Você está na página 1de 7

Fundação Getúlio Vargas / EPGE

Economia Monetária e Financeira


Prof. Marcos Antonio Silveira

Nota de Aula 15: Demanda por Moeda (revisada)

Bibliografia:

• Mishkin, cap.21 (traduzida)

1 Equação de Troca
• Velocidade (taxa) de circulação da moeda: número médio de vezes por ano
que uma unidade monetária é gasta na compra dos bens e serviços produzidos
na economia
P ∗Y
V =
M
— P: nível geral de preços
— Y: PIB real
— P*Y: PIB nominal
— M: estoque médio de moeda ao longo do ano

• Equação de Troca: identidade contábil que decorre da definição de velocidade


de circulação da moeda
M ∗V =P ∗Y

• Equação de Troca não é uma formulação teórica: não se baseia em qualquer


hipótese comportamental
• Qual o impacto de uma mudança em M sobre o PIB nominal? Equação de
Troca não permite responder esta pergunta, porque não explica o que vai
acontecer com V quando M aumenta

1
2 Teoria Quantitativa da Moeda
• Teoria clássica desenvolvida por Inving Fisher (1911)

• Demanda por moeda clássica:

Md = k ∗ P ∗ Y

— k: constante que depende de fatores institucionais e tecnológicos

• Demanda por moeda apenas por motivo transação: proporcional ao PIB


nominal
— demanda por moeda ∝ volume de transações na economia ∝ PIB nominal

• Demanda por moeda não depende da taxa de juros

• Demanda por moeda (como função de P e Y) determinada por fatores institu-


cionais e tecnológicos fora do controle das pessoas, as quais não tem qualquer
poder de decisão sobre a quantidade de moeda que desejam manter
• Equilíbrio no mercado monetário:

M = Md = k ∗ P ∗ Y

• Velocidade da moeda constante (independente da taxa de juros):

M ∗V = P ∗Y
M = k∗P ∗Y
1
V =
k

• TQM: teoria de determinação do nível de preços

— velocidade constante: fatores institucionais e tecnológicos


— Y determinado pela oferta de fatores de produção: economia com preços
flexíveis
— Nível de preços proporcional à oferta de moeda:
∆M
= ∆P
k∗Y

2
3 Teoria da Preferência pela Liquidez
• Teorias da demanda por moeda desenvolvida por Keynes (Teoria Geral, 1936)

• Porquê as pessoas demandam moeda? Três motivos:

— motivo transacional
— motivo precaucional
— motivo especulativo

• Motivo transacional

— influência dos economistas clássicos


— moeda é meio de pagamento: liquidez instantânea
— demanda por moeda ∝ transações correntes ∝ renda =⇒ demanda por
moeda ∝ renda
— demanda por motivo transacional não depende da taxa de juros

• Motivo precaucional:

— motivo além da visão clássica


— liquidez da moeda permite satisfazer necessidades inesperadas
— demanda por moeda ∝ transações futuras ∝ renda =⇒ demanda por
moeda ∝ renda
— demanda por motivo precaucional não depende da taxa de juros

• Motivo especulativo

— moeda funciona como reserva de valor =⇒ demanda por moeda cpomo


reserva de valor ∝ riqueza
— riqueza ∝ renda =⇒ demanda por moeda como reserva de valor ∝ renda
— demanda por moeda como reserva de valor também depende da taxa de
juros

3
3.1 Modelo de Keynes para demanda por moeda como reserva de valor
• Hipóteses do modelo:

— dois ativos: moeda e títulos


— retorno da moeda nulo
— retorno dos títulos inversamente proporcional a taxa de juros
— existe um valor "normal" para a taxa de juros dos títulos

• Taxa de juros acima do valor normal =⇒ expectativa de queda da taxa de


juros =⇒ retorno esperado positivo dos títulos =⇒ redução da demanda por
moeda
• Taxa de juros abaixo acima do valor normal =⇒ expectativa de aumento
da taxa de juros =⇒ retorno esperado negativo dos títulos =⇒ aumento da
demanda por moeda

3.2 Função de Preferência pela Liquidez


• Juntando a demanda por moeda pelos três motivos acima, temos a demanda
por moeda de Keynes (função de preferência pela liquidez):
Md
= f (i, Y )
P
∂f (i, Y ) ∂f (i, Y )
< 0; >0
∂i ∂Y

• Eq. mercado monetário:


M Md
= = f (i, Y )
P P
• Velocidade de circulação da moeda: combinando a eq. acima com a equação
de troca =⇒
Y
V =
f (i, Y )

• Maior i =⇒ Menor demanda por moeda =⇒ Maior velocidade da moeda

4
4 Modelo de Baumol-Tobin: Aperfeiçoamento da Demanda
por Moeda para Transações
• Objetivo do modelo: explicar a demanda por moeda para transação

• Resultado prinicpal: demanda por moeda para transação também depende


da taxa de juros
• Hipóteses do modelo:

— Indíviduo recebe renda T0 no início de cada período


— Renda é gasta a uma taxa constante ao lingo do período
— Dois ativos: moeda e títulos
— Retorno nominal da moeda = 0
— Retorno nominal dos títulos = i > 0 (custo de oportunidade da moeda)
— Custo de transação na compra e venda de títulos (custo de corretagem e
tempo perdido) = b > 0
• Transações financeiras realizadas dentro de cada período:

— primeira transação (início de cada período): indivíduo compra T0 − C de


títulos e mantém C em moeda
— n-1 transações posteriores em intervalos periódicos de tempo: indivíduo
vende C de títulos em cada transação
— número de transações financeiras por período:
T0
n=
C

— n varia inversamente com C

• Demanda média por moeda no período:


C T0
Md = =
2 2n

5
• Custo total e marginal com as transações financeiras (em função de n):

CT (n) = nb
∂CT (n)
CMg(n) = =b
∂n
— Custo marginal constante

• Receita total e marginal com transações financeiras

— Demanda média por títulos no período:


renda média demanda média por moeda
T0 C T0 T0
− = −
2 2 2 2n

— Receita total com investimento em títulos (em função de n):


µ ¶
iT0 1
RT (n) = 1−
2 n

— Receita marginal com investimento em títulos:


iT0
RMg(n) =
2n2

— Receita marginal decrescente:

∂RMg(n)
<0
∂n

• Problema de otimização do indívíduo: escolha ótima de n


µ ¶
∗ iT0 1
n = arg max RT (n) − CT (n) = max 1− − bn
n n 2 n

• Condição marginal de otimização (primeira ordem):

RMg(n∗ ) CMg(n∗ )
=
iT0
=⇒ =b
2n∗2 r
iT0
=⇒ n∗ =
2b

6
• Demanda ótima por moeda:
r
T0 C∗ T0 bT0
C ∗ = ∗ =⇒ M d = = ∗ =
n 2 2n 2i

• Estática comparativa:

— aumento da taxa de juros i


— aumento da renda T0 : economias de escala da moeda
— aumento do custo de transação da financeira b
— ausência de ilusão monetária