Você está na página 1de 3

36.

Em um reator, operando a uma temperatura de 556 K e a uma pressão de 2 bar, ocorre


a seguinte reação:

Nessa temperatura, a constante de equilíbrio da reação assume o valor de K1 = 54,6. Além


disso, a corrente de alimentação do reator contém água e monóxido de carbono na razão
molar de 2:1, respectivamente. Sabendo-se que a razão molar entre água e dióxido de
carbono na saída do reator é de 1,035, a razão molar entre hidrogênio e monóxido de
carbono na saída do reator é de

(A) 28,3

(B) 52,8

(C) 56,5

(D) 1,80 x 10-2

(E) 1,90 x 10-2

Solução:

Pode-se observar que o enunciado da questão da um dado importante sobre a saída do


reator, o que poderia diminuir consideravelmente os cálculos:

A razão molar entre água e dióxido de carbono na saída do reator é de 1,035

Isso significa que,

𝑛𝐻2 𝑂 2 − 𝜀
= = 1,035
𝑛𝐶𝑂2 𝜀

𝜀 = 0,9828

Então:

𝑛𝐻2 𝜀 0,9828
= = = 57 ≈ 56,5
𝑛𝐶𝑂 1 − 𝜀 0,0172

A alternativa correta é a letra C


Caso não tivéssemos dados sobre o grau e avanço da reação, precisaríamos resolver a
equação abaixo:

Temos que:
𝑛
−𝑣 𝑣𝑖
𝑃 −𝑣
(𝑛0 + 𝑣𝜀) ∏ ∅𝑖 (𝑛𝑖0 + 𝑣𝑖 𝜀) = ( ) 𝐾1
𝑃0
𝑖=1

Considerando comportamento ideal (a baixa pressão permite), ∅𝑖 = 1, sabendo que 𝑣 =


0, ou seja, não havendo influência da pressão:

𝜀2
= 𝐾1
(1 − 𝜀)(2 − 𝜀)

Donde:

𝜀 2 = 𝐾1 (2 − 3𝜀 + 𝜀 2 )

(𝐾1 − 1)𝜀 2 − 3𝐾1 𝜀 + 2𝐾1 = 0

Ou:

53,6𝜀 2 − 163,8𝜀 + 109,2 = 0

Ou seja:

163,8 − √163,82 − 4 × 53,6 × 109,2


𝜀=
2 × 53,6

𝜀 = 0,9826

Assim:

𝑛𝑖 𝑛𝑖0 + 𝑣𝑖 𝜀
𝑦𝑖 = =
𝑛𝑇 𝑛0 + 𝑣𝜀

A razão entre o H2 e o CO na saída do reator é então:

𝑛𝐻2 𝜀
𝑅= = = 56,45 ≈ 56,5
𝑛𝐶𝑂 1 − 𝜀

O que pode ser constado por:

Para o CO:
1 − 𝜀 1 − 0,9826
𝑦𝐶𝑂 = = = 5,8 × 10−3
3 3

Para o H2:

𝜀 0,9826
𝑦𝐻2 = = = 0,32753
3 3

Então:

𝑛𝐻2 𝑦𝐻2 𝑛𝑇 𝑦𝐻2


𝑅= = =
𝑛𝐶𝑂 𝑦𝐶𝑂 𝑛𝑇 𝑦𝐶𝑂

0,32753
𝑅= = 56,47
5,8 × 10−3

𝑅 ≈ 56,5