Você está na página 1de 88

República de Moçambique

Ministério da Administração Estatal

PERFIL DO DISTRITO DE MOAMBA


PROVÍNCIA DE MAPUTO

Magude
Moamba

Manhiça

Marracuene
Boane
Namaacha

Matola
O.Índico

Matutuíne

Edição 2014
A informação incluída nesta publicação provém de fontes consideradas fiáveis e tem uma natureza
informativa.

Copyright © 2012 Ministério da Administração Estatal

Todos os direitos reservados.

Publicado por

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇAO ESTATAL


Direcção Nacional de Administração Local
Maputo - Moçambique
Primeira edição, primeira impressão 2012

Esta publicação está disponível na Internet em http://www.portaldogoverno.gov.mz

PÁGINA i

Moamba
________________________________________________________________________________________________

ÍÍnnddiiccee

PPrreeffáácciioo vi  
SSiiggllaass ee A
Abbrreevviiaattuurraass viii  
11   B
Brreevvee C
Caarraacctteerriizzaaççããoo ddoo D
Diissttrriittoo 1  
11..11   LLooccaalliizzaaççããoo,, SSuuppeerrffíícciiee ee PPooppuullaaççããoo 1  
11..22   CClliimmaa ee H Hiiddrrooggrraaffiiaa 2  
11..33   GGeeoollooggiiaa 2  
11..44   RReelleevvoo 3  
11..55   SSoollooss 3  
11..66   RReeccuurrssooss H Hííddrriiccooss 4  
11..77   RReeccuurrssooss FFlloorreessttaaiiss ee FFaauunnaa 4  
11..88   IInnffrraaeessttrruuttuurraass ee SSeerrvviiççooss 5  
11..99   EEccoonnoom miiaa 6  
11..1100   HHistóriiaa ee C
i s tó r Cuullttuurraa 8  
11..1111   SSoocciieeddaaddee cciivviill 9  

22   D
Deem
mooggrraaffiiaa 11  
22..11   EEssttrruuttuurraa eettáárriiaa ee ppoorr sseexxoo 11  
22..22   TTrraaççoo ssoocciioollóóggiiccoo 12  
22..33   LLíínngguuaass ffaallaaddaass 13  
22..44   AAnnaallffaabbeettiissm moo ee EEssccoollaarriizzaaççããoo 14  

33   H
Haabbiittaaççããoo ee C
Coonnddiiççõõeess ddee V
Viiddaa 15  
44   O
Orrggaanniizzaaççããoo A
Addm
miinniissttrraattiivvaa ee G
Goovveerrnnaaççããoo 19  
44..11   GGoovveerrnnoo D Diissttrriittaall 19  
44..22   SSíínntteessee ddaass aattrriibbuuiiççõõeess ee ddaa aaccttiivviiddaaddee ddooss óórrggããooss ddiissttrriittaaiiss 22  
4.2.1   Secretaria Distrital 22  
4.2.2   Serviço Distrital de Actividades Económicas 23  
4.2.3   Serviço Distrital de Educação, Juventude e Tecnologia 25  
4.2.3.1   Educação 26  
4.2.3.2   Formação Profissional e Emprego 30  
4.2.3.3   Tecnologia 31  
4.2.3.4   Cultura 31  
4.2.4   Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social 31  
4.2.4.1   Saúde 31  
4.2.4.2   Acção Social 34  
4.2.4.3   Género 36  
4.2.5   Serviço Distrital de Planeamento e Infraestruturas 39  
4.2.5.1   Ordenamento Territorial 39  
4.2.5.2   Gestão Ambiental 40  
4.2.5.3   Educação Ambiental 41  

PÁGINA i i

Moamba
________________________________________________________________________________________________

4.2.5.4   Infraestruturas 41  
44..33   FFiinnaannççaass PPúúbblliiccaass ee IInnvveessttiim
meennttoo 42  
4.3.1   Fundo Distrital de Desenvolvimento 43  
4.3.2   Fundo de Investimento em Infraestruturas 44  
4.3.3   Fundos Sectoriais Descentralizados 45  
44..44   JJuussttiiççaa,, O
Orrddeem
m ee SSeegguurraannççaa ppúúbblliiccaa 45  
44..55   CCoonnssttrraannggiimmeennttooss ee PPeerrssppeeccttiivvaass 46  

55   A
Accttiivviiddaaddee EEccoonnóóm
miiccaa 48  
55..11   PPooppuullaaççããoo eeccoonnoom miiccaam meennttee aaccttiivvaa 48  
55..22   PPoobbrreezzaa ee SSeegguurraannççaa A Alliimmeennttaarr 50  
55..33   IInnffrraaeessttrruuttuurraass ddee bbaassee 51  
5.3.1   Rede de transportes rodoviários, ferroviários e aéreos 51  
5.3.2   Rede telefónica 52  
5.3.3   Abastecimento de água e saneamento 52  
5.3.4   Rede eléctrica 53  
55..44   UUssoo ee C Coobbeerrttuurraa ddaa TTeerrrraa 53  
55..55   SSeeccttoorr A Aggrráárriioo 56  
5.5.1   Infraestruturas e equipamento 56  
5.5.2   Zonas agro-ecológicas 57  
5.5.3   Produção agrícola 57  
5.5.4   Pecuária 59  
5.5.5   Pescas, Florestas e Fauna bravia 60  
55..66   IInnddúússttrriiaa,, CCoom méérrcciioo ee TTuurriissm
moo 61  
55..77   VVectores de Desenvolvimenttoo ee C
e c to r e s d e D e s e n v o l v i m e n Caaddeeiiaass ddee V
Vaalloorr 63  

66   V
Viissããoo ee EEssttrraattééggiiaa ddee D
Deesseennvvoollvviim
meennttoo LLooccaall 67  
66..11   V
Viissããoo 67  
66..22   O
Obbjjeeccttiivvooss eessttrraattééggiiccooss 67  
66..33   A
Annáálliissee FFOOFFA A 69  

R
Reeffeerrêênncciiaass ddooccuum
meennttaaiiss 72  

L
Liissttaa ddee Q
Quuaaddrrooss
Quadro 1.   População por posto administrativo, 1/7/2012 11  
Quadro 2.   Pessoas residentes no distrito, segundo o local de nascimento 11  
Quadro 3.   Agregados familiares, segundo a dimensão 12  
Quadro 4.   Agregados familiares, segundo o tipo sociológico 12  
Quadro 5.   Distribuição da população, segundo o estado civil 12  
Quadro 6.   População com 5 anos ou mais, por língua materna e sexo 13  
Quadro 7.   População de 5 anos ou mais e conhecimento de Português 14  

PÁGINA i i i

Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 8.   População com 15 ou mais anos, e alfabetização, 2007 14  


Quadro 9.   Habitações segundo o regime de propriedade 15  
Quadro 10.   Tipo de habitações 15  
Quadro 11.   Habitações segundo o material de construção 16  
Quadro 12.   Habitações, água, saneamento e energia 18  
Quadro 13.   Famílias, segundo a posse de casa própria e bens duráveis 18  
Quadro 14.   População com 5 anos ou mais, e frequência escolar 26  
Quadro 15.   População de 5 anos ou mais, por nível de ensino 26  
Quadro 16.   Taxas de escolarização 27  
Quadro 17.   Escolas, Alunos e Professores, 2011 28  
Quadro 18.   População de 10 anos ou mais, por nível de ensino concluído 30  
Quadro 19.   Unidades de saúde, Camas e Pessoal existente – 2011 32  
Quadro 20.   Prestação de serviços de cuidados de saúde, 2012 32  
Quadro 21.   Casos de doenças e óbitos notificados, 2009-2011 33  
Quadro 22.   População de 0-14 anos, por condição de orfandade, 2007 34  
Quadro 23.   População deficiente, 2007 34  
Quadro 24.   População portadora de deficiência, segundo a causa 35  
Quadro 25.   Uso de novas tecnologias (10 anos ou mais) 37  
Quadro 26.   Execução orçamental (em ‘000 MT) 43  
Quadro 27.   Projectos de iniciativa local financiados 43  
Quadro 28.   Sector económico do investimento local 44  
Quadro 29.   Investimento local em infraestruturas escolares 44  
Quadro 30.   Construções aceleradas de infraestruturas Educacionais 44  
Quadro 31.   Situação actual das vias de acesso 45  
Quadro 32.   População segundo a condição de actividade 48  
Quadro 33.   População activa, ocupação e ramo de actividade, 2007 49  
Quadro 34.   População activa, ocupação e ramo de actividade, 2007 50  
Quadro 35.   Uso e Cobertura da Terra 55  
Quadro 36.   Produção agrícola, por principais culturas: 2009-2011 58  
Quadro 37.   Efectivos Pecuários 60  
Quadro 38.   Produção Pecuária 60  
Quadro 39.   Rede Industrial 61  
Quadro 40.   Rede Comercial 62  
Quadro 41.   Rede Turística 62  

L
Liissttaa ddee ffiigguurraass
Figura 1.   Localização do distrito ........................................................................................... 1  
Figura 2.   Postos Administrativos e Densidade Populacional, 1/7/2012 ............................. 12  
Figura 3.   População com 5 anos ou mais, por língua materna ............................................ 13  
Figura 4.   Tipo de habitações ............................................................................................... 16  
Figura 5.   Habitações segundo o material de construção ..................................................... 17  
Figura 6.   Habitações e condições básicas existentes........................................................... 17  
Figura 7.   População (5 anos ou mais) por grau de ensino frequentado .............................. 27  
Figura 8.   População (10 anos ou mais) por grau de ensino concluído ................................ 30  
Figura 9.   Quadro epidemiológico, 2012.............................................................................. 33  

PÁGINA i v

Moamba
________________________________________________________________________________________________

Figura 10.   Indicadores de escolarização por sexos ............................................................. 37  


Figura 11.   População (15 anos ou mais), segundo a actividade e sexo ............................... 38  
Figura 12.   População segundo a posição no trabalho e sexo .............................................. 38  
Figura 13.   População com 15 anos ou mais, segundo a actividade .................................... 48  
Figura 14.   População activa, segundo a ocupação principal ............................................... 49  
Figura 15.   População activa, segundo o ramo de actividade .............................................. 50  
Figura 16.   Explorações segundo a sua utilização ................................................................ 55  
Figura 17.   Explorações por classes de área cultivada ......................................................... 56  

PÁGINA v

Moamba
________________________________________________________________________________________________

SSiiggllaass ee A
Abbrreevviiaattuurraass

APEs Agentes Polivalentes Elementares

BCI Banco Comercial e de Investimentos

BIM Banco Internacional de Moçambique

CDPRM Comando Distrital da Polícia da República de Moçambique

CENACARTA Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção

CFM Caminhos de Ferro de Moçambique

CGRN Comité de gestão de recursos naturais

CISM Centro de Investigação em Saúde da Malária

CL’s Conselhos Locais

CNCS Conselho Nacional de Combate ao SIDA

COVs Crianças Órfãs e Vulneráveis

DNAL Direcção Nacional da Administração Local

DNPO Direcção Nacional do Plano e Orçamento

DPOPH Direcção Provincial de Obras Públicas e Habitação

DPPF Direcção Provincial do Plano e Finanças

DPS Direcção Provincial de Saúde

DTS Doença de Transmissão Sexual

EDM Electricidade de Moçambique

EN Estrada Nacional

EN1 Estrada Nacional nº 1

EP1 Ensino Primário do 1º Grau

EP2 Ensino Primário do 2º Grau

EPC Escola Primária Completa

PÁGINA v i i i

Moamba
________________________________________________________________________________________________

ESG1 Ensino Secundário Geral do 1º ciclo

ESG2 Ensino Secundário Geral do 2º ciclo

ET Ensino Técnico

FDD Fundo de Desenvolvimento Distrital

GD Governo Distrital

IAF Inquérito aos agregados familiares, sobre o orçamento familiar

IFP Instituto de Formação de Professores

INE Instituto Nacional de Estatística

IPCC’s Instituições de participação e consulta comunitária

ITS’s Infecções de Transmissão Sexual

LOLE Lei dos Órgãos Locais do Estado

MAE Ministério da Administração Estatal

Mcel Moçambique Celular

MF Ministério das Finanças

MINAG Ministério da Agricultura

MPD Ministério da Planificação e Desenvolvimento

ONGs Organizações Não Governamentais

ORAM Organização de Ajuda Mútua

PA Posto Administrativo

PARPA Plano de Acção Para Redução da Pobreza Absoluta

PEDD Plano Estratégico de Desenvolvimento Distrital

PNUD Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento

PPFD Programa de Planificação e Finanças Descentralizadas

PQG Programa Quinquenal do Governo

PRM Polícia da República de Moçambique

PSAA Pequeno Sistema de Abastecimento de Água

PÁGINA i x

Moamba
________________________________________________________________________________________________

SD Secretaria Distrital

SDAE Serviço Distrital de Actividades Económicas

SDEJT Serviço Distrital de Educação, Juventude e Tecnologia

SDPI Serviço Distrital de Planeamento e Infraestruturas

SDSMAS Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social

SIFAP Sistema de Formação em Administração Pública

SISE Serviço de Informações e Segurança do Estado

STV Soico Televisão

TDM Telecomunicações de Moçambique

VODACOM Operadora de telefonia móvel

PÁGINA x

Moamba
PÁGINA x i

Moamba
________________________________________________________________________________________________

11 B
Brreevvee C
Caarraacctteerriizzaaççããoo ddoo D
Diissttrriittoo

11..11 L
Looccaalliizzaaççããoo,, SSuuppeerrffíícciiee ee PPooppuullaaççããoo

O distrito da Moamba está situado na parte norte da província de Maputo, a 75 Km da capital do


país, a que está ligado pela EN2/4, e está posicionado entre os paralelos 24° 27’e 25° 50’Sul e os
meridianos 31° 59’e 32° 37’Este.

Tem como limites geográficos a Norte o Rio Massintonto que o separa do distrito de Magude, a Sul
os distritos de Boane e Namaacha, a Este os distritos da Manhiça e Marracuene e a Oeste uma linha
de fronteira artificial com a província Sul-Africana do Transvaal.

O distrito apresenta uma configuração de triângulo com, no sentido Norte - Sul, uma extensão de
150Km compreendida entre Panjane junto ao rio Massintonto e a ribeira de Movene, e no sentido
Leste – Oeste, uma extensão de 61 Km no paralelo de Sabiè.

Magude

Manhiça

Marracuene
Namaacha

Boane

Matola
O.Índico

Matutuíne

Figura 1. Localização do distrito


A superfície1 do distrito é de 4.589 km2 e a sua população está estimada em 64.147 habitantes à data
de 1/7/2012. Com uma densidade populacional aproximada de 14 hab/km2, prevê-se que o distrito
em 2020 venha a atingir os 77 mil habitantes.

A estrutura etária do distrito reflecte uma relação de dependência económica de 1:1, isto é, por cada
10 crianças ou anciões existem 10 pessoas em idade activa. Com uma população jovem (39%, abaixo

1
Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção http://www.cenacarta.com

Página 1
Moamba
________________________________________________________________________________________________

dos 15 anos), tem um índice de masculinidade de 94% (por cada 100 pessoas do sexo feminino
existem 94 do masculino) e uma taxa de urbanização de 36%, concentrada na Vila da Moamba e de
Ressano Garcia e zonas periféricas de matriz semiurbana.

11..22 C
Clliim
maa ee H
Hiiddrrooggrraaffiiaa
Do ponto de vista climático, o distrito da Moamba, segundo a classificação de Koppen, é dominado
pelo clima do tipo BS clima seco de estepe, com uma temperatura média anual que oscila entre 23° a
24° C e pluviosidade anual entre 580 a 590 mm e, também, junto à fronteira com Ressano Garcia,
pelo clima BSW, de estepe com inverno seco e uma temperatura média anual entre os 23° e 24° C, e
uma pluviosidade inferior à do resto do distrito.

O distrito tem duas estações, uma quente de temperaturas mais elevadas e de pluviosidade acentuada
que vai de Outubro a Março e, outra, fresca que se estende de Abril a Setembro.

A pluviosidade média é de cerca de 571 mm com incidência entre Dezembro a Fevereiro. A


evaporação potencial média anual é elevada com cerca de 1.433 mm a 1.500 mm. Estes valores têm
uma ligeira variação em ordem crescente entre Sabiè, Ressano Garcia e Moamba-Sede.

11..33 G
Geeoollooggiiaa
No distrito de Moamba existem diversas formações geológicas que datam da sedimentação do Karro,
que começou na Swazilândia e Transvaal Lowveld com a fragmentação da Gondwanalândia. A
designação “Karro” provém da área com o mesmo nome na África do Sul onde o sistema foi bem
representado, formando enormes bacias com uma sequência geológica bem caracterizada por fósseis.
Em Moçambique as bacias são irregulares.

No quaternário formou-se uma faixa relativamente estreita ao longo da fronteira com a República da
África do Sul. Corresponde a litologia de rochas de origem vulcânica, do sistema de Karro a série
Stomberg. As rochas vulcânicas que se destacam são os riolitos, basaltos e os tufos vulcânicos. O
quaternário possui uma maior representação no distrito. Destacam-se dunas inferiores, terraços e
formações aluviais e assinala-se a ocorrência de formações sedimentares.

O cretáceo é constituído essencialmente por conglomerados de grés, xistos argilosos e calcários


compactos. No interior deste distrito a representatividade deste sistema é baixa, ocorrendo em
pequenas manchas, que juntamente com o sistema terciário bordam o Rio Incomáti.

O terciário é constituído fundamentalmente por uma coroa de basalto, que se estende do Incomáti, na
Moamba, até depois do cruzamento com a linha férrea de Goba, com algumas áreas reduzidas no
interior do distrito.

Página 2
Moamba
________________________________________________________________________________________________

11..44 R
Reelleevvoo
O distrito possui extensas planícies situadas maioritariamente a cotas inferiores a 100m, sendo o
monte Corumana com 275m o único destaque do relevo. Podem-se observar três zonas distintas:

Vales e planos ligeiros com altitudes médias de 60 a 80 metros;


Pequenas elevações de 80 e 170 metros que vão subindo no sentido Oeste e;
Zonas acidentadas com cotas que se elevam abruptamente a altitudes entre 200 e 400 metros, que
constituem um alongamento da cadeia dos Libombos.

11..55 SSoollooss
Em geral, no distrito da Moamba predominam os solos de origem aluvionar e basáltico, planos de
textura média e profundidades que variam desde a marginal até a boa. Os solos dos vales do
Incomáti e do Sabiè são aluvionares e têm fertilidade média a elevada, com uma boa aptidão
agrícola.

Os tipos de solos mais comuns neste distrito são: os solos vermelhos, os pedocálicos, os pardos, os
hidromórficos e os aluvionares (Gouveia e Azevedo, 1949).

Os solos vermelhos subdividem-se em: vermelhos sobre o basalto de Moamba e vermelhos de


Namaacha.

Os solos vermelhos sobre o basalto de Moamba caracterizam-se por ter uma camada superficial,
castanho-avermelhado, por vezes muito escura, argiloso e de estrutura granulosa. A espessura varia
de 10 a 25 cm e transita gradualmente para a terra vermelha, cor de chocolate, argilosa forte,
compacta a muito compacta, fundilhada, com nódulos calcários e geralmente muito espessa. O
horizonte “C” é constituído por basalto em adiantado estado de meteorização.

Os solos de Namaacha típicos de Namaacha ocorrem com uma certa representatividade no distrito de
Moamba. São solos vermelhos, argilosos-arenosos a argilosos, de camada superficial castanho-
avermelhado. A sua espessura é muito variável, sendo frequentes os casos de solos delgados e
esqueléticos. Encontram-se relacionados com a formação geológica das lavas post-karro e com
certas rochas companheiras do basalto.

Os solos pedocálicos, terras negras e acidentadas pedocálicas têm maior expressão através dos barros
negros de Moamba que ocupam a mancha geológica do basalto terciário, jazem em Moamba e áreas
limítrofes. Os solos negros, fortemente argilosos muito fendilhados quando secos, em regra
encontram-se associados aos solos vermelhos sobre o basalto. Em alguns casos, a primeira camada é
relativamente espessa (30-60cm), nitidamente negra argilosa forte, de estrutura geralmente graduada,
muito fendilhada e com nódulos calcários e depois segue-se terra castanho-avermelhada, também
argilosa forte, de estrutura prismática, compacta, fendilhada com nódulos calcários

Página 3
Moamba
________________________________________________________________________________________________

assente sobre basalto em adiantado estado de meteorização. Noutros casos, os solos são negros em
todo o perfil.

Os solos pardos subdividem-se em pardo-avermelhados e pardo-acidentados das regiões áridas e


semiáridas. Apresentam um horizonte superficial com cerca de 30 cm de espessura, pardo-
acidentado, franco-arenoso, friável, assentado um sobre outro, são geralmente pardos de tonalidade
levemente avermelhada, apresentando um tom argiloso compacto, com muitas concertações calcárias
e de PH igual a 8.3.

11..66 R
Reeccuurrssooss H
Hííddrriiccooss
O distrito de Moamba é atravessado pelo rio Incomáti que dá o nome à sua importante bacia, e nasce
na África do Sul, no planalto de Transvaal, entra em Moçambique pela garganta de Komatipoort e
desagua nas proximidades da Vila de Moamba. Os seus afluentes em Moçambique são o
Massintonto e o Sábiè localizados a norte do distrito.

O regime destes rios é periódico com alimentação essencialmente pluvial, originando um caudal
elevado na época das chuvas no período de Dezembro a Abril e, no Sábiè, de Janeiro a Março,
praticamente desaparecendo no período seco.

A bacia do Incomáti abastece o sistema de regadio Sábiè-Incomáti e a central hidroeléctrica de


Corumana, e no rio Sábiè foi construída a barragem hidroeléctrica de Corumana.

11..77 R
Reeccuurrssooss FFlloorreessttaaiiss ee FFaauunnaa
O distrito de Moamba fitogeograficamente está incluído na região Sudano-Zambezíaca no domínio
das savanas e florestas Sul-Africanas e apresenta as seguintes principais formações vegetais:

Floresta de baixa altitude : Fechada (geralmente notória em três pontos - nas zonas de Muxia,
Sábiè e junto ao Rio Massintonto a Norte do distrito, com uma cobertura de 70%);
Medianamente Fechada (predomina na zona Noroeste do Posto Administrativo de Moamba Sede
com uma cobertura de vegetação que varia entre 40-70%); e Aberta (possui uma cobertura entre
10-17% associada a pradarias e matagais, estes últimos com alturas de 3-7 metros. Este tipo de
vegetação predomina na localidade de Pessene-Sede).
Floresta Arbustiva: Compreende toda a faixa fronteiriça na parte Oeste do distrito com 0,5-3
metros de altura.
Matagais: São largamente visíveis junto à albufeira, em Corumana e em pequenas manchas junto
aos rios em Moamba-Sede, Chinhanguanine e a Sudoeste do distrito.

O potencial natural é insuficiente para as necessidades crescentes da região, agravadas pela procura
de lenha e o fabrico de carvão por parte de citadinos de Maputo. Não existe uma acção coordenada

Página 4
Moamba
________________________________________________________________________________________________

entre as diversas autoridades, o que origina riscos de desflorestação e desertificação da província e,


em particular, deste distrito.

Os recursos faunísticos que se destacam em Moamba são elefantes, leões, gazelas, coelhos, aves e
répteis, com particular relevo para a região fronteiriça com a África do Sul.

11..88 IInnffrraaeessttrruuttuurraass ee SSeerrvviiççooss


O distrito de Moamba é atravessado pela Estrada Nacional n° 4, ligando a cidade de Maputo e
Ressano Garcia (119km). As ligações entre os postos administrativos são feitas por estradas de terra
planada ou picadas, onde as dificuldades em transitar são notórias, sobretudo na época das chuvas.

Dentre várias pontes existentes no distrito, destaca-se a localizada sobre o rio Incomáti, próximo à
vila de Moamba.

A via férrea Maputo–Ressano Garcia (Corredor do Maputo) serve o distrito com comboios de carga
e de passageiros diários. A linha férrea Moamba-Xinavane não está operacional.

Funcionam somente duas linhas de transporte público de passageiros e uma frota de transporte
semicolectivo num total de 30 transportadores licenciados explorando as seguintes rotas:

• Moamba-Cidade de Maputo vice e versa;


• Moamba-Ressano Garcia vice e versa;
• Moamba-Sabie-Corrumana vice e versa.
A rede rodoviária e ferroviária possui um importante papel no transporte de carga e de passageiros a
nível local, regional e internacional, sem no entanto trazer grandes benefícios para o distrito de
Moamba.

Existem duas pistas de aterragem de avionetas, uma localizada na Vila de Sábiè em bom estado e a
outra em Corujinha em estado de abandono, que esteve ligada à construção da barragem de
Corujinha.

No que diz respeito as comunicações, o Distrito tem acesso a internet e conta com duas redes de
telefonia móvel nomeadamente a Mcel e Vodacom com um raio de cobertura de cerca de mais de 80
e 70% respectivamente. Está em implantação a nova rede de telefonia móvel da Empresa Movitel,
cujos trabalhos de instalações já se encontram a decorrer.

Para além destas existe na área de comunicações a Empresa Telecomunicações de Moçambique


(TDM) com um número considerável de linhas instaladas ao nível do Distrito da Moamba. Contando
ainda com a disponibilidade da rede de internet ao nível local.

Em 2011, o índice de cobertura de abastecimento de água no Distrito situou-se na ordem de 68%.


Com excepção da sede do Posto Administrativo de Pessene, as sedes dos Postos

Página 5
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Administrativos do distrito de Moamba possuem um sistema de abastecimento de água a nível do


domicílio. As áreas não beneficiárias do sistema de abastecimento de água usam outras fontes
alternativas como os rios (Rio Incomáti, Sábiè e outros afluentes) e poços e furos, cuja cobertura é
insuficiente.

A energia eléctrica beneficia aproximadamente 10% da população. A rede de iluminação pública


está implantada ao nível da Vila de Moamba, e nas sedes dos Postos Administrativos de Ressano
Garcia e Sábiè.

O recurso energético do distrito situa-se na barragem de corumana no rio Incomáti com capacidade
de 14,5 MW. Esta barragem tem estado a fornecer água de irrigação de Posto de Sábie e apoiar no
fornecimento de energia eléctrica a cidade de Maputo no período de maior consumo.

Está em implementação um projecto aprovado pelo Centro de Promoção de Investimentos em 2012 -


que consiste na construção e exploração de uma central eléctrica a gás natural para a produção e
venda de energia eléctrica, nos termos do contrato de concessão, num valor aproximado de
241.700.000 USD.

Este distrito possui 65 escolas (das quais, 62 do ensino primário nível 1), e está servido por 9
unidades sanitárias que estabelecem o acesso da população aos serviços do Sistema Nacional de
Saúde.

11..99 E
Eccoonnoom
miiaa

Estima-se2 em 229 mil hectares o potencial de terra arável do distrito da Moamba (cerca de metade
da área total) estando ocupados pela exploração agrícola menos de 20% desta área e pela pecuária
cerca de 60 mil hectares de pasto, isto é, 23% da terra arável.

O distrito possui em geral solos de baixa fertilidade, à excepção dos vales do Incomáti e do Sabiè,
com boa aptidão agrícola. De um modo geral, a agricultura é praticada em explorações familiares de
1,5 ha, em regime de consociação de culturas com base em variedades locais.

As principais culturas são o milho, amendoim, feijão-nhemba, abóbora, cana sacarina, batata-doce e
mandioca, alimentando-se a população de cereais e tubérculos (milho, mandioca e arroz)
acompanhados de verduras, feijões, amendoim, peixe e carne de caça.

O Distrito da Moamba seleccionou 4 vectores de desenvolvimento num leque de vários produtos a


destacar: Batata-reno, Milho, Gado e Tomate.

O sector empresarial dedica-se à agricultura, principalmente milho, ao cultivo de hortícolas e banana,


à criação de gado bovino (gado de corte), caprino e suíno e à exploração florestal.

2
Conforme JVA CENACARTA-IGN France International, ESTATÍSTICAS DE USO E COBERTURA DA TERRA, Nov. 1999
(escala 1:250,000)

Página 6
Moamba
________________________________________________________________________________________________

A agricultura enfrenta o problema da falta de chuvas e da falta de financiamento para o


funcionamento e manutenção dos regadios, dado que os camponeses não têm capital suficiente e não
conseguem enfrentar os custos elevados de produção. Apesar destes problemas, a produção agrícola
tem vindo a ter significativo crescimento nos últimos anos.

Apesar de grande parte das infraestruturas (tanques carracicidas, corredores, furos, represas,
bebedouros e bombas) estarem paralisadas, o distrito da Moamba é o 2° maior criador de gado da
província de Maputo, possuindo cerca de 52 mil cabeças de bovinos que ocupam, aproximadamente,
uma área de pasto de 60 mil ha.

É realizada anualmente uma feira agropecuária com exposição e venda de produtos dos sectores
familiar e comercial do distrito. A maior parte dos produtos agrícolas são, porém, vendidos nos
mercados da cidade de Maputo.

A rede comercial do distrito foi bastante destruída durante a guerra. Em 2011, a rede comercial do
Distrito era composta por 118 lojas, 245 barracas, 167 bancas, 37 tendas, 46 ambulantes e 22 agentes
de comercialização agrícola.

A actividade pesqueira é fundamentalmente artesanal, com predomínio do uso do anzol, e


desenvolvida na Albufeira de Corujinha, permitindo o escoamento diário de peixe fresco e seco para
os mercados da capital e dos distritos circunvizinhos.

Nos últimos anos as áreas florestais sofreram uma grande devastação. A procura de lenha e o fabrico
de carvão por parte dos citadinos de Maputo tem agravado a já crítica situação dos recursos
lenhosos.

A indústria está muito pouco desenvolvida. No que diz respeito a rede industrial, o Distrito conta
com 6 Serralharias, 7 Carpintarias, 6 Olarias, 3 Oficinas, 10 Padarias, 6 Estaleiros e 4 Moageiras e 1
fábrica de refeições na vila de Ressano Garcia com objectivo de confeccionar refeições para os
mineiros em trânsito de/e para a RAS.

A rede comercial do distrito foi bastante destruída durante a guerra. No quadro apresentado abaixo
pode-se observar que o Distrito conta com 118 lojas, 245 barracas, 167 bancas, 37 tendas, 46
ambulantes e 22 agentes de comercialização agrícola.

Embora o distrito apresente potencialidades naturais, depara-se com a falta de infraestruturas fulcrais
para o sucesso do turismo, contando com 40 restaurantes, 9 estabelecimentos de alojamento, 2
parques, 1 agência de viagens e 1 balcão de informação turística.

Página 7
Moamba
________________________________________________________________________________________________

11..1100 H
Hiissttóórriiaa ee C
Cuullttuurraa
A população originária das terras da Moamba é difícil de determinar. Actualmente o grupo “Ronga”
da família “Thonga” é o principal, seguido pelo grupo “Shangane”. Existem também segmentos
“chopes” e núcleos de “swazis” da família “Nguni”.

Por volta de 1730, Moamba era habitado por pequenos chefes independentes da tribo Rongas
originada do cruzamento Tsongas com os Macarangas e, mais tarde, com Swazis e outros povos.

De 1810 a 1816, Manucusse acompanhado de grande número de partidários Ngunes, Zulos e Swazis
entrou pelo Maputo seguindo Catembe e montes Libombos penetrando nas terras da Moamba
atravessando o rio Incomáti na região de Tchangane, no ponto onde hoje está a estação de Caminhos
de Ferro de Incomáti, tendo passado a Mavila, por alturas de Corumane, sem encontrar resistência.

Origem do nome Moamba

A origem da designação “Moamba” tem várias versões, tendo como consenso que está associado ao
grupo guerreiro que ocupou inicialmente a região.

A primeira sustenta que a sua origem remonta a um grupo de guerreiros vindo da Swazilândia e
dirigido pelo chefe Popo, que invadiu as terras de Moamba e derrotou os Rongas que, ao tempo, não
conheciam armas de ferro (zagaias), tendo-se instalado na floresta que existia entre Pessene e Dingue
(lhambetuene), junto de uma árvore chamada Nwamba, nome que passou a designar a zona.

Outra versão diz que em tempos remotos, o régulo Chirindza andava em guerra com Manhiça e que a
luta era feita de maneira muito primitiva pois, agrediam-se com massalas e macuacuas o que apenas
provocava contusões.

Popo, falou ao seu amigo Chirindza que uma guerra séria não era feita assim, pedindo para o deixar
agir, tendo-se lançado com os seus homens armados de zagaias contra os Manhiças, provocando uma
matança de grande escala.

Chirindza, vendo os inimigos mortos pelas zagaias, denominou os seus aliados de Mambas, nome da
cobra mais perigosa e venenosa da região.

Assim, os Nwambas foram honrados e designados Mambas, cognome que mais tarde foi deturpado
para Muamba ou Moamba.

A ocupação portuguesa

A ocupação portuguesa das terras de Moamba data de 1833, com a construção das primeiras
povoações comerciais.

Página 8
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Em 1929, o exercício do comércio aumentou, estando a sede do Distrito localizada na povoação de


Sábiè. A povoação de Moamba era, então, conhecida por cinquenta (Km 53) da linha férrea Maputo-
Pretória.

Devido à sua situação geográfica e à passagem da linha férrea a importância desta povoação
aumentou consideravelmente, passando em 1927 a ser a sede do Distrito.

Em 1964, pela portaria n° 17.731 de 18 de Abril, a povoação de Moamba foi elevada à categoria de
Vila, tendo na altura 34 casas de alvenaria.

A localidade de Matunganhane foi parcialmente absorvida pela albufeira de Corumana, sendo a sua
administração feita directamente pelas estruturas da sede do posto de Sabié. Situação semelhante
ocorre na localidade de Rengué, embora fazendo parte do posto de Sábiè, é administrada pelo Posto
de Ressano Garcia vizinho.

Resenha histórica

A localidade de Ressano Garcia possui uma vila do mesmo nome que surgiu em homenagem ao Sr.
Frederich Ressano Garcia por este ter sido, neste ponto fronteiriço, impulsionador (conselheiro)
junto dos governos de Portugal e da África do Sul na construção da linha férrea entre Pretória e a
cidade de Lourenço Marques no longínquo ano de 1889.

Em 1889 a região de Ressano Garcia era caracterizada por pequenas construções de madeira e zindo
associado a cantinas de portugueses e indianos. Possuía ainda uma estação ferroviária e uma fábrica
de álcool. No período 1900-1901, associado à guerra anglo-boer na vila, são erguidas construções
melhoradas (uma casa do fiscal da migração, uma residência do administrador, e uma cantina de
abastecimento de madeira e zinco).

A sua importância enquadra-se no desenvolvimento do comércio e nas tentativas de se beneficiar da


linha férrea ligando as ex-cidades de Lourenço Marques e de Transvaal, na República da África do
Sul, tendo sido criado pela portaria n° 427 de 26/08/1891, como centro comercial e ferroviário de
extrema importância.

11..1111 SSoocciieeddaaddee cciivviill

O Distrito possui um Conselho Consultivo Distrital composto por 50 membros e presidido pelo
Administrador Distrital. No Distrito funcionam quatro Conselhos Consultivos dos Postos
Administrativos, presididos pelo respectivo Chefe do Posto Administrativo. No seu funcionamento
participativo estes envolvem os membros dos 10 Conselhos Consultivos de Localidade.

O conjunto destes órgãos consultivos possui 290 membros, que têm recebido acções de formação e
capacitação em Organização e Funcionamento, Elaboração de Projectos e Monitoria e Avaliação.

Página 9
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Os membros dos Conselhos Consultivos do Distrito são envolvidos na apreciação do PEDD e


PESOD e na avaliação periódica dos instrumentos da planificação territorial local, bem como no que
se refere à opinião sobre a viabilidade de projectos de iniciativa local e projectos com impacto
directo nas comunidades, no âmbito de investimento local, que são submetidos posteriormente para
decisão do Conselho Consultivo Distrital.

No que respeita ao desenvolvimento da sociedade civil, importa referir que existem várias
associações e cooperativas de camponeses, bem como a Associação de Amigos da Moamba.

Quanto às autoridades comunitárias de 1ª e 2ª linhas (régulos, chefes de terras e secretários de


bairro), foram legitimados e reconhecidos, com base do Decreto nº 15/2000. A relação entre a
Administração e as autoridades comunitárias é positiva e tem contribuído para a solução dos vários
problemas locais, nomeadamente os surgidos devido aos conflitos de terras existentes no distrito.

A religião dominante é a Sião/Zione. Existem várias outras crenças no distrito e representantes das
respectivas hierarquias, que se têm envolvido, em coordenação com as autoridades distritais, em
várias actividades de índole social.

Página 1 0
Moamba
________________________________________________________________________________________________

3
22 D mooggrraaffiiaa3
Deem
A superfície do distrito4 é de 4.589 km2 e a sua população está estimada em 64.147 habitantes à data
de 1/7/2012. Com uma densidade populacional aproximada de 14 hab/km2, prevê-se que o distrito
em 2020 venha a atingir os 77 mil habitantes.

22..11 E
Essttrruuttuurraa eettáárriiaa ee ppoorr sseexxoo
A estrutura etária do distrito reflecte uma relação de dependência económica de 1:1, isto é, por cada
10 crianças ou anciões existem 10 pessoas em idade activa. Com uma população jovem (39%,
abaixo dos 15 anos), tem um índice de masculinidade de 94% (por cada 100 pessoas do sexo
feminino existem 94 do masculino) e uma taxa de urbanização de 36%, concentrada na Vila da
Moamba e de Ressano Garcia e zonas periféricas de matriz semiurbana.
Quadro 1. População por posto administrativo, 1/7/2012
Grupos etários
TOTAL 0-4 5 - 14 15 - 44 45 - 64 65 e mais
Total 64,147 9,409 15,729 27,626 7,912 3,472
Homens 31,042 4,608 7,825 13,632 3,582 1,395
Mulheres 33,106 4,801 7,904 13,995 4,330 2,077
P.A. da Moamba 19,172 2,865 4,617 8,644 2,227 819
Homens 9,312 1,404 2,232 4,279 1,086 311
Mulheres 9,860 1,461 2,386 4,365 1,141 508
P.A. de Pessene 16,484 2,368 4,166 5,823 2,703 1,423
Homens 7,800 1,168 2,133 2,890 1,067 543
Mulheres 8,684 1,201 2,033 2,934 1,637 880
P.A. de Ressano Garcia 10,284 1,480 2,336 5,296 901 270
Homens 4,997 719 1,144 2,578 454 102
Mulheres 5,287 761 1,192 2,719 447 169
P.A. de Sábiè 18,208 2,696 4,609 7,862 2,080 960
Homens 8,933 1,317 2,316 3,885 975 440
Mulheres 9,274 1,378 2,293 3,977 1,106 520
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Das pessoas residentes no distrito, 58% nasceram no próprio distrito, o que denota fluxos de
migração internos baixos. No caso das mulheres este fluxo é semelhante entre distritos da mesma
província e menor quando considerado em relação a outras províncias do país.
Quadro 2. Pessoas residentes no distrito, segundo o local de nascimento
    Local  de  Nascimento  
No  próprio   Noutro  distrito  da   Noutra  
    distrito   mesma  província   Província  
Total   58.1%   9.6%   32.3%  
 -­‐  Homens   55.3%   8.2%   36.4%  
 -­‐  Mulheres   60.8%   10.8%   28.4%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

3
Os dados demográficos e da habitação, excepto nota contrária, estão referidos a 1/8/2007, última data censitária.
4
Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção http://www.cenacarta.com

Página 1 1
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Figura 2. Postos Administrativos e Densidade Populacional, 1/7/2012

Sabiè
7,7 hab/km2

R. Garcia
55,3 hab/km2
Moamba
13,1 hab/km2

Pessene
30,2 hab/km2
22..22 T
Trraaççoo ssoocciioollóóggiiccoo
Das 16.570 famílias5 do distrito, o grupo mais significativo é o tipo sociológico alargado (40%), isto
é, com um ou mais parentes para além de filhos e têm, em média, 4 pessoas.

Quadro 3. Agregados familiares, segundo a dimensão


% de agregados, por dimensão
1-2 3-5 6 e mais
39.6% 37.7% 22.7%
Fonte: INE, Dados do Censo de 2007 e Projecções globais da população.

Quadro 4. Agregados familiares, segundo o tipo sociológico


TIPO SOCIOLÓGICO DE AGREGADO FAMILIAR
Monoparental (1) Nuclear
Unipessoal Alargado (2)
Masculino Feminino Com filhos Sem filhos
22.6% 1.4% 8.3% 19.9% 8.4% 39.5%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística – Censo de 2007.
1) Família com um dos pais.
2) Família nuclear ou monoparental com ou sem filhos e um ou mais parentes.

Na sua maioria casados após os 12 anos de idade, têm forte crença religiosa, dominada pela religião
Sião ou Zione.

Quadro 5. Distribuição da população, segundo o estado civil


Com 12 anos ou mais, por Estado civil
Casado ou Separado/
Total Solteiro união Divorciado Viúvo
100.0% 34.4% 51.6% 5.2% 8.8%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística – Censo de 2007.

5
Estimativa para 2012 a partir das projecções da população do Censo de 2007.

Página 1 2
Moamba
________________________________________________________________________________________________

22..33 L
Líínngguuaass ffaallaaddaass
Tendo o Xichangana como língua materna dominante, constata-se que 66% da população do distrito
(com 5 ou mais anos de idade) tem conhecimento da língua portuguesa, sendo este domínio
predominante nos homens, dada a sua maior inserção na vida escolar e no mercado de trabalho.

Quadro 6. População com 5 anos ou mais, por língua materna e sexo


GRUPO ETÁRIO
TOTAL 5-9 10 - 14 15 - 19 20 - 44 45 e mais
TOTAL 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0%
Xirhonga 6.3% 6.1% 6.6% 5.8% 4.6% 6.7%
Xichangana 67.4% 72.2% 71.8% 69.2% 63.6% 65.2%
Português 11.5% 16.3% 15.8% 15.0% 14.2% 7.4%
Xitshwa 6.4% 1.9% 2.1% 3.7% 8.3% 9.2%
Outras 14.8% 5.5% 5.8% 9.9% 17.5% 20.7%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística – Censo de 2007.

Figura 3. População com 5 anos ou mais, por língua materna

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Página 1 3
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 7. População de 5 anos ou mais e conhecimento de Português


Sabe falar Português Não sabe falar Português
Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres
Total 66.0% 73.4% 59.1% 34.0% 26.6% 40.9%
5 - 9 anos 53.7% 52.2% 55.2% 46.3% 47.8% 44.8%
10 - 14 anos 83.5% 81.7% 85.4% 16.5% 18.3% 14.6%
15 - 44 anos 95.6% 95.9% 95.3% 4.4% 4.1% 4.7%
45 anos ou mais 80.2% 87.5% 69.0% 19.8% 12.5% 31.0%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística.

22..44 A
Annaallffaabbeettiissm
moo ee E
Essccoollaarriizzaaççããoo
Com 61% da população alfabetizada, predominantemente homens, o distrito tem uma taxa de
escolarização normal, constatando-se que 71% dos seus habitantes frequentam ou já frequentaram a
escola, ainda que maioritariamente somente até ao nível primário.

Quadro 8. População com 15 ou mais anos, e alfabetização, 2007


Taxa de analfabetismo
TOTAL Homens Mulheres
Total 39.1% 26.6% 50.5%
15 - 19 anos 15.8% 14.8% 16.9%
20 - 24 anos 26.9% 22.5% 30.9%
25 - 29 anos 32.6% 25.6% 40.0%
30 - 44 anos 37.8% 27.0% 47.9%
45 anos ou mais 60.9% 36.1% 80.1%
P.A. da Moamba 34.7% 22.1% 46.4%
P.A. de Pessene 42.2% 25.8% 55.6%
P.A. de Ressano Garcia 23.6% 15.8% 30.9%
P.A. de Sabié 50.1% 38.4% 61.2%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Página 1 4
Moamba
________________________________________________________________________________________________

6
33 H
Haabbiittaaççããoo ee C Viiddaa6
Coonnddiiççõõeess ddee V
As características físicas das habitações, especialmente o material usado na sua construção e o acesso
a serviços básicos de água, saneamento e energia, são indicadores importantes do nível de vida dos
agregados familiares. As características do parque habitacional duma sociedade constituem um
indicador bastante relevante do nível de desenvolvimento socioeconómico.

Quadro 9. Habitações segundo o regime de propriedade


Total  de  Habitações   100.0%  
 -­‐  Próprias   87.1%  
 -­‐  Alugadas   4.2%  
 -­‐  Cedidas  ou  emprestadas   6.6%  
 -­‐  Outro  regime   2.1%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

A maioria (87%) das cerca de 17 mil habitações7 existentes no distrito são de propriedade própria. O
tipo de habitação dominante é a casa mista (58%), que é um tipo de habitação que combina materiais
de construção duráveis e materiais de origem vegetal. As casas básicas representam 19% do parque
habitacional do distrito, e 21% das habitações são palhotas, que é a forma tradicional de casa rural.

Quadro 10. Tipo de habitações


Casa convencional8 ou apartamento9 2.9%  
Casa mista10 57.9%  
Casa básica11 18.7%  
Palhota12, casa improvisada13 e outras 20.5%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

6
Os dados demográficos e da habitação, excepto nota contrária, estão referidos a 1/8/2007, última data censitária.
7
Estimativa para 2012 a partir das projecções da população do Censo de 2007.
8
Casa convencional - é uma unidade habitacional unifamiliar que tenha quarto(s), casa de banho, cozinha dentro de casa, e
construída com materiais duráveis (bloco de cimento, tijolo, chapa de zinco/lusalite, telha/laje de betão). Pode ser de rés do chão,
mais de 1 ou 2 pisos.
9
Flat/apartamento - é uma unidade habitacional que tenha quarto(s) casa de banho, cozinha pertencente a uma unidade habitacional
multifamiliar com 1 ou mais pisos podendo ser de um bloco ou conjunto de blocos.
10
Casa mista – é uma casa construída com materiais duráveis (bloco de cimento, tijolo, chapa de zinco/lusalite, telha/laje de betão),
materiais de origem vegetal (capim, palha, palmeira, colmo, bambu, caniço, paus maticados, madeira, etc) e adobe.
11
Casa básica – é uma unidade habitacional que só tem quarto(s) e não tem casa de banho e ou cozinha, sendo construída com
materiais duráveis (bloco de cimento, tijolo, chapa de zinco/lusalite, telha/laje de betão). Inclui-se nesta categoria o conjunto de
quartos geminados (casa comboio) que utilizam os mesmos serviços (casa de banho, cozinha e água).
12
Palhota – é uma casa cujo material predominante na construção é de origem vegetal (capim, palha, palmeira, colmo, bambu,
caniço, adobe, paus maticados, etc).
13
Casa improvisada – são habitações construídas com material improvisado e precário, tal como papel, saco, cartão,, latas, cascas de
árvores, etc.

Página 1 5
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Figura 4. Tipo de habitações

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Apesar de as condições de habitação serem diferentes entre as zonas urbanas e rurais do distrito,
verifica-se um padrão comum dos materiais de construção caracterizado por:
• A maioria das casas tem paredes de caniço/paus (65%) ou blocos de cimento ou tijolo (23%);
• A maioria das casas tem cobertura de chapas ou telhas (77%); e
• A maior parte das casas tem pavimento de cimento (39%), seguido de adobe (29%).

Quadro 11. Habitações segundo o material de construção


Em  %  
    Total   Urbano   Rural  
Paredes   100.0%   100.0%   100.0%  
 -­‐  Blocos  de  cimento  ou  tijolo   22.9%   43.8%   12.4%  
 -­‐  Caniço  /  Paus   65.3%   51.3%   72.3%  
 -­‐  Madeira  /  Zinco   1.9%   2.4%   1.7%  
 -­‐  Outro  material   9.9%   2.5%   13.6%  
Cobertura   100.0%   100.0%   100.0%  
 -­‐  Chapas  ou  telhas   76.6%   92.3%   68.6%  
 -­‐  Laje  de  betão   1.1%   2.2%   0.6%  
 -­‐  Capim  ou  outro  material   22.3%   5.5%   30.8%  
Pavimento   100.0%   100.0%   100.0%  
 -­‐  Cimento,  parquet  ou  mosaico   38.8%   69.4%   23.5%  
 -­‐  Adobe   28.8%   5.9%   40.4%  
 -­‐  Sem  nada   32.3%   24.8%   36.1%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Página 1 6
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Figura 5. Habitações segundo o material de construção

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

O gráfico e quadro seguintes mostram a distribuição percentual das habitações por acesso aos
serviços básicos. Ainda que maior nas áreas urbanas do distrito, o acesso a serviços básicos é
também limitado nestas áreas. Em geral a situação de acesso pode ser assim caracterizada:
• Só 19% das casas tem energia eléctrica;
• A maioria das famílias (67%) usa o petróleo como fonte de energia;
• Cerca de 42% das famílias tem acesso a fontes de água potável14; os pequenos sistemas de
abastecimento canalizado nas vilas da Moamba e R. Garcia cobrem 26% das casas; e
• Somente 24% das famílias usam sistemas de saneamento melhorados15.

Figura 6. Habitações e condições básicas existentes

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

14
Água canalizada (dentro e fora da casa), fontenário e poço/furo protegido c/ bomba.
15
Retrete ligada a fossa séptica, Latrina melhorada e Latrina tradicional melhorada.

Página 1 7
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 12. Habitações, água, saneamento e energia


Casa Casa Casa
HABITAÇÕES  E  CONDIÇÕES  BÁSICAS  EXISTENTES TOTAL Palhota
convencional mista básica
ENERGIA 100.0 100.0 100.0 100.0 100.0
Electricidade 18.6 71.3 12.3 46.5 0.4
Gerador/placa solar 0.3 2.2 0.2 0.7 0.0
Gás 0.0 0.2 0.0 0.0 0.0
Petróleo/parafina/querosene 66.7 22.8 73.8 42.4 77.1
Velas 9.5 2.2 10.0 9.0 9.7
Baterias 0.1 0.2 0.2 0.1 0.1
Lenha 4.1 0.6 2.9 0.7 11.4
Outras 0.7 0.4 0.5 0.7 1.3
ÁGUA 100.0 100.0 100.0 100.0 100.0
Água canalizada 25.5 65.7 24.9 44.7 1.1
- dentro da casa 2.8 56.2 1.8 0.0 0.0
- fora de casa 22.6 9.5 23.1 44.7 1.1
Não-canalizada 74.5 34.3 75.1 55.3 98.9
- fontenário 8.9 3.0 10.0 11.7 3.8
- poço/furo protegido c/ bomba 7.2 3.0 8.0 4.6 8.3
- poço sem bomba 28.4 8.9 26.8 15.4 49.7
- rio/lago/lagoa 29.0 17.8 29.5 22.8 35.3
- chuva 0.1 0.6 0.1 0.1 0.2
- outros 0.8 1.0 0.7 0.7 1.5
SANEAMENTO 100.0 100.0 100.0 100.0 100.0
Retrete ligada a fossa séptica 4.2 72.9 1.2 5.6 0.0
Latrina melhorada 6.8 9.9 3.0 22.9 1.5
Latrina tradicional melhorada 12.8 5.3 12.3 21.9 6.1
Latrina não melhorada 34.4 6.7 42.5 28.6 20.7
Não tem retrete/latrina 41.8 5.3 40.9 21.0 71.7
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

No que diz respeito a posse de bens, a incidência da posse de bens duráveis pelas famílias residentes
no distrito é apresentada na tabela seguinte.

Quadro 13. Famílias, segundo a posse de casa própria e bens duráveis


Casa Telefone Nenhum
própria Rádio Televisor fixo Computador Carro Motorizada Bicicleta bem
87.1%   55.4%   14.7%   0.3%   0.6%   3.8%   1.0%   15.0%   39.6%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Constata-se que, exceptuando a casa própria, 40 por cento das famílias não possuem nenhum dos
bens listados na tabela e observados aquando do Censo da População de 2007.

Página 1 8
Moamba
________________________________________________________________________________________________

44 O
Orrggaanniizzaaççããoo A
Addm
miinniissttrraattiivvaa ee G
Goovveerrnnaaççããoo
O distrito da Moamba, com sede na Vila de Moamba, é constituído por quatro postos
administrativos: Moamba-Sede, Ressano Garcia, Sabié e Pessene, que estão subdivididos em 10
localidades.

Posto Administrativo Localidade Aglomerados


Moamba-Sede Moamba-Sede Vila da Moamba, Chimbozane, Nhoquene, Josina
Machel, Mahambacheco, Golomo
Ressano Garcia Ressano Vila Sede, Chimparambo, Incomáti, Chanculo,
Garcia Movene, Mubobo
Pessene Pessene-Sede Sede Mahoche, Maguaza, Chivonzuanine,
Vachanine, Hilaguene, Waimbela, Tenga
Mahulane Sede, Chiboene, Mucapane, Matchumbutane,
Muzele, Khokholo e Gohloza
Vundiça Sede, Matchitchi, Marrilane, Mbene, Lango
Sábiè Sábiè Vila, Corumane, Chavane, Lingongo, Incomanine,
Mulombo I, Mulombo II, Mafufine, Valha, Chicuvati
Rengué Rengué
Macaene Mucacaze
Malengane Mucambo, Goane I, Colela, Bandola, Nwamanhanga,
Muburo, Chinhanguanine, Gueva, Malungane
Estação
Matunganhane População dispersa
Fonte: Administração Distrital

44..11 G
Goovveerrnnoo D
Diissttrriittaall
O Governo Distrital é dirigido pelo Administrador de Distrito e, ao abrigo da Lei nº 8/2003 de 19 de
Maio, está estruturado na Secretaria Distrital e nos seguintes Serviços Distritais:
• Actividades Económicas;
• Saúde, Mulher e Acção Social;
• Educação, Juventude e Tecnologia; e
• Planeamento e Infraestruturas.

Página 1 9
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Página 2 0
Moamba
________________________________________________________________________________________________

De acordo com o Estatuto Orgânico do Governo Distrital aprovado pelo Decreto nº 6/2006 de 12 de
Abril, a Estrutura Tipo do Governo Distrital é a que é apresentada em seguida.

Estrutura Tipo do Governo Distrital

Fonte: Decreto nº 6/2006 de 12 de Abril

Para além destes serviços, funcionam ainda as seguintes instituições públicas:


• Tribunal Judicial;
• Registo e Notariado;
• Comando Distrital da PRM;
• Procuradoria Distrital da República;
• Alfândegas;
• Migração;
• SISE.

Com um total de 984 funcionários (408 mulheres), apresenta a seguinte distribuição por nível
académico:
• Superior 51
• Médios 291
• Elementar 251
• Básico 391

O Distrito possui um Conselho Consultivo Distrital composto por 50 membros e presidido pelo
Administrador Distrital. Em 2011 o CCD aprovou 48 projectos de iniciativa local. No Distrito
funcionam quatro Conselhos Consultivos dos Postos Administrativos, presididos pelo respectivo
Chefe do Posto Administrativo. No seu funcionamento participativo estes envolvem os membros dos
10 Conselhos Consultivos de Localidade.

O conjunto destes órgãos consultivos possui 290 membros, que têm recebido acções de formação e
capacitação em Organização e Funcionamento, Elaboração de Projectos e Monitoria e Avaliação.

Página 2 1
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Os membros dos Conselhos Consultivos do Distrito são envolvidos na apreciação do PEDD e


PESOD e na avaliação periódica dos instrumentos da planificação territorial local, bem como no que
se refere à opinião sobre a viabilidade de projectos de iniciativa local e projectos com impacto
directo nas comunidades, no âmbito de investimento local, que são submetidos posteriormente para
decisão do Conselho Consultivo Distrital.

No contexto da reforma do sector público, foi nomeado o Secretário Permanente Distrital, foram
institucionalizados os Conselhos Locais (Localidade, Posto Administrativo e Distrito), Balcão de
Atendimento Único Distrital (BAUD), descentralizados os investimentos no distrito, tramitados os
expedientes para a nomeação de directores dos serviços distritais bem como dos chefes de
Localidade, e foi feito ainda prosseguida a reforma do sector público.

A governação tem por base os Presidentes das Localidades, Autoridades Comunitárias e


Tradicionais. Os Presidentes das Localidades são representantes da Administração e subordinam-se
ao Chefe do Posto Administrativo e, consequentemente, ao Administrador Distrital, sendo
coadjuvados pelos Chefes de Aldeias, Secretários de Bairros, Chefes de Quarteirões e Chefes de
Blocos.

Dada a situação de fronteira do distrito, ao abrigo do Memorando de entendimento entre os


Governos da Província de Maputo e da Província sul-africana de Mpumalanga, o Governo Distrital
tem estabelecido acções de cooperação com o distrito de Elhazeni, tendo em vista:

• A promoção económica e social da região;


• A criação de infraestruturas turísticas na zona de Mbuzini; e
• O combate ao roubo do gado na região.

44..22 SSíínntteessee ddaass aattrriibbuuiiççõõeess ee ddaa aaccttiivviiddaaddee ddooss óórrggããooss ddiissttrriittaaiiss


Nesta secção, sem pretender ser exaustivo transcrevendo o rol de tarefas realizadas, focam-se as
principais actividades de intervenção pública directa que contribuem para o desenvolvimento social e
económico do distrito.

4.2.1 Secretaria Distrital

A Secretaria Distrital dirigida por um Secretário Permanente Distrital é o órgão do Governo Distrital
que tem como principais funções e realizou actividades no âmbito de (a) prestar assistência técnica e
administrativa ao Governo Distrital; (b) assegurar a gestão dos recursos humanos, materiais e
financeiros do Governo Distrital; (c) assistir na organização e controlo das actividades do Governo
distrital, bem como na elaboração de relatórios de análise de actividades do Governo Distrital; e (d)
garantir a assistência técnica e administrativa necessária ao funcionamento dos postos
administrativos, localidades e povoações.

Página 2 2
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Estrutura Orgânica da Secretaria Distrital

Secretário  Permanente
Distrital

Repartição  de  Planificação Repartição  de Repartição  de  Administração  Local Secretaria
e  Desenvolvimento  Local Finanças e  Função  Pública Geral

Fonte: MAE/DNAL.

4.2.2 Serviço Distrital de Actividades Económicas

Este Serviço é dirigido por um director e tem como funções específicas de entre outras: (a) a
promoção do uso adequado do solo e a gestão florestal; (b) o incentivo da produção alimentar e de
culturas de rendimento; (c) o fomento pecuário e a construção comunitária de tanques carracicidas;
(d) a emissão de emitir licenças de pesca artesanal, caça e de abate, bem como o combate a caça
furtiva; (e) a promoção da piscicultura e da apicultura; (f) a divulgação do potencial económico,
industrial, turístico e cinegético local; (g) a promoção da pequena indústria e mineração artesanal;
(h) a emissão de pareceres sobre pedidos de licenciamento de actividades económicas, licenciar
actividades comerciais e emitir licenças turísticas; (i) efectuar o recenseamento das actividades de
artesanato; e (j) promover mecanismos de financiamento das actividades produtivas.

Agricultura e Desenvolvimento Rural

O distrito da Moamba, apesar da sua baixa densidade populacional, tem uma procura externa de
terrenos elevada, que está na origem de vários conflitos ligados à posse da terra, para cuja solução e
moderação, tem contribuído a Administração e a DADR (Serviços de Geografia e Cadastro) em
coordenação com anciãos influentes localmente.

De um modo geral, a região de Moamba é de solos pobres, salvo os das bacias dos rios Incomáti e do
Sabiè, com boa aptidão agrícola, sendo uma região com aptidão marginal para a prática de
agricultura de sequeiro, embora seja a mais praticada pela população, com baixa produtividade e alto
risco, em explorações familiares de menos de 1 hectare e dependentes das condições de
pluviosidade. Os potenciais disponíveis de água para irrigação são muito inferiores às necessidades.

Para fazer face à situação de vulnerabilidade alimentar, as autoridades distritais têm um plano de
acção para redução do impacto da estiagem incluindo sementes e culturas resistentes e introdução de
tecnologias adequadas ao sector familiar.

Existe uma rede de extensão que funciona ao nível da vila sede e em Sábiè, e que divulga mensagens
e tecnologias no âmbito da produção local de sementes, multiplicação de estacas de mandioca, ramas
de batata-doce de polpa alaranjada e produção de fruteiras.

Página 2 3
Moamba
________________________________________________________________________________________________

No âmbito do programa de difusão de novas tecnologia aos produtores, está em curso a montagem
de 3 ( três ) campos de demonstração de resultados, para a cultura de feijão verde de Variedade
Survivor, com 1000 m² cada, sendo 1 ( um ) na Associação 7 de Abril e 2 no regadio de Bloco I e
Bloco II respectivamente. De realçar que esta actividade está a ser realizada em parceria com a ONG
LUPA.

No âmbito do PAPA o Distrito recebeu 270 tons de semente da batata Reno var BP1, 15ton de
semente de milho de variedade “Matuba”, 7kg de semente de tomate var. “Rio Fuego”, 57Kg de
cebola var. “Texas Grano” e 400Kg de semente de Feijão vulgar. De referir que estas sementes
foram entregues ao provedor local para posterior revenda a preços subsidiados.

No âmbito da produção agrícola, foi realizado no Bloco I - Moamba-sede, a abertura oficial da


campanha agrícola 2010/2011 que contou com a presença de 320 produtores. Nesta foram entregues
500 kg de sementes de variedade PAN67.

E ainda foi entregue ao Posto Administrativo de Pessene 336 m³ de estacas de mandioca , para as
Associações de camponeses da localidade de Tenga. Recebemos 32.354 socas de ananaseiros , que
foram distribuídas para os Postos Administrativos de Moamba –Sede e Pessene das quais 12.000
para Moamba – Sede nos povoados de Maguaza e Lhembe ( 6.000 socas para cada povoado) e
para o Posto Administrativo de Pessene 21.354 socas para as povoados Zifuva , Wambalambate e
Associação Xilalasse cabendo cada uma 7.100 socas.

Apesar deste distrito ser o 2° maior criador de gado da província de Maputo, muitas infraestruturas
(tanques carracicidas, corredores, furos, represas, bebedouros e bombas) estão paralisadas, sendo
essencial que as autoridades travem um combate efectivo contra o roubo de gado.

O fomento pecuário tem sido desenvolvido pelo governo com o apoio de algumas ONG’s, sendo a
assistência veterinária prestada pelos técnicos da SDAE. Alguns criadores adquirem os fármacos
para gado na RSA.

A campanha de vacinações obrigatórias das grandes espécies foi realizada em todos os postos
Administrativos com brigadas móveis e de apoio a partir da sede do Distrito. Devido a problemas
relacionados com a importação das vacinas, a campanha contra a F.Aftosa, C.Hemático e
C.Sintomático foi concluída tardiamente.

É realizada anualmente uma feira agropecuária com exposição e venda de produtos dos sectores
familiar e comercial do distrito. A maior parte dos produtos agrícolas são vendidos nos mercados da
cidade de Maputo.

A actividade pesqueira é fundamentalmente artesanal e desenvolvida na Albufeira de Corumana.


Existem 54 pescadores licenciados e um grande número de pequenos pescadores não licenciados.

Página 2 4
Moamba
________________________________________________________________________________________________

A actividade de corte de lenha e de fabrico de carvão vegetal praticada tanto por pessoas licenciadas
como não, e estendendo-se a áreas não recomendadas para esta actividade.

A situação das queimadas descontroladas diminuiu ligeiramente, tendo contribuído para o efeito as
campanhas de sensibilização levadas a cabo pelo SDAE, em coordenação com as autoridades
comunitárias.

O Distrito conta com cerca de 15.000 plantas das seguintes espécies: Elbizias, Grevilha, Eucalipto
Micaia; Limoeiros, Cajueiros, Mangueira, Mafureira, goiabeira; Eucalipto, Casuarina, Jambalau,
Papaeira e Muringa para o reflorestamento.

Durante o período em análise foram criadas 13 matas comunitárias assim distribuídas:

Localidade  -­‐ Posto Mata comunitária N° de Plantas Área por líder  ha
Administrativo existentes
Xicomo - Sabie Mata comunitária 1800 2.9 Hectares
Luziveve- M. sede Mata comunitária 3227 micaias, 425 6.5 hectares
missassani,10 acácias
vermelha, 95
mafureira,15 jambalao,
88 papaieira, 10
cajueiros, 10 gravilha
Incomanine- Sabie Mata comunitária 1690 2.7 hectares
Wamumgolombi Mata comunitária 2000 micaias 3.6 hectares
Malengane Mata comunitária 1000 micaias e 500 2.4 hectares
jambalao
Godjua- Sabie Mata comunitária 8.444 moringas 13.3 hectares
Josina Machel- M. sede Mata comunitária 2600 micaias, 1250 6 hectares
missassani, 100
mafureira, 53 jambalao
Pessene Sede Mata comunitária 1104 micaias 5 hectares
Tenga – Pessene Mata comunitária 781 micaias, 70 13 hectares
jambalao, e 5 mafureiras
Chihahene- Sabie Mata comunitária 3000 micaias e 100 4 hectares
jambalao
Bondoia - Sabie Mata comunitária 15 mangueiras, 100 1 hectar
grevilha, 60 cajueiro, 130
mafureira e 80 jambalao
Lhembe- M. Sede Mata comunitária 1990 3.2 hectares
Chanculo- R. Garcia Mata comunitária 200 elbizias e 325 1.5 hectares.
micaias
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

O sector de florestas e fauna bravia durante o período desenvolveu várias actividades tais como
fiscalização de produtos florestais, mitigação de conflito homem-fauna bravia, maneio comunitário
de recursos florestais e fauna bravia.

Também foram realizados trabalhos de educação cívica no uso sustentável dos recursos naturais e
criaram-se comités de gestão dos recursos naturais.

4.2.3 Serviço Distrital de Educação, Juventude e Tecnologia

Página 2 5
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Este Serviço é dirigido por um director e tem como funções específicas de entre outras: (a) garantir o
funcionamento de estabelecimentos de ensino, formação de professores, alfabetização, educação de
adultos e educação não formal; (b) realizar estudos sobre cultura, diversidade cultural, valores locais
e línguas nacionais; (c) promover o fabrico de instrumentos musicais tradicionais; (d) incentivar o
desenvolvimento de associações juvenis, bem como promover iniciativas geradoras de emprego,
autoemprego e outras fontes de rendimento dos jovens; e (e) promover o uso de novas tecnologias.

4.2.3.1 Educação

A maioria da população (61%) do distrito é alfabetizada e 71% das pessoas com 5 ou mais anos de
idade, predominantemente homens, frequentam ou já frequentaram o nível primário do ensino. A
análise por sexos revela um padrão melhor entre os homens do que nas mulheres.

Quadro 14. População com 5 anos ou mais, e frequência escolar


POPULAÇÃO Q U E:
FREQUENTA FREQUENTOU NUNCA FREQUENTOU
Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres Total Homens Mulheres
TOTAL 30.7% 31.7% 29.7% 40.5% 46.5% 35.0% 28.8% 21.8% 35.3%
P.A. da Moamba 35.1% 35.8% 34.5% 40.3% 45.9% 35.1% 24.5% 18.3% 30.4%
P.A. de Pessene 29.6% 33.0% 26.6% 40.3% 47.1% 34.4% 30.1% 20.0% 39.0%
P.A. de Ressano Garcia 33.5% 34.4% 32.6% 49.2% 53.1% 45.4% 17.3% 12.5% 22.0%
P.A. de Sabié 25.4% 24.8% 25.9% 36.0% 42.8% 29.5% 38.6% 32.4% 44.6%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 1997.
A análise do nível de ensino frequentado pela população que actualmente atende a escola, revela
uma concentração significativa no nível primário de ensino.

Quadro 15. População de 5 anos ou mais, por nível de ensino


NÍVEL DE ENSINO QUE FREQUENTA
Total AEA EP1 EP2 ESG1 ESG2 Técnico Superior
TOTAL 100.0% 2.2% 67.4% 17.0% 10.5% 1.8% 0.9% 0.3%
5 - 9 anos 100.0% 0.2% 99.8% 0.0% 0.0% 0.0% 0.0% 0.0%
10 - 14 anos 100.0% 0.1% 73.7% 23.0% 3.1% 0.0% 0.1% 0.0%
15 - 19 anos 100.0% 0.4% 20.9% 38.3% 34.2% 4.2% 1.9% 0.1%
20 - 24 anos 100.0% 5.3% 10.1% 9.7% 49.2% 18.9% 5.1% 1.7%
25 e + anos 100.0% 36.0% 27.1% 10.5% 13.8% 3.4% 5.2% 4.1%
HOMENS 100.0% 0.7% 68.0% 17.3% 10.6% 1.8% 1.2% 0.5%
MULHERES 100.0% 3.6% 66.8% 16.7% 10.4% 1.8% 0.5% 0.1%
EP1 - 1º a 5º anos; EP2 - 6º e 7º anos; ESG I - 8º a 10º Anos; ESG2 - 11º e 12º Anos; ET – Ensino técnico; CFP – Curso de
formação de professores; AEA -Alfabetização e educação de adultos.
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Página 2 6
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Figura 7. População (5 anos ou mais) por grau de ensino frequentado

Fonte de dados: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Um aspecto importante é a observação das taxas de escolarização bruta e líquida. A primeira taxa
calcula-se dividindo o total de alunos de um determinado nível de ensino (independentemente da
idade) pela população do grupo etário correspondente à idade oficial para o referido nível16. Para
calcular a segunda taxa, divide-se o total de alunos cuja idade coincide com a idade oficial para o
nível pela população do grupo etário correspondente a esse nível. Estas são as medidas mais comuns
para estimar o desenvolvimento quantitativo do sistema educativo.

Quadro 16. Taxas de escolarização


Taxa  Bruta  de  Escolarização   Taxa  Líquida  de  Escolarização  
Taxas  de  escolarização  
TOTAL   H   M   TOTAL   H   M  
EP1   136.5   141.0   132.1   81.0   80.0   81.9  
EP2   93.8   91.7   96.1   15.8   13.2   18.7  
ESG1   42.8   41.4   44.3   9.4   8.1   10.9  
ESG2   11.5   10.8   12.2   1.9   1.2   2.5  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007
.
Como se pode observar, a taxa bruta de escolarização do Ensino Primário do 1º e 2º Graus é de
137% e 94%, respectivamente, o que indica um elevado nível de cobertura escolar nestes níveis.
Atendendo a que a idade ideal para frequentar o EP1 é de 6 a 10 anos (para terminar este nível sem
nenhuma reprovação), este indicador acima dos 100% reflecte a entrada tardia na escola, a

16
EP1 – 6 a 10 anos; EP2 – 11 a 12 anos; ESG1 – 13 a 15 anos; ESG2 – 16 a 17 anos; Superior – 18 a 22 anos.

Página 2 7
Moamba
________________________________________________________________________________________________

reprovação e desistência escolar, levando a que exista um elevado número de alunos no EP1, com
idades superiores a 10 anos.

Efectivamente, a taxa líquida de escolarização no EP1 confirma aquele facto ao indicar que 81% das
crianças de 6 a 10 anos frequentam o nível de ensino correspondente a sua idade, neste caso o EP1, e
que somente 16% das crianças de 11 a 12 anos frequentam o nível de ensino correspondente a idade,
o EP2.

Em geral, os rapazes apresentam melhores indicadores educacionais brutos em todos os níveis de


ensino. Nos indicadores líquidos, as raparigas apresentam taxas mais elevadas, denotando um
aumento de mulheres matriculadas nos níveis de ensino correspondente as suas idades.

A situação global descrita reflecte, para além de factores socioeconómicos, o facto de a rede escolar
existente e o efectivo de professores, apesar de terem vindo a evoluir a um ritmo significativo, serem
insuficientes, o que é agravado por baixas taxas de aproveitamento e altas taxas de desistência em
algumas localidades do distrito, devido ao facto de haverem muitos casamentos prematuros e forte
emigração de jovens para a África do Sul.

A rede escolar do Distrito funciona com 65 escolas, sendo 64 públicas (61 do EP1 - mais 3
comparativamente ao ano de 2010, 18 EP2 - mais 3 comparativamente ao ano transacto, 2 ESG onde
1 lecciona o I e II ciclos, 1 Ensino Técnico Profissional e 48 centros de Alfabetização e Educação de
Adultos - programa regular, com 1.245 alfabetizandos, 31 alfabetizadores voluntários e 12
facilitadores e 6 educadores profissionais). A escola privada existente lecciona os níveis EP1 e EP2.

O efectivo escolar e de professores em 2011 foi, para as escolas públicas, o que é apresentado na
tabela seguinte, por níveis de ensino.

Quadro 17. Escolas, Alunos e Professores, 2011


Níveis de ensino Nº de Alunos Professores
Escolas M HM M HM
EP1 62 5.157 10.417 125 283
EP2 19 1.487 2.915 23 79
ESG I 2 1.124 2.113 22 76
ESG II 1 266 570 7 21
ETB 1 79 409 4 19
TOTAL DO DISTRITO 65 8.113 16.424 181 478
Fonte: SDEJT
EP1 - 1º a 5º classes; EP2 - 1º a 7º classes; ESG I - 8º a 10º classes; ESG II - 11º a 12º classes; ETB – Ensino técnico básico; ETM –
Ensino técnico médio; AEA -Alfabetização e educação de adultos.

Tendo em vista promover a melhoria da qualidade de ensino foram realizadas as seguintes acções em
2011:

Página 2 8
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Para permitir maior acesso a escola, melhorar a qualidade de ensino e capacidade Institucional
foram realizadas várias actividades a destacar:
Realização do processo de matrículas envolvendo novos ingressos: 2.391 alunos da 1ª classe,
1.285 alunos da 6ª classe, 635 alunos da 8ª classe, 229 alunos da 11ª classe e 188 alunos do Iº
ano da escola Profissional da Moamba;
Afectação de 20 novos docentes DN4;
Distribuição de 9.890 livros gratuitos da 1ª a 2ª classes e de 23.277 livros de empréstimo da 3ª a
7ª classes;
Distribuição de material didáctico (cadernetas, livros de turmas, quadros, caderno de
planificação, etc.);
Supervisão Pedagógica e Administrativa nas escolas do Distrito;
Dosificação dos programas de ensino;
Abertura de 03 salas anexa da EP2 nas Comunidades de Mucacaza, Incomanine e Mavunguana
no posto Administrativos de Sábie respectivamente para beneficiar 55 alunos da 6ª classe e de
uma sala anexa do ensino Secundário na Comunidade de Mahulana que beneficia 166 alunos da
8ª classe;
Canalização da 14ª fase do apoio directo (A.D.E) as escolas Primárias com o objectivo de tornar
as escolas autónomas de ponto de vista financeira;
Foram distribuídas 475 carteiras nas escolas, beneficiando 5 escolas.
Acções visando o aumento da capacidade Institucional
Abertura de 3 salas anexas do EP2 (EP1s de Mucacaza, Incomanine e Mavunguana);
Elevação de Nível (para oferecer o ensino básico completo), de 3 EP1s para EPCs (EPC de
Chanculo, Mucatine e Avante);
Abertura de uma sala anexa do Iº ciclo do ensino Secundário Geral na EPC de Mahulana;
Descentralização de Orçamento para mais cinco escolas: EP1 de Madinguine, EP1 de Sábie,
EPC de Avante, EPC de Chanculo e EPC de Mucatine;
Atribuição de bolsas de estudos a 8 professores para continuação de estudos na Universidade
Pedagógica de Moçambique;
Ingresso de 25 professores no Núcleo Pedagógico para formação em exercício;
Organização e tramitação de processos de 23 professores transferidos para outros Distritos;
Emissão de 52 cartões de assistência médica medicamentosa e 52 cartões de trabalho;
Organização de 106 processos de promoções, 116 de progressões e 89 de mudança de categoria.

Em termos de grau de ensino concluído, constata-se que do total de população com 10 anos ou mais
de idade, só 32% concluiu algum nível de ensino, na sua maioria o nível primário.

Página 2 9
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 18. População de 10 anos ou mais, por nível de ensino concluído


NÍVEL DE ENSINO CONCLUÍDO
TOTAL Alfab. Primário Secund. Técnico C.F.P. Superior Nenhum
TOTAL 36.4% 0.2% 29.1% 6.2% 0.5% 0.2% 0.1% 63.6%
10 - 14 anos 25.7% 0.0% 25.1% 0.6% 0.0% 0.0% 0.0% 74.3%
15 - 19 anos 62.2% 0.0% 54.1% 8.0% 0.1% 0.0% 0.0% 37.8%
20 - 24 anos 52.1% 0.1% 38.9% 11.9% 0.9% 0.3% 0.0% 47.9%
25 - 29 anos 44.8% 0.1% 33.6% 9.2% 1.1% 0.8% 0.1% 55.2%
30 e + anos 26.2% 0.4% 19.5% 5.3% 0.6% 0.2% 0.2% 73.8%
HOMENS 42.4% 0.2% 33.1% 7.9% 0.8% 0.2% 0.2% 57.6%
MULHERES 30.8% 0.2% 25.5% 4.6% 0.2% 0.2% 0.0% 69.2%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Figura 8. População (10 anos ou mais) por grau de ensino concluído

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

4.2.3.2 Formação Profissional e Emprego

Com vista a estimular o autoemprego, associativismo juvenil e evitar a vulnerabilidade dos jovens, o
Distrito promoveu a criação e revitalização de 18 associações juvenis, das quais 13 juridicamente
reconhecidas nomeadamente: AJOVO, Geração BIZ, OJM, AJOPROVIDA, AJT, HEY, AMMO,
World Relief, Kindlimuka, Red Came, ASSOPENE, GVC e Kuwuka/AJD. Estas associações
operam em várias áreas tais como: Construção civil, agricultura, pecuária, HIV e SIDA, combate às
drogas, cultura e desporto.

Foi realizada ainda a Conferência Distrital da Juventude, onde foi revitalizado o corpo directivo do
CDJ com a eleição de novos membros.

O Distrito conta com um núcleo médio de formação de professores à distância para professores em
exercício onde estão inscritos 41 professores, sendo 25 novos ingressos. Dos 41 inscritos, 16 são
mulheres.

Página 3 0
Moamba
________________________________________________________________________________________________

4.2.3.3 Tecnologia

Foram abertos 15 pontos de escutas para a implementação da 1ª fase do programa alfa rádio
(alfabetização via rádio) onde frequentam 631 alfabetizados e assistidos por 15 facilitadores.

4.2.3.4 Cultura

A SDJET tem promovido, com o apoio de várias ONG´s, actividades culturais diversas,; o fomento
do associativismo juvenil; o apoio ao desenvolvimento das artes plásticas; e a celebração das datas
comemorativas nacionais e do distrito.

Estão inscritos 36 grupos culturais de canto coral, dança, dramatizações, poesia e artesanato. Estes
grupos actuam em diferentes zonas do distrito e têm participado nas comemorações de datas
históricas.

Existem no Distrito 32 clubes escolares, tendo realizado durante o Iº Semestre jogos internos (entre
turmas). O Distrito participou com 3 equipas (2 em masculino e 1 em feminino) na fase final do
campeonato Provincial infanto-juvenil – BEBEC tendo ocupado o 4º e 5º lugares respectivamente.

Em relação ao futebol recreativo existe 6 equipas a praticar a modalidade de futebol 11,


nomeadamente: Desportivo, Clube da Moamba, Águias, Escola Secundária da Moamba, Académica
e Ntumbuluko, sendo a última a que representa o distrito no campeonato provincial.

Em 2001 teve lugar a abertura do campeonato na modalidade de futebol 11, para as equipas da vila
sede de Moamba.

4.2.4 Serviço Distrital de Saúde, Mulher e Acção Social


Este Serviço é dirigido por um director e tem como funções específicas de entre outras: (a) assegurar
o funcionamento das unidades sanitárias e incentivar a medicina tradicional; (b) promover acções de
apoio e protecção da criança, da pessoa portadora de deficiência e do idoso; (c) desenvolver acções
de prevenção da violência doméstica e de abuso de menores; e (d) promover a igualdade e equidade
do género.

4.2.4.1 Saúde

Unidades sanitárias e pessoal da saúde


A rede de saúde do distrito, apesar de estar a evoluir a um ritmo significativo, é insuficiente,
evidenciando os seguintes índices de cobertura média:
- Uma unidade sanitária por cada 7.127 pessoas;
- Uma cama por 358 habitantes;
- Um profissional técnico para cada 891 residentes no distrito; e
- Um médico por cada 32 mil habitantes.

Página 3 1
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 19. Unidades de saúde, Camas e Pessoal existente – 2011


Unidades, Camas e Pessoal Unidades Sanitárias Pessoal existente
por Total de Centro de Postos de por sexo
Posto Administrativo Unidades Saúde I Saúde HM H M
Nº de Unidades 9 8 1
Nº de Camas 179 179 0
Pessoal Total 104 79 29 83 32 51
- Licenciados 2 2 0 2 0 2
- Nível Médio 40 36 4 40 15 25
- Nível Básico e Elementar 30 20 10 30 12 18
- Pessoal de apoio 32 21 11 32 10 22
Centro de Saúde I - Com internamento e maternidade
Fonte: SDSMAS

O desenvolvimento da rede sanitária do distrito nos últimos anos esteve ligado ao apoio de várias
organizações representadas no distrito.

Cuidados de saúde

A tabela seguinte apresenta alguns indicadores do grau de acesso aos serviços do Sistema Nacional
de Saúde.

Quadro 20. Prestação de serviços de cuidados de saúde, 2012


Taxa de ocupação de camas 26.0
Partos 1.518
Vacinação 15.080
Saúde materno-infantil 9.643
Consultas externas 119.693
Taxa de mortalidade hospitalar 7,7%
Taxa de baixo peso à nascença 2,7%
Taxa de crescimento insuficiente 0,4%
Fonte: Administração do Distrito e Direcção Provincial da Saúde

De referir ainda a existência de vários programas de cuidados de saúde primários a vários níveis que
denotam uma evolução positiva nos últimos anos, nomeadamente:
• Saúde ambiental: Esta actividade está sendo realizada em todas as unidades sanitárias, bem como
em brigadas móveis e nos locais de interesse público
• Saúde Ocupacional: Realizadas visitas de trabalho as empresas para vacinação aos trabalhadores,
bem como a todos os outros que manipulam géneros alimentícios
• Saúde reprodutiva
• Saúde Infantil, Nutrição, Saúde Escolar
• Suplementação de Vitamina ‘A’
• Programa alargado de vacinação
• Saúde Mental

Página 3 2
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro epidemiológico

O quadro epidemiológico é dominado pela malária, diarreia, disenteria, imunodepressão associada ao


HIV-SIDA e DTS que, no seu conjunto, representam quase a grande maioria dos casos de doenças
notificados no distrito.

Quadro 21. Casos de doenças e óbitos notificados, 2009-2011


Doenças Casos Notificados Óbitos Notificados
2009 2010 2011 2009 2010 2011
Diarreias 4.636 3.555 4.150 2 1 1
Disenteria 834 619 528 0 0 0
Sarampo 3 31 3 0 0 0
Raiva 5 13 48 0 1 0
Cólera 0 0 0 0 0 0
Malária 4.594 4.750 10.854 5 9 7
Pneumonia 119 138 97 9 11 10
Tuberculose 69 39 53 5 6 9
Imunodepressão 188 112 75 45 31 17
DTS 2.236 1.720 1.790 0 0 0
Outras 335 215 175 23 22 11
Fonte: SDSMAS

Figura 9. Quadro epidemiológico, 2012

Fonte: Administração do Distrito e Direcção Provincial da Saúde

Página 3 3
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Em geral verifica-se que ocorreu:

• Aumento de casos de Diarreias em 16%;

• Aumento de casos de Malária 2 vezes mais em relação ao ano passado;

• Registo de 48 casos de mordedura canina tendo sido todas controladas;

• Aumento da taxa de despiste da Tuberculose.

• Redução de casos de SIDA; e

• Redução da taxa de Baixo peso a nascença.

4.2.4.2 Acção Social

A integração e assistência social a pessoas, famílias e grupos sociais em situação de pobreza


absoluta, dá prioridade à criança órfã, mulher viúva, idosos e deficientes, doentes crónicos e
portadores do HIV-SIDA, toxicodependentes e regressados.

No distrito existem, segundo os dados do Censo de 2007, cerca de 4 mil órfãos (na sua maioria
órfãos de pai) e cerca de 2 mil pessoas portadoras de deficiência (93% com debilidade física e 7%
com doenças mentais).

Quadro 22. População de 0-14 anos, por condição de orfandade, 2007


    População   Órfão  de:  
    0-­‐14  anos   Total   Mãe   Pai   Pai  e  Mãe  
Total   100.0%   16.2%   4.0%   11.0%   1.2%  
 -­‐  Homens   100.0%   16.5%   4.1%   11.0%   1.4%  
 -­‐  Mulheres   100.0%   16.0%   3.9%   11.0%   1.1%  
Grupos  etários:                      
   -­‐  0  a  4  anos   100.0%   6.0%   1.0%   4.4%   0.7%  
   -­‐  5  a  9  anos   100.0%   16.6%   3.8%   11.5%   1.3%  
   -­‐  10  a  14  anos   100.0%   28.8%   8.1%   18.8%   2.0%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Quadro 23. População deficiente, 2007


População Sem Com deficiência
Grupos de Idade
Total Deficiência Total Física Mental
Total 100.0% 96.8% 3.2% 3.1% 0.2%
0 - 14 100.0% 98.9% 1.1% 1.0% 0.1%
15 - 44 100.0% 97.3% 2.7% 2.4% 0.3%
45 e mais 100.0% 91.2% 8.8% 8.6% 0.2%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

A tabela seguinte apresenta a distribuição percentual das 2 mil pessoas portadoras de deficiência,
segundo a causa.

Página 3 4
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 24. População portadora de deficiência, segundo a causa


TOTAL Física Mental
Total 100.0% 100.0% 100.0%
À nascença 17.4% 16.1% 37.3%
Doença 36.0% 35.4% 45.5%
Minas/Guerra 5.8% 6.1% 0.9%
Serviço Militar 4.1% 4.4% 0.0%
Acidente de Trabalho 10.4% 11.1% 0.0%
Acidente de Viação 7.5% 7.6% 5.5%
Outras 18.8% 19.3% 10.9%
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

O SDSMAS tem promovido vários programas com impacto social no distrito, nomeadamente
dirigidos às crianças, idosos e portadores de deficiência.

Programa da Criança

No concernente a este grupo alvo, foi feito o registo de criança perdidas, as relacionadas com o
tráfico e emigração ilegal oriundo de vários pontos do país, bem como o acolhimento de 19 crianças
no Centro de Maguaza, dos quais 3 meninas e 16 rapazes, e fez-se a reintegração/ reunificação
familiar de 14 crianças. No período em referência, assegurou-se o fornecimento de leite e papas à 8
crianças e a distribuição de produtos alimentar à 873 COVs das seguintes comunidades: Muchia,
Luziveve, Goane-II, Magaune, Pondzela, Lhamguene, Ngolhosa e Machumbutana, Chanculo,
Movene, Mubobo, Chiparango, Mulambo, Moamba-sede e Ressano Garcia em coordenação com
CCS-Centro Cooperazione Svilupp, Cruz Vermelha de Moçambique (CVM) e Irmãs Scalabrine.

Em parceria com o PMA e CVM, efectuou-se actualização de dados de 400 crianças órfãos e
vulnerável ( COVs) dos 700 que beneficiam de assistência alimentar na CVM disponibilizado pelo
PMA. Fez-se a selecção e treinamento de 15 activistas proveniente da localidade de Malengane e
Pessene-sede em matéria de atendimento as COVs e protecção da criança em parceria com a Rede
Came/Nkulunkulo.

Programa do Idoso

Em relação a pessoa idosa as acções desenvolvidas focalizaram, a identificação e visitas


domiciliárias a 261 idosos nos bairros de Cimento, Central, Sul 7 de Abril, Josina Machel,
Matadouro, Livivine, Samora Machel, 25 de Junho, Madinguine, Pondzela, Luziveve, Muchia,
Nbocoda e Bicuane que culminou com a selecção de 224 idosos para a integração no programa de
subsídio de alimento, sendo 174 mulheres e 50 homens. Por outro lado, encaminhou-se 3 pessoas
idosas ao Centro de apoio a velhice de Mafuiane e Massaca-Boane e articulação com Associação dos
Jovens Voluntários (AJOVO) para o acolhimento de uma idosa desamparada do

Página 3 5
Moamba
________________________________________________________________________________________________

bairro Central, além da divulgação da política da pessoa idosa e do programa de subsídio de alimento
aos líderes comunitários da Localidade de Malengane com vista a expansão do respectivo programa.

Na protecção social básica foram beneficiados do subsídio de alimento 805 idosos em todo Distrito
com a seguinte distribuição: Moamba-sede 171, Pessene 327, Sabie 232 e Ressano Garcia 75.

Programa da Deficiência

Foram desenvolvidas acções das comunidades sobre a protecção e valorização da pessoa com
deficiência (PCD), o registo de 4 PCD física com necessidade de meios e efectuadas 13 visitas
domiciliárias, onde 6 PCD foram seleccionadas para o programa de subsídio alimento. Na segurança
social básica estão a beneficiarem do subsídio alimento 21 pessoas com deficiência em todo distrito.

4.2.4.3 Género

O distrito tem uma população estimada de 64 mil habitantes - 33 mil do sexo feminino - sendo 8%
dos agregados familiares do tipo monoparental chefiados por mulheres.

Ao nível do distrito tem-se privilegiado a coordenação das acções de algumas organizações não
governamentais, associações e sociedade civil, promovendo a criação de igualdade de oportunidades
e direitos entre sexos em todos aspectos de vida social e económica, e a integração da mulher no
mercado de trabalho, processos de geração de rendimentos e vida escolar.

Esta coordenação recorre a mecanismos de troca de informação, diálogo e concertação da acção,


evitando a sobreposição de actividades e racionalizando recursos de forma a melhorar a eficácia e
eficiência das acções governamentais e das iniciativas da comunidade e do sector privado.

Tendo por língua materna dominante o Xichangana, 59% das mulheres do distrito com 5 ou mais
anos de idade têm conhecimento da língua portuguesa, sendo este domínio mais acentuado nos
homens (73%), dada a sua maior inserção na vida escolar e no mercado de trabalho. A taxa de
analfabetismo na população feminina é de 50%, sendo de 27% no caso dos homens.

Das mulheres do distrito com mais de 5 anos, 35% nunca frequentaram a escola (no caso dos homens
só 22% nunca estudaram) e 25% concluíram o ensino primário (no caso dos homens, 33%
terminaram o primário).

Página 3 6
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Figura 10. Indicadores de escolarização por sexos

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

No que diz respeito ao acesso a novas tecnologias também se verifica um desequilíbrio acentuado
entre sexos, como se pode deduzir da tabela seguinte.

Quadro 25. Uso de novas tecnologias (10 anos ou mais)


    Número de pessoas que usou: % de pessoas
    Computador Internet c/ Telemóvel
Total   1.5%   0.5%   28.2%  
 -­‐  Homens   2.3%   0.7%   42.1%  
 -­‐  Mulheres   0.7%   0.3%   15.3%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

No tocante a actividade económica, de um total em 2012 de 33 mil mulheres, 20.400 estão em idade
de trabalho (mais de 15 anos), das quais 11.100 são economicamente activas17. A população não
economicamente activa de mulheres com 15 anos ou mais (45%) é constituída principalmente por
senhoras domésticas (30%) e estudantes a tempo inteiro (7%). O nível da participação no trabalho no
caso das mulheres (54%) é inferior ao dos homens (71%).

17
Segundo recomendações internacionais, a PEA é considerada como a população que participa na actividade económica e que tenha
15 anos de idade e mais. Dito por outras palavras, a PEA compreende as pessoas que trabalham (ocupadas) e as que procuram
activamente um trabalho (desocupadas), incluindo aquelas que o fazem pela primeira vez.

Página 3 7
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Figura 11. População (15 anos ou mais), segundo a actividade e sexo

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

A distribuição das mulheres economicamente activas residentes no distrito de acordo com a posição
no processo de trabalho e o sector de actividade é a seguinte:
Cerca de 65% são trabalhadoras agrícolas, familiares ou por conta própria;
13% são comerciantes, artesãs, ou empresárias; e
As restantes 22% são, na maioria, trabalhadoras do sector de serviços, incluindo empregadas do
sector comercial formal e informal.

Figura 12. População18 segundo a posição no trabalho e sexo

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

18
Com 15 anos ou mais.

Página 3 8
Moamba
________________________________________________________________________________________________

No que diz respeito a promoção de género, realizaram-se quatro sessões de palestras de divulgação
da política de Género e a sua Estratégia de Implementação e sensibilização das comunidades para
observar a situação de género na implementação de projectos, o que resultou na eleição de 6
mulheres para os órgãos de decisão, em 11 projectos comunitários.

4.2.5 Serviço Distrital de Planeamento e Infraestruturas

Este Serviço é dirigido por um director e tem como funções específicas de entre outras: (a) elaborar
propostas de Plano de Estrutura e de Ordenamento Territorial; (b) promover a construção de fontes
de abastecimento de água potável bem como a gestão dos respectivos sistemas de abastecimento;
(c) assegurar, em colaboração com outras entidades, a disponibilidade do sistema de fornecimento
de energia eléctrica e a promoção do aproveitamento energético dos recursos hídricos e uso de
energias renováveis; (d) assegurar a reabilitação, manutenção das estradas não classificadas, pontes e
outros equipamentos de travessia; (e) promover a construção, manutenção e reabilitação de
infraestruturas e edifícios públicos, bem como de valas de irrigação, jardins públicos, infraestruturas
desportivas e parques de estacionamento; (f) promover o uso da bicicleta e da tracção animal; (g)
elaborar propostas de gestão ambiental; e (g) garantir a prestação dos serviços públicos tais como
cemitérios, matadouros, mercados e feiras, limpeza e salubridade, iluminação pública, jardins
campos de jogos e parques de diversão.

4.2.5.1 Ordenamento Territorial


Tendo em conta o grau de cumprimento da Lei de Ordenamento do Território 19/2007, foram
elaborados e aprovados na secção do Conselho Consultivo Local e Governo Provincial no presente
ano de 2011: Plano Distrital de Uso da Terra, Plano de Pormenor de Mahoche, de Pessene e Goane I,
este último apenas aprovado este ano, em coordenação com MICOA, Direcção Provincial para
Coordenação da Acção Ambiental.

Tem havido uma tendência de crescimento para os itens de Pedidos de Concessão/Legalização,


Terrenos Legalizados e Talhões Parcelados. O número de Conflitos de Terra apresenta uma redução
significativa em 2011. Esta situação deve-se aos esforços desenvolvidos para implementação da lei
de ordenamento territorial, divulgação da lei de terra, campanhas de sensibilização sobre padrões de
assentamento Humano e as demais formas e procedimentos que concorram para boas práticas de
gestão da terra.

Quanto à concessão de terras importa referir que foi priorizada a concessão de terrenos aos
funcionários púbicos abrangendo uma media de 20 funcionários nas seguintes instituições: Secretaria
Distrital, Serviços Distritais de Actividades Económicas, de Educação Juventude e Tecnologia, de
Saúde Mulher e Acção social, Planeamento e Infraestruturas da Moamba, Cadeia Distrital, Quartel,
Instituto de Comunicação Social e do Conselho Superior de Comunicação Social.

Página 3 9
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Desta forma assegura-se a base para a construção de casas próprias a baixo custo, sendo que pela
natureza do trabalho, ainda esta a decorrer o parcelamento de mais talhões dentro dos planos
aprovados com vista a dar vazão a pedidos de concessão de terrenos para diversos fins.

4.2.5.2 Gestão Ambiental

Actividade de Plantio

No âmbito do programa do reflorescimento em que todos os Distritos, continuou a produção de


plantas com o objectivo de que cada líder tenha uma mata com um número de plantas igual ao
número de habitantes na sua área de jurisdição.

Viveiro da Moamba sede


• Centro de acolhimento de Magwaza – Posto Administrativo de Pessene foi plantado numa área
de 4 hectares as seguintes plantas‫ ׃‬Micaia 836, Acácia vermelha 20, Cajueiro 22, Jambalão 507,
Mangueira 11, mafureira 223 e 438 micaia distribuído a população.
• SDAE-Magude – 3000 micaia
• Pessoas singulares - 89 mangueiras, 20 cajueiro, 8 limoeiro, 7 chanfuta, 120 grevilha, 514
mafureira, 110 acácia vermelha, 30 papaieira, 966 micaia, 70 jambalão, 528 grevilla, 150 elbizias.
• Escola Primaria de Goane I - 52 gravilhas
O total das plantas distribuídas – 26.180

Um aluno uma planta


No âmbito da iniciativa acima foram distribuídos e plantados um total de 2.750 pés nas seguintes
escolas: Centro de acolhimento de Magwaza; Escola Primaria de Goane I; Escola Primaria de
Mafufine; Escola primária Samora Machel e Escola Primaria 7 de Abril.

Viveiro de Sabié
Foram distribuídos e plantados pés nos seguintes locais:
• Escola Primaria de Mafufine – 253
• Escola primária Samora Machel – 188
• Escola Primaria 7 de Abril – 200
• Agricultor da zona – 100
• População do sabié – 2000
• Vedação do viveiro – 1000
• Horta Boa – 531 moringa
O total das plantas distribuídas – 12.442 das 13000 plantas que existiam em viveiro.

Página 4 0
Moamba
________________________________________________________________________________________________

4.2.5.3 Educação Ambiental

No decorrer do ano foram feitas actividades de sensibilização nos postos administrativos e nas
comunidades, sensibilizações estas que tomaram duas vertentes: no âmbito da iniciativa presidencial
do reflorestamento (plantio) e na vertente do combate a queimadas descontroladas.

Na vertente do reflorestamento, referir que a cada actividade de plantio realizada nas comunidades
era posteriormente feita uma concentração dos membros da comunidade, onde se reporta as
vantagens e o porque plantar.

Na vertente de combate e controlo as queimadas descontroladas, as sensibilizações são feitas no


sentido de incutir boas práticas no acto de queimas, e desencorajamento das comunidades a prática
de queimadas descontroladas.

Foram realizadas 8 visitas de pré-avaliação do impacto ambiental e, no que concerne ao


cumprimento do PGA (Plano de Gestão Ambiental) pelos areeiros, foram fiscalizados 7 areeiros
(Cardoso, Mbocoda, Acosteira, José Luís, JRC, Moreira, Bala saka), fiscalização esta feita
juntamente com técnicos da DPCAM. Neste âmbito, foi feita a monitoria da quantidade de
sedimentos extraídos sobre o rio incomati, dados estes que eram enviados mensalmente a DIPREMI.

4.2.5.4 Infraestruturas

Têm a seu cargo a execução do investimento e promoção da manutenção de infraestruturas locais,


nomeadamente:
• Estradas e pontes;
• Sistemas de abastecimento de água e saneamento; e
• Imóveis na posse do governo distrital.

De notar que, em geral, o estado geral de conservação e manutenção das infraestruturas é fraco, e os
meios de transporte e manutenção afectos ao distrito insuficientes.

Está em curso a reabilitação e ampliação do PSAA, da Vila Sede da Moamba com uma conduta ao
Posto Administrativo de Pessene, no âmbito do Projecto Executivo da DNA. Neste momento esta em
construção 03 reservatórios dos quais um semienterrado com uma capacidade de 500 m3 e outro
elevado com capacidade de 90 m3, o último na subestação com capacidade de 150 m3, através do
qual se espera melhorar o abastecimento de água.

Está em curso a implementação do PRONASAR (Programa Nacional de Saneamento e Água Rural),


tendo sido identificadas 15 comunidades, que irão se beneficiar das mesmas fontes. E ainda esta a
decorrer o levantamento da situação de água e saneamento em todo o Distrito. Esta em curso a
montagem de caleiras em 2 casas para chefes das localidades de Chanculo, Matucanhane.

Página 4 1
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Estradas

No concernente as estradas foi possível reabilitar e prosseguir com a construção de algumas vias de
acesso ao nível do Distrito.

Situação actual das vias de acesso

PLANO/2011 ACTIVIDADE REALIZADA FONTE DE NÍVEL DE Nível de


FINANCIAMENTO TRANSITABILIDADE execução
Bloco II/Rio incomati Melhoramento localizado DANIDA/Fundo de Muito boa 100%
(2Km) Estradas
Moamba/Bloco II(5km) Manutenção de rotina DANIDA/FUNDO Muito boa 100%
de Estradas
Cr R811/Bloco II (6km) Melhoramento localizado DANIDA/Fundo de Muito boa 100%
Estradas
Cr R811/Pondzela Melhoramento localizado DANIDA/Fundo de Muito boa 100%
Estradas
Rua do Brasil (150m) Pavimentação/ pavê OGE Muito boa 100%
Rua da Feira Pavimentação/ pavê OGE Muito boa 100%
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

A tabela abaixo indica o ponto de situação da construção e reabilitação de casas para Técnicos com
os fundos de 2011.

Reabilitação de casas para técnicos

ACTIVIDADE REALIZ. PLANO/ REALIZ NÍVEL DE OBS.


/2010 2011 . /2011 EXECUÇÃO/2011
Construção de casas 00 7 5 71% Construídas 2 Sabié e 3 em Ressano
Garcia
Reabilitação de casas 05 2 2 100% 2 Casas reabilitadas na vila da
Moamba
Construção de salas - 2 3 150% Escola secundária da Moamba
de aulas
Conclusão da sala de - 1 0 0 Exiguidade de fundos
reuniões de Pessene
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

44..33 FFiinnaannççaass PPúúbblliiccaass ee IInnvveessttiim


meennttoo
O financiamento do funcionamento dos Governos Distritais e das funções para eles descentralizadas
é assegurado por via de:
(i) Receitas próprias19 que provém da comparticipação das receitas fiscais e consignadas ao nível
Distrital e as correspondentes taxas, licenças e serviços cobrados pelo Governo Distrital; e

19
Receitas próprias do distrito provenientes de serviços e licenças cobradas fora do território das autarquias locais são: (a) utilização do património
público sob gestão do distrito; (b) ocupação e aproveitamento do domínio público e aproveitamento de bens de utilidade pública; (c) pedidos de uso e
aproveitamento da terra nas áreas cobertas por planos de urbanização; (d) loteamento e execução de obras particulares; (e) realização de infraestruturas
simples; (f) ocupação da via pública por motivo de obras e utilização de edifícios; (g) exercício da actividade de negociante e comércio a título precário;
(h) ocupação e utilização de locais reservados nos mercados e feiras; (i) autorização de venda ambulante nas vias e recintos públicos; (j) aferição e

Página 4 2
Moamba
________________________________________________________________________________________________

(ii) Transferências ou dotações orçamentais centrais para despesas correntes;


(iii) Transferências ou dotações orçamentais centrais para despesas de investimento (Fundo de
Desenvolvimento Distrital, Fundo de Investimento em Infraestruturas);
(iv) Fundos Sectoriais Descentralizados, nomeadamente dos sectores de águas, estradas, educação e
agricultura;
(v) Donativos provenientes de ONGs, cooperação internacional ou entidades privadas.

O Governo Distrital, sem inclusão das unidades sociais, teve em 2010 e 2011 a seguinte execução
orçamental.
Quadro 26. Execução orçamental (em ‘000 MT)
Rúbricas 2010 2011
DESPESA TOTAL 111.519 136.386
Despesa corrente 95.405 119.779
- Despesas com pessoal 80.059 98.114
- Bens e serviços 15.276 21.595
- Outros 70 70
Despesa de Investimento 16.114 16.607
- Fundo de desenvolvimento distrital 6.421 7.556
- Fundo de investimentos em infraestruturas 9.693 9.051
- Fundos sectoriais descentralizados s.i. s.i.
Fonte: Ministério das Finanças, Conta Geral do Estado, 2011.

4.3.1 Fundo Distrital de Desenvolvimento

No âmbito do investimento de iniciativa local (vulgo 7 milhões) o Governo Distrital tem aprovado
e/ou implementado projectos locais de desenvolvimento, cuja evolução é apresentada na tabela
seguinte, consoante a principal finalidade.

Quadro 27. Projectos de iniciativa local financiados


No de Projectos Desembolsos Taxa de Reembolso
Finalidade dos Projectos Financiados (em ‘000 MT) (em %)
2009 2010 2011 2009 2010 2011 2009 2010 2011
Produção de comida 12 25 20 s.i. s.i. s.i. s.i. s.i. s.i.
Geração de rendimento 10 8 8 s.i. s.i. s.i. s.i. s.i. s.i.
Outros 9 12 20 s.i. s.i. s.i. s.i. s.i. s.i.
Total 31 45 48 5.850 6.421 7.556 11,1   5,7   2,3  
Fonte: Secretaria Distrital

conferição de pesos, medidas e aparelhos de medição; (k) autorização para o emprego de meios de publicidade destinados a propaganda comercial; (l)
licenças de pesca artesanal marítima e em águas interiores; (m) licenças turísticas nos termos de legislação específica; (n) licenças para a realização de
espetáculos públicos; (o) licenças de caça e abate; (p) licenças e taxas de velocípedes com ou sem motor; (q) estacionamento de veículos em parques ou
outros locais a esse fim destinados; (r) utilização de instalações destinadas ao conforto, comodidade ou recreio público; (s) realização de enterros,
concessão de terrenos e uso de instalações em cemitérios.
Constituem ainda receitas do distrito as taxas e tarifas por prestação dos serviços, nos casos em que os órgãos do distrito tenham sob sua administração
directa, a prestação de serviço público: (a) abastecimento de água; (b) fornecimento de energia eléctrica; (c) utilização de matadouros; (d) recolha,
depósito e tratamento de resíduos sólidos de particulares e instituições; (e) ligação, conservação e tratamento dos esgotos; (f) utilização de infra
estruturas de lazer e gimnodesportivas; (g) utilização de latrinas públicas; (h) transportes urbanos; (i) construção e manutenção de ruas privadas; (j)
limpeza e manutenção de vias privadas; (k) utilização de tanques carracicidas; (l) registos determinados por lei.

Página 4 3
Moamba
________________________________________________________________________________________________

A distribuição dos projectos financiados por sector de actividade é apresentada na tabela seguinte.

Quadro 28. Sector económico do investimento local


No de Projectos Projectos Financiados
Sector Económico dos Financiados (em %)
Projectos
2009 2010 2011 2009 2010 2011
Agricultura 11 25 27 36.7% 55.6% 56,3%
Pecuária 11 8 8 36.7% 17.8% 16,7%
Indústria 7 4 3 23.3% 8.9% 6,3%
Comércio 1 8 10 3.3% 17.8% 20,8%
Total 30 45 48 100.0% 100.0% 100.0%
Fonte: Secretaria Distrital

4.3.2 Fundo de Investimento em Infraestruturas

No âmbito da construção de infraestruturas escolares foram realizados investimentos nas instituições


apresentadas no quadro abaixo.

Quadro 29. Investimento local em infraestruturas escolares


Instituição Localização

EP1 Bicuane Moamba-Sede


EP1 de Malangatana Sábie
EP1 Filipe S. Magaia Sábie
EP1- Uamanhanga Sábie
EP1-Matxitxe Pessene
EP1-Josina Machel Pessene
EP1 Khokolo Pessene
EP1 Munua homo Pessene
EP1 de Kachane Pessene
EP1 Lhanguene Pessene
Fonte: SDPI

Quadro 30. Construções aceleradas de infraestruturas Educacionais


Natureza do Projecto Instituições beneficiárias Nível de evolução das obras Prazo de conclusão
Construção de 10 salas de aulas, EP1s de Uachavana,Goane Encontram-se na fase em
quatro blocos administrativos, 28 I,Uamanhanga penas (caimentos)
latrinas e 1 residência - Obras abandonadas em
Obras adjudicadas a DUC Chinhaguanine Está na fase de cobertura e 2008 pela empresa DUC
Construções/FASE 2006 acabamentos ( pintura e construções
colocação de portas e janelas)

Construção de 10 salas de aulas, EP1s de Bicuane, Josina Encontram-se na fase


4 residências, 16 latrinas e 2 Machel e Lhanguene cobertura A DPEC rescindiu o
blocos administrativos - contrato com a empresa
Obras adjudicadas a Construtora Construtora de Mondego
de Mondego/FASE 2007 Luziveve Concluída com apoio da ONG
CCS Itália

Página 4 4
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Construção de 8 salas de aulas, 4 Obras Concluídas


latrinas, 1 bloco administrativo EP1s 7 de Abril e
Obras adjudicadas a artesãos Muguvulha
locais/FASE 2010

Construção com apoio de Parceiros


Com apoio da ONG CCS Itália e envolvimento Comunitário foram executadas obras de construção
de 2 salas de aulas, 1 bloco administrativo e 4 latrinas na EP1 de Langa, obras concluídas em Janeiro
de 2011.

4.3.3 Fundos Sectoriais Descentralizados

Em 2010 e 2011, no âmbito de aplicação dos fundos de manutenção de rotina e dos fundos
direccionados ao sector agrário, foram concluídas as seguintes intervenções de construção e
manutenção de estradas.

Quadro 31. Situação actual das vias de acesso


PLANO/2011 ACTIVIDADE REALIZADA FONTE DE NÍVEL DE Nível de
FINANCIAMENTO TRANSITABILIDADE execução

Bloco II/Rio incomati Melhoramento localizado DANIDA/Fundo de Muito boa 100%


(2Km) Estradas
Moamba/Bloco II (5km) Manutenção de rotina DANIDA/FUNDO Muito boa 100%
de Estradas
Cr R811/Bloco II (6km) Melhoramento localizado DANIDA/Fundo de Muito boa 100%
Estradas
Cr R811/Pondzela Melhoramento localizado DANIDA/Fundo de Muito boa 100%
Estradas
Rua do Brasil (150m) Pavimentação/ pavê OGE Muito boa 100%

Rua da Feira Pavimentação/ pavê OGE Muito boa 100%


Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

44..44 JJuussttiiççaa,, O
Orrddeem
m ee SSeegguurraannççaa ppúúbblliiccaa
A nível do Distrito existem o Registo e Notariado, a Polícia, o Tribunal e a Procuradoria Distrital,
funcionando com dificuldades materiais e orçamentais significativas.

A Delegação do Registo e Notariado, que funciona em instalações próprias na sede do Distrito, tem
dois postos de registo (nas localidades de Machubo e Nhngonhane) e compete-lhe também
representar o Departamento de Assuntos Religiosos do Ministério da Justiça.

Ao nível da ordem pública a acção da PRM, apesar das dificuldades materiais existentes, tem
melhorado significativamente no combate ao crime, que é dominado por assaltos, ofensas corporais e
roubo de gado.

Página 4 5
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Situação Criminal

Em 2011, o Comando Distrital conheceu e registou 332 casos de delito comum contra 315 casos de
igual período comparativo de 2010 no que revela uma subida em 5,5% de índice criminal, destes
foram esclarecidos 306 e 26 não esclarecidos.

Acidentes de Rodoviários

Durante o período em análise, o Distrito conheceu e registou 59 casos de acidentes actuais contra 56
do mesmo período comparativo de 2010 o que revela uma subida na ordem de 5,3%.

Acidentes Ferroviários

Foi registado 01 acidente ferroviário mortal durante o período em análise contra 0 de igual período
de 2010.

Operativo Policial

O trabalho preventivo operativo ao longo do período em análise, para analisar a onda de


criminalidade e de acidentes, consistiu na realização de rusgas selectivas, patrulhamento a pé e auto,
controlo de potencial delitivo e sua recolha, criar aproximação com o público para denúncia e
neutralização de malfeitores, busca e apreensão de pessoas e bens respectivamente, instrução de
processos crimes, controlo de migrantes e imigrantes ilegais junto a fronteira de Ressano Garcia, e
fiscalização de várias viaturas nas vias que dão acesso ao Distrito. No entanto foram realizadas 3.908
patrulhas dos quais 1.460 a pé, onde foram interpelados 6.490 cidadãos nas vias públicas e
conduzidos a várias subunidades policiais 3.555 cidadãos dos quais 338 ficaram detidos em diversos
processos crimes, tendo sido recuperados diversos bens.

A acção de desminagem em curso no país desde 1992, tem permitido diminuir o seu risco, sendo
hoje a situação existente neste distrito controlada e conhecida.

44..55 C
Coonnssttrraannggiim
meennttooss ee PPeerrssppeeccttiivvaass
No geral, de acordo com o Governo Distrital, são os seguintes os principais constrangimentos
observados durante a governação dos últimos anos:
• Insuficiência no abastecimento de água nas zonas rurais e na Vila sede;
• Conflito homem vs fauna bravia;
• Insuficiência de meios circulantes em todos Serviços Públicos;
• Degradação das vias de acesso;
• Falta de Bancos Comerciais nos Postos Administrativos de Moamba Sede, Pesssene e Sabie.
• Baixo nível de reembolso do FDD.

No geral, de acordo com o Governo Distrital, são as seguintes as principais perspectivas observadas
durante a governação dos últimos anos:

Página 4 6
Moamba
________________________________________________________________________________________________

• Aumentar a cobertura de abastecimento de água nas zonas rurais e continuar com a reabilitação
do pequeno Sistema da Vila;
• Continuar com a reabilitação das vias de acesso;
• Elaborar e implementar os Planos Territoriais de forma a reverter o crescimento desordenado e
espontâneo dos aglomerados populacionais no Distrito;
• Em via de instalação de um projecto de game farm, como forma de mitigar o conflito homem vs
fauna bravia;
• Continuar a incentivar os agricultores a produzir mais e a conservarem a semente;
• Atrair Investidores para Instalar Bancos Comerciais nos Postos Administrativos de Moamba
Sede, Pesssene e Sabie.

Página 4 7
Moamba
________________________________________________________________________________________________

55 A
Accttiivviiddaaddee E
Eccoonnóóm
miiccaa
55..11 PPooppuullaaççããoo eeccoonnoom
miiccaam
meennttee aaccttiivvaa
De um total de 64 mil habitantes em 2012, 39 mil estão em idade de trabalho (mais de 15 anos).

Quadro 32. População segundo a condição de actividade20


Total Homens Mulheres
Total 39,010   18,608   20,401  
Trabalhou 59.8%   68.5%   52.1%  
Não trabalhou, mas tem emprego 0.6%   0.7%   0.5%  
Ajudou familiares 1.7%   1.7%   1.8%  
Procurava novo emprego 0.1%   0.1%   0.0%  
Procurava emprego pela 1ª vez 0.4%   0.7%   0.2%  
População economicamente activa 21 62.7%   71.7%   54.6%  
Doméstico(a) 17.8%   4.4%   29.9%  
Somente estudante 8.4%   9.6%   7.3%  
Reformado(a) 0.8%   1.5%   0.3%  
Incapacitado(a) 2.6%   2.3%   2.9%  
Outra 7.6%   10.5%   5.0%  
População não activa 37.3%   28.3%   45.4%  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

Verifica-se que 63% da população de 15 anos ou mais (24.500 pessoas) constituem a população
economicamente activa (PEA) do distrito. O nível da participação masculina na PEA é superior à
feminina: 72% contra 55%. A população não economicamente activa (37%) é constituída
principalmente por mulheres domésticas e estudantes a tempo inteiro.

Figura 13. População com 15 anos ou mais, segundo a actividade

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

20
Referido a situação na semana anterior a realização do Censo 2007.
21
Segundo recomendações internacionais, a PEA é a população que participa na actividade económica com 15 anos de idade e mais.
A PEA compreende, pois, as pessoas que trabalham (ocupadas) e as que procuram activamente um trabalho (desocupadas),
incluindo aquelas que o fazem pela primeira vez. A análise da PEA que é apresentada nesta secção seguiu esta recomendação.

Página 4 8
Moamba
________________________________________________________________________________________________

A distribuição da população economicamente activa indica que 44% são camponeses por conta
própria, na sua maioria mulheres. A percentagem de trabalhadores assalariados é de 39% da
população activa e é dominada por homens (as mulheres assalariadas representam 19% da população
activa feminina e 56% no caso dos homens).

Quadro 33. População activa22, ocupação e ramo de actividade, 2007


OCUPAÇÃO PRINCIPAL
RAMOS DE Comerciantes
TOTAL
ACTIVIDADE Assalariados & Trabalhadores Empresário Outras e

Total Técnicos Operários Serviços Artesãos Camponeses Patrão desconhecido

Total 100.0% 39.1% 3.8% 5.1% 30.2% 8.4% 43.7% 0.8% 8.0%

- Homens 100.0% 56.3% 4.6% 6.0% 45.8% 4.8% 25.6% 0.9% 12.4%

- Mulheres 100.0% 19.0% 2.9% 4.2% 11.9% 12.7% 64.8% 0.7% 2.9%
Agricultura,
silvicultura e pesca 100.0% 31.9% 0.1% 0.3% 31.5% 0.1% 63.8% 0.1% 4.2%
Indústria, energia e
construção 100.0% 82.2% 1.2% 2.1% 78.9% 0.3% 0.2% 0.7% 16.7%
Comércio, Transportes
Serviços 100.0% 44.9% 15.6% 20.6% 8.7% 35.9% 0.2% 3.0% 16.0%
[1]  Com  15  anos  ou  mais,  excluindo  os  que  procuram  emprego  pela  
primeira  vez.  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.          

Figura 14. População activa, segundo a ocupação principal

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

A distribuição segundo o ramo de actividade reflecte que a actividade dominante no distrito é


agrária, que ocupa 68% da população activa do distrito. O comércio e outros serviços tem tido uma
importância crescente, ocupando já 23% da população activa do distrito.

22
Com 15 anos ou mais, excluindo os que procuram emprego pela primeira vez.

Página 4 9
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 34. População activa23, ocupação e ramo de actividade, 2007


OCUPAÇÃO PRINCIPAL
RAMOS DE ACTIVIDADE TOTAL Assalariados Comerciantes Trabalhadores Empresário Outras e

Total Técnicos Operários Serviços e Artesãos Camponeses Patrão desconhecido

Total 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0% 100.0%

- Homens 53.9% 77.6% 64.9% 62.6% 81.8% 30.7% 31.6% 61.3% 83.5%

- Mulheres 46.1% 22.4% 35.1% 37.4% 18.2% 69.3% 68.4% 38.7% 16.5%
Agricultura, silvicultura e
pesca 68.4% 55.7% 2.0% 3.4% 71.4% 0.6% 99.8% 7.5% 36.0%
Indústria, energia e
construção 8.3% 17.5% 2.7% 3.4% 21.8% 0.3% 0.0% 6.9% 17.5%
Comércio, Transportes
Serviços 23.3% 26.7% 95.3% 93.3% 6.7% 99.1% 0.1% 85.5% 46.5%
[1]  Com  15  anos  ou  mais,  excluindo  os  que  procuram  emprego  pela  primeira  vez.  
Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.          

Figura 15. População activa, segundo o ramo de actividade

Fonte: Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo de 2007.

55..22 PPoobbrreezzaa ee SSeegguurraannççaa A


Alliim
meennttaarr
Este distrito apresenta um agravamento no Índice de Incidência da Pobreza24 desde um nível de 62%
em 1997 para 74% no ano de 200725.

Devido aos problemas na campanha 2009/10 e consequente término das reservas alimentares, os
primeiros meses de 2011 foram afectados por carências alimentares no distrito.

23
Com 15 anos ou mais, excluindo os que procuram emprego pela primeira vez.
24
O Índice de Incidência da Pobreza (poverty headcount índex) é a proporção da população cujo consumo per capita está abaixo da
linha da pobreza.
25
Relatório da Pobreza e Bem-Estar em Moçambique: 3ª Avaliação Nacional - Ministério da Planificação e Desenvolvimento,
Direcção Nacional de Estudos e Análise de Políticas, Outubro de 2010 (District Poverty Maps for Mozambique: 1997 and 2007
Based on consumption adjusted for calorie underreporting).

Página 5 0
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Para fazer face a esta situação, as autoridades distritais lançaram um plano de acção para redução do
impacto da estiagem incluindo sementes e culturas resistentes e introdução de tecnologias adequadas
ao sector familiar.

Este problema é atenuado pelo facto de a população da zona ter acesso a actividades geradoras de
rendimento, nomeadamente o trabalho migratório na vizinha África do Sul, o fabrico e a venda de
tijolos e de bebidas tradicionais, e a comercialização de lenha e de carvão.

55..33 IInnffrraaeessttrruuttuurraass ddee bbaassee

5.3.1 Rede de transportes rodoviários, ferroviários e aéreos


O distrito de Moamba é atravessado pela Estrada Nacional n° 4, ligando a cidade de Maputo e
Ressano Garcia (119km). É a única estrada asfaltada do distrito e com padrões internacionais,
estabelecendo o acesso da Moamba às cidades de Maputo e da Matola.

A estrutura da rede viária principal do distrito inclui as seguintes estradas:


v A estrada n° 251, Moamba-Machava com cerca de 46 km de extensão liga o distrito à cidade
de Maputo e Matola, via Matola-Gare;
v A estrada n° 405, Moamba-Chinhanguanine, com cerca de 65Km, liga o distrito de Moamba
ao distrito de Magude e Manhiça, via margem direita do rio Incomáti;
v A estrada n° 564, liga Vundiça ao Km 16 na Estrada nacional n°1, possuindo uma extensão
de 41 Km; e
v A estrada n° 570, Moamba/Sábiè/Corumana, com 50 Km, está alcatroada do Sábiè a
Corumana (12km), precisando de nivelamento e asfaltagem de Moamba a Sábiè (38 km).
Usando esta estrada chega-se a Magude, num percurso de 106 Km partindo de Moamba.

O distrito possui, ainda, uma rede de estradas interiores não numeradas (terciárias), cujo estado de
transitabilidade é bastante oneroso, sobretudo na época das chuvas, designadamente nos troços:
Moamba-Vundiça; Moamba-Malengane; e Corumana-Sábiè, com cerca de 12 Km asfaltados.

Também existem algumas picadas que servem de comunicação interna, tais como:
Moamba/Malengane/Chinhanguanine (64km); Sábiè-Incomanine 12 km e Sábiè-Chiquizelo (15 km);
Corumana/Macaene 46 km. De entre várias pontes existentes no distrito, destaca-se a localizada
sobre o rio Incomáti, próximo à vila de Moamba.

No distrito funciona uma frota de transporte semicolectivo de passageiros num total de 30


transportadores licenciados na seguintes linhas:
• Moamba-Cidade de Maputo vice e versa;
• Moamba-Ressano Garcia vice e versa;
• Moamba-Sabie-Corrumana vice e versa.

Página 5 1
Moamba
________________________________________________________________________________________________

A via férrea Maputo–Ressano Garcia (Corredor do Maputo), que serve as linhas Maputo-Machava-
Matola Gare-Moamba-Ressano Garcia, tem comboios de carga e de passageiros diários. A linha
férrea Moamba-Xinavane não está operacional.

O transporte ferroviário de passageiros e de carga é feito por duas linhas, sendo uma interna com
frequência diária de Maputo a Ressano Garcia e uma outra internacional ligando Maputo à República
da África do Sul três vezes por semana, que transporta, em média, cerca de 150 mil passageiros por
ano.

A rede rodoviária e ferroviária possui um importante papel no transporte de carga e de passageiros a


nível local, regional e internacional, sem no entanto trazer grandes benefícios para o distrito de
Moamba.

Existem duas pistas de aterragem de avionetas, uma localizada na Vila de Sábiè em bom estado e a
outra em Corumana em estado de abandono. Esta última esteve ligada à construção da barragem de
Corumana, onde muitos técnicos de diversas especialidades, entre nacionais e estrangeiros,
acampavam no aglomerado de Corumana.

5.3.2 Rede telefónica

O Distrito conta com acesso a internet e duas redes de telefonia móvel nomeadamente a Mcel e
Vodacom com um raio de cobertura de cerca de mais de 80 e 70% respectivamente. Está em
implantação a nova rede de telefonia móvel da Empresa Movitel, cujos trabalhos de instalações já se
encontram a decorrer.

Para além destas existe na área de comunicações a Empresa Telecomunicações de Moçambique


(TDM) com um número considerável de linhas instaladas ao nível do Distrito da Moamba. Existem
algumas cabines públicas. Em certos Postos Administrativos comunica-se via rádio.

5.3.3 Abastecimento de água e saneamento

Com excepção da sede do Posto Administrativo de Pessene, as sedes dos Postos Administrativos do
distrito de Moamba possuem um sistema de abastecimento de água a nível do domicílio, que foi
reabilitado em 2003.

As áreas não beneficiárias do sistema de abastecimento de água, usam outras fontes alternativas
como: poços, furos e rios (Rio Incomáti, Sábiè e outros afluentes).

Não existe nenhum sistema de tratamento das águas captadas directamente do rio, havendo assim um
acesso directo das mesmas à rede de abastecimento domiciliária.

No Posto Administrativo de Sábiè, apesar de existir um sistema de fornecimento de água de


canalização ao domicílio, a população não consome esta água por ser salobra,

Página 5 2
Moamba
________________________________________________________________________________________________

recorrendo assim à busca directa no rio. Na Sede do distrito, devido à baixa pressão, nem todos os
fontenários são abastecidos.

Em 2011, o índice de cobertura de abastecimento de água à população do distrito situa-se na ordem


de 68%.

Contudo, apesar do crescimento nos níveis de abastecimento de água, a dispersão populacional não
permite uma cobertura em toda a extensão do Distrito.

Esta subida deveu-se as diferentes acções levadas a cabo, pelo Governo local e parceiros com vista a
suprir a falta de água localmente.

O saneamento é feito através de fossas sépticas nos centros urbanos e através de latrinas tradicionais
e/ou ao ar livre nas zonas rurais.

5.3.4 Rede eléctrica

A energia eléctrica beneficia aproximadamente 10% da população. A rede de iluminação pública


está implantada ao nível da Vila de Moamba, e nas sedes dos Postos Administrativos de Ressano
Garcia e Sábiè.

O único recurso energético do distrito situa-se na barragem de Corumana no rio Incomáti com a
capacidade de 14,5 MW. Esta barragem tem estado a fornecer água de irrigação no Posto de Sábiè e
apoiar no fornecimento de energia eléctrica à cidade de Maputo no período de maior consumo.

A Sede do Distrito possui uma central eléctrica que funciona como recurso de emergência em
ocasiões de interrupção da linha de alta tensão Ressano Garcia-Maputo, para além do reforço
energético à cidade de Maputo nos momentos de maior consumo. A capacidade da central
hidroeléctrica é de 14,5 MW.

Está em implementação um projecto aprovado pelo Centro de Promoção de Investimentos em 2012 -


que consiste na construção e exploração de uma central eléctrica a gás natural para a produção e
venda de energia eléctrica, nos termos do contrato de concessão, num valor aproximado de
241.700.000 USD.

55..44 U
Ussoo ee C
Coobbeerrttuurraa ddaa T
Teerrrraa
O distrito tem uma densidade significativa e uma procura de terrenos proveniente da cidade de
Maputo elevadas, que estão na origem de vários conflitos ligados à posse da terra, para cuja solução
e moderação, tem contribuído a Administração e a DADR (Serviços de Geografia e Cadastro) em
coordenação com anciãos influentes localmente.

Página 5 3
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Página 5 4
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 35. Uso e Cobertura da Terra


Classe Área (ha) (%)
Cultivado Sequeiro 21,630 4.7
Cultivado Irrigado 8,427 1.8
Área Habitacional Semi Urbanizada 455 0.1
Área Habitacional Não Urbanizada 116 0.0
Solo Sem Vegetação 835 0.2
Formação Herbácea Inundável 2,635 0.6
Formação Herbácea Inundada 85 0.0
Formação Herbácea 80,665 17.6
Moita (arbustos baixos) 74,511 16.2
Matagal Médio 5,316 1.2
Matagal Aberto 63,710 13.9
Formação Herbácea Arborizada 148,748 32.4
Formação Herbácea Com Árvores Anãs Emergentes 35,253 7.7
Floresta de Baixa Altitude Aberta 11,879 2.6
Albufeira 4,510 1.0
Lagos, Lagoas 158 0.0
TOTAL 458,932 100.0
Fonte: Centro Nacional de Cartografia e Teledetecção (CENACARTA).

A restante informação desta secção26 foi extraída dos resultados do Censo Agropecuário realizado
pelo INE em 2009/10 e tem por objectivo descrever os traços gerais que caracterizam a base agrícola
do distrito.

O distrito possui cerca de 10.500 explorações agrícolas com uma área média é de 1.5 hectare, sendo
cerca de 85% ocupadas com a exploração de culturas alimentares.

Figura 16. Explorações segundo a sua utilização

Fonte de dados: Instituto Nacional de Estatística, Censo agropecuário, 2009-2010

Com um grau de exploração familiar dominante, 41% das explorações do distrito têm menos de 1
hectare.

26
Apesar das reservas a colocar na representatividade dos dados ao nível distrital, a sua análise permite observar
tendências e os principais aspectos estruturais.

Página 5 5
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Figura 17. Explorações por classes de área cultivada

Fonte de dados: Instituto Nacional de Estatística, Censo agropecuário, 2009-2010

Na sua maioria os terrenos não estão titulados e, quando explorados em regime familiar, têm como
responsável o homem da família, apesar de na maioria dos casos ser explorada por mulheres a
trabalharem sozinhas ou com a ajuda das crianças da família. A maioria da terra é explorada em
regime de consociação de culturas alimentares.

55..55 SSeeccttoorr A
Aggrráárriioo

5.5.1 Infraestruturas e equipamento27

Os potenciais disponíveis de água para irrigação são muito inferiores às necessidades do distrito,
situação que vai piorar com o agravamento das taxas de energia.

As principais culturas praticadas em regadio são o tomate, repolho, pimento, feijão verde, alho,
cebola e outras hortícolas. A batata reno e o feijão manteiga são as culturas alternativas mais
destacadas.

No distrito existem 23 tanques carracicidas, dos quais 10 reabilitados e operacionais, para além de
alguns poços e represas para banho e bebedouro do gado.

Estão, ainda, em funcionamento os pequenos regadios de Sabié, Muamba e Malignante ao longo dos
rios Sabié e Incomáti, todos com energia eléctrica e com um total de 1.250 ha equipados para rega,
dos quais estão operativos 435 ha.

No âmbito do programa da revolução verde, o Governo do Distrito tem vindo a implementar acções
com vista na reabilitação de regadios e estabelecimentos de pequenos sistemas de regras que estão a

Página 5 6
Moamba
________________________________________________________________________________________________

beneficiar algumas associações na Moamba sede e no Posto Administrativo de Sabié. Neste


contexto, esta sendo feito um levantamento para a construção de um gambião na fonte de captação
de água no Regadio de Bloco II, esta em curso a implantação de dois (2) pequenos sistemas de rega e
com apoio da DPA foi recentemente instalado um pequeno sistema de rega em Bandoio
(Malengane), sistemas estes que possuem entre 15 a 50 ha que vão beneficiar cerca 80 famílias.

Para além de construção e reabilitação de sistemas de rega, o Distrito está assistir a revitalização dos
regadios em Sabié (Bloco Pay), onde se prevê uma produção de 3.850 toneladas de banana.

Ao nível das infraestruturas de irrigação existem, ainda, pequenos regadios individuais e


comunitários.

5.5.2 Zonas agro-ecológicas

De um modo geral, a região de Moamba é de solos pobres, salvo os de composição aluvionar


localizados nas bacias dos rios Incomáti e do Sábiè que têm fertilidade média a elevada, com boa
aptidão agrícola. Em geral, o potencial agrícola do distrito está associado à disponibilidade de
infraestruturas para irrigação.

O distrito de Moamba apresenta quase na sua totalidade um clima seco, daí ser considerado como
uma região com aptidão marginal para a prática de agricultura de sequeiro, embora seja a mais
praticada pela população.

As três formas de uso agrícola do solo são:

De carácter permanente - Localizadas junto aos rios Sábiè, Incomáti;

Pousio de curta duração - Localizadas na faixa central do distrito na direcção Norte-Sul; e

Pousio de longa duração - Possuem um nível de cobertura semelhante às de pousio de curta


duração, ocupando a faixa Oeste do distrito junto à zona de grandes altitudes e a partir do rio
Incomáti a Sul.

5.5.3 Produção agrícola

A maioria da população dedica-se à produção em sequeiro com baixa produtividade e alto risco, em
explorações familiares de 1 hectare e dependentes das condições de pluviosidade. Existem grandes
extensões de antigas propriedades agrícolas abandonadas que outrora foram pertença de privados ou
antigas machambas estatais.

27
Extraído do Plano de Desenvolvimento do Sector Agrário da Província, elaborado pela DPADR. Segundo informações recebidas
está na sua fase final um inventário detalhado dos regadios do País (FFHA) , que permitirá actualizar esta informação.

Página 5 7
Moamba
________________________________________________________________________________________________

As principais culturas são o milho, amendoim, feijão-nhemba, abóbora, cana sacarina, batata-doce e
mandioca, alimentando-se a população de cereais e tubérculos (milho, mandioca e arroz)
acompanhados de verduras, feijões, amendoim, peixe e carne de caça.

Para a obtenção de rendimentos monetários, este sector recorre à venda de hortícolas (tomate e
cebola), cana sacarina com que fabricam bebidas alcoólicas e peixe da bacia de Corumana. As
remessas de trabalhadores na África do Sul, a venda de carvão, lenha e carne de caça constituem,
igualmente, importantes fontes de rendimento familiar.

O sector empresarial dedica-se à agricultura, principalmente milho, ao cultivo de hortícolas e banana,


à criação de gado bovino (gado de corte), caprino e suíno e à exploração florestal.

Na Moamba cultivam-se as hortícolas (tomate, feijão-verde, cebola, alho e pimento), geralmente em


regadios e zonas baixas, e as bananeiras, ao longo dos canais. A base de rega é por gravidade ou
aspersão, sendo utilizadas motobombas a diesel, o que encarece os custos de produção.

A agricultura enfrenta o problema da falta de financiamento para o funcionamento e manutenção dos


regadios, dado que os camponeses não têm capital suficiente e não conseguem enfrentar os custos
elevados de produção.

Apesar destes aspectos, de uma forma geral o ponto de situação da campanha no Distrito é positivo,
apesar de se ter registado algumas áreas inundadas nas baixas devido as fortes chuvas, calor intenso,
frio e por outro lado a passagem de águas na barragem de Corrumana registada nos meses de
Dezembro a Janeiro da presente campanha.

No início da Campanha Agrícola 2010/2011 foram realizadas em todos os Postos Administrativos,


campanhas de sensibilização aos produtores com vista a aumentar as suas áreas de produção.

Quadro 36. Produção agrícola, por principais culturas: 2009-2011


Campanha 2009/2010 Campanha 2010/2011
Principais Área (ha) Produção Área (ha) Produção
1
Culturas Semeada (Toneladas) Semeada (Toneladas)
Milho 1.680 2.520 12.257 14.135
Amendoim 170 73 1.526 653
Feijões 300 162 2.520 1.353
Batata Reno 130 2.658 220 5.567
Batata Doce 78 391 72 360
Mandioca 400 21.108 4.068 26.808
Tomate 790 30.160 600 22.158
Cebola 200 4.518 285 7.340
Outras hortícolas 750 23.300 3.200 64.372
Banana 120 6.250 150 8.750
Total 4.618 91.140 24.898 151.496
Fonte: Relatório do Governo Distrital de 2011.
1/Importa referir que na campanha 2009/2010, a falta de chuvas afectou severamente as
sementeiras em quase todas as culturas em todos os Postos Administrativos com maior

Página 5 8
Moamba
________________________________________________________________________________________________

incidência nos postos de Pessene, Moamba–sede e Ressano Garcia, tendo as culturas de milho, amendoim e
feijão nhemba sido as mais afectada, com um efeito de perdas nas áreas semeadas de cerca de 90% nestas
culturas.

No âmbito do PAPA o Distrito recebeu 270 tons de semente da batata reno var BP1, 15ton de
semente de milho de variedade “Matuba”, 7kg de semente de tomate var. “Rio Fuego”, 57Kg de
cebola var. “Texas Grano” e 400Kg de semente de Feijão vulgar. De referir que estas sementes
foram entregues ao provedor local para posterior revenda a preços subsidiados.

No âmbito da produção agrícola, foi realizado no Bloco I- Moamba-sede, a abertura oficial da


campanha agrícola 2010/2011 que contou com a presença de 320 produtores. Nesta foram entregues
500 kg de sementes de variedade PAN67.

E ainda foi entregue ao Posto Administrativo de Pessene 336 m³ de estacas de mandioca , para as
Associações de camponeses da localidade de Tenga. Recebemos 32.354 socas de ananaseiros , que
foram distribuídas para os Postos Administrativos de Moamba –Sede e Pessene das quais 12.000
para Moamba – Sede nos povoados de Maguaza e Lhembe (6.000 socas para cada povoado) e
para o Posto Administrativo de Pessene 21.354 socas para as povoados Zifuva , Wambalambate e
Associação Xilalasse cabendo cada uma 7.100 socas.

No âmbito do programa de difusão de novas tecnologia aos produtores, está em curso a montagem
de 3 ( três ) campos de demonstração de resultados, para a cultura de feijão verde de Variedade
Survivor , com 1000 m ² cada , sendo 1 na Associação 7 de Abril e 2 no regadio de Bloco I e Bloco
II respectivamente. De realçar que esta actividade está a ser realizada em parceria com a ONG
LUPA.

É realizada anualmente uma feira agropecuária com exposição e venda de produtos dos sectores
familiar e comercial do distrito. A maior parte dos produtos agrícolas são vendidos nos mercados da
cidade de Maputo.

5.5.4 Pecuária

O distrito da Moamba é o 2° maior criador de gado da província de Maputo, possuindo cerca de 52


mil cabeças de bovinos que ocupam, aproximadamente, uma área de pasto de 60 mil ha, isto é, 13%
da área do distrito (em 1983, o distrito possuía 104 mil cabeças de bovinos).

Potencialmente rico para a pecuária, possui pastos para a alimentação de diferentes tipos de gado.
Salienta-se que na zona pecuária do Sábiè existe potencialidade de produção de leite, pois existem 2
tipos de pastos: um de fomento de gado leiteiro e outro de recolha de produção leiteira do sector
familiar que era canalizada para a fábrica de lacticínios em Maputo, cujas actividades ficaram
paralisadas com a guerra. Hoje, o leite é produzido pelo sector familiar e só se comercializa ao nível
da Vila.

Página 5 9
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Grande parte das infraestruturas (tanques carracicidas, corredores, furos, represas, bebedouros e
bombas) estão paralisadas. Por outro lado, é necessário combater-se efectivamente o roubo de gado.

No sector familiar, o gado de raça landim e nguni é determinante, sendo o sector privado
caracterizado pelo gado de raça brama.

Os efectivos pecuários registaram um aumento significativo em 2011, apesar da seca e queimadas


descontroladas, que têm condicionado o desenvolvimento dos animais, particularmente do gado
bovino que tem de percorrer grandes distâncias para o pasto e abeberamento.

Quadro 37. Efectivos Pecuários


Espécies 2010 2011
Bovina 47.453 52.012
Caprina 40.346 44.567
Ovina 3.493 3.978
Suína 2.564 2.854
Avícola 12.611 14.295
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

A produção pecuária teve a evolução que está registada na tabela seguinte.

Quadro 38. Produção Pecuária


Produtos 2010 2011
Carne Bovina (Ton) 119 114

Carne de P. Ruminantes (Ton) 1.282 1.423

Carne Suína (Ton) 12.080 13.960


Carne de frango (Ton) 2.295 2.808

Pintos do dia(Un) 294.000 313.000


Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

A campanha de vacinações obrigatórias das grandes espécies teve início em meados de Abril em
todos os postos Administrativos com brigadas móveis e de apoio a partir da sede do Distrito. Devido
a problemas relacionados com a importação das vacinas, a campanha contra a F.Aftosa, C.Hemático
e C.Sintomático foi concluída tardiamente.

5.5.5 Pescas, Florestas e Fauna bravia


A actividade pesqueira é fundamentalmente artesanal, com predomínio do uso do anzol, e
desenvolvida na Albufeira de Corumana, permitindo o escoamento diário de peixe fresco e seco para
os mercados da capital e dos distritos circunvizinhos.

Existem pescadores licenciados e um grande número de pequenos pescadores não licenciados. O tipo
de peixe mais frequente é o tigre, barba (peixe preto), nivenga, berú e mudzungula.

Página 6 0
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Nos últimos anos as áreas florestais sofreram uma grande devastação. A procura de lenha e o fabrico
de carvão por parte dos citadinos de Maputo tem agravado a já crítica situação dos recursos
lenhosos.

Existem matagais junto à albufeira em Corumana e em pequenas manchas junto aos rios em
Moamba-Sede, Chinhanguanine e a Sudeste do distrito.

Os tipos de madeira existente na região são de baixo potencial comercial, sendo a sua utilização
fundamentalmente de carácter energético (lenha e carvão).

A actividade de corte de lenha e de fabrico de carvão vegetal, tem sido praticada tanto por pessoas
licenciadas como não, estendendo-se a áreas não recomendadas para esta actividade.

A situação das queimadas descontroladas diminuiu ligeiramente, tendo contribuído para o efeito as
campanhas de sensibilização levadas a cabo, em coordenação com as autoridades comunitárias.

Também foram realizados trabalhos de educação cívica no uso sustentável dos recursos naturais e
deu-se início ao trabalho de criação de comités de gestão dos recursos naturais.

Os recursos faunísticos que se destacam em Moamba são elefantes, leões, gazelas, coelhos, aves e
répteis, com particular relevo para a região fronteiriça com a África do Sul.

55..66 IInnddúússttrriiaa,, C
Coom
méérrcciioo ee T
Tuurriissm
moo
A indústria está muito pouco desenvolvida. O Distrito conta com 6 Serralharias, 7 Carpintarias, 6
Olarias, 3 Oficinas, 10 Padarias, 6 Estaleiros e 4 Moageiras e 1 fábrica de refeições na vila de
Ressano Garcia com objectivo de confeccionar refeições para os mineiros em trânsito de/e para a
RAS.

Quadro 39. Rede Industrial


Serralharias Carpintarias Olarias Oficinas Padarias Estaleiros Moageiras Total
Moamba sede 5 4 1 3 4 3 2 22
Ressano Garcia 1 1 1 - 3 1 1 8
Sabie - 1 4 - 3 1 1 10
Pessene - 1 - - - 1 - 2
Sub Total 6 7 6 3 10 6 4 42
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

Foi aprovado pelo Centro de Promoção de Investimentos em 2011 um projecto - Pure Diets
Moçambique – para o cultivo de cana-de-açúcar para processamento industrial, bem como a
construçäo e exploração de fábrica de açúcar, num investimento estimado em 85 milhões de USD.

A rede comercial do distrito foi bastante destruída durante a guerra. No quadro apresentado abaixo
pode-se observar que o Distrito conta com 118 lojas, 245 barracas, 167 bancas, 37 tendas, 46
ambulantes e 22 agentes de comercialização agrícola.

Página 6 1
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Quadro 40. Rede Comercial


Posto Lojas Barracas, Ambulantes Agentes de Total
Administrativo bancas e comercialização
tendas agrícola
Moamba sede 39 257 5 22 323
Ressano Garcia 31 93 4 -- 128
Sabie 34 86 37 -- 157
Pessene 14 13 - -- 27
Total 118 449 46 22 635
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

O comércio de mercadorias de procedência sul-africana cresceu bastante e, apesar do baixo poder de


compra local, as lojas da sede de Ressano Garcia estão recheadas de produtos diversos, bem como os
vendedores informais de “esquina”.

Embora o distrito apresente potencialidades naturais, depara-se com a falta de infraestruturas fulcrais
para o sucesso do turismo, contando com 40 restaurantes, 9 estabelecimentos de alojamento, 2
parques, 1 agência de viagens e 1 balcão de informação turística. A reposição da rede turística tem
sido lenta, devido às condições bancárias pesadas do crédito.

Quadro 41. Rede Turística

Postos Rest./bebidas Alojamento Parques Agência Balcão de


Administrativos Viagem informação
Estabeleci Nr. Nr. Camas turística
mentos Quartos
Moamba-Sede 11 4 33 48 - - -
Ressano Garcia 14 2 39 54 - 1 1
Sabie 9 1 4 7 1 - -
Pessene 6 2 3 8 1 - -
Sub. Total 40 9 79 117 2 1 1
Fonte: Relatório Anual do Governo Distrital de 2011

As áreas identificadas como potenciais para o turismo são: as quedas de água de Matunganhana; a
albufeira de Corumana; a gruta dos Libombos; a caça de animais de pequeno porte; as zonas de
montanha; as instalações hoteleiras nas vilas de Moamba-Sede e Ressano Garcia; e a área do
projecto transfronteiriço de turismo cinegético.

O desenvolvimento desta actividade, para além de exigir a criação e reabilitação de certas


infraestruturas turísticas, exige também uma coordenação entre vários sectores, nomeadamente os
responsáveis pela reabilitação das estradas, pistas de aviação e das instalações hoteleiras.

Funcionam no distrito delegações das Telecomunicações de Moçambique, Correios de Moçambique,


Electricidade de Moçambique e da Banca.

Página 6 2
Moamba
________________________________________________________________________________________________

2288
55..77 V
Veeccttoorreess ddee D
Deesseennvvoollvviim
meennttoo ee C Vaalloorr28
Caaddeeiiaass ddee V
Recentemente o Distrito da Moamba seleccionou 4 vectores de desenvolvimento num leque de
vários produtos a destacar: Batata-reno, Milho, Gado e Tomate.

Batata Reno

Problemas Potencialidades
Soluções e Oportunidades de negócios
Produção de batata reno (Insumos):
Potencial para
Actualmente só se produz
produção em 600 Aumentar a área cultivada em 350 hectares
em 250 hectares
hectares
Potencial para
Actualmente só se produz Aumentar a produção em 10.000 toneladas
produção de 15.000
cerca de 5.000 ton/ano
ton/ano (25 ton/há)
Actualmente 95
150 Agricultores
agricultores privados e 3
privados e 3 Aumentar o número de produtores de batata em 105
associações produzem
associações
batata Reno
Crédito para 150
agricultores
Falta de acesso a crédito
privados e 3 Instalar instituições de microcrédito
associações
Baixa disponibilidade da Necessárias 1200 Aumentar a disponibilidade de semente em 940 ton
semente em 260 ton ton de semente
Falta de agricultores 150 Agricultores
qualificados na produção privados 3 Capacitar os agricultores a produzir a batata
de batata associações

Insuficiência de 360 Ton NPK 360 Ton


fertilizantes
120 Ton Sulfato de
120 Ton
Amónio
Processamento/Transformação:

Uma unidade para


Falta de unidade de processamento de
Instalação de uma unidade para processamento de 80%
processamento 80% da produção
da produção de batata fresca
de batata
Uma unidade para
Falta de unidade de
transformação da
transformação da batata Instalação de uma unidade para transformação da
batata em vários
em vários subprodutos batata em vários subprodutos
subprodutos
Comercialização:
Inexistência de Necessárias Instalação de uma unidade de produção de embalagens
embalagens apropriadas embalagens para para batata (ou estabelecimento de contrato com
para batata batata 12.000 ton fornecedores)

28
Fonte: Revista de Marketing - Direcção Nacional de Promoção do Desenvolvimento Rural- DNPDR

Página 6 3
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Milho

Problemas Soluções e Oportunidades de negócios


Potencialidades
Produção de milho (Insumos):

A produção actual (em O potencial do Aumentar a produção anual de milho em 48.850 ton
2010) é de 3.150 ton/ano distrito é de 52.000 (para alcançar 52.000/ano)
ton/ano
Necessários pelo
menos 5
Falta de insumos
provedores de Instalação de 5 casas agrárias, sendo e incentivo aos
agrícolas na rede
insumos em locais comerciantes para a venda de insumos agrícolas
comercial local
estratégicos

Necessidade de um
Ataque de pragas e programa de Operacionalização de um programa de combate às
doenças combate às pragas e pragas e doenças nas culturas
doenças
Necessidade de 1
Falta de um parque de
parque de máquinas Instalar 1 parque de maquinaria agrícola para alugar
maquinaria agrícola para
no distrito aos produtores
alugar aos produtores
Necessidade de
semente melhorada,
Uso de semente de baixa Criação de 6 casas agrárias para a venda de sementes
com vista a
qualidade propícias às condições edafo-climáticas locais
aumentar o
rendimento
Fraca assistência técnica
Contratação de 5 extensionistas para reforçar a rede de
devido a insuficiência de Necessidade de 10
extensão
extensionistas (5) extensionistas
Necessidade de
ampliar os sistemas
Agricultura dependente
de rega para
de chuva, devido à Construção/reabilitação de pequenos sistemas de rega
cobrirem maior
insuficiência de sistemas em zonas estratégicas
área e mais
de rega
produtores

Processamento:
Insuficiência de Necessárias 15 Aquisição de 15 moageiras multi- funcionais para
moageiras de pequena e moageiras de milho várias aldeias do distrito (que incluam sistema de
média dimensão. para várias aldeias embalagem)
Comercialização:
Necessidade de
uma rede de
Difícil acesso às zonas de transporte e de
Reabilitação das vias que ligam as zonas de produção
produção para rodovias
aos lugares de venda
escoamento da produção operacionais para
as zonas de
produção

Página 6 4
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Necessidade de
Rede de lojas rurais com uma rede comercial
Reabilitação estabelecimentos comerciais rurais para a
capacidade limitada para operacional para a
comercialização agrícola
a comercialização comercialização
agrícola

Gado

Problemas Potencialidades Soluções e Oportunidades de negócios

Insumos
A produção actual é de
Aumentar gradualmente os efectivos de gado bovino
apenas 48.000 cabeças de O potencial é de
em 52.000 mil cabeças
gado bovino 100.000 cabeças

Necessários 25
Existem apenas 6 tanques
Tanques
carracicidas (Moamba e
carracicidas Construir 1 tanque carracicidas e reabilitar 18
Sabie) operacionais e 18
operacionais (25
não operacionais
promotores)

Existência de uma
Comissão de
Revitalização da comissão do gado; fiscalização dos
Roubo de Gado fiscalização do
matadouros; penalização dos ladrões e
gado (funcional)

Escassez de pastos, Realizar campanhas de sensibilização da população


Disponibilidade de
devido às queimadas para evitar queimadas descontroladas; penalizar os
pastos para o gado
descontroladas responsáveis pelas queimadas;
Programa de
Incidência de doenças Abate dos animais doentes e sua substituição, nos
controlo de doenças
(brucelose e Tuberculose) termos da lei
Disponibilidade de
água para Abertura de represas em pontos estratégicos para
Falta de água para o gado
abeberamento do abeberamento do gado
gado
Altos Custo dos Medicamentos a Avaliar a possibilidade de comparticipação do Estado
medicamentos preços acessíveis no custo dos medicamentos

Falta de incentivo aos Existência de


promotores veterinários promotores Sensibilizar os criadores para apoiarem os promotores
nas zonas recônditas veterinários

Disponibilidade de
Falta de suplemento suplemento Sensibilização e capacitação dos produtores para uso
alimentar alimentar para o de suplemento alimentar para o gado
gado

Página 6 5
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Tomate

Problemas Potencialidades Soluções e Oportunidades de negócios


Insumos:
Capacidade de
Produção actual: 30.160 Aumentar a produção anual em 9.840 ton
produção: 40.000
ton. /Ano
ton. /Ano
Insuficiência de
Pelo menos 10
maquinaria agrícola Aquisição de 10 tractores e respectivas alfaias
tractores agrícolas e
(Existência de 03
respectivas alfaias
tractores)
Insuficiência de plântulas Necessárias
(disponíveis apenas 2.500.000 plântulas Fornecimento de 2.500.000 de plântulas de tomate da
1.250.000 plântulas da de tomate da variedade HTX14
variedade HTX14 variedade HTX14
Introdução de novo
sistema de irrigação Introdução de 100 novas unidades de irrigação (fértil
Deficiente sistema de
(fértil irrigação) e irrigação) com capacidade de irrigar 1 ha cada e
rega
treinamento dos treinamento de 10 agricultores
agricultores
Agricultores com
Falta de mão-de-obra
conhecimentos
qualificada para a cultura Treinamento de pelo menos 50 agricultores produtores
sobre a cultura de
de tomate de tomate
tomate
Ataque de pragas (mosca
Disponibilidade de Aquisição de novos pesticidas, capacitação dos
branca, ácaros, mosca de
pesticidas agricultores e extensionistas sobre a sua utilização
fruta, mildium etc.)
Disponibilidade de
Fraca capacidade de
meios de transporte
escoamento da produção, Aquisição de pelo menos 3 viaturas adicionais para
para escoamento da
por insuficiência de reforço da frota de usada no escoamento da produção
produção (3
meios de transporte
viaturas 10 ton)
Processamento/Transformação:
Pelo menos 1
Inexistência de unidade
unidade de Instalar 1 unidade transformação de tomate em
de processamento da
transformação de diversos produtos derivados
produção
tomate

Página 6 6
Moamba
________________________________________________________________________________________________

66 V
Viissããoo ee E
Essttrraattééggiiaa ddee D
Deesseennvvoollvviim
meennttoo L
Looccaall
Este capítulo tem como base as conclusões do PEDD - Plano Estratégico de Desenvolvimento
Distrital.

66..11 V
Viissããoo

“Melhorar as condições e o nível de vida das populações do Distrito da


Moamba, através da exploração racional dos recursos naturais e humanos
disponíveis, contando com a participação da componente externa”.

66..22 O
Obbjjeeccttiivvooss eessttrraattééggiiccooss

O Plano embora seja abrangente, na fase de implementação dos projectos e programas, tomou os
seguintes grupos prioritários:

1. Jovens com idade activa recém-graduados das escolas técnicas, organizados em Grupos ou
Associações.

2. Mães-Chefes de família organizados em Grupos ou Associações.

3. Jovens com idade activa regressados da vizinha RSA.

4. Famílias vulneráveis e/ou afectadas pelo HIV/SIDA

5.Pessoas da 3ª idade organizados em Grupos ou Associações.

Para o efeito foram estabelecidos os Objectivos Estratégicos e Específicos que se apresentam na


parte seguinte desta secção.

OBJECTIVO ESTRATÉGICO 1: Promovido o aumento da Produção e Produtividade


agrária, através do uso de tecnologias melhoradas, tomando em conta os recursos localmente
disponíveis.

Objectivo Especifico 1.1: Implementado o plano de uso massivo de Tracção Animal

Objectivo Especifico 1.2: Garantida a exploração efectiva das áreas irrigáveis e/ou com sistemas de
rega instalados

Objectivo Especifico 1.3: Garantida a saúde dos animais, através de Banhos e Vacinações
obrigatórias nos Bovinos e Aves.

OBJECTIVO ESTRATÉGICO 2: Garantida a Segurança Alimentar e Nutricional para a


Maioria da População do Distrito, Principalmente para as Famílias mais Vulneráveis e
Afectadas pelo HIV/SIDA.

Página 6 7
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Objectivo Especifico 2.1: Promovidos projectos de produção em forma de crédito e com resultados
rápidos.

Objectivo Especifico 2.2: Garantida a educação nutricional às populações.

Objectivo Especifico 2.3: Apoiados os produtores locais na comercialização da sua produção, através
de estudos de mercados.

OBJECTIVO ESTRATÉGICO 3: Reduzido o numero de novas infecções do nível actual de


500 por dia para 350 em 5 anos e 150 em 10 anos.

Objectivo Especifico 3.1. Reduzido o número de infecções com HIV de um modo geral mas em
particular no grupo etário 15-24 anos (incluindo a janela de esperança);

Objectivo Especifico 3.2. Aumentado o nível geral de conhecimentos sobre HIV/SIDA e redução do
diferencial de género que se verifica neste domínio;

Objectivo Especifico 3.3. Massificadas as actividades de aconselhamento e testagem voluntária;

Objectivo Especifico 3.4. Aumentadas as taxas de utilização do preservativo;

Objectivo Específico 3.5. Aumentada a percentagem de pessoas com ITS e seus contactos tratados
de acordo com o Protocolo Sindrómico;

Objectivo Específico 3.6. Promovida a Saúde Sexual e Reprodutiva dos jovens;

Objectivo Específico 3.7. Reduzida a vulnerabilidade das mulheres à infecção por razões
socioculturais e económicas;

Objectivo Específico 3.8. Reduzida a transmissão vertical do HIV;

Objectivo Específico 3.9. Reduzida a transmissão não sexual do HIV

OBJECTIVO ESTRATÉGICO 4 : Garantido o acesso da População às Infraestruturas e


Serviços Públicos com a qualidade desejada.

Objectivo Especifico 4.1: Expandida de forma equilibrada a rede sanitária pública.

Objectivo Especifico 4.2: Melhorada a prestação dos cuidados de saúde nas unidades sanitárias.

Objectivo Especifico 4.3: Estendida a rede de comunicação (fixa e móvel) e informação.

Objectivo Especifico 4.4: Reduzida a Taxa-índice de Analfabetismo de 55% a 45%.

Objectivo Especifico 4.5: Garantido o abastecimento de água potável às comunidades em pelo


menos 70% das famílias.

Objectivo Especifico 4.6: Garantida a expansão da rede eléctrica para as zonas de produção agro-
pecuário e/ou de maior aglomerado populacional em 30%.

Objectivo Especifico 4.7: Reduzida a Taxa de Mortalidade Materno-Infantil em 80%.

Página 6 8
Moamba
________________________________________________________________________________________________

Objectivo Especifico 4.8: Vias de acesso e pontes, linha férrea, circulação de comboios/meios de
transporte

OBJECTIVO ESTRATÉGICO 5: Melhorada a Qualidade na Prestação de Serviços á


População

Objectivo Especifico 5.1: Garantida a implementação do processo de reforma do sector público.

Objectivo Especifico 5.2: Melhoradas as condições de trabalho dos funcionários do Estado.

Objectivo Especifico 5.3: Garantido o registo, a celebridade e transparência na tramitação de


expedientes.

Objectivo Especifico 5.4: Garantida a boa gestão, administração e modelos de boa governação.

OBJECTIVO ESTRATÉGICO 6: Criado um ambiente favorável para a atracção de


investimentos, tanto privado, como Público tendo em conta o uso sustentável dos recursos
disponíveis.

Objectivo Especifico 6.1: Promovido o desenvolvimento do sistema financeiro nas zonas rurais.

Objectivo Especifico 6.2: Facilitado o acesso e segurança á posse de terra.

Objectivo Especifico 6.3: Garantida expansão dos estabelecimentos comerciais, industriais e


turísticos.
2299
66..33 A
Annáálliissee FFO A2 9
OFFA
A estratégia de implementação definida deriva da análise dos pontos fortes, fracos, oportunidades e
ameaças existentes em cada área de cada um dos pilares estratégicos de intervenção e cujas
conclusões são a seguir sistematizadas.

Breve Descrição-levantamento dos Principais Problemas/Constrangimentos

v Estado de degradação das infraestruturas de regadios dos blocos 1, 2, 48 caracterizados pela


infiltração das águas nas represas e assoreamento dos canais principais (Moamba Sede e
Sabie).

v Fraco investimento externo no sector agrário embora represente a principal fonte de


rendimento familiar.

v Mau estado das vias de acesso no interior do Distrito, não facilita a circulação e/ou
escoamento da produção sobretudo na época chuvosa.

v Exploração irracional dos recursos florestais (lenha, carvão e estacas) nas zonas interiores de
Sábie, Pessene.

29
FOFA – Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças.

Página 6 9
Moamba
________________________________________________________________________________________________

v Exploração irracional do recurso mineiro (areia) no leito do rio Incómati na vila sede
dificulta o abastecimento de água para a rega das machambas e para o consumo das
população.

v Existência de conflitos de terra derivado a sobreposição de interesses para a sua exploração


na zona de Ressano Garcia, Moamba Sede e Sábie.

v Elevada taxa de desemprego sobretudo de jovens e senhoras mães-chefes de família.

v Reduzida cobertura da Rede televisiva nacional em Ressano Garcia, Sábie e da Telefonia


Móvel Mcel e Vodacom na zona de Sábie e Pessene

v Fraca cobertura do sistema de abastecimento da água no Distrito e existência de inúmeras


bombas manuais de água paralisadas devido á falta de fundos para reparação, sendo 6 na
Moamba Sede, 4 em Ressano Garcia, 12 em Pessene e 14 em Sábie.

v Salas de aulas subaproveitadas devido á falta de alunos nas zonas de Sábie, Pessene e
Ressano Garcia.

v Existência de alunos que estudam no ar devido a falta de salas de aulas.

v Insuficiência de Quadros Qualificados que possam responder aos grandes desafios e


dimensão do Distrito.

v Reduzido número de infraestruturas habitacionais para os técnicos afectos no Distrito.

v Existência de Instituições publicas que funcionam em instalações impróprias (Ex: SDPI,


SDEJT,etc).

v Exiguidade de meios circulantes e equipamento de escritório para os diferentes sectores de


actividades (Ex: ambulância para o centro de saúde de Ressano Garcia).

v Inexistência de um parque de máquinas para o sector agrícola e de infraestruturas.

v Baixo nível de escolaridade da população dificulta a participação destes nos processos de


desenvolvimento social e económico no Distrito.

v Fraca cobertura da rede de transporte e comercial interior do Distrito .

v Fraca expansão da rede eléctrica para o interior do Distrito.

v Falta de ordenamento territorial dificulta a assistência de serviços públicos básicos.

v Reduzida capacidade financeira para a manutenção das infraestruturas do Estado,


principalmente edifícios públicos.

v Sub aproveitamento das Infraestruturas comerciais.

v Falta de pequeno de sistema de água para algumas unidades sanitárias (Ex: Centro de saúde
de Chanculo).

Página 7 0
Moamba
________________________________________________________________________________________________

v Falta de condições para garantir a triagem aos repatriados (não ha Instituições


vocacionadas),por semana recebem 600 a 700 repatriados;

v Fraco aproveitamento das águas do rio Incomati para produção agrícola nas zonas de
Chanculo e Movene ;

v Fraca assistência social aos idosos ao nível do Distrito.

v Deficiente circulação do comboio de passageiros (números de carreiras reduzidas) para


permitir a circulação de pessoas e bens.

v Falta de barco para a travessia no rio Incomati do povoado de Suduine para o povoado de
Incomati Estacão.

v Ausência de Industria de agroprocessamento.

Breve Resumo das Potencialidades-Disponibilidades do Distrito

v Solos aráveis para a actividade Agro-pecuária

v Existência da Barragem Hidroeléctrica de Corrumana.

v Existência de Linha de Transporte Ferroviário que liga Maputo-Ressano Garcia até RSA.

v Existência de uma Auto Estrada denominada EN4 que liga o Distrito á RSA.

v Existência de condições para a prática de turismo do tipo Game Farm.

v Existência de agricultores privados e familiares organizados em Associações com


experiência na produção.

v Disponibilidade de Areia e Pedra para a indústria de construção civil.

v Acesso às redes de telefonia móvel e fixa e ainda sinal de TV .

v Existência de uma Escola Profissional e duas de nível Secundário geral.

v Existência de uma indústria avícola.

v Existência de sistemas de irrigação instalados e parcialmente explorados.

v Existência de estufas para a produção de plantulas.

v Existência de Mini Indústrias Moageiras para processamento de Farinha de milho e ração.

v Existência de Rios (Incomati e Sábié) .

v Existência de Condições agro-climáticas e pastos.

v Crescimento dos efectivos do gado bovino e caprino .

v Disponibilidade de Mão de obra activa .

Página 7 1
Moamba
________________________________________________________________________________________________

R
Reeffeerrêênncciiaass ddooccuum
meennttaaiiss
- Balanço do Plano Económico e Social Durante o Ano de 2010, Governo
Distrital.

- Balanço do Plano Económico e Social Durante o Ano de 2011, Governo


Distrital.

- CENACARTA - http://www.cenacarta.com

- Conta Geral do Estado 2011 e 2010 – Ministério das Finanças, Direcção


Nacional do Orçamento.

- District Poverty Maps for Mozambique: 1997 and 2007 - Based on


consumption adjusted for calorie underreporting - Ministério do Plano e
Finanças, Direcção Nacional de Estudos e Análise de Políticas.

- Estrutura Tipo do Governo Distrital - Decreto nº 6/2006 de 12 de Abril.

- Fichas estatísticas para o perfil distrital – Serviços Distritais

- Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo agropecuário, 2009-2010.

- Instituto Nacional de Estatística, Dados do Recenseamento da População de


2007.

- Lei dos Órgãos Locais, n.º 8/2003 de 27 de Março.

- Ministério da Educação, Estatísticas Escolares.

- Ministério da Saúde, Estatísticas da Saúde.

- Perfil Distrital de 2005, Ministério da Administração Estatal, Direcção


Nacional da Administração Local.

Página 7 2
Moamba
________________________________________________________________________________________________

- Plano Estratégico de Desenvolvimento Distrital, Governo Distrital.

- Regulamento da Lei dos Órgãos Locais, n.º 8/2003 de 27 de Março.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2010,


Governo Distrital.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


Governo Distrital.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDAE

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDPI

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDSMAS

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDEJT

- Relatório sobre Pobreza e Bem-estar em Moçambique: 3ª Avaliação Nacional


(Outubro de 2010), Ministério do Plano e Finanças, Direcção Nacional de
Estudos e Análise de Políticas.

- Revista de Marketing Territorial – Ministério da Administração Estatal,


Direcção Nacional de Promoção do Desenvolvimento Rural.

Página 7 3
Moamba
- Balanço do Plano Económico e Social Durante o Ano de 2010, Governo
Distrital.

- Balanço do Plano Económico e Social Durante o Ano de 2011, Governo


Distrital.

- CENACARTA - http://www.cenacarta.com

- Conta Geral do Estado 2011 e 2010 – Ministério das Finanças, Direcção Nacional
do Orçamento.

- District Poverty Maps for Mozambique: 1997 and 2007 - Based on


consumption adjusted for calorie underreporting - Ministério do Plano e Finanças,
Direcção Nacional de Estudos e Análise de Políticas.

- Estrutura Tipo do Governo Distrital - Decreto nº 6/2006 de 12 de Abril.

- Fichas estatísticas para o perfil distrital – Serviços Distritais

- Instituto Nacional de Estatística, Dados do Censo agropecuário, 2009-2010.

- Instituto Nacional de Estatística, Dados do Recenseamento da População de 2007.

- Lei dos Órgãos Locais, n.º 8/2003 de 27 de Março.

- Ministério da Educação, Estatísticas Escolares.

- Ministério da Saúde, Estatísticas da Saúde.

- Perfil Distrital de 2005, Ministério da Administração Estatal, Direcção Nacional da


Administração Local.

- Plano Estratégico de Desenvolvimento Distrital, Governo Distrital (Plano para


cinco anos)
- Regulamento da Lei dos Órgãos Locais, n.º 8/2003 de 27 de Março.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2010,


Governo Distrital.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


Governo Distrital.

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDAE

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDPI

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDSMAS

- Relatório de Balanço das Actividades Desenvolvidas durante o Ano de 2011,


SDEJT

- Relatório sobre Pobreza e Bem-estar em Moçambique: 3ª Avaliação Nacional


(Outubro de 2010), Ministério do Plano e Finanças, Direcção Nacional de Estudos e
Análise de Políticas.

- Revista de Marketing Territorial – Ministério da Administração Estatal, Direcção


Nacional de Promoção do Desenvolvimento Rural.

 
A informação incluída nesta publicação provém de fontes consideradas fiáveis e tem uma natureza
informativa.

Copyright © 2012 Ministério da Administração Estatal

Todos os direitos reservados.

Publicado por

MINISTÉRIO DA ADMINISTRAÇÃO ESTATAL


Direcção Nacional de Administração Local
Maputo - Moçambique
Primeira edição, primeira impressão 2012

Esta publicação está disponível na Internet em http://www.portaldogoverno.gov.mz

Página 1
Moamba

Interesses relacionados