Você está na página 1de 5

Introdução

O tema deste trabalho são os Direitos Humanos, que parece de grande


importância e benifício para o nosso país.

Este trabalho tem como objectivo por um lado conhecer a história dos
Direitos Humanos e por outro lado saber o que se tem feito para
implementá-los no mundo.
1-Noções básicas
Direito- provém do vocábulo latino directus e significa liberdade para
todos. Segundo o primeiro artigo da Declaração Universal dos Direitos
Humanos, “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e
em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com
os outros em espírito de fraternidade”. Neste sentido, o individuo tem
direito à liberdade de expressão, liberdade de pensamentoe igualdade
perante a lei, “os direitos humanos são as liberdades e os direitos de
todos os seres humanos”.
1.1-Sua história
Ao longo dos anos, filósofos e juristas trabalharam conjuntamente para
que a existência, a liberdade e a posse de bens pudessem ser direitos
adquiridos por todos os cidadãos. Hooke, Locke e, mais tarde,
Montesquieu, Voltaire e Rousseau demonstraram que os direitos
humanos criaram uma nova concepção de obediência, limitando, desta
maneira, o domínio do Estado.

A História retrata que o Cristianismo, na Idade Média, defende a igualdade


de todos os homens com a mesma dignidade. Também os matemáticos
cristãos desenvolveram uma teoria acerca desta temática, denominada
Teoria do Direito Natural. Aqui constatou-se que o Homem pertence a
uma ordem social e jurídica justa, não obstante à lei de Deus que era uma
obrigação imposta por Reis, Princícipes e Imperadores.

Na Idade Moderna, os racionalistas pertencentes ao século XVII e XVIII,


recriaram a teoria do direito natural, suprimindo, então, o domínio de
uma ordem divina. Para estes homens, todos os seres humanos são
naturalmente livres e, assim que se integram na sociedade, não podem ser
privados de qualquer direito. Desta forma, atentou-se na protecção dos
Direitos Humanos, inspirado o actual sistema internacional-

Normalmente, as várias noções foram evoluindo e reflectiram-se,


essencialmente e inicialmente, em Inglaterra e nos Estados Unidos da
América. A Magna Carta de 1215 garantiu a luta contra a arbitrariedade da
coroa e influenciou diversos documentos como, por exemplo, o Acto
Habeas Corpus (1679), a primeira tentativa para impedir as prisões ilegais.
A 4 de Julho de 1776, e com base na Declaração de Virgínia, surge a
Declaração Americana de Independência, onde nascem os direitos
naturais do ser humano que todos deveriam respeitar.
2- Os Direitos Fundamentais da Criança
A criança é um ser humanista ingénuo que devemos criar e educar, sem
nunca esquecer todos os direitos que lhe são inerentes e fundamentais
para o seu correcto desenvolvimento. Sabemos que é um ente que
necessita de amor e afecto para um crescimento harmonioso, bem como
cuidados especiais para ter qualidade de vida.

A família tem como dever proteger a criança, proporcionando-lhe


assistência aos vários níveis, desde uma alimentação adequada até aos
cuidados de saúde necessários e oportunos a cada etapa da vida.

Infelizmente, o Mundo só direccionou os olhos para os direitos das


crianças depois da 2º Guerra Mundial, onde estas sofreram verdadeiras
atrocidades tais como violações e enforcamentos. Ainda hoje, em alguns
locais do mundo, existem maldades contra crianças que chegam a ser
acusadas de feitiçaria e até são mortas pelos própios familiares. A
pedofilia e o trabalho infantil continuam a ser comuns na sociedade, mas
já começamos a trabalhar com o objectivo de suprimir este tipo de
comportamentos.

A sociedade tem um papel preponderante no


desenvolvimento/crescimento adequado da população infantil, pois este é
o futuro da nossa nação. Neste sentido, em Angola, todos aqueles que
prejudicam o futuro da nação, as crianças, são punidos de acordo com a
Lei.

O conjunto de normas, valores e principios foram uma inspiração para se


obter a Declaração dos Direitos da Criança. Neste contexto, a criança não
é só a extensão da sua familia, mas membro duma sociedade, sendo ainda
considerada “o futuro do amanhã”.
Conclusão
Os Direitos Humanos são as bases que ajudam a desenvolver uma
sociedade. Ninguém deve ser privado dos seus direitos, todas as pessoas
têm direitos e devemos respeitar a ideia e pensamento de cada um para
que cresçamos e possamos desenvolver. “Todos os seres humanos
nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de
consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de
fraternidade”.