Você está na página 1de 39

FOTOGRAFIA CULINÁRIA

Associação de Fotógrafos Fototech

Guarda

Coleção Fototech - A
AGRADECIMENTOS AGRADECIMENTOS
“A Associação de Fotógrafos Fototech agradece inicialmente a todos os associados; são
vocês que fazem a Fototech.
Entre os que integram a associação, um obrigado especial a Ester Hamermesz, por seu
empenho, dedicação e visão; ao Tony de Marco, por emprestar seu expertise agregador ao
projeto; ao Pepe Mélega, por defender sua boa ideia, sem esmorecer; e à atual diretoria,
que viabilizou este livro.
Não poderíamos deixar de agradecer a Editora Desktop, principalmente ao Alexandre
Keese, que sempre apoiou a Fototech e embarcou no projeto desde seu início; à Patricia
Guarnelli, pela direção de arte; e a todos os parceiros e apoiadores da Fototech, sem os
quais nada seríamos.”

IV - Fotografia culinária
COMO USAR ESTE LIVRO
COMO USAR ESTE LIVRO
Este livro reúne imagens de vários fotógrafos de grande talento associados da Fototech.
Cada imagem ilustra uma experiência única, mostrando técnicas para captura de fotos de
alimentos em diferentes momentos e para os mais variados usos.

Para melhor compreensão das informações contidas nesta obra, os vários tipos de
imagens foram classificados por cores, como visto no Sumário deste livro.

As legendas das fotos estão abreviadas e, abaixo, você pode conferir uma enumeração do
significado de cada uma delas:

LEGENDAS SIGNIFICADO
A Abertura
Acessórios Acessórios
Back Back Light
Cliente Cliente
C Câmera
D. Focal Distância Focal
Difusor Difusor
Filme Filme
Filtro Filtro
Flashes Flashes
I Iluminação
Iso Iso
O Objetiva
Processamento Processamento
Produção Produção
S Velocidade
Scanner Scanner

Uma boa leitura a todos!


Grupo Fototech

Coleção Fototech - V
Sumário COZINHANDO 14

INGREDIENTES 04

ENTRADAS 18 PÃO 26

MOLHOS 32 SOPAS 34

PEIXES 42
SALADAS 36

VI - Fotografia culinária
CRUSTÁCEOS 46 CARNES 50

AVES 54

ACOMPANHAMENTO 58

REFEIÇÕES 64 SOBREMESAS 70

BEBIDAS 80 MESA DE DOCES 88

Coleção Fototech - VII


INTRO INTRODUÇÃO
Este livro de fotografia nasceu fruto de uma necessidade.
A falta de literatura especializada e técnica sobre a fotografia de alimentos, aliada à
disposição dos associados da Associação de Fotógrafos Fototech em suprir esta carência,
nos permitiu estabelecer uma feliz parceria com a Editora Desktop, viabilizando assim
o projeto original: trazer aos estudantes de fotografia e aos fotógrafos iniciantes as
diferentes visões de vários associados da Fototech, profissionais ou não, sobre o assunto.
O fato de a Fototech ter uma personalidade multidimensional, descentralizada e despida
de rótulos, permite que se dê a importância devida à boa fotografia, valorizando o fotógrafo
criativo, independente do nível de experiência ou conhecimento acadêmico que possua.
A relativa independência da qual as diretorias regionais estão se valendo garante uma
associação livre de preconcepções e beneficia a todos os associados, independente de sua
localização geográfica, sabendo estes que podem sempre contar com apoio local, estejam
onde estiverem, a trabalho ou a passeio. É exatamente o que as imagens deste livro
apresentam, essa multiplicidade de ideias com total liberdade de criação.

A especialização crescente na fotografia comercial, antes generalista e eclética, e hoje


absolutamente compartimentada, fez da foto de comida (food photography) uma das
grandes estrelas da publicidade, já que a sua necessidade é constante e os valores
praticados pelo mercado bastante interessantes; a busca pelo “appetite appeal”
acabou sofisticando e enriquecendo o arsenal técnico dos fotógrafos que se dedicam
profissionalmente à categoria. Por outro lado, o olhar menos comercial daqueles que
de alguma forma pretendem traduzir em imagens os sabores, aromas e prazeres da
boa mesa, carrega o livro de frescor e produz inusitadas composições, em que cor e
textura ressaltados pela iluminação muitas vezes natural, resultam em poesias visuais
quase sensoriais; o que se procura não é apenas o “como” foi feito, mas principalmente o
“porquê” de ter sido feito dessa forma e não de outra qualquer.

O livro traz em dezesseis capítulos um panorama da fotografia contemporânea de


culinária, com esquemas de iluminação, fichas técnicas e descrições dos procedimentos,
e curiosidades sobre as fotos realizadas. As mais diversas maneiras de se entender esse
típico segmento fotográfico são aqui demonstradas, desde o approach poético ao rigor

INTRO
germânico das precisas produções publicitárias.
Este pretende ser apenas o primeiro de uma série de livros de mesmo teor, mudando-se
nos próximos apenas a especialidade fotográfica, mas mantendo-se a forma e qualidade
do conteúdo. Não poderia deixar de agradecer a todos os associados da Fototech pelo
apoio irrestrito ao projeto, aos fotógrafos que cederam seu tempo e suas imagens para
que o livro se tornasse viável, e especificamente a Pepe Mélega pela ideia e empenho na
realização.
Esperamos que o livro seja útil a quem o estuda, e temos a certeza de que foi feito com
muita dedicação.

Clicio Barroso Filho, presidente, Associação de Fotógrafos Fototech.


São Paulo, 2009

2 - Fotografia culinária
C: Canon EOS 1D MarkII N || O: Canon 16-35 mm 2.8L || FILTRO: B+W Polarized Filter || I: Natural do sol

CHRISTIAN CASTANHO

O Coleção Fototech - 3
INGREDIENTES

C: Canon EOS 5D || O: EF24-70mm


f: 2.8L || A: f: 5.6 ||
S: 1/15 sec || ISO: 200

4 - Fotografia culinária
C: Canon EOS 5D || O: EF24-70mm f: 2.8L || A: f: 8 || S: 1/10 sec || ISO: 200

NEIDE WEINGRILL
Tema: Still Life
Iluminação: Natural - Fim de tarde
Estúdio: Terraço de casa
Produção: Componho o arranjo, espero a
luz ideal, e clico fechando o campo bem em
cima das frutas. Simples e eficiente.

Coleção Fototech - 5
COZINHANDO

MARCELO UCHÔA
O cliente forneceu a embalagem sem impressão.
Abrimos a parte de trás da caixa e por lá
despejamos o produto, que saiu pela frente e caiu
corretamente na farinha.
Importante ter bastante produto, farinha e outros
potes iguais, assim após qualquer erro é possível
rapidamente fazer uma nova tentativa, enquanto
alguém da equipe descarta a farinha e gema usadas
e limpa o pote para uma nova foto.
Um contra-luz bem controlado é fundamental para
dar um bom reflexo branco nas gemas.

14 - Fotografia culinária
Coleção Fototech - 15
ENTRADAS

DIEGO ROUSSEAUX
Foto realizada para um folder de um buffet, no qual várias opções
de serviço eram apresentadas. Esta corresponde a jantares, em
que os talheres e o sousplat de prata hierarquizam a produção,
mas criam um problema fotográfico: os reflexos. É por isso que
a escolha de um contra-luz com uma grande superfície luminosa
foi a melhor solução, gerando um ótimo volume nos elementos do
prato e fornecendo uma superfície em que o sousplat se reflete,
mostrando o brilho da prata.
A tomada foi realizada em filme cromo, formato 6x7cm e não
possui qualquer tratamento digital.
A iluminação é de um grande Soft Box em contra-luz e um
rebatedor à frente.

18 - Fotografia culinária
Filme: Kodak EPP || C: Pentax 67 || O: 105mm || A: f:8 || S: Sincro || I: Flashes || Cliente: Marina Aguiar || Produção: Marina Aguiar
PÃO

LEO CARVALHO
Cliente: Trigais Panificadora
Utilização: Anúncio em guia gastronômico
Iluminação: Natural; Contra-luz do sol na
janela em fim de tarde. As sombras foram
amenizadas por dois rebatedores de isopor
branco.
Adereços e cenário: Completo café da
manhã montado em mesa de madeira no
salão do cliente.

Filme: Fuji Provia 100F || C: DSLR 35mm || O: 105mm || A: f: 22 ||


S: 1 sec. || ISO: 100 || I: Luz natural e rebatedor

26 - Fotografia culinária
Coleção Fototech - 27
MOLHOS

MARCIO
SHAFFER
C: Canon EOS 20D || O: Canon 135mm ||
A: f: 9 || S: 1/125 sec || ISO: 100 ||
I: Flash 200 w/s e rebatedor de isopor

32 - Fotografia culinária
MARCIO SHAFFER
C: Canon EOS 20D ||
O: Canon 135mm ||
A: f: 9 || S: 1/125 sec
|| ISO: 100 ||
I: Flash 200 w/s e
rebatedor de isopor

DANIELLE SANDRINI
Chef: Jana Ghoubar
Propósito da foto: portfolio da chef
Fundo: mesa do restaurante com objetos
paraenses.
Prato: Tacacá, prato típico do Norte
brasileiro (Pará/Amazonas). Consiste em
um caldo fermentado de mandioca amarela
servido quente com um camarão e uma
folha ligeiramente entorpecente para os
lábios (como um anestesiante): o jambu.
Esquema de luz: haze em contra-luz (luz de
modelagem do flash), rebatedor dourado à
esquerda. O: 200mm || A: f: 5.6 || S: 1/8 sec | ISO: 100 || I: Luz de modelagem do flash.

PEPE MELEGA
Matéria sobre como homens solteiros e descasados se viram na cozinha. Optei pela indução, mostrar o ambiente
e a forma com fariam comprando algo pronto (massa de grife ainda na caixa) e como organizariam o preparo
(cuidado com o manjericão e o molho). Usei o fogão de casa, revesti as paredes com papel-cartão na cor terra para
suavizar o branco e dar ênfase à panela. Foco seletivo com uma lente Canon 45mm TS-E que permite báscula,
e um filtro gradual ND para amenizar a chama azulada criando suavidade. A câmera usada foi uma Canon com
ajuste de 1/4 de velocidade com 5,6 de abertura em ISO 400. Iluminacão oriunda de uma lanterna (light paint) e
filtro Cokin degradê (ND Gradual) para dar o efeito mais escuro na parte superior da imagem.

C: Canon EOS 5D || O: Canon 45mm TS-E || A: f: 5.6 ||


S: 1/4 sec || ISO: 400 || I: Lanterna e filtro ND da Cokin

Coleção Fototech - 33
MARCIO SHAFFER
C: Canon EOS 10D || O: 28-135mm em 73mm || A: f: 19 || S: 1/10 sec || ISO: 100
Essa foto foi utilizada em um receituário.
Usando penas uma luz contínua
de 300 watts em uma cozinha
bem escura e com as luzes apagadas. A luz vem
um pouco de cima direcionada para a comida.
Fundo: chapa de acrílico leitoso branco.

MARCELO UCHOA

Receita certa, produção certa, luz


OK, mas um monte de gordura e óleo
boiando na sopa!
Quebramos muito a cabeça, até
filtramos a sopa com coador de papel.
Depois descobrimos que existe caldo
de carne / galinha etc. com zero de
gordura. Daí foi só utilizar este ao invés
do normal e resolvido o problema.

Filme: Fuji Provia 120 || C: Bronica || O: 105mm ||


A: f: 22 || S: 1/60 sec || ISO: 100

34 - Fotografia culinária
MARCELO UCHOA
Às vezes o assunto ou produto rendem pouco visualmente. Um
caldo com o pão e ovo é difícil ficar interessante...A dica aqui é
incorporar os elementos do preparo, enriquecendo a cena.
O ovo certinho é feito numa panela exatamente do tamanho que
precisamos para a cena final, desse modo, a clara não se espalha e
a gema fica fácil de ser posicionada.

Filme: Fuji Provia 120 || C: Bronica || O: 105mm || A: f: 22 || S: 1/60 sec || ISO: 100

Coleção Fototech - 35
36 - Fotografia culinária
FERNANDA NASSER
Prezado leitor, em algum momento de sua
vida urbana e apressada, condicionada
ao imediatismo e ao automatismo, seus
pensamentos urgentes e civilizados já
foram atravessados por dúvidas rústicas,
de todo rurais, e divertidamente modestas
e ingênuas? Algo como: "Afinal, em que
velocidade pode correr, de entre os dentes
até a beirada das narinas de uma vaca, sua
própria língua áspera?"
Não sei se alguém lhe respondeu, mas
para um fotógrafo a resposta para tão
inusitada interrogação poderia ser: 1/800s
de olhar atento e indicador esperto!

C: Nikon D70 || O: Nikon 18-70.mm || f/3.5-45 || A: f: 6.3 || S: 1/800 sec ||


ISO: 320 || I: Luz solar das 3 da tarde

Coleção Fototech - 37
PEIXES

42 - Fotografia culinária
C: Nikon D70 || O: Nikon 18-70mm || A: f: 4.5 || S: 1/10 sec. || ISO: 200

OLICIO PELOSI
Bodó na brasa.
Fiz essa foto em um tapiri de uma família de ribeirinhos nas
margens do lago Uruapiara no Amazonas, após uma viagem de 30
horas de barco, Saindo de Humaitá e subindo o Rio Madeira.
O pai e filhos haviam acabado de chegar da pesca, no final da tarde
com os peixes ainda vivos e se debatendo no fundo do barco.
O Bodó assado inteiro é um prato comum no Norte do Brasil. Meia
hora depois ele está pronto e suas entranhas são retiradas. Com
uma colher come-se sua carne branca com farinha, pouco sal e
pimenta murupi. Luz natural difusa, emitida pelas chamas do fogão
e flash portátil apontado para o teto da cozinha.
CRUSTÁCEOS FERNANDA NASSER
Foto feita na varanda do restaurante. A luz usada na foto foi a
luz natural vinda lateral ao objeto.
O Restaurante Ville du Chef, em Belo Horizonte, realizou
em 2007 um festival gastronômico. Como astro principal foi
escolhido o King Crab, um famoso crustáceo encontrado
em mares de águas geladas, como as do Alasca. Para
fotografá-lo em clima tropical, foi escolhida como cenário a
mesa da varanda do próprio restaurante, onde a luz natural
de um dia nublado, filtrada pela copada árvore da entrada,
se fazia perfeitamente difusa e suave. O uso do tripé de
câmera foi indispensável, já que a velocidade adequada
para o disparo era de 1/6s. O ligeiro desfocado na garrafa
de champagne e mais acentuado nas almofadas floridas
deve-se à combinação da abertura do diafragma com o uso
C: Nikon D70 || O: Nikon 18-70.mm || de uma lente Nikon 18-70mm em sua forma mais fechada,
A: f/3.5 || A: f: 5.0 || S: 1/6 sec || 70mm. Para amenizar as sombras laterais projetadas pelo
ISO: 200 || I: Luz natural de janela, rebatida. notável caranguejo, um pequeno rebatedor branco fez-se
delicadamente suficiente.
CHRISTIAN CASTANHO

C: Canon EOS 1D MarkII N || O: Canon 24-70 mm || 2.8 L || ISO: 200 ||


I: 2 Hensel 500W a 45º e 1 Hensel 500W por cima

MARCIO SHAFFER

C: Canon EOS 10D || O: Canon 50mm || A: f: 2.5 || S: 1/750 sec || ISO: 100 ||
I:Luz contínua de 300 watts. O difusor usado foi uma parede de tijolos de vidro.

Coleção Fototech - 47
CARNES

50 - Fotografia culinária
ALBERTO DY
Imagem feita para o cardápio de inverno do Bistrô Capoani e
realizada no próprio restaurante, para onde levamos uma pequena
fórmica branca de fundo.
A iluminação é simples, apenas com um pequeno Sotfbox com
colmeia e sem difusor interno. O resto da iluminação foi realizado
com um pequeno espelho valorizando as partes que mais
interessavam.
Foto: Alberto dy (estúdio Aphoto)
Direção: Leticia Dranczuk wl (estúdio Aphoto)
Produção: Cozinha do Bistrô

C: Canon 5D || O: Canon 100mm Macro || A: f: 11 || S: 1/125 sec. || ISO: 100

Coleção Fototech - 51
AVES

ALBERTO DY
Nesta foto utilizamos um pouco de
foco crítico e tratamento de imagem
concentrando a atenção na parte principal
do prato. A iluminação usando uma caixa
de luz simula uma janela, valoriza as
formas da decoração e cria o brilho do
caramelizado das coxinhas que passam a
sensação de saborosas.
O equipamento fotográfico é uma Mamiya
645 com Back Digital e lente 120mm.
Fundo: chapa de acrilico leitoso branco
Fotografia: Alberto dy (estúdio Aphoto)
Direção: Leticia Dranczuk wl (estúdio
Aphoto)

C: Mamiya 645 || O: Mamiya 120m || Back Digital

54 - Fotografia culinária
MARCIO SHAFFER

C: Canon EOS 10D || O: Canon 50mm


A: f: 2.8 || S: 1/350 sec. || ISO: 100
I: Luz contínua de 300 w/s. Rebatedor
de isopor.

Coleção Fototech - 55
ACOMPANHAMENTO MARCIO SHAFFER
C: Canon EOS 10D || O: Canon 50mm || A: f: 11 ||
S: 1/10 sec. || ISO: 100 || I: 2 Digiflash 200 -
Usei um contraluz bem marcado para dar bastante
brilho nos talheres e no tomate.

58 - Fotografia culinária
C: Canon EOS 10D || O: Canon 50mm || A: f: 6.3 || S: 1/30 sec. || ISO: 100 || I: 2 fontes de luz contínua de 300 watts cada uma. 1 rebatedor
do lado direito. || Fotos realizadas para ilustrar um livro de receitas

C: Canon EOS 10D || O: Canon 50mm || A: f: 5.6 ||


S: 1/125 sec. || ISO: 100 || I: Luz contínua de 300
w/s. O difusor usado foi uma parede de tijolos de
vidro e o rebatedor foi um espelho.

Coleção Fototech - 59
REFEIÇÕES

ALBERTO DY
C: Mamiya 645 || O: Mamiya 120mm. ||
Back Digital

64 - Fotografia culinária
A foto desse risoto foi feita antes da inauguração do restaurante Dona Ana. Dessa forma, tivemos tempo e tudo
disponível para realização de uma boa imagem. Como os pratos ainda estavam sendo desenvolvidos em sua forma
final de servir, foi possível montar os pratos como ficaria melhor para as fotos. A iluminação é de um Flash Fresnel
e um Snoot com colmeia do outro, o fundo é uma grande mesa de madeira do restaurante.
O equipamento fotográfico é uma Mamiya 645 com Back digital e lente 120mm.
Fotografia: Alberto dy (estúdio Aphoto)
Direção: Leticia Dranczuk wl (estúdio Aphoto)
Criação: Tulio e Mirian (Blu comunicação)
Produção: Cozinha do Dona Anna

Coleção Fototech - 65
SOBREMESAS

MARCIO SHAFFER
Essas fotos foram feitas em uma escola de gastronomia enquanto
esperava o chef preparar o próximo prato para ser fotografado.
O açúcar foi derramado usando uma peneira para filtrá-lo.

70 - Fotografia culinária
C: Canon EOS 10D || O: Canon 28-135mm || A: f: 11 || S: 1/60 sec. || ISO: 100 || I: 2 flashes Canon 580EX
adaptados nos softboxes. A câmera tinha 1 transmitter ST-E2 controlando os flashes.

Coleção Fototech - 71
com gerador de 2400W. Filtros de correção de cor ROSCO 3408 e 3411 (âmbar) e 3203 (azul)
C: Nikon D70 || O: :Nikon 80-200mm f 2.8 || A: f: 8 1/2 || S: 1/125 sec || I: 3 cabeças de flash
FABRIZIO ZINI
Cliente: ContiBier
Briefing: imagem para painel na fábrica.
A imagem deveria passar refrescância, frescor e ter apelo estético.
Produção de cena: aquário grande sobre uma mesa firme, lona
para proteger o estúdio e passei todos os cabos e geradores
aéreos (nada com eletricidade tocava o solo). A lata estava presa
a um braço de alumínio, por trás, a aproximadamente um palmo
acima do aquário, e a garrafa era puxada de dentro do aquário,
trazendo água com ela, para cada clique. O assistente que puxava
a garrafa usava uma pulseira de plástico para ajudar a “arrastar”
mais água a cada puxada. Outro assistente jogava água com uma
pá de plástico transparente por cima e pelo lado direito da lata.
Problema maior: a potência dos geradores de luz de flash devem
estar todas no mínimo, para ter um movimento mais “congelado”.
Porém, isso diminui a quantidade de luz, e, portanto, aumenta a
abertura diminuindo a profundidade de campo. Como não posso
estar próximo à cena para não molhar a câmera, usei uma lente
semi-tele (70mm), mas tive que usar um filtro polarizador para
reduzir os brilhos e melhorar os reflexos.
Resultado: pouca profundidade de campo

C: Nikon D70 || O: Nikon 70mm ||


D. Focal: 70mm || A: f: 16 ||
S: 1/250 sec. || ISO: 200 ||
I: 7 cabeças de flash. Dois geradores
de 1200W, um de 2400W e uma tocha
compacta de 400W. Tudo na mínima
potência. || Difusor: Tecron ||
Acessórios: 5 softboxes,
duas parábolas.

80 - Fotografia culinária
BEBIDAS

Cliente: produtor de café do interior de São Paulo.


Briefing: o cliente pediu uma foto que passasse, alem de sabor e
aroma, também o clima gostoso de uma cozinha típica de fazenda,
rústica e com apelo estético e simples.
Produção de cena: objetos simples, porém elegantes.
Produção da imagem: O café da imagem final foi despejado quente por
uma garrafa térmica para soltar bolhas de ar, que dão o aspecto mais
aerado. A fumaça foi feita com uma bituca de cigarro colocada atrás
da xícara (bituca por que é pequena para caber atrás da xícara e solta
menos fumaça). A fumaça foi colocada estrategicamente para realçar
com o fundo mais escuro, e a sua coloração azul deu-se pela luz
lateral direita com filtro azulado - pois fumaça de cigarro é cinza, o que
dá aspecto não muito agradável à foto.
Difusor de luz: Tecron
Acessórios de luz: 3 softboxes

Coleção Fototech - 81
MESA DE DOCES

DIEGO ROUSSEAUX

88 - Fotografia culinária
Essas fotos dos chocolates fazem parte de uma série de fotos para embalagem e têm um layout onde foto e
fundo se fundem, tanto na parte superior quanto na inferior. Criar esse efeito por luz foi o caminho escolhido,
para não ter que forçar a fusão das bordas. É por isso que escolhi fazer uma faixa de luz ligeiramente diagonal,
ficando um pouco de contra-luz para aumentar o volume dos chocolates.
A fonte luminosa é uma tocha de flash de baixa potência, com um refletor bem fechado com papel vegetal e uma
série de cartolinas pretas para cortar a luz e criar esse feixe. Do lado oposto, há um mini-rebatedor 5 x 3 cm de
papel prata para desenhar o lado que ficava na sombra (na área de foco), e, assim, realçar mais o produto.
Cliente: Tanarive
Dir de criação: Antonio Ferreira
Produção de objetos: DiegoRousseaux

C: Nikon D 700 || O: Nikon 105 mm macro || A: f: 4.5 || S: 1/125 sec || ISO: 100 || I: Flash de estúdio

Coleção Fototech - 89