Você está na página 1de 105

Informativos de Processo Civil 2018-2010

2º Semestre 2017

Superior Tribunal de Justiça


• A interferência judicial para invalidar a estipulação das tarifas de
transporte público urbano viola a ordem pública, mormente nos
casos em que houver, por parte da Fazenda estadual,
esclarecimento de que a metodologia adotada para fixação dos
preços era técnica. (Inf. 605 do STJ, AgInt no AgInt na SLS 2.240-SP,
Corte Especial) IMPORTANTE! PGE-SP
• A ação rescisória, quando busca desconstituir sentença
condenatória que fixou honorários advocatícios sucumbenciais,
deve ser proposta não apenas contra o titular do crédito principal
formado em juízo, mas também contra o advogado em favor de
quem foi fixada a verba honorária.
(Inf. 605 do STJ, RESP 1.651.057-CE, 3ª Turma) IMPORTANTE!
• A disposição constante do art. 1.017, § 5º, do CPC/2015, que
dispensa a juntada das peças obrigatórias à formação do agravo de
instrumento em se tratando de processo eletrônico, exige, para sua
aplicação, que os autos tramitem por meio digital tanto no primeiro
quanto no segundo grau de jurisdição.
(Inf. 605 do STJ, RESP 1.643.956-PR, 3ª Turma) IMPORTANTE!

• Os dispositivos do art. 4º, caput, e §§ 1º e 2º, da Lei n. 11.738/2008


não amparam a tese de que a União é parte legítima, perante
terceiros particulares, em demandas que visam à sua
responsabilização pela implementação do piso nacional do
magistério, afigurando-se correta a decisão que a exclui da lide e
declara a incompetência da Justiça Federal para processar e julgar o
feito ou, em sendo a única parte na lide, que decreta a extinção da
demanda sem resolução do mérito. (Inf. 606 do STJ, RESP
1.559.965-RS, Recurso Repetitivo)

• É permitida a imposição de multa diária (astreintes) a ente público


para compeli-lo a fornecer medicamento a pessoa desprovida de
recursos financeiros.
(Inf. 606 do STJ, RESP 1.474.665-RS, Recurso Repetitivo).
IMPORTANTE!

• Não é extinta a denunciação da lide apresentada


intempestivamente pelo réu nas hipóteses em que o denunciado
contesta apenas a pretensão de mérito da demanda principal. (Inf
606 do STJ, RESP 1.637.108-PR, 3ª Turma). IMPORTANTE!
• O contrato particular de abertura de crédito a pessoa física visando
financiamento para aquisição de material de construção –
Construcard –, ainda que acompanhado de demonstrativo de débito
e nota promissória, não é título executivo extrajudicial.
(Inf. 606 do STJ, RESP 1.323.951-PR, 4ª Turma)
• A correção monetária dos depósitos judiciais deve incluir os
expurgos inflacionários.
(Inf. 607 do STJ, RESP 1.131.360-RJ, Recurso Repetitivo).
IMPORTANTE!

• A partir da vigência da Lei n. 10.444/2002, que incluiu o § 1º ao art.


604, dispositivo que foi sucedido, conforme Lei n. 11.232/2005, pelo
art. 475-B, §§ 1º e 2º, todos do CPC/1973, não é mais
imprescindível, para acertamento de cálculos, a juntada de
documentos pela parte executada ou por terceiros, reputando-se
correta a conta apresentada pelo exequente, quando a requisição
judicial de tais documentos deixar de ser atendida,
injustificadamente, depois de transcorrido o prazo legal. Assim, sob
a égide do diploma legal citado, incide o lapso prescricional, pelo
prazo respectivo da demanda de conhecimento (Súmula 150/STF),
sem interrupção ou suspensão, não se podendo invocar qualquer
demora na diligência para obtenção de fichas financeiras ou outros
documentos perante a administração ou junto a terceiros.
(Inf. 607 do STJ, RESP 1.336.026-PE, Recurso Repetitivo).
IMPORTANTE!

• O cessionário de honorários advocatícios tem legitimidade para se


habilitar no crédito consignado em precatório desde que
comprovada a validade do ato de cessão por escritura pública
e seja discriminado o valor devido a título de verba
honorária no próprio requisitório, não preenchendo esse último
requisito a simples apresentação de planilha de cálculo final
elaborada pelo Tribunal de Justiça. (Inf. 607 do STJ, ERESP
1.127.228-RS, Corte Especial) IMPORTANTE!
• O desempenho de mandato eletivo no Poder Legislativo impede o
exercício da advocacia a favor ou contra pessoa jurídica de direito
público pertencente a qualquer das esferas de governo – municipal,
estadual ou federal. (Inf. 607 do STJ, EARESP 519.194-AM, 1ª Seção)
IMPORTANTE!

• O exercício da legitimação extraordinária, conferida para tutelar


direitos individuais homogêneos em ação civil pública, não pode ser
estendido para abarcar a disposição de interesses personalíssimos,
tais como a intimidade, a privacidade e o sigilo bancário dos
substituídos. (Inf. 607 do STJ, RESP 1.611.821-MT, 3ª Turma)
IMPORTANTE!

• O valor da multa cominatória (astreintes) não integra a base de


cálculo da verba honorária disciplinada pelo CPC/1973. (Inf. 608 do
STJ, RESP 1.367.212-RR, 3ª Turma) IMPORTANTE! Rever.
• A empresa de factoring, que figura como cessionária dos direitos e
obrigações estabelecidos em contrato de compra e venda em
prestações, de cuja cessão foi regularmente cientificado o devedor,
tem legitimidade para figurar no polo passivo de demandas que
visem a revisão das condições contratuais. (Inf. 608 do STJ, RESP
1.343.313-SC, 4ª Turma)

• É possível o requerimento de antecipação dos efeitos da tutela em


sede de sustentação oral. (Inf. 608 do STJ, RESP 1.332.766-SP, 4ª
Turma)

• O conceito de documento comum, previsto no art. 844, II, do


CPC/1973, não se limita àquele pertencente a ambas as partes,
mas engloba também o documento sobre o qual elas têm interesse
comum, independentemente de o solicitante ter participado de sua
elaboração. (Inf. 609 do STJ, RESP 1.645.581-DF, 3ª Turma)
IMPORTANTE!

• Associação de Municípios e Prefeitos não possui legitimidade ativa


para tutelar em juízo direitos e interesses das pessoas jurídicas de
direito público.
(Inf. 610 do STJ, RESP 1.503.007-CE, 1ª Seção) IMPORTANTE!
• Cabem embargos de divergência no âmbito de agravo que não
admite recurso especial com base na Súmula 83/STJ para dizer que,
no mérito, o acórdão impugnado estaria em sintonia com o
entendimento firmado por esta Corte Superior.
(Inf. 610 do STJ, EARESP 200.299-PE, 1ª Seção) IMPORTANTE!

• O termo inicial da contagem do prazo para impugnar decisão


judicial é, para o Ministério Público, a data da entrega dos autos na
repartição administrativa do órgão, sendo irrelevante que a
intimação pessoal tenha se dado em audiência, em cartório ou por
mandado. (Inf. 611 do STJ, RESP 1.349.935-SE, Recurso Repetitivo)
IMPORTANTE!

• A data da entrega dos autos na repartição administrativa da


Defensoria Pública é o termo inicial da contagem do prazo para
impugnação de decisão judicial pela instituição,
independentemente de intimação do ato em audiência.
(Inf. 611 do STJ, HC 296.759-RS, 3ª Seção) IMPORTANTE!

• A ausência de interrogatório e a atuação concomitante do


Ministério Público como curador do interditando e como fiscal da
ordem jurídica dão ensejo à nulidade do processo de interdição.
(Inf. 611 do STJ, RESP 1.686.161-SP, 3ª Turma)

• Decisão que não aprecia o mérito não gera impedimento por


parentesco entre magistrados. (Inf. 611 do STJ, RESP 1.673.327-SC,
3ª Turma) IMPORTANTE!
• Não se admite o cabimento da remessa necessária, tal como
prevista no art. 19 da Lei n. 4.717/65, nas ações coletivas que
versem sobre direitos individuais homogêneos.
(Inf. 612 do STJ, RESP 1.374.232-ES, 3ª Turma) IMPORTANTE!

• O inventariante, representando o espólio, não tem poder de voto


em assembleia de sociedade anônima da qual o falecido era sócio,
com a pretensão de alterar o controle da companhia e vender bens
do acervo patrimonial, cujo benefício não se reverterá a todos os
herdeiros. (Inf. 612 do STJ, RESP 1.627.286-GO, 3ª Turma)

• O conceito de "dúvida objetiva", para a aplicação do princípio da


fungibilidade recursal, pode ser relativizado, excepcionalmente,
quando o equívoco na interposição do recurso cabível decorrer da
prática de ato do próprio órgão julgador.
(Inf. 613 do STJ, EARESP 230.380-RN, 2ª Seção) IMPORTANTE!

• A instituição arbitral, por ser simples administradora do


procedimento arbitral, não possui interesse processual nem
legitimidade para integrar o polo passivo da ação que busca a sua
anulação. (Inf. 613 do STJ, REsp 1.433.940, 3º Turma)
IMPORTANTE!

• O curador especial tem legitimidade para propor reconvenção em


favor de réu revel citado por edital. (Inf. 613 do STJ, REsp
1.088.068, 4º Turma) IMPORTANTE!

• Mesmo antes do advento da Lei n. 13.043/2014, que deu nova


redação ao art. 2º do Decreto-Lei n. 911/69, já era cabível o
ajuizamento de ação de prestação de contas relativas aos valores
auferidos com o leilão extrajudicial de veículo apreendido em busca
e apreensão. (Inf. 613 do STJ, REsp 1.678.525, 4º Turma)

• A vítima de acidente de trânsito pode ajuizar demanda direta e


exclusivamente contra a seguradora do causador do dano quando
reconhecida, na esfera administrativa, a responsabilidade deste
pela ocorrência do sinistro e quando parte da indenização
securitária já tiver sido paga.
(Inf. 614 do STJ, REsp 1.584.970, Terceira Turma) IMPORTANTE!

• São absolutamente impenhoráveis os créditos vinculados ao


programa Fundo de Financiamento Estudantil - FIES constituídos em
favor de instituição privada de ensino.
(Inf. 614 do STJ, REsp 1.588.226, Terceira Turma) IMPORTANTE!

• Não é possível a penhora do saldo do Fundo de Garantia por Tempo


de Serviço - FGTS para o pagamento de honorários de
sucumbência.
(Inf. 614 do STJ, REsp 1.619.868, Terceira Turma) IMPORTANTE!
• O beneficiário de plano de saúde coletivo por adesão possui
legitimidade ativa para se insurgir contra rescisão contratual
unilateral realizada pela operadora.
(Inf. 615 do STJ, REsp 1.705.311, Terceira Turma) IMPORTANTE!
• Cabe agravo de instrumento contra o provimento jurisdicional que,
após a entrada em vigor do CPC/2015, acolhe ou rejeita incidente
de impugnação à gratuidade de justiça instaurado, em autos
apartados, na vigência do regramento anterior.
(Inf. 615 do STJ, REsp 1.666.321, Terceira Turma)

• Na fase de cumprimento de sentença, é incabível a rejeição do


seguro garantia judicial pelo exequente, salvo por insuficiência,
defeito formal ou inidoneidade da salvaguarda oferecida. (Inf. 615
do STJ, REsp 1.691.748, Terceira Turma) IMPORTANTE!

• Admite-se emenda à inicial de ação civil pública, em face da


existência de pedido genérico, ainda que já tenha sido apresentada
a contestação.
(Inf. 615 do STJ, REsp 1.279.586, Quarta Turma) IMPORTANTE!
Supremo Tribunal Federal
• A justiça comum, federal ou estadual, é competente para julgar a
abusividade de greve de servidores públicos celetistas da
Administração pública direta, autarquias e fundações públicas. (Inf.
871 do STF, RE 846854/SP, Repercussão Geral) IMPORTANTE!

• O art. 1º-F da Lei 9.494/1997 (1), com a redação dada pela Lei
11.960/2009, na parte em que disciplina os juros moratórios
aplicáveis a condenações da Fazenda Pública, é
inconstitucional ao incidir sobre débitos oriundos de relação
jurídico-tributária, aos quais devem ser aplicados os mesmos
juros de mora pelos quais a Fazenda Pública remunera seu crédito
tributário, em respeito ao princípio constitucional da isonomia [CF,
art. 5º, “caput” (2)]; quanto às condenações oriundas de relação
jurídica não-tributária, a fixação dos juros moratórios
segundo o índice de remuneração da caderneta de poupança é
constitucional, permanecendo hígido, nesta extensão, o disposto no
art. 1º-F da Lei nº 9.494/1997 com a redação dada pela Lei nº
11.960/2009.
O art. 1º-F da Lei nº 9.494/1997, com a redação dada pela Lei nº
11.960/2009, na parte em que disciplina a atualização monetária
das condenações impostas à Fazenda Pública segundo a
remuneração oficial da caderneta de poupança, revela-se
inconstitucional ao impor restrição desproporcional ao direito de
propriedade [CF, art. 5º, XXII (3)], uma vez que não se qualifica
como medida adequada a capturar a variação de preços da
economia, sendo inidônea a promover os fins a que se destina.
(Inf. 878 do STF, RE 870947/SE, Repercussão Geral)
• O Ministério Público Estadual não tem legitimidade ativa de causa
junto aos Tribunais de Contas, cuja atuação se limita ao controle
externo, nos termos da Constituição.
(Inf. 883 do STF. Rcl 24156 AdR/DF. Segunda Turma)
• No processo administrativo, o termo inicial para formalização do
mandado de segurança pressupõe a ciência do impetrante quanto
ao ato a ser impugnado.
(Inf. 884 do STF. RMS 32487/RS. Primeira Turma) IMPORTANTE!
• A quantia devida a título de honorários advocatícios é única, e, por
se tratar de um único processo, calculada sobre o montante total
devido, não sendo possível seu fracionamento.
(Inf. 884 do STF. RE 1038035 AgR/RS. Segunda Turma)
• Descabe ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), cujas atribuições
são exclusivamente administrativas, o controle de controvérsia
submetida à apreciação do Poder Judiciário.
(Inf. 885 do STF, MS 28845, Primeira Turma)
• As empresas públicas e sociedades de economia mista não têm
direito à prerrogativa de execução via precatório. (Inf. 888 do STF,
RE 851711, Primeira Turma) IMPORTANTE!
• É inviável reclamação com fundamento em afronta ao julgado da
ADC 16.
(Inf. 888 do STF, Rcl 28623, Primeira Turma)

1º Semestre 2017

Superior Tribunal de Justiça


• A fraude à execução só poderá ser reconhecida se o ato de
disposição do bem for posterior à citação válida do sócio devedor,
quando redirecionada a execução que fora originariamente
proposta em face da pessoa jurídica. (Ing. 594 do STJ, REsp
1.391.830-SP, Terceira Turma.)

• A notificação prévia dos ocupantes não é documento essencial à


propositura da ação possessória. (Inf. 594 do STJ, REsp 1.263.164-
DF, Quarta Turma.) IMPORTANTE!
• É possível o manejo de interditos possessórios em litígio entre
particulares sobre bem público dominical. (Inf. 594 do STJ, REsp
1.296.964-DF, Quarta Turma.) IMPORTANTE!
• Deve ser contado em dobro o prazo para o cumprimento voluntário
de sentença no caso de réu assistido pela Defensoria Pública.
(Inf. 594 do STJ, REsp 1.261.856-DF, Quarta Turma.) IMPORTANTE!
• Compete à Justiça Eleitoral processar e julgar as causas em que a
análise da controvérsia é capaz de produzir reflexos diretos no
processo eleitoral.
(Inf. 596 do STJ, CC 148.693-BA, Segunda Seção.)
• É possível o ajuizamento de ação regressiva pela autarquia
previdenciária com o objetivo de ressarcimento de valores pagos a
título de pensão por morte aos filhos de segurada, vítima de
homicídio praticado por seu ex-companheiro.
(Inf. 596 do STJ, REsp 1.431.150-RS, Segunda Turma.)
IMPORTANTE!

• O advogado deve receber os honorários contratuais calculados


sobre o valor global do precatório decorrente da condenação da
União ao pagamento a Município da complementação de repasses
ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino
Fundamental e de Valorização do Magistério (FUNDEF), e não sobre
o montante que venha a sobrar após eventual compensação de
crédito de que seja titular o Fisco federal.
(Inf. 597 do STJ, REsp 1.516.636-PE, Primeira Turma.)

• É possível, em processo de dissolução de casamento em curso no


país, que se disponha sobre direitos patrimoniais decorrentes do
regime de bens da sociedade conjugal aqui estabelecida, ainda que
a decisão tenha reflexos sobre bens situados no exterior para
efeitos da referida partilha. (Inf. 597 do STJ, REsp 1.552.913-RJ,
Quarta Turma.) IMPORTANTE!

• É adequada a inclusão dos honorários periciais em conta de


liquidação mesmo quando o dispositivo de sentença com trânsito
em julgado condena o vencido, genericamente, ao pagamento de
custas processuais. (Inf. 598 do STJ, REsp 1.558.185-RJ, Terceira
Turma.) IMPORTANTE!

• Os sucessores da vítima têm legitimidade para ajuizar ação de


cobrança de pagamento de indenização do seguro DPVAT por
invalidez permanente ocorrida antes da morte daquela. (Inf. 598 do
STJ, REsp 1.185.907-CE, Quarta Turma.) IMPORTANTE!

• O pedido cumulado de indenização, quando mediato e dependente


do reconhecimento do pedido antecedente de declaração da
autoria da obra, não afasta a regra geral de competência do foro do
domicílio do réu. (Inf. 599 do STJ, REsp 1.138.522-SP, Segunda
Seção.)

• A aplicação de astreintes é válida quando o genitor detentor da


guarda da criança descumpre acordo homologado judicialmente
sobre o regime de visitas.
(Inf. 599 do STJ, REsp 1.481.531-SP, Terceira Turma.)
IMPORTANTE!

• Ação de usucapião especial urbana. Benefícios da justiça e da


assistência judiciária gratuita. Presunção relativa de
hipossuficiência.
(Inf. 599 do STJ, REsp 1.517.822-SP, Terceira Turma.)
IMPORTANTE!

• Na execução de alimentos pelo rito do art. 733 do CPC/73, o


executado pode comprovar a impossibilidade de pagamento por
meio de prova testemunhal, desde que a oitiva ocorra no tríduo
previsto para a justificação.
(Inf. 599 do STJ, REsp 1.601.338-SP, Terceira Turma.)
• Em ação indenizatória decorrente de ato ilícito, não há litisconsórcio
necessário entre o genitor responsável pela reparação (art. 932, I,
do CC) e o menor causador do dano. É possível, no entanto, que o
autor, por sua opção e liberalidade, tendo em conta que os direitos
ou obrigações derivem do mesmo fundamento de fato ou de direito
(art. 46, II, CPC/73) intente ação contra ambos – pai e filho –,
formando-se um litisconsórcio facultativo e simples.
(Inf. 599 do STJ, REsp 1.436.401-MG, Quarta Turma.) IMPORTANTE!
• O ato de composição entre denunciado e vítima visando à
reparação civil do dano, embutido na decisão concessiva de
suspensão condicional do processo (art. 89 da Lei n. 9.099/95), é
título judicial apto a lastrear eventual execução.
(Inf. 599 do STJ, REsp 1.123.463-DF, Quarta Turma.) IMPORTANTE!

Nos casos em que se admite a relativização da súmula 343 do STF,


não é cabível propositura da ação rescisória com base em julgados
que não sejam de observância obrigatória. (Inf. 600 do STJ, REsp
1.655.722-SC, Terceira Turma.) IMPORTANTE! Rever

• Nas hipóteses de extinção do processo sem resolução de mérito


provocada pela perda do objeto da ação em razão de ato de
terceiro e sem que exista a possibilidade de se saber qual dos
litigantes seria sucumbente se o mérito da ação fosse julgado, o
pagamento das custas e dos honorários advocatícios deve ser
rateado entre as partes.
(Inf. 600 do STJ, REsp 1.641.160-RJ, Terceira Turma.)

• O valor das astreintes não pode ser reduzido de ofício em segunda


instância quando a questão é suscitada em recurso de apelação
não conhecido.
(Inf. 600 do STJ, REsp 1.508.929-RN, Terceira Turma.)
IMPORTANTE!

• A indisponibilidade de bens do executado deferida em ação civil


pública não impede a adjudicação de um determinado bem ao
credor que executa o devedor comum com substrato em título
executivo judicial.
(Inf. 600 do STJ, REsp 1.493.067-RJ, Terceira Turma.) IMPORTANTE!

• A organização da sociedade civil de interesse público - OSCIP -,


mesmo ligada ao Programa Nacional de Microcrédito Produtivo
Orientado - PNMPO, não pode ser classificada ou equiparada à
instituição financeira, carecendo, portanto, de legitimidade ativa
para requerer busca e apreensão de bens com fulcro no Decreto-Lei
n. 911/1969.
(Inf. 600 do STJ, REsp 1.311.071-SC, Terceira Turma.)
IMPORTANTE!
• O termo inicial do prazo para apresentar impugnação ao
cumprimento de sentença é contado a partir da ciência inequívoca
do devedor quanto à penhora “on-line” realizada, não havendo
necessidade de sua intimação formal.
(Inf. 601 do STJ, EREsp 1.415.522-ES, Corte Especial.)
IMPORTANTE!

• Não há perda do objeto em mandado de segurança cuja pretensão


é o fornecimento de leite especial necessário à sobrevivência de
menor ao fundamento de que o produto serve para lactentes e o
impetrante perdeu essa qualidade em razão do tempo decorrido
para a solução da controvérsia. (Inf. 601 do STJ, AgRg no RMS
26.647-RJ, Primeira Turma.)

• Na hipótese de duplicidade de intimações, prevalece a intimação


eletrônica sobre aquela realizada por meio do DJe. (Inf. 601 do STJ,
AgInt no AREsp 903.091-RJ, Terceira Turma.)

• O dano processual NÃO é pressuposto para a aplicação da multa


por litigância de má-fé a que alude o art. 18 do CPC/1973.
(Inf. 601 do STJ, REsp 1.628.065-MG, Terceira Turma.)
IMPORTANTE!

• Nos contratos em que estipulado o êxito como condição


remuneratória dos serviços advocatícios prestados, a renúncia do
patrono originário, antes do julgamento definitivo da causa, não
lhe confere o direito imediato ao arbitramento de verba
honorária proporcional ao trabalho realizado, revelando-se
necessário aguardar o desfecho processual positivo para a
apuração da quantia devida.
(Inf. 601 do STJ, REsp 1.337.749-MS, Quarta Turma.)

• Os honorários advocatícios nascem contemporaneamente à


sentença e não preexistem à propositura da demanda,
devendo observar as normas do CPC/2015 nos casos de decisões
proferidas a partir de 18/3/2016.
(Inf. 602 do STJ, REsp 1.636.124-AL, Segunda Turma.)
IMPORTANTE!

• As ações rescisórias processadas e julgadas originariamente no STJ,


mesmo após o advento do CPC/2015, não dispensam a figura do
revisor.
(Inf. 603 do STJ, AR 5.241-DF, Corte Especial.)

• Nos casos de intimação/citação realizadas por correio, oficial de


justiça, ou por carta de ordem, precatória ou rogatória, o prazo
recursal inicia-se com a juntada aos autos do aviso de
recebimento, do mandado cumprido, ou da juntada da carta.
(Inf 604 do STJ. REsp 1.632.777-SP, Rel. Min. Napoleão Nunes Maia
Filho, Corte Especial, por unanimidade, julgado em 17/5/2017, DJe
26/5/2017. (Tema 379) Recurso Repetitivo) IMPORTANTE!

• A relativização da coisa julgada estabelecida em ação de


investigação de paternidade – em que não foi possível determinar-
se a efetiva existência de vínculo genético a unir as partes – não se
aplica às hipóteses em que o reconhecimento do vínculo se deu,
exclusivamente, pela recusa do investigado ou seus herdeiros em
comparecer ao laboratório para a coleta do material biológico (Inf.
604 do STJ. REsp 1.562.239-MS, Rel. Min. Paulo de Tarso
Sanseverino, por unanimidade, julgado em 9/5/2017, DJe
16/5/2017. Terceira Turma.) IMPORTANTE!

• O pedido de alongamento da dívida originada de crédito rural pode


ser feito em sede de embargos à monitória ou contestação,
independentemente de reconvenção.
(Inf. 604 do STJ. REsp 1.531.676-MG, Rel. Min. Nancy Andrighi, por
unanimidade, julgado em 18/5/2017, DJe 26/5/2017. Terceira Turma)

• A prerrogativa de escolha do foro, estabelecida no art. 100, V,


parágrafo único do CPC de 1973 (art. 53, V, do atual CPC), não
beneficia pessoa jurídica locadora de frota de veículos, em ação de
reparação dos danos advindos de acidente de trânsito com o
envolvimento do locatário (Inf. 604 do STJ. EDcl no AgRg no Ag
1.366.967-MG, Rel. Min. Marco Buzzi, Rel. para acórdão Min. Maria
Isabel Gallotti, por maioria, julgado em 27/4/2017, DJe 26/5/2017.
4ª Turma)

• É nula a arrematação de bens do devedor promovida em ação de


execução por credor individual, após a declaração de insolvência
civil do devedor, em foro diverso do Juízo universal da insolvência.
(Inf. 604 do STJ. REsp 1.074.724-MG, Rel. Min. Raul Araújo, por
unanimidade, julgado em 27/4/2017, DJe 18/5/2017. 4ª Turma)
IMPORTANTE!

Supremo Tribunal Federal


• A prisão por dívida é pertinente apenas no caso de
descumprimento inescusável de prestação alimentícia, não sendo
cabível quando se referir à execução de débito passado.
(Inf. 857 do STF, HC 121426/SP, Primeira Turma.) IMPORTANTE!
• É aplicável o regime dos precatórios às sociedades de economia
mista prestadoras de serviço público próprio do Estado e de
natureza não concorrencial.
(Inf. 858 do STF, ADPF 387/PI, Plenário.) IMPORTANTE!

• A coisa julgada, como manifestação do princípio da segurança


jurídica, assume a estatura de elemento estruturante do Estado
Democrático de Direito. Assim, a autonomia das entidades
desportivas não autoriza a transformação da CBF em órgão revisor
de pronunciamentos jurisdicionais alcançados pela preclusão. Não
se devem potencializar os conceitos de autonomia técnica e de
mérito desportivo, em detrimento do que soberanamente decidido
em processo judicial. A eficácia estabilizadora da coisa julgada,
considerados os respectivos limites subjetivos e objetivos, estende-
se ao campo administrativo — e recreativo — que caracteriza
atuação da entidade máxima do futebol brasileiro. (Inf. 861 do
STF, RE 881864 AgR (2)/DF, Primeira Turma.)

• Não compete originariamente ao Supremo Tribunal Federal


processar e julgar execução individual de sentenças genéricas
de perfil coletivo, inclusive aquelas proferidas em sede
mandamental. Tal atribuição cabe aos órgãos judiciários
competentes de primeira instância. (Inf. 862 do STF, PET 6076
QO /DF, Segunda Turma.) IMPORTANTE!

• Havendo três “amici curiae” para fazer sustentação oral, o Plenário,


por maioria, deliberou considerar o prazo em dobro e dividir pelo
número de sustentações orais.
(Inf. 863 do STF, RE 612043/PR, Plenário.)

• A eficácia subjetiva da coisa julgada formada a partir de ação


coletiva, de rito ordinário, ajuizada por associação civil na defesa de
interesses dos associados, somente alcança os filiados, residentes
no âmbito da jurisdição do órgão julgador, que o fossem em
momento anterior ou até a data da propositura da demanda,
constantes da relação jurídica juntada à inicial do processo de
conhecimento.
(Inf. 864 do STF, RE 612043/PR, Repercussão Geral, Plenário.)
IMPORTANTE!
• É cabível a fixação de honorários recursais, prevista no art. 85, § 11
(1), do Código de Processo Civil (CPC), mesmo quando não
apresentadas contrarrazões ou contraminuta pelo advogado. (Inf.
865 do STF, AO 2063 AgR/CE, Plenário.) IMPORTANTE!

• A questão de ordem foi resolvida da seguinte forma:


a) a suspensão de processamento prevista no § 5º do art. 1.035 do
CPC não consiste em consequência automática e necessária do
reconhecimento da repercussão geral realizada com fulcro no
“caput” do mesmo dispositivo, sendo da discricionariedade do
relator do recurso extraordinário paradigma determiná-la ou
modulá-la;
b) a possibilidade de sobrestamento se aplica aos processos de
natureza penal;
c) neste contexto, em sendo determinado o sobrestamento de
processos de natureza penal, opera-se, automaticamente, a
suspensão da prescrição da pretensão punitiva relativa aos crimes
que forem objeto das ações penais sobrestadas, a partir de
interpretação conforme a Constituição do art. 116, I (2), do Código
Penal (CP);
d) em nenhuma hipótese, o sobrestamento de processos penais
determinado com fundamento no art. 1.035, § 5º, do CPC abrangerá
inquéritos policiais ou procedimentos investigatórios conduzidos
pelo Ministério Público;
e) em nenhuma hipótese, o sobrestamento de processos penais
determinado com fundamento no art. 1.035, § 5º, do CPC abrangerá
ações penais em que haja réu preso provisoriamente;
f) em qualquer caso de sobrestamento de ação penal determinado
com fundamento no art. 1.035, § 5º, do CPC, poderá o juízo de piso,
no curso da suspensão, proceder, conforme a necessidade, à
produção de provas de natureza urgente.
(Inf. 868 do STF, RE 966.177 RG/RS, Plenário - Repercussão Geral)

2º Semestre 2016

Superior Tribunal de Justiça


• Implica indevido obstáculo ao acesso à tutela jurisdicional a decisão
que, após o reconhecimento da incompetência absoluta do juízo,
em vez de determinar a remessa dos autos ao juízo competente,
extingue o feito sem exame do mérito, sob o argumento de
impossibilidade técnica do Judiciário em remeter os autos para o
órgão julgador competente, ante as dificuldades inerentes ao
processamento eletrônico.
(Inf. 586 do STJ, RESP 1.526.914-PE, 2ª Turma)
• Em ação demarcatória de parte de imóvel, é facultativo - e não
necessário - o litisconsórcio passivo entre o réu e os confinantes da
área do bem que não é objeto de demarcação. Nas demarcatórias
parciais, há o litisconsórcio passivo necessário entre demandante e
os vizinhos lindeiros da área específica cuja demarcação é
pretendida. É essa a única interpretação cabível do disposto no art.
950 do CPC/1973.
(Inf. 586 do STJ, RESP 1.599.403-MT, 3ª Turma)
• Deverá ser julgada improcedente a ação de consignação em
pagamento no caso em que o autor - mutuário de contrato de
financiamento habitacional celebrado no âmbito do SFH em
conformidade com o Plano de Comprometimento da Renda (Lei n.
8.692/1993) que, em razão da redução de sua renda, a viu
comprometida em percentual superior ao máximo estabelecido no
contrato - a tenha ajuizado buscando a quitação e extinção de suas
obrigações tão somente por meio da consignação dos valores que
ele unilateralmente entende como devidos.
(Inf. 586 do STJ, RESP 886.846-DF, 4ª Turma)
• A autodeclaração de suspeição realizada por magistrado em virtude
de motivo superveniente não importa em nulidade dos atos
processuais praticados em momento anterior ao fato ensejador da
suspeição.
(Inf. 587 do STJ, PET no RESP 1.339.313-RJ, 1ª Seção)
• É do TRF da 1º Região - e não do TJDFT - a competência para
processar e julgar mandado de segurança impetrado contra ato do
Procurador-Geral de Justiça do Distrito Federal que determinou a
retenção de Imposto de Renda (IR) e de contribuição ao Plano de
Seguridade Social (PSS) sobre valores decorrentes da conversão em
pecúnia de licenças-prêmio.
(Inf. 587 do STJ, RESP 1.303.154-DF, 1ª Turma)
• Os efeitos da sentença transitada em julgado que reconhece o
vínculo de parentesco entre filho e pai em ação de investigação de
paternidade alcançam o avô, ainda que este não tenha participado
da relação jurídica processual.
(Inf. 587 do STJ, RESP 1.331.815-SC, 4ª Turma)
• Aplica-se a dispensa de condenação em honorários advocatícios
prevista no art. 19, § 1º, I, da Lei n. 10.522/2002, na hipótese em
que a Fazenda Nacional contesta a demanda, mas, ato contínuo,
antes de pronunciamento do juízo ou da parte contrária, apresenta
petição em que reconhece a procedência do pedido e requer a
desconsideração da peça contestatória.
(Inf. 588 do STJ, RESP 1.551.780-SC, 2ª Turma)
• Ainda que tenha havido o trânsito em julgado, é inexigível a
obrigação reconhecida em sentença com base exclusivamente em
lei não recepcionada pela Constituição.
(Inf. 588 do STJ, RESP 1.531.095-SP, 3ª Turma)
• O filho, em nome próprio, não tem legitimidade para deduzir em
juízo pretensão declaratória de filiação socioafetiva entre sua mãe -
que era maior, capaz e, ao tempo do ajuizamento da ação, pré-
morta - e os supostos pais socioafetivos dela.
(Inf. 588 do STJ, RESP 1.492.861-RS, 3ª Turma)
• Em ação de busca e apreensão de bem alienado fiduciariamente, o
termo inicial para a contagem do prazo de 15 dias para o
oferecimento de resposta pelo devedor fiduciante é a data de
juntada aos autos do mandado de citação devidamente cumprido, e
não a data da execução da medida liminar.
(Inf. 588 do STJ, RESP 1.321.052-MG, 3ª Turma)
• Tem legitimidade passiva "ad causam" a incorporadora, na condição
de promitente-vendedora, para responder a demanda em que é
pleiteada pelo promitente-comprador a restituição dos valores
pagos a título de comissão de corretagem e de taxa de assessoria
técnico-imobiliária, alegando-se prática abusiva na transferência
desses encargos ao consumidor.
(Inf. 589 do STJ, RESP 1.551.968-SP, 2ª Seção - Recurso Repetivivo)
• A cota de fundo de investimento não se subsume à ordem de
preferência legal disposta no inciso I do art. 655 do CPC/1973 (ou
no inciso I do art. 835 do CPC/2015).
(Inf. 589 do STJ, RESP 1.388.642-SP, 2ª Seção - Recurso Repetitivo)
• A recusa da nomeação à penhora de cotas de fundo de
investimento, reputada legítima a partir das particularidades de
cada caso concreto, não encerra, em si, excessiva onerosidade ao
devedor, violação do recolhimento dos depósitos compulsórios e
voluntários do Banco Central do Brasil ou afronta à
impenhorabilidade das reservas obrigatórias.
(Inf. 598 do STJ, RESP 1.388.642-SP, 2ª Seção - Recurso Repetitivo)
• Ainda que a matéria do processo judicial tenha natureza penal, não
cabe, por ocasião do julgamento de recurso especial, o reexame de
ofício da tempestividade do agravo de instrumento anteriormente
provido para determinar o processamento do próprio recurso
especial.
(Inf. 589 do STJ, ERESP 1.414.755-PA, Corte Especial)
• É inválida a penhora da integralidade de imóvel submetido ao
regime de multipropriedade (time-sharing) em decorrência de
dívida de condomínio de responsabilidade do organizador do
compartilhamento.
(Inf. 589 do STJ, RESP 1.546.165-SP, 3ª Turma)
• Se a decisão judicial que ensejou a fixação de honorários de
sucumbência for parcialmente rescindida, é possível que o autor da
rescisória, em posterior ação de cobrança, pleiteie a restituição da
parte indevida da verba advocatícia, ainda que o causídico, de boa-
fé, já a tenha levantado.
(Inf. 589 do STJ, RESP 1.549.836-RS, 3ª Turma)
• Após a entrada em vigor do CPC/2015, não é mais devida a
remessa pelo STJ, ao Tribunal de origem, do agravo interposto
contra decisão que inadmite recurso especial com base na
aplicação de entendimento firmado em recursos repetitivos, para
que seja conhecido como agravo interno.
(Inf. 589 do STJ, ARESP 959.991-RS, 3ª Turma)
• Ainda que, no contrato de locação estabelecido com o
empreendedor de shopping center, conste como locatário apenas o
sócio majoritário, a sociedade empresária possui legitimidade
ativa ad causam concorrente para pleitear indenização por danos
ao estabelecimento instalado no centro comercial.
(Inf. 589 do STJ, RESP 1.358.410-RJ, 4ª Turma)
• Em ação de cobrança de seguro DPVAT, a intimação da parte para o
comparecimento à perícia médica deve ser pessoal, e não por
intermédio de advogado.
(Inf. 589 do STJ, RESP 1.364.911-GO, 4ª Turma)
• Admite-se a aplicação da teoria da causa madura (art. 515, § 3º, do
CPC/1973) em julgamento de agravo de instrumento.
(Inf. 590 do STJ, REsp 1.215.368-ES, Corte Especial.)
• É possível o deferimento de assistência judiciária gratuita a
jurisdicionado que tenha firmado com seu advogado contrato de
honorários com cláusula ad exitum.
(Inf. 590 do STJ, REsp 1.504.432-RJ, Segunda Turma.)
• É possível ao julgador, na fase de liquidação de sentença por
arbitramento, acolher as conclusões periciais fundadas em
presunções e deduções para a quantificação do prejuízo sofrido
pelo credor a título de lucros cessantes.
(Inf. 590 do STJ, REsp 1.549.467-SP, Terceira Turma.)
• Nos Embargos de Terceiro cujo pedido foi acolhido para
desconstituir a constrição judicial, os honorários advocatícios serão
arbitrados com base no princípio da causalidade,
responsabilizando-se o atual proprietário (embargante), se este não
atualizou os dados cadastrais; os encargos de sucumbência serão
suportados pela parte embargada, porém, na hipótese em que esta,
depois de tomar ciência da transmissão do bem, apresentar ou
insistir na impugnação ou recurso para manter a penhora sobre o
bem cujo domínio foi transferido para terceiro.
(Inf. 591 do STJ, REsp 1.452.840-SP, Primeira Seção - Repercussão
Geral.)
• É impenhorável o único imóvel comercial do devedor quando o
aluguel daquele está destinado unicamente ao pagamento de
locação residencial por sua entidade familiar.
(Inf. 591 do STJ, REsp 1.616.475-PE, Segunda Turma.)
• É dispensável o requisito temporal (pré-constituição há mais de um
ano) para associação ajuizar ação civil pública quando o bem
jurídico tutelado for a prestação de informações ao consumidor
sobre a existência de glúten em alimentos.
(Inf. 591 do STJ, REsp 1.600.172-GO, Segunda Turma.)
• As peças que devem formar o instrumento do agravo podem ser
apresentadas em mídia digital (dvd).
(Inf. 591 do STJ, REsp 1.608.298-SP, Segunda Turma.)
• Em contrato de franquia, "a cláusula compromissória só terá
eficácia se o aderente tomar a iniciativa de instituir a arbitragem ou
concordar, expressamente, com a sua instituição, desde que por
escrito em documento anexo ou em negrito, com a assinatura ou
visto especialmente para essa cláusula" (art. 4º, § 2º, da Lei de
Arbitragem).
(Inf. 591 do STJ, REsp 1.602.076-SP, Terceira Turma.)
• Independentemente do estado em que se encontre o procedimento
de arbitragem, o Poder Judiciário
pode declarar a nulidade de compromisso arbitral quando o vício for
detectável prima facie.
(Inf. 591 do STJ, REsp 1.602.076-SP, Terceira Turma.)
• Impossibilidade de revisão de cláusulas contratuais em ação de
prestação de contas.
(Inf. 592 do STJ, REsp 1.497.831-PR, Segunda Seção, Repercussão
Geral.)
• O art. 25 da Lei n. 12.016/2009, que estabelece regra de
descabimento de condenação em honorários advocatícios "no
processo mandamental", afasta a incidência do regime do art. 85, §
11, do CPC/2015.
(Inf. 592 do STJ, RMS 52.024-RJ, Segunda Turma.)
• Ocorrido o falecimento do autor da ação de investigação de
paternidade cumulada com nulidade da partilha antes da prolação
da sentença, sem deixar herdeiros necessários, detém o herdeiro
testamentário, que o sucedeu a título universal, legitimidade e
interesse para prosseguir com o feito, notadamente, pela
repercussão patrimonial advinda do potencial reconhecimento do
vínculo biológico do testador.
(Inf. 592 do STJ. REsp 1.392.314-SC, Terceira Turma.)
• É vedado ao relator limitar-se a reproduzir a decisão agravada para
julgar improcedente o agravo interno.
(Inf. 592 do STJ. REsp 1.622.386-MT, Terceira Turma.)
• A prévia indisponibilidade de bens não implica a falta de interesse
do Ministério Público para propositura da cautelar de arrolamento
de bens.
(Inf; 592 do STJ, REsp 1.375.540-RJ, Terceira Turma.)
• O reconhecimento da ilegitimidade ativa do Ministério Público para,
na qualidade de substituto processual de menores carentes, propor
ação civil pública ex delicto, sem a anterior intimação da
Defensoria Pública para tomar ciência da ação e, sendo o caso,
assumir o polo ativo da demanda, configura violação ao art. 68 do
CPP.
(Inf. 592 do STJ, REsp 888.081-MG, Quarta Turma.)
• Na ação de despejo, o prazo de 15 (quinze) dias para purgação da
mora deve ser contado a partir da juntada aos autos do mandado
de citação ou aviso de recebimento devidamente cumprido.
(Inf. 593 do STJ, REsp 1.624.005-DF, Terceira Turma.)
• O pedido de remição feito com base no art. 788 do CPC de 1973, já
estando aperfeiçoado com decisão concessiva transitada em
julgado e registro no cartório competente, não deve ser revogado
por ter-se apurado posterior crédito privilegiado de credor que não
efetivou prévia penhora do bem alienado.
(Inf. 593 do STJ, REsp 1.278.545-MG, Terceira Turma.)
• O correio eletrônico (e-mail) pode fundamentar a pretensão
monitória, desde que o juízo se convença da verossimilhança das
alegações e da idoneidade das declarações.
(Inf. 593 do STJ, REsp 1.381.603-MS, Quarta Turma.)
Supremo Tribunal Federal
• Compete ao STF apreciar o pedido de cooperação jurídica
internacional na hipótese em que solicitada, via auxílio direto, a
oitiva de estrangeiro custodiado no Brasil por força de decisão
exarada em processo de extradição.
(Inf. 835 do STF, PET 5.946/DF, 1ª Turma)
• Compete à justiça federal processar e julgar ações em que a Ordem
dos Advogados do Brasil (OAB), quer mediante o conselho federal,
quer seccional, figure na relação processual.
(Inf. 837 do STF, RE 595.332/PR, Plenário - Repercussão Geral)
• Reconhecido o vínculo estatutário entre o servidor público e a
Administração, compete à Justiça comum processar e julgar a
causa.
Para o STF, é a natureza jurídica do vínculo existente entre o
trabalhador e o Poder Público, vigente ao tempo da propositura da
ação, que define a competência jurisdicional para a solução da
controvérsia, independentemente de o direito pleiteado ter se
originado no período celetista.
(Inf. 840 do STF, RCL 8.909 AGR/MG, Plenário)
• Execução contra a Fazenda Pública. Obrigação de
fazer. Fracionamento da execução para que uma parte seja paga
antes do trânsito em julgado, por meio de Complemento Positivo, e
outra depois do trânsito, mediante Precatório ou RPV.
Impossibilidade.
(Inf. 840 do STF, ARE 723.307-PB, Plenário Virtual - Repercussão
Geral)
• É cabível a fixação de honorários recursais, prevista no art. 85, §
11, do novo Código de Processo Civil, mesmo quando não
apresentadas contrarrazões ou contraminuta pelo advogado.
(Inf. 841 do STF, AI 864.689 AGR/MS e outros, 1ª T.)
• Execução contra a Fazenda Pública. Obrigação de fazer.
Fracionamento da execução para que uma parte seja paga antes do
trânsito em julgado, por meio de Complemento Positivo, e outra
depois do trânsito, mediante Precatório ou RPV. Impossibilidade.
(Inf. 841 do STF, ARE 723.307/PR, Plenário Virtual - Repercussão
Geral)
• O reconhecimento da repercussão geral no Plenário Virtual não
impede sua rediscussão no Plenário físico, notadamente, quando tal
reconhecimento tenha ocorrido por falta de manifestações
suficientes.
(Inf. 845 do STF, RE 584247/RR, Plenário - Repercussão Geral.)
• Embora prevaleça entendimento no sentido da inadmissibilidade da
juntada extemporânea de prova documental em recursos
interpostos na Suprema Corte, no caso, em razão da natureza do
documento anexado aos autos — comunicação oficial dos atos do
TCE — e do evidente interesse público indisponível presente na lide
— consistente no interesse de toda a coletividade na apreciação da
higidez das contas dos gestores públicos —, admite-se a
comprovação tardia de que a parte recorrida foi efetivamente
intimada da sessão de julgamento. Tal circunstância afasta a
alegação de cerceamento de defesa.
(Inf. 850 do STF, ARE 916917 AgR/SP, Primeira Turma.)

1º Semestre 2016

Supremo Tribunal Federal


•É prescritível a ação de reparação de danos à Fazenda Pública
decorrente de ilícito civil.
(Inf. 813 do STF, RE 669.069/MG, Plenário - Repercussão Geral)
•Não viola o art. 100, § 8º, da Constituição Federal a execução
individual de sentença condenatória genérica proferida contra a
Fazenda Pública em ação coletiva visando à tutela de direitos
individuais homogêneos.
(Inf. 813 do STF, ARE 925.754-PR, Repercussão Geral - Reafirmação
de Jurisprudência)
•Por demandar análise pericial e verificação de preços, dados e
tabelas, o mandado de segurança não é a via adequada para aferir
critérios utilizados pelo TCU e que culminaram por condenar
solidariamente a impetrante à devolução de valores ao erário, em
razão de superfaturamento de preços constatado em aditamentos
contratuais por ela celebrados com a Administração Pública.
(Inf. 816 do STF, MS 29.599/DF, 1ª Turma)
•Nos casos de intimação pessoal realizada por oficial de justiça, a
contagem do prazo para a interposição de recursos ou a eventual
certificação de trânsito em julgado começa a partir da juntada aos
autos do mandado devidamente cumprido.
(Inf. 820 do STF, ARE 892.732/SP, 2ª Turma)
•O Plenário, portanto, atestou a constitucionalidade dos seguintes
itens:
a) da amplicação do prazo para a oposição de embargos do
devedor em 30 dias pela Fazenda Pública;
b) a fixação do prazo de cinco anos nas ações de indenização
contra a Fazenda Pública;
c) a possibilidade de desconstituir sentenças que estejam em
desconformidade com as decisões do STF.
(Inf. 824 do STF, ADI 2.418/DF, Plenário)
•A jurisprudência do STF firmou entendimento no sentido de
reconhecer, também na instância extraordinária, a possibilidade da
homologação do pedido de renúncia ao direito sobre o qual se
funda a ação, quando postulado por procurador habilitado com
poderes específicos, desde que anterior ao julgamento final do
recurso extraordinário.
(Inf. 825 do STF, RE 514.639 QO/RS, 2ª Turma)
•Não é possível fracionar o crédito de honorários advocatícios em
litisconsórcio ativo facultativo simples em execução contra a
Fazenda Pública por frustrar o regime do precatório.
(Inf. 826 do STF, RE 949.383 AGR/RS, 2ª Turma)
•O prazo de cinco dias previsto no parágrafo único do art. 932 do
CPC/2015 [“Art. 932. Incumbe ao relator: ... III - não conhecer de
recurso inadmissível, prejudicado ou que não tenha impugnado
especificamente. ... Parágrafo único. Antes de considerar
inadmissível o recurso, o relator concederá o prazo de 5 (cinco) dias
ao recorrente para que seja sanado vício ou complementada a
documentação exigível”] só se aplica aos casos em que seja
necessário sanar vícios formais, como ausência de procuração ou
de assinatura, e não à complementação da fundamentação.
(Inf. 829 do STF, ARE 953.221 AGR/SP, 1ª Turma)
•Após 18 de março de 2016, data do início da vigência do Novo
Código de Processo Civil, é possível condenar a parte sucumbente
em honorários advocatícios na hipótese de o recurso de embargos
de declaração não atender os requisitos previstos no art. 1.022 do
referido diploma e tampouco se enquadrar em situações
excepcionais que autorizem a concessão de efeitos infringentes.
(Inf. 829 do STF, RE 929.925 AGR-ED/RS, 1ª Turma)
•Descabe a fixação de honorários recursais, preconizados no art.
85, § 11, do CPC/2015 (“Art. 85. A sentença condenará o vencido a
pagar honorários ao advogado do vencedor. ... § 11. O tribunal, ao
julgar recurso, majorará os honorários fixados anteriormente
levando em conta o trabalho adicional realizado em grau recursal,
observando, conforme o caso, o disposto nos §§ 2º a 6º, sendo
vedado ao tribunal, no cômputo geral da fixação de honorários
devidos ao advogado do vencedor, ultrapassar os respectivos
limites estabelecidos nos §§ 2º e 3º para a fase de conhecimento”),
na hipótese de recurso extraordinário formalizado no curso de
processo cujo rito os exclua.
(Inf. 831 do STF, ARE 952.384 AGR/MS, 1ª T.)
•O Procurador-Geral da República não possui legitimidade ativa para
impetrar mandado de segurança em que se questione decisão que
reconheça a prescrição da pretensão punitiva em processo
administrativo disciplinar.
(Inf. 831 do STF, MS 33.736/DF, 2ª T.)
Superior Tribunal de Justiça
•A aplicação da sanção civil do pagamento em dobro por cobrança
judicial de dívida já adimplida (cominação encartada no art. 1.531
do CC/1916, reproduzida no art. 940 do CC/2002) pode ser
postulada pelo réu na própria defesa, independendo da propositura
de ação autônoma ou do manejo de reconvenção, sendo
imprescindível a demonstração de má-fé do credor.
(Inf. 516 do STJ, RESP 1.111.270-PR, 2ª Seção - Recurso Repetitivo)
•No mandado de segurança impetrado por servidor público contra a
Fazenda Pública, as parcelas devidas entre a data de impetração e
a de implementação da concessão da segurança devem ser pagas
por meio de precatórios, e não via folha suplementar.
(Inf. 516 do STJ, RESP 1.522.973-MG, 2ª Turma)
•Não é possível utilizar ação declaratória de nulidade (querela
nullitatis) contra título executivo judicial fundado em lei declarada
não recepcionada pelo STF em decisão proferida em controle
incidental que transitou em julgado após a constituição definitiva
do referido título.
(Inf. 516 do STJ, RESP 1.237.895-ES, 2ª Turma)
•Na ação de nulidade de registro de marca em que o INPI foi
indicado como réu ao lado de sociedade empresária em virtude da
concessão indevida do registro e do não processamento do
procedimento administrativo para anular o registro indevidamente
concedido, a autarquia federal responde solidariamente pelos
honorários advocatícios sucumbenciais, na hipótese em que se
reconheceu a omissão do instituto quanto à citada inércia, ainda
que o ente federal tenha reconhecido a procedência do pedido
judicial.
(Inf. 516 do STJ, RESP 1.258.662-PR, 3ª Turma)
•Em ação de nulidade de registro de marca, o INPI é isento de
pagamento de custas.
(Inf. 516 do STJ, RESP 1.258.662-PR, 3ª Turma)
•Em ação de nulidade de registro de marca em que o INPI for
sucumbente, cabe a ele reembolsar as despesas judiciais feitas
pela parte autora.
(Inf. 516 do STJ, RESP 1.258.662-PR, 3ª Turma)
•O termo de abertura de vista e remessa dos autos à Fazenda
Nacional substitui, para efeito de demonstração da tempestividade
do agravo de instrumento (art. 522 do CPC) por ela interposto, a
apresentação de certidão de intimação da decisão agravada (art.
525, I, do CPC).
(Inf. 577 do STJ, RESP 1.383.500-SP, Corte Especial - Recurso
Repetitivo)
•É válida a cláusula compromissória que excepcione do juízo arbitral
certas situações especiais a serem submetidas ao Poder Judiciário.
(Inf. 577 do STJ, RESP 1.331.100-BA, 4ª Turma)
•O prazo decadencial para impetrar mandado de segurança
contra redução do valor de vantagem integrante de proventos ou
de remuneração de servidor público renova-se mês a mês.
(Inf. 578 do STJ, ERESP 1.164.514-AM, Corte Especial)
•Em mandado de segurança impetrado contra redução do valor de
vantagem integrante de proventos ou de remuneração de servidor
público, os efeitos financeiros da concessão da ordem retroagem
à data do ato impugnado.
(Inf. 578 do STF, ERESP 1.164.514-AM, Corte Especial)
•Nos casos de cumulação da ação de despejo com cobrança de
aluguéis, o prazo recursal fica suspenso durante o recesso forense.
(Inf. 578 do STJ, RESP 1.414.092-PR, 3ª Turma)
•A multa por ato atentatório à dignidade da Justiça previsto no art.
600, III, do CPC/1973 constitui punição cuja aplicabilidade restringe-
se aos atos do executado em procedimento executivo.
(Inf. 578 do STJ, RESP 1.231.981-RS, 4ª Turma)
•Em relação ao sistema credit scoring, o interesse de agir para a
propositura da ação cautelar de exibição de documentos exige, no
mínimo, a prova de:
i) requerimento para obtenção dos dados ou, ao menos, a tentativa
de fazê-lo à instituição responsável pelo sistema de pontuação, com
a fixação de prazo razoável para atendimento; e
ii) que a recusa do crédito almejado ocorreu em razão da pontuação
que lhe foi atribuída pelo sistema Scoring.
(Inf. 579 do STJ, RESP 1.304.736-RS, 2ª Seção - Recurso Repetitivo)
•Associação não tem legitimidade ativa para defender os interesses
dos associados que vierem a se agregar somente após o
ajuizamento da ação de conhecimento.
(Inf. 579 do STJ, RESP 1.468.734-SP, 2ª Turma)
•É cabível o ajuizamento de ações possessórias por parte de invasor
de terra pública contra outros particulares.
(Inf. 579 do STJ, RESP 1.484.304-DF, 3ª Turma)
•Em execução de alimentos devidos a filho menor de idade, é
possível o protesto e a inscrição do nome do devedor em cadastros
de proteção ao crédito.
(Inf. 579 do STJ, RESP 1.469.102-SP, 3ª Turma)
•A impenhorabilidade do bem de família no qual reside o sócio
devedor não é afastada pelo fato de o imóvel pertencer à sociedade
empresária.
(Inf. 579 do STJ, EDCL no ARESP 511.486-SC, 4ª Turma)
•O prazo prescricional para a execução individual é contado do
trânsito em julgado da sentença coletiva, sendo desnecessária a
providência de que trata o art. 94 da Lei n. 8.078/1990.
(Inf. 580 do STJ, RESP 1.388.000-PR, 1ª Seção - Recurso Repetitivo)
•O contrato de arrendamento rural que, a despeito da vedação
prevista no art. 18, parágrafo único, do Decreto n. 59.566/1966,
estabelece pagamento em quantidade de produtos agrícolas pode
ser usado como prova escrita para instruir ação monitória.
(Inf. 580 do STJ, RESP 1.266.975-MG, 3ª Turma)
•No caso em que particular e Fazenda Pública firmaram, sem a
participação judicial, acordo que tenha sido meramente
homologado por decisão judicial - a qual, por sua vez, apenas
extinguiu a relação jurídica processual existente entre as partes,
sem produzir efeitos sobre a relação de direito material existente
entre elas -, o prazo decadencial para anular o ajuste por meio de
ação ajuizada pelo particular é de 5 anos, contados da data da
celebração da transação, e não da decisão homologatória.
(Inf. 581 do STJ, RESP 866.197-RS, 2ª Turma)
•É válido o acordo de alimentos celebrado pelos interessados na
presença do magistrado e do Ministério Público, mas sem a
participação do advogado do alimentante capaz.
(Inf. 582 do STJ, RESP 1.584.503-SP, 3ª Turma)
•A morte do interditando no curso de ação de interdição não
implica, por si só, a extinção do processo sem resolução de mérito
da ação de prestação de contas por ele ajuizada mediante seu
curador provisório, tendo o espólio legitimidade para prosseguir
com a ação de prestação de contas.
(Inf. 583 do STJ, RESP 1.444.677-SP, 3ª Turma)
•A adjudicação do bem penhorado deve ser assegurada ao
legitimado que oferecer preço não inferior ao da avaliação.
(Inf. 583 do STJ, RESP 1.505.399-RS, 4ª Turma)
•A adjudicação poderá ser requerida após resolvidas as questões
relativas à avaliação do bem penhorado e antes de realizada a
hasta pública.
(Inf. 583 do STJ, RESP 1.505.399-RS, 4ª Turma)
•Em execução de título extrajudicial, o credor deve ser intimado
para opor fato impeditivo à incidência da prescrição intercorrente
antes de sua decretação de ofício.
(Inf. 584 do STJ, RESP 1.589.753-PR, 3ª T.)
•A sentença, qualquer que seja sua natureza, de procedência ou
improcedência do pedido, constitui título executivo judicial, desde
que estabeleça obrigação de pagar quantia, de fazer, não fazer ou
entregar coisa, admitida sua prévia liquidação e execução nos
próprios autos.
(Inf. 585 do STJ, RESP 1.324.152-SP, Corte Especial - Recurso
Repetitivo)
•Mesmo após a vigência do CPC/2015, não cabem embargos de
declaração contra decisão que não se pronuncie tão somente sobre
argumento incapaz de infirmar a conclusão adotada.
(Inf. 585 do STJ, EDCL no MS 21.315-DF, 1ª Seção)
•Os autores de ações individuais em cujos autos não foi dada
ciência do ajuizamento de ação coletiva e que não requereram a
suspensão das demandas individuais podem se beneficiar dos
efeitos da coisa julgada formada na ação coletiva.
(Inf. 585 do STJ, RESP 1.593.142-DF, 1ª Turma)
•No caso em que Município obtenha êxito em ação judicial
destinada à complementação de repasses efetuados pela União ao
Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e
de Valorização do Magistério (FUNDEF), será legítima a retenção de
parte das referidas verbas complementares para o pagamento de
honorários advocatícios contratuais (art. 22, §4º, da Lei n.
8.906/1994).
(Inf. 585 do STJ, RESP 1.604.440-PE, 2ª Turma)
•Em ação de nulidade de registro de marca a que o INPI não deu
causa nem apôs resistência direta, não cabe condenação do
instituto em honorários advocatícios sucumbenciais.
(Inf. 585 do STJ, RESP 1.378.699-PR, 3ª Turma)
•Em ação civil pública, a formação de litisconsórcio ativo facultativo
entre o Ministério Público Estadual e o Federal depende da
demonstração de alguma razão específica que justifique a presença
de ambos na lide.
(Inf. 585 do STJ, RESP 1.254.428-MG, 3ª Turma)
•Arrematado bem imóvel, o Juízo da execução que conduziu a
arrematação não pode determinar o cancelamento automático de
constrições determinadas por outros Juízos de mesma hierarquia e
registradas na matrícula do bem, mesmo que o edital de praça e o
auto de arrematação tivessem sido silentes quanto à existência dos
referidos gravames.
(Inf. 585 do STJ, RMS 48.609-MT, 4ª Turma)

2º Semestre 2015

Supremo Tribunal Federal


•Não atenta contra a coisa julgada o entendimento de que, em face
de efetiva alteração do estado de direito superveniente, a sentença
anterior, a partir de então, deixa de ter eficácia. Assim, modificadas
as premissas originalmente adotadas pela sentença, a cessação de
seus efeitos, via de regra, é imediata e automática, sem depender
de novo pronunciamento judicial.
(Inf. 793 do STF, MS 32.435 AgR/DF, 2ª Turma)
•O recurso extraordinário é instrumento processual idôneo para
questionar o cabimento de recurso especial manejado em face de
decisão proferida em sede de suspensão de liminar deferida ao
Poder Público com base no art. 4º da Lei 8.437/1992.
(Inf. 797 do STF, RE 798.740 AGR/DF, 1ª Turma)
•O recebimento de recurso em setor indevido não poderá dar ensejo
à declaração de intempestividade, caso este tenha sido
protocolizado dentro do prazo assinado em lei.
(Inf. 800 do STF, RE 755.613 AGR-ED/ES, 1ª Turma)
•Para o cabimento de reclamação é indispensável a relação de
pertinência estrita entre o ato reclamado e o parâmetro de controle.
(Inf. 808 do STF, RCL 8.168/SC, Plenário)
•As partes beneficiárias da justiça gratuita não estão isentas do
pagamento da multa do art. 557, § 2º do CPC (contra recurso
manifestamente inadmissível ou infundado), porém, o recolhimento
do numerário deve ficar suspenso, nos termos do art. 12 da Lei
1.060/1950.
(Inf. 808 do STF, RE 775.685 AGR-ED/BA, 1ª Turma)
• A jurisprudência pacífica desta Corte, agora reafirmada em sede
de repercussão geral, entende que é desnecessária a submissão de
demanda judicial à regra da reserva de plenário na hipótese em
que a decisão judicial estiver fundada em jurisprudência do Plenário
do Supremo Tribunal Federal ou em Súmula deste Tribunal, nos
termos dos arts. 97 da Constituição Federal, e 481, parágrafo único,
do CPC.
(Inf. 808 do STF, ARE 914.045-MG, Plenário Virtual - Repercussão
Geral)
•Aplica-se o § 1º do art. 511 do CPC (“§ 1º. São dispensados de
preparo os recursos interpostos pelo Ministério Público, pela União,
pelos Estados e Municípios e respectivas autarquias, e pelos que
gozam de isenção legal”) para dispensa de porte de remessa e
retorno ao exonerar o seu respectivo recolhimento por parte do
INSS.
(Inf. 810 do STF, RE 594.116/SP, Plenário)
•O art. 12 da Lei 1.060/1950 (“A parte beneficiada pela isenção do
pagamento das custas ficará obrigada a pagá-las, desde que possa
fazê-lo, sem prejuízo do sustento próprio ou da família, se dentro de
cinco anos, a contar da sentença final, o assistido não puder
satisfazer tal pagamento, a obrigação ficará prescrita”) foi
recepcionado pela presente ordem constitucional.
(Inf. 811 do STF, RE 284.729 AGR/MG e outros, Plenário)
•É legítima a execução de honorários sucumbenciais proporcional à
respectiva fração de cada um dos substituídos processuais em ação
coletiva contra a Fazenda Pública.
(Inf. 812 do STF, RE 913.568 AgR/RS, 1ª Turma)
Superior Tribunal de Justiça
•É desnecessária a comprovação de prejuízo para que haja
condenação ao pagamento de indenização por litigância de má-fé
(art. 18, caput e § 2º, do CPC).
(Inf. 565 do STJ, ERESP 1.133.262-ES, Corte Especial)
•O pagamento do preparo recursal pode ser comprovado por
intermédio de recibo extraído da internet, desde que esse meio de
constatação de quitação possibilite a aferição da regularidade do
recolhimento.
(Inf. 565 do STJ, EARESP 423.679-SC, 2ª Seção)
•Havendo conflito entre duas coisas julgadas, prevalecerá a que se
formou por último, enquanto não desconstituída mediante ação
rescisória.
(Inf. 565 do STJ, RESP 1.524.123-SC, 2ª Turma)
•Os cônjuges casados em regime de comunhão de bens devem ser
necessariamente citados em ação demolitória.
(Inf. 565 do STJ, resp 1.374.593-SC, 2ª Turma)
•Não cabe a execução de honorários advocatícios com base na
expressão "invertidos os ônus da sucumbência" empregada por
acórdão que, anulando sentença de mérito que fixara a verba
honorária em percentual sobre o valor da condenação, extinguiu o
processo sem resolução de mérito.
(Inf. 565 do STJ, RESP 1.285.074-SP, 3ª Turma)
•O espólio, ainda que representado pelo inventariante, não possui
legitimidade ativa para ajuizar ação de cobrança do seguro
obrigatório (DPVAT) em caso de morte da vítima no acidente de
trânsito.
(Inf. 565 do STJ, RESP 1.419.814-SC, 3ª Turma)
•O servidor não filiado não detém legitimidade para executar
individualmente a sentença de procedência oriunda de ação
coletiva - diversa de mandado de segurança coletivo - proposta por
associação de servidores.
(Inf. 565 do STJ, RESP 1.374.678-RJ, 4ª Turma)
•O INSS é parte legítima para figurar no polo passivo de demanda
cujo escopo seja o fornecimento de órteses e próteses a segurado
incapacitado parcial ou totalmente para o trabalho, não apenas
quando esses aparelhos médicos sejam necessários à sua
habilitação ou reabilitação profissional, mas, também, quando
sejam essenciais à habilitação social.
(Inf. 566 do STJ, RESP 1.528.410-PR, 2ª Turma)
•Compete ao juízo cível - e não ao juízo de sucessões no qual
tramita o inventário - julgar, com consequente apuração de haveres
do de cujus, dissolução parcial de sociedade limitada que demande
extensa dilação probatória.
(Inf. 566 do STJ, RESP 1.459.192-CE, 3ª Turma)
•É incabível o oferecimento de reconvenção em embargos à
execução.
(Inf. 567 do STJ, RESP 1.528.049-RS, 2ª Turma)
•O promitente comprador e o promitente vendedor de imóvel têm
legitimidade passiva concorrente em ação de cobrança de débitos
condominiais posteriores à imissão daquele na posse do bem,
admitindo-se a penhora do imóvel, como garantia da dívida,
quando o titular do direito de propriedade (promitente vendedor)
figurar no polo passivo da demanda.
(Inf. 567 do STJ, RESP 1.442.840-PR, 3ª Turma)
•A compensação de dívida pode ser alegada em contestação.
(Inf. 567 do STJ, RESP 1.524.730-MG, 3ª Turma)
•O fato de a ré residir com seus filhos menores no imóvel não torna,
por si só, obrigatória a intervenção do Ministério Público (MP) em
ação de reintegração de posse.
(Inf. 567 do STJ, RESP 1.243.425-RS, 3ª Turma)
•Em sede de ação revisional de alimentos, é possível a modificação
da forma da prestação alimentar (em espécie ou in natura), desde
que demonstrada a razão pela qual a modalidade anterior não mais
atende à finalidade da obrigação, ainda que não haja alteração na
condição financeira das partes nem pretensão de modificação do
valor da pensão.
(Inf. 567 do STJ, RESP 1.505.030-MG, 4ª Turma)
•O recurso especial que foi em parte admitido pelo Tribunal de
origem pode ser conhecido pelo STJ na totalidade, ainda que à
parte inadmitida tenha sido aplicado o art. 543-C, § 7º, I, do CPC e o
recorrente não tenha interposto agravo regimental na origem para
combater essa aplicação.
(Inf. 567 do STJ, AGRG no RESP 1.472.853-SC, 4ª Turma)
•O Ministério Público tem legitimidade para propor ação civil pública
objetivando a liberação do saldo de contas PIS/PASEP, na hipótese
em que o titular da conta - independentemente da obtenção de
aposentadoria por invalidez ou de benefício assistencial - seja
incapaz e insusceptível de reabilitação para o exercício de atividade
que lhe garanta a subsistência, bem como na hipótese em que o
próprio titular da conta ou quaisquer de seus dependentes for
acometido das doenças ou afecções listadas na Portaria
Interministerial MPAS/MS 2.998/2001.
(Inf. 568 do STJ, RESP 1.480.250-RS, 2ª Turma)
•O Termo de Acordo de Parcelamento que tenha sido subscrito pelo
devedor e pela Fazenda Pública deve ser considerado documento
público para fins de caracterização de título executivo extrajudicial,
apto à promoção de ação executiva, na forma do art. 585, II, do
CPC.
(Inf. 568 do STJ, RESP 1.521.531-SE, 2ª Turma)
•A utilização do sistema RENAJUD com o propósito de identificar a
existência de veículos penhoráveis em nome do executado não
pressupõe a comprovação do insucesso do exequente na obtenção
dessas informações mediante consulta ao DETRAN.
(Inf. 568 do STJ, RESP 1.347.222-RS, 3ª Turma)
•No procedimento arbitral, o prazo decadencial de noventa dias
para o ajuizamento de ação anulatória (art. 33, § 1º, da Lei
9.307/1996) em face de sentença arbitral parcial conta-se a partir
do trânsito em julgado desta, e não do trânsito em julgado da
sentença arbitral final.
(Inf. 568 do STJ, RESP 1.519.041-RJ, 3ª Turma)
•No âmbito do cumprimento de sentença arbitral condenatória de
prestação pecuniária, a multa de 10% (dez por cento) do artigo
475-J do CPC deverá incidir se o executado não proceder ao
pagamento espontâneo no prazo de 15 (quinze) dias contados da
juntada do mandado de citação devidamente cumprido aos autos
(em caso de título executivo contendo quantia líquida) ou
da intimação do devedor, na pessoa de seu advogado, mediante
publicação na imprensa oficial (em havendo prévia liquidação da
obrigação certificada pelo juízo arbitral).
(Inf. 569 do STJ, RESP 1.102.460-RJ, Corte Especial)
•Incidem correção monetária e juros compensatórios sobre os
depósitos judiciais decorrentes de processos originários do STJ.
(Inf. 569 do STJ, PET 10.326-RJ, Corte Especial)
•Na hipótese em que for interposto agravo em recurso especial (art.
544 do CPC) contra decisão que nega seguimento a recurso
especial com base no art. 543-C, § 7°, I, do CPC, o STJ remeterá o
agravo do art. 544 do CPC ao Tribunal de origem para sua
apreciação como agravo interno.
(Inf. 569 do STJ, AGRG no ARESP 260.033-PR, Corte Especial)
•A arrematação de bem imóvel mediante pagamento em prestações
(art. 690, § 1º, do CPC) não pode ser realizada por preço inferior ao
da avaliação, mesmo que realizada em segunda praça.
(Inf. 569 do STJ, RESP 1.340.965-MG, 4ª Turma)
•A reforma da decisão que antecipa a tutela obriga o autor da ação
a devolver os benefícios previdenciários indevidamente recebidos.
(Inf. 570 do STJ, RESP 1.401.560-MT, 1ª Seção - Recurso Repetitivo)
•O advogado não tem direito à percepção dos honorários fixados no
despacho de recebimento da inicial de execução por quantia certa
(art. 652-A do CPC), na hipótese em que a cobrança for extinta em
virtude de homologação de acordo entre as partes em que se
estabeleceu que cada parte arcaria com os honorários de seus
respectivos patronos.
(Inf. 570 do STJ, RESP 1.414.394-DF, 3ª Turma)
•Caso ocorra dissolução da associação que ajuizou ação civil
pública, não é possível sua substituição no polo ativo por outra
associação, ainda que os interesses discutidos na ação coletiva
sejam comuns a ambas.
(Inf. 570 do STJ, RESP 1.405.697-MG, 3ª Turma)
•A Justiça do Trabalho é competente para processar e julgar ação de
consignação em pagamento movida pela União contra sociedade
empresária por ela contratada para a prestação de serviços
terceirizados, caso a demanda tenha sido proposta com o intuito de
evitar futura responsabilização trabalhista subsidiária da
Administração nos termos da Súmula 331 do TST.
(Inf. 571 do STJ, CC 136.739-RS, 2ª Seção)
•É possível a participante ou assistido de plano de benefícios
patrocinado ajuizar ação em face da respectiva entidade fechada
de previdência privada no foro do domicílio da ré, no eventual foro
de eleição do contrato ou, até mesmo, no foro onde labora ou
laborou para a patrocinadora do plano.
(Inf. 571 do STJ, RESP 1.536.786-MG, 2ª Seção)
•Não é preferencial a ordem de legitimados para o ajuizamento de
ação de interdição. De fato, a enumeração dos legitimados pelos
arts. 1.177 do CPC e 1.768 do CC é taxativa, mas não é
preferencial. Trata-se de legitimação concorrente, não sendo a
propositura da ação prerrogativa de uma única pessoa. Mais de um
legitimado pode requerer a curatela, formando-se um litisconsórcio
ativo facultativo.
(Inf. 571 do STJ, RESP 1.346.013-MG, 3ª Turma)
•Qualquer pessoa que se enquadre no conceito de parente do
Código Civil é parte legítima para propor ação de interdição.
(Inf. 571 do STJ, RESP 1.346.013-MG, 3ª Turma)
•São admissíveis embargos de terceiro em ação cautelar. O art.
1.048 deve ser lido em conjunto com o art. 1.046 do CPC.
(Inf. 571 do STJ, RESP 837.546-MT, 4ª Turma)
•Não é necessária a ratificação do recurso interposto na pendência
de julgamento de embargos de declaração quando, pelo julgamento
dos aclaratórios, não houver modificação do jugado embargado.
(Inf. 572 do STJ, RESP 1.129.215-DF, Corte Especial)
•A extinção de medida protetiva de urgência diante da
homologação de acordo entre as partes não afasta a competência
da Vara Especializada de Violência Doméstica ou Familiar contra a
Mulher para julgar ação de divórcio fundada na mesma situação de
agressividade vivenciada pela vítima e que fora distribuída por
dependência à medida extinta.
(Inf. 572 do STJ, RESP 1.496.030-MT, 3ª Turma)
•A publicação do acórdão que decide a lide não impede que as
partes transacionem o objeto do litígio.
(Inf. 572 do STJ, RESP 1.267.525-DF, 3ª Turma)
•Quando houver sintomas de que a legitimação coletiva vem sendo
utilizada de forma indevida ou abusiva, o magistrado poderá, de
ofício, afastar a presunção legal de legitimação de associação
regularmente constituída para propositura de ação coletiva.
(Inf. 572 do STJ, RESP 1.213.614-RJ, 4ª Turma)
•A Defensoria Pública tem legitimidade para propor ação civil
pública em defesa de interesses individuais homogêneos de
consumidores idosos que tiveram plano de saúde reajustado em
razão da mudança de faixa etária, ainda que os titulares não sejam
carentes de recursos econômicos.
(Inf. 573 do STJ, ERESP 1.192.577-RS, Corte Especial)
•A superveniência de sentença de mérito implica a perda do objeto
de agravo de instrumento interposto contra decisão anteriormente
proferida em tutela antecipada.
(Inf. 573 do STJ, EARESP 488.188-SP, Corte Especial)
•Em ação de cobrança de cotas condominiais proposta somente
contra o promissário comprador, não é possível a penhora do
imóvel que gerou a dívida - de propriedade do promissário
vendedor -, admitindo-se, no entanto, a constrição dos direitos
aquisitivos decorrentes do compromisso de compra e venda.
(Inf. 573 do STJ, RESP 1.273.313-SP, 3ª Turma)
•Não supre a falta de citação em ação revisional de alimentos o
comparecimento do réu para contraminutar agravo de instrumentos
contra decisão denegatória de tutela antecipada, sem que haja
qualquer pronunciamento na ação principal por parte do
demandado.
(Inf. 573 do STJ, RESP 1.310.704-MS, 3ª Turma)
•Na fase de cumprimento de sentença, não é cabível a
apresentação de impugnação fundada em excesso de execução
(art. 475-L, V, do CPC) antes do depósito da quantia devida (art.
475-J, caput, do CPC); contudo, se mesmo assim ela for
apresentada, não haverá preclusão da faculdade de apresentar
nova impugnação a partir da intimação da penhora realizada nos
autos (art. 475-J, §1º, do CPC).
(Inf. 573 do STJ, RESP 1.455.937-SP, 3ª Turma)
•Em execução de alimentos pelo rito do art. 733 do CPC, o
acolhimento da justificativa da impossibilidade de efetuar o
pagamento das prestações alimentícias executadas desautoriza a
decretação da prisão do devedor, mas não acarreta a extinção da
execução.
(Inf. 573 do STJ, RESP 1.185.040-SP, 4ª Turma)
•Não se aplica a pena de deserção a recurso interposto contra o
indeferimento do pedido de justiça gratuita. Nessas circunstâncias,
cabe ao magistrado, mesmo constatando a inocorrência
de recolhimento do preparo, analisar, inicialmente, o mérito do
recurso no tocante à possibilidade de concessão do benefício da
assistência judiciária gratuita.
(Inf. 574 do STJ, AGRG nos ERESP 1.222.355-MG, Corte Especial)
•É possível a formulação de pedido de assistência judiciária gratuita
na própria petição recursal, dispensando-se a exigência de petição
avulsa, quando não houver prejuízo ao trâmite normal do processo.
(Inf. 574 do STJ, AGRG nos ERESP 1.222.355-MG, Corte Especial)
•Pode ser conhecida a apelação que, sem má-fé e em prazo
compatível com o previsto para o agravo de instrumento, foi
interposta contra decisão que, em juízo prévio de admissibilidade
em ação de improbidade administrativa, reconheceu a ilegitimidade
passiva ad causam de alguns dos réus.
(Inf. 574 do STJ, AGRG no RESP 1.305.905-DF, 2ª Turma)
•Em ação monitória, após o decurso do prazo para pagamento ou
entrega da coisa sem a oposição de embargos pelo réu, o juiz não
poderá analisar matérias de mérito, ainda que conhecíveis de
ofício.
(Inf. 574 do STJ, RESP 1.432.982-ES, 3ª Turma)
•A pequena propriedade rural, trabalhada pela família, é
impenhorável, ainda que dada pelos proprietários em garantia
hipotecária para financiamento da atividade produtiva.
(Inf. 574 do STJ, RESP 1.368.404-SP, 4ª Turma)
•Reconhecida a revelia, a presunção de veracidade quanto aos
danos narrados na petição inicial não alcança a definição
do quantum indenizatório indicado pelo autor.
(Inf. 574 do STJ, RESP 1.520.659-RJ, 4ª Turma)
•Os embargos de declaração, ainda que contenham pedido de
efeitos infringentes, não devem ser recebidos como "pedido de
reconsideração".
(Inf. 575 do STJ, RESP 1.522.347-ES, Corte Especial)
•Após o trânsito em julgado de decisão que julga improcedente
ação coletiva proposta em defesa de direitos individuais
homogêneos, independentemente do motivo que tenha
fundamentado a rejeição do pedido, não é possível a propositura de
nova demanda com o mesmo objeto por outro legitimado coletivo,
ainda que em outro Estado da federação.
(Inf 575 do STJ, RESP 1.302.596-SP, 2ª Seção)
•Não é cabível ação de exibição de documentos que tenha por
objeto a obtenção de informações detidas pela Administração
Pública que não foram materializadas em documentos (eletrônicos
ou não), ainda que se alegue demora na prestação dessas
informações pela via administrativa.
(Inf. 575 do STJ, RESP 1.415.741-MG, 2ª Turma)
•O encargo previsto no art. 1º do DL n. 1.025/1969 incide nas
execuções fiscais promovidas pela União contra pessoas jurídicas
de direito público.
(Inf. 575 do STJ, RESP 1.540.855-RS, 2ª Turma)
•Na execução civil movida pela vítima, não é oponível a
impenhorabilidade do bem de família adquirido com o produto do
crime, ainda que a punibilidade do acusado tenha sido extinta em
razão do cumprimento das condições estipuladas para a suspensão
condicional do processo.
(Inf. 575 do STJ, RESP 1.091.236-RJ, 4ª Turma)
•Cabem embargos à adjudicação sob alegação de não ter sido
excluída da obrigação exequenda a capitalização de juros conforme
determinado pela sentença proferida em anteriores embargos à
execução.
(Inf. 575 do STJ, RESP 1.173.304-SP, 4ª Turma)

1º Semestre 2015

Superior Tribunal de Justiça


• Informativo 553 do STJ: no Resp 1.112.864-MG, a Corte Especial,
em sede de recurso repetitivo, definiu que o termo final do prazo
decadencial para propositura de ação rescisória deve ser
prorrogado para o primeiro dia útil subsequente quando recair em
data em que não haja funcionamento da secretaria do juízo
competente.
• Informativo 553 do STJ: no REsp 1.349.453-MS, a Segunda Seção,
em sede de recurso repetitivo, decidiu que a propositura de ação
cautelar de exibição de documentos bancários (cópias e segunda
via de documentos) é cabível como medida preparatória a fim de
instruir a ação principal, bastando a demonstração da existência de
relação jurídica entre as partes, a comprovação de prévio pedido à
instituição financeira não atendido em prazo razoável e o
pagamento do custo do serviço conforme previsão contratual e
normatização da autoridade monetária.
• Informativo 553 do STJ: no EREsp 1.356.168-RS, a Corte Especial
decidiu que não há nulidade na publicação de ato processual em
razão do acréscimo de uma letra ao sobrenome do advogado no
caso em que o seu prenome, o nome das partes e o número do
processo foram cadastrados corretamente, sobretudo se, mesmo
com a existência de erro idêntico nas intimações anteriores, houve
observância aos prazos processuais passados, de modo a
demonstrar que o erro gráfico não impediu a exata identificação do
processo.
• Informativo 553 do STJ: no REsp 1.264.358-SC, a Segunda Turma
firmou o entendimento de que excepcionalmente é possível
penhorar parte dos honorários advocatícios – contratuais ou
sucumbenciais – quando a verba devida ao advogado ultrapassar o
razoável para o seu sustento e de sua família.
• Informativo 553 do STJ: no REsp 1.416.789-PR, a Terceira Turma
decidiu que é a ação de conhecimento sob o rito sumário – e não a
ação executiva – a via adequada para cobrar, em decorrência de
dano causado por acidente de trânsito, indenização securitária
fundada em contrato de seguro de automóvel. Isso porque o
contrato de seguro de automóvel não se enquadra como título
executivo extrajudicial (art. 585 do CPC).
• Informativo 553 do STJ: no REsp 1.417.620-DF, a Terceira Turma
ressaltou que o proprietário sem posse a qualquer título não tem
legitimidade para ajuizar, com fundamento no direito de
propriedade, embargos de terceiro contra decisão transitada em
julgado proferida em ação de reintegração de posse, da qual não
participou, e na qual sequer foi aventada discussão em torno da
titularidade do domínio.
• Informativo 553 do STJ: no REsp 1.099.458-PR, a Quarta Turma
decidiu que nas ações de interdição não ajuizadas pelo MP, a
função de defensor do interditando deverá ser exercida pelo próprio
órgão ministerial, não sendo necessária, portanto, nomeação de
curador à lide.
• Informativo 554 do STJ: no REsp 1.376.656-SP, a Corte Especial,
definiu que o termo de abertura de vista e remessa dos autos à
Fazenda Nacional substitui, para efeito de demonstração da
tempestividade do agravo de instrumento (art. 522 do CPC) por ela
interposto, a apresentação de certidão de intimação da decisão
agravada (art. 525, I, do CPC).
• Informativo 554 do STJ: no EREsp 1.330.567-RS, a Segunda Seção
decidiu que é impenhorável a quantia oriunda do recebimento, pelo
devedor, de verba rescisória trabalhista posteriormente poupada
em mais de um fundo de investimento, desde que a soma dos
valores não seja superior a quarenta salários mínimos.
• Informativo 554 do STJ: no REsp 1.037.563-SC, a Primeira Turma
decidiu que o fato de a PGFN ter atuado em defesa da União em
causa não fiscal de atribuição da PGU não justifica, por si só, a
invalidação de todos os atos de processo no qual não se evidenciou
– e sequer se alegou – qualquer prejuízo ao ente federado, que
exercitou plenamente o seu direito ao contraditório e à ampla
defesa, mediante oportuna apresentação de diversas teses jurídicas
eloquentes e bem articuladas, desde a primeira instância e em
todos os momentos processuais apropriados.
• Informativo 554 do STJ: no REsp 1.359.976-PB, a Terceira Turma
decidiu que é cabível a cominação de multa diária – astreintes – em
ação de exibição de documentos movida por usuário de serviço de
telefonia celular para obtenção de informações acerca do endereço
de IP (Internet Protocol) de onde teriam sido enviadas, para o seu
celular, diversas mensagens anônimas agressivas, por meio do
serviço de SMS disponibilizado no sítio eletrônico da empresa de
telefonia.
• Informativo 554 do STJ: no REsp 1.285.405-SP, a Terceira Turma
decidiu que concedida antecipação dos efeitos da tutela em recurso
adesivo, não se admite a desistência do recurso principal de
apelação, ainda que a petição de desistência tenha sido
apresentada antes do julgamento dos recursos.
• Informativo 555 do STJ: no REsp 1.464.567-PB, a Segunda Turma
decidiu que na execução de título judicial oriundo de ação coletiva
promovida por sindicato na condição de substituto processual, não
é possível destacar os honorários contratuais do montante da
condenação sem que haja autorização expressa dos substituídos ou
procuração outorgada por eles aos advogados.
• Informativo 555 do STJ: no RESP 1.404.366-RS, a Quarta Turma
decidiu que não estão legitimadas a integrar o polo passivo de ação
de execução de honorários advocatícios as sociedades empresárias
que não figurarem no título executivo extrajudicial, ainda que sejam
integrantes do mesmo grupo econômico da sociedade empresária
que firmou o contrato de prestação de serviços advocatícios.
• Informativo 555 do STJ: no RESP 1.198.068-MS, a Quarta Turma
decidiu que a suspensão do processo determinada com base no art.
110 do CPC não pode superar um ano, de modo que, ultrapassado
esse prazo, pode o juiz apreciar a questão prejudicial.
• Informativo 556 do STJ: no ERESP 1.327.573/RJ, a Corte Especial
definiu que o Ministério Público Estadual tem legitimidade para
atuar diretamente como parte em recurso submetido a julgamento
perante o STJ.
• Informativo 556 do STJ: no RESP 1.124.859-MG, a Segunda Seção
definiu que cabe recurso especial – e não recurso extraordinário –
para examinar se ofende o art. 6º da Lei de Introdução às normas
do Direito Brasileiro (LINDB) a interpretação feita pelo acórdão
recorrido dos conceitos legais de direito adquirido e de ato jurídico
perfeito a qual ensejou a aplicação de lei nova a situação jurídica já
constituída quando de sua edição.
• Informativo 556 do STJ: na PET 9.892-SP, a Segunda Seção decidiu
que não é possível estender a regra de isenção prevista no art. 18
da Lei 7.347/1985 (LACP) e no art. 87 da Lei 8.078/1990 (CDC) à
propositura de ações ou incidentes processuais que não estão
previstos nos referidos artigos.
• Informativo 556 do STJ: no RESP 1.163.649-SP, a Quarta Turma
decidiu que a mera alegação de que houve um erro de julgamento
não é apta a justificar a aplicação da teoria da relativização da
coisa julgada com vistas a desconstituir decisão que, em sede de
incidente de habilitação de crédito, fixou equivocadamente os
honorários advocatícios com base no § 3º do art. 20 do CPC –
quando deveria ter utilizado o § 4º do referido dispositivo –, ainda
que o valor dos honorários seja excessivo e possa prejudicar os
demais credores concursais.
• Informativo 557 do STJ: no AGRG nos EARESP 86.915-SP, a Corte
Especial definiu que quando a assistência judiciária gratuita for
deferida, a eficácia da concessão do benefício prevalecerá,
independentemente de renovação de seu pedido, em todas as
instâncias e para todos os atos do processo – alcançando, inclusive,
as ações incidentais ao processo de conhecimento, os recursos, as
rescisórias, assim como o subsequente processo de execução e
eventuais embargos à execução –, somente perdendo sua eficácia
por expressa revogação pelo Juiz ou Tribunal.
• Informativo 557 do STJ: no EARESP 185.695-PB, a Corte Especial
decidiu que o disposto no art. 184, § 1º, II, do CPC – que trata da
possibilidade de prorrogação do prazo recursal em caso de
encerramento prematuro do expediente forense – aplica-se quando
o referido encerramento tiver ocorrido no termo final para
interposição do recurso, e não no termo inicial.
• Informativo 557 do STJ: no RESP 1.324.399-SP, a Terceira Turma
decidiu que no processo de recuperação judicial, é inaplicável aos
credores da sociedade recuperanda o prazo em dobro para recorrer
previsto no art. 191 do CPC.
• Informativo 557 do STJ: no RESP 1.377.675-SC, a Terceira Turma
decidiu que na hipótese em que o Ministério Público Estadual tenha
proposto ação de investigação de paternidade como substituto
processual de criança, a citação editalícia do réu não poderá ser
realizada apenas em órgão oficial.
• Informativo 557 do STJ: no RESP 1.377.675-SC, a Terceira Turma
decidiu que o Ministério Público Estadual, ao propor ação de
investigação de paternidade como substituto processual de criança,
não é obrigado a adiantar as despesas decorrentes da citação
editalícia do réu em jornal local, devendo o adiantamento dos
gastos da referida diligência ser realizado pela Fazenda Pública
Estadual.
• Informativo 557 do STJ: no RESP 1.354.225-RS, a Terceira Turma
decidiu que é possível acolher alegação de coisa julgada formulada
em sede de exceção de pré-executividade caso se verifique, na fase
de execução, que o comando da sentença exequenda transitada em
julgado conflita com o comando de outra sentença, anteriormente
transitada em julgado, proferida em idêntica demanda.
• Informativo 557 do STJ: no RESP 1.481.117-PR, a Terceira Turma
decidiu que no caso em que, em ação declaratória de nulidade de
notas promissórias, a sentença, ao reconhecer subsistente a
obrigação cambial entre as partes, atestando a existência de
obrigação líquida, certa e exigível, defina a improcedência da ação,
o réu poderá pleitear o cumprimento dessa sentença,
independentemente de ter sido formalizado pedido de satisfação do
crédito na contestação.
• Informativo 557 do STJ: no RESP 1.491.040-RJ, a Terceira Turma
decidiu que na hipótese em que a própria validade do contrato
esteja sendo objeto de apreciação judicial pelo fato de que não
houve instrumento de formalização assinado pelas partes, a
cláusula de eleição de foro não deve prevalecer, ainda que prevista
em contratos semelhantes anteriormente celebrados entre as
partes.
• Informativo 558 do STJ: no RESP 1.293.558-PR, a Segunda Seção,
em Recurso Repetitivo, decidiu que nos contratos de mútuo e
financiamento, o devedor não possui interesse de agir para a ação
de prestação de contas.
• Informativo 558 do STJ: no ERESP 1.322.166-PR, a Corte Especial
decidiu que o art. 18 da Lei 7.347/1985 (LACP) – “Nas ações de que
trata esta lei, não haverá adiantamento de custas, emolumentos,
honorários periciais e quaisquer outras despesas, nem condenação
da associação autora, salvo comprovada má-fé, em honorários de
advogado, custas e despesas processuais” – é aplicável à ação civil
pública movida por sindicato na defesa de direitos individuais
homogêneos da categoria que representa.
• Informativo 558 do STJ: no RESP 1.461.301-MT, a Terceira Turma
decidiu que não se deve desconstituir a penhora de imóvel sob o
argumento de se tratar de bem de família na hipótese em que,
mediante acordo homologado judicialmente, o executado tenha
pactuado com o exequente a prorrogação do prazo para pagamento
e a redução do valor de dívida que contraíra em benefício da
família, oferecendo o imóvel em garantia e renunciando
expressamente ao oferecimento de qualquer defesa, de modo que,
descumprido o acordo, a execução prosseguiria com a avaliação e
praça do imóvel.
• Informativo 558 do STJ: no RESP 1.483.841-RS, a Terceira Turma
decidiu que na ação de divórcio direto consensual, é possível a
imediata homologação do divórcio, sendo dispensável a realização
de audiência de conciliação ou ratificação (art. 1.122 do CPC),
quando o magistrado tiver condições de aferir a firme disposição
dos cônjuges em se divorciarem, bem como de atestar que as
demais formalidades foram atendidas.
• Informativo 558 do STJ: no RESP 1.265.509-SP, a Terceira Turma
decidiu que não se exige o recolhimento de custas iniciais para
oferecer embargos à ação monitória.
• Informativo 559 do STJ: no RESP 1.154.730-PE, a Segunda Seção,
em Recurso Repetitivo, decidiu que a petição inicial da ação
monitória para cobrança de soma em dinheiro deve ser instruída
com demonstrativo de débito atualizado até a data do ajuizamento,
assegurando-se, na sua ausência ou insuficiência, o direito da parte
de supri-la, nos termos do art. 284 do CPC.
• Informativo 559 do STJ: na RCL 22.033-SC, a Primeira Seção decidiu
que não é cabível reclamação, tampouco pedido de uniformização
de jurisprudência, ao STJ contra acórdão de Turma Recursal do
Juizado Especial da Fazenda Pública sob a alegação de que a
decisão impugnada diverge de orientação fixada em precedentes
do STJ.
• Informativo 559 do STJ: no RESP 1.284.988-RS, a Quarta Turma
decidiu que a existência de dívida alimentar não autoriza a penhora
imediata de cotas sociais pertencentes à atual companheira do
devedor na parte relativa à meação, sem que antes tenha sido
verificada a viabilidade de constrição do lucro relativo às referidas
cotas e das demais hipóteses que devam anteceder a penhora (art.
1.026, c/c art. 1.053, ambos do CC).
• Informativo 559 do STJ: no RESP 1.221.941-RJ, a Quarta Turma
decidiu que pode ser reconhecida a conexão e determinada a
reunião para julgamento conjunto de um processo executivo com
um processo de conhecimento no qual se pretenda a declaração da
inexistência da relação jurídica que fundamenta a execução, desde
que não implique modificação de competência absoluta.
• Informativo 559 do STJ: no RESP 1.186.373-MS, a Quarta Turma
decidiu que o exequente que adjudicou o imóvel penhorado após
finda praça sem lançador deve arcar com as despesas condominiais
anteriores à praça, ainda que omitidas no edital da hasta pública.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 1.345.331-RS, a Segunda Seção
decidiu que a respeito da legitimidade passiva em ação de
cobrança de dívidas condominiais, firmaram-se as seguintes teses:
a) o que define a responsabilidade pelo pagamento das obrigações
condominiais não é o registro do compromisso de compra e venda,
mas a relação jurídica material com o imóvel, representada pela
imissão na posse pelo promissário comprador e pela ciência
inequívoca do condomínio acerca da transação; b) havendo
compromisso de compra e venda não levado a registro, a
responsabilidade pelas despesas de condomínio pode recair tanto
sobre o promitente vendedor quanto sobre o promissário
comprador, dependendo das circunstâncias de cada caso concreto;
e c) se ficar comprovado (i) que o promissário comprador se imitira
na posse e (ii) o condomínio teve ciência inequívoca da transação,
afasta-se a legitimidade passiva do promitente vendedor para
responder por despesas condominiais relativas a período em que a
posse foi exercida pelo promissário comprador.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 1.147.191-RS, a Segunda Seção
decidiu que no caso de sentença ilíquida, para a imposição da
multa prevista no art. 475-J do CPC, revela-se indispensável (i) a
prévia liquidação da obrigação; e, após o acertamento, (ii) a
intimação do devedor, na figura do seu advogado, para pagar
o quantum ao final definido no prazo de 15 dias.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 926.792-SC, a Terceira Turma
decidiu que o fiador de mútuo bancário não tem legitimidade para,
exclusivamente e em nome próprio, pleitear em juízo a revisão e o
afastamento de cláusulas e encargos abusivos constantes do
contrato principal.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 1.458.741-GO, a Terceira Turma
decidiu que não está sujeito aos efeitos de decisão reintegratória
de posse proferida em processo do qual não participou o terceiro de
boa-fé que, antes da citação, adquirira do réu o imóvel objeto do
litígio.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 1.214.790-SP, a Terceira Turma
decidiu que o advogado substabelecido com reserva de poderes
que atuara na fase de conhecimento não possui legitimidade para
postular, sem a intervenção do substabelecente, os honorários de
sucumbência fixados nessa fase, ainda que tenha firmado contrato
de prestação de serviços, na fase de cumprimento da sentença,
com a parte vencedora da ação.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 1.488.590-PR, a Terceira Turma
decidiu que aplica-se o art. 191 do CPC/1973 à contagem de prazo
nos processos judiciais eletrônicos.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 1.373.710-MG, a Terceira Turma
decidiu que ainda que possua cláusula compromissória, o contrato
assinado pelo devedor e por duas testemunhas pode ser levado a
execução judicial relativamente a cláusula de confissão de dívida
líquida, certa e exigível.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 805.151-SP, a Quarta Turma
decidiu que o termo inicial do prazo de prescrição da pretensão ao
recebimento de honorários advocatícios contratados sob a condição
de êxito da demanda judicial, no caso em que o mandato foi
revogado por ato unilateral do mandante antes do término do litígio
judicial, é a data do êxito da demanda, e não a da revogação do
mandato.
• Informativo 560 do STJ: no RESP 1.106.809-RS, a Quarta Turma
decidiu que o § 5º do art. 219 do CPC (“O juiz pronunciará, de ofício,
a prescrição”) não autoriza a declaração, de ofício, da usucapião.
• Cancela-se a distribuição da impugnação ao cumprimento de
sentença ou dos embargos à execução na hipótese de não
recolhimento das custas no prazo de 30 dias, independentemente
de prévia intimação da parte; não se determina o cancelamento se
o recolhimento das custas, embora intempestivo, estiver
comprovado nos autos. (Inf. 561 do STJ, RESP 1.361.811-RS,
Primeira Seção)
• A vedação contida no art. 497, III, do CC não impede o oficial de
justiça aposentado de arrematar bem em hasta pública. (Inf. 561 do
STJ, RESP 1.399.916-RS, Segunda Turma)
• Os honorários sucumbenciais fixados no despacho inicial de
execução de título extrajudicial (art. 652-A do CPC) não podem ser
cobrados do exequente, mesmo que, no decorrer do processo
executivo, este tenha utilizado parte de seu crédito na arrematação
de bem antes pertencente ao executado, sem reservar parcela para
o pagamento de verba honorária. (Inf. 561 do STJ, RESP 1.120.753-
RJ, Terceira Turma)
• O recurso adesivo pode ser interposto pelo autor da demanda
indenizatória, julgada procedente, quando arbitrado, a título de
danos morais, valor inferior ao que era almejado, uma vez
configurado o interesse recursal do demandante em ver majorada a
condenação, hipótese caracterizadora de sucumbência material.
(Inf. 562 do STJ, RESP 1.102.479-RJ, Corte Especial - Recurso
Repetitivo)
• Em julgamentos submetidos ao rito do art. 534-C do CPC, cabe ao
STJ traçar as linhas gerais acerca da tese aprovada, descabendo a
inserção de soluções episódicas ou exceções que porventura
possam surgir em outros indetermináveis casos, sob pena de se ter
de redigir verdadeiros tratados sobre todos os temas conexos ao
objeto do recurso. (Inf. 562 do STJ, EDCL no RESP 1.124.552-RS,
Corte Especial)
• O valor de multa cominatória pode ser exigido em montante
superior ao da obrigação principal. (Inf. 562 do STJ, RESP
1.352.426-GO, Terceira Turma)
• Mesmo após as alterações promovidas pela Lei 11.232/2005 no
conceito de sentença (arts. 162, § 1º, 269 e 463 do CPC), não se
admite a resolução definitiva fracionada da causa mediante
prolação de sentenças parciais de mérito. (Inf. 562 do STJ, RESP
1.281.978-RS, 3ª Turma)
• A suspensão das ações e execuções ajuizadas em desfavor de
instituições financeiras sob regime de liquidação extrajudicial e o
veto à propositura de novas demandas após o decreto de
liquidação (art. 18, “a”, da Lei 6.024/1974) não alcançam as ações
de conhecimento voltadas à obtenção de provimento judicial
relativo à certeza e liquidez do crédito. (Inf. 562 do STJ, RESP
1.298.237-DF, Terceira Turma)
• Os recursos do fundo partidário são absolutamente impenhoráveis,
inclusive na hipótese em que a origem do débito esteja relacionada
às atividades previstas no art. 44 da Lei 9.096/1995. (Inf. 562 do
STJ, RESP 1.474.605-MS, Terceira Turma)
• O recolhimento, no ato da interposição do recurso, de apenas uma
das verbas indispensáveis ao seu processamento (custas, porte de
remessa e retorno, taxas ou outras) acarreta a intimação do
recorrente para suprir o preparo no prazo de cinco dias, e não
deserção.
(Inf. 563 do STJ, RESP 844.440-MS, Corte Especial)
• O Ministério Público tem legitimidade para ajuizar ação civil pública
em defesa dos direitos individuais homogêneos dos beneficiários do
seguro DPVAT.
(Inf. 563 do STJ, RESP 858.056-GO, Segunda Seção)
• Não cabe a condenação da Fazenda Pública em honorários
advocatícios no caso em que o credor simplesmente anui com os
cálculos apresentados em "execução invertida", ainda que se trate
de hipótese de pagamento mediante Requisição de Pequeno Valor
(RPV).
(Inf. 563 do STJ, AGRG no ARESP 630.235-RS, Primeira Turma)
• Na ação de execução fiscal, frustradas as diligências para
localização de outros bens em nome do devedor e obedecida a
ordem legal de nomeação de bens à penhora, não cabe ao
magistrado recusar a constrição de bens nomeados pelo credor
fundamentando a decisão apenas na assertiva de que a potencial
iliquidez deles poderia conduzir à inutilidade da penhora.
(Inf. 563 do STJ, RESP 1.523.794-RS, Primeira Turma)
• No caso em que a garantia à execução fiscal tenha sido totalmente
dispensada de forma expressa pelo juízo competente - inexistindo,
ainda que parcialmente, a prestação de qualquer garantia
(penhora, fiança, depósito, seguro-garantia) -, o prazo para oferecer
embargos à execução deverá ter início na data da intimação da
decisão que dispensou a apresentação de garantia, não havendo a
necessidade, na intimação dessa dispensa, de se informar
expressamente o prazo para embargar.
(Inf. 563 do STJ, RESP 1.440.639-PE, Segunda Turma)
• A caução prevista no art. 835 do CPC não tem natureza cautelar,
sendo exigível no caso em que se verificar a presença dos
requisitos objetivos e cumulativos elencados no referido dispositivo,
podendo ser dispensada nas hipóteses previstas no art. 836 do CPC
ou quando, com base na prova dos autos, as peculiaridades do caso
concreto indicarem que a sua exigência irá obstaculizar o acesso à
jurisdição.
(Inf. 563 do STJ, RESP 1.479.051-RJ, Terceira Turma)
• Não se aplica a pena de deserção a recurso interposto contra
julgado que indeferiu o pedido de justiça gratuita.
(Inf. 564 do STJ, AGRG no ARESP 600.215-RS, 1ª Turma)
• O usuário de plano de saúde coletivo tem legitimidade ativa para
ajuizar individualmente ação contra a operadora pretendendo
discutir a validade de cláusulas contratuais, não sendo empecilho o
fato de a contratação ter sido intermediada por caixa de assistência
de categoria profissional.
(Inf. 564 do STJ, RESP 1.510.697-SP, 3ª Turma)
Supremo Tribunal Federal
• Informativo 776 do STF: no AI 703.269 AgR-ED-EDv-ED/MG, o
Plenário decidiu que admite-se a interposição de embargos
declaratórios oferecidos antes da publicação do acórdão
embargado e dentro do prazo recursal.
• Informativo 781 do STF: no MS 29.146 ED-ED-AGR/DF e outros, a
Segunda Turma decidiu que não é cabível a desistência de
mandado de segurança, nas hipóteses em que se discute a
exigibilidade de concurso público para delegação de serventias
extrajudiciais, quando na espécie já houver sido proferida decisão
de mérito, objeto de sucessivos recursos.
• Repercussão geral reconhecida e reafirmada a jurisprudência do
Supremo Tribunal Federal no sentido da ampla legitimidade
extraordinária dos sindicatos para defender em juízo os direitos e
interesses coletivos ou individuais dos integrantes da categoria que
representam, inclusive nas liquidações e execuções de sentença,
independentemente de autorização dos substituídos.
(Inf. 791 do STF, RE 883.642/AL, Plenário Virtual - Repercussão
Geral - Reafirmação de Jurisprudência)

2º Semestre 2014

Superior Tribunal de Justiça


• Informativo 543/STJ: no EREsp 617.428/SP, a Corte Especial do STJ
entendeu que é admissível, assegurado o contraditório, prova
emprestada de processo do qual não participaram as partes do
processo para o qual a prova será trasladada.
• Informativo 543/STJ: no CC 111.572/SC, a 2ª Seção do STJ concluiu
que o foro do domicílio do réu é competente para processar e julgar
ação declaratória de nulidade, por razões formais, de escritura
pública de cessão e transferência de direitos possessórios de
imóvel, ainda que esse seja diferente do da situação do imóvel.
• Informativo 543/STJ: no REsp 1.388.822/RN, a 1ª Turma do STJ
consignou que a União – e não só Estados, Distrito Federal e
Municípios – tem legitimidade passiva em ação de indenização por
erro médico ocorrido em hospital da rede privada durante
atendimento custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
• Informativo 544/STJ: no REsp 1.391.198, em regime de recurso
repetitivo, a 2ª Seção do STJ decidiu que a sentença proferida pelo
Juízo da 12ª Vara Cível da Circunscrição Especial Judiciária de
Brasília-DF, na ação civil coletiva que condenou o Banco do Brasil
ao pagamento de diferenças decorrentes de expurgos inflacionários
sobre cadernetas de poupança ocorridos em janeiro de 1989 (Plano
Verão), é aplicável indistintamente a todos os detentores de
caderneta de poupança do Banco do Brasil, independentemente de
sua residência ou domicílio no Distrito Federal, reconhecendo-se ao
beneficiário o direito de ajuizar o cumprimento individual da
sentença coletiva no Juízo de seu domicílio ou no Distrito Federal.
Decidiu, ainda, que os poupadores ou seus sucessores detêm
legitimidade ativa, independentemente de fazerem parte ou não
dos quadros do IDEC, para ajuizarem o cumprimento individual da
referida sentença coletiva.
• Informativo 545/STJ: no REsp 1.319.118/RS, a 1ª Turma do STJ
apontou que a legitimidade passiva em mandado de segurança
impetrado contra o indeferimento de ingresso no Simples Nacional
por autoridade fiscal integrante de estrutura administrativa
estadual é da autoridade estadual, e não do Delegado da Receita
Federal.
• Informativo 545/STJ: no REsp 1.374.735/RS, a 4ª Turma do STJ
considerou que, se na sentença condenatória não houver definição
do termo inicial para a contabilização dos juros moratórios
decorrentes do inadimplemento de obrigação contratual, dever-se-á
adotar na liquidação a citação válida do réu no processo de
conhecimento como marco inicial.
• Informativo 546/STJ: no REsp 1.200.856/RS a Corte Especial do STJ
decidiu, em regime de recurso repetitivo, que a multa diária
prevista no § 4º do art. 461 do CPC, devida desde o dia em que
configurado o descumprimento, quando fixada em antecipação de
tutela, somente poderá ser objeto de execução provisória após a
sua confirmação pela sentença de mérito e desde que o recurso
eventualmente interposto não seja recebido com efeito suspensivo.
• Informativo 546/STJ: no CC 133.536/SP, a 1ª Seção do STJ entendeu
que a associação, ainda que possua abrangência local – e não
âmbito nacional –, poderá ajuizar ação coletiva em face da União na
Justiça Federal do DF, independentemente do lugar do território
nacional onde tenha ocorrido a lesão ao direito vindicado.
• Informativo 546/STJ: no REsp 1.335.994/SP, a 3ª Turma do STJ
entendeu que, ainda que não ofertada contestação em peça
autônoma, a apresentação de reconvenção na qual o réu
efetivamente impugne o pedido do autor pode afastar a presunção
de veracidade decorrente da revelia.
• Informativo 547/STJ: no REsp 736.650/MT, a Corte Especial do STJ
asseverou que a contagem do prazo decadencial para a propositura
de ação rescisória se inicia com o trânsito em julgado da última
decisão proferida no processo, ainda que algum dos capítulos da
sentença ou do acórdão tenha se tornado irrecorrível em momento
anterior.
• Informativo 548/STJ: no EREsp 1.151.639/GO, a 1ª Turma do STJ
entendeu que o Ministério Público não deve obrigatoriamente
intervir em todas as ações de ressarcimento ao erário propostas por
entes públicos.
• Informativo 548/STJ: no REsp 1.423.898/MS, a 3ª Turma do STJ
salientou que, na apreciação de pedido contraposto formulado em
ação possessória, admite-se o deferimento de tutela de remoção do
ato ilícito, ainda que essa providência não esteja prevista no art.
922 do CPC.
• Informativo 550/STJ: no REsp 1.446.608/RS, a 3ª Turma do STJ
salientou que, na hipótese em que o Tribunal suspenda, por força
de ato normativo local, os atos processuais durante o recesso
forense, o termo final do prazo prescricional que coincidir com data
abrangida pelo referido recesso prorroga-se para o primeiro dia útil
posterior ao término deste.
• Informativo 550/STJ: no REsp 1.202.843/PR, a 3ª Turma do STJ
considerou que o usufrutuário possui legitimidade e interesse para
propor ação reivindicatória – de caráter petitório – com o objetivo
de fazer prevalecer o seu direito de usufruto sobre o bem, seja
contra o nu-proprietário, seja contra terceiros.
• Informativo 552/STJ: no REsp 956.943/PR, a Corte Especial do STJ,
em regime de recurso repetitivo, definiu que na fraude de
execução: (i) é indispensável citação válida para sua configuração,
ressalvado o § 3º do art. 615-A do CPC; (ii) seu reconhecimento
depende do registro da penhora do bem alienado ou da prova de
má-fé do terceiro adquirente (Súmula 375/STJ); (iii) a boa-fé se
presume, a má-fé se prova; (iv) inexistindo registro da penhora na
matrícula do imóvel, é do credor o ônus da prova de que o terceiro
adquirente tinha conhecimento de demanda capaz de levar o
alienante à insolvência; e (v) presume-se em fraude de execução a
alienação ou oneração de bens realizada após a averbação da
certidão comprobatória do ajuizamento da execução.
• Informativo 552/STJ: na Rcl 12.062/GO, a 2ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, considerou ser nula, por configurar
julgamento extra petita, a decisão que condena a parte ré, de
ofício, em ação individual, ao pagamento de indenização a título de
danos sociais em favor de terceiro estranho à lide.
• Informativo 552/STJ: no REsp 1.114.035/PR, a 3ª Turma do STJ
entendeu que o art. 16 da LACP, que restringe o alcance subjetivo
de sentença civil aos limites da competência territorial do órgão
prolator, tem aplicabilidade nas ações civis públicas que envolvam
direitos individuais homogêneos. Ressaltou, ainda, que o simples
fato de a causa ter sido submetida à apreciação do STJ, por meio de
recurso especial, não tem a aptidão para conferir alcance nacional
à sentença proferida em ação civil pública
Supremo Tribunal Federal
• Informativo 753 do STF: no RE 631.111/GO, o Plenário, em
Repercussão Geral, decidiu que a tutela dos direitos e interesses de
beneficiários do seguro DPVAT - Danos Pessoais Causados por
Veículos Automotores de Via Terrestre, nos casos de indenização
paga, pela seguradora, em valor inferior ao determinado no art. 3º
da Lei 6.914/1974, reveste-se de relevante natureza social
(interesse social qualificado), de modo a conferir legitimidade ativa
ao Ministério Público para defendê-los em juízo mediante ação civil
coletiva.
• Informativo 755 do STF: no RE 627.709/DF, o Plenário, em
repercussão geral, fixou o entendimento de que a regra prevista no
§ 2º do art. 109 da CF (“§ 2º - As causas intentadas contra a União
poderão ser aforadas na seção judiciária em que for domiciliado o
autor, naquela onde houver ocorrido o ato ou fato que deu origem à
demanda ou onde esteja situada a coisa, ou, ainda, no Distrito
Federal”) também se aplica às ações movidas em face de
autarquias federais.
• Informativo 755 do STF: no MS 29.192/DF, a Primeira Turma decidiu
que não é cabível a intervenção de “amicus curiae” em mandado
de segurança.
• Informativo 759 do STF: no RE 376.440 ED/DF, o Plenário definiu
que é possível o julgamento de recurso extraordinário por decisão
monocrática do relator nas hipóteses oriundas de ação de controle
concentrado de constitucionalidade em âmbito estadual de
dispositivo de reprodução obrigatória, quando a decisão impugnada
refletir pacífica jurisprudência do STF sobre o tema.
• Informativo 764 do STF: no RE 590.809/RS, o Plenário, em
Repercussão Geral, decidiu que não cabe ação rescisória em face
de acórdão que, à época de sua prolação, estiver em conformidade
com a jurisprudência predominante do STF.
• Informativo 765 do STF: no RE 564.132/RS, o Plenário, em
Repercussão Geral, decidiu que é possível o fracionamento de
precatório para pagamento de honorários advocatícios.
• Informativo 765 do STF: no ARE 823.347/MA, o Plenário Virtual, em
Repercussão Geral, reafirmou a jurisprudência de que a execução
das decisões de condenação patrimonial proferidas pelos Tribunais
de Contas compete ao ente público beneficiário e não ao Ministério
Público, atuante ou não junto à Corte de Contas.

1º Semestre 2014

Superior Tribunal de Justiça


•Informativo 533/STJ: no REsp 1.291.736/PR, a 2ª Seção do STJ
definiu, em regime de recurso repetitivo, que, em execução
provisória, descabe o arbitramento de honorários advocatícios em
benefício do exequente. Acrescentou-se que, posteriormente,
convertendo-se a execução provisória em definitiva, após franquear
ao devedor, com precedência, a possibilidade de cumprir,
voluntária e tempestivamente, a condenação imposta, deverá o
magistrado proceder ao arbitramento dos honorários advocatícios.
•Informativo 533/STJ: no REsp 1.405.532/SP, a 2ª Turma do STJ
decidiu que o impetrante pode desistir de mandado de segurança
sem a anuência do impetrado mesmo após a prolação da sentença
de mérito.
•Informativo 533/STJ: no RMS 43.439/MG, a 3ª Turma do STJ
entendeu que, em regra, o prazo para a impetração de mandado de
segurança em face de decisão que converte agravo de instrumento
em agravo retido é de 5 dias, a contar da data da publicação da
decisão.
•Informativo 533/STJ: no REsp 1.338.032/SP, a 3ª Turma do STJ
admitiu o arresto de bens penhoráveis na
modalidade online quando não localizado o executado para
citação em execução de título extrajudicial. Ressaltou que, quanto à
possibilidade de arresto on-line, mediante bloqueio eletrônico de
valores, a 1ª Seção do STJ entendeu possível a realização de arresto
prévio por meio eletrônico (sistema Bacen-Jud) no âmbito da
execução fiscal ao julgar o REsp 1.184.765-PA, em regime de
recurso repetitivo.
•Informativo 534/STJ: no REsp 1.276.956/RS, a 1ª Turma do STJ
considerou que, julgada procedente em parte a exceção de pré-
executividade, são devidos honorários de advogado na medida do
respectivo proveito econômico.
•Informativo 535/STJ: no EREsp 1.121.719/SP, a 2ª Seção do STJ
considerou que o saldo de depósito em fundo de previdência
privada complementar na modalidade Plano Gerador de Benefícios
Livres (PGBL) é impenhorável, a menos que sua natureza
previdenciária seja desvirtuada pelo participante.
•Informativo 535/STJ: no REsp 1.419.421/GO, a 4ª Turma do STJ
entendeu que as medidas protetivas de urgência da Lei Maria da
Penha podem ser aplicadas em ação cautelar cível satisfativa,
independentemente da existência de inquérito policial ou processo
criminal contra o suposto agressor.
•Informativo 536/STJ: no AgRg no AREsp 24.940/RJ, a 1ª Turma do
STJ entendeu que, desde que observado o devido processo legal, é
possível a utilização de provas colhidas em processo criminal como
fundamento para reconhecer, no âmbito de ação de conhecimento
no juízo cível, a obrigação de reparação dos danos causados, ainda
que a sentença penal condenatória não tenha transitado em
julgado.
•Informativo 536/STJ: no REsp 1.377.400/SC, a 2ª Turma do STJ
salientou que, em ação civil pública, a falta de publicação do edital
destinado a possibilitar a intervenção de interessados como
litisconsortes (art. 94 do CDC) não impede, por si só, a produção de
efeitos erga omnes de sentença de procedência relativa a direitos
individuais homogêneos.
•Informativo 537/STJ: no REsp 1.406.296/RS, a 1ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, decidiu que a Fazenda Pública
executada não pode ser condenada a pagar honorários advocatícios
nas execuções por quantia certa não embargadas em que o
exequente renuncia parte de seu crédito para viabilizar o
recebimento do remanescente por requisição de pequeno valor
(RPV).
•Informativo 537/STJ: no REsp 1.170.188/DF, a 4ª Turma do STJ
ressaltou que, em ação de consignação em pagamento, ainda que
cumulada com revisional de contrato, é inadequado o depósito tão
somente das prestações que forem vencendo no decorrer do
processo, sem o recolhimento do montante incontroverso e
vencido.
•Informativo 538/STJ: no REsp 1.437.078/RS, a 2ª Turma do STJ
concluiu que não devem ser conhecidos os embargos à execução
fiscal opostos sem a garantia do juízo, mesmo que o embargante
seja beneficiário da assistência judiciária gratuita.
•Informativo 538/STJ: no REsp 1.395.875/PE, a 2ª Seção do STJ
ressaltou que, quando sindicato atua como substituto processual
em ação coletiva para a defesa de direitos individuais homogêneos,
não é necessário que a causa de pedir contemple descrição
pormenorizada das situações individuais de todos os substituídos
na primeira fase cognitiva.
•Informativo 539/STJ: no REsp 1.203.244/SC a 1ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, decidiu que não é adequado o
chamamento ao processo (art. 77, III, do CPC) da União em
demanda que verse sobre fornecimento de medicamento proposta
contra outro ente federativo.
•Informativo 539/STJ: no REsp 1.347.736/RS, a 1ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, definiu ser possível que a execução de
honorários advocatícios devidos pela Fazenda Pública se faça
mediante Requisição de Pequeno Valor (RPV) na hipótese em que os
honorários não excedam o valor limite a que se refere o art. 100, §
3º, da CF, ainda que o crédito dito “principal” seja executado por
meio do regime de precatórios.
•Informativo 539/STJ: no REsp 1.184.584/MG, a 4ª Turma do STJ
enfatizou que a penhora de valores depositados em conta bancária
conjunta solidária somente poderá atingir a parte do numerário
depositado que pertença ao correntista que seja sujeito passivo do
processo executivo, presumindo-se, ante a inexistência de prova
em contrário, que os valores constantes da conta pertencem em
partes iguais aos correntistas.
•Informativo 540/STJ: no REsp 1.152.218/RS, a Corte Especial do
STJ, em regime de recurso repetitivo, definiu que o pedido de
intervenção, na qualidade de amicus curiae, em recurso submetido
ao rito do art. 543-C do CPC, deve ser realizado antes do início do
julgamento pelo órgão colegiado. Na oportunidade, a Corte Especial
também ressaltou que os créditos de honorários advocatícios,
sucumbenciais ou contratuais, têm natureza alimentar e
equiparam-se aos trabalhistas para efeito de habilitação em
falência.
•Informativo 540/STJ: no REsp 1.387.248/SC, a Corte Especial do
STJ, em regime de recurso repetitivo, entendeu ser indispensável
apontar, na petição de impugnação ao cumprimento de sentença, a
parcela incontroversa do débito, bem como as incorreções nos
cálculos do credor, sob pena de rejeição liminar da petição, não se
admitindo emenda à inicial.
•Informativo 540/STJ: no REsp 1.348.640/RS, a Corte Especial do
STJ, em regime de recurso repetitivo, considerou que, na fase de
execução, o depósito judicial do montante (integral ou parcial) da
condenação extingue a obrigação do devedor, nos limites da
quantia depositada.
•Informativo 541/STJ: No REsp 1.250.739/PA, a Corte Especial
decidiu, em regime de recurso repetitivo, ser possível a cumulação
da multa prevista no art. 538, parágrafo único, do CPC com a
condenação a indenizar prevista nos arts. 17, VII, e 18, § 2º, do
CPC, em caso de manejo de embargos de declaração com o intuito
claramente protelatório.
•Informativo 541/STJ: no REsp 1.410.839/SC, a 2ª Seção do STJ
concluiu, em regime de recurso repetitivo, que são protelatórios os
embargos de declaração que visam rediscutir matéria já apreciada
e decidida pela Corte de origem em conformidade com súmula do
STJ ou STF ou, ainda, precedente julgado pelo rito dos recursos
repetitivos.
•Informativo 541/STJ: no REsp 1.409.357/SC, a 2ª Seção do STJ
ressaltou, em regime de recurso repetitivo, que a ausência da cópia
da certidão de intimação da decisão agravada não é óbice ao
conhecimento do agravo de instrumento quando, por outros meios
inequívocos, for possível aferir a tempestividade do recurso, em
atendimento ao princípio da instrumentalidade das formas.
•Informativo 541/STJ: no REsp 1.274.466/SC, a 2ª Seção do STJ
entendeu, em regime de recurso repetitivo, que na liquidação por
cálculos do credor, descabe transferir do exequente para o
executado o ônus do pagamento de honorários devidos ao perito
que elabora a memória de cálculos. Lado outro, asseverou que, na
fase autônoma de liquidação de sentença (por arbitramento ou por
artigos), incumbe ao devedor a antecipação dos honorários
periciais.
•Informativo 541/STJ: no REsp 1.442.887/BA, a 3ª Turma do STJ
entendeu que não se admite o recurso interposto mediante
aposição de assinatura digitalizada do advogado.
•Informativo 541/STJ: no REsp 1.192.577/RS, a 3ª Turma do STJ
considerou que a Defensoria Pública não possui legitimidade
extraordinária para ajuizar ação coletiva em favor de consumidores
de determinado plano de saúde particular que, em razão da
mudança de faixa etária, teriam sofrido reajustes abusivos em seus
contratos.
•Informativo 542/STJ: no REsp 1.335.407/RS, a 3ª Turma do STJ
entendeu que o espólio possui legitimidade para ajuizar ação de
cobrança de indenização securitária decorrente de invalidez
permanente ocorrida antes da morte do segurado.
Supremo Tribunal Federal
•Informativo 737 do STF: no MS 32.485 AgR/SP, o Plenário, em
Repercussão Geral, reafirmou orientação no sentido de que não
possui lesividade que justifique a impetração de mandado de
segurança o ato do STF que determina o retorno dos autos à origem
para aplicação da sistemática de repercussão geral.
•Informativo 740 do STF: no RE 666.589/DF, a Primeira Turma
decidiu que se conta o prazo decadencial de ação rescisória, nos
casos de existência de capítulos autônomos, do trânsito em julgado
de cada decisão.
•Informativo 745 do STF: no ARE 661.288/SP, a Primeira Turma
decidiu que a Fazenda Pública possui prazo em dobro para interpor
recurso extraordinário de acórdão proferido em sede de
representação de inconstitucionalidade (CF, art. 125, § 2º).
•Informativo 745 do STF: no RE 726.035/SE, o Plenário Virtual
reafirmou a jurisprudência de que compete à Justiça Federal
processar e julgar mandados de segurança contra atos de dirigente
de sociedades de economia mista investida de delegação
concedida pela União.
•Informativo 746 do STF: no RE 573.232/SC, o Plenário, em
Repercussão Geral, decidiu que a autorização estatutária genérica
conferida a associação não é suficiente para legitimar a sua
atuação em juízo na defesa de direitos de seus filiados, sendo
indispensável que a declaração expressa exigida no inciso XXI do
art. 5º da CF (“as entidades associativas, quando expressamente
autorizadas, têm legitimidade para representar seus filiados judicial
ou extrajudicialmente”) seja manifestada por ato individual do
associado ou por assembleia geral da entidade.
•Informativo 748 do STF: no RE 275.438/DF, a Primeira Turma
ressaltou que a União tem legitimidade para figurar como parte
passiva em ação na qual integrante da Polícia Civil do Distrito
Federal reivindica a extensão de gratificação recebida por policiais
federais. Por conseguinte, compete à justiça federal processar e
julgar o feito.

2º Semestre 2013
Superior Tribunal de Justiça
•Informativo 522/STJ: no REsp 1.352.882/MS, em regime de recurso
repetitivo, a 1ª Seção do STJ definiu ser válida a intimação do
representante judicial da Fazenda Pública Nacional por carta com
aviso de recebimento quando o respectivo órgão não possuir sede
na comarca em que tramita o feito.
•Informativo 522/STJ: no CC 111.230/DF, a 2ª Seção do STJ
entendeu ser possível a existência de conflito de competência entre
juízo estatal e câmara arbitral, porque a atividade desenvolvida no
âmbito da arbitragem tem natureza jurisdicional. Ressaltou, ainda,
que na hipótese em que juízo arbitral tenha sido designado entre as
partes para apreciar a causa principal, será este competente para o
julgamento de medida cautelar de arrolamento de bens,
dependente da ação principal, que tenha por objeto inventário e
declaração de indisponibilidade de bens.
•Informativo 522/STJ: no REsp 1.104.377/SP, a 4ª Turma do STJ
concluiu que na ação em que se objetive a restituição de parcelas
pagas a plano de previdência privada, não há litisconsórcio passivo
necessário entre a entidade administradora e os participantes,
beneficiários ou patrocinadores do plano.
•Informativo 523/STJ: no AgRg no REsp 1.162.946/MG, a 1ª Turma
do STJ destacou que o MP detém legitimidade para propor ação civil
pública para proteção do direito à saúde de pessoa hipossuficiente,
porquanto se trata de direito fundamental e indisponível, cuja
relevância interessa à sociedade.
•Informativo 523/STJ: no REsp 1.331.730/RS, a 2ª Turma do STJ
considerou que não incide o prazo em dobro do art. 188 do CPC
quando o recurso interposto for o incidente de suspensão de liminar
previsto no art. 4º, § 3º, da Lei 8.437/1992, que trata da concessão
de medidas cautelares contra atos do Poder Público.
•Informativo 523/STJ: no AgRg no AREsp 150.035/DF, a 2ª Turma do
STJ enfatizou que o juiz não pode conhecer excesso de execução
alegado pelo executado somente após a oposição dos embargos à
execução, pois se trata de matéria típica de defesa e não de ordem
pública.
•Informativo 523/STJ: no REsp 1.330.567/RS, a 3ª Turma do STJ
ressaltou que, em embargos do devedor, é possível a revisão do
contrato que originou o título executado, ainda que tenha havido
confissão de dívida. Acrescentou que no caso de qualquer provento
salarial se mostrar superior ao custo necessário ao sustento do
titular e de seus familiares, essa sobra perde o caráter alimentício e
passa a ser uma reserva ou economia, tornando-se, em princípio,
penhorável, ressalvado o limite de 40 salários mínimos aplicados
em caderneta de poupança.
•Informativo 523/STJ: no AgRg no REsp 1.063.575/SP, a 4ª Turma do
STJ entendeu que se o advogado se dá por ciente do acórdão no
mesmo dia em que efetuada a sua disponibilização, oferecendo
desde logo o recurso, não há prematuridade, mas simples
antecipação da ciência e, portanto, do termo inicial do prazo,
portanto, não incide o entendimento contido na Súmula 418 do STJ.
•Informativo 523/STJ: no AgRg no AREsp 9.653/SP, a 4ª Turma do
STJ concluiu que o indeferimento do pedido de assistência judiciária
gratuita na sentença é impugnável por meio de apelação, em razão
do princípio da unirrecorribilidade.
•Informativo 524/STJ: no CC 124.274/PR, a 2ª Seção do STJ definiu
que a ação de petição de herança relacionada a inventário
concluído (com trânsito em julgado da sentença homologatória da
partilha), deve ser julgada na vara de família quando nela tramite
ação de investigação de paternidade ajuizada em data anterior à
propositura da ação de petição de herança e pendente de
julgamento.
•Informativo 524/STJ: no REsp 1.225.227/MS, a 3ª Turma do STJ
concluiu não ser possível a aplicação do art. 285-A do CPC quando o
entendimento exposto na sentença, apesar de estar em
consonância com a jurisprudência do STJ, divergir do entendimento
do tribunal de origem.
•Informativo 524/STJ: no REsp 1.291.924/RJ, a 3ª Turma do STJ
salientou que a vara privativa de família é competente para
processar e julgar pedido de reconhecimento e dissolução de união
estável homoafetiva, independentemente de eventuais limitações
existentes na lei de organização judiciária local.
•Informativo 525/STJ: no REsp 1.327.781/BA, a 2ª Turma do STJ
considerou que o pagamento espontâneo da quantia incontroversa
dentro do prazo do art. 475-J, caput, do CPC não gera a preclusão
do direito do devedor, previsto no § 1º do mesmo dispositivo, de
impugnar o valor executado.
•Informativo 526/STJ: no REsp 1.265.894/RS, a 4ª Turma do STJ
salientou que, na fase de cumprimento de sentença, caso o
exequente, após o levantamento dos valores depositados em seu
favor, apresente memória de cálculo relativa a saldo remanescente,
deverá ser concedida ao executado nova oportunidade para
impugnação.
•Informativo 526/STJ: no RMS 30.269/RJ, a 4ª Turma do STJ concluiu
ser cabível mandado de segurança para impugnar decisão que
tenha determinado a conversão de agravo de instrumento em
agravo retido. Na oportunidade, ainda destacou que o agravo de
instrumento não pode ser convertido em agravo retido quando visa
impugnar decisão proferida no âmbito de execução, pois tal
procedimento não comporta sentença final de mérito.
•Informativo 526/STJ: no REsp 1.316.256/RJ, a 4ª Turma do STJ
entendeu serem cabíveis embargos infringentes em face de
acórdão que, por maioria de votos, dê provimento a agravo de
instrumento interposto com o objetivo de impugnar decisão que
tenha decretado falência, porque este último recurso faz as vezes
de apelação e é o conteúdo da matéria decidida que define o
cabimento dos embargos infringentes.
•Informativo 527/STJ: na Rcl 7.861/SP, a 2ª Seção do STJ asseverou
ser cabível reclamação à Corte, em face de decisão de Turma
Recursal dos Juizados Especiais dos Estados ou do Distrito Federal,
com o objetivo de reduzir o valor de multa cominatória
demasiadamente desproporcional em relação ao valor final da
condenação, porque se verifica a teratologia da decisão
impugnada. Acrescentou que a jurisprudência da Corte admite a
reclamação também quando a decisão afronte entendimento
consolidado em recurso repetitivo ou em súmula do STJ.
•Informativo 527/STJ: no REsp 1.186.851/MA, a 3ª Turma do STJ
decidiu ser possível a imposição de multa diária (art. 461 do CPC)
como forma de compelir operadora de plano de saúde a autorizar
que hospital realize procedimento médico-hospitalar.
•Informativo 528/STJ: no EREsp 874.507/SC, a Corte Especial do STJ
ressaltou que, no exame de apelação contra sentença sem
resolução de mérito, o Tribunal pode julgar desde logo a lide,
conforme art. 515, § 3º, do CPC, quando não há necessidade de
produção de provas (causa madura), ainda que, para a análise do
recurso, seja inevitável a apreciação do acervo probatório contido
nos autos.
•Informativo 528/STJ: no MS 11.581/DF, a 3ª Seção do STJ concluiu
não ser possível a sucessão de partes em processo de mandado de
segurança, pois o direito líquido e certo tem caráter personalíssimo
e intransferível.
•Informativo 528/STJ: no AgRg no AREsp 239.341/PR, a 1ª Turma do
STJ considerou que a assistência judiciária gratuita não pode ser
concedida com base exclusivamente em parâmetros subjetivos
fixados pelo próprio julgador, ou seja, segundo seus próprios
critérios. Acrescentou que a declaração de pobreza, prevista na Lei
n. 1.060/1950, possui presunção relativa de veracidade, devendo
ser considerado o binômio possibilidade/necessidade do requerente
em relação aos dispêndios judiciais.
•Informativo 529/STJ: no AgRg no AREsp 368.159/PE, a 2ª Turma do
STJ destacou que deve ser admitida a emenda à petição inicial para
corrigir equívoco na indicação da autoridade coatora em mandado
de segurança, desde que a retificação do polo passivo não implique
alteração de competência judiciária e desde que a autoridade
erroneamente indicada pertença à mesma pessoa jurídica da
autoridade de fato coatora.
•Informativo 529/STJ: no REsp 1.156.306/DF, a 4ª Turma do STJ
destacou que a exceção de incompetência é meio adequado para
que a parte ré impugne distribuição por prevenção requerida pela
parte autora com base na existência de conexão.
•Informativo 530/STJ: no REsp 1.291.738/RS, a 3ª Turma do STJ
asseverou que a multa do art. 475-J do CPC não necessariamente
integra o cálculo dos honorários advocatícios na fase executiva do
cumprimento de sentença.
•Informativo 530/STJ: no REsp 1.120.169/RJ, a 4ª Turma do STJ
considerou que, em ação civil pública ajuizada na Justiça Federal,
não é cabível a cumulação subjetiva de demandas com o objetivo
de formar um litisconsórcio passivo facultativo comum, quando
apenas um dos demandados estiver submetido, em razão de regra
de competência ratione personae, à jurisdição da Justiça Federal.
•Informativo 531/STJ: no EREsp 878.579/RS, a Corte Especial do STJ
entendeu que, reconhecida a repercussão geral pelo STF, o
exercício da faculdade de retratação prevista no art. 543-B, § 3º, do
CPC não estará condicionado a prévio juízo de admissibilidade do
recurso extraordinário anteriormente sobrestado no STJ.
•Informativo 531/STJ: no CC 126.747/RS, a 2ª Seção do STJ definiu
que compete ao Juízo deprecado a degravação dos depoimentos
testemunhais colhidos e registrados por método não convencional
como parte do cumprimento integral da carta precatória.
•Informativo 531/STJ: no CC 118.340/MS, a 2ª Seção do STJ definiu
que, na execução de prestação alimentícia, cabe ao alimentando a
escolha entre: a) o foro do seu domicílio ou de sua residência; b) o
juízo que proferiu a sentença exequenda; c) o juízo do local onde se
encontram bens do alimentante sujeitos à expropriação; ou d) o
juízo do atual domicílio do alimentante.
•Informativo 531/STJ: no HC 256.793/RN, a 4ª Turma do STJ
entendeu que não cabe prisão civil do inventariante em razão do
descumprimento do dever do espólio de prestar alimentos, porque
a restrição da liberdade constitui sanção de natureza
personalíssima que não pode recair sobre terceiro, estranho ao
dever de alimentar.
•Informativo 532/STJ: no REsp 1.209.474/SP, a 3ª Turma do STJ
destacou que o espólio não tem legitimidade para buscar reparação
por danos morais decorrentes de ofensa post mortem à imagem e à
memória de pessoa, ao contrário do cônjuge sobrevivente.
•Informativo 532/STJ: no REsp 1.234.887/RJ, a 3ª Turma do STJ
enfatizou que a antecipação da tutela da parte incontroversa do
pedido (art. 273, §6º, do CPC), ainda que envolva técnica de
cognição exauriente, não é suscetível de imunidade pela coisa
julgada, o que inviabiliza o adiantamento dos consectários legais da
condenação (juros de mora e honorários advocatícios).
Supremo Tribunal Federal
•Informativo 722 do STF: no RE 607.607 ED/RS, o Plenário, em
Repercussão Geral, decidiu que o Plenário do STF, em deliberação
presencial, pode não conhecer de recurso extraordinário ao
fundamento de tratar-se de matéria de índole infraconstitucional,
ainda que tenha reconhecido, anteriormente, a existência de
repercussão geral por meio do Plenário Virtual.

1º Semestre 2013

Superior Tribunal de Justiça


•Informativo 518/STJ: no CC 124.930/MG, a 2ª Seção do STJ decidiu
que compete à Justiça do Trabalho processar e julgar demanda
proposta por trabalhador visando receber indenização por danos
materiais e morais causados pelo sindicato, o qual, na condição de
substituto processual em reclamação trabalhista, conduziu o
processo de forma inadequada, gerando drástica redução do
montante a que teria direito a título de verbas trabalhistas.
•Informativo 518/STJ: no CC 121.702/RJ, a 2ª Seção do STJ resolveu
que compete à Justiça Comum Estadual processar e julgar ação de
reconhecimento e de dissolução de sociedade mercantil de fato,
cumulada com pedido de indenização remanescente, na hipótese
em que a causa de pedir e o pedido deduzidos na petição inicial
não façam referência à existência de relação de trabalho entre as
partes.
•Informativo 518/STJ: no CC 121.998/MG, a 2ª Seção do STJ definiu
que compete à Justiça do Trabalho processar e julgar ação de
indenização por danos morais e materiais proposta por ex-
empregador cuja causa de pedir se refira a atos supostamente
cometidos pelo ex-empregado durante o vínculo laboral e em
decorrência da relação de trabalho havida entre as partes.
•Informativo 518/STJ: no REsp 1.317.472/RJ, a 3ª Turma do STJ
ressaltou que a Caixa Econômica Federal não tem legitimidade para
figurar no polo passivo de ação que objetive reparar danos
materiais e compensar danos morais causados por roubo ocorrido
no interior de agência lotérica.
•Informativo 518/STJ:no REsp 1.309.510/AL, a 3ª Turma do STJ
inferiu que se os litisconsortes passam a ter procuradores distintos
no curso do processo, quando já iniciado o prazo recursal, somente
se aplica o benefício do prazo em dobro à parte do prazo recursal
ainda não transcorrida até aquele momento.
•Informativo 518/STJ: no REsp 710.463/RJ, a 4ª Turma do STJ inferiu
que, no caso de ação indenizatória decorrente de acidente de
trânsito ajuizada em desfavor do segurado (causador do dano) e da
seguradora (seguro de responsabilidade civil facultativo), é
possível a preservação do litisconsórcio passivo na hipótese em que
o segurado realmente fosse denunciar a lide à seguradora, desde
que os réus não tragam aos autos fatos que demonstrem a
inexistência ou invalidade do contrato de seguro.
•Informativo 518/STJ: no REsp 1.109.249/RJ, a 4ª Turma do STJ
destacou que a extinção do processo, sem resolução do mérito,
tanto em relação ao pedido do autor quanto no que diz respeito à
reconvenção, não impede que o réu reconvinte interponha recurso
adesivo ao de apelação. Isso porque o art. 500 do CPC não exige,
para a interposição de recurso adesivo, que a sucumbência
recíproca ocorra na mesma lide, devendo aquela ser aferida a partir
da análise do julgamento em seu conjunto.
•Informativo 519/STJ: no MS 11.044/DF, a 3ª Seção do STJ
considerou que o reconhecimento da repercussão geral pelo STF
não implica, necessariamente, na suspensão de mandado de
segurança em trâmite no STJ, mas apenas no o sobrestamento de
recurso extraordinário interposto.
•Informativo 519/STJ: no AgRg no AREsp 230.482/RS, a 1ª Turma do
STJ entendeu que é possível a execução provisória contra a Fazenda
Pública nos casos de instituição de pensão por morte de servidor
público.
•Informativo 519/STJ: no AgRg no AREsp 182.879/RJ, a 1ª Turma do
STJ considerou que os honorários advocatícios não são devidos na
hipótese de indeferimento liminar dos embargos do devedor, ainda
que o executado tenha apelado da decisão indeferitória e o
exequente tenha apresentado contrarrazões ao referido recurso.
•Informativo 519/STJ: no REsp 1.320.558/PE, a 3ª Turma do STJ
concluiu que não são cabíveis embargos infringentes para
impugnar acórdão não unânime que se limite a anular a sentença
em razão de vício na citação.
•Informativo 519/STJ: no REsp 964.489/RS, a 4ª Turma do STJ
concluiu que a competência para processar e julgar ação destinada
ao reconhecimento de união estável homoafetiva é da vara de
família.
•Informativo 519/STJ: no REsp 1.370.687/MG, a 4ª Turma do STJ
informou ser possível a realização de arresto on-line por meio do
sistema Bacen Jud na hipótese em que o executado não tenha sido
encontrado pelo oficial de justiça para a citação. Inclusive, ressaltou
que tal procedimento já vinha sendo admitido pelo STJ em
execuções fiscais e sua aplicação às execuções de títulos
extrajudiciais reguladas pelo CPC é inevitável, tendo em vista os
ideais de celeridade e efetividade da prestação jurisdicional.
•Informativo 520/STJ: no REsp 1.082.964/SE, a 4ª Turma do STJ
ressaltou que a adequada interpretação do conteúdo do art. 515, §
3º, do CPC é que esse dispositivo possibilita ao tribunal, caso
propiciado o contraditório e a ampla defesa, com regular e
completa instrução do processo, o julgamento do mérito da causa,
mesmo que para tanto seja necessária a apreciação do acervo
probatório e ainda que na origem não tenha sido proferida decisão
meramente terminativa.
•Informativo 520/STJ: no REsp 1.318.917/BA, a 4ª Turma do STJ
entendeu que, havendo duas ações coletivas propostas em juízos
de competência territorial distinta contra o mesmo réu e com a
mesma causa de pedir, sendo que o objeto de uma, por ser mais
amplo, abranja o da outra, competirá ao juízo da ação de objeto
mais amplo o processamento e julgamento das duas demandas,
ainda que propostas por entidades associativas distintas.
Acrescentou que na execução provisória de sentença em processo
coletivo, à luz da interpretação sistemático-teleológica, a aplicação
da regra constante do § 2º, I, do art. 475-O do CPC deve considerar
a situação individual de cada um dos beneficiários, e não apenas de
um autor coletivo.
•Informativo 520/STJ: no REsp 1.022.034/SP, a 4ª Turma do STJ
rememorou que o contrato de abertura de crédito rotativo, ainda
que acompanhado dos extratos relativos à movimentação bancária
do cliente, não constitui título executivo. Ressaltou, ainda, que a
hipótese distingue-se daquela referente ao contrato de abertura de
crédito fixo, equivalente ao mútuo de dinheiro, no qual a quantia é
creditada na conta do cliente, que, por sua vez, assume o dever de
devolvê-la com os acréscimos pactuados, quando ocorrer a
implementação do termo ajustado.
•Informativo 521/STJ: no REsp 1.344.771/PR, a 1ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, explicou que é da competência da
Justiça Estadual o julgamento de demandas que envolvam
instituição de ensino particular que verse sobre questões privadas
relacionadas ao contrato firmado entre a instituição de ensino
superior e o aluno (exemplo: inadimplemento de mensalidade e
cobrança de taxas), desde que não se trate de mandado de
segurança. Em contraposição, em se tratando de mandado de
segurança ou referindo-se a demanda ao registro de diploma
perante o órgão público competente ou ao credenciamento da
entidade perante o Ministério da Educação, não há como negar a
existência de interesse da União no feito, razão pela qual a
competência será da Justiça Federal, o que também se aplica no
caso de ensino a distância.
•Informativo 521/STJ: no REsp 1.078.399/MA, a 4ª Turma do STJ
entendeu que, na exceção de pré-executividade, é possível ao
executado alegar o pagamento do título de crédito, desde que
comprovado mediante prova pré-constituída. Por conseguinte,
decidiu que, na exceção de pré-executividade oposta pelo devedor
de título de crédito em face de seu credor contratual direto, é
possível reconhecer o pagamento sem que a cártula tenha sido
resgatada pelo devedor (pagamento extracartular).
•Informativo 521/STJ: no REsp 646.957/MG, a 4ª Turma do STJ
entendeu que, ainda que, no mérito, o pedido em ação rescisória
tenha sido julgado procedente por unanimidade de votos, é cabível
a interposição de embargos infringentes quando houver desacordo
em relação à preliminar de cabimento da referida ação.
•Informativo 511/STJ: no MS 17.479/DF, a 1ª Seção do STJ decidiu
ser inviável em Mandado de Segurança a revisão de penalidade
imposta em Processo Administrativo Disciplinar, sob o argumento
de ofensa ao princípio da proporcionalidade, por implicar reexame
do mérito administrativo.
•Informativo 511/STJ: no AgRg no AREsp 126.036/RS, a 1ª Turma do
STJ destacou que não cabe recurso especial em face de decisões
proferidas em pedido de suspensão de liminar em Mandado de
Segurança, pois tal recurso visa discutir argumentos referentes a
exame de legalidade, e o pedido de suspensão ostenta juízo
político.
•Informativo 511/STJ: no RMS 30.746/MG, a 2ª Turma do STJ
considerou que a instrução de MS somente com laudo m&
eacute;dico particular não configura prova pré-constituída da
liquidez e certeza do direito do impetrante de obter do Poder
Público determinados medicamentos e insumos para o tratamento
de enfermidade acometida por ele.
•Informativo 511/STJ: no REsp 1.347.726/RS, a 4ª Turma do STJ
entendeu que o valor referente à astreinte fixado em tutela
antecipada ou medida liminar só pode ser exigido e só se torna
passível de execução provisória, se o pedido a que se vincula a
astreinte for julgado procedente e desde que o respectivo recurso
não tenha sido recebido no efeito suspensivo.
•Informativo 511/STJ: no AgRg no AREsp 91.311/DF, a 4ª Turma do
STJ ressaltou que a eventual nulidade declarada pelo juiz de ato
processual praticado pelo serventuário não pode retroagir para
prejudicar os atos praticados de boa-fé pelas partes, pois se exige
dos magistrados e dos serventuários da Justiça conduta pautada
por lealdade e boa-fé, sendo vedados os comportamentos
contraditórios.
•Informativo 512/STJ: no AgRg no AREsp 242.466/MG, a 2ª Turma do
STJ destacou que, para fins de mandado de segurança, autoridade
coatora é aquela que pratica, ordena ou omite a prática do ato
impugnado e tem o dever funcional de responder pelo seu fiel
cumprimento, além de dispor da competência para corrigir eventual
ilegalidade. Na oportunidade, a turma também consignou
ser cabível a repetição do ind& eacute;bito tributário no caso de
pagamento de contribuição para custeio de saúde considerada
inconstitucional em controle concentrado, independentemente de
os contribuintes terem usufruído do serviço de saúde prestado pelo
Estado.
•Informativo 512/STJ: no REsp 1.324.276/RJ, a 3ª Turma do STJ
entendeu que são absolutamente impenhoráveis as verbas públicas
recebidas por entes privados para aplicação compulsória em saúde.
•Informativo 512/STJ: no AgRg no REsp 929.773/RS, a 4ª Turma do
STJ considerou que a flexibilização da coisa julgada material em
investigação de paternidade não atinge as decisões judiciais
fundadas no conhecimento científico da época, se este ainda for
válido nos dias atuais.
•Informativo 512/STJ: no REsp 1.223.610/RS, a 4ª Turma do STJ
decidiu ser possível a flexibilização da coisa julgada material nas
ações de investigação de paternidade, na situação em que o pedido
foi julgado improcedente por falta de prova.
•Informativo 513/STJ: no REsp 1.324.432/SC, a Corte Especial do STJ
considerou ser possível reconhecer a existência de justa causa no
descumprimento de prazo recursal no caso em que o recorrente
tenha considerado como termo inicial do prazo a data indicada
equivocadamente pelo Tribunal em seu sistema de
acompanhamento processual disponibilizado na internet.
•Informativo 513/STJ: no RMS 34.363/MT, a 2ª Turma do STJ
considerou que o termo inicial do prazo decadencial para
impetração de mandado de segurança na hipótese de supressão de
valores referentes a horas extras supostamente incorporadas por
servidor público é a data em que a verba deixou de ser paga.
•Informativo 513/STJ: no AgRg no REsp 1.348.512/DF, a 4ª Turma do
STJ decidiu que reconhecida a procedência do pedido em ação civil
pública destinada a reparar lesão a direitos individuais
homogêneos, os juros de mora somente são devidos a partir da
citação do devedor ocorrida na fase de liquidação de sentença, e
não a partir de sua citação inicial na ação coletiva.
•Informativo 514/STJ: no AREsp 79.082/SP, a 1ª Turma do STJ
considerou que o termo inicial do prazo decadencial de dois anos
para a propositura, por particular, de ação rescisória, disposto no
art. 495 do CPC, é a data do trânsito em julgado da última decisão
proferida na causa, o que, na hipótese em que a Fazenda Pública
tenha participado da ação, somente ocorre após o esgotamento do
prazo em dobro que esta tem para recorrer, ainda que o ente
público tenha sido vencedor na última decisão proferida na
demanda.
•Informativo 514/STJ: no AgRg no REsp 1.308.916/GO, a 2ª Turma
do STJ destacou que, ainda que o recorrente detenha o privilégio do
prazo em dobro, será de cinco dias o prazo, contínuo e inextensível,
para a protocolização dos originais do recurso na hipótese em que
se opte pela utilização de sistema de transmissão de dados e
imagens do tipo fac-símile.
•Informativo 514/STJ: no AREsp 214.152/SP, a 4ª Turma do STJ
considerou não ser cabível a interposição de agravo, ou de
qualquer outro recurso, dirigido ao STJ, com o objetivo de impugnar
decisão, proferida no Tribunal de origem, que tenha determinado o
sobrestamento de recurso especial com fundamento no art. 543-C
do CPC, referente aos recursos representativos de controvérsias
repetitivas.
•Informativo 515/STJ: no REsp 1.273.643/PR, a 2ª Seção, em regime
de recurso repetitivo, decidiu que, no âmbito do direito privado, é
de cinco anos o prazo prescricional para ajuizamento da execução
individual em pedido de cumprimento de sentença proferida em
ação civil pública.
•Informativo 515/STJ: no AgRg na Rcl 6.537/RJ, a 2ª Seção do STJ
considerou ser irrecorrível o ato do presidente do tribunal de origem
que, com fundamento no art. 543-C, § 1º, do CPC, determina a
suspensão de recursos especiais enquanto se aguarda o julgamento
de outro recurso encaminhado ao STJ como representativo da
controvérsia.
•Informativo 515/STJ: no AgRg no REsp 1.296.737/BA, a 1ª Turma do
STJ consignou que para que seja efetuado o bloqueio de ativos
financeiros do executado por meio do sistema Bacen Jud, é
necessário que o devedor tenha sido validamente citado, não tenha
pago nem nomeado bens à penhora e que tenha havido
requerimento do exequente nesse sentido.
•Informativo 515/STJ: no RCDesp no REsp 1.347.420/DF, a 3ª Turma
do STJ considerou que não é cabível recurso da decisão que
determina a conversão do agravo do art. 544 do CPC em recurso
especial, salvo na hipótese em que o agravo possua algum vício
referente aos seus pressupostos de admissibilidade.
•Informativo 515/STJ: no AgRg no REsp 1.184.036/DF, a 4ª Turma do
STJ destacou ser inviável o conhecimento de apelação interposta
contra decisão que exclui um dos litisconsortes da relação jurídica e
determina o prosseguimento da execução contra os demais
devedores, pois se trata de erro inescusável que torna inaplicável o
princípio da fungibilidade, já que o entendimento da Corte é o de
que, em tais casos, cabe agravo de instrumento.
•Informativo 516/STJ: no AgRg no REsp 1.354.650/SP, a 2ª Turma do
STJ entendeu que no caso em que tenha sido paga pela Fazenda
Pública, por meio de precatórios parcelados na forma do art. 33 do
ADCT, apenas parte de indenização expropriatória, o termo inicial
do prazo prescricional de cinco anos para o exercício da pretensão
de recebimento do saldo remanescente por meio de precatório
complementar será a data em que a Fazenda efetuou o pagamento
da última parcela.
•Informativo 516/STJ: no REsp 1.148.179/MG, a 3ª Turma do STJ
entendeu que o Ministério Público tem legitimidade para o
ajuizamento de ação civil pública com o objetivo de impedir o
repasse e de garantir a exclusão ou a abstenção de inclusão em
cadastros de inadimplentes de dados referentes a consumidores
cujos débitos estejam em fase de discussão judicial, bem como
para requerer a compensação de danos morais e a reparação de
danos materiais decorrentes da inclusão indevida de seus nomes
nos referidos cadastros.
•Informativo 516/STJ: no REsp 1.205.228/RJ, a 4ª Turma do STJ
ponderou que o pagamento extemporâneo da condenação imposta
em sentença transitada em julgado enseja, por si só, a incidência
da multa do art. 475-J, caput, do CPC, ainda que espontâneo e
anterior ao início da execução forçada. Destacou, ainda, que a
incidência da multa do art. 475-J do CPC não está vinculada ao
efetivo exercício de um direito pelo credor, mas ao descumprimento
de uma obrigação imposta ao devedor.
•Informativo 517/STJ: no CC 126.489/RN, a 1ª Seção do STJ definiu
que Compete à Justiça Federal processar e julgar demanda proposta
em face do INSS com o objetivo de ver reconhecido exclusivamente
o direito da autora de receber pensão decorrente da morte do
alegado companheiro, ainda que seja necessário enfrentar questão
prejudicial referente à existência, ou não, da união estável.
•Informativo 517/STJ: no AgRg no AREsp 243.070/CE, a 2ª Turma do
STJ pontuou que de acordo com a jurisprudência da Corte,
cuidando-se de conduta omissiva ilegal da Administração, que
envolve obrigação de trato sucessivo, o prazo decadencial
estabelecido pela Lei do Mandado de Segurança se renova de forma
continuada.
•Informativo 517/STJ: nos EDcl no AgRg no AREsp 94.942/MG, a 2ª
Turma do STJ concluiu que é legítima a adoção da técnica de
fundamentação referencial (per relationem), consistente na alusão
e incorporação formal, em ato jurisdicional, de decisão anterior ou
parecer do Ministério Público.
•Informativo 517/STJ: no REsp 1.316.020/DF, a 2ª Turma do STJ
asseverou que o foro do lugar onde a obrigação deva ser satisfeita,
ainda que não seja o da capital do estado-membro, é o competente
para o julgamento de ação monitória ajuizada em face daquela
unidade federativa e cujo objeto seja o cumprimento de obrigação
contratual.
•Informativo 517/STJ: no AgRg no RMS 24.557/MT, a 2ª Turma do STJ
entendeu que a gratuidade de justiça obsta a cobrança de
emolumentos pelos atos de notários e registradores indispensáveis
ao cumprimento de decisão proferida no processo judicial em que
fora concedido o referido benefício.
•Informativo 517/STJ: no AgRg nos EDcl no AREsp 237.482/RJ, a 2ª
Turma do STJ concluiu que o recurso interposto via fax fora do prazo
recursal deve ser considerado intempestivo, ainda que tenha
ocorrido eventual indisponibilidade do sistema de protocolo via fax
do STJ no decorrer do referido período de tempo.
•Informativo 517/STJ: no RHC 35.253/RJ, a 3ª Turma do STJ salientou
que não é possível que o magistrado, ao conceder tutela
antecipada no âmbito de processo cí vel cujo objeto não consista
em obrigação de natureza alimentícia, efetue ameaça de
decretação de prisão para o caso de eventual descumprimento
dessa ordem judicial, sob a justificativa de que, nesse caso,
configurar-se-ia crime de desobediência (art. 330 do CP).
Supremo Tribunal Federal
•No ARE 648.629/RJ, o Plenário, em Repercussão Geral, decidiu que
a regra prevista no art. 17 da Lei 10.910/2004, que trata sobre a
intimação pessoal dos procuradores federais e do Banco Central do
Brasil, não se aplica a procuradores federais que atuam no âmbito
dos Juizados Especiais Federais.
•Informativo 709 do STF: No RE´s 501.726 ED/SC e 581.906 ED/SC,
a Primeira Turma afirmou que é possível a aplicação da multa
prevista no art. 557, § 2º, do CPC nas hipóteses de conversão de
embargos declaratórios em agravo regimental.

2º Semestre 2012

Superior Tribunal de Justiça


• Informativo 501/STJ: no REsp 1.280.171/SP, a 3ª Turma do STJ
entendeu que a apelação interposta contra sentença que julgar
pedido de alimentos ou pedido de exoneração do encargo deve ser
recebida apenas no efeito devolutivo.
• Informativo 501/STJ: no REsp 1.275.320/PR, a 3ª Turma do STJ
considerou que nas ações de execução de taxa condominial a
penhora não precisa recair, necessariamente, sobre o respectivo
imóvel, especialmente quando for possível a penhora “on line”, não
havendo violação do princípio da menor onerosidade para o
executado e observando-se o princípio da primazia da tutela
específica, ou seja, a obrigação, sempre que possível, deve se
prestada como se tivesse sido espontaneamente cumprida pelo
devedor.
• Informativo 501/STJ: no REsp 1.231.123/SP, a 3ª Turma do STJ
registrou que A impenhorabilidade prevista no art. 649, X, do CPC
refere-se ao montante de 40 salários mínimos, considerando a
totalidade do valor depositado em caderneta de poupança,
independentemente do número de cadernetas titularizadas pelo
devedor. Com efeito, para a realização da penhora de poupança,
deve-se apurar o valor de todas as aplicações em caderneta de
poupança titularizadas pelo devedor e realizar a constrição apenas
sobre o valor que exceder o limite legal de 40 salários mínimos.
• Informativo 501/STJ: no REsp 1.096.604/DF, a 4ª Turma do
STJ entendeu pela desnecessidade da citação do sócio para
compor o polo passivo da relação processual, na qual o
autor/recorrido pediu a aplicação da teoria da desconsideraçã o da
personalidade jurídica da empresa, haja vista o uso abusivo da sua
personalidade e a ausência de bens para serem penhorados. A
turma considerou suficiente a intimação do sócio da empresa,
ocasião em que será oportunizada a sua defesa, ainda mais quando
o processo encontra-se na fase de cumprimento de sentença, onde
o recorrente fará jus à ampla defesa e ao contraditório, pois, poderá
impugnar o pedido ou oferecer exceção de pré-executividade.
• Informativo 502/STJ: no RMS 30.561/GO, a 1ª Turma do STJ
esclareceu que no mandado de segurança, a autoridade coatora é
aquela que ordena a execução do ato impugnado e quem cumpre a
ordem é o mero executor, portanto, como, no caso, o ato coator
emanou do CNJ, o presidente do tribunal não tem legitimidade para
figurar no polo passivo da ação mandamental.
• Informativo 502/STJ: no REsp 1.109.907/SC, a 3ª Turma do STJ
entendeu que não é cabível a fixação de honorários advocatícios na
hipótese em que reconhecida a perda do objeto do processo
cautelar incidental, diante de sentença de mérito prolatada na
demanda principal.
• Informativo 502/STJ: no REsp 1.157.383/RS, a 3ª Turma do STJ
assentou, nos termos do voto da Ministra Relatora Nancy Andrighi
que, adotando a teoria da asserção, se, na análise das condições da
ação, o juiz realizar cognição profunda sobre as alegações contidas
na petição, depois de esgotados os meios probatórios, terá, na
verdade, proferido juízo sobre o mérito da controvérsia.
• Informativo 502/STJ: no AgRg no AREsp 96.048/PI, a 3ª Turma do STJ
considerou intempestivo o recurso interposto no útimo dia do prazo
recursal, porém após o término do expediente forense, no plantão
judicial, resssaltando que a protocolização de petições e recursos
deve ser efetuada dentro do horário de expediente forense,
conforme a lei de organização judiciária local.
• Informativo 502/STJ: no REsp 1.278.094/SP, a 3ª Turma do STJ
consignou que a jurisprudência da Corte tem-se firmado no sentido
de que a pretensão ao exercício do direito de retenção por
benfeitorias deve ser exercida no momento da contestação, no
processo de conhecimento. Esclareceu a turma que, após a reforma
do CPC pela Lei n. 10.444/2002, os embargos de retenção por
benfeitorias só são admissíveis em execuções extrajudiciais de
obrigações de dar coisa certa. Assim, em se tratando de título
judicial, a arguição deve ser feita na contestação do processo de
conhecimento, sob pena de preclusão.
• Informativo 503/STJ: no REsp 1.112.599/TO, a 3ª Turma do STJ
considerou ser possível a interposição de um único recurso de
agravo de instrumento para impugnar duas decisões interlocutórias
distintas proferidas no mesmo processo, pois o princípio da
singularidade ou unicidade do recurso ou unirrecorribilidade
consagra que, para cada decisão há um único recurso próprio e
adequado, mas o postulado não veda a interposição de um único
recurso para impugnar mais de uma decisão. Acrescentou que, no
caso, a segunda decisão atacada é dependente da primeira, por
isso a interposição de dois recursos (um para cada decisão atacada)
poderia gerar decisões conflitantes.
• Informativo 503/STJ: no REsp 1.032.722/PR, a 4ª Turma do STJ
entendeu que o recolhimento do réu à prisão, após devidamente
citado, mas antes do término do prazo para a contestação, constitui
caso fortuito que impõe a nomeação de curador especial, sob pena
de nulidade, nos termos do art. 9º, inciso II, do CPC.
• Informativo 504/STJ: no CC 119.090/MG, a 2ª Seção do STJ definiu
que compete à Justiça estadual processar e julgar demanda
proposta contra o Banco do Brasil, sociedade de economia mista, e
à Justiça Federal processar, nos termos do art. 109, I, da
Constituição Federal, julgar ação proposta contra a Caixa
Econômica Federal, empresa pública federal.
• Informativo 504/STJ: no EREsp 998.249/RS, a 3ª Seção do STJ
entendeu que nos embargos de divergência, apenas as decisões
proferidas em recurso especial são admitidas para comprovar os
dissídios jurisprudenciais entre as Turmas deste Tribunal, entre
estas e a Seção ou Corte Especial.
• Informativo 504/STJ: no CC 123.817/PB, a 3ª Seção do STJ, ao rever
a jurisprudência pacificada da Corte, declarou competente a Justiça
Federal para apurar e julgar os crimes de malversação de verbas
públicas oriundas do Fundef, ainda que ausente a complementação
de verbas federais. Acrescentou que, diante do caráter nacional da
política de educação, fica evidenciado o interesse da União na
correta aplicação dos recursos públicos, o que atrai a competência
da Justiça Federal.
• Informativo 504/STJ: no REsp 1.100.820/SC, a 1ª Turma do STJ
ressaltou que tem eficácia executiva a sentença declaratória que
traz a definição integral da norma jurídica individualizada. Portanto,
se a sentença apresentou todos os elementos identificadores da
obrigação (sujeitos, prestação, liquidez e exigibilidade), não há
necessidade de submetê-la a um novo juízo de certificação antes
da execução.
• Informativo 504/STJ: no RHC 31.302/RJ, a 4ª Turma do STJ reafirmou
que o pagamento parcial da obrigação alimentar não afasta a
regularidade da prisão civil, destacando que é legítima a prisão civil
do devedor de alimentos, quando fundamentada na falta de
pagamento de prestações vencidas nos três meses anteriores à
propositura da execução ou daquelas vencidas no decorrer do
processo (Súm. n. 309/STJ).
• Informativo 505/STJ: no AgRg no REsp 1.231.070/ES, a Corte
Especial do STJ decidiu que não é cabível interpor recurso especial
para discutir o mérito de controvérsia enfrentada apenas por
decisão unipessoal de relator no Tribunal de origem, ainda que os
embargos de declaração opostos em face dessa decisão
monocrática sejam julgados pelo colegiado, salvo se os embargos
forem recebidos ou julgados como agravo regimental.
• Informativo 505/STJ: no REsp 1.198.880/MT a 3ª Turma do STJ
entendeu que é cabível a comulação de astreintes com juros de
mora, bem como a sua estipulação de ofício, ressaltando que tais
parcelas têm naturezas jurídicas distintas: as astreintes têm
natureza processual como meio de coerção para que o devedor
cumpra a obrigação específica, enquanto os juros de mora têm
natureza material e se destinam à reparação de parte dos prejuízos
ensejados pela mora.
• Informativo 505/STJ: no REsp 1.280.949/SP, a 3ª Turma do STJ
considerou que não sendo possível apurar, na liquidação, o
montante devido pela parte da condenação, sem culpa das partes,
extingue-se o processo sem resolução do mérito, facultando-se à
parte reiniciar a liquidação no futuro, caso reúna, com novos
elementos, provas suficientes para revestir de certeza seu direito à
reparação.
• Informativo 505/STJ: no AgRg na MC 19.774/SP, a 3ª Turma do STJ
entendeu que não é cabível a interposição de recurso ordinário em
face de decisão monocrática do relator no tribunal de origem que
julgou extinto o mandado de segurança, fazendo-se necessária a
prévia interposição de agravo regimental sob pena de ofensa ao
princípio da colegialidade.
• Informativo 505/STJ: no REsp 1.191.262/DF, a 4ª Turma do STJ
entendeu que o autor da ação responde objetivamente pelos danos
sofridos pela parte adversa decorrentes da antecipação de tutela
que não for confirmada em sentença, independentemente de
pronunciamento judicial e pedido específico da parte interessada.
• No AgRg no REsp 1.292.916/RJ, a 1ª Turma do STJ entendeu que
a exceção de pré-executividade é cabível quando atendidos
simultaneamente dois requisitos, um de ordem material e outro de
ordem formal, ou seja: (a) é indispensável que a matéria invocada
seja suscetível de conhecimento de ofício pelo juiz; e (b) é
indispensável que a decisão possa ser tomada sem necessidade de
dilação probatória.
• Informativo 506/STJ: No AgRg no AREsp 215.749/SP, a 2ª Turma do
STJ entendeu que a preferência dos créditos trabalhistas sobre os
créditos tributários, prevista no art. 186 do CTN, não se limita ao
concurso universal de credores, em razão de insolvência civil ou
falência, aplicando-se, da mesma forma, aos casos de execução
contra devedor solvente.
• No AgRg no AREsp 232.468/DF, a 2ª Turma do STJ asseverou que
servidor público integrante da categoria beneficiada, desde que
comprove essa condição, tem legitimidade para propor execução
individual de sentença proferida em ação coletiva, ainda que não
ostente a condição de filiado ou associado do sindicato autor da
ação de conhecimento.
• Informativo 506/STJ: No REsp 1.339.874/RS, a 3ª Turma do STJ
entendeu que o prazo prescricional para propositura de ação
monitória fundada em cheque prescrito é de cinco anos (art. 206, §
5º, I, do CC), independentemente da relação jurídica que deu causa
à emissão do título. Conforme a Súm. n. 299/STJ, “é admissível a
ação monitória fundada em cheque prescrito”.
• No REsp 1.166.628/PR, a 3ª Turma do STJ entendeu que não é
possível discutir, em ação de prestação de contas, a abusividade de
cláusulas constantes de contrato de abertura de crédito em conta-
corrente.
• Informativo 506/STJ: No REsp 925.584/SE, a 4ª Turma do STJ
considerou que, para a admissibilidade da ação monitória, não é
necessário que o autor instrua a ação com prova robusta, estreme
de dúvida, podendo ser aparelhada por documento idôneo, ainda
que emitido pelo próprio credor, contanto que, por meio do exame
do magistrado, exsurja o juízo de probabilidade acerca do direito
afirmado pelo autor.
• Informativo 507/STJ: no AgRg no AgRg no AREsp 194.892/RJ a 1ª
Seção do STJ alterou o entendimento da Corte e passou a entender
que o MP estadual não está vinculado nem subordinado, no plano
processual, administrativo e/ou institucional, à chefia do MPU, o que
lhe confere ampla possibilidade de postular, autonomamente,
perante o STJ. Ressaltou, ainda, que nesses casos o MP estadual
oficia como autor, enquanto o MPU (por meio do PGR) ofica como
fiscal da lei.
• Informativo 507/STJ: no REsp 1.317.257/RS, a 2ª Turma do STJ
asseverou que a intimação dos procuradores dos estados deverá
ser realizada por publicação em órgão oficial da imprensa, salvo as
exceções previstas em leis especiais.
• Informativo 507/STJ: no REsp 1.257.935/PB, a 2ª Turma do STJ
entendeu que o valor da causa para fins de fixação da competência
nos juizados especiais federais, na hipótese de existência de
litisconsórcio ativo, deve ser calculado dividindo-se o montante pelo
número de autores.
• Informativo 507/STJ: no AgRg no REsp 1.266.098/RS a 2ª Turma do
STJ salientou que não é possível a concessão às empresas públicas
de prazo em dobro para recorrer e em quádruplo para contestar.
• Informativo 507/STJ: no AgRg no AREsp 217.075/PE, a 2ª Turma do
STJ ressaltou que é inexistente a petição eletrô nica se não houver
identidade entre o titular do certificado digital utilizado para assinar
o documento e os advogados indicados como autores da petição.
• Informativo 507/STJ: no AgRg no RMS 36.798/MS, a 2ª Turma do STJ
entendeu que o termo inicial do prazo decadencial para a
impetração de mandado de segurança no qual se discute a
eliminação de candidato em concurso público em razão de
reprovação em teste de aptidão física é a data da própria
eliminação, e não a da publicação do edital do certame.
• Informativo 507/STJ: no EDcl no AgRg no Ag 1.067.829/PR, a 2ª
Turma do STJ considerou que é desnecessário o trânsito em julgado
da decisão proferida em recurso especial submetido ao rito do art.
543-C do CPC para a adoção da tese nele firmada.
• Informativo 507/STJ: no EDcl no AgRg no REsp 1.327.281/MG, a 2ª
Turma do STJ destacou que é ônus do Estado arcar com os
honorários periciais na hipótese em que a sucumbência recai sobre
beneficiário da assistência judiciária, tendo em vista o dever
constitucional de prestar assistência judiciária aos hipossuficientes.
• Informativo 507/STJ: no REsp 1.296.778/ GO, a 2ª Turma do STJ
confirmou que a desistência do mandado de segurança pode ser
requerida a qualquer tempo, desde que em momento anterior à
prolação da sentença de mérito.
• Informativo 507/STJ: no RMS 31.681/SP, a 2ª Turma do STJ salientou
que quando a ilegalidade deriva de ato judicial, não se admite o MS
nos casos em que há recurso passível de impugnar a decisão
combatida, a teor do que dispunha o art. 5º, II, da Lei n. 1.533/1951
e a Súm. n. 267/STF. Entretanto, não se deve atribuir caráter
absoluto a essa vedação, pois a interpretação que melhor se
coaduna com a finalidade da ação mandamental é a que admite a
impetração sempre que não houver recurso útil a evitar ou reparar
lesão a direito líquido e certo do impetrante.
• Informativo 507/STJ: no REsp 1.278.239/RJ, a 3ª Turma do STJ
considerou que a contagem dos prazos para a interposição de
recursos pelo MP ou pela Defensoria Pública começa a fluir da data
do recebimento dos autos com vista no respectivo órgão, e não da
ciência pelo seu membro no processo.
• Informativo 507/STJ: no AgRg no AREsp 76.935/RS, a 4ª Turma do
STJ ressaltou que a eventual omissão dos sítios eletrônicos dos
tribunais, quanto ao andamento do processo, não constitui justa
causa a ensejar a devolução do prazo processual, pois as
informações processuais prestadas pelos sítios eletrônicos dos
tribunais não possuem caráter oficial, mas meramente informativo.
• Informativo 508/STJ: no AgRg no MS 17.857/DF, a Corte Espeicial
ressaltou que se admite a impetração de mandado de segurança
contra ato judicial em situações teratológicas, abusivas que possam
gerar dano irreparável ou nos casos em que o recurso previsto não
tenha obtido ou não possa obter efeito suspensivo.
• Informativo 508/STJ: no AgRg no AgRg no MS 16.034/DF, a Corte
Especial destacou que não cabe mandado de segurança contra ato
jurisdicional dos órgãos fracionários ou de relator desta Corte
Superior, exceto nas hipóteses excepcionais de teratologia ou de
flagrante ilegalidade.
• Informativo 508/STJ: no AgRg no REsp 1. 255.052/AP, a 2ª Turma do
STJ considerou que compete à Justiça Federal processar e julgar
mandado de segurança impetrado contra presidente de subseção
da OAB.
• Informativo 508/STJ: no REsp 1.348.463/RS, a 2ª Turma do STJ
ressaltou que não é possível o fracionamento das parcelas relativas
aos honorários advocatícios do valor principal para fins de
expedição de precatório ou de RPV ( requisição de pequeno valor),
devendo essas parcelas ser somadas.
• Informativo 508/STJ: no REsp 1.295.790/PE, a 2ª Turma do STJ
entendeu que é da Justiça estadual, via de regra, a competência
para julgar a ação em que se discute a legalidade da cobrança de
instituição de ensino superior estadual, municipal ou particular de
taxa para expedição de diploma de curso, salvo quando se tratar de
mandado de segurança cuja impetração se volta contra ato de
dirigente de universidade pública federal ou de universidade
particular, hipótese de competência da Justiça Federal.
• Informativo 508/STJ: no AgRg no REsp 1.338.029/PR, a 2ª Turma do
STJ entendeu que somente serão alcançados pelos efeitos de
sentença proferida em ação de caráter coletivo os substituídos
processuais domiciliados, à época da propositura da demanda, no
território da competência do órgão prolator do decisum.
• Informativo 508/STJ: no AgRg no AgRg no AREsp 210.738/RS, a 2ª
Turma do STJ pontuou que ajuizada ação coletiva atinente à
macrolide geradora de processos multitudinários, suspendem-se,
ainda que de ofício, as ações individuais.
• Informativo 508/STJ: no REsp 1.084.745/MG, a 4ª Turma do STJ
salientou que incidem os efeitos materiais da revelia contra o Poder
Público na hipótese em que, devidamente citado, deixa de
contestar o pedido do autor, sempre que estiver em litígio uma
obrigação de direito privado firmada pela Administração Pública, e
não um contrato genuinamente administrativo.
• Informativo 509/STJ: no REsp 1.151.739/CE, a 2ª Seção asseverou
que compete ao STJ, em recurso especial, apreciar questão relativa
a decreto que, a pretexto de regulamentar determinada lei,
supostamente extrapola o âmbito de incidência da norma.
• Informativo 509/STJ: no AgRg no AREsp 187.507/MG, a 1ª Turma do
STJ salientou que os embargos de declaração consistentes em mero
pedido de reconsideração não interrompem o prazo recursal.
• Informativo 509/STJ: no AgRg no AREsp 242.970/PR, a 1ª Turma do
STJ entendeu que é possível, em caráter excepcional, que a
penhora recaia sobre o faturamento da empresa, desde que o
percentual fixado não torne inviável o exercício da atividade
empresarial.
• Informativo 509/STJ: no RMS 31.707/MT, a 2ª Turma do STJ
consignou que é possível declarar incidentalmente a
inconstitucionalidade de lei ou ato normativo do Poder Público na
via do mandado de segurança, vedando-se a utilização desse
remédio constitucional tão somente em face de lei em tese ou na
hipótese em que a causa de pedir seja abstrata, divorciada de
qualquer elemento fático e concreto que justifique a impetração.
• Informativo 509/STJ: no REsp 1.217.321/SC a 2ª Turma do STJ
ressaltou que é cabível o ajuizamento de ação rescisória para
desconstituir tanto o provimento judicial que resolve o mérito
quanto aquele que apenas extingue o feito sem resolução de
mérito. A redação do art. 485, caput, do CPC, ao mencionar
"sentença de mérito" o fez com impropriedade técnica, referindo-
se, na verdade, a "sentença definitiva", não excluindo os casos
onde se extingue o processo sem resolução de mérito, pois de toda
sentença terminativa, ainda que não seja de mérito, irradiam-se
efeitos declaratórios, constitutivos, condenatórios, mandamentais e
executivos. Na opotrunidade, a turma também entendeu que
é cabível ação rescisó ria para discutir exclusivamente verba
honorária, mas não é cabível ação rescisória por violação literal ao
art. 20, caput e §§ 3º e 4º, do CPC se a parte simplesmente discorda
do resultado da avaliação segundo os critérios legalmente
estabelecidos.
• Informativo 509/STJ: no AgRg no REsp 1.294.191/GO, a 2ª Turma do
STJ registrou que o ajuizamento de mandado de segurança
interrompe e suspende o fluxo do prazo prescricional de ação de
cobrança de parcelas pretéritas à impetração, somente se
reiniciando após o trânsito em julgado do mandamus.
• Informativo 509/STJ: no REsp 1.296.788/SP, a 4ª Turma concluiu que
é possível a discussão sobre a legalidade de cláusulas contratuais
como matéria de defesa na ação de busca e apreensão decorrente
de alienação fiduciária, uma vez que essa matéria tem relação
direta com a mora, pois justificaria ou não a busca e apreensão do
bem.
• Informativo 510/STJ: no AgRg nos EDcl no CC 113.788/DF, a 1ª
Seção do STJ asseverou que a competência para processar e julgar
ação civil pública é absoluta e se dá em função do local onde
ocorreu o dano, pois a ratio legis da utilização do local do dano
como critério definidor da competência nas ações coletivas é
proporcionar maior celeridade no processamento, na instrução e,
por conseguinte, no julgamento do feito, dado que é muito mais
fácil apurar o dano e suas provas no juízo em que os fatos
ocorreram.
• Informativo 510/STJ: na AR 4.112/SC, a 3ª Seção do STJ pontuou
que não cabe ação rescisória contra violação de súmula.
• Informativo 510/STJ: no AgRg no AREsp 233.603/RS, a 1ª Turma do
STJ entendeu que os honorários advocatícios de sucumbência não
constituem direito autônomo do procurador judicial quando
vencedora a Administração Pública direta da União, dos Estados, do
Distrito Federal e dos Municípios, ou as autarquias, as fundações
instituídas pelo Poder Público, as empresas públicas, ou as
sociedades de economia mista, visto que integram o patrimônio
público da entidade.
• Informativo 510/STJ: no AgRg no AgRg nos EDcl no AgRg no Ag
1.230.236/RS, a 2ª Turma do STJ definiu que o juízo de retratação
em recurso extraordinário sobrestado na origem para aguardar o
julgamento do representativo da controvérsia, previsto no art. 543-
B, § 3º, do CPC, está condicionado ao prévio exame de
admissibilidade recursal.
Supremo Tribunal Federal
• No ARE 663.637 QO-AgR/MG, o Plenário, em Repercussão Geral,
decidiu que é indispensável capítulo específico de repercussão
geral da questão constitucional no recurso extraordinário, mesmo
que a matéria já tenha sido reconhecida em processo diverso.

1º Semestre 2012

Superior Tribunal de Justiça


• No EREsp 595.742/SC, a 2ª Seção do STJ entendeu que, em atenção
ao princípio da eventualidade, o recorrido pode suscitar nas suas
contrarrazões questão omitida pelo Tribunal "a quo" e, por isso, o
STJ pode apreciar os fundamentos invocados pela parte vencedora
na instância de origem, mas não examinados no acórdão recorrido,
que deferiu o pedido por outro fundamento, sem necessidade de
prequestioná-lo, haja vista não ter interesse processual na
interposição de nenhum recurso.
• No REsp 1.256.724/RS, a 2ª Turma do STJ entendeu que não é
cabível condenação em honorários advocatícios em exce& ccedil;ão
de pré-executividade julgada improcedente.
• No REsp 1.009.947/SC, a 2ª Turma do STJ lembrou que é pacífico na
Corte o entendimento de que não cabe chamamento ao processo
nas ações que tratam de fornecimento de medicamentos, pois se
trata de hipótese excepcional de litisconsórcio passivo facultativo,
revelando-se medida protelatória que não traz nenhuma utilidade
ao processo e atrasa a resolução do feito.
• No REsp 1.190.865/MG, a 3ª Turma do STJ considerou que a
presença do defensor público na audiência na qual foi proferida a
sentença não retira o ônus de sua intimação pessoal que somente
se concretiza com a abertura de vistas e entrega dos autos.
• No REsp 1.284.587/SP, a 3ª Turma do STJ consignou que a exigência
de condicionar novos pedidos de penhora "on line" à demonstração
de indícios de alteração da situação econômica do devedor não
viola o princípio de que a execução prossegue no interesse do
credor.
• No REsp 1.059.214/RS, a 4ª Turma do STJ decidiu que o êxito em
ação negatória de paternidade depende, além da demonstração da
inexistência da origem biológica, de que não tenha sido constituído
o estado de fiiação (paternidade socioafetiva).
• Informativo 492/STJ: no REsp 959.338/SP, a 1ª Seção do STJ decidiu,
em regime de recurso repetitivo, que é possível a juntada da prova
demonstrativa do quantum debeatur em liquidação de sentença.
• Informativo 492/STJ: No REsp 1.166.340/RJ, a 4ª Turma do STJ
esclareceu que, no rito sumário, presente o réu e ausente o Juiz de
Direito na audiência de conciliação, não obtido o acordo, é vedado o
prosseguimento da audiência perante o conciliador, bem como que
inexiste previsão legal de que a falta de contestação nesse
momento implica na revelia e seus regulares efeitos.
• Informativo 494/STJ: No EREsp 1.215.003/RS, a 1ª Seção do STJ
afirmou que são devidos honorários advocatícios pela Fazenda
Pública quando esta reconhece a procedência do pedido em
embargos à execução fiscal.
• Informativo 494/STJ: No REsp 1.133.689/PE, a 2ª Seção do STJ
considerou que o prazo previsto no art. 284, do CPC, é dilatório,
portanto pode ser reduzido ou ampliado por convenção das partes
ou por determinação do juiz, conforme art. 181, do CPC, cabendo
ao magistrado admitir ou não a prática extemporânea do ato pela
parte.
• Informativo 495/STJ: No AREsp 113.436-SP, a 1ª Turma do STJ
considerou que o Inquérito Civil pode embasar a ação civil pública
contra agente político, sem necessidade de abertura de
procedimento administrativo prévio.
• Informativo 495/STJ: No REsp 798.154-PR, a 3ª Turma do STJ
considerou que o devedor não pode discutir matéria já suscitada e
decidida nos embargos do devedor com trânsito em julgado por
meio da exceção de pré-executividade.
• Informativo 495/STJ: No REsp 981.440-SP a 4ª Turma do STJ
consignou que a jurisprudência da Corte é firme quanto à
possibilidade de propositura de ação de conhecimento pelo
detentor de título executivo, portanto, o detentor de título
executivo extrajudicial poderá ajuizar ação monitória, ainda que
também o pudesse fazer pela via do processo de execução.
• Informativo 496/STJ: No REsp 1.102.467/RJ, a Corte Especial do STJ
entendeu que a ausência de peças facultativas no Agravo de
Instrumento que sejam consideradas necessárias à compreensão
da controvérsia não enseja a inadmissão liminar do recurso.
• Informativo 496/STJ: No EREsp 1.068.207/PR, a Corte Especial
considerou que a exigência do depósito prévio da multa prevista no
art. 557, § 2º, do CPC (quando manifestamente inadmissível ou
infundado o agravo) não se aplica à fazenda pública.
• Informativo 496/STJ: No EDcl no AgRg nos EAg 942.602/SP, a 3ª
Seção do STJ considerou que, quando o relator conhece do agravo
de instrumento e examina o mérito do recurso especial, não se
aplica a súmula 315 do STJ, a qual diz que não cabem embargos de
divergência no âmbito do agravo de instrumento que não admite
recurso especial.
• Informativo 496/STJ: No REsp 1.195.929/SP, a 3ª Turma do STJ
entendeu que a garantia do juízo é pressuposto para o
processamento da impugnação ao cumprimento de sentença, seja
pela penhora, seja pelo depósito do valor exequendo efetuado pelo
devedor.
• Informativo 497/STJ: No REsp 1.102.473/RS, sob o regime de
Recurso Repetitivo, a Corte Especial do STJ definiu que os
honorários advocatícios constituem direito autônomo do advogado
que pode executá-los em nome próprio ou nos próprios autos da
ação de execução, sendo que o fato de o precatório ter sido
expedido em nome da parte não obsta a disponibilidade dos
honorários, podendo, ainda assim, o advogado executá-los ou cedê-
los a terceiro.
• Informativo 497/STJ: No AR 4.365/DF, a 1ª Seção do STJ considerou
que são devidos honorários advocatícios nos embargos a execução
opostos de decisão em mandado de segurança.
• Informativo 497/STJ: No REsp 1.184.570/MG, em regime de Recurso
Repetitivo, a 2ª Seção do STJ decidiu que é válida a notificação
extrajudicial via postal, com AR, no endereço do devedor, ainda que
o respectivo título tenha sido apresentado em cartório de títulos e
documentos de comarca diversa.
• Informativo 497/STJ: No AREsp 23.916/SP, a 1ª Turma do STJ
entendeu que é da competência do relator julgar os embargos de
declaração contra a sua decisão e não do órgão colegiado.
• Informativo 497/STJ: No EDcl no REsp 1.194.009/SP, a 1ª Turma do
STJ considerou que a falta de notificação do acusado para
apresentar defesa prévia nas ações por improbidade administrativa
é causa de nuildade relativa, dependendo, pois, de alegação no
momento oportuno e de comprovação de prejuízo à parte.
• Informativo 497/STJ: no REsp 1.116.553/MT, a 3ª Turma do STJ
entendeu que a União tem interesse jurídico e deve participar da
relação jurídica de direito material, independentemente da
existência de entidades autônomas que venha a constituir para
realizar as atividades decorrentes do seu poder normativo, sendo,
portanto, legítima para figurar como litisconsorte passiva
necessária.
• Informativo 497/STJ: No REsp 949.509/RS, a 4ª Turma do STJ
destacou a natureza híbrida das "astreintes", considerando que,
além da funç& atilde;o processual (garantia da eficácia das
decisões judiciais), a multa cominatória teria caráter
preponderantemente material (compensar o demandante pelo
tempo que ficou privado de fruir do bem da vida que lhe foi
concedido).
• Informativo 497/STJ: no REsp 1.264.272/RJ, a 4ª Turma do STJ
concluiu que se aplica o art. 745-A, do CPC, que permite ao devedor
na execução por título extrajudicial requerer o parcelamento da
dívida em até seis prestações mensais, ao rito do cumprimento de
sentença.
• Informativo 497/STJ: No REsp 596.764/MG, a 4ª Turma do STJ
entendeu que o Ministério Público não é obrigado a aceitar proposta
de ajustamento de conduta formulada por particular, portanto,
indiretamente, considerou que o particular não tem direito subjetivo
de firmar o compromisso de ajustamento de conduta previsto no
ECA e na LACP.
• Informativo 498/STJ: No REsp 1.113.175/DF, a Corte Especial do STJ,
em regime de recurso repetitivo, decidiu que são cabíveis
embargos infringentes quando o acórdão houver reformado, em
grau de apelação e por maioria de votos, a sentença de mérito no
tocante aos honorários advocatícios.
• Informativo 498/STJ: No REsp 1.102.459/RJ, a 5ª Turma do STJ
reiterou que, conforme decidido pela Corte Especial do STJ, não são
devidos honorários advocatícios à Defensoria Pública quando ela
atua contra pessoa jurídica de direito público que integra a mesma
Fazenda Pública.
• No REsp 1.201.674/SP, a Corte Especial do STJ decidiu que o
defensor público não faz jus ao recebimento de honorários pelo
exercício da curatela especial, por estar no exercício de suas
funções institucionais, para o que já é remunerado por subsídio em
parcela única.
• No REsp 1.187.632/DF, a 4ª Turma do STJ decidiu que restando
inertes os beneficiários individuais de sentença de processo
coletivo, o MP tem legitimidade para promover a reparação fluida
(“fluid recovery”) e, sendo possível apurar o valor devido a cada um
daqueles, deve-se dar preferência à liquidação por arbitramento
(art. 475-C, CPC), inclusive por ser menos oneroso ao devedor
• Informativo 499/STJ: no REsp 869.583/DF, a 4ª Turma do STJ
considerou que a legitimidade do MP para promover a execução de
sentença coletiva só surge após um ano do trânsito em julgado, se
não houver habilitação de interessados na execução individual em
número compatível com a gravidade do dano, a fim de que a
sentença não se torne inócua, liberando o fornecedor que atuou
ilicitamente de arcar com a reparação dos danos causados.
• Informativo 500/STJ: no REsp 1.267.995/PB, a 1ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, asseverou que após o oferecimento da
contestação, não pode o autor desistir da ação sem o
consentimento do réu (art. 267, § 4º, do CPC), sendo legítima a
oposição à desistência com fundamento no art. 3º da Lei n.
9.469/1997, razão pela qual, nesse caso, a desistência é
condicionada à renúncia expressa ao direito sobre o qual se funda a
ação.
• Informativo 500/STJ: no REsp 1.252.620/SC, a 3ª Turma do STJ
entendeu que a administradora de imóveis não é parte legítima
para ajuizar ação de execução de créditos referentes a contrato de
locação, pois é apenas representante do proprietário, e não
substituta processual.
• Informativo 500/STJ: no EDcl no REsp 1.087.717/SP, a 4ª Turma do
STJ entendeu que o interesse do apelado em opor embargos
infringentes depende do provimento não unânime da apelação,
com a necessária modificação do mérito da sentença,
independentemente da fundamentação adotada no voto vencido.
• Informativo 500/STJ: no REsp 1.175.763/STJ, a 4ª Turma entendeu
que, no caso da multa prevista no art. 475-J, do CPC, se o devedor
depositar judicialmente a quantia devida com o escopo de garantir
o juízo, para que possa discutir o seu débito em sede de
impugnação de cumprimento de sentença, não haverá o
afastamento da multa, pois o credor não poderá levantar o dinheiro
depositado até o deslinde da questão.
• Informativo 500/STJ: no REsp 965.475/SP, a 4ª Turma entendeu que
o termo inicial para o oferecimento de impugnação ao cumprimento
de sentença começa com o depósito judicial em dinheiro do valor
executado, consubstanciando tal ato em penhora automática,
sendo desnecessária a lavratura do respectivo termo e a intimação
do devedor.
Supremo Tribunal Federal
• No RE 626.358 AgR/MG, o Plenário decidiu que é admissível
comprovação posterior de tempestividade de recurso extraordinário
quando houver sido julgado extemporâneo por esta Corte em
virtude de feriados locais ou de suspensão de expediente forense
no tribunal a quo.
• No AI 652.139 AgR/MG, a Primeira Turma considerou possível o
pedido de justiça gratuita elaborado na fase recursal, desde que
não haja fraude.
• No RE 444. 816/RS, a Primeira Turma reafirmou o entendimento de
que recurso inadmissível não tem o condão de interromper o prazo
decadencial de dois anos para a propositura de ação rescisória.
• No RE 556.149 ED/DF e RE 556.149 Segundo AgR/DF, a Primeira
Turma sobrestou o julgamento de segundo Agravo Regimental e de
embargos de declaração, tendo em vista o reconhecimento da
repercussão geral da matéria, após o julgamento dos recursos
extraordinários. Salientou-se que não seria indicado a devolução à
origem, pois o Tribunal de origem não teria competência para, após
o julgamento do mérito da repercussão geral, cassar a primeira
decisão proferida nos recursos extraordinários.
• No RE 384.866/GO, o Plenário, em Repercussão Geral, decidiu ser
inconstitucional o art. 29-C da Lei 8.036/90, que prevê a não
condenação em honorários advocatícios nas ações entre o FGTS e
os titulares de contas vinculadas.

2º Semestre 2011

Superior Tribunal de Justiça


•Informativo 480/STJ: no REsp 1.134.186/RS, a Corte Especial do
STJ, em recurso repetitivo, deciciu que são cabíveis honorários
advocatícios no cumprimento de sentença, haja ou não
impugnação, depois de escoado o prazo para pagamento voluntário
(art. 475-J, do CPC) que se inicia depois da intimação do advogado,
com a baixa dos autos e a determinação de "cumpra-se". Também
foi decidido que só cabem honorários advocatícios na impugnação
ao cumprimento de sentença caso esta seja acolhida e extinto o
procedimento executório.
•Informativo 480/STJ: no REsp 818.978/ES, a 2ª Turma do STJ
entendeu que a ausência de intimação do MP, por si só, não gera
nulidade do julgado, sendo necessária a demonstração do efetivo
prejuízo para as partes ou para a apuração da verdade (princípio
"pas de nullité sans grief"), mesmo no caso de intervenção
obrigatória do "Parquet".
•Informativo 480/STJ: no REsp 1.032.436/SP, a 3ª Turma do STJ
definiu que, para o início da fase executiva, basta a intimação do
devedor para pagamento, a qual deverá ocorrer na pessoa do
advogado, apesar da ausência de previsão legal, conforme
jurisprudência da Corte, ainda que o advogado seja Defensor
Público, o qual tem poderes gerais para o foro, inclusive o de
receber intimações, embora sua intimação deva ser pessoal, nos
termos do art. 5º, § 5º, da Lei nº 1.060/50.
•Informativo 480/STJ: no REsp 967.815/MG, a 4ª Turma entendeu
que a sentença proferida no processo de usucapião deve guardar
coerência com aquela prolatada na ação possessória relativa ao
mesmo bem imóvel ajuizada posteriormente, devendo ser
reconhecida a existência de conexão entre elas quando verificada a
comunhão somente entre a casua de pedir remota.
•Informativo 481/STJ: na QO no REsp 1.205.946/SP, a Corte Especial
do STJ firmou a orientação de não reconhecer o direito do amicus
curiae de exigir a sua sustentação oral no julgamento de recursos
repetitivos, esclarecendo que se o Tribunal entender que deve ouvir
a sustentação oral, poderá convocar um ou alguns dos amici curiae,
mas não há por parte deles o direito de exigir sustentação oral.
•Informativo 481/STJ: no REsp 1.239.714/RJ, a 4ª Turma do STJ
ressaltou que a jurisprudência da Corte é firme no sentido de que o
valor fixado a título de multa, uma vez modificada a situação em
que ela foi cominada, pode ser revisto a qualquer tempo, inclusive
após o trânsito em julgado, na fase executiva, sem que isso
configure ofensa à coisa julgada. Entretanto, explicou que o
procedimento previsto no art. 475-J, do CPC, no tocante à multa,
somente pode ser aplicado após a decisão judicial definitiva de
acertamento de seu valor.
•Informativo 482/STJ: no REsp 1.165.735/MG, a 4ª Turma do
STJ entendeu que o prazo para o ajuizamento da ação rescisória é
de decadência (art. 495, CPC), por isso se aplica a exceção prevista
no art. 208 do CC/ 2002, segundo a qual os prazos decadenciais
não fluem contra os absolutamente incapazes.
•Informativo 482/STJ: no REsp 1.171.682/GO, a 4ª Turma do
STJ ratificou a jurisprudência da Corte sob o fundamento de que a
interposição de embargos de declaração, mesmo que considerados
protelatórios, é meio hábil para interromper o trânsito em julgado
da sentença, ainda mais quando foram conhecidos.
•Informativo 483/STJ: no CC 114.407/SP, a 2ª Seção do STJ definiu
que, da nova redação do art. 114 da CF não se pode mais inferir
que as ações julgadas pela Justiça do Trabalho tenham
necessariamente que ter como partes somente empregado e
empregador, mas a lide que discute relação de trabalho, que é
conceito mais amplo. Por isso, na espécie, a Seção considerou ser
competente a Justiça do Trabalho para processar e julgar ação de
responsabilidade civil aquiliana proposta por menores
representados pela mãe em desfavor de empresa industrial.
•Informativo 483/STJ: no REsp 1.278.731/DF, a 2ª Turma do STJ
entendeu que, consoante a jurisprudência da Corte, em respeito ao
princípio da instrumentalidade das formas, a ausência de peça
obrigatória & agrave; formação do Agravo, quando se tratar da
certidão de intimação de decisão agravada, pode ser irrelevante,
caso seja possível, por outros elementos, constatar a
tempestividade do recurso.
•Informativo 483/STJ: no REsp 1.145.060/MG, a 3ª Turma do STJ
enfatizou que o art. 226, § 3º, da CF confere à união estável o
status de entidade familiar, fato que deve orientar o intérprete na
aplicação, sempre que possível, de posicionamentos uníssonos para
o sistema entidade familiar, o que, no caso, significa adotar a
fórmula já preconizada que estabelece o domicílio da mulher como
o foro competente para discutir as questões relativas à união
estável.
•Informativo 483/STJ: no REsp 1.121.530/RN, a 4ª Turma do STJ
asseverou que há jurisprudência cristalizada no STJ quanto à
desnecessidade da citação da pessoa jurídica quando todos os seus
sócios forem citados na ação.
•Informativo 483/STJ: no REsp 1.116.925/PR, a 4ª Turma reiterou
que, na execução provisória, não incide multa prevista no art. 475-J,
do CPC.
•Informativo 484/STJ: no MS 16.180/DF, a Corte Especial considerou
que o procedimento da reclamação é "sui generis" e, conforme a
jurisprudência do STJ, em razão da irrecorribilidade das decisões do
relator que indeferem o seu processamento, autoriza-se a
impetração de Mandado de Segurança como único remédio capaz
de garantir o direito líquido e certo de acesso à prestação
jurisdicional.
•Informativo 484/STJ: no REsp 1.217.076/SP, a 1ª Seção do STJ, em
sede de recurso especial, concluiu que é incabível o exame de
legislação local, aplicando-se, por analogia, o enunciado nº 280 da
Súmula do STF: "por ofensa a direito local não cabe recurso
extraordinário& quot;.
•Informativo 484/STJ: no REsp 1.129.938/PE, a 2ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, entendeu inadmissível a conversão da
ação de execução em ação monitória após ocorrida a citação, em
razão da estabilização da relação processual.
•Informativo 484/STJ: no REsp 1.051.652/TO, a 3ª Turma do STJ
decidiu que se o litígio não versa sobre nenhum dos direitos reais
mencionados na segunda parte do art. 95, do CPC, não há
competência absoluta do foro da situação dos imóveis para o seu
julgamento, ou seja, a competência é relativa, passível, portanto,
de modificaç& atilde;o.
•A Corte Especial do STJ, em recurso repetitivo, decidiu que os
valores resultantes de condenações proferidas contra a Fazenda
Pública, após a entrada em vigor da Lei nº 11.690/09, que alterou a
redação do art. 1º-F, da Lei nº 9.494/97, devem observar os
critérios de atualização (correção monetária e juros) naquela
disciplinados, sendo que, no período anterior àquela lei, tais acess&
oacute;rios devem seguir os parâmetros definidos pela legislação
então vigente.
•A 1ª Turma do STJ entendeu que o livre acesso aos autos de
inquérito civil não pode ser autorizado pela autoridade investigante
ao advogado do investigado, nos termos da Súmula Vinculante nº
14, do STF, em relação a dados de outro investigado ou em relação
a diligências ainda em curso.
•A 3ª Turma do STJ lembrou que o valor da multa diária fixada não
faz coisa julgada material e pode ser revista a qualquer tempo pelo
magistrado, assim como a própria decisão que fixa a astreinte,
concluindo ser possível o manejo de exceção de pré-executividade
com o objetivo de discutir o valor da multa diária executada, o que
poderia ser conhecido de ofício pelo juiz.
•A 3ª Turma do STJ entendeu que, sendo o executado representado
por curador especial, em razão de sua citação ficta no processo de
conhecimento, não há necessidade de sua intimação para a
fluência do prazo quinzenal do art. 475-J, do CPC.
•A 4ª Turma do STJ entendeu que é possível o desconto em folha de
pagamento do devedor de alimentos, mesmo em relação a
prestações vencidas no curso da ação de alimentos, desde que em
valores que não impeçam a sua própria subsistência.
•A 4ª Turma do STJ decidiu que se pode requerer o benefício da
gratuidade da justiça tanto no ato de demandar quanto no curso do
processo, mas desde que não esgotada a prestação jurisdicional,
ressaltando a impossibilidade de extensão retroativa da assistência
judiciária.
•No REsp 1.245.618/RS, a 3ª Turma do STJ ressaltou que as duas
turmas da 2ª Seção do STJ firmaram o entendimento de que é
cabível ação direta do terceiro contra a seguradora, embora o
contrato de seguro tenha sido celebrado apenas entre o segurado e
a seguradora, pois tal pacto contém uma estipulação em favor de
terceiro, ao qual a indenização será paga. Há, pois, legitimidade
passiva & quot;ad causam" para a seguradora figurar no polo
passivo da ação proposta por terceiro.
•No REsp 1.018.635/ES, a 4ª Turma do STJ consignou que quando
a residência familiar constituir-se em imóvel rural, a
impenhorabilidade do bem de família restringe- se à sede de
moradia com os respectivos bens móveis, não abrangendo a
totalidade do imóvel, ressalvado o caso da pequena propriedade
rural (art. 5º, XXVI, da CF/88).
•No REsp 601.920/CE, a 4ª Turma do STJ ressaltou que nos
embargos de terceiro também se deve promover a citação do
executado (devedor) quando este indicar o bem sobre o qual recaiu
a constrição, sob pena de ineficácia completa da sentença, mesmo
entre as partes citadas.
Supremo Tribunal Federal
•No RE 586.789/PR, o Plenário, em repercussão geral, decidiu que
compete à turma recursal o exame de mandado de segurança,
quando utilizado como substitutivo recursal, contra ato de juiz
federal dos juizados especiais federais.
•No RE 227.114/SP, a Segunda Turma entendeu recepcionada pela
CF a regra, prevista no art. 100, I, do CPC, que prevê o foro da
residência da mulher para as ações de separação, conversão em
divórcio e anulação de casamento.

1º Semestre 2011

Superior Tribunal de Justiça


• Informativo 463/STJ: no REsp 863.890/SC, a 3ª Turma do STJ
ressaltou que é entendimento consolidado na Corte o de que, após
decorrido o prazo decadencial para a interposição de ação
rescisória, não pode a ação ser proposta contra novo réu, sendo,
consequentemente, impossível a regularização da relação
processual nos termos do disposto no art. 47, do CPC.
• Informativo 465/STJ: no REsp 1.221.4028/RS, a 2ª Turma do STJ
observou que não incidem juros de mora no período entre a conta
de atualização e o efetivo pagamento do precatório, conforme
orientação firmada no julgamento do REsp 1.143.677/RS em regime
de recurso repetitivo em que se aplicou a súmula vinculante nº
17/STF.
• Informativo 465/STJ: no EREsp 1.046.562/CE, a Corte Especial do
STJ firmou o entendimento de que, na ação rescisória, baseada em
violação de literal disposição de lei, o mérito do recurso especial se
confundiria com os próprios fundamentos para a propositura da
ação rescisória, autorizando o STJ a examinar também o acórdão
rescindendo.
• Informativo 465/STJ: no REsp 1.230.704/SP, a 2ª Turma do STJ
entendeu que não cabe recurso especial fundado em alegação de
violação de verbete sumular, por não se enquadrar no conceito de
lei federal conforme está previsto no art. 105, III, da CF/1988.
• Informativo 465/STJ: no REsp 1.199.940/RJ, a 3ª Turma do STJ
anotou que, em determinadas situações, o interesse jurídico a
fundamentar o deferimento de assistência no processo civil (art. 50,
do CPC), pode ser acompanhado de alguma repercussão em outra
esfera, tal como a afetiva, a moral ou a econômica.
• Informativo 465/STJ: no REsp 1.189.273/SC, a 4ª Turma do STJ
entendeu que os Centros Acadêmicos de estudantes universitários,
na condição de associações civis, possuem legitimidade para
ajuizar ACP na defesa dos interesses dos estudantes do respectivo
curso.
• Informativo 466/STJ: no Ag 1.371.230/CE, a 1ª Turma do STJ
registrou que é cabível a interposição de agravo de instrumento no
STJ a fim de impugnar decisão interlocutória em causa na qual as
partes são organismo internacional, na condição de litisconsorte
passivo necessário, e pessoa jurídica de direito privado domiciliada
no país.
• Informativo 466/STJ: no AgRg no AgRg no Ag 656.360/RJ, a 3ª Turma
do STJ salientou que a Corte consolidou o entendimento,
privilegiando o princípio da igualdade ou da paridade de armas, de
fixar o dia inicial da contagem dos prazos, seja em face da
Defensoria Pública ou do Ministério Público, no dia útil seguinte à
data da entrada dos autos no órgão público ao qual é dada a vista.
• Informativo 467/STJ: no REsp 1.017.506/RS, a 4ª Turma do STJ
entendeu que a penhora por via eletrônica constitui apenas uma
forma preferencial, e não exclusiva, podendo a medida ser
realizada pelo método tradicional da expedição de ofício,
salientando que, não obstante o cadastro no Bacen-Jud seja
facultativo, as medidas constritivas devem ser adotadas quando
requeridas pelo exequente, desde que cumpridos os demais
requisitos necessários à efetivação da penhora.
• Informativo 467/STJ: no RMS 24.082/GO, a 6ª Turma do STJ informou
que quanto à possibilidade de emenda da inicial em Mandado de
Segurança devido ao erro na indicação da autoridade coatora,
ressalta que a jurisprudência do STJ encontra-se divergente,
havendo entendimentos de que, quando verificada a ilegitimidade
da autoridade impetrada, uns afirmam ser vedada a retificação
posterior do polo passivo do writ, devendo ser o mandamus extinto
sem resolução de mérito; enquanto outros consideram tratar-se de
deficiência sanável, tendo em vista os princípios da economia
processual e efetividade do processo, permitindo a correção da
autoridade coatora por meio de emenda à inicial.
• Informativo 468/STJ: no HC 181.231/RO, a 3ª Turma do STJ
esclareceu que não se desconhece que o STF julgou ser
constitucional o art. 7º, V, da Lei n. 8.906/1994 (EOAB) quando
determina, antes da sentença transitada em julgado, o
recolhimento à prisão de advogados em sala de Estado-Maior ou,
na sua falta, em prisão domiciliar. Contudo, aquela norma mostra-
se aplicável em casos de prisão cautelar de natureza penal e não
em prisão civil, notadamente as decorrentes de execução de
alimentos definitivos oriundos de decisão transitada em julgado ou
de acordo homologado judicialmente.
• Informativo 468/STJ: no REsp 1.101.057/MT, a 3ª Turma do STJ
entendeu que compete ao foro da capital do estado processar e
julgar a ação civil pública que se insurge contra danos que
produzem efeitos em âmbito regional, conforme estabelece o art.
93, II, do CDC, tratando-se de competência absoluta.
• Informativo 468/STJ: no REsp 917.974/MS, a 4ª Turma do STJ
entendeu que as questões efetivamente decididas no processo de
conhecimento, no caso Ação Civil Pública, de forma definitiva, ainda
que de ordem pública, como a legitimidade ad causam, não podem
ser novamente debatidas, sobretudo no processo de execução, sob
pena de vulneração à coisa julgada.
• Informativo 469/STJ: no REsp 1.112.862/GO, a 1ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, destacou que o juiz, de ofício ou a
requerimento da parte, pode fixar as denominadas astreintes
contra a empresa pública, com o objetivo de forçá-la ao
adimplemento da obrigação de fazer no prazo estipulado, porém a
sua aplicação deve nortear-se pelos princípios da proporcionalidade
e da razoabilidade. Isso porque o objetivo da multa cominatória é
desestimular a inércia injustificada do sujeito passivo em cumprir a
determinação do juízo, mas é necessário também que essa medida
não se converta em fonte de enriquecimento do autor ou
exequente.
• Informativo 469/STJ: no REsp 1.203.312/SP, a 3ª Turma do STJ
reafirmou que não são devidos honorários à Defensoria Pública no
exercício da curadoria especial, uma vez que essa função faz parte
de suas atribuições institucionais.
• Informativo 470/STJ: no AR 4.373/SP, a 1ª Seção do STJ ressaltou
que, superado o juízo de admissibilidade, o Recurso Especial
comporta efeito devolutivo amplo, sendo possível mitigar o
requisito do prequestionamento quando da aplicação do direito à
espécie para conhecer de questões não apreciadas diretamente
pelas instâncias ordinárias, mesmo quando não ventiladas no REsp.
• Informativo 470/STJ: no REsp 1.245.466/RJ, a 2ª Turma do STJ
entendeu que não é possível sequestro de bens que, afinal, não
poderão ser expropriados. Assim, consignou que Consignou-se que
o sequestro tem como fim resguardar o credor pela antecipação de
bens aptos a garantir a solvência final do devedor e a satisfação do
credor se dá pela arrematação ou pela penhora, de modo
que, vedada esta por se tratar de bem de família, está
vedado também o sequestro.
• Informativo 470/STJ: no AgRg no AgRg no Ag 1.094.203/SP, a 4ª
Turma do STJ reiterou que a penhora do bem de família hipotecado
somente pode ser efetivada quando a garantia tiver sido prestada
em proveito da própria entidade familiar e não para assegurar
dívida de terceiro.
• Informativo 471/STJ: no REsp 1.177.862/RJ, a 3ª Turma do STJ
entendeu que o condomínio não pode pleitear em juízo indenização
por danos morais em nome dos condôminos (legitimidade
extraordinária), ainda que autorizado por assembleia geral, em
razão da natureza personalíssima do dano extrapatrimonial que diz
respeito ao foro íntimo do ofendido.
• Informativo 471/STJ: no REsp 904.289/MS, a 4ª Turma do STJ a
concessão da assistência judiciária requerida após a prolação da
sentença não viola o art. 463, do CPC, visto que, consoante
reiterado entendimento do STJ, os efeitos de tal concessão são ex
nunc, por isso a sucumbência somente será revista em caso de
acolhimento do mérito de eventual recurso de apelação.
• Informativo 473/STJ: no EREsp 853.618/SP, a Corte Especial do STJ
reiterou seu entendimento de que a ausência de recurso da
Fazenda Pública contra sentença de primeiro grau não impede que
ela recorra do aresto proferido pelo tribunal de origem em razão da
remessa necessária (art. 415 do CPC), não havendo falar-se em
preclusão lógica.
• Informativo 473/STJ: no REsp 1.230.048/PR, a 2ª Turma do STJ
entendeu que o prazo decadencial para impetração do Mandado de
Segurança se iniciou com o ato administrativo que eliminou o
candidato do concurso público, e não com a publicação do edital,
pois a norma prevista neste só feriu seu direito líquido e certo no
momento em que se efetivou a sua eliminação do certame.
• Informativo 473/STJ: no REsp 1.200.622/AM, a 2ª Turma do STJ
concluiu que nos casos em que o candidato aprovado em concurso
público não foi nomeado, o prazo decadencial de 120 dias para
impetrar o MS inicia-se com o término da validade do certame.
• Informativo 474/STJ: no REsp 1.244.683/GO, a 2ª Turma do STJ
asseverou que o entendimento da Corte é que são admissíveis os
embargos infringentes na hipótese de o acórdão recorrido proferido
por maioria reformar a matéria acessória da sentença de mérito,
relativa aos honorários advocatícios.
• Informativo 474/STJ: no REsp 1.093.415/MS, a 4ª Turma do STJ
reiterou que, após a entrada em vigor da Lei n. 11.382/2006, é
possível a penhora online, ainda que não haja o esgotamento dos
demais meios de satisfação da execução, uma vez que o bloqueio
de valores disponíveis em conta bancária está de acordo com a
ordem legal prevista no art. 655 do CPC.
• Informativo475/STJ: no REsp 1. 040.529/PR, a 3ª Turma do STJ
destacou que o direito de exigir a reparação do dano, inclusive
moral, transmite-se com a herança nos termos dos arts. 12 e 943
do CC/2002, pois é intransmissível o direito moral em si,
personalíssimo por natureza, não o direito de ação, de cunho
patrimonial. Dessa forma, concluiu que, assim como o espólio e os
herdeiros têm legitimidade ativa ad causam para pleitear, em ação
própria, a reparação dos danos psicológicos suportados pelo
falecido, com mais razão se deve admitir o direito dos sucessores
de receber a indenização moral requerida pelo de cujus em ação
iniciada por ele próprio.
• Informativo 475/STJ: no REsp 883.911/RS, a 4ª Turma do
STJ reafirmou a jurisprudência da Corte Especial de que há deserção
dos embargos infringentes quando o preparo se dá em momento
posterior à sua interposição, o que pôs fim à divergência interna do
STJ ao decidir que a demonstração do preparo dos embargos
infringentes é feita no ato da interposição do recurso.
• Informativo 476/STJ: no REsp 1.242.800/MS, a 2ª Turma do STJ
considerou que, para a propositura da Ação Popular, a condição de
eleitor é, tão somente, meio de prova da cidadania, essa sim
relevante para a definição da legitimidade, mostrando-se
desinfluente para tal desiderato o domicílio eleitoral do autor da
ação, ou seja, o cidadão tem legitimidade para ajuizar Ação Popular
em município diverso daquele em que tem domicílio eleitoral.
• Informativo 476/STJ: no REsp 960.280/RS, a 3ª Turma do
STJ entendeu que, no atual panorama jurídico e tecnológico, é
imprescindível atribuir confiabilidade às informações processuais
que sã o prestadas pelas páginas oficiais dos tribunais. Salientou,
ainda, que as informações veiculadas pelos tribunais em suas
páginas da Internet, após o advento da Lei n. 11.419/2006, devem
ser consideradas oficiais de tal sorte que eventual equívoco ou
omissão não podem ocorrer em prejuízo da parte.
• Informativo 476/STJ: no REsp 888.417/GO, a 4ª Turma do STJ
considerou que não se pode falar em contrato verbal firmado com a
Administração Pública, uma vez que, pela natureza da relação
jurídica, é inadmissível referida pactuação, não podendo, daí,
exsurgir direitos. Com isso concluiu que, não tendo relevância
jurídica o contrato verbal de locação supostamente firmado entre
particular e uma autarquia, haveria mera detenção do imóvel
público mostrando-se adequado o ajuizamento de ação de
reintegração de posse, em face do esbulho possessório praticado
pelo particular.

• Informativo 477/STJ: no REsp 930.875/MT e REsp 1.087.471/MT, a


3ª Turma do STJ discutiu a eficácia da cláusula de eleição de foro
estabelecida em contrato de franquia e, consequentemente, a
questão de qual foro seria competente para processar e julgar ação
cautelar preparatória de futura ação principal de indenização por
perdas e danos decorrentes do mesmo contrato. Nesse cenário, a
Turma concluiu que o CDC não se aplica entre o franqueado e o
franqueador e, mesmo que fosse possível reconhecer as regras
consumeristas na hipótese dos autos, não se afastaria o foro de
eleição, visto que isso só ocorre para o CDC quando configurada a
dificuldade para o exercício da ampla defesa ou a abusividade
estipulada no contrato.
• Informativo 477/STJ: no REsp 1.159.807/ES, a 3ª Turma do STJ
decidiu que, se o pedido de penhora online foi requerido antes da
vigência Lei nº11.832/06, que inseriu o art. 655-A no CPC, entende-
se que tal medida é cabível apenas quando o exequente comprovar
que exauriu as vias extrajudiciais de busca dos bens do executado;
porém, se o pedido for realizado após a vigência daquela lei, a
orientação é no sentido de que, para a penhora, não se exige mais
a comprovação de esgotamento das vias extrajudiciais de busca de
bens.
• Informativo 477/STJ: no REsp 901.782/RS, a 4ª Turma do STJ
pontuou que, em juízo, a cooperativa não pode litigar em nome
próprio na defesa de direito de seus associados (substituição
processual), pois constata-se inexistir lei que preveja tal atuação,
mesmo que se utilize da interpretação sistêmica entre o art. 83 e os
demais dispositivos da Lei n. 5.764/1971.
• Informativo 477/STJ: no REsp 1.163.114/MG, a 4ª Turma do STJ
asseverou ser inaplicável a Súm. n. 375-STJ, que diz que o&
nbsp;reconhecimento da fraude à execução depende do registro da
penhora do bem alienado ou da prova de má-fé do terceiro
adquirente, na hipótese em que o imóvel penhorado foi doado aos
filhos dos executados quando eles ainda eram menores, ainda que
não tenha havido o registro do gravame, reduzindo os devedores
(os pais) à insolvência.
• Informativo 477/STJ: no REsp 1.163.114/MG, a 4ª Turma do STJ
asseverou ser inaplicável a Súm. n. 375-STJ, que diz que
o reconhecimento da fraude à execução depende do registro da
penhora do bem alienado ou da prova de má-fé do terceiro
adquirente, na hipótese em que o imóvel penhorado foi doado aos
filhos dos executados quando eles ainda eram menores, ainda que
não tenha havido o registro do gravame, reduzindo os devedores
(os pais) à insolvência.
• Informativo 478/STJ: no CC 114.593/SP, a 3ª Seção do STJ entendeu
competir ao juízo que proferiu a decisão supostamente viciada
processar e julgar a ação declaratória de nulidade ("querela
nullitatis").
• Informativo 478/STJ: no REsp 1.061.759/RS, a 3ª Turma do STJ
destacou que, conforme precedente da Corte em recurso repetitivo,
a exceção de pré-executividade é cabível se a matéria for suscetível
ao conhecimento de ofício pelo juízo e não houver necessidade de
dilação probatória para sua solução; daí a exceção não comportar a
alegação de excesso de execução em razão da necessária incursão
na prova, salvo quando esse excesso é evidente. Com efeito, a
Turma deduziu que só há justificativa para a exceção se ela puder
evitar a constrição indevida dos bens, pois se já realizada a
penhora, com a consequente oposição de embargos à execução,
vê-se prejudicada a exceção por perda do objeto, haja vista que, se
não foi evitada a constrição, restam os embargos em que se
deduzirá toda a matéria de defesa, esvaziando-se por completo a
exceção.
• Informativi 478/STJ: no REsp 1.126.639/SE, a 4ª Turma do STJ
entendeu que, mesmo caracterizada a conexão, a reunião dos
processos não constitui dever do magistrado, mas sim faculdade,
na medida em que a ele cabe gerenciar a marcha processual,
deliberando pela conveniência de processamento simultâneo das
ações à luz dos objetivos da conexão e, caso não entenda oportuno,
poderá determinar que sejam apreciadas em separado, sem que
essa decisão possa ser inquinada de nulidade.
• Informativo 479/STJ: no REsp 1.092.605/SP, a 3ª Turma do STJ
asseverou que o arrematante não responde pelas despesas
condominiais anteriores à arrematação do imóvel em hasta pública
que não constaram do edital da praça, sob pena de se
comprometer a eficiência da tutela executiva e de violação dos
princípios da segurança jurídica e da proteção da confiança.
• Informativo 479/STJ: no RMS 33.155/MA, a 4ª Turma do STJ decidiu
que, numa interpretação sistemática da Lei nº 9.099/95, a
competência dos Juizados Especiais é limitada para cominar e
executar as multas coercitivas dentro do patamar de sua alçada, o
que deve ser aplicado, por analogia, à multa cominatória. Logo, o
valor executado a título de multa excedente à alçada dos Juizados
Especiais deve ser suprimido, sem que se ofenda à coisa julgada,
ou seja, os atos executórios devem abranger a obrigação principal
(até o limite de 40 salários mínimos) acrescidos de seus acessórios
posteriores ao ajuizamento da ação (juros, correção e ônus da
sucumbência), além da multa cominatória que deve ser paga até o
limite de outros 40 salários mínimos na época da execuçã o, sendo
decotado o excesso.
Supremo Tribunal Federal
• Na Rcl 11.250 AgR/RS, o Plenário decidiu que não cabe reclamação
para corrigir eventual equívoco na aplicação do regime da
repercussão geral.
• Na Rcl 10.793/SP, o Plenário decidiu que não cabe o ajuizamento de
reclamação contra decisão que, supostamente, teria afrontado
entendimento firmado pela Corte em sede de recurso extraordinário
com repercussão geral reconhecida.
• No RE 537.427/SP, o Plenário decidiu que os Juizados Especiais não
possuem competência para o julgamento de ação, promovida por
tabagista, destinada a obter indenização para tratamento de
dependência causada pelo cigarro.
• No RE 607.520/MG, o Plenário, em Repercussão Geral, decidiu que
compete à justiça comum estadual processar e julgar ações de
cobrança de honorários advocatícios arbitrados em favor de
defensor dativo.
• No RE 363.889/DF, o Plenário, em Repercussão Geral, flexibilizou a
coisa julgada formada em ação de investigação de paternidade,
tendo em vista a busca da verdade real, com o surgimento do
exame de DNA, e o princípio da dignidade da pessoa humana.
• No AI 838.930 AgR/CE, a Primeira Turma decidiu que a menção
expressa ao dispositivo constitucional que autoriza a interposição
do recurso extraordinário revela-se essencial, sob pena de vício de
forma.
2º Semestre 2010

Superior Tribunal de Justiça


•Informativo 442/STJ: no REsp 1.080.694/RJ, a 3ª Turma do
STJ consignou que o pedido de expedição de guia de pagamento
formulado pelo devedor não suspende o prazo estabelecido pelo
art. 475-J do CPC.
•Informativo 442/STJ: no REsp 540.042/CE, a 4ª Turma do STJ
ressaltou que para o ajuizamento da medida cautelar satisfativa,
deve haver previsão expressa em nosso ordenamento jurídico, pois
se trata de medida excepcional.
•Informativo 444/STJ: no REsp 1.120.051/PA, a 3ª Turma do STJ
considerou que a decisão que converte o mandado monitório em
título executivo judicial tem natureza de sentença, pois pressupõe
uma decisão com resolução de mérito (art. 269, do CPC).
•Informativo 445/STJ: no REsp 1.107.219/SP, a 1ª Turma do STJ
ressaltou que a tutela ambiental é de natureza fungível, de modo
que a área objeto da agressão ambiental pode ser de extensão
maior do que a referida na inicial e, uma vez verificada pelo
conjunto probatório, não importa julgamento ultra ou extra petita.
•Informativo 445/STJ: no REsp 1.148.296/SP, a Corte Especial do
STJ, em regime de recurso repetitivo, consignou que a intimação da
agravada para resposta é necessária a fim de preservar o princípio
do contraditório, sendo condição de validade da decisão que causa
prejuízo à agravada. Ressaltou que apenas é dispensável tal
intimação quando se nega seguimento ao agravo de instrumento,
pois essa decisão é benéfica ao agravado.

Informativo 445/STJ: no REsp 1.112.524/DF, a Corte Especial do STJ,
em regime de recurso repetitivo, ressaltou que o tema da correção
monetária classifica-se como matéria de ordem pública e integra o
pedido de forma implícita, por isso não caracteriza julgamento extra
ou ultra petita sua inclusão ex officio no decisum feita pelo juiz ou
tribunal; pois, nessa hipótese, conforme precedentes, é prescindível
aplicar o princípio da congruência (entre o pedido e a decisão
judicial).
•Informativo 445/STJ: no EREsp 1.119.666/RS, a Corte Especial do
STJ reafirmou que a Fazenda Pública, ainda que não tenha
apresentado apelação da sentença que lhe foi desfavorável, pode
interpor recurso especial, pois não há falar em preclusão lógica.
•Informativo 445/STJ: no REsp 1.187.297/RJ, a 2ª Turma do STJ
reiterou que é imprescritível a Ação Civil Pública em que se discute
a ocorrência de dano ao erário. Assim, segundo a turma, o MP tem
legitimidade de, por meio de ACP, impugnar sentença que contenha
vício insanável e que supostamente tenha causado lesão ao
patrimônio público.
•Informativo 447/STJ: no REsp 1.112.943/MA, a Corte Especial do
STJ, em regime de recurso repetitivo, entendeu que antes da Lei nº
11.382/2006, a penhora "on line" era medida excepcional, cuja
efetivação estava condicionada à comprovação de que o credor
tivesse realizado todas as diligências no sentido de localizar bens
livres e desembaraçados do devedor. Contudo, ressaltou que, após
tal lei, o juiz não pode mais fazer tal exigência ao decidir sobre a
realização da penhora "on line".
•Informativo 447/STJ: no REsp 1.197.027/RJ, a 2ª Turma do STJ
consignou que os atos judiciais passíveis de desconstituição pela
ação anulatória, nos termos do art. 486 do CPC, são aqueles
praticados pelas partes em juízo, não os realizados por juiz ou
serventuários da Justiça.
•Informativo 447/STJ: no RHC 27.936/RJ, a 3ª Turma do STJ observou
ser pacífico o entendimento de que, para afastar a prisão civil do
devedor de alimentos prevista no art. 733, § 1º, do CPC, não basta
o adimplemento de parcela do débito executado, é necessário que
o devedor pague as últimas três parcelas anteriores ao ajuizamento
da demanda acrescida das vincendas, conforme súmula 309, do
STJ.
•Informativo 448/STJ: no AR 569/PE, a 1ª Seção do STJ decidiu,
assim como o STF, no sentido de que a existência da coisa julgada
é condição essencial para o cabimento da ação rescisória, motivo
pelo qual, ausente ou sendo nula a citação, é cabível a qualquer
tempo a ação declaratória de nulidade, em vez da ação rescisória
prevista no art. 485, do CPC. Em síntese, esclareceu-se que em vez
de ação rescisória, que exige a existência de decisão de mérito com
trânsito em julgado, a nulidade por falta de citação deve ser
suscitada por meio de ação declaratória denominada querella
nullitatis, que não possui prazo para sua propositura.
•Informativo 449/STJ: no REsp 1;141;369/MG, a 2ª Turma do STJ
salientou que a Corte já firmou a jurisprudência de que, quando a
Fazenda Pública for executada, os juros moratórios só incidem se a
verba honorária não for paga no prazo estipulado para pagamento
do precatório ou da requisição de pequeno valor.
•Informativo 450/STJ: no REsp 736.640/RS, a 4ª Turma do STJ,
analisando ação de indenização por morte decorrente de
atropelamento da vítima por caminhão de uma empresa, ressaltou
que assumindo a seguradora a condição de litisconsorte em razão
da denunciação da lide feita pela empresa proprietária do
caminhão, a responsabilidade daquela passa a ser solidária em
relação a esta, de sorte que a condenação no processo de
conhecimento forma título executivo judicial cuja execuç& atilde;o
pode ser dirigida a ambas ou a qualquer uma delas.
•Informativo 452/STJ: no REsp 1.057.562/RS, a 1ª Turma do STJ
ressaltou que a Corte já decidiu que a execução de sentença
genérica de procedência proferida em sede de ação coletiva lato
sensu (ação civil pública ou ação coletiva ordinária) exige uma
cognição exauriente e o contraditório amplo sobre a existência do
direito reconhecido na ação coletiva. Por isso, segundo a turma, não
se aplica o art. 741, inciso VI, do CPC, que proíbe suscitar questão
anterior à sentença nos embargos à execução, à execução
individual de sentença coletiva, pois é nessa oportunidade que se
pode suscitar, por exemplo, a prescrição da pretensão individual.
•Informativo 452/STJ: no REsp 1.098.242/GO, a 3ª Turma do STJ
entendeu que a execução individual de sentença condenatória
proferida em ação coletiva não segue a regra dos arts. 475-A e 575,
II, do CPC, pois as decisões de mérito no julgamento daquela ação
apresentam alto grau de generalidade, uma vez que não podem
estabelecer concretamente o direito de cada um dos substituídos
processuais; essas decisões estão limitadas a declarar, de modo
inespecífico, a obrigação de indenizar os danos causados aos
consumidores ou outros lesados, abstratamente considerados.
Portanto, segundo a turma, a referida execução demonstra ampla
dose de cognição, pois cada indivíduo deverá comprovar a
titularidade do direito cuja lesão foi reconhecida na sentença da
ação coletiva.
•Informativo 452/STJ: no REsp 1.191.544/RJ, a 3ª Turma do STJ
reafirmou que o recurso especial interposto em sede de ação
rescisória deve ater-se ao exame de eventual afronta a
pressupostos desta ação e não aos fundamentos do julgado
rescindendo. Na mesma oportunidade, a turma concluiu que o
proprietário de veículo responde, objetiva e solidariamente, pelos
atos culposos de terceiro que o conduz, independentemente de que
o motorista seja seu empregado, preposto, de que o transporte seja
gratuito ou oneroso.
•Informativo 453/STJ: no REsp 1.189.792/SP, a 2ª Turma do STJ
reafirmou a jurisprudência da Corte de que a não se exige nova
citação da Fazenda Pública para expedição de precatório
complementar em caso de depósito insuficiente, ou seja, dispensa-
se a citação prevista no art. 730, do CPC.
•Informativo 453/STJ: no REsp 1.028.503/MG, a 3ª Turma do STJ
salientou que, embora haja divergências doutrinárias e
jurisprudenciais quanto ao cabimento da ação rescisória nos casos
de sentença homologatória de acordo, a exclusividade do uso da
ação anulatória prevista no art. 486, do CPC, é impregnada de
formalismo processual, pois qualquer via é adequada para se
insurgir contra tal sentença. Destacou-se que o princípio da
fungibilidade tem plena aplicação no caso.
•Informativo 456/STJ: no REsp 1.003.305/DF, a 3ª Turma do STJ
reiterou que para a admissibilidade da ação reivindicatória é
necessária a presença dos seguintes requisitos: a prova da
titularidade do domínio do autor; a individualização da coisa; e a
posse justa.
r
•Informativo 456/STJ: no RMS 29.213/SP, a 4ª Turma do STJ
ressaltou que a responsabilidade de terceiro à lide pelo
descumprimento de ordem judicial, nos termos do art. 14, V e
parágrafo ú nico, do CPC, deve ser apurada em ação autônoma,
mostrando-se violenta a constrição de bens de quem não é parte
no processo sem que se observe o devido processo legal, o
contraditório e a ampla defesa.
•Informativo 456/STJ: no REsp 600.711/RS, a 4ª Turma do STJ
reafirmou que o Ministério Público tem legitimidade para demandar
em Ação Civil Pública que busca a declaração de nulidade de
cláusula contida em contrato padrão de instituição financeira, por
se tratar de interesse individual homogêneo de usuários do serviço
bancário (consumidores).
•Informativo 456/STJ: no REsp 903.226/SC, a 5ª Turma do STJ
enfatizou que as astreintes previstas no art. 461, § 4º, do CPC,
possuem natureza coercitiva de compelir o devedor a cumprir a
determinação judicial de obrigação de fazer ou não fazer, portanto,
não se confundem com a multa do art. 921, inciso II, do CPC, que
tem natureza sancionatória e é aplicável aos casos de nova
turbação da posse, daí ser possível a concomitância de suas
imposições.
•Informativo 458/STJ: no EREsp 740.530/RJ, a Corte Especial do STJ
entendeu que a lei que rege a interposição do recurso é a vigente à
época da publicação da decisão que se quer combater e não a data
da sessão de julgamento em que o presidente anunciou o resultado.
•Informativo 458/STJ: no REsp 1.098.804/RJ, a 3ª Turma do STJ
reconheceu, preliminarmente, a legitimidade da comissão de
defesa do consumidor de assembleia legislativa estadual para
ajuizar ação civil pública (ACP) em defesa dos interesses e direitos
individuais homogêneos do consumidor.
•Informativo 459/STJ: no REsp 1.142.630/PR, a 5ª Turma do STJ
entendeu que, para fins de legitimidade do Ministério Público para a
Ação Civil Pública quando se tratar de interesses individuais
homogêneos, ainda que disponíveis, o que deve ser observado é a
presença do relevante interesse social de que se reveste o direito a
ser tutelado.
Supremo Tribunal Federal
•Na AR 2.183 ED/SC, o Plenário fixou o entendimento de que a
propositura de ação rescisória exige a juntada de instrumento de
mandato original assinado pelo outorgante, mesmo que a
procuração concernente à ação subjacente confira poderes
específicos para a rescisória.
•No MS 28.996 AgR/PE e outros, o Plenário decidiu que é incabível a
interposição de recurso contra ato judicial de Ministro do Supremo
que aplica a sistemática da repercussão geral, em razão da
inexistência de conteúdo decisório.
•No RE 621.473/DF, a Primeira Turma asseverou que o art. 515, §3º,
do CPC (Teoria da Causa Madura) não se aplica em sede de
Mandado de Segurança.

1º Semestre 2010
Superior Tribunal de Justiça
• Informativo 422/STJ: no REsp 1.078.342/PR, a 1ª Turma do STJ
salientou a jurisprudência da Corte no sentido de que a imposição
de multa decorrente de contrato administrativo, ainda que
precedido de licitação, não & eacute; ato de autoridade, mas ato de
gestão, contra o qual não cabe mandado de segurança, o que é
confirmado pelo art. 1º, § 2º, da Lei 12.016/2009 (Lei do MS).
• Informativo 422/STJ: no RMS 29.729/DF, a 2ª Turma do STJ entendeu
que não descaracteriza a litispendência a circunstância de o polo
passivo do MS ser ocupado pela autoridade indicada como coatora
e, na ação ordinária, figure como réu a própria pessoa jurídica de
direito público à qual pertence o impetrado no writ.
• Informativo 423/STJ: no REsp 1.136.370/RS, a 3ª Turma do STJ
considerou que, em relação ao cumprimento de sentença, não é
necessário intimar o devedor para iniciar a contagem dos 15 dias
para pagamento, pois o prazo flui do trânsito em julgado da
sentença da qual o devedor já foi intimado na pessoa de seu
advogado quando de sua publicação.
• Informativo 424/STJ: no EREsp 1.056. 295/RJ, a Corte Especial do
STJ explicou que a jurisprudência da Corte é pacífica no sentido de
que, não só a procuração, mas também a cópia da cadeia de
substabelecimentos constituem peças indispensáveis para a
formação do agravo, em razão da necessidade de se aferir a
regularidade da representação processual.
• Informativo 434/STJ: No REsp 1.186.726/MG, a 2ª Turma do STJ
salientou que a Corte modificou seu entendimento para considerar
que, a partir da sentença concessiva do Mandado de Seguranç a,
também para a Fazenda Pública estadual e municipal o prazo
recursal somente começa a fluir da intimação pessoal da pessoa
jurídica a quem está vinculada a autoridade impetrada, e não da
simples publicação da decisão, assim como vinha entendendo em
relação à União e à Fazenda Nacional.
• Informativo 435/STJ: no REsp 1.117.639/MG, a 3ª Turma do STJ
entendeu que o acordo extrajudicial de alimentos referendado pela
Defensoria Pública permite a execução sob o rito do art. 733, do
CPC, ou seja, com a possibilidade de prisão civil do devedor.
Explicou que, à época em que o CPC entrou em vigência a única
forma de constituir obrigação alimentícia era por título executivo
judicial, mas a obrigação alimentar e a urgência de quem a
necessita não podem mudar com a espécie de título executivo
(judicial ou extrajudicial), devendo o bem jurídico tutelado com a
coerção pessoal se sobrepor ao direito de liberdade do alimentante
inadimplente.
• Informativo 425/STJ: No MS 14.819/DF, a Corte Especial do STJ
reiterou seu entendimento de que não cabe Mandado de Segurança
contra decisão do Vice-Presidente da Corte no exercício do juízo de
admissibilidade de Recurso Extraordinário.
• Informativo 425/STJ: No REsp 1.149.416/RS, a 1ª Turma do STJ
esclareceu que é indisponível o interesse público e não o mero
interesse da Administração, sendo que neste último caso não é
necessária a intervenção do Ministério Público como "custus legis",
máxime porque a entidade pública empreende sua defesa
mediante corpo próprio de profissionais da advocacia. Assim,
concluiu que o interesse público justificador da intervenção do MP,
conforme art. 82, inciso III, do CPC, não se confunde com o
interesse patrimonial da Fazenda Pública ou a mera presença de
pessoa jurídica de direito público na demanda.
• Informativo 425/STJ: No REsp 714.969/MS, a 4ª Turma do STJ
considerou que a presunção relativa decorrente da recusa ao
exame de DNA somente se aplica ao pretenso genitor, mas não ao
descendente, por ser um direito personalíssimo e indisponível.
• Informativo 426/STJ: No AgRg no Ag 1.223.072/SP, a 2ª Turma do
STJ entendeu que a decisão do Presidente do Tribunal "a quo" que
determina o sobrestamento do REsp em recurso representativo de
controvérsia (art. 543-C, do CPC), não tem caráter decisório,
portanto, o agravo de instrumento não é adequado para impugná-
la.
• Informativo 426/STJ: No REsp 615.201/SP, a 4ª Turma do STJ
considerou que as razões dos embargos infringentes devem se
limitar ao teor da divergência, mas, acaso ultrapassado tal limite,
tal fato não deve conduzir ao não conhecimento total do recurso,
mas tão somente à parte que ultrapassa os termos do voto vencido.
• Informativo 427/STJ: No MS 14.666/DF, a Corte Especial do STJ
registrou que não é cabível utilizar o Mandado de Seguança contra
decisão de & oacute;rgão colegiado fracionário, sendo que o STF
tem o mesmo entendimento.
• Informativo 427/STJ: No EREsp 765.105/TO, a Corte Especial do STJ
entendeu que a superveniência da sentença de procedência do
pedido não torna prejudicado o recurso interposto contra a decisão
que deferiu a antecipação dos efeitos da tutela, pois a aludida
tutela não antecipa simplesmente a sentença de mérito, mas
antecipa a própria execução dessa sentença que, por si só, não
produziria os efeitos que irradiam da tutela antecipada.
• Informativo 427/STJ: no REsp 1.115.370/SP, a 1ª Turma do STJ
considerou que o prazo de 30 dias para ajuizamento da ação
principal, uma vez concedida liminar em ação cautelar, deve ser
contado a partir da efetivação do primeiro ato constritivo, e não do
momento em que se completariam todas as constrições
determinadas na decisão liminar.
• Informativo 427/STJ: No REsp 1.162.074/MG, a 2ª Turma do STJ
entendeu que o MP tem plena legitimidade para proceder à
execução das sentenças condenatórias de Ações Civis Públicas
movidas em defesa do patrimônio público, pois não há como
conceber o sistema de outorga de atribuições e competências
desacompanhado de meios h& aacute;beis à consecução de seus
objetivos, senão estar-se-ia a esvaziar concretamente a função
institucional do MP de resguardar o patrimônio público.
• Informativo 427/STJ: No REsp 886.084/MS, a 4ª Turma do STJ
quando a seguradora assume a condição de litisconsorte junto com
o segurado denunciante no processo de conhecimento, a obrigação
decorrente da sentença condenatória passa a ser solidária em
relação ao segurado e a ela.
• Informativo 431/STJ: Na MC 15.726/SP, a 1ª Turma do STJ ressaltou
que é entendimento sedimentado da Corte que a concessão de
efeito suspensivo a REsp é de excepcionalidade absoluta,
dependente de: a) instauração da jurisdição cautelar do STJ; b)&
nbsp;viabilidade recursal pelo atendimento de pressupostos
recursais específicos e genéricos; c) não incidência de óbices
sumulares e regimentais; d) bem como plausibilidade da pretensão
recursal formulada contra eventual "error in judicando" ou "error in
procedendo". Consignou a turma, ainda, que a soma desses
requisitos consubstancia a aparência do bom direito da requerente
da medida cautelar originária, que deve estar associada ao perigo
na demora que ocasione dano irreparável ou de difícil reparação.
• Informativo 428/STJ: No REsp 1.164.017/PI, a 1ª Seção do STJ, em
regime de recurso repetitivo, reafirmou que as câmaras de
vereadores não possuem personalidade jurídica, mas apenas
personalidade judiciária, portanto, só podem demandar em juízo
para defender seus direitos institucionais, ou seja, aqueles relativos
ao seu funcionamento, autonomia e independência.
• Informativo 429/STJ: No EREsp 701.306/RS, a Corte Especial do STJ
reiterou que as sentenças ilíquidas proferidas contra a União,
Distrito Federal, estados, municípios e suas respectivas autarquias
e fundações de direito público estão sujeitas ao reexame necessário
(duplo grau de jurisdição), não incidindo sobre ela a exceção
prevista no § 2º do art. 475 do CPC.
• Informativo 429/STJ: No REsp 940.274/MS, a Corte Especial do STJ
decidiu, por maioria, que a intimação do devedor para o
cumprimento de sentença deve ser feita na pessoa de seu
advogado, após o trânsito em julgado e eventual baixa dos autos
ao juízo de origem com a aposiçã o do "cumpra-se", pois só após
este despacho se iniciaria o prazo de quinze dias para a imposição
da multa em caso de não pagamento espontâneo, tal como previsto
no art. 475-J, do CPC.
• Informativo 429/STJ: No REsp 1.174.137/PR, a 1ª Turma do STJ
consignou que a desistência da ação pelo autor, após o
oferecimento da resposta do réu, depende do consentimento deste,
mas, se o réu discordar da desistência, sua oposição deve ser
fundamentada e justificada, sob pena de configurar abuso de seu
direito.
• Informativo 429/STJ: No REsp 1.009.293/SP, a 3ª Turma do STJ
entendeu que no cumprimento de sentença voltado contra réu
revel citado fictamente (por edital ou com hora certa), a incidência
da multa prevista no art. 475-J, do CPC, depende da sua prévia
intimação (pessoal), nos termos do art. 238 e seguintes do CPC.
• Informativo 429/STJ: No REsp 747.371/DF, a 5ª Turma do STJ
asseverou que a jurisprudência da Corte permite a imposição de
multa diária à Fazenda Pública na execução imediata, mas a sua
extensão ao agente público não é admissível, mesmo diante da
necessidade de dar maior efetividade à ordem judicial
mandamental. A turma explicou que, no caso, os agentes públicos
não foram partes na execução e atuaram no MS como substitutos
processuais, não exercendo, em nome próprio, o contraditório e a
ampla defesa, além do que o art. 461, § 4º, do CPC, impõe a multa
diária apenas ao réu, no caso, a Fazenda Pública.
• Informativo 430/STJ: No REsp 1.117.144/RS, a 6ª Turma do STJ
considerou que a decisão que acolhe a preliminar de falta de
interesse de agir e extingue o processo apenas quanto a um dos
pedidos do autor tem teor interlocutório, e não natureza de
sentença, portanto, enseja a interposição de agravo de
instrumento, e não de apelação.
• Informativo 430/STJ: No AgRg no REsp 1.070.896/SC, a 2ª Seção do
STJ anotou que apesar de a ação civil pública e a ação popular
estarem dentro do sistema dos direitos coletivos, nesse
microssistema, como não há previsão do prazo prescricional para a
propositura da ação civil pública, é inafastável a incidência da
analogia legis, aplicando-se, assim, o prazo de cinco anos da Lei de
Ação Popular.
• Informativo 430/STJ: No REsp 1.013.777/ES, a 3ª Turma do STJ
entendeu que a multa prevista no art. 14, inciso V, e parágrafo
único, do CPC, conhecida por "contempt of court", é extensiva a
qualquer pessoa que atente contra o exercício da jurisdição, ou
seja, a sanção é aplicável não só às partes e às testemunhas, mas
também aos peritos e especialistas que deixem de apresentar
parecer ou avaliação.
• Informativo 430/STJ: No REsp 1.117.144/RS, a 6ª Turma do STJ
considerou que o a decisão que acolhe a preliminar de falta de
interesse de agir e extingue o processo apenas quanto a um dos
pedidos do autor tem teor interlocut& oacute;rio, e não natureza de
sentença, portanto, enseja a interposição de agravo de
instrumento, e não de apelação.
• Informativo 432/STJ: No REsp 945.439/PR, a 1ª Turma do STJ
reafirmou que, em processo cautelar, o prazo para a propositura da
ação principal será contado do primeiro ato constritivo determinado
em medida liminar, e não do momento em que se completaram
todas as constrições.
• Informativo 433/STJ: No REsp 622.898/SC, a 4ª Turma do STJ
salientou que é possível a oposição de embargos de terceiro, por
parte do credor fiduciário, para a defesa de bens alienados
fiduciariamente que sofrem constrições judiciais.
• Informativo 437/STJ: no REsp 1.111.117/PR, a Corte Especial, em
regime de recurso repetitivo, destacou que os juros de mora são
consectários legais da obrigação principal, pelo que devem ser
regulados pela lei vigente à época de sua incidência. Com efeito,
havendo superveniência de outra norma, o título judicial (no caso,
sentença) a ela se adéqua, sem que isso implique em violação da
coisa julgada. Por tal razão, entendeu que não viola a coisa julgada
a decisão do tribunal de origem que considerou possível a fixação,
em execução de sentença, do percentual de 12% ao ano previsto
no novo Código Civil, em substituição aos 6% ao ano determinado
na sentença exequenda quando ainda em vigor o CC/1916.
• Informativo 437/STJ: no REsp 1.103.566/PR, a 1ª Turma do STJ
entendeu que a prolação de sentença na ação originária revela a
superveniente perda do objeto do Recurso Especial contra a decisão
proferida em agravo de instrumento.
• Informativo 437/STJ: no REsp 1.120.302/RS, a 3ª Turma do STJ
explicou que a expressão "fatos supervenientes", descrita no art.
303, I, do CPC, refere-se a acontecimentos posteriores à sentença e
que, por isso, não puderam ser alegados em primeiro grau,
podendo, pois, ser alegados em apelação, bem como que a
expressão "fatos novos" refere-se àqueles que já haviam
acontecido antes da sentença, mas que a parte não quis ou não
pôde alegá-los por não os conhecer ou por força maior. Neste
último caso, os fatos só podem ser arquidos em apelação se a parte
provar que deixou de fazê-lo por motivo de força maior, sendo que,
tanto os fatos supervenientes quando os fato novos não se
confundem no que se refere à vedação da modificação da causa de
pedir, pois o autor deve descrever na petição inicial quais são os
fatos que dão suporte jurídico ao seu pedido, conforme a Teoria da
Substanciação.
• Informativo 437/STJ: no REsp 829.980/SP, a 3ª Turma do STJ
entendeu que a penhora de imóvel não precisa ser registrada para
outorgar o direito de preferência ao credor que a promove, pois o
registro da constrição ou a sua averbação no Registro de Imóveis é
ato acessório com o objetivo de dar publicidade da penhora e gerar
conhecimento em relação a terceiros, considerando-se perfeita e
acabada desde a expedição do respectivo termo.
• Informativo 437/STJ: no REsp 753.384/DF, a 4ª Turma do STJ
entendeu que, nos termos do art. 659, § 4º, do CPC, era exigível a
inscrição, hoje averbação, da penhora no Registro de Imóveis para
que esta passasse a ter efeito "erga omnes" e fosse eficaz para
impedir a venda a terceiros em fraude à execução. Acrescentou
que, inexistindo registro da penhora sobre o bem alienado a
terceiro, incumbia à exequente fazer prova de que o terceiro tinha
conhecimento da ação ou da constrição judicial agindo, assim, de
má-fé, conforme súmula 375/STJ.

Informativo 441/STJ: no REsp 905.771/CE, a Corte Especial do STJ a
Fazenda Pública, mesmo que não tenha apresentado recurso de
apelação, pode interpor recurso especial (ou recurso extraordinário)
contra acórdão que, julgando reexame necessário, manteve a
sentença de primeiro grau contrária aos seus interesses, pois sua
omissão inicial não configura preclusão lógica para futuros recursos.
• Informativo 441/STJ: no EREsp 616.918/MG, a Corte Especial do STJ
entendeu que os embargos de divergência foram providos de
acordo com a orientação do acórdão paradigma de que, havendo a
rejeição do pedido principal e o acolhimento de outro subsidiário,
estará configurada a mútua sucumbência, podendo ainda o juiz, no
caso concreto e com respaldo na equidade, atribuir os ônus de
sucumbência integralmente ao réu, quando reconhecer a
sucumbência mínima do autor naqueles casos em que há parcial
equivalência entre os pedidos principal e subsidiário.
• Informativo 441/STJ: no EREsp 603.137/MG, a Corte Especial do STJ
considerou que é ônus da pessoa jurídica comprovar os requisitos
para a obtenção do benefício da assistência judiciária gratuita, ou
seja, não basta alegar insuficiência de recursos para a obtenção da
gratuidade da justiça, como também é irrelevante apurar a
finalidade lucrativa da sociedade empresária.
Supremo Tribunal Federal
• Na AR 2.239 ED/SC, o Plenário do STF definiu que para cada
categoria de processo é necessária a outorga de uma nova
procuração.