Você está na página 1de 12

ÁREA

jornal internacional O JORNAL DE QUEM FAZ A PETROBRAS

Novo diretor vai


reforçar a gestão
Jorge Zelada, que assumiu em
março a diretoria da Área
Internacional, concede
Fevereiro/Março de 2008

sua primeira entrevista


na qual revela planos
para manter o
crescimento
pág. 6 e 7
N°31
Ano III

Argentina deve ProAni


intensificar atividade rumo ao
de exploração mundo
pág. 9 pág. 5

■ Mexicanos querem seguir ■ Internacional cria método


o exemplo da Petrobras para incorporar ativos
pág. 3 pág. 10
EDITORIAL

A gestão como Lubrax obtém bons


instrumento resultados na Argentina
para integrar ESTRATÉGIA DE MARKETING E QUALIDADE DOS
LUBRIFICANTES ALAVANCAM AS VENDAS
A expansão experimentada

Banco de Imagem
pela Área Internacional nos
últimos anos é prova inequívoca
de que o crescimento da
Petrobras está no exterior. A
continuidade dessa linha de
atuação é coerente com a
maturidade atingida pela
empresa.
Aos 54 anos, a Petrobras não
pode mais ser uma empresa
apenas regional e o aumento da
sua presença no mundo
necessita de uma gestão que
contribua para ser reconhecida
como uma mesma corporação,
em todos os lugares onde está
presente. O diretor de Comércio de Downstream, Vilson
Integração de procedimentos, Reichemback, com a equipe de Marketing e
Lubrificantes da Petrobras Energía: trabalho premiado
respeitadas as particularidades
culturais, é um recurso de que a
Lubrax vem conquistando o local”, afirma Sanches. Em 2004, a
gestão pode se valer para
aumentar a convergência de O mercado da Argentina. O volu-
me de vendas dos lubrificantes
Petrobras recebeu o mesmo prêmio, na
categoria Otros bienes no durables.
objetivos, alinhados às metas do cresceu cerca de 200% nos últimos cin- Mais de 130 empresas, com mais tem-
Plano Estratégico, que preconiza co anos no país. Segundo Luiz Cláudio po de mercado e tradição em marketing,
uma forte presença internacional. Sanches, gerente geral de Abastecimen- participaram em diferentes categorias.
Trata-se de um desafio maior to (Inter-TEC/AB), a publicidade com foco Sanches destaca que o resultado posi-
para uma área que trabalha, em tecnologia e inovação, promoções nos tivo obtido na Argentina é fruto do tra-
como nenhuma outra, com canais de distribuição e palestras técni- balho desenvolvido há cinco anos entre
diferenças geográficas e cas aos recomendadores de lubrifican- profissionais da Petrobras Energia e a equi-
culturais, o que demanda um tes foram ações decisivas para a conquis- pe de marketing da Internacional, com
esforço de gestão ampliado e ta do mercado e o aumento das vendas. suporte da Inter-TEC/AB . Ele ressalta ain-
gera uma missão árdua para o Em reconhecimento aos resultados alcan- da a participação BR/GEI (Planta de Lu-
corpo técnico e gerencial. çados, a Associação de Marketing da Ar- brificantes Acabados da BR) no projeto.
gentina concedeu à Petrobras, pela pri- “A Petrobras Distribuidora prestou apoio
Temos a nosso favor a
meira vez, o Prêmio Mercúrio, na cate- na parte técnica, e a equipe de marke-
reconhecida competência da
goria de Insumos. “Essa distinção é im- ting local fez palestras para os donos das
força de trabalho e nosso portante, pois vem de uma associação trocadoras de óleo”, completa.
crescente aumento de portfólio,
proporcionando novas
possibilidades de interação com ÁREA
outras áreas e o fortalecimento
da Petrobras como empresa
jornal internacional
Gerente de Comunicação: Márcia Figueiredo
integrada de energia no Brasil e Editor Responsável: José Carlos Cidade
no exterior. Redação: Maria Augusta Seixas
Reportagem: Andreia Maia, Augusto Góes Tirre, Fernanda Mello,
Maria Tereza Lameiras e Miguel Perez
Jorge Zelada Diagramação e Tratamento de Imagens: SMPG/Daniel Tiriba
Diretor da Área Internacional Imagem de Capa: Montagem sobre foto Steférson Faria
2 Revisão: Fani Knoploch ● Fotolitos e Impressão: J. Sholna
Dúvidas e sugestões: Chave da Gerência ● Inter-Corp/COM - NIF9
EM FOCO
Desenvolvimento de Negócios
tem novo gerente executivo

Fernanda Baroni
engenheiro elétrico na UN-Bahia. No ano seguin-

O Ricardo Abi Ramia


assumiu em março o
te, transferiu-se para a Unida-
de de Negócio de Exploração
comando da gerência executi- e Produção do Rio de Janeiro
va de Novos Negócios (Inter- como gerente do Ativo de Pro-
DN), posição que desde julho dução de Albacora Leste.
de 2004 vinha sendo ocupada Com larga experiência em
pelo engenheiro de equipamen- E&P, o novo gerente se formou
tos, Luiz Carlos Moreira. em engenharia elétrica na UFRJ
Abi Ramia vinha atuando e ingressou na Petrobras em
desde 2005 como gerente ge- 1987. De 88 a 99 trabalhou na
ral da Unidade de Negócio de Bacia de Campos tendo atua-
Exploração e Produção do Rio do até 1994 na área de equi-
de Janeiro. Atuou no exterior en- pamentos submarinos e como
tre 1999 e 2001, quando foi ge- fiscal de Completação de Po-
rente de operações da ços e na área de equipamen-
Petrobras América, tendo nes- tos submarinos.
se período ocupado por um ano Entre 1994 e 1999 esteve à
a presidência da empresa. frente das gerências de Produ-
Em 2002 retornou para o ção da Petrobras XVIII, e dos Nú-
Brasil, assumindo a Gerência do cleos de Produção Sul e Marlim, O novo titular da Inter-DN, Ricardo Abi Ramia, foi gerente de
Ativo de Produção de Manati, também na Bacia de Campos. operações da Petrobras América entre 1999 e 2001

Petrobras atrai atenção de parlamentares mexicanos


Thelma Vidales
Em meio à discussão sobre mudan-
ças na regulação petrolífera do México,
a Petrobras atrai a atenção de parlamen-
tares daquele país, que buscam na
Companhia inspiração para um novo mo-
delo no setor.
O presidente e dois integrantes da Co-
missão de Energia da Câmara dos Depu-
tados do México vieram ao Brasil, em fe-
vereiro, para dialogar com executivos da
Petrobras e conhecer as instalações da Com-
panhia. Recebido pela Área Internacional,
o grupo – composto por David Maldona-
do (presidente da comissão) e seus cole-
gas José Arévalo e José Orihuela – conver- Sérgio Machado, Presidente da Transpetro (centro), apresentou atuação da
sou com representantes do Abastecimen- subsidiária à Comissão de Energia, que também visitou Cenpes e o Edise
to e do DSG (Desenvolvimento de Sistemas
de Gestão) e visitou as instalações do Cen- Os debates sobre a modificação do cesso obtido nos onze anos desde a
pes e da Transpetro. marco jurídico que regula o setor petro- quebra do monopólio estatal. Caso haja
Os parlamentares também foram rece- lífero mexicano já duram mais de um ano, uma abertura do setor no México, a
bidos pela Agência Nacional do Petróleo, e tanto o governo federal quanto o Con- Petrobras, que está nesse país desde
Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que gresso examinam modelos adotados em 2003, poderá ampliar suas atividades na
regulamenta o setor petrolífero no Brasil, outros países. O caso do Brasil e da região, hoje limitadas a um contrato de
e pelo Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), Petrobras tem sido considerado um pon- prestação de serviços em dois campos 3
entre outras entidades. to de referência nas discussões, pelo su- operados pela Pemex.
MERCADO

Sustentabilidade
em alta
PETROBRAS CONQUISTA O PRIMEIRO LUGAR ENTRE AS GRANDES PETROLÍFERAS DO MUNDO

ma pesquisa classificou a Ranking das empresas O gerente executivo do Internacional Cor-


U Petrobras como a petroleira mais
sustentável do mundo, com índi-
1º Petrobras:
2º Total:
92,25%
91,21%
porativo, Paulo Aquino, acredita que esse ran-
king confere à Petrobras uma exposição de
ce de 92,25%. Foram analisados 387 in- extrema importância, pois a coloca entre as
3º BP: 89,15%
dicadores internacionais, como diminuição grandes companhias de petróleo não ape-
4º StatoilHydro: 89,15%
em emissão de poluentes e em vazamen- nas em função dos volumes de reservas ou
5º Shell: 87,86%
tos de óleo, menor consumo de energia e de produção. “O reconhecimento de sua ges-
6º ENI: 78,55%
sistema transparente de atendimento a for- tão estratégica possibilita aos investidores per-
7º Repsol: 74,68%
necedores. Governança corporativa, ética, ceberem a longevidade da empresa. Isso tam-
8º OMV: 73,39%
transparência e responsabilidade social tam- bém nos traz uma responsabilidade a mais,
9º Chevron: 72,87%
bém foram medidos no segmento da in- principalmente em relação aos aspectos de
10º ConocoPhillips: 72,35%
dústria de petróleo e gás. gestão de processos”, avalia Aquino.
11º ExxonMobil: 67,96%
Os critérios levaram em conta a ade- 12º Pemex: 66,93%
quação a padrões internacionais, como Evolução
os da Organização Internacional do Tra- nagement & Excellence (M&E), uma con- Desde o ano passado, quando foi publi-
balho (OIT), o Pacto Global da ONU, os sultoria espanhola especializada na ava- cada a última pesquisa, a Petrobras foi a em-
Objetivos de Desenvolvimento do Milê- liação de bancos e fundos de investimen- presa que mais avançou. A pontuação de
nio, o Índice Dow Jones de Sustentabi- tos, muito respeitada no mercado de in- 89,64%, em 2007, a deixou em segundo lu-
lidade e a apresentação do Balanço So- vestidores e entre as mídias norte-ame- gar, atrás da Shell (90,16%). O aumento de
cial e Ambiental segundo as orientações ricana e européia. A pesquisa captou in- 2,61% aponta um progresso mais ágil, se
da Global Reporting Initiative (GRI). formações diretamente das companhias comparado ao de outras companhias mun-
Os estudos foram realizados pela Ma- e também de veículos de comunicação. diais no setor nos últimos três anos.

A pesquisa completa está disponível no site www.management-rating.com/index.php?lng=en&cmd=210


Geraldo Falcão Guta Seixas

Responsabilidade social foi um dos critérios que levou a Petrobras ao topo entre as empresas do setor de petróleo
4
PROANI
ProAni: novos desafios à vista
EXPERIÊNCIA ARGENTINA SERÁ UTILIZADA PARA TRABALHOS NOS ESTADOS UNIDOS E ANGOLA
Guta Seixas
ois meses após a imple-
D mentação do ProAni na Ar-
gentina, os resultados dos três
últimos anos são positivos, como pla-
nejado: o primeiro fechamento contá-
bil foi satisfatório, as informações fo-
ram enviadas à sede na data progra-
mada, e as operações financeiras e suas
interfaces externas funcionaram con-
forme o previsto. Na área comercial,
a Petrobras Energia opera com os pra-
zos e volumes normais; a empresa com-
pra, vende, produz e controla de for-
ma organizada; as viagens a serviço
respeitam os processos; e os gesto-
res já exploram a capacidade de ob-
ter informações. “Construímos um
modelo único sustentado em uma fer-
ramenta tecnológica chamada SAP; fi-
zemos o primeiro roll out na Argenti-
na – uma unidade complexa – e ago-
ra mostraremos que o modelo é repli-
cável”, diz o coordenador do projeto,
Norberto Caputo, gerente de Adminis-
Luiz Gutavo Primo e Norberto Caputo lideram a aplicação do governo de processos
tração do Modelo de Negócio (Inter-
Corp-ADMN).
Vencida essa etapa, o ProAni iniciou lhando na sede cerca de 30 profissionais Estados Unidos e Angola, e a consolida-
a fase de estabilização, prevista para ir – líderes envolvidos nas disciplinas de su- ção na Petrobras Energia. Tudo isso si-
até 31 de março. Haverá uma gradual porte, líderes dos ciclos de processos e multaneamente. “Nossa meta é fazer o
desmobilização da equipe em Buenos das frentes de roll outs, e especialistas fun- kick off (lançamento) no início de abril, bus-
Aires e transferência de parte dos pro- cionais e da solução ProAni. “Alguns pro- cando o início das implementações ain-
fissionais para a sede, para dar conti- fissionais do projeto virão de Buenos Aires da em 2008”, adianta Caputo.
nuidade ao projeto, que passa a se cha- para o Rio de Janeiro. Também teremos Outra mudança se refere aos atuais
mar Governo de Processos. Caputo ex- profissionais de outras unidades e de ou- comitês Patrocinador, Coordenador e
plica que a equipe terá duas frentes de tras áreas da corporação, estes agora mais Executivo. O Comitê Patrocinador será
trabalho: realizar os roll outs envolvidos no dia-a-dia substituído pelo Comitê de Gestão da


nas unidades do exterior das atividades. O apro- Área Internacional, que incluirá em sua
e fazer a evolução dos pro- veitamento dos profis- rotina os assuntos ligados ao Gover-
cessos, que consiste em O aproveitamento sionais do ProAni é no de Processos. O Comitê Corpora-
promover uma melhoria fundamental para re- tivo será substituído pelo Comitê Fun-
dos profissionais
contínua nos processos e ter o conhecimento”, cional, que será formado pelos “donos”
na ferramenta.
do ProAni é informa. dos processos. Já o Comitê Executi-
O gerente de Suporte à fundamental Tão logo a equipe vo, tal como concebido no início, dei-
Gestão (Inter-Corp/SG), para reter o na sede esteja mobi- xará de existir, e em seu lugar será cria-
Luiz Gustavo Primo, tam- conhecimento" lizada e a infra-estru- do o Comitê de Coordenação, para que
bém à frente do Governo de tura montada, as pró- os principais gerentes envolvidos no Go-
Processos, acredita que Luiz Gustavo Primo ximas ações serão os verno de Processos possam discutir e
até abril já estejam traba- roll outs das unidades coordenar as ações.
5
“Contem
CAPA

O novo diretor da Área Internacional,


Jorge Zelada, afirmou sua intenção
de colaborar para que a Petrobras
continue a se expandir no mundo.
Nesta entrevista, o engenheiro, que
trabalhou nos projetos das primeiras
plataformas da Bacia de Campos,
Comigo”
DIRETOR QUER PARCERIA COM
fala sobre como pretende agregar à
GERENTES E FORÇA DE TRABALHO
Diretoria Internacional sua
PARA FORTALECER GESTÃO
experiência de 28 anos de
DA ÁREA INTERNACIONAL
companhia. Segundo ele, gestão e
sinergia são alguns pontos-chave
para que a Petrobras seja
reconhecida como a mesma empresa
em todos os países em que atua.

Qual a primeira palavra que lhe vem que não lhe cabe mais ser uma empresa na- A cada nova atividade no exterior, a si-
à mente ao assumir uma Diretoria que tem cional ou regional. Isso está refletido na Mis- nergia entre as atividades que compõem a
ligação com unidades de negócio em três são e na Visão da Companhia, o que consi- cadeia do petróleo tende a aumentar. Nos-
continentes? dero um atrativo para toda a força de traba- sa atuação no exterior está historicamente
Desafio. Parodiando o lema da Petrobras, lho da Área Internacional. Mas podemos ver ligada à exploração e produção, mas hoje
vamos trabalhar para transformar o nosso esse crescimento também por outros parâ- já atuamos em downstream, o que abriu mais
desafio em energia. metros, que extrapolam a quantidade de paí- possibilidades de sinergia com as áreas de
ses. Proporcionalmente, a Internacional foi uma negócio da empresa. Estamos falando de re-
Quais são suas expectativas à frente das áreas que mais cresceram na Petrobras. finarias, fábricas de lubrificantes, terminais,
da Diretoria Internacional? Temos o desafio de manter esse ritmo de cres- estações de distribuição, gás e energia. E
A Área Internacional vem crescendo bas- cimento e explorar os negócios que ainda não devemos buscar usar cada vez mais os mes-
tante nos últimos anos, e minha expectativa se concretizaram. O caminho do crescimen- mos critérios técnicos de avaliação e de ges-
é dar o apoio necessário para continuarmos to da empresa é a internacionalização. tão, mas isso ocorrerá naturalmente.
nessa linha de crescimento. Pretendo con-
tribuir com minha experiência, dando o apoio Qual a sua visão sobre o papel da In- Os investimentos no exterior devem se
necessário aos processos de gestão. Acre- ternacional no Plano Estratégico? estabilizar ou aumentar para dar continui-
dito que eles têm um peso importante na in- Se a Área Internacional teve esse signi- dade à expansão internacional?
tegração de uma área que convive com o de- ficativo crescimento, fica claro que aí está Para buscar o crescimento, os investimen-
safio das diferenças geográficas e culturais. o espaço para caminhar e se desenvolver. tos devem aumentar gradativamente, assim
Gostaria de poder contribuir também para a Então, acredito que, a cada revisão do Pla- como os da empresa como um todo, já que
melhoria contínua dos resultados. nejamento Estratégico, passaremos a assu- estamos falando de um espaço maior a per-
mir uma parcela maior dos investimentos. correr, que é o da internacionalização. Espe-
Qual a sua opinião sobre a crescen- ramos que haja um crescimento, o que não
te expansão da Área Internacional, De que forma os investimentos no ex- significa que a gente vá forçosamente ir au-
cuja atuação saltou de nove países, em terior podem se tornar ainda mais sinér- mentando o número de países. Acho que, de-
2003, para 27 países? gicos com as atividades da empresa no pois de todo esse trabalho bem-sucedido de
A Petrobras cresceu tanto nos últimos anos Brasil? desenvolvimento de negócios no exterior, será

6
Stéferson Faria

CAPA
Experiência diversificada
Jorge Zelada iniciou sua carreira na Petrobras em 1980, como engenheiro
de equipamentos, e participou do Grupo Executivo para Desenvolvimento da
Bacia de Campos (Gecam), atuando nos projetos das primeiras plataformas.
Nos últimos cinco anos, esteve à frente da Gerência Geral de Implementação
de Empreendimentos de Exploração e Produção e Transporte Marítimo da
Engenharia, responsável pela construção de plataformas de produção.
Na Petrobras Distribuidora, Zelada foi gerente de Desenvolvimento de Projetos de
Soluções Energéticas, que coordenava a implementação de projetos de energia para
clientes e de usinas termelétricas do Programa Emergencial do Governo Federal.
Zelada traz como assistentes Anna Jarczun Kac e Sócrates Marques da
Silva. Engenheira Química, Anna entrou na Companhia em 1987. Entre 2000 e
2007, atuou como gerente de Instalações de Superfície do Ativo de Marlim Sul
(UN-Rio). Sócrates, engenheiro mecânico, atua no Sistema Petrobras há mais
de 30 anos e está na Área Internacional desde 2001, como consultor de
negócios da Inter-TEC e da Inter-DN.

Novos desafios
Nestor Cerveró, que exerceu o cargo de diretor da Área Internacional nos
últimos cinco anos, foi nomeado pela Petrobras Distribuidora como novo
diretor Financeiro da subsidiária.

possível visualizar áreas e locais onde pode- sil em engenharia de construção e de mon- O negócio de petróleo teve um forte aque-
mos aumentar nossas atividades. tagem industrial. Penso que os fornecedo- cimento nos últimos anos. Os aspectos eco-
res nacionais poderiam também ser apoia- nômicos e conjunturais da nossa indústria fi-
Então, intensificar a diversificação do dores dos projetos internacionais. Obviamen- zeram com que as operadoras no mundo pro-
portfólio será prioridade? te, após uma análise dos aspectos compe- curassem antecipar seus projetos, assim como
Vai depender da oportunidade de negó- titivos e de negócio. a Petrobras está fazendo também. Há uma
cios e da análise do que for mais rentável. competição muito grande por todo tipo de
Podemos investir em distribuição, por exem- O que o senhor espera do corpo ge- recursos para viabilizar o desenvolvimento des-
plo, ou em outras áreas, desde que se iden- rencial, técnico e administrativo? ses projetos. Estão incluídos aí os equipa-
tifiquem oportunidades de crescimento que Estou aos poucos entrando em contato mentos e materiais, bem como os recursos
aportem valor estratégico. Não estaremos com as áreas e conhecendo os objetivos e humanos e a competência técnica. Esse ce-
restritos a priorizar este ou aquele investimen- particularidades de cada uma. O que tenho nário tende a se acirrar ainda mais.
to, mas, sim, investimentos que agreguem dito a todos aqueles com quem já tive con-
valor estratégico e resultados positivos tato é que estou aqui como diretor para dar Quais são seus planos para a Área In-
para a Petrobras. suporte e todo o apoio ao desenvolvimen- ternacional alcançar os melhores resul-
to daquilo que formos desafiados a reali- tados?
Que experiências de sua atuação no zar, isso considerando tanto o nosso plano Após ter conhecimento de todas as áreas,
upstream nacional o senhor vai trazer para de negócio como o planejamento estraté- quero fortalecer a parte de gestão. Sei que
a Área Internacional? gico da Companhia. Espero o mesmo da for- todos estão fazendo o seu melhor, mas re-
A experiência em gestão de projetos pode ça de trabalho, para que possamos, juntos, forçar os aspectos de gestão é a maneira de
dar suporte às nossas unidades. Até agora, desenvolver um trabalho alinhado. Contem conseguir manter ou incrementar a integra-
na Internacional, temos tido muitos projetos comigo, assim como tenho a certeza de que ção entre as áreas. Na Área Internacional, isto
de parceria, o que está correto. Atuando como posso contar com vocês. é ainda mais desafiante porque lidamos com
operadores, estamos trabalhando com uni- cenários muito distintos. Nossos profissionais
dades afretadas. Dependendo do ciclo de vida Qual o maior desafio que a Internacio- têm competência técnica e gerencial, e acre-
dos campos, uma possibilidade é utilizar uni- nal vai enfrentar nos próximos anos? dito que meu papel é o de auxiliar a dar um
dades próprias. Temos capacitação no Bra- Acho que é a competição internacional. peso adequado à gestão corporativa.
Banco de Imagens Petrobras

7
Lançada Universidade Petrobras Online
GESTÃO DO CONHECIMENTO

NOVO FORMATO OFERECE OPORTUNIDADES DE CAPACITAÇÃO VIRTUAL E MAIOR ABRANGÊNCIA


Cursos virtuais de gerencia- ções à gerência local de RH. para auxiliar no desenvolvi- questões sobre desenvolvi-
mento de serviços em TI (ITLL), O conteúdo do site é di- mento pessoal e profissional mento de equipes.
em espanhol, e o de Formata- vidido em cinco perfis, o que do empregado, enquanto o Próximos passos
ção de Documentos Petrobras facilita a localização dos as- perfil Gerente contém informa- Outros conteúdos necessá-
em ambiente Lotus Notes, em suntos de interesse. No per- ções sobre necessidades de rios ao atendimento das unida-
espanhol e inglês, estão dispo- fil Aluno, por exemplo, podem capacitação e aperfeiçoa- des no exterior serão estuda-
níveis para empregados no ex- ser encontradas soluções mento de líderes, além de dos pelo RH da Área Interna-
terior, em suas próprias estações cional e pela Universidade
de trabalho. A Universidade Petrobras, e poderão ser tra-
Petrobras lançou a UP Online, duzidos para qualquer idioma.
que oferece produtos e serviços As próximas fases de im-
como cursos via web, avaliação plantação da UP Online prevê-
online, consultoria de educação em a criação do ambiente de
à distância, banco de professo- colaboração; a oferta de vídeo
res, projetos pedagógicos e ho- sob demanda; repositório de
mologação de fornecedores. material didático digital; acer-
O endereço eletrônico da UP vo de teses, dissertações e tra-
Online é: http://www.rh.petrobras. balhos finais de cursos; e sala
com.br/hotsites/Mini_Site_UP_On- de aula virtual, através da
line/Inicial/inicial.htm. O primeiro qual os professores poderão
passo para entrar no “ambien- interagir com inúmeros alunos
te virtual de aprendizagem” é dos pontos mais distantes do
solicitar uma senha e orienta- O mini-site da UP Online facilita a localização dos itens de interesse Brasil e do exterior.

Internacional Cone Sul investe em ferramenta


de gestão para integrar pessoas e negócios
Integrar pessoas e informa- vantes, de alto valor estratégi- Isso garante que as pessoas des e a integração entre as pes-
ções é integrar negócios. Com co”, explica Herval Cândido (In- compartilhem o conhecimen- soas das unidades do exterior
essa idéia, a gerência de Inte- ter-CS/Integ/OGE), responsá- to e seja mantida a seguran- e as do Brasil – de forma que
gração de Mercados do Cone vel por administrar o sistema. ça da informação", completa. todas tenham o mesmo pano-
Sul criou um espaço para tro- “Nesse ambiente, de acesso Algumas das vantagens rama da situação atual e futu-
ca de informações, asseguran- restrito, cadastramos o usuá- da ferramenta de gestão do co- ra dos mercados de óleo, gás
do a agilidade, precisão e se- rio de acordo com seu perfil e nhecimento são a redução do e energia, por exemplo, e uti-
gurança dos dados. Na comu- necessidades de informação. tempo no controle das ativida- lizem a mesma linguagem.
nidade virtual, batizada de Co-
nosur-Integ, são disponibiliza-
dos informes gerenciais e ope-
racionais, calendários de even-
tos e notícias publicadas nos
principais veículos de comuni-


cação da América do Sul.
Cerca de 220 profissionais
do Brasil, Bolívia, Argentina, Pa- Cadastramos
raguai, Uruguai, Chile, Peru e o usuário de
Venezuela estão cadastrados. acordo com perfil
“Usamos a ferramenta Quick- e necessidade de
Place, da IBM, como um re- informações”
positório único de dados rele- Herval Cândido

8
Petrobras Energia prioriza

ARGENTINA
o aumento da rentabilidade Petrobras Energia
feriu aos objetivos específicos de todos os
países onde a empresa está presente – Bo-
lívia, Brasil (petroquímica Innova), Equador,
Diretor Executivo dialogou Peru e Venezuela. Destaque especial foi
com o público interno ao dado à Argentina, sede da empresa. “O
assunir o cargo
ano de 2008 será chave para a explora-
ção. Vamos aumentar o ritmo de perfura-
ções em território argentino, e espero ter
pra vocês algumas boas notícias sobre isso
no final do ano”, adiantou.
O executivo elogiou a implantação, des-
de o ano passado, de um sistema de ges-
tão no qual profissionais oriundos de seg-
mentos de negócio distintos passam a ocu-
par assentos nas diretorias das compan-
umentar a rentabilidade sem e enfrentar o aumento de custos que afe- hias controladas pela Pesa. “Caso haja duas
A esquecer a responsabilidade so-
cial, colaborando com as socie-
ta toda a indústria”, disse Oddone.
O executivo citou os principais desafios
posições na diretoria, sempre que possí-
vel uma delas será ocupada por uma pes-
dades e governos, e respeitando força de estratégicos da Petrobras Energia em seus soa vinda de outra área, como jurídico ou
trabalho, clientes e fornecedores. Este é segmentos de negócio. Ampliar a produção finanças. Assim, a gestão poderá ser feita
o grande desafio atual da Petrobras e as reservas é a prioridade no E&P, enquan- de forma mais integrada e eficiente”.
Energia (Pesa) nas palavras do novo dire- to no downstream se busca aumentar a ren-
tor gerente executivo (DGE), Décio Oddo- tabilidade. Em Gás e Energia, o foco é o de- Comunicação direta
ne, que dedicou seu primeiro dia à frente senvolvimento de novas soluções energé- Décio Oddone aproveitou a ocasião
da empresa, em 1º de fevereiro, a comu- ticas, maximizando as sinergias com a hol- para anunciar o canal de comunicação
nicar-se ao vivo com todos os emprega- ding. A manutenção da liderança da Com- direta entre a força de trabalho e a alta
dos por videoconferência. panhia na produção de estirênicos na Amé- direção da empresa, pelo e-mail
“Quero compartilhar a visão e o desa- rica do Sul é prioritária em Petroquímica e dge@petrobras.com. “Queremos um
fio da empresa com vocês, e alinhá-los para Fertilizantes, assim como a melhoria da efi- ambiente aberto, transparente em que as
que juntos possamos conseguir os resul- ciência operacional deste segmento. pessoas tenham a capacidade de suge-
tados esperados pelos acionistas e por to- rir e criticar, de expressar e ser ouvidas,
dos nós. Temos de buscar novos concei- Ano-chave para a exploração numa comunicação permanente, fluída e
tos, fazer mais com os mesmos recursos O novo DGE da Pesa também se re- constante”, completou o executivo.

Setenta anos de investimentos no refino em San Lorenzo


Um dos marcos da industrialização da Argentina fez 70 anos em
San Lorenzo
fevereiro. É a refinaria de San Lorenzo, inaugurada em 1938 e ontem e hoje:
considerada à época a “mais moderna do mundo” nas palavras de sete décadas de
seus construtores. Localizada na província de Santa Fé, no centro- atividade com
investimentos
leste do país, a refinaria entra em sua oitava década de existência contínuos
dando mostras que se saiu bem no teste na passagem do tempo.
A capacidade de processamento da planta – adquirida pela Petrobras,
em 2002 – evoluiu de cerca de nove mil barris por dia, quando foi
inaugurada, para aproximadamente 38 mil barris diários na atualidade.
San Lorenzo passou pelo maior revamp de sua história em 2006, com
investimentos de US$ 450 milhões, e hoje produz gasolinas Podium,
Super e comum; combustível de aviação, diesel, querosene e asfaltos,
entre outros derivados. Para os próximos cinco anos, estão previstos
novos investimentos de porte, da ordem US$ 500 milhões. O montante
será destinado à unidade de hidrotatamento de produtos relacionados a
melhorar a qualidade do diesel; à unidade de hidroconversão, com o
objetivo de aumentar a rentabilidade do ativo; e a um novo revamp da 9
refinaria para adequá-la ao processamento de petróleo pesado.
Aquisições de ativos
GESTÃO

ÁREA INTERNACIONAL ADAPTA METODOLOGIA PARA INTEGRAR EMPRESAS AO SISTEMA PETROBRAS


Petrobras

PMI está sendo parcialmente


utilizado na integração da
Refinaria de Okinawa, no Japão

Crescer por aquisições tem sido uma opção para empresas após a aquisição – ou PMI (Post Merger
ampliar a atuação internacional da Petrobras. Para Integration), como é conhecida esta operação no
consolidar o Modelo de Gestão da Companhia, as exterior. Nesta entrevista, Luiz Gustavo Primo, (foto)
gerências de Suporte à Gestão e de Incorporação de gerente de Suporte à Gestão (Inter-Corp/SG) e
Empresas e Ativos (Inter-Corp/SG/IEA) contrataram responsável pela implementação da metodologia,
uma das maiores consultorias estratégicas do mundo, explica a importância do processo de integração para
de forma a estruturar o processo de integração de o sucesso das aquisições da Área Internacional.

O que é a PMI e como atenderá à Área metodologia a ser construída e poderão atuar Os custos de integração de um ativo po-
Internacional? nos futuros processos de integração. dem chegar a 14% do valor da aquisição.
A metodologia de Post Merger Integra- Além disso, em muitas aquisições serão in-
tion é uma forma de integrar uma nova em- A PMI já será adotada na refinaria corporados ativos gerenciados por empre-
presa ou ativo ao Sistema Petrobras, cap- Nansei Sekiyu, recém-adquirida em Oki- sas líderes da indústria do petróleo, em am-
turando os valores percebidos na avaliação nawa, no Japão? bientes altamente competitivos, e esta é uma
do negócio adquirido. Em dezembro de O processo de integração da refinaria de excelente oportunidade de aprendizagem
2007, iniciamos a construção dessa me- Okinawa teve início em novembro de e aperfeiçoamento de nossas práticas de
todologia, com o apoio da consultoria Oli- 2007, antes do início da construção des- gestão. No futuro, essa metodologia irá pro-
ver Wayman e a participação de profissio- ta nova metodologia. Por isso, não a es- porcionar uma implementação rápida e efi-
nais de diversas áreas da Petrobras. tamos aplicando plenamente. Mas muitos ciente das melhores práticas de gestão da
aspectos observados nesta fase de cons- Petrobras nas empresas e ativos adquiri-
Em que fase está esse trabalho? trução da metodologia já estão sendo uti- dos no exterior.
As melhores práticas de PMI foram dis- lizados naquela refinaria. De agora em dian-
tribuídas aos profissionais indicados pelos res- te, nosso objetivo é empregar essa meto- Quando teremos a construção des-
pectivos gerentes como subject dologia em todos os novos processos de sa metodologia concluída?
mater experts (SME). Esses líderes do pro- integração de empresas e ativos. O projeto de construção deve ser con-
cesso estão comentando o material e serão cluído até final de março. Entretanto, essa
reconhecidos como co-autores da metodo- Qual é a importância estratégica primeira versão da metodologia será con-
10 logia. Posteriormente, eles serão treinados na dessa metodologia para a Companhia? tinuamente aperfeiçoada.
RELACIONAMENTO
Cineastas bolivianos
aplaudem a Petrobras
A
Petrobras foi reconhecida por
seu apoio ao desenvolvimen-
to em nome da Petrobras, a única com-
panhia privada homenageada na ocasião. Bem-vindo
to do cinema na Bolívia duran- Na Bolívia, a Companhia contribui para
te a cerimônia de comemoração do dé-
cimo quarto aniversário do Conselho Na-
a atividade cinematográfica: apóia o Fes-
tival Ibero-Americano de Cinema desde
ao Uruguai
cional de Cinema (Conacine). seu início (1997), patrocina o Concurso Os turistas brasileiros que
Realizado em fevereiro em La Paz, o Nacional de Roteiro e também o Fundo chegam ao Uruguai de carro estão
evento contou com a presença do vice- Nacional de Fomento ao Curta-Metragem. recebendo as boas-vindas da
ministro de Desenvolvimento de Culturas, Além disso, a Feira do Livro de San- Petrobras. A iniciativa ganha corpo
Pablo Groux, e do diretor do Conacine, ta Cruz e La Paz também conta com o por meio de um folheto – distribuído
Armando Urioste, além de vários cineas- apoio da Petrobras num concurso de Li- na entrada do país, no Ministério do
tas e instituições que apóiam a sétima arte teratura e Cinema que premia anualmen- Turismo e nos postos Petrobras –
no país. A profissional de comunicação Va- te a melhor adaptação de obra literária com informações úteis para quem
nessa Canudas recebeu o reconhecimen- para roteiro cinematográfico. vai conhecer, em quatro rodas, o
país ao sul do Brasil. Além de
sugestões turísticas, um mapa com
as principais rodovias e um pequeno
glossário, o folheto traz números de
telefones úteis e um resumo das
normas de trânsito, enfocando as
diferenças em relação ao Código de
Trânsito Brasileiro.
Por um lado, a ação de marketing
e comunicação facilita a vida do
visitante e, por outro, chama a
atenção do motorista para a
disponibilidade de uma rede de 89
estações de serviço com o padrão
de qualidade Petrobras. A iniciativa
recebeu apoio dos ministérios do
Interior e do Turismo do Uruguai,
A profissional de comunicação Vanessa Canudas, da UN-Bolívia, recebeu a
além da Embaixada do Brasil no país.
homenagem de Armando Urioste, diretor do Conacine: apoio à sétima arte
11
Velocidade máxima
GENTE

rumo aos cinemas

Arte sobre foto de divulgação Warner Bros. e ilustração de Marcus Vinicuius


Aperto no trem
Decorar frases prontas em outra língua pode ser
uma boa saída para conquistar a simpatia das pessoas
em terra estrangeira. Que o diga Guilherme Barbosa,
coordenador de Gestão de Portfólio (Inter-AFE/GP).
Durante uma missão na França, onde participou de
uma reunião com sócios da Petrobras, ele passou por
um embaraço que o fez reviver os tempos de escola.
“Estava num vagão do metrô rumo ao centro de
FÃS DE SPEED RACER AGUARDAM ANSIOSOS
Paris, quando uma senhora tipicamente francesa, bem PELO FILME QUE EXIBIRÁ MARCA PETROBRAS
vestida, com chapéu e sombrinha, me perguntou se o
trem iria a Paris-Central”, conta Guilherme. Ele diz que aixão antiga sempre pode vol- das as corridas jogando limpo”, lembra
não titubeou e respondeu no seu bom e fluente inglês,
já que sua performance em francês deixava a desejar. P tar. Ainda mais se um block- Michelle, que acredita que o filme refor-
buster de Hollywood ajudar a çará a imagem da Petrobras nos Esta-
Enfurecida, a senhora saiu do vagão resmungando reavivá-la. É o que se percebe entre fãs dos Unidos, como uma empresa ligada
e acusando-o de não ser um nativo. Se não bastasse, do antigo desenho animado Speed Ra- à tecnologia de ponta nos combustíveis.
Guilherme ainda teve que enfrentar os olhares cer, que terá versão cinematográfica lan- Nos países de língua espanhola, tan-
assustados dos outros passageiros. “Fiquei muito sem çada mundialmente em 9 de maio. Nes- to a série quanto o personagem princi-
graça. Ainda bem que outro estrangeiro me foi sa turma, espalhada pelo mundo, há mui- pal ganharam outro nome: Meteoro. O
solidário”, conta, aliviado. tos empregados da Petrobras, Arquivos pessoais sucesso, porém, foi igual. No
A partir daquele momento, ele passou a recorrer que estará presente no filme Paraguai, por exemplo, Mar-
ao seu francês do colegial. O dia começava com o por meio de um acordo com tha Perrot, do setor de abas-
cumprimento bonjour; para agradecer, dizia merci a Warner Bros. e a Village tecimento, lembra que ela e
beaucoup, e oui, mademoiselle para concordar à Road Pictures, e terá sua seus irmãos paravam tudo
Fernando de Roque
moda formal. “O francês tem uma resistência cultural à marca presente em vários para ver o seriado. “Também
presença de outra língua estrangeira. Não adianta momentos da trama. era o assunto do dia seguin-
insistir. Tirei expressões do fundo do baú”, brinca. Um dos fãs petroleiros de te na hora do recreio do co-
Graças às lições da escola, Guilherme conseguiu Speed, o geofísico brasilei- légio”, diverte-se.
degustar seu prato predileto – les moules au ro Fernando de Roque, Martha Perrot O fenômeno Speed Racer
roquefort en cocotte (mexilhões com queijo, atualmente na UN-Nigéria, chegou a unir várias gerações
servidos em panela de cobre) teve uma grata surpresa ao na Argentina. Ariel Di Pietro,
– no tradicional restaurante saber tanto do filme quan- dos Recursos Humanos da
Leon de Bruxelles, no to da participação da Com- Petrobras Energía, foi apresen-
Champs-Élysées. panhia. Suas primeiras lem- Michelle Gatica tado ao seriado por outro fã
“Esse pedido sei fazer branças do seriado remon- – seu pai –, que também o pre-
direitinho em francês. tam aos anos 1960. “Minha senteou com uma miniatura
E é um prato que família era a única da vi- do Mach 5, o lendário bólido
eu recomendo”, zinhança a ter tevê – na de Speed.
Ariel Di Pietro
completa. época um artigo de luxo –, “O carrinho causava inve-
o que fazia com que a molecada toda ja entre meus amigos”, orgulha-se Ariel,
enchesse a sala da minha casa pra ver que até hoje lamenta que seu irmão mais
Arquivo pessoal

a série”, diz Fernando. novo tenha quebrado a cobiçada minia-


A norte-americana Michelle Gatica, do tura. De qualquer forma, Ariel – que já
setor de documentação da Petrobras viu o trailer e não se cansa de buscar
America, também é fã incondicional. informações sobre o filme na internet –
“Speed se livrava de várias armadilhas garante que a família irá unida ao cine-
dos adversários e conseguia vencer to- ma assim que a produção estrear.
12