Você está na página 1de 3

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

A Administração Pública (ou gestão pública) é, em sentido prático ou subjectivo, o


conjunto de órgãos serviços e agentes do Estado, bem como das demais pessoas
colectivas públicas (tais como as autarquias locais) que asseguram a satisfação das
necessidades colectivas variadas, tais como a segurança, a cultura, a saúde e o bem-estar
das populações.

Uma pessoa empregada na Administração Pública, diz-se servidor público ou


funcionário público.

MODELOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Os Modelos da Administração Pública são:

Administração Pública Patrimonialista, Administração Pública Burocrática e


Administração Pública Gerencial.

A Administração Pública Patrimonialista com típico regime autoritário, era marcada


pelo poder nas mãos de poucos. Os cargos, o dinheiro público, eram utilizados como
património particular dos governantes, não havendo diferenciação entre a coisa pública
e os bens e direitos particulares, originando daí a corrupção, o nepotismo e o abuso de
poder. São considerados todos os patrimónios do estado.

A Administração Pública Burocrática surgiu na primeira metade do século XX e se


baseava na racionalidade, por meio da criação e cumprimento das leis, como forma de
combater a corrupção e o nepotismo patrimonialista. No entanto, este modelo de
administração criou formalidades excessivas na máquina estatal, voltando-se apenas
para a optimização dos meios, desvirtuando-se ao longo do tempo dos resultados, ou
seja, de sua missão principal, sendo esta servir ao interesse publico. A burocracia pode
significar uma conceituação estreita e limitada dos meios de coperação entre as pessoas.
Existem definições a nível do seu funcionamento uma vez que esta não se processa
segundo regras de eficácia mas, de acordo com os métodos incrementalistas das
despesas.

Este modelo, também chamado burocrático, caracteriza-se pelos seguintes elementos:

• A avaliação e a selecção dos funcionários são feitas em função da competência


técnica. Daí a exigência de exames, concursos e diplomas como instrumentos de
base à admissão e promoção;
• As relações informais não têm razão de existir. O funcionário burocrático é uma
peça de uma máquina, esperando-se dele um comportamento formal e
estandardizado, de forma a cumprir com exactidão as tarefas e funções que lhes
estão destinadas;
• O funcionário recebe regularmente um salário, não determinado pelo trabalho
realizado, mas segundo as funções que integram esse trabalho e o tempo de
serviço;
• O funcionário burocrata não é proprietário do seu posto de trabalho, as funções
que executa e o cargo que ocupa são totalmente independentes e separados da
posse privada dos meios de produção da organização onde trabalha;
1
• A profissão de funcionário de tipo burocrático supõe um emprego fixo e uma
carreira regular;
• O desempenho de cada cargo por parte dos funcionários burocráticos pressupõe
uma grande especialização na execução das suas tarefas e trabalho.

A Administração Pública Gerencial teve início na segunda metade do século XX e


surgiu como resposta à evolução econômica e social do Estado, diante da globalização e
do desenvolvimento tecnológico. Este modelo de Administração Pública constitui uma
evolução na história da Administração Pública, por enfocar aspectos da eficácia, da
necessidade de redução do custo da máquina pública e aumento da qualidade dos
serviços públicos.

A Administração Pública Gerencial constitui um avanço e até certo ponto um


rompimento com a Administração Pública Burocrática.

Na Administração Pública Gerencial a estratégia volta-se (1) para a definição precisa


dos objectivos que o administrador público deverá atingir em sua unidade, (2) para a
garantia de autonomia do administrador na gestão dos recursos humanos, materiais e
financeiros que lhe forem colocados à disposição para que possa atingir os objectivos
contratados, e (3) para o controle ou cobrança à posterior dos resultados.

Adicionalmente, pratica-se a competição administrada no interior do próprio Estado,


quando há a possibilidade de estabelecer concorrência entre unidades internas. No plano
da estrutura organizacional, a descentralização e a redução dos níveis hierárquicos
tornam-se essenciais.

A Administração Pública Gerencial vê o cidadão como contribuinte de impostos e como


cliente dos seus serviços.

2
3