Você está na página 1de 61

Índice 01

Janeiro 2000

Descrição Página
Equipamentos de Média Tensão ................................................................................................. 03

Conjuntos Blindados de Manobra e Controle de MT tipo WMD ......................................................... 03


Disjuntores de MT tipo VCP-W ................................................................................................. 05, 06
Conjuntos Blindados de Manobra e Controle de MT tipo W-VAC ........................................................ 07
Disjuntores de MT tipo W-VAC ....................................................................................................... 10
Centros de Controle de Motores de MT tipo WMD / AMPGARD ......................................................... 11
Retrofits de Disjuntores MT com Interruptores a Vácuo ..................................................................... 13
Interruptores a Vácuo da Cutler-Hammer .......................................................................................... 15
Dutos de barras de MT tipo WMD ................................................................................................... 17

Equipamentos de Baixa Tensão .................................................................................................. 19

Centros de Distribuição de Cargas de BT tipo WMD .......................................................................... 19


Disjuntores de Potência de BT tipo DS ............................................................................................ 23
Disjuntores de Potência de BT tipo Magnum .................................................................................... 24
Centros de Controle de Motores de BT tipo WMD ............................................................................ 25
Centros de Controle de Motores de BT tipos Freedom 2100 e Advantage ............................................ 29
Classificações NEMA / IEC para CCM’s ........................................................................................... 32
Centros de Controle de Motores de BT Inteligente tipo DeviceNet ...................................................... 33
Painéis de Distribuição de BT tipo Switchboard WMD ....................................................................... 35
Dutos de barras de BT tipo Pow-R-Way III ........................................................................................ 37
Quadros de Distribuição de BT tipo PE ............................................................................................ 39
Dispositivo para Proteção Secundária de Transformador de Distribuição .............................................. 41
Disjuntores de BT em Caixa Moldada ............................................................................................... 43
Protetores de Rede tipos CMD e CM22 ........................................................................................... 45
Excitatrizes Estáticas tipos MGR, WTA, WDR e ECS2100 .................................................................. 46
Controles de Máquinas de Movimentação de Cargas ......................................................................... 47

Características de Projeto e Fabricação dos Painéis tipo WMD da CH Brasil .................................... 49

Detalhes Construtivos ................................................................................................................... 49


Processo de Tratamento e Pintura ................................................................................................... 50
Detalhes de Montagem .................................................................................................................. 51
Documentação de Projeto para Conhecimento, Aprovação e Certificada .............................................. 52
Ensaios de Rotina ......................................................................................................................... 52
Embalagem e Transporte de Equipamentos ...................................................................................... 52

Produtos para Gerenciamento de Energia .................................................................................... 53

Instrumentos de Medição série IQ (IQ Analizer, IQ DP-4000, IQ 200) ................................................... 53


Unidades de Disparo para Disjuntores de BT - Digitrip 1150 ............................................................... 53
Reles de Proteção (Digitrip DT-3000, MP-3000) ................................................................................ 53
Sistemas de comunicação tipo PowerNet ......................................................................................... 54

Soluções Abertas em Automação / DeviceNet ............................................................................. 57

Observação:
Detalhes técnicos mais específicos dos equipamentos mencionados neste guia de produtos, poderão ser verificados
nos respectivos catálogos ou diretamente com o Departamento de Engenharia de Aplicações da Cutler-Hammer.

CAT.78.01.T.P
02
Janeiro 2000

Esta página foi deixada intencionalmente em branco

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Média Tensão 03
Janeiro 2000 Conjuntos Blindados de Manobra e Controle WMD
Descrição Geral

Aplicação

O Conjunto Blindado de Manobra e Controle em média


tensão tipo WMD, com disjuntores a vácuo tipo VCP-W, Especificações Típicas
proporciona controle e proteção centralizados para circui-
tos e equipamentos de média tensão em instalações in- O Conjunto Blindado de Manobra e Controle em média
dustriais, comerciais e de serviços que envolvam gerado- tensão tipo WMD compreende uma estrutura fixa e um ou
res, motores, circuitos de alimentação e linhas de trans- mais disjuntores a vácuo, extraíveis. O Conjunto Blindado
missão e distribuição. de Manobra e Controle é construído a partir de seções
Os Conjuntos Blindados de Manobra e Controle em média verticais individuais (colunas). Estas seções são aparafu-
tensão tipo WMD estão disponíveis em tensões máximas
sadas entre si formando um conjunto rígido. As chapas
variando de 3,6kV a 36kV e correntes de interrupção
laterias de cada coluna funcionam como barreiras metáli-
25kA a 63kA.
O Conjunto Blindado de Manobra e Controle em média cas aterradas separando seções adjacentes.
tensão tipo WMD oferece um design completo compreen- Chapas metálicas removíveis ainda isolam a maioria dos
dendo cela, disjuntor e equipamentos auxiliares que podem compartimentos de cada seção. A parte posterior de cada
ser montados em várias configurações de modo a atender coluna é fechada por portas para facilidade de manutenção.
os requisitos de aplicação do usuário. Diversas configu- Os instrumentos e relés são montados na porta do com-
rações com um ou dois disjuntores por coluna estão partimento de instrumentos ou no seu interior, juntamente
padronizadas até 15kV. Configurações não padroniza- com os respectivos terminais e fusíveis de controle. Neste
das, poderão ser estudadas quando solicitado. compartimento existem dispositivos que permitem quais-
quer conexões necessárias entre colunas. Os barramentos
são em cobre de alta condutibilidade com uma seção trans-
Valores Nominais versal adequada ao regime nominal envolvido. São facil-
mente prolongáveis a qualquer tempo, para incorporar
Tensão Nominal: Corrente Nominal:
unidades adicionais.
ANSI IEC ANSI IEC Cada compartimento do disjuntor é previsto com todos
4,76kV 3,6kV 600A 630A os acessórios e intertravamentos necessários, de tal
8,25kV 7,2kV 1200A 1250A forma que não seja possível extrair o disjuntor com seus
12kV 2000A 2000A contatos principais fechados.
15kV A tomada secundária do disjuntor se desconectará auto-
17,5kV 3000A
27kV 24kV maticamente quando for ultrapassada durante a extração,
38kV 36kV a posição de teste.

CAT.78.01.T.P
04 Equipamentos de Média Tensão
Conjuntos Blindados de Manobra e Controle WMD Janeiro 2000
Descrição Geral

Os contatos fixos primários são prateados e alojados em Principais Configurações Disponíveis (até 15kV)
buchas isolantes. Uma guilhotina metálica cobre automati-
camente os mesmos, quando o disjuntor estiver na posi-
ção deconectado ou extraído. Disjuntor Disjuntor Disjuntor Instru-
Trilhos permitem a retirada de cada disjuntor para inspeção 1200 A 1200 A 1200 A mentos
e manutenção, sem a utilização de equipamentos e / ou
ferramentas especiais.
O disjuntor é operado por um mecanismo de energia acu-
mulada através de mola, alimentado normalmente por um Disjuntor Disjuntor T.P. Disjuntor
1200 A 2000 A Extraível 1200 A
motor elétrico universal. Em caso de emergência, o carre-
gamento poderá ser realizado através de uma alavanca de
acionamento manual. Os contatos primários do disjuntor
tambem são prateados. Cada disjuntor compreende três
conjuntos de interrupção a vácuo que podem ser removi-
dos como unidades completas (pólos). O pólo do disjuntor T.P. Disjuntor T.P. Instru-
é montado sobre isoladores de poliéster com fibra de Extraível 2000 A Extraível mentos
vidro. Um indicador de folga por desgaste do contato é
claramente visível, quando o disjuntor for extraído sobre
os trilhos. O painel frontal do disjuntor é removível, quan- Disjuntor T.P. Disjuntor Disjuntor
do o disjuntor é retirado para inspeção ou manutenção. 1200 A Extraível 2000 A 2000 A
O Conjunto Blindado de Manobra e Controle em média
tensão tipo WMD pode ser tambem utilizado para instalações
externas, dispondo, nesse caso, de teto e portas adicionais.

T.P. Disjuntor Instru- Disjuntor


Utilização do Espaço Extraível 2000 A mentos 3000 A

O Conjunto Blindado de Manobra e Controle em média


tensão tipo WMD foi concebido para uma utilização efici-
ente do espaço físico da instalação. Em muitas situações, T.P. Disjuntor Disjuntor T.P.
o espaço total necessário em termos de piso, poderá ser Extraível 1200 A 3000 A Extraível
reduzido em até 50% se comparado com um Conjunto de
Manobra e Controle convencional.
Isso deve-se ao fato de uma única coluna poder alojar até Dimensões (em mm)
dois disjuntores de média tensão extraíveis (veja principais
configurações disponíveis). Uso Interior Uso Exterior
Altura 2390 2650
Largura 900 900
Flexibilidade de Aplicação 1690 1690
Profundidades 2210 2210
O Conjunto Blindado de Manobra e Controle em média Disponíveis 2470 2470
tensão tipo WMD tem flexibilidade de adaptação à maioria 2730 2730
das condições e requisitos de instalação.

− Podem ser fornecidos com um ou dois disjuntores por coluna. Aplicações a altitudes superiores a 1000m
− A construção modular, permite facilidade de monta-
gem, flexibilidade na instalação inicial e em expansões O valor da tensão aplicada à frequência industrial, a tensão
e modificações futuras. de impulso atmosférico, a corrente nominal e a tensão má-
− A parte posterior é especialmente projetada para aten- xima devem ser multiplicados pelos fatores de correção
der às necessidades do usuário, com relação à alimen- adequados, abaixo indicados, para a obtenção dos novos
tação através de cabos ou dutos de barras. valores nominais que devem igualar ou exceder os requisi-
− Possibilidade de instalação de até quatro transformado- tos de aplicação. Deve ser observado que os valores inter-
res de corrente (multipla relação) tipo janela por fase. mediários podem ser obtidos por interpolação.
− Possibilidade de instalação de até quatro gavetas
extraíveis para transformadores de potencial, em uma Altitude (m) Fator de Correção
mesma coluna. Corrente Tensão
− Fornecimento com disjuntores atendendo característi- 1000 (e inferior) 1,00 1,00
cas nominais conforme Norma IEC. 1500 0,99 0,95
3000 0,96 0,80

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Média Tensão 05
Janeiro 2000 Conjuntos Blindados de Manobra e Controle WMD
Dados Técnicos

Vistas laterais típicas

Coluna com Disjuntor + TP extraível Coluna com dois Disjuntores

TC

Características nominais dos Disjuntores VCP-W

Características Nominais em Base Simétrica Conforme Norma IEC


Disjuntor Classe de Tensão de Operação Corrente Nominal Corrente de Corrente Momentânea - kA
Tipo Tensão kV em Serviço Interrupção
kV Suportável a frequência Suportável Contínuo Nominal Valor Valor
industrial de impulso (60Hz) kA 3 seg. de Pico
por 1 minuto (1,2x50seg.) A
valor de crista
36VCP - W25 3,6 10 40 630, 1250, 2000 25 25 63
36VCP - W32 3,6 10 40 1250, 2000 31,5 31,5 79
36VCP - W40 3,6 10 40 1250, 2000 40 40 100
72VCP - W25 7,2 20 60 630, 1250, 2000 25 25 63
72VCP - W32 7,2 20 60 1250, 2000 31,5 31,5 79
72VCP - W40 7,2 20 60 1250,2000 40 40 100
120VCP - W25 12 28 75 630, 1250, 2000 25 25 63
120VCP - W32 12 28 75 1250, 2000 31,5 31,5 79
120VCP - W40 12 28 75 1250, 2000 40 40 100
175VCP - W25 17,5 38 95 1250, 2000 25 25 63
175VCP - W32 17,5 38 95 1250, 2000 31,5 31,5 79
175VCP - W40 17,5 38 95 1250, 2000 40 40 100
240VCP - W16 24 60 125 630, 1250, 2000 16 16 40
240VCP - W20 24 60 125 630, 1250, 2000 20 20 50
240VCP - W25 24 60 125 630, 1250, 2000 25 25 63
240VCP - W40 24 60 125 630, 1250, 2000 40 40 100

CAT.78.01.T.P
06 Equipamentos de Média Tensão
Disjuntores VCP-W Janeiro 2000
Dados Técnicos

Características nominais dos Disjuntores VCP-W

Características Nominais em Base Simétrica Conforme Norma ANSI


Disjuntor MVA Tensão de Operação Nível de Isolação Corrente Capacidade de Tempo Retardamento Corrente de Capacidade
Tipo Nominais (kV) Nominal (kV) Nominal Interrupção em de de Abertura Curta de
(trifásica) em Serviço Curto-Circuito Interrup- Suportável Duração Estabeleci-
K E E / K Suportável Suportável l Contínuo (simétrica) kA ção (para Corrente Admissível mento
a frequência de impulso (60Hz) Nominal KI) Segundos (3 segundos) (momentâ-
industrial (1,2x50seg.) I KI
A Ciclos Y kA nea)
por 1 min. valor de
Nominal

Máxima
Nominal a tensão

Mínima
crista KI
Fator

(a tensão mínima
máxima)

50VCP - W250 250 1,24 4,16 4,76 3,85 19 60 1200, 2000 29 36 5 2 36 58


3000
50VCP - W350 350 1,19 4,16 4,76 4 19 60 1200, 2000 41 49 5 2 49 78
3000
50VCP - W500 500 1,00 4,16 4,76 4,76 19 60 1200, 2000 63 63 5 2 63 100,8
3000
75VCP - W500 500 1,25 7,2 8,25 6,6 36 95 1200, 2000 33 41 5 2 41 66
3000
150VCP - W500 500 1,30 13,8 15 11,5 36 95 1200, 2000 18 23 5 2 23 37
3000
150VCP - W750 750 1,30 13,8 15 11,5 36 95 1200, 2000 28 36 5 2 36 58
3000
150VCP - W1000 1000 1,30 13,8 15 11,5 36 95 1200, 2000 37 48 5 2 48 77
3000
150VCP - W1500 1500 1,00 13,8 15 15 36 95 1200, 2000 63 63 5 2 63 100,8
3000
270VCP - W750 --- 1,00 27 27 27 60 125 600, 1200 16 16 5 2 16 26
2000
270VCP - W1000 --- 1,00 27 27 27 60 125 600, 1200 22 22 5 2 22 35
2000
270VCP - W1250 --- 1,00 27 27 27 60 125 600, 1200 25 25 5 2 25 40
2000
270VCP - W40 --- 1,00 27 27 27 60 125 1200 40 40 5 2 40 64
2000
380VCP - W16 --- 1,00 34,5 38 38 80 170 600, 1200 16 16 5 2 16 26
1600, 2000
380VCP - W21 --- 1,65 34,5 38 38 80 170 1200 21 35 5 2 35 56
2000
380VCP - W25 --- 1,00 34,5 38 38 80 170 600, 1200 25 25 5 2 25 40
1600, 2000
380VCP - W32 --- 1,00 34,5 38 38 80 170 600, 1200 31,5 31,5 5 2 31,5 51
1600, 2000
380VCP - W40 --- 1,00 34,5 38 38 80 170 600, 1200 40 40 5 2 40 64
1600, 2000

Dimensões (mm)

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Média Tensão 07
Janeiro 2000 Conjuntos Blindados de Manobra e Controle W-VAC
Descrição Geral

Painéis Elétricos com tecnologia, Know How e experiência Projeto estado da arte

Inovadores em sua concepção, estes Painéis de média Cada disjuntor tipo W-VAC representa uma combinação
tensão da Cutler-Hammer são certificados pelo KEMA, única de alta tecnologia em interrupção a vácuo, conceitos
conforme Norma IEC 298 e são próprios para operar com avançados em técnicas de fabricação, escolha de materiais
e preocupação em reduzir necessidades de manutenção.
disjuntores tipo W-VAC, sob tensões de 3,6kV até 17,5kV
Comparados aos de outras tecnologias (não a vácuo), os
e correntes de interrupção de 10kA até 40kA. pólos do disjuntor W-VAC utilizam 50 % menos peças.
Um curso de operação menor, permite que o equipamento
seja mais compacto e reduza seu desgaste mecânico.
Liderança mundial em tecnologia de disjuntores a vácuo Uma construção simples, permite inspeção visual direta
dos principais componentes.
No coração do sistema, assegurando anos de operação A segurança do operador teve a mais alta prioridade na
livre de manutenção, encontra-se o disjuntor a vácuo concepção dos disjuntores W-VAC. Cada unidade incorpo-
W-VAC, um dos mais bem sucedidos resultados de anos ra uma série de características avançadas para assegurar
e anos de pesquisa na tecnologia de interrupção a vácuo. A máxima segurança durante realização de testes, inspeção,
manutenção e operação.
Cutler-Hammer desenvolveu em seu Centro de Tecnologia
em Pittsburgh (EUA), os mais modernos disjuntores a
vácuo atualmente em fabricação no mundo, utilizando-se Qualidade Assegurada
do estado da arte em tecnologia de interrupção a vácuo.
O desenvolvimento, engenharia e produção tanto dos
disjuntores quanto dos painéis de fabricação Cutler-Hammer
Características Nominais estão sujeitos aos programas de Garantia da Qualidade
do EATON Quality Institute em conformidade com as
Tensão Tensão Tensão Sup. Freq. Corrente normas ISO 9000.
(kV) suportável suportável imp. (Hz) (A)
freq. industrial atmosférico
(kV rms) (kV crista) A melhor escolha ...
3,6 10 40 630
800 O domínio das mais modernas tecnologias, associado à
7,2 20 60 experiência acumulada por anos no mercado, tornam a
50/60 1250
12 28 75 1600 Cutler-Hammer a escolha mais lógica e confiável para o
17,5 36 95 2000 controle e manobra de sistemas de distribuição de ener-
gia, geradores, motores e circuitos alimentadores.

CAT.78.01.T.P
08 Equipamentos de Média Tensão
Conjuntos Blindados de Manobra e Controle W-VAC Janeiro 2000
Descrição Geral

Performance Certificada Detalhes do


compartimento
Tanto os disjuntores a vácuo modelo W-VAC, quanto os do Disjuntor
painéis de média tensão, foram completamente ensaiados
e certificados pelo KEMA, conforme as seguintes normas:
IEC56: High Voltage Alternating Current Circuit Breakers Guilhotinas
IEC298: A.C. Metal Enclosed Switchgear and Controlgear Metálicas
for Rated Voltage above 1kV and up to and
including 52kV
IEC129: Specification for Alternative Current Disconnectors
and Earthing Switches.

Segurança e Confiabilidade

Combinando o melhor em tecnologia com uma tradição de


excelência em Engenharia, os painéis de média tensão da
Cutler-Hammer foram desenvolvidos para propiciar os
mais altos padrões de segurança e confiabilidade, sem
comprometer sua competitividade. Características únicas
de concepção e a construção modular e compartimentada
“metal-clad”, permitem grande flexibilidade capaz de Equipamentos e/ou versões especiais
atender aos requisitos específicos de cada usuário.
− Chaves de aterramento com intertravamentos e operação
externa, tanto para as barras alimentadoras quanto
Soluções de Engenharia projetadas com Know-How para o barramento principal.
− Compartimento segregado para os cabos de média
Cutler-Hammer
tensão, com entrada superior ou inferior .
− Opção de compartimentos individuais traseiros para a
Desenvolvidos para terem uma construção compacta, com
saída dos cabos de controle.
montagem frontalmente sobreposta dos disjuntores, os − Intertravamentos por chave, tipo “Kirk”
painéis de média-tensão W-VAC da Cutler-Hammer permi- − Chaves auxiliares para a indicação das posições “isolado”
tem a otimização dos espaços físicos ocupados. ou “conectado” do disjuntor
Podem ser fornecidos com dispositivos tradicionais para
proteção e medição disponíveis no mercado, ou com os Os compartimentos dos disjuntores foram projetados para
modernos equipamentos que integram a rede de terem carrinhos extraíveis horizontalmente para versão
Gerenciamento de Energia PowerNet da Cutler-Hammer. de “um disjuntor por coluna” ou suportes de remoção
Permitem a colocação de TP’s nas versões fixa ou extraível, para versão de “dois disjuntores por coluna”. Em ambos
para conexão aos barramentos principais ou alimentadores. os casos, os disjuntores possuem mecanismos seguros
Os compartimentos dos disjuntores possuem duas guilho- de movimentação (inserção/extração).
tinas metálicas (“entrada” e “saída”) que são operadas Os painéis de Média-Tensão W-VAC são subdivididos em
automaticamente pela movimentação dos disjuntores. Tais compartimentos individuais, separados por divisões metáli-
guilhotinas possuem condições de serem individualmente cas e certificados pelo KEMA, conforme a norma IEC298.
travadas, por cadeado, na posição “fechada”, e podem ser Os dispositivos de proteção, medição e controle de baixa
abertas através de atuadores, para a execução de testes. tensão ficam alojados em um compartimento totalmente
Indicadores visíveis pela tampa frontal dos disjuntores, segregado do resto do painel.
permitem identificar o status dos mesmos e de sua mola
de fechamento: “aberto”, “fechado”, “mola carregada”,
Máxima flexibilidade de projeto
“mola descarregada”.
O mecanismo de operação por energia armazenada dos
Os painéis de média-tensão W-VAC estão disponíveis em
disjuntores foi projetado para ser mecânica e eletricamente
duas configurações: “com um disjuntor por coluna” e
de abertura efetivamente independente, ou seja, enquanto “com dois disjuntores por coluna”. Ambas versões utili-
existir a presença de um sinal de desligamento, os conta- zam mecanismos de movimentação do tipo horizontal
tos do disjuntor não fecham e nem se tocam, mesmo que para a extração e inserção do disjuntor, e abrangem
recebam um comando, elétrico ou mecânico, de fechamento. disjuntores de 630 A a 2000 A.
Visando aumentar a segurança do operador, o mecanismo Como os disjuntores são montados em carrinhos ou su-
do disjuntor é mantido mecanicamente livre para desliga- portes de remoção, as condições de acesso, inspeção e
mento “trip-free” durante toda a sequência de sua movi- teste foram simplificadas para quando as verificações de
mentação de inserção ou extração. manutenção se fizerem necessárias.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Média Tensão 09
Janeiro 2000 Conjuntos Blindados de Manobra e Controle W-VAC
Descrição Geral

Resistência a Arco Interno Um dispositivo a prova de operação reversa é parte inte-


grante da alavanca de operação. A alavanca deve ser
Cubículos “resistentes aos efeitos de falha por arco removida e girada de 180º entre as operações de fecha-
interno”, conforme apêndice “AA” da norma IEC298, mento e abertura, garantindo assim segundos vitais de
estão disponíveis em nossa linha de produtos. Dispositi- retardo, necessários à eliminação de uma possível falta.
vos de despressurização na parte superior das colunas
permitem o escape controlado de gases de forma a limi- • Chave de aterramento do circuito de saída
tar qualquer sobrepressão a nível suportável pela estru- A chave é montada no compartimento traseiro da coluna
tura. O equipamento é projetado para garantir o mínimo e operada a partir do frontal do painel. Para garantir a
risco às pessoas, no caso de uma falha interna. segurança, ela não pode ser operada caso o disjuntor
esteja inserido.
Detalhes de Como a chave de aterramento do barramento, a alavanca
compartimentos de operação desta chave possui dispositivo de seguran-
do cubículo ça. Um intertravamento mecânico também previne que o
disjuntor seja inserido quando a chave de terra estiver
ligada. A chave pode ser travada por cadeado nas posi-
ções “ligada” ou “desligada”.
Duto de
Descompressão
• Chave de aterramento portátil
Tambem disponível como uma alternativa ao tipo fixo, é
uma chave de aterramento montada em um carrinho
extraível horizontalmente que, quando em uso, ocupa o
lugar de um disjuntor.
Barramento
Principal Transformadores de Potencial

Os transformadores de potencial podem ser extraídos, vi-


sando estabelecer uma distância de seccionamento, atra-
vés de um mecanismo operado externamente, que ainda
dispõe de dispositivo para travamento por cadeado. Fusí-
veis de média tensão também podem ser fornecidos no
Chaves de Aterramento mesmo conjunto.
Os transformadores de potencial ainda podem ser forneci-
• Chave de aterramento do barramento dos na versão fixa.
(na versão um disjuntor por coluna)
Montada em uma caixa separada na parte superior do com-
partimento traseiro do cubículo, a chave de aterramento Intertravamentos
do barramento é acionada externamente. Pode ser trava-
da por cadeados ou por fechaduras tipo “Kirk” nas po- A segurança é prioridade máxima no projeto dos painéis
sições “ligada” e “desligada”. Nos painéis “resistentes de média tensão da Cutler-Hammer. Dessa forma os equi-
aos efeitos de arco elétrico”, elas são sempre operadas pamentos são providos de intertravamentos de segurança
pela parte frontal dos painéis. a fim de prevenir operações indevidas.

Vistas típicas

Cubículo a prova
de arco interno com
Disjuntor W-VAC
extraível

V acuum
Circuit
B reaker
W-VAC

CAT.78.01.T.P
10 Equipamentos de Média Tensão
Disjuntores W-VAC Janeiro 2000
Dados Técnicos

Características nominais
dos Disjuntores W-VAC

Características Nominais em Base Simétrica Conforme Norma IEC


Disjuntor Tensão Frequência Corrente Nível de Isolação Corrente de Corrente Nominal
Tipo Nominal de Interrupção Nominal estabele-
Simétrica cimento
e de Suportável Suportável
Curta Duração de Impulso à Frequência
(1,2x50ms) Industrial
valor de crista (1min.)
kV Hz kA Seg. kV kV kA Amperes
36W-VAC25 3,6 50/60 25 3 40 20 63 630, 1250, 2000
72W-VAC16 7,2 50/60 16 3 60 20 40 630, 800, 1250
72W-VAC20 7,2 50/60 20 3 60 20 50 630, 800, 1250, 1600
72W-VAC25 7,2 50/60 25 3 60 20 63 630, 800, 1250, 1600, 2000
72W-VAC32 7,2 50/60 31,5 3 60 20 80 1250, 2000
120W-VAC16 12 50/60 16 3 75 28 40 630, 800, 1250
120W-VAC20 12 50/60 20 3 75 28 50 630, 800, 1250, 1600
120W-VAC25 12 50/60 25 3 75 28 63 630, 800, 1250, 1600, 2000
120W-VAC32 12 50/60 31,5 3 75 28 80 1250, 2000
120W-VAC40 12 50/60 40 3 75 28 100 1250, 2000
150W-VAC16 15 60 16 3 95 36 40 630, 800, 1250
150W-VAC20 15 60 20 3 95 36 50 630, 800, 1250, 1600
150W-VAC25 15 60 25 3 95 36 63 630, 800, 1250, 1600, 2000
150W-VAC32 15 60 31,5 3 95 36 80 1250, 2000
150W-VAC40 15 60 40 3 95 36 100 1250, 2000

Dimensões

Corrente Dimensões (mm)


Disjuntor
A B C D E F G Peso (kg)
1250A 570 300 1226 1202 1340 165 470 29

1600-2000A 719 350 1299 1275 1340 200 620 33

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Média Tensão 11
Janeiro 2000 Centros de Controle de Motores WMD / AMPGARD
Descrição Geral

Ampgard também proporcionam nume-


rosas características de segurança pes-
soal, instalação simplificada, economia
de espaço físico e fácil manutenção.

Os demarradores foram dimensionados


para 400 e 800 Amperes, 2200 até 7200
Volts e até 8000 HP. Entre as aplica-
ções típicas temos: a plena tensão, rea-
tores primários, auto-trafos, motores
síncronos e de indução

Os demarradores Ampgard são projetados,


montados e testados, de modo a aten-
der aos requisitos constantes das Nor-
mas NEMA / ANSI ICS 2-234, UL 347,
CSA C 22.2 Número 14 e EEMAC E 14-1.

Segurança pessoal

O contator pode ser completamente isola-


do da linha, através de uma seccionadora
de isolamento à terra, cujos terminais são
desconectados dos terminais de linha, ao
serem acionados por sua alavanca manual
externa à porta, sendo ao mesmo tempo,
ativada mecanicamente a respectiva gui-
lhotina, eliminando o risco de contato com
partes energizadas, ao abrir a porta. A
guilhotina, é visível, mesmo sem a remo-
ção de nenhum dos componentes internos
ao painel. A porta do compartimento de
alta tensão fechada é intertravada mecani-
camente com a manopla da seccionadora
de isolamento, sendo que o comparti-
mento de baixa tensão é totalmente sepa-
rado do de alta tensão.

A Familia de Demarradores de MT mais completa Contactor a Vácuo SJ

Os demarradores Ampgard representam a linha mais com- A Cutler-Hammer é líder em tecnologia de vácuo.
pleta de seu tipo, disponível no segmento... além de ter O contactor a vácuo foi desenvolvido especificamente para
sedimentado uma reputação de qualidade, confiabilidade e os demarradores Ampgard. Devido ao fato que o contator
grande durabilidade. Estes demarradores constituem unida- a vácuo emprega materiais especiais na fabricação de seus
des completas que se ajustam com precisão às especifica- contatos primários afim de minimizar interrupções com
ções dos motores. Os dispositivos de proteção em cada surtos de corrente, não é necessário o uso de supressores
demarrador Ampgard se coordenam com as características de surtos. O contator a vácuo é acessível pela parte frontal
do motor, de modo a proporcionar desde proteção por do painel, não sendo necessária sua extração para substi-
sobrecarga, até por falhas provenientes do próprio sistema. tuir contatos auxiliares ou a bobina, e nem para verificar
o eventual desgaste dos contatos.
Os demarradores Ampgard foram concebidos de forma a
se ter acesso frontal a todos componentes e terminais. E,
todas as partes principais foram projetadas especificamente Fusíveis limitadores de corrente
para operar harmonicamente como uma unidade integral de
partida. O projeto padrão permite o uso da capacidade Os demarradores Ampgard utilizam fusíveis de potência
nominal ideal para cada aplicação, sem a necessidade de auto-protegidos da Cutler-Hammer, tipo CLS e com as
uso de outros equipamentos associados. Os demarradores devidas características tempo / corrente, para o correto

CAT.78.01.T.P
12 Equipamentos de Média Tensão
Centros de Controle de Motores WMD / AMPGARD Janeiro 2000
Descrição Geral e Dados Técnicos

funcionamento do motor. Os demarradores Ampgard Detalhes internos dos Compartimentos


proporcionam a mais completa coordenação entre fusível
e contator, disponível no mercado. Os fusíveis queimados
podem ser removidos facilmente, sem necessidade de remo- 2
ver o contator. O saca-fusíveis é fixado internamente ao pai-
nel. Na parte superior de cada fusível, existe um indicador
que é acionado uma vez que a falha tenha sido eliminada.
4
3
Capacidades Nominais do Contator a Vácuo tipo SJ de 5
400A e 7200V
1
Corrente máxima de 7600A
interrupção (3 operações)
Corrente Nominal: 360A (interno ao painel)
e 400A (aberto)
Corrente curta duração 30 seg 2160A (1) Contator a vácuo extraível (3) Fusíveis limitadores
1 seg 5400A (2) Acionamento da (4) Placa de montagem BT
8,75 miliseg 55kA pico Seccionadora de isolamento (5) Porta frontal com instrumentos
Vida mecânica 2,5 milhões operações
Vida elétrica 250.000 operações
sob corrente nominal Sistema de interligação dos componentes
Nível Básico de Impulso 60 kV (1,2 X 50 microseg)
Tempo de fechamento 65 miliseg A seccionadora de isolamento, o contator e os fusíveis
(desde impulso até (3,5 ciclos base 60Hz) limitadores de corrente são eletricamente interligados,
fechamento contatos) sem o uso de cabos. O que elimina 50 % das conexões
pelas quais circula corrente e, permite acomodar dois
demarradores de 400 A em uma única coluna, sem redu-
zir sua capacidade nominal.

Vista lateral típica


Contator a Vácuo
de 400A, Tipo SJ Barramento
principal
horizontal
Acionamento da
Seccionadora
de isolamento
(Fechada)

Fusíveis
limitadores
Porta
compartimento
superior
Os equipamentos de baixa tensão encontram-se num Contator
Tipo SJ
compartimento de fácil acesso

O painel modular de controle de baixa tensão é deslizante, Barramento


para facilitar o acesso à fiação e para trabalhos de manu- vertical
isolado
tenção. Tal compartimento, é montado no lado direito da Acionamento da
coluna, sendo totalmente segregado e com bloqueios Seccionadora
de isolamento
em relação ao compartimento de média tensão. (Aberta)
Os seguintes componentes estão contidos no comparti-
mento de controle:
- rele de interposição Porta
- relé de sobrecarga compartimento
inferior
- canaleta de cabos
Interruptores
- um máximo de três equipamento instalados na porta frontal à Vácuo
- blocos de terminais desmontáveis.
Existe ainda disponibilidade de espaço adicional neste pai-
nel, para montagem de vários dispositivos auxiliares.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Média Tensão 13
Janeiro 2000 Retrofits de Disjuntores MT com Interruptores a Vácuo
Descrição Geral

troca de todo equipamento instalado,


como única solução. Mas, para instala-
ções em funcionamento, esta opção re-
quer muitos trabalhos , bem como signifi-
cativas modificações na cablagem de for-
ça e controle, tornando este processo
pouco prático e oneroso.

A Solução Retrofit Cutler-Hammer

Em contrapartida, o disjuntor Retrofit a


vácuo da Cutler-Hammer proporciona aos
usuários, uma solução de custo razoável,
fácil de instalar e de alta performance, para
substituição de disjuntores antigos. Uma
opção que prolonga a vida útil da instalação,
reduz custos de manutenção e, oferece a
tecnologia, a simplicidade e a confiabilidade
de uma completa linha de disjuntores a vácuo.
Todas as vantagens relativas ao Retrofit a
vácuo, a seguir descritas, devem ser consi-
deradas para melhoria da performance de um
equipamento instalado.

Atualização para uma tecnologia moderna a vácuo,


aumenta a confiabilidade
A tecnologia Cutler-Hammer em interrupção a vácuo, é
uma opção para prolongar a vida de instalações com Os disjuntores Retrofit a vácuo da Cutler-Hammer pos-
disjuntores a sopro magnético e / ou a óleo suem um mecanismo de conceito mais simples, com
menos peças do que disjuntores a sopro magnético;
menores esforços mecânicos e cursos; interruptores a
vácuo selados e livres de contaminação ambiental – to-
O Problema
dos fatores que aumentam a confiabilidade operacional.
A tecnologia Cutler-Hammer em interrupção a vácuo,
Problemas sérios em instalações elétricas podem ser
pode ser aplicada a virtualmente qualquer disjuntor de
resultantes de vida ou desgaste de equipamentos, e aos
média tensão, independentemente de marca ou fabricante.
custos elevados de peças de reposição, manifestando-se
Como exemplos, ver abaixo:
como falha de operação ou falha de isolação .
Enquanto falhas mecânicas podem ser sérias, falhas
elétricas ou de isolação em um conjunto de manobra, são
Disjuntores a sopro magnético
normalmente catastróficas, devido aos elevados níveis
das faltas em sistemas de distribuição. Ao contrário dos
Westinghouse 50 DHP 350 - 1200 e 2000A
componentes mecânicos e elétricos, a vida do isolamento
75 DHP 500 - 1200 e 2000A
de um conjunto de manobra não depende do ciclo de
150 DHP 500 - 1200 e 2000A
operação, mas principalmente de tempo de operação e
150 DHP 750 - 1200 e 2000A
temperatura. Por exemplo, um disjuntor energizado, po-
Mitsubishi 4 DH E 50M - 1200 e 2000A
rém, nunca solicitado a operar, pode não sofrer deterio-
Magrini 150 DH E 500 - 1200A
ração em sua performance mecânica, entretanto, sua
Sace DIARC 17-750 - 1200A
isolação elétrica poderá se degradar ao longo do tempo.
Merlin Gerin DSE 22 G-7,2 - 630A
Portanto, apesar da integridade dos elementos mecâni-
GE (EUA e Canadá) Magna Blast AM 13,8 -
cos ou elétricos, a degradação da isolação por si só, irá
1200 e 2000A
provocar uma falha. E, enquanto os fabricantes proje-
tam conjuntos de manobra para atender determinados
níveis de performance e operarem sob parâmetros con- Disjuntores a pequeno volume de óleo
troláveis, na prática efetivamente é difícil prever exata-
mente quando uma falha pode ocorrer. Marini & Daminelli HW 15 - 350 - 800A
Usuários de conjuntos de manobra freqüentemente, quan- HWB 25 - 500 - 1200A
do confrontados com tais situações, têm optado pela Sace RG 17,5 - 1200A

CAT.78.01.T.P
14 Equipamentos de Média Tensão
Retrofits de Disjuntores MT com Interruptores a Vácuo Janeiro 2000
Descrição Geral

Incremento de desempenho e características nominais Maior disponibilidade de peças sobressalentes

O incremento de vida elétrica e mecânica proporcionado Peças removidas e não utilizadas em disjuntores retrofi-
por Retrofit a vácuo, oferece margens adicionais de tados, tornam-se uma fonte valiosa de peças sobressa-
performance em qualquer aplicação. E ainda, as dimensões lentes, difíceis de se encontrar e caras, podendo ser
menores dos disjuntores VCP-W, podem permitir o aumen- utilizadas como reposição de componentes necessários
to das capacidades de interrupção e / ou corrente, do cubí- à manutenção de unidades não retrofitadas.
culo existente.
Os disjuntores a vácuo da Cutler-Hammer estão disponí-
veis em tensões desde 5 até 38 kV, com capacidades de Modificação individual dos disjuntores permite moderniza-
interrupção até 1500 MVA. ção gradativa, conforme necessidades

Os disjuntores podem ser modificados (retrofitados)


A vida do equipamento é prolongada individualmente, conforme necessidades, permitindo a
modernização gradual do sistema, de acordo com dispo-
Utilizando um disjuntor Retrofit a vácuo Cutler-Hammer, nibilidade de recursos financeiros e de tempo. O fluxo
sua instalação ganha um equipamento com vida mecânica de caixa pode ser melhor gerenciado.
e elétrica, equivalente à de um disjuntor novo.

Outras alternativas
Manutenção reduzida
Visando usufruir das vantagens acima descritas para
O acesso frontal e o projeto simples do disjuntor a vácuo disjuntores de média tensão, a Cutler-Hammer têm ainda
VCP-W da Cutler-Hammer, minimiza a necessidade de desenvolvido soluções para substituição de outros equipa-
serviços de manutenção, inclusive testes e inspeções. mentos, tais como:
Os contatos encontram-se selados dentro da câmara de - Disjuntor de baixa tensão DB-800 da Marini&Daminelli,
vácuo e não requerem nenhuma manutenção. Adicional- por disjuntor em caixa moldada tipo NW.
mente, peças usuais em disjuntores a sopro magnético, - Contator a sopro magnético de média tensão LF50-H630
tais como as câmaras de arco, contatos elétricos móveis da Westinghouse, por contator a vácuo tipo SJA.
e unidades sopradoras, foram eliminadas, reduzindo ainda - Disjuntor DS extraível para partida de motores por
mais as exigências de manutenção. Retrofit DS-VSR com contator a vácuo V201.

Solução lógica

Tudo se resume, direcionando os Retrofit da


Cutler-Hammer como a solução lógica para os proble-
mas de envelhecimento de equipamentos de conjuntos
Detalhe dos de manobra. Os Retrofit da Cutler-Hammer oferecem
Pólos com tulipas modernas tecnologias e vida nova para a isolação, não
de conexão obtidos com simples reparos, bem como eliminando as
modificações custosas de instalações e paradas de planta
requeridas para a instalação de um conjunto de manobra
totalmente novo.

Detalhe da chapa
frontal com
comando do VCP-W

Reduzidas quantidades e custos de peças de reposição

Até 50% menos peças, associado à disponibilidade de


componentes da própria linha de produção dos disjuntores
a vácuo, implica em menores quantidades em estoque e
rotatividade de peças de reposição. Isto pode ser crítico,
quando se considerar que peças de reposição para disjun-
tores mais antigos, podem ser muito caras e com prazo de
entrega muito longo – se efetivamente estiverem disponíveis.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Média Tensão 15
Janeiro 2000 Interruptores à Vácuo CH
Descrição Geral

Aplicação Os materiais são escolhidos de modo a permitir que o


contator faça milhões de operações, manobrando corren-
Os Interruptores a Vácuo da Cutler-Hammer são utiliza- tes de carga e protegendo o circuito contra falhas ocasi-
dos nos Disjuntores Tipos W-VAC e VCP-W. onais, geralmente em coordenação com um fusível. Os
materiais também são selecionados, de modo a previnir
a geração de sobre-tensões prejudiciais, devidas, quer a
Um conceito simples, para aplicações complexas instabilidade do arco antes da corrente passar por zero,
quer a elevação da tensão, logo após a corrente passar
O conceito de interrupção a vácuo é bastante simples: por zero.
dois contatos separados, contidos em uma câmara eva-
cuada. Na prática, entretanto, sua concepção é conside-
O princípio físico de formação do arco voltaíco e o fenô-
ravelmente mais complexa, envolvendo desde a seleção
cuidadosa dos materiais de contato, até a configuração meno de sua interrupção, também são bastante comple-
física dos mesmos. Materiais específicos da câmara, são xos. Envolvem o entendimento e o controle de proces-
devidamente integrados através de técnicas próprias de sos de contatos de corrente de alta densidade, bem
montagem, vedação e de processamento de vácuo. como, da interação de arcos voltaícos com campos mag-
néticos.
A Cutler-Hammer possue uma ampla linha de interruptores
a vácuo, que foi desenvolvida utilizando diversos materi- Para monitorar e aprimorar este processo, a Cutler-Hammer
ais de contato, sendo atualmente empregados os ideais, emprega um expressivo grupo de peritos, altamente
para cada aplicação. A liga cobre-cromo, foi desenvolvi- treinados e experientes em interruptores a vácuo. Nossa
da pioneiramente pela Westinghouse, tornando-se pa- Fábrica em Horseheads / New York não é simplesmente
drão no âmbito industrial, sendo utilizada em diversas uma operação de manufatura mas, uma comunidade
aplicações de disjuntores e religadores. Esta composição técnica, compartilhando experiências e recursos. Especi-
propicia elevada condutividade elétrica, em contrapartida alistas em desenvolvimento de projeto, engenharia elé-
com a baixa erosão dos contatos. Sendo otimizada a trica, Física e técnicas de computação, continuamente
força de abertura dos mesmos, uma vez que tal liga tem desenvolvem novos conceitos, materiais e processos.
menor poder de soldagem do que o cobre puro.
Peritos em metalurgia, cerâmica e metalização, promo-
Diversas combinações de materiais de contato, tais
vem o impulso da tecnologia, sendo seus esforços
como ligas sinterizadas de tungstênio e cobre,
carboneto de prata-tungstênio e, cobre-cromo com direcionados ao avanço da ciência da interrupção a vácuo.
aditivos de bismuto ou antimônio, são utilizadas para E, seu trabalho, tem produzido resultados expressivos.
aplicações de contatores para motores, com elevado
nível de solicitação.

Detalhe dos Contatos Corte típico e detalhes internos de um Interruptor a Vácuo

Terminal
Percurso da fixo
Corrente
Blindagem
Contatos final

Invólucro
isolante
Flange
suporte da
blindagem
Força radial
para alívio
do arco

Blindagem de
condensação Blindagem
Arco de Fole
do vapor
Voltaíco
metálico Terminal
Móvel

CAT.78.01.T.P
16 Equipamentos de Média Tensão
Interruptores à Vácuo CH Janeiro 2000
Descrição Geral

O mínimo de partes móveis, cuidados Banco de


nos detalhes de projeto e produção do capacitores para
interruptor a vácuo, propiciam uma ope- ensaios dos
ração com pouca manutenção Interruptores a
Vácuo
O número menor de partes móveis nos
polos, em comparação com outras
tecnologias de interrupção de arco, ga-
rantem uma maior confiabilidade.

Na sua produção, os interruptores são


evacuados e lacrados simultaneamente,
a altas temperaturas, de modo a garan-
tir aos contatos, um ambiente livre de
gases.

A forma dos contatos previne a forma-


ção de pontos quentes, gera menos
calor e minimiza a erosão dos eletrodos,
propiciando vida mais longa.
Inspeção antes da montagem
final do Interruptor a Vácuo

Qualquer desgaste que ocorra, pode ser verificado no


local, sem a remoção do interruptor.

Uma vida mais longa é assegurada pelos contatos de


cobre cromo (que possuem alta resistência a soldagem),
visto que a erosão dos mesmos é minimizada durante
arcos intensos.

O curso menor dos contatos permite ao disjuntor operar


com mecanismo simples e compacto, propiciando uma
vida mais longa e maior confiabilidade.

Durante todo desenvolvimento, a necessidade de manu-


tenção foi significativamente reduzida pela minimização
de partes móveis, aplicação de acabamentos resistentes
à corrosão e uso de materiais da mais alta qualidade.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Média Tensão 17
Janeiro 2000 Dutos de Barras WMD
Descrição Geral

Aplicação

Dutos de Barras tipo WMD com fases não segregadas, Construção


são previstos para uso em circuitos cuja importância requer
maior confiabilidade do que a oferecida por cabos de Os invólucros são fabricados em chapas de aço bitola
força. Aplicações típicas seriam, a interligação entre um 12 MSG e, são aparafusadas para dar maior rigidez ao
transformador e um conjunto blindado em subestações conjunto. Tampas removíveis são aparafusadas para
unitárias, interligações entre um conjunto blindado e facilitar o acesso quando do aperto das conexões e,
máquinas rotativas e, interligações entre dois ou mais subsequentes e periódicas inspeções. Para dutos com
conjuntos blindados. correntes nominais maiores que 2.000 A, o fechamento
Duto de Barras tipo WMD com fases não segregadas é inferior do invólucro será em chapa de alumínio.
um conjunto de condutores com respectivas conexões,
uniões e suportes isolantes devidamente associados e Os Dutos de Barras tipo WMD podem ser projetados e
confinados dentro de um invólucro metálico, sem barrei-
fabricados para atender aos graus de proteção IP 40 ou
ras entre fases. Os condutores são adequadamente se-
parados e isolados entre si, e isolados da terra por su- IP 54. Para dutos previstos para instalação ao tempo,
portes isolantes próprios para barras de cobre. Cada com grau de proteção IP 54, os parafusos de fixação do
condutor, para dutos de tensões desde 690 V até 15 kV, invólucro, bem como os dos barramentos, serão em aço
pode ser isolado em toda sua extensão com uma cober- inoxidável.
tura de tubo termocontrátil, quando requerido.
Caso requerido, poderão ser oferecidas opcionalmente,
resistências de aquecimento e respectivos termostatos,
Tipos e características disponíveis instalados em caixas acopladas ao duto.

Os Dutos de Barras tipo WMD são projetados, com base Os invólucros são pintados com tinta a pó polimerizada
em normas internacionais, quando aplicáveis, para ope- a base de poliester, resultando em um acabamento de
rar sob tensões desde 690 V até 15 kV, e previstos para alta durabilidade, com espessura e brilho uniformes.
correntes nominais de 630 A até 4.000 A, com ou sem
Este processo de acabamento minimiza o risco de pro-
condutor de neutro. Os valores nominais de tensões e
respectivas correntes, disponíveis nos dutos tipo WMD, blemas em ambientes severos. A cor padrão da pintura
estão indicados na tabela abaixo. Dutos de barras com de acabamento é cinza claro código Munsell N6.5, sendo
características distintas, poderão ser fornecidos median- que, cores especiais poderão ser fornecidas sob consulta.
te consulta.
Dutos para tensões 7,2 kV e 15 kV, com correntes no- Conexões flexíveis são fornecidas em todos segmentos
minais de 2.000 A, 2.500 A ou 3.150 A, serão forneci- retos de duto, a intervalos de aproximadamente 15 metros,
dos com suas barras totalmente isoladas. para permitir eventual expansão dos condutores, quando
em operação e conduzindo a corrente nominal.

Valores Nominais

Tensão NBI Capacidade de Corrente


690V 10kV 630A, 800A, 1000A,
Detalhe da
1250A, 1600A, 2000A, curva 90º
2500A, 3150A, 4000A
7,2kV 60kV 1250A, 1600A, 2000A,
2500A, 3150A
15kV 95kV 1250A, 1600A, 2000A,
2500A, 3150A

CAT.78.01.T.P
18 Equipamentos de Média Tensão
Dutos de Barras WMD Janeiro 2000
Descrição Geral

Dimensões (mm) / arranjos básicos Instalação


A A
D C C D D C C C D Devido a suas dimensões compactas, peso relativamen-
te baixo e projeto simples, o Duto de Barras tipo WMD
é de fácil instalação. A rigidez inerente ao seu projeto,
R S T N R S T permite que os suportes tirantes sejam espaçados a
aproximadamente cada 1.100 mm para dutos instalados
B

B
abrigados, e permitem que os suportes de dutos insta-
lados ao tempo, sejam espaçados a aproximadamente
cada 2.200 mm. O comprimento padrão de cada seg-
Figura 1 Figura 2 mento de duto é de 2.300 mm ou menos.

Materiais de instalação e fixação, tais como: ferragens,


Tensão Figura A B C D E
tirantes, suportes, chumbadores, etc., não fazem parte
690V 2 740 490 140 115 45
do escopo de fornecimento dos dutos. Entretanto,
(c/ neutro)
quando os dutos forem previstos para passar por pare-
690V 1 590 490 132 118 45
des, interligando por exemplo um transformador instala-
7,2kV
do ao tempo com um painel abrigado, nestes pontos
15kV 1 840 490 195 180 45
poderá ser fornecida uma flange / barreira fabricada em
Nota: Dimensões ou arranjos diferentes, poderão ser fornecidos. chapa, para acabamento e apoio do duto.

Uma variedade de acoplamentos terminais pode ser


Condutores fornecida de modo a atender a maioria dos requisitos de
instalações. Os dutos de barras podem ser acoplados
Todos condutores são barras de cobre com alta através de lâminas flexíveis, buchas de porcelana, termi-
condutividade. As conexões são firmemente aparafusa- nais para cabos ou acoplamento a barras de conjuntos
das, sendo utilizados espaçadores entre barras. Todas blindados.
as superfícies de contato são prateadas de modo a asse-
gurar máxima condutividade da conexão. O aterramento Para as mudanças de direção, permitindo curvas a 90°
do invólucro do duto é feito através de uma barra de tanto na vertical como na horizontal, foram padronizados
cobre (1” X ¼”), fixada ao longo de toda extensão do trechos de dutos denominados “cotovelos”, que facilitam
duto, assegurando sua continuidade e sendo possível e otimizam os percursos de instalação.
conectar o respectivo cabo, através de um terminal pró-
prio fornecido com o duto.

Caso requerida isolação das barras com manga Detalhe de


termocontrátil, cada conexão depois de aparafusada, arranjo das
será igualmente coberta por uma luva de material isolan- fases não
te e retardante à chama, proporcionando isolação total segregadas
dos condutores do duto de barras.

Capacidade de suportar efeitos térmicos devidos


a curto-circuito

Os Dutos de Barras tipo WMD de tensões 690 V até 15 kV,


são projetados para suportar os efeitos das correntes de
curto-circuito trifásico, sendo dimensionados para cor-
Detalhe das
conexões rentes térmicas eficazes desde 31,5 até 200 kA, depen-
isoladas dendo da respectiva corrente nominal para a qual o duto
foi dimensionado.

Elevação de temperatura

O duto de barras poderá conduzir continuamente a cor-


rente nominal sem que o barramento exceda a elevação
de temperatura de 65°C, acima de uma temperatura am-
biente externa ao invólucro de 40°C, conforme requerido
por norma.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 19
Janeiro 2000 Centros de Distribuição de Cargas WMD
Descrição Geral

também os dispositivos opcionais baseados em


micropro-cessadores da família PowerNet da
Cutler-Hammer, que provêm funções de
monitoração, proteção e controle, e
adicionalmente, capacidade de
monitoração e comunicação
remota.

Características Nominais

Tensão Máxima: 600 Volt CA


Corrente: de 800 A até 4000 A

Especificações Gerais

Os Centros de Cargas de Baixa


Tensão tipo WMD, para uso
interior ou exterior, consistem
de uma estrutura estacionária
montada e, uma ou mais
unidades extraíveis de disjun-
tores de potência a ar, monta-
dos com respectivos conjun-
tos de desconexão e outros
dispositivos necessários. Os
Centros de Cargas são próprios
para tensão máxima de serviço
de 600V.

Cada estrutura vertical, fabricada


em chapa de aço, faz parte do
conjunto estacionário, que
compõe o invólucro para alojar
uma ou mais unidades de
disjuntores ou compartimento
de instrumentos, bem como o com-
partimento posterior para barramento e
conexão dos cabos de saída.

Reputação por qualidade, Cada compartimento de disjuntor é equipado com


confiabilidade e flexibilidade contatos primários e secundários, trilhos, partes dos me-
canismos de inserção e os transformadores de corrente
O Centro de Distribuição de Cargas de Baixa Tensão tipo para instrumentos requeridos. Uma porta de aço lisa
WMD da Cutler-Hammer foi projetado para prover será fornecida para cada compartimento de disjuntor,
controle e proteção, com segurança, confiabilidade e equipada com uma botoeira de desligamento de emergência.
economia aos sistemas de distribuição até 600 V. A
qualidade e a segurança dos Centros de Cargas WMD
têm sido continuamente comprovadas por mais de 25 Barra e Conexões
anos e, representa a base instalada mais ampla em pai-
néis de baixa tensão. Os valores nominais disponíveis para as barras principais
dos Centros de Cargas WMD são 600, 800, 1000, 1200,
Um projeto estrutural comprovado em condições reais de 1600, 2000, 2500, 3200 e 4000 Amperes.
utilização no campo, que emprega uma estrutura aparafusa-
da e uma bandeja com guias e encaixes, garantindo rigi- Todos os valores nominais estão baseados em uma ele-
dez e alinhamento dos elementos críticos para instala- vação de temperatura de 65°C, acima de uma tempera-
ção do disjuntor extraível. tura ambiente externa ao painel de 40°C.

A proteção dos circuitos é garantida pela unidade Opcionalmente, as conexões dos barramentos poderão
de disparo Digitrip RMS. Os Centros de Cargas de baixa ser prateadas.
tensão tipo WMD foram projetados para incorporar

CAT.78.01.T.P
20 Equipamentos de Baixa Tensão
Centros de Distribuição de Cargas WMD Janeiro 2000
Descrição Geral

Poderão ser fornecidas também opcionalmente, chapas Transformadores de corrente


de blindagem em aço, para segurança adicional, segre-
gando as barras e conexões principais do compartimen- Também estão disponíveis, transformadores de corrente
to de cabos de ligação externa do cliente. com classe de precisão para medição ou proteção. Tais
transformadores são instalados na parte posterior, no
Quando requerida blindagem entre colunas verticais, compartimento de cabos.
poderão ser fornecidas barreiras opcionais, segregando
uma unidade da outra.
Local de instalação
Uma barra de terra é fornecida, interligando todo conjun-
to e dispõe de conectores para as ligações do cliente. Os Centros de Cargas de BT tipo WMD, podem ser
construídos para instalação ao tempo, sendo então pre-
vistos teto e portas adicionais.
Compartimento posterior de fácil acesso

O compartimento posterior de cabos e barras possui Dutos de barras Metal-Enclosed


amplo espaço para facilitar as conexões, manutenção e
futuras inspeções. Para interligar transformadores ao tempo, aos painéis
abrigados, podem ser fornecidos dutos de barras tipo
Os blocos terminais do circuito de controle estão monta- metal-enclosed, passando por paredes, com correntes
dos no compartimento posterior do painel, onde são nominais de 600 até 4000 A. Tais dutos podem ainda
facilmente acessíveis para conexões e inspeções por ser utilizados para interligação entre Centros de Carga
parte do cliente. de BT, separados fisicamente.

Aplicação – Disjuntores de Potência a ar Tipo DS


Transformadores de controle
• Normas
Transformadores de controle serão fornecidos sempre
que solicitados, para alimentação dos circuitos de con-
Os disjuntores Tipo DS atendem ou excedem todas as
trole em CA dos disjuntores, resistências de aquecimen- exigências aplicáveis, constantes das últimas revisões
to e / ou ventiladores de transformadores. Tal como os das Normas ANSI C37.13 e C37.16.
transformadores de potencial, os de controle também
são protegidos por fusíveis primários limitadores de cor- • Tensão e Frequência de Sistema
rente.
Os disjuntores do tipo DS foram projetados para operar
Fusíveis limitadores ou mini-disjuntores, são utilizados somente em sistemas de corrente alternada, em 60 ou
no secundário, para proteção dos circuitos de controle. 50 Hz, e tensão máxima de 600 V.

Dimensões típicas (mm) e Configurações disponíveis


DS206S-416H Instrumentos DS206S-416H Instrumentos
S(2) ou ou vago DS420(1) ou vago
instrumentos S ou
Uso Interior Uso Exterior Instrumentos
DS206S-416H
Altura 2390 2650 DS420(1)
600 600 E - I - S ou
DS206S-416H
Larguras instrumentos DS632 DS840
750 750 DS420(1) E-I-S
Disponíveis E-I-S
E-I-S
900 900 DS206S-416H
DS420(1)
1170(1) 1170(1)
E-S
1430 1430
DS206S-416H
Profundidades 1690 1690 DS206S-416H DS206S-416H DS420(1)
DS420(1) DS420 Vago
Disponíveis 2210 2210 E-I-S
S S
2470 2470
2730 2730 Legenda:
Disjuntores: E - Entrada, I - Interligação, S - Saída
(1) com disjuntor DS fixo
Notas:
(1) Somente um DS420 ativo por coluna vertical.
(2) Somente se demais compartimentos (S)

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 21
Janeiro 2000 Centros de Distribuição de Cargas WMD
Descrição Geral

Detalhes Contrutivos Regimes de Corrente Permanente

Ao contrário dos transformadores, geradores e moto-


res, os disjuntores de potência são equipamentos para
pleno regime de trabalho e não têm fatores para sobre-
carga temporária.

Portanto, é essencial que a cada aplicação, seja consi-


derada a máxima demanda de corrente prevista, atual e
Transição de barras futura, incluindo eventuais sobrecargas temporárias.

O regime contínuo de qualquer disjuntor tipo DS, é


limitado a 125% do valor nominal do sensor, ou ao
valor nominal de “frame” do disjuntor, o que for menor.
Por exemplo, um disjuntor tipo DS-416 com “frame”
de 1600 Amperes e com sensores de 800 Amperes,
poderá no máximo ser utilizado para 800 X 1,25 ,ou
seja, 1000 Amperes, porém, o mesmo disjuntor com
sensores de 1600 Amperes, seria limitado a 1600 Amperes.
Todos os valores de corrente, são referidos a uma má-
xima temperatura ambiente de 40°C, externamente ao
painel.

Condições ambientais e de operação especiais

Especial atenção deverá ser dada a aplicações sujeitas


Terminais para às condições abaixo:
cabos de saída
a. Vapores, fumaça, etc., prejudiciais ao equipamento

b. Poeira abrasiva em excesso.

Para tal condição, normalmente é recomendável que o


painel seja instalado em uma sala limpa e seca, com
ar filtrado e / ou condicionado. Isto permitirá o uso
Elemento removível de um painel padrão, e evita o uso de fatores de cor-
reção para painéis não ventilados.
O elemento removível consiste de um disjuntor de potên-
cia a ar, tipo DS, equipado com as garras de desconexão
necessárias, rodas e intertravamentos necessários para c. Temperaturas extremamente altas ou baixas.
aplicação extraível.
Para temperaturas ambiente excedendo a 40°C, e
Máxima tensão à qual se aplicam as capacidades de com base numa elevação de temperatura de 65°C, a
interrupção (vide tabela Disjuntor DS): corrente nominal dos “frames” dos disjuntores, bem
como dos barramentos, transformadores de corrente,
TENSÃO DO SISTEMA MÁXIMA TENSÃO etc., estarão sujeitos a um fator de correção calcula-
do pela seguinte fórmula:
208 ou 240 254
480
600
508
635 √ 105°C total - Ambiente Especial, °C
105°C total - 40°C (Ambiente de referência)

Os valores de capacidade de interrupção são baseados d. Altitude.


no ciclo padrão de uma operação de abertura, um inter-
valo de 15 segundos e uma operação de fechamento - Os disjuntores podem ser aplicados considerando sua
abertura, em seqüência, com um desligamento retardado, plena especificação nominal de tensão e corrente, até
no caso de dispositivos de curto retardamento. uma altitude máxima de 2000 metros acima do nível
do mar. Quando instalados a altitudes maiores, os
O ciclo padrão de operação para tempo curto consiste valores nominais deverão ser corrigidos por fatores
em manter a corrente nominal por dois períodos de 0,5 normalizados pela ANSI.
segundos cada, com um intervalo de 15 segundos, com
corrente zero entre os dois períodos.

CAT.78.01.T.P
22 Equipamentos de Baixa Tensão
Centros de Distribuição de Cargas WMD Janeiro 2000
Descrição Geral

Vistas laterais típicas

Entrada (lateral) com DS-632 Saídas com DS-416

1690

N C B A

A
2390

B
DS-632EXTRAÍVEL

DS-416 EXTRAÍVEL

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 23
Janeiro 2000 Disjuntores de Potência DS
Dados Técnicos

Características nominais
dos Disjuntores DS

Disjuntor Tensão Corrente Corrente Nominal Corrente Nominal Característica Corrente Peso (Aproximado)
Tipo Nominal Nominal de Interrupção sob de Curta Duração Nominal Nominal de kg
50 - 60 Hz máx. Curto-circuito (simétrica) do Sensor Temporização
admissível (simétrica) kA Is de Longo
kA Retardamento
(0,5 - 1,0 x ls) Disj. Disj. Estr.
208- Fixo Extr. Suporte
600V 480V 240V 600V 480V p/ Extr.
V A 240V
200 100
200
200
300 250
300
200
400 250
DS - 206S 600 800 42 42 50 42 42 42 300 70 79 28
400
300
600 400
600
400
800 600
800
600
1200 800
1000
DS - 416 600 1600 42 50 65 42 50 50 1200 77 86 28
800
1600 1000
1200
1600
600
1200 800
1000
DS - 416H 600 1600 50 65 65 50 65 65 1200 79 88 30,5
800
1600 1000
1200
1600
1000
DS - 420 600 2000 50 65 65 50 65 65 2000 1200 79 88 30,5
1600
2000
1600
2400 2000
2400
DS - 632 600 3200 65 65 85 65 65 65 1600 110 125 54
2000
3200 2400
3000
3200
2000
DS - 840 600 4000 85 85 130 85 85 85 4000 2400 185 190 108
3200
4000
Disjuntor - Fixo Disjuntor - Extraível
Tipo Dimensões (mm) Tipo Dimensões (mm)
A L P A L P
DS206S 462,5 490 504,5 DS206S 472 471 753
DS416 462,5 490 515,5 DS416 472 471 753
DS420 462,5 490 515,5 DS420 472 471 753
DS632 750,5 490 572 DS632 760 471 811
DS840 751,5 756 675 DS840 806 782 1093,3

CAT.78.01.T.P
24 Equipamentos de Baixa Tensão
Disjuntores de Potência Magnum Janeiro 2000
Dados Técnicos

Características nominais
dos Disjuntores Magnum

Disjuntor Tensão Corrente Corrente Corrente Nominal Peso (Aproximado)


Tipo Nominal Nominal Nominal de Curta Duração kg
50 - 60 Hz máx. de Interrupção (simétrica)
admissível sob
Curto-circuito
(simétrica) Disj. Disj.
Fixo Extr.
V A kA kA seg.
MWI408 690 40 40 1
MWI608 690 800 65 65 1 52 65
MWI808 690 85 85 1
MWI412 690 40 40 1
MWI612 690 1250 65 65 1 52 65
MWI812 690 85 85 1
MWI616 690 1600 65 65 1 52 65
MWI816 690 85 85 1
MWI620 690 65 65 1
MWI820 690 85 85 1
MWIC20 440 2000 100 85 1 52 65
MWI620 690 65 50 3
MWI820 690 85 65 3
MWI625 690 2500 65 65 3 59 79
MWI825 690 85 65 3
MWI632 690 65 65 1
MWI832 690 3200 85 85 1 59 79
MWIC32 440 100 85 1
MWI832 690 85 65 3
MWI640 690 65 65 1
MWI840 690 4000 85 85 1 111 141
MWIC40 690 100 100 1
MWIE40 690 150 100 1
MWI850 690 85 85 1
MWIC50 690 5000 100 100 1 111 141
MWIE50 690 150 100 1
MWI863 690 85 85 1
MWIC63 690 6300 100 100 1 111 141
MWIE63 690 150 100 1

Disjuntor - 3 Pólos Gaveta - 3 Pólos


Corrente Dimensões (mm) Corrente Dimensões (mm)
Nominal Nominal
A L P *
A
*
L P
800 - 3200 416,56 414,02 391,16 800 - 3200 483,88 416,50 460,11
4000 - 6300 416,56 868,68 391,16 4000 - 6300 483,88 889,35 460,11
* Disjuntor extraível com garra * Se utilizado adaptador vertical, acrescentar 39,81mm nesta dimensão

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 25
Janeiro 2000 Centros de Controle de Motores WMD
Descrição Geral

• Flexibilidade: A construção em módulos permite mon-


tagens que podem satisfazer quaisquer exigências de
controle, com um mínimo de desperdício de espaço. A
altura das gavetas é variável em múltiplos de 124 mm,
de forma a possibilitar a máxima utilização do espaço
útil e intercambiabilidade das mesmas.

• Acessibilidade: Todos os dispositivos e fia-


ção são acessíveis pela parte frontal. Em cada
gaveta, os blocos terminais são montados late-
ralmente à gaveta, facilmente acessíveis pela
frente do CCM. Para passagem dos cabos, existe
uma canaleta vertical, lateralmente às gavetas de
controle e proteção, que permite fácil e seguro
acesso aos cabos de saída , sem necessidade
de desenergizar o equipamento.

• Manutenção: A centralização do controle de


um sistema completo em grupo compacto, possi-
bilita facilidade de manutenção com um mínimo
de mão-de-obra especializada.

Características de projeto

As estruturas são de 2.390 mm de altura, com


compartimentos verticais destinados às ga-
vetas, divididos em 14 módulos de 124 mm
cada, totalizando 1.736 mm. Um compartimen-
to lateral em cada coluna vertical, previsto para
fiação e cabos, possibilita a perfeita ligação e
interligação da fiação e cabos às gavetas, com
economia de espaço e segurança. Portas tra-
seiras, permitem acesso ao interior do CCM.

Os CCM’s da Cutler-Hammer tipo WMD, são disponíveis


em duas profundidades padrão: 580 mm para gavetas
em montagem frontal; e, 710 mm para montagem das
gavetas em frente dupla, sendo ambas estruturas auto-
sustentáveis.

O acoplamento entre colunas dos dois modelos (frente


Aplicação dupla ou única), bem como com colunas de entrada, é
feito mantendo o alinhamento pela parte frontal das
O Centro de Controle de Motores de Baixa Tensão mesmas,e mantendo tambem o barramento principal
tipo WMD da Cutler-Hammer é constituído por um con- entre elas, sempre na mesma profundidade.
junto de gavetas extraíveis, montadas em uma estrutura
versátil, agrupando convenientemente dispositivos de
comando e proteção de motores e / ou dispositivos de
controle e proteção de sistemas de distribuição de energia.

Vantagens

• Segurança: O CCM tipo WMD, além de assegurar máxi-


ma proteção para os equipamentos, foi idealizado para
minimizar riscos ao operador.

• Economia: A técnica de montagem associada às dimen-


sões das gavetas, proporcionam maiores facilidades na Compartimento com porta aberta e
instalação, manutenção e futuras ampliações. acessibilidade a gaveta

CAT.78.01.T.P
26 Equipamentos de Baixa Tensão
Centros de Controle de Motores WMD Janeiro 2000
Descrição Geral

Barramento horizontal Calha horizontal de fiação

Um barramento trifásico horizontal principal de capacidade Nas partes superior e inferior das colunas, é previsto um
de 600 A até 2000 A, se estende ao longo da parte espaço de 248 mm para passagem de fiação. Na parte
superior de cada coluna. superior, tal calha de fiação fica situada frente ao
Barramentos principais, com capacidade superior a 2000 A, barramento horizontal, sendo prevista uma proteção
podem ser fornecidos mediante consulta. isolante, contra contatos acidentais, quando da execução
O barramento é fixado em cantoneiras isolantes de poliés- de trabalhos com cabos neste compartimento.
ter, reforçado com fibra de vidro, material não higroscópicos
e de elevada resistência mecânica. Em montagem normal,
o barramento pode suportar correntes de curto-circuito Portas removíveis
de 25.000 A rms simétricos. Maior número de suportes
isolantes são necessários, em caso de se prever correntes Todas as portas são fabricadas de modo a ter rigidez
de curto-circuito de níveis mais elevados. adequada e ótimo acabamento. Qualquer uma das portas
Uma blindagem em chapa de aço, removível pela frente pode ser retirada, pela simples remoção dos pinos das
do CCM, segrega o barramento horizontal, de modo a dobradiças internas, de modo a permitir melhor acesso
prevenir contatos acidentais com partes vivas. Blindagens às partes internas do CCM.
adicionais, separam cada coluna e a canaleta de cabos, Um suporte soldado na parte interna das portinholas das
do barramento principal. gavetas, permite o intertravamento mecânico desta, com
o acionamento manual do disjuntor na posição “ligado”.
Sendo as portas fisicamente independentes dos equipa-
Cabos de entrada mentos internos, não existe qualquer dificuldade com o
alinhamento das mesmas. Caso o CCM seja a prova de
Os cabos de entrada, passando por cima ou por baixo,
pó, grau de proteção IP 50, são colocadas vedações
podem ser facilmente conectados aos terminais de um
adequadas no contorno de todas aberturas das portas.
disjuntor principal ou aos terminais do barramento. Podem
ser previstos ainda outros tipos de entrada, com dutos
por exemplo, para atender a necessidades específicas.
Unidades extraíveis

Os demarradores montados em gavetas extraíveis, são


Barramento vertical
próprios para a partida de motores até tamanho NEMA
Para a distribuição da energia do barramento principal 4, 75 kW, em 460 V. Todas gavetas são modulares, com
em cada coluna vertical, é montado um barramento altura múltipla de 124 mm (1x), sendo a menor gaveta de
trifásico na vertical, dimensionado para corrente mínima de 248 mm (2x). Isto implica que em cada coluna, podem
300 A. Este barramento, composto de barras estanhadas, ser montadas até 7 gavetas tamanho 2x. As gavetas de
é fixado por isoladores suporte, moldados em poliéster mesmo tamanho e características elétricas, são
reforçado com fibra de vidro, ficando encoberto pelas intercambiáveis.
gavetas extraíveis. Cada gaveta é totalmente isolada das demais, possuindo
Opcionalmente poderá ser fornecida blindagem adicional, os lados fechados, viabilizando, porém, que a fiação da
em chapa metálica e com rasgo para a passagem das canaleta de cabos, seja interligada através da lateral da
garras das gavetas. gaveta.
As garras de conexão ao barramento vertical, são esta-
nhadas e montadas nas gavetas em suportes isolantes,
Canaleta de cabos moldados em resina poliéster reforçada com fibra de
vidro, sendo os cabos de ligação da gaveta ligados ade-
Para passagem e ligação dos cabos às gavetas, o CCM quadamente.
possui uma canaleta vertical, do lado direito de cada coluna.
A canaleta padrão é fechada por uma porta com dobradi-
ças, de altura igual à altura total das gavetas da coluna.
Considerando a largura da coluna do CCM de 750 mm,
neste caso o espaço útil de acesso aos cabos é de 275 mm, Unidade extraível
entre a chapa lateral da gaveta e o montante do lado com detalhe dos
direito da coluna. blocos terminais e
Opcionalmente, a coluna poderá ser fornecida com largura garras de conexão
de 600 mm, com vão livre de 125 mm para acesso aos
cabos e sendo a canaleta de cabos coberta pelas porti-
nholas das próprias gavetas.
O tipo de construção do CCM WMD, proporciona o má-
ximo de espaço livre para entrada dos condutores, seja
pelo topo ou pela parte inferior da estrutura.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 27
Janeiro 2000 Centros de Controle de Motores WMD
Descrição Geral

Gavetas com dupla extração Toda fiação é executada com fios com isolamento
termoplástico, sendo a fiação de força dimensionada
Cada gaveta é prevista com dupla extração, ou seja, com bitola adequada para suportar a máxima corrente de
possui duas garras. Uma para o circuito de força, garra plena carga, para a qual o demarrador está previsto. A
horizontal (linha), fixada na parte posterior da mesma, fiação de controle é prevista com bitola mínima de 1,5 mm2,
que acopla a gaveta às barras verticais, alimentando-a sendo identificada conforme requerido.
com tensão. Enquanto que outra, a garra vertical (carga),
fixada do lado direito da gaveta, conecta a mesma aos
cabos de saída, através das respectivas barras terminais. Mecanismo de acionamento manual

O mecanismo de acionamento manual, permite a indicação


de três posições para o disjuntor ou interruptor da gaveta:
Ligado, Desligado ou Disparado. Este mecanismo pode
Detalhe das garras ser de acionamento vertical ou rotativo, sendo que com
de linha e carga, e o disjuntor na posição “ligado” ou “disparado”, ou com
do fuso. o interruptor na posição “ligado”, tal mecanismo impede a
abertura da porta. Existe ainda, um dispositivo de
travamento que permite usar até três cadeados, para
manter o disjuntor ou interruptor na posição “desligado”.
Componentes dos demarradores Movendo o mecanismo de acionamento manual do
disjuntor ou interruptor para a posição “desligado”, o
Cada demarrador é equipado com um dispositivo primário travamento da porta é liberado, permitindo a abertura da
de desligamento, compreendendo um disjuntor ou um mesma. Uma vez que a porta esteja aberta, a manopla
interruptor em caixa moldada, combinado com fusíveis permanece na posição “desligado”, assegurando máxima
limitadores de corrente. Ambos dispositivos primários segurança ao operador.
são acionados por um mecanismo de acionamento manual Contudo, é possível “desarmar” o travamento, permitindo
auxiliar, montado sobre os mesmos. Usualmente, as que pessoas habilitadas abram a porta, utilizando ferra-
chaves magnéticas são equipadas, nas três fases, com menta adequada, com o disjuntor ou interruptor ligado,
relé térmico de sobrecorrente, ajustável, com rearme ou mesmo operá-lo com a porta aberta.
automático ou manual e proteção contra falta de fase.
Sendo o rearme manual do relé térmico feito através de um
botão fixado à porta. Os relés térmicos possuem compen-
sação de temperatura, na faixa de - 20°C a + 65°C. Detalhe do mecanis-
Contatos auxiliares adicionais nos contatores, podem mo de acionamento
ser fornecidos, permitindo qualquer tipo de combinação. manual
Quando requerido, são fornecidos transformadores de
controle de capacidade adequada, para operar as bobinas
dos dispositivos de controle.

Dimensões (mm) típicas das Colunas

Vista Frontal Vista Frontal


sem canaleta com canaleta Corte Lateral Corte Lateral
2390

de cabos de cabos (frente única) (back-to-back)


(frente única ou (frente única ou
back-to-back) back-to-back)

T T

750

CAT.78.01.T.P
28 Equipamentos de Baixa Tensão
Centros de Controle de Motores WMD Janeiro 2000
Descrição Geral

Bandeja suporte / guia da gaveta

Cada gaveta é apoiada sobre uma bandeja, fixada lateral-


mente à estrutura da coluna, possuindo guias laterais Vista posterior
por onde deslizam as roldanas das gavetas, que permitem com detalhes
o perfeito alinhamento das garras de linha em relação às do barramento
barras verticais. Tais roldanas são fixadas às laterais das vertical e das
gavetas, e produzem um mínimo de atrito ao inserir ou barras terminais
extrair as gavetas, assegurando uma simples e perfeita de saída
conexão ao barramento.

Engate / inserção e desengate / extração das gavetas

O sistema de inserção / extração das gavetas do CCM


tipo WMD, independe de esforço ou destreza do operador, Dispositivo de controle
por ser baseado no acionamento por manivela de um
fuso com rosca existente na parte inferior da gaveta, Pode ainda ser adicionado a qualquer gaveta, um suporte
que acoplado a uma porca localizada na parte traseira da para botoeiras, lâmpadas sinalizadoras ou chaves seletoras.
bandeja guia, assegura o perfeito encaixe das garras de Tais dispositivos podem ser fornecidos com a fiação já
linha nas barras verticais. Para evitar a inserção ou extração executada em fábrica, ou serem facilmente montados
indevida da gaveta, nas posições “inserido”, “teste” e em qualquer gaveta existente, no campo. Para facilitar
“extraído”, a cabeça sextavada do fuso pode ser coberta tais trabalhos, os suportes são aparafusados , permitindo
por uma trava, com furo para cadeado. Para abrir a porta da fácil acesso à parte posterior, onde são conectados os
gaveta, o mecanismo de acionamento manual deve estar na terminais.
posição “desligado”, de modo a liberar o intertravamento Desde que os dispositivos sejam montados como parte
com a porta. Na extração na gaveta, ela passa por três da gaveta, nenhuma fiação adicional é requerida, e o
posições distintas, definidas pela rosca do fuso, e sina- demarrador pode ser removido com os respectivos dis-
lizadas por uma adesivo colorido, conforme segue: positivos de controle, como uma unidade compacta.

• Inserida Blocos terminais

As garras de linha estão conectadas ao barramento Nos CCM’s com montagem NEMA B e C, são fornecidos
vertical. Nesta posição a porta deve ser fechada, para blocos terminais modulados. Tais terminais sem solda,
permitir o acionamento do disjuntor ou interruptor. combinando as características de elevada resistência
mecânica e isolamento, possibilitam o uso de menor
espaço, com maior segurança. Cada bloco extraível possui
• Teste 5 ou 10 pólos, e são próprios para encaixe, facilitando
as conexões ou desconexões, sem a utilização de ferra-
As garras de linha estão desconectadas do barramento mentas. Possuem ainda uma guia, que evita o encaixe
vertical, proporcionando o isolamento do circuito de for- incorreto.
ça, enquanto que a fiação secundária pode ser mantida Os contatos dos blocos terminais são compostos por
conectada ao bloco terminal. uma liga de cobre, folheada com prata, em todas conexões,
assegurando vida longa e baixa resistência de contato.
Possuem ainda, etiquetas que permitem rápida identifi-
• Extraída cação da fiação, quando desconectados.
Para fiação tipo NEMA C, os terminais principais e de
A gaveta está totalmente desconectada, podendo ser controle, estão localizados em compartimentos apropri-
removida, puxando-a para fora. ados, nas partes inferior ou superior da coluna.
Existe previsão de espaço livre, sendo todos os terminais
Para remover a gaveta, é necessário desacoplar os blo- acessíveis, de forma a não prejudicar o espaço destinado
cos terminais da fiação secundária, localizados na lateral às gavetas. As canaletas verticais para cabos, permitem
direita da gaveta, acessados pelo compartimento ou a entrada por cima ou por baixo da coluna, diretamente
canaleta de cabos. Para manutenção, a gaveta deverá aos blocos terminais, sem interferir com qualquer gaveta
ser removida para uma bancada adequada. ou estrutura.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 29
Janeiro 2000 Centros de Controle de Motores Freedom e Advantage
Descrição Geral

ao uso industrial severo, o projeto dos CCM’s Cutler-


Hammer é o mais vantajoso quanto a ocupação de espaço
físico e ao mesmo tempo flexível, para acomodar uma
ampla gama dos mais avançados componentes. Estes
componentes incluem demarradores NEMA,
inversores de freqüência, partidas su-
aves Advantage EA, controladores
lógicos programáveis e a família IQ de
instrumentos de monitoração e medi-
ção. Desde aplicações básicas até sis-
temas mais complexos, os usuários dos
CCM’s Cutler-Hammer podem integrar
estes componentes de nova geração,
aos produtos convencionais tais como
contatores para iluminação, chaves de
transferência, quadros de distribuição,
transformadores e sistemas de supres-
são de surtos.

Os CCM’s Freedom 2100 e Advantage


da Cutler-Hammer podem ser instalados
em sistemas elétricos com tensões de
até 600 V, 50 ou 60 Hz, com níveis de
curto-circuito de até 100.000 A rms. O
invólucro pode ser previsto com dife-
rentes graus de proteção: NEMA 1 com
vedações, NEMA 2, 12 e 3R. Um pro-
grama de ensaios de elevação de tem-
peratura e de suportabilidade a curto-
circuito, requeridos pela UL845, asse-
gura um produto de qualidade que
atende aos mais recentes códigos de
segurança.

As unidades de partida dos CCM’s Cutler-Hammer são


configuradas de modo a atender aplicações específicas

Todas unidades de controle, extraíveis ou fixas, são


montadas com componentes Cutler-Hammer de compro-
vada segurança, qualidade e confiabilidade. Toda fiação
entre componentes é executada de acordo com as Nor-
mas NEMA e UL. Suportes de barras, guias de inserção,
mecanismos de operação e bloqueios de segurança es-
Os mais versáteis Centros de Controle pecialmente projetados, são acrescidos para formar uma
de Motores do Mundo unidade extraível que atenda aos mais elevados padrões
de segurança.
Centros de controle de motores proporcionam o melhor
método para agrupar partidas de motores, seus contro- De modo a atender a todas as necessidades das
les associados e equipamentos de distribuição. Os diversas aplicações em controle de motores, os CCM’s
CCM’s Freedom 2100 e Advantage da Cutler-Hammer Cutler-Hammer dispõe da maior seleção de combinações
foram especialmente projetados para operar máquinas, de tipos de partidas. Estas combinações incluem parti-
processos industriais e sistemas de edifícios comerciais. das a plena tensão reversível ou não reversível, dupla
velocidade ou duplo enrolamento, auto-transformador,
Não existem dois centros de controle de motores idênti- enrolamento parcial ou por tensão reduzida estrela-
cos. Cada usuário tem requisitos de controle e de distri- triângulo.
buição de energia, diferentes. Tendo isto em mente, os Estas partidas podem ser projetadas com uma variedade
Centros de Controle de Motores da Cutler-Hammer são de blocos terminais, tipos de fiação, terminais,
os únicos para atender a suas necessidades. Adequados identificadores de fios, controles e reles de tempo.

CAT.78.01.T.P
30 Equipamentos de Baixa Tensão
Centros de Controle de Motores Freedom e Advantage Janeiro 2000
Descrição Geral

Freedom NOTA: Demarradores Freedom e Advantage com fusíveis


R e J, foram aprovados nos ensaios de tipo conforme
As unidades demarradoras Freedom 2100 são equipadas IEC 60947-4, coordenação tipo 2. Adicionalmente, o
com contatores e partidas Freedom (IEC / NEMA). Parti- Advantage com coordenação tipo 2, também foi aprova-
das tamanhos 6 e 7, são do tipo A200. Tais contatores do com disjuntores HMCP da Cutler-Hammer.
tem sido aplicados em milhares das mais rigorosas apli-
cações. Proteção padronizada para sobrecarga é prevista
por relés térmicos bimetálicos tripolares ajustáveis, com
compensação para temperatura ambiente. O relé de
sobrecarga também proporciona sensibilidade
monofásica e contato de alarme isolado. Um botão indi-
vidual de reset manual, se encontra instalado na porta do
respectivo compartimento.
Gaveta NEMA 1 com
controle Freedom
Advantage

Os demarradores Advantage introduzem a tecnologia de


estado sólido na indústria eletro-mecânica de partidas Botões e sinaleiros de linha pesada
de motores. Características superiores de controle e
proteção, inerentes a cada demarrador Advantage, in- Os CCM’s Cutler-Hammer podem utilizar botões e sina-
cluem proteção por desequilíbrio de fases, proteção leiros da linha pesada, para aplicações industriais seve-
monofásica, proteção contra falta à terra classe 2, prote- ras. Para facilitar os trabalhos de manutenção, com a
ção contra sobrecarga do motor mais próximo, e muitas porta do compartimento aberta, o suporte dos sinaleiros
outras. Adicionalmente, dados do motor em funciona- pode ser basculado para baixo, permitindo melhor acesso
mento incluem corrente trifásica, número de operações, ao interior da gaveta e aos terminais dos equipamentos.
tempo de funcionamento e status de sobrecarga, po-
dendo ser comunicados diretamente do demarrador
Advantage para outro sistema de controle, através do Blocos terminais seccionáveis
sistema de comunicação Powernet da Cutler-Hammer.
Um CCM Advantage fornecido com equipamentos de Os blocos terminais seccionáveis dos CCM’s Cutler-
comunicação Powernet inclui a fiação completa da rede Hammer permitem fácil remoção das gavetas e assegu-
desde o CCM até um conjunto de blocos terminais. A ram permanente continuidade dos circuitos. Para auxiliar
linha de componentes do sistema Powernet pode ser os trabalhos de instalação no campo, as identificações
instalada em um CCM Advantage, incluindo uma série da fiação são perfeitamente visíveis pela frente das ga-
de equipamentos, que formam uma rede completa de vetas. Os blocos terminais são próprios para 600 V - 30 A
comunicação de status operacional e de energia. e para fios até bitola 2,5 mm2.

Manoplas com indicação de posição

O robusto mecanismo manual para operação do circuito,


possui indicação de posição de fácil visualização, mes-
mo à distância. Faixas coloridas indicam as posições
ON, OFF, TRIPPED e RESET, claramente e, indicam o
status do equipamento de desconexão do circuito.

Unidade
extraível Travas nas portas
Advantage
Travas robustas “quarto-de-volta” proporcionam fecha-
mento seguro das portas e indicação de posição de
travamento.

Transformadores de controle

Transformadores de controle protegidos por fusíveis,


permitem fácil acesso aos componentes, por ocuparem
pouco espaço. A execução encapsulada permite mais
segurança e proteção.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 31
Janeiro 2000 Centros de Controle de Motores Freedom e Advantage
Descrição Geral

Estrutura versátil e flexível Ensaiados e comprovados no campo

Os invólucros dos CCM’s Freedom 2100 e Advantage da A estrutura reforçada e durável dos CCM’s Cutler-Hammer,
Cutler-Hammer consistem de uma estrutura robusta de é uma das mais resistentes, disponíveis no mercado.
perfis de chapas de aço, montada em seções verticais Esta construção robusta torna os CCM’s Cutler-Hammer
padronizadas e aparafusadas de modo a formar uma a melhor opção para aplicações críticas, tais como em
unidade completa, sendo a unidade de transporte, com- plantas de papel e celulose, petroquímica, bem como
posta por 4 colunas verticais. As colunas incluem todos usinas de geração de energia nuclear. A integridade de
chicotes de fiação, áreas para entrada de cabos, espaço seu projeto, qualifica os CCM’s Cutler-Hammer segundo
para inserir as gavetas demarradoras e equipamentos de UBC e CBC para instalação em local sujeito a abalos
controle. sísmicos Zona 4, não necessitando modificações / adap-
Um projeto estrutural versátil permite grande flexibilida- tações.
de na configuração do arranjo de componentes e compo-
sição mecânica do CCM. Com somente 20” (508 mm)
de largura e 90” (2286 mm) de altura, cada coluna possui
72” (1829 mm) de altura útil, em espaços incrementais Barreiras do barramento vertical, previnem a propagação
de 6” (152,4 mm), para montagem de gavetas. As colu- de faltas
nas do CCM de frente única têm 16” (406 mm) ou 21”
(533 mm) de profundidade, enquanto que os de frente Barreiras isolantes em forma de labirinto, podem ser ins-
dupla (back-to-back) somente estão disponíveis com taladas opcionalmente, cobrindo o barramento vertical,
21” (533 mm) de profundidade. de modo a previnir a propagação de faltas e, proporcio-
m
nando total isolação e segregação das barras. Guilhoti-
nas nas gavetas, cobrem automaticamente as aberturas
m m
6m 3m 3m
40 53 53

ao barramento vertical, quando a gaveta é removida,


adicionando mais uma medida de segurança.
Compartimento de cabos

Acoplamentos a CCM’s de outros modelos


Compartimento

2286 mm
2286 mm

2286 mm
de gavetas

Acoplamentos a CCM’s de modelos mais antigos, são


projetados de modo economizar espaço, se possível
evitando o uso de colunas adicionais de transição.

Blindagens estruturais opcionais


508 mm 508 mm 508 mm

Somente montagem frontal Somente montagem frontal Montagem back-to-back A forma construtiva das gavetas extraíveis e o projeto
espaço 12x = 1829 mm espaço 12x = 1829 mm espaço 23x = 3505 mm robusto da estrutura, tornam o uso de blindagens adicio-
(frontal + traseiro) nais, desnecessário. Opcionalmente, podem ser
Nota: 1x=152,4 mm fornecidas chapas de blindagem entre colunas.

Amarração do barramento para 65 kA é padrão Selo UL


O sistema de barras dos CCM’s Cutler-Hammer tem Os CCM’s Freedom 2100 e Advantage foram projetados
como padrão suportar uma corrente de curto-circuito de e testados para atender a Norma UL 845, onde aplicável.
65.000 A. Para sistemas de distribuição maiores, este
robusto projeto de barramento, pode ser reforçado para
100 kA. O barramento horizontal, localizado na parte
superior, é montado de uma extremidade à outra, e está
disponível com capacidades nominais desde 600 A até
2500 A. Enquanto que o barramento vertical das colu-
nas, está disponível na faixa de 300 A a 1200 A, propor-
cionando espaço suficiente para entrada de cabos. Esta
Detalhes
característica reflete diretamente em menor ocupação de
de montagem
área e reduzidos custos de instalação. da gaveta
Configuração angular do barramento

A configuração angular do barramento dos CCM’s


Cutler-Hammer proporciona, por si só, uma rigidez mecâ-
nica para suportar esforços devidos a curto-circuitos,
sendo a amarração do barramento para o nível de 65.000 A
padrão. Uma barreira isolante segrega as barras verticais
dos compartimentos das gavetas.

CAT.78.01.T.P
32 Equipamentos de Baixa Tensão
Classificações NEMA / IEC para CCM’s Janeiro 2000
Descrição Geral

Classificações dos controles NEMA próximos aos blocos terminais de controle. Quando soli-
citado, podem ser fornecidos blocos terminais extraíveis
• Centros de Controle Classe I para controle e carga, até o tamanho NEMA 3.

Consiste essecialmente em um agrupamento físico de - Tipo C: Utiliza o mesmo sistema do tipo B, sendo toda
demarradores e / ou montagem de controles, que podem fiação de força, até tamanho NEMA 3, e a fiação de con-
ser fabricados sem análise ou engenharia do sistema trole para todos os tamanhos, levada até os bornes ter-
como um todo, e não incluem qualquer intertravamento minais principais, localizados na parte superior ou inferi-
elétrico ou mecânico entre as gavetas, ou a montagem or de cada coluna vertical.
de dispositivos de comando a distância. Apenas os dia-
gramas individuais das gavetas e os desenhos mostran-
do as dimensões gerais do CCM, são fornecidas pelo Classificações IEC
fabricante. Quando blocos terminais principais são espe-
cificados, é fornecido um desenho geral de localização • Coordenação
dos terminais.
- Tipo 1 : Sob condições de curto-circuito, o contator ou
partida, não deverá causar danos às pessoas ou instala-
• Centros de Controle Classe II ções, mas não poderá ser colocado em operação sem
manutenção ou troca de peças internas.
São basicamente semelhantes aos centros Classe I, po-
rém, são projetados para formar um sistema de controle - Tipo 2 : Sob condições de curto-circuito, o contator ou
completo. Incluem os intertravamentos necessários e as partida não deverá causar danos às pessoas ou instala-
interligações elétricas entre as gavetas, bem como previ-
ções e deverá estar apto a ser recolocado em operação,
são de intertravamentos que permitem a montagem de
tão logo o motivo da falta tenha sido solucionado, sem
dispositivos de comando à distância. Serão fornecidos
substituição de peças internas.
diagramas gerais de ligação de controle, bem como de-
senhos com dimensões gerais. Quando os blocos termi-
nais principais forem especificados, a localização física
• Categorias IEC
dos terminais, deverá ser mostrada nos diagramas.
A seguir estão relacionadas as categorias segundo a
Tipos de fiação NEMA IEC, com as aplicações típicas:

- Tipo A: Não são fornecidos blocos terminais. Os AC-1 Cargas não indutivas, ligeiramente indutivas ou
demarradores são fornecidos eletricamente ligados e resistivas.
montados nas gavetas. Podem ser fornecidos dispositi- AC-2 Motores de anéis com partida, frenagem por
vos auxiliares, porém, nenhuma ligação externa à gaveta contra-corrente, acionamento por pulsos.
será fornecida. Todos os circuitos alimentadores, com AC-3 Motores de rotor em gaiola com desligamento em
disjuntor ou interruptor em caixa moldada, pertencem a regime ( motores, na maioria das aplicações
esta classificação. industriais se enquadram nesta categoria).
AC-4 Motores de rotor em gaiola com frenagem por
- Tipo B: Essencialmente idêntico ao tipo A, tendo, po- contra-corrente e reversão da rotação a plena
rém, toda fiação de controle ligada a blocos terminais marcha.
próximos ao fundo de cada gaveta demarradora. Os ter- AC-11 Controle da corrente alternada circuitos eletro-
minais de carga são todos montados convenientemente magnéticos (contatos auxiliares).

Tabela comparativa demarradores IEC e NEMA

ITEM TIPO IEC TIPO NEMA


Tamanho do demarrador Menor / potência HP Maior / potência HP
Performance do contator Vida elétrica – 1 milhão de operações AC-3 Vida elétrica típica 2,5 a 4 vezes maior
30.000 operações AC-4 (testado pela IEC) que equivalente IEC
Aplicação do contator Aplicação calculada e cuidadosa Aplicação sem muitas considerações
Características de desligamento Típica classe 10 – previsto para uso com Típica classe 20 – previsto para uso com
do relé de sobre-carga motores, segundo recomendações IEC motores, segundo normas NEMA
Ajuste do relé de sobre-carga Aquecedores fixos. Ajustável para atender Aquecedores substituíveis no campo,
diferentes motores de mesma potência permitindo ajustes a motores de diversas
(aquecedores não intercambiáveis no campo) potências
Características do mecanismo Alguns utilizam mecanismo com dupla função Mecanismo com só RESET é padrão
de reset do relé de sobre-carga RESET / STOP
Padrão reset Manual / Automático Padrão reset só Manual
Suportabilidade a falha Projetado para uso com fusíveis limitadores Projetado para uso com fusíveis comuns
de ação rápida e disjuntores

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 33
Janeiro 2000 Centros de Controle de Motores Inteligentes-DeviceNet
Descrição Geral

Aplicação Placa de Comunicação WPONIDNA

Os Centros de Controle de Motores Inteligentes da A Placa de Comunicação WPONIDNA, requerida em cada


Cutler-Hammer são baseados na rede DeviceNet e nos demarrador Advantage, estabelece comunicação em
produtos da linha Advantage. Nestes Centros de Contro- DeviceNet. Caso seja requerido controle local, módulos
le de Motores são montados e interligados dispositivos ACM (Advantage Control Modules) devem ser incluídos.
inteligentes, como os demarradores Advantage (através
da Placa de Comunicação WPONIDNA) e os Blocos
DN50 E/S, para equipamentos não inteligentes.

DeviceNet é uma rede de comunicação aberta para a


interligação de dispositivos de controle, tais como parti- Contator Inteligente
das de motores, sensores, chaves fim-de-curso, inverso- Advantage com
res de freqüência e interfaces com operador. módulo DeviceNet
WPONIDNA
Os produtos da Cutler-Hammer da linha DeviceNet para
Centros de Controle de Motores Inteligentes, reduzem
significativamente a fiação de controle, simplificam a
colocação em operação e proporcionam diagnósticos
avançados, o que minimiza ou elimina as paradas.

Esquema Conceitual de Centro de Controle de Motores Inteligente - Advantage DeviceNet

Resistor de Terminação

Conector “T”

Cabo Principal / Tronco

Cabo Derivação

Fiação E/S

CAT.78.01.T.P
34 Equipamentos de Baixa Tensão
Centros de Controle de Motores Inteligentes-DeviceNet Janeiro 2000
Descrição Geral

Blocos DN50 E/S IHM PanelMate com Device Interface Card

Similar aos módulos de E/S de CLP’s, os Blocos DN50 E/S Utilizando o Device Interface Card, a IHM Tipo PanelMate
podem ser conectados a rede DeviceNet. Os Blocos proporciona a condição de “monitorar” o status de ou-
DN50 permitem que dispositivos sem a inteligência tros dispositivos dedicados na rede, sem necessidade
DeviceNet, sejam conectados ao sistema. Os Blocos de envolvimento ativo do equipamento mestre. Também
DN50 E/S atuam como dispositivos dedicados no sistema podem ser incluídas operações de controle (através de
e, permitem a utilização de módulos de expansão adicio- botoeiras) ou informações numéricas que são disponi-
nal, disponibilizando até 56 pontos discretos de E/S em bilizadas pelo PanelMate ao Mestre (iPC), que controla a
um único nó. rede. Estas características permitem às unidades IHM
PanelMate, operarem como um dispositivo de controle ou
estação de monitoramento na rede DeviceNet.

Módulos de expansão analógicos podem ser adicionados,


dispondo até quatro entradas analógicas e duas saídas
analógicas.

Aplicações possíveis:
- controle de inversores de freqüência
- controle de partidas suaves Fonte de Tensão 24 Vcc
- real indicação do status do disjuntor
A rede DeviceNet requer uma fonte de tensão em 24
Vcc, que poderá ser montada e interligada no Centro de
Inversores de Freqüência AF91 e SV9000 Controle de Motores Inteligente da Cutler-Hammer. O
dimensionamento e a localização da fonte de tensão
Quando cartões opcionais DeviceNet forem adicionados dentro da rede, deverão ser providenciados.
aos acionamentos SV9000 e AF91, estes podem ser
controlados e monitorados diretamente pela rede.

AF91 SV9000

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 35
Janeiro 2000 Painéis de Distribuição - Switchboard WMD
Descrição Geral

terra, para o sistema de alimentação e, os requisitos


mecânicos e elétricos para instalação dos transformadores
de medição de energia.

Os Painéis de Distribuição BT tipo Switchboard WMD


foram idealizados para atender aos requisitos de siste-
mas de distribuição de energia de diversos tipos de ins-
talações, tais como: conjuntos de escritórios, escolas,
fábricas, centros comerciais e outras edificações com
entrada de energia servida por Concessionária.

Também podem ser fornecidos para sistemas de distribuição


com características particulares, podendo ser projetados
para atender a requisitos específicos de um cliente.

Características de projeto

Os Painéis de Distribuição BT tipo Switchboard WMD


equipados com disjuntores e / ou seccionadoras fusível,
podem ser projetados para acesso somente frontal,
podendo ser montados encostados contra a parede,
visando otimizar o uso do espaço disponível.

Em locais onde seja conveniente instalar tais painéis


afastados de paredes, sendo acessíveis tanto pela frente
como pela parte traseira, poderão ser previstas chapas
aparafusadas ou mesmo portas, de modo a facilitar o
acesso aos cabos e equipamentos instalados interna-
mente.

O projeto construtivo destes painéis permite a ampliação


do número de estruturas verticais, que podem ser
acopladas às laterais do mesmo, desde que especificado
por ocasião da execução do projeto de detalhamento.
Aplicação
Olhais de içamento em cada unidade de transporte (UT’s),
Os Painéis de Distribuição BT auto-sustentáveis tipo são previstos para facilitar o manuseio dos Painéis no
Switchboard WMD da Cutler-Hammer foram projetados local de instalação.
para atender as mais variadas aplicações em sistemas de
distribuição com tensões de até 690 V e correntes alcan-
çando 6.300 A, com níveis de curto-circuito de 150.000 A Estruturas
rms simétricos, sem a necessidade de uso de fusíveis
limitadores. Os Switchboards WMD da Cutler-Hammer são projetados e
construídos segundo as Normas ABNT e NEMA, aplicáveis.
As aplicações possíveis incluem ainda, os sistemas de
entrada e distribuição de energia, de acordo com as exi- Cada conjunto é fabricado e montado de modo a formar
gências das Concessionárias para cabines de barramento. uma unidade completa, auto-sustentável e independente,
segundo especificações de projeto.
Os painéis tipo Switchboard WMD são compostos por
colunas auto-sustentáveis, próprias para entrada e / ou Os Painéis são fornecidos completamente montados e
distribuição de energia, que proporcionam condições de interligados internamente, prontos para serem instalados
operar eficientemente as diversas funções inerentes, e energizados na obra.
aplicando a ampla linha de disjuntores em caixa moldada
e tipo “potência” da Cutler-Hammer. A estrutura dos Switchboards WMD é projetada e fabricada
com chapa aço bitola 11 MSG. Todos os componentes
As funções básicas abrangidas no projeto destes painéis, estruturais são rigidamente montados e aparafusados,
incluem as condições para conexão dos cabos de entrada formando um conjunto resistente. O fechamento externo
da Concessionária, meios de seccionamento e proteção é previsto em chapa de aço bitola 14 ou 12 MSG, segundo
por sobre-carga, curto-circuito e proteção contra falha a requisitos do projeto mecânico.

CAT.78.01.T.P
36 Equipamentos de Baixa Tensão
Painéis de Distribuição - Switchboard WMD Janeiro 2000
Descrição Geral e Dados Técnicos

O conjunto completamente montado, oferece excelentes


condições de rigidez e proteção aos componentes mecâ-
nicos e elétricos nele instalados. Podendo resistir ainda,
às condições usuais de manuseio durante os trabalhos
de instalação dos Painéis na obra.

A altura padronizada para os Switchboards tipo WMD é


de 2390 mm, sendo a largura variável de 450 mm a
1050 mm e, a profundidade também variável entre 580 mm
e 1490 mm, podendo acomodar a instalação dos compo- Detalhe de
nentes requeridos. Entretanto, dimensões diferentes das montagem dos
padronizadas, poderão ser avaliadas, caso especificado Disjuntores
pelo cliente. em base
conversível

Dimensões usuais em mm

Altura:
2390

Largura:
450 / 600 / 750 / 900 / 1050

Profundidade:
580 / 710 / 970 / 1490
Medidores

Instrumentos de medição, quando solicitados, serão ins-


talados em compartimento próprio, na parte superior do
Painel.

Barramentos Fiação
Os barramentos são fabricados com barras de cobre de Cada Switchboard WMD é fornecido com toda fiação
alta condutibilidade elétrica, e rigidez mecânica adequada. interna necessária conforme projeto, e composta por fios
com isolação em termoplástico para 750 V, temperatura
O dimesionamento das barras e respectivas conexões, é 70°C, resistente a ação de fungos e não propagadores de
baseado nas normas aplicáveis para os níveis de corrente chamas.
e tensão especificados. Sendo fixados a suportes iso-
lantes com rigidez mecânica adequada aos esforços Blocos terminais para a fiação de controle, são fornecidos
devidos a correntes de curto-circuito, sem sofrer danos.
com a fiação interna devidamente interligada e identifi-
cada, de modo a facilitar a ligação da fiação externa do
Uma barra de terra interliga todas as colunas do Painel,
usuário.
e é rigidamente conectada à estrutura de aço, de modo a
garantir a continuidade elétrica do aterramento. Os termi-
Teminais para os cabos de força poderão ser fornecidos,
nais necessários à conexão do respectivo cabo, pelo
quando solicitado.
cliente, são fixados à barra de terra.

A barra de terra pode ser utilizada como barra de neutro.


Entretanto, caso requerido, uma barra de neutro suportada Invólucros
por isoladores, poderá ser fornecida.
Os invólucros dos Switchboards tipo WMD podem ser
Para facilitar a instalação de conjuntos de disjuntores fornecidos com diferentes graus de proteção, de modo a
tipo caixa moldada da Cutler-Hammer, foram desenvolvidas atender às condições do ambiente do local de instalação:
bases conversíveis com barramentos bi- ou trifásicos,
para fixação e interligação dos circuitos, permitindo raci- - IP 40 (NEMA 1) : uso geral abrigado
onalização do espaço interno e flexibilidade de adapta- - IP 52 (NEMA 12): uso industrial, a prova de pó, abrigado
ção / troca de disjuntores de mesmas dimensões. - IP 54 (NEMA 3R): a prova de chuva, uso ao tempo

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 37
Janeiro 2000 Dutos de Barras Pow-R-Way III
Descrição Geral

A Cutler-Hammer combinou os requisitos da NEMA, UL, Opções disponíveis


CSA e IEC, em um único projeto – o sistema de dutos de
barras tipo Pow-R-Way III. Este projeto pode ser largamen- • Duto de Barras tipo Plug-in
te aplicado em todo mundo, em instalações industriais,
comerciais e institucionais. Características padronizadas, - barramentos de cobre para 225 a 5000 Ampéres;
incluem um invólucro composto por duas peças principais - barramentos de alumínio para 225 a 4000 Ampéres;
em alumínio, saídas do tipo plug-in, à prova de contatos - unidades de secções retas do tipo plug-in, disponíveis
acidentais, um aterramento efetivo e, a mais elevada capa- em comprimentos desde 610 mm até 3050 mm no má-
cidade de suportar 6 ciclos de curto-circuito, existente ximo, em múltiplos de 610 mm;
atualmente na indústria. - duto de barras, protegido contra respingos de sprinkler,
pode ser fornecido opcionalmente.
Um projeto aprimorado de acoplamentos ao duto facilita a
instalação e melhora a segurança. • Dutos de derivação

Os acessórios de proteção tipo plug-in do Duto de Barras


- barramentos de cobre para 225 a 5000 Ampéres;
Pow- R-Way III estão disponíveis a partir de 30 Ampéres
- barramentos de alumínio para 225 a 4000 Ampéres;
até 800 Ampéres com disjuntores ou chaves-fusível.
- unidades de secções retas para dutos de barras para uso
exterior e interior, disponíveis em qualquer comprimento,
com incrementos de 3,3 mm, desde um mínimo de
533 mm, até um comprimento máximo de 3050 mm.
- uma ampla gama de acessórios de ajuste estão disponí-
veis para dutos de barras para uso exterior e interior.

• Acessórios tipo Plug-In

- uma família completa de acessórios tipo Plug-In, para


acoplamento ao duto de barras, tais como: unidades
padronizadas com proteção por fusíveis ou disjuntores;
unidades com supressores de surtos tipo TVSS e co-
municação tipo IQ Energy Sentinel, disjuntores tipo
OPTIM e combinações de contatores e demarradores
tipo Advantage.

CAT.78.01.T.P
38 Equipamentos de Baixa Tensão
Dutos de Barras Pow-R-Way III Janeiro 2000
Descrição Geral

Características e benefícios do produto - opções flexíveis para aterramento e sistema de neutro,


propiciam soluções para qualquer problema de aplicação;
- as duas partes do invólucro em alumínio, proporcionam
durabilidade e integridade ao produto;

- a leveza e o projeto compacto, permitem facilidade de


instalação;

- o invólucro é combinado com uma montagem de barras


tipo “sanduíche”, tanto na linha principal como nas
derivações tipo plug-in, contribuindo para uma melhor
coordenação e alta resistência a curto-circuito;

- um processo de isolação em epoxy assegura excelente


proteção aos condutores e ao sistema;

- processos de fabricação altamente automatizados, resul-


tam em um produto de qualidade superior, fornecido
com reduzidos ciclos de tempo; A opção exclusiva de neutro dimensionado
a 200% do Duto Pow-R-Way III previne o
- o conjunto de conexão denominado “Pow-R-Bridge”, e o sobreaquecimento causado por altas
parafuso indicador de torque, proporcionam uma conexão correntes de harmônicas no neutro
firme e, ao mesmo tempo, flexível e de fácil instalação;

- cotovelos de união a 90°, contribuem para o melhor


arranjo de “lay-out” e minimizam as limitações de espaço; Qualidades do Duto de Barras

- alta capacidade de suportar correntes de curto-circuito - segmentos de duto e unidades plug-in disponíveis para
(6 ciclos), otimizam a coordenação entre o duto de barras fornecimento imediato, em determinadas capacidades
e o equipamento de energia associado; nominais e configurações de sistemas;

- o projeto e processo de fabricação deste produto de classe - nossa fábrica tem condições de atender suas urgências
mundial, atendem aos requisitos da NEMA, UL, CSA, ou embarques imediatos, prazos reduzidos;
IEC, BS e ISO;
- desenhos para aprovação podem estar disponíveis em
- o projeto tipo plug-in do duto de barras e os acessórios cerca de duas semanas, de modo a atender seus requisi-
tipo plug-in acoplados ao duto, facilitam a instalação e tos de planejamento de projeto;
incrementam a segurança;
- caso solicitado, a Cutler-Hammer poderá fazer a supervi-
- disponibilidade de uma família completa de unidades tipo são da montagem final do duto no campo, assegurando
plug-in para qualquer necessidade de energia; atender ao arranjo previsto no projeto, durante a fase de
instalação;
- acessórios avançados do tipo plug-in, permitem diversas
aplicações de proteção, comunicação e coordenação. - diversos recursos desde a fase de apresentação da pro-
posta, execução dos desenhos em Auto-CAD, até o
- prateação das barras nas superfícies de contato, apoio de especialistas em sistemas de distribuição de BT,
proporcionam alta qualidade às conexões; proporcionam a disponibilização de informações rápidas e
precisas.

Suporte ao Produto

Suporte ao produto e sua adequada aplicação, estão dis-


poníveis através de uma equipe profissional da
Cutler-Hammer, que inclue a força de Vendas, engenhei-
ros de aplicação e serviços, bem como os engenheiros
de produto de nossa fábrica em Greenwood.

Conexão em cobre de 1200 Ampéres


(sem tampas de cobertura), mostrando a
correta orientação do prisioneiro, e
respectivos acessórios de aperto das barras.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 39
Janeiro 2000 Quadros de Distribuição PE
Descrição Geral

Descrição Geral • Caixas Tipos NEMA 12 e 3R (IP-52 E IP-54)

Os Quadros tipo PE foram A construção Tipo NEMA 12 (IP-52) proporciona proteção


projetados para centralizar contra entrada de poeira e respingos.
dispositivos de proteção, A construção NEMA 3R (IP-54) proporciona proteção
medição e controle dos cir- contra poeira e líquidos aspergidos.
cuitos de iluminação, con- A caixa é construída em chapa de aço de 1,98 mm
trole ou força num só local, (No.14 MSG). As cabeceiras superior e inferior são em
ao abrigo de poeira e inter- chapa lisa, possuem vedações e são aparafusadas, porém,
ferências indesejadas. São removíveis para permitir que sejam feitas furações para
fabricados de acordo com as entrada de eletrodutos. Todas as aberturas, inclusive as
normas ABNT e NEMA, onde da porta, são vedadas com borrachas de Neoprene, em
aplicáveis, usando somente todo seu contorno. A parte frontal da caixa é totalmente
material da mais alta quali- coberta pela porta, fabricada em chapa de aço e dotada
dade. O acabamento é rigo- de dobradiças. A porta é provida de fechadura com cha-
rosamente controlado e sua ve Yale, e tem na sua parte interna uma moldura soldada
estética é aliada a elevado onde é rebitado o espelho, proporcionando proteção
grau de segurança e ótima total contra contatos acidentais às partes energizadas,
rigidez, podendo funcionar quando o quadro estiver com a porta aberta. No Tipo
sob condições adversas. NEMA 12 (IP-52), o fundo da caixa é provido de quatro
Os quadros foram projetados furos para permitir a fixação do quadro à parede. A caixa
para permitir diversas opções, Tipo NEMA 3R (IP-54) é munida de tampa especial, tipo
de modo a satisfazer aos
chapéu, para proteção contra chuva, e a fixação do quadro
requisitos de cada instalação.
à parede, é feita por quatro orelhas localizadas na traseira
Os Quadros tipo PE, devido
da caixa, sendo duas inferiores e duas superiores.
a suas características
construtivas, dispensam a
utilização de iluminação
• Miolo
interna, venezianas para
Tipo NEMA 1 ventilação e resistência de
O miolo, composto de disjuntores, barramento principal,
aquecimento.
derivações e longarinas, formam uma construção rígida,
Construção sendo o barramento e os disjuntores montados sobre
duas bases de aço estampado (longarinas), para instalação
O Quadro PE é composto por: caixa, miolo (conjunto de como uma unidade completa na caixa. A fixação das
disjuntores, barramentos e longarinas) e tampa-porta, para longarinas na caixa, é feita por meio de quatro parafusos.
montagem embutida ou aparente. São acessíveis apenas
pela parte frontal e possuem espaço para passagem de
cabos em ambos os lados da caixa, exceto NEMA 3R • Entrada
(IP-54) que só permite passagem de cabos por baixo.
A alimentação dos Quadros PE pode ser feita diretamen-
te aos terminais fixados no barramento, ou ainda, a ter-
• Caixas Tipo NEMA 1 (IP-40) minais de um disjuntor ou interruptor geral, que por sua
vez são ligados ao barramento.
A construção Tipo NEMA 1 (IP-40), é adequada para
instalação abrigada e proporciona proteção contra entrada
acidental de objetos sólidos maiores do que 1,0 mm e • Barramento
não possui proteção contra respingos.
A caixa é construída em chapa de aço lisa, com espessura Todo barramento é fabricado em barras rígidas de cobre
de 1,0 mm (No. 20 MSG).O fundo e as laterais da caixa eletrolítico nú com 99% de condutibilidade elétrica, e
de aço, são formados por uma chapa inteiriça, dobrada. disponíveis nas correntes nominais de 225 a 630 Amperes.
Na parte superior e inferior, completando a caixa, são O barramento é dimensionado de acordo com o alimentador
colocadas duas chapas (cabeceiras). Estas cabeceiras do quadro. As derivações terão dimensões compatíveis
são aparafusadas e removíveis para permitir que sejam com as correntes nominais dos respectivos disjuntores
feitas as furações para entrada dos eletrodutos. O fundo parciais. Todo o dimensionamento é feito em conformi-
da caixa possui quatro furos, previstos para a fixação do dade com as Normas ABNT e NEMA. O barramento é
quadro a parede. A parte frontal da caixa é coberta, uma fixado e projetado para resistir, sem se danificar, aos
vez instalado o miolo, por uma tampa frontal construída esforços mecânicos provocados pela corrente de curto-
em chapa de 1,52 mm (No. 16 MSG), no centro da qual circuito especificada. Os Quadros PE são fornecidos
articula uma porta com dobradiças. A porta é dotada de com uma barra de neutro isolado, com tantos parafusos
trinco, combinado com fechadura e puxador. roscados quantos forem o número de circuitos do quadro.

CAT.78.01.T.P
40 Equipamentos de Baixa Tensão
Quadros de Distribuição PE Janeiro 2000
Descrição Geral e Dados Técnicos

para identificação do painel e de acordo com o disjuntor,


para identificação dos circuitos correspondentes.

• Barra de terra
Será fixada na lateral interna do quadro, uma barra de
cobre para distribuição dos circuitos de aterramento,
Detalhe de com parafusos em quantidade igual ao número de circuitos
montagem dos do quadro.
Disjuntores
em base
• Suporte de fixação do Quadro
conversível
Os Quadros PE dispensam suportes, podendo ser fixados
diretamente em bases de concreto ou alvenaria.

• Pintura especial
O quadro poderá receber acabamento final externamente
e na parte interna da porta em outra tonalidade de cor,
diferente do padrão Cutler-Hammer, desde que especificada
dentro de um padrão de cores (Munsell ou RAL).

Fiação Dimensionamento das Caixas

Todas as ligações internas para a força e quando for o As caixas são padronizadas, sendo os Quadros PE forne-
caso, para controle e medição, são feitas em fábrica. A cidos nas menores dimensões (em mm) disponíveis,
fiação externa deverá ser executada por terceiros, devendo dentro da tabela abaixo,para Tipo NEMA 1:
a mesma ser ligada diretamente aos conectores dos dis-
juntores, que são próprios para este fim, ou aos bornes CAIXA (Dimensões em mm) TAMPA
terminais, quando indicado claramente na especificação. Sobrepor / Embutir
A fiação interna, quando necessária, será feita com cabos Tamanho A L P A L
com isolamento termo-plástico para 750 V, resistente á II 620 500 150 636 516
ação de fungos e não propagadores de chamas, e de III 760 500 150 776 516
bitolas compatíveis com as cargas de cada circuito. IV 900 500 150 916 516
Opcionalmente, caso requerido, todas as entradas e saídas V 1040 500 150 1056 516
poderão ser levadas a bornes terminais (fiação NEMA C). VI 1180 500 150 1196 516
VII 1320 500 150 1336 516
VIII 1460 500 150 1476 516
Características dos Disjuntores IX 1600 500 150 1616 516
X 1740 500 150 1756 516
Todos os disjuntores instalados nos Quadros PE, são tipo
caixa moldada fabricação Cutler-Hammer, com proteção Tipo NEMA 12
termomagnética conjugada e câmara de extinção de arco,
a seco e com acionamento manual. Para maiores detalhes
técnicos sobre os disjuntores, consultar os respectivos
boletins descritivos.
Tipo NEMA 3R
Placa de Características
A

235
20 215

Na base de cada quadro é fornecida uma plaqueta com as


40

características do equipamento, em alumínio anodizado,


15

contendo os dados de tensão, frequência, corrente no-


minal, nível de curto-circuito, número de série, mês e
ano de fabricação.
Detalhe do
Chapéu
Opcionais L P

Notas:
Quando solicitado na especificação, os Quadros PE 1)Para caixas com vedação NEMA 12 ou 3R, o profundidade (P) é de 160 mm,
poderão ser fornecidos com os seguintes opcionais: permanecendo as demais dimensões conforme tabela acima.
2)Nos casos em que a quantidade dos componentes exigir a utilização de caixas
• Plaquetas identificadoras do Painel e dos Circuitos com maior altura, serão utilizadas duas caixas de menor dimensão, acopladas
As plaquetas de identificação serão em alumínio anodizado elétrica e mecanicamente, ou excepcionalmente, será fornecida caixa de maior
preto e com letras brancas, com dimensões de 65x20 mm altura, desde que não haja comprometimento do equipamento.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 41
Janeiro 2000 Dispositivo para Proteção Secundária de Transformador
Descrição Geral e Dados Técnicos

A experiência da Cutler-Hammer, com cerca de 10.000


destas caixas instaladas, tem demonstrado significativa
diminuição do índice de falhas (redução superior a 90 %
nas ocorrências) em sistemas de distribuição secundária,
com a aplicação deste tipo de equipamento de proteção.

Características construtivas

As dimensões da caixa variam de acordo com o modelo


de disjuntor nela instalado, conforme desenho dimen-
sional e respectiva tabela.

O invólucro da caixa é fabricado, pintado e montado com


características adequadas para uso ao tempo, com grau de
proteção IP 34, sendo as chapas de aço utilizadas nas
bitolas 16 MSG para tampa, fundo e cobertura; e bitola
Detalhe da 12 MSG para cabeceira inferior e suporte.
Caixa com
tampa As chapas são submetidas a tratamento anti-corrosivo,
basculante por fosfatização, e pintadas a pó eletrostáticamente,
conforme requerido pela norma NBR 8755. As peças
metálicas não pintadas, têm acabamento bicromatizado.

A caixa possui ainda, aletas de ventilação, parafuso de


aterramento, coifas de borracha para entrada e saída de
cabos e haste com olhal para acionamento, com bandei-
ra refletiva de sinalização para indicação de posição.

Aplicação Tabela de dimensões (mm) das Caixas


A Caixa para Proteção Secundária de Transformador foi
projetada para uso exterior e para ser instalada em Tipo A B C D E F G
postes, com a finalidade de proteger o transformador
C 310 165 110 220 150 322 365
contra falhas que possam ocorrer no circuito de
CA 385 200 130 295 170 399 445
distribuição secundário.
Gi 310 165 110 220 150 322 365
Fi 385 200 130 295 170 399 445
Dentro do invólucro podem ser montados diversos mode-
Ji 540 230 150 370 190 555 605
los de disjuntores em caixa moldada, fabricados pela
Ki 595 260 150 395 190 610 670
Cutler-Hammer, devendo ser dimensionados de acordo
com a potência do respectivo transformador de distribuição. Li 710 390 165 510 206 728 785

Os disjuntores, utilizados nas caixas, são do tipo termo-


magnético, e podem ser fornecidos com 2 ou 3 pólos, Desenho dimensional
não sendo utilizados acessórios internos ou externos.
E + 80 mm
E
Principais tipos e características dos Disjuntores OLHAL DE
IÇAMENTO

SUPORTE DE
FIXAÇÃO

Tipo In Icc @ Icc @ Norma PLACA DE


220V-60Hz 380V-60Hz CARACTERÍSTICAS

C 10 a 100A 10kA 5kA NBR 5361


DISJUNTOR

CA 120 a 225A 10kA --- NBR 5361


F
A

BARRA
Gi 15 a 125A 25kA 18kA NBR IEC LIGA -
DESLIGA
60947-2
ETIQUETA DE
IDENTIFICAÇÃO

Fi 15 a 225A 25 a 35kA 18 a 25kA NBR IEC PARAFUSO DE


60947-2 ATERRAMENTO

Ji 250A 35kA 25kA NBR IEC


60947-2 BANDEIRA
REFLETIVA DE
Ki 300a 400A 35kA 25kA NBR IEC SINALIZAÇÃO

60947-2 OLHAL DE
COIFA DE
BORRACHA
G

Li 500 a 630A 35kA 25kA NBR IEC ACIONAMENTO PARA CABOS


B C
60947-2

CAT.78.01.T.P
42 Equipamentos de Baixa Tensão
Dispositivo para Proteção Secundária de Transformador Janeiro 2000
Descrição Geral

Instalação e Operação

Os disjuntores utilizados possuem terminais de pressão,


nos lados de linha e carga, próprios para acoplar os cabos
de entrada e saída, que deverão ser compatíveis com a
corrente nominal especificada. Tais cabos deverão ser
providenciados e devidamente conectados pelo instalador.

A caixa somente deverá ser içada pelo olhal existente no


topo da mesma, para sua fixação ao poste, através de
seus suportes, sendo que as ferragens de fixação neces-
sárias, deverão ser providenciadas pelo instalador.
Vista da O cabo de aterramento deverá possuir terminal do tipo
Caixa olhal e ser devidamente conectado ao respectivo parafu-
fechada so existente na caixa para tal fim.

Na tampa frontal é fixada uma placa de características, em


alumínio anodizado e auto-adesiva, onde serão indicadas
as características elétricas nominais do equipamento,
não devendo ser aplicado em condições diferentes destas.

O acionamento do disjuntor instalado na caixa, para pro-


teção do transformador, deve ser feito através de vara
de manobra do usuário, para as operações de abrir, fe-
char e rearmar o equipamento.

A posição do disjuntor, “ligado” ou “desligado”, poderá


ser observada do solo, pela indicação da bandeira refletiva
existente na haste de acionamento.

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 43
Janeiro 2000 Disjuntores em Caixa Moldada
Dados Técnicos

Residencial DQ HDQ C CA
Correntes 10, 15, 20, 25, 30, 10, 15, 20, 25, 30, 10, 15, 20, 25, 30, 35, 120, 125, 150,
Nominais (A) 35, 40, 50, 60, 70 35, 40, 50, 60, 70 40, 50, 60, 70, 90, 100 175, 200, 225
Capacidade de Interrupção Simétrica (kA)
127Vca 5 10 - -
NBR 5361 220Vca 2 4 10 10
380Vca - - 5 -
Número de Pólos
NBR 5361
1 1 2,3 2,3

Miniatura WME WMM WMN WMH


Correntes 6, 10, 16, 20, 25, 0.5, 1, 2, 4 , 6, 10, 16, 0.5, 1, 2, 4 , 6, 10, 16, 80, 100
Nominais (A) 32, 40, 50, 63 20, 25, 32, 40, 50, 63 (*1)
20, 25, 32, 40, 50, 63 (*2)

Curvas B (3-5 x In) 6 a 63 A 6 a 63 A 6 a 63 A Não


C (5-10 x In) 6 a 63 A 0,5 a 63 A 0,5 a 63 A 80 a 100 A
D (10-20 x In) Não 6 a 63 A 6 a 40 A Não
Capacidade de Interrupção Simétrica (kA)
NBR IEC 127Vca 3 6 10 10
60898
220Vca 3 6 10 10
NBR IEC NBR IEC 60947-2
60947-2 380Vca 3 6 10 10
Número de Pólos 1, 2, 3 1, 2, 3 1, 2 , 3 1, 2 , 3
(*1) WME / WMM / WMN = NBR IEC 60898, WMH = NBR IEC 60947-2. (*2) WMM / WMN / WMH 4 pólos: sob consulta.

Interruptor Diferencial WRX


Modelos Disponíveis
Pólos Correntes Sensibilidade
Nominais 30mA 100mA 300mA
2 25A WRX22530 WRX225100 WRX225300
40A WRX24030 WRX240100 WRX240300
63A WRX26330 WRX263100 WRX263300
80A WRX28030 WRX280100 WRX280300
100A - - -
4 25A WRX42530 WRX425100 WRX425300
40A WRX44030 WRX440100 WRX440300
63A WRX46330 WRX463100 WRX463300 IEC 61008-1
80A - WRX480100 WRX480300
100A - WRX4100100 WRX4100300

HMCP G F J K L
Disjuntor para Proteção de Motores
Corrente Máxima (A) 63 150 250 400 600
Número de Pólos 3 3 3 3 3
Corrente Nominal (A) 3 - 63 3 - 150 250 400 600
Corrente de Motor (A) 1,1 - 53,7 0,69 - 130,7 27,0 - 204,0 38,5 - 326,9 138,5 - 507,7
Ajuste do Magnético 15 - 630 9 - 2500 350 - 2500 500 - 4000 1800 - 6000
Demarrador NEMA 0, 1, 2, 3 0, 1, 2, 3 4, 5 5, 6 6
Unidades de Disparo Eletromagnética Eletromagnética Eletromagnética Eletromagnética Eletrônica
IEC 60157-1
Unidades de Disparo 3 3 3 3 3

CAT.78.01.T.P
44 Equipamentos de Baixa Tensão
Disjuntores em Caixa Moldada Janeiro 2000
Dados Técnicos

Linha Universal Gi Fi Ji
Corrente Máxima (A) a 40ºC Gi125 Li630 Ji250
In (A) 15 a 125 15 a 100 125 a 160 175 a 225 250
Capacidade de Interrupção (kA RMS) 50/60 Hz
NBR IEC 220-240 Vca Icu/ Ics 18/5 25/7 25/13 35/18 35/18 35/18
60947-2 380-415 Vca Icu/ Ics - 18/5 18/9 25/13 25/13 25/13
440 Vca Icu/ Ics - - 14/7 20/10 20/10 20/10
250Vcc Icu/ Ics - 10/5 10/5 10/5 10/5 10/5
NEMA 240Vca 18 25 25 25 25 35
480Vca 14 14 14 14 14 20
Número de Pólos 1 2, 3 2, 3 2, 3 2, 3 3
Linha Universal Ki Li Li
Corrente Máxima (A) a 40ºC Ki400 Li630 Li800
In (A) 300, 350, 400 500, 600, 630 700, 800
Capacidade de Interrupção (kA RMS) 50/60 Hz
NBR IEC 220-240 Vca Icu/ Ics 35/18 35/18 42/21
60947-2 380-415 Vca Icu/ Ics 25/13 25/13 35/18
440 Vca Icu/ Ics 20/10 20/10 30/15
250Vcc Icu/ Ics 10/5 10/5 10/5
NEMA 240Vca 35 35 42
480Vca 20 20 30
Número de Pólos 3 3 3

Série C G F J K
Corrente máxima (A) 100 225 250 400
In(A) Térmico Fixo 16 a 100 16 a 225 150 a 250 300, 350, 400
Térmico Ajustável - 16 a 225 125 a 250 315 e 400
Disjuntor GWF FW HFW FWC JW HJW JWC KW HKW KWC
Capacidade de Interrupção (kA RMS) 50/60hz
NBR IEC 220-240 Vca Icu/Ics 18/9 65/35 85/85 100/100 200/150 85/85 100/100 200/150 85/85 100/100 200/150
60947-2 380-415 Vca Icu/Ics - 25/13 40/40 70/70 100/75 40/40 70/70 100/75 45/45 70/70 100/75
660-690 Vca Icu/Ics - - 12/6 14/7 18/9 14/7 18/9 22/11 20/10 25/13 35/18
250 Vcc Icu/ Ics - 10/5 10/5 20/10 20/10 10/5 20/10 20/10 10/5 20/10 20/10
NEMA 240 Vca 65 65 65 100 200 65 100 200 65 100 200
480 Vca - 22 25 65 100 35 65 100 35 65 100
600 Vca - - 18 25 35 18 25 35 25 35 50
Número de Pólos 1 2, 3 2, 3, 4 2, 3, 4 2, 3, 4
Série C L N R
Corrente máxima (A) 630/800 800/1250 1600/2000/2500
In(A) Térmico Fixo 300, 350, 400, 500, 600, 700, 800 400 a 1250 800 a 2500
Térmico Ajustável 315, 400, 500, 630 800, 1250 1600, 2000, 2500
Disjuntor LW630 LW800 HLW LWC NW HNW NWC RW RWC
Capacidade de Interrupção (kA RMS) 50/60hz
NBR IEC 220-240 Vca Icu/Ics 85/85 65/33 100/100 200/150 85/85 100/100 200/100 135/100 200/100
60947-2 380-415 Vca Icu/Ics 45/45 50/25 70/70 100/75 50/50 70/50 100/50 70/50 100/50
660-690 Vca Icu/Ics 20/10 20/10 25/13 35/18 20/10 25/13 35/18 25/13 35/18
250 Vcc Icu/ Ics 20/10 20/10 20/10 20/10 - - - - -
NEMA 240 Vca 65 100 100 200 65 100 200 125 200
480 Vca 35 50 65 100 50 65 100 65 100
600 Vca 25 25 35 50 25 35 35 50 65
Número de Pólos 2, 3, 4 2, 3, 4 3, 4

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 45
Janeiro 2000 Protetores de Rede CMD e CM22
Descrição Geral e Dados Técnicos

do secundário do transformador, em
cada fase, quando o disjuntor estiver
aberto e, a corrente em cada fase,
quando o disjuntor estiver fechado.

Aplicação

É aplicado em sistema de rede destina-


do ao fornecimento de energia elétrica
para aquelas áreas, onde se deseja ter
alta confiabilidade de fornecimento de
energia ou áreas críticas onde a falta
de energia pode ter sérias consequências.
Dentre os principais clientes que aplicam
este equipamento, destacam-se as
concessionárias de energia elétrica,
indústrias, universidades e hospitais.

Instalação

Pode ser instalado acoplado ao transfor-


mador ou em separado, em caixa submer-
sível ou não-submersível, dependendo do
Tipo CMD Tipo CM22 sistema de distribuição de energia ou da
modalidade de instalação.

Protetor de Rede Manutenção

O Protetor de Rede consiste basicamente de um disjuntor Para atender as necessidades de manutenção pode ser
trifásico de baixa tensão a ar, mecanismo de operação fornecida uma Mala de Teste portátil, tipo LWT – 450 ,
do disjuntor, relé microprocessado com ou sem capacidade para executar testes de rotina do protetor de rede e para
de comunicação, para monitorar o sistema, elementos calibração do relé do protetor.
de proteção e controle.
Dispomos de um Service Center para reparo de Proteto-
res de Rede, fornecimento de peças de reposição, inclu-
Função indo relé microprocessado, com ou sem meios de comu-
nicação, para substituir os relés eletromecânicos dos
Sua função básica é proteger o sistema secundário de protetores mais antigos, fabricados pela Westinghouse /
carga contra falhas que possam ocorrer no lado de ali- Cutler-Hammer (tipos CN-33, CN-J e BN) e GE (tipos
mentação primária ou no próprio transformador, além de CAN, CHN, CAL, CHL e SSNPR).
monitorar, continuamente, através de um relé micropro-
cessado, a tensão secundária do lado da carga e do lado

Principais Características

Tipo de Protetor de Rede


Características CMD CM-22
Corrente nominal 800 – 3000 A 800 – 3500 A
Mecanismo de operação Fechamento por ação de mola Fechamento por ação de motor
Mecanismo para retirada da caixa Extraível Removível
Tipo de fusível protetor NPL prata – areia Liga fusível
Localização do fusível Externa Interna
Dispositivo de disparo Capacitor de disparo Bobina de disparo
Tipo de caixa Submersível ou não-submersível Submersível ou não-submersível

CAT.78.01.T.P
46 Equipamentos de Baixa Tensão
Excitatrizes Estáticas MGR, WTA, WDR e ECS2100 Janeiro 2000
Descrição Geral e Dados Técnicos

A Excitatriz Estática é uma unidade integrada de um Função


ou mais cubículos, onde os seus principais compo-
nentes são devidamente montados, consistindo basica- Fornecer a corrente de campo para uma máquina
mente de: síncrona, incluindo o controle, regulação e proteção do
disjuntor de alimentação, conversor a tiristor, regulador sistema.
de tensão, elementos de controle / regulação da
excitatriz de campo de uma máquina síncrona e elemen-
tos de proteção do sistema , além do transformador de Aplicação
excitação, que dependendo de suas dimensões, fará
parte desta unidade integrada ou será montado em Em usinas de geração de energia elétrica e em indústrias
separado. de processo ( química, siderurgia, textil, papel e petróleo).

Excitatriz Estática Tipo WDR-2000

Lógica do Regulador de Tensão Ventilação Forçada


• Lógica microprocessada • Ventiladores redundantes
• Conjunto Rack pré-montado • Circuito de transferência
• Pontos de teste frontais automática
• Ajustes digitais • Troca de ventilador, sob carga
• Software de Ajustes • Controle/Proteção centralizada
do ventilador
• Detector do fluxo de ar

Anúnciadores
• 12 a 48 pontos disponíveis

Gaveta de Potência
• Gaveta extraível, sob carga
• Redundância
• Compartimento para CC
• Fluxo de ar adequado
Painel Medição • Sensor de temperatura
Opcional • Indicador de fusível queimado
• Indentificação
rápida de falhas
• Fonte de teste
de tensão

Alimentação CA
• Disjuntor Tipo DSII extraível

Cubículo de Lógica Cubículo de Potência Cubículo Auxiliar


Controle de Potência CA
• Gaveta extraível
• Transformadores redundantes

Principais Características

Tipo de Excitatriz Estática


Características MGR WTA WDR ECS2100
Corrente de campo até 1000 A Até 10.000 A até 10.000 A até 10.000 A
Montagem do conversor fixa gaveta removível gaveta removível gaveta removível
a tiristor sob carga sob carga sob carga
Regulador de tensão analógico analógico digital digital
Meios de comunicação não não sim sim
Disjuntor AC fixo gaveta removível gaveta removível gaveta removível
Ventilador fixo removível removível removível
sob carga sob carga sob carga

CAT.78.01.T.P
Equipamentos de Baixa Tensão 47
Janeiro 2000 Controles de Máquinas de Movimentação de Cargas
Descrição Geral

Resistores

Chaves Mestra

Freios de Sapata

Contatores

Relés Chaves Fim-de-Curso

Desde 1900, a Cutler-Hammer desenvolve produtos e Cutler-Hammer - Desenvolvimento em Controle de


soluções de engenharia que tem influenciado direta- Máquinas Móveis
mente o padrão industrial.
Temos engenharia e produtos dedicados ao controle de 1900 - Desenvolvimento chave manual de partida.
máquinas de movimentação de carga, onde muitos ou- 1930 - Controle com contatores CC serie mil e
tros fornecedores normalmente adaptam controles con- desenvolvimento da familia CC.
vencionais para este tipo de aplicação. 1935 - Controle com contatores CA e desenvolvimento
A indústria siderúrgica, portuária, manufatura e de miné- da framilia CA.
rios, tem encontrado na Cutler-Hammer a solução perfeita 1960 - Reator estático de partida.
para instalações novas e instalações modernizadas, as 1970 - Controle tiristorizado de motor CA.
aplicações dos controles Cutler-Hammer incluem pontes 1982 - Controle digital microprocessado de motor CC.
rolantes, guindastes portuários, máquinas de pátio de 1996 - Controle digital de frequência para motor CA.
minérios entre outros.

Estruturas de Acionamento e Controle

A C IO N A M E N T O C O N T R O LE

L IN H A C A LIN H A C C L IN H A C A LIN H A C C

C O N TA TO R E S T Á T IC O C O N TA TO R C O N T A T O R E S M A G N É T IC O S D IG IT A L M IC R O P R O C E S S A D O C O N TA TO R
NEM A CC

M O TO R M O TO R C C M O TO R M O TO R M O TO R C C M O TO R C C
B O B IN A D O S É R IE B O B IN A D O G A IO LA SHUNT S É R IE C C M ’S C O N T R O LA D O R C O M P U TA D O R P A R T ID A E
C U B ÍC U L O S M T E B T P R O G R A M Á V E L (C LP ) (P C ) A C E LE R A Ç Ã O
N O R M A L,
P L U G G IN G ,
-R E T IF IC A D O IN V E R S O R -N O R M A L
D E S C ID A
-D E S C ID A -V E C TO R -D E S C ID A -P A R T ID A N O R M A L C C M ’S , IN T E R F A C E S D E V IC E N E T
D IN A M IC A - E S C A LA R D IN A M IC A D IN Â M IC A
-E S T R E L A / T R IA N G U L O G R Á F IC A S , D R IV E S
-P LU G G IN G -P LU G G IN G -C H A V E C O M P E N S A D O R A
-A C E L E R A Ç Ã O R O T Ó R IC A
-P LU G G IN G -T IR IS T O R -C O N V E R S O R -D R IV E S M IC R O P R O C E S S A D O S
-C O N T R A -T O R Q U E -F O U C A U LT Q U A TR O
D R IV E S M IC R O P R O C E S S A D O S
-F O U C A U LT -C O N T R A -T O R Q U E Q U A D R A N TE S S IS T E M A S A U T O M A T IZ A D O S C O N T R O LE D E
-IN JE Ç Ã O C C -P LU G G IN G A N T IB A LA N Ç O , S IS T E M A D E
G E R E N C IA M E N T O C O M P U T A D O R IZ A D O
P A R T ID A N O R M A L, E S T R E LA /T R IA N G U LO , E T C

CAT.78.01.T.P
48 Equipamentos de Baixa Tensão
Controles de Máquinas de Movimentação de Cargas Janeiro 2000
Descrição Geral

Acionamento Estático Cutler-Hammer para Controle de Máquinas de Movimentação de Carga

Painel de Inversor
Conversor SV-9000 - Respondor
Respondor

Respondor

Algumas Aplicações Típicas

Transporte
Industrial /
Manufatura
Portuária

Siderurgia
Mineração

CAT.78.01.T.P
Características de Projeto e Fabricação 49
Janeiro 2000 Painéis WMD / Cutler-Hammer Brasil
Descrição Geral

Detalhes Construtivos - Portas

Fabricadas com chapa de aço carbono dobrada de bitola


• Aplicações e Normas dos Painéis 12 MSG (2,66 mm) quando utilizadas em painéis para
aplicação em média tensão e nos painéis em que a área
Por Painel entende-se um armário metálico auto-sustentável frontal da porta for maior ou igual a 0,6 m²; nos demais
que, ao abrigar os dispositivos de proteção, medição e casos, as portas são construídas com chapa de aço carbono
controle, interligado ou não a outros painéis, tornar-se-á dobrada de bitola 14 MSG (1,98mm) .
próprio para as respectivas aplicações previstas. Devido à As portas tem abertura máxima de 115°, são instaladas
composição modular, os Painéis WMD da Cutler-Hammer na parte frontal e traseira (podendo ser fornecidas tampas
Brasil são próprios para as seguintes aplicações: de fechamento), são articuladas por dobradiças embutidas,
em número adequado ao peso que suportam e podem ser
- Cabine Primária MT até 27kV providas de fechos rápidos com dispositivo para cadeado,
- Conjunto de Manobra Blindado de MT (Metal-Clad / fecho-fenda ou fechadura tipo Yale com chave. Devido à
Metal-Enclosed) até 36 kV característica construtiva não necessitam de dobradiças
- Centro de Controle de Motores de MT (Metal-Clad / ajustáveis e nem de limitadores com trava.
Metal-Enclosed) até 7,2 kV
- Cabine de Barramento BT até 690 V
- Centro de Distribuição de Carga BT até 690 V - Chapas de fechamento lateral final
- Centro de Controle de Motores BT até 690 V
- Quadro de Distribuição BT até 690 V Fabricadas com chapa de aço carbono dobrada de bitola
14 MSG (1,98 mm), aparafusadas à estrutura e facilmen-
Os Painéis tipo WMD foram projetados para centralizar te removíveis para manutenção ou ampliação futura.
funções de manobra, proteção, medição e controle de Para fechamento lateral e divisão entre painéis de um
circuitos de força ou iluminação, e são fornecidos com- mesmo conjunto tipo Metal-Clad, existem divisórias metáli-
pletamente montados e testados, prontos para serem cas feitas com duas chapas de aço carbono dobradas de
instalados e energizados. São próprios para instalação bitola 14 MSG (1,98 mm) de modo a formar almofadas de
interior ou exterior e podem ser ampliados, pelo simples ar, resistentes a fortes impactos, em atendimento à
acoplamento de novas colunas em qualquer extremida- compartimentação exigida por norma.
de, sem prejuízo de estética ou de funcionamento.
Os Painéis tipo WMD são projetados e construídos com
base nas normas: ANSI C37.20, IEC 298 e 439 e ABNT - Teto
NBR 6979 e 6808 em suas últimas revisões, e onde apli-
cáveis, sendo montados conforme padrões EATON / Fabricado com chapa de aço carbono de bitola 14 MSG
Cutler-Hammer Brasil. (1,98 mm) possui tampas de despressurização construídas
com chapa de aço carbono de bitola 16 MSG (1,52 mm)
que se abrem automaticamente em caso de sobrepressão
• Padrão Construtivo das Estruturas Metálicas interna devida a arco. As tampas de despressurização são
utilizadas quando a profundidade do painel é maior ou
Os Painéis WMD possuem a seguinte composição básica: igual a 910 mm.

- Estrutura - Tecnologia em Fabricação

Constituída de perfis fabricados com chapa de aço carbono


de bitola 11 MSG (3,04 mm) de forma a se tornar rígida,
auto-sustentável e própria para suportar, sem danificar,
os esforços normais decorrentes do transporte ou manuseio.
Os perfis possuem, na sua extensão, furação modular
que permite inúmeras combinações para as chapas de fe-
chamento e portas articuladas, não necessitando assim a
utilização de solda.

- Rodapé

Fabricado com chapas de aço carbono perfil “U” de


76 x 40 x 5 mm, soldadas, formando um conjunto rígi-
do e resistente aos esforços, evitando deformações
e desalinhamentos.

CAT.78.01.T.P
50 Características de Projeto e Fabricação
Painéis WMD / Cutler-Hammer Brasil Janeiro 2000
Descrição Geral

Observações: c. Desoxidação dupla em solução sulfúrica com temperatu-


ra controlada entre 40°C e 60°C, com concentração
a. No caso de painel com grau de proteção IP-53 ou IP-54 máxima de ferro de 80 g/l. O tempo de imersão varia
para instalação ao tempo, o teto será construído com em função do estágio de corrosão da chapa entre 5 e
chapa de aço carbono de bitola 12 MSG (2,66 mm) 30 minutos por banho;
com a mesma largura do painel e com a profundidade
excedendo em 260 mm a do painel (130 mm na parte d. Lavagem em água corrente, à temperatura ambiente,
frontal e 130 mm na parte traseira). A inclinação do com pH mantido entre 3 e 5;
teto (5%) é projetada de forma a que haja total escoa-
mento de água. e. Lavagem em água corrente, à temperatura ambiente,
com pH mantido entre 5 e 7;
b. Quando for solicitado painel para uso ao tempo não
serão fornecidas as tampas de despressurização e sim f. Banho de refino da camada, para formação de cristaliza-
aberturas para ventilação e escape de gases, protegi- ção fina, com tempo de imersão entre 30 e 60 segundos,
das com tela metálica e manta contra penetração de à temperatura ambiente, com pH mantido entre 7 e 9;
pó, localizadas na parte frontal superior (abaixo do
teto do painel). g. Fosfatização em solução à base de fosfato de zinco, à
temperatura ambiente, com pH controlado entre 2,6 e
2,9. O tempo de imersão varia entre 4 e 10 minutos;
- Tampa inferior
h. Lavagem em água corrente, à temperatura ambiente,
Fabricada com chapa de aço carbono bitola 14 MSG com pH mantido entre 5 e 7;
(1,98 mm) é utilizada, quando solicitada, afim de garan-
tir a vedação. A tampa aparafusada, é facilmente removí- i. Passivação em solução de taninos biodegradáveis, com
vel para que se faça furação necessária para a entrada e tempo de imersão entre 15 e 45 segundos, com tempera-
saída dos cabos. tura entre 25°C e 60°C e pH controlado em 6,0 +/-0,5;

j. Secagem em estufa com circulação de ar à 130°C


- Tela de proteção +/- 10°C, durante aproximadamente 20 minutos.

Nos painéis de média tensão, quando solicitado, será


fornecida uma porta de tela metálica, com malhas qua- • Aplicação Eletrostática de Tinta a Pó para Acabamento
dradas, entre a porta traseira e as partes energizadas no
interior do painel. Essa porta é articulada com dobradi- a. Tinta: Pó à base de resina polyester ou híbrida na cor
ças e seu fechamento se dá através de fecho rápido. cinza Munsell N6.5 texturizada.

b. Tempo de polimerização: 10 minutos à 200°C (tempe-


Observações: ratura da peça),

a. As chapas de aço carbono utilizados pela EATON / Espessura da camada ao tempo abrigado
Cutler-Hammer, para fabricação dos cubículos são do Mínima 100 micra 40 micra
tipo laminado a quente ou a frio nas bitolas padroni-
zadas conforme descrito. c. Grau de aderência: GR0 conforme Norma ABNT (MB-985)

b. As peças metálicas não pintadas, tais como suporte Este processo de tratamento das chapas assegura uma
para termostato / tomadas, batentes, dobradiças, resistência de 600 horas à névoa salina (NBR-8094) ou
parafusos, porcas, arruelas são bicromatizadas. atmosfera úmida saturada (NBR-8095), sendo resistente
à gasolina, óleo de motor e a alguns ácidos, entre eles o
c. Algumas chapas internas aos painéis (suportes, placas sulfúrico à 30% e o formol à 40%.
de montagem, etc.), poderão ser fabricadas em chapa
de aço galvanizada.

Processo de Tratamento e Pintura

• Preparação da chapa
Tratamento
das Chapas
a. Desengraxe duplo em solução alcalina com
tensoativos com temperatura controlada entre 98°C e
100°C, com tempo de imersão entre 6 e 20 minutos;

b. Lavagem em água corrente, à temperatura ambiente,


com pH mantido entre 5 e 9;

CAT.78.01.T.P
Características de Projeto e Fabricação 51
Janeiro 2000 Painéis WMD / Cutler-Hammer Brasil
Descrição Geral

Detalhes de Montagem Os bornes, quando utilizados, serão em termoplástico


Poliamida, 750 V, resistentes a impactos, garantindo
• Barramentos perfeita fixação mesmo quando sujeitos a vibração. As
marcações são perfeitamente visíveis e feitas de acordo
São constituídos por barras de cobre eletrolítico nú, 99,9% com os desenhos de projeto. Nunca são conectados
de condutividade de cantos arredondados ou não, com mais do que dois cabos a cada borne.
junções prateadas e dimensionadas de modo a suportar,
sem se danificar, as correntes nominais e aos esforços
mecânicos e térmicos a que estão sujeitas pela passagem • Acessórios
das correntes de abertura, fechamento e de curto-circuito
definidas para o painel. − Normais

As barras são dimensionadas de forma a não superarem Parafusos, arruelas e porcas bicromatizadas; maçanetas
a densidade de 2 A/mm². As barras serão identificados em poliamida reforçada na cor preta; dobradiças
por tinta, nas cores padronizadas, para identificação das bicromatizadas com pino de latão ou aço zincado; olhais
fases em pontos de fácil visualização.
de suspensão bicromatizados; chumbadores e perfi-
lados zincados; cordoalha para aterramento das chapas
O aterramento será através de barra chata de cobre
articuladas; barra de terra e terminais para aterramento
eletrolítico, instalado na parte inferior posterior dos cu-
(um em cada extremidade da barra de terra).
bículos, cobrindo toda sua extensão, dimensionada de
acordo com o nível de curto-circuito definido para o painel.
Serão fornecidos com terminais de aterramento do tipo
pressão, para ligação de cabos nas bitolas de 35 a 95 mm². − Opcionais

Quando solicitados poderão ser fornecidos os seguintes


• Isoladores acessórios opcionais: parafuso, arruela e porcas de bron-
ze fosforoso; parafusos, arruelas e porcas galvanizadas;
Os isoladores são do tipo “não higroscópico” e “não resistência de aquecimento e termostato; barramento
inflamável”, adequadamente dimensionados para suportar mímico; conectores; barras com isolamento termo-
os esforços dinâmicos da corrente de curto-circuito defi- contrátil; tela de proteção interna; fechaduras tipo Yale;
nida para o painel. Poderão ser em epóxi, polyester, ce- iluminação interna; dispositivo para lacre; parafusos
râmica ou fibra de vidro, dependendo da aplicação do invioláveis; barramento e terminais para neutro.
painel.
Alguns acessórios opcionais não são utilizáveis em to-
dos os tipos de aplicação (Ex. Iluminação interna para
• Fiação CCM-BT, dispositivo para lacre, etc)

A fiação interna, quando utilizada, será com condutores


flexíveis formados por fios de cobre eletrolítico, com
isolamento termoplástico na cor preta (preferencialmente),
em PVC flexível, para 750 V, temperatura de 70°C,
resistente a ação de fungos e propagação de chamas.As
seções e cores utilizadas são:

Fiação Bitola Mínima Cor do Isolamento


Controle 1,5 mm² Preta
Secundário de TC 2,5 mm² Vermelha Montagem
Secundário de TP 1,5 mm² Preta Final dos
Ligação aterramento 2,5 mm² Verde Painéis
Força cfme IEP-006 Preta

A fiação é identificada por anilhas em todos os pontos


de conexão, executada sem emendas e acondicionada
em chicotes com braçadeiras ou canaletas plásticas com
tampas e furos laterais. São utilizados terminais tipo olhal
ou forquilha para componentes e tipo pino para bornes.

A fiação de força, quando necessária, será para


interligação dos componentes internos e será levada
diretamente aos terminais de cada componente.

CAT.78.01.T.P
52 Características de Projeto e Fabricação
Painéis WMD / Cutler-Hammer Brasil Janeiro 2000
Descrição Geral

Documentação de Projeto para Conhecimento, Demais ensaios serão considerados Ensaios de Tipo e
Aprovação e Certificada serão executados conforme prescrito em norma, ou po-
derão ser fornecidos relatórios de ensaios executados
Quando solicitado e desde que aplicáveis, será forneci- em protótipos ou fornecimentos similares. Esses ensai-
dos em tempo hábil, caderno de documentos contendo os serão realizados sob consulta.
as seguintes informações:

a. Capa, Índice , Simbologia, Embalagem e Transporte de Equipamentos


b. Folha de Dados,
c. Lista de materiais e Lista de plaquetas, A embalagem dos equipamentos, quando necessária,
d. Diagrama unifilar, Diagrama trifilar, Diagramas será própria para transporte rodoviário à longa distância.
funcionais e Régua de Bornes, Os painéis são fixados a um pallet, envoltos em plástico
e. Desenho dimensional contendo vista frontal, lateral, e acondicionados em engradado de madeira de grande
posterior, cortes, detalhes da base (com informações resistência aos impactos e demais esforços normais
para a chumbação) e indicação das unidades para decorrentes de carga, transporte, descarga e armazenamento.
transporte (UT’s). Para proporcionar segurança e facilidade durante a em-
balagem, carga, transporte e descarga, o conjunto é
Alterações após aprovação dos desenhos ou dos equipa- dividido em partes (UT´s – Unidades de Transportes),
mentos, serão entendidas como serviços adicionais, que sempre que as dimensões e / ou o peso total do conjunto,
poderão vira a prejudicar o projeto, bem como a entrega superarem os limites de fácil deslocamento e arranjo
dos equipamentos e respectivos pagamentos. sobre o caminhão.
Dois jogos de desenhos certificados e um arquivo mag- A Unidade de Transporte (UT) é parte de um conjunto ou
nético, serão entregue após liberação dos desenhos for-
um conjunto completo, constituindo uma estrutura
necidos para aprovação.
auto-sustentável, com dimensões e pesos máximos
Os manuais de instruções compõem-se de curvas de
compatíveis com os limites.
calibração de disjuntores, catálogos dos componentes
O içamento dos cubículos auto-suportantes deverá ser
utilizados, desenhos e relatórios dos testes em fábrica;
feito por empilhadeiras ou guindastes. No caso de uso
sendo vez que os painéis e equipamento de fabricação
EATON / Cutler-Hammer, por sua simplicidade, dispen- de empilhadeira, esta deverá levantar o cubículo pela base
sam instruções detalhadas para instalação,operação e do engradado; enquanto que para o uso de guindaste,
manutenção. deverá ser amarrado um cabo de aço à travessa de sus-
pensão, tomando-se o cuidado de verificar se a tensão
máxima suportável pelo cabo de fixação é compatível
Ensaios de Rotina com o peso estimado o equipamento.
Recomendamos, por medida de precaução, que o cabo
Para a inspeção final dos equipamentos, são executadas seja dimensionado para suportar no mínimo 1,5 vezes o
em todos os fornecimentos, os seguintes ensaios de peso estimado do conjunto embalado.
rotina, conforme PICQ nº 0001, na fábrica da EATON / A embalagem será apropriada a transporte rodoviário,
Cutler-Hammer no Rio de Janeiro, sem ônus para o cliente. não sendo o equipamento afetado por vibrações
normais provocadas durante o percurso em estradas pavi-
a. Tensão aplicada ao barramento; mentadas.
b. Tensão aplicada na fiação; Os componentes de pequeno porte, tais como sobressa-
c. Teste de funcionamento elétrico e mecânico; lentes, acessórios e outros, serão embalados em caixas
d. Verificação da polaridade dos TC’s e dos instrumentos de papelão de volume adequado.
de medição; Quando os equipamentos não puderem ser colocados
e. Verificação da polaridade e funcionamento dos relés em operação em tempo razoável após o seu recebimento,
de proteção; os mesmos deverão ser estocados em local ventilado,
f. Verificação da continuidade das ligações de saída; seco e limpo.
g. Verificação dos textos das plaquetas; O local de estocagem deve ser livre de condensação ou
h. Verificação da pintura, acabamento final e aspecto outras condições que provoquem danos nos equipamentos.
geral; Estar livre de condensação é essencial e pode ser obtida
i. Verificação do fornecimento em relação ao pedido pela utilização de aquecedores, se necessário.
(Lista de Material); Armazenagem externa, mesmo quando protegida por
j. Resistência de isolamento. lonas, é inadequada.
Os equipamentos devem ser também protegidos contra
Para previsão de ensaio de recepção dos equipamentos, poeira excessiva.
a EATON / Cutler-Hammer comunicará com quinze dias de Para evitar condensação nos cubículos auto suportantes,
antecedência a data prevista para a realização dos ensaios. devido ao longo período de estocagem, em local com
alta umidade, são fornecidos bornes acessíveis externa-
Caso não haja o comparecimento dos inspetores designa- mente aos equipamentos embalados, para alimentação
dos pelo cliente, até dez dias após a data prevista, os dos circuitos de aquecimento por fonte externa.
ensaios realizados em Fábrica serão válidos como se A descarga do veículo transportador e a montagem das
fiscalizados pelos inspetores do cliente, cabendo a UnIdades de Transporte no local de instalação, será de
EATON / Cutler-Hammer enviar os respectivos relatórios, responsabilidade do cliente.
faturar e providenciar o despacho do equipamento.

CAT.78.01.T.P
Produtos para Gerenciamento de Energia 53
Janeiro 2000 Medidores, Unidades de Disparo TRIP, Relés Proteção
Descrição Geral

Descrição geral Medidores

Os produtos Cutler-Hammer para Gerenciamento de Ener- • IQ-Analyzer


gia proporcionam as soluções que você necessita para
monito-rar e gerenciar todos os aspectos de seu sistema O IQ Analyzer é a melhor solução para os usuários inte-
elétrico de distribuição. ressados em analizar a Qualidade de Energia do sistema
Caso você esteja procurando por maior confiabilidade, de distribuição. Este medidor possui a capacidade de
aumento de produtividade e reduções significativas de medir a harmônicas de corrente e tensão até a 50 ª or-
custos – e quem não está, no mercado competitivo atual – dem, fornecendo a magnitude e a defasagem angular de
cada uma delas. Além disso, o modelo 6200 possibilita
nosso sistema de Gerenciamento de Energia se adapta
a captura e visualização das formas de onda, podendo
perfeitamente. Estes sistemas inovadores de medição e
capturar distúrbios de tensão da ordem de sub-ciclos,
comunicação, tornam possível controlar com sucesso como os transientes e as interrupções.
seu sistema de distribuição de energia elétrica.

• IQ-DP4000
Maior Confiabilidade
O IQDP4000 combina em um único equipamento as fun-
Utilizando um sistema com os produtos Cutler-Hammer ções de amperímetro e voltímetro, indicador de potência
de Gerenciamento de Energia, você recebe antecipada- (W,VAR,VA), medidor de energia, frequêncimetro, indi-
mente um alarme de problemas potenciais, elimina desli- cador de fator de potência, registrador de demanda e
gamentos desnecessários, isola falhas de modo a reduzir indicador de percentual de distorção harmônica (%THD).
o tempo de parada e distribui ou equaliza as cargas en- A precisão da medição é de +/- 0,2% para corrente e
quanto o problema está sendo solucionado. tensão. Também permite funções de alarme e proteção
de tensão.

Maior Produtividade
• IQ-200
Paradas de equipamentos, devido as variações de tensão
ou freqüência, podem ser muito onerosas para uma ope- O IQ 200 fornece todos os parâmetros elétricas conven-
cionais, e sendo de dimensões compactas (96 x 96mm),
ração. Através do monitoramento da qualidade da ener-
é ideal para medição em painéis.
gia com os produtos Cutler-Hammer de Gerenciamento
da Energia por todo sistema elétrico de distribuição, se
obtém dados que permitem identificar, isolar e corrigir Unidades de disparo para disjuntores de BT Magnum
rápida e eficientemente os problemas.
• Digitrip 1150

Significativas reduções de custos O Digitrip 1150 é uma unidade eletrônica de disparo que
monitora valores de potência, energia e qualidade de
A privatização das Concessionárias de energia elétrica, energia de disjuntores de potência. Além disso, esta
resultará em reduções de custos para aquelas fábricas unidade possui comunicação com o Sistema PowerNet
preparadas para definir e analisar os níveis e padrões de Gerenciamento de Energia.
atuais de uso da energia elétrica. Os dados fornecidos
pelos produtos de Gerenciamento de Energia da Cutler-
Hammer, compreendem a base para negociação da estru- Reles de Proteção
tura de tarifas com a Concessionária. Os usuários tam-
bém ficam aptos a baixar seus custos com energia, re- • Digitrip DT-3000
duzindo as cobranças por picos de demanda.
O Digitrip 3000 é um dispositivo multifunção micropro-
cessado, alimentado a partir do secundário de 5A de
TC’s externos, que combina as funções de proteção
Por que Cutler-Hammer ?
de sobrecorrente (50/51) e de monitoramento de corren-
tes trifásicas e de terra em um único elemento.
A Cutler-Hammer é um líder no mercado industrial ofere-
cendo uma solução totalmente integrada para monitorar
todo seu sistema de distribuição de energia elétrica. Como • MP-3000
um fabricante global de equipamentos e componentes
para sistemas elétricos de distribuição em baixa e média O MP 3000 é um relé de proteção de motor multifunção,
tensão, a Cutler-Hammer é inovadora e experiente em baseado em microprocessador, para sistema de proteção
produtos de Gerenciamento de Energia, os quais incor- de qualquer tamanho de motor e em todos níveis de ten-
poram tecnologia de ponta. Estas inovações são resulta- são. Este é um relé somente de corrente, que proporciona
dos da especialização dos nossos engenheiros e cientis- proteção confiável e completa ao motor, monitorando e
tas nos quatro centros de tecnologia da Cutler-Hammer. executando as funções de controle.

CAT.78.01.T.P
54 Produtos para Gerenciamento de Energia
Sistema de Comunicação PowerNet Janeiro 2000
Descrição Geral

Sistema PowerNet

− Qualidade de Energia
− Dados de Medição
− Informação de Energia
− Status e Controle de Disjuntores e Chaves de Partida
− Data e Hora dos Eventos
− Informações de Operações dos Disjuntores
− Tempos de Operação dos Motores
− Temperatura dos Enrolamentos dos Motores
− Configuração e Monitoração das Curvas de Proteção
− Dados dos Transformadores
− Ajuste e Controle da Velocidade do Acionamento

Sistema IMPACC / PowerNet • Distúrbios da Tensão

• Objetivos do Gerenciamento Oscilações de tensão, problema mais comum quanto à


qualidade da energia, ocorrem devido instabilidades no
O pacote de softwares do Sistema PowerNet, monitora suprimento da Concessionária, falhas no sistema ou
componentes críticos em sistemas de distribuição de devido a partida simultânea de grandes motores.
energia elétrica. Instrumentos de medição, relés de pro-
teção, unidades de disparo de disjuntores e partidas de
motores, comunicam informações vitais a softwares • Harmônicas
PowerNet, para monitoração, alarme, tendências e con-
trole remotos. O Sistema PowerNet proporciona as con- Distorções harmônicas surgem em sistemas de distribuição
dições para: analisar a qualidade da energia, gerenciar os devido às cargas não-lineares, tais como inversores de
custos da energia, acompanhar e programar manuten- freqüência e outras cargas, onde houver conversão CA/CC
ções, receber um aviso prévio de problemas potenciais, (sistemas UPS, alimentação de computadores, etc.).
estabelecer seqüência de correção de problemas e au-
mentar a produtividade. O Sistema PowerNet mantêm
compatibilidade com sistemas IMPACC existentes e • Fator de Potência
acrescenta a possibilidade de transmitir dados através
da rede de alta velocidade Ethernet. A capacidade de monitorar o fator de potência por toda
fábrica, assegura o suprimento de energia com ótima
eficiência, permitindo o pleno uso dos transformadores
• Analisando a Qualidade da Energia e previnindo multas onerosas devidas ao baixo fator de
potência.
A qualidade da energia elétrica está se tornando cada
vez mais importante com o aumento contínuo das cargas
não lineares em instalações industriais e comerciais. • Gerenciando Custos de Energia
Variações de tensão e freqüência podem prejudicar di-
versos processos industriais, resultando em paradas de O Gerenciamento de Energia é essencial para qualquer
alto custo e perdas de equipamentos. O Sistema instalação industrial ou comercial. Os custos com energia
PowerNet fornece perfis históricos, ou registros de elétrica variam entre 10 a 30 % do total de custos
eventos para verificação do sitema interno ou da própria
operacionais de uma fábrica. Apesar de muitas vezes
Concessionária, bem como informação em tempo real
considerados como inevitáveis, os custos de energia são
que permite ao usuário isolar a fonte, definir a magnitu-
gerenciáveis.
de, o tempo e a tendência dos problemas da qualidade
da energia, incluindo:

CAT.78.01.T.P
Produtos para Gerenciamento de Energia 55
Janeiro 2000 Sistema de Comunicação PowerNet
Descrição Geral

• Gerenciamento do uso de energia eventos, permitem reduzir a lista de possíveis causas do


desligamento. A imediata identificação dos problemas
Gerenciar os custos de energia através da medição e pode reduzir o tempo de parada de horas para minutos,
quantificação precisa de seus parâmetros. economizando perdas de produção.

• Acompanhamento dos padrões de utilização • Aumento de Produtividade

Programar eficientemente os processos, para utilização Aumento de produtividade pela eliminação da necessidade
fora dos horários de pico de consumo, através da identifi- de consumo de tempo para coleta de dados. Liberando o
cação de onde e quando a energia está sendo consumida. pessoal para executar efetivamente as funções de manu-
Verificar a eficácia dos métodos de redução do consumo tenção, para manter a fábrica em operação. O arquivo de
de energia. registros históricos e as ferramentas de software propor-
cionam meios simples para coleta de dados sobre a energia
consumida internamente e os custos compartilhados,
• Contratação da energia dispensando a leitura convencional ou dependendo e os
cálculos da conta mensal. Os perfis das cargas estão
Tome suas decisões de contratação de energia, analisan- disponíveis para análise, durante o processo, quando se
do o impacto da estrutura de tarifas da Concessionária considera possibilidades de expansão. Uma capacidade
em seus resultados. extra disponível em alimentadores pode ser identificada
através do perfil histórico da carga, evitando desligamentos
devidos a picos sazonais. A correta determinação da capa-
• Alocação dos custos de energia cidade dos transformadores pode auxiliar a evitar aquisições
desnecessárias de subestações. Subestações com redundân-
Estabeleça controles e incentive a conservação de ener- cia, podem ter sua capacidade verificada, através da alimen-
gia, pela alocação correta dos custos a cada processo tação das cargas por somente um dos transformadores.
ou departamento.

• Arquitetura de rede flexível


• Verificação da conta
Uma rede PowerNet pode ser construída em diversas con-
Verifique a exatidão da conta de energia através dos figurações. Sistemas podem ser construídos utilizando
dados detalhados fornecidos pelo Sistema PowerNet. redes Ethernet existentes como o barramento principal,
bem como um par trançado blindado, percorrendo toda a
fábrica. Modems telefônicos, antenas de rádios, e fibra
• Acompanhamento e programação das manutenções ótica podem ser usados para criar redes onde o custo
para instalação de cabos dedicados, for proibitivo. A mais
Problemas de seletividade podem ser identificados atra- flexível arquitetura de rede de alta performance inclui
vés da superposição das curvas de proteção de compo- uma rede dedicada de par trançado blindado, dentro do
nentes ativos, identificando assim, problemas antes da painel ou da sala de equipamentos, conectada a um
ocorrência de desligamentos desnecessários. Programas barramento Ethernet de alta velocidade.
de manutenção podem ser criados baseados no tempo
real, de utilização de equipamentos elétricos e mecâni-
cos, evitando manutenções preventivas desnecessárias. • Barramento de interligação Ethernet
Equipamentos com manutenções baseadas em seu des-
gaste efetivo, podem possuir dispositivos de alarme
Redes TCP/IP Ethernet tem se tornado o padrão mundial
disparados pela deterioração da vida útil do equipamento,
para troca de informações. A Indústria têm reconhecido
ao invés de simplesmente manutenções programadas.
a Ethernet como uma rede de alta velocidade, flexível,
de baixo custo e não dependente de fornecedor. Diver-
sos fornecedores e usuários podem compartilhar redes
• Evitando e solucionando problemas
Ethernet. A Cutler-Hammer utiliza em seu Sistema
PowerNet, o padrão TCP/IP Ethernet como barramento
Operadores recebem alertas de problemas potenciais,
de rede de alta velocidade para troca de informações
antes que ocorram, tais como o início de contagem do
entre os programas de uma fábrica, bem como entre as
tempo para desligamento de um disjuntor. As cargas podem
fábricas pelo Mundo. Os dois produtos projetados para
ser distribuídas ou transferidas para fontes alternativas,
interfacear diretamente com uma rede TCP/IP Ethernet
de modo a evitar desligamentos desnecessários de
são o Ethernet PONI, previsto para somente um equipa-
disjuntores principais em situações de sobrecarga.
mento, e o NetLink projetado para conectar diversos
Informações cruciais da distribuição de energia estão
equipamentos a um barramento de rede Ethernet. Redes
disponíveis instantaneamente, permitindo identificar
qual disjuntor desligou, bem como a causa e a magnitu- Ethernet podem utilizar uma combinação de cabos inclu-
de do problema. Informações sobre a seqüência dos indo par trançado não blindado, coaxial e fibra ótica.

CAT.78.01.T.P
56 Produtos para Gerenciamento de Energia
Sistema de Comunicação PowerNet Janeiro 2000
Descrição Geral e Dados Técnicos

Par trançado blindado Tabela de Escolha PowerNet


o
ar
Os usuários que desejarem instalar uma rede dedicada para de isp T
os D B
monitorar o sistema de energia, podem optar por uma n t de es
me ção des ntor de ção
rede dedicada Ethernet ou a instalação de um par trançado tru edi ida sju lé ot
s e
s
blindado. Uma rede de 1000 equipamentos, percorrendo In M Un Di Re Pr
até 3300 metros, pode ser instalada com um único cabo Tabela de seleção
de par trançado blindado. Para redes com mais de 1000

IQ DP-4000/IQ DP-4130
dos produtos de
equipamentos, um segundo cabo de par trançado blin- Gerenciamento
dado pode ser acrescido, permitindo o monitoramento de Energia
de 2000 equipamentos por um único computador.

(1)

Digitrip 3000
Digitrip 1150
IQ Analyzer
Rede existente

MP 3000
IQ 200
Quando se vai instalar uma rede em uma fábrica já em
funcionamento, pode não ser vantajoso economicamen-
te instalar um par trançado blindado dedicado e a rede
Ethernet pode não estar disponível. Neste caso, são Tensão (fase-fase) X X X X
utilizados Drivers de Linha para transmitir as comunicações Tensão (fase-neutro) X X X X
pelas redes existentes, que não a Ethernet. Drivers de Corrente de fase X X X X X X
Linha permitem o uso de linhas telefônicas , fibra ótica e Corrente de terra X X X
rádios transmissores para comunicação sem fio. Energia
kW X X X X
kWh X X X X
Softwares PowerNet da Cutler-Hammer kVA X X X X
kVAh X X X X
O conjunto de Softwares PowerNet da Cutler-Hammer in- Var X X X X
clue múltiplos programas cliente e servidor. O software Varh X X X X
PowerNet da Cutler-Hammer é vendido em pacotes ou pode FP X X X X
ser adquirido como componente individual. Independente- Demanda
mente de qual componente o usuário escolha, o cliente kW demanda X X X X
receberá um CD incluindo todas aplicações cliente e servi- kVA demanda X X X X
dor. Estas aplicações cliente podem ser carregados em A demanda X X X X X
kVar demanda X X X X
qualquer computador pessoal. O usuário efetivamente irá
adquir as licenças para rodar o programa. Estas licenças Qualidade de energia
são controladas no servidor e proporcionam aos usuários THD 50 30
em qualquer ponto da rede, com adequados privilégios Corrente THD X X X
Tensão THD X X
de segurança, o direito de rodar o programa. Licenças de
Fator de Pico/ Fator K X
Softwares clientes, rodarão em Windows 95, 98 e NT4.0.
FrequênciaX X X X X
Forma onda da Corrente X X
- NetPower Monitor Forma onda da Tensão X
- NetPower Graphics
Outras Características
- NetPower Waveform
Programação via PC X X X X X X
- NetPower Bill
Contador de operações X X
- NetPower Trend Alarme sobrecarga X X X
- NetPower DDE Server Ajuste de disparo X X X
- NetPower Modbus Tools Controle remoto X X X
- NetPower Core Perfil da partida X
- NetPower Configurator Entradas / Saídas
- NetPower Setpoints and Trip Curve Entrada digital 3 1 1 2
- Device Server Saída digital 4 3 5 4
- NetPower Security Manager Entrada analógica 1
- NetPower Tools Saída analógica 3 1
Módulos de Comunicação
IPONI X X X
Produtos e Sistemas de Gerenciamento de Energia BPONI
LPONI
Os produtos Cutler-Hammer de controle e distribuição de INCOM Comunicação
energia elétrica, gerenciados pelo Sistema PowerNet, X X X
Incorporada
adicionam o máximo de valor às suas instalações, forne- EPONI Ethernet PONI X X
cendo soluções ótimas com flexibilidade, confiabilidade DPONI DeviceNet PONI X
e continuidade de serviço. Nossos engenheiros estão Nota:
disponíveis para discutir qualquer aplicação ou adaptação (1) Unidades de Disparo, com menor gama de funções, tambem podem ser
necessária ao seu caso específico. Contate-nos! fornecidas (Digitrip RMS910 / RMS810 / OPTIM 1050 / OPTIM 750).

CAT.78.01.T.P
Soluções Abertas em Automação 57
Janeiro 2000 DeviceNet
Descrição Geral

Soluções abertas em automação da Cutler-Hammer Soluções de Sistemas

A Cutler-Hammer tem o compromisso de proporcionar A Cutler-Hammer oferece Soluções de Sistemas adequa-


soluções abertas, que mantêm você, com o controle da das a suas necessidades específicas. Nossos Gerentes
produção de sua fábrica. Nós proporcionamos as melho- de Soluções de Sistemas podem explicar os recursos
res soluções possíveis, desde dispositivos inteligentes dos Sistemas Abertos de Automação da Cutler-Hammer.
para o chão de fábrica, até interfaces com o operador e Podem ainda, trabalhar conjuntamente numa análise de
sistemas completos de controle, independentemente da custos, definir o ROI (retorno sobre investimento) do
plataforma lógica ou tipo de rede. Construímos nossa projeto idealizado, desenvolver uma proposta formal e
experiência na liderança mundial no segmento industrial acompanhar a implantação do projeto.
em dispositivos de controle, o que nos permite projetar Nossas soluções auxiliam na redução das margens de
da base para cima, ao invés de, de cima para baixo. Esta risco e de recursos necessários, através de:
estratégia assegura que forneçamos o melhor, no seg-
mento de produtos de controle industrial, maximizando - Controle e automação da tarifação
o desempenho das máquinas e viabilizando que execu- - Análise de custos com estimativa do retorno previsto
tem exatamente o que delas se requer. - Gerenciamento do projeto
- Interfaces com terceiros
- Soluções de projeto completo (turnkey)
• A melhor linha de componentes e tecnologia no segmento - Treinamento
- Suporte técnico
Soluções inovadoras são o coração dos sistemas abertos
em automação da Cutler-Hammer, com produtos e ser-
viços de comprovada experiência em tecnologias de con- Serviços de Engenharia
trole, de ponta.
Nosso foco está em dispositivos de controle industrial Prestamos suporte técnico contínuo, através dos Ser-
para a indústria de ponta, o que permite nos concentrar- viços de Suporte em Engenharia da Cutler-Hammer,
mos nas características e tecnologia que melhor se que incluem:
adaptem às necessidades específicas das aplicações de
nossos clientes. Este foco, têm permitido à Cutler-Hammer - Controle de Projeto e Engenharia
evitar debates, relativos à coerência da propriedade de - Programação de Softwares
sistemas, que restringem os usuários a uma única solu- - Instalação e Comissionamento
ção. Efetivamente, a Cutler-Hammer assegura fornecer
as melhores soluções em automação aberta, desde o
chão de fábrica ao sistema MES / ERP de informação.

CAT.78.01.T.P
58 Soluções Abertas em Automação
DeviceNet Janeiro 2000
Descrição Geral

A melhor solução para qualquer aplicação, é aquele sis- Controle aberto é o novo padrão. Então, escolha o único
tema que atenda aos interesses de médio e longo prazos parceiro que possui os equipamentos especificamente
do cliente. Nosso compromisso em construir os melho- desenvolvidos para tal conceito, estando comprometido
res e mais inovadores sistemas e dispositivos, abrange a com seu futuro e padronizado em controle aberto –
todos os produtos por nós projetados e fabricados. Por Cutler-Hammer.
exemplo, a Cutler-Hammer oferece sistemas completos
em regime de “turnkey”, incluindo:
Por que Soluções Abertas em Automação da
- A mais ampla gama de soluções em sensores Cutler-Hammer ?
DeviceNet disponível
- Centros de Controle de Motores Inteligentes baseados Porque com a Cutler-Hammer, você pode:
em rede DeviceNet, com liderança no segmento industrial,
e que proporcionam o melhor sistema de diagnóstico e - Reduzir o período de projeto, por utilizar menor quanti-
controle, e com dimensões e preços extremamente dade de componentes
competitivos - Reduzir os trabalhos de fiação, necessidades de espaço
- A tecnologia e os programas de interface com a linha e tempo de instalação em até 50%
de IHM PanelMate, proporcionam incomparável controle - Fazer facilmente a integração com o sistema de infor-
intuitivo, com características simples de configuração mação da planta
e monitoração - Reduzir o tempo de instalação, comissionamento e
- O econômico DN50, o único bloco DeviceNet E/S que manutenção com a instalação de dispositivos
oferece uma combinação de até 56 pontos discretos e “plug-and-play” – mesmo com o sistema energizado
4 analógicos, para componentes que não sejam da - Expandir facilmente o sistema de controle, através de
família DeviceNet
software e sem requisitos dispendiosos de desenvolvi-
- O menor sensor fotoelétrico DeviceNet disponível no
mento, engenharia e instalação
mercado industrial
- Minimizar paradas não programadas, com o uso de
- Gerenciamento de Projeto para assegurar o sucesso no
dispositivos inteligentes que sinalizam quando devem
controle de implementação
ser substituídos – antes que falhem
- Serviços de Engenharia, incluíndo projetos de rede e lógica
- Reduzir tempo de parada de horas para minutos, com
melhores diagnósticos que localizam com precisão os
pontos problemáticos durante o processo de produção,
• Controle aberto e Redes abertas
de modo que se possa saber o que e onde corrigir.
A Cutler-Hammer está claramente posicionada para for-
necer a melhor estratégia de migração para a próxima
geração de sistemas abertos de controle. DeviceNet: A Melhor Escolha para Controle de Máquinas
Com os dispositivos abertos inteligentes, disponíveis
para qualquer aplicação de controle industrial, a DeviceNet é uma rede de comunicações de baixo custo,
Cutler-Hammer pode sugerir como migrar de controles uma vez que permite a equipamentos industriais tornarem-
standard para redes abertas, minimizando o tempo de se inteligentes, e assim viabilizar seu controle, com a
aprendizado e interrupções. incorporação do chip CAN, que devidamente configurado
De fato, algumas das empresas com liderança mundial, pode ser monitorado por um CLP inteligente e / ou por
participam com a Cutler-Hammer porque acreditam em um PC industrial. Com a concepção DeviceNet, os trabalhos
nossas soluções comprovadas – uma combinação de demorados e custosos de cablagem / fiação, necessários
idéias, produtos e serviços de suporte, sem igual no quando se usa controles convencionais, podem ser subs-
segmento industrial. tituídos por uma rede de controles inteligente composta
Oferecemos aos nossos parceiros: por um único cabo, que permitirá a comunicação entre
dispositivos inteligentes, proporcionando um sistema de
- Uma gama completa de programas integrados, desde o controle excelente.
desenvolvimento até a configuração e soluções de apli O Controle Inteligente DeviceNet da Cutler-Hammer,
cações de controles proporciona:
- Componentes inteligentes de ponta
- Plataformas lógicas e opções de redes que melhor se - Economia significativa de custos, ao longo do ciclo de
adaptem a cada aplicação vida de um sistema de controle
- Um compromisso com as soluções de redes abertas, - redução drástica dos custos com fiação de controle e CPU
como membro fundador da ODVA (Open DeviceNet - simplificação da sistemática de projeto e implantação,
Vendors Association), e membro do conselho da com um sistema simples de “plug-and-play”
ControlNet International - Incremento de Produtividade
- Uma clara estratégia de migração, no sentido de mudar - redução ou eliminação de paradas, devido a diagnós-
para redes abertas e controle aberto, bem como com ticos antecipados
tecnologias abertas de nova geração - características IHM e OI sensivelmente melhoradas.

CAT.78.01.T.P
Soluções Abertas em Automação 59
Janeiro 2000 DeviceNet
Descrição Geral

Visão Geral sobre o DeviceNet • Camada de Aplicação DeviceNet

• O que é DeviceNet ? - Permite transmissão de mensagens E/S alta velocidade


- Proporciona transmissão de mensagens explítcitas,
para programação, configuração e monitoração
- Uma rede aberta de comunicação que interfaceia os - Utiliza um objeto modelo abstrato, para definir interfaces
dispositivos do chão-de-fábrica, tais como sensores externas de dispositivos. A modelagem do objeto
e atuadores proporciona implementação aberta, interface independente
- É apoiada pela associação independente de fornecedores: que suporta a inter-operacionalidade e intercambiabilidade
ODVA (Open DeviceNet Vendors Association) de dispositivos de diferentes fornecedores
- É uma resposta às necessidades dos usuários, OEM e - Aumenta a importância do identificador de mensagens CAN
fornecedores, no que se refere a produtividade, flexibi-
lidade e competitividade • Sistemas Abertos de Controle Típicos

- PC industrial executa todo controle, IHM, interface


• Produtos Típicos DeviceNet com operador e funções de configuração
- DeviceNet substitui módulos E/S analógicos e digitais
- Scanners para programas de controle baseados em PC, - DeviceNet conecta diretamente dispositivos, abran-
gendo desde sensores foto-elétricos e chaves fim-de-
e programas de ferramentas de rede
curso, até acionamentos e interfaces com operador,
- Scanners para CLP’s utilizando um único cabo
- Sensores de proximidade, chaves fim-de-curso - E/S convencionais se conectam com DeviceNet através
- Válvulas, solenóides de módulos de E/S
- Sensores fotoelétricos - custo reduzido devido aos iPC abertos e redução da
- Partidas de motores quantidade de CPU’s
- Inversores de freqüência - conectividade incrementada através das opções da
rede de PC’s existente
- Blocos E/S
- diagnósticos incrementados através das opções da
- Scanners de códigos de barras rede de PC’s existente
- Interfaces com operadores (IHM / iPC)
- Resolvers, encoders e sensores de posição
Topologia típica DeviceNet

• Tecnologia DeviceNet CAN

- Baseado no protocolo CAN, que foi originalmente Linha Tronco Linha Derivação
desenvolvido para ambientes automotivos
- CAN designa as camadas de sinalização física e de
interligação de dados
- DeviceNet acrescenta as especificações da camada Conector “T”
física e da camada de aplicação
- Proporciona encaminhamento de mensagens livres de
erros a todas estações, detectando qualquer desvio e ODVA - Open DeviceNet Vendor Association
fazendo nova tentativa
- Utiliza confirmação de mensagem multi-direcionada: A ODVA é um grupo de fabricantes de sistemas DeviceNet,
todas estações recebem todas mensagens dedicados a soluções abertas de controle, em rápida
- Máximo de 8 data-bytes por mensagem expansão. Mais de 200 empresas, lideradas pelos mem-
bros fundadores: Allen-Bradley, Cutler-Hammer, Hitachi
e Omron, trabalhando conjuntamente e prestando assis-
tência a fornecedores, integradores, OEM’s e usuários
• Camada física DeviceNet de sistemas, com ferramentas de desenvolvimento, trei-
namento, testes de conformidade e atividades de
- Suporta até 64 nós por sub-rede marketing. A ODVA também dá apoio a fornecedores da
- 125K, 250K e 500K bits / seg SIG’s (Special Interest Groups) no desenvolvimento de
- 500 m, 200 m e 100 m como comprimentos máximos conceitos para determinados tipos de produtos.
- Alimentação 24 Vcc no próprio cabo de comunicação Devido ao fato de a especificação e o protocolo serem
- Suporta uma combinação de terminais abertos, mini e efetivamente abertos, não é requerido dos fornecedores
a compra de hardware, software ou licenças para desen-
micro conectores selados volver produtos para DeviceNet. Isto resulta em suporte
- Suporta inserção e remoção online de nós efetivo para o protocolo, para os fornecedores, o que
- Topologia da linha tronco – derivação resulta ainda em uma ampla variedade de produtos a
custo baixo para o usuário.

CAT.78.01.T.P
60 Soluções Abertas em Automação
DeviceNet Janeiro 2000

Esta página foi deixada intencionalmente em branco

CAT.78.01.T.P