Você está na página 1de 14

Boas Práticas Ambientais - RESÍDUOS SÓLIDOS

Boas Práticas Ambientais - RESÍDUOS SÓLIDOS Beatriz Chiella Isabela Asanome RA: 89378 RA: 94767 Fernanda Liu

Beatriz Chiella Isabela Asanome

RA: 89378 RA: 94767

Fernanda Liu Leonardo Caleffi

RA: 93678 RA: 84685

RESÍDUOS SÓLIDOS

Resíduos sólidos constituem aquilo que genericamente se chama lixo:

materiais sólidos considerados sem utilidade, supérfluos ou perigosos, gerados pela atividade humana, e que devem ser descartados ou eliminados.

sem utilidade, supérfluos ou perigosos, gerados pela atividade humana, e que devem ser descartados ou eliminados.

POLÍTICA DOS 3 R’s

REDUZIR: diminuir a quantidade de resíduos residuais que se produz. Os consumidores devem adotar comportamentos verdes, comprando somente se necessitarem, utilizando sempre que possível materiais resistentes, que apresentem um maior tempo de vida útil e rejeitando tudo o que for de usar uma vez só.

REUTILIZAR: utilizar mais do que uma vez um determinado produto.

RECICLAR: transformar o resíduo antes inútil em matérias-primas ou novos produtos, é um benefício tanto ambiental (diminuindo o uso de recursos naturais, muitos dos

um benefício tanto ambiental (diminuindo o uso de recursos naturais, muitos dos quais não renováveis) como

quais não renováveis) como energético.

POLÍTICA DOS 5 R’s

POLÍTICA DOS 5 R’s

HIERARQUIA DAS OPERAÇÕES DE GESTÃO DE RESÍDUOS

A principal prática é promover o princípio da hierarquia das operações de gestão de resíduos, procurando em primeiro lugar a prevenção e a redução, seguidas da preparação para reutilização, reciclagem ou outras formas de valorização. A deposição em aterro constitui a última opção de gestão.

reciclagem ou outras formas de valorização. A deposição em aterro constitui a última opção de gestão.

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS

Identificar e classificar os resíduos segundo a Lista Europeia de Resíduos (LER):

GRUPO I - RESÍDUOS EQUIPARADOS A URBANOS -Resíduos provenientes de serviços gerais;

- Embalagens e invólucros comuns. GRUPO II - RESÍDUOS NÃO PERIGOSOS

- Embalagens de medicamentos vazias ou de produtos de uso clínico. GRUPO III - RESÍDUOS DE RISCO BIOLÓGICO

- Resíduos contaminados de sangue. GRUPO IV- RESÍDUOS HOSPITALARES ESPECÍFICOS

- Materiais cortantes e perfurantes.

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS ● Reaproveitar papéis de fotocópias como rascunho, utilizando o verso para tirar

Reaproveitar papéis de fotocópias como rascunho, utilizando o verso para tirar apontamentos ou anotações;

Reutilizar as embalagens de cartão e envelopes de circulação interna - minimizar os consumos de papel;

Imprimir versões provisórias numa escala reduzida (mais que uma página por folha), frente e verso e em modo rascunho;

Utilizar preferencialmente o email como forma de enviar e analisar documentos;

Evitar desperdiçar papel de secagem das mãos (2 folhas são suficientes);

forma de enviar e analisar documentos; ● Evitar desperdiçar papel de secagem das mãos (2 folhas

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS

Utilizar preferencialmente pilhas recarregáveis;
Os estabelecimentos que comercializem pilhas, óleos de cozinha usados, pneus, equipamentos eletrônicos, pilhas e carregadores devem aceitar os produtos usados, sem que o cliente precise comprar um produto novo;
Utilizar mais que uma vez as garrafas de plástico em vez de adquirir novas.
Definir zonas específicas no interior da empresa, devidamente identificadas, para colocação dos recipientes de recolha e armazenamento dos resíduos que nela são produzidos;
Não misturar resíduos diferentes nos contentores. Evite contaminações cruzadas;

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS ● Retirar as rolhas e as tampas sempre que são feitas de outros

Retirar as rolhas e as tampas sempre que são feitas de outros materiais diferentes da embalagem. Sempre que possível devem espalmar-se as embalagens para reduzir o espaço que ocupam e assim rentabilizar o espaço do recipiente onde são colocadas;
Não misturar alimentos, nem embalagens sujas no material para reciclar;
Assegurar a correta utilização dos materiais e produtos - Ler o rótulo;
Não utilizar produtos sem identificação;
Garantir a existência de fichas de dados de segurança;
Identificar e sinalizar todos os locais e recipientes que contenham produtos químicos;

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS ● Utilizar dispositivos para conter pequenos derrames; ● Assegurar a adequada gestão das

Utilizar dispositivos para conter pequenos derrames;
Assegurar a adequada gestão das pequenas quantidades de resíduos perigosos, que resultam da utilização de certos materiais e produtos (ex. detergentes amoniacais, agentes à base de lixívia, solventes orgânicos, aerossóis, agentes de desentupimento, tintas, vernizes, agentes desengordurantes);
Sensibilizar colaboradores e consumidores para a correta gestão dos resíduos;
Separar e acondicionar embalagens de papel/cartão e plástico em fardos, big-bag ou em contentor/ compactador;

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS ● Assegurar o correto funcionamento dos equipamentos de recolha e armazenamento, tais como

Assegurar o correto funcionamento dos equipamentos de recolha e armazenamento, tais como prensas e compactadores;
Separar e acondicionar resíduos orgânicos e resíduos indiferenciados em sacos para minimizar situações de maus cheiros;
Armazenar corretamente óleos alimentares usados, evitando a colocação de óleo quente e prevenindo eventuais derrames;
Assegurar a correta segregação e armazenagem dos óleos lubrificantes usados, evitando a mistura com outras substâncias e prevenindo eventuais derrames. Quando necessário, devem ser utilizados materiais adequados para a absorção de derrames ou limpeza de superfícies, com posterior deposição em contentor destinado para o efeito;

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS - PRODUTORES

Redução da perigosidade dos materiais utilizados na concepção dos produtos;

Minimização do peso e espessura das embalagens (redução do uso de matérias-primas), sem comprometer a qualidade e desempenho;

Redução do tipo de materiais que constituem a embalagem;

Uso de materiais provenientes de fontes renováveis;

Incorporação de material reciclado no fabrico da embalagem;

Melhoria das técnicas de enchimento e ensacagem;

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS - PRODUTORES

Utilização do sistema de eco-recarga e/ou de produtos concentrados;

Definição reaproveitamento da embalagem:

retornável ou reciclável;

Concepção de produtos com a garantia de um consumo eficiente de recursos naturais e energia e de forma a aumentar a sua vida útil;

Otimização do processo de desmontagem, reutilização e reciclabilidade do produto.

a aumentar a sua vida útil; ● Otimização do processo de desmontagem, reutilização e reciclabilidade do

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS - DISTRIBUIDORES

BOAS PRÁTICAS AMBIENTAIS - DISTRIBUIDORES ● Promover junto do Produtor a concepção e desenvolvimento dos produtos

Promover junto do Produtor a concepção e desenvolvimento dos produtos com base no ecodesign;
Promover boas práticas de consumo mais sustentável (eco consumo) junto do Consumidor;
Disponibilizar ao Consumidor produtos em embalagens reutilizáveis;
Desenvolver programas de reutilização/reciclagem de sacos de plástico;
Garantir que os sacos de compras são, tendencialmente, fabricados em materiais biodegradáveis;
Sensibilizar o consumidor para a importância da reutilização dos sacos de compras.