Você está na página 1de 3

Relatório de Acompanhamento da Obra do Bairro Quinhões da Boa

Esperança
VISITA dia 06 de abril às 9h.
Creche do Bairro Quinhões da Boa Esperança
Trata-se de Convênio firmado em 2011;
O acesso para a Unidade em Construção ainda não fora definido;
Fora executada 78% da obra até o presente momento;
A obra fora paralisada por duas vezes;
A obra está em andamento;
A executar: Fechamento lateral, parte elétrica, vidros e pintura;
Previsão de Conclusão da Obra: 1º semestre/2018;
Entrega da Obra: Até dez/2018 para fins dos encaminhamentos necessários da Secretaria
Municipal de Educação (atribuição);
Construtora responsável: TERRUEL.

Introdução
Contextualização Histórica
Data Base da Informação: 31/12/2015

Município: Monte Mor


Exercício: 2015
Função de Governo: Educação
Órgão Contratante: Prefeitura Municipal de Monte Mor
Denominação/Destinação da Obra: Construção da EMEI do Bairro Quinhões da Boa
Esperança
Endereço da Obra: Rua José Cleuneris Giatti, S/N
PPA (previsão): sim
LDO (previsão): sim
Meta Física Anual/Atendimento da População: 240
Valor Inicial Previsto: R$ 1.317.530,24
Valor Total Contratado: R$ 2.255.049,50
Nome da Empresa Contratada: Construtora Terruel Ltda
Data de Início da Obra: 26/08/2013
V. Total dos Termos Aditivos: R$ 0,00
Reajuste/Revisão do Contrato em %: 0,00%
Nível de Execução Física: 0,729111449659974
Valor Total Pago: R$ 1.644.182,41
Data Prevista para Conclusão: 21/06/2016
Situação da Obra: Em andamento
Data do Recebimento Definitivo:
Nome do Servidor Responsável: Mario Ivo Mengon
Observações: Concorrência 04/2011

A verba da creche estava parada em Brasília desde 2011. Era necessário assinar o convênio para
não perde-la. Em maio de 2014 na inauguração da Escola Municipal Dorothea Bauer de Luccas
o prefeito manifestou sobre a inauguração da creche escola do bairro Quinhões: “Sabemos da
dificuldade que hoje os pais encontram para conseguir vagas em creche no município”, afirmou
o prefeito Thiago Assis (PMDB). De acordo com o prefeito, esta foi a inauguração da primeira de
uma sequência de outras seis creches que deverão ser entregues até o fim de 2016. “Além desta
do São Rafael, uma creche já está sendo construída no bairro Quinhões da Boa Esperança.”
Em 25 de agosto de 2014 a prefeitura anunciou em sua rede social que está sendo construída
uma unidade (Creche escola) no Quinhões da Boa Esperança, em parceria com o Governo
Federal.
Em 29 de junho de 2016 em sua rede social a prefeitura municipal faz referência à construção:
“Uma das maiores escolas já construídas em Monte Mor, a futura creche do bairro Quinhões do
Boa Esperança, está em estágio avançado. As obras de acabamento interno e externo avançam
com a colocação de ladrilhos, pisos, azulejos e pintura. A futura creche terá oito salas de aula,
bloco administrativo, de serviços, multiuso e pátio coberto. A unidade terá capacidade para
atender 120 crianças em turno integral ou 240 crianças em dois turnos. A modalidade de
atendimentos será definida pela Secretaria Municipal de Educação. A construção da creche tem
investimentos estimados em R$ 1.317.580,00, recursos 100% do Governo Federal”. Além de
afirmar em 2016 na mesma publicação que “as creches dos bairros Quinhões da Boa Esperança
e Jardim do Engenho recebem os últimos ajustes”.
No dia 02/03/2017 foi aprovado na Câmara Municipal o término das obras da creche municipal
do Quinhões da Boa Esperança, a pavimentação de ruas do mesmo bairro. Porém em
16/02/2018 (quase um ano após aprovação do prosseguimento da obra) durante a discussão
dos projetos na Câmara Municipal, alguns vereadores se manifestaram sugerindo que a empresa
licitada só inicie os trabalhos após a conclusão da obra atualmente em andamento na creche do
Quinhões do Boa Esperança. Segundo o vereador, houve demora na retomada dos trabalhos no
Quinhões, mesmo após a regularização dos repasses.
O presidente da Câmara, afirmou que o atraso nas obras do Quinhões do Boa Esperança - que é
realizada pela mesma empresa que construirá a creche do Jardim Vitória - não ocorreu por
“culpa da empresa”, mas sim pela falta de repasses do Governo Federal. Outro vereador
manifestou expectativa de que as duas obras sejam concluídas rapidamente, evitando-se
paralisações e “abandonos” como os ocorridos na creche do Quinhões.
Na semana entre 02 a 06 de abril de 2018 (semana da fiscalização do Fundeb) o prefeito esteve
no Palácio dos Bandeirantes para assinatura de convênios e afirmou que “A escola do Quinhões
do Boa Esperança está em fase de acabamento interno e deveremos entrega-la para o próximo
ano letivo”.

RELATÓRIO

O presente trabalho de fiscalização do CACS-FUNDEB é de natureza operacional e teve como


objetivo a verificação do planejamento das intervenções físicas no estabelecimento escolar do
bairro Quinhões executado pela prefeitura municipal de Monte Mor, através de empresa
executora TERRUEL, sendo realizadas medições pelo Governo Federal, tendo em vista que a
construção é um convênio federal cujo nome é Programa Creche-Escola.

Assim, esse trabalho teve por finalidade verificar o planejamento e a execução das intervenções
físicas na unidade em construção no tocante aos prazos de execução e no atendimento das
necessidades demandadas.

As análises demonstraram a falta de planejamento na escolha do local, bem como no decorrer


do projeto levando ao adiamento da finalização da obra. Dentre as questões podemos citar a
escolha de um terreno de difícil acesso levando a municipalidade a ter que escolher dentre três
opções de acesso à escola; o primeiro por uma estrada curta, estreita e tortuosa e que exigirá
da prefeitura a construção de um muro de arrimo, pois abaixo encontram-se casas de munícipes
e por ali percorrerá ônibus e outros veículos para trazer e levar alunos bem como abastecer a
referida creche; em segunda opção encontra-se à frente dois terrenos da prefeitura que são
íngremes dificultando o acesso de veículos e dificultando a acessibilidade e como terceira e
última opção uma rua lateral a ser construída e emendada a uma rua existente que passa nos
fundos da creche para a movimentação de veículos e para o acesso à escola creche. Esta terceira
opção é a mais acertada das três. Porém o projeto do acesso à escola deve estar a par e passo
com a construção da escola para que não seja uma obra de acesso apressada e feita de forma
rápida e sem planejamento.

O projeto original foi modificado com autorização do governo federal, mas trouxe algumas
questões que devem ser observadas como pontos de cobertura que devem ser construídos para
evitar as águas pluviais no local, bem como a colocação de um portão para deixar a Secretaria
da Escola mais reservada uma vez que está vulnerável à área externa dispondo de janelas
grandes que impedem um trabalho mais calmo no expediente de trabalho.

Ao chegarmos a visita percebemos que havia movimentação de cerca de seis funcionários


Construtora TERRUEL realizando trabalhos na Unidade Escolar. O espaço mostrava-se
visivelmente abandonado por algum tempo evidenciando arbustos e samambaias nascendo nos
cômodos da escola (secretaria), bem como infiltrações e bolor. A retomada dos trabalhos foi
recente como pudemos notar e confirmado por todos os que lá estavam, inclusive pelo
secretário de obras Sr Vilson Amaral, o encarregado da obra e Sr. Nilson da construtora Terruel
que foram prontos a responder os questionamentos da equipe de fiscalização do Cacs-Fundeb.

Dos questionamentos realizados o primeiro foi quando seria a entrega da obra da creche sendo
que nos foi respondido no segundo semestre de 2018 para o funcionamento no ano letivo
(início) de 2019. Com isso ressaltamos que será importante a elaboração do projeto de acesso e
a execução o quanto antes. Falamos também sobre a aquisição de mobiliário e contratação de
profissionais que serão lotados naquela unidade de ensino. Para isso deve haver um
planejamento de execução de ações simultâneas a fim de não ocorrer atropelos ou ineficácia
em sua abertura e funcionamento.

Visitamos todas as dependências do prédio que se encontra em fase adiantada, porém com
detalhes importantes a serem finalizados como piso (sendo iniciado sua execução), término do
muro, finalização da caixa d’água, pintura, piso externo, piso interno (secretaria), cobertura de
alguns pontos de circulação incluindo acesso à merenda, colocação de portões e/ou divisórias,
colocação de vidros nas janelas, acabamento do pátio.

Durante a conversa mencionamos a necessidade de afixação de uma placa de identificação da


obra com todos os dados exigidos por lei estadual e federal, bem como o uso de EPI’s a serem
utilizados pelo trabalhadores, sendo que na vistoria pudemos notar funcionários trabalhando
na caixa d’água sem os mesmos. O secretário prontificou-se a resolver essas intercorrências
afixando em até 10 dias a referida placa e notificando a construtora a utilizar os equipamentos
de segurança.

Abaixo segue fotos da visita:

Interesses relacionados