Você está na página 1de 12

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

CONCRETO PERMEÁVEL A PARTIR DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

N.C. Rubim¹, W.S. Silveira¹, C.D. Silva¹, S.F. Almeida¹, C.B. Fonseca²

Unileste Mg¹, Colégio Padre de Man².

Avenida Jucelino Kubitschek, 21, Funcionários, Timóteo MG. 35180-410.

RESUMO

Com o crescimento elevado da população no Brasil e no mundo, têm-se observado

um demasiado crescimento no que tange á construção civil e seus

desenvolvimentos. Em consequência disso surge um grave problema relacionado ao

descarte dos chamados resíduos de construção e demolição (RCD), além do

enorme gasto dos recursos naturais. Estes resíduos quase sempre são descartados

em lixões, encostas, lotes vagos e outros lugares impróprios ocasionando criadouros

de animais como ratos, escorpiões e mosquitos que causam grandes danos à

população. Ações sustentáveis, como a reutilização desses resíduos, se fazem

necessária, pois, além de contribuir com a limpeza da cidade poupa os rios,

represas, terrenos baldios, o esgotamento sanitário, aliviam o impacto nos aterros

sanitários e lixões e até ameniza alagamentos e enchentes, uma vez que, não vai

parar em bueiros e não impermeabiliza o solo. A proposta deste trabalho relaciona a

análise de qualidade da reutilização dos RCD na confecção de concretos

permeáveis substituindo totalmente o agregado graúdo utilizado. Assim,

primeiramente foi realizado em ensaio granulométrico, NBR 7217, para

conhecimento da classificação do agregado e partir de um traço referencia foi

confeccionados os corpos de prova para realização do ensaio de compressão axial

simples, NBR 5739, com 7, 14, 21 e 28 dias comparando assim a resistência para

cada idade com o concreto confeccionado tradicionalmente, somente com brita.

Palavras Chave: concreto, resíduos, construção, demolição, reciclagem.

10209

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

INTRODUÇÃO

Com o crescimento elevado da população no Brasil e no mundo, têm-se observado um demasiado crescimento no que tange a construção civil e seus desenvolvimentos. É notório que a cada dia cresce a necessidade de moradias, prédios comerciais e indústrias por todo o globo. Em consequência disso surge um grave problema relacionado ao descarte de materiais provenientes da indústria e construção civil, além do enorme gasto com materiais construtivos e superfaturamento das obras.

Os maiores responsáveis pela geração dos resíduos de construção e demolição (RCD) são as empresas privadas de construção. Juntamente com o poder público, elas devem desenvolver projetos de gerenciamento, por exemplo, triagem em canteiros de obras, criando uma rede de coleta e destinação, utilizando transportes cadastrados e áreas licenciadas para manejo e reciclagem.

Um dos grandes problemas gerados pelo RC é a falta de espaço disponível para deposita-lo, sendo que 50% dos resíduos sólidos do Brasil são gerados em grandes cidades de médio e grande porte. Isso ocorre devido a falta de gerenciamento nos locais disponíveis e a grande disponibilidade de terrenos vazios e aterros clandestinos.

Outro fator que sobressai são os problemas ambientais gerados devido à extração de recursos naturais e em alguns casos a contaminação do solo que poderia ser evitado reutilizando e/ou reciclando o entulho gerado.

Com soluções práticas e inovadoras, é preciso reinventar as tecnologias construtivas e tornar os problemas parte das soluções. Pra isso, é necessário verificar se há possibilidade de redução e posterior reutilização dos resíduos gerados, na obtenção de materiais novos, após reciclagem. Isso trará sustentabilidade às construções civis, além de vasta economia. É válido ressaltar que tais materiais criados com reciclagem de resíduos devem ter qualidade necessária para que não comprometa a estrutura. E é exatamente esta a proposta deste trabalho, relacionar esta análise de qualidade na reutilização de resíduos ao material de maior uso no país, o concreto.

10210

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

MATERIAIS E MÉTODOS

Na realização do procedimento experimental deste trabalho, foram utilizados materiais convencionais como cimento, água e brita, além do RCD para confecção de um concreto permeável com substituição total de agregado graúdo, brita, pelo resíduo de construção e demolição.

Instrumentos

Para confecção do concreto permeável foi necessário à utilização de colher, concha, pá, carrinho para manuseio do concreto, balança digital para pesagem até 60 quilos, prensa hidráulica com capacidade de 100 toneladas usada para o ensaio de resistência a compressão. Formas metálicas cilíndricas (10 cm x 20 cm) para moldagem dos corpos de prova de concreto, peneira vibratória, resíduos de construção e demolição, RCD.

O Cimento

Para a fabricação dos corpos de prova foi utilizado o Cimento Portland CP II_ E_ 40, com adição de escóriano teor que varia de 6% a 34% em massa. Segundo o site ECivil a escória adicionada é a escória granulada de alto forno o que adiciona ao concreto um baixo calor de hidratação, recomendado para confecção de grandes quantidades de concreto.

Água

A água utilizada foi proveniente da rede de abastecimento do município de Coronel Fabriciano - MG.

Resíduos de construção e demolição (RCD)

Os resíduos de construção e demolição utilizados foram retirados em uma construtora da região obtendo granulometria variada necessitando assim passarem por uma etapa de trituramento como mostrado na figura 1 abaixo.

10211

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil Figura 1 - Trituramento

Figura 1 - Trituramento manual dos resíduos Fonte: Autoras, 2016.

Processamento do RCD

O RCC na sua forma original se apresenta em tamanhos diversos (Figura 2). Para se adequar as características de um agregado exigidas pela norma, o mesmo necessita ser triturado, dessa forma se adequando à granulometria do agregado necessário à confecção do concreto.

à granulometria do agregado necessário à confecção do concreto. Figura 2 – RCD Fonte: Autoras, 2016.

Figura 2 RCD Fonte: Autoras, 2016.

10212

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

A NBR 7211 (2009) determina as características para se receber e produzir os

agregados, miúdos e graúdos, que existem em forma fragmentada ou são obtidos pela da britagem de rochas. Assim, é considerado agregado graúdo brita de origem da britagem de rochas estáveis, os quais devem passar pela peneira 50 mm e ficar retidos na peneira de 30mm.

Em laboratório o material foi selecionado, limpo e quebrado com uma marreta para chegar o mais próximo possível da granulometria de agregados graúdos com classificação 2, como mostra figura 3, que segundo Sbrighi, o material com essa granulometria é próprio para fabricação de concretos que necessita de uma maior resistência, para concreto bruto, pisos de maior espessura dentre outros.

para concreto bruto, pisos de maior espessura dentre outros. Figura 3 - RCD depois do beneficiamento

Figura 3 - RCD depois do beneficiamento Fonte: Autoras, 2016.

O ensaio granulométrico seguiu a NBR 7217, utilizando a série de peneiras, em

milímetros, 50 38- 31,5 25- 19, os resíduos retidos na peneira 31,5mm foram utilizados devido sua classificação 2. Para este procedimento foi utilizado o processo de peneiramento sob agitação em uma estrutura vibratória com o objetivo de agitar o material e forçar sua passagem pela peneira, como mostrado na Figura 4.

10213

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil Figura 4 - Agitador

Figura 4 - Agitador de peneiras Fonte: Autoras, 2016.

Procedimentos

Foi confeccionado um total de 12 corpos de prova seguindo a NBR 5738, para ensaio nas idades de 7 - 14 - 21 e 28 dias. O traço utilizado 1:4,11:0,55, onde se tem, uma parte de cimento para 4,11 partes de agregado graúdo e 0,55 de relação água cimento foi executado de acordo com pesquisas sobre o tipo de concreto. A mistura do concreto foi feita em betoneira disponível no laboratório da instituição. Os materiais foram pesados e colocados na betoneira previamente umedecida na ordem, água, agregado graúdo, cimento e o restante da água, após a mistura, já com as fôrmas preparadas com desmoldaste, o concreto foi adicionado como descrito na NBR 5738 e colocado na câmera úmida para cura, como mostras as figuras 5,6 e 7 abaixo.

10214

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil Figura 5 - Concreto

Figura 5 - Concreto sendo misturado na betoneira Fonte: Autoras, 2016.

5 - Concreto sendo misturado na betoneira Fonte: Autoras, 2016. Figura 6: Corpos de Prova Fonte:

Figura 6: Corpos de Prova Fonte: Autoras, 2016.

10215

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil Figura 7 - Corpos

Figura 7 - Corpos de prova na câmara Fonte: Autoras, 2016.

RESULTADOS

Em laboratório, após o procedimento de cura dos corpos de prova, foram feitos os ensaios de compressão e de permeabilidade.

Ensaio de compressão

Antes de iniciar o ensaio foram limpas e secas as faces dos pratos e do corpo de prova para ser colocado em posição de ensaio, (figura 8) centralizando no prato interior observando sentido da moldagem, logo após, aplicou-se o carregamento contínuo e sem choques durante todo o ensaio com velocidade de carregamento de (0,45+-0,15) Mpa/s. A máquina foi desligada quando houve uma queda de força indicando assim a ruptura.

10216

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil Figura 8 – Ensaio

Figura 8 Ensaio de compressão Fonte: Autoras, 2016.

Com realização do ensaio de compressão foram obtidos os seguintes resultados demonstrados na tabela I e no gráfico 1:

Tabela I Resultados do ensaio de compressão feitos com brita RCD

Resultados do ensaio de compressão

Idade

Resistência (Mpa) Brita

Resistência (Mpa) RCD

7 dias

07,78

01,45

14

dias

07,80

01,60

21

dias

11,01

01,65

28

dias

14,36

01,35

Fonte: Autoras, 2016.

10217

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil Gráfico 1 – Resistência

Gráfico 1 Resistência (Mpa) Brita x Resistência (Mpa) RCD Fonte: Autoras, 2016.

Ensaio de permeabilidade

Foi realizado o ensaio despejando 2L de água e cronometrado o tempo de passagem de água num bloco de concreto permeável de 40 x 40 cm, achando assim uma vazão de 170ml/s como mostra a figura 9.

achando assim uma vazão de 170ml/s como mostra a figura 9. Figura 9: Vaz ão d’água

Figura 9: Vazão d’água no concreto permeável Fonte: Autoras, 2016.

10218

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

CONCLUSÃO

Após a realização do ensaio de compressão pode-se perceber que os corpos de prova com agregados de resíduos tiveram baixa resistência o que provavelmente se deve a uma maior absorção de água pelo resíduo e sua granulometria não estar perfeitamente dentro da norma. Já no ensaio de permeabilidade foi atingido o objetivo, como se pode perceber que a água tem grande vazão através da placa de concreto confeccionada. Diante o exposto existe sim a possibilidade da utilização do RCD na confecção de concretos permeáveis, para isso se faz necessário testar vários traços, adicionar aditivos ou até utilizar cimentos especiais para que se chegue a um resultado de resistência a compressão também favorável atingindo assim um elo entre a preservação do ambiente e um maior custo benefício.

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 5738 Concreto

Procedimento para moldagem e cura de corpos-de-prova. Rio de Janeiro: ABNT,

2008.

NBR 7211 Agregado para concreto. Rio de Janeiro: ABNT, 2009.

NBR 7217 Agregados Determinação da composição granulométrica. Rio de Janeiro: ABNT, 1987.

ECIVIL. Aglomerantes Hidráulicos.

<http://www.ecivilnet.com/artigos/aglomerantes_hidraulicos.htm>. Acesso em: 3 jan

2016.

Disponível em:

Sbrighi, Claúdio (2012) Para cada tipo de concreto, um tipo de brita. Santa Catarina SC. Disponível em:< http://www.cimentoitambe.com.br/para-cada-tipo-de- concreto-um-tipo-de-brita/>. Acesso em: 2 dez 2015.

10219

22º CBECiMat - Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais 06 a 10 de Novembro de 2016, Natal, RN, Brasil

CONCRETE PERMEABLE AS OF RESIDUES CONSTRUCTION AND DEMOLITION

ABSTRACT

With the high population growth in Brazil and the world, we have seen a growth too in

relation to construction and its developments. As a result there arises a serious

problem related to the disposal of so-called waste from construction and demolition

(RCD), and the huge expense of natural resources. This waste is often disposed of in

landfills, slopes, vacant lots and other inappropriate places causing breeding animals

such as rats, scorpions and mosquitoes that cause great damage to the population.

Sustainable actions, such as the reuse of the waste, are made necessary because,

besides contributing to the city's cleaning saves rivers, dams, wastelands, the

sanitation, mitigate the impact on landfills and dumpsites and even alleviates flooding

and flooding since it will not stop in manholes and not the soil impermeable. The

purpose of this work relates the quality of analysis of the reuse of RCD in the

manufacture of permeable concrete replacing fully the coarse aggregate used. So,

was first held in particle size test, NBR 7217, for information of aggregate

classification and from a reference trace was made the specimens to perform the

simple axial compression test, NBR 5739, with 7, 14, 21 and 28 days like comparing

the resistance for each age with concrete made traditionally only with gravel.

Keywords: concrete, waste, construction, demolition, recycling.

10220