Você está na página 1de 37

FATEP

PROF. PAULO SERGIO MALUF

Estruturas Metálicas

DIMENSIONAMENTO DE
LIGAÇÕES
Apresentação da aula

1.Dimensionamento de ligações soldadas

2. Dimensionamento de ligações parafusadas

3. Dimensionamento de ligações parafusadas


de alta resistência
Bibliografia
• ABNT NBR 8800/1986 – Dimensionamento de barras
de aço. ABNT: Rio de Janeiro , RJ. 1986
• Queiroz, G. Dimensionamento de barras de aço.
UFMG: Belo Horizonte, MG. 1986
• AÇOMINAS/USIMINAS. Coletânia técnica do uso do
aço / O aço na construção.
• Matos Dias, L. A . Estruturas de aço: conceitos,
técnicas e linguagem. Zigurate Ed. S. Paulo.1998.
• Andrade, P. B. Curso básico de estruturas de aço.
IEA Ed. BH/MG. 1994.
Aplicações
Ligações de barras solicitadas a esforços normais
Ligações flexíveis em extremidades de vigas
Ligações rígidas
Ligações rígidas
Emendas
Bases flexíveis

Barras rígidas
Critérios de resistência
(NBR 8800 – item 7.1.4)
barras tracionadas ou comprimidas

1. Rc > 40 kN

2. Rc > Nd
Rc > 50% Rcbarra
Disposições construtivas
(NBR 8800 – itens 7.1.1 a 7.1.13)

- Grupos de solda ou de parafusos com centro de gravidade


sobre o eixo que passa pelo centro de gravidade das barras;
- Cantoneiras submetidas a solicitações normais têm
desprezadas as excentricidades para solicitações estáticas;
- Nos pontos de apoio, vigas e treliças devem ser impedidas
de girar em torno de seu eixo longitudinal (vínculo de
garfo)
1. Ligações soldadas
(NBR 8800 – item 7.2)

•Definições

Solda de entalhe

Solda de filete
• Definições

• SOLDA DE FILETE

• SOLDA DE ENTALHE

- penetração total
tipo 1

- penetração parcial
tipos 2 a 9
Características geométricas:
(NBR 8800 – item 7.2.2)

Aw – Área efetiva de solda


lw – Comprimento efetivo de solda
dw – Garganta efetiva de solda

Aw= lw. dw
AMB – Área efetiva do metal base
lw – Comprimento efetivo de solda
b1, b2 - Perna do cordão de solda

AMB= lw. b
Resistências do metal solda à tração

fw = 415 MPa metal solda E60XX


fw = 485 MPa metal solda E70XX

Resistências do metal base à tração

fy = tensão de escoamento do metal base


dos elementos estruturais adjacentes à
ligação
Resistência de Cálculo - Rn
(NBR 8800 – item 7.2.5 – tabela 8)
1.1. Solda de Entalhe
Tração / Compressão

Rn = Aw . fy  = 0,90

Cisalhamento (soma vetorial)

Rn = 0,6.Aw . fy  = 0,90 (metal base)

Rn = 0,6.Aw . fw  = 0,75 (metal solda)


1.2. Solda de Filete

Tração / Compressão paralelas ao eixo da solda

Rn = Aw . fy  = 0,90

Cisalhamento (soma vetorial)

Rn = 0,6.AMB . fy  = 0,90 (metal base)

Rn = 0,6.Aw . fw  = 0,75 (metal solda)


Exemplo Numérico
Dimensionar a ligação soldada da figura:
Solda de filete E60XX, cantoneiras aço MR250

a) Resistência da barra (Ct = 0,75)


Nc = 0,9. Ag.fy = 0,9.36,9.25 = 830 kN
Nc = 0,75. Ct .Ag.fy = 0,75.0,75.36,9.40 = 830 kN
b) Resistência da solda
espessura da solda
tmax = 12,5 mm (chapa de extremidade)
tmin = 9,5 mm (aba da cantoneira)

d > 5,0 mm

comprimento da solda
(diferentes para dar equilíbrio à ligação devido à sua
excentricidade em relação ao eixo do c.g. da barra)

1 29

 2 102  29
1  0,397. 2
metal base:
AMB= 0,5.(1+0,397)l2 .2= 1,397. l2

Nc = 0,9. 0,6.AMB.fy = 0,9.0,6.1,397. l2 .25 = 830 kN


l2 = 44,0 cm - l1 = 17,5 cm > 1,5 .10,2
l = 61,50 cm

metal solda:
Aw= 0,707.0,5.(1+0,397)l2 .2=0,987. l2

Nc = 0,75. 0,6.Aw.fw = 0,75.0,6.0,987. l2 .41,5 = 830 kN


l2 = 45,0 cm - l1 = 17,9 cm
l = 62,90 cm
Utilizando a máxima espessura de solda:
bmax = tcant – 1,5 mm = 9,5 –1,5 = 8,0 mm

metal base:
AMB= 0,8.(1+0,397)l2 .2 = 2,235. l2

Nc = 0,9. 0,6.AMB.fy = 0,9.0,6.2,235. l2 .25 = 830 kN


l2 = 27,5 cm - l1 = 10,9 cm < 1,5 .10,2 = 15,3 cm
l = 42,80 cm

metal solda:
Aw= 0,707.0,8.(1+0,397)l2 .2 = 1,58. l2

Nc = 0,75. 0,6.Aw.fw = 0,75.0,6.1,58. l2 .41,5 = 830 kN


l2 = 28,1 cm - l1 = 11,2 cm < 1,5 .10,2 = 15,3 cm
l = 43,40 cm
2. Ligações parafusadas
(NBR 8800 – item 7.2)
•Definições
Tipo de ligação
Ligação por contato
Ligação por atrito

Solicitação nos meios de ligação


Tração no parafuso
Cisalhamento no parafuso
Características geométricas:
(NBR 8800 – item 7.3.1)

Ar – Área efetiva à tração do parafuso


Ap – Área bruta, relativa ao diâmetro nominal do
parafuso
Ab – Área efetiva para pressão de contato, relativa
ao diâmetro nominal do parafuso multiplicado
pela espessura da chapa adjacente
Ab= d.tchapa
d – Diâmetro nominal do parafuso
• Solicitação no elemento de ligação

Tração no parafuso

Cisalhamento no parafuso
Resistências do metal do parafuso à
tração (anexo A)

fu = 415 MPa parafusos comuns ASTM A307


fu = 825 MPa parafusos alta resistência
ASTM A325
fu = 1035 MPa parafusos alta resistência
ASTM A490
Resistência de Cálculo - Rn
(NBR 8800 – item 7.3.2)
Tração

Rnt = 0,75.Ap. fu d > 12 mm


Rnt = 0,95.Ar. fu d > 25 mm

t = 0,75 (ASTM A325 e A490)


t = 0,65 (ASTM A307 e barras)
Cisalhamento

ASTM A325 e A490 com plano de corte pela rosca;


demais parafusos e barras

Rnv = 0,42.Ap. fu

ASTM A325 e A490 com plano de corte fora da


rosca

Rnv = 0,60.Ap. fu

v = 0,65 (ASTM A325 e A490)


v = 0,60 (ASTM A307 e barras)
Pressão de contato parafuso / parede de furos

Rn = α.Ab. fu  = 0,75

para esmagamento sem rasgamento


α = 3,0
para rasgamento entre furos consecutivos,
distantes de s, na direção do esforço

α = (s/d)-η1 < 3,0

para rasgamento entre furos e borda


distante de e do centro do furo

α = (e/d)-η2 < 3,0


Combinação tração / cisalhamento
(item 7.3.2.5 - tabela 14)
Parafusos ASTM A307

t Rnt < 0,64.Ap. fu – 1,93.Vd

Parafusos ASTM A325 e A490

t Rnt < 0,69.Ap. fu – 1,93.Vd (plano de corte na rosca)

t Rnt < 0,69.Ap. fu – 1,50.Vd (plano de corte fora da rosca)


Colapso por rasgamento
Verificação do elemento de ligação (chapas)

Áreas efetivas resistentes


Av – área de cisalhamento
At – área sujeita a tensões normais
Resistência de Cálculo - Rn
(NBR 8800 – item 7.5.3)
Escoamento da seção bruta  = 0,90

Rn = fy tensões normais
Rn = 0,6.fy tensões de cisalhamento

Ruptura da seção líquida efetiva  = 0,75

Rn = fy tensões normais
Rn = 0,6.fy tensões de cisalhamento
Exemplo Numérico
Dimensionar a ligação parafusada da figura:
Parafusos ASTM A325, d = ¾”, cantoneiras aço
MR250

a) Resistência da barra (Ct = 0,75)

Nc = 0,9. Ag.fy = 0,9.36,9.25 = 830 kN


Nc = 0,75. Ct .Ag.fy = 0,75.0,75.36,9.40 = 830 kN
b) Resistência dos parafusos (cisalhamento)

v Rnv = 0,65.0,42.Ap. fu

v Rnv = 0,65.0,42.2,15. 82,5 = 48,4 kN

Corte duplo: Rc = 2. v Rnv = 96,85 kN

número de parafusos: n = 380/96,85 = 3,92 (4)


c) Pressão de contato parafuso / parede de furos
 Rn = 0,75.α.Ab. fu
adotando distância recomendada entre furos (item 7.3.6)
s = 3.d = 3.19 = 57 (60) mm
α = (60/19) – 0,5 = 2,65
adotando distância recomendada entre furo e borda
e = 30 mm > emin = 26 mm (tabela 18)
α = (30/19) – 0 = 1,58

 Rn = 0,75.1,58.(1,9.0,95).40 = 85,56 kN

 Rn = 85,56 < Nd/(2.n) = 380/2.4 = 47,5 kN


d) Colapso por rasgamento (na barra)
Ruptura da seção líquida efetiva
 Rn = 0,75.(Av+At)liquida.0,6. fu
Escoamento da seção bruta
 Rn = 0,90.(Av+At)bruta .0,6. fy
com s = 60 mm e e = 30 mm

Av = (3,0 + 3.6,0).(0,95.2) = 39,9 cm2


At = (10,2 – 2,9).(0,95.2) = 13,87 cm2

(Av+At)liquida = (39,9 + 13,87) – 2.3.0,95.1,9 = 42,94


(Av+At)bruta = (39,9 + 13,87) = 53,77 cm2
Resistências de cálculo ao colapso das áreas

 Rn = 0,75.42,94.0,6.40 = 772,9 kN
 Rn = 0,90.53,77.0,6.25 = 725,9 kN

 Rn > Nd = 380 kN