e não verbal

Quanto ao traço que mede ou aprecia é de aptidão, verdadeiramente psicológico de aptidão


geral

Psicodiagnóstico Miosinético – PMK - verifica agressividade, angústia, conflitos


intrapsíquicos, inteligência...

Quanto ao método é psicométrico

Quanto ao fim é medição de capacidade

Quanto ao examinando é individual

Quanto ao examinador é pessoal

Quanto ao material é impresso e não verbal

Quanto ao traço que mede ou aprecia é de personalidade

Quanto ao fim é analítico e multifásico

Quanto ao meio é expressivo e gráfico-motor

2015.08.13
Leis da Noegenese

1ª “Ante dois ou mais itens, toda pessoa tende a buscar uma relação entre eles”.

2º “Ante um item e uma relação, toda pessoa tende a conceber o item correlativo”.

3º “Toda pessoa tende, de modo imediato, a conhecer a si mesma e aos itens de sua própria
experiência”.

Processo de abstração

“Qualquer que seja o processo de conhecimento - tenha-se que este é realizado por edução
de relação ou de correlato – consiste em uma classificação progressiva, o conteúdo mental
emerge de um estado de confusão externa e eleva-se a uma discriminação sempre maior.
Logo que uma parte do conteúdo fica suficientemente clara e distinta, e enuncia antes, pode
ser abstrata, isto é, pode ser projetada para fora do seu contexto e, então, pode ser pensada
separadamente e receber um nome”

Pérola : Ostra : : Mel : Favo

Primavera : Juventude : : outono : velhice

9, 2, 7, 4, 5, 16, 3, 256

Saturação de fator “G”

Sperman afirma hipoteticamente cada ato exige uma energia (mental – nervosa – de
plasticidade do sistema nervoso), essa energia passa por mecanismos (diversos órgãos do
corpo humano) gera à ação exterior.

2015.08.27

Matrizes progressivas – Escala Geral – J. C. Raven

Tipo mental

1. Quanto ao material mental


a. C – Conceitual: raciocínio com fórmulas
b. F – Figurativo: trabalha com itens sensíveis
c. Exemplo: no item B4 o figurativo vê bola, o conceitual vê forma e partes que se
fundem
2. Quanto ao método
a. D – Dedutivo: analisa problema, pensa na figura certa e busca nas alternativas
que tem em mente
b. I – Indutivo: analisa a partir das alternativas
3. Quanto ao procedimento de inspeção
a. Metódico: inspeciona em linhas, se não funcionar muda o programa
b. Relaxado: sem programa, faz programa diferente, flexível. (Faz muito rápido,
tipo impulsivo)
c. Rígido: não muda o programa. (Constelação obsessivo-compulsivo)

Resultados do Raven

Ex.: feminino, 25 anos, superior completo

Pc (percentil) 95% (maior que 95% dos demais iguais a ela)

T (tempo) 16’ (abaixo da média = 25’ a 30’)

Erros = A10=6 B7=6

Inspeções variadas

Perfil tende a ser rápida, relaxada e impulsiva.

Se o procedimento de inspeção é variado em todos os itens = rigidez, onde há setas em


todas as direções, e círculos (indicam visão global) em vários itens.

Antes do relatório fazer inquérito ao examinando:

1. Escolha aleatoriamente três respostas em cada tipo: B, C, D, E


2. Pergunta, em cada resposta, como resolveu o problema para identificar:
a. Material mental: conceitual ou figurativo
b. Método: indutivo ou dedutivo
c. Procedimento: metódico, relaxado, rígido
3. Anota resposta, analisa e emita relatório

2015.08.24

Thustone

Fatores primários Fatores secundários


W = fluência verbal
V = compreensão verbal Rv = raciocínio verbal
N = numérico Rn = raciocínio numérico
P = atenção concentrada Rs = raciocínio espacial
S = espacial
M = mnemônica
D = dedutiva
I = indutiva
D + I = R = raciocínio
I = imaginação
J = bom senso

2015.09.03

BPR-5 – Mede inteligência por setor, ou seja, inteligência setorial. São cinco fatores que
indicam um fator G (inteligência geral)

Exceto RA todos são fatores de segunda ordem

RV – Verbal (eficiência e capacidade de perceber relações entre conceitos, ideias expressas


de forma verbal)

RA – Abstrato – fator de primeira ordem, não é independente (eficiência e capacidade de


perceber relações entre símbolos abstratos)

RM – Mecânico (eficiência e capacidade de perceber relações de dispositivos mecânicos)

RE – Espacial (eficiência e capacidade de perceber relações entre estruturas bi ou


tridimensionais)

RN – Numérico (eficiência e capacidade de perceber relações entre símbolos numéricos)

Como avaliar? Comparar o RA com cada um dos demais.

Ex.:

RA > RV < = dificuldade de compreensão verbal

RA < RV > = lê muito ou, porque o Abstrato é muito sensível a stress, cansaço, mal-estar...
Aloisio: as discrepâncias indicam rigidez e lentidão, ou seja, ineficiência na execução.

Discrepância quando duas ou mais categorias de classificação dos percentis

Percentis Classificação
90 - 99 Muito superior
75 - 89 Superior à média
60 - 74 Médio superior
40 - 59 Médio
25 - 39 Médio inferior
10 - 24 Inferior à média
01 - 09 Muito inferior
Na análise começa primeiro com o melhor percentil. Os testes são de eficiência – rapidez com
que se trabalha de forma correta.

Ex.: Sujeito feminino, 28 anos, superior completo

Raven (mede capacidade - compara sujeitos de nível superior)

Pc = 90 (capacidade muito superior à média dos demais sujeitos)

T = 42’ (tempo médio 25’ a 30’ – é lenta – detecta ineficiência)

Erro: E11 – G

Omissão: 3

Dados do inquérito:

C8 = F, D, → ↓↓↓ D9 = C, D, → ↓↓↓ E7 = F, D, → ↓↓↓


C9 = C, D, → ↓↓↓ D10 = C, D, → ↓↓↓ E8 = F, D, → ↓↓↓
C10 = C, D|I, → ↓↓↓ D11 = C, D, → ↓↓↓ E9 = C, D, → ↓↓↓ → ↓↓↓
(Material mental F = figurativo | C = conceitual) - (Quanto ao Método D = Dedutivo | I – Indutivo)

BPR5 (mede eficiência - compara sujeitos de 3º ano de nível médio)

RV = 50

RA = 45 (tende a eficiência de execução está aquém da capacidade - Raven)

RM = 05

RE = 55

RN = 10 (provavelmente não aproveitou oportunidades do meio para raciocínio numérico ou


mecânico)

Rigidez tem relação com perfeccionismo

Relatório:

A examinanda apresentou uma clareza de raciocínio, capacidade para perceber relações e


fazer abstrações, em nível muito superior quando comparada a outros indivíduos de mesmo
gênero, faixa etária e nível superior, todavia, sua eficiência encontra-se aquém de sua
capacidade. Possivelmente em virtude de um procedimento rígido utilizado nas suas análises
nos processos cognitivos, emprega no seu trabalho intelectivo material mental tanto
conceitual quanto figurativo, com predomínio do primeiro, sempre dentro do método dedutivo.
Dentre os raciocínios pesquisados os mais eficientes são espacial, verbal e abstrato, quando
comparado a indivíduos de terceiro ano de ensino médio, seguido do numérico inferior à
média e mecânico muito inferior. A baixa eficiência do raciocínio mecânico e raciocínio
numérico deva-se ao não aproveitamento das oportunidades oferecidas pelo meio para o
desenvolvimento da compreensão mecânica e da habilidade numérica.

A eficiência depende da capacidade

2015.09.10

1ª Verificação = 24/09/15

Teoria da medida nas ciências em geral

A medida na psicologia

Conceito e classificação dos testes

Síntese conjunta do Raven e BPR-5

Masculino, 22 anos, superior incompleto

Raven (mede abstração e perceber relação) – só falar em capacidade

Pc = 40 (apresenta clareza e raciocínio na média em relação aos demais indivíduos)

T = 16’ (tempo abaixo da média) –

Se o percentil for acima de 75% e o tempo abaixo da média (25%-30%) = eficiência

Erros: A12=F; C8=G; C11=G; C12=M; D6=M; D9=G; D10=G; D12=F; E9,10,11 e 18=G

Série A e B = pega indivíduos de 6 a 80 anos, trabalha pura identificação, sem raciocínio

Série C, D e E = perceber relações, aplicar relações e concebe o correlativo

Inquérito:

C6 = F, D, → D7 = F, D, O E4 = F, D, O
C9 = C, I → D8 = C, I, ↓↓↓ E5 = F, D, O
C10 = F, D, ↓↓↓ D11 = F, D, → E6= C, I, →
(Material mental F = figurativo | C = conceitual) - (Quanto ao Método D = Dedutivo | I – Indutivo)

→↓O = procedimento

Material mental: É mais F – figurativo que conceitual

Quanto ao método: Predomínio do raciocínio dedutivo

Quanto ao procedimento de inspeção é metódico.

Ao usar F – figurativo é dedutivo, quando conceitual é indutivo

BPR-5
RV = Pc – 80 (Superior a 80% dos indivíduos) (Indivíduo gosta de ler)

RA = Pc – 45 (Média eficiência – melhor que 45% dos indivíduos) contido em todos os demais
raciocínios

RM = Pc – 40 (Médio – melhor que 40% dos indivíduos)

RE = Pc – 10 (Inferior à média – melhor que 10% dos indivíduos) diz que não faz rápido

RN = Pc – 15 (Inferior à média – melhor que 15% dos indivíduos) (não possui habilidade
numérica – adquirida com a prática ou exercício)

Percentis Classificação
90 - 99 Muito superior
Rv 75 - 89 Superior à média
60 - 74 Médio superior
Rm Ra 40 - 59 Médio
25 - 39 Médio inferior
Rn Re 10 - 24 Inferior à média
01 - 09 Muito inferior
Discrepância quando há duas ou mais categorias

Relatório:

Verbo ter ou possuir somente quando estiver superior ou superior à média

O examinando apresentou clareza e raciocínio na média comparada aos demais indivíduos de


mesmo sexo, faixa etária e escolaridade. O tempo de execução abaixo da média indicou
rapidez de execução, porém o erro na classe A denotou displicência.

2015.09.17

A psicometria tem como método a análise fatorial, mede comportamentos.

A psicometria ou psicologia fatorial, tem como objeto de estudos os traços latentes, seu
objetivo é identificar os traços latentes, suas relações, para que possa entender os
comportamentos e predizer os comportamentos.

Sistemas - os traços latentes são concebidos como sistema universal (de interesse imediato -
psique), ou locais (subsistemas – cognitivo, conativa, afetiva)

Propriedades – processo cognitivas, afetivos - possuidoras de magnitudes, no mínimo deve


salvar o nível da ordem –

Representação comportamental -

A medida nas ciências é interface da matemática e das ciências empíricas


Substitui uma parte do método (observação e controle), por uma representação dos atributos
e propriedades do objeto de estudos por operações númericas.

Quando atribuímos números às qualidades das coisas, existem os problemas de isomorfismo


(legalidade da representação numérica – somente se salvarmos a característica do fenômeno
e as propriedades estruturais dos números – axiomas de identidade = /de ordem ≠ /de
aditividade +, -, X, /), de unicidade, e de erro.