Você está na página 1de 7

6O DOMINGO DO TEMPO COMUM

Ano B | Cor: Verde | 11 de fevereiro de 2018


1. REFRÃO MEDITATIVO
Deus é bom, Deus é Pai,/Deus é Santo, Deus é amor!

2. ENTRADA
1. No meu coração sinto o chamado / Fico inquieto: preciso responder / Então
pergunto: “ Mestre, onde moras?” / E me respondes que é preciso caminhar /:
Seguindo teus passos, fazendo a história / Construindo o novo no meio do povo /:
Mestre, onde moras? / Mestre, onde estás? / No meio do povo / Vem e verás.
2. Te vejo em cada rosto das pessoas / Tua imagem me anima e faz viver / No
coração amigo que se doa / No sonho do teu Reino acontecer /: Teu Reino é justiça,
é paz, é missão / É a Boa Nova da libertação.
3. Tua Palavra abre novos horizontes, / É um convite de serviço aos irmãos / A fé me
dá coragem de assumir / Teu projeto nesta vida, neste chão /: Meu sim é resposta, é
meu jeito de amar / Estar com teu povo, contigo morar. /:

3. ATO PENITENCIAL
1. Senhor, que viestes salvar os corações arrependidos.
Kyrie eleison, eleison, eleison (2x ).
Ó Cristo, que viestes chamar os pecadores humilhados.
Christe eleison, eleison, eleison (2x).
Senhor, que intercedeis por nós junto a Deus Pai que nos perdoa.
Kyrie eleison, eleison, eleison(2x ).

4. GLÓRIA
Glória, glória! Anjos no céu / Cantam todos seu amor! / E na terra, homens de
paz: / “Deus merece o louvor!”
1. Deus e Pai, nós vos louvamos, / Adoramos, bendizemos, / Damos glória a vosso
nome, / Vossos dons agradecemos!
2. Senhor nosso, Jesus Cristo, / Unigênito do Pai, / Vós, de Deus Cordeiro Santo, /
Nossas culpas perdoai!
3. Vós que estais junto do Pai / Como nosso intercessor, / Acolhei nossos pedidos, /
Atendei nosso clamor!
4. Vós somente sois o Santo, / O Altíssimo, o Senhor, / Com o Espírito Divino, / De
Deus Pai no esplendor.

ORAÇÃO DA COLETA
Ó Deus, que prometestes permanecer nos corações sinceros e retos, dai-nos, por
vossa graça, viver de tal modo, que possais habitar em nós. PNSJC.
T.: Amém!

5. PRIMEIRA LEITURA
Lv 13,1-2.44-46
Leitura do livro do Levítico
O Senhor falou a Moisés e Aarão, dizendo: “Quando alguém tiver na pele do seu
corpo alguma inflamação, erupção ou mancha branca, com aparência do mal da
lepra, será levado ao sacerdote Aarão, ou a um dos seus filhos sacerdotes.
Se o homem estiver leproso é impuro, e como tal o sacerdote o deve declarar. O
homem atingido por este mal andará com as vestes rasgadas, os cabelos em
desordem e a barba coberta, gritando: ‘impuro, impuro!’
Durante todo o tempo em que estiver leproso será impuro; e, sendo impuro, deve
ficar isolado e morar fora do acampamento”.
Palavra do Senhor.
T.: Graças a Deus!

6. SALMO 31(32)
Sois, Senhor, para mim, alegria e refúgio.
1. Feliz o homem que foi perdoado / e cuja falta já foi encoberta! / Feliz o homem a
quem o Senhor / não olha mais como sendo culpado, / e em cuja alma não há
falsidade!
2. Eu confessei, afinal, meu pecado, / e minha falta vos fiz conhecer. / Disse: “Eu irei
confessar meu pecado!” / e perdoastes, Senhor, minha falta.
3. Regozijai-vos, ó justos, em Deus, / e no Senhor exultai de alegria! / Corações
retos, cantai jubilosos!

7. SEGUNDA LEITURA
1 Cor 10,31-11,1
Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios
Irmãos: Quer comais, quer bebais, quer façais qualquer outra coisa, fazei tudo
para a glória de Deus. Não escandalizeis ninguém, nem judeus, nem gregos, nem a
igreja de Deus. Fazei como eu, que procuro agradar a todos, em tudo, não buscando
o que é vantajoso para mim mesmo, mas o que é vantajoso para todos, a fim de que
sejam salvos.
Sede meus imitadores, como também eu o sou de Cristo.
Palavra do Senhor.
T.: Graças a Deus!

8. CANTO DE ACLAMAÇÃO
Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia! (bis).
1. Um grande profeta surgiu, surgiu e entre nós se mostrou; é Deus que seu povo
visita, seu povo, meu Deus visitou!

9. EVANGELHO
Mc 1,40-45
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos
Naquele tempo, um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: “Se queres
tens o poder de curar-me”. Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele,
e disse: “Eu quero: fica curado!” No mesmo instante a lepra desapareceu e ele ficou
curado.
Então Jesus o mandou logo embora, falando com firmeza: “Não contes nada disso
a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés
ordenou, como prova para eles!” Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato.
Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em
lugares desertos. E de toda parte vinham procurá-lo.
Palavra da Salvação.
T.: Glória a Vós, Senhor!

10. PROFISSÃO DE FÉ

ORAÇÃO DO DIZIMISTA
Aceitai, Senhor, com meu Dízimo, a minha gratidão. Quero ser membro ativo da
Igreja. O Senhor me dá tantos dons, a começar pela própria vida. Eu quero devolver
em forma de serviço, em forma de oferta.
Aceitai, Senhor, o meu desejo de participar na missão da Igreja de santificar, de ser
anúncio da Boa Nova de Jesus, de transformar o mundo para ser de Deus e de todas
as pessoas.
Aceitai, Senhor, minha oferta, fruto do meu trabalho e sacrifício de cada dia. Não
quero me omitir e nem dar só uma esmola. Maria, Mãe de Jesus e nossa, dá-nos a
força de perseverar e de animar outras pessoas a serem dizimistas, a
comprometerem-se efetivamente com o Reino de Deus.
Amém!

11. CANTO DAS OFERTAS


Aceita, Senhor, nossos dons! Aceita, Senhor, nosso pão! Aceita, Senhor,
nosso vinho! Aceita, Senhor, nossa gente / Sofrida, oprimida, esquecida!
Aceita esta dor que machuca demais.
1. Aceita, também, nossa fome de paz, / Aceita, Senhor, nossa fome de amor /
Aceita, Senhor, este humano calor / dos povos latinos que querem viver / sem fome
e sem medo num mundo de paz / na paz da justiça de homens iguais...
Aceita, Senhor, nosso Deus, / os dons que, por certo, são teus (bis).
2. Aceita, também, nossos povos Senhor, / crianças e jovens sedentos de amor / e
todos aqueles sem voz e sem vez / com fome de paz, de amor e de pão, / que
esperam os ventos da renovação, / à luz do que disse Jesus, nosso irmão.
Aceita, Senhor, nosso Deus, / os dons que, por certo, são teus (bis).

SOBRE AS OFERENDAS
Ó Deus, que este sacrifício nos purifique e renove, e seja fonte de eterna
recompensa para os que fazem a vossa vontade. PCNS.
T.: Amém!

12. ORAÇÃO EUCARÍSTICA VI-A

Pr.: Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças e


cantar-vos um hino de glória e louvor, Senhor, Pai de infinita bondade.
Pela palavra do Evangelho do vosso Filho reunistes uma só Igreja de todos os
povos, línguas e nações. Vivificada pela força do vosso Espírito não deixais, por
meio dela, de congregar na unidade todos os seres humanos.
Assim, manifestando a aliança do vosso amor, a Igreja transmite constantemente
a alegre esperança do vosso reino e brilha como sinal da vossa fidelidade que
prometestes para sempre em Jesus Cristo, Senhor nosso.
Por essa razão, com todas as virtudes do céu, nós vos celebramos na terra,
cantando com toda a Igreja a uma só voz:

SANTO
1. Santo, santo, Senhor Deus do Universo. Céus e terra proclamam, proclamam vossa
glória!
Hosana, hosana! Hosana nas alturas! Hosana nas alturas! Hosana ao Senhor!
2. Bendito Aquele que vem em nome do Senhor! Em nome do Senhor.

Pr.: Na verdade, vós sois santo e digno de louvor, ó Deus, que amais os seres
humanos e sempre os assistis no caminho da vida. Na verdade, é bendito o vosso
Filho, presente no meio de nós, quando nos reunimos por seu amor. Como outrora aos
discípulos, ele nos revela as Escrituras e parte o pão para nós.
T.: O vosso Filho permaneça entre nós!

Pr.: Nós vos suplicamos, Pai de bondade, que envieis o vosso Espírito Santo para
santificar estes dons do pão e do vinho, a fim de que se tornem para nós o Corpo e †
o Sangue de nosso Senhor Jesus Cristo.
T.: Mandai o vosso Espírito Santo!
Pr.: Na véspera de sua paixão, durante a última Ceia, ele tomou o pão, deu graças e
o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:
TOMAI, TODOS, E COMEI...

Pr.: Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele, tomando o cálice em suas mãos, deu
graças novamente e o entregou a seus discípulos, dizendo:
TOMAI, TODOS, E BEBEI...

Pr.: Eis o mistério da fé!


T.: Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e
ressurreição!

Pr.: Celebrando, pois, ó Pai santo, a memória de Cristo, vosso Filho, nosso Salvador,
que pela paixão e morte de cruz fizestes entrar na glória da ressurreição e colocastes
à vossa direita, anunciamos a obra do vosso amor até que ele venha e vos
oferecemos o pão da vida e o cálice da bênção.
Olhai com bondade para a oferta da vossa Igreja. Nela vos apresentamos o
sacrifício pascal de Cristo que vos foi entregue. E concedei que, pela força do
Espírito do vosso amor, sejamos contados, agora e por toda a eternidade, entre os
membros do vosso Filho, cujo Corpo e Sangue comungamos.
T.: Aceitai, ó Senhor, a nossa oferta!

Pr.: Renovai, Senhor, à luz do Evangelho, a vossa Igreja. Fortalecei o vínculo da


unidade entre os fiéis leigos e os pastores do vosso povo, em comunhão com o
nosso Papa N. e o nosso Bispo N., e os bispos do mundo inteiro, para que o vosso
povo, neste mundo dilacerado por discórdias, brilhe como sinal profético de unidade
e de paz.
T.: Confirmai na caridade o vosso povo!

Pr.: Lembrai-vos dos nossos irmãos e irmãs que adormeceram na paz do vosso
Cristo, e de todos os falecidos, cuja fé só vós conhecestes: acolhei-os na luz da
vossa face e concedei-lhes, no dia da ressurreição, a plenitude da vida.
T.: Concedei-lhes, ó Senhor, a luz eterna!

Pr.: Concedei-nos ainda, no fim da nossa peregrinação terrestre, chegarmos todos à


morada eterna, onde viveremos para sempre convosco. E em comunhão com a bem-
aventurada Virgem Maria, com São José, seu esposo os Apóstolos e Mártires e
todos os Santos, vos louvaremos e glorificaremos, por Jesus Cristo, vosso Filho.

Por Cristo, com Cristo...


T.: Amém!

13. CORDEIRO
1. Cordeiro de Deus, / que tirais o pecado do mundo, / tende piedade de nós! (bis).
2. Cordeiro de Deus, / que tirais o pecado do mundo, / dai-nos a paz / dai-nos a paz
/: Senhor a vossa paz! :/

14. COMUNHÃO I
Vinde e vede, vinde!: Ele está no meio de nós! :
1. Como a André e a João que perguntavam: onde moras, Senhor, onde é que
estás? Recebemos da Igreja esta resposta!
Ele mora entre nós e tem a Paz!
2. Ele, o Filho, a Palavra se fez carne e assumiu nossa humana condição nossa
vida viveu e nossas lutas e agora, entre nós, se dá no Pão.
Vinde e vede, vinde!: Ele está no meio de nós! :
3. Tomai, todos, comei, isto é meu Corpo, é meu Sangue, tomai todos, bebei!
Como eu fiz aprendi, o Amor se entrega: vossa vida entregai, se o Pão comeis!
4. Vive a Igreja da Santa Eucaristia, que é a fonte e a meta da missão. Fonte de
onde ela haure sua força, culminância da Evangelização!
5. Onde dois e outros mais estão reunidos em meu nome, entre eles estarei. Até o
fim, Eu estou sempre convosco até o fim. Eu jamais vos deixarei!

15. COMUNHÃO II
1. Humilhado e cansado / da família e religião / e de amigos separado / A doença o excluiu,
/ mas a fé o impeliu / Não resistiu e suplicou.
/: Se quiseres, Senhor, cura-me : / Sim eu quero, estás curado / Diz o Senhor Jesus /
Esta é a nova lei do amor (bis).
2. Com carinho e contra o mal / Muito acima de uma lei que permite a exclusão / O Senhor
nele tocou, / mas impuro não ficou / O mal sumiu, o amor venceu.
3. Alegria ali foi tanta / Quem recebe o milagre / chora, pula, dança e canta / Sua fé ele
assumiu / e a todos que ele viu / A Boa-nova anunciou.

16. PÓS COMUNHÃO


Ó Deus, que nos fizestes provar as alegrias do céu, dai-nos desejar sempre o
alimento que nos traz a verdadeira vida. PCNS.
T.: Amém!

17. CANTO FINAL


Vós sois o sal da terra, vós sois a luz do mundo. Levai aos povos todos o amor,
meu dom fecundo! Teu Reino, ó Jesus Cristo, queremos propagar, seguindo o
teu exemplo, o mundo transformar!
1. Sendo membros do teu Corpo, que é a Igreja, cristãos leigos e leigas construímos
nova história!
2. Instruídos por tua santa Palavra, chamados e enviados para cumprir a missão!
3. Alimentados, por teu Corpo e Sangue, assumimos, com coragem, a nossa vocação!
4. “Chamados, antes de tudo, à santidade, interpelados a viver a santidade no mundo!”
5. “Sal da terra, luz do mundo, fermento na massa”, não deixamos de ser “ramos na
Videira”!
6. “Na família, no trabalho, na política, em todos os âmbitos de atividade humana”!
7. “Verdadeiros sujeitos eclesiais, aptos a atuar na Igreja e na sociedade!”