Você está na página 1de 10
MINICURSO: COMUNICAGAO NAO-VIOLENTA COM SEUS FILHOS AULA0O1 - ENTENDER E ACOLHER OS SENTIMENTOS Era uma vez uma crianga que... 8@eés& s&s ateu no colega qu Cchegou do colegio Fou rebelde apésa——_—Passou ater rises de calocou umn ape emburrada en aul separacao E por ai vai ia, também era uma vez... Pais frustrados, chateados, irritados e multas Eainda nessa h vezes até alimentando culpas sobre a sua prépria atuacdo com os filhos. Esse minicurso exste para acolher vacése para apois.os lidar com 3 situagBes com um dislogo cua 2 base seja uma comunicagia no. C violent, capar de fortalecer os lagos de respelto e amor entre vocd & S seus fas, essa aula va falar um pouco sabre como lidar com os sentimentos dos seus fos, Sobre como entender e acolhero que eles senter, Acolhimento. © grande problema disso & que ndo fomos educados a ser bons auuintes, por exemple Ree ee eee a eee ee Peon Pee eee eer ere ets Se eee? ea eee Se en eee eee eee ee ee tempo todo:, estou mexendo aqui mas estou cuvindo, hei Cee ee ee ee ee ae ea a ¢ essencial um bom ou Alguém que possa nos elhar nos olhos enguante falamos, que faga xercclo de nde interromper, de ndo dar seus julgamentos, de ni fcar Num dos videos de divulgacie desse minicurso, eu colaquel uma situaggo cotidiana e pedl que voc ada uma das respostas que costumamos da 0 colega do seu fitho colocou um apelido nele e isso virou um problema. Quando vocé diz para ele que todo mundo j passou por isso e que ele no precisa se aborrecer esté minimizando os sentimentos dele. Uma pratica bastante comum com criangas. Elendosesente acolhido...Por que crianga caida bcicleta ese rala toda e voc dz: “ei, no chor, Foi sé prestariaatengSo em voce? ‘um sust.J6 passou”. ‘Acrlanga fia triste porque voc disse ndo e voce di “Ah, para de ‘mana. Vocéjé tem tanta coisa ‘Acrlanga chora por alguma razSo que no aprovamas e 6 nos: apressamos no “engole o chore que ndo ¢ para tanto” ‘Acrlanga estdcansada © a gente dz: "ndo mais do que eu que trabalho 0 ia intro”. eu poderia ficar aqui o dia inti citando essas frases que minimizam os sentimentos da crianga como se ela no tvessedirsca de sent-os ou tale como se precsasse da nassa aprovasio para senticalguma coisa, Cement ee Poe ee ur eee cee Peters Aproposta aqui, querida me, querido pa, €contribuir para que voc8assuma que o seu filho passa pelos rmesmos processos Internos que voc8~ guardadas as devidas proporsbes ~e tem necessidades ruito préximas das suas, E quando voc8 exercita a sua empatia a humanidade que hi em voc8 diloga com muite mais fuidez com a humanidade que ha rele ssa 6a primeira questdo. Tratamos aqul de porque hi violénela na resposta da questo A. Agora vamos para a B. Ignorar 0 quanto pode e depois, se ele insistir, pedir que ndo fale mais sobre isso. Violento, nio? sente nem nega os sentimentos, agente simplesmente no ena em contato, como sen com so 0s sentimentos al falados ficam totalmente se Acrianga aprende que falar sobre seus sentimen demonsirdslos¢ inconveniente, para dizer o minim uma amiga, por exemplo, Isso no é importante. Edeixamos de comunicar. Resposta C... a que mais traz duvidas. Dar um conselho ao filho. Coma isso pode ser violento? Culdar néo é violentar, passar a nossa experiéncia a uma crianca é compartilhar, talvez vacé pense. eu concorde com vacé e quero esclarecero seguinte: quando a gente fala de comunicacSe no-violenta a gente ndo busca sé trar da fala tude que é agressivo, mas também tude © que no ajuda © outro a ampliar a sua percepeSo sobre sie langar lur ans préprios problemas, Delka eu tentar ser mais clara ‘outro dia eu estava no Facebook acompanhando uma postagem num grupa de mulheres. Uma mulher fol tralda,estava gravida e postou um desabat. Eminstantes, dezenas de outras mulheres se solldarizaram @ comesaram a postarconselhos que foram desde ‘© pegaa sus mala eval embora atéo pée gasolina etaca Fogo, Isso ndo ajuda. € eu no estou 36 falando do conselhotrdgica née. st contato com suas necessidades,ainvestigar se esthrompende algum limite, a pensar em como aquela stuacse 1 falando que conselho ndo ajuda nem um pouco a pessoa a entender © que ela mesma sente, a entrar em dlaloga com a sua histéria, com 0 que ela precisa, como que ela pode fazer na momenta para estar segura fisea e emecionalmente mesma coisa com a eianga ‘Quando ela se aborrece com um apeldo precisa entender porque se aborreceu, Somente a partir desse centendimento ela poder resolver o problema, Percebe a diferengar ‘Agente a sai resolvendo o problema sem entender, de fato, os sertimentos envoluidas al, Se for vergonha, por 2 professora s6 val amplar 0 problema porque val expar ainda mals a situagdo e tudo ficars ‘exerplo, con O que fazer, entao? E simples. Embora nao seja facil pelos longos anos que passamos nos comunicando de uma forma tao diferente, Mas a ideia & (2) DCCC ny he nos olhos, balance a cabeca, dga “sim, sim, estou ouvindo” ou algo do tipo 6) Ajude-o a identificar e nomear os sentimentos envolvides na situagao. 31880, non ga clarame r ei 4 Ajude-o a identificar o que el ‘rho: 0 Carlos fica todo dia agora me chamande de pio! Vocé escutaatentamente, Porn interromper, eleva continua ho: 56 porque eu tive piotho ume ver na vida! Néo aguento mals isso! Eu tentofingr que nde estou ouvindo, ‘mas ele ndo para até a sola ineira estar rindo de mim. ‘Quando voce sente que ele narrou a situacéo, pode intervr. Nomele osentimento Mae: Voe8 fica com vergonha? Filho: Com vergonha da turma e com reiva do Carlost Pronto, Os sentimentes foram ie cados. so, por ss, jd e muita coisa, Voed val perceber que depois de falar sobre os sentimentos, a cane fcaré mals alma, Mae: Puxa, flho,sinto muito que voc® esteja se sentindo assim. © que quer fazer a respeito? ho: Sei 6, Voc8 acho que podera ir até o escola e conversor com ele? NBo quero conter para @ professor porque se ela falar sobre sso na aul, eu vou ficar com mais vergonha ainde. Mie: Acho que potemos fazer isso. (05 apeldos aver continuem, © problema talver no se resolve Mas 0 seu fiho ter aprendide a identifier © que sente- coisa que muito adulte ndo sabe fazer ainda, um novo padré de escuta diferente do que vac8 aprendeu, por exemplo, ea buscar solugSes para os préprios problemas com 0 seu apoio, Evocé nd teré ouvida coisas come: Todo mundo j8 passou por iso, mas eu nSo quero passar” ouVoct nfo entende" ou Vocénio se importa" oy “Voct acha que eu j6 no pensel em falar com a professora? Se isso fosse ajudar, eu era feo. Experimente Na présima aul, vamos trabalhar a questo dos acordos. Se vac® ai muito: ‘meu iho nto me obedece! Ele ndo faz nada que eu peso" ou “Tud tem que ser do jito dela’, 0 contedo va ser muito til para voe®,Até li Vamos conversar sobre essa aula? Participe da nossa comunidade no Facebook. Tenha acesso ao material complementar dessa e das préximas aulas. Confira os depoimentos, relatos e experiéncias de centenas de pais e mies aplicando 2 Comunicago Nao-Violenta com seus filhos. beast eee Beat