Você está na página 1de 49

Associação Brasileira de Formação e Desenvolvimento Social - ABRAFORDES

www.CursosAbrafordes.com.br

DICA: Tecle Ctrl+s para salvar este PDF no seu computador.

Curso Personal Trainer


Conceitos do treinamento personalizado; Conhecer o aluno; Planejamento e
elaboração do treino; Prescrever e aplicar o treino; Acompanhamento regular;
Reavaliação e ajuste.

Cada vez mais pessoas estão apostando no treinamento personalizado para melhorar seus
resultados. Seja qual for seu objetivo (perda de peso, condicionamento físico, hipertrofia, etc), o
acompanhamento de um professor pode fazer com que você chegue até ele mais rapidamente. O
motivo é simples: o treino será elaborado exclusivamente para você,

1. Conhecer o aluno

Para montar um programa de treinamentos específico para você, os profissionais responsáveis levam
em consideração todas as suas características, como as modalidades de sua preferência e também o
histórico de esportes e atividades físicas já praticadas. Além disso, o profissional realiza testes de
aptidão física, tira as medidas e analisa seu histórico médico para só então chegar ao programa
adequado ao seu perfil e objetivos. Caso seja identificado alguma variação nos resultados, cabe ao
profissional levar em consideração as limitações de cada um para montar um treinamento com
exercícios para compensação e fortalecimento dos detalhes identificados.

Você também conta com a praticidade de poder agendar os treinos de maneira mais flexível, de
acordo com a sua rotina. Esse ajuste também é feito levando em conta o modo como você se
alimenta em cada dia, a quantidade de horas que dorme e outros fatores que podem influenciar no
seu desempenho.

2. Planejamento e elaboração do treino

Conhecendo bem a sua individualidade, o professor pode evoluir o treino de forma que ele seja
progressivo, contínuo e variado. A possibilidade de variação de modalidades deixa o treinamento
mais dinâmico e completo.

3. Prescrever e aplicar o treino

A presença constante do seu professor em cada dia de treino permite que ele acompanhe o modo
como você realiza cada movimento. Assim, ele pode ajustar o nível dos exercícios imediatamente,
além de cuidar para que a execução seja correta, garantindo mais eficiência em cada série e
prevenindo lesões por excesso ou erros.

4. Acompanhamento regular

Muito mais do que um treinador, o professor se torna um parceiro de treinos, e essa é uma das
principais vantagens apontadas pelos alunos que realizam o treinamento personalizado. Quantas
vezes você não deixou de treinar por preguiça ou falta de incentivos? Com o professor ao lado, pode
ter certeza de que isso não se repetirá nunca mais. A motivação para o dia a dia é bem maior na
companhia de alguém te incentivando e, principalmente, cobrando pelos resultados em cada sessão.
5. Reavaliação e ajuste

A cada etapa de treino concluída é preciso realizar uma reavaliação que vai indicar os resultados até
o momento. Esses dados servem de base para o ajuste de carga e intensidade dos próximos passos.
Além disso, incentivam a continuidade do treino, já que os resultados com um treinamento
personalizado certamente serão positivos!

Fica claro então o grande diferencial oferecido pelo treinamento personalizado e os benefícios para
que você alcance resultados já no curto prazo. O acompanhamento profissional de um professor é a
certeza de alcançar seus objetivos de forma rápida e segura, desfrutando da atividade física com
qualidade de vida e saúde.

O que é ser Personal Trainer?

O uso do nome Personal Trainer vem se tornando cada vez mais comum entre nós, profissionais da
Educação Física. Mas, fazendo uma reflexão mais profunda, pergunto: o que é ser um Personal
Trainer?

O que faz um professor ser um Personal Trainer de verdade? E não apenas falar que é Personal
Trainer, pois soa muito bonito você se apresentar como Personal Trainer, é um belo status dentro da
área de quem atua no ramo de musculação e condicionamento físico, além de passar uma sensação
de importância.

SerPersonal Trainervai muito além do nome, para um professor se denominar com tal nomenclatura
não basta estar numa sala de musculação com uma camiseta extravagante escrito Personal em letras
garrafais.

E também vai além do número de alunos que você tem, não significa que um Personal que tenha 10
alunos seja mais Personal do que um que tenha 3.

É claro que se você tiver uma boa cartela de alunos significa que você está no caminho certo, tanto
na parte técnica como na parte de marketing e relacionamentos.

Ser Personal Trainer é dominar tudo aquilo que envolve o nosso trabalho, e não só naquela uma hora
em que ficamos com o nosso aluno.

-Dominar a parte técnica, ou seja apresentar resultados embasados em tendências e conceitos


científicos,

-Saber através de avaliações quais os pontos principais a serem trabalhados com o aluno, saber
atuar de forma precisa na parte psicológica dos treinos. Sim, para ter um aluno durante um bom
tempo você tem que ser um bom “psicólogo”, e manter esse aluno motivado e satisfeito o tempo
inteiro,

-Ter um bom marketing pessoal sem exageros, um marketing bem trabalhado e criativo é muito mais
eficaz do que uma enxurrada de informações desnecessárias,

-Ser organizado com seus materiais de trabalho, nas planilhas e na parte financeira, afinal ser
Personal Trainer também é ser como uma empresa (esse ponto será tema de um post futuro).

Caso você não tenha uma planilha para cada aluno contendo os dados obtidos nos testes e projeções
futuras algo está errado, repense seus métodos de trabalho e organização.
Pois para chegar na hora da aula sem planejamento nenhum e ver o que acontece no treino é coisa
de amador e não de um verdadeiroPersonal Trainer. Porque para ficar ali do lado do aluno olhando
para o relógio e para o celular e apenas contar repetições não precisa de muito esforço, o mesmo
vale ao ficar do lado do aluno na esteira o treino todo atuando como um famoso segurança de
esteira. Portanto ser criativo nos treinos e proativo contam e muito para um trabalho de sucesso.

Se prepare para ser um Personal Trainercompleto, tenha consciência de que o seu trabalho não se
resume apenas naquela hora em que você está com o aluno durante o treino.

Temos que tomar cuidado com essa banalização do nomePersonal Trainer, isso implica diretamente
no reconhecimento profissional de quem faz o trabalho de uma forma completa e verdadeira. Seria
ótimo se todos que atuam comoPersonal Trainer fizessem o trabalho de uma forma completa, assim
evitaria preços de hora/aula totalmente defasados em relação ao que podemos oferecer.

final Personal Trainer ou Personal Training?

Personal = individual, particular.

Training = treinamento, aprendizado - o serviço.

Trainer = treinador - o profissional.

Personal Trainer - o profissional.

VEJA+

5 dicas para estudantes e profissionais da área da Educação Física que pretendem iniciar na
CARREIRA DE PERSONAL TRAINER!

https://www.youtube.com/watch?v=QdBUqslNifQ

Lição 02: Serviços oferecidos pelo personal trainer; Definição de Saúde;


Aptidão Física; Princípios gerais da Prescrição de Exercícios; Conceito de
Avaliação; Tipos de avaliação.

ANAMNESE -

O profissional de Educação Física é capacitado em avaliar, prescrever e controlar a atividade física


respeitando as individualidades e necessidades dos alunos, sem que os mesmos corram riscos - José
Carlos Gallo.

Prestar Serviços ! Por isso a informação será o único produto daqui para frente.

Definição de Saúde

Na atualidade, saúde tem sido definida não apenas como a ausência de doenças. Saúde se identifica
como uma multiplicidade de aspectos do comportamento humano voltado a um estado de completo
bem-estar físico, mental e social. David C. Nieman - Exercício e Saúde, 1999.
Aptidão Física

1)Associada com a capacidade de realizar as atividades diárias do cotidiano com vigor e energia;

2) Demonstrar traços e capacidades associadas a um baixo risco para o desenvolvimento de doenças


crônico-degenerativas.
"Segundo a Bíblia, livro de Gênesis, a esperança de vida normal é 120 anos. Com o meu estudo do
corpo humano, eu me convenci de que a maioria de nós possui capacidade inata de alcançar uma
vida vigorosa acima de 100 anos de idade." Dr. Keneth H. Cooper , MD

IDADE CRONOLÓGICA E IDADE REAL

Idade Real

Depende de 5 fatores principais:

* Nível atual de resistência

* Nível atual de força

* Nível atual de flexibilidade

* Nível atual de saúde geral

* Histórico de saúde pessoal

Princípios gerais da Prescrição de Exercícios

Os componentes essenciais de uma prescrição sistemática e individualizada incluem:

*Modalidades apropriadas, intensidade, duração, frequência e progressão da atividade física - Tais


componentes são aplicados para pessoas de todas as idades e capacidades funcionais,
independentemente da existência ou ausência de fatores de riscos de doenças. (Guidelines ACSM,
2000)

Limites Calóricos necessários para haver melhora significativa no VO² máx, Perda de Peso, ou
redução do risco de doença crônica prematura:

O ACSM recomenda limites mínimos de 300 kcal para um indivíduo que pesa 70 kg por sessão de
exercícios realizados 3 dias por semana.

Para atingir níveis de atividade física ideais, o objetivo é fazer com que o dispêndio semanal, se
aproxime de 2000 kcal tanto quanto a saúde quanto a aptidão permitam. (Guidelines ACSM, 2000)

Oscilação pedagógica da carga de treinamento na atividade física (o que é preciso para ter sucesso
em um treinamento)

1. Dar prazer

2. Criar hábito

3. Idéia Fixa

4. Satisfação

Obs: por isso é que temos que dar aos nossos clientes MOMENTOS MÁGICOS ! Evitando a qualquer
custo MOMENTOS TRÁGICOS !

Prescrição de exercícios na prevenção, condicionamento e emagrecimento - Clique aqui

Conceito de Avaliação

Segundo Araújo, a avaliação emite normalmente um juízo de valor ou julgamento. A avaliação


interpreta um resultado de uma medida, sendo geralmente de caráter qualitativo.

Tipos de avaliação:

1. Diagnóstica ou Anamnese Geral

-Informações Gerais

-Análise de fatores de risco coronariano

2. Avaliação Corporal

3. Avaliação Neuromuscular

4. Avaliação Cardiorespiratória

Avaliação Diagnóstica

Será aquela usada antes de se iniciar qualquer treinamento

Sua função será conhecer as condições iniciais do aluno e suas necessidades pessoais, para a partir
daí serem traçados os objetivos, assim como auxiliar na organização da montagem e elaboração do
treinamento.

Avaliação Formativa
Será aquela usada durante o período de treinamento. Através dela é possível verificar o andamento
do seu trabalho, sabendo como está o aluno enquanto ainda é tempo para se fazer modificações.

Cadastro da Anamnese

Nome:

Endereço:

Telefone:

Data de Nascimento:

Sexo:

Data do Início:

Anamnese Geral

1) Por que você quer praticar atividades físicas?

Prevenção

Condicionamento Físico

Estética

Lazer

Indicação Médica

Outros............................

2) Onde prefere praticar sua atividade física?

Em casa

Na Academia

Outros............................

3) Quais os aparelhos você tem disponível para o treinamento?

Esteira

Caneleiras

Halteres

Aparelhos de Musculação

Outros ...............................

4) Tem praticado atividade física regularmente?


Sim

Nâo

5) Há quanto tempo não pratica qualquer atividade física?

3 meses

6 meses

um ano

Mais de um ano

6) Quantos dias na semana tem disponível para a prática de atividade física?

3 dias

4 dias

5 dias

6 dias

7 dias

7) Quais os dias da semana de sua preferência?

Segunda-feira

Terça-feira

Quarta-feira

Quinta-feira

Sexta-feira

Sábado

Domingo

8) Quanto tempo tem disponível por dia?

60 min

90 min

120 min

Outros...................................
Fatores de Risco

Predominância dos fatores de risco de doenças cardíacas de acordo com o AHA (American Heart
Association)

Principais fatores de risco que podem ser alterados:

Tabagismo 25%

Pressão Alta (>140/90 mmHg) 25%

Colesteral Elevado (>240 mg/dl) 20%

Inatividade Física 60%

Principais fatores de risco que NÃO podem ser alterados:

Hereditariedade

Ser do sexo masculino

Aumento da idade > 65 anos 13%

Outros Fatores Contribuintes

Diabetes7%

Obesidade 33%

Estresse

Existem casos de doenças coronarianas em sua família?

Não = 0

Pai ou Mãe acima de 60 anos= 1

Pai e Mãe acima de 60 anos= 2

Pai ou Mãe com menos de 60 anos= 3


Pai e Mãe com menos de 60 anos= 7

Pai ou Mãe , irmã ou irmão = 8

Peso - Está dentro acima do peso normal?

5 Kg abaixo do peso normal = 0

Peso Normal= 1

5-10 kg acima do peso normal= 2

11-19 kg acima do peso normal = 3

20-25 kg acima do peso normal = 7

mais de 25 kg acima do peso normal = 8

Frequência da prática atual de exercícios

Vida sedentária = 6

Faz exercícios raramente e possui vida profissional sedentária = 4

Faz meia hora de exercícios 3 vezes por semana e atividade profissional leve = 3

Faz uma hora de exercícios 3 vezes por semana e atividade profissional sedentária = 2

Faz uma hora de exercícios 3 vezes por semana e atividade profissional moderada = 1

Faz uma hora de exercícios todos os dias e atividade profissional é intensa = 0

Taxa de Colesterol LDL

Abaixo de 180 = 0

Entre 181-200=1

Entre 201-220 = 2

Entre 221-249=7

Entre 250-280 = 9

Entre 281-300 =10

Homens

Até 30 anos = 0

de 31-40 anos=1

de 41-45 anos=2
de 46-50 anos=3

de 51-60 anos=5

acima de 61=6

Gongorra Hormonal Masculina

Os níveis de testosterona ao longo da vida de um homem:

1. (0-10 anos) Do nascimento a puberdade, as taxas de testosterona, o hormônio sexual masculino,


por excelência crescem lentamente.

2. (10-20 anos) Na puberdade, os níveis sobem vertiginosamente. Os pêlos crescem, a voz engrossa,
e os órgãos sexuais se desenvolvem e se tornam áptos para a reprodução.

3. (20-50 anos) Ao redor dos 20 anos, a produção de testosterona atinge o máximo. O desejo sexual
manifesta-se com mais intensidade. Ao longo dos 30, as taxas se mantêm estabilizadas - lá no alto.

4. (50-70 anos) Aos 50 anos, há uma discreta baixa na produção hormonal. Na andropausa, essa
queda é assentuada. Alguns homens sofrem de falta de libido, distúrbio eréteis, irritação, lapsos de
memória, insônia, depressão, entre outros problemas.

Mulheres

Até os 50 anos= 0

de 51-60 - antes da menopausa= 2

de 51-60 - a partir da menopausa= 3

mais de 71 anos= 5

Influência Hormonal Feminina

Durante a puberdade a hipófise anterior secreta os hormônios FSH e LH, que por sua vez faz com
que se desenvolva os ovários começando dessa forma a secreção de estrogênio.

O estrogênio nas mulheres alargam a área pélvica, estimulam o desenvolvimento das mamas e
aumentam a deposição de gordura nas coxas e nos quadris, aumenta a taxa de crescimento ósseo.

A mulher adulta média, possui gordura corporal numa taxa de 6 a 16 pontos percentuais em relação
ao homens.

O aumento de deposição de gordura nas coxas e quadril, é resultante da atividade da lipase


lipoproteica nessas áreas.

A atividade da lipase proteica é muito alta e a atividade lipolítica (degradação de gorduras) é baixa
nas coxas e quadris das mulheres. (fonte: Jack H. Wilmore, David L. Costill - Fisiologia do Esporte e
do Exercício- 2001)

Gongorra Hormonal Feminina

As flutuações dos níveis de estrógeno na vida da mulher


1. (0-10 anos) Até a puberdade, os níveis de estrógeno, o principal hormônio sexual feminino, se
mantém estáveis e baixos;

2. (10-20 anos) Na puberdade ocorre a explosão hormonal e a primeira menstruação.

3. (20-30 anos) As taxas de estrógeno chegam ao máximo. A mulher atinge o ápice de sua
capacidade reprodutiva.

4. (30-50 anos) A partir dos 35 anos, em média, começa o declínio. Mas ele não é linear: Os níveis de
estrógeno ora sobem ora descem. Por volta dos 48 anos surgem os sintomas da pré-menopausa -
ondas de calor, alterações de humor, inapetência sexual.

5. (50-70 anos) Cerca de um ano antes da última menstruação, as taxas do hormônio despencam . É
a menopausa, as brasileiras entram nesta fase por volta dos 50 anos.

A influência do estrógeno na Mulher

* Alargamento da pelve;

* Estimula o desenvolvimento das mamas;

* Aumenta a deposição de gordura nas coxas e nos quadris que é resultante da atividade da lipase.

* Causa câncer de mama.

(fonte: Jack H. Wilmore, David L. Costill - Fisiologia do Esporte e do Exercício- 2001)

Treinamento Mulher:

1º - 15º dia do ciclo menstrual: Treinar alta intensidade e muita carga

16º - 27º dia do ciclo menstrual: Diminuir a carga

27º - 30º dia do ciclo menstrual: Pouquíssimo trabalho - atividade regenerativa - 40- 50% da
intensidade

Período Menstrual: Mulher apresenta baixa Fc repouso

Período de Ovulação: Mulher apresenta baixa Fc repouso

TPM: Mulher apresenta Fc Alta (período em que se deve afrouxar o volume de trabalho)

Dismorfismo Sexual (diferenças entre o homem e a mulher)

Convicção Político-sociais: A mulher passou a participar de atividades esportivas bem depois dos
homens.

Estatura: a mulher é mais baixa e mais leve devido a maturação mais rápida do esqueleto e
fechamento dos discos de crescimento. Isso faz com que o sistema locomotor passivo (ossos,
articulações) se adaptem à cargas menores (pesos).

Proporção de membros: A proporção tronco/membros é diferente, na mulher o tronco é maior e os


membros são mais curtos, deslocando para baixo o centro de gravidade. Desvantagens em esportes
com saltos e corridas. Vantagens em modalidades que exigem equilíbrio (GRD, ginástica de solo,
etc...):

A mulher possui ombros mais estreitos e quadris mais largos, fazendo com que os membros
superiores e inferiores tomem a forma de X aumentando a mobilidade na articulação dos cotovelos e
joelhos, possiblilitando a hiperextensão. Porém maior instabilidade articular e desvantagem
mecânica (alavancas de força).

Diferenças Hormonais: principalmente na quantidade reduzida de " testosterona" impossibilitando


auto grau de hipertrofia muscular. Por outro lado grande quantidade de estrogênio que tende à
retenção hídrica.

Densidade Corporal: da mulher é menor que a dos homens devido a maior quantidade de gordura e
ossatura mais leve. Vantagem para a flutuação na natação.

Força Muscular: a força da mulher é menor que a do homem variando de 54% a 84% dependendo do
segmento muscular.

Medidas do Coração: da mulher são menores, embora com maior frequência cardíaca e menor
quantidade de hemoglobina, acarretando maior dificuldades no transporte de O².

Aparelho Respiratório: da mulher é menor, menor número e tamanho de mitocôndrias, além de


menos capilarização em relação ao homem.

Menores depósitos de triglicérides: que no treinamento de resistência manifesta-se através de uma


maior mobilização de gorduras para produção de energia.

Metabolismo Basal: a mulher tem menor o metabolismo basal devido a maior isolação térmica e a
relação gordura/músculo. Por que o tecido muscular é menor na mulher.

Temperatura Corporal: da mulher é maior, em torno de 1/2 a 1°C, isso significa que ocorre
desidratação e sinais de esgotamento mais cedo do que o homem.

Características de Obesidade: a mulher é Ginóide - acúmulo de gordura abaixo da cintura - quadril e


coxas, enquanto o homem é Andróide - acúmulo de gordura na região do tronco.

Fatores Psicológicos: A mulher tende a possuir um temperamento, mais ativo que o homem, por isso
seu treinamento não deve ser monótono e muito prolongado.

Desenvolvimento da Obesidade

Hipertrofia das células adiposas: limitada por aspectos biológicos (aumento do tamanho da célula)

Hiperplasia das células adiposas: papel decisivo no aumento da quantidade de gordura, (aumento do
número de células)

Período crítico para o aumento de células adiposas: último semestre da gravidez, primeiro ano de
vida e estirão do crescimento.

Fumo

Nunca fumou=0
Ex fumante, ou fuma charuto ou cachimbo =1

Fuma menos de 10 cigarros por dia=2

Fuma entre 10-20 cigarros por dia= 8

Fuma entre 21-30 cigarros por dia= 9

Fuma mais de 30 cigarros por dia = 10

Aterosclerose

Produção de uma placa de substância gordurosa na camada interna dos vasos sanguíneos

*Se o bloqueio for na artério coronária, provoca o infarto do miocárdio

*Se o bloqueio for nos vasos cerebrais acarreta o derrame

*Se for nos vasos sanguíneos dos membros inferiores, provoca a doença arterial periférica

Atividade Física e Lipídios

Triglicerídeos: (glicerol + 3 moléculas de ácidos graxos). Fornece energia para processos


metabólicos. É formado através de excesso de glicídios e também sintetizado no fígado.

Colesterol: (produto metabolismo animal). A maior parte de sua síntese ocorre no fígado. Apenas 1/3
é fornecido pela dieta.

Lipoproteínas plasmáticas
Veículos transportadores de lipídios na circulação. Contém colesterol, triglicerídios, proteínas e
fosfolipídeos.

Tipos:

VLDL-C (lipoproteína de muito baixa densidade)-

composição: 17% de fosfolipídios, 15% de colesterol, 10% de proteínas, 58% de triglicerídios

LDL-C (lipoproteína de baixa densidade)

composição: 43% de colesterol, 22% de fosfolipídios, 10% de triglicerídios, 25% de proteínas

HDL-C(lipoproteína de alta densidade)

Composição: 30% de fosfolipídios,18 % de colesterol, 49% de proteínas, 3% de triglicerídios

Pressão Arterial Sistólica

110-119 mmHg (0)

120-130 mmHg (1)

131-140 mmHg (2)

141-160 mmHg (6)

161-180 mmHg (9)

acima de 181 mmHG (10)

Níveis de pressão arterial para adultos de ambos os sexos

Hipertensão arterial no contexto epidemiológico Brasileiro - 1995

Óbitos: 893.877

Doenças do aparelho circulatório: 244.605 (27,36%)


Hipertensão: 17.880 (7,8%)

Doença Cérebro Vascular: 81.632 >> 80% = HA: 65.305

Doença Isquêmica do Coração: 69.906 >>> 40%=HA: 27.962s

Hipertenção Arterial Total:111. 148 mortes (45,44%)

Estimativa de Prevalência de Hipertensão arterial

*13 milhões se considerar cifras de Pressão Arterial - > 160 e ou 95 mmHg

*30 milhões se considerar cifras de Pressão Arterial entre 140-159 e ou 90-94 mmHg

O sangue circula pelo corpo graças ao efeito impulsor do coração que atua como se fosse uma
bomba. Segundo o III Consenso Brasileiro de Hipertensão Arterial, para adultos, consideram-se
pressões normais abaixo de 130 mmHg de máxima e 85 mmHg de pressão mínima. Pressões acima
de 140/90 mmHg são consideradas elevadas e constituem a hipertensão arterial.

Na maioria das vezes , não conseguimos saber com precisão a causa da hipertensão arterial, mas
sabemos que muitos fatores, tanto endógenos quanto exógenos podem ser igualmente responsáveis.

Fatores Endógenos:

Hereditariedade: Algumas pessoas herdam a predisposição a Hipertensão Arterial, que pode


apresentar-se em vários membros de uma família.

Idade: O envelhecimento aumenta o risco da Hipertensão Arterial em ambos os sexos.

Raça: estatísticas mostram que a raça negra é mais propensa a hipertensão arterial que a raça
branca.

Peso: A obesidade é um fator de risco à Pressão Arterial.

Fatores Exógenos:

Bebidas Alcóolicas: o uso abusivo de bebidas alcóolicas se associa a hipertensão arterial.

Falta de Exercício: a vida sedentária contribui para o excesso de peso.

Tabagismo: Não é diretamente ligado a hipertensão arterial, porém é um fator de risco em doenças
cardiovasculares.

Excesso de sal: Cloreto de sódio pode facilitar e agravar a hipertensão.

Estresse: Excesso de trabalho, angústia, preocupações e ansiedade podem ser responsáveis pela
elevação da pressão arterial.

Consequências da pressão alta:

* Derrame cerebral;
* Diminuição da visão por lesões na retina;

* Lesão nas artérias;

* Dano sério nos rins;

* Desgaste acelerado no coração por doenças no cardíacas (infarto, insuficiência cardíaca,


arritmias);

(fonte: Ministério da Saúde - CDCD)

Prescrição de Exercícios Para o Hipertenso

Tipo de atividade: caminhada, ciclismo, corrida, natação (aeróbicos)

Intensidade:

geral= 50-80% do VO² máx

Idosos= 40-70% do VO² máx

Exercícios Neuromusculares;

Prioridade para exercícios com baixa a moderada carga;

Devem ser evitados exercícios com importante componente isométrico e/ou com cargas elevadas
(desequilíbrio entre o consumo e demanda de O² pelo Miocárdio e maior liberação de K+ para
contração muscular)

Influência do exercício físico na Pressão Arterial

Respostas Crônicas: redução na atividade do sistema nervoso central, redução dos níveis de insulina
(diminuição da reabsorção do sódio renal e redução na secreção de catecolaminas), substâncias
vasodilatadoras na circulação

(ACSM, 1993)

Medicação Anti-hipertensiva

Vasodilatadores - causam hipotensão - fazer um resfriamento mais duradouro.

Beta bloqueadores - causam redução da F.C. - A intensidade deve ser controlada pelas escalas
subjetivas.

Diuréticos - causam desidratação - hidratar.

Você tem diabetes?

Não e també não há casos na família (0)

Não, mas há casos na família (1)

Sim, mas estou em tratamento (6)

Sim , mas não está controlado (10)


Tipos de Diabetes:

Tipo 1: Insulino dependente (produção deficientes de insulina)

Efeitos do exercício Físico:

O exercício não tem efeito importante no controle da glicemia. Efeitos sobre os fatores de risco para
doenças cardiovasculares.

Tipo 2: Não insulino dependente (intolerância a glicose pelos tecidos)

Efeitos do exercício Físico:

O exercício tem efeito no controle da glicemia. Efeitos sobre os fatores de risco para doenças
cardiovasculares.

(fonte: vivolo e col, 1969)

Influência do exercício físico sobre a glicose sanguínea

* aumento no número de fibras musculares oxidativas;

* aumento no número da densidade dos capilares;

* Maior sensibilidade à insulina;

* Maior atividade da lipoproteína lipase no músculo;

* Redução dos níveis de glicose sanguínea

Análise do Fator de Risco Coronariano - Ver teste automático

(Leia também: RISKO - Teste de Índice Coronariano)

Estresse

Todo e qualquer estímulo que quebre a homeostase (estado de equilíbrio orgânico)

Tipos: físico, bioquímico e psíquico

Sintomas:

*Falta de apetite

*Frequência cardíaca basal elevada

*Pressão arterial alta ou baixa

*Diarréia e lesões musculares constantes

Sintomas do estresse psíquico:

*Diminuição da capacidade de concentração e aprendizagem

*Insônia
*Impotência

*Diminuição do libido

*Irritabilidade

*Inapetência

AVALIAÇÃO FÍSICA -

Composição Corporal

É aproporção de gordura em relação ao peso magro e frequentemente é expressa em porcentagem


de gordura corporal . As porcentagens de gordura corporal de um corpo saudável são inferiores a
15% para homens e 23% para as mulheres. ( David Nieman, Exercício e saúde, 1999)

Fundamentos da Composição Corporal

A obesidade é um grave problema de saúde que reduz a expectativa de vida, pois aumenta o risco
individual de se desenvolver doença arterial coronariana, hipertensão, diabetes tipo II, doença
pulmonar obstrutiva, ósteo-artrite e certos tipos de câncer.

O aumento de riscos a saúde associados a obesidade é relacionado não apenas com a quantidade
de gordura total de corporal, mas também, com a qual a gordura está distribuída, especialmente na
região abdominal (gordura visceral).

Muito pouca gordura corporal, por outro lado, também representa um risco à saúde, porque o
corpo necessita de uma certa quantidade de gordura para a manutenção das funções fisiológicas
normais (lipídeos essenciais e não essenciais)- Fonte: Vivian Heyward e Lisa Stoarczyck - Avaliação
da composição corporal aplicada - 2000

Lipídios
Lipídios essenciais: fosfolipídeos (são necessários para a formação da membrana celular)

Lipídios não essenciais: triglicérides (encontrados no tecido adiposo), fornecem isolamento térmico e
armazenam energia metabólica (ácidos graxos livres)

Outras funções dos lipídios:

1) Transporte e armazenamento de vitaminas lipossolúveis (A,D,E e K);

2) Funcionamento Nervoso

3) No ciclo menstrual e no ciclo reprodutor, bem como no crescimento e maturação na puberdade.

- Fonte: Vivian Heyward e Lisa Stoarczyck - Avaliação da composição corporal aplicada - 2000

Gordura específica Sexual na Mulher:

As mulheres têm um requerimento adicional mínimo de gordura (gordura específica sexual) que é
armazenada na maior parte da área, ao redor dos seios e ao redor do quadril. Esta gordura aumenta
o peso corporal da mulher em 5-9% e está envolvida na produção de estrogênio, assegurando o
equilíbrio hormonal e a função menstrual. (fonte: Anita Ben - Guia completo de treinaemento de
força)

Nível de gordura abaixo do essencial nas mulheres promove:

1. Desequilíbrios hormonais (redução da produção de estrogênio)

2. Irregularidades na menstruação (Oligomenorréia)

3. Disfunção Menstrual, Cessação dos Ciclos (amenorréia)

4. Infertilidade

Gordura específica Sexual no Homem:

No homem, quando a gordura corporal cai para abaixo de 5%, há uma queda na produção de
testosterona e a quantidade de espermatozóides diminui, na libido e atividade sexual.

(fonte: Anita Ben - Guia completo de treinaemento de força)

Gordura Corporal Genética

Os pesquisadores acreditam que nosso nível de gordura é determinado pelo próprio corpo, no
ponto onde ele se sente melhor. Isto é geneticamente determinado e não pode ser alterado
facilmente. Além disso, os cientistas descobriram uma sequência genética (o chamado gene da
obesidade) que controla os níveis de gordura por meio do apetite e do metabolismo. Aqueles gene-
defeituosos têm um controle de apetite mau-ajustado e são propensos a comer demais e a engordar.
(fonte: Anita Ben - Guia completo de treinaemento de força)

Os genes dos apetite são controlados no cérebro por um tipo de termostato (adipostato);

Se seu nível de gordura corporal aumenta acima da faixa genética, as células de gordura
produzem mais leptina. Isto sinaliza o cérebro que os níveis de gordura, estão muito altos, de modo
que o adipostato responde aumentando o metabolismo e reduzindo o apetite.
Se seu nível de gordura corporal cai abaixo da faixa genética, a produção de leptina é reduzida,
seu metabolismo se torna mais lento. (fonte: Anita Ben - Guia completo de treinaemento de força)

Aspéctos Técnicos e Científicos: Métodos para avaliação da Composição Corporal

Diretos: dissecação de tecidos e estudos em animais.

Indiretos: Densitometria (esagem hidrostática, pletismografia), Hidrometria, Espectometria,


Tomografia computadorizada, Ultra Som, Absortometria de dupla energia (dexa), etc...

Duplamente Indiretos: Antropometria e Bioimpedância

Método Direto de dissecação de tecidos:

Modelo bioquímico: água, proteína, mineral e gordura.

Densidade da MCM:1.100

Densidade da Gordura: 0.900

Percentual dos Componentes da MCM: Água (73%), Mineral (6,8%), Proteína (19,4%)

Cálculo da Densidade Corporal

Densidade Corporal (gr/ml)= peso corporal/ ( peso corporal - peso submerso/ densidade da H²O) -
volume residual +100 ml

Conversão da Densidade para Gordura Corporal:

1) Rathburn e Pace (1945) foram os primeiros autores a desenvolver equações para estimativa da
gordura a partir da densidade corporal;

2) Brozek (1953) e Siri (1961) desenvolveram equações semelhantes considerando que a densidade
da gordura=0,9007 g/ml e MCM= 1,10 g/ml

Técnica da Espessura do Tecido Subcutâneo

1) 2 depósitos: gordura essencial + gordura subcutânea

2) Gordura Corporal Total: gordura essencial + gordura subcutânea

A Medida Subcutânea foi sugerida por antropólogos no final da II Guerra Mundial (desenvolveram o
compasso especial do tipo pinça)

Locais de Medida: a literatura especializada menciona a existência de até 93 possíveis locais


anatômicos onde a DC pode ser destacada. A dificuldade quanto à diferenciação do tecido muscular
e precauções quanto a exata localização, reduz este número.

Medida de Dobra Cutânea

1. Realizada sempre do lado direito;


2. Série de 3 medidas considerando a média;

3. Tecido subcutâneo diferenciado do tecido muscular através do polegar e do indicador, com as


pontas do compasso localizadas à um cm do ponto de reparo;

4. Aguardar de 1-3 seg para a leitura ser realizada.

Material utilizado:

Compassos do tipo Harpenden (fabricação inglesa);

Compassos tipo Lange

Compassos tipo Cescorf (fabricação nacional)

Estudante, clínico e científico

Equações de Regressão para estimativa da DC a partir de dobras cutâneas:

(Sloan e col 1962 - feminino): 50 mulheres universitárias, idade média de 20 anos .

Dc=1,0764 - 0,00081 (SI) - 0,00088 (TR)

(Sloan 1967- masculino): 50 homens universitárias, idade média entre 18-26 anos .

Dc=1,1043 - 0,001327 (CX) - 0,001310 (SE)

Faulkner, 1968 - Masculino e Feminino: G% = [ (TR +SI + SB + AB) x 0,153 + 5, 783]

Guedes, 1985 - 206 estudantes da UFSM (110 H e 96 M , 17 - 27 anos)

HOMENS: Densidade c = 1,17136 - 0,06706 log (TR + SI+AB)

MULHERES: Densidade c= 1,16650- 0,07063 log (CX + SI+ SE)

Para chegar ao percentual de gordura através da Densidade Corporal utilizar:

G%=[(4.95/DENSIDADE C.) - 4.50] X 100 (fórmula de Siri, 1962)

Equações Generalizadas

Antropometria

Parece ser o melhor método para ser utilizado em nosso meio (menor custo dos aparelhos, rapidez,
não invazividade, facilidade para interpretação dos resultados, bem como a boa correlação entre
Densidade e DC)

Distribuição da Gordura Corporal

Métodos para avaliação:

*Tomografia computadorizada

*Ressonância maguinética Nuclear


*Espessura da DC do tronco e extremidades

*PCCQ

*Índice de Conicidade

Fracionamento da Composição Corporal

4 componentes:

Gordura Corporal

Massa Óssea

Massa Muscular

Resíduos

Sistema de 4 componentes - Equações - (De Rose e col.,1984)

Peso em Gordura = Peso Total x (% gordura /100)

Peso Ósseo = 3,2 (h² x R x F x 400) (elevado a 0,712)

Peso Residual (masc)=PT x (24,1/100)

Peso Residual (masc)=PT x (20,9/100)

Peso Muscular = PT - (PGordura + TOTAL + PResidual)

Fracionamento da Composição corporal = 2 componentes = Massa Gorda e Massa Corporal Magra

Avaliação Corporal - CÁLCULOS

Peso Total = PG + PO + PM + PR

MCM=PO + PM + PR

Peso Total = PG + MCM

gordura = S4 dobras x 0,0153 + 5,783

Peso Excedente: [(% Gordura encontrado - % Gordura estimado) x (peso total)] / 100

Carência Muscular: [(% Massa Magra estimado - % MCM encontrado) x (peso total)]/100

Cálculo de MCM (massa corporal magra)=

peso em gordura = peso total x (gordura)/100

MCM=Ptotal - Pgordura

Peso Ideal (Katch e McArdle) Masculino e Feminino:


MCM/[ 1,00 - (gordura ideal/100) + (déficit de massa magra)

Dobras cutâneas S4= Tricipital, subescapular, supra-ilíaca, abdominal

Padrões percentuais de Gordura Corporal para homens e mulheres (dados de Lohman (1992), p
(80)

A - risco de doenças e desordens associadas à desnutrição.

B - risco de doenças associadas a obesidade

Parâmetros de Percentual de Gordura Feminino Estético

Baixo = 8-11%

Ideal = 12-17%

Saudável = 18-23%

Gordo = 24 - 29%

Obeso = acima de 30%

Parâmetros de Percentual de Gordura Masculino Estético

Baixo = 5-7%

Ideal = 8-13%

Saudável = 14-19%

Gordo = 20 - 25%

Obeso = acima de 25%

Parâmetros de Percentual de Massa Magra Feminino

Baixo = 77%

Ideal = 83-88%

Saudável = 77-82%

Parâmetros de Percentual de Massa Magra Masculino


Baixo = < 81%

Ideal = 87-92%

Saudável = 81-86%

Índices Antropométricos de Distribuição de Gordura Corporal

IMC , PCQ, % DE GORDURA

A maneira pela qual a gordura está distribuída pelo corpo é mais importante que a gordura corporal
total na determinação do risco individual de doenças. (Ashwell, McCall, Cole & Dixon 1985)

IMC = Peso/estatura²

Classificação do sobrepeso e obesidade segundo IMC:

VEJA+
Palestra "Personal trainer: os desafios e as responsabilidades da profissão do século XXI
https://www.youtube.com/watch?v=AK8-VreA_Qg
Lição 03: Avaliação Cardiorespiratória; Efeito do Treinamento; Recuperação;
Coração; Zonas de frequência cardíaca; Princípios gerais da prescrição de
exercício; Efeitos do exercício aeróbio.

AVALIAÇÃO CARDIORESPIRATÓRIA

Treinamento

- princípio da individualidade biológica;

- princípio da adaptação;

- princípio da sobrecarga;

- princípio da interdependência de volume / intensidade;

- princípio da continuidade;

- princípio da especificidade.

Efeito do Treinamento

-Para ser eficaz, uma sessão de treinamento deve provocar, uma perturbação no equilíbrio interno
do corpo - (homeostase)

- o exercício é um esforço e deteriora o desempenho. Durante a fase de recuperação o corpo começa


a ser reconstruído, se adaptando as exigências do exercício para ser capaz de repetir a tarefa.

- Na realidade o corpo é reconstruído de uma forma um pouco melhor, num fenômeno chamado de
"supercompensação".

Recuperação

O tempo necessário para a recuperação depende da intensidade (FC) e da duração da sessão de


treinamento. É essencial programar as sessões e os intervalos de recuperação adequadamente, para
evitar o excesso ou o treinamento deficiente.

Coração

Por que? Seu coração reage a tudo que acontece no seu corpo, como um velocímetro. Aumentando e
diminuindo o seu ritmo, de acordo com as ordens que recebe do SNC.

Como funciona? A análise da frequência cardíaca pretende estimar o nível de condicionamento, a


velocidade de consumo calórico, o nível de estresse psicológico, o surgimento de alguma
anormalidade patológica e mutias outras coisas.

O coração é o músculo mais importante do seu corpo. Assim como todo músculo, ele precisa ser
exercitado

Zonas de frequência cardíaca

pesquisas científicas comprovaram, que o nível de intensidade (bpm) combinado com a duração do
exercício e o tempo de recuperação, provocam efeitos no organismo, desde a perda de peso até a
melhoria do condicionamento anaeróbico .

Para a conveniência dos praticantes, a intensidade, foi dividida em zonas alvo. Cada uma delas
determinada por um fenômeno fisiológico.

Quais são as zonas?

Atividade moderada: 50-60% da FCmáx = Condicionamento básico ou reabilitação

Controlar o peso: 60-70% da FCmáx= manutenção da saúde e do condicionamento cardiovascular

Melhorar a resistência: 70-80% FCmáx= melhoria do condicionamento aeróbico - atletas sérios

Competição (alto risco): 80-100% FCmáx= atletas de competição, aumento do desempenho máximo

Princípios gerais da prescrição de exercício

Os componenetes essenciais de uma prescrição sistemática incluem:

Modalidade(s) apropriada (s), intensidade, duração , frequência e progressão da atividade física;

Estes 5 componentes são aplicados para pessoas de todas as idades e capacidades funcionais
independente da existência ou ausência de fatores de risco ou de doença. (ACMS,2000)

Efeitos do exercício aeróbio

-Os pulmões fornecem O² ao sangue. Eles podem receber mais ar e difundir mais O² ao sangue.

-O coração bombeia sangue rico em O² aos músculos. ele aumentando de tamanho, pode bombear
mais sangue por batimento e bate mais lentamente em repouso ou durante o exercício

-Os músculos utilizam o O² para queimar combustível para produção de energia . Os músculos
adquirindo maior fortalecimento, podem queimar mais combustível, especialmente gordura, durante
o exercício.

Obs: O exercício aeróbico na forma e intensidade corretas fazem com que o músculo do coração se
torne mais forte

Obs: a circulação, a ventilação e o metabolismo estão intimamente ligados e todos melhoram com o
treinamento aeróbico (fonte: David Nieman - Exercício e Saúde (1999)

Características do Sistema de Energia

Consumo máximo de O² (VO2 máx)

É a maior quantidade de O² que pode ser consumida pelo organismo durante o esforço físico e
comumente utilizada para mensurar a aptidão cardiorespiratória

VO² máx = Potência aeróbica

É a maior taxa de consumo de O² que é possível de ser atingido durante o exercício máximo ou
exaustivo (fonte: Jack Wilmore - 2001)

Alguns benefícios do treinamento aeróbio


- Reduz a gordura corporal/ mantém baixa os percentuais de gordura corporal;

- Aumenta a capacidade do corpo de queimar gordura durante o exercício e nos períodos de


descanso;

- Melhora o bem-estar cardiovascular;

- Reduz a pressão sanguínea, colesterol e os riscos de problemas cardíacos;

A influência do sexo na aptidão aeróbia

- As mulheres adultas jovens, representam somente 70- 75% do VO2 máx dos homens

- Numa certa carga de exercício (ex: 60% do VO2 máx), a mulher adulta em média, possui o volume
sistólico menor e uma frequência cardíaca maior do que o homem médio;

- O coração feminino assim como o volume sanguíneo e o seu tamanho corporal são menores do que
os do sexo masculino;

- As mulheres possuem um conteúdo menor de hemoglobina, o que significa que, por unidade de
sangue, menos O² é disponível para os músculos em atividade.

(fonte: David Nieman - Exercício e Saúde (1999)

Avaliação Cardiorespiratória

VO2 máx Preditivo - Extimado : quanto a idade e % de gordura corporal

VO2 máx=57,50 - 0,31(X1) - 0,37(X2)

X1= idade em anos

X2=% de gordura corporal

(fonte: Universidade da California Davis- Human Performance Lab)

Método direto de VO2 máx: ergoespirometria

Método de VO2 máx pelo Teste de Rockport (caminhada)(clique)

Método de VO2 máx pelo Teste de Cooper: 12 minutos em pista = VO2 máx = ml/kg/min = D-
504,1/44,9

Cálculo de MET através do VO²máx:

1 Met= 3,5ml /kg/min (O²=oxigênio; h = hora)

Met máx=VO2 máx /3,5

Lição 04: Planejamento, acompanhamento e assessoria.

1 - Apresentação
Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não fazem parte de um
Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o empreendedor irá vislumbrar uma
oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O objetivo de todos os tópicos a seguir é
desmistificar e dar uma visão geral de como um negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis
que mais afetam este tipo de negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como
levantar as informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?

Ao longo da história a atividade física sempre esteve presente na rotina da humanidade sempre
associado a um estilo de época, a caça dos homens das cavernas para a sobrevivência, os Gregos e
suas práticas desportivas na busca de um corpo perfeito ou de cunho militar como o exemplo na
formação das legiões romanas com suas longas marcha e treinos.

Apesar de não ser considerada uma fórmula milagrosa, a atividade física está presente em quase
todos os meios de comunicação e a população cada vez mais apresenta problemas relacionados com
a falta de exercícios. A desculpa mais frequente é a falta de tempo ou falta de condições para
atividades físicas, prática que é agravada pela economia de movimentos em nossa rotina, como as
comodidades do controle remoto, telefone celular, elevadores e escadas rolantes, sem falar nas
horas diárias dedicadas a televisão ou ao computador.

Infelizmente parece ser um fenômeno de dimensões mundial, pois uma das doenças associadas a
falta de exercícios como a obesidade tem prevalecido em quase todo planeta.

Contudo, a atividade física é incontestavelmente um componente muito importante para que os


seres humanos tenham saúde e também melhoria na qualidade de vida. Além disso, outras
vantagens podem ser atribuídas a uma prática regular de esportes, tais como o emagrecimento e até
mesmo um maior bem estar psicológico. Nesse sentido, tem se presenciado uma preocupação cada
vez maior com a prática de atividades dessa natureza abrindo um vasto campo de oportunidades
para profissionais qualificados nessa área.

Experiência realizada no Rio de Janeiro “revela que a atividade física é capaz de reduzir a pressão
alta em 97% das pessoas participantes e controlar a diabetes em 80% dos casos. Além disso, 20%
ainda perderam peso e a mesma porcentagem diminuiu a quantidade de remédios.” (Programa Bem
Estar, 2011)

Nessa linha da busca por uma melhor qualidade de vida, o profissional que vem ganhando espaço no
mercado da saúde e esporte é o personal trainer. Esse profissional atua em uma área da educação
física que vem crescendo e ganhando prestígio nos últimos anos. O personal trainer, ou treinador
pessoal, trabalha atendendo um único aluno ou pequenos grupos, sempre respeitando a
individualidade e condição física de cada aluno ao montar um circuito de treinamento individual.

Este é um profissional de fitness licenciado em educação física, qualificado a desenvolver e


prescrever programas de treinamento físico individualizado, preferencialmente com conhecimento
nas áreas de treinamento desportivo, fisiologia do exercício, anatomia e biomecânica do movimento.

A média de preço a ser cobrada varia de acordo com o tipo de serviço, a frequência semanal, o local
da prática, as qualificações do profissional que oferece os serviços, e a negociação. Normalmente se
estabelece um valor de hora aula que pode variar entre 50,00 a 500,00 reais, por exemplo.

Mercado

Mercado Consumidor

O mercado consumidor de personal trainer é formado por todos os tipos de pessoas que estão em
busca por bom condicionamento físico, atletas, sedentários, obesos, portadores de problemas físicos,
posturais ou cardiovasculares. Este público é formando, principalmente, por pessoas com idade
variando entre 15 e 90 anos, isto é, cerca de 69% da população brasileira, em torno de 130 milhões
de pessoas. (IBGE, 2011)

O foco do personal trainer devem as pessoas que estão nas classes A e B, pois possuem maior poder
aquisitivo para consumir este tipo de serviço e representam cerca de 21% da população brasileira,
ou seja cerca de 38 milhões de pessoas. (PEGN, 2011a)

O setor de academias e personal trainer é considerado bastante promissor e possui um faturamento


da ordem de US$ 1,1 bilhão, dados do ano de 2010. Essas informações aparecem numa pesquisa
internacional feita pela International Health Racquet and Sportsclub Association (IHRSA), espécie
de sindicato das academias e dos profissionais de educação física. Os dados nacionais foram
levantados pela Fitness Brasil, que representa o setor no País. (PEGN, 2011b)

Com o crescimento do conceito de qualidade de vida e saúde, as academias deixaram de ser um


reduto de pessoas que procuram somente a boa forma, o corpo perfeito. De acordo com o
levantamento realizado pela Fitness Brasil, 3,7 milhões de brasileiros estão matriculados em
academias ou fazendo algum tipo de aula com orientação, como corridas em grupo ou esportes de
quadra com professor.

Concorrência

Tendo em vista que o perfil concorrencial de um personal trainer é bastante específico, exigindo não
só um alto nível de treinamento e qualidade no atendimento, a concorrência se torna reduzida.
Ademais, a diferenciação se dará no contato direto com o cliente, sendo, portanto a experiência e os
resultados obtidos pelo cliente o principal diferencial na hora da busca por este tipo de serviço.

Como todo setor em que há crescimento da demanda, há um igual crescimento da oferta de serviços,
sendo, portanto, uma atividade em que há bastante concorrência. De acordo com Waldyr Soares,
responsável pelos dados brasileiros e presidente da Fitness Brasil, houve um aumento no número de
academias. Há cerca de oito anos, existiam 4 mil estabelecimentos do tipo registrados. De 2007 a
2010 o número mais que dobrou, chegando aos atuais 15.551 unidades em todo Brasil, atrás apenas
dos Estados Unidos. A cidade onde há o maior crescimento atual é Brasília.

O crescimento atinge muitas áreas, mas atualmente está havendo um grande desenvolvimento do
fitness dentro das empresas e em residências, com a supervisão dos personal trainers. O conceito de
academia conhecido atualmente deve mudar muito nos próximos anos. Estas devem ser cada vez
mais segmentadas e buscar o tratamento diferenciado a cada um dos alunos, através,
principalmente, do personal trainer. Modalidade essa já ofertada dentro de academias
especializadas.

Ainda segundo o presidente da Fitness Brasil, a tendência é a reunião de vários serviços, como
ginástica, ioga, alongamento, relaxamento, massagens, pilates, criando assim os chamados centros
de bem-estar. "Está sendo criado um comportamento de qualidade de vida. As pessoas estão
aprendendo que não adianta ter dinheiro se não tiverem saúde para aproveitá-lo", explica. Esses
centros podem ser considerados concorrentes bastante fortes para o personal trainer que irá atuar
sozinho. Porém, se trabalhado em conjunto com esses centros, oferecendo seus serviços, a
concorrência pode ser minimizada.

Como o serviço de personal trainer é realizado diretamente junto ao cliente, em academias, parques
ou mesmo na residência, o principal diferencial é a qualidade do atendimento e o resultado obtido,
almejado pelo cliente. Esse será o grande diferencial em relação as academias e aos demais
concorrente. Portanto, busque sempre um atendimento de excelência.

Para este tipo de atividade entende-se que a concorrência deverá ser considerada em cada caso, de
forma regionaliza, principalmente pelo tamanho do público alvo e da concorrência existente.

Além disso, o profissional que atua como personal trainer, possui vários outros nichos de mercado a
explorar além das academias. Ele pode atuar como profissional autônomo orientando as atividades
físicas de seus alunos em parques, nas suas residências/condomínios ou até mesmo no local de
trabalho. O personal pode ainda atuar em equipe com outros profissionais da educação física
formando grupos de trabalho ou cooperativas. Outra janela de oportunidade para esta área é atuar
em hospitais, clínicas, centros de recuperação para deficientes ou pessoas com problemas motores.

Fornecedor

Para o tipo de atividade prestado pelos personal trainer não há insumo direto utilizado durante a
prestação do serviço. O que poderá ser utilizado são alguns pesos e equipamentos facilmente
achados em lojas especializados, não sendo impeditivo para a oferta e realização das atividades
físicas.

Nesse sentido, o futuro empresário do setor não encontrará problemas com o mercado fornecedor
de equipamentos para estruturar o seu próprio negócio no Brasil.

Localização

A localização é um aspecto determinante do sucesso do empreendimento: segundo pesquisa do


SEBRAE em 2005, a localização inadequada é responsável por 8% das empresas que fecharam as
portas antes de completarem quatro anos de funcionamento. Especialistas no assunto avaliam que a
escolha do ponto adequado responde por até 25% do sucesso do comércio. Os principais pontos a
considerar são:

• O preço do aluguel;

• A compatibilidade entre o público local e o padrão de serviço a ser prestado: maior renda, maior
sofisticação; menor renda, menor preço;

• Visibilidade: se não se sabe (vê) que naquela localização existe o prestador de serviço, não se
busca o serviço na região;

• Conforto: os consumidores prezam por um atendimento de qualidade e, se possível, com conforto.


Assim, se haverá a necessidade de ir de carro, o local deverá possuir estacionamento. Pense que o
ambiente do estabelecimento ou do atendimento deve prezar por ser agradável.

Porém, quando se tratamos de um serviço de acompanhamento em atividades físicas, como o de


personal trainer, a vantagem é os seus serviços podem ser realizados nos mais diversos lugares,
desde que sejam devidamente seguros e que os equipamentos utilizados sejam de qualidade e
certificados.

Ressalta-se que não existe localização ideal, será definida de acordo com o tipo de treino, os
objetivos e o desejo do cliente, pois ss aulas podem ser ministradas em uma série de locais, a
exemplo de parques, clubes, academias e até mesmo nas residências dos clientes caso estes
disponham do espaço necessário.
Contudo, alguns fatores devem ser observados quando da escolha do local no qual as aulas serão
ministradas:

• Escolha do ponto comercial - metragem necessária

• Próximo de seu público alvo (comodidade)

• Bairro ou setor de maior poder aquisitivo

• Estacionamento (capacidade-manobrista-segurança)

• O local deve ser aprazível, se possível com área verde

• Cuidados com a ventilação e a iluminação

• Observação de outros pontos comerciais próximos (favoráveis - desfavoráveis)

• Sugestão - convênios ou a locação de espaços em clubes, hotéis, centros comerciais ou centros


médicos

Exigências Legais e Específicas

Para exercer a atividade de personal trainer não necessariamente o profissional necessita realizar a
abertura de uma empresa formal, tendo em vista que a maioria das pessoas que atuam nesta área
funcionam como autônomos ou consultores.

Contudo, caso o empreendedor queira possuir um escritório para realizar um atendimento mais
personalizado aos seus clientes e funcionar em parceria com outros profissionais das áreas de saúde
e esporte, deve atentar para necessidade de regularizar a atividade. Para tanto, um importante
passo é a contratação de um contador que irá elaborar os atos constitutivos da empresa, auxiliá-lo
na escolha da forma jurídica mais adequada para o seu projeto e preencher os formulários exigidos
pelos órgãos públicos de inscrição de pessoas jurídicas. Além disso, ele é conhecedor da legislação
tributária à qual está subordinada a sua produção e comercialização.

Abaixo é apresentado um passo-a-passo genérico para abertura de uma empresa no Brasil:

1º passo – Localização

O primeiro passo é definir a localização da empresa para que seja realizada uma consulta prévia de
endereço na Administração Municipal para verificar se a atividade pretendida é compatível com a lei
de zoneamento da região pretendida, inclusive sobre questões ambientais. O cliente fornece
endereço e a atividade para análise da administração. Etapa imprescindível para abertura da
empresa. É interessante, no momento da consulta, verificar se o imóvel está regularizado, isto é, se
possui HABITE-SE e se os IPTU’s estão em dias.

2º passo – escolha do tipo de Sociedade Empresária

Conforme o novo Código Civil existem cinco tipos de sociedade que podem ser organizadas no
Brasil: Sociedade em Nome Coletivo, Comandita Simples, por Ações, Anônima e Limitada, sem as
últimas as mais comuns no Brasil. De todas as apresentadas, a melhor para se constituir uma
empresa, de pequeno porte, é Sociedade Limitada, por possuir regramentos mais simplificados e
preservar melhor os sócios.

3º passo – Nome da Empresa


Toda empresa dever ter um nome. Nesse momento, o empresário escolhe o nome de sua empresa e
na Junta Comercial ou no Cartório de Registro de Pessoa Jurídica de seu município efetua uma
pesquisa para saber se o nome já está registrado. Essa consulta é realizada em formulário próprio
obtido na hora. Há possibilidade de ser realizada pela Internet. Aproveite para verificar no Instituto
Nacional de Propriedade Intelectual se o nome ou marca já estão patenteados.

4º passo – Contrato Social e Demais Documentos

Ainda na Junta Comercial ou Cartório de Registro de Pessoa Jurídica, após a definição do nome da
empresa, deverá ser apresentado os seguintes documentos:

• Contrato Social ou Requerimento de Empresário Individual ou Estatuto, em três vias;

• Cópia autenticada do RG e CPF do titular ou dos sócios;

• Requerimento Padrão (Capa da Junta Comercial ou Cartório), em uma via;

• FCN (Ficha de Cadastro Nacional) modelo 1 e 2, em uma via;

• Pagamento de taxas através de DARF.

O Contrato Social é a peça principal na constituição da empresa. Nele são identificados os objetivos
da empresa, a composição societária e a forma jurídica de constituição da mesma. São apresentados
as legislações, deveres e direitos dos sócios. Conforme Estatuto da Micro e Pequena Empresa (LC
123/2006), não haverá a necessidade da assinatura de um advogado nesse documento. Nos demais
casos essa assinatura é obrigatória. Peça auxílio ao seu contador ou advogado. Ao final dessa etapa
será emitido o Número de Identificação do Registro da Empresa (NIRE), necessário para
cadastramento da empresa junto à Secretaria da Receita Federal, nosso próximo passo.

5º passo – Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ)

Com o NIRE em mãos, o empresário deve registrar sua empresa junto à Secretaria da Receita
Federal, efetuado exclusivamente pela internet através de programa específico. Os documentos
exigidos, apresentados no momento do cadastramento, serão enviados por SEDEX para a Receita
Federal. O número do CNPJ será disponibilizado também pela internet. É de extrema importância
nessa fase que o empresário defina o porte de seu empreendimento e sua classificação, pois é nessa
etapa em que a depender da atividade exercida o contribuinte poderá optar pelo sistema de
tributação simplificada, o SIMPLES.

Aproveite para ir a Secretaria da Receita Estadual para verificar quais os tributos sua empresa
deverá pagar e efetuar o registro nesse órgão, item obrigatório para os setores do comércio,
indústria e serviços de transporte intermunicipal e interestadual, bem como os serviços de
comunicação e energia. A inscrição estadual é essencial para a obtenção da inscrição no Imposto
sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Há casos em que essa inscrição ocorre em
conjunto com o CNPJ. Verifique no site da Receita Federal os órgãos que possuem convênio.

6º passo – Alvará de Funcionamento

O alvará de funcionamento, documento obtido junto à prefeitura, ou administração regional ou na


Secretaria Municipal da Fazenda de cada município, é o documento final que autoriza o
funcionamento da empresa. Na maioria dos casos, os documentos necessários são:

• Formulário próprio da prefeitura;


• Consulta prévia de endereço aprovada;

• Cópia do CNPJ;

• Cópia do Contrato Social;

• Laudo dos órgãos de vistoria, quando necessário.

A depender do tipo de atividade a ser exercida, é necessária que uma vistoria seja realizada no local.
Essas vistorias são realizadas por diversos órgãos, tais como: corpo de bombeiro (obrigatória),
vigilância sanitária, órgãos ambientais e outros. Veja se sua atividade é passível de licenciamento
ambiental no órgão responsável em seu município.

Quando o atendimento é realizado no próprio domicílio, a obtenção do alvará de funcionamento é


condicionada a declaração explícita dos vizinhos de que a atividade não traz prejuízos à comunidade,
autorizando o funcionamento do estabelecimento.

7º passo – Cadastramento na Previdência Social

Após realizar com sucesso as etapas anteriores, o empresário já pode iniciar o seu tão sonhado
negócio. Contudo, ainda há a necessidade de realizar o cadastramento da empresa na Previdência
Social e de seus sócios em até 30 dias, mesmo que não possua nenhum funcionário.

8° passo – Aparato Fiscal

Para finalizar e iniciar de forma legal o negócio, o empreendedor deverá se dirigir Secretaria de
Estado da Fazenda para solicitar a autorização para impressão das notas e dos livros fiscais. A ajuda
do contador, nesse momento, é muito importante. Pronto, seu negócio está apto a ser iniciado e com
todas as necessidades cumpridas.

Observações:

• Não esqueça que a partir desse momento a empresa deverá cumprir outras obrigações de caráter
fiscal, tributária, trabalhista, previdenciárias e empresariais;

• O novo empresário deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do
Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).

5.1 Legislação Específica

Além das questões jurídicas e contábeis legais para abertura de uma empresa, é exigido do personal
trainer o curso de nível superior em Educação Física (Bacharel ou Licenciado).

O profissional que pretende exercer essa atividade deve atentar também para a habilitação legal
exigida para o exercício da atividade. O Registro legal para o exercício profissional deve ser
demandado junto ao CONFEF - Conselho Federal de Educação Física.

Lei Nº 9.696/98 - dispõe sobre a regulamentação da Profissão de Educação Física e cria os


respectivos Conselho Federal e Conselhos Regionais de Educação Física).

LEI Nº 11.342/06 - Dispõe sobre o Dia do Profissional de Educação Física.

LEI Nº 11.788/08 - Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da
Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1º de maio de
1943, e a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996; revoga as Leis nº 6.494, de 7 de dezembro de
1977, e 8.859, de 23 de março de 1994, o parágrafo único do art. 82 da Lei no 9.394, de 20 de
dezembro de 1996, e o art. 6º da Medida Provisória no 2.164-41, de 24 de agosto de 2001; e dá
outras providências.

DECRETO Nº 6.653/08 - Promulga a Convenção Internacional contra o Doping nos Esportes,


celebrada em Paris, em 19 de outubro de 2005.

Mais informações podem ser buscadas na página do Conselho Federal de Educação Física (CONFEF)
em http://www.confef.org.br/extr

Estrutura

O tamanho da estrutura de uma empresa pode variar segundo seu porte, sua atividade produtiva e
dimensão esperada de atendimento. Contudo, o empreendedor deverá atentar para disponibilização
de espaços específicos para que a prestação de serviços aconteça da melhor forma possível, em um
ambiente agradável, bem iluminado e de fácil movimentação dos clientes, além, é claro, de um
espaço reservado para o desenvolvimento das atividades administrativas, estoques, etc.

Não existe uma regra clara e objetiva para a definição da estrutura física necessária para uma
empresa, no entanto deverá ser obedecida as adequadas separações dos setores da empresa para
que seja possível conseguir de todas as áreas a maior produtividade possível de cada colaborador.

Nessoal >o caso dos serviços de personal trainer, este poderá ocorrer de diversas formas: em sua
residência, onde deverá possuir um espaço para atendimento aos clientes com um mínimo de
equipamentos; na casa do próprio cliente, neste caso o personal deverá ter equipamentos que
possam ser de fácil transporte; em academias, nas quais não haverá a necessidade de equipamentos,
pois estas já possuem; ou em parques e locais agradáveis, onde haverá a necessidade de transporte
de equipamentos.

Ressalta-se que o profissional deva possuir um escritório em sua casa ou uma sala comercial, enfim,
um local no qual possa realizar os contatos iniciais com seus clientes e como ponto de realização das
avaliações físicas por exemplo. Porém, como sua prática não necessita de espaço formal, logo este
escritório seria opcional.

Pessoal

A necessidade de pessoal, tal qual o tamanho da estrutura, vai depender diretamente da capacidade
de atendimento esperada pelo empreendedor. Neste caso, trata-se de uma mão-de-obra totalmente
especializada em que o profissional deve possuir alto grau de conhecimento no serviço a ser
prestado, com um mínimo de graduação ou licenciatura em Educação Física.

De uma maneira geral, o personal trainer pode realizar sua atividade individualmente, sem
necessitar da contratação de outros especialistas. Contudo, o trabalho integrado de diversos
profissionais (tais como nutricionistas, fisioterapeutas, esteticistas, etc) pode ter bons resultados
para o cliente, mesmo sabendo que cada profissional tem sua área de atuação e total independência
em sua prática.

Caso o atendimento seja realizado pela mesma pessoa que presta o serviço, é necessário
conhecimento tanto para gestão do negócio quanto para o atendimento ao cliente.

É imprescindível também que o profissional busque constantemente informações e especializações


para atualizar seus conhecimento e prover um atendimento cada vez mais qualificado.
Equipamentos

Próximo Capítulo: 8 - Matéria Prima e Mercadoria >

O setor de esportes e saúde oferece um infinidade de equipamentos cuja tecnologia avança com uma
certa velocidade, portanto, os profissionais desta área devem atentar para as ofertas do mercado e
acompanhar por meio de feiras, eventos, internet quais as tendências e os novos equipamentos.

De uma maneira geral, os principais equipamentos utilizados pelos profissionais de educação física
são:

• De trabalho aeróbico - Indicado para o controle de peso, entre outras:

• Esteiras mecânicas.

• Esteiras elétricas.

• Bicicleta ergométrica vertical - tradicional.

• Bicicleta ergométrica horizontal - com encosto.

• Remo seco.

• Escalador (stepper).

• Alguns desses aparelhos são equipados com computadores que estimam velocidade,
quilometragem, tempo da atividade, gasto calórico e batimentos cardíacos.

• De trabalho anaeróbico ou localizado - para a manutenção e desenvolvimento da massa muscular e


combate à flacidez:

• Aglomerados - equipamentos de musculação que reúnem diversas funções, trabalhando os


principais grupos musculares.

• Aparelhos abdominais - tipo remiar em forma de arco e com encosto de cabeça (as pranchas de
abdominal são contraindicadas por não levarem as curvaturas de sua coluna em consideração).

• Banco de supino e barras - sempre duas presilhas por barra de 0,40m, 1m, 1,20m, 1,50m, 1,80m,
2,05m e suas respectivas anilhas sempre aos pares e em diversos pesos: 1/2kg, 1kg, 2kg, 3kg, 4kg,
5kg, 10kg, 15kg, 20kg, 25Kg.

• Acessórios: bastão, elásticos, extensores, colchonetes.

• Caneleiras - par de 1/2kg, 1kg, 2kg,3kg.

• Pesos ou halteres - par 1/2kg, 1kg, 2kg, 3kg, 4kg, 5kg.

Um dos mais, se não o mais importante acessório na prática da atividade física é o monitor de
frequência cardíaca, fundamental no acompanhamento da intensidade do exercício e seus
respectivos limites funcionais de segurança.

Ressalta-se que a quantidade de equipamentos deverá atentar para o espaço físico na qual a
empresa será estruturada, pois quando realizada na residência ou em apenas uma sala comercial,
serão poucos os equipamentos. Quanto mais salas para a realização dos atendimentos, mais
equipamentos serão necessários.

O SEBRAE local deverá ser buscado para ajudar o futuro empreendedor a dimensionar corretamente
o negócio.

Matéria Prima e Mercadoria

A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a demanda. Este
equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros, os seguintes três importantes
indicadores de desempenho:

Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital
investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido em base anual e tem
a característica de representar o que aconteceu no passado.

Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em menores lotes,
maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice de rotação de estoques.
Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período de tempo que o
estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento.
Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de
pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou
serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número de oportunidades de venda que podem
ter sido perdidas, pelo fato de não existir a mercadoria em estoque ou não se poder executar o
serviço com prontidão.

Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na alocação de
capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o
pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da empresa.

A principal matéria-prima para oferta de serviços de um personal trainer consiste na sua


qualificação profissional e sua experiência no mercado de trabalho.

O principal produto ofertado por um personal trainer é o treinamento individual, escolhido por aluno
e professor a partir das características e dos objetivos do aluno.

Os principais serviços ofertados são:

Treinamento Desportivo - Intervenção: Identificar, diagnosticar, planejar, organizar, dirigir,


supervisionar, executar, programar, ministrar, prescrever, desenvolver, coordenar, orientar, avaliar
e aplicar métodos e técnicas de aprendizagem, aperfeiçoamento, orientação e treinamento técnico e
tático, de modalidades desportivas, na área formal e não formal.

Preparação Física - Intervenção: Diagnosticar, planejar, organizar, supervisionar, coordenar,


executar, dirigir, programar, ministrar, desenvolver, prescrever, orientar e aplicar métodos e
técnicas de avaliação, prescrição e orientação de atividades físicas, objetivando promover, otimizar,
reabilitar, maximizar e aprimorar o funcionamento fisiológico orgânico, o condicionamento e o
desempenho físico dos praticantes das diversas modalidades esportivas, acrobáticas e artísticas.

Avaliação Física - Intervenção: Diagnosticar, planejar, organizar, supervisionar, coordenar, executar,


dirigir, programar, ministrar, desenvolver, prescrever, orientar, identificar necessidades,
desenvolver coleta de dados, entrevistas, aplicar métodos e técnicas de medidas e avaliação
cineantropométrica, biomecânica, motora, funcional, psicofisiológica e de composição corporal, em
laboratórios ou no campo prático de intervenção, com o objetivo de avaliar o condicionamento físico,
os componentes funcionais e morfológicos e a execução técnica de movimentos, objetivando
orientar, prevenir e reabilitar o condicionamento, o rendimento físico, técnico e artístico dos
beneficiários.

Orientação de Atividades Físicas - Intervenção: Diagnosticar, planejar, organizar, supervisionar,


coordenar, executar, dirigir, assessorar, dinamizar, programar, desenvolver, prescrever, orientar,
avaliar, aplicar métodos e técnicas motoras diversas, aperfeiçoar, orientar e ministrar os exercícios
físicos, objetivando promover, otimizar, reabilitar e aprimorar o funcionamento fisiológico orgânico,
condicionamento e o desempenho fisiocorporal, orientar para: o bem-estar e o estilo de vida ativo, o
lazer, a sociabilização, a educação, a expressão e estética do movimento, a prevenção de doenças, a
compensação de distúrbios funcionais, o restabelecimento de capacidades fisiocorporais, a auto-
estima, a cidadania, a manutenção das boas condições de vida e da saúde da sociedade.

De acordo com o consultor Fausto Arantes Porto (2002), para o profissional que oferece o serviço,
são as seguintes variáveis que compõem o preço de seus honorários:

• Graduação em Educação Física que dura, no mínimo, 4 anos, com domínio de várias áreas do
conhecimento científico e suas respectivas atualizações e uma boa biblioteca formada por um atlas
de Anatomia, livros de Fisiologia Humana e do Exercício, Avaliação Física e Biometria, Treinamento
Desportivo entre outras áreas de interesse e importância na performance humana junto a Atividade
Física.

• Cursos de extensão, especialização, mestrado, doutorado, simpósios, encontros, cursos, na busca


permanente de atualização e aperfeiçoamento do profissional.

• Instrumentos e equipamentos como monitores de frequência cardíaca, kit de treinamento,


softwares específicos, material de avaliação física, pesos, barras etc.

• Tempo dedicado ao cliente com a avaliação física, com o planejamento do programa e das
atividades, com o acompanhamento durante as atividades e com o deslocamento.

• Adequação do personal aos horários e rotina do cliente.

• Experiência e o know-how do profissional.

• Custos tributários de sua atividade e gastos com aluguel, telefone e material de publicidade.

Organização do Processo Produtivo

O processo produtivo para este tipo de negócio apesar de ser bastante simples, requer do
profissional bastante organização, uma vez que o atendimento e a satisfação do cliente são
percebidos na hora.

De uma maneira geral, o personal inicia seus trabalhos com uma avaliação física, indispensável para
que o treino aconteça e o serviço seja prestado. É nesta avaliação que o professor irá conhecer seu
cliente, sua constituição física, seu histórico familiar, seus objetivos, enfim sua realidade. Estes
dados são obtidos através de uma anamnese completa, utilizando diversos testes físicos e uma coleta
de dados necessários para que se conheça o máximo de informações a respeito do avaliado. A partir
destes dados o personal irá traçar um treino específico, uma espécie de periodização onde pautará
seu trabalho para obtenção de seus objetivos de curto e longo prazo. Essa etapa consiste no
planejamento.

Após a realização da avaliação física e do planejamento, o personal passa a acompanhar e


supervisionar as atividades realizadas, monitorando e realizando novas avaliações físicas junto ao
cliente, sempre dependendo das suas metas e objetivos. O personal também pode, durante as etapas
citadas, orientar seu cliente na compra de material (roupas adequadas, calçados ideais, etc) e
equipamentos necessários para realização do programa sugerido.

É importante que após um número de seções, a ser combinado entre o Personal e o Cliente, seja
elaborada uma nova avaliação para comparação com a inicial, bem como para coleta de novos dados
para a adequação da nova prescrição.

Por fim, depois das adaptações fisiológicas sofridas por cada cliente e as metas alcançadas, novo
planejamento e prescrição serão efetuados.

Etapas de atendimento:

• Contato inicial

• Entrevista e anamnese

• Definição de objetivos e avaliação de riscos

• Encaminhamento ao médico e exames complementares

• Avaliação física

• Planejamento

• Prescrição

• Aparelhamento: Assessoria; vestuário; calçados; assessórios, aparelhos; equipamentos ligados à


atividade física.

No caso de treinamento sem acompanhamento:

• apenas supervisão

• execução do programa

• reavaliação

• novo acompanhamento

No caso de treinamento com acompanhamento e supervisão:

• apenas supervisão

• execução do programa

• reavaliação

• novo acompanhamento

Automação

A automação das atividades produtivas e oferta de serviços é um dos fatores determinantes para o
aumento da competitividade de uma empresa. A oferta de serviços de personal trainer não foge
desta tendência e o setor da educação física tem recebido o apoio tecnológico de diversos tipos de
sistemas automatizados que facilitam o trabalho desses profissionais e garantem resultados mais
confiáveis. Os principais sistemas informatizados de apoio às atividades de personal trainer
encontram-se, principalmente, na área de avaliação física.

O Physical Test 6.2, por exemplo, é um software (programa computadorizado) para avaliação de
adultos e crianças, que permite uma melhor seleção de testes e relatórios organizados em ambientes
de fácil utilização, melhorando a quantidade e qualidade do trabalho do personal.

Dentre as funções mais buscadas em softwares similares, as principais são:

• Armazena várias avaliações do mesmo cliente/aluno.

• Possibilita a comparação das avaliações realizadas do mesmo cliente/aluno.

• Possibilita a comparação entre grupos e clientes/alunos.

• Permite alterações nos textos dos relatórios.

• Permite a configuração das tabelas de percentual de gordura ideal tanto para crianças e
adolescentes quanto para adultos.

• Possui uma série de Protocolos para cálculo da Composição Corporal.

• Avaliação da capacidade Cardiorrespiratória através do calculo do VO2máx.

• Avaliação da Capacidade Neuromotora.

• Possui Fotos e Vídeos das Dobras Cutâneas, Circunferências e Diâmetros ósseos.

• Possibilidade de inclusão de Fórmulas – Editor de Fórmulas.

• Avaliação Postural Digital, Simetrógrafo digital, Inclusão de fotos do avaliado.

• Avaliação Nutricional.

• Imprime relatórios precisos e de excelente apresentação.

• Envia relatórios via e-mail, texto e imagens.

• Controle Cronológico das Avaliações.

• Multiusuário, trabalha com Banco de Dados em rede.

• Inclusão de Fotos das Circunferências e Dobras Cutâneas do avaliado.

• Comparações fotográficas, Antes x Depois, da Composição Corporal.

Contudo, nesse ramo existe uma infinidade de sistemas que realizam tais atividades e até mais que
isso. Para escolha do melhor software deve-se analisar as necessidades de avaliação demandadas
por cada cliente. Outros exemplos de softwares de avaliação são: Galileu avaliação digital, Avalon,
Software de Personal Training e Musculação - MTF1 Versão 1.7, etc.
Outra novidade é que, atualmente, existem softwares de avaliação que correspondem a cada tipo
específico de atividade física, tais como sistemas para acompanhamento de jogadores de futebol,
nadadores, corredores, dentre outros.

Visto que o mercado dispõe de diversos sistemas, em diversos níveis de sofisticação, para
gerenciamento de estabelecimentos como este e similares, o futuro empresário deverá analisar as
possibilidades para sua posterior compra. Esses softwares possibilitam o controle do agendamento
de clientes, cadastro e histórico de serviços prestados a cada atendimento, serviço de mala direta
para clientes e potenciais clientes, controle de estoque de produtos, cadastro de equipamentos,
controle de contas a pagar e a receber, fornecedores, fluxo de caixa, fechamento de caixa, etc.

Canais de Distribuição

O mais importante canal de distribuição nesse setor é o relacionamento do personal com o cliente,
pois a maioria de profissionais desse setor são indicados por amigos ou familiares para outras
pessoas, o que faz do “boca- a-boca” uma estratégia eficiente e barata.

Outro local de distribuição ou venda dos serviços são as academias, onde os instrutores ofertam ou
realizam os seus serviços.

Investimento

Investimento consiste na aplicação de algum tipo de recurso esperando um retorno superior aquele
investido em um determinado período de tempo. O investimento que deve ser feito em um
empreendimento varia muito de acordo com seu porte e seu público alvo.

No caso dos serviços de um personal trainer, os principais investimentos estão relacionados a


própria qualificação do profissional, tais como cursos de especialização, mestrado ou doutorado.
Alguns desses investimentos também podem referir-se aos equipamentos necessários para boa
realização do acompanhamento dos clientes, como é o caso do material para realização de avaliação
física. Os principais equipamentos necessários para realização de avaliação física são:

• Balança digital 180 kg – R$ 100,00

• Máquina fotográfica digital – R$ 350,00

• Adipômetro – R$ 800,00

• Frequencímetro – R$ 250,00

• Tensiômetro - R$ 250,00

• Estetoscópio – R$ 50,00

• Fita métrica – R$ 10,00

• Software para avaliação física – R$ 500,00

• Equipamentos diversos – R$ 1.000,00

Em alguns casos específicos o personal trainer pode possuir ainda eletrocardiograma, esteira e
bicicleta ergométrica para complementar a avaliação, mas a maioria dos profissionais dessa área
utiliza aqueles que estão disponíveis nas próprias academias nas quais trabalham.

O valor do investimento realizado por um personal trainer no início do negócio, ou seja,


contabilizando apenas as despesas com o kit para realização de avaliação física, varia entre 2 e 5 mil
reais. Nesse caso, é importante atentar para o tipo de software adquirido, pois este item possui
valores muito diferenciados dependendo da versão escolhida e do tipo de avaliação que se pretende
realizar.

No caso de profissionais que optarem por investir em um local de atendimento ao cliente, ou seja,
um escritório, deve-se levar em conta também toda a infra-estrutura a ser adquirida tais como
mesas, cadeiras, computador, decoração, etc. Nesses casos, é interessante prever um montante
adicional que pode girar em torno de 3 a 4 mil reais, mas é importante ressaltar que esses valores
também dependem muito do tipo de estrutura que o profissional pretende montar.

Por possuir uma diversidade de preço muito elevada não foi quantificado o preço da construção civil
ou reforma do local, sendo esta uma necessidade a ser pensada de acordo com a localidade aonde
será estruturada a empresa, se for o caso.

Capital de Giro

Capital de giro é o montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter para garantir
fluidez dos ciclos de caixa. O capital de giro funciona com uma quantia imobilizada no caixa
(inclusive banco) da empresa para suportar as oscilações de caixa.

O capital de giro é regulado pelos prazos praticados pela empresa, são eles: prazos médios
recebidos de fornecedores (PMF); prazos médios de estocagem (PME) e prazos médios concedidos a
clientes (PMCC).

Quanto maior o prazo concedido aos clientes e quanto maior o prazo de estocagem, maior será sua
necessidade de capital de giro. Portanto, manter estoques mínimos regulados e saber o limite de
prazo a conceder ao cliente pode melhorar muito a necessidade de imobilização de dinheiro em
caixa.

Se o prazo médio recebido dos fornecedores de matéria-prima, mão- de-obra, aluguel, impostos e
outros forem maiores que os prazos médios de estocagem somada ao prazo médio concedido ao
cliente para pagamento dos produtos, a necessidade de capital de giro será positiva, ou seja, é
necessária a manutenção de dinheiro disponível para suportar as oscilações de caixa. Neste caso um
aumento de vendas implica também em um aumento de encaixe em capital de giro. Para tanto, o
lucro apurado da empresa deve ser ao menos parcialmente reservado para complementar esta
necessidade do caixa.

Se ocorrer o contrário, ou seja, os prazos recebidos dos fornecedores forem maiores que os prazos
médios de estocagem e os prazos concedidos aos clientes para pagamento, a necessidade de capital
de giro é negativa. Neste caso, deve-se atentar para quanto do dinheiro disponível em caixa é
necessário para honrar compromissos de pagamentos futuros (fornecedores, impostos). Portanto,
retiradas e imobilizações excessivas poderão fazer com que a empresa venha a ter problemas com
seus pagamentos futuros.

Um fluxo de caixa, com previsão de saldos futuros de caixa deve ser implantado na empresa para a
gestão competente da necessidade de capital de giro. Só assim as variações nas vendas e nos prazos
praticados no mercado poderão ser geridas com precisão.

Em geral, é necessário estipular um determinado percentual do investimento a ser destinado como


capital de giro, mas, no caso dos serviços de personal trainer, esse valor depende muito do tipo de
transporte, da quantidade de cursos, do tipo de academia na qual o profissional atua, contudo é
importante prever um capital de giro mínimo (mensal) no valor de 800 reais para as despesas acima
relacionadas.

Custos

São todos os gastos realizados na produção e que serão incorporados posteriormente no preço dos
produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas
de vendas, matéria- prima e insumos consumidos no processo de produção.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda


de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou
insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra
pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a
chance de ganhar no resultado final do negócio.

É importante notar que, quanto menores forem os custos, menor também será a necessidade de
disponibilidade de capital de giro, liberando recursos para novos investimentos produtivos ou
aumentando a lucratividade do empreendimento.

Os custos típicos deste tipo de empreendimento de pequeno porte devem ser estimados
considerando, pelo menos, os itens abaixo, quando houver:

DESCRIÇÃO

Pró-labore e encargos; R$ 4.000,00

Tributos, impostos, contribuições e taxas; R$ 100,00

Aluguel, taxa de condomínio, segurança; R$ 1.000,00

Água, Luz, Telefone e acesso a internet; R$ 200,00

Limpeza, higiene, manutenção; R$ 100,00

Assessoria contábil; R$ 400,00

Os custos mensais estimados são da ordem de R$ 5.800,00.

Diversificação / Agregação de Valor

A diversificação de produtos ou serviços é uma prática que todo empreendedor deve estar sempre
atento, pois em tempo de baixa nas atividades estes outros serviços podem gerar consideráveis
retornos financeiros.

Agregar valor é dar um salto de qualidade em uma ou mais características, do produto ou serviço,
que de fato são relevantes para a escolha do consumidor. Não basta possuir algo que os produtos
concorrentes não oferecem. É necessário que esse algo mais seja reconhecido pelo cliente como uma
vantagem competitiva e aumente o seu nível de satisfação com o produto ou serviço prestado. Além
disso, para agregar valor não basta reduzir custos, é preciso conhecer bem o mercado e as
preferências dos clientes.

No atual contexto de um mundo cada vez mais competitivo é necessário um constante envolvimento
na busca de novos conhecimentos e novas tecnologias com o envolvimento pessoal nessa busca pela
excelência e no máximo desempenho de si mesmo. Esse é o maior diferencial que um personal
trainer pode oferecer para seus clientes.

Um personal trainer possui como principal atributo sua qualificação profissional, portanto, um
importante diferencial agregador de valor nesta atividade é a qualificação continuada, pois
realizando cursos, especializações, mestrados ou outras capacitações o profissional dessa área
valoriza o valor de seus serviços e sobretudo melhora a qualidade das atividades ofertadas.

Outro fator que pode agregar valor aos serviços de um personal é a aquisição de equipamentos
modernos capazes de realizar avaliações físicas e um monitoramento continuado dos seus clientes. O
domínio de ferramentas de informática também é muito importante tendo em vista a existência de
muitos softwares de apoio a esta atividade.

Um terceiro fator que podemos citar ainda agregador de valor é o trabalho articulado junto com
outros profissionais da área de saúde, tais como nutricionistas, fisioterapeutas, etc

Neste tópico foram apresentadas apenas algumas opções de diversificação/ agregação de valor para
o negócio de personal trainer. Vale ressaltar que sempre é possível propor melhorias e novidades,
para isso é indicado observar hábitos, ouvir as pessoas e criar novos produtos e novos serviços, com
o objetivo de ampliar os níveis de satisfação dos clientes.

Divulgação

A propaganda é um importante instrumento para tornar a empresa e seus serviços conhecidos pelos
clientes potenciais. O objetivo da propaganda é construir uma imagem positiva frente aos clientes e
tornar conhecidos os serviços oferecidos pela empresa. A mídia mais adequada é aquela que tem
linguagem adequada ao público-alvo, se enquadra no orçamento do empresário e tem maior
visibilidade e credibilidade junto ao cliente.

Para esta ideia de negócio, a divulgação é mais direcionada para a indicação entre os clientes e
amigos/familiares do que necessariamente uma propaganda em locais de grande circulação. Por
isso, o empresário deverá prestar um serviço altamente qualificado a cada cliente, pois neste tipo de
negócio o boca a boca é a melhor propaganda. Possuir cartões de visitas para entregar aos clientes e
potenciais clientes é bastante recomendado.

Outras abordagens, tais como a criação de um blog pessoal com dicas de exercícios e saúde
interagindo com os potenciais clientes e até mesmo páginas em sites de relacionamentos (orkut,
facebook, etc) já são técnicas utilizadas por profissionais desse setor. Outra forma muito utilizada
por personal trainers que frequentam academias é a utilização de camisetas personalizadas com
nome e telefone para contato e distribuição de panfletos.

Informações Fiscais e Tributárias

O segmento de PERSONAL TRAINER, assim entendido pela CNAE/IBGE (Classificação Nacional de


Atividades Econômicas) 9313-1/00 como atividade de exploração de atividade de profissionais que
orientam aos seus clientes quanto a prática de atividades físicas, não poderá optar pelo SIMPLES
Nacional - Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas ME
(Microempresas) e EPP (Empresas de Pequeno Porte), instituído pela Lei Complementar nº
123/2006, por se enquadrar como atividade vedada na Lei Compl. 123/2006, consolidada pela
RCGSN 94/2011.

Neste segmento temos as seguintes opções tributárias:


Lucro Presumido: É o lucro que se presume através da receita bruta de vendas de mercadorias e/ou
prestação de serviços. Trata-se de uma forma de tributação simplificada utilizada para determinar a
base de cálculo do Imposto de Renda (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Liquido (CSLL)
das pessoas jurídicas que não estiverem obrigadas à apuração pelo Lucro Real. Nesse regime, a
apuração do imposto de Renda e da Contribuição Social é feita trimestralmente.

A base de cálculo para determinação do valor presumido para o IRPJ é de 32% e para a CSLL é de
12%, sobre a receita bruta, para a atividade de escritório de consultoria. Sobre o resultado da base
de calculo (Receita Bruta x 32%), aplica-se as alíquotas de:

IRPJ - 15%, para determinação do IRPJ. Poderá haver um adicional de 10% para a parcela do lucro
que exceder o valor de R$ 20.000,00, no mês, ou R$ 60.000,00, no trimestre, uma vez que o imposto
é apurado trimestralmente;

CSLL - 9%, para determinação da CSLL. Não há adicional de imposto.

Ainda incidem sobre a receita bruta os seguintes impostos, que são apurados mensalmente:

PIS - 0,65% - sobre a receita bruta total;

COFINS – 3% - sobre a receita bruta total.

Lucro Real: É o lucro líquido do período de apuração ajustado pelas adições, exclusões ou
compensações estabelecidas em nossa legislação tributária. Este sistema é o mais complexo, que
deverá ser muito bem avaliado por um contador, quanto a sua aplicação neste segmento. As
alíquotas para este tipo de tributação são:

IRPJ - 15% sobre a base de cálculo (lucro líquido). Haverá um adicional de 10% para a parcela do
lucro que exceder o valor de R$ 20.000,00, multiplicado pelo número de meses do período. O
imposto poderá ser determinado trimestralmente ou com opção do Lucro estimado mensalmente e
apuração anual;

CSLL - 9%, determinada nas mesmas condições do IRPJ;

PIS - 1,65% - sobre a receita bruta total, compensável;

COFINS - 7,65% - sobre a receita bruta total, compensável.

Neste caso o PIS (Programa de Integração Social) e a Cofins (Contribuição para Financiamento da
Seguridade Social) é não cumulativo, sendo permitido o aproveitamento do crédito no mesmo
percentual, nas aquisições dos produtos.

Incidem também sobre a receita bruta os impostos estaduais e municipais, abaixo citados:

ISS – Calculado sobre a receita de prestação de serviços, varia conforme o município onda a
empresa estiver sediada.

ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços) será devido conforme legislação vigente
em cada estado.

Fundamentos Legais: Leis 9249/1995 (com as alterações posteriores).

Eventos
Próximo Capítulo: 19 - Entidades em Geral >

A seguir, são indicados alguns dos principais eventos nacionais e internacionais da área de educação
física:

Nacionais

• Fitness Brasil

• O mais tradicional e famoso encontro de profissionais e estudantes de Educação Física,


Fisioterapia, Nutrição e áreas afins do mundo para reciclagem, atualização e desenvolvimento de
carreira. Evento com periodicidade anual. www.fitnessbrasil.com.br

Internacionais

• IHRSA Latin American Conference & Trade Show - Organizado pela Fitness Brasil

Outros eventos relacionados ao setor:

• Congresso Internacional de Nutrição, Longevidade e Qualidade de Vida

• Congresso Internacional de Gastronomia e Nutrição

• Fórum Nacional de Nutrição

• Simpósio Internacional da American Dietetic Association (USA)

• Simpósio Internacional da Nutrition Society (United Kingdom)

• Simpósio Internacional do Le Cordon Bleu (França)

• Simpósio SBAF - Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais

• FISIOTECH - III Feira Internacional de Tecnologias em Fisioterapia

• JORNADA SANTISTA DE TREINAMENTO DE FORÇA 2007

• Congresso Brasileiro de Ortopedia e Traumatologia (realização: Sociedade Brasileira de Ortopedia


e Traumatologia -SBOT).

Entidades em Geral

COOPERATIVA DO FITNESS – CDOF

http://www.cdof.com.br/

CONSELHO FEDERAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA – CONFEF

http://www.confef.org.br

INSTITUTO FITNESS BRASIL


http://www.fitnessbrasil.com.br/

SOCIEDADE BRASILEIRA DE PERSONAL TRAINER – SBPT

http://www.alliancefitness.com.br /sbpt/

Conselhos Regionais de Educação Física:

CREF1/RJ-ES

Abrangência:

Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Sede: Rua Adolfo Mota, 104 - Tijuca

Rio de Janeiro - RJ - 20540-100

Tels: (21) 2569-6629/2569-2398

Correio eletrônico: cref1@cref1.org.br

Página: http://www.cref1.org.br

Presidente : Carlos Eduardo Cossenza Rodrigues

CREF2/RS

Abrangência:

Estado do Rio Grande do Sul.

Sede: Rua José do Patrocínio, 888 Cidade Baixa

Porto Alegre - RS - 90050-002

Tels: (51)
Lição 05: Bibliografia

Bibliografia

Próximo Capítulo: 25 - Fonte >

AIUB, George Wilson et al. Plano de Negócios: serviços. 2. ed. Porto Alegre: Sebrae, 2000.

BARBOSA, Mônica de Barros; LIMA, Carlos Eduardo de. A Cartilha do Ponto Comercial: como
escolher o lugar certo para o sucesso do seu negócio. São Paulo: Clio Editora, 2004.

BIRLEY, Sue; MUZYKA, Daniel F. Dominando os Desafios do Empreendedor. São Paulo:


Pearson/Prentice Hall, 2004.

BRASIL. Código civil brasileiro, 2003.

BRASIL. Lei Complementar 123/2006 – Estatuto da Micro e Pequena Empresa. Disponível em:ht
tp://www8.receita.fazenda.gov.br/SimplesNacional/sobre/perguntas.asp>. Acessado em: 18 de jan.
de 2011.

COSTA, Nelson Pereira. Marketing para Empreendedores: um guia para montar e manter um
negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE REGISTRO DE COMÉRCIO – DNRC. Serviços- Código Civil/2002.


Disponível em:http://www.dnrc.gov.br>. Acessado em: 10 de janeiro de 2011.

DOMINGUES FILHO, Luiz A.. Manual do Personal Trainer Brasileiro - ícone, São Paulo, 1998.

PEQUENAS EMPRESAS GRANDES NEGÓCIOS – PEGN. No ano passado, 31 milhões subiram de


classe social. Notícias/Consumo. Revista on-line. São Paulo, 2011. Disponível em:
http://revistapegn.globo.com/Revis ta/Common/0,,EMI220335-17180,0-
-NO+ANO+PASSADO+MILHOES+SUBIRAM+DE+CLASSE+SOCIAL. html>. Acessado em: 15 de
junho de 2011.

PEQUENAS EMPRESAS GRANDES NEGÓCIOS – PEGN. Número de academias dobra em três anos
no brasil. Notícias/Consumo. Revista on-line. São Paulo, 2011. Disponível em:
http://revistapegn.globo.com/Revi sta/Common/0,,EMI216823-17180,0-
-NUMERO+DE+ACADEMIAS+DOBRA+EM+TRES+ANOS+NO+BRASI L.html>. Acessado em: 15
de junho de 2011.

PORTO. Fausto. A.. Como Montar um Centro de Treinamento Físico Personalizado. Brasília – DF –
SEBRAE, 2002.

PROGRAMA BEM ESTAR. Programa exibido no dia 22 de abril de 2011. Televisão. Rio de Janeiro,
2011. Disponível em: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2 011/04/exercicio-em-casa-ou-no-p-
rque-aumenta-tempo-e-qualidade-de-vida.html >. Acessado em 15 de junho de 2011.

RECEITA FEDERAL DO BRASIL. Legislação tributária. Disponível em:


http://www.receita.fazenda.gov.br& amp; gt;. Acessado em: 17 Janeiro 2011.

SERVIÇO BRASILEIRO APOIO A MICRO E PEQUENA EMPRESA (SEBRAE). Unidade de Orientação


Empresarial. Disponível em: http://www.sebrae.com.br.br>. Acesso em: 18 Jan. 2010.